Híbridos de milho

Сomentários

Transcrição

Híbridos de milho
Biotecnologia e sementes
de trigo, soja e milho
A Cooperativa Central de Pesquisa Agrícola - Coodetec - é uma empresa privada,
que pertence a 185 mil agricultores associados a 33 cooperativas brasileiras de produção.
Inovação, credibilidade e respeito ao agricultor são os principais valores que alicerçaram a
caminhada de 38 anos para o crescimento do agronegócio nacional. Agregar competitividade
global em linha com as necessidades dos agricultores, sem perder a essência cooperativista,
é o desafio diário da equipe Coodetec.
A sede da Cooperativa fica na cidade de Cascavel, no Oeste paranaense. A
estrutura física da Coodetec e seu capital humano permitem agilidade para acompanhar
as demandas do campo e do mercado. Outros centros de pesquisa estão localizados em
Palotina/PR, Goioerê/PR, Rio Verde/GO e Primavera do Leste/MT. Ainda há uma equipe
técnica especializada, que pode oferecer a melhor combinação de cultivares e híbridos
Coodetec, além de apontar práticas de manejo para atender as necessidades mais
específicas de cada produtor.
Os produtos Coodetec são estáveis e estão entre os mais seguros do mercado.
Inúmeros testes são feitos para assegurar qualidade, manejo adequado e o correto
posicionamento das cultivares e híbridos que serão plantados em sua lavoura. As sementes
CD são adaptadas às diferentes condições de clima, solo, época de plantio, pressão de
doenças e nível de manejo.
A Coodetec é exemplo de cooperativismo e referência internacional no campo da
pesquisa de sementes e biotecnologia. Competitiva, está em plena sintonia com o mercado
e busca, constantemente, as características agronômicas e industriais desejadas pelos
agricultores. A Coodetec ainda tem muito para conquistar. Trabalha por um futuro melhor,
acredita em seus objetivos e confia na união de pessoas para torná-los realidade.
Híbridos de milho
A Coodetec vem aprimorando seus híbridos para migrar, da já conhecida linha
de produtos de média e baixa tecnologia, para o alto investimento. Assim como na soja e no
trigo, trabalha para ser reconhecida, no mercado nacional e paraguaio, também como uma
empresa de sementes de milho. Nas próximas páginas, você encontrará produtos altamente
competitivos, com alto potencial produtivo, resistência às doenças e estabilidade. O portfólio
de milho da Coodetec apresenta umas das maiores diversidades de tecnologias transgênicas
do mercado: Hx, YG, VTPRO e em breve virão novos produtos nas diferentes tecnologias
transgênicas, como VT2PRO.
Nesta safra a Coodetec lançou produtos competitivos que geraram ótimos
resultados em toda região produtora do Brasil. O próximo desafio será ofertar sementes com
mais combinações de genes, proporcionando proteção contra pragas e tolerância a herbicidas.
A Coodetec ainda oferece tratamento industrial de sementes com o inseticida Poncho da
Bayer, como importante complemento no controle das principais pragas que atacam a cultura
do milho na fase inicial de desenvolvimento. Confira neste guia, os híbridos indicados para sua
região, características e recomendações, bem como as tecnologias disponíveis para a safra
2012.
COODETEC
Regiões de
adaptação
Reação a doenças
doenças
P
HD
SDU
AL
Complexo de
mancha branca
Cercospora
zeae-maydis
Puccinia
polysora
Helminthosporium
turcicum
Acamamento
Finalidade
Nível de
investimento
MB MR G/S B/M
MS
MR
MS
Podridão de
grãos
CD 308
CD 384
CD 393
CD 324PRO
CD 384Hx
CD 397YG
CD 397PRO
Colmo Grão
Quebramento
Transgênicos Convencionais
Híbrido
Ciclo à
maturação
Tipo de
híbrido
Textura
do grão
Cor do
grão
Empalhamento
Folha
MR
MS
MR
Sul, Centro e Paraguai
Verão e Safrinha
55.000 a 60.000
MS
Sul, Centro e Paraguai
Verão e Safrinha
55.000 a 60.000
Regiões de adaptação
Safra
População final (pl/ha)
P
HT
SDU
AL
MB MR G/S M/A
MR
MR
MR
MR
MR
P
HS
DU
AL
MB MR G
A
MR
MR
MS
MR
MR
MR
Sul, Centro e Paraguai
Verão e Safrinha
60.000 a 70.000
P
HS
SDU
AL
MB MR G/S
A
MR
MS
MS
s/i
MS
MR
Sul e Centro (em avaliação)
Verão
60.000 a 70.000
P
HT
SDU
AL
MB MR G/S M/A
MR
MR
MR
MR
MR
MS
Sul e Centro
Verão e Safrinha
55.000 a 60.000
P
HT
SDE AM
MR
R
MS
MR
MR
MR
Sul e Centro
Verão e Safrinha
55.000 a 70.000
s/i
Sul e Centro
Verão e Safrinha
55.000 a 70.000
P
HT
SDE AM
MB
s/i
R
S
M/A
s/i G/S M/A
s/i
s/i
s/i
s/i
s/i
P: precoce
HT: híbrido triploDU: duro
SP: superprecoce
HS: híbrido simplesSDU: semiduro
HD: híbrido duplo SDE: semidentado
AM: amarelada
MB: muito bom
A: alto G: grãos
AL: alaranjadaREG: regular
M: médio
G/S: grãos e silagem de planta inteira
B: baixo
R: resistente
MR: moderadamente resistente
MS: moderadamente suscetível
s/i: sem informação
S: suscetível
ATENÇÃO: os valores são medidas de diversos locais, podendo haver variação
conforme o ambiente em que a cultivar ou híbrido for plantado. Consulte
sempre um engenheiro agrônomo para indicar a melhor tecnologia de
produção para cada talhão da lavoura.
A indicação de uso dos híbridos Coodetec por região de adaptação pode
sofrer ajustes conforme condições particulares do ambiente, do manejo
adotado e do local a ser plantado. Por isso, recomenda-se procurar
sempre orientação técnica.
A Área de Proteção Visual é o espaço ausente de informação que deve ser preservado ao redor da marca para
assegurar sua total legibilidade e não comprometer sua importância em relação ao restante das informações
da página. É uma área sempre proporcional ao tamanho em que está sendo aplicada a marca. “AP” (Área de
Proteção) é uma unidade-base utilizada para dimensionar a Área de Proteção Visual (como mostra o diagrama
abaixo). Seu valor é dado pela altura da letra “e” de “YieldGard” que compõem o logotipo.
CD 324
Tecnologias
TM
A Coodetec lança na safra 12/13 6
o primeiro produto da sua linha com a tecnologia Yieldgard VT PRO, o
CD 324PRO. Este híbrido trará mais rendimento ao campo, com incrível visual de espigas. É recomendado
para a safra normal, especialmente nas regiões altas do Sul do Brasil, com desempenho constante, desde
a abertura de semeadura até o fechamento. Como destaque ainda, a boa tolerância ao acamamento
e à podridão de grãos. Sistemas que utilizam alto nível de investimento e uso de fungicida serão
recompensados com maior rendimento.
Área de Proteção Visual da marca YieldGard VT PROTM.
AF-Manual_Yieldgard_21X15.indd 6
1/12/12 12:29 AM
Ciclo
Finalidade
Nível de
investimento
Região de
adaptação
Safra
População final (pl/ha)
Precoce
Grãos
Alto
Sul do Brasil e
Centro (em avaliação)
Normal
60.000 a 75.000
A tecnologia YieldGard® apresenta supressão
contra o ataque das principais pragas da cultura
do milho: Lagarta-do-cartucho, lagarta-da-espiga
e broca do colmo. Por esta razão, quando o ataque
dessas pragas atinge o nível de dano econômico
para a cultura, é indicado o uso de inseticidas
recomendados.
Área
de Proteção
Visual
Tecnologia
licenciada da empresa
Monsanto.
A Área de Proteção Visual é o espaço ausente de informação que deve ser preservado ao redor da marca para
assegurar sua total legibilidade e não comprometer sua importância em relação ao restante das informações
da página. É uma área sempre proporcional ao tamanho em que está sendo aplicada a marca. “AP” (Área de
Proteção) é uma unidade-base utilizada para dimensionar a Área de Proteção Visual (como mostra o diagrama
abaixo). Seu valor é dado pela altura da letra “e” de “YieldGard” que compõem o logotipo.
CD 384
convencional
Satisfação é a melhor definição para quem já plantou do CD 384Hx. Este híbrido combina perfeitamente
alta performance com estabilidade de produção. Em ambientes estressantes tem a capacidade única
de tolerar o calor e a falta de umidade. É recomendado para a safra normal, especialmente nas regiões
abaixo de 700 m, e para a safrinha , seja para produção de grãos como para produção de silagem de
planta inteira. Apresenta boa tolerância às doenças, baixo fator de reprodução de nematoides de galhas,
excelente qualidade de colmo e raiz.
Região de
adaptação
Safra
População final (pl/ha)
Sul do Brasil
Normal e safrinha
50.000 a 60.000
Precoce Grãos e silagem Médio/alto Centro do Brasil Normal e safrinha
50.000 a 60.000
Ciclo
Finalidade
Nível de
investimento
Paraguai*
Normal e safrinha
50.000 a 60.000
* Somente a versão convencional
A tecnologia Herculex® I garante um alto nível de
proteção à lavoura do produtor promovendo o controle
efetivo das principais pragas do milho como lagarta-docartucho, broca-do-colmo, lagarta-elasmo e efeito de
supressão em lagarta-rosca e lagarta-da-espiga. Aos
híbridos Herculex está associada a tecnologia Liberty
Link, que confere aos híbridos Hx tolerância ao herbicida
Glufosinato de Amônia.
Tecnologias licenciadas das empresas Dow AgroScience
e Bayer CropScience, respectivamente.
TM
6
O milho YieldGard VT PRO é um avanço em relação a
controle de pragas. Com a produção de duas proteínas
que se ligam a receptores diferentes no organismo
do inseto, possui dois modos de ação para controle
dessas pragas. E por isso garante um controle superior
das principais pragas da cultura do milho (lagartado-cartucho, lagarta-da-espiga e a broca-do-colmo),
assegurando proteção do potencial produtivo e,
consequentemente, aumento da produtividade. Além
disso, o YieldGard VT PRO é a única tecnologia que
permite a redução da área de refúgio de 10% para 5%
da área plantada com milho convencional. Tecnologia
licenciada da empresa Monsanto.
AF-Manual_Yieldgard_21X15.indd 6
Área de Proteção Visual da marca YieldGard VT PROTM.
A área de refúgio é uma parte da lavoura de milho
cultivada com híbrido convencional. Essa prática
garante a sobrevivência de insetos suscetíveis à toxina
do Bt, o que reduz a possibilidade de cruzamento entre
insetos resistentes a proteína Bacillus thuringiensis (Bt).
As áreas de refúgio devem ser plantadas na mesma
época do restante da lavoura, com híbridos de ciclo
vegetativo similar. Desta forma, insetos presentes
no refúgio poderão acasalar com qualquer indivíduo
resistente e, assim, transmitir a suscetibilidade do
Bt para seus descendentes. Além do refúgio (10% a
5% da área cultivada com milho Bt, dependendo da
tecnologia), é importante o monitoramento da lavoura.
1/12/12 12:29 AM
Cultivares de soja
Diversidade de ciclo e resistência aos nematoides e doenças. Essas são as
principais características agronômicas que estão presentes no novo portfólio de cultivares
de soja Coodetec, não descuidando do ganho genético e estabilidade. Neste catálogo, você
poderá acompanhar as informações técnicas de cada produto para extrair o máximo do
potencial produtivo. Notará que cultivares já conhecidas foram recuperadas com o gene RR
para mais um ciclo de prosperidade. Futuras tecnologias transgênicas, como a INTACTA RR2
PRO™, desenvolvida pela Monsanto, já estão presentes no germoplasma da Coodetec.
COODETEC
Reação a doenças e nematoides
Transgênicas RR®
Convencionais
CD 217
CD 228 STS
CD 246
CD 253
CD 257
CD 266
CD 219RR
CD 229RR
CD 237RR
CD 240RR
CD 242RR
CD 251RR
CD 254RR
CD 256RR
Raiz
Galha
Cisto
Cancro
da haste
Vírus da necrose
da haste
Podridão de fitóftora
Meloidogyne
incógnita
Meloidogyne
javanica
Raça 3
Raça 14
Haste
Oídio
Mancha do
olho-de-rã
Pústula
bacteriana
Tipo de
crescimento
Cor da
pubescência
Cor da flor
Cor
do hilo
Mancha
do
olho-de-rã
Cor do
hipocótilo
Cultivar
Grupo de
maturidade relativo
Folha
Regiões de adaptação
Época de semeadura
População final (1.000 pl/ha)
Rx P
Rx
R
R
MR
R
s/i
R
R
S
R
S
301 - 302 - 303 - 401 - 402 - 403 - 404
10/out a 30/nov
240 a 320
Mm Bc M
Bz
R
R
MR
R
s/i
S
MS
MS
S
S
301 - 302 - 303 - 401 - 402 - 403 - 404
10/out a 30/nov
300 a 320
Rx P
Rx
R
R
MR
R
s/i
S
MS
R
S
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401 - 402 - 403 - 404 - 405
20/out a 25/nov
311 a 350
DET
Mm Bc M
Bz
R
R
MR
R
s/i
s/i
MR
MS
S
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401 - 402 - 403 - 404
10/out a 30/nov
200 a 340
8.4
DET
Mm Bc P
Bz
R
R
MR
R
R
S
MS
MS
S
S
301 - 302 - 401 - 402 - 403
10/out a 30/nov
260 a 311
8.6
DET
Mm Bc P
Bz
R
R
MR
R
MR
s/i
R
R
S
S
301 - 302 - 401 - 402 - 403
10/out a 20/nov
220 a 260
8.2
DET
Bc Mc
Ve
R
R
MR
R
R
R
S
MR
S
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401 - 402 - 403 - 404 - 405
10/out a 30/nov
220 a 260
7.5
IND
Mm Rx M
Rx
R
R
MR
R
s/i
R
MR
MS
S
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401 - 402 - 403 - 404
10/out a 20/nov
310 a 440
240 a 350
8.0
DET
7.5
IND
8.3
DET
8.5
M
M
C
8.1
DET
M
Rx P
Rx
R
R
R
R
R
R
R
R
R
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401 - 402 - 403 - 404
01/out a 30/nov
6.9
IND
C
Bc Mc
Ve
R
R
MR
R
s/i
S
MR
MR
S
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401
10/out a 30/nov
311 a 350
7.9
DET
Mm Rx P
Rx
R
R
MR
R
s/i
R
MS
MS
R
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401 - 402 - 403 - 404
10/out a 20/nov
180 a 300
8.8
DET
Mm Rx M
Rx
R
R
MR
R
R
s/i
MS
S
S
S
401 - 402 - 404
10/out a 20/nov
220 a 280
8.4
DET
Mm Rx M
Rx
R
R
S
R
MR
S
R
R
S
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401 - 402 - 403 - 404
10/out a 30/nov
220 a 300
8.2
DET
Ve
R
R
MR
R
MR
S
S
S
S
S
301 - 302 - 303 - 304 - 401 - 402 - 403 - 404 - 405
10/out a 30/nov
180 a 290
C
Bc Mc
BRI: brilhante ESF: esférica B: baixa
R: resistente
DET: determinadoBc: branca
C: cinza
P: preta
FOS: foscoACH: esférica achatada
M: média
MR: moderadamente resistente
IND: indeterminadoRx: roxa Ma: marromPm: preta com variação para marrom INT: brilho intermediárioALO: esférica alongada
A: alta
MS: moderadamente suscetível
Mc: marrom claraVe: verde
MED: brilho médio
S: suscetível
s/i: sem informaçãoMm: marrom média Bz: bronze
ALT: brilho alto
ATENÇÃO: os valores são medidas de diversos locais, podendo haver variação conforme o ambiente em que a cultivar
ou híbrido for plantado. Consulte sempre um engenheiro agrônomo para indicar a melhor tecnologia de produção
para cada talhão da lavoura.
Regiões de
adaptação
CD 240RR
A CD 240RR possui ciclo super precoce, tipo de crescimento indeterminado, alto potencial produtivo e é
moderadamente resistente ao nematoide de galha. Recomendada para GO, DF, MG, MS (Norte).
GRM
6.9
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
301, 302, 304
117 dias
143 g
72 cm
01/out a 30/out
14 a 20
401
109 dias
143 g
72 cm
15/set a 30/out
14 a 20
402, 403, 404
106 dias
143 g
84 cm
15/set a 30/out
15 a 20
CD 237RR
A Coodetec utiliza a mesma regionalização utilizada pelo
MAPA - Ministério da Agricultura (terceira aproximação). Esta
regionalização foi desenvolvida pela Embrapa em 2001, revisada
em 2005 (segunda aproximação) e novamente revisada em 2011
(terceira aproximação). Esta última revisão foi elaborada em
conjunto pela Embrapa, MAPA, Braspov e Abrasem, e passou a
ser adotada oficialmente no País. A atual regionalização divide
a área de cultivo de soja no Brasil em cinco Macrorregiões e 20
Microrregiões Edafoclimáticas. Detalhes sobre a regionalização
podem ser obtidos no Anuário Abrasem 2011.
A CD 237RR possui ciclo precoce, tipo de crescimento determinado, estabilidade e alto potencial produtivo,
com tolerância aos nematoides formadores de galha e cisto, raça 3. Recomendada para GO, DF, MG, SP, RO,
MS e MT.
GRM
8.1
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
301, 302, 303, 304
108 dias
168 g
87 cm
10/out a 05/nov
14 a 16
401
98 dias
168 g
89 cm
01/out a 30/out
14 a 16
A CD 242RR possui ciclo precoce, tipo de crescimento determinado, alto potencial produtivo e resistência aos
nematoides de cisto, raça 3. Recomendada para GO, DF, MG, MS, RO e MT.
A CD 229RR tem ciclo precoce, tipo de crescimento indeterminado e estabilidade produtiva.
Recomendada para GO, DF, MS (Norte) e MT (Sul).
7.5
Ciclo médio
à maturação
CD 242RR
CD 229RR
GRM
Regiões
de adaptação
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
301, 302, 303, 304
122 dias
129 g
72 cm
10/out a 30/nov
10 a 14
401
114 dias
129 g
65 cm
10/out a 05/nov
12 a 14
402, 403, 404
110 dias
129 g
72 cm
10/out a 20/nov
13 a 16
GRM
8.1
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
301, 302, 303, 304
122 dias
161 g
79 cm
10/out a 30/nov
08 a 11
401
112 dias
161 g
79 cm
20/out a 30/nov
12 a 14
402, 403, 404
108 dias
161 g
63 cm
15/out a 25/nov
12 a 14
CD 246
A CD 246 possui estabilidade, alto potencial produtivo e resistência ao nematoide formador de galhas
(Meloidogyne javanica). Recomendada para o MT, MS, BA, RO, GO, DF e MG.
GRM
8.3
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
301, 302, 303, 304
128 dias
153 g
70 cm
20/out a 25/nov
14 a 16
401
118 dias
153 g
70 cm
20/out a 25/nov
14 a 16
402, 403, 404, 405
114 dias
153 g
64 cm
20/out a 25/nov
14 a 16
CD 251RR
Contatos regionais
A CD 251RR é uma cultivar de ciclo médio tardio, com alto potencial produtivo, boa sanidade foliar e é resistente
ao acamamento. Recomendada para o MT, TO e RO.
GRM
8.8
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
401
125 dias
135 g
89 cm
15/out a 20/nov
10 a 12
402, 404
120 dias
135 g
80 cm
15/out a 20/nov
10 a 13
CD 254RR
A CD 254RR possui ciclo médio e resistência aos nematoides de galha. É indicada para solos médios e
recomendada para o MS (norte), MT, GO, DF e MG.
GRM
8.4
MG, GO, DF, BA, TO, MA,
PI, PA e MS (norte)
CD 257
A CD 257 é uma cultivar de ciclo médio e alto potencial produtivo. Facilita o escalonamento de plantio.
Recomendada para o MT e RO.
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
GRM
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
301, 303, 304
123 dias
119 g
89 cm
15/out a 30/nov
10 a 12
8.4
401, 402, 403
116 dias
133 g
73 cm
10/out a 25/nov
12 a 14
401
117 dias
119 g
89 cm
15/out a 30/nov
10 a 12
401, 402, 404
115 dias
119 g
80 cm
20/out a 05/dez
11 a 13
A CD 256RR é precoce, com grande capacidade de engalhamento. Possui período juvenil longo e boa tolerância
à chuva. Recomendada para o MT, RO, TO, BA, DF, GO e MG.
8.2
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
301, 302, 303, 304
118 dias
133 g
85 cm
15/out a 30/nov
8 a 10
401
114 dias
133 g
85 cm
15/out a 30/nov
8 a 10
402, 403, 404, 405
110 dias
133 g
75 cm
20/out a 05/dez
10 a 13
RO e MT
Ideraldo Lazarin
[email protected]
(65) 9987-9686
MT
CD 256RR
GRM
Alerson Heinzen
[email protected]
(64) 9987-7044
Joelson Bif Bongiolo
[email protected]
(66) 9984-0655
CD 266
A CD 266 é uma cultivar de ciclo médio, com alto potencial produtivo e resistente aos nematoides de galhas.
Recomendada para o MT e RO.
GRM
8.6
Regiões
de adaptação
Ciclo médio
à maturação
Peso médio
de mil grãos
Altura média
das plantas
Época de
semeadura
População
final (pl/ha)
401
120 dias
110 g
73 cm
10/out a 20/nov
10 a 12
402, 403, 404, 405
120 dias
110 g
67 cm
15/out a 25/nov
10 a 12

Documentos relacionados