volUNtARiADo

Сomentários

Transcrição

volUNtARiADo
istockphoto
vidaSAÚDE
FUNDAFFEMG
Revista da FUNDAFFEMG - Fundação Affemg de Assistência e Saúde
nº 4 - o ut ubro/novembro/dez embro 2011
Voluntariado:
a terapia da ajuda
preparando o corpo para o bebê
climatério: e agora?
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
1
carta ao leitor
Atenta às demandas do mercado de saúde e na constante busca pela qualidade e comodidade dos serviços prestados aos usuários, a FUNDAFFEMG ampliou o atendimento próprio.
A partir de agora, estão à disposição profissionais das áreas de Cardiologia, Clínica Geral,
Geriatria, Ginecologia e mais uma pediatra. Esses profissionais se somaram aos demais atendimentos já prestados na sede, como os de Nutrição, Geriatria e Pediatria. Com isso, os usuários sempre terão um médico de referência para atendê-los na FUNDAFFEMG.
Conheçam nossos médicos: na Geriatria, Dra. Dóris Diniz do Nascimento; na Clínica Geral
e na Cardiologia, Dra. Marilyn Alvarez Falcon; na Ginecologia, Dra. Zilda Lopes Frazão; na Pediatria, as médicas Giane Marques e Débora Costa da Silveira e na Nutrição, Isabella Mancini.
Aproveite as vantagens e o conforto de realizar sua consulta na sede da FUNDAFFEMG.
Além de ficar isento do pagamento de coparticipação para consultas médicas, o usuário será
atendido por profissionais que trabalham em equipe, terá facilidade na marcação de horários
e ainda ficará mais próximo de quem mais se preocupa com você: a FUNDAFFEMG.
Agende sua consulta pelo (31) 2103-5815. Esse número é exclusivo para o atendimento
nos consultórios.
Junto com essa 4ª edição da Revista, você está recebendo uma pesquisa de opinião.
Não deixe de responder. Participe da Revista Vida Saúde para que ela fique ainda melhor.
expediente
Diretor Presidente: José Gomes Soares
Diretor Administrativo e Financeiro:
José Edson Martins da Costa
Diretor de Seguridade: Munir Nacif Mitre
Conselho Curador
Efetivos: Antônio Caetano Jacinto Lemos
(presidente); Edir da Silva Martins; Flávio
Lima de Oliveira; Hercília Maria de Almeida
José e Azevedo; José Eduardo Stelman Massi;
Laura Maria Reiff Miranda; Luiz Antônio
Ribeiro; Ronan Andrade de Oliveira;
Sara Costa Felix Teixeira
Suplentes: Fernando Luiz Saldanha; Iracema
Ceci Amaral Renan; Jefferson Nery Chaves; José
Agnaldo Viegas Barbosa; José Aparecido de Pádua;
Maria Teresa de Carvalho Soares; Najla de Paula
Cruz; Nilson José Cabral Guerra; Octávio Strini
2
Conselho Fiscal
Efetivos: Airton Delcio Eler; Alencar de Castro
Freire; Maria José Rocha Couto (presidente)
Suplentes: Edvaldo Ferreira; Eweraldo
Coutinho; José Luiz da Cruz
Setor de Comunicação:
Elisângela Pereira – analista de Comunicação
• Impressão: Gráfica Cedáblio
• As opiniões dos artigos assinados
e informações dos anúncios não são
responsabilidade da Revista Vida Saúde.
• Conteúdo aprovado pela médica e
coordenadora técnica da FUNDAFFEMG
– Dra. Regina Celi Costa
• Produção: Prefácio Comunicação
• Jornalista responsável:
Lígia Chagas (MG 09247 JP)
• Redação: Raquel Dornelas
• Rua Dr. Sette Câmara, 75
Cep: 30380-360
Tel.: (31) 3292 8660 – www.prefacio.com.br
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
FUNDAFFEMG
Rua Sergipe, 893, Funcionários,
Belo Horizonte-MG, CEP: 30130-171
Telefone: (31) 2103-5858
Fax: (31) 2103-5890
www.fundaffemg.com.br
[email protected]
Índice
07
10
bom senso na hora de desmarcar
um compromisso
página 05
em destaque
página 06
gravidez e os limites do corpo
página 07
14
pelo próximo e por si mesmo
página 10
a vitamina que adora um sol
página 14
queimadura! e agora?
página 17
18
disfunção erétil: quebrando tabus
página 18
até que a menopausa não os separe
página 20
galeria
página 22
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
3
conecte-se
www.fundaffemg.com.br
Fique por dentro
FUNDAFFEMG se classifica na melhor faixa
de avaliação no Índice de Qualificação da
Saúde Suplementar da ANS.
Sua Saúde
Hipertensão arterial – dúvidas frequentes
Acontece
Despertar para a Saúde
Grupo de Orientação aos Cuidadores
FUNDAFFEMG realiza campanha de vacinação
contra HPV para homens e mulheres
Você pode participar!
Envie sugestões de temas que gostaria
de ler na revista, comentários e críticas.
Assim, faremos da Revista Vida Saúde
uma publicação cada vez melhor!
Envie mensagem para
[email protected]
4
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
use bem
P
Bom senso na hora de desmarcar
um compromisso
are e pense: tem coisa mais desagradável do
permite ao médico agendar outra pessoa. Será um be-
que aguardar alguém que não apareceu ou
nefício não só para o profissional como para os outros
desmarcou um encontro em cima da hora? É
pacientes. Se um dia você precisar de uma emergên-
por isso que quando você não puder compa-
cia, poderá ocupar a vaga de outra pessoa que tam-
recer a uma consulta, deve desmarcar com antecedên-
bém desmarcou”, completa Dra. Regina.
cia mínima de 24 horas. “O profissional tem uma rotina
e uma agenda a cumprir, por isso o não comparecimento ou atraso compromete a qualidade do atendimento
a outros pacientes”, orienta a médica e coordenadora
técnica da FUNDAFFEMG, Dra. Regina Celi Costa.
Se todos agirem com bom senso, mesmo em meio
a imprevistos, a coletividade só tem a ganhar. “Se
for necessário desmarcar, o aviso com antecedência
Para quem faz controle com especialistas e necessita de retornos periódicos, deve
se planejar de forma a agendar a sua próxima consulta com antecedência, evitando assim
a descontinuidade, no prazo determinado, do
acompanhamento com o profissional.
Isenção de imposto de renda aos
portadores de doenças incapacitantes
A Lei Federal nº 7.713/1988, alterada pela Lei
• Doença de Parkinson.
nº 11.051/2004, estabelece isenção do Imposto de
• Nefropatia Grave (Rins).
Renda aos rendimentos percebidos por pessoas físi-
• Hepatopatia Grave (Fígado).
cas, aposentados em razão de acidente em serviço
• Doença de Paget.
e pelos portadores das seguintes moléstias, mesmo
• AIDS/HIV.
que tenha sido contraída depois da aposentadoria:
• Paralisia Irreversível e Incapacitante.
• Cardiopatia Grave.
• Espondiloartrose Anquilosante.
• Tuberculose Ativa.
• Moléstia Profissional.
• Alienação Mental (Alzheimer, doenças mentais).
O Serviço Social da AFFEMG orienta e garante a
• Esclerose Múltipla.
efetivação desse direito. A isenção do Imposto de
• Neoplasia Maligna (todos os tipos de carcinoma).
Renda é um direito que deve ser cumprido adminis-
• Cegueira (perda de 70% da visão).
trativamente, sendo dispensada a contratação de
• Hanseníase.
advogado ou a efetivação de qualquer pagamento.
• Fibrose Cística (pulmão/intestino).
Outras informações (31) 3289-5675 ou (31) 3289-5626.
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
5
em destaque
Nova turma do Grupo de Orientação aos Cuidadores
Arquivo fundaffemg
A próxima edição do
Grupo de Orientação aos
Cuidadores será realizado
no dia 24 de novembro,
quinta-feira, de 8h às 17h,
na Sede da FUNDAFFEMG.
O evento é destinado aos
familiares e cuidadores,
tanto de idosos quanto de outros filiados que
necessitem de cuidados
especiais, integrantes do
Programa de Atendimento
Domiciliário.
De maneira teórica e
prática, os participantes serão orientados por
*Na última edição da Revista Vida Saúde o
uma equipe multidisciplinar, formada por fisio-
Grupo de Orientação aos Cuidadores havia sido
terapeuta, enfermeira, fonoaudióloga, nutricio-
anunciado para setembro, porém, por incompa-
nista, dentista e médico.
tibilidade de agenda, a data foi alterada.
Quem se informa é mais saudável
Em nove edições, o Despertar para a Saúde
traz um profissional renomado para uma palestra.
levou informações sobre saúde e bem-estar para
Terapeutas, nutricionistas, psiquiatras, endocrino-
mais de mil usuários. Se você ainda não faz par-
logistas e até um filósofo já passaram pelo pro-
te dessa estatística, fique ligado nesse projeto da
jeto, fornecendo dicas valiosas de como ter uma
FUNDAFFEMG que, desde 2007, aborda temas que
vida melhor, dentro de cada tema e especialidade
contribuem para melhorar sua vida física, emocio-
abordados.
nal, social e familiar.
Para auxiliar o usuário na promoção de sua qualidade de vida, o Despertar para a Saúde sempre
6
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
As palestras ocorrem sempre na parte da tarde.
A próxima edição será na última semana de novembro. Fique atento!
istockphoto
MOVIMENTE-SE
Gravidez e os
limites do corpo
A
gravidez é um momento mágico na vida
tenderam que, nesse período, é preciso abraçar
de toda mulher e já se foi o tempo em
tudo o que venha gerar conforto e bem-estar tanto
que esse período era tratado como do-
para elas quanto para o bebê. Isso inclui os exer-
ença. As mamães geração saúde já en-
cícios físicos.
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
7
movimente-se
Pilates, hidroginástica, caminhada, fisioterapia
esta é uma excelente modalidade para gestantes.
e até musculação. São várias as modalidades que
“O Pilates trabalha muito bem a musculatura, a
a futura mamãe pode praticar e que trarão benefí-
respiração e traz um excelente preparo para o
cios para a saúde dela e do bebê, se forem toma-
parto”, explica.
dos os devidos cuidados. Os benefícios são vários.
A fisioterapeuta Adriana Cenízio é especialista
“A prática de exercícios físicos facilita a realização
em Uroginecologia e Obstetrícia. Ela explica que
do parto normal. A paciente também ganhará me-
esse exercício também ajuda no equilíbrio, alonga-
nos peso e, com isso, evitará complicações, como
mento e fortalecimento da grávida. “Na gestação,
Diabetes Gestacional, Hipertensão na gravidez e,
normalmente, ocorre uma alteração no centro de
consequentemente, repercussões negativas para
gravidade da mulher. O Pilates trabalha a consciên-
ela e para o bebê”, explica a ginecologista-obs-
cia corporal evitando quedas, fortalecendo os mem-
tetra, que atende na sede da FUNDAFFEMG, Dra.
bros inferiores e o abdômen a fim de aliviar a so-
Zilda Lopes Frazão.
brecarga, principalmente, na coluna lombar”. Além
Segundo a médica, o primeiro passo antes de
começar a se exercitar é buscar orientação médica
disso, uma outra área importante para a mamãe é
trabalhada nas aulas – os músculos do períneo.
e uma boa academia, que tenha atenção voltada para a gestante. A ginecologista explica que
Atividades na água
existem poucas contra-indicações para a prática
Para quem prefere exercícios praticados na
de exercícios na gravidez. “Uma delas é o caso de
água, a hidroterapia é uma boa pedida. A fisio-
placenta prévia ou placenta baixa. Também não é
terapeuta Adriana Cenízio explica que essa é uma
recomendável para pacientes com doenças cardía-
prática ideal para gestantes que não suportam
cas e casos rotulados como gravidez de alto risco.
maiores impactos e possuem, por exemplo, algum
Quem nunca praticou esportes radicais, não deve
problema ortopédico. “Para quem tem dor lombar
fazê-lo no período gestacional”, alerta a médica.
também é excelente, pois exercita o corpo. Para
gestantes tensas, a água aquecida traz relaxamen-
Pilates
to”. A Dra. Zilda Lopes Frazão concorda: “A pacien-
Tomando os devidos cuidados e procurando
te dorme melhor e as dores musculares e articula-
uma boa clínica ou academia, a futura mamãe
8
res também diminuem”.
só tem a ganhar ao se manter em movimento. A
Avaliadas as contra-indicações, o importante
produtora artística Tatiana Tonucci começou, no
para a grávida é praticar exercícios que lhe fa-
quinto mês da segunda gestação, a praticar Pila-
çam sentir-se melhor. “Se a gestante tem pavor de
tes. “Senti alívio nas dores da coluna que tive na
água, por exemplo, não indicaremos a hidroginás-
última gravidez, além de ficar mais bem disposta,
tica. Mas, independentemente do estado gestacio-
com maior resistência física e, consequentemen-
nal ou não, a ordem é esta: mexa-se”, orienta a
te, emocional”, conta. A médica concorda que
ginecologista-obstetra.
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
movimente-se
Gustavo Lovalho
A fisioterapia é uma boa
opção para as futuras mamães
manterem o corpo em equilíbrio
Outras atividades
Para as mamães que querem fazer musculação, a fisioterapeuta Adriana Cenízio orienta
que a prática trabalha em menor proporção os
músculos do períneo. Segundo ela, se a gestante já for acostumada à modalidade, não há
problemas. O alerta fica por conta do cuidado
que se deve ter com a carga dos aparelhos e
com os exercícios que afetam coluna e abdômen. “Uma dica é praticar exercícios sempre
orientados”.
A fisioterapeuta Maísa Lopes Silva, também
especialista em Uroginecologia e Obstetrícia
afirma que a fisioterapia também ajuda a prevenir a incontinência urinária na gestação e
após o parto. Além disso, orientações para a
amamentação, posturas corretas na hora de
cuidar do bebê e até exercícios para diminuir o
desconforto dos gases nas mamães são repassados nesses momentos.
Sobre a caminhada e a corrida, Maísa dá
outras orientações. “A corrida não é recomendável. Mas, a caminhada ajuda a manter o condicionamento físico em bom estado, reduzindo
cansaços, câimbras e edemas”, explica.
As atividades pilates, hidroginástica, musculação e exercícios em academia não estão contempladas nas coberturas assistenciais dos Planos de Saúde.
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
9
Fotos: Gustavo Lovalho
Capa
Iara Célia aproveita
o tempo livre para
ensinar artesanato a
ex-moradoras de rua
Pelo próximo
e por si mesmo
O
ato de ajudar atende tanto as necessida-
tristeza e a melancolia. Foi com o intuito de trazer
des do próximo ou de uma causa, como
uma reflexão sobre isso que todo dia 5 de dezembro
às suas próprias motivações pessoais,
é comemorado o Dia Internacional do Voluntário.
sejam elas de caráter religioso, cultural,
O auditor fiscal Matias Bakir é um exemplo
filosófico ou emocional. Um trabalho voluntário
nesse tipo de atividade. Há mais de 20 anos,
pode ser uma boa forma de ocupar a mente com
ele está ligado a diversos trabalhos voluntários
atividades saudáveis, principalmente quando com-
de cunho religioso e, hoje, se dedica também a
promissos do dia a dia não são suficientes para pre-
duas ações filantrópicas em grupo. Ele fez do vo-
encher todo o tempo, o que pode levar à solidão,
luntariado uma verdadeira filosofia de vida e o
10
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
capa
bem-estar que isso proporciona é visível. “Já fiz
terapia, mas acredito que ajudar ao próximo foi o
melhor método para meu resgate. Apesar do cansaço, volto para casa renovado física, psicológica
e emocionalmente.”
Nesy Lúcia Chagas Viggiano também tem verdadeira paixão pela filantropia. Aposentada, ela não
quis ficar parada em casa. Com a carreira encerrada, dedica-se de corpo e alma ao voluntariado em
duas entidades. “Esse trabalho me rejuvenesce. É
muito gratificante. Sou uma pessoa muito feliz”.
A ação voluntária também conquistou outra
aposentada. Iara Célia Guerra participa da Associação Casa Madre Tereza de Calcutá, que tem
como objetivo acolher mulheres e crianças com
trajetória de rua. “Converto algumas horas do meu
tempo livre na alegria de poder doar tempo e conhecimento num trabalho transformador. Engajarme numa ação social por vontade própria, não por
obrigação, é uma gratificante e prazerosa experiência. Sinto-me bem espiritualmente, refletindo
também na minha saúde”.
Saúde emocional
A psicóloga clínica Cláudia Maria Gomes de
Freitas explica o porquê disso. Segundo ela, o
adulto nunca para de se desenvolver emocionalmente e o trabalho voluntário auxilia no processo. “Quando você atinge a capacidade de se voltar para o outro, fortalece seu crescimento emocional. Quando você cuida do que está fora de
si, se alimenta de alguma forma, desenvolve seu
potencial criativo, apaziguando, talvez, culpas
internas que são inconscientes”, explica. Cláudia
Matias Bakir atua
como voluntário
em vários
projetos sociais
ainda aponta o fato de que os indivíduos sauRevista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
11
Capa
dáveis têm como tarefa, na vida adulta, prover
Alerta
condições e cuidar daqueles que necessitam. Isso
A raiz do bem-estar está na motivação de se fazer
traz implicações para o próprio amadurecimento.
o trabalho voluntário. De nada adianta embarcar na
“Ao fazer trabalhos voluntários, é como se você
filantropia numa tentativa de enganar a si mesmo.
pudesse recriar o mundo e reparar o seu objeto
“Há até entrevistas de emprego que priorizam quem
interno, ao lidar com o externo”.
é voluntário. Muita gente, então, faz trabalhos desse
Mas será que, além da saúde emocional, o
tipo porque é bonito, para ser valorizado. O volunta-
voluntariado também contribui para o bem-
riado chega para tapar um buraco e se torna um peso
estar físico? “É claro que há outros fatores en-
para quem o realiza”, afirma Cláudia.
volvendo as doenças psicossomáticas. Porém,
Mas, para quem deseja entrar nessa onda do
se você pensar que uma depressão pode causar
bem, as recomendações de quem já participa são as
baixa no sistema imunológico e tornar a pessoa
melhores possíveis. “Indico para todo mundo. Hoje,
mais vulnerável, pode-se considerar que sim”,
tenho 52 anos e queria ter 17 para fazer, por mais
explica a psicóloga clínica.
50 anos, tudo o que realizo”, afirma Matias Bakir.
Nem tudo são flores
12
Participar de um projeto voluntário exige
Além da questão de segurança, a psicó-
responsabilidade com o próximo, mas também
loga clínica alerta para os riscos emocionais
consigo mesmo. Muitas destas ações são rea-
de uma filantropia sem preparo. “É preciso
lizadas em regiões com lacunas na questão da
saber seus limites, se dá conta da responsa-
segurança pública. Matias Bakir sentiu na pele
bilidade, pois muitos trabalhos são extrema-
isso, quando realizava um trabalho em uma
mente pesados”, ressalta Cláudia. Segundo
comunidade. “Os moradores disseram que os
ela, uma dica é fazer para si os seguintes
traficantes estavam de olho para saber o que
questionamentos: o que este trabalho tem a
estávamos fazendo por lá”. Por sorte, o audi-
ver comigo? Será que estou dando mais do
tor fiscal teve o bom senso de procurar a líder
que posso? Será que quem está sendo aju-
comunitária do local, que fez a ponte entre os
dado quer isso? Outro ponto é diferenciar o
dois lados. “Nunca se deve entrar sozinho em
que faz parte do universo de quem ajuda e
qualquer ação. Uma dica é sempre fazer uma
de quem é ajudado, cuidando para que ques-
sondagem, procurar as lideranças locais e ex-
tões pessoais não influenciem no trabalho
plicar o que se está querendo fazer”, orienta.
desenvolvido, e nem o contrário.
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
Capa
1 – Conheça o projeto da Iara
seis anos e suas famílias, atuando nas questões
• Casa Madre Tereza de Calcutá
de saúde, alimentação e higiene. Os maiores de
As atividades da associação se desenvolvem por
seis anos recebem ações de brinquedoteca, in-
meio de três fontes de trabalho. Na Casa das Mães,
formática, arte e reforço escolar. Já o projeto
onde Iara atua diretamente, mulheres acolhidas
Receita Solidária compreende a interface entre
produzem peças artesanais que lhes garantem
os que precisam doar e os que precisam receber,
renda extra. O projeto conta ainda com a Casa das
com visitas a asilos, creches e abrigos temporá-
Crianças, que cuida dos filhos daquelas mulheres,
rios de crianças, levando atividades de entrete-
e o Programa de Moradia para as famílias.
nimento e orientação de saúde bucal.
– Rua Cumetá, 453, Saudade, Belo Horizonte
(31) 9826-5752
• Pastoral da Criança
[email protected]
Secretaria da Paróquia Santa Efigênia dos Militares
Rua Álvares Maciel, 223, Santa Efigênia,
2 – Conheça os projetos do Matias
Belo Horizonte
Um das ações está ligada à Pastoral da Criança,
(31) 3241-1348 – Contato: Paulinho
da Igreja Católica. Atualmente, na Vila União,
• Receita Solidária
Matias e amigos acompanham crianças de até
(31) 3289-6969 – Contato: Jaqueline
3 – Conheça os
projetos da Nesy
Voluntariado e Saúde
Ambos os projetos dos quais
Uma pesquisa da ONG americana
Nesy participa são formados
United
apenas por mulheres, que
Match, divulgada no portal da Pas-
trabalham com doações, visi-
toral da Criança, comprovou que o
tas a instituições, entre outros.
• Lions Clube “Figueira do Rio Doce”
Healthcare
and
Volunteer
voluntariado faz bem para a saúde.
De acordo com o levantamento feito
Rua Espanha, 296, Grã Duquesa, Governador Valadares
com 4.500 voluntários, 84% das pes-
(33) 3276-1906 – Contato: Ivanir Beltrane
soas concordaram que as ações pro-
• Casa da Fraternidade “Damas da Acácia”
- Loja Maçônica Lauro Sodré II, n° 50
movem a saúde física. Para 95% deles,
a filantropia traz saúde emocional. Já
Rua Sete de Setembro, 3880, Vila Mariana,
para 70%, os trabalhos para o próximo
Governador Valadares (33) 3221-5428
os fazem sentir mais saudáveis.
Contato: Marcos Machado, às 2ª-feiras, 19h30
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
13
istockphoto
na mesa
O sol é o maior aliado
na produção de
vitamina D
A vitamina que adora
um sol
T
odo mundo sabe que ingerir alimentos
Mas, como obtê-la? A vitamina D é diferente de ou-
ricos em cálcio faz bem para os ossos,
tras mais populares, como a C, encontrada na laranja
para a dentição e para prevenir doenças,
e na acerola, por exemplo. Segundo a nutricionista da
como a osteoporose. O que muita gente
FUNDAFFEMG, Isabella Mancini, os alimentos que po-
não sabe é que pouco adianta estar em dia no
dem ser fontes de vitamina D, como manteiga, gema
quesito cálcio sem também obter as doses diárias
de ovo e fígado de boi, possuem uma quantidade pou-
necessárias de um outro nutriente: a vitamina D.
co significativa do nutriente, além de serem altamente
Isso porque ela auxilia na absorção do mineral
calóricos. “A exposição ao sol ainda é a maior fonte de
pelo organismo.
vitamina D. Ao entrar em contato com a pele os raios
14
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
na mesa
solares ativam os receptores da vitamina D presentes
sa época. “Durante a vida, a mulher também bebe
nas células e sua absorção acontece”, explica.
menos leite que o homem e perde essa importante
Segundo Isabella, o uso do protetor solar inter-
fonte de cálcio. Mulheres brancas, com histórico ge-
fere nesse processo. Mas todos nós sabemos que, em
nético, de baixa estatura, com pouca exposição ao
demasiado, o sol pode ser um vilão para a pele e a
sol e sedentárias têm ainda maior propensão para
saúde. Qual a saída então? “O ideal é tomar, todos
desenvolver a osteoporose”, complementa Isabella.
os dias, pelo menos quinze minutos de sol, sem pro-
Por isso, a nutricionista explica que a mulher na
tetor solar. Se o paciente se comprometer com este
menopausa precisa ficar de olho e realizar exames pe-
tempo de contato, pode ser o sol do início da manhã
riódicos para dosar a vitamina D e o cálcio no orga-
ou do final da tarde”. No caso de pessoas que não
nismo. A dica é procurar um ginecologista e fazer um
podem se expor à luz solar de forma alguma, o uso
acompanhamento com nutricionista. “Ela deverá con-
de suplementos é o ideal (veja box).
sumir, pelo menos, três porções de leite e derivados
ao dia. A chance da mulher é maior, mas é importante
OSTEOPOROSE
para o homem a partir de 60 anos ficar atento”, com-
O estilo de vida das grandes cidades, com pouca
plementa a nutricionista.
exposição ao sol, tem interferido na sintetização da
vitamina D pelo organismo. “De um mês para cá, todos os pacientes aos quais pedi dosagem de vitamina
Curiosidades
D apresentaram resultado abaixo do valor de referên-
• Embora ainda não esteja comprovado, há
cia ou insuficiente”, conta Isabella. Com menos vita-
estudos que buscam associar a vitamina D à
mina D e menos absorção de cálcio pelo organismo,
prevenção da esclerose múltipla.
números expressivos de doenças do sistema ósseo
• A dose diária necessária de vitamina D varia
aparecem nos consultórios, como raquitismo (má for-
de acordo com a idade. Em média, são 400
mação dos ossos e dentes, principalmente em crian-
microgramas por dia.
ças) e osteoporose (diminuição da densidade óssea,
• Atualmente, algumas marcas de leite ofere-
principalmente em mulheres na pós-menopausa).
cem produtos enriquecidos com vitamina D.
Dados divulgados pela Sociedade Brasileira de
O interessante é ficar de olho nos rótulos.
Endocrinologia e Metabologia (SBEM) mostram que
• Óleo de fígado de bacalhau é fonte de vita-
uma em cada três mulheres e um em cada cinco ho-
mina D. Mas, por ser bastante complexo em
mens, acima dos 50 anos, têm osteoporose. Ainda
termos de vitaminas, seu consumo exagerado
segundo a entidade, dez milhões de brasileiros so-
pode causar hipervitaminose.
frem com a doença, que tem consequências perigo-
• Quando necessários, os suplementos de vi-
sas, como fraturas em uma idade cuja recuperação é,
tamina D podem ser encontrados nas formas
inevitavelmente, mais lenta.
liquida ou em cápsula.
As mulheres na fase da menopausa são as mais
Fonte: Isabella Mancini, nutricionista
propensas. A produção hormonal feminina cai nesRevista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
15
receita
O salmão e a gema de ovo são fontes de vitamina D. Por isso, a revista Vida Saúde traz uma
receita para você preparar em casa. Mas, atenção:
nenhum alimento é suficiente para suprir toda nossa necessidade de vitamina D. A melhor fonte desse
nutriente continua sendo o sol.
Salmão ao molho de maracujá
g
6 filés de salmão
g
Sal a gosto
g
Suco de 1 limão
g
1 xícara (chá) de suco de maracujá
com as sementes
g
2 cebolas cortadas em rodelas
g
2 colheres (sopa) de alcaparras
Modo de preparo
g
Tempere os filés com sal e limão e deixe
marinar por 20 minutos.
g
Aqueça o forno a 180ºC.
g
Forre uma assadeira com papel-alumínio e
coloque os filés um ao lado do outro.
g
Cubra-os com a cebola e as alcaparras.
g
Por cima, despeje o suco de maracujá com
as sementes.
g
Cubra a forma com papel-alumínio e leve ao
forno por cerca de 15 minutos.
g
Retire o papel-alumínio e deixe por mais 15
minutos. Sirva com suflê de legumes.
Extraído de: Site M de Mulher
NOVA
CONQUISTA
Nosso Plano se classificou na melhor faixa de avaliação no Índice de Qualificação
da Saúde Suplementar da ANS.
Das 1.103 operadoras de planos de saúde examinadas pela Agência Nacional de Saúde
Suplementar (ANS), somente 46 delas conseguiram alcançar a melhor faixa do índice
de avaliação (0,8 a 1,0), representando apenas 4% do total das operadoras de planos
de saúde.
Essa conquista é o resultado de uma gestão séria e profissional e de
uma equipe comprometida e empenhada em manter um atendimento
humanizado e individualizado.
Trabalhamos com seriedade para garantir a qualidade de vida dos
nossos usuários e a confiança dos nossos prestadores.
NOSSO PLANO É VIDA E SAÚDE!
16
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
emergência
queimadura! e agora?
Qual a primeira providência em casos de queimaduras? Existe algum produto caseiro que possa ser aplicado antes do socorro médico? O local afetado pode
ou não ser tampado? Quem responde essas e outras
dúvidas é o cirurgião plástico Ilmeu Cosme Dias, da
Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital
João XXIII, sócio fundador e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Queimaduras – Regional MG.
m
rimento co
Cubra o fe
limpo
o
d
ci
te
um
um
o paciente a
Encaminhe
l)
ico (hospita
éd
m
o
iç
rv
se
1 - O que fazer em caso de queimaduras?
A primeira providência é colocar a área afetada
2- Mas, e aquela receita da vovó?
debaixo de água fria por cerca de 15 minutos. Esse
A aplicação de pasta de dente, massa de tomate,
procedimento simples e seguro, além de impedir o
manteiga, clara de ovo, pimenta, pó de café, além de
aprofundamento da lesão, proporciona alívio ao lo-
outros produtos usados em casos de queimaduras, pode
cal, funcionando com um analgésico natural. Logo
piorar o quadro. Além do risco de aderir na área afeta-
depois, é aconselhável enrolar ou cobrir, com um
da, dificultando e causando muita dor na remoção, po-
tecido limpo, a região queimada e encaminhar o
dem também provocar infecção ou até aprofundamento
paciente para um serviço médico mais próximo. É
da lesão. “Dependendo do que for usado, a queimadura
muito importante lembrar: o uso de medicamentos,
pode, por exemplo, passar de 2º para 3º grau.
sem a orientação do médico, pode causar infecção
na queimadura e proporcionar muita dor na hora de
removê-los do local afetado.
sta
s, co
o pmao
om
tods,ucto
osdpuro
trro
ate,
troosup
m
e,
r ouuse
to
at
e
m
d
UNsaão
to
a dsae
ssas
te,am
e, m
den
e dent
etcc..
pasdta
nttaa et
meen
ho de piim
mollh
3 – As bolhas de queimadura podem ser
estouradas?
ada debaixo
área queim 5 minutos
Coloque a
e1
por cerca d
de água fria
Apenas o médico pode avaliar se uma bolha deve
ou não ser estourada. Portanto, nada de tomar nenhuma providência sozinho.
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
17
Gustavo Lovalho
entrevista
Disfunção
Erétil:
quebrando
tabus
Marcelo Miranda Salim, urologista
Qual o significado da expressão Disfunção Erétil?
Disfunção Erétil (D.E.) é a impossibilidade de manter o pênis erétil, ou seja, com rigidez suficiente para
a penetração durante o ato sexual. A ereção pode não
ser obtida ou mesmo perdida durante o ato.
Q
uase a totalidade dos homens
não gosta de tocar no assunto, porque afeta suas questões
mais íntimas, como a sexuali-
dade que, infelizmente, ainda é cercada de
preconceitos. Estamos falando da disfun-
O quadro atinge apenas homens mais velhos?
ção erétil, chamada popularmente de im-
Com a idade, a possibilidade de disfunção erétil
potência sexual. Para explicar melhor o
aumenta. Com o envelhecimento, de 20% a 30%
assunto, a revista Vida Saúde conversou com
dos homens apresentam queda nos níveis de testos-
o médico Marcelo Miranda Salim, pós-gradua-
terona com repercussão clínica, sendo a D.E. a prin-
do em Cirurgia Geral e Urologia.
cipal. Nos mais novos, a principal causa são os distúrbios psicogênicos (de origem psicológica). Até
os 40 anos, é difícil encontrar problemas orgânicos.
18
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
entrevista
Como a disfunção pode influenciar a vida
social e as emoções do homem?
que nos procuram apresentando glicemia elevada,
ou seja, diabetes. O ideal é que encaminhemos ao
endocrinologista, pois o controle da glicemia pode
Uma atividade sexual satisfatória é extremamen-
ser suficiente para a correção da disfunção.
te importante, tanto para o homem quanto para a
mulher. Quando o homem tem uma D.E., ele se sente impotente globalmente, com menos autoridade,
vigor e confiança em si próprio, comprometendo
sua autoestima.
Com relação aos medicamentos, quais os cuidados recomendados?
Não se deve fazer uso de Viagra e similares sem
orientação médica. Outra questão: usar esses medicamentos sem indicação, como alguns jovens fa-
Quais as reais causas? Há outros sintomas
associados?
zem, pode levar à dependência psicogênica. Quanto
ao uso do guaraná em pó, catuaba e outros po-
A diminuição progressiva da produção de testos-
pularmente conhecidos, não há nenhuma compro-
terona pelo testículo é um problema importante so-
vação científica. O melhor a fazer é procurar um
frido pelo homem. Esse fenômeno é conhecido como
médico de confiança aos primeiros sinais de D.E.
Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino
(DAEM). O número de sintomas que a deficiência de
Existe alguma forma de prevenção?
testosterona pode acarretar no homem é extrema-
Prevenir a Disfunção Erétil é cuidar da saúde
mente amplo. Podemos citar, além do comprometi-
como um todo, incluindo o lado emocional. Ati-
mento sexual: aumento da gordura corporal, perda de
vidade física regular, alimentação balanceada,
massa muscular e óssea e diminuição do bem-estar e
não abusar da bebida alcoólica, não fumar, ter um
dos pêlos. O uso de alguns ansiolíticos, antidepres-
tempo para descanso. Em resumo, vida saudável!
sivos e antihipertensivos também podem causar D.E.
A D.E. é, simplesmente, um sinal de que a saúde
não vai bem.
A Disfunção Erétil está ligada a outra
patologia?
Atualmente, ela está muitas vezes ligada ao
DAEM. E este, por sua vez, está no centro de uma
Fique atento
série de outras situações, representadas pela Sín-
Não se deve confundir Disfunção Erétil com
drome Metabólica, obesidade, diabetes, hiperten-
Disfunções Ejaculatórias (ejaculação precoce),
são, além do tabagismo e da hipercolesteloremia
falta de libido, andropausa (Deficiência Andro-
(nível alto de colesterol no sangue).
gênica do Envelhecimento Masculino – DAEM)
e curvatura peniana (doença de Peyronie).
Qual o tratamento correto?
Dependendo da causa, o melhor é contar com a
ajuda de outros especialistas. Há casos de pessoas
Fonte: Departamento de Andrologia
– Sociedade Brasileira de Urologia
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
19
istockphoto
Bem-estar
Até que a
menopausa
não os separe
P
restes a completar 50 anos, casada e mãe
de mudanças na vida familiar, social, profissional e
de filhos adolescentes, Beth Lima* come-
psíquica da mulher é desencadeado.
çou a ver sua libido ir embora. Um desâ-
Por isso mesmo, as dificuldades enfrentadas
nimo fora do controle a dominou, fazendo
por Beth no casamento não são raras entre pes-
desaparecer a vontade de fazer atividades de cos-
soas nessa fase. “A mulher é vista muito na pers-
tume, inclusive sexo com o companheiro. “Fiquei
pectiva de maternidade e sedução. No climatério,
perdida. Não estava me reconhecendo como ser hu-
ela vai perdendo a capacidade de maternidade e
mano e pensava: como vou viver assim pelo resto da
pode se sentir menos sedutora. Isso pode mexer
vida?”, relembra. Paralelo a isso, a forma de ver o
com a sua estrutura. Também nesse período, em
esposo começou a ser norteada por dúvidas.
geral, as pessoas estão juntas há muito tempo e
Não. Beth não havia deixado de amar o marido. To-
os relacionamentos podem sofrer um desgaste”,
das as dúvidas que a cercavam tinham uma única res-
explica a médica Ana Lúcia Ribeiro Valadares, es-
posta: ela estava no período do climatério, que com-
pecialista no assunto**.
preende todo o ciclo no qual a mulher passa da fase
reprodutiva para a fase não-reprodutiva (Veja box).
Desafios
Nesse período, não ocorrem apenas alterações
Além dos questionamentos que surgem, as próprias
físicas, como se imagina. Todo um complexo ciclo
alterações físicas interferem na vida social e familiar
20
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
bem-estar
da mulher climatérica. Beth percebeu mudanças fre-
de suas angústias. Recorreu também à psicoterapia
quentes de humor e teve muitas noites mal dormidas,
e encontrou saída no diálogo familiar, uma dica que
com os famosos fogachos (calores) que chegavam no
deixa para todas as mulheres. “É preciso mostrar
meio da madrugada. O resultado era um dia exaustivo,
que é uma fase. Depois que meu marido e filhos
que influenciava no bem-estar profissional e conjugal.
souberam o que estava se passando comigo, passa-
“O sono sempre foi muito importante para mim. Isso
ram a ter outro olhar sobre a situação”.
me atrapalhou muito”.
A médica Ana Lúcia acredita que o climatério
A médica Ana Lúcia explica que o nervosis-
pode ser um período para boas reflexões. “Quando as
mo pode aflorar nessa época, tanto pelas oscila-
pessoas se inteiram do que está ocorrendo com elas,
ções hormonais quanto pelas ondas de calor que
têm uma chance maior de procurar soluções e se
interferem no sono, resultando em um cansaço
conscientizar do valor da relação. Por outro lado, se
crônico. Além disso, a especialista ainda desta-
realmente não há mais chances para que o relacio-
ca o contexto familiar como possível agravante.
namento dê certo, poderão tomar decisões maduras
“Nessa fase, os filhos muitas vezes já estão in-
e conscientes. A mulher precisa entender que a vida
dependentes e deixam o lar. Por outro lado, os
não acabou, apenas está diferente durante o clima-
pais dessas mulheres às vezes estão precisando
tério e cada idade tem sua beleza”, conclui.
de ajuda. É um período também que se começa a
perder entes queridos”.
Mas, como enfrentar tamanha enxurrada de mudanças? Com ajuda médica, Beth entendeu a causa
* Nome fictício para preservar a identidade da personagem.
** Pós-doutoranda do Departamento de Tocoginecologia da Unicamp,
presidente do Comitê de Climatério da Sociedade de Ginecologia e
Obstetrícia do Estado de Minas Gerais e delegada estadual da Associação
Brasileira do Climatério.
Climatério X Menopausa
É comum ver a associação do termo climaté-
Menopausa – é diagnosticada quando a mulher
rio à última menstruação e menopausa ao perí-
está há um ano ou mais sem menstruar.
odo que se segue a partir de então. Porém, isso
Pós-menopausa – período que se estende da me-
não está correto.
nopausa até o final da vida.
Entenda a diferença entre os termos.
Climatério – tempo de passagem do período re-
Pré-menopausa – compreende todo o período
produtivo para o não-reprodutivo, abrangendo as
normal reprodutivo da mulher.
alterações hormonais, incluindo as fases citadas
Transição menopausal – período no qual a produ-
acima: transição pré-menopausal, menopausa e
ção hormonal começa a diminuir. Em geral, ocorre
pós-menopausa.
dois anos antes de parar a menstruação. Mas, em
alguns casos, esse tempo pode ser de até oito anos.
Fonte: Ana Lúcia Ribeiro Valadares
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
21
galeria
Eventos segundo trimestre
Palestra em
homenagem ao Dia
dos Pais – Varginha
Fotos: Arquivo FUNDAFFEMG
Grupo
Adolescendo
– 2º semestre
Abertura dos grupos de Dança Sênior e
Consciência Postural
Encerramento dos grupos de Dança Sênior e
Consciência Postural
Oficina da Memória – Manhã
22
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
Oficina da Memória – Tarde
galeria
Palestra em homenagem ao Dia dos Pais
– Belo Horizonte
Abertura do Grupo de Apoio à Cessação do Tabagismo
Educando para a Saúde – Juiz de Fora
Educando para a Saúde – Belo Horizonte
Educando para a Saúde – Poços de Caldas
Educando para a Saúde – Varginha
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde
23
24
Revista vida saúde – Fundação Affemg de Assistência e Saúde