Coisa de maluco - Sindicato dos Bancários da Bahia

Сomentários

Transcrição

Coisa de maluco - Sindicato dos Bancários da Bahia
O BANCÁRIO
Edição Diária 5246 | Salvador, segunda-feira, 12.11.2012
Filiado à
Presidente Euclides Fagundes Neves
SAÚDE Pressão por metas e assédio têm levado bancários a problemas mentais
Empregados
querem que
Caixa cumpra
acordo
Página 3
Coisa de maluco
O resultado do assédio moral e da pressão por metas não é
nada bom, como todos sabem.
Aliás, é muito negativo e chega a comprometer a sanidade
mental. Este, inclusive, é um
dos principais problemas enfrentados pela categoria.
Entre os sintomas mais comuns, depressão, transtorno
bipolar, síndrome do pânico,
além de tonturas, irritações
frequentes, pesadelos, palpitações e falta de ar.
De acordo com a Organização
Mundial da Saúde, mais de 350
milhões de pessoas sofrem de
depressão no mundo. Página 4
João Ubaldo
Na Caixa, os empregados esperam que as discussões na mesa específica seja cumprido pela direção da instituição financeira
www.b an car i os b ah i a.org .b r
SISTEMA FINANCEIRO A cada 15 segundos, um consumidor sofre uma tentativa
Brasileiro é vítima
fácil de fraudes
A cada 15 segundos, um consumidor brasileiro sofre uma tentativa de ter o cartão de
crédito clonado ou empréstimos solicitados
por golpistas. A afirmação é do Indicador
da Serasa Experian, que contabilizou 1,56
milhão de tentativas de fraudes, de janeiro a
setembro deste ano, alta de 5,9% em relação
ao ano passado. Na comparação com 2010,
o aumento é de 13,7%.
Quem lidera a lista é o setor de serviços,
com 36% do total de tentativas de fraudes.
A telefonia ocupa a segunda posição, com
33%. Seguidos dos bancos e financeiras
(18%), varejo (11%) e outros (2%).
Diante dos perigos, os clientes devem
prestar atenção e evitar informar o número
da identidade ou CPF em cadastros de compras na internet, ou mostrar os documentos
para terceiros. Nunca se sabe quem tem o
controle sobre os dados pessoais.
Ana Beatriz Leal
Santander
desconta
nota falsa
O abuso dos bancos não tem limites.
O Santander descontou do salário de
uma funcionária que trabalhava como
caixa, entre R$ 300,00 e R$ 500,00 anuais, por ter recebido notas falsas sem saber. Agora, a organização financeira terá
de devolver todo o valor.
A decisão inicial foi do TRT (Tribunal
Regional do Trabalho), sendo mantida,
por unanimidade, pelo TST (Tribunal
Superior do Trabalho). Ou seja, o banco
não tem para onde correr e terá de reembolsar a funcionária.
O Santander tentou a todo custo comprovar que os descontos eram legalizados
perante a Justiça e ainda alegou que pagava gratificação justamente para compensar eventuais valores decorrentes de
diferenças de caixa e que os descontos
estavam previstos em instrumentos coletivos. Um verdadeiro absurdo que agora será corrigido.
Calor toma conta
do Itaú Cidadela
De janeiro a setembro, o número de fraudes cresceu 5,9% em relação ao ano passado
EDITAL DE ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA
O Sindicato dos Bancários da Bahia, inscrito no CNPJ/MF sob o n° 15.245.095/000180, por seu presidente abaixo assinado, convoca todos os empregados da Poupex - Associação de Poupança e Empréstimo, sócios e não sócios, da base territorial, para assembléia geral extraordinária, que se realizará no dia 12 de novembro de 2012, às 18h,
em primeira convocação e às 18h30, em segunda convocação, com qualquer número
de pessoas presentes, na rua Território do Amapá, nº 455, Pituba, Salvador, Bahia, CEP
41.830-540, para discussão e deliberação acerca da proposta apresentada para celebração do Acordo Coletivo de Trabalho, 2012/2013, dos empregados da Poupex.
Salvador, 8 de novembro de 2012
Euclides Fagundes Neves - Presidente
O BANCÁRIO
Fundado em 30 de outubro de 1939.
Edição diária desde 1º de dezembro de 1989
2
O Bancário
Fundado em 4 de fevereiro de 1933
Os clientes que precisam fazer alguma operação bancária no Itaú Cidadela
têm passado por maus bocados. É que o
sistema de ar-condicionado da agência
está quebrado há dias, causando muitos transtornos para os funcionários e
a população.
O pior é que ainda não tem prazo para
consertar o aparelho. Segundo informações, uma empresa já foi verificar o equipamento, mas até agora nenhuma medida foi tomada.
O Sindicato dos Bancários da Bahia
está ciente do problema e vai tomar todas
as medidas necessárias. Até porque não
tem justificativa uma agência do maior
banco privado em atividade no país, que
em nove meses lucrou R$ 10,102 bilhões,
ficar sem ar-condicionado.
Informativo do Sindicato dos Bancários da Bahia. Editado e publicado sob a responsabilidade da diretoria da entidade - Presidente: Euclides Fagundes Neves. Diretor de Imprensa e Comunicação: Adelmo Andrade.
Endereço: Avenida Sete de Setembro, 1.001, Mercês, Centro, Salvador-Bahia. CEP: 40.060-000 - Fone: (71) 3329-2333 - Fax: 3329-2309 - www.bancariosbahia.org.br - [email protected] Jornalista
responsável: Rogaciano Medeiros - Reg. MTE 879 DRT-BA. Chefe de Reportagem: Rose Lima. Repórter: Maiana Brito - Reg. MTE 2.829 DRT-BA. Estagiários em jornalismo: Ana Beatriz Leal, Alexandre Veloso e Márcia Athayde.
Projeto gráfico: Danilo Lima. Diagramação: Tiago Lima. Impressão: Muttigraf. Tiragem: 10 mil exemplares. Os textos assinados são de inteira responsabilidade dos autores.
www.bancariosbahia.org.br • Salvador, segunda-feira, 12.11.2012
Fenae
O vice-presidente do SBBA, Augusto Vasconcelos, participou da reunião específica com a direção com da Caixa
CAMPANHA SALARIAL Em pauta, sobrecarga de trabalho, extrapolação da jornada e a falta de infraestrutura nas agências
Empregados cobram melhorias na Caixa
As precárias condições de trabalho em
algumas agências da Caixa, os problemas
enfrentados pelos tesoureiros e a necessidade de ampliação do quadro de funcionários foram alguns dos assuntos tratados
pela Comissão Executiva dos Empregados
(CEE) e a direção da empresa, em negociação permanente, na quinta-feira.
A CEE, logo no início, apresentou um
extenso levantamento com os problemas
que acontecem em centenas de unidades
bancárias. Destaque para as questões relativas à climatização, sobrecarga de trabalho,
extrapolação da jornada e a falta de infraestrutura nas agências.
O vice-presidente do Sindicato da
Bahia, Augusto Vasconcelos, aproveitou
a oportunidade e citou o caso da unidade
do Iguatemi, em Salvador. A agência está
há meses em reforma, deteriorando o ambiente de trabalho e ainda deixando vários
empregados doentes.
Sobre os tesoureiros, a comissão reivindicou a instalação de corredores para evitar a exposição do funcionário no momento do abastecimento dos caixas eletrônicos
em todas as agências. A Caixa, no entanto,
alegou que o problema só existe em 22 unidades, número contestado pelo movimento
sindical. Mas, depois de um longo debate, a
direção da empresa informou que resolveria a questão até 31 de dezembro próximo.
O banco também informou que fez a alteração do RH 183, reduzindo de 180 para
90 dias, o tempo necessário para que o empregado possa assumir a função de caixa
executivo. De acordo com a empresa, hoje
5.302 trabalhadores estão aptos a exercerem a função de tesoureiro e todos vão
passar por curso de formação entre fevereiro e agosto de 2013.
Ainda ficou acertado que a partir de janeiro o funcionário que substituir o tesoureiro nos intervalos de almoço ou em outras ocasiões será remunerado. Atualmente,
o substituto só recebe quando o titular está
em licença saúde ou férias.
Com relação as novas contratações, a
direção da Caixa disse que irá cumprir o
prazo estipulado no acordo coletivo. Ou
seja, chegar a 92 mil empregados em dezembro próximo e a 99 mil em dezembro
de 2013. Até o dia 6 passado, a empresa tinha 90.960 bancários.
A CEE cobrou ainda o cumprimento da
Súmula 124 do TST (Tribunal Superior do
Trabalho), que altera o cálculo das horas
extras. O banco informou que está em fase
de estudos jurídicos.
Sobre o Universidade Caixa, a instituição financeira disse que vai editar um
comunicado orientando os gestores a disponibilizarem 6 horas da jornada por
mês para que os cursos sejam realizados.
Também será analisada a possibilidade de
implantação, a partir de janeiro, do item
AV Caixa, que avalia o número de horas
realizadas pela equipe na Universidade
Corporativa.
Os empregados denunciaram ainda a
resposta fornecida pela CEAT de que iria
cortar o salário por conta das horas não trabalhadas no período da greve. No entanto,
a empresa afirmou que vai cumprir a Convenção Coletiva.
Outro assunto de destaque foi a Cipa e
ficou decidido que os sindicatos vão participar da elaboração do conteúdo do curso de formação. A negociação ainda tratou
de Funcef, promoção por mérito e carreira
profissional.
O Bancário
Salvador, segunda-feira, 12.11.2012 • www.bancariosbahia.org.br
3
SAÚDE Entre os principais sintomas, tonturas, depressão, transtorno bipolar, palpitações, falta de ar entre outros
Doenças mentais assolam os bancários
Pressão por metas e a competitividade
imposta pelos superiores nas agências têm
prejudicado a saúde dos bancários, principalmente com as doenças mentais. Entre
os principais sintomas que acometem os
funcionários, tonturas, irritações frequentes, pesadelos, palpitações, falta de ar e outros sintomas que parecem isolados.
A categoria é uma das que mais adoece no país e os transtornos mentais estão entre os mais frequentes. Depressão,
transtorno bipolar, síndrome do pânico
e outras doenças mentais acometem os
trabalhadores. Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) mostram que
mais de 350 milhões de pessoas sofrem
de depressão no mundo.
Psicólogos apontam que o assédio organizacional, prática de gestão voltada
para a produtividade que abre espaço
para o assédio moral, é o motivador do
adoecimento dos empregados. Os bancos demonstram que, com a política de
pressão, o funcionalismo não tem valor
e muito menos a saúde do trabalhador.
Outro motivador levantado para o
adoecimento dentro da categoria bancária é a fusão entre as organizações finan-
ceiras. Com os processos de junções, os
funcionários dos privados são obrigados
a intensificar a luta para bater as metas
e não perder o emprego. Nos públicos,
a ameaça é para não perder comissões e
cargos. Os banqueiros colocam os empregados em uma verdadeira guerra de
todos contra todos.
DEMOCRACIA Do ex-ministro José Dirceu, sobre mais uma decisão meramente midiática do relator do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, cada vez mais parecido um ator global, de exigir que os réus entreguem imediatamente os
passaportes, antes mesmo do fim do julgamento. “Criticar uma decisão não significa desrespeitar o Poder Judiciário. Vivemos em
um país livre, numa democracia, onde a liberdade de expressão é a regra e faz parte do Estado Democrático de Direito”. Ele considera a atitude de Barbosa como uma tentativa de “constranger e censurar os réus”.
TECNICISMO O recurso do Ministério Público de São Paulo pedindo a substituição da expressão “lesões e maus-tratos sofridos
nas dependências do 2º Exército” pelo termo “morte violenta de causa desconhecida”, no atestado de óbito do jornalista Vladimir
Herzog, assassinado pela ditadura militar em 1975, é considerado por juristas e advogados como “excesso de tecnicismo”. A versão
oficial, que perdurou por mais de 35 anos, era de que ele havia cometido suicídio, portanto no documento de morte aparecia como
causa “asfixia mecânica”. Somente neste ano, a Justiça reconheceu finalmente que Herzog não se suicidou. Agora, com o recurso do
MP, a correção vai demorar ainda mais.
CHANTAGEM Muito ridícula a chantagem feita pelo governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), de que a distribuição dos
royalties do petróleo com todos os municípios e estados, independentemente de serem produtores ou não, vai inviabilizar a realização
da Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. A decisão do Congresso Nacional coroa uma antiga reivindicação de toda a sociedade. A fantástica riqueza gerada no subsolo, principalmente agora com o pré-sal, deve servir para ajudar a superar a pobreza, vencer
as desigualdades sociais, estimular o desenvolvimento das regiões mais carentes, e não para aprofundar a concentração da riqueza.
DESCOMPROMISSO O fato reafirma o completo descompromisso social de parte do Judiciário. As principais entidades represen-
tantes dos juízes federais e trabalhistas fizeram questão de divulgar que o objetivo da greve de dois dias da categoria está exatamente
em “boicotar” a semana de conciliação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), cujo maior beneficiado é a população, pois agiliza a
resolução de processos que demorariam anos em tramitação para se chegar ao resultado final. Quer dizer, a intenção é prejudicar
deliberadamente a sociedade. Detalhe: os juízes têm salário inicial de R$ 21,8 mil e querem um aumento de 28,86%.
4
O Bancário
www.bancariosbahia.org.br • Salvador, segunda-feira, 12.11.2012

Documentos relacionados

Desrespeito rende multas em 12 agências

Desrespeito rende multas em 12 agências Média de 10 gols marca rodada de futsal As chuvas de gols continuam no Ginásio de Esporte dos Bancários, Ladeira dos Aflitos. Uma média de 10 gols por partida definiu a terceira rodada da Copa Futs...

Leia mais

Nada muda na Caixa - Sindicato dos Bancários da Bahia

Nada muda na Caixa - Sindicato dos Bancários da Bahia Jornalista responsável: Rogaciano Medeiros - Reg. MTE 879 DRT-BA. Repórteres: Maiana Brito - Reg. MTE 2.829 DRT-BA e Eliane Costa - Reg. MTE 2.209 DRT-BA. Estagiárias em jornalismo: Nadja Pereira e...

Leia mais

Bilhões nos cofres. Milhares nas ruas

Bilhões nos cofres. Milhares nas ruas Endereço: Avenida Sete de Setembro, 1.001, Mercês, Centro, Salvador-Bahia. CEP: 40.060-000 - Fone: (71) 3329-2333 - Fax: 3329-2309 - www.bancariosbahia.org.br - [email protected] Jorna...

Leia mais

Enrolação é a marca registrada

Enrolação é a marca registrada Brasil, foram alguns dos pontos esclarecidos pelo secretário geral do SBBA, Olivan Faustino. As questões de gênero e igualdade de oportunidades também estiveram em pauta e foram apresentadas

Leia mais

Tensão no Santander - Sindicato dos Bancários da Bahia

Tensão no Santander - Sindicato dos Bancários da Bahia Informativo do Sindicato dos Bancários da Bahia. Editado e publicado sob a responsabilidade da diretoria da entidade - Presidente: Euclides Fagundes Neves. Diretor de Imprensa e Comunicação: Adelmo...

Leia mais

Baixe a versão em PDF

Baixe a versão em PDF responsável: Rogaciano Medeiros - Reg. MTE 879 DRT-BA. Repórteres: Maiana Brito - Reg. MTE 2.829 DRT-BA, Eliane Costa - Reg. MTE 2.209 DRT-BA e Rose Lima. Estagiárias em jornalismo: Nadja Pereira e...

Leia mais