AVALIAÇÃO DAS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES DE VIDA DIARIA

Сomentários

Transcrição

AVALIAÇÃO DAS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES DE VIDA DIARIA
AVALIAÇÃO DAS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES DE VIDA DIARIA EM IDOSOS USUÁRIOS
DE PRÓTESE AUDITIVA
*Maycon Duarte; Gisele Klauberg; Mirtes Bruckmann Odete Jussara Cordeiro; Maria Isabel D´Ávila
Freitas; Maria Madalena Canina Pinheiro.
Universidade Federal de Santa Catarina;
Introdução: O avanço tecnológico proporcionou um aperfeiçoamento das especialidades médicas
aumentando a expectativa de vida e conseqüentemente o número de idosos na população. O
envelhecimento pode causar alterações dos sistemas sensoriais, afetando as acuidades auditiva e visual,
além de comprometer as funções mentais superiores como a cognição e a memória. Atualmente os
questionários de auto-avaliação são os instrumentos mais utilizados para avaliar as limitações e restrições
dos deficientes auditivos. Objetivo: Avaliar as limitações e restrições de vida diária por meio do
questionário Abbreviate Profile of Hearing Aid Benefit (APHAB) antes e após o uso da prótese auditiva.
Método: Realizou-se um estudo longitudinal com amostra não probabilística por conveniência.
Inicialmente foram selecionados 13 pacientes para fazer parte do estudo. No entanto, três idosos não
compareceram para a segunda parte da avaliação, um idoso não estava fazendo uso da prótese auditiva, e
um idoso sofreu um Traumatismo Crânio Encefálico no andamento da pesquisa. Portanto, oito indivíduos
fizeram parte do estudo. A amostra foi composta por 6 (75%) mulheres e 2 homens (25%), com média de
idade de 75,3 anos. Foi aplicado o questionário APHAB (COX e ALEXANDER; 1995) que tem por
objetivo quantificar o auxílio proporcionado pelo uso de próteses auditivas em diferentes situações da
vida diária. Este questionário é composto por 24 itens divididos em quatro sub-escalas de avaliação da
comunicação, incluindo situações em ambientes favoráveis (FC), as vivenciadas na presença de ruído
(RA), salas reverberantes (RV) e sons intensos do ambiente (AV). Foi comparado os achados do
questionário APHAB, antes e após três meses de uso da amplificação sonora. Também foi aplicado o
teste Mini Exame do Estado Mental (MEEM). Resultados:Verificou-se que sete idosos apresentaram
MEEM dentro da normalidade e um idoso apresentou alteração. Nos ambientes sonoros propostos pelo
questionário APHAB observou-se melhora nas sub-escalas: Facilidade de Comunicação, Reverberação e
Ruído Ambiental. Na sub-escala Aversão aos Sons ocorreu piora com a amplificação. Verificou-se que o
idoso com MEEM alterado obteve o pior resultado na sub-escala de Aversão aos sons e pouco benefício
na sub-escala Facilidade de Comunicação (4%). Conclusão: Verificou-se que houve redução da limitação
em atividades nas sub-escalas: facilidade de comunicação, reverberação e ruído ambiental com o uso de
próteses auditivas. O benefício obtido na sub-escala Ruído Ambiental é maior do que o obtido nas subescalas Facilidade de Comunicação e Reverberação.

Documentos relacionados