Design de Bolso 3

Сomentários

Transcrição

Design de Bolso 3
n
t
a
t
o
:
o
elesbodoni e haragaramond would likec
d i z a i n @ h o t m a i l . c o m
to quaquaqua the following sambambers:
ricardo leite, theiza, marcelo rosauro, brunop e r i o d i c i d a d e :
ignorada (jibóia produções)
porto (grande distribuidor), luli radfaher,
d i s t r i b u i ç ã o :
manu, alessandra devulsky, burritos dom i n h a m ã o d i s t r i b u i d o r a s . a .
brasil, billy e o povo da subvertaipe, léo
c o l a b o r a ç ã o :
eyer, sangria (pelos paradigmas daj
o
s
é
b
e
s
s
a
r e s t o n
especulação mercadológica ptuptuptu),c l a u d i o
águia disco, comlurb, letras & expressõese
s
t
a
g
i
á
r
i
o
s
:
(daniel), paula (ser designer é...), chacrinha,d a v i d c a r s o n , m i l t o n g l a s e r , c a r l o s
segura, neville brody, win crouwel,
biscoitos globo (salgado e doce), jorgeb o b g i l l , s a u l b a s s , p a u l r a n d , p a u l a s c h e r
perlingeiro, unscarabrown, anima mundi,t
e
x
t
kris e bigdad, liane, luciana (a mágoa),m i n h a m e n t e
o
:
s
r e d a ç ã o
paulinho (olha a tosse), carol (“você é tãoe s t a p u b l i c a ç ã o n ã o p o d e s e r v e n d i d a
m e s m o )
boa com a gente...”), tonho, anas paulas( b a r a t o
(faculdade da cidade), os mulheres negras,f
o
t
o
l
i
t
o
:
v
i
m
a
r
a
n
e
s
björk, mamê, mameluc, misti mesti, feira de
m
p
r
e
s
s
ã
o
:
são cristóvão, vigilantes do peso, racionaisi
g r á f i c a
c o r b ã
mcs, sanhaço, filó e barney, iav, juliana( 2 . 0 0 0
e x e m p l a r e s )
(mota), felipe taborda, tchufélas, eriquinha,
publicação impressa em 7 cores, a saber: preto black,
pineapple popsicle, ary, zinemutante,cinza zumbi, branco inverso, negro sivuca, pantone
fanzineiros em geral, joão lutz, andré villas-asfalto, penumbratone e pretone blackmatch,
com retícula esculástica (é um esculacho)
boas, ndesign, formandos 98.2 da
d e s i g n e t o d o o r e s t o :
faculdade da cidade, pessoal da 24 dee l e s b ã o e h a r o l d i n h o / d i z á i n /
maio (SP), lenita, lícia, pawinha, rioarte
(qualquer trocadinho é bem recebido), rádio
imprensa, 2ab editora, prima, hiro, murizo
(mangueirense), ed motta (ainda que nunca
as logomarcas citadas nesta edição são de uso
tenha respondido um e-mail), cervantes,e x c l u s i v o d e s e u s d e t e n t o r e s . q u a l q u e r
nossos familiares, toda a galera que nossemelhança é meramente ilustrativa e sacana.
apoia (porra, não dá pra citar todo mundo!).a l l r i g h t s r e s e r v e d ( p t u )
elesbodoni e haragaramond would like© e l e s h a r c o r p o r a t i o n 1 9 9 8
(prá quê “design de bolso” se o futuro é a morte?)
to ignore the following &^**$^&*$%:
walter mercado, norton utilities, telerj (4o d e s i g n d e b o l s o p o d e s e r e n c o n t r a d o
eventualmente nos seguintes locais:
meses e o telefone ainda não foi instalado),l e t r a s e e x p r e s s õ e s ( i p a n e m a )
t r a x x
( g á v e a )
àqueles que tem “mágoa” por não teremi a v ( f a c u l d a d e d a c i d a d e )
l
i
v
r
a
r
i
a
d
o
e
s
tação botafogo
sido citados (repare bem na nossa cara
l i v r a r i a d o e s p a ç o u n i b a n c o
quando entregarmos o fanzine - você saberás e a l g u é m q u i s e r d i s t r i b u i r p o r a í . . .
se foi pura falta de espaço ou proposital)
melhor se consumido antes de:
ou ainda àqueles que ficam “ofendidinhos”.2 5 d e s e t e m b r o d e 2076
fatos
obra inconstante, de curta duração
fator
uma, duas, três vezes
regata de pensamentos, inflamação
fator
sempre assim
repetível, retornável
sagaz, contumaz
geometriza-te
numa
merecedora de apreço, do bem dizê-lo
fração
fugaz
irrepreensivelmente áspera
fator
constantemente surpresa
assim a faço
sempre, num instante
fatos
uma eternidade
nada mais
nada mais
fatos
lapidada pelos entornos cerebrais
fatos
capaz
fator
assim se faz
denso é o texto que habita meu dedo,
circunflexo como todo acento,
pairando sobre o contexto geral.
mas ali se faz presente,
em sua contribuição obrigatória
e decisória no sentido do todo.
o texto alaga, eu passo o rodo.
você
u
juntos
$
verão
itapoã força
salvador
$
itapoã força
suor
morena
moreno
moreno
nós dois
baiano
nós dois
baiano
Brinde!
$
êêêêêê
u
êêêêêê
$
ôôôôôô
ôôôôôô
em breve: como fazer pagode.
raça
pelô
raça
trio elétrico
salve
salve
ano inteiro
trio elétrico
salve
salve
ano inteiro
$
pelô
salvador
morena
recorte e componha você
mesmo uma axé music!
verão
pelô
salvador
$
suor
negro
você
juntos
itamb é...
pelourinho
pelourinho
$
carnaval
carnaval
suingue
negro
suingue
itapoã força
raça
amor
amor
amor
amor
bahia
$
bahia
bahia
axé
axé
axé
áfrica
$
amor
áfrica
áfrica
passar manteiga quando ela pedir
amor
“ ”
por quê eu devo lhe pagar tanto
por uma logomarca? aposto que
você senta no computador e resolve
rapidamente o trabalho...
mais uma vez a mesma situação... a santa soa grandiloquente às pobres mentes conclamar, a
ignorância desenvolve-se como erva título de globalização, a criação estrangeira,
daninha onde gramamos o rito mental, pasteurizando conceitos mundo afora. dilui-se a
exaltando a razão cartesiana sobre aquilo individualidade respeitada pelo design em suas orbes
imensurável, a criação. é complicado orçar primárias. a universalização pretendida é bem
a “hora-mente”, mas ainda assim alguns recebida na medida que se preserve e respeite
esforçam-se em minimizar o impacto do conceitos particulares de cada regionalidade. não é a
estudo visual, sem se dar conta, entretanto, arte justificada em pilhas de papéis nas sete vias, mas
que dependem do mesmo para atingir seus a consciência das origens e o reconhecimento da fonte.
objetivos. quando o entendem, raro, e certas particularidades somente são adquiridas no
enveredam por outro ato falho. estudo local, afim de conhecer identidades culturais.
poderá um estrangeiro, isolado, ter a visão local do cotidiano mais
próximo? provavelmente não. mas insistem os contratantes,
recrutando a criação “internacional” onde bem apessoados
agentes de “design” corporativo podem ludibriá-los com maior
facilidade. é mais confortável digerir uma justificativa em inglês
ou qualquer outro idioma “civilizado”. a lingua local soa
próxima, sem pedestal ou algo que dê dimensão tecnocrata.
é costume, são diversos os picaretas, mesmo.
e maiores são as possibilidades, no tocante à qualidade, com aqueles que prestam, que lutam, que estudam aqui
ou lá fora, mas que retornam à prática em nosso laboratório vivo de idéias e modos. não é uma visão regionalista.
é uma idéia sobre a qual pode-se e deve-se, acima de tudo, valorizar o profissional que há em cada nicho, não
importando sua nacionalidade. competir é saudável, desde que seja dada condição.
é providencial o intercâmbio entre culturas, pois é disto que se faz a própria
formação cultural. mas é falso, soa como um fertilizante imbecilóide destratar
a força motriz cerebral de sua própria nação para ter, num lance de
marketing ousado e qualidade duvidosa, em muitos casos beirando o
plágio, sua renovação de imagem formulada por aquele que provavelmente não teria oportunidade de estar na mesma calçada num
dia comum. procure sempre alguém que seja humano em seu
habitat, que se possa encontrar por aí, numa conversa fiada da
melhor espécie, pois ele entenderá sua necessidade, e saberá projetar uma solução verdadeira como o passado
que a empresa carrega e o futuro que almeja.
o designer é
um manifestante
e o design,
do bom gosto
por sua vez,
é o objeto
desse
manifesto