Relatório e Contas do 1º Semestre de 2015

Сomentários

Transcrição

Relatório e Contas do 1º Semestre de 2015
Destaques
>
Volume de negócios atinge 1.074 milhões de euros
>
Atividade internacional do GRUPO fora da Europa ascende a cerca de 62% do total
>
Taxas de crescimento de 17% na Europa e de 24% na América Latina
>
Margem EBITDA no segundo trimestre mantém-se em 13,5%, em linha com o primeiro
trimestre
>
Carteira de encomendas de 4,5 mil milhões de euros, dos quais 78% fora da Europa
>
Adjudicadas novas obras após fecho do trimestre no montante de 560 milhões de euros
>
Fortalecimento da área de Resíduos, com integração da EGF no segundo semestre
EBITDA
1º Semestre | Grupo
Vendas e prestação de serviços
1º Semestre | Grupo
1.200
1.040
1.122
1.074
622
790
668
145
150
800
418
0
2013
Milhões de Euros
400
406
333
2014
1S15
% VPS
∆
Atividade Europa
97
50
0
2015
42
33
2013
2014
1S14
(não auditado)
Atividade Externa
162
120
100
Milhões de Euros
195
162
200
% VPS
(não auditado)
2T15
48
2015
% VPS
∆
(não auditado)
2T14
1.122.419
590.955
(6,9%)
634.724
Europa
453.503
17,1%
387.330
256.922
22,0%
210.520
África
378.865
(32,0%)
556.836
191.692
(41,1%)
325.578
América Latina
289.211
24,1%
233.067
166.455
26,1%
131.989
Outros & Intragrupo
(47.161)
(54.814)
(24.114)
Vendas e Prestações de Serviços
1.074.418
(4,3%)
% VPS
(não auditado)
(33.362)
145.093
13,5%
(25,5%)
194.726
17,3%
79.634
13,5%
(33,1%)
119.010
18,7%
76.609
7,1%
(36,2%)
120.116
10,7%
43.153
7,3%
(40,4%)
72.413
11,4%
(42.796)
(4,0%)
16,3%
(51.111)
(4,6%)
(24.651)
(4,2%)
5,0%
(25.945)
(4,1%)
8.500
0,8%
(5.691)
(0,5%)
4.610
0,8%
260,2%
(2.878)
(0,5%)
Resultados antes de impostos
42.314
3,9%
(33,2%)
63.314
5,6%
23.112
3,9%
(47,0%)
43.590
6,9%
Resultado líquido consolidado
28.510
2,7%
(36,4%)
44.857
4,0%
20.249
3,4%
(36,8%)
32.048
5,0%
a interesses que não controlam
15.935
1,5%
15,7%
13.773
1,2%
11.074
1,9%
33,4%
8.304
1,3%
ao ∆rupo
12.575
1,2%
(59,5%)
31.083
2,8%
9.175
1,6%
(61,4%)
23.745
3,7%
EBITDA
EBIT
Resultados financeiros
∆anhos/perdas em empresas associadas
-
Atribuível:
Ebitda = Resultado operacional + amortizações + provisões e perdas de imparidade
As contas que integram este Relatório Intercalar não foram objeto de auditoria.
2
Índice
Destaques
2
Relatório de Gestão Consolidado Intercalar
5
Análise da performance económico-financeira
Análise por áreas de negócio
Comportamento das ações e dividendos
Informação Financeira Consolidada Intercalar
Demonstrações Consolidadas dos Resultados
Demonstrações Consolidadas dos Resultados e do Outro Rendimento Integral
Demonstrações da Posição Financeira Consolidada
Demonstrações das Alterações no Capital Próprio
Demonstrações dos Fluxos de Caixa Consolidados
Notas às Demonstrações Financeiras Consolidadas
Informações Obrigatórias
Declaração nos termos do Artigo 246.º do CVM
Transações de Ações Próprias
Participações Qualificadas
Transações de Dirigentes
6
12
17
19
21
22
23
24
26
27
47
48
50
50
51
3
5
1. Análise da performance económico-financeira
Vendas e Prestação de Serviços
1º Semestre | Grupo
1.200
1.040
1.122
Vendas e Prestação de Serviços
1º Semestre 2015 | por Regiões
1.074
de Euros
900
Milhões
Europa 38%
Europa E&C
24%
Europa A&S
14%
600
300
0
2013
2014
2015
América
Latina
27%
África
35%
Depois de aparentar alguma recuperação em 2014, a economia mundial entrou num novo período de desaceleração
com riscos de acentuação de um cenário desfavorável. Neste contexto, deverá ser destacado o caso da Europa, que foi
negativamente influenciada no segundo trimestre pelo impacto da crise da Grécia, e o caso dos países emergentes e
mercados dependentes de commodities, com destaque para a acentuada descida do preço do Petróleo. Este
agravamento do contexto económico mundial prejudicou globalmente a atividade económica, nomeadamente em
geografias em que o GRUPO tem operações com dimensão.
O volume de negócios no primeiro semestre de 2015 foi de 1.074 milhões de euros, o que representa uma ligeira
descida (4%) face ao mesmo período de 2014. Destaque para o crescimento de 17% e 24% na atividade das regiões da
Europa e da América Latina, que praticamente compensaram a retração verificada na região de África. Convém ainda
referir que no primeiro semestre de 2015 deu-se início à execução de vários projetos, nomeadamente em África, cujo
contributo é expetável que acelere ao longo do ano. De facto, no segundo trimestre de 2015 o volume de negócios
aumentou 36%, 31% e 2% na América Latina, na Europa e em África, respetivamente, face ao primeiro trimestre de
2015. De igual forma, já no terceiro trimestre, verificou-se o arranque dos trabalhos em vários projetos importantes,
nomeadamente na América Latina.
No primeiro semestre de 2015 o peso da atividade fora da Europa representou 62% do total, tendo o volume de
negócios neste período um perfil mais balanceado entre regiões, quando comparado com o ano de 2014, quando a
atividade fora da Europa atingiu os 70%. Para tal evolução, contribuiu o crescimento assinalável das regiões da Europa e
da América Latina, em linha com a estratégia de equilíbrio da atividade entre regiões, mas sempre assente nos objetivos
de crescimento sustentado no longo-prazo e maximização de valor.
No seguimento da aprovação, pela Autoridade da Concorrência, da aquisição da EGF pelo GRUPO MOTA-ENGIL, aquela
empresa passará a ser consolidada pelo método integral a partir do terceiro trimestre de 2015. De salientar que já se
deu início ao respetivo processo de integração no GRUPO, destacando-se as mudanças organizativas de modo a
promover a sua otimização, bem como a análise da estrutura do back-office de modo a manter as boas práticas
existentes. Paralelamente, o processo de integração pretende alavancar outras áreas com grande nível de otimização e
experiência na MOTA-ENGIL, como os Serviços Partilhados e Sistemas de Informação.
6
EBITDA
1º Semestre 2015| por Regiões
EBITDA
1º Semestre | Grupo
Europa - A&S
14%
300
250
162
195
145
Europa 33%
Europa - E&C
19%
200
Milhões de Euros
150
África
49%
100
50
0
2013
2014
2015
América
Latina
18%
No primeiro semestre de 2015 o EBITDA atingiu 145 milhões de euros (uma descida de 50 milhões de euros face a
idêntico período de 2014). Esta evolução foi resultado da diminuição do contributo de África para o EBITDA, de 72% no
primeiro semestre de 2014, para 49% no primeiro semestre de 2015, e que não foi compensada pelo aumento do
EBITDA registado na Europa e na América Latina, regiões tradicionalmente com margens mais baixas que as registadas
em África. Por outro lado, é importante também registar que o aumento do volume de atividade na Europa se deveu
principalmente ao crescimento do segmento de Engenharia & Construção, tendo-se verificado uma estabilidade nos
negócios do segmento de Ambiente & Serviços (no qual o GRUPO obtém margens superiores), fator que também
contribuiu para a redução da margem operacional consolidada, face ao primeiro semestre de 2014.
Assim, a margem EBITDA no primeiro semestre de 2015 foi de 13,5% face a 17,3% no período homólogo, evolução
também explicada pela alteração no mix entre regiões, com menor contribuição das margens mais altas (África) e maior
contribuição das regiões da Europa e América Latina.
É ainda de destacar que o maior balanceamento na contribuição de cada região continua a permitir atingir resultados
operacionais assinaláveis: o EBIT no primeiro semestre de 2015 foi de 77 milhões de euros, dos quais 42% na região de
África, tendo a margem EBIT atingido 7,1%.
7
Investimento
1º Semestre 2015 | Grupo
Evolução Investimento
EuropaEuropa América E&C
A&S
Latina
-5%
5%
18%
90
74
75
53
7
9
60
Europa - E&C
Europa - A&S
Milhões de Euros
45
África
78%
África e América Latina
30
57
54
1S14
1S15
15
0
Na sequência do reforço do investimento nos últimos trimestres de 2014, este tem vindo a reduzir-se em 2015 com o
valor das aquisições, líquido de alienações, a atingir cerca de 53 milhões de euros. Mais uma vez foram as regiões de
África e América Latina que justificaram este investimento, uma vez que continuam a reforçar e/ou renovar o seu
parque de equipamento com vista a fazer face aos diversos projetos em fase de arranque.
Já na Europa, mercados onde os níveis de subcontratação de serviços são tradicionalmente elevados, verificou-se
mesmo um valor negativo com o desinvestimento a superar ligeiramente o investimento.
Evolução Dívida Líquida Total
Evolução Maturidade Dívida Líquida
Total
2013
1.400
2014
750
2015
1.200
Jun-15
500
1.000
800
Milhões de euros
Milhões de Euros
Dez-14
600
400
1T
2T
3T
4T
250
0
162 575
379 156
596
548
21
19
14% 44%
33% 12%
51% 42%
2%
1%
a 1 ano
a 2 anos
entre 3 e 5
anos
a mais de 5
anos
O referido esforço de arranque de novos projetos teve um impacto assinalável no fundo de maneio nos primeiros meses
do ano a que acresceu a normal sazonalidade na atividade do GRUPO. Como consequência, a dívida líquida, sem leasing e
factoring, aumentou face ao valor registado no final de 2014 de 1,2 mil milhões para 1,3 mil milhões em junho de 2015.
Já face a março de 2015, o crescimento foi residual.
O rácio que compara a dívida líquida total com o EBITDA aumentou para 3,6x, acima de 2,8x registado em dezembro de
2014, mas ainda assim confirmando a trajetória decrescente iniciada há cerca de quatro anos. De salientar que o GRUPO
mantém o objetivo de médio e longo prazo de registar naquele rácio um valor inferior a 3x.
8
O custo médio da dívida baixou para 6,1% no primeiro semestre de 2015, não obstante o maior peso da dívida
contratada fora da Europa, em linha com a estratégia de financiamento que tem como objetivo alocar dívida às regiões,
de acordo com as respetivas necessidades e origens de cash flow.
De salientar, que já depois do fecho do segundo trimestre, em julho de 2015, o GRUPO completou com sucesso a
operação, no montante de 95 milhões de euros, de emissão e troca obrigacionista com maturidade em fevereiro de
2020 e um cupão de 3,9%.
A junho de 2015 a vida média da dívida era de 2,04 anos, sendo de destacar que aquela emissão obrigacionista, uma vez
que foi finalizada no princípio de julho, não está refletida nem neste indicador, nem nos gráficos supra, nomeadamente
na evolução da maturidade da dívida. Se incluirmos esta operação, a vida média da dívida subiria para 2,2 anos.
Durante o ano de 2015 dar-se-á continuidade à estratégia financeira que tem vindo a ser seguida, sendo expetável
ações adicionais que visam o aumento das maturidades, nomeadamente redução da dívida de curto prazo, bem como o
aumento das disponibilidades como sejam linhas de liquidez e redução de custo da dívida.
No final de junho de 2015, o GRUPO tinha linhas de crédito contratadas e não utilizadas de 282,7 milhões de euros,
traduzindo-se num montante total de liquidez efetiva de 625,2 milhões de euros.
-80
-60
Resultado Financeiro
1º Semestre | Grupo
Resultado Líquido
1º Semestre | Grupo
60
-51,6
-51,1
-42,8
50
20,7
31,1
12,6
2013
2014
2015
-20
-0
2013
2014
2015
de Euros
Milhões de Euros
-40
30
Milhões
40
10
20
0
Nos primeiros seis meses de 2015, os juros líquidos atingiram 41,7 milhões de euros, valor similar ao do ano transato
(1S14: 41,5 milhões de euros) apesar do aumento do valor da dívida líquida, resultado do esforço ao nível da melhoria
das condições de pricing obtidas em novos financiamentos. Assim, os resultados financeiros líquidos reduziram para
42,8 milhões de euros (1S14: 51,1 milhões de euros), principalmente devido à redução dos custos com garantias e
serviços bancários e ao aumento dos ganhos do justo valor de instrumentos financeiros derivados.
9
0
IRC
IM
35
RL
Milhões de Euros
RL
IM
IRC
MEP
35
MEP
70
financeiros
70
financeiros
105
Composição Resultado Líquido
1º Semestre 2014 | Grupo
EBIT
140
105
EBIT
Milhões de Euros
140
Composição Resultado Líquido
1º Semestre 2015 | Grupo
0
A rubrica de ganhos e perdas em empresas associadas (MEP no gráfico) contribuiu positivamente para o resultado com
8,5 milhões de euros, face a um montante negativo de 5,7 milhões de euros no período homólogo, na sequência da
redução do impacto negativo da participação na Martifer. A Ascendi, sub-holding para a área de concessões rodoviárias,
contribuiu nos primeiros seis meses de 2015 com cerca de 9,5 milhões de euros e com cerca de 6 milhões de euros no
primeiro semestre de 2014.
Até junho de 2015 o imposto sobre lucros registou uma redução para 13,8 milhões de euros (1S14: 18,5 milhões de
Euros), tendo apesar disso a taxa efetiva verificado um aumento fruto do maior peso do resultado tributável dos
mercados com taxa nominal superior.
Fruto desta performance operacional e financeira, o resultado líquido foi de 29 milhões de euros e a margem líquida
atingiu 2,7% nos primeiros seis meses do ano. O resultado líquido atribuível ao GRUPO decresceu para 12,6 milhões de
euros (1S14: 31,1 milhões de euros), tendo tido também o impacto negativo de um aumento nos interesses minoritários
para 16 milhões de euros, na sequência da operação de entrada em bolsa da MOTA-ENGIL AFRICA em novembro de 2014.
Evolução da Carteira de Encomendas
6.000
3.357
3.870
4.413
Carteira de Encomendas
30 junho 2015
4.466
Europa E&C
16%
4.500
América
Latina
45%
Milhões de Euros
3.000
Europa A&S
5%
1.500
África
34%
0
2012
2013
2014
1S15
A carteira de encomendas, no final de junho de 2015, ascendia a cerca de 4,5 mil milhões de euros, dos quais cerca de
3,5 mil milhões de euros em mercados fora da Europa, representando 78% do total da carteira. Verificou-se assim uma
ligeira subida face ao valor do final de 2014, com a América Latina e África a registarem valores superiores a dezembro.
10
Na Europa a carteira de encomendas foi de 965 milhões de euros, mantendo-se relativamente estável face ao primeiro
trimestre de 2015, bem como a dezembro 2014. De entre os principais projetos atualmente em execução destacam-se
as obras rodoviárias S11 Ostrów-Wielkopolski, na Polónia, e I/11 Oldrichovice-Bystrice, na República Checa.
Em África a carteira de encomendas era de 1.504 milhões de euros registando uma composição mais diversificada e
consequentemente mais sustentável, mas também mais exigente. De facto as regiões de Este e Oeste já contribuem
com 11% para o total da carteira da região, e a região de SADC contribui com 48%. A contínua procura de novos projetos
e de soluções integradas permite manter a expetativa de crescimento dos valores da carteira de encomendas ao mesmo
tempo que é expetável que se registe a recuperação dos níveis de atividade global da região. De destacar que em curso,
entre outros, estão os projetos Barragem do Calueque e pavimentação das ruas de Luanda em Angola, reabilitação da
Linha do Sena II e um contrato mineração em Moçambique.
Já na América Latina, onde a carteira de encomendas ascendia a 2 mil milhões, o México continua a ser o país com
maior montante de entre as três regiões, tendo atingido 1,2 mil milhões de euros no final de junho de 2015. Naquela
região, há a destacar os projetos do metro de Guadalajara no México e o projeto rodoviário BR381 no Brasil. De
destacar, que tendo em conta as oportunidades que a região apresenta, é expetável que a carteira de encomendas
futura se mantenha robusta.
Como habitualmente, a carteira dos negócios fora da construção contempla apenas os contratos de prestação de
serviços nos segmentos de resíduos e manutenção. O GRUPO não considera na carteira de encomendas as receitas
previsíveis decorrentes dos contratos de concessão de água e saneamento e da exploração de terminais portuários.
De salientar adicionalmente que, já depois do fecho do segundo trimestre, o GRUPO ganhou um conjunto de obras
totalizando mais de 560 milhões de euros, dos quais se destacam, de forma não exaustiva:
• Na Europa: três contratos na Polónia totalizando cerca de 125 milhões de euros, entre os quais uma
pequena empreitada no segmento ferroviário (primeiro projeto desta especialidade neste mercado);
• Em África: vários contratos nas regiões SADC e Oeste no valor total de 60 milhões de euros;
• Na América Latina: novos contratos no montante total de cerca de 380 milhões de euros, com destaque
para um contrato ferroviário no Brasil, no valor de 113 milhões de euros, e um contrato para conservação e
reabilitação plurianual de estradas no México no valor de 115 milhões de euros.
11
2. Análise por áreas de negócio
Europa
Vendas e Prestação de Serviços
1º Semestre
EBITDA
1º Semestre
E&C
E&C
A&S
600
444
387
A&S
454
60
44
37
44
45
200
0
291
234
304
156
156
152
2013
2014
2015
Milhões de Euros
Milhões de Euros
400
30
17
13
23
15
0
27
24
21
2013
2014
2015
A área de negócios Europa inclui os negócios e empresas de Engenharia & Construção e de Ambiente & Serviços que o
GRUPO tem em Portugal e na Europa Central, ou que são geridos pela estrutura de gestão desta região. No domínio do
Ambiente & Serviços são desenvolvidas atividades nos setores da Logística (através da TERTIR), dos Resíduos (cujo veículo
é a SUMA), da Água (setor para o qual contribui a INDAQUA, contabilizada pelo método de equivalência patrimonial) e de
Energia & Manutenção.
O volume de negócios na Europa no primeiro semestre de 2015 foi de 454 milhões de euros, refletindo uma subida de
17% face ao período homólogo de 2014 (1S14: 387 milhões de euros). Este desempenho ficou a dever-se ao
crescimento verificado no segmento de Engenharia & Construção de 30% face ao mesmo período de 2014,
principalmente devido ao significativo aumento de atividade na Europa Central.
Também ao nível da rentabilidade operacional, foi possível superar, em 21%, o EBITDA face ao semestre homólogo,
devido não só ao crescimento da atividade como também ao aumento da margem do segmento de Engenharia &
Construção, de 5% para 8%, que compensou o decréscimo da margem no segmento de Ambiente & Serviços de 15%
para 14%.
12
EBITDA
1º Semestre
Vendas e Prestação de Serviços
1º Semestre
234 304
38
39
96 104
22
12,8 23,5
9
8,2 8,3
14,0 12,4 1,4 0,7
300
15
240
120
60
E&C
A&S Resí duos
A&S Logística
A&S - Energia
& Man.
1S15
10
1S15
Milhões de Euros
Milhões de Euros
180
0
1H14
1H14
5
0
E&C
A&S Resí duos
A&S Logística
A&S - Energia
& Man.
No primeiro semestre de 2015, o segmento de Resíduos na Europa manteve o volume de negócios em 39 milhões de
euros face ao período homólogo do ano anterior (1S14: 38 milhões de euros) mostrando mais uma vez a resiliência
deste negócio, tendo a margem EBITDA sido de 21%, relativamente em linha com o primeiro semestre de 2014.
O volume de negócios do segmento da Logística cresceu 8% para 104 milhões de euros no primeiro semestre face a
igual período do ano anterior (1S14: 96 milhões de euros), mantendo a tendência de recuperação registada nos últimos
trimestres. No entanto, a rentabilidade operacional tem vindo durante o ano 2015 a ser afetada pelo mix de atividade,
tendo-se assistido a um aumento do peso do negócio da TRANSITEX (serviços transitários). Assim, o segmento da Logística
apresentou no primeiro semestre de 2015, um EBITDA de 12,4 milhões o que corresponde a uma margem de EBITDA de
12%.
As empresas de Energia & Manutenção, têm agora a contribuição quase exclusiva da MANVIA pelo que se verificou uma
redução no seu volume de negócios. De assinalar no entanto a melhoria da margem operacional que atingiu 7,6% no
semestre.
Referência final, nesta área, ao segmento de Água. Consolidado pelo método de equivalência patrimonial, este
segmento não tem impacto nos resultados operacionais do GRUPO, mas destaca-se a sua performance operacional com a
margem EBITDA de cerca de 40% e o volume de negócios a registar uma subida de cerca de 6%, tendo assim contribuído
para o resultado do GRUPO em 0,6 milhões de euros.
13
África
Vendas e Prestação de Serviços
1º Semestre
600
433
557
EBITDA
1º Semestre
379
Milhões de Euros
de Euros
Milhões
2013
2014
2015
90
200
0
71
120
400
100
141
150
500
300
103
2013
2014
2015
60
30
0
No primeiro semestre de 2015, a área de negócios de África representou cerca de 35% da atividade total do GRUPO
MOTA-ENGIL (1S14: 50%), o que se deveu, à redução do volume de negócios na região e do aumento na Europa e na
América Latina.
Assim, até junho de 2015, o volume de negócios em África ascendeu a 379 milhões de euros, uma redução face ao valor
do ano anterior (557 milhões de euros), devido principalmente à menor atividade no Malawi e em Angola e que não foi
compensada pelo aumento da atividade registada tanto na região de SADC, nomeadamente em Moçambique, como nas
regiões Oeste e Este. Estas duas regiões representaram 3,9% do total, face a 1,6% em igual período de 2014.
A margem EBITDA da região foi de 18,8%, tendo apresentado uma evolução positiva no segundo trimestre do ano face
ao primeiro trimestre, ainda assim abaixo dos valores do período homólogo do ano anterior, mas em linha com as
perspetivas de aceleração no segundo semestre. Tal evolução deve-se ao impacto, positivo em 2014, do projeto do
Corredor de Nacala, mas também, embora em menor escala ao esforço de arranque de diversos projetos nas regiões da
SADC e Oeste, que pressiona pontualmente as margens, fazendo com que o ano de 2015 seja um período de transição
tanto em termos de evolução da atividade, como de performance operacional.
14
América Latina
Vendas e Prestação de Serviços
1º Semestre
189
233
EBITDA
1º Semestre
289
250
16
21
26
2013
2014
2015
25
200
20
15
100
Milhões de Euros
Milhões de Euros
150
50
0
2013
2014
2015
10
5
0
Na América Latina verificou-se um crescimento de 24% da atividade para 289 milhões de euros (1S14: 233 milhões de
euros), o que representou 27% do total do GRUPO (1S14: 21%), contribuindo para o balanceamento do contributo das
três regiões para o volume de negócios consolidado.
Aquele aumento foi resultado da melhor performance de todos os países, exceto o Peru, onde o volume de negócios se
manteve em níveis inferiores aos do ano transato, embora do ponto de vista de resultados operacionais também este
país registou uma recuperação na performance.
Assim, no que se refere à rentabilidade operacional, assistiu-se a uma subida de 23% no EBITDA para cerca de 25,7
milhões de euros (1S14: 20,9 milhões de euros) com a margem a atingir 8,9%.
Relativamente ao Brasil, deverá ser destacado que, apesar da conjuntura menos desfavorável, este mercado continua a
representar excelentes oportunidades, principalmente no setor de clientes privados, a que o Grupo tem vindo a dedicar
atenção embora com adequado conservadorismo.
Destaque por fim, para o arranque, já no terceiro trimestre, de várias obras associadas às concessões recentemente
anunciadas (México e Colômbia) que permitirá acelerar o ritmo do crescimento da atividade da região.
15
3. Comportamento das ações e dividendos
Quantidade de ações transacionadas
por trimestre
Evolução da performance do título
1º Semestre 2015
150%
80
140%
130%
60
120%
110%
100%
90%
20
2013
2014
2015
ME
PSI20
jun-15
4T
mai-15
3T
abr-15
2T
mar-15
1T
fev-15
70%
0
jan-15
80%
dez-14
Milhões de ações
40
SXOP
No primeiro semestre de 2015 o mercado acionista português, PSI20, apresentou uma performance positiva de 16%,
tendo sido no entanto negativamente influenciado no segundo trimestre pelo impacto da crise que caracterizou a
Europa e mais especificamente a Grécia, no contexto das negociações deste país com a União Europeia referentes à
necessidade de um novo resgaste financeiro. A incerteza à volta das negociações conduziu ao aumento da aversão ao
risco por parte dos investidores e ao aumento da volatilidade do mercado acionista, nomeadamente Europeu. Assim, no
segundo trimestre aquele índice apresentou uma performance negativa de 7%. Também o índice europeu do sector de
Construção, SXOP, seguiu a mesma tendência, tendo fechado o semestre a valorizar 14%, não obstante a desvalorização
do segundo trimestre de 4%.
A ação da MOTA-ENGIL no primeiro semestre de 2015 apresentou uma desvalorização de 14%, invertendo assim a
tendência de subida do primeiro trimestre, quando a ação valorizou 29%. A inversão da tendência do segundo trimestre,
comum ao mercado acionista naquele período, foi também influenciada por notícias relativas à performance financeira
de algumas empresas do sector de construção, mas também pelo contexto adverso em relação aos países periféricos da
zona Euro. De destacar adicionalmente que apesar da recuperação do preço do petróleo no segundo trimestre, a
maioria das commodities continuaram em terreno negativo sem grande visibilidade para a sua recuperação no médio e
longo prazo, influenciando a perceção de risco das empresas com atividade em países expostos ao preço das
commodities, nomeadamente em África.
Assim, a ação MOTA-ENGIL fechou o semestre em 2,282 euros, tendo atingindo um máximo e um mínimo de 3,643 euros
e de 1,936 euros, respetivamente. Nesse período foram transacionadas na Euronext Lisbon 117 milhões de ações da
MOTA-ENGIL, o que correspondeu a um volume médio diário de 934 mil ações.
16
A Assembleia Geral de Acionistas, que teve lugar dia 28 de maio de 2015, aprovou a distribuição de um dividendo de
doze cêntimos (0,12 euros) por ação relativo ao exercício de 2014, em linha com a política de distribuição de dividendos
em vigor da MOTA-ENGIL que define um rácio de “payout” entre 50% e 75% do resultado líquido recorrente.
Porto, 30 de agosto de 2015
Gonçalo Moura Martins
Chief Executive Officer
José Pedro Freitas
Chief Financial Officer
17
18
19
20
Demonstrações consolidadas dos resultados para os semestres e trimestres findos em 30 de junho de 2015 e 2014 1º Semestre
Notas
2015
€ '000
(não auditado)
2º Trimestre
2014
€ '000
(não auditado)
2015
€ '000
(não auditado)
2014
€ '000
(não auditado)
Venda s e pres ta ções de s ervi ços
2
Outros rendi mentos
Cus to da s merca dori a s vendi da s , ma téri a s cons umi da s e Subcontra tos
1.074.418 1.122.419 590.955 634.724
8.785 44.337 (6) 19.697
(498.509) (485.457) (298.450) (286.505)
Resultado bruto
584.694
Forneci mentos e s ervi ços externos
Ga s tos com pes s oa l
Outros ga s tos e perda s
(223.711) (259.938) (109.627) (134.922)
(231.911) (220.754) (118.847) (116.316)
16.021 (5.880) 15.609 2.331
2
145.093
681.298
194.726
292.499
79.634
367.916
119.010
Amorti za ções
Provis ões e perda s de i mpa ri da de
(66.601) (67.180) (34.883) (40.911)
(1.883) (7.431) (1.599) (5.686)
Resultado operacional
76.609
Rendi mentos e ga nhos fi na ncei ros
3
Ga s tos e perda s fi na ncei ra s
3
Ga nhos / (perda s ) em empres a s a s s oci a da s e conjunta mente control a da s
Resultado antes de imposto
Impos to s obre o rendi mento
18.810 13.570 4.567 6.089
(61.606) (64.681) (29.218) (32.034)
8.500 (5.691) 4.610 (2.878)
42.314 63.314 23.112 43.590
(13.803) (18.457) (2.863) (11.542)
Resultado líquido consolidado do período
28.510
44.857
20.249
32.048
Atribuível:
a interesses que não controlam
ao Grupo
15.935
12.575
13.773
31.083
11.074
9.175
8.304
23.745
Resultado por ação:
básico
diluído
120.116
0,061 €
0,152 €
4
0,061 €
0,152 €
4
Pa ra s er l i do com o a nexo à s demons tra ções fi na ncei ra s cons ol i da da s
43.153
0,045 €
0,045 €
72.413
0,116 €
0,116 €
21
Demonstrações consolidadas dos resultados e do outro rendimento integral para os semestres e trimestres findos em 30 de junho de 2015 e 2014 1º Semestre
2015
€ '000
2º Trimestre
2014
€ '000
2015
€ '000
2014
€ '000
(não auditado)
(não auditado)
(não auditado)
(não auditado)
Resultado líquido consolidado do período
28.510
44.857
20.249
32.048
Itens de outro rendimento integral que poderão vir a ser reclassificados para a demonstração dos resultados
Diferenças cambiais decorrentes da transposição de demonstrações financeiras expressas em moeda estrangeira
Variação, líquida de impostos, no justo valor de instrumentos financeiros derivados
Outro rendimento integral de investimentos financeiros em equivalência patrimonial
Outro rendimento integral 19.634 6.265
52 71
24.550 (28.248)
(5.897) (2.574)
Total do rendimento integral consolidado do período
66.849
20.370
4.048
18.068
48.781
Para ser lido com o anexo às demonstrações financeiras consolidadas
13.890
6.479
(2.134) 7.708
6.182 5.483
Atribuível:
a interesses que não controlam
ao Grupo
22
(30.020) 5.327
18 ‐
19.701 (23.449)
(5.900) (735)
13.192
Demonstrações da posição financeira consolidada em 30 de junho de 2015 e 31 de dezembro de 2014 2015
€ '000
Notas
Ativo
Não corrente
Goodwill
Ativos intangíveis
Ativos tangíveis
Investimentos financeiros em empresas associadas e conjuntamente controladas
Investimentos financeiros disponíveis para venda
Propriedades de investimento
Clientes e outros devedores
Outros ativos não correntes Instrumentos financeiros derivados
Ativos por impostos diferidos
Caixa e seus equivalentes a prazo
Corrente
Inventários
Clientes
Outros devedores
Estado e outros entes públicos
Outros ativos correntes
Caixa e seus equivalentes a prazo
Caixa e seus equivalentes à vista
5
6
7
8
8
8
Ativos não correntes detidos para venda
Total do Ativo
Passivo
Não corrente
Empréstimos
Fornecedores e credores diversos
Provisões
Outros passivos não correntes
Passivos por impostos diferidos
Corrente
Empréstimos
Fornecedores
Instrumentos financeiros derivados
Credores diversos
Estado e outros entes públicos
Outros passivos correntes
Total do Passivo
Capital Próprio
Capital
Reservas
Resultado líquido consolidado do período
2014
€ '000
(não auditado)
(auditado)
136.454
124.222
771.464
196.782
66.668
70.205
225.659
8.877
7.915
60.510
‐
136.677
127.668
771.662
161.697
51.026
69.106
215.093
13.017
4.214
56.052
68.067
1.668.756
1.674.279
291.421
899.402
274.791
36.497
540.713
66.007
276.469
301.421
975.740
253.942
40.372
363.488
5.190
317.349
2.385.299
2.257.503
29.964
29.980
2
4.084.020
3.961.761
9
722.460
152.390
123.373
4.036
36.185
996.857
157.832
125.120
4.181
40.456
1.038.444
1.324.445
9
917.837
413.653
157
486.329
58.133
553.691
552.260
431.792
313
526.575
56.748
491.639
2.429.800
2.059.328
2
3.468.244
3.383.773
204.636
120.866
12.575
204.636
58.665
50.550
Capital próprio atribuível ao Grupo
338.076
313.851
Interesses que não controlam
277.700
264.137
Total do Capital próprio
615.776
577.988
Total do Capital próprio e Passivo
4.084.020
3.961.761
Para ser lido com o anexo às demonstrações financeiras consolidadas
23
Demonstrações das para os períodos findos em 30 de Reservas de justo valor
Capital
Ações próprias
Prémio de emissão
Invest. disponíveis Terrenos de ativos para venda
minerais e outros
Derivados
Saldo em 1 de janeiro de 2014 (auditado)
204.636
(22.749)
87.256
27.702
10.306
(499)
Total do rendimento integral consolidado do exercício
Distribuição de dividendos
Alienação de ações próprias
‐
‐
‐
‐
‐
22.749
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
71
‐
‐
Transferências para outras reservas
‐
‐
‐
‐
‐
‐
Saldo em 30 de junho de 2014 (não auditado)
204.636
‐
87.256
27.702
10.306
(428)
Saldo em 1 de janeiro de 2015 (auditado)
204.636
‐
44.435
27.702
2.968
(238)
Total do rendimento integral consolidado do exercício
Distribuição de dividendos
Transferências para outras reservas
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
52
‐
‐
204.636
‐
44.435
27.702
2.968
(187)
Saldo em 30 de junho de 2015 (não auditado)
Para ser lido com o anexo às demonstrações financeiras consolidadas
24
alterações no capital próprio junho de 2015 e 2014 Reserva de conversão cambial
Outras reservas Resultado líquido do período
50.505
Capital próprio atribuível a acionistas
Capital próprio atribuível a int. que não controlam
Total do capital próprio
357.495
201.731
559.226
(53.001)
53.341
4.691
‐
‐
(29.366) 31.083
(25.273) ‐
25.178 ‐
‐
50.505
(50.505) ‐
‐
‐
(48.310)
74.385
31.083
386.629
196.483
583.112
(32.131)
15.929
50.550
313.851
264.137
577.988
14.112
‐
‐
22.042 12.575 48.781 18.068 66.849
(24.556) ‐ (24.556) (4.505) (29.061)
50.550 (50.550) ‐ ‐ ‐
(18.019)
63.966
12.575
6.479 13.890
(25.273) (19.138)
47.927 ‐
338.076
277.700
20.370
(44.410)
47.927
615.776
25
Demonstrações consolidadas dos fluxos de caixa para os semestres findos em 31 de junho de 2015 e 2014 Notas
Atividades operacionais
Recebimentos de clientes
Pagamentos a fornecedores
Pagamentos ao pessoal
2015
€ '000
2014
€ '000
(não auditado)
(não auditado)
946.206 943.228
(768.365) (820.342)
(152.276) (173.967)
Fluxos gerados pelas operações
25.565
Pagamento/Recebimento de imposto sobre o rendimento
Outros recebimentos/pagamentos de atividades operacionais
(51.081)
(6.547) (26.453)
4.074 4.255
Fluxos das atividades operacionais (1)
Atividades de investimento
Recebimentos provenientes de:
Investimentos financeiros
Ativos intangíveis
Ativos tangíveis
Subsídios de investimento
Juros e proveitos similares
Dividendos Pagamentos respeitantes a:
Investimentos financeiros
Ativos intangíveis
Ativos tangíveis
23.092
(73.279)
625
309
17.386
93
3.386
1.362
‐
8
5.434
‐
2.247
1.043
23.162
8.731
(6.669) ‐
(2.228) (6.615)
(68.772) (72.795)
(77.669) (79.410)
Fluxos das atividades de investimento (2)
(54.508) (70.679)
Atividades de financiamento
Recebimentos provenientes de:
Empréstimos obtidos
Venda de ações/quotas próprias
Pagamentos respeitantes a:
Empréstimos obtidos
Amortizações de contratos de locação financeira
Juros e custos similares
Dividendos
Outros
123.444
‐
203.979
49.251
123.444
253.230
(32.264)
(25.465)
(59.662)
(30.602)
‐
(69.040)
(24.205)
(44.943)
(57.134)
(3.197)
(147.993) (198.519)
Fluxos das atividades de financiamento (3)
(24.549) 54.711
Variação de caixa e seus equivalentes (4)=(1)+(2)+(3)
Variações decorrentes de alterações de perímetro
Efeito das diferenças de câmbio
Caixa e seus equivalentes no início do período
8
(55.964) (89.247)
60 37
7.774 1.550
390.606 359.733
Caixa e seus equivalentes no fim do período
8
342.475
Para ser lido em conjunto com o anexo às demonstrações financeiras consolidadas
26
272.072
0. Nota Introdutória
A MOTA‐ENGIL, SGPS, SA, com sede no Edifício Mota, Rua do Rego Lameiro, nº38 4300‐454 Porto (MOTA‐ENGIL SGPS ou EMPRESA), e empresas participadas (GRUPO), têm como atividade principal as empreitadas de obras públicas e privadas e atividades com elas conexas. A descrição mais detalhada das atividades do GRUPO é fornecida na Nota 2. Segmentos de Negócio deste anexo. Todos os montantes explicitados nestas notas são apresentados em milhares de euros, salvo se expressamente referido em contrário. 1. Políticas Contabilísticas 1.1. Bases de apresentação As demonstrações financeiras consolidadas do GRUPO MOTA‐ENGIL foram preparadas no pressuposto da continuidade das operações, a partir dos livros e registos contabilísticos das empresas que constituem o GRUPO ajustados no processo de consolidação. Estas demonstrações financeiras consolidadas foram preparadas de acordo com as Normas Internacionais de Relato Financeiro (IAS/IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB) e as interpretações emitidas pelo International Financial Reporting Interpretations Committee (IFRIC) ou pelo anterior Standards Interpretation Committee (SIC), tal como adotadas pela União Europeia à data de 30 de junho de 2015. No que se refere às empresas do Grupo que utilizam normativos contabilísticos diferentes, são efetuados ajustamentos de conversão para as IAS/IFRS. As demonstrações financeiras consolidadas do GRUPO MOTA‐ENGIL relativas ao período findo em 30 de junho de 2015 foram elaboradas de acordo com as políticas contabilísticas e métodos de cálculo adotados pelo GRUPO apresentados no Relatório e Contas Consolidadas de 2014, tendo em consideração as disposições da IAS 34 ‐ Relato Financeiro Intercalar. Durante o período findo em 30 de junho de 2015 tornaram‐se aplicáveis as seguintes normas, interpretações, alterações e revisões aprovadas (“endorsed”) pela União Europeia: Regulamento da UE
Regulamento (UE) n.º 2015/29
Regulamento (UE) n.º 2015/28
Norma
Emenda à norma IAS 19 ‐ Benefícios dos empregados
Melhoramentos das normas internacionais de relato financeiro (ciclo 2010‐2012)
Data de emissão
Data de aplicabilidade obrigatória
novembro de 2013
dezembro de 2013
1 julho de 2014
1 julho de 2014
A aplicação destas normas não produziu efeitos significativos nas presentes demonstrações financeiras consolidadas. As demonstrações financeiras consolidadas são apresentadas em Euro por esta ser a moeda principal das operações do GRUPO. As demonstrações financeiras das empresas participadas em moeda estrangeira foram convertidas em Euro de acordo com as políticas contabilísticas descritas na alínea xiii) dos principais critérios valorimétricos apresentados no Relatório e Contas Consolidadas de 2014. Todas as estimativas e assunções efetuadas pelo Conselho de Administração foram efetuadas com base no seu conhecimento à data de aprovação das demonstrações financeiras, dos eventos e transações em curso. Na preparação das demonstrações financeiras consolidadas, em conformidade com as IAS/IFRS, o Conselho de Administração do GRUPO adotou certos pressupostos e estimativas que afetam os ativos e passivos reportados, bem como os rendimentos e gastos incorridos relativos aos períodos reportados, os quais estão descritos na alínea xxi) dos principais critérios valorimétricos apresentados no Relatório e Contas Consolidadas de 2014. 27
2. Segmentos de negócio O GRUPO serve‐se da sua organização interna para efeitos de gestão como base para o seu reporte da informação por segmentos operacionais. O Grupo encontra‐se organizado pelas seguintes áreas geográficas: Europa, África e América Latina. Os valores relativos à MOTA‐ENGIL SGPS, à MESP e às sociedades do GRUPO da área do Turismo estão incluídos na linha “Outros, eliminações e intragrupo”, a qual inclui também os montantes relativos aos fluxos e saldos entre os segmentos operacionais. Nos primeiros seis meses de 2015 não ocorreram alterações materialmente relevantes ao perímetro de consolidação, pelo que não são apresentados os efeitos nas principais rubricas da demonstração da posição financeira e da demonstração dos resultados. As empresas incluídas na consolidação e respetivos métodos de consolidação, sedes, percentagem efetiva de participação, atividade, data de constituição e data de aquisição das participações financeiras são tal como se apresenta no Apêndice A. As principais alterações ocorridas no perímetro da consolidação durante o período findo em 30 de junho de 2015 encontram‐
se referidas na Nota 10. Alterações de perímetro. A informação financeira por segmentos operacionais pode ser analisada como se segue: Vendas e Prestação de Serviços
Europa
África
América Latina
Outros, eliminações e Intragrupo
Grupo Mota‐Engil
EBITDA
2015
2014
2015
2014
453.503
378.865
289.211
387.330
556.836
233.067
44.247
71.222
25.712
36.588
140.989
20.934
(47.161)
(54.814) 3.913
(3.785)
Em 30 de junho de 2015, as vendas e prestações de serviços efetuadas entre segmentos de negócio estão incluídas na linha “Outros, eliminações e intragrupo”. Durante os períodos findos em 30 de junho de 2015 e 2014, as vendas intragrupo foram efetuadas a preços semelhantes aos praticados para as vendas a clientes externos. 28
1.074.418
1.122.419
145.093
194.726
O ativo líquido total e o passivo do GRUPO por segmentos de negócio podem ser analisados como se segue: Ativo
Europa
África
América Latina
Passivo
2015
2014
2015
2014
1.811.216
1.767.669
693.083
1.885.709
1.694.751
536.591
1.261.619
1.322.153
616.630
1.340.577
1.287.013
464.973
Outros, eliminações e Intragrupo
(187.948)
(155.289) 267.842
Grupo Mota‐Engil
4.084.020
3.961.761
3.468.244
291.211
3.383.773
3. Resultados financeiros Os resultados financeiros dos períodos findos em 30 de junho de 2015 e 2014 podem ser analisados como se segue: 2015
2014
Rendimentos e ganhos financeiros
Empréstimos e contas a receber:
Juros obtidos
Descontos de pronto pagamento obtidos
Diferenças de câmbio favoráveis
10.477
409
‐
7.391
177
2.837
Outros ativos e passivos financeiros:
Rendimentos de imóveis
Ganhos de justo valor ‐ Instrumentos financeiros derivados
515
5.201
457
908
Outros rendimentos e ganhos financeiros
Gastos e perdas financeiras
Empréstimos e contas a pagar:
Juros suportados
Descontos de pronto pagamento concedidos
Diferenças de câmbio desfavoráveis
Outros gastos e perdas financeiros
2.209
1.801
18.810
13.570
52.191
167
466
48.916
58
‐
8.781
15.708
61.606
64.681
(42.796)
(51.111)
A rubrica “Rendimentos de imóveis” inclui, essencialmente, a renda de imóveis localizados em Portugal. A rubrica “Outros custos e perdas financeiras” inclui, essencialmente, os custos com garantias bancárias, com a montagem de empréstimos e diversas comissões e outros custos debitados por instituições financeiras. 29
4. Resultados por ação A EMPRESA emitiu apenas ações ordinárias, pelo que não existem direitos especiais de dividendo ou voto. Não se verifica no GRUPO qualquer situação que possa representar uma redução dos resultados por ação com origem em opções, “warrants”, obrigações convertíveis ou outros direitos associados a ações ordinárias. Assim, não existe dissemelhança entre o cálculo do resultado por ação básico e o cálculo do resultado por ação diluído. Durante os períodos findos em 30 de junho de 2015 e 2014, não foram emitidas quaisquer ações ordinárias. Para os períodos findos em 30 de junho de 2015 e 2014, o apuramento dos resultados por ação pode ser demonstrado como se segue: Resultado líquido consolidado do período atribuível ao Grupo
Número total de ações ordinárias
Número de ações próprias no final dos 6 Meses
Número médio ponderado de ações próprias
Número de ações em circulação
30
(I)
12.575
(II)
(III)
204.635.695
‐
31.083
‐
204.635.695
‐
(IV)
‐
‐
204.635.695
204.635.695
‐
0,152 €
0,152 €
(I) / (II ‐ IV)
(I) / (II ‐ IV)
2014
(II ‐ IV)
Resultado por ação:
básico
diluído
2015
0,061 €
0,061 €
5. Goodwill A informação relativa ao goodwill, com referência ao período findo em 30 de junho de 2015 e ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014, pode ser analisada como se segue: 2014
2015
Imparidades do exercício
Variação de perímetro
8.739
1.144
1.787
‐
‐
‐
‐
‐
‐
8.739
1.144
1.787
8.571
1.139
1.787
11.671
‐
‐
11.671
11.497
9.555
100.856
1.134
‐
‐
‐
‐
‐
‐
9.555
100.856
1.134
9.555
100.856
1.134
111.544
‐
‐
111.544
111.544
1.440
143
1.841
3.437
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
‐
1.440
143
1.841
3.437
1.440
143
1.841
3.341
6.861
‐
‐
6.861
6.765
5.765
612
‐
‐
‐
‐
5.765
612
6.211
660
6.377
‐
‐
6.377
6.871
136.454
‐
‐
136.454
136.677
% de aquisição
2015
2014
136.677
133.611
‐
‐
3.341
660
‐
4.000
‐
‐
‐
(196)
(524)
(720)
‐
‐
(30)
(30)
(446)
‐
‐
223
70
(245)
(4)
(6)
Goodwill Europa ‐ Engenharia e Construção
Mota‐Engil Central Europe Polónia
Mota‐Engil Central Europe Republica Checa
Outros
Europa ‐ Ambiente e Serviços
Grupo Suma
Grupo Tertir
Outros
África
Cecot
Mota‐Engil S.Tomé
Vista Water
ME Construction South Africa
América Latina
Empresa Construtora Brasil
Consita
Goodwill líquido
Goodwill líquido
Os movimentos ocorridos no goodwill durante os primeiros seis meses findos em 30 de junho de 2015 e o exercício de 2014 são como se segue: Goodwill no início do período
Aumentos no goodwill
ME Construction South Africa
Consita
100%
70%
Perdas de Imparidade
Ekosrodowisko Grupo Suma
Alterações no goodwill por variação de perímetro
Sol‐S Internacional
Alterações no goodwill por atualização cambial
Empresa Construtora Brasil
Mota‐Engil Central Europe Polónia
Mota‐Engil Central Europe República Checa
Outras
(224) (184)
Goodwill no final do período
136.454
136.677
31
6. Investimentos financeiros em empreendimentos conjuntos e associadas Em 30 de junho de 2015 e 31 de dezembro de 2014, a composição dos valores referentes a investimentos financeiros em empreendimentos conjuntos e associadas é como se segue: Empresas associadas
Grupo Obol Invest
HEPP
Grupo Suma associadas
Grupo SLPP
Ibercargo (Esp)
Manvia II Condutas
Tersado
Autopista Urbana Siervo de la Nacion
Concessionária Autopista Cardel
Concessionária Autopista Tuxpan‐Tampico
Grupo Martifer
Outros
Empresas conjuntamente controladas
Grupo Ascendi
Grupo Indaqua
TPE Paita
2015
2014
22.692
1.555
2.616
2.053
56
923
822
2.241
4.180
9.609
‐
5.751
22.651
1.556
2.691
1.804
34
832
1.116
2.071
2.180
8.880
2.079
5.851
84.960
23.519
35.804
55.039
21.941
32.972
196.782
161.697
7. Investimentos financeiros disponíveis para venda Em 30 de junho de 2015 e 31 de dezembro de 2014, o detalhe dos investimentos financeiros disponíveis para venda é como se segue: Partes de capital (registadas ao custo de aquisição)
Auto ‐ Sueco Angola
BAI‐Banco Angolano de Investimentos
Carbine Tungstene
Ecodetra
Ersuc
Tirtife
Outros
2015
2014
2.724
39.904
1.704
1.153
554
901
2.030
2.724
39.904
1.704
1.153
554
901
2.269
48.970
49.208
2015
2014
12.867
5
‐
11
12.872
11
2015
2014
4.800
26
1.800
7
Títulos e outras aplicações
Tílulos Governo Angolano
Outros
Adiantamentos e outros investimentos
Estradas do Zambeze
Outros
Investimentos financeiros disponíveis para venda
32
4.826
1.807
66.668
51.026
8. Caixa e seus equivalentes Os montantes relativos à rubrica caixa e seus equivalentes, com referência ao período findo em 30 de junho de 2015 e ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014, são como se segue: à Vista
Outras aplicações financeiras
Depósitos bancários e caixa
Depósitos bancários
Caixa
a prazo
(1)
Total
2015
2014
2015
2014
2015
2014
4.398
5.040
‐
‐
4.398
5.040
265.856
6.215
306.563
5.745
66.007
‐
73.257
‐
331.863
6.215
379.821
5.745
276.469
317.349
66.007
73.257
342.475
390.606
(1) Inclui o montante de 68.067 milhares de euros registado em não corrente em 2014.
9. Endividamento Os montantes relativos ao endividamento, com referência ao período findo em 30 de junho de 2015 e ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014, são como se segue: 2015
Empréstimos por obrigações não convertíveis
Dívidas a instituições de crédito:
Empréstimos bancários
Descobertos bancários
Contas caucionadas
Outros empréstimos obtidos:
Emissões de papel comercial
Outros empréstimos
2014
Empréstimos por obrigações não convertíveis
Dívidas a instituições de crédito:
Empréstimos bancários
Descobertos bancários
Contas caucionadas
Outros empréstimos obtidos:
Emissões de papel comercial
Outros empréstimos
Corrente
( a 1 ano)
a 2 anos
entre 3 e 5 anos
a mais de 5 anos
Não corrente
Total
223.850
7.500
235.457
‐
242.957
466.807
274.628
114.388
211.577
105.065
‐
‐
114.773
‐
‐
18.420
‐
‐
238.258
‐
‐
512.886
114.388
211.577
91.187
2.208
39.650
3.408
193.077
4.743
‐
366
232.727
8.518
323.914
10.725
917.837
155.623
548.050
18.786
722.460
1.640.297
10.000
226.183
230.743
‐
456.926
466.926
197.540
59.340
201.715
115.092
‐
‐
147.947
‐
‐
21.016
‐
‐
284.055
‐
‐
481.595
59.340
201.715
81.400
2.265
35.340
2.534
211.436
6.199
‐
366
246.776
9.099
328.176
11.364
552.260
379.148
596.326
21.383
996.857
1.549.117
As emissões de papel comercial, embora tenham o seu vencimento no prazo de um ano, encontram‐se abrangidas por programas de médio e longo prazo que asseguram a sua renovação automática ao longo do tempo. Nestas circunstâncias, e dado que o Conselho de Administração do GRUPO pretende continuar a utilizar as referidas emissões no longo prazo, registou tais dívidas no médio e longo prazo. 33
10. Alterações de perímetro No período findo em 30 de junho de 2015, não ocorreram alterações ao perímetro materialmente relevantes, pelo que não são apresentados os efeitos nas principais rubricas da demonstração da posição financeira e da demonstração dos resultados. Durante os primeiros seis meses de 2015, as alterações ocorridas no perímetro de consolidação foram como se segue: Constituição de empresas Área de Negócio ‐ Europa Engenharia e Construção
Bukowi nska Project Devel opment
Área de Negócio ‐ Europa ‐ Ambiente e Serviços
Transitex China
Transitex Serviços de Logistica Área de Negócio ‐ América
Mota‐Engil Turismo (Mex)
Fusão de empresas, reorganizações societárias e alterações de percentagem de participação Área de Negócio ‐ Europa Engenharia e Construção
Száz ‐ Invest na Mota‐Engil Real Estate Hungria
Bicske Plaza na Mota‐Engil Real Estate Hungria
Zold‐Project 2 na Mota‐Engil Real Estate Hungria
Saída de empresas Área de Negócio ‐ Europa ‐ Engenharia e Construção
M‐Inves t Bohdal ec di s sol vi da em a bri l 2015
ME Project 1 di ss ol vi da em abri l 2015
Jeremi as ova foi a l i enada em abri l 2015
34
APÊNDICE A
Apêndice A. Empresas consolidadas
Empresas incluídas na consolidação pelo Método da Consolidação Integral
As empresas incluídas na consolidação pelo Método da Consolidação Integral, respetivas sedes, proporção do capital detido,
atividade, data de constituição e data de aquisição das participações financeiras são as seguintes:
Designação
Sede
Percentagem
efetiva da
participação
Atividade
Data de
constituição
Data de aquisição
-
Gestão de participações financeiras
ago-90
-
100,00
Promoção imobiliária
-
out-01
Gestão de participações financeiras
out-11
-
Serviços administrativos
dez-02
-
Promoção e desenvolvimento de marcas e
outra propriedade intelectual
dez-09
-
Gestão de participações financeiras
nov-10
-
Promoção imobiliária
mar-02
-
Assessoria e serviços a empresas
dez-12
-
abr-11
-
Comércio ou negócio de prospeção,
exploração e beneficiamento de minerais
mar-11
-
Comércio ou negócio de prospeção,
exploração e beneficiamento de minerais
mai-11
-
out-10
-
Imobiliário e turismo
-
mai-00
Prática e comercialização de golfe e
atividades relacionadas
dez-00
-
Execução de obras e compra e venda de
imóveis
Promoção imobiliária
-
dez-00
dez-93
-
Promoção imobiliária
-
set-00
Extração de saibro, areia e pedra britada
mar-77
out-09
Construções, estudos e realizações
imobiliárias
-
nov-00
Promoção imobiliária
jun-94
-
Promoção imobiliária
mar-02
-
Tratamento de resíduos, exploração e
gestão de sistemas de água
Fundações especiais
jan-08
-
fev-96
dez-95
Promoção imobiliária
jul-09
mar-11
Execução de obras
jan-97
jan-01
Construção civil
out-07
-
Empresa - Mãe do Grupo e Atividades Conexas
Mota-Engil, SGPS, S.A., Sociedade Aberta ("Mota-Engil SGPS")
Largo do Paço – Investimentos Turísticos e Imobiliários, Lda. ("Largo do
Paço")
Através da Mota-Engil SGPS
ME 3I, SGPS, S.A. ("ME 3I SGPS")
Através da Mota-Engil Indústria e Inovação
MESP - Mota Engil , Serviços Partilhados, Administrativos e de Gestão, S.A.
("Mota-Engil Serviços Partilhados")
Através da Mota-Engil Engenharia
Mota-Engil, Brands Development Limited ("Mota-Engil Brands
Development")
Através da Mota-Engil, SGPS
Mota-Engil Indústria e Inovação, SGPS, S.A. ("Mota-Engil Indústria e
Inovação")
Através da Mota-Engil SGPS
MK Contractors, LLC ("MKC")
Através da Mota-Engil Engenharia
Mota-Engil Finance, B.V. ("ME Finance BV")
Através da Mota-Engil SGPS
Mota-Engil Mining Management (Proprietary) Limited ("ME Mining
Management")
Através da Mota-Engil Minerals Mining Investment B.V.
Mota-Engil Minerals & Mining (Malawi) Limited ("ME Minerals & Mining
Malawi")
Através da Mota-Engil Minerals Mining Investment B.V.
Mota-Engil Minerals & Mining (Zimbabwe) (Private) Limited ("ME Minerals
& Mining Zimbabwe")
Através da Mota-Engil Minerals Mining Investment B.V.
Mota-Engil Minerals Mining Investment B.V. ("ME Minerals Mining
Investment BV")
Através da Mota-Engil SGPS
RTA - Rio Tâmega, Turismo e Recreio, S.A. ("RTA")
Através da Mota-Engil SGPS
SGA – Sociedade de Golfe de Amarante, S.A. ("SGA")
Através da RTA
Através da Mota-Engil Engenharia
Portugal
(Porto)
Portugal
(Amarante)
Portugal
(Linda-a-Velha)
Portugal
(Porto)
Irlanda
(Dublin)
Portugal
(Linda-a-Velha)
EUA
(Miami)
Holanda
(Amesterdão)
Africa do Sul
(Joanesburgo)
Malawi
(Lilongwe)
Zimbabwe
(Harare)
Holanda
(Amesterdão)
Portugal
(Amarante)
Portugal
(Amarante)
100,00
61,20
61,20
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
99,99
99,99
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
97,17
96,89
0,28
Gestão de recursos humanos na
mineração
Gestão de outras empresas
Europa
Engenharia e construção
Mota-Engil Engenharia e Construção, S.A. (“Mota-Engil Engenharia”)
Através da Mota-Engil Europa
Aurimove – Sociedade Imobiliária, S.A. (“Aurimove”)
Através da Mota-Engil Real Estate Portugal
Calçadas do Douro - Sociedade Imobiliária, Lda. (“Calçadas do Douro”)
Através da Mota-Engil Real Estate Portugal
Carlos Augusto Pinto dos Santos & Filhos S.A. ("Capsfil")
Através da Mota-Engil Engenharia
Corgimobil - Empresa Imobiliária das Corgas, Lda. ("Corgimobil")
Através da Mota-Engil Engenharia
Através da Mota-Engil Real Estate Portugal
Edifício Mota Viso – Soc. Imobiliária, Lda. (“Mota Viso”)
Através da Mota-Engil Real Estate Portugal
Edipainel – Sociedade Imobiliária, Lda. (“Edipainel”)
Através da Mota-Engil Real Estate Portugal
Através da Mota–Engil Engenharia
Glan Agua, Ltd (“Glanagua”)
Através da MEIS
Grossiman, S.L. ("Grossiman")
Através da Mota-Engil Engenharia
Mercado Urbano - Gestão Imobiliária, S.A. ("Mercado Urbano")
Através da Mota-Engil Engenharia
Motadómus - Sociedade Imobiliária, Lda. ("Motadómus")
Através da Aurimove
Através da Mota-Engil Real Estate Portugal
Mota-Engil Ireland Construction Limited (“Mota-Engil Irlanda”)
Através da Mota-Engil Engenharia
Portugal
(Amarante)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Vila Flor)
Portugal
(Cascais)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Porto)
Irlanda
(Ballinasloe)
Espanha
(Alcobendas)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Porto)
Irlanda
(Dublin)
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
97,25
71,79
25,46
100,00
100,00
100,00
70,00
30,00
70,00
70,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
95,00
5,00
60,00
60,00
35
APÊNDICE A
Designação
Sede
Mota-Engil Ireland Services Ltd. (“MEIS”)
Através da Mota-Engil Engenharia
Vibeiras – Sociedade Comercial de Plantas, S.A. (“Vibeiras”)
Através da Mota-Engil Engenharia
VBT - Projectos e Obras de Arquitectura Paisagística, Lda (“VBT”)
Através da Vibeiras
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Áreagolfe - Gestão, Construção e Manutenção de Campos de Golfe, S.A.
("Áreagolfe")
Irlanda
(Dublin)
Portugal
(Torres Novas)
Angola
(Luanda)
Através da Vibeiras
ME Real Estate - Mota-Engil Real Estate Portugal, S.A. (“Mota-Engil Real
Estate Portugal”)
Através da Mota-Engil Engenharia
Nortedomus, Sociedade Imobiliária SA. (“Nortedomus”)
Através da Mota–Engil Engenharia
Sedengil – Sociedade Imobiliária, S.A. (“Sedengil”)
Através da Mota-Engil Engenharia
Mota-Engil Central Europe, SGPS, S.A. ("Mota-Engil Central Europe SGPS")
Através da Mota-Engil Europa
Bergamon, A.S. ("Bergamon")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Bohdalecká Project Development s.r.o. ("Bohdalecká")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Grota-Roweckiego Project Development Sp. z o.o. ("Grota-Roweckiego
Project Development ")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Devonská Project Development A.S. (“Devonská”)
Através da Mota-Engil Central Europe SGPS
Dmowskiego Project Development, Sp. z.o.o. ("Dmowskiego")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Ekosrodowisko z.o.o. ("Ekosrodowisko")
Através da MES
Hungária Hotel Ingatlanforgamazó, Kereskedelmi, és Szolgáltató Kft.,
Hungária Hotel Kft. ("Hotel Achat Hungria")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Immo Park Gdańsk, Sp. z.o.o. ("Immo Park Gdańsk")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Immo Park Warszawa, Sp. z.o.o. ("Immo Park Warszawa")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Immo Park, Sp. z.o.o. ("Immo Park")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Através da Mota-Engil Engenharia
Kilinskiego Project Development Sp. z.o.o. (“Kilinskiego”)
Através da Mota-Engil Central Europe SGPS
Kilinskiego Property Investment Sp. z.o.o. ("Kilinskiego PI")
Através da Kilinskiego
Através da Mota-Engil Central Europe SGPS
Kordylewskiego Project Development W Likwidacji Sp. z o.o.
("Kordylewskiego")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Lanval Sp. z o.o. ("Lanval")
Através da Mota-Engil SGPS
MES, Mota-Engil Srodowisko, Sp. z.o.o. ("MES")
Através da Suma
Mota-Engil Central Europe Business Support Center Sp. z o. o. ("MESP
Central Europe")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Metroepszolg, Zrt (“Metroepszolg”)
Através da Mota-Engil Magyarország
36
Portugal
(Torres Novas)
Portugal
(Porto)
Percentagem
efetiva da
participação
70,00
70,00
66,67
66,67
43,34
33,34
10,00
66,67
66,67
100,00
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Matosinhos)
Portugal
(Porto)
Eslováquia
(Bratislava)
Rep. Checa
(Praga)
Polónia
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
(Cracóvia)
Rep. Checa
(Praga)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Bytom)
Hungria
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
61,50
61,50
100,00
(Budapeste)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
88,00
47,00
40,00
1,00
100,00
100,00
100,00
99,99
0,01
100,00
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
100,00
100,00
100,00
61,50
61,50
100,00
(Cracóvia)
Hungria
(Budapeste)
100,00
100,00
100,00
Data de
constituição
Data de aquisição
Tratamento de resíduos, exploração e
gestão de sistemas de água
Atividades de plantação e manutenção de
jardins
Atividades de plantação e manutenção de
jardins
jan-08
-
jul-88
out-98
set-08
-
Gestão, construção e manutenção de
campos de golfe
-
jul-07
Promoção imobiliária
set-01
-
Promoção imobiliária
-
out-01
Promoção imobiliária
out-82
mai-95 / mai-97
Gestão de participações financeiras
dez-02
-
Promoção imobiliária
mai-04
-
Promoção imobiliária
-
set-07
Promoção imobiliária
out-12
Atividade
-
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Promoção imobiliária
dez-06
-
Promoção imobiliária
ago-07
-
Resíduos sólidos urbanos
fev-05
dez-05
Promoção imobiliária
jun-08
-
Conceção, construção, gestão e
exploração de lugares de estacionamento
Conceção, construção, gestão e
exploração de lugares de estacionamento
Conceção, construção, gestão e
exploração de lugares de estacionamento
mar-13
-
out-12
-
jan-08
mar-11
Promoção imobiliária
ago-07
-
Promoção imobiliária
set-11
-
Promoção imobiliária
fev-05
-
Execução de obras e compra e venda de
imóveis
Resíduos sólidos urbanos
-
dez-13
dez-05
-
Serviços administrativos
dez-09
-
Execução de obras públicas
dez-00
-
APÊNDICE A
Designação
Mota-Engil Central Europe, S.A. ("Mota-Engil Central Europe Polónia")
Através da Mota-Engil Engenharia
Mota-Engil Central Europe Ceska Republika, AS ("Mota-Engil Central
Europe República Checa")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Mota-Engil Central Europe Hungary Beruházási és Építoipari Kft. ("ME
Central Europe Hungria")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
SC Mota-Engil Central Europe Romania S.R.L. ("Mota-Engil Central Europe
Roménia")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Mota-Engil Central Europe Slovenská Republika, AS ("Mota-Engil Central
Europe Eslováquia")
Através da Mota-Engil Central Europe SGPS
Mota-Engil Brand Management B.V. ("Mota-Engil Brand Management")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
SC ME Investitii AV s.r.l. (“Mota-Engil Investitii”)
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Mota-Engil Magyarország Beruházási És Épitoipari Zrt. (“Mota-Engil
Magyarország”)
Através da Mota-Engil Engenharia
Mota-Engil Parking 2 Sp. z.o.o ("ME Parking 2")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Mota-Engil Central Europe PPP Sp. z.o.o ("ME Central Europe PPP")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Mota-Engil Central Europe PPP 2 Sp. z.o.o ("ME Central Europe PPP 2")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Mota-Engil Central Europe PPP Road Sp. z.o.o ("ME Central Europe PPP
Road")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Mota-Engil Central Europe PPP 3 Sp. Z.o.o (ME Central Europe PPP 3)
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Grodkowska Project Development Sp. z.o.o ("Grodkowska Project
Development ")
Através da Mota-Engil Central Europe SGPS
Mota-Engil Real Estate Hungary Ingatlanforgalmazó, Kereskedelmi és
Szolgáltató Kft.("Mota-Engil Real Estate Hungria")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Mota-Engil Real Estate Management, sp. z.o.o. ("Mota-Engil Real Estate
Management")
Através da Mota–Engil Central Europe, SGPS
Balice Project Development Sp. z o.o. ("Balice")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Sikorki Project Development Sp. z o.o. ("Sikorki")
Através da Mota–Engil Central Europe, SGPS
Soltysowska Project Development Sp. z o.o. ("Soltysowska")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Tetenyi Project Development Ingatlanforgalmazó, Kereskedelmi és
Szolgáltató Kft “under liquidation" ("Tetenyi")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Wilanow Project Development SP. z.o.o. ("Wilanow")
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Wilenska Project Development Sp. z.o.o. w likwidacji (“Wilenska”)
Através da Mota-Engil Central Europe, SGPS
Bukowinska Project Development ("Bukowinska Project Development ")
Através da Mota-Engil Central Europe Polónia
Sede
Polónia
(Cracóvia)
Rep. Checa
(Praga)
Hungria
(Budapeste)
Roménia
(Bucareste)
Eslováquia
(Bratislava)
Holanda
(Amsterdão)
Roménia
(Bucareste)
Hungria
(Budapeste)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Hungria
(Budapeste)
Polónia
(Cracóvia)
Percentagem
efetiva da
participação
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
Data de
constituição
Data de aquisição
Execução de obras
fev-53
mar-99
Construção civil e obras públicas
jan-97
-
Construção civil e obras públicas
fev-08
-
100,00
100,00
Construção de estradas
jul-09
-
100,00
100,00
Execução de obras
ago-04
-
Gestão de marcas e outra propriedade
intelectual
Promoção imobiliária
dez-09
-
-
set-07
Execução de obras públicas
jan-96
-
Conceção, construção, gestão e
exploração de lugares de estacionamento
Conceção e construção de habitação
social
Conceção e construção de habitação
social
Conceção e construção de habitação
social
mar-12
-
mar-12
-
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Hungria
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
(Budapeste)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
Polónia
(Cracóvia)
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
Atividade
Conceção e construção de habitação
social
Conceção e construção de habitação
social
dez/13
-
-
nov-13
abr-14
-
mar-14
-
Promoção imobiliária
jul-05
-
Promoção imobiliária
jun-05
-
Promoção imobiliária
out-12
-
Promoção imobiliária
out-12
-
Promoção imobiliária
nov-05
-
Promoção imobiliária
jan-05
-
Promoção imobiliária
jun-07
-
Promoção imobiliária
jan-05
-
Conceção e construção de habitação
social
mar-15
-
37
APÊNDICE A
Designação
Ambiente e Serviços
Mota-Engil, Ambiente e Serviços, SGPS, S.A. (“Mota-Engil Ambiente e
Serviços”)
Através da Mota-Engil Europa
AGIR - Ambiente e Gestão Integrada de Resíduos, Lda. ("Agir")
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Através da Suma
CH&P – Combined Heat & Power Anadia, Sociedade Unipessoal, Lda
("CH&P Anadia")
Através da Manvia
CH&P – Combined Heat & Power Coja, Unipessoal, Lda ("CH&P Coja")
Através da Manvia
Citrave - Centro Integrado de Tratamento de Resíduos de Aveiro, S.A.
("Citrave")
Através da Suma
Através da Novaflex
Através da Suma Esposende
Correia & Correia, Lda. (“Correia & Correia”)
Através da Enviroil
Enviroil SGPS, Lda. (“Enviroil”)
Através da Suma
Enviroil II – Reciclagem de Óleos Usados, Lda. (“Enviroil II”)
Através da Enviroil
Ferrol Container Terminals S.A. ("Ferrol")
Através da TCL
InvestAmbiente - Recolha de Resíduos e Gestão de Sistemas de
Saneamento Básico, S.A. ("Investambiente")
Através da Novaflex
Liscont - Operadores de Contentores, S.A. ("Liscont")
Através da TTP
Lokemark - Soluções de Marketing, S.A. ("Lokemark")
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Manvia - Manutenção e Exploração de Instalações e Construção, S.A.
("Manvia")
Através da Mota–Engil Ambiente e Serviços
Mota-Engil Europa, S.A. ("Mota-Engil Europa")
Através da Mota-Engil SGPS
Mota-Engil II, Gestão, Ambiente, Energia e Concessões de Serviços, S.A.
("MEAS II")
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Multiterminal - Soc. de Estiva e Tráfego, S.A. ("Multiterminal")
Através da Tertir
Nova Beira - Gestão de Resíduos, S.A. ("Nova Beira")
Através da Novaflex
Através da Investambiente
Novaflex - Técnicas do Ambiente, S.A. ("Novaflex")
Através da Suma
Proempar - Promoção e Gestão de Parques Empresariais e Tecnológicos,
S.A. ("Proempar")
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Através da Mota-Engil Engenharia
PTT - Parque Tecnológico do Tâmega, S.A. ("PTT")
Através da Proempar
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Através da Mota-Engil Engenharia
Real Verde - Técnicas de Ambiente, S.A. ("Real Verde")
Através da Novaflex
Resiges - Gestão de Resíduos Hospitalares, Lda. ("Resiges")
Através da Novaflex
Resilei – Tratamento de Resíduos Industriais, S.A. ("Resilei")
Através da Suma
Rima – Resíduos Industriais e Meio Ambiente, S.A. (“Rima”)
Através da Suma
Sealine - Navegação e Afretamentos, Lda ("Sealine")
Através da Socarpor SGPS
Através da Socarpor Aveiro
SIGA - Serviço Integrado de Gestão Ambiental, S.A. ("Siga")
Através da Suma
38
Sede
Portugal
(Porto)
Cabo Verde
(Praia)
Portugal
(Linda-a-Velha)
Portugal
(Linda-a-Velha)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Sertã)
Portugal
(Torres Novas)
Portugal
(Torres Novas)
Espanha
(Ferrol)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Setúbal)
Portugal
(Linda-a-Velha)
Portugal
(Linda-a-Velha)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Felgueiras)
Portugal
(Vila Real)
Portugal
(Setúbal)
Portugal
(Leiria)
Portugal
(Lourosa)
Portugal
(Aveiro)
Portugal
(Ponta Delgada)
Percentagem
efetiva da
participação
Atividade
Data de
constituição
Data de aquisição
100,00
Gestão de participações financeiras
jun-97
-
Recolha de resíduos sólidos urbanos
dez-07
-
Exploração de uma central de cogeração
destinada à produção de energia elétrica
e de energia térmica
mai-11
-
Exploração de uma central de cogeração
destinada à produção de energia elétrica
e de energia térmica
Tratamento e eliminação de outros
resíduos não perigosos
mai-11
-
dez-87
out-06
Comércio e recolha de óleos usados
set-88
fev-00
Gestão de participações financeiras
nov-97
-
Reciclagem de óleos, produção de
eletricidade e comércio por grosso de
combustíveis e produtos derivados
Manuseamento de carga
abr-11
-
mar-11
-
Recolha de resíduos não perigosos
fev-00
dez-07
Operações portuárias
nov-83
out-06
Prestação de serv., soluções de
marketing, construção e comerc. de bases
de dados, gestão e expl.das infraestruturas do serviço de correios
jun-03
set-07
Manutenção e exploração de instalações
jul-94
jun-98
Execução de obras e compra e venda de
imóveis
Gestão de projetos
jun-10
-
dez-03
-
Exploração de terminais portuários
mai-79
out-06
Tratamento e eliminação de outros
resíduos não perigosos
-
dez-07
Recolha de outros resíduos não perigosos
-
dez-07
Promoção, gestão e exploração de
parques empresariais tecnológicos e
industriais
out-06
-
Promoção e gestão de acolhimento
empresarial tecnológico
dez-06
-
Tratamento e eliminação de outros
resíduos não perigosos
Recolha de resíduos perigosos
dez-07
-
mai-98
dez-07
100,00
80,75
50,00
30,75
90,00
90,00
90,00
90,00
61,50
61,41
0,05
0,05
48,19
48,19
48,19
48,19
43,37
43,37
34,80
34,80
31,98
31,98
52,36
52,36
70,00
70,00
90,00
90,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
30,85
20,30
10,55
61,50
61,50
100,00
74,00
26,00
90,00
70,00
10,00
10,00
61,50
61,50
61,50
61,50
30,75
30,75
59,12
59,12
38,39
32,26
6,13
43,05
43,05
Tratamento e eliminação de outros
resíduos não perigosos
Tratamento de resíduos industriais
-
jun-03
ago-01
-
Agentes de navegação
-
out-06
Tratamento e eliminação de resíduos não
perigosos
out-08
-
APÊNDICE A
Designação
Socarpor - Soc. Cargas Port. (Aveiro), S.A. ("Socarpor Aveiro")
Através da Socarpor SGPS
Através da TTP
Através da Socarpor Aveiro (ações próprias)
Socarpor - Soc. Gestora de Participações Sociais (Douro/ Leixões), S.A.
("Socarpor SGPS")
Através da TTP e acções próprias
Sotagus - Terminal de Contentores de Santa Apolónia, S.A. ("Sotagus")
Através da TTP
SRI - Gestão de Resíduos, Lda (“SRI”)
Através da Correia & Correia
SIGAMB - Sistemas de Gestão Ambiental, Lda. (Angola) ("SIGAMB")
Através da Novaflex
STM - Sociedade de Terminais de Moçambique, Lda ("STM")
Através da Tertir
Suma (Douro) - Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Lda. (“Suma Douro”)
Através da Suma
Suma (Esposende) - Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Lda. (“Suma
Esposende”)
Através da Suma
Suma (Macau), Lda. ("Suma Macau")
Através da Suma
Suma (Matosinhos) - Serviços Urbanos e Meio Ambiente, S.A. ("Suma
Matosinhos")
Através da Suma
Suma (Porto) - Serviços Urbanos e Meio Ambiente, S.A. (“Suma Porto”)
Através da Suma
Suma (Tratamento), S.A. ("Suma Tratamento")
Através da Suma
Através da Suma Esposende
Através da Novaflex
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Suma – Serviços Urbanos e Meio Ambiente, S.A. (“Suma”)
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Takargo-Trasporte de Mercadorias, S.A. (“Takargo”)
Através da ME Logística
Através da Mota-Engil Engenharia
TCL - Terminal de Contentores de Leixões, S.A. ("TCL")
Através da TTP
Através da TCL (acções próprias)
Através da Socarpor SGPS
TCR – Tratamento Complementar de Resíduos, S.A. ("TCR")
Através da Suma
Através da Mota-Engil Engenharia
Mota-Engil Logística, SGPS, S.A. ("ME Logística")
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Tertir - Concessões Portuárias, SGPS, S.A. ("Tertir SGPS")
Através da Tertir
Através da Multiterminal
Tertir - Terminais de Portugal, S.A. ("Tertir")
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Através da ME Logística
Tertir - Terminais Portuários, SGPS, S.A. ("TTP")
Através da ME Logística
Porlis - Empresa de Trabalho Portuário, Lda ("Porlis")
Através da Liscont
Através da Sotagus
Através da Multiterminal
Sede
Portugal
(Aveiro)
Portugal
(Matosinhos)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Sertã)
Angola
(Luanda)
Moçambique
(Maputo)
Portugal
(Murça)
Portugal
(Esposende)
China
(Macau)
Portugal
(Matosinhos)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Lisboa)
Portugal
(Linda-a-Velha)
Portugal
(Matosinhos)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Porto)
Portugal
(Linda-a-Velha)
Portugal
(Matosinhos)
Portugal
(Linda-a-Velha)
Portugal
(Lisboa)
Percentagem
efetiva da
participação
40,85
28,47
6,31
6,07
37,96
37,96
63,13
63,13
48,19
48,19
61,44
61,44
50,00
50,00
61,50
61,50
61,50
61,50
60,89
60,89
61,50
61,50
61,50
61,50
59,20
49,19
0,01
0,01
10,00
61,50
61,50
100,00
70,00
30,00
34,80
18,69
1,78
14,33
37,29
36,29
1,00
100,00
100,00
100,00
68,89
31,11
100,00
64,67
35,33
63,13
63,13
52,74
28,80
18,94
5,00
Atividade
Data de
constituição
Data de aquisição
Serviços portuários
-
out-06
Gestão de participações financeiras
-
out-06
Operações portuárias
-
out-06
Recolha de resíduos perigosos
jul-08
-
Estudos técnicos, consultoria e formação
na área ambiental
Operações portuárias
fev-14
-
fev-94
fev-94
Recolha de resíduos sólidos urbanos
jul-00
-
Recolha de resíduos sólidos urbanos
dez-99
-
Recolha de resíduos sólidos urbanos
-
dez-13
Recolha de resíduos sólidos urbanos
dez-00
-
Recolha de resíduos sólidos urbanos
nov-08
-
Recolha de resíduos sólidos urbanos
out-14
-
Recolha de resíduos sólidos urbanos
jun-94
-
Transportes ferroviários de mercadorias
set-06
-
Manuseamento de carga
jan-96
-
Construção e exploração de aterro
sanitário
nov-12
-
Gestão de participações financeiras
abr-13
-
Gestão de participações financeiras
out-07
-
Exploração de terminais portuários
-
out-06
Gestão de participações financeiras
jun-13
-
Cedência temporária de trabalhadores
para o exercício de tarefas portuárias de
movimentação de cargas.
set-13
-
39
APÊNDICE A
Designação
Sede
Transitex do Brasil Serviços de Logística, Ltda. ("Transitex Brasil")
Através da Transitex Espanha
Através da Transitex Portugal
Transitex Colombia, S.A.S.("Transitex Colombia")
Através da Transitex Espanha
Transitex Moçambique, Lda ("Transitex Moçambique")
Através da Transitex Portugal
Através da Transitex Espanha
Transitex México, S.A. de C.V. ("Transitex México")
Através da Transitex Espanha
Através da Transitex Portugal
Transitex - Trânsitos de Extremadura, S.A. ("Transitex Portugal")
Através da Transitex Espanha
Transitex - Trânsitos de Extremadura, S.L. ("Transitex Espanha")
Através da Tertir SGPS
Transitex Itália S.R.L ("Transitex Itália")
Através da Transitex Espanha
Transitex - Global Logistics Operations (PTY) ltd. ("Transitex África do Sul")
Brasil
(São Paulo)
Através da Transitex Portugal
Transitex Transitos Extremadura Chile SPA ("Transitex Chile")
Através da Transitex Brasil
Transitex China International Freight Forwarders, Co. Ltd ("Transitex China")
Através da Transitex Portugal
Transitex do Brasil Serviços de Logística Ltda ("Transitex Serviços de Logística
")
Através da Transitex Portugal
Através da Transitex Espanha
Tratofoz - Sociedade de Tratamento de Resíduos, S.A. ("Tratofoz")
Através da Mota-Engil Ambiente e Serviços
Através da Suma
Triu - Técnicas de Resíduos Industriais e Urbanos, S.A. ("Triu")
Através da Enviroil
Colômbia
(Bogotá)
Moçambique
(Maputo)
México
(Cidade do México)
Portugal
(Lisboa)
Espanha
(Badajoz)
Itália
(Milão)
África do Sul
(Isando)
Chile
(Santiago)
China
(Shangai)
Percentagem
efetiva da
participação
85,00
84,41
0,60
85,00
85,00
85,00
80,75
4,25
85,00
85,00
0,002
85,00
85,00
85,00
85,00
85,00
85,00
85,00
85,00
85,00
85,00
85,00
Data de
constituição
Data de aquisição
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
mai-10
-
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
dez-11
jan-12
nov-08
-
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
fev-09
-
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
mai-08
-
nov-02
-
Atividade
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
mar-14
-
jan-12
-
abr-14
-
mar-15
-
Recolha de resíduos sólidos urbanos
out-02
-
Recolha de resíduos não perigosos
abr-91
set-08
Execução de obras
ago-12
-
Gestão de administração das sociedades
out-12
-
85,00
Brasil
(São Paulo)
85,00
Atividades de organização do transporte,
por terra, mar ou ar
Portugal
(Loures)
0,60
84,41
99,62
99,00
0,62
48,19
48,19
Portugal
(Porto)
Holanda
(Amesterdão)
Portugal
(Porto)
81,92
81,92
81,92
81,92
81,92
81,92
Gestão de participações financeiras
mai-10
-
Holanda
(Amesterdão)
81,92
81,92
Gestão de administração das sociedades
mai-14
-
Holanda
(Amesterdão)
81,92
81,92
Gestão de administração das sociedades
mai-14
Portugal
(Funchal)
81,92
Comércio e gestão de participações
internacionais
set-97
Exploração mercado água
dez-10
dez 13
Projetos e fiscalização em construção civil
set-98
abr-11
Portugal
(Porto)
África
Mota-Engil Engenharia e Construção África, S.A. ("MEEC África")
Através da Mota-Engil África N.V.
Mota-Engil África, N.V. ("ME África NV")
Através da Mota-Engil SGPS
Mota-Engil África, SGPS, S.A. ("Mota-Engil África")
Através da MEEC África
Mota-Engil África Finance B.V. ("ME África Finance BV")
Através da Mota-Engil África N.V.
Mota-Engil África Global Technical Services B.V. ("ME África GTS BV")
Através da Mota-Engil África N.V.
Mota Internacional – Comércio e Consultadoria Económica, Lda. (“Mota
Internacional”)
Através da Mota-Engil África
Akwangola, S.A. ("Akwangola")
Através Vista Water
Centro de Estudos e Consultas Técnicas, Lda. ("Cecot")
Através da MEEC África
Cosamo (Proprietary) Limited ("Cosamo")
Através da Mota Internacional
Fibreglass Sundlete (Moç), Lda. ("Fibreglass")
Através da ME Maurícias
Ecolife, S.A. ("Ecolife")
Através da Mota-Internacional
Através da Suma
Mota-Engil África Moçambique, Lda., ("Emocil")
Através da MEEC África
Através da Indimo
Fatra - Fábrica de Trefilaria de Angola, S.A. ("Fatra")
Através da Mota-Engil Angola
Mota-Engil Angola, S.A. ("Mota-Engil Angola")
Através da Mota Internacional
Indimo, Lda. ("Indimo")
Através da Cecot
Através da MEEC África
Malawi Ports Company Limited ("Malawi Ports Company")
Através da MEEC África
Através da ME Malawi
Malawi Shipping Company Limited ("Malawi Shipping Company")
Através da MEEC África
Através da ME Malawi
40
Angola
(Luanda)
Moçambique
(Maputo)
África do Sul
(Joanesburgo)
Moçambique
(Maputo)
Moçambique
(Maputo)
Moçambique
Angola
(Luanda)
Angola
(Luanda)
Moçambique
(Maputo)
Malawi
(Lilongwe)
Malawi
(Lilongwe)
81,92
45,47
45,47
81,92
81,92
81,92
81,92
81,92
81,92
51,22
32,77
18,45
81,92
40,96
40,96
29,25
29,25
41,78
41,78
81,92
40,96
40,96
81,92
72,09
9,83
81,92
72,09
9,83
dez-98
Comercial
dez-76
-
Comercial
ago-62
mar-99
Recolha de resíduos sólidos urbanos
dez-13
-
Promoção imobiliária
jul-94
-
Fabricação de produtos derivados de ferro
-
nov-10
Construção civil e obras públicas e privadas
mai-10
-
Promoção imobiliária
-
out-04
Transportes marítimos
nov-10
-
Transportes marítimos
nov-10
-
APÊNDICE A
Designação
Sede
Martinox, SA ("Martinox")
Através da Mota-Engil Angola
Mota & Companhia Maurícias, Lda. ("ME Maurícias")
Através da MEEC África
Mota-Engil Construction South Africa, Pty Ltd ("ME Construction South
Africa")
Através da Mota-Engil Investments South Africa
Mota-Engil (Malawi) Limited ("ME Malawi")
Através da MEEC África
Mota-Engil Investments (Malawi) Limited ("ME Investments Malawi")
Através da Mota-Engil Africa
Mota-Engil Investments South Africa, Pty Ltd ("Mota-Engil Investments
South Africa")
Através da Mota Internacional
Mota-Engil S.Tomé e Principe, Lda. ("Mota-Engil S.Tomé")
Através da Mota Internacional
Através da MEEC África
Novicer-Cerâmicas de Angola,(SU) Limitada. ("Novicer")
Através da Mota-Engil Angola
Prefal – Préfabricados de Luanda, Lda. (“Prefal”)
Através da Mota-Engil Angola
Penta - Engenharia e Construção, Lda. ("Penta")
Através da MEEC África
Através da Mota Internacional
Rentaco Angola - Equipamentos e Transportes, (SU) Limitada. ("Rentaco
Através da Mota-Engil Angola
Sonauta - Sociedade de Navegação, Lda. (“Sonauta”)
Através da Mota Internacional
Tracevia Angola - Sinalização, Segurança e Gestão de Tráfego, Lda.
("Tracevia Angola")
Através da Mota-Engil Angola
Vista Energy Environment & Services, S.A. ("Vista SA")
Através da Mota-Engil Angola
Vista Waste Management, Lda ("Vista Waste")
Através da Mota-Engil Angola
Através da Vista SA
Através da Suma
Vista Multi Services, Lda ("Vista Multi Services")
Através da Vista SA
Através da Mota-Engil Angola
Vista Water, Lda. ("Vista Water")
Através da Mota-Engil Angola
Através da Vista SA
Através da Indaqua
Angola
(Benguela)
Maurícias
(Ebene)
África do Sul
(Joanesburgo)
Malawi
(Lilongwe)
Malawi
(Lilongwe)
África do Sul
(Joanesburgo)
S. Tomé e Príncipe
(S. Tomé)
Angola
(Luanda)
Angola
(Luanda)
Cabo Verde
Angola
(Luanda)
Angola
(Luanda)
Angola
(Luanda)
Angola
(Luanda)
Angola
(Luanda)
Angola
(Luanda)
Angola
(Luanda)
Percentagem
efetiva da
participação
39,69
39,69
81,92
81,92
81,92
81,92
81,91
81,91
81,10
81,10
81,92
81,92
81,92
77,82
4,10
41,78
41,78
37,60
37,60
81,92
78,64
3,28
41,78
41,78
81,92
81,92
33,42
33,42
41,78
41,78
51,44
4,18
17,13
30,14
41,78
33,42
8,36
45,51
5,22
17,76
22,53
Atividade
Data de
constituição
Data de aquisição
Construção de aço inox
fev-08
dez-11
Construção civil
mai-10
-
mar-14
-
Empreiteiro de obras públicas e/ou
construção civil
Empreiteiro de obras públicas e/ou
construção civil
Empreiteiro de obras públicas e/ou
construção civil
Empreiteiro de obras públicas e/ou
construção civil
jul-11
-
mar-11
-
-
mar-14
Empreiteiro de obras públicas e/ou
construção civil
dez-04
-
Fabrico e comércio de materiais de barro
set-07
-
Fabrico de materiais pré-esforçados
dez-93
-
Construção civil e obras públicas e
privadas
abr-07
-
Aluguer de equipamentos de construção
jan-08
-
Transportes marítimos c/exclusão dos
costeiros
Sinalização rodoviária
nov-94
-
-
set-07
Gestão de participações financeiras
jul-08
dez-13
Recolha de resíduos
dez-09
dez-13
Serviços urbanos
mai-09
dez-13
Exploração mercado água
mai-09
dez-13
Gestão de participações financeiras
nov-98
-
Construção civil e obras públicas
-
dez-14
Construção civil e obras públicas
jul-12
-
Construção civil e obras públicas
nov-14
-
América Latina
Mota-Engil Latin America BV ("ME Latin America")
Através da Mota-Engil SGPS
Consita Tratamento de Resíduos, S.A. ("Consita")
Através da ECB Suma Participações
Construcciones dos Puertos S.A. de CV ("Construcciones dos Puertos")
Através da Mota-Engil México
Constructora Concessionária Autopista Cardel-Poza Rica, S.A. de CV
("Constructora Cardel-Poza Rica")
Através da Mota-Engil México
Constructora Gran Canal SAPI de CV ("Constructora Gran Canal")
Através da Mota-Engil México
Empresa Construtora Brasil, SA ("Empresa Construtora Brasil")
Através da Mota-Engil Brasil Participações, Ltda
ECB Suma Participações, S.A. ("ECB Suma Participações")
Através da Empresa Construtora Brasil
Através da Suma
Rentaco Peru, S.A. ("Rentaco Peru")
Através da Mota-Engil Peru
Através da Mota-Engil Energia Peru
MEBR Construção, Consultoria e Participações, S.A. ("MEBR")
Através da Mota-Engil Latin America BV
Através da Mota-Engil Peru
Mota-Engil América Latina S.A.P.I. de C.V. ("Mota-Engil América Latina")
Através da Mota-Engil SGPS
Através da Mota-Engil Latin America BV
Mota-Engil Colômbia, S.A.S ("Mota-Engil Colômbia")
Através da Mota-Engil Peru
Mota-Engil Col, S.A.S ("Mota-Engil Col")
Através da Mota-Engil Engenharia
Através da Mota-Engil Peru
Holanda
(Amesterdão)
Brasil
(Belo Horizonte)
México
(Xalapa)
México
(Cidade do México)
México
(Cidade do México)
Brasil
(Belo Horizonte)
Brasil
(Belo Horizonte)
Peru
(Lima)
Brasil
(São Paulo)
México
(Cidade do México)
Colômbia
(Bogotá)
Colômbia
(Bogotá)
100,00
100,00
38,45
38,45
70,00
70,00
40,00
40,00
33,40
33,40
50,00
50,00
54,93
28,58
26,35
100,00
99,90
0,10
100,00
57,69
42,31
100,00
0,02
99,98
100,00
100,00
100,00
99,00
1,00
Construção civil e obras públicas
jul-14
-
Construção civil e obras públicas
nov-12
-
Gestão de participações financeiras
dez-14
-
Geração e distribuição de energia elétrica
fev-13
-
Construção civil e obras públicas
mar-11
-
Gestão de participações financeiras
nov-13
mai-14
Construção civil e obras públicas
fev-11
-
Construção civil e obras públicas
-
41
APÊNDICE A
Designação
Mota-Engil Energia Peru S.A. ("Mota-Engil Energia Peru")
Através da Mota-Engil Peru
Através da Mota-Engil Engenharia
Mota-Engil México, S.A. de C.V. ("Mota-Engil México")
Através da Mota-Engil Latin America BV
Através da Mota Internacional
Mota-Engil-Opway Mexicana, S.A. De C.V. ("Mota-Engil-Opway Mexicana")
Através da Mota-Engil México
Através da Opway Mexico
Mota-Engil Turismo S.A. De CV ("Mota-Engil Turismo (Mex)")
Através da Mota-Engil México
Através da Mota-Engil América Latina SAPI de CV
Mota-Engil Peru, S.A. (“Mota-Engil Peru”)
Através da Mota-Engil Latin America BV
Através da Mota-Engil Engenharia
Mota-Engil Peru Ambiente e Serviços, S.A. (“MEAS Peru”)
Através da Mota-Engil Peru
Mota-Engil Prodi S.A.P.I. de C.V. ("Mota-Engil Prodi")
Através da Mota-Engil México
Opway México ("Opway Mexico")
Através da Mota-Engil México
Mota-Engil Chile S.A. ("Mota-Engil Chile")
Através da Mota- Engil Peru
Através da Mota- Engil Energia Peru
Tarucani Generating Company S.A. ("Tarucani")
Através da Mota- Engil Energia Peru
Através da Mota- Engil Peru
Tertir Peru, S.A. ("Tertir Peru")
Através da Tertir
Através da Mota-Engil Peru
Tracevia do Brasil -Sistemas de Telemática Rodoviaria Ltda. ("Tracevia
Brasil")
Através MEBR Engenharia, Consultoria e Participações, Ltda.
Através de ME Brasil Participações
Promotora Inmobiliaria Santa Clara S.A. ("Santa Clara")
Através da Mota- Engil Peru
Consórcio Los Faisanes ("Consórcio Los Faisanes")
Através da Mota- Engil Peru
Consórcio Los Castãnos ("Consórcio Los Castãnos")
Através da Mota- Engil Peru
Consórcio Mota-Engil Ojeda & Iju Paracas ("Consorcio ME Ojeda & Iju")
Através da Mota- Engil Peru
Consórcio Fanning ("Consorcio Fanning")
Através da Mota- Engil Peru
Consórcio Porta ("Consorcio Porta")
Através da Mota- Engil Peru
Consórcio La Ponciana ("Consorcio La Ponciana")
Através da Mota- Engil Peru
Consórcio GDL Viaduto, S.A.P.I de CV ("Consórcio GDL Viaduto")
Através da Mota-Engil México
Consórcio Túnel Guadalajara, SAPI de CV ("Consórcio GDL Túnel")
Através da Mota-Engil México
42
Sede
Peru
(Lima)
México
(Cidade do México)
México
(Cidade do México)
México
(Cidade do México)
Peru
(Lima)
Peru
(Lima)
México
(Cidade do México)
México
(Cidade do México)
Chile
(Santiago)
Peru
(Lima)
Peru
(Lima)
Brasil
(São Paulo)
Peru
(Lima)
Peru
(Lima)
Peru
(Lima)
Peru
(Lima)
Peru
(Lima)
Peru
(Lima)
Peru
(Lima)
México
(Cidade do México)
México
(Cidade do México)
Percentagem
efetiva da
participação
100,00
99,98
0,02
100,00
99,98
0,02
100,00
50,00
50,00
100,00
100,00
0,00
100,00
99,90
0,10
100,00
100,00
50,10
50,10
100,00
100,00
100,00
99,00
1,00
100,00
99,98
0,02
100,00
80,00
20,00
100,00
99,00
1,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
100,00
42,90
42,90
35,00
35,00
Atividade
Data de
constituição
Data de aquisição
Outras atividades empresarias
mai-11
-
Construção civil e obras públicas
jan-10
-
Gestão de participações financeiras
jan-10
-
Imobiliário e turismo
fev-15
-
Construção civil e obras públicas
set-86
-
Outras atividades empresarias
out-11
-
Construção civil e obras públicas
fev-14
-
Construção civil e obras públicas
Construção civil e obras públicas
fev-13
Geração e distribuição de energia elétrica
abr-00
-
Exploração de terminais
-
-
Conceção, instalação, desenvolvimento e
manutenção de ITS
mar-11
-
Prestação de serviços de promoção
imobiliária
mai-12
-
dez-11
-
dez-11
-
dez-11
-
dez-11
-
dez-11
-
Construção de departamentos
Construção de departamentos
Construção de departamentos
Construção de departamentos
Construção de departamentos
dez-11
-
Construção civil e obras públicas
jun-14
-
Construção civil e obras públicas
jul-14
-
Construção de departamentos
APÊNDICE A
Empresas registadas pelo Método da Equivalência Patrimonial
As empresas do GRUPO e associadas incluídas na consolidação pela aplicação do Método da Equivalência Patrimonial, suas
respetivas sedes e proporção do capital detido em 30 de junho de 2015, são as seguintes:
Designação
Sede
Percentagem
efetiva da
participação
Portugal
Portugal
Portugal
Peru
Portugal
29,99
30,10
29,99
29,99
30,10
Portugal
Hungria
Hungria
Hungria
Hungria
Hungria
Hungria
Eslováquia
Hungria
Hungria
Hungria
Hungria
51,00
32,18
32,18
32,18
32,18
32,18
32,18
50,00
32,18
32,50
32,18
32,18
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Espanha
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
30,14
42,50
18,45
15,07
40,00
50,00
50,00
50,00
30,00
45,00
47,25
18,94
31,56
31,56
15,78
Angola
Angola
36,86
20,89
México
México
México
México
México
México
México
México
Portugal
20,00
40,00
33,40
50,00
20,00
35,00
50,00
33,34
37,50
Empresas associadas
Empresa-Mãe do Grupo e atividades conexas
Nortenha Angola, SGPS, S.A. ("Nortenha")
Riscos e Diâmetros Angola, SGPS, S.A. ("Riscos e Diâmetros Angola")
SMGT Angola, SGPS, SA ("SMGT")
Sangobiar Perú, S.A. ("Sangobiar")
Vitropor Moçambique, SGPS, S.A. ("Vitropor Moçambique")
Europa - Engenharia e Construção
Turalgo-Sociedade de Promoção Imobiliária e Turística do Algarve, S.A. (“Turalgo”)
Bay 6.3 Kft. ("Bay 6.3") - Grupo Obol Invest
Bay Office Kft. ("Bay Office") - Grupo Obol Invest
Bay Park Kft. ("Bay Park") - Grupo Obol Invest
Bay Tower Kft. ("Bay Tower") - Grupo Obol Invest
Bay Wellness Kft. ("Bay Wellness") - Grupo Obol Invest
Engber Ingatlanforgalmazó És Szolgáltató Kft. ("Engber") - Grupo Obol Invest
M-Invest Slovakia Mierova , s.r.o. ("Mierova")
Nádor Öböl Ingatlanforgalmazó És Beruházó Kft. ("Nádor Obol") - Grupo Obol Invest
Öböl Invest Befektetési És Üzletviteli Tanácsadó Kft. ("Obol Invest") - Grupo Obol Invest
Öböl XI Ingatlanforgalmazó És Beruházo És Szolgáltató Kft. ("Obol XI") - Grupo Obol Invest
Sampaio Üzletviteli Tanácsadó Kft. ("Sampaio") - Grupo Obol Invest
Europa - Ambiente e Serviços
Ambilital – Investimentos Ambientais no Alentejo, EIM. (“Ambilital”)
Chinalog - Serviços Logísticos e Consultadoria, Lda. ("Chinalog")
Citrup – Centro Integrado de Resíduos, Lda. (“Citrup”)
Ecolezíria - Empresa Intermunicipal para Tratamento de Resíduos Sólidos, E. I. M. ("Ecolezíria")
Haçor, Conc. Edifício do Hospital da Ilha Terceira, SA ("Haçor")
HL - Sociedade Gestora do Edifício, S.A. ("HL - Sociedade Gestora do Edifício")
HEPP - Hidroenergia de Penacova e Poiares, Lda. ("HEPP")
Ibercargo Rail, S.A. ("Ibercargo")
Logz - Atlantic Hub, S.A. ("Logz")
Manvia II Condutas, Lda. ("Manvia II Condutas")
Manvia Condutas Moçambique, Lda. ("Manvia Condutas Moçambique")
Operestiva - Empresa de Trabalho Portuário de Setúbal, Lda. ("Operestiva") - Grupo SLPP
Sadoport - Terminal Marítimo do Sado, S.A. ("Sadoport") - Grupo SLPP
SLPP - Serviços Logísticos de Portos Portugueses, S.A. ("SLPP") - Grupo SLPP
Tersado - Terminais Portuários do Sado, S.A. ("Tersado")
África
Automatriz, SA ("Automatriz")
Icer – Indústria de Cerâmica, Lda. (“Icer”)
América Latina
M&R de Occidente SAPI de CV ("Concessionária M&R")
Concessionária Autopista Cardel-Poza Rica SA de CV ("Concessionária Autopista Cardel")
Concessionária Autopista Tuxpan-Tampico SA de CV ("Concessionária Autopista Tuxpan-Tampico")
Constructora Auto-Pista Perote Xalapa, SA de CV ("Constructora Perote Xalapa")
Constructora M&R ("Constructora M&R")
Eco Innovacion Ambiental SAPI de CV ("Eco Innovacion")
Gestion e Innovacion en Servicios Ambientales SA de CV ("GISA")
Autopista Urbana Siervo de la Nacion, SAPI de CV ("Autopista Siervo de la Nacion")
Grupo Martifer
43
APÊNDICE A
Designação
Sede
Percentagem
efetiva da
participação
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
50,06
24,53
50,06
50,06
50,06
49,81
50,06
50,06
49,92
Peru
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
México
México
Brasil
Moçambique
Moçambique
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Portugal
Holanda
Holanda
Portugal
Portugal
Brasil
México
Moçambique
Holanda
50,00
60,00
60,00
60,00
13,34
41,93
41,94
13,34
12,00
30,00
60,00
30,00
24,00
24,00
44,92
48,45
48,12
48,12
48,12
39,58
48,12
48,12
48,12
39,58
22,81
48,45
44,92
60,00
60,00
60,00
13,34
60,00
59,40
30,00
60,00
60,00
Empresas conjuntamente controladas
Europa - Ambiente e Serviços
Aqualevel, Soc. Unipessoal, Lda. (“Aqualevel”) - Grupo Indaqua
Águas de S. João, E.M., S.A. ("Águas de S. João") - Grupo Indaqua
Indaqua – Indústria e Gestão de Águas, S.A. (“Indaqua”) - Grupo Indaqua
Indaqua Fafe – Gestão de Águas de Fafe, S.A. (“Indaqua Fafe”) - Grupo Indaqua
Indaqua Feira - Indústria de Águas de Santa Maria da Feira, S.A. - (“Indaqua Feira”) - Grupo Indaqua
Indaqua Matosinhos - Gestão de Águas de Matosinhos, S.A. (“Indaqua Matosinhos”) - Grupo Indaqua
Indaqua Oliveira de Azeméis - Gestão de Águas de Oliveira de Azeméis, S.A. (“Indaqua Oliveira de Azeméis”) - Grupo Indaqua
Indaqua Santo Tirso/ Trofa – Gestão de Águas de Santo Tirso e Trofa, S.A. (“Indaqua Sto. Tirso/ Trofa”) - Grupo Indaqua
Indaqua Vila do Conde - Gestão de Águas de Vila do Conde, S.A. (“Indaqua V. Conde”) - Grupo Indaqua
América Latina
Terminais Portuários Euroandinos Paita, S.A. ("TPE Paita")
Grupo Ascendi
Ascendi Group, SGPS
Ascendi SA
Scutvias–AE Beira Interior
Ascendi Pinhal Interior
Operadora Pinhal Interior
MRN - Manutenção de rodovias nacionais
Via Verde
Concessionária Perote Xalapa
Ascendi Mexico, S.A. C.V
Concessão rodovias do Tiete - CRT (Brasil)
Estradas do Zambeze
Operadora Estradas Zambeze
Ascendi Norte
Ascendi Douro
Ascendi B. Litoral e Alta
Ascendi Costa de Prata
Ascendi Grande Porto
Ascendi Grande Lisboa
Ascendi Operadora BLA
Ascendi Operadora CP
Ascendi Operadora GP
Ascendi Operadora GL
Lusoponte
Ascendi Operadora DI
Ascendi Operadora NT
Ascendi O&M
Ascendi International Holding, B.V.
Ascendi Financing, B.V.
Portvias
Ascendi IGI
Ascendi Brasil
Operadora Perote Xalapa
Suc Moçambique Ascendi
ESConcessions Latam Holding B.V.
44
APÊNDICE A
45
APÊNDICE A
46
Declaração nos termos da alínea c) do nº 1 do Artigo 246.º do Código de Valores
Mobiliários
Nos termos da alínea c) do nº 1 do Artigo 246.º do Código de Valores Mobiliários, os membros do Conselho de
Administração declaram que, tanto quanto é do seu conhecimento, a informação constante deste relatório e contas foi
elaborada em conformidade com as normas internacionais de relato financeiro (“IFRS”) tal como adotadas pela União
Europeia, dando uma imagem verdadeira e apropriada do ativo e do passivo, da situação financeira e dos resultados da
Mota-Engil, SGPS, SA e das empresas incluídas no perímetro de consolidação, e que o relatório de gestão expõe
fielmente a evolução dos negócios, do desempenho e da posição da Mota-Engil, SGPS, SA e das empresas incluídas no
perímetro de consolidação, e contém uma descrição dos principais riscos e incertezas com que se defrontam.
Porto, 31 de agosto de 2015
António Manuel Queirós Vasconcelos da Mota
Presidente do Conselho de Administração
Gonçalo Nuno Gomes de Andrade Moura Martins
Vice-Presidente do Conselho de Administração e Presidente da Comissão Executiva (Chief Executive Officer)
Arnaldo José Nunes da Costa Figueiredo
Vice-Presidente do Conselho de Administração
Maria Manuela Queirós Vasconcelos Mota dos Santos
Vogal do Conselho de Administração
Dr.ª Maria Teresa Queirós Vasconcelos Mota Neves da Costa
Vogal do Conselho de Administração
Maria Paula Queirós Vasconcelos Mota de Meireles
Vogal do Conselho de Administração
Ismael Antunes Hernandez Gaspar
Vogal do Conselho de Administração e Membro da Comissão Executiva
Carlos António Vasconcelos Mota dos Santos
Vogal do Conselho de Administração e Membro da Comissão Executiva
José Pedro Matos Marques Sampaio de Freitas
Vogal do Conselho de Administração e Membro da Comissão Executiva (Chief Financial Officer)
48
António Martinho Ferreira Oliveira
Vogal do Conselho de Administração e Membro da Comissão Executiva
Gilberto Silveira Rodrigues
Vogal do Conselho de Administração e Membro da Comissão Executiva
João Pedro dos Santos Dinis Parreira
Vogal do Conselho de Administração e Membro da Comissão Executiva
Luís Filipe Cardoso da Silva
Vogal do Conselho de Administração
Luís Valente de Oliveira
Vogal não executivo e independente do Conselho de Administração
António Bernardo Aranha da Gama Lobo Xavier
Vogal não executivo e independente do Conselho de Administração
António Manuel da Silva Vila Cova
Vogal não executivo e independente do Conselho de Administração
49
Informação sobre transações de ações próprias, nos termos da alínea d) do nº 5 do
artigo 66.º do Código das Sociedades Comerciais
Dando cumprimento ao disposto na alínea d) do nº 5 do artigo 66.º do Código das Sociedades Comerciais, declara-se
que, em 30 de junho de 2015, a Mota-Engil, SGPS, SA não detinha quaisquer ações próprias.
Participações qualificadas
Dando cumprimento ao disposto na alínea c) do n.º 1 do artigo 9.º do Regulamento da CMVM n.º 5/2008, apresenta-se
de seguida uma lista dos titulares de participações qualificadas, com indicação do número de ações detidas e
percentagem de direitos de voto correspondentes, calculada nos termos do artigo 20.º do Código dos Valores
Mobiliários, em 30 de junho de 2015:
Acionistas
Mota Gestão e Participações, SGPS, SA
% Capital e
direitos de
voto
99.090.478
48,42%
António Manuel Queirós Vasconcelos da Mota
5.372.359
2,63%
Maria Manuela Queirós Vasconcelos Mota dos Santos
3.675.066
1,80%
Maria Teresa Queirós Vasconcelos Mota Neves da Costa
3.676.836
1,80%
Maria Paula Queirós Vasconcelos Mota de Meireles
4.484.211
2,19%
Carlos António Vasconcelos Mota dos Santos
Atribuível à FM – Sociedade de Controlo, SGPS, SA
Amber Capital UK LLP
42.000
0,02%
116.340.950
56,85%
4.275.000
2,09%
Atribuível à Amber Capital Management LP
4.275.000
2,09%
Invesco Perpetual European Sm Cos
1.715.052
0,8381%
Invesco Perpetual European Opportunities Fund
1.414.606
0,6913%
933.180
0,4560%
Invesco Global Europe Mid Mother Fund
19.604
0,0096%
Invesco Europe Equity Fund
Invesco Pan European Small Cap Equity Fund
17.599
0,0086%
Powershares FTSE Rafi Dev Markets
9.004
0,0044%
Powershares FTSE Rafi Eur Small-Mid Fund
4.376
0,0021%
4.113.421
2,0101%
Atribuível à Invesco Limited
50
Nº de ações
Informação sobre transações de dirigentes, nos termos do nº 7 do artigo 14.º do
Regulamento da CMVM n.º 5/2008
Divulgação de ações e outros títulos detidos por membros do Conselho de Administração e por Dirigentes, bem como
por pessoas com estes estreitamente relacionadas, nos termos do Artigo 248.º-B do Código dos Valores Mobiliários, e
de transações sobre os mesmos efetuados no decurso do exercício.
Anexo a que se refere o n.º 7 do Artigo 14.º do Regulamento da CMVM n.º 5/2008 (posição a 30 de junho de 2015):
Detendo ações de
Dirigentes
MOTA-ENGIL, SGPS, SA
Data
Qt.
António Manuel Queirós Vasconcelos
da Mota
Saldo inicial
Preço
MGP, SGPS, SA
Compra /
Venda
Bolsa / Fora
Bolsa
Compra
Bolsa
5.352.359
5-jan-15
5.674
2,565
5-jan-15
4.326
2,566
Compra
Bolsa
7-jan-15
10.000
2,384
Compra
Bolsa
%
Qt.
FM, SGPS, SA
%
Qt.
%
2,62%
0
0,0%
28.701
34,5%
Saldo Final
5.372.359
2,63%
0
0,0%
28.701
34,48%
Maria Manuela Queirós Vasconcelos
Mota dos Santos
Saldo Final
3.675.066
1,80%
0
0,0%
17.902
21,51%
Maria Teresa Queirós Vasconcelos
Mota Neves da Costa
Saldo Final
3.676.836
1,80%
0
0,0%
17.902
21,51%
Maria Paula Queirós Vasconcelos
Mota de Meireles
Saldo Final
4.484.211
2,19%
0
0,0%
17.902
21,51%
Carlos António Vasconcelos Mota dos
Santos
Saldo Final
42.000
0,02%
Saldo Final
12.500
0,01%
Saldo Final
12.435
0,01%
Saldo Final
1.000
0,00%
6.337.640
100,0%
-
-
Luís Filipe Cardoso da Silva
Gonçalo Nuno Gomes de Andrade
Moura Martins
Ismael Antunes Hernandez Gaspar
José Pedro Matos Marques Sampaio
de Freitas
Saldo inicial
15.577
9-jan-15
2.100
0,01%
2,449
Saldo Final
17.677
0,01%
Saldo Final
2.200
0,00%
Saldo Final
-
-
Alberto João Coraceiro de Castro
F.M. - Sociedade de Controlo, SGPS, SA
Mota Gestão e Participações, SGPS, SA
Saldo Inicial
98.886.325
5-jan-15
48,32%
2,648
5-jan-15
5.567
2,649
5-jan-15
1.457
2,658
2,660
5-jan-15
30.000
5-jan-15
5.000
2,650
5-jan-15
25.000
2,640
5-jan-15
1.011
2,563
5-jan-15
10.000
2,560
5-jan-15
100.000
2,570
25.000
2,384
7-jan-15
Saldo Final
1.118
99.090.478
48,42%
51
52

Documentos relacionados

Um Mundo de Inspiração

Um Mundo de Inspiração No México, a Mota-Engil está a desenvolver projetos de infraestruturas de relevante dimensão em diversas valências técnicas como na construção de Auto-Estradas, o Metro de Guadalajara, hospitais e ...

Leia mais