Caro Hans e demais colegas, Envio dois - Isomax

Сomentários

Transcrição

Caro Hans e demais colegas, Envio dois - Isomax
Von: [email protected] Im Auftrag von moises medeiros pinto
Caro Hans e demais colegas,
Envio dois trabalhos sobre controle da infestação da vespa tigre ou tigrão que encontrei na
Internet.
Nota-se pelo descrito nestes que o Chlorophorus annularis é realmente um caso sério.
Também outro sobre insetos predadores no Brasil que vale a pena dar uma vista de olhos.
Informo ainda que quando o pesquisador chinês, Prof. Dr. Yang Yuming, esteve no país durante a
realização do SINBAMPALM, em 2010, em que na oportunidade juntos com o Tombolato visitávamos a
Coleção de Bambus da UPD de Tatuí, indaguei do mesmo como era feito o controle de pragas de insetos que
atacavam os bambuzais na China.
Ele nos relatou que eram usadas armadilhas luminosas noturnas, com substância pegajosa e aderente na base,
que capturavam os insetos alados e outros e os imobilizavam na mesma.
Pode ser que este processo possa ser útil também nos locais de estocagem e armazenamento de colmos
de bambus cortados.
Moisés
Olá Raimund e demais membros do grupo,
A sua mensagem é um lembrete para estudarmos mais sobre esta espécie de praga, que
parece tão atraente e inofensiva, mas que causa sérios prejuízos. Um dos maiores problemas no
combate aos besouros que se alimentam do bambu é que eles permanecem invisíveis durante a maior
parte do seu ciclo de vida (ovo, larva, pupa), escondidos no interior dos colmos. Só depois que a pupa
se transforma em besouro o animal sai do seu abrigo e vive uma curta fase de apenas duas semanas,
que é usada exclusivamente para acasalar e se reproduzir. Já li autores que afirmam, que outras
espécies de cerambicídeos não se alimentam na fase adulta e não sei como se comporta o tigre nesta
etapa da vida. Como poderíamos obter esta informação?
Abraços.
Hans Kleine
De: [email protected] Em nome de Raimund Düking
Olá bambuzeiros,
Quais são as flores preferidas dos tigres adultos? Aquí na Alemanha os parentes do
Chlorophorus annularis se alimentam de pólen (veja a foto). As flores preferidas pertençem a
famiglia Apiaceae. Não seria possivel recolher os coleopteros das flores? Não seria possivel
plantar as flores preferidas para poder recolher e dizimar os coleopteros?
Raimund
Von: [email protected] Im Auftrag von agrobambu/bamboofount
Olá Celina
Espero que vc. obtenha com eles uma fórmula secreta. Pelos contatos que tenho com
bambuzeiros dos USA nem eles podem com este Cerambicídeo(Bamboo longhorn
beetle). Estes insetos não são nativos nos USA e foram introduzidos lá (vindo da Ásia)
por um lote de material de bambu(ou varas) que foi adquirido ou comercializado pelo
Home Depot na década passada. Desde então se disseminaram por lá também e não se
desenvolveram tanto como aqui pelas diferenças climáticas. Talvez vc. possa obter
melhores resultados pelo BP com o pessoal do Hawai que também disputam
ferrenhamente com eles e o pessoal da Ásia- No BP tem gente de todos estes lados.
Aqui no RS e SC ele está disseminado. Os seus predadores são pássaros que atacam o
adulto que é absolutamente inofensivo ao ser humano(pelo que se sabe at;e aqui) e o
Pica Pau que cavoca nas varas em busca das larvas e as localiza com precisão.Portanto
além das Joaninhas que vc. quer comprar para liquidar com o Mealybugs e ácaros vc.
vai ter que comprar ou criar Pica Paus(rsrsrsrsr).
Uma das vantagens a nosso favor é que a forma alada adulta(que é um dos
Cerambicídeos mais bonitos e elegantes) tem a vida curta, apenas alguns meses e não
duram de uma safra para outra, mas sua vida sexual é ativa e a procriação intensa( uma
só postura dispara diversa larvas em um mesmo ponto ou em vários pontos de uma
vara.
Cheguei a criar em cativeiro dentro de uma garrafa pet de 5l alguns casais com pedaços
de bambu dentro.
Assisti e fotografei "vários atos sexuais" e os bambus viraram pó em apenas 6 meses.
Doei um criatório semelhante com os insetos vivos para serem estudados pelos
entomologistas da `Fundação Zoobotânica mas até então não soube dos resultados. O
interessante é que eles não dispunham do bicho na sua imensa coleção de insetos dentre
os Cerambicídeos.
O Tigre no entanto é pouco estudado em função do baixo nível de importancia,
afinal,"ele só destroi bambus"!. Ninguém está disposto a pagar por isto!
Eu tenho Pica Paus a vontade aqui no Bambuplatz de várias espécies, os quais acredito
estarem aqui justamente por causa da farta alimentação de brocas do Tigre.
Acho bastante interessante falar sobre este assunto porque, embora não seja um
entomologista, me tornei um estudioso sobre estes insetos que vivem e sobrevivem do
bambu e acabei aprendendo um pouco para poder conviver e me proteger deles
Obs. Se eu os eliminar totalmente vou perder os meus Pica Paus(rsrsrsrsr)
Olhando pelo aspecto positivo eles ajudam a vc, eliminar, de uma forma ráipda e
natural, das sobras de bambu que vc. não vai utilizar e elas voltam para o bambuzal na
forma de matéria orgânica.
Posso lhe adiantar que um dos maiores erros que o pessoal comete é o de ficar
guardando pedaços de bambu para aproveitar que , na realidade, acaba,m virando
verdadeirtos criatórios de Tigres e seus similares.
Caso haja tempo "antes que a casa caia"(rsrsrsrsr) aguarde para ler a matéria sobre
eles que irei divulgar no meu blog.i
Uma fonte interessante de consulta é o site PADIL da Australia cujo link segue abaixo:
http://www.padil.gov.au/pests-and-diseases/Pest/Main/135592
\
\Ene
Agrobambu CF&T e Bambuplatz Garten Visite nosso blog em:
http://agrobambu.blogspot.com
e nosso website em: http://www.bamboofount.com.br
On Ter 29/01/13 13:58 , "Celina Llerena" [email protected] sent:
Olá Ene, Bruno e Daniel,
Obrigada sempre pela ajuda!!!
Eu me lembro de vc e do Marques as voltas com estes estudos....
Inclusive uso uma das suas imagens nas minhas apresentações dos insetos, mas
só que eles estavam longe....e agora estão pertinho....rsrsr
Pesadelo total... Comecei a pulverizar por fora e por dentro com
octaborato+cipermetrina+ddvp, não os tenho visto voltando, mas mudam de
lugar..
Os bambus tinham uns que estavam tratados, outros não.
O tratamento que uso há 10 anos já dou garantia sem problemas, tal
eficiência...isto usando o mosso, que é o bambu que mais construo.
O tigrão compromete a todos que constrói, pq como faremos construções sem
garantia.
O tigrão chegou em Mauá no meio do nada de repente...Não compro bambu para a
escola há mais de ano, tem ido diretamente para às obras...Vai
entender...Posso ter levando talvez uns phyllostachys...
Enfim agora declarei guerra à eles...rsrsr
Veja os buracões nas fotos....
Vou perguntar no bamboo-plantation...
Bom obrigadão
Bjos
Celina
Olá Celina e demais
Os tratamentos convencionais sempre irão servir de impedimento para a
infestação deste ou de outros insetos em bambus cortados.
O grande problema é o intervalo entre o corte e o perído de uso, Algumas
vezes o tratamento não é feito logo ap;ós o corte e os bambus permanecem no
mato por algum tempo. Por falar nisto eu acho que este procedimento,
preconizado popr muitos, em deixar o bambu colhido em pé por alguns dias no
mato, um grande fator de risco-( tanto que eu nunca o utilizei não
aconselho).
O fato de deixar o bambu em estoque, tanto no mato como em depósito, convida
os insetos(nem só o Tigre) a participarem do banquete. Se isto se fizer
necessário deve-se deixar os bambus com os galhos, pois o Tigre e
praticamente todos os insetos xilófagos tendem a colocar sua postura dentro
do espaço interno(orifício pequeno do galho quando aparado/ou no nó aparado)
do bambu(nos galhos cortados) e por ali as larvas adentram nas paredes do
bambu, onde está a maior concentração de amido, principalmente na area dos
nós que ficam completamente corroídos deixando somente a pelicula interna, O
Tigres não furam os bambus para dentro, pois as larvas(brocas) se
desenvolvem na parede e caminham ao redor do nó até que termine todo o
alimento ali. Se for seu período de sair para fora(setembro a março) elas
se transformam em forma alada(adulto) e abrem um orifício para fora e saem,
Se o período for desfavorável(frio ela pode permanecer lá por cerca de um
ano ou mais. Uma só larva se não sair do bambu pode percorrer toda a
extensão dele deixando um rastro de cercxa de 1cm de largura de matéria
fecal (pó) produzido durante o periodo de permanencia lá.
Indico que para prevenir o ataque de insetos deste e de outros tipos o
seguinte procedimento:
1- Retirar o bambu do mato logo após o corte(o inseto mora lá e está
procurando a porta de entrada que poderá ser a região do corte feito).
2 - Levar as varas para um local mais afastado
3 - Fazer a apara dos galhos
4 - Fazer o corte das varas nos tamanhos que forem necessários para o
posterior tratamento/ou negociação
(ainda verde)
5 - Se as varas não forem receber tratamento imediato utilizar uma mistura
de cipermetrina com oleo diesel levemente aspergida sobre todo o material
principalmente nas extremidades - Eu faço a aspersão e depois passo um pano
em cada vara fazendo o giro com ele nos nós - Depois de empilhados pincelo
as pontas com a mesma mistura.
6-Procedendo desta forma posso aguardar algum tempo para fazer o tratamento.
obs.:-Não utilizo nenhum produto químico nos meus tratamentos-Somente calor
(Vapor/ou flambagem) pois o tratamento deve ser de responsabilidade ou cfe a
necessidade do usuário - O importante é garantir que o usuário não vá
receber um produto com os ovos/larvas ali instalados.
Como citado em meu mail anterior estarei veiculando este tema no meu
blog(http://agrobambu.blogspot.com),com todo o material que já disponho até
o momento, embora considere que o trabalho de compilação de informações
ainda não esteja totalmente concluído. Para isto preciso de algum tempo até
postar o material lá. oportumente avisarei a todos quando isto estiver
disponível.
As fotos do anexo se referem a um segmento de um Arundo donax atacado por 8
larvas em um espaço de apenas 20cm deixando somente a parte interna intacta.
Eles fazem o mesmo nos B.vulgaris/ todos o Phyllostachys e nos
gigantes(todos)./nos Pleioblastus/nos Chusquea/nos bambusinhos de jardim e
outros.
Ene
Agrobambu CF&T
Visite nosso blog em: http://agrobambu.blogspot.com
e nosso website em: http://www.bamboofount.com.br
On Ter 29/01/13 08:16 , Celina Llerena Ebiobambu [email protected]
sent:
Obrigada klein,
Ja conheco o tigrao de longa data, mas d perto ha pouco tempo. Diria que e
assustador.
Estou tratando com
octaborato mesmo.
Gostaria de saber o que as pessoas fizeram.
Eles estao nos bambus secos.
Alguem tem ideia qual o predador dele?
Vou prsquisar, mas de qq maneira obrigada
Celina Llerena
Olá Celina,
O famoso tigre (Chlorophorus annularis) é uma praga natural
originária da Ásia e já foi muitas vezes citado neste e em outros grupos de
discussão. Você vai encontrar muita informação no Google digitando o nome
científico da fera. Mas, eu tinha informação de que ele atacaria apenas
varas cortadas e não bambuzais, isto é, varas verdes em pé. Você teve alguma
experiência diferente?
Um abraço.
Hans Kleine
De: [email protected] Em nome de Celina Llerena
SOS Tigrão
Olá minha gente,
Marques socorro !!
Gostaria de saber se alguém que tenha construção com bambu por um acaso
foi JÁ atacado pelo TIGRÃO??
Vi uns tempos atrás o Alex Maltese falando sobre ele, mas não vi o
resultado, o que fez etc...
Só sei que esta praga deste tigrão é violentérrimo e diria mais,
perigosíssimo para gente, pq do jeito que ele ataca é de destruir
mesmo...Uns buracões enormes.
Gostaria de saber o que fizeram? Alguém sabe o predador dele?
Alguém sabe aonde compro JOANINHAS ( aphidius colemani ) para colocar no
bambuzal ?
Abs,
Celina Llerena
Arquitetura, Consultoria, Gerenciamento & Construção de Baixo Impacto
(21) 2266-2197 / (21) 9969-1073
www.ebiobambu.com.br
Von: [email protected] Auftrag von agrobambu/bamboofoud
Olá Raimund e demais
Alguns anos atrás desenvolvi uma criação a partir de 2 pedaços de bambu que continham
larvas de C.annularis dentro. Destas larvas nasceram 2 adultos alados. Eles se reproduziram e
colocaram mais ovos dentro do recipiente de 5 litros(garrafão plástico). Praticamente todo o
material foi consumido e virou pó restando íntegra somente a pelicula que reveste o bambu
por dentro.
Transferi os pedaços com estas larvas para umas caixas plásticas transparentes. Mantive
durante meses este material comigo fazendo fotos e videos do que aconteceu(2 adultos
morreram). Depois de algum tempo novas brocas se desenvolveram e cedi estas caixas com
todo os seus habitantes para o pessoal que estuda Cerambicídeos na Fundação Zoobotânica.
Não tive mais retorno a seguir.
Os videos e o material fotográfico, como citei será demosntrado no meu Blog tão logo eu
conclua a montagem desse relato, o que pode levar alguns dias.
Endereço do blog: http://agrobambu.blogspot.com (ainda não está lá o material dos
C.annularis).
Ene
Agrobambu CF&T e Bambuplatz Garten Visite nosso blog em:
http://agrobambu.blogspot.com
e nosso website em: http://www.bamboofount.com.br
On Seg 04/02/13 03:48 , Raimund Düking [email protected] sent:
Olá Hans e demais,
Sim, é possivel que os besouros não se alimentam na fase adulta.
Vocês ja tentaram atrair/engodar os besouros em recipientes grandes cheios de sobras de
bambu e depois de vez em quando queimar essas sobras com os ovos e as larvas do besouro?
Abs.
Raimund
PS.: Não consigo abrir as fotos do anexo.
Von: [email protected] Im Auftrag von H J Kleine
Olá Raimund e demais membros do grupo,
A sua mensagem é um lembrete para estudarmos mais sobre esta espécie de praga, que parece tão
atraente e inofensiva, mas que causa sérios prejuízos. Um dos maiores problemas no combate aos besouros que
se alimentam do bambu é que eles permanecem invisíveis durante a maior parte do seu ciclo de vida (ovo, larva,
pupa), escondidos no interior dos colmos. Só depois que a pupa se transforma em besouro o animal sai do seu
abrigo e vive uma curta fase de apenas duas semanas, que é usada exclusivamente para acasalar e se reproduzir.
Já li autores que afirmam, que outras espécies de cerambicídeos não se alimentam na fase adulta e não sei como
se comporta o tigre nesta etapa da vida. Como poderíamos obter esta informação?
Abraços.
Hans Kleine
De: [email protected] Em nome de Raimund Düking
Olá bambuzeiros,
Quais são as flores preferidas dos tigres adultos? Aquí na Alemanha os parentes do
Chlorophorus annularis se alimentam de pólen (veja a foto). As flores preferidas pertençem a
famiglia Apiaceae. Não seria possivel recolher os coleopteros das flores? Não seria possivel
plantar as flores preferidas para poder recolher e dizimar os coleopteros?
Raimund
Von: [email protected] Im Auftrag von agrobambu/bamboofount
Olá Celina
Espero que vc. obtenha com eles uma fórmula secreta. Pelos contatos que tenho com
bambuzeiros dos USA nem eles podem com este Cerambicídeo(Bamboo longhorn
beetle). Estes insetos não são nativos nos USA e foram introduzidos lá (vindo da Ásia)
por um lote de material de bambu(ou varas) que foi adquirido ou comercializado pelo
Home Depot na década passada. Desde então se disseminaram por lá também e não se
desenvolveram tanto como aqui pelas diferenças climáticas. Talvez vc. possa obter
melhores resultados pelo BP com o pessoal do Hawai que também disputam
ferrenhamente com eles e o pessoal da Ásia- No BP tem gente de todos estes lados.
Aqui no RS e SC ele está disseminado. Os seus predadores são pássaros que atacam o
adulto que é absolutamente inofensivo ao ser humano(pelo que se sabe at;e aqui) e o
Pica Pau que cavoca nas varas em busca das larvas e as localiza com precisão.Portanto
além das Joaninhas que vc. quer comprar para liquidar com o Mealybugs e ácaros vc.
vai ter que comprar ou criar Pica Paus(rsrsrsrsr).
Uma das vantagens a nosso favor é que a forma alada adulta(que é um dos
Cerambicídeos mais bonitos e elegantes) tem a vida curta, apenas alguns meses e não
duram de uma safra para outra, mas sua vida sexual é ativa e a procriação intensa( uma
só postura dispara diversa larvas em um mesmo ponto ou em vários pontos de uma
vara.
Cheguei a criar em cativeiro dentro de uma garrafa pet de 5l alguns casais com pedaços
de bambu dentro.
Assisti e fotografei "vários atos sexuais" e os bambus viraram pó em apenas 6 meses.
Doei um criatório semelhante com os insetos vivos para serem estudados pelos
entomologistas da `Fundação Zoobotânica mas até então não soube dos resultados. O
interessante é que eles não dispunham do bicho na sua imensa coleção de insetos dentre
os Cerambicídeos.
O Tigre no entanto é pouco estudado em função do baixo nível de importancia,
afinal,"ele só destroi bambus"!. Ninguém está disposto a pagar por isto!
Eu tenho Pica Paus a vontade aqui no Bambuplatz de várias espécies, os quais acredito
estarem aqui justamente por causa da farta alimentação de brocas do Tigre.
Acho bastante interessante falar sobre este assunto porque, embora não seja um
entomologista, me tornei um estudioso sobre estes insetos que vivem e sobrevivem do
bambu e acabei aprendendo um pouco para poder conviver e me proteger deles
Obs. Se eu os eliminar totalmente vou perder os meus Pica Paus(rsrsrsrsr)
Olhando pelo aspecto positivo eles ajudam a vc, eliminar, de uma forma ráipda e
natural, das sobras de bambu que vc. não vai utilizar e elas voltam para o bambuzal na
forma de matéria orgânica.
Posso lhe adiantar que um dos maiores erros que o pessoal comete é o de ficar
guardando pedaços de bambu para aproveitar que , na realidade, acaba,m virando
verdadeirtos criatórios de Tigres e seus similares.
Caso haja tempo "antes que a casa caia"(rsrsrsrsr) aguarde para ler a matéria sobre
eles que irei divulgar no meu blog.i
Uma fonte interessante de consulta é o site PADIL da Australia cujo link segue abaixo:
http://www.padil.gov.au/pests-and-diseases/Pest/Main/135592
\
\Ene
Agrobambu CF&T e Bambuplatz Garten Visite nosso blog em:
http://agrobambu.blogspot.com
e nosso website em: http://www.bamboofount.com.br
On Ter 29/01/13 13:58 , "Celina Llerena" [email protected] sent:
Olá Ene, Bruno e Daniel,
Obrigada sempre pela ajuda!!!
Eu me lembro de vc e do Marques as voltas com estes estudos....
Inclusive uso uma das suas imagens nas minhas apresentações dos insetos, mas
só que eles estavam longe....e agora estão pertinho....rsrsr
Pesadelo total... Comecei a pulverizar por fora e por dentro com
octaborato+cipermetrina+ddvp, não os tenho visto voltando, mas mudam de
lugar..
Os bambus tinham uns que estavam tratados, outros não.
O tratamento que uso há 10 anos já dou garantia sem problemas, tal
eficiência...isto usando o mosso, que é o bambu que mais construo.
O tigrão compromete a todos que constrói, pq como faremos construções sem
garantia.
O tigrão chegou em Mauá no meio do nada de repente...Não compro bambu para a
escola há mais de ano, tem ido diretamente para às obras...Vai
entender...Posso ter levando talvez uns phyllostachys...
Enfim agora declarei guerra à eles...rsrsr
Veja os buracões nas fotos....
Vou perguntar no bamboo-plantation...
Bom obrigadão
[Anexos de agrobambu/bamboofount incluídos abaixo]
Olá Celina e demais
Os tratamentos convencionais sempre irão servir de impedimento para a
infestação deste ou de outros insetos em bambus cortados.
O grande problema é o intervalo entre o corte e o perído de uso, Algumas
vezes o tratamento não é feito logo ap;ós o corte e os bambus permanecem no
mato por algum tempo. Por falar nisto eu acho que este procedimento,
preconizado popr muitos, em deixar o bambu colhido em pé por alguns dias no
mato, um grande fator de risco-( tanto que eu nunca o utilizei não
aconselho).
O fato de deixar o bambu em estoque, tanto no mato como em depósito, convida
os insetos(nem só o Tigre) a participarem do banquete. Se isto se fizer
necessário deve-se deixar os bambus com os galhos, pois o Tigre e
praticamente todos os insetos xilófagos tendem a colocar sua postura dentro
do espaço interno(orifício pequeno do galho quando aparado/ou no nó aparado)
do bambu(nos galhos cortados) e por ali as larvas adentram nas paredes do
bambu, onde está a maior concentração de amido, principalmente na area dos
nós que ficam completamente corroídos deixando somente a pelicula interna, O
Tigres não furam os bambus para dentro, pois as larvas(brocas) se
desenvolvem na parede e caminham ao redor do nó até que termine todo o
alimento ali. Se for seu período de sair para fora(setembro a março) elas
se transformam em forma alada(adulto) e abrem um orifício para fora e saem,
Se o período for desfavorável(frio ela pode permanecer lá por cerca de um
ano ou mais. Uma só larva se não sair do bambu pode percorrer toda a
extensão dele deixando um rastro de cercxa de 1cm de largura de matéria
fecal (pó) produzido durante o periodo de permanencia lá.
Indico que para prevenir o ataque de insetos deste e de outros tipos o
seguinte procedimento:
1- Retirar o bambu do mato logo após o corte(o inseto mora lá e está
procurando a porta de entrada que poderá ser a região do corte feito).
2 - Levar as varas para um local mais afastado
3 - Fazer a apara dos galhos
4 - Fazer o corte das varas nos tamanhos que forem necessários para o
posterior tratamento/ou negociação
(ainda verde)
5 - Se as varas não forem receber tratamento imediato utilizar uma mistura
de cipermetrina com oleo diesel levemente aspergida sobre todo o material
principalmente nas extremidades - Eu faço a aspersão e depois passo um pano
em cada vara fazendo o giro com ele nos nós - Depois de empilhados pincelo
as pontas com a mesma mistura.
6-Procedendo desta forma posso aguardar algum tempo para fazer o tratamento.
obs.:-Não utilizo nenhum produto químico nos meus tratamentos-Somente calor
(Vapor/ou flambagem) pois o tratamento deve ser de responsabilidade ou cfe a
necessidade do usuário - O importante é garantir que o usuário não vá
receber um produto com os ovos/larvas ali instalados.
Como citado em meu mail anterior estarei veiculando este tema no meu
blog(http://agrobambu.blogspot.com),com todo o material que já disponho até
o momento, embora considere que o trabalho de compilação de informações
ainda não esteja totalmente concluído. Para isto preciso de algum tempo até
postar o material lá. oportumente avisarei a todos quando isto estiver
disponível.
As fotos do anexo se referem a um segmento de um Arundo donax atacado por 8
larvas em um espaço de apenas 20cm deixando somente a parte interna intacta.
Eles fazem o mesmo nos B.vulgaris/ todos o Phyllostachys e nos
gigantes(todos)./nos Pleioblastus/nos Chusquea/nos bambusinhos de jardim e
outros.
Ene
Agrobambu CF&T
Visite nosso blog em: http://agrobambu.blogspot.com
e nosso website em: http://www.bamboofount.com.br
On Ter 29/01/13 08:16 , Celina Llerena Ebiobambu [email protected]
sent:
Obrigada klein,
Ja conheco o tigrao de longa data, mas d perto ha pouco tempo. Diria que e
assustador.
Estou tratando com
octaborato mesmo.
Gostaria de saber o que as pessoas fizeram.
Eles estao nos bambus secos.
Alguem tem ideia qual o predador dele?
Vou prsquisar, mas de qq maneira obrigada
Celina
Em 28/01/2013, às 22:40,
Olá Celina,
O famoso tigre (Chlorophorus annularis) é uma praga natural
originária da Ásia e já foi muitas vezes citado neste e em outros grupos de
discussão. Você vai encontrar muita informação no Google digitando o nome
científico da fera. Mas, eu tinha informação de que ele atacaria apenas
varas cortadas e não bambuzais, isto é, varas verdes em pé. Você teve alguma
experiência diferente?
Um abraço.
Hans Kleine
De: [email protected] SOS Tigrão
Olá minha gente,
Marques socorro !!
Gostaria de saber se alguém que tenha construção com bambu por um acaso
foi JÁ atacado pelo TIGRÃO??
Vi uns tempos atrás o Alex Maltese falando sobre ele, mas não vi o
resultado, o que fez etc...
Só sei que esta praga deste tigrão é violentérrimo e diria mais,
perigosíssimo para gente, pq do jeito que ele ataca é de destruir
mesmo...Uns buracões enormes.
Gostaria de saber o que fizeram? Alguém sabe o predador dele?
Alguém sabe aonde compro JOANINHAS ( aphidius colemani ) para colocar no
bambuzal ?
Abs,
Celina Llerena
Arquitetura

Documentos relacionados

viveiro de bambus - Isomax

viveiro de bambus - Isomax Por serem insetos de pequeno porte acabam sendo também prejudicados na aplicação de venenos e agrotóxicos, utilizados tanto nos jardins quanto na agricultura em geral. Ao aplicar venenos em planta...

Leia mais

Estudo de caso proposta de uso do bambu

Estudo de caso proposta de uso do bambu Esta espécie oferece canas retilíneas, de 20 a 25 metros, diâmetro de 7 a 15 cm e entrenós de cerca 30cm. Para a espécie selecionada, é necessário, de acordo com a norma ISO/DIS-22157 (Determinação...

Leia mais