sampaio - Record Europa

Сomentários

Transcrição

sampaio - Record Europa
MAR ABR 2013
distribuição gratuita
Siga-nos no Facebook
facebook.com/recordeuropa
{ISLÂNDIA}
uma recuperação
ECONÓMICA Racional
{DUBAI}
destino perfeito PARA
umas férias DE SONHO
{ECONOMIA}
Linha de transporte de
mercadorias substitui TGV
{novos rurais}
Agricultura de subsistência
é opção de vida em portugal
SARA
SAMPAIO
5 dicas
úteis para evitar
o stresse
Charme português nos quatro cantos do mundo
{Dona Xepa}
{Tiago Pires}
{Lykan Hypercar}
Pág. 20
Pág. 34
Pág. 46
Ângela Leal
na nova novela
da TV Record
O surfista ambiciona
‘sacar’ uma prova do
circuito mundial
O superdesportivo
mais caro
do mundo
VIDA
tecnologia
EDITORIAL
DIRETOR
04 | Novo fôlego, nova vida
Jailson Oliveira
PUBLISHER
PANORAMA
Belmira Antunes Branco
[email protected]
08 | Nacional
09 | Internacional
REDAÇÃO
Pedro Castro
Tomás Durão
PÚBLICO
COPY DESK
Nuno Estêvão
Observado o Acordo Ortográfico
COLABORARAM
NESTA EDIÇÃO:
Paginação
Ana Paula Costa
Cíntia Nunes
Edir Antunes
Hélio Mateus
Rui Lança
Texto
Antónia Palmeirim
Carlos Caldeira
José Rodrigues Branco
Marta Rodrigues
Sérgio Filipe Oliveira
Vânia Pacheco
Vasco Catarino Soares
Fotografia
Ana Paula Costa
Guy Aroch
MARKETING
Ana Paula Braga
Ana Cristina Silva
18 | Planeta Record
20 | O que é 'xepa'?
21 | Programação
TV Record
Luana Miranda
24 | Economia
LTM:
Empreendimento ferroviário
27 | Fala Portugal
Seja um
cidadão-repórter
28 | Reflexos
Pressão sim,
mas inteligente e racional
30 | Mundo
Islândia:
Economia renascida
das cinzas
34 | Desporto
Tiago Pires:
Um português no 'surf'
DIREÇÃO COMERCIAL
Deolinda Pinheiro
[email protected]
+351 210 346 000
SITE E REDES SOCIAIS
recordeuropa.com
facebook.com/recordeuropa
22 | Entrevista
Hortense Martins:
Avaliações da deputada do PS
[email protected]
APOIO INTERNACIONAL
10 | Sociedade
Sara Sampaio:
Do Porto para o mundo
16 | Novos Rurais:
Da cidade para o campo
twitter.com/tvrecordeuropa
VIDA
TIRAGEM GERAL
250 000 exemplares
Encarte nos principais jornais
de Portugal
38 | Bem-estar
Livre-se do stresse
Sogapal
Estrada das Palmeiras
Queluz de Baixo
Barcarenal
39 | Enologia
Vinho:
Beber sem preconceitos
DEPÓSITO LEGAL
327515/11
40 | Sabores
Leitão:
Dourado e estaladiço
42 | Destinos
Dubai:
Cidade de sonho
IMPRESSÃO
Inscrição na ERC
126071
CAPA
Fotografia: Isabel Pinto
PROPRIETÁRIA E EDITORA
Rede Record de Televisão
Europa, S.A.
Edifício Entreposto
Praça José Queirós,
Fração 7, Piso 4
1800-237 Lisboa – Portugal
[email protected]
+351 210 346 000
46 | Motores
O automóvel mais
caro do mundo
48 | Cultura
Entrevista:
Bruno & Marrone
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo da
SHARE, sem autorização expressa da proprietária e
editora Rede Record de Televisão Europa, S.A.
EDIÇÃO #08
A deputada do Partido Socialista considera que "António José Seguro tem conseguido
aproximar-se dos portugueses". Na avaliação que faz, a parlamentar considera
natural que o PS não suba de forma expressiva nas sondagens.
30 | Islândia
Após o colapso financeiro, a economia do
país deverá voltar a crescer. A desvolarização
da moeda foi o principal catalisador da retoma.
16 | Novos Rurais
São cada vez mais os portugueses
que face à atual conjuntura de crise
se mudam para o campo.
44 | Tendências
Na moda mesmo
em tempo de crise
A revista SHARE e a sua proprietária não se
responsabilizam pelos serviços e produtos anunciados,
bem como por conceitos e opiniões emitidos por
colaboradores e entrevistados, os quais não refletem
necessariamente a opinião dos diretores e editores.
22 | Hortense Martins
49 | Joana Vasconcelos:
De Cacilhas a Veneza
50 | Tecnologia
Gadgets para todos os gostos
10 | Sara Sampaio
É impossível ficar indiferente
a Sara Sampaio, a portuguesa
mais desejada do momento.
34 | Tiago Pires
O atleta completa 33 anos e ambiciona vencer
uma prova do circuito mundial. "Estar na elite
do 'surf' é um feito que não se pode ignorar."
Março/Abril 2013
3
EDITORIAL
Novo fôlego
nova vida
O
fôlego é de expressão e frescura. O renovo das coisas
acontece e, sem darmos por isso, é outra vez primavera.
Novo ciclo, nova vida, novos rostos que brilham. Um dos
destaques desta edição é Sara Sampaio. Ela é a manequim
portuguesa mais mediática do momento e tem projetado a
sua carreira de forma meteórica. Conheça como o sucesso
está muito para além do verde intenso do seu olhar.
Destaque para outro talentoso português que
este ano venceu o ‘World Press Photo’. Em
igual condição à de milhares de outros
jovens em Portugal, Daniel Rodrigues
encontrava-se desempregado
e despojado do seu material
fotográfico de trabalho, no
momento em que soube
que vencera entre os
seus pares, o concurso
de âmbito internacional.
©Gettyimages
Em época de crise nacional,
registamos um movimento
que pode estar a tornar-se
numa tendência social.
Falamos dos Novos Rurais,
pessoas que, face à atual
conjuntura de desemprego
e falta de oportunidades,
têm saído das zonas
urbanas para se fixarem nas
rurais. Estaremos perante um
emergente cenário de regresso
à agricultura de subsistência?
Abrimos espaço para retratar o caso
ímpar da Islândia, um país que não
obstante as suas baixas temperaturas, não
se deixou congelar pelo colapso financeiro; teve
atitude e ante uma postura firme, racional e absolutamente
soberana, recupera hoje a sua economia. Os regimes político
e monetário são diferenciados, mas o que sobressai é a atitude
de se referendarem decisões, de se identificarem e julgarem
judicialmente os responsáveis diretos pela crise, de se aprovar
uma nova Constituição. Naquele país não existe impunidade.
Ninguém está acima da lei.
Nesta edição, a nossa entrevistada é Hortense Martins. Embora
o PS não suba de forma expressiva nas sondagens, a deputada
considera que António José Seguro tem-se aproximado dos
portugueses. Mais à frente, abordamos o novo projeto que substitui
o TGV. A LTM - Linha de Transporte de Mercadorias - custa
cerca de 700 milhões de euros, mas só avançará em 2015.
E por falar em projetos, tempo ainda para poder
assinalar que a TV RECORD EUROPA celebra a
expressão de proximidade com o público
em geral, tónica que tem marcado com
sucesso as campanhas de marketing
da marca. Março e Abril registam
várias ações em reconhecidas
feiras internacionais e
noutros acontecimentos
com destaque mediático,
nos quais está patente
a exclusividade da
ação do canal.
Em Portugal, a
emissora expandiu-se consideravelmente,
conquistando liderança
de audiência em horários
específicos, através
de programas cada
vez mais reconhecidos
pelos portugueses. “A TV
Record Europa cresceu
em visibilidade, audiência e
solidez”, refere Marcelo Cardoso,
CEO da Rede Record de Televisão
Internacional - Europa, África & Ásia.
Mas porque os dias são intensos de cruzadas
responsabilidades, a pressão profissional e social a
acontecer, a imposição férrea de resultados de crescimento, leia
o artigo ‘Pressão sim, mas inteligente e racional’. Face a todo
este fervilhar quotidiano de negar baixar os braços, seguir sempre
em frente e fazer acontecer, realizar, criar, construir, partilhar,
repartir, deixamos algumas dicas para que possa gerir melhor
as suas prioridades de vida e livrar-se do stresse. Leia o artigo
do psicólogo clínico Dr. Vasco Catarino Soares.
Esta é a edição de primavera da sua Share Magazine.
Feita para si. A pensar em si. Porque a diferenciação existe.
Belmira Antunes Branco
4
MEDITATIO
PANORAMA
6
© Daniel Rodrigues
PERSPETIVAS
DE FUTURO
Guiné-Bissau, 2012. A foto é de Daniel Rodrigues, 25 anos, talentoso fotógrafo
português, vencedor do concurso World Press Photo na categoria ‘Vida
Quotidiana’. Antes de saber que tinha ganho o prémio, encontrava-se sem o
seu material fotográfico; vendera-o para fazer face às despesas. Daniel é mais
um caso entre milhares de outros jovens que se encontram desempregados.
De um momento para o outro teve a possibilidade de sair do anonimato,
podendo, isso, significar ‘portas abertas’ para perspetivas de futuro.
7
PANORAMA
nacional
Quase um milhão
sem emprego em Portugal
E
verifica-se um acréscimo
de 19,7%, existindo mais
152 mil pessoas inscritas
nos centros de emprego.
O primeiro-ministro
português, Passos Coelho,
reconheceu que o aumento
do desemprego é uma
situação “cada vez mais
dramática”, mas manifestou
confiança na inversão desta
tendência ao longo do
presente ano.
TDT
Crédito
© DR
xistem atualmente
mais de 920 mil
desempregados em
Portugal. No quarto
trimestre de 2012, a taxa
de desemprego estimada
pelo Instituto Nacional de
Estatística subiu para os
16,9%, agravando o valor
de 15,8%, verificado nos
três meses anteriores.
Em termos homólogos
(no mesmo período de 2011),
Consumidores finais
obrigados a pedir fatura
Diversos setores da
sociedade portuguesa
criticaram duramente a
secretaria de Estado dos
Assuntos Fiscais. Isto,
após este organismo ter
confirmado que a inspeção
tributária já instaurou, em
2013, “diversos processos
de contraordenação a
consumidores finais
por incumprimento da
obrigação da exigência
de fatura”. Paulo Ralha,
presidente do sindicato dos
trabalhadores dos impostos,
considerou que a legislação
existente não passa de
“pólvora seca” porque
os serviços não têm “nem
meios, nem estatuto legal”
para fiscalizar.
Defesa poderá
José Aguiar-Branco,
ministro português da
Defesa, garantiu que
"se houver necessidade"
o Governo admite cortar
40 milhões de euros
no orçamento do seu
ministério, já em 2013.
A partir do próximo ano,
no âmbito da contenção da
despesa pública, a redução
será de 218 milhões de euros.
O titular da pasta da Defesa
confirmou a intenção de
reduzir o número de efetivos
militares, dos atuais 38 mil
para 30 mil, sem prejuízo
da participação do exército
português nas missões
internacionais em
que está envolvido.
quase 8 mil
milhoes
Um estudo da Associação
Portuguesa para a Defesa
do Consumidor (DECO)
revelou que 62% dos
lares portugueses com
televisão digital terrestre
(TDT) têm problemas
com a receção do sinal.
De acordo com a DECO,
62% dos consumidores, o
equivalente a 620 mil lares,
“não recebem o sinal de
televisão em condições e,
destes, 13% afirmaram que
não conseguem seguir
o normal desenrolar
das emissões".
Para a entidade que
representa o consumidor
português houve um
"deficiente planeamento da
rede pela Portugal Telecom
(PT) e de monotorização
pela Anacom". Entretanto,
a DECO aguarda pelo
cumprimento do contrato
de concessão, sem que
haja mais custos para
os telespectadores, assim
como a resolução dos
"problemas que afetam
os consumidores de TDT".
A 'troika' fez diminuir os
empréstimos bancários.
O Banco de Portugal
calcula que o crédito
dos bancos às famílias
tenha diminuído em
quase 8 mil milhões de
euros desde que Portugal
pediu ajuda à ‘troika’. Os
bancos instalados no país
registaram, em Abril de
2011, créditos concedidos
a particulares num valor
próximo dos 142 mil
milhões de euros. Mais de
um ano e meio depois, no
final de 2012, os créditos
bancários totalizavam 134
mil milhões de euros.
© DR
© DR
cortar
40 milhoes
diminuiu
uma televisão
de problemas
8
internacional
EUA & UE
Parceria
transatlântica
O Presidente americano,
Barack Obama, anunciou
que “o comércio livre e
justo através do Atlântico”
irá avançar. Os líderes
diplomáticos dos Estados
Unidos da América (EUA)
e da União Europeia
(UE) confirmaram o
início das negociações,
perspetivando que a
criação de uma zona
transatlântica de comércio
livre permitirá “criar
empregos e aumentar
mercados”, tanto
nos EUA como na UE.
A concretização deste
plano será um importante
fôlego para àquela que
já é considerada, a nível
mundial, a maior
parceria económica.
ECONÓMICA
Na Europa houve ‘toque
a reunir’ dos ministros
da Agricultura, após
ser identificada carne
de cavalo em lasanhas
ultracongeladas de uma
marca sueca, à venda no
Reino Unido e na Irlanda.
Publicitados como carne de
vaca, esses produtos eram
constituídos, afinal, por
100% de carne de cavalo.
A Agência para as Normas
Alimentares (FSA) do Reino
Unido suspeita que a fraude
possa ter acontecido também
na venda de carne para
hambúrgueres e espetadas,
que entretanto foram objeto
de fiscalização. A União
Europeia (que confirmou a
existência de casos em outros
países, nomeadamente na
Alemanha, França, Suécia e
Dinamarca) está a preparar
alterações nos testes aos
alimentos e também na
etiquetagem dos produtos.
© DR
©©
DR
DR
Na mesma linha
estratégica de reforço
das transações comerciais
com outras economias,
os líderes europeus
pretendem fomentar e
estreitar as relações com
outros dois importantes
mercados: o japonês
e o canadiano.
FRAUDE
COREIA DO NORTE
Ensaio nuclear
pesar das condenações
e sanções aplicadas
pelo Conselho de
Segurança das Nações
Unidas, a Coreia do Norte
persegue, alegadamente,
o objetivo de construir
uma ogiva para equipar
mísseis de longo alcance e
voltou a realizar um ensaio
nuclear, fazendo explodir,
a nível subterrâneo, o que
anunciou ser “uma bomba
atómica miniatura e mais
leve”. Este foi o primeiro
teste nuclear ordenado
por Kim Jong Un, filho
do falecido Kim Jong-il.
Os anteriores ocorreram
em 2006 e em 2009. Barack
Obama considerou o
recente teste nuclear como
“provocatório” e avisou que
os EUA tomarão “as medidas
necessárias” para defender
o país e os seus aliados.
A China, aliado histórico
da Coreia do Norte, não
falou em condenação, mas
manifestou a sua “oposição
firme” perante um ato que
coloca Pyongyang em
oposição à comunidade
internacional.
© DR
A
9
PÚBLICO
VIDA
sociedade
cultura
Sara
Sampaio
Do Porto para o mundo
Ela é o brilho de uma estrela em ascensão. Natural do Porto,
é desde Nova Iorque que com os seus fascinantes olhos
verdes hipnotiza o competitivo mundo da moda. Sara
Sampaio é mais uma razão para a 'cidade que nunca dorme'
ficar acordada. Aos 21 anos, a mediática jovem portuguesa
destaca-se entre as manequins internacionais da sua geração.
E promete não ficar por aqui.
© Central Models
texto Tomás Durão | fotografia Guy Aroch
10
VIDA
cultura
11
PÚBLICO
sociedade
E
xpressivos olhos verdes,
lábios extremamente
sensuais e 1 metro e
72 centímetros que
contrariam os cânones
universais da moda.
Ela é Sara Sampaio e é
simplesmente impossível
ficar-lhe indiferente. A
indústria da moda, pródiga
na idealização da perfeição,
também não lhe resistiu.
Sara é uma rapariga simples.
Nasceu e cresceu na cidade
do Porto. Foi ali, na 'Invicta',
que passou toda a sua
infância e adolescência,
junto da família e amigos,
desde sempre os esteios
da sua vida. Isto apesar
da distância ditada por
uma agenda profissional
preenchida no estrangeiro.
{Princípio de carreira}
Aos 18 anos dá-se a
primeira de muitas
mudanças.
Terminado o ensino
secundário, na Escola
Secundária Boa Nova, Sara
muda-se para Lisboa. Três
anos mais tarde, torna-se na
manequim portuguesa mais
bem sucedida de sempre.
Mas voltemos ainda mais
atrás no tempo. Antes de
fazer parte do universo
da moda, Sara sonhava
ser atriz. Poucas pessoas
sabem, mas em 2006, com
apenas 15 anos, a jovem
participou pela primeira
vez no concurso 'Cabelos
12
Sonhava ser atriz, mas com 21 anos é hoje a manequim portuguesa mais
bem sucedida de sempre. Uma das agências que a representa é a mesma das
'top-models' Claudia Schiffer, Naomi Campbell, Kate Moss e Adriana Lima.
Pantene'. As expetativas da
portuense eram semelhantes
às de centenas de outras
jovens, sendo que, no caso
dela, aquela poderia ser uma
oportunidade para ingressar
no mundo da representação,
uma ambição latente desde
os tempos de infância.
que era protagonista em
vários pequenos trabalhos
editoriais - publicados
nas conceituadas revistas
internacionais 'Vogue' e 'Elle'
- e que marcaram o início
da sua caminhada rumo
ao estrelato.
Dada a juventude da
candidata, Tó Romano,
proprietário da Central
Models, agência
organizadora do evento,
recomendar-lhe-ia que
regressasse no ano seguinte.
Ela, persistente, voltou
com confiança redobrada,
acabando por vencer o
concurso e iniciar a sua
carreira de manequim.
A Páscoa de 2010 foi o
ponto de viragem na
vida da manequim.
{Aluna de sucesso}
Foi admitida no curso
de Matemática Aplicada
e veio para a capital.
Estudava na Faculdade de
Ciências de Lisboa, mas
para além dos compromissos
académicos, a portuense
chega à cidade 'alfacinha'
convicta de que ali teria mais
oportunidades de trabalho
como manequim.
Sara concluiu, com bom
aproveitamento, o primeiro
semestre, ao mesmo tempo
{O início da aventura}
Estava acompanhada
do amigo Luís Borges,
manequim português da
Tommy Hilfiger e Tom Ford,
quando umas férias em
Londres se transformaram
numa proveitosa estadia
de dois meses, após uma
visita à reputada agência
Women Direct, que acabaria
por contratá-la. Os estudos
ficariam suspensos, mau
grado a relutância inicial
dos pais, que hoje a apoiam
incondicionalmente.
A paragem seguinte seria
Paris. Novamente com
Luís Borges a seu lado,
Sara acabou por assinar
contrato com a Marylin,
uma das melhores
agências de manequins do
mundo, responsável pela
representação das carreiras
de divas das passarelas
como Claudia Schiffer,
Naomi Campbell, Kate Moss
ou Adriana Lima. A 'cidade
luz' seria a sua casa durante
um ano, mas a inadaptação
à língua francesa acabaria
por levá-la a procurar
oportunidades noutro
local do globo. Por sorte,
o destino reservar-lhe-ia
outra surpresa.
Uma viagem de férias a
Nova Iorque, acabou por
se tornar numa etapa
decisiva para o sucesso
da manequim. Para tal,
foi determinante a visita
à agência Women Direct
- para quem já trabalhava
através da representação
londrina -, junto da qual
partilhou o seu sonho de
trabalhar para dois ícones
da moda mundial: Chanel
e Victoria's Secret.
{Victoria's Secret}
Uma sessão fotográfica
despertaria o interesse da
famosa marca de 'lingerie'.
Após um curto teste, a
beleza de Sara não passou
despercebida à multinacional
americana. Um mês depois,
a manequim tornou-se
numa das protagonistas
de uma campanha
da Victoria's Secret.
2007
2009
2010
2011
Aos 16 anos
vence o concurso
'Cabelos Pantene'
Muda-se para Lisboa e
ingressa na Faculdade de
Ciências. Começa
a fazer pequenos
trabalhos editoriais,
em revistas como a
'Vogue' e a 'Elle'.
Conquista a atenção
da primeira agência
que visitou, a Women
Direct, em Londres.
Mais tarde, muda-se
para Paris, onde
residiu um ano.
É a cara da Lanidor. Vence o
Globo de Ouro como ‘Melhor
Modelo Feminino’. Vai aos
Estados Unidos e visita
a Women Direct NY. Um
mês depois é fotografada
para a Victoria's Secret.
13
PÚBLICO
sociedade
Foi capa de várias publicações internacionais, casos da 'Vogue', 'Elle',
'Marie Claire', 'Glamour' ou 'GQ'. Atualmente, Sara Sampaio é sinónimo
de universalidade e sucesso. A sua imagem exótica é um valioso trunfo.
Depois de passear a
sua silhueta esguia
e os longos cabelos
castanhos por Porto,
Lisboa, Londres e Paris,
durante um ano e
meio, a portuguesa
estabeleceu-se
definitivamente na mais
cosmopolita das cidades
– Nova Iorque.
{Sucesso internacional}
Hoje, a carreira de Sara
Sampaio é gerida por
várias agências.
A Women Direct, de Nova
Iorque, e a Central Models,
a sua agência-mãe, sedeada
em Lisboa, são as principais.
Em todo o caso, a portuense
é soberana na decisão final,
relativamente a todos os
trabalhos em que participa.
A portuguesa orienta
criteriosamente a sua
carreira. Todos os
trabalhos escolhidos pela
manequim norteiam-se
pelo cumprimento
rigoroso de um caminho
por si traçado. Com uma
visão empresarial, talvez
influenciada pela frequência
do curso de Matemática
Aplicada, a jovem estuda
cuidadosamente todos
os potenciais trabalhos, de
forma a não comprometer
opções futuras.
{Na elite da moda}
{Vivência intensa}
As produções para 'Vogue',
'Elle', 'Marie Claire', 'Glamour'
ou 'GQ' atestam o seu
prestígio internacional.
Marcas como Axe, Lanidor,
Calzedonia e, mais
recentemente, Victoria's
Secret, na sua campanha
Primavera/Verão e Outono
2012, apostaram na imagem
da portuguesa para
divulgar os seus produtos.
Atualmente, Sara Sampaio é
sinónimo de universalidade
e sucesso. E a sua imagem
exótica é um importante
trunfo comercial.
As vinte e quatro horas
de cada dia parecem
não chegar para o ritmo
frenético do seu quotidiano.
As solicitações são tantas,
que num dia pode estar a
fotografar em Nova Iorque;
no seguinte voar a caminho
das Ilhas Seychelles para
novo trabalho, findo o
qual a sua preenchida
agenda ditará outro local
do mundo como destino.
Quem a acompanha no
Facebook ou no Twitter
rapidamente se apercebe
disso. Sara entende a
importância que as redes
sociais têm, enquanto
veículo privilegiado de
comunicação, pelo que é
uma utilizadora diária e
não descura o contacto
próximo com a sua vasta
comunidade de fãs.
No seu 'book' destacam-se
as capas de várias revistas
mundiais de moda.
Aos 21 anos, já trabalhou
ao lado de musas como
a brasileira Adriana Lima
ou a britânica Kate Moss.
Ambiciosa, posou para
as objetivas de fotógrafos
consagrados como Terry
Richardson ou Mariano
Vivanco. Mas Sara quer mais.
Entre os objetivos estão
chegar à capa das revistas
'Vogue' Paris e Itália, integrar
as campanhas das marcas
Chanel e Dolce Gabbana
e participar no tradicional
desfile anual 'Victoria's Secret
Fashion Show' - um marco
importante na carreira de
qualquer manequim.
2011
Estabelece-se
definitivamente em Nova
Iorque. Faz campanha
publicitária para a
Bluemarine, na companhia
da brasileira Adriana Lima. É
capa da conceituada revista
francesa 'Marie Claire'.
14
2012
Imagem da campanha
internacional da
Calzedonia, vence pela
segunda vez consecutiva
o Globo de Ouro como o
‘Melhor Modelo Feminino’. É
capa das edições portuguesa,
espanhola e russa da 'Elle'.
A vida de Sara Sampaio
espelha o nosso mundo:
alucinantemente global.
‘O sonho comanda a vida’.
O verso dá força ao poema
'Pedra Filosofal', de António
Gedeão, e a manequim
personifica-o na perfeição.
Pelo seu percurso,
perseverança e sucesso,
Sara Sampaio tornou-se,
por mérito próprio, numa
importante embaixadora de
Portugal além-fronteiras.
2013
Descrita como a "oitava
maravilha do mundo"
é capa da primeira
edição do ano da
GQ portuguesa.
É igualmente o rosto
da edição de primavera
da Share Magazine.
VIDA
cultura
15
PÚBLICO
VIDA bem-estar
sociedade
© IstockPhoto
Novos
rurais
Da cidade para o campo
Plantar o que se come começou por ser apenas um ‘hobbie’, mas com o
aumento do desemprego são cada vez mais os citadinos que migram para os
meios rurais. A possibilidade de abraçar novos desafios é o grande estímulo
para uma mudança tão radical, o que é já registado como fenómeno social.
texto Carlos Caldeira
S
ão cada vez mais
os portugueses que
optam por mudar-se
para os meios rurais.
Se uns apenas pretendem
mudar de vida, outros
fogem ao desemprego.
São pessoas de atitude,
que assumindo riscos e
perdas, criam pequenos
negócios e estimulam as
economias locais.
{Alternativa
ao desemprego}
Os portugueses estão a
reencontrar qualidade de vida
e oportunidades de emprego
nas zonas interiores.
Agricultura e turismo são
as principais atividades
desenvolvidas pelos novos
rurais. E se, há algum tempo,
havia quem se dedicasse à
agricultura apenas como um
‘hobbie’, hoje “há cada vez
mais quem se dedique a
esta atividade como forma
de subsistência”, afirma
João Monge Ferreira.
A agricultura “surge
como uma alternativa ao
desemprego e à procura de
uma vida mais calma, longe
do stresse das cidades”.
Mas diz ser “um exagero
falarmos de fluxo massivo”
das cidades para os meios
rurais, tal como aconteceu
inversamente em meados
do século passado.
{Apoios à mudança}
A verdade é que o número
de jovens agricultores
portugueses tem vindo a
aumentar nos últimos anos,
assim como as candidaturas
ao PRODER (Programa de
Desenvolvimento Rural
da União Europeia), que,
em 2012, bateram todos
os recordes. Apesar de
haver muito a ponderar
e múltiplos obstáculos a
ultrapassar, mudar de vida,
da cidade para o meio rural,
é possível com recurso a
apoios e a financiamentos.
O Movimento Novos Rurais
enumera alguns: FEADER
(Fundo Europeu Agrícola
de Desenvolvimento Rural);
PRODER; QREN (Quadro
de Referência Estratégico
Nacional); PRRN (Programa
da Rede Rural Nacional);
e CAP (Agricultores
de Portugal).
Assunção Cristas,
ministra da Agricultura,
refere que se “instalam 240
novos jovens agricultores
por mês”. As candidaturas
ao PRODER (Programa de
Desenvolvimento Rural da União
Europeia) bateram recordes em 2012.
16
©D
R
© DR
Pode afirmar-se que
os ‘novos rurais’ são
"um movimento de
empreendedores, pessoas
que sabem exatamente
o risco que correm, mas,
mesmo assim, querem
mudar de vida”, diz à Share
o fundador e presidente do
Movimento Novos Rurais,
João Monge Ferreira. A ideia
de criar o Movimento surgiu
nas redes sociais, através
do ‘feedback’ de vários
internautas, que buscam a
proximidade com a natureza
e todas as vantagens da
vivência no campo.
A agricultura
de subsistência
começa a ser uma
necessidade perante
o aumento exponencial
do desemprego.
São muitos
os portugueses
que solicitam apoios
nacionais e europeus
para a criação de projetos
empresariais agrícolas.
PÚBLICO
planeta record
Um ano cheio de
números!
2
348 578
pessoas alcançadas na
campanha verão 2012
+telespectadores
269 mil
*
em picos de audiência
365%
{Portugal}
A emissora expandiu-se
consideravelmente,
registando um crescimento
consistente e sustentado.
Tornou-se no canal
generalista mais visto aos
fins de semana, entre os
canais por cabo, ficando
várias vezes à frente da RTP2,
que emite em sinal aberto.
A TV RECORD conquistou
a liderança de audiência
em horários específicos,
através de programas
de entretenimento cada
vez mais reconhecidos
pelos portugueses.
A emissora cresceu 365%,
comparativamente ao ano
retrasado (2011).
registou no passado ano
índices de audiência
superiores a 269 mil
telespectadores. Em seis anos,
a TV RECORD galgou posições
no mercado audiovisual
português e conquistou lugar
no 'ranking' dos 10 canais por
cabo mais vistos, à frente da
TVI24, RTP Informação e SIC
MULHER, entre outros.
{Internacional}
A TV RECORD está presente
nos cinco continentes, em mais
de 150 países, sendo a maior
emissora de Língua portuguesa
a operar a nível internacional,
com a mais facilitada
acessibilidade, estando
disponível nos pacotes básicos
das operadoras, sem custo
adicional. A TV RECORD é
hoje uma das maiores estações
de TV comercial do mundo.
crescimento 2011-2012
*
As novelas premiadas e
as megaproduções épicas
conquistam o telespectador,
o que se reflete nos elevados
índices de audiência.
554%
O crescimento do canal sustenta-se na relação de proximidade
estabelecida com o público e no perfil
da sua programação, o que resulta
no sucesso global da emissora.
No seguimento de uma
estratégia centrada na qualidade,
a TV RECORD detém uma
das maiores ‘fábricas’ de
teledramaturgia do planeta.
O RecNov é um complexo
com mais de 280 mil m2 e
está totalmente equipado com
tecnologia de última geração.
18
2006
2009
2011
Crescimento do canal
2012
FONTES: MMW Marktest, audicabo, totalcabo, até fevereiro 2012 | CAEM, Mediamonitor, universo, com tv paga, a partir de março 2012 | Rat#, março a dezembro. *Mês abril
GRANDES
O Melhor do Brasil
PUB
RELÓGIO-CRONÓGRAFO
P U I SCES
ANCE
RAMIC
MECANISMO SUÍÇO E CERÂMICA DE MÁXIMA RESISTÊNCIA
N U M M O D E L O E L E G A N T E , D E S P O R T I V O E I N O VA D O R
A DUALIDADE PERFEITA: DESIGN
EXCLUSIVO E ALTA TECNOLOGIA
Medir o tempo com um relógio como
este é um luxo ao alcance de poucos. Não só
pelo seu design exclusivo, mas também pelos
seus materiais tecnológicos de última geração, como a cerâmica preta, um material
utilizado pelos engenheiros aeroespaciais
da NASA, que foi tratado de forma a conseguir uma resistência excecional ou como o
aço cirúrgico inoxidável, cuja durabilidade e
beleza fazem dele o mais utilizado em alta
joalharia e que recebeu um acabamento a
ouro de lei aplicado mediante tratamento
IPG (Ion Plating Gold).
O Relógio-Cronógrafo PUISSANCE combina a
elegância de um design robusto, a resistência e a
durabilidade dos materiais mais modernos: a cerâmica, o aço cirúrgico e a aplicação de ouro mediante tratamento IPG.
O resultado é uma peça que une a melhor
tradição relojoeira suíça aos últimos avanços em
cronometria.
O MECANISMO: o seu mecanismo suíço garante
uma precisão absoluta. Para atingir uma perfeição
ainda maior, foi montado e cuidadosamente ajustado à mão.
O Relógio-Cronógrafo PUISSANCE é
entregue num elegante estojo juntamente
com os correspondentes Certificados de
Autenticidade e de Garantia por 2 anos.
O BISEL: foi realizado em cerâmica, também utilizada na indústria aeroespacial pela sua resistência
a elevadas temperaturas e às suas propriedades
contra a corrosão e o desgaste. Os dois botões de
cronógrafo e a coroa também foram rematados
com cerâmica preta.
A CAIXA: foi realizada em aço cirúrgico inoxidável com aplicação de ouro de lei mediante tratamento IPG, uma técnica que aumenta de forma
extraordinária a durabilidade e o brilho do ouro.
Para garantir uma estanquidade total, a tampa da
caixa foi selada e protegida hermeticamente para
resistir a pressões até 10 ATM.
AS FUNÇÕES: este cronómetro dispõe de 3 submostradores — de minutos, segundos e décimas
de segundo — e incorpora ainda um calendário
de dia do mês. Além disso, poderá consultar
facilmente a hora graças ao tratamento luminescente das marcas horárias e dos ponteiros.
A BRACELETE: foi realizada numa elegante pele
de cor preta com acabamento tipo crocodilo e
incorpora fecho de segurança.
A sua elegante
bracelete de pele
preta ajustável a
todas as medidas,
dispõe de fecho
de segurança para
evitar aberturas
acidentais.
UM RELÓGIO COM TODAS
AS GARANTIAS E EXCECIONAIS
CONDIÇÕES DE AQUISIÇÃO
Convidamo-lo a examiná-lo durante 15 dias,
sem compromisso. Uma vez em seu poder se por
qualquer motivo não for do seu agrado, poderá
devolvê-lo sem qualquer despesa para si. Bastará
ligar para o 21 470 61 11.
Se, como esperamos, decidir conservá-lo, poderá adquiri-lo beneficiando de um Crédito Gratuito que lhe permitirá liquidar o seu valor pouco
a pouco através do seu banco, em 20 mensalidades
de apenas €20, sem juros (TAEG 0%).
(Acresce €4,95 como comparticipação nas despesas de envio e seguro.)
o a sua reserva
Faça hoje mesm o ligando
sem compromiss
☎ 21 472 3000
P722
e exclusiva,
a emissão limitada
Ao tratar-se de um a atender as reservas por
os
somos obrigad
chegada.
rigorosa ordem de
ART GALLERY
Uma divisão Ediclube
R. da Indústria, 4
2614-517 Amadora
P722
A ÚLTIMA INOVAÇÃO
EM RELOJOARIA PARA HOMEM
PÚBLICO
planeta record
Xepa?
o que é
Nova Novela da TV RECORD
Dona Xepa é a nova megaprodução da TV RECORD, a estrear
brevemente. Gravada no Rio de Janeiro, no RecNov, umas das maiores
fábricas de novelas do mundo, a história gira em torno de uma feirante
divertida e solidária. Acompanhe as novidades em recordeuropa.com
N
o Brasil, ‘xepa’
é o nome usado
sempre que a venda numa
feira de frutas e hortaliças
se aproxima do fim e os
vendedores acabam por
distribuir, de graça, os
produtos que ficaram
por vender.
Os comerciantes evitam
que a ‘mercadoria’ se
estrague e os beneficiários
20
da oferta aproveitam todos
os alimentos, que de outro
modo iriam para o lixo.
É neste ambiente de ‘justiça
social’ e de ajuda ao próximo
que se desenrola a divertida
história da próxima novela
da Rede Record - Dona Xepa.
Da autoria de Gustavo Reiz, a
trama é inspirada na famosa
peça teatral ’Dona Xepa’, de
Pedro Bloch. Foi num clima
de muita animação que
o elenco iniciou as
gravações e a ‘construção’
das suas personagens
no RecNov - o complexo
de estúdios para
realização das novelas
da Rede Record, no
Rio de Janeiro.
Ângela Leal
é Dona Xepa,
a matriarca da
família Losano.
Thais Fersoza
Rosália
Arthur Aguiar
Édison
Luiza Tomé
Meg
Maurício Mattar
Júlio Pantaleão
Robertha Portella
Mulher ‘tutti-frutti’
Filha de Dona Xepa,
sonha encontrar um
marido rico e tem
vergonha das suas
origens humildes.
Filho de Dona Xepa
distingue-se por
ser um estudante
batalhador e namora
com Yasmin.
Casada com Júlio, é uma
mulher muito rica. Tem
uma queda para homens
mais ‘simples’, de extrato
social inferior.
Um empresário
poderoso, que se
diverte com as loucuras
e extravagâncias
da sua esposa Meg.
Ambiciona
a qualquer custo
ficar famosa
e esconde a identidade
do pai da sua filha.
Programação T V Record
SEGUNDA
09:00 | Domingo Espetacular
10:00 | Aldeia News
10:30 | Estilo & Saúde
11:00 | Zapping
11:40 | MG no Ar
12:45 | Fala Brasil
14:10 | Hoje em Dia
16:00 | Programa da Tarde
18:30 | Prova de Amor
19:30 | Fala Portugal
20:00 | Alta Estação
21:00 | Balacobaco
22:00 | Legendários
23:00 | Hora News
TERÇA
QUARTA
09:00 |
09:45 |
10:15 |
10:40 |
11:10 |
11:40 |
12:45 |
14:10 |
16:00 |
18:30 |
19:30 |
20:00 |
21:00 |
22:00 |
23:00 |
09:00 |
09:45 |
10:15 |
10:40 |
11:10 |
11:40 |
12:45 |
14:10 |
16:00 |
18:30 |
19:30 |
20:00 |
21:00 |
22:00 |
23:00 |
Jornal da Record
Tudo a Ver
Aldeia News
Estilo & Saúde
Fala Portugal
Goiás no Ar
Fala Brasil
Hoje em Dia
Programa da Tarde
Prova de Amor
Fala Portugal
Alta Estação
Balacobaco
Câmera Record
Hora News
SÁBADO
DOMINGO
09:30 |
10:30 |
11:00 |
12:00 |
14:00 |
15:00 |
15:30 |
16:30 |
11:00 |
11:45 |
12:15 |
13:00 |
14:00 |
15:15 |
16:30 |
Ressoar
Zapping Especial
Speed Racer
Fala Brasil Especial
The Love School
Giro
Esporte Fantástico
QUINTA
09:00 |
09:45 |
10:10 |
11:10 |
11:40 |
12:45 |
14:10 |
16:00 |
18:30 |
19:30 |
20:00 |
21:00 |
22:00 |
23:00 |
Jornal da Record
Tudo a Ver
Aldeia News
Estilo & Saúde
Fala Portugal
MG no Ar
Fala Brasil
Hoje em Dia
Programa da Tarde
Prova de Amor
Fala Portugal
Alta Estação
Balacobaco
José do Egito
SEXTA
Jornal da Record
Tudo a Ver
My Top 10
Fala Portugal
Goiás no Ar
Fala Brasil
Hoje em Dia
Programa da Tarde
Prova de Amor
Fala Portugal
Alta Estação
Balacobaco
Escolinha do Gugu
Hora News
Hora News
09:00 |
09:45 |
10:15 |
10:40 |
11:10 |
11:40 |
12:45 |
14:10 |
16:00 |
18:30 |
19:30 |
20:00 |
21:00 |
22:00 |
23:00 |
Jornal da Record
Tudo a Ver
Aldeia News
Estilo & Saúde
Fala Portugal
MG no Ar
Fala Brasil
Hoje em Dia
Programa da Tarde
Prova de Amor
Fala Portugal
Alta Estação
Balacobaco
Câmera em Ação
Hora News
Speed Racer
A Bahia Que a Gente Gosta
Receita Pra Dois
My Top 10
Esporte Fantástico
Tudo a Ver
Programa da Tarde Especial
O Melhor do Brasil
19:00 | Programa do Gugu
20:30 |
21:00 |
22:00 |
23:00 |
A Bahia Que a Gente Gosta
Momento Record
Roberto Justus +
Hora News
23:00 | Domingo Espetacular
JOSÉ DO EGITO
DOMINGO ESPETACULAR
Uma história apaixonante
de um homem que passa de
escravo a governador do Egito.
A informação rigorosa, ágil
e moderna com a qualidade
da TV RECORD.
Programação sujeita a alterações.
Para saber a programação diária
e atualizada, visite o nosso site:
recordeuropa.com
Uma programacao de qualidade, que cresce na sua preferencia!
Para assistir
TV Record
À
em p rtugal
Meo
111
CANAL
ZON TV CABO
171
CANAL
VODAFONE
170
CANAL
OPTIMUS CLIX
211
CANAL
CABO VISÃO
125
CANAL
21
PÚBLICO
entrevista
Hortense
Martins
“Seguro tem conseguido
aproximar-se dos portugueses”
A deputada do Partido Socialista (PS) considera que António José
Seguro representa uma mais-valia para o partido. Não obstante
a atual conjuntura de crise, Hortense Martins acha normal que
o PS não suba de forma mais expressiva nas sondagens.
texto Carlos Caldeira | fotografia Ana Paula Costa
É
uma mulher ativa,
como empresária do
turismo, e já esteve ligada
ao meio jornalístico. O que
a levou a entrar também
na política?
Tive apenas funções de
administração numa
empresa que detém um
jornal regional, não fui
jornalista [risos]. A ligação
à política aparece, de uma
forma natural, dada a
intervenção que sempre
tive ao nível associativo,
de representação em
termos empresariais, e na
defesa das questões do
desenvolvimento regional,
das pequenas e médias
empresas dos setores
onde estava envolvida,
principalmente o turismo.
E, em 2005, fui convidada
22
para integrar as listas do
Partido Socialista, pelo
círculo de Castelo Branco.
E acabei por ser eleita
deputada.
Já defendeu, na
Assembleia da República,
muitos interesses
regionais de Castelo
Branco?
Penso que tenho
demonstrado, ao longo
destes sete anos, que
estou no Parlamento em
defesa das pessoas que
me elegeram, ao nível do
círculo de Castelo Branco
e do País. Não conseguiria
estar na Assembleia se
sempre que se coloca uma
questão relacionada com
Castelo Branco eu não
aproveitasse para intervir.
Ainda há pouco tempo,
quando o ministro da
Economia e o secretário de
Estado da Energia estiveram
no Parlamento, aproveitei
logo para lhes colocar
questões sobre a Barragem
do Alvito. É um projeto que
há 50 anos era esperado
e que teria impacto na
região, mas foi mandado
para as 'calendas gregas'
pelo atual Governo. Apesar
de ter sido uma concessão,
o Executivo aceitou que a
EDP abandonasse o projeto,
sem que fossem dadas
explicações às pessoas
da região.
O IVA na restauração é um
dos temas pelos quais mais
se tem batido. Acredita que
pode mesmo ser reduzido
para uma taxa intermédia?
O facto de não baixar o
IVA na restauração revela
uma teimosia do Governo.
E até algum preconceito
relativamente ao setor,
que é mal acarinhado
pela direita.
Porquê?
Porque a verdade é que
de cada vez que a direita
se tornou poder, o IVA na
restauração foi sempre
aumentado. Isso aconteceu
"Cada vez que a direita se tornou poder,
o IVA na restauração foi sempre aumentado"
IVA NA RESTAURAÇÃO
De acordo com a parlamentar, há estudos que demonstram que o aumento
do IVA no setor da restauração provocará, dentro de dois anos, a eliminação
de 100 mil postos de trabalho.
Europeia aconselha os
Estados no sentido de que
este setor tenha taxas de
IVA mais baixas. Ora, o que
será preferível? Isso ou fazer
como este Governo, que,
com o aumento do IVA,
já provocou, só em 2012,
cerca de 37 mil falências?
Estima-se, com base em
estudos feitos, que em dois
anos ascenda para cem
mil o número de postos
de trabalho perdidos.
Toda a gente sabe que um
partido que foi governo
em maioria absoluta,
que depois governou em
minoria parlamentar e
numa situação de crise,
passar para a oposição não
é fácil. O partido e o seu
líder têm de ter tempo para
construir o seu caminho
com vista a tornarem-se
alternativa política. Acho
que esse percurso está a
ser feito. O discurso de
António José Seguro tem
conseguido aproximar-se dos portugueses e essa
é uma mais-valia que o
Partido Socialista tem.
Que avaliação faz do
trabalho de António
José Seguro enquanto
líder do PS?
Perante o aumento brutal
de impostos e a subida do
desemprego, não deveria
essa mais-valia colocar o
"O aumento do IVA já provocou,
só em 2012, cerca de 37 mil falências"
sempre. Quando o PS chega
a governo baixa-o. E se
esta é uma decisão política,
tem por detrás uma razão
que tem a ver com o valor
que nós damos ao que o
setor vale, não só integrado
no setor do turismo, e da
importância que tem a
gastronomia, que vale 14%
das nossas exportações, mas
sobretudo pela componente
que tem ao nível da mão de
obra, da empregabilidade.
É um setor que dá muito
emprego porque é
maioritariamente composto
por micro e pequenas
empresas. Até a Comissão
PS com 40 % na intenção
de voto? Poderão imputar-se culpas à liderança
socialista?
As sondagens, por vezes,
são um mistério. E também
temos de ver que as pessoas
não estão a responder,
a pensar que as eleições
vão ser amanhã. Sabem
que este é um Governo
de maioria absoluta
e, num normal decurso
dos acontecimentos, só
haverão eleições em 2015.
Por outro lado, foi só há
pouco mais de ano e meio
que as pessoas votaram
nestes dois partidos que
constituem o Governo.
Depois, há sempre um
tempo durante o qual os
eleitores tentam perceber se
fizeram a melhor escolha.
23
PÚBLICO
CRV Tejo
investe
economia
Programa
J
á está aprovado
o 'Programa Valorizar’
que visa o estímulo à
atividade económica
produtiva de base regional
e local, para promover o
desenvolvimento regional e
o investimento empresarial.
© DR
Valorizar
De iniciativa governamental,
o ‘Valorizar’ contempla
a criação de um novo
sistema de incentivos a
microempresas de base
local, no âmbito do QREN
(Quadro de Referência
Estratégica Nacional), com
um fundo de 38,5 milhões
de euros. O Programa irá
ainda disponibilizar uma
linha de empréstimo de
200 milhões de euros, no
âmbito do ’Investe QREN’,
para financiar projetos
empresariais.
Hörmann
recruta
Contratos fiscais
de investimento
Laboratórios Almiro;
Borgstena Textile Portugal;
Vale de S. Martinho,
Sociedade Agrícola; Tyco
Electronics Componentes
Electromecânicos; Ferpinta,
Indústrias de Tubos de
Aço de Fernando Pinho
Teixeira; CS, Coelho da
Silva; Pentaplast; e Gypfor,
Gessos Laminados.
© DR
O Governo aprovou
contratos fiscais de
investimento, num total
de 154 milhões de euros,
contemplando os projetos
de 10 empresas que irão
manter 3 502 empregos e
criam mais 289. Os contratos
respeitam às sociedades:
Santos Barosa Vidros; Font
Salem Portugal; Labesfal,
Os chefes de Estado e
de Governo da União
Europeia chegaram a
acordo sobre o quadro
orçamental plurianual
para 2014-2020.
O primeiro-ministro, Pedro
Passos Coelho, manifestou
satisfação com o acordo
que, apesar da redução de
95 mil milhões de euros
em relação à proposta da
Comissão, aumenta em
300 milhões de euros os
fundos para Portugal.
24
© DR
Orçamento da Indústria regista taxa de
UE favorável variação homóloga negativa
a Portugal
de 2011), anunciou o
O índice do total de novas
encomendas recebidas
pela indústria portuguesa
registou uma variação
homóloga de menos 11,9%
em dezembro de 2011
(menos 5,6% em novembro
Instituto Nacional de
Estatística (INE). O índice
de novas encomendas com
destino ao mercado interno
manteve uma taxa de
variação homóloga negativa
em dezembro de 2011, que
se fixou em menos 16,7%
(diminuição de 15,2% face
ao mês anterior). Em 2012,
a variação média anual do
índice agregado situou-se
em menos 7,2%, o que
contrasta com o aumento
de 9,6% registado em 2011.
A comissão Vitivinícola
Regional do Tejo (CVR
Tejo) vai investir mais de
um milhão de euros em
2013. O objetivo é aumentar
a penetração dos Vinhos
do Tejo em Portugal e
levá-los a doze mercados
internacionais, cinco dos
quais vão ser trabalhados
pela CVR Tejo pela primeira
vez: Estónia, Noruega,
Finlândia, Alemanha
e Moçambique.
A Hörmann Portugal,
líder mundial no fabrico
e comercialização de
portas e automatismos,
vai integrar nos seus
quadros, até Junho
de 2013, 30 novos
colaboradores em
Portugal, Angola
e Moçambique.
A empresa, única
filial da multinacional
alemã a poder atuar
nos PALOP, procura
preencher vagas no
departamento de
marketing de Angola. Para
a sucursal moçambicana
está agora em processo
de seleção para contratar
um diretor-geral.
Compta
recebe
distinção
A Compta, um dos maiores
grupos nacionais do
setor das tecnologias de
informação, foi distinguida
pela Cisco pela sua
excelência na satisfação
do cliente. Trata-se do
terceiro ano consecutivo
que a empresa vê a sua
performance reconhecida,
atingindo o nível ’Cisco
Channel Customer
Satisfaction Excellence’.
economia
Seja cidadão-repórter
Feito por portugueses para toda a Lusofonia,
o Fala Portugal está onde a notícia acontece.
Os nossos repórteres cobrem os principais
acontecimentos nacionais, da Europa e do resto
do mundo. Com a sua ajuda, como telespectador,
chegamos mais longe, mais próximo de si.
A
Assembleia Municipal
de Odivelas preparava-se
para discutir a concessão
de serviços municipais a
privados, quando centenas
de pessoas tentaram
entrar no edifício e foram
impedidas pela polícia.
Um vídeo amador, enviado
ao Fala Portugal, mostrou
imagens exclusivas
dos momentos de tensão.
Estivemos, também, naquele
que é conhecido como o
‘Bairro Ferroviário’, uma
comunidade de antigos
e atuais trabalhadores da
CP-Comboios de Portugal,
que podem perder a casa a
qualquer momento, já que
a empresa se prepara para
vender o terreno. No local,
falámos com os moradores
que a CP diz não existirem.
Demos voz a quem
estava ‘esquecido’.
O jornalismo que
exercemos pauta-se pelo
profissionalismo, rigor e
verdade que a informação
dos factos requer, mas
somos mais do que isso:
estamos onde você está,
mostramos o que você
vê, denunciamos aquilo
que o inquieta.
VÂNIA PACHECO
Apresentadora
do FALA PORTUGAL
seg a sex
19:30
Veja este vídeo amador, gravado enquanto
a Assembleia Municipal de Odivelas decorria
Veja aqui a reportagem realizada
na comunidade do 'Bairro Ferroviário'
Aqui, o repórter
é você!
Faça do nosso, o seu telejornal.
Estava no sítio certo, à hora certa, e registou tudo?
Envie-nos as suas mensagens, vídeos ou fotografias para:
[email protected]
25
PÚBLICO
VIDA bem-estar
economia
LTM a todo o vapor
Empreendimento ferroviário
O TGV nunca chegou a ser futuro. A Linha de Transporte de Mercadorias
é o novo projeto e custa cerca de 700 milhões de euros, dos quais apenas
175 serão provenientes do Orçamento do Estado. Mas só avançará em 2015.
texto Carlos Caldeira
O
Governo abandonou
o projeto do TGV. Em
alternativa, aposta agora
numa ligação ferroviária
de alta velocidade para
transporte de mercadorias,
entre Sines e Madrid, a
qual só deverá arrancar
depois de 2015.
{ 700 milhoes
O secretário de Estado dos
Transportes declarou que
“o objetivo do Governo é ligar
os portos do sul - Setúbal,
Sines e Lisboa - ao resto
da Europa”, o que vai ser
feito através do projeto
Linha de Transporte
de Mercadorias (LTM).
Segundo o governante,
esta opção reduz os custos
para os exportadores
em 40% e aumenta a
capacidade de carga para
os transportadores em 80%.
O objetivo passa também
por estender a linha férrea
ao norte do País.
O novo projeto de LTM está
orçamentado em cerca
de 700 milhões, dos quais
175 serão provenientes
do Orçamento do Estado,
segundo Sérgio Monteiro.
O secretário de Estado dos
Transportes realça que
“o TGV está cancelado.
Esse cancelamento é
irreversível e o projeto
de Portugal é a linha
LTM”. Com este novo
empreendimento
ferroviário não será
construída uma nova
ponte sobre o Tejo, nem
uma linha dedicada para
orçamentados}
{Polémica instalada}
Por outro lado, o líder
parlamentar do PS acusou
em fevereiro o ministro
das Finanças de “tapar
um buraco” nas contas
da Parpública, a entidade
gestora das participações
sociais do Estado.
“O ministro das Finanças
a primeira coisa que fez
foi transferir 700 milhões
de euros que tinha num
consórcio bancário
para tapar buracos na
Parpública”, disse Carlos
Zorrinho. E João Machado,
da Confederação dos
Agricultores de Portugal
(CAP), fez mesmo uma
advertência ao Governo
sobre o projeto ferroviário:
“Espero que não haja
nenhuma negociação
nas costas dos agricultores
e nas costas deste setor
tão importante para a
economia nacional”,
acrescentou. Apesar de
tudo, vários agricultores
contactados pela
Share mostraram-se
“entusiasmados” com
a criação de uma linha
férrea de alta velocidade,
dedicada ao transporte de
mercadorias, salientando
que essa via será “a melhor
forma de ligarmos os
nossos produtos ao Porto
de Sines, à exportação”.
© DR
Relembre-se que o
anterior projeto do
TGV, na ligação até
Lisboa - delineado pelo
governo de José Sócrates
- tinha um custo de 4 276
milhões de euros.
o TGV. O ministério das
Finanças garantiu que a
reformulação do projeto
ferroviário teve parecer
favorável de Bruxelas,
que irá financiar a linha
com mais de 500 milhões
de euros. Mas Bruxelas
fez questão de dizer
que a verba para a alta
velocidade ferroviária
portuguesa não está
ainda garantida.
26
PÚBLICO
reflexos
Pressão sim, mas
inteligente e racional
Nunca a palavra pressão teve tanta predominância como nos últimos anos. Ela ouve-se nos
mercados financeiros, gravita em torno dos interesses económicos das superpotências, fervilha
à volta das grandes multinacionais, está presente na relação entre patrões e empregados e, nos
dias que correm, flutua solta dentro de cada família.
texto José Rodrigues Branco
N
os nossos dias, a
cobrança empresarial
e profissional tornou-se
violenta, impiedosa, por
vezes cruel. Os resultados
têm que forçosa e
obrigatoriamente surgir.
E muitas vezes sem
existir uma base
sustentada, um plano,
uma consciência plena
para que os tais 'upgrades',
tão avidamente ansiados,
sejam conseguidos.
Se houvesse mais atenção
e existisse um cuidado
maior na análise dos
factos, nas mutações do
mercado e da sociedade
em geral, talvez não tivesse
depois de existir tanto
'tratamento' de choque,
com consequências que
por vezes são devastadoras.
Dou-vos um exemplo:
Portugal.
Durante décadas, quem
nos governou (e continua
a governar) e quem nos
apadrinhou (as grandes
potências europeias e o
Banco Central Europeu)
foram cúmplices da
subida da nossa dívida
pública; cúmplices da
não tomada de decisões
que implementassem as
tais medidas estruturais;
cúmplices das derrapagens
orçamentais; cúmplices dos
‘lobbies’ para as nomeações
políticas; cúmplices de
28
um infindável número
de outros casos que tanto
têm prejudicado todos
os portugueses. De um
momento para o outro,
esses tais senhores (são
sempre os mesmos) vêm
com novas ideias, conceitos,
fórmulas de cálculo mágicas,
imposições que geram
uma pressão insustentável
sobre todos nós, porém,
sem qualquer aparente
resultado positivo e que
crie expetativas credíveis
para o nosso País.
Essa exacerbada
pressão imposta sobre
os portugueses tem,
na verdade, originado:
descrédito, apatia, falta de
esperança, enfim, um baixar
de braços. Ora é exatamente
aquilo que não poderia
acontecer neste momento!
Não se pode querer
resolver em dois, três anos,
aquilo que os governantes
não foram capazes de
decidir e empreender
durante décadas.
Na minha opinião, esta
gestão tem qualquer coisa
de incoerente e, por que não
dizer, de incompetência.
A realidade é dolorosa,
dúbia e nublosa. Todas
as previsões falharam.
O desemprego atinge mais
de 1 milhão de portugueses,
as falências disparam e, o
mais grave de tudo, é que
o grande investimento
realizado nas últimas três
décadas está a fugir, gradual
e continuamente, por entre
os nossos dedos. Todos os
dias, o futuro dos nossos
jovens é agravado.
É triste, angustiante e
frustrante ver um jovem
médico, arquiteto ou
engenheiro português,
tornar-se numa
mais-valia num país
estrangeiro que não
gastou um cêntimo na sua
formação. Revoltante.
A
pressão quando é
lúcida, equilibrada
e com objetivos claros,
tem efeitos de extrema
importância. Porque mexe
com as estruturas,
altera conceitos
ultrapassados,
abana o
comodismo
e faz produzir,
faz crescer, faz
ganhar.
Mas quem pressiona
tem de saber fazê-lo.
Com consciência e
responsabilidade. Por
exemplo, uma equipa
de futebol que está
sujeita a alta pressão tem
de, primeiramente, ter
consciência do objetivo
pelo qual é pressionada e
ser previamente treinada
para esta finalidade: ser
solidária com o alcance
dessas metas.
São estes princípios
bem definidos que irão
permitir a conquista dos
resultados partilhados.
Mas se a tática não for
bem executada, a equipa
pode desintegrar-se,
perder-se, desalinhar-se
e, com isso, ser fortemente
penalizada. Ficando à
mercê do adversário,
do concorrente.
Pressão, sim. Mas realizada
com inteligência e
racionalidade.
Só a pressão faz
estalar a casca
dos limites,
desvendando o
miolo de resultados
surpreendentes.
Se não for doseada,
transforma-se numa
força estéril e inútil.
PÚBLICO
VIDA bem-estar
mundo
Islândia
Economia renascida das cinzas
Quatro anos após o colapso financeiro, a economia do país deverá voltar a crescer.
Uma evolução que só foi possível porque os islandeses - para além de uma moeda
soberana, a coroa - mostraram ser senhores de uma não menos soberana vontade.
A partir daí, demitiram governantes; provocaram eleições antecipadas; referendaram
decisões sobre o pagamento da dívida; julgaram banqueiros e executivos responsáveis
pela crise; e aprovaram uma nova Constituição para que não se repitam erros do passado.
©DR
texto Carlos Caldeira
30
VIDA bem-estar
A
pós a crise financeira
mundial de 2008,
a economia da Islândia
entrou em colapso. Os três
maiores bancos islandeses,
que juntos valiam três vezes
o produto interno bruto
(PIB) do país, faliram, com
uma dívida de quatro mil
milhões de euros.
Todos estes bancos estavam
notados pelas agências de
‘rating’ como “sólidos”. Para
eliminar essa dívida, foi
perguntado aos contribuintes
se estavam dispostos a
pagar cerca de 100 euros por
mês, durante quinze anos.
A população recusou. Os
bancos foram nacionalizados
e faliram - mais tarde, seriam
os credores e acionistas
das entidades financeiras
a pagar a dívida.
Depois de nacionalizar
os três bancos falidos
- o Landbanki, o Kapthing
e o Glitnir -, o governo
da Islândia pediu 1,65
mil milhões de euros
emprestados ao Fundo
Monetário Internacional
(FMI), dos quais já pagou,
em Março do ano passado,
343 milhões de euros.
O restante será amortizado
até 2016. Passados pouco
mais de quatro anos, a
economia islandesa deverá,
segundo o FMI, crescer a
um ritmo de 2,5% ao ano, até
2015. A agência de ‘rating’
Standard & Poor’s prevê
mesmo um crescimento de
3%. E, desde o início da crise,
o défice orçamental recuou
dos 10% para os 5,4%.
{Estratégia inteligente}
Mas como conseguiu esta
comunidade insular de 320
mil pessoas, habituada a
ser a terceira mais rica do
mundo, ultrapassar a maior
crise da sua história, em
apenas quatro anos?
A resposta ao colapso
financeiro foi uma
desvalorização da moeda,
a coroa, que perdeu cerca
de 80% do seu valor face ao
euro. Os preços subiram,
os salários recuaram no
poder de compra e o valor
dos empréstimos, para
compra de habitação e
carros, atingiram máximos
históricos, chegando
mesmo a duplicar.
Em resposta
ao colapso financeiro,
o governo islandês
desvalorizou a coroa,
que perdeu cerca de 80%
do seu valor face
ao euro.
O governo foi obrigado a
pedir ajuda ao FMI e a viver
de empréstimos da China e
da Polónia. No entanto, esta
desvalorização da moeda fez
crescer as exportações do
alumínio e da pesca,
e o desemprego - que
chegou aos 12% - baixaria
para os 5%, em 2012. Por
outro lado, a proteção social
da Islândia manteve-se
quase intacta, apesar
do apertado controlo
orçamental imposto pelo
FMI. Outra vantagem da
desvalorização: os preços
ficaram mais apetecíveis
para os cidadãos da União
Europeia e o turismo
começou a crescer
exponencialmente.
{Solução racional}
O FMI aponta como
fator de sucesso desta
política a imposição das
perdas aos credores dos
bancos, que faliram em
vez de sobrecarregar os
contribuintes.
Cenário contrário
ocorreu em Portugal, com
a nacionalização do Banco
Português de Negócios
(BPN). Os contribuintes
portugueses poderão vir a
pagar até 6,5 mil milhões de
euros pelo BPN, cinco vezes
mais do que a Islândia pediu
emprestado ao FMI para
sair da crise.
O professor de economia da
universidade de Reykjavic,
Olafur Isaksson, resumiu
a situação: “As dívidas dos
bancos eram tão grandes que
estava fora de questão que
o Tesouro islandês pudesse
pagá-las. Quando as dívidas
dos bancos ultrapassam
nove a 10 vezes o PIB,
torna-se impossível cumprir
os pagamentos assumidos”.
{Possível em Portugal?}
Têm sido muitos os
membros dos partidos
da esquerda portuguesa
a reivindicar a solução
islandesa para Portugal.
Mas esta é impossível.
Portugal está na União
Europeia (UE) e faz parte
da Zona Euro, o que significa
que não tem poder soberano
sobre a moeda, não a
podendo desvalorizar.
Por outro lado, o Executivo,
Os contribuintes
portugueses poderão
vir a pagar até 6,5 mil
milhões de euros pelo BPN,
cinco vezes mais do que a
Islândia pediu ao FMI
para sair da crise.
31
PÚBLICO
VIDA bem-estar
mundo
Geir Haarde foi
acusado de seis crimes
relacionados com a gestão
da crise. Não escapou a
uma responsabilização
judicial por ter omitido
informação ao governo,
sobre o impacto real do
colapso financeiro.
A entrevista ao antigo
governante foi realizada
um ano depois de Paul
Krugman, prémio Nobel
da Economia, ter escrito
no jornal americano 'New
York Times': “Enquanto os
outros recuperaram bancos
e fizeram o povo pagar o
preço, a Islândia deixou que
as instituições bancárias
falissem e expandiu a sua
rede de proteção social.
Enquanto os outros
ficaram obcecados em
acalmar a ânsia dos
investidores internacionais,
a Islândia impôs controlos
temporários aos
movimentos de capitais
para ganhar espaço
de manobra.
©DR
Em entrevista ao canal
público português, o antigo
primeiro-ministro islandês,
Geir Haarde, quando
questionado sobre se o
caso islandês poderia ser
comparado ao português,
respondeu: “Nós não somos
membros da UE e, portanto,
também não integramos
a Zona Euro. Acho que
se fossemos membros da
Zona Euro quando tudo isto
aconteceu, há quatro anos,
teria sido muito mais difícil
para nós. Teríamos tido
muito mais desemprego.
Como tínhamos a nossa
moeda independente,
pudemos mudar o seu
valor. Essa possibidade
permitiu-nos maior
flexibilidade nas
soluções encontradas”.
{Culpa pública}
©DR
ainda durante a liderança
de José Sócrates, pediu
emprestados 78 mil milhões
de euros à ‘troika’ - FMI,
Banco Central Europeu
e União Europeia -, muito
acima dos 1,65 mil milhões
pedidos pela Islândia.
O membro do Banco Central
da Islândia, Gylfi Zoega,
considera que Portugal
deve investigar quem esteve
na origem do elevado
endividamento do Estado
e bancos. "Temos de ir aos
incentivos. Quem ganhou
com isso? No meu país eu sei
quem puxou os 'cordelinhos',
porque o fizeram e como
o fizeram. Portugal precisa
de fazer o mesmo. De
32
analisar porque tiveram
esse incentivo, no governo
e nos bancos, para pedirem
tanto dinheiro emprestado
e como se pode solucionar
esse problema no futuro",
diz o responsável. Gylfi
Zoega esteve em Portugal,
em setembro último, para
participar nas Conferências
do Estoril. O economista, que
também dá a conhecer a sua
opinião no documentário
premiado com um Óscar,
‘Inside Job - A verdade sobre
a crise’, disse, em entrevista
à agência Lusa, que Portugal
beneficiou muito por estar
no euro nesta altura. Porque
para além do apoio dos
seus parceiros da União
Monetária, terá de resolver
os seus problemas estruturais
ao invés de recorrer, como
muitas vezes no passado,
à desvalorização da moeda.
©DR
Gylfi Zoega diz que Governo
português deve ser investigado
PÚBLICO
barómetro
33
© Red Bull / Photofiles
PÚBLICO
VIDA
desporto
tecnologia
Tiago Pires
'S A C A'
“Quero vencer uma prova
do circuito mundial”
É o primeiro e único português a chegar ao topo do 'surf',
onde partilha ondas com lendas vivas do desporto como Kelly Slater,
Joel Parkinson ou Mick Fanning. Este ano completa 33 anos e não
pensa retirar-se antes de ganhar uma prova do circuito mundial.
texto Sérgio Filipe Oliveira
Veja o vídeo
da reportagem
“E
star na elite do 'surf'
mundial é um feito que
não se pode ignorar. Tenho
a ganhar muito com isso e
Portugal também, porque
é uma representação do
desporto ao mais alto nível."
As palavras são de Tiago
Pires, que vai para a sua sexta
temporada consecutiva a
competir com os melhores
do mundo. Fazendo uma
retrospetiva, 2012 “podia ter
sido melhor, mas também
podia ter saído” do circuito.
Para 2013 quer sobretudo
"não passar pelo mesmo
sufoco do ano passado”,
contudo não esconde que
ambiciona vencer uma
prova do circuito mundial,
do World Championship
Tour (WCT). Em 2012 ganhou
uma prova, mas foi do World
Qualifying Series (WQS).
O surfista da Ericeira terá 33
anos quando terminar esta
temporada - um novato,
em comparação ao onze
vezes campeão Kelly Slater,
de 41 anos.
Quando em 2008 participou
pela primeira vez no WCT,
Tiago Pires tornou-se
no primeiro português a
consegui-lo. Seis temporadas
depois, nenhum surfista
luso conseguiu alcançar
o mesmo feito, apesar de
o país ter boas promessas.
“Temos alguns bons surfistas
novos. O Vasco Ribeiro (19
anos), o Frederico Morais
(21 anos)... São surfistas de
muito bom nível, com uma
qualidade técnica muito
alta”, afirma Tiago Pires,
que no entanto considera
que “ainda lhes falta um
pouco de maturidade a nível
psicológico e competitivo
para conseguirem lidar
com as desfeitas do
‘tour’ mundial”.
ed B
©R
P
ull /
34
Alcançou o WCT
em 2008 e em 2010
conseguiu o seu melhor
registo - o 21º lugar
Já venceu 6 provas
da ASP (Association of
Surfing Professionals),
três delas em Portugal.
A última foi nas Ilhas
Canárias, em 2012
files
hoto
Nasceu a 13 de
março de 1980, em
Lisboa. É na Ericeira
que passa a maior parte
do tempo quando está
em Portugal
VIDA
VIDA
36
VIDA
MIL SONHOS
A FLORESCER
Não é só na primavera da vida que florescem os sonhos. O desafio é maior e
as aspirações tornam-se mais plenas quando depois de vivências conturbadas,
a sabedoria dos dias acompanha a força de continuar a sonhar, lutar e vencer.
37
VIDA
VIDA
bem-estar
bem-estar
De volta ao simples
LIVRE-SE DO STRESSE
Crise, desemprego, instabilidade. O momento
é crítico, mas também pode ser o cenário para
o nascimento de um novo modelo que nos
proporcione um melhor modo de vida.
Vamos, então, procurar uma nova atitude.
texto Vasco Catarino Soares
© DR
Diretor INSIGHT | Psicologia e R.H.
Psicólogo Clínico e Psicoterapeuta
5 dicas úteis para
uma vida em equilíbrio
{1} Fazer das derrotas e contratempos oportunidades para
melhorar e até mudar de rumo. As derrotas podem significar
que não estava a tomar as ações certas ou que não canalizou as
suas energias nos projetos mais indicados.
{2} Faça um balanço íntimo. Reveja os momentos em
que sentiu felicidade e tranquilidade. Que coisas gostava
de fazer nessas alturas? Dê continuidade a essas ideias ou às
suas consequências. Por vezes, somos levados a abandonar
os nossos ideais por força das ‘obrigações’ e depois ficam
esquecidos. A ideia, agora, é recuperar a sua ‘essência’
(quem é como pessoa) e dedicar-se a ela.
{3} Deverá procurar a sua realização pessoal sem depender
(tanto quanto puder) de fatores externos ou bens materiais.
A sua realização deve advir do exercício das suas competências,
das coisas que consegue realizar, e não tanto do que obtém
pelos favores dos outros - os favores poderão até ser bem-vindos, mas a sua realização virá do reconhecimento da
capacidade que obtém quando conclui ações que iniciou.
38
Invista no convívio e nas atividades de lazer.
Visite locais de interesse natural, cultural, turístico
ou desportivo. Esqueça o trabalho nesse momento.
Dê uma oportunidade ao seu cérebro de viver
outras realidades. Lembre-se que não é só no
trabalho que a pessoa se realiza. Essa ordem de ideias
leva ao esgotamento e ao stresse. A pessoa realiza-se na medida em que é importante para os outros.
E isso consegue-se tanto no trabalho, como na esfera
social (ajudando os outros).
{4} Procure frequentar meios que sejam mais conformes
aos seus interesses e competências, pois desse modo será
melhor compreendido e sentirá o apreço dos outros, e isso
irá refletir-se na sua autoestima. Não se exponha também em
demasia a ambientes adversos, evitando sentir-se rejeitado.
{5} Dedique-se à família e amigos e terá certamente uma
resposta positiva. Esta atitude vai devolver-lhe o sentimento
de ser importante para alguém (o mesmo sentimento que
erradamente poderá ser procurado na atividade excessiva
de trabalho fora de horas e no fim de semana).
enologia
VINHO
Para beber sem preconceitos
Para se tirar o melhor partido desta bebida
ancestral, ter o paladar apurado é importante,
mas um espírito aberto à mudança poderá
fazer toda a diferença.
V
ertidos em copos, servimos nesta página alguns
dos conselhos de Bruno Antunes - o português que
conquistou o direito de representar o país no concurso
mundial de escanções, em Tóquio, no Japão.
Para ser escanção, este profissional teve de efetuar testes
escritos, identificar vinhos e seus constituintes em ‘provas
cegas’, e precisou, ainda, de demonstrar competências
a servir o vinho (a função primordial dos escanções
na Antiguidade).
O especialista começa logo de manhã a provar vinhos
nacionais e internacionais, a uma média de vinte até à hora
do almoço. Entre os seus preferidos estão os ‘alentejanos’,
que considera “sérios, com personalidade, para todas as
bolsas e para todos os gostos”.
© Fotolia
Pela segunda vez consecutiva vencedor do concurso
nacional da especialidade, este premiado escanção é um
profundo conhecedor de vinhos, o que o habilita a sugerir
o melhor para acompanhar determinado prato. Aliás, o
escanção é um elemento fundamental na equipa de um
bom restaurante. E é, também, o profissional mais indicado
para formar paladares e acabar com ideias preconcebidas
- Bruno Antunes chama-lhe “mitos falsos” - sobre qual
o vinho certo para determinada refeição.
As temperaturas
são o ponto mais
decisivo. Aquela
ideia de agarrarmos
na garrafa de vinho
tinto para a pôr
junto à lareira...
Não façam
isso.
É mentira que
o vinho tinto seja
o melhor para
[acompanhar]
queijo.
Vinhos brancos mais
ácidos, e até vinho do
Porto, são excelentes
combinações para
certos queijos.
Assumir que o bacalhau
só se bebe com vinho
tinto é incorreto.
Os brancos mais leves
tendem a ser dominados
pela intensidade deste peixe,
ao contrário do que acontece
com os brancos
mais encorpados.
Dizer que existe
vinho branco
para peixe e
vinho tinto para
carne é errado
e está fora de
moda.
39
© DR
VIDA
sabores
LEITÃO
Dourado e estaladiço
F
oi recentemente nomeado para uma das
‘Sete Maravilhas’ da gastronomia nacional.
Referimo-nos ao leitão, iguaria muito apreciada
em Portugal. ‘Leitão à Bairrada’ e ‘Leitão de Negrais’
são as especialidades mais conhecidas.
Quando enfiado no espeto, no qual a carne ficará
a assar durante cerca de duas horas, o interior do leitão,
previamente limpo, deve ser barrado com o molho
composto pelos condimentos do tempero.
Por fim, o ideal é que a carne chegue ao prato mal
tenha acabado de sair do forno, uma vez que, embora
haja quem o prefira frio, o leitão normalmente
serve-se quente ou morno, acompanhado de
batatas fritas, laranja e salada.
Negrais e Bairrada
A zona de Negrais, em Sintra, é famosa pela confeção
do leitão. Porém, a região da Bairrada, na Beira Litoral,
reivindica a origem deste apreciado prato, que representa
uma importante atividade económica para aquela região.
Ao longo de vários quilómetros, junto à Estrada
Nacional nº1, são dezenas os restaurante que,
variando entre o típico e o sofisticado, têm
o leitão como especialidade.
40
receita
Leitão à Bairrada
{Ingredientes}
{Confeção}
2 cabeças de alho
Preparação do tempero
Num almofariz, amasse sal, alho,
pimenta branca, toucinho, banha
e salsa, até ficarem desfeitos.
Acrescente azeite até obter
uma papa não muito espessa.
3 colheres de sopa
de sal grosso
1 colher de sopa
de pimenta branca
1 colher de sopa
de azeite
1 ramo de salsa
3 folhas de louro
50 gramas de toucinho
50 a 100 gramas de
banha de porco
2 horas
300o C
Média
Forno
Enfie o leitão, previamente limpo
e preparado, no espeto. Unte-o
por dentro e por fora e coloque-o
a assar. De meia em meia hora,
retire-o do forno e passe um pano
na pele, para retirar o excesso de
gordura. Desta forma, o assado
sofrerá um choque térmico (frio),
o que permitirá que a pele do
leitão fique dura e estaladiça.
Acompanhamento
Sirva o leitão quente, com
batatas fritas (cortadas às
rodelas finas), laranja e alface.
VIDA
destinos
Dubai
cidade de sonho
Em pleno Golfo Pérsico, o Dubai é a segunda maior cidade dos
Emirados Árabes Unidos. Conhecida mundialmente pela sua
modernidade, com enormes arranha-céus e largas avenidas,
a cosmopolita metrópole resulta do cruzamento entre os
costumes muçulmanos e a cultura ocidental.
texto Antónia Palmeirim
L
uxuosa, excêntrica ou futurista.
Estes são adjetivos que ajudam
a qualificar esta cidade de sonho,
que atrai turistas de todas as
partes do planeta.
Uns chegam curiosos de conhecer
aquele que se diz ser o único hotel
de sete estrelas do mundo (na
realidade, é um 5 estrelas, mas
utiliza a designação, não oficial,
de ‘sete’ estrelas). Outros anseiam
por ‘descobrir’ algumas das 200
ilhas artificiais, e há também os
que rumam ao Dubai com o desejo
de subir ao edifício mais alto que
existe no planeta - o Burj Khalifa,
com 828 metros.
A ribeira Al-Khor Dubai divide a cidade
em duas áreas: Deira e Bur Dubai.
O centro mais antigo está no lado de
Deira, concentrando-se em Bur Dubai
os novos e luxuosos equipamentos
urbanos, como sejam ‘resorts’, centros
comerciais internacionais ou parques
temáticos. Nos últimos anos, estas
atrações turísticas têm concentrado
a atenção dos visitantes, roubando
protagonismo ao centro histórico,
religioso e cultural.
42
{Beleza e crescimento}
O enclave montanhoso de Hatta,
sem esquecer a vila fortificada
que tem o mesmo nome, é um
destino a não perder. Aí é possível
mergulhar em piscinas naturais,
cujo nível da água varia consoante
a época do ano. A melhor forma
de deslocação pela cidade é o
táxi, uma vez que as tarifas
são acessíveis.
O deleite dos visitantes
contrasta, porém, com as difíceis
condições em que, na sombra,
trabalham milhares de pessoas.
Ao mesmo tempo que atrai
turistas de todo o mundo, o Dubai
acolhe numerosos emigrantes em
condições precárias. Graças ao
trabalho destes ‘anónimos’,
a cidade nunca parou de crescer
desde que, em 1966, foi descoberto
petróleo no campo de Fateh. A
mão de obra não qualificada que
construiu os famosos arranha-céus, os gigantescos centros
comerciais e os luxuosos hotéis,
provém de diversos países,
com destaque para Filipinas,
Índia e Paquistão.
© Gettyimages
{Quando ir}
Os meses de
outubro a abril são
ideais para passear e fazer
atividades ao ar livre. Em
janeiro, a temperatura da
água do mar chega a uns
agradáveis 25 graus. De
resto, os termómetros
podem atingir os
50 graus.
{Onde ficar}
Por norma,
quem vai de férias
ao Dubai fica instalado
perto das praias da zona
de Jumeirah. Os preços das
dormidas em quarto duplo
começam nos €40
e podem ir até
aos €1 000
por dia.
{O que comer}
Destacam-se as
'mezzah' (entradas
acompanhadas por pão
libanês). As espetadas,
o cordeiro assado e as
sobremesas - entre as quais a
'baklava' (folhado recheado
de mel e pistácios) - são
iguarias típicas da
região.
43
VIDA
Trança
fishtail
tendências
Na moda
mesmo em tempo de crise
Muitas celebridades
têm exibido esta trança.
Com aspeto certinho
ou despenteado está
a fazer muito sucesso.
O preto e o branco nunca saem de moda. Aposte em peças
intemporais. Este ano o 'must have' são os 'neons'. Brinque
com os acessórios ou com uma peça de roupa. Esta é uma
forma económica de seguir a moda sem arruinar a carteira.
{1}
Bloco
Archie Grand
Blake Lively
{2}
{3}
Relógio
Swatch
{4}
Relógio
Nixon
Anel
Swatch
{5}
Capa de Ipad
Zara
Fergie
{Aprenda já e seja
também uma vedeta}
{6}
Verniz
Kiko
{7}
Carteira
Zara
{8}
Cinto
H&M
{9}
Pulseira
Portico
{10}
Mala
H&M
{12}
© DR
Sandálias
Pierre Hardy
44
{11}
Mala
Asos
{13}
Ténis
H&M
{Repita o mesmo passo
até ter o comprimento
desejado}
VIDAVIDA
É um carro?
Não, é um supercarro!
motores
tecnologia
O libanês Lykan Hypercar é o automóvel de produção em série mais caro do mundo.
Este ano só serão fabricados sete exemplares. Muito menos do que os interessados,
provenientes sobretudo do Golfo Pérsico, Rússia, China e Estados Unidos da América.
© DR
texto Pedro Castro
Lykan Hypercar
€2.5 M
O
salão Motor do Qatar foi
o palco escolhido para
apresentar publicamente
aquele que é o automóvel
de produção em série mais
caro a nível global: o Lykan
Hypercar, cognominado
‘ferrari do deserto’, com
um preço fixado em 2,5
milhões de euros.
milhões de euros. Na
apresentação à imprensa,
o fundador e presidente da
W Motors anunciou que
este ano serão fabricados
apenas sete exemplares do
Lykan Hypercar, apesar do
interesse manifestado por
compradores provenientes
dos quatro cantos do mundo.
O anterior recorde pertencia
ao Bugatti Veyron Grand Sport
- um outro superdesportivo,
cujo valor ascende a 1,8
{Uma supermáquina}
São várias as características
que tornam esta máquina
'especial de corrida'. Desde
750CV
logo, o motor a gasolina
com 750 cavalos, que faz
com que o Lykan atinja os
100 km/h em 2,8 segundos!
A velocidade máxima é
impressionante, se não
mesmo estonteante:
395 km/h. E depois há
os pequenos grandes
pormenores, como sejam
faróis com diamantes
incrustados; assentos em
couro cosidos com fio de
ouro; um sistema de abertura
de portas em sentido inverso;
3 746cc
2,8 seg
e, finalmente (fora detalhes
que fariam os apaixonados do
mundo automóvel babarem-se),
um ecrã virtual em 3D,
com interação táctil
de última geração. No vídeo
de apresentação do carro,
um dos colaboradores resume
bem a ideia por detrás do Lykan
Hypercar: "Se não fores louco,
não vais comprar este carro".
Sendo certo que muitos loucos
- mesmo com 2,5 milhões de
euros no bolso - terão ainda
de esperar.
Os automóveis mais baratos do mundo
Na Europa não há carros comercializados abaixo dos cinco mil euros, pois dificilmente
conseguiriam cumprir as regras de segurança exigidas pelo mercado. Porém, estes
dois exemplos são sucessos de vendas a nível mundial.
{1} Tata Nano Lançado em 2008, a possível comercialização na Europa abalou
o mercado automóvel, quando foi anunciada a possibilidade de custar cerca de €1 900.
624cc
30 seg
{2} Suzuki Maruti É o ligeiro mais vendido na Índia: dois milhões e meio de unidades
desde 1983, o ano do seu lançamento. É também comercializado noutros países como
é o caso do Paquistão. No Brasil, está disponível uma versão mais recente deste modelo.
37CV
46
796cc
21 seg
© DR
33CV
{1}
{2}
VIDA
tecnologia
47
VIDAVIDA
agenda
&
culturacultura
Espetáculos
BRUNO
MARRONE
■ LUÍS DE MATOS CHAOS
Um ‘show’ de magia, no
Teatro Sá da Bandeira, no Porto.
20 de abril
■ DANCE, BAILARINA
São uma das duplas
sertanejas mais populares.
‘Dormi na praça’ é um
dos maiores sucessos
deste grupo brasileiro,
que conta com mais de 20
anos de carreira. Conheça
melhor os cantores nesta
entrevista exclusiva à Share.
DANCE
Para assistir no Teatro
Camões, em Lisboa.
De 26 de abril a 5 de maio
Exposições
■ 100 ANOS DE
ARQUITETURA DE
INTERIORES EM PORTUGAL
No MUDE - Museu
do Design e da Moda,
em Lisboa.
Até ao dia 28 de abril
texto Tomás Durão
fotografia Daniel Cavalari
Na realidade, vocês
chamam-se ‘Vinicius’
e ‘José Roberto’. Qual
a história por detrás dos
vossos nomes artísticos?
Quando formámos a dupla
não era muito comum usar
os nomes próprios. Então,
começámos à procura em
vários lugares: ‘Marrone’
veio do seriado ‘A dama de
vermelho’ e ‘Bruno’ de um
livro de nomes para bebés. Leonardo, outro famoso
cantor sertanejo, foi quem
vos apresentou. Como foi
esse primeiro encontro?
Foi na casa dos nossos
empresários Rubens Jr. e
Rodrigo Martino Barbosa,
em Goiânia. Cantámos
‘Moreninha linda’, e pronto!
Não tivemos mais dúvidas! Lançaram o primeiro disco
em 1994, mas começaram a
tocar juntos 10 anos antes.
Como foi esse percurso?
Bem difícil, mas foi uma
aprendizagem incrível!
Aprendemos a conhecer
o que o público gosta de
ouvir e a valorizar cada
conquista. Tocámos em
bares, ficávamos junto
ao público... Ainda hoje
sentimos saudades.
48
Um dos vossos maiores
sucessos é o tema ‘Dormi
na Praça’. Qual foi a vossa
inspiração?
Gravámos esta música no
primeiro CD, mas só se
tornou num sucesso em
2001. Recebemos o tema da
compositora Fátima Leão
e logo soubemos que, por
ser bem popular, seria um
grande sucesso.
Muitas duplas não resistem
ao passar dos anos. Qual
o segredo para a vossa
longevidade e sucesso?
Trabalhar sempre muito
e respeitar o público. Não
temos medo de modernizar...
Hoje, sabemos fazer isso sem
perder nossas características.
Hoje o ‘sertanejo’ está na
moda e é um estilo muito
ouvido nas grandes cidades.
Passados quase 20 anos
desde o vosso primeiro
disco, há diferenças entre
o ‘sertanejo’ dessa época
e o atual?
Muitas! Hoje o ‘sertanejo’ não
fala só de amor, mas também
da atitude dos jovens...
Talvez seja por isso que
este público consome tanta
música sertaneja [sertanejo
universitário].
Como perspetivam os
próximos anos da dupla
‘Bruno & Marrone’?
Sempre pensamos positivo,
queremos estar sempre em
sintonia com a música e com
o público, como temos feito
nos últimos anos.
Têm uma larga experiência
em atuar no estrangeiro.
Tocar na Europa é
diferente de fazer um
‘show’ no Brasil? Porquê?
É diferente porque
encontramos muitas
pessoas com saudades
do Brasil, e nós quando
chegamos aí [à Europa]
representamos um pouco
o país. Já tocámos várias
vezes e apercebemo-nos
de pessoas chorando na
plateia. É muito difícil ficar
longe de casa e daqueles que
que amamos. Estas pessoas
são heroínas e merecem
todo o nosso respeito.
Que mensagem gostariam
de deixar aos leitores
da revista Share?
Em primeiro lugar,
queremos agradecer-lhes
todo o carinho. Vê-los
no nosso 'show' de 28 de
março, em Lisboa, é muito
importante para nós.
■ A ASA DE GUSTAV
Do artista vietnamita Danh
Võ, uma exposição a não
perder na Culturgest,
no Porto.
Até ao dia 19 de maio
Concertos
■ ADRIANA CALCANHOTO
Na Culturgest, Lisboa.
12 e 14 de abril
Na Casa da Música, Porto. 16 de abril.
■ MARISA MONTE
A cantora regressa a
Portugal para um concerto
no Coliseu do Porto.
14 de abril
■ RAMMSTEIN
A banda alemã atua
no Pavilhão Atlântico,
em Lisboa.
16 de abril
■ CAMANÉ
Uma das grandes vozes
do fado no CCB,
em Lisboa.
30 de abril
JOANA VASCONCELOS
© Lusa
De Cacilhas a Veneza
A
partir de 31 de
maio, quem quiser
visitar o pavilhão de
Portugal na 55ª bienal
de artes plásticas de
Veneza deverá procurar
por um cacilheiro.
será possível com o
apoio de parceiros,
já que o seu custo
total ultrapassa os
300 mil euros.
Trafaria Praia - o navio
desativado que durante
décadas transportou
passageiros entre
Almada (Cacilhas) e
Lisboa - aparecerá
forrado a azulejos, que
mostram Lisboa vista
a partir do rio.
Terá no interior uma
instalação têxtil que
sugere “um ambiente
uterino”. Albergará,
também, um palco que
apresentará música,
debates e conferências
com artistas convidados.
Antes da criação deste
‘pavilhão flutuante’, a
última exposição da
artista, no palácio de
Versalhes, em Paris,
recebeu 1,6 milhões de
visitantes, tornando-se
na mais concorrida
desde 1960.
© Mario Galiano
© DR
© DR
© DR
A ideia é da artista
plástica portuguesa
Joana Vasconcelos, 41
anos, conhecida pelas
suas ‘visões artísticas’
que se apropriam de
objetos existentes
no quotidiano,
transformando-os em
surpreendentes obras
de arte. O projeto,
comparticipado pelo
Governo português
(175 mil euros), só
O REGRESSO DO SOUL
Aurea regressa ao Centro de Espetáculos do Casino de
Tróia para apresentar o seu último trabalho 'Soul Notes'.
Dois anos depois do álbum de estreia, que lhe rendeu
dupla platina, inúmeros prémios e vários espetáculos
esgotados, Aurea apresenta ao vivo as músicas do
último disco. Será no dia 27 de abril.
A ARTE DA
PROPAGANDA
Homem
de Ferro 3
O Museu do Oriente, em Lisboa,
apresenta uma mostra com cerca
de 100 cartazes propagandísticos
chineses, produzidos entre 1959
e 1981. A exposição ‘Cartazes de
Propaganda Chinesa - A
Arte ao Serviço da Política’
pode ser visitada até ao
dia 27 de outubro.
A saga inspirada no herói da
Marvel Comics continua. Desta
vez, Tony Stark (Robert Downey
Jr.) enfrenta um dos seus
maiores inimigos, o Mandarim
(Ben Kingsley), que destrói a
mansão do industrial e rapta a
sua namorada Pepper (Gwyneth
Paltrow). Estreia a 25 de abril.
49
VIDA
tecnologia
Gadgets
para todos os gostos
TELEVISORES ULTRA HD
© DR
O mundo tecnológico evolui à velocidade
da luz. Prova disso são os novos televisores
Ultra HD, com uma resolução quatro vezes
superior ao HD comum! A coreana LG lidera a
comercialização destes modelos, que contam
com um ecrã de 84 polegadas, uma resolução
de 3 840 por 2 160 pixéis e tecnologia 3D.
Estão disponíveis por cerca de... €16 000!
HUAWEI
MEDIAPAD 7
SAMSUNG
XCOVER 2
PEBBLE
SMARTWATCH
BLACKBERRY
Z10
A marca chinesa Huawei deu
a conhecer o seu mais recente
‘tablet’: o MediaPad 7 Lite.
A portabilidade deste aparelho
é conjugada com o sistema
operativo Google Android 4.0, um
processador 1.2 GHz, juntamente
com o seu ecrã HD de 7 polegadas
e função 3G. Com 11 milímetros
de espessura, 12 centímetros de
largura e pesando 370 gramas,
este ‘tablet’ tem uma memória
interna de 8GB e estará
disponível no mercado
por (aprox.) €199,90.
A Samsung revelou o seu
novo equipamento móvel.
O Galaxy Xcover 2 tem um
'dual core' de 1GHz e Android
4.1. Otimizado para enfrentar
condições extremas (resistente
à água e à prova de areia), este
‘smartphone’ conta com dados
pré-instalados do Google Maps
e 570 horas de autonomia.
O ecrã de 4 polegadas garante
uma visualização abrangente e
a máquina fotográfica de 5 MP
permite gravar vídeo em alta
resolução. (Preço não disponível)
O Pebble Smartwatch é um
relógio de pulso que se conecta a
‘smartphones’, exibindo conteúdos,
mensagens e notificações. Pode ser
utilizado para medir quilómetros
durante um passeio de bicicleta
ou numa corrida matinal.
O multifacetado dispositivo conta,
ainda, com um rádio 'Bluetooth',
bússola e sensor de luz ambiente.
O projeto foi financiado através
da plataforma Kickstarter, um site
que tem como objetivo apoiar
iniciativas inovadoras. O valor
é de (aprox.) €112.
O BlackBerry Z10 é a grande
aposta da marca para abordar
o mercado dos ‘smartphones’ em
2013. Apresentado a 30 de Janeiro,
este aparelho ‘touch screen’ está
equipado com um ecrã HD de 4,2
polegadas, câmara de 8 MP, um
processador Dual-Core de 1.5 GHz
e suporte 4G LTE e NFXC, que
permite a transferência de dados e
uma rápida navegação na internet.
O modelo Z10 da BlackBerry
contará, ainda, com um espaço de
armazenamento de 16 GB e 2 GB
de RAM. Custa (aprox.) €150.
50