O fast food continua conquistando paladares e ganhando espaço

Сomentários

Transcrição

O fast food continua conquistando paladares e ganhando espaço
O fast food continua conquistando paladares e ganhando espaço
nas mesas de casas, bares e restaurantes dados a sua comodidade
e a falta de tempo que impera nas grandes cidades. E não é só a
quantidade de pessoas que consome esse tipo de alimento que
cresce a oferta deles também.
A rapidez do serviço, os horários de funcionamento e os preços
econômicos, assim como a variedade de pratos e a ampla rede de
estabelecimentos, são algumas das vantagens que levam cada vez
mais pessoas a optar diariamente ou freqüentemente por esse tipo
de alimentação.
Mas aquela que alguns chamam ironicamente de "fat-food" devido
ao seu valor calórico é saudável? Ou sua má reputação tem base
real? Para alguns especialistas, essa alimentação não é tão ruim,
desde que em quantidade e freqüência moderadas, não se torne
um hábito, não substitua alimentos básicos e não vire o principal
componente da dieta.
Para ser incluída na alimentação, a comida de restaurantes fast
food deve ser consumida preferencialmente no almoço. Já seu alto
valor calórico deve ser compensado ao longo do dia com outros
menos energéticos e com nutrientes complementares. Os
nutricionistas espanhóis Luz García, Gregorio Mariscal Bueno e
Esther de la Paz fazem alguns esclarecimentos sobre as refeições
rápidas.
!!(VFODUHFLPHQWRVSegundo esses nutricionistas, o consumo
excessivo de fast food é desaconselhável por causa do seu alto
percentual de carboidratos e gordura e da pouca quantidade de
fibras, vitaminas e minerais. Além disso, as gorduras saturadas e o
colesterol, nocivos para as artérias e o coração, são abundantes
nesses produtos, os quais são de difícil digestão por causa de sua
elaboração e dos molhos e condimentos.
Não é só isso: as refeições rápidas costumam ter um alto teor de
sódio, o que prejudica aqueles que retêm líquidos ou têm a
pressão alta. Também contêm conservantes, corantes,
estabilizantes e outros aditivos, que melhoram o aspecto da
comida, mas podem ser fazer mal à saúde.
De todos os modos, esse tipo de alimento pode ser incluído com
moderação na dieta semanal, conferindo-lhe variedade - se tanto
os pratos como os ingredientes forem diversificados - e
fomentando o bem-estar e o equilíbrio psicológico do indivíduo,
que comerá ao comer com moderação e por prazer aquilo que
agrada ao paladar.
Essa alimentação pode fazer parte de uma dieta equilibrada, como
uma comida a mais que fornece os nutrientes dos grupos
alimentares fundamentais (carboidratos, proteínas e lipídeos).
Além disso, pode trazer energia em momentos pontuais, como no
meio do dia, para repor as calorias gastas de manhã ou garantir a
que faltará à tarde.
Os especialistas explicam os aspectos favoráveis dos alimentos
rápidos mais consumidos e uma série de táticas para tornar mais
saudável e leve esse tipo de comida:
* Ba t a t a s- f r i t a s: o acompanhamento mais comum. Elas
não fazem mal porque pertencem a um grupo cujos carboidratos
devem ser consumidos diariamente e fornecem energia aproveitável
pelo organismo. São ricas em potássio, um mineral que faz bem
para o s que retêm líquidos ou têm problemas renais, e em vitamina
C, um potente antioxidante. Podem conferir um aporte de energia
extra àqueles com déficit nutritivo, que estão convalescentes ou
magros, que estão submetidos a um grande desgaste físico ou que
devem fazer frente a um esforço maior do que o habitual.
* H a m b ú r g u e r : prato-símbolo. Podem ser saudáveis porque
seu principal componente, a proteína da carne de vaca, é proteína
de alta qualidade biológica, rica em ferro e vitamina B12. É boa para
combater a anemia e recomendada para pessoas com problemas
digestivos, já que é bem digerida. Se o hambúrguer é feito com
carne de peru ou frango, mais magras, podem ser consumidos por
pessoas com problemas de colesterol. O pão garante a quantidade
de carboidrato que é preciso consumir diariamente, e as sementes
de gergelim são muito ricas em cálcio. É um alimento barato e
transportável, que fornece energia em casos de maior desgaste
físico e mental.
* Pi z z a : um prato muito equilibrado. Se seus ingredientes, que
incluem frutas, pescados, carnes, derivados lácteos e hortaliças,
forem bem selecionados e considerando o azeite e o cereal de sua
massa, temos um prato equilibrado, cujas calorias e nutrientes não
precisam ser complementadas. É fácil de preparar e de transportar.
* C a c h o r r o - q u e n t e : o prazer do sabor. Consumidos
esporadicamente, quando se tem pressa, para substituir uma
refeição ou satisfazer o paladar, não fazem mal, e suas proteínas
contêm bons aminoácidos. Seu perfil nutricional melhora se
consumido com purê de batatas, chucrute ou cebolas. Seus
componentes são muito macios e fáceis de mastigar, por isso é uma
comida boa para pessoas com problemas nos dentes ou gengivas. A
salsicha é rica em proteínas, assim como em ferro e vitamina B12.
Se for recheada com queijo, também fornece cálcio.
Para que todos os pratos sejam mais saudáveis, é aconselhado
restringir molhos como o ketchup, a mostarda, a maionese e os
condimentos fortes. Em seu lugar, é recomendado usar azeite de
oliva, limão e vinagre. Também é recomendado diminuir as calorias
do jantar, para compensar as ingeridas nas refeições rápidas.
Também se devem evitar os produtos fritos e empanados, assim
como os ingredientes extras ricos em gorduras saturadas.