Rio de Janeiro lidera o mercado de GNV

Сomentários

Transcrição

Rio de Janeiro lidera o mercado de GNV
Publicação mensal do gás veicular do Brasil
NOVEMBRO 2006 // Nº68
500 MIL CONVERSÕES
Rio de Janeiro lidera
o mercado de GNV
SÃO PAULO ANFITRIÃ
Exposição a todo gás
Estão abertas às vendas de estande para
Expo GNV 2007, que terá o estado
paulista como sede.
Pág. 4
Cerimônia de entrega de certificado registra marca significante em ato simbólico importante para o
Estado. Pág. 2
SALÃO DE AUTOMÓVEL
Novo sistema de conversão
White Martins apresentou inovação de última
geração para conversão de veículos a gás natural.
Pág. 10
2
Novembro 2006
Entrega do Certificado de Registro do veículo n° 500 mil com GNV no Estado do Rio de Janeiro
O Ato simbólico foi no Jardim de Inverno do
Palácio Guanabara, em Laranjeiras
A Cerimônia de Entrega do Certificado de Registro do Veículo n° 500 mil utilizando o Gás Natural Veicular no Estado do Rio de Janeiro realizou-se dia 26
de Outubro de 2006, no Jardim de Inverno do Palácio Guanabara
ntre as
personalidades do
setor presentes
estavam a
Governadora do Estado
do Rio de Janeiro, Rosinha
Garotinho, o Secretário de
Estado de Energia, da
Indústria Naval e do
Petróleo,Wagner Granja
Victer, o Presidente do IBP
– Instituto Brasileiro de
Petróleo e Gás, João
Carlos França de Luca.
E
O Rio de Janeiro é
pioneiro e líder nacional
no segmento de gnv, com
cerca de 41% dos veículos
usando esse combustível
no país. A rede de
gasodutos já está em 32
municípios do estado, e os
postos de abastecimento já
ultrapassam os 430,
distribuídos pela região
metropolitana e pelo
interior do estado. Há oito
anos só haviam 19 postos
de GNV localizados
somente na capital.
O GNV é um combustível
"mais limpo", capaz de
reduzir a emissão de gases
poluentes em até 70%,
contribuindo para a melhor
qualidade do ar em nossas
cidades. o programa de
GNV fluminense reduz a
emissão para atmosfera de
590 mil toneladas de co2
por ano, estando alinhado
com os princípios do
protocolo de kyoto.
O uso do GNV permite
uma economia para o
consumidor de até 60%
em gastos com combustíveis,
representando um eficaz
programa de aumento de
renda para o cidadão que
usa seu veículo como
ferramenta de trabalho.
O governo do estado do
Rio de Janeiro concede um
incentivo contínuo para
os veículos convertidos a
gnv, através da redução de
75% do valor do IPVA do
veículo. O certificado de nº
500 mil pela conversão de
combustível para gás
natural foi conferido
pelo Detran –RJ ao proprietário do veículo.
Para o presidente do IBP,
João de Luca, o instituto
viu com muita satisfação a
cerimônia. "Esta justa
homenagem ao Estado do
Rio de Janeiro, com esta
marca extraordinária, de
estar entregando o
certificado do registro do
veículo número 500 mil,
onde o Brasil tem cerca de
1 milhão e 200 mil carros
rodando com o combustível
e a Argentina tem um
milhão e meio, demonstra
a pujança do mercado.
Nós crescemos na ordem
de 20 mil veículos/mês.
Certificado de conversão
Daqui à um ano e meio
ultrapassaremos a
Argentina e no ano de
2010 nós vamos estar com
a marca de mais de 2
milhões de automóveis.
Vamos ser o líder absoluto.
O estado do Rio se
destaca nesta liderança,
pelo estímulo a conversão
deste combustível tão
importante para o país."
João de Luca também
acredita que a nova gestão
governamental continuará
estimulando o uso do
GNV. E fez questão de
lembrar que em 2008, no
Brasil, a cidade do Rio de
Janeiro sediará o
Congresso Mundial de
GNV que acontece a cada
dois anos, e neste de 2006
a sede foi o Egito.
O Secretário Wagner
Victer em seu discurso
disse que a entrega deste
certificado ao veículo 500
mil é um ato simples, mas
bastante simbólico.
"A marca que alcançamos
é muito importante para
nosso estado. Pode-se ir
do Rio a Minas Gerais, por
exemplo, com o gás. O
interior do Rio já tem gás.
O GNV continuará sendo
prioridade nas futuras
administrações e se estará
ampliando ainda mais esta
interiorização do gás
natural e a quantidade de
postos de GNV", acredita.
A Governadora Rosinha
Garotinho frisou que hoje
o estado tem 32
municípios com GN e já
deixou contrato assinado
com a CEG/CEG-Rio, que
até o final deste ano, fim
de seu mandato, serão 40
municípios usufruindo o
sistema do gás natural.
"Isso representa
desenvolvimento. Da frota
nacional com GNV, o Rio
tem 41% e possui neste
Marcelo Rodrigues - White Martins
segmento 10% da frota
mundial com este
combustível. O estado tem
crescido, nós acreditamos
no GNV, nós contribuímos
para este avanço, que
trouxe geração de
empregos e progresso".
Marcelo Rodrigues, da
White Martins, viu este
evento com bastante
entusiasmo por estar
garantindo, segundo ele, o
progresso do programa.
O carro número 500 mil,
de um táxi de Niterói teve
sua conversão com o kit
BRC e cilindros Cilbras, do
Grupo White Martins.
"É muito importante está
nossa participação aqui.
O estado vem liderando o
segmento e estamos
pulando da terceira para a
quinta geração de kits de
GNV. Este programa traz
um benefício social muito
grande.Vamos continuar
investindo no setor",
afirmou o executivo.
João de Luca, presidente do IBP
4
Novembro 2006
Expo GNV 2007 tem São Paulo como cidade anfitriã
O evento que movimentará o setor no próximo
ano já está com reservas abertas de estandes
A Expo GNV 2007 será realizada de 03 a 05 de maio deste próximo ano, na cidade de São Paulo, no Expo Center Norte.
O evento é organizado pelo IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás e a Folha do GNV (NGV Communications Group).
s estandes já começaram a ser
vendidos. É um total de 63
estandes. Já temos 16 espaços
reservados.
A página Web www.expognv.com
contém todas as informações necessárias
sobre o evento que movimentará o
setor em 2007.
Serão 2.500m2 de exposição numa área
total do evento de 5.000m2.
O
Os patrocínios também já estão sendo
negociados. E as empresas já podem
tomar sua posição em fazer parte desta
exposição que é uma oportunidade única
na maior vitrine mundial do GNV.
O Palco
ŠO Expo Center Norte se encontra
localizado:
ŠPerto do terminal de ônibus Marginal
do Tietê
ŠCom acesso direto a estradas estaduais
e interestaduais
ŠA 20 minutos do aeroporto
Guarulhos
ŠA 40 minutos do Aeroporto
Congonhas
Tour Técnico
No marco da Expo GNV 2007, se
desenvolve na sexta-feira, dia 04 de maio,
um tour técnico a laboratórios e
empresas em são Paulo que resumem a
experiência do GNV nesta cidade.
Os visitantes da mostra que desejarem
participar do tour serão transportados
em um ônibus a gás e serão recebidos
pelas empresas com café da manhã e
almoço em suas instalações.
Os interessados deverão
inscrever-se completando
um formulário on line.
São Paulo - Sede da Exposição
A partida está prevista para às 08:00
horas, na entrada principal da mostra,
e o retorno será ao mesmo lugar, às
14:00 horas.
O valor do tour é de R$ 110,00.
São Paulo é o centro industrial mais
importante da América Latina, e a
maior metrópole do Brasil, conhecida
por seu grande potencial gerador de
negócios.
A agitada vida de São Paulo oferece
inumeráveis opções para descansar,
realizar tours, e espaços verdes para
praticar esportes. A cidade impressiona
o visitante com uma gastronomia que
abrange mais de 40 países.
Os interessados deverão inscrever-se
completando um formulário on line.
A administração do evento receberá o
formulário e entrará em contato com os
interessados para realizar o pagamento.
A Cidade Anfitriã
6
Novembro 2006
O centro de desenvolvimento Aspro constitui o reflexo de uma indústria pujante
Foi inaugurada uma nova planta modelo
que produz sistemas de compressão
Para satisfazer a crescente demanda mundial, a empresa argentina montou esta mega instalação onde se investiga, desenha, desenvolve e testa o
equipamento que logo é exportado aos cinco continentes. Com características tecnológicas de última geração, a planta é a única na América Latina
destinada a fabricação exclusiva de sistemas de compressão para GNV.
om o objetivo de abastecer o mercado local e
impulsionar o desenvolvimento do gás veicular a
nível mundial, a empresa Aspro inaugurou uma
nova planta de produção na cidade de Escobar,
província de Buenos Aires.
Trata-se de uma planta modelo, única na indústria do
GNV, localizada num prédio de 67.000 m2 de superfície
total. Em seu interior se trabalha com um alto nível de
integração produtiva e sua capacidade fabril lhe permite
criar um novo sistema de compressão completo a cada
seis horas.
C
Os produtos Aspro contam com certificação CE
(Comunidade Européia) e de Bureau Veritas, entretanto
que seus processos de qualidade estão certificados pelas
normas ISO 9001:2000. Este conjunto de certificações
avalia os produtos e ações da empresa e constitui uma
das razões da alta aceitação que seus equipamentos tem
no mundo todo.
Atualmente a empresa exporta aos cinco continentes e
brinda assistência técnica e capacitação internacional.
Assim mesmo, abastece a mais de 20 por cento da praça
mundial de GNV, e a 50 por cento dos mercados
argentino e brasileiro.
Cabe destacar que como a Aspro fabrica 85 por cento
dos componentes de um sistema de compressão, a firma
conta com reservas originais.Também possui um
departamento de capacitação técnica e brinda a seus
clientes em todo o globo a possibilidade de capacitar-se
sobre a utilização de seus sistemas de compressão onde
técnicos treinam em condições reais de trabalho, o que
dá o curso um valor agregado.
Vanguarda
A nova planta de Escobar foi pensada em função de
atender adequadamente a crescente demanda
internacional que tem a empresa. A mesma está
equipada com tecnologia de vanguarda, que a posiciona
como modelo de produção e montagem integral.
Ali, ademais de efetuar-se a fabricação, também se
investiga, analisa e testa cada um dos produtos que
estarão logo em funcionamento em cada canto do
mundo. O rigor deste processo é tal que dentro das
instalações funcionam uma estação de serviço interna
que se utiliza para o teste em situações normais dos
novos desenvolvimentos. A importante instalação da
Aspro em Escobar conta com uma superfície coberta
de 18.000 m2 e está localizada dentro de um prédio de
Outras áreas produtivas
Planta Podestá - Argentina, Inaugurada em 1974
Š Superfície coberta de 5.000 m2, prédio de 5.400 m2
Š Opera nesta planta a área de assistência técnica e
as áreas de engenharia de desenvolvimento e de
ferramental
Š 60 empregados
Planta Campo Largo - Brasil. Inaugurada em 2002
Š Superfície coberta de 4.500 m2 num prédio de 4500 m2
Š Estação de serviço externa de bandeira Aspro ao
lado da planta, para teste e comercialização de GNV
Š 160 empregados
Š Central de assistência técnica do mercado brasileiro
67.000 m2. Com o trabalho de 350 empregados se
fabricam e armam compressores, tabuleiros eletrônicos,
dispensers e armazenamento de metano.
Sem dúvida, a inauguração desta planta modelo, é o
reflexo da pujante indústria argentina do gás veicular.
Desde a fabricação de produtos de última geração que
chegam a todos os cantos do mundo. Suas características
tecnológicas, de seguridade e os espaços especialmente
destinados ao teste de engenharia de equipamento, lhe
somam valor tanto aos desenvolvimentos que saem da
fábrica, como a toda a cadeia produtiva do metano.
Características
Š 18.000 m2 de superfície coberta num prédio de
67.000 m2
Š Única planta Latina Americana destinada a
fabricação exclusiva de sistemas de compressão
para GNV
Š Fabricação e armado de compressores,
tabuleiros eletrônicos, dispensers e
armazenamento de GNV.
Š Produz 85% dos componentes do produto
terminado, o resto se compra a terceiros
Š 350 empregados
Š Planta modelo de última geração
Š Áreas exclusivas de teste dos sistemas de
compressão
Š Estação interna de GNV para teste e carga
de frota própria
Š Produtos certificados pela CE (Comunidade
Européia), o Bureau Veritas e normas ISO
9001:2000
8
Novembro 2006
Companhia de gás investe forte na interiorização para postos através de gasoduto e via GNC
Potigás dobra a capacidade de suprimento
A Potigás conclui em novembro as obras de duplicação do gasoduto tronco de atendimento a Natal. O projeto prevê a ampliação da capacidade de
suprimento a malha de distribuição do estado de 300 mil m3/dia para 700 mil m3/dia. O investimento no gasoduto foi de R$ 13 milhões, dos quais
R$ 7 milhões foram financiados pelo BNDES e o restante com recursos próprios da distribuidora.
ramal tem ao todo 26 km e liga
a estação de entrega da
Petrobras, no gasoduto
Nordestão, na altura do
município de Macaíba, até o município de
São Gonçalo do Amarante, na Grande
Natal. O trecho que será inaugurado
neste mês corresponde à segunda etapa
do projeto, com 17 km de extensão.
Neste momento, a linha passa pela fase de
limpeza e de testes eletrostáticos.
O primeiro trecho da obra, com 9 km,
foi inaugurado em agosto.
O
De acordo com o diretor Financeiro da
Potigás, Joaquim Tomaz de Araújo, a obra
será estratégica para o crescimento das
vendas da companhia, que se situa na faixa
de 380 mil m3/dia. "A malha já estava
operando no limite da saturação",
explicou. Com o novo ramal, ele espera
um crescimento de mercado a partir de
2007, sobretudo no segmento de veicular,
que concentra 53% das vendas da Potigás.
"Vamos investir forte na interiorização do
gás para postos, seja por gasoduto ou
GNC", afirmou.
Até o final do ano, a Potigás espera dar a
partida no primeiro fornecimento a
indústrias no interior por meio de GNC.
O projeto prevê o atendimento ao pólo
salineiro de Areia Branca, a cerca de 300
km de Natal. O sistema será montado e
operado pela empresa Natural Gás.
O GNC será transportado a partir de
Mossoró, onde a empresa está na fase
final da montagem e licenciamento de
uma estação de compressão.
Em 2007, o sistema da Natural Gás será
estendido a dois postos, nos municípios
de Anjicos e Apoti. O volume de gás
contratado pela empresa para os
fornecimentos será inicialmente de 10 mil
m3/dia. Esse será o segundo sistema de
GNC para atendimento a postos no
estado. Outros dois postos, nos
municípios de Currais Novos e Açu, já
recebem GNC por meio de uma parceria
da Potigás com a CDGN, empresa
subsidiária da BR Distribuidora.
O sistema da CDGN será estendido a
um terceiro posto, em Caicó, no ano
que vem.
10
Novembro 2006
White Martins apresentou no salão do automóvel o mais avançado sistema de conversão para gás natural
Empresa fornecerá cilindros e kits de conversão
de última geração para novo Polo Sedan
White Martins, grande fabricante de cilindros de
alta pressão na América Latina, apresentou no
Salão do Automóvel 2006 – que aconteceu de
19 a 29 de outubro, em São Paulo – o mais
avançado sistema de conversão GNV.
Os usuários puderam conferir o equipamento durante
o evento, que foi instalado em um dos carros expostos
no estande da Volkswagen: o novo Polo Sedan. Outros
modelos de kits também podem ser encontrados nas
concessionárias nos modelos Gol, Parati, Saveiro, Polo
Hatch e Kombi.Todos os carros convertidos para GNV
da Volkswagen são triflex (funcionam a álcool, gasolina e
GNV) e saem da concessionária com garantia de fábrica
da montadora.
O novo Polo Sedan será vendido com o kit Sequent
Fastness, produto desenvolvido pela empresa MTM
italiana que comercializa a marca BRC em mais de 50
O
países. Este produto de última geração oferece a melhor
tecnologia disponível no segmento de gás natural veicular
e está sendo desenvolvido e adaptado ao modelo Polo
para oferecer a máxima performance aos clientes da
Volkswagen. Desta maneira, o usuário que optar pelo
Polo Sedan convertido a gás natural terá um produto
testado pela fábrica, com layout e performance diferenciados.
Além da segurança, o novo kit assegura a manutenção da
potência original do motor quando utilizado o combustível
original; uma economia de até 65% no consumo em
relação aos combustíveis líquidos e, ainda, uma menor
freqüência das manutenções do equipamento. Já o cilindro
instalado no porta-malas é o da linha "Light", que comporta
maior quantidade de gás e é 25% mais leve que um
cilindro tradicional.
Para adquirir o veículo com o kit GNV, o cliente
encomenda o automóvel na concessionária e, em cerca
de sete dias, recebe o modelo escolhido já convertido
para GNV. Para isso, o veículo é separado na expedição
da Volkswagen sendo levado à White Martins para a
conversão de GNV e, posteriormente, entregue na
concessionária. O equipamento é homologado pelo
Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização
e Qualidade Industrial) e pelo Conama (Conselho
Nacional de Meio Ambiente).
Além de oferecer a vantagem de ser abastecido por um
combustível até 65% mais barato e apresentar maior
rendimento do que os outros combustíveis – cada m3
roda em média de 12 km a 14 km –, o veículo convertido
para GNV terá a garantia de fábrica da Volkswagen, que
inclui manutenção e assistência técnica hoje oferecidas
aos veículos com outros tipos de combustível. De acordo
com o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), o
mercado de GNV cresceu 60% no ano passado. A frota
de carros movidos a GNV no Brasil já soma mais de 1,2
milhão de veículos convertidos. Atualmente o Brasil
possui a segunda maior frota de veículos movidos a gás
do mundo, perdendo apenas para a Argentina. Desde o
início da parceria com a Volkswagen, no final de 2005,
mais de 1,3 mil veículos foram convertidos.
Marcelo Rodrigues, diretor de Gás Natural da White
Martins, afirma que a empresa fechou parceria com a
Volkswagen porque identificou uma demanda clara,
através dos dos clientes, por soluções de fábrica.
"A White Martins encontrou um parceiro que também
enxerga o gás natural como um combustível que veio
para ficar, e com a oferta de carros com garantia de
fábrica, está aumentando a comodidade para os motoristas
que desejam essa opção", diz Rodrigues. Já Paulo Sérgio
Kakinoff, diretor de Vendas e Marketing da Volkswagen,
afirma que a montadora inovou mais uma vez ao oferecer
um produto que utiliza mais um combustível alternativo.
"Escolhemos a White Martins porque é líder de mercado
e, assim como a Volkswagen, também oferece tecnologia
de ponta, qualidade e segurança para os clientes", afirma
o executivo.
Sobre a White Martins
A White Martins atua há mais de 25 anos na fabricação
de cilindros Cilbrás e desde 2001 produz também os kits
de conversão BRC (tecnologia italiana). Em 2004, foi
assinada a joint-venture com a Petrobras para criação da
GásLocal, a primeira empresa a produzir e comercializar
Gás Natural Liquefeito (GNL) no país. A área de Gás
Natural, inclusive, contou com um dos maiores
investimentos em 2005: US$ 65 milhões, distribuídos em
diversas frentes: GNV, GNL e GNC (Gás Natural
Comprimido). Esses recursos permitiram a expansão das
duas fábricas de cilindros e uma de kits de conversão
para veículos movidos a GNV; a inauguração das duas
primeiras unidades de GNC da empresa, localizadas em
Minas Gerais e Espírito Santo; e o início da construção da
GásLocal, que começou a operar em agosto de 2006 e
atenderá regiões não são abastecidas por gasodutos
como o interior de São Paulo, o Sul de Minas, o Norte
do Paraná, além de Goiás e Brasília.
Polo Sedan no Salão de Automóvel - SP
12
Novembro 2006
Aviso Importante:
A Folha do GNV se
mudou para a
Avenida Rio Branco, 131, sala 1701
Centro da cidade do Rio de Janeiro.
Com o novo telefone:
(21) 2215-0799.
Para maior comodidade e conforto
de sua equipe.
Nosso e-mail continua o mesmo:
[email protected]
Números de Alagoas foram alcançados pela Algás em outubro
Gás natural já chega a 200
pontos comerciais
A Algás (Gás de Alagoas S.A.) finalizou o mês de outubro com 200 clientes do segmento comercial consumindo
gás natural. Após cinco anos dos primeiros clientes interligados à sua rede de distribuição - eram apenas 03
em 2001 - a empresa comemora a marca alcançada.
introdução de um energético
altamente competitivo, seguro e
ecologicamente correto em
Alagoas tornou o gás natural como
um importante vetor de desenvolvimento
econômico para o Estado.
Desde o início de sua distribuição pela
Gás de Alagoas S.A. – Algás - para o
segmento industrial, 1994, e ao longo da
expansão para outros segmentos –
veicular, residencial e comercial, o gás
natural apresenta excelentes benefícios,
como redução de custos, de impactos
ambientais, eficiência energética e
comodidade.
A
A massificação do uso do gás natural em
Alagoas potencializou diversas cadeias
produtivas no Estado, a exemplo do
turismo, da construção civil e o próprio
setor industrial. O Pólo de Marechal
Deodoro e o Distrito Industrial Luiz
Cavalcante são plenamente atendidos com
o gás natural servindo as indústrias ali
localizadas ou qualquer outra que deseje
se instalar no local, tornando-se um
atrativo para novos negócios no Estado.
Na construção civil, o gás natural mostra
que é mesmo um produto com muitos
usos e vantagens, com soluções que vão
desde a cocção, ao aquecimento de água
e a tecnologia de medição individualizada,
trazendo muito mais conforto, segurança
e sustentabilidade para condomínios
residenciais, o que já conquistou
construtoras, engenheiros, arquitetos e,
claro, os clientes finais.
Já na cadeia produtiva do turismo, hotéis,
bares, restaurantes e uma série de outros
estabelecimentos comerciais também
contam com diversas soluções energéticas
com o uso do gás natural - cocção,
climatização, geração de energia,
aquecimento de água, entre outras potencializando a excelência de seus
serviços, otimizando negócios e
aquecendo a economia deste importante
setor em Alagoas.
Além disso, o novo Aeroporto Zumbi dos
Palmares é o primeiro do Brasil a utilizar
o sistema de co-geração de energia
elétrica a partir do gás natural. Com a
planta de co-geração, o novo aeroporto
pode gerar 780 kw de eletricidade e 750
TRs (toneladas de refrigeração), evitando
risco de apagões para as cargas essenciais.
No que se refere ao gás natural veicular
(GNV), Alagoas conta com 24 postos
de abastecimento, sendo 19 na capital e
cinco no interior (Pilar, Arapiraca, Palmeira
dos Índios e duas unidades em Arapiraca),
beneficiando os usuários deste
combustível, entre eles, os taxistas,
que podem rodar muito mais pagando
muito menos.
A massificação do uso do
gás natural em Alagoas
potencializou diversas
cadeias produtivas no
Estado
Seguindo um forte trabalho em busca dos
princípios traçados pela empresa, que se
declara como provedora de integração
energética, a Algás olha para frente para
aumentar ainda mais o potencial do gás
natural no Estado. "Nossa visão de futuro
nos remete à busca da integração plena a
todas as cadeias produtivas em nosso
Estado, consciente de que o gás natural é
tema transversal a todas essas cadeias",
afirma Gerson Fonseca, presidente da
Companhia.
14
Novembro 2006
Produção de gás no ES aumentará de 1,3 milhão de metros cúbicos/dia para 20 milhões de metros cúbicos
A ministra Dilma Rousseff reconhece a
importância do Estado no novo cenário do gás
O planejamento estratégico da Petrobras para atender a demanda de gás no país nos próximos anos prevê um investimento de pelo menos US$ 3
bilhões no Espírito Santo até 2008. Os recursos serão utilizados para agilizar a produção do combustível em território capixaba. A previsão da
estatal é aumentar a extração de gás de 1,3 milhão de metros cúbicos por dia atualmente para 20 milhões de metros cúbicos diários nos próximos
dois anos. A informação é do gerente ativo de produção do Campo de Golfinho, no Norte do Estado, Ibsen Flores Lima.
total de
investimentos
previstos no
Plangás no
Espírito Santo, contempla
as partes marítimas e
terrestres, incluindo os
gasodutos. A maioria dos
recursos ficará concentrada
no Norte do Estado, mas
O
existe a expectativa de
ampliar também os
investimentos no Sul do
Espírito Santo", disse Ibsen
Flores Lima.
A ministra Dilma Rousseff
reconheceu a importância
do Espírito Santo no novo
cenário do gás nacional e
disse que é preciso acelerar
a produção nas reservas
capixabas e na Bacia de
Santos para que o Brasil
tenha gás suficiente nos
próximos dois anos. Para
isso, de acordo com Ibsen
Flores Lima, a estatal
preparou um plano de
licitação de produção de
gás, denominado Plangás,
que visa acelerar a
exploração de gás na costa
do país e, em especial, no
litoral capixaba. O projeto
prevê a construção de
instalações em terra e a
construção de um
gasoduto, em Vitória.
A idéia da Petrobras,
segundo o gerente de
produção do Campo de
Golfinho, é permitir aos
demais estados brasileiros
consumir a partir de 2007
a produção excedente do
Espírito Santo. Por isso, a
empresa pretende construir
o gasoduto. Segundo Ibsen
Lima, o Espírito Santo tem
condições de produzir
cerca de quatro milhões
de metros cúbicos de gás
por dia, sendo que o
consumo do Estado fica
em apenas 1,3 milhão/dia.
A conclusão do Gasoduto
Cabiúnas, que começa em
Macaé, no Rio, e se
estende até Salvador, na
Bahia, é que vai
proporcionar o
escoamento do excesso.
A instalação do navio
plataforma ‘F-PSO Cidade
de Vitória’ no Campo de
Golfinho - que aconteceu
no início desta semana
-e a ampliação da
plataforma de Peroá, que
já está andamento, vão
proporcionar que os 20
milhões de metros
cúbicos previstos para
serem processados a
partir de 2008 na Unidade
de Cacimbás sejam
escoados pelo gasoduto
para atender o consumo
domiciliar, veicular e
industrial do país.
Balanço 2006
Para o mês de dezembro o jornal fechará a edição publicando matérias que
destacam o balanço do ano no mercado. Além disso, como sempre estaremos
divulgando artigos de interesse do setor, como também as nossas estatísticas
atualizadas. Convocamos sua empresa a fazer parte desta edição com um anúncio
para expor seus produtos e serviços na maior vitrine do mercado de GNV
nacional e fechar o ano com chave de ouro. Fechamento: 12 de dezembro.
Mais informações no e-mail: [email protected]
16
Novembro 2006
Nosso grupo viajou ao Cairo, para o Encontro Mundial do Metano
NGV Communications Group presente no Egito
No fechamento desta edição, se estava celebrando a 10º Conferência e Exposição da Associação Internacional de Veículos a GNV (IANGV).
Prensa Vehicular (NGV Communications Group) participou deste evento de transcendência para o mundo do gás veicular.
Civilização antiga
Egito é uma das civilizações mais antigas do
mundo. O país, situado ao nordeste da África,
banhado ao norte pelo mar Mediterrâneo e ao
leste pelo mar Vermelho, contém a península de
Sinai, e constitui uma ponte para o sudeste asiático.
Esta nação possui uma localização única e
estratégica, de interseção entre a África, Oriente
Médio e Europa. Através de seu desenvolvimento
se tem convertido num país rico em cultura e
tradição.
Assim mesmo, é considerado um país líder na
região do Oriente Médio, especialmente pela
indústria de turismo e dos hidrocarbonetos.
Exposição Mundial
urante três dias
(de 7 a 9 de
novembro), nas
espaçosas salas do
Centro de Convenções do
Cairo se desenvolveram
interessantes temas sobre
a indústria de gás veicular
e as principais empresas
deste segmento
expuseram seus produtos
e serviços.
A exposição, organizada
D
pela Associação
Internacional de Veículos a
GNV (IANGV) foi uma
verdadeira vitrine do
equipamento que se
produz no mundo todo.
Participaram diversos
rubros desta pujante
indústria que continua
crescendo ano a ano, feito
que se desenvolve com o
crescente espaço e
repercussão que ganham
os eventos que tem o gás
veicular como protagonista.
Nas conferências se
expusera papers sobre
programas de êxito em
matéria de GNV, novas
tecnologias para veículos e
postos de abastecimento,
temas de relevância
política, ambiental e
econômica inerentes à
indústria do metano e
muito mais.
Como ocorre em cada
acontecimento de
transcendência
internacional, NGV
Communications Group se
faz presente. Neste caso,
com um stand próprio
desde o qual se brindou
informação sobre sua vasta
trajetória editorial e na
organização de eventos.
Onde está o GNV, ali está
nossa empresa.
17
Novembro 2006
A Petrobras apresentou sua proposta de mudanças à Associação Brasileira das Distribuidoras de Gás Canalizado - Abegás
O combustível Gás Natural manterá sua
competitividade, segundo Sauer
O diretor de gás e energia da Petrobras, Ildo Sauer, assegurou ao jornal O Estado de S.Paulo que, mesmo com os aumentos em estudo para o preço
do gás natural, o combustível manterá sua competitividade em relação aos principais concorrentes, como o óleo combustível e o diesel.
diretor de gás e energia da
Petrobras, Ildo Sauer, assegurou
ao jornal O Estado de S.Paulo
que, mesmo com os aumentos
em estudo para o preço do gás natural, o
combustível manterá sua competitividade
em relação aos principais concorrentes,
como o óleo combustível e o diesel.
O
Ele não quis adiantar valores, mas
sinalizou que o preço do gás nacional não
deverá ultrapassar o valor cobrado pelo
produto importado da Bolívia, que hoje
chega para as distribuidoras a US$ 5,70
por milhão de BTU (unidade térmica
britânica, na sigla em inglês), segundo
cálculos do mercado.
Atualmente, o gás nacional custa para as
distribuidoras pouco mais de US$ 4 por
milhão de BTU. Desde janeiro de 2003, a
Petrobras abandonou o modelo de
reajustes trimestrais segundo as variações
internacionais do petróleo, que deixou de
ser obrigatória no final de 2001, mas foi
mantida durante o ano seguinte.
Pelos cálculos do consultor Marco Tavares,
da Gas Energy, caso a fórmula tivesse sido
mantida, o gás nacional valeria hoje US$
4,70 por milhão de BTU - 14,6% a mais do
que o valor cobrado pela estatal.
Sauer informou que a fórmula de preços
em avaliação prevê a divisão em duas
parcelas. A primeira, que deve oscilar em
torno dos US$ 2 por milhão de BTU, será
referente ao custo de transporte do
produto e servirá para custear a malha
nacional de gasodutos. A segunda, variável,
refere-se à molécula do gás e será atrelada
ao preço do óleo combustível no mercado
internacional."Porém, sempre mantendo a
competitividade.Temos que assegurar que
o gás seja competitivo", disse Sauer.
Ele argumenta que o mercado de gás sofre
concorrência de combustíveis
concorrentes e, por isso, é necessário
manter e ganhar novos clientes. Segundo
Sauer, a Petrobras terá 100 milhões de
m3/dia em 2011 - o dobro da oferta atual.
"Não sou louco de querer matar o
mercado de gás natural, preciso vender o
meu produto", afirmou, rechaçando
especulações de que a empresa estaria
analisando uma política de redução do
consumo face às dificuldades de
abastecimento provocadas, principalmente,
pela crise com a Bolívia.
Sauer lembrou que a empresa vai investir
US$ 22 bilhões para abrir novas frentes
de oferta e esses recursos terão que ser
recuperados: daí a necessidade de
aumentos. "As avaliações sobre os novos
preços seguem três linhas: satisfazer o
consumidor, manter a competitividade
sobre os concorrentes e justificar nosso
investimento", disse Sauer.
Segundo avaliações de especialistas,
respaldadas por declarações da direção da
Petrobras, o gás boliviano está hoje no
limite da competitividade em relação ao
óleo combustível, fato que sinaliza que
será um teto para a alta do gás nacional.
A Petrobras já apresentou sua proposta
de mudanças à Associação Brasileira das
Distribuidoras de Gás Canalizado
(Abegás). Sauer espera concluir as
negociações com as distribuidoras no
primeiro semestre de 2007. Já há
empresas com contratos vencidos e,
segundo Sauer, dos cerca de 50 milhões
de metros cúbicos que a empresa vende
ao mercado, apenas 26 milhões têm
contratos atualmente.
Fonte: Agência Estado
Prédio sede da Petrobras
18
Novembro 2006
A espanhola Gas Natural registrou um lucro líquido de 649,9 milhões de euros de janeiro a setembro deste ano
A empresa ultrapassou o número de 10,5 milhões de clientes
espanhola Gas Natural
registrou um lucro líquido de
649,9 milhões de euros de
janeiro a setembro deste ano,
24,3% mais do que em igual período do
ano anterior. O Ebitda da empresa no
período aumentou 26,3% e atingiu os 1,4
bilhão de euros.
A
O déficit líquido do grupo reduziu em
393,3 milhões de euros, desde 31 de
dezembro de 2005 até 30 de setembro de
2006, por conta de uma significativa
geração de caixa, e alcançou os 3,2
bilhões de euros, com uma proporção de
déficit de 34,9%.
A empresa ultrapassou o número de
10,5 milhões de clientes na área de
distribuição, o que representa um aumento
de 532 mil pontos de fornecimento nos
últimos doze meses. O setor de energia
elétrica na Espanha atingiu um Ebitda de
203,8 milhões de euros, o que representa
um aumento de 165,4%, em função do
impulso na geração e da otimização da
carteira de clientes.
A soma de negócios firmados alcançou os
7.707,1 milhões de euros nos primeiros
nove meses do ano, o que corresponde a
um crescimento de 33,3% em relação ao
mesmo período de 2005. Os motivos são
a expansão da atividade, do fornecimento
de gás, devido a uma queda dos preços do
produto, e ao impulso da atividade na
América Latina.
A atividade de energia na Espanha
representou 14,4% do Ebitda total do
Grupo, enquanto as atividades de
upstream e midstream, que referem-se
principalmente à operação do gasoduto
Magreb-Europa e o transporte marítimo,
representaram um total de 9,8%.
A atividade de distribuição em conjunto,
que inclui Espanha, América Latina e Itália,
representou 64,9% do fluxo de caixa. A
maior contribuição foi da distribuição na
Espanha, com um total de 43,5%.
22
Novembro 2006
25
Novembro 2006
Breves Internacionais
Argentina
Avança a iniciativa do
"chip inteligente"
Venezuela - Retomam
plano para a metanização
de seus veículos
Nigéria
Começarão a circular
veículos a gás veicular
"Fizemos uma contribuição ao
rascunho do Edital de Consulta para
a licitação pública internacional em
que trabalha a Secretaria de Energia
para efetuar o chamado entre
outubro e novembro próximos"
adiantou o presidente da Câmara
Argentina de Gás Natural
Comprimido, Alessandro Evi.
Essa entidade elevou recentemente
uma proposta com ofertas de
companhias do Estados Unidos,
África do Sul e Canadá, que lideram
a especialidade. Uma vez adjudicada
a licitação, o chip permitirá ao
organismo de controle, que neste
caso é o Enargas, obter informação
sobre os automóveis cada vez que
estes abasteçam.
Através do dispositivo instalado
no veículo, se pedirá autorização
para o abastecimento, que só se
concretizará se o veículo estiver em
dia com as verificações de segurança.
Evi esclareceu que a proposta elevada
pela Câmara "se restringe ao setor de
GNV, já que as demais câmaras de
carburantes líquidos terão as suas".
A implementação do sistema
demandará em torno de 15 milhões
de dólares, "sem custo, o custo ínfimo"
para o usuário, esclareceu o
empresário.
O Ente Nacional de Gás, o ministério de
Energia e Petróleo e Pdvsa (empresa
pública de hidrocarbonetos) estão
trabalhando em conjunto para promover
o uso do GNV em território venezuelano.
Cabe destacar que na década de ’90 se
havia feito uma tentativa de instala-lo em
massa, mas o mesmo fracassou.Assim é
como hoje se busca capitalizar os erros do
passado para lograr o êxito do programa.
Nesta ocasião, se insistirá metanização de
transporte público "para lograr substituir
até 70 por cento do uso de gasolina e
reduzir a poluição geram muitas unidades
que hoje utilizam este combustível".
Assim explicou o presidente de Enargas,
Jorge Luis Sánchez, que acrescentou que
celebrará varias reuniões nas quais se
aperfeiçoou o plano, se espera a
aprovação da junta diretiva de Pdvsa para
remeter o projeto ao Executivo.
Uma das modificações mais importantes
que se fez ao plano original (da década de
’90) foi a localização dos postos de
abastecimento que abastecerão aos
veículos, e incluir um maior número na
zona sul do país.
Também, se decidiu coordenar com o
Fundo Nacional de Transporte Urbano
(Fontur) o financiamento de unidades
novas de transporte público com
motores dedicados (de exclusivo
funcionamento a gás natural).
A companhia NGC, Nigerian Gas
Company informou que dentro dos
próximos doze meses, alguns veículos
começarão a ser propulsados a
metano, tendo em conta os crescentes
preços do petróleo.
Para isso, parte do staff da empresa s
e mudou para a Argentina, primeira
potência mundial no uso deste
combustível, para capacitar-se sobre
como instalar postos de abastecimento.
A primeira boca de venda está sendo
construída em Warri-Bening-Lagos e
estará terminada em dezembro deste
ano. Sua inauguração é esperada com
ansiedade e marca um marco na história
deste combustível no país e no
continente africano.
Índia
GNV mais econômico no
estado de Guarujá
Para promover o uso deste combustível
na região, se reduziu seu preço de
venda ao público para R$ 1.42 por kg.
Antes da medida o valor era de R$ 26.88
e agora baixou a 25.46.
Esta decisão beneficia especialmente
aos 41.000 mini táxis da cidade de
Ahmedabad e outras partes do norte
de Guarujá.
Se estima que isto gerará a conversão de
milhares de veículos particulares.
Cabe destacar que em Ahmadabad já
existem mais de 700 ônibus a GNV.
Um maior uso de combustível ajuda a
reduzir a poluição ambiental, motivo
pelo qual também se impulsionou esta
medida desde o governou.
Bolívia
Se triplicou o parque
automotor a GNV
Segundo dados derivados dos
registros de número de veículos
convertidos a GNV por parte da
Superintendência de Hidrocarbonetos,
mostram que a quantidade de
veículos que usam esse carburante
triplicou no país.
Segundo informações, em setembro
existem 57.900 veículos a metano,
cifra que triplicou em 33 meses, os
19.298 veículos registrados no final
de 2003 segundo as estatísticas.
A respeito, Hugo Vits, gerente da
distribuidora de gás Transredes indicou
que um maior número de veículos e
demanda de gás, implica maior
capacidade de transporte fluido.
"O aumento da capacidade de
transporte ao mercado interno já
demandou mais de 43 milhões de
dólares em investimentos em
2005/06. Por isso, nosso próximo
desafio é o Gasoduto Carrasco Cochabamba e mais capacidade até La
Paz - El Alto, no Gasoduto Altiplano".

Documentos relacionados

Especial Fabricantes de cilindros

Especial Fabricantes de cilindros Publicação mensal do gás natural veicular do Brasil

Leia mais

Fabricantes de cilindros no ramo nacional e internacional de

Fabricantes de cilindros no ramo nacional e internacional de A companhia afirma que um motorista que incrementou seu veículo com o kit de gás natural veicular desde o início da oferta do produto, em 2001, não apenas recuperou o custo do investimento, como pr...

Leia mais

Companhias de gás do sul do Brasil mostram seu crescimento no

Companhias de gás do sul do Brasil mostram seu crescimento no comprimido (GNC) a algumas indústrias da região.

Leia mais

Balanço 2005

Balanço 2005 Após um ano de testes comprovou-se que a redução de gastos em relação à gasolina chega a 63% quando é usado o GNV Ipiranga apresentou na Expo GNV 2005, em outubro, no Rio de Janeiro, as vantagens d...

Leia mais

Madrid becomes the capital of the natural NGV

Madrid becomes the capital of the natural NGV lugar destacado no país, apresentando uma produção maior que os veículos com um combustível. Porém, é importante destacar que grande parte dos consumidores ainda não tem o hábito de comparar o rend...

Leia mais

Os benefícios do uso do GNV

Os benefícios do uso do GNV Sodré, diretor de Expansão indústria do Gás Natural Veicular será um canal importante e, inclusive poderá ser um pilar para o crescimento da economia nacional através da transferência de renda. O m...

Leia mais

Companhias de gás continuam com suas apostas no

Companhias de gás continuam com suas apostas no Outra expectativa dos organizadores é de aumento de público: de 32 mil em 2006 para mais de 35 mil visitantes. O número de trabalhos técnicos também superou as edições anteriores: dos mais de 1.000...

Leia mais

Brasil, protagonista mundial do GNV

Brasil, protagonista mundial do GNV Expo GNV 2007 – um local para os bons negócios e muita troca de informação Mais de 50 empresas na feira, 2500 m2 de exposição, dois auditórios, praça de alimentação, conferências e mesas redondas, ...

Leia mais

Congresso Mundial a todo gás no Rio

Congresso Mundial a todo gás no Rio natural veicular? A Safe quer manter a liderança no mercado mundial e deter pelo menos 30% do mercado Sul Americano em 5 anos. Qual a sua avaliação do mercado de GNV para os próximos cinco anos no ...

Leia mais

A Itália se prepara para receber os principais protagonistas do setor

A Itália se prepara para receber os principais protagonistas do setor Brasil já conta com 1,64 milhão de veículos convertidos para gás natural veicular De acordo com dados informados pelo coordenador do Comitê de GNV do Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás Natural e...

Leia mais