implicações ecológicas da mensagem evangélica e missionária

Сomentários

Transcrição

implicações ecológicas da mensagem evangélica e missionária
1
ESTUDO BÍBLICO INDUTIVO I – junho de 2013
TEMA DO ANO: AS 4 ESTAÇÕES DO ANO 2013
SEGUNDA ESTAÇÃO: ESTABILIDADE
ÊNFASE DO MÊS DE JUNHO: ESTABILIDADE EM NOSSO TESTEMUNHO MISSÕES MUNDIAIS
IMPLICAÇÕES
ECOLÓGICAS
EVANGÉLICA E MISSIONÁRIA
DA
MENSAGEM
TEXTO-BASE: Romanos 8.18-27
VERSÍCULO-CHAVE: “A natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os
filhos de Deus sejam revelados” (Rm 8.19).
PALAVRAS-CHAVES DA EDIFICAÇÃO E DO COMPARTILHAMENTO
Missões, Evangelismo, Ecologia
OBJETIVO DE EDIFICAÇÃO E COMUNHÃO ESPIRITUAL
Compartilhar com os irmãos os deveres relacionados com a Missão Integral da
Igreja, aquela que, com sua mensagem e ação, influencia todas as áreas da vida humana,
inclusive as relações do homem com a natureza criada.
A mensagem evangelizadora e missionária salva, liberta e valoriza as pessoas
restaurando nelas a imagem de Deus, manchada pelo pecado que aconteceu no Éden e
atingiu todos os descendentes de Adão e Eva e a natureza criada. A mensagem
evangelizadora, tem implicações, produz resultados, na ecologia, no meio-ambiente, na
natureza criada, porque:
I – A SALVAÇÃO DAS PESSOAS TAMBÉM IMPLICA SALVAÇÃO DA
CRIAÇÃO, porque as pessoas salvas por Jesus, salvarão a natureza criada da
decadência que o pecado a submeteu. Conforme o diz Paulo em Romanos 8.19, “A
natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam
revelados” (Rm 8.19). Neste versículo, a expressão “Filhos de Deus”, vem na mesma
linha de pensamento de João 1.12, sendo, pois, produto da fé na graça salvadora de
Deus, confessada por aqueles que creram em Jesus. Então, Paulo está falando aqui de
pessoas que foram salvas, que por isso se tornaram filhas de Deus. São esses que serão
revelados no momento em que confessam que Jesus é seu Salvador e Senhor. A
natureza espera esta revelação porque são esses que irá restaurá-la, porque estes
retomam o que Deus disse ao homem de como deveria tratar o jardim: cultivando,
preservando e guardando (Gn 2.15), porque estes, filhos de Deus pensam como Ele e
agem em Seu nome.
2
•
PARA PENSAR E COMPARTILHAR
Como você pensa ser a melhor forma da natureza receber o cuidado, a proteção, a
preservação dos filhos de Deus? Entrando para o Partido Verde? Fazendo parte de
uma organização que procura cuidar do meio-ambiente? Qual é o seu pensamento
sobre a forma como os filhos de Deus devem atuar na preservação da natureza
criada, dentro do que nos permite a Palavra de Deus?
II – A LIBERTAÇÃO DAS PESSOAS TAMBÉM IMPLICA LIBERTAÇÃO DA
CRIAÇÃO, porque as pessoas libertas da escravidão do pecado procuram respeitar a
natureza criada não cometendo o pecado de sua depredação. Fazem isso de modo ativo:
preservando e cuidando dessa obra maravilhosa de Deus. É possível inferir esta verdade
do que diz Paulo em Romanos 8.21-22: "de que a própria natureza criada será
libertada da escravidão da decadência em que se encontra, recebendo a gloriosa
liberdade dos filhos de Deus. Sabemos que toda a natureza criada geme até agora,
como em dores de parto” (Rm 8.21-22). É claro que a salvação que implica um
tratamento correto às questões ecológicas, promovendo no mundo uma recuperação
cósmica, da natureza criada, porque uma é a libertação pessoal, moral, do homem
crente, outra é a libertação, por consequência, da natureza. Por causa do pecado a
Criação foi amaldiçoada e sofre hoje a escravidão a que foi submetida, tornando-se,
pois, decadente: “ao homem declarou: “Visto que você deu ouvidos à sua mulher e
comeu do fruto da árvore da qual eu lhe ordenara que não comesse, maldita é a terra
por sua causa; com sofrimento você se alimentará dela todos os dias da sua vida. Ela
lhe dará espinhos e ervas daninhas, e você terá que alimentar-se das plantas do
campo” (Gn 3.17-18). Ora, sendo a maldição divina da terra por causa do pecado do
homem, cabe a ele restaurá-la. Mas, somente conseguirá consertar os danos causados se
ele for pessoalmente restaurado. A Criação precisa ser libertada de tudo aquilo que a
destrói. Somente o homem liberto do poder do pecado, com a mente renovada (Ef 4.23;
1 Co 2.16) é que capaz de atuar de forma legitimamente libertadora na natureza criada,
porque a degradação dela é fruto do seu pecado, então somente o ser humano restaurado
por Deus dos danos que o pecado adâmico lhe causou é capaz de tratar a Natureza
devidamente, como um mordomo de Deus. Nem a Política, nem a Ciência, têm todas as
condições de reparar o estrago feito, porque a restauração da Criação depende,
conforme Paulo, de uma solução teológica operada no crente, que transforma a
mentalidade destruidora, decadente, não simplesmente uma solução política, nem
científica. Porque, seguidor de Jesus ao recebê-Lo como seu único Salvador e Senhor, o
ser humano tem a imagem de Deus restaurada nele fazendo com que ele se assemelhe a
Jesus no ser e no viver: “Pois aqueles que de antemão conheceu, também os
predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o
primogênito entre muitos irmãos”(Rm 8.29). Como nova criatura, o crente tem as armas
corretas para lutar contra as estruturas que servilizam o mundo e a natureza criada,
sendo, pois instrumento da justiça de Deus que se manifesta também na Criação (Rm
6.13-19).
•
PARA PENSAR E COMPARTILHAR
As estruturas escravizantes, que têm explorado de forma desordenada, egoísta e
pecaminosa o que Deus criou, foram inventadas pelo homem pecador que, muitas
vezes as transformam em leis que autorizam essa depredação tornando-a um bem,
3
um direito. Que armas o crente pode utilizar, em sua opinião, capazes de reverter
essa triste situação?
III- A VALORIZAÇÃO DAS PESSOAS TAMBÉM IMPLICA VALORIZAÇÃO
DA CRIAÇÃO, porque muda o seu critério de valoração, pois, tendo a mente de Cristo
o salvo vê o mundo do ponto de vista de Deus. Por isso,“A natureza criada aguarda,
com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados. Pois ela foi submetida
à inutilidade, não pela sua própria escolha, mas por causa da vontade daquele que a
sujeitou, na esperança” (Rm 8.19-20).
Mataiõtes, do grego, significa inutilidade, vaidade, futilidade, o que não se atribui
nenhum valor. Isto significa que o ser humano retirou da criação o seu devido valor
perdendo, pois a sua finalidade com o pecado do homem, porque o seu entendimento
valorativo ficou afetado, deturpado, prejudicado pelo pecado. Por isso, ele foi à natureza
criada para explorá-la de forma egoística, produzindo um desastre quase irreparável da
obra de Deus não fosse as implicações ecológicas que a Salvação possui permitindo que
a Criação seja restaurada. Deus sujeitou a criação à direta consequência niilista do
comportamento humano, que desprovê a natureza criada de seu verdadeiro sentido, de
seu real valor. Desde o pecado, e com ênfase ainda mais nos dias atuais, o ser humano
não tem dado, em linhas gerais e salvos as honrosas exceções, a devida importância à
terra e tudo o que nela existe, e por isso tem colocado um fim em inúmeras espécies,
destruído as matas vitais aos seres criados, incluindo ele mesmo, e a faz agonizar,
despejando nela os seus lixos e os seus venenos.
Quando o homem aceita a mensagem evangelística e missionária, o Espírito faz dele
uma nova criatura e restaura nele a imagem de Deus, princípio de sua valorização como
pessoa. A partir desta experiência maravilhosa e espiritual, o homem muda as atitudes
pecaminosas em todas as áreas, porque altera-se a sua cosmovisão, a sua mentalidade, o
seu jeito de valorar, e age na natureza como um ser semelhante a Jesus, pois, vendo as
coisas como Deus as vê, e as trata como Deus as trata, compreende o que é ser um
mordomo do Senhor, atuante na recuperação daquilo que ele destruiu.
• PARA PENSAR E COMPARTILHAR
A salvação dá ao ser humano uma base correta de valorização de tudo o que foi
criado (Conf. Salmo 19.1-6; 24.1-2). Você pode testemunhar sobre isso? Que valor
você dava para a Criação antes de se converter, é diferente depois que você
recebeu a mente de Cristo? De que forma é diferente? Pense nisto: uma das formas
que a pessoa demonstra a sua conversão reside também na mudança de suas
atitudes com relação à natureza criada.
ORAÇÃO
Senhor! Ajuda-me a atuar decisivamente como mordomo do Senhor na
recuperação da natureza que um desvalorizamos e destruímos.
PÚLPITO: Este estudo bíblico foi fundamentado na pregação do Pr. Walmir, do domingo passado dia 02
de junho, abertura do mês de Missões Mundiais na Liber, relacionada com a ênfase deste mês:
Estabilidade em nosso Testemunho, e no que se comemora no dia 05, Dia Mundial do Meio Ambiente.
TRATAMENTO DEVOCIONAL: Pr Walmir Vargas – Ministro de Educação Cristã da Líber.
ALGO IMPORTANTE: Veja em nosso boletim, na segunda página, as devocionais do Culto Doméstico
do Ministério Sacerdotal do Homem no lar. Seja um sacerdote de seu lar, faça regularmente com seus
familiares o Culto Doméstico, e habitue-se a tratar os assuntos de sua família sempre à luz das Escrituras
e faça o Senhor conhecedor das necessidades de cada membro de sua família através de suas orações.

Documentos relacionados