semana 16

Сomentários

Transcrição

semana 16
SEMANA 16
CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS
HISTÓRIA
QUESTÃO 1. Leia o texto a seguir.
Por mais que retrocedamos na História, acharemos que a África está sempre fechada no contato com o resto do mundo,
é um país criança envolvido na escuridão da noite, aquém da luz da história consciente. O negro representa o homem
natural em toda a sua barbárie e violência; para compreendê-lo devemos esquecer todas as representações europeias.
Devemos esquecer Deus e as leis morais.
HEGEL, Georg W. F. Filosofia de la historia universal. Apud HERNANDEZ, Leila M.G. A África na sala de aula: visita à história contemporânea. São Paulo: Selo Negro,
2005. p. 20-21. [Adaptado].
O fragmento é um indicador da forma predominante como os europeus observavam o continente africano, no século
XIX. Essa observação relacionava-se a uma definição sobre a cultura, que se identificava com a ideia de:
a)
Progresso social, materializado pelas realizações humanas como forma de se opor à natureza.
b)
Tolerância cívica, verificada no respeito ao contato com o outro, com vistas a manter seus hábitos.
c)
Autonomia política, expressa na escolha do homem negro por uma vida apartada da comunidade.
d)
Liberdade religiosa, manifesta na relativização dos padrões éticos europeus.
e)
Respeito às tradições, associado ao reconhecimento do valor do passado para as comunidades locais.
QUESTÃO 2. A palavra “imperialismo”, no sentido moderno, desenvolveu-se primordialmente na língua inglesa,
sobretudo depois de 1870. Seu significado sempre foi objeto de discussão, à medida que se propunham diferentes
justificativas para formas de comércio e de governo organizados. Havia, por exemplo, uma campanha política
sistemática para equiparar imperialismo e “missão civilizatória”.
Adaptado de WILLIAMS, Raymond. Um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo, 2007.
No final do século XIX, os europeus defendiam seus interesses imperialistas nas regiões africanas e asiáticas,
justificando-os como missão civilizatória. Uma das ações empreendidas pelos europeus como missão civilizatória nessas
regiões foi:
a)
Aplicação do livre comércio.
b)
Qualificação da mão de obra.
c)
Padronização da estrutura produtiva.
d)
Modernização dos sistemas de circulação.
QUESTÃO 3. A Guerra do Paraguai (1864-1870) foi definida, por alguns historiadores, como um momento de apogeu
do Império brasileiro. Outros preferiram considerá-la como uma demonstração de seu declínio. Tal discordância se
justifica porque o conflito sul-americano:
a)
Estabeleceu pleno domínio militar brasileiro na região do Prata, mas provocou grave crise financeira no Brasil.
b)
Abriu o mercado paraguaio para as manufaturas brasileiras, mas não evitou a entrada no Paraguai de mercadorias
contrabandeadas.
c)
Freou o crescimento econômico dos países vizinhos, mas permitiu o aumento da influência americana na região.
d)
Ajudou a profissionalizar e politizar o Exército brasileiro, mas contribuiu na difusão, entre suas lideranças, do
abolicionismo.
e)
Fez do imperador brasileiro um líder continental, mas gerou a morte de milhares de soldados brasileiros.
QUESTÃO 4. O primeiro recenseamento geral do Império foi realizado em 1872. Nos recenseamentos parciais
anteriores, não se perguntava sobre a cor da população. O censo de 1872, ao inserir essa informação, indica uma
mudança, orientada por um entendimento do conceito de raça que ancorava a cor em um suporte pretensamente mais
rígido. Com a crise da escravidão e do regime monárquico, que levou ao enfraquecimento dos pilares da distinção social,
a cor e a raça tornavam-se necessárias.
(Adaptado de Ivana Stolze Lima, Cores, marcas e falas: sentidos da mestiçagem no Império do Brasil. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003, p. 109, 121.)
A partir do enunciado, podemos concluir que há um uso político na maneira de classificar a população, já que:
a)
O conceito de raça permitia classificar a população a partir de um critério mais objetivo do que a cor, garantindo
mais exatidão nas informações, o que era necessário em um momento de transição para um novo regime.
b)
No final do Império, o enfraquecimento dos pilares da distinção social era causado pelo fim da escravidão. Nesse
contexto, ao perguntar sobre a raça da população, o censo permitiria a elaboração de políticas públicas visando à
inclusão social dos ex- escravos.
c)
A introdução do conceito de raça no censo devia-se a uma concepção, cada vez mais difundida após 1870, que
propunha a organização e o governo da sociedade a partir de critérios objetivos e científicos, o que levaria a uma
maior igualdade social.
d)
No final do Império, a associação entre a cor da pele e o conceito de raça criava um novo critério de exclusão social,
capaz de substituir as formas de distinção que eram próprias da sociedade escravista e monárquica em crise.
QUESTÃO 5. A dependência regional maior ou menor da mão de obra escrava teve reflexos políticos importantes no
encaminhamento da extinção da escravatura. Mas a possibilidade e a habilidade de lograr uma solução alternativa –
caso típico de São Paulo – desempenharam, ao mesmo tempo, papel relevante.
FAUSTO, B. História do Brasil. São Paulo: EDUSP, 2000.
A crise do escravismo expressava a difícil questão em torno da substituição da mão de obra, que resultou:
a)
Na constituição de um mercado interno de mão de obra livre, constituído pelos libertos, uma vez que a maioria dos
imigrantes se rebelou contra a superexploração do trabalho.
b)
No confronto entre a aristocracia tradicional, que defendia a escravidão e os privilégios políticos, e os cafeicultores,
que lutavam pela modernização econômica com a adoção do trabalho livre.
c)
No “branqueamento” da população, para afastar o predomínio das raças consideradas inferiores e concretizar a
ideia do Brasil como modelo de civilização dos trópicos.
d)
No tráfico interprovincial dos escravos das áreas decadentes do Nordeste para o Vale do Paraíba, para a garantia da
rentabilidade do café.
e)
Na adoção de formas disfarçadas de trabalho compulsório com emprego dos libertos nos cafezais paulistas, uma
vez que os imigrantes foram trabalhar em outras regiões do país.
GEOGRAFIA
QUESTÃO 6. Apesar de um relativo declínio nas últimas décadas, esse recurso natural continua sendo a mais
importante fonte de energia da atualidade. Trata-se de uma fonte não renovável e que atua na produção de
eletricidade, combustíveis e na constituição de matérias-primas para inúmeros produtos, como a borracha sintética e o
plástico. A descrição acima refere-se:
a)
Ao gás natural.
b)
Ao xisto betuminoso.
c)
À água.
d)
Ao petróleo.
e)
Ao carvão mineral.
QUESTÃO 7. As fontes de energia podem ser classificadas em renováveis e não renováveis, mas também em
primárias e secundárias. A primeira divisão refere-se à capacidade de recomposição de uma dada fonte energética,
enquanto a segunda está relacionada com a forma pela qual é encontrada e transformada pelo homem.
Diante dessas considerações, analise as afirmativas a seguir:
I. O Petróleo refinado pode ser considerado uma fonte de energia secundária e não renovável.
II. A energia solar, na sua função de aquecimento do ambiente e iluminação da Terra, deve ser entendida como uma
fonte primária.
III. O Etanol, em virtude de sua produção agrícola geralmente ineficiente, não pode mais ser considerado uma fonte de
energia renovável.
IV. Podemos concluir que toda energia primária é renovável.
Estão corretas as alternativas:
a)
I e II.
b)
II e IV.
c)
I, II e III.
d)
I, II e IV.
e)
II e III.
QUESTÃO 8.
Brasil é o sétimo maior consumidor de energia do mundo, diz Banco Mundial
O Brasil ficou com a sétima colocação no ranking dos maiores consumidores de energia do mundo. O país ficou atrás de
China, Estados Unidos, Rússia, Índia, Japão e Alemanha e conta com cerca de 99% da população já com acesso ao
serviço, segundo relatório divulgado nesta terça-feira pelo Banco Mundial.
O Globo - Economia, 28/05/2013.
Sobre o consumo de energia no mundo, assinale a alternativa correta.
No texto, é evidente o papel crescente dos BRICS na demanda energética mundial.
O consumo de energia nem sempre acompanha o nível de desenvolvimento de um país, o que explica a presença da
Rússia entre os maiores consumidores.
China e Estados Unidos são os maiores consumidores de energia em função do fato de esses países serem os mais
populosos do mundo.
A sétima posição do Brasil em consumo de energia deve-se ao fato de o país ter ampliado a produção de etanol,
preferencialmente destinado ao consumo interno.
Os biocombustíveis já se tornaram a maior fonte de energia no Brasil, apesar de serem pouco utilizados pelos demais
países.
QUESTÃO 9. Analise as assertivas abaixo referentes à Caxemira.
I. A Caxemira é uma região disputada tanto pela Índia quanto pelo Paquistão, em virtude de localizarem-se, nessa
área, as nascentes dos rios Indo e Ganges, além de outras razões.
II. Índia e Paquistão travaram três guerras desde a independência da Inglaterra, em 1947. Duas delas foram por
disputas da Caxemira.
III. A Índia controla 40% da Caxemira; o Paquistão, um terço; a China, o resto.
IV. Os muçulmanos são maioria na região e há 12 anos eles começaram a lutar pelo separatismo, num conflito que já
matou mais de 33 mil pessoas. O Paquistão propõe um plebiscito para definir o futuro da área. A Índia prefere a
mediação internacional.
Estão corretas:
a)
Todas as assertivas.
b)
Apenas I e II.
c)
Apenas II e III.
d)
Apenas III e IV.
e)
Apenas I e IV.
QUESTÃO 10. “Palavras de ordem, símbolos, propaganda, atos públicos, vandalismo e violência são, atualmente,
manifestações de hostilidade frequentes contra estrangeiros na Europa. Os países onde mais intensamente têm
ocorrido conflitos são Alemanha, França, Inglaterra, Bélgica e Suíça.”
(MOREIRA, Igor e AURICCHIO, Elizabeth. Construindo o espaço mundial. 3.ª ed. São Paulo: Ática, 2007, p. 37. Adaptado.)
Sobre o fenômeno social enfocado pelo texto, é válido afirmar que se trata de conflitos:
a)
Civis e militares, relacionados às formas históricas de exploração dos países do chamado Terceiro Mundo.
b)
Ligados ao nacionalismo, ao racismo e à xenofobia, no contexto globalizado das grandes migrações internacionais.
c)
Entre imigrantes das diversas nacionalidades que invadem a Europa, atualmente, na disputa por empregos e por
melhores condições de vida.
d)
Culturais, principalmente causados pelo conflito armado entre países católicos e protestantes, mas também,
sobretudo, conflitos contra países islâmicos.
e)
Étnicos e sociais decorrentes das dificuldades de desenvolvimento de países europeus em continuar a sua
industrialização nos setores tecnológicos de ponta.
FILOSOFIA
QUESTÃO 11.
90 milhões em ação, pra frente, Brasil, do meu coração.
Todos juntos, vamos, pra frente, Brasil, salve a seleção.
De repente é aquela corrente pra frente.
Parece que todo o Brasil deu a mão.
Todos ligados na mesma emoção.
Tudo é um só coração.
Todos juntos, vamos, pra frente, Brasil, Brasil,
Salve a seleção.
(Canção: Pra frente Brasil/ Copa 1970. Autor: Miguel Gustavo)
Na obra “Resposta à questão: o que é o esclarecimento?”, Kant discute conceitos como uso público e privado da razão e
a superação da menoridade. À luz do pensamento kantiano, o fenômeno contemporâneo do uso político dos eventos
esportivos:
a)
Torna o indivíduo dependente, já que a sua menoridade impede o esclarecimento e a possibilidade de pensar por si
próprio.
b)
Forma o indivíduo autônomo, uma vez que amplia a sua capacidade de fazer uso da própria razão para agir
autonomamente.
c)
Impede que o indivíduo pense de forma restrita, pois, mesmo estando cercado por tutores, facilmente rompe com
a menoridade.
d)
Proporciona esclarecimento político das massas, pois tais eventos promovem o aprendizado crítico mediante a
afirmação da ideia de nacionalidade.
e)
Confere liberdade às massas para superar a dependência gerada pela aceitação da tutela de outrem.
QUESTÃO 12. Na regulação de matérias culturalmente delicadas, como, por exemplo, a linguagem oficial, os currículos
da educação pública, o status das Igrejas e das comunidades religiosas, as normas do direito penal (por exemplo, quanto
ao aborto), mas também em assuntos menos chamativos, como, por exemplo, a posição da família e dos consórcios
semelhantes ao matrimônio, a aceitação de normas de segurança ou a delimitação das esferas pública e privada — em
tudo isso reflete-se amiúde apenas o autoentendimento ético-político de uma cultura majoritária, dominante por
motivos históricos. Por causa de tais regras, implicitamente repressivas, mesmo dentro de uma comunidade republicana
que garanta formalmente a igualdade de direitos para todos, pode eclodir um conflito cultural movido pelas minorias
desprezadas contra a cultura da maioria.
HABERMAS, J. A inclusão do outro: estudos de teoria política. São Paulo: Loyola, 2002.
A reivindicação dos direitos culturais das minorias, como exposto por Habermas, encontra amparo nas democracias
contemporâneas, na medida em que se alcança:
a)
A secessão, pela qual a minoria discriminada obteria a igualdade de direitos na condição da sua concentração
espacial, num tipo de independência nacional.
b)
A reunificação da sociedade que se encontra fragmentada em grupos de diferentes comunidades étnicas,
confissões religiosas e formas de vida, em torno da coesão de uma cultura política nacional.
c)
A coexistência das diferenças, considerando a possibilidade de os discursos de autoentendimento se submeterem
ao debate público, cientes de que estarão vinculados à coerção do melhor argumento.
d)
A autonomia dos indivíduos que, ao chegarem à vida adulta, tenham condições de se libertar das tradições de suas
origens em nome da harmonia da política nacional.
SOCIOLOGIA
QUESTÃO 13. A história da cultura brasileira é pontuada pelo “jeitinho brasileiro” e pela cordialidade, frutos da
colonização portuguesa. Sérgio Buarque sugere que nossa cultura tem algumas singularidades, tais como: aversão à
impessoalidade, forte simpatia e rejeição ao formalismo nas relações sociais. Tais singularidades se refletem no
ordenamento da sociedade expresso no fragmento da música Minha história de João do Vale e Raimundo Evangelista,
que trata da educação como base da estratificação social na sociedade burguesa.
E quando era noitinha, a meninada ia brincar.
Vige como eu tinha inveja de ver Zezinho contar:
“o professor ralhou comigo,
porque eu não quis estudar” (bis)
Hoje todos são doutor,
E eu continuo um João Ninguém
Mas, quem nasce pra pataca
nunca pode ser vintém.
Ver meus amigos doutor basta pra mim sentir bem (bis)...
João do vale; Chico Evangelista. “Minha história”. In: álbum, João do Vale. Rio de Janeiro: Sony, 1981.
Conforme a contribuição de Karl Marx sobre a análise da sociedade capitalista, os conceitos sociológicos expressos
nessa música são:
a)
Superestrutura, anomia social, racionalidade, alienação.
b)
Ação social, infraestrutura, solidariedade orgânica, coesão social.
c)
Divisão do trabalho, mais valia, solidariedade mecânica, burocracia.
d)
Sansão social, relações de produção, organicismo, forças produtivas.
e)
Ideologia, classe social, desigualdade social, relações sociais de trabalho.
QUESTÃO 14. Os preconceitos fazem parte da vida em sociedade e resistem às mudanças, muitas vezes alimentando
as desigualdades e a exclusão social, conforme trecho da música A carne dos compositores Seu Jorge, Marcelo Yuca e
Wilson Capellette.
A carne mais barata do mercado é a carne negra que vai de graça ‘pro’ presídio
E para debaixo de plástico que vai de graça ‘pro’ subemprego
E ‘pros’ hospitais psiquiátricos
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Que fez e faz história
Segurando esse país no braço
O cabra aqui não se sente revoltado
Porque o revólver já está engatilhado
E o vingador é lento
Mas, muito bem intencionado
E esse país vai deixando todo mundo preto e o cabelo esticado...
Seu Jorge; Marcelo Yuca e Ulisses Cappelletti. “A Carne”. In: Farofa Carioca, Moro no Brasil. Rio de Janeiro: independente, 1998.
Os conceitos sociológicos apresentados no trecho da composição A carne são os seguintes:
a)
Acomodação, discriminação racial, exploração do trabalho.
b)
Institucionalização, igualdade social, politização.
c)
Marginalização, industrialização, socialização.
d)
Democracia, cidadania, desigualdade social.
e)
Estigma, flexibilização, modernização.
QUESTÃO 15. Na parte mais tardia de sua carreira, Comte elaborou planos ambiciosos para a reconstrução da
sociedade francesa em particular, e para as sociedades humanas em geral, baseado no seu ponto de vista sociológico.
Ele propôs o estabelecimento de uma “religião da humanidade”, que abandonaria a fé e o dogma em favor de um
fundamento científico. A Sociologia estaria no centro dessa nova religião
GIDDENS, Anthony. Sociologia. 4.ed. Porto Alegre: Artmed, 2005. p. 28.
Com base nessa assertiva, Comte aponta para o papel da Sociologia como ciência fundamental para a compreensão:
a)
Da ideia da revolução, como solução para sanar as questões da desigualdade social.
b)
Da crença na ação dos indivíduos, como fator de intervenção na realidade.
c)
Do consenso moral, como solução para regular e manter unida a sociedade.
d)
Dos elementos subjetivos da sociedade, tendo em vista a pluralidade social.
CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS
QUÍMICA
QUESTÃO 16. Os seguintes gráficos representam variáveis de uma reação química:
Os gráficos indicam:
a)
No instante t1, a velocidade da reação direta é igual à da inversa.
b)
Após t2, não ocorre reação.
c)
No instante t1, a reação atingiu o equilíbrio.
d)
A curva 4 corresponde à velocidade da reação inversa.
e)
No ponto de intersecção das curvas 3 e 4, a concentração de produtos é igual à de reagentes.
QUESTÃO 17. A diversidade de substâncias existentes deve-se à capacidade de combinação dos elementos químicos,
que pode ocorrer de diferentes maneiras, dependendo, por exemplo, do estado de oxidação, da configuração eletrônica
e da hibridização dos elementos constituintes.
As teorias da Repulsão dos Pares Eletrônicos da Camada de Valência e da Hibridização do Átomo são importantes na
previsão da geometria das moléculas. Nesse sentido, considere as moléculas abaixo e as proposições a seguir:
CHC
A
3
NH 3 H2O
B
C
I. A hibridização do átomo central em A, B e C é respectivamente, sp3, sp2 e sp.
II. Os átomos nas moléculas A, B e C fazem apenas ligação covalente comum.
III. A geometria das moléculas é, respectivamente, tetraédrica, trigonal e linear.
IV. A geometria das moléculas é, respectivamente, tetraédrica, piramidal e angular.
Estão corretas:
a)
Apenas I e III.
b)
Apenas II e III.
c)
Apenas II e IV.
d)
Apenas I e IV.
e)
I, II, III e IV.
QUESTÃO 18. Dada a expressão da constante de equilíbrio em termos de concentração de produtos e reagentes:
NO  O2 
2
NO2 
2
Kc 
A equação química que pode ser representada por essa expressão é:
2NO g   1O2 g 
a)
2NO2 g 
b)
2NO g   1O2 g 
c)
1NO2 g 
2NO g   1O2 g 
d)
2NO2 g 
1NO g   1O2 g 
e)
1NO g   1O2 g 
2NO2 g 
2NO2 g 
QUESTÃO 19. “Agentes protetores solares (ou filtros solares) ajudam a bloquear a radiação UV antes que ela cause
danos à pele. Para serem eficazes, os protetores devem ser à prova de água, mas mesmo assim eles acabam sendo
removidos. Além disso, deve ser observado que a água doce dissolve os protetores com mais eficácia que a água
salgada. Um dos agentes de proteção solar mais antigo e ainda amplamente usado é o ácido aminobenzóico (PABA). São
também usados derivados do PABA como mostrado nas figuras abaixo:
COOH
CO
H
CH(CH
) CH3
2C
2
23
O O
H
CH
2 5
O
M
e
NH2
Ozibenzona - II
PABA - I
N(CH3)2
[p-(N,N-dimetil) aminobenzoato de 2-etilhexila] - III
CH
CH
25
2 5
CO
H
CH(CH
) CH3
2C
2
23
C
HC
O
C
H
C
H
(C
H
)3C
H
2
2
3
2
OH
O
M
e
Salicilato de 2-etilhexila - IV
p-metoxicinamato de 2-etilhexila” - V
Com base no texto, julgue as afirmativas abaixo:
a)
Na estrutura II, encontramos as funções cetona, fenol e éster.
b)
A estrutura V apresenta 14 carbonos secundários.
c)
A estrutura I apresenta um heterociclo devido ao nitrogênio estar ligado no carbono do anel benzênico.
d)
As estruturas III e IV são isômeras, pois apresentam o mesmo grupo 2-etil-hexila.
e)
A nomenclatura para a estrutura II é 2- hidróxi-4-metóxi-benzofenona.
QUESTÃO 20. Os terpenos são constituídos de vários isoprenos hidrocarbonados como mostra a figura a seguir:
Isopreno
Dentre os terpenos incluem-se os carotenóides, dos quais o mais importante é o -caroteno, o precursor
hidrocarbonado da vitamina A.
O -caroteno possui a seguinte fórmula molecular: C40H56. Sofrendo hidrogenação total, o carotenóide se converte em
uma outra substância de fórmula molecular C40H78. O número de ligações duplas e o número de cadeias fechadas
(ciclos) que o -caroteno possui é de, respectivamente:
Dados: Para se calcular duplas e ciclos, usa-se a seguinte fórmula:
nº de C  1   
nº de H   nº de N 


 2   2 
O resultado fornece o número total de duplas ligações e ciclos, juntos.
a)
22 ligações duplas e 2 ciclos.
b)
22 ligações duplas e nenhum ciclo.
c)
11 ligações duplas e nenhum ciclo.
d)
11 ligações duplas e 2 ciclos.
e)
10 ligações duplas e 3 ciclos.
FÍSICA
QUESTÃO 21. Uma barra homogênea de comprimento L, articulada na extremidade O, é sustentada na horizontal por
uma força vertical F , aplicada no ponto A, que dista 3L/4 do ponto O.
A razão entre a intensidade da força F e o peso da barra é:
a)
1
.
3
b)
2
.
3
c)
1.
d)
3
.
4
e)
4
.
3
QUESTÃO 22. Um estudante, no laboratório, deveria aquecer uma certa quantidade de água desde 25 °C até 70 °C.
Depois de iniciada a experiência ele quebrou o termômetro de escala Celsius e teve de continuá-la com outro de escala
Fahrenheit. Em que posição do novo termômetro ele deve ter parado o aquecimento?
Nota: 0 °C e 100 °C correspondem, respectivamente, a 32 °F e 212 °F.
a)
102 °F.
b)
38 °F.
c)
126 °F.
d)
158 °F.
e)
182 °F.
QUESTÃO 23. Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a escala Celsius, conforme o gráfico a
seguir.
As temperaturas de fusão do gelo e ebulição da água, sob pressão normal, na escala X são, respectivamente:
a)
-60 e 250.
b)
-100 e 200.
c)
-150 e 350.
d)
-160 e 400.
e)
-200 e 300.
QUESTÃO 24. O verão de 1994 foi particularmente quente nos Estados Unidos da América. A diferença entre a máxima
temperatura do verão e a mínima no inverno anterior foi de 60 °C. Qual o valor dessa diferença na escala Fahrenheit?
a)
108 °F.
b)
60 °F.
c)
140 °F.
d)
33 °F.
e)
92 °F.
QUESTÃO 25. Um turista, ao descer no aeroporto de Nova Yorque, viu um termômetro marcando 68 °F. Fazendo
algumas contas, esse turista verificou que essa temperatura era igual à de São Paulo, quando embarcara. A temperatura
de São Paulo, no momento de seu embarque, era de:
a)
10 °C
b)
15°C.
c)
20 °C.
d)
25 °C.
e)
28 °C.
BIOLOGIA
QUESTÃO 26. Durante o desenvolvimento embrionário de repteis, aves e anfíbios, formam-se estruturas associadas ao
corpo do embrião denominadas anexos embrionários. Desses anexos, o âmnio e a estrutura que desempenha a função
de:
a)
Nutrição do embrião.
b)
Armazenamento de excretas pelo embrião durante o seu desenvolvimento.
c)
Promoção de trocas gasosas entre o sangue embrionário e o ar atmosférico.
d)
Proteção do embrião contra dessecação e eventuais choques mecânicos.
e)
Transporte de substâncias do corpo materno para o feto e vice-versa.
QUESTÃO 27. Durante o desenvolvimento embrionário da maioria das espécies animais, no estágio da gástrula, os
blastômeros reorganizam-se em três conjuntos de células: ectoderma, mesoderma e endoderma. Quanto a esses
conjuntos celulares, também chamados de folhetos germinativos, analise as afirmações a seguir.
I. O ectoderma é o folheto mais externo que reveste o embrião. Origina a epiderme (camada externa da pele) e
estruturas associadas a ela: pelos, unhas, glândulas sebáceas etc. Está presente em todos os filos animais.
II. O mesoderma se localiza entre o ectoderma e o endoderma e origina, entre outros, os músculos, ossos, sistema
cardiovascular e sistema nervoso. Está presente em todos os filos animais, com exceção dos filos porífera e
cnidária.
III. O Endoderma é o folheto germinativo mais interno e delimita a cavidade do arquêntero. Forma as estruturas
glandulares associadas à digestão, como glândulas salivares, pâncreas e fígado. É encontrado em todos os filos
animais, com exceção do porífera.
Está(ao) correta(s):
a)
A afirmação III.
b)
A afirmação II.
c)
A afirmação I.
d)
As afirmações I e III.
e)
As afirmações II e III.
QUESTÃO 28.
A figura representa o heredograma de uma família em que ocorre o daltonismo. A pessoa identificada com uma seta se
trata de:
a)
Uma mulher afetada que tem os dois cromossomos X com o gene recessivo para daltonismo.
b)
Uma mulher afetada que tem apenas um dos cromossomos X com o gene recessivo para daltonismo.
c)
Um homem que terá descendentes afetados, já que o daltonismo está ligado ao cromossomo X.
d)
Uma mulher que não terá descendentes afetados pelo daltonismo, o qual está ligado ao cromossomo Y.
e)
Um homem, já que não existem mulheres afetadas, pois o daltonismo está ligado ao cromossomo Y.
QUESTÃO 29. Um estudante de biologia suspeita que uma determinada característica recessiva em cães é ligada ao
sexo. Após um único cruzamento entre um macho com fenótipo dominante e uma fêmea com fenótipo recessivo, é
obtida uma prole constituída de três machos com fenótipo recessivo e quatro fêmeas com fenótipo dominante. Com
base nesse experimento, assinale a alternativa correta.
a)
O resultado obtido é compatível com herança ligada ao sexo, mas não exclui herança autossômica.
b)
O resultado obtido exclui herança ligada ao sexo.
c)
O resultado obtido é compatível com herança ligada ao sexo e exclui herança autossâmica.
d)
O resultado obtido é compatível com herança autossômica, desde que os pais sejam homozigotos.
e)
O resultado obtido é compatível com herança autossâmica, e as proporções da prole estão de acordo com o
esperado.
QUESTÃO 30. O quadro abaixo trata dos tipos de herança de genes localizados em cromossomos sexuais. Associe
corretamente os tipos de herança da primeira coluna com sua respectiva descrição e exemplo, na segunda coluna.
Tipos de herança
a)
Herança restrita ao sexo
b)
Herança influenciada pelo sexo
c)
Herança ligada ao sexo
Descrição e exemplos
( )
Está relacionada a genes localizados na porção não homóloga do cromossomo X.
( )
Hipertricose auricular.
( )
Está relacionada a genes localizados na parte homóloga dos cromossomos X e Y, ou nos autossomos, cuja
dominância ou recessividade é influenciada pelo sexo do portador.
( )
Calvície.
( )
Está relacionada a genes localizados na porção do cromossomo Y sem homologia com o cromossomo X.
( )
Daltonismo.
A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:
a)
b – a – c – c – b – a.
b)
c – a – b – b – a – c.
c)
a – b – c – b – c – a.
d)
b – a – c – b – c – a.
e)
c – a – b – c – a – b.
LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS
LÍNGUA PORTUGUESA
QUESTÃO 31. Considere a sentença abaixo.
Mariza saiu de casa atrasada e perdeu o ônibus. As duas orações do período estão unidas pela palavra “e”, que, além de
indicar adição, introduz a ideia de:
a)
Oposição.
b)
Condição.
c)
Consequência.
d)
Comparação.
e)
União.
QUESTÃO 32. Preços mais altos proporcionam aos agricultores incentivos para produzir mais, o que torna mais fácil a
tarefa de alimentar o mundo. Mas eles também impõem custos aos consumidores, aumentando a pobreza e o
descontentamento. (início do 2º parágrafo)
A 2ª afirmativa introduz, em relação à 1ª , noção de:
a)
Condição.
b)
Temporalidade.
c)
Consequência.
d)
Finalidade.
e)
Restrição.
QUESTÃO 33. Releia-se o que escreve Beccaria:
“Contudo, se o roubo é comumente o crime da miséria e da aflição, se esse crime apenas é praticado por essa classe de
homens infelizes, para os quais o direito de propriedade (direito terrível e talvez desnecessário) apenas deixou a vida
como único bem, [.......] as penas em dinheiro contribuirão tão-somente para aumentar os roubos, fazendo crescer o
número de mendigos, tirando o pão a uma família inocente para dá-lo a rico talvez criminoso.” (parágrafo 5)
A palavra ou locução que, usada no espaço entre colchetes deixado no período, fortalece a conexão lógica entre as
orações adverbiais condicionais e o que ele afirma a seguir é:
a)
Inclusive.
b)
Além disso.
c)
Então.
d)
Por outro lado.
e)
Mesmo.
QUESTÃO 34. No trecho “Ao tempo de Pilatos e de James Joyce, a linguagem virtual estava longe”. Mas, além da
realidade física, da palavra impressa, ela servia de símbolo da identidade e da perenidade da comunicação”.
Os termos grifados acima têm, respectivamente, a equivalência de:
a)
Adversidade – causa – tempo.
b)
Consequência – tempo – adversidade.
c)
Tempo – adversidade – adição.
d)
Adição – adversidade – tempo.
e)
Tempo – adição – adversidade.
QUESTÃO 35. “Já a produção de petróleo não é suficiente para atender à demanda, embora a dependência externa no
setor tenha conhecido…” O termo “embora”, nesse fragmento, estabelece relação lógico-semântica de:
a)
Condição.
b)
Adição.
c)
Conformidade.
d)
Concessão.
e)
Tempo.
QUESTÃO 36. Pois é, não jogo futebol, mas tenho alma de artilheiro…” a palavra destacada anteriormente exprime
ideia de:
a)
Escolha.
b)
Contraste, oposição.
c)
Finalidade.
d)
Explicação.
e)
Soma, adição.
QUESTÃO 37. “Dicas para acelerar sem perder o ritmo”. Nessa frase, os dois conectivos sublinhados indicam,
respectivamente:
a)
Direção e negação.
b)
Comparação e ausência.
c)
Finalidade e concessão.
d)
Modo e condição.
e)
Movimento e modo.
QUESTÃO 38. Considere as alternativas abaixo, relativas ao Simbolismo:
I. No plano temático, o Simbolismo foi marcado pelo mistério e pela inquietação mística com problemas
transcendentais do homem. No plano formal, caracterizou-se pela musicalidade e certa quebra no ritmo do verso,
precursora do verso livre do modernismo.
II. O Simbolismo, surgido contemporaneamente ao materialismo cientificista, enquanto atitude de espírito, passou ao
largo dos maiores problemas da vida nacional. Já a literatura realista-naturalista acompanhou fielmente os modos
de pensar das gerações que fizeram e viveram a Primeira República.
III. O Simbolismo, com Cruz e Sousa e Alphonsus de Guimaraens, nossos maiores poetas do período, legou- nos uma
produção poética que se caracterizou pela busca da "arte em arte", isto é, uma preocupação com o verso artesanal,
friamente moldado. Devido a essa tendência à objetividade na composição, o movimento também se denominou
"decadentista".
Assinale a alternativa CORRETA:
a)
I é falsa; II e III verdadeiras.
b)
I, II e III são verdadeiras.
c)
I é verdadeira; II e III, falsas.
d)
I e II são verdadeiras: III é falsa.
e)
I e III são falsas; II, verdadeira.
QUESTÃO 39. O simbolismo caracterizou-se por ser:
a)
Positivista, naturalista, cientificista.
b)
Antipositivista, antinaturalista, anticientificista.
c)
Objetivo – racional.
d)
Uma volta aos modelos greco-latinos.
e)
Subjetivista – materialista.
QUESTÃO 40. Leia com atenção as duas estrofes a seguir e compare-as quanto ao conteúdo e à forma.
I. "Mas que na forma se disfarce o emprego
Do esforço; e a trama viva se construa
De tal modo que a ninguém fique nua
Rica mas sóbria, como um templo grego."
II. "Do Sonho as mais azuis diafaneidades
que fuljam, que na Estrofe se levantem
e as emoções, todas as castidades
Da alma do Verso, pelos versos cantem."
Comparando as duas estrofes, conclui-se que:
a)
I é parnasiana e II, simbolista.
b)
I é simbolista e II, romântica.
c)
I é árcade e II, parnasiana.
d)
I e II são parnasianas.
e)
I e II são simbolistas.
LÍNGUA ESTRANGEIRA - INGLÊS
TEXTO
Argentina defaults – Eighth time unlucky
Cristina Fernández argues that her country’s latest default is different. She is missing the point.
Aug 2nd 2014
ARGENTINA’S first bond, issued in 1824, was supposed to have had a lifespan of 46 years. Less than four years
later, the government defaulted. Resolving the ensuing stand-off with creditors took 29 years. Since then seven more
defaults have followed, the most recent this week, when Argentina failed to make a payment on bonds issued as partial
compensation to victims of the previous default, in 2001.
Most investors think they can see a pattern in all this, but Argentina’s president, Cristina Fernández de Kirchner,
insists the latest default is not like the others. Her government, she points out, had transferred the full $539m it owed
to the banks that administer the bonds. It is America’s courts (the bonds were issued under American law) that blocked
the payment, at the behest of the tiny minority of owners of bonds from 2001 who did not accept the restructuring
Argentina offered them in 2005 and again in 2010. These “hold-outs”, balking at the 65% haircut the restructuring
entailed, not only persuaded a judge that they should be paid in full but also got him to 1freeze payments on the
restructured bonds until Argentina coughs up.
Argentina claims that paying the hold-outs was impossible. It is not just that they are “vultures” as Argentine
officials often put it, who bought the bonds for cents on the dollar after the previous default and are now holding those
who accepted the restructuring (accounting for 93% of the debt) to ransom. The main problem is that a clause in the
restructured bonds prohibits Argentina from offering the hold-outs better terms without paying everyone else the
same. Since it cannot afford to do that, it says it had no choice but to default.
Yet it is not certain that the clause requiring equal treatment of all bondholders would have applied, given that
Argentina would not have been paying the hold-outs voluntarily, but on the courts’ orders. Moreover, some owners of
the restructured bonds had agreed to waive their rights; 2had Argentina made a concerted effort to persuade the
remainder to do the same, it might have succeeded. Lawyers and bankers have suggested various ways around the
clause in question, which expires at the end of the year. But Argentina’s government was slow to consider these options
or negotiate with the hold-outs, hiding instead behind indignant nationalism.
Ms Fernández is right that the consequences of America’s court rulings have been perverse, unleashing a big
financial dispute in an attempt to solve a relatively small one. But 3hers is not the first government to be hit with an
awkward verdict. Instead of railing against it, she should have tried to minimize the harm it did. Defaulting has helped
no one: none of the bondholders will now be paid, Argentina looks like a pariah again, and its economy will remain
starved of loans and investment.
Happily, much of the damage can still be undone. It is not too late to strike a deal with the hold-outs or back an
ostensibly private effort to buy out their claims. A quick fix would make it easier for Argentina to borrow again
internationally. That, in turn, would speed development of big oil and gas deposits, the income from which could help
ease its money troubles.
More important, it would help to change 4perceptions of Argentina as a financial rogue state. Over the past year
or so Ms Fernández seems to have been trying to rehabilitate Argentina’s image and resuscitate its faltering economy.
She settled financial disputes with government creditors and with Repsol, a Spanish oil firm whose Argentine assets she
had expropriated in 2012. This week’s events have overshadowed all that. For its own sake, and everyone else’s,
5
Argentina should hold its nose and do a deal with the hold-outs.
(http://www.economist.com/news/leaders/21610263. Adapted)
QUESTÃO 41. The excerpt from the reference 2 – had Argentina made a concerted effort to persuade the remainder
to do the same, it might have succeeded. – denotes an idea of:
a)
Obligation.
b)
Ability.
c)
Completion.
d)
Hypothesis.
e)
Necessity.
TEXTO
Virtual people, real friends
by Anna Pickard (The Guardian)
The benefits of forming friendships with those we meet online are obvious, so why is the idea still treated with
such disdain?
Another week, another survey claiming to reveal great truths about ourselves. This one says that people are
increasingly turning “online friends” into people they’d think worthy of calling real-life friends. Well, that’s stating the
obvious, I would have thought! If there’s a more perfect place for making friends, I have yet to find it. However, when
surveys like this are reported in the media, it’s always with a slight air of “it’s a crazy, crazy world!” And whenever the
subject crops up in the conversation, it’s clear that people look down on friends like these. In fact some members of my
family still refer to my partner of six years as my “Internet Boyfriend.”
It’s the shocked reaction that surprises me as if people on the internet were not “real” at all. Certainly, people
play a character online quite often – they may be a more confident or more argumentative version of their real selves –
but what’s the alternative? Is meeting people at work so much better than making friends in a virtual world? Perhaps,
but for some a professional distance between their “work” selves and their “social” selves is necessary, especially, if
they tend to let their guard down and might say or do something they will later regret.
Those people disapproving of online friendships argue that the concept of “friendship” is used loosely in a world
driven by technology, in which you might have a thousand online friends. They make a distinction between “social
connections” – 1acquaintances who are only one click away – and meaningful human interaction, which they say
requires time and effort. They note that for many Facebook “friends,” conversation is a way of exchanging information
quickly and efficiently rather than being a social activity.
However, I’ve found that far from being the home of oddballs and potential serial killers, the internet is full of
like-minded people. For the first time in history, we’re lucky to enough to choose friends not by location or luck, but by
those who have similar interests and senses of humour, or passionate feelings about the same things. The friends I’ve
made online might be spread wide geographically, but I’m closer to them than anyone I went to school with, by millions
miles. They are the best friends I have.
Obviously, there will be concerns about the dangers of online friendship. There are always stories buzzing
around such as “man runs off with the woman he met on Second Life” or people who meet their “soulmate” online and
are never seen again. But people are people, whether online or not. As for “real” friendship dying out, surely, is social
networking simply redefining our notion of what this is in the twenty-first century? The figures – half a billion Facebook
users worldwide – speak for themselves. And technology has allowed countless numbers of these people to keep in
close contact with their loved ones, however far away they are. Without it, many disabled or household people might go
without social contact at all. Call me naive, call me a social misfit, I don’t care. Virtual people make best real friends.
Adapted from http://www.theguardian.com/commentisfree/2009/jan/02/internet-relationships
QUESTÃO 42. Which alternative contains the correct conditional to complete the gap below?
He would have chatted with his Facebook friends last night if he ___________ so busy.
a)
Hadn’t been.
b)
Wasn’t.
c)
Weren’t.
d)
Hasn’t been.
TEXTO
QUESTÃO 43. Which sentence is grammatically correct about the picture above?
a)
If the 2 lions had been taller, they wouldn’t have to had helped each other.
b)
If one lion was bigger, the other wouldn’t be help him.
c)
Had one lion taller, the other would have helped him.
d)
Should a lion be bigger, the other have helped him.
e)
If one lion were taller, the other one wouldn’t have had to help him.
LÍNGUA ESTRANGEIRA - ESPANHOL
TEXTO
Emigrantes
En todo emigrante existen dos posibles actitudes vitales: una la de considerar su experiencia como aventura pasajera,
vivir mental y emocionalmente en la patria de origen, cultivando su nostalgia, y definir la realidad presente por
comparación con el mundo que se ha dejado; la otra es vivir el presente tal como viene dado, proyectarlo en el futuro,
cortar raíces y dominar nostalgias, sumergirse en la nueva cultura, aprendería y asimilaría. El drama personal del
emigrante reside en el hecho de que casi nunca es posible esa elección en términos absolutos y, al igual que el mestizo,
se siente parte de dos mundos sin integrarse por completo en uno de ellos con exclusión del otro.
DEL CASTILLO, G. C. “América hispánica” (1492-1892). In: DE LARA, M. T. Historia de España. Barcelona: Labor, 1985.
QUESTÃO 44. O texto apresenta uma reflexão sobre a condição do imigrante, o qual, para o autor, tem de lidar com o
dilema da:
a)
Constatação de sua existência no entre-lugar.
b)
Instabilidade da vida em outro país.
c)
Ausência de referências do passado.
d)
Apropriação dos valores do outro.
e)
Ruptura com o país de origem.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS DUAS QUESTÕES
QUESTÃO 45. Es posible inferir que el autor de la viñeta busca:
a)
Burlarse de la gente que no sabe votar.
b)
Censurar la falta de objetivos de los políticos.
c)
Mostrar que ciertos políticos engañan a la gente.
d)
Indicar que la profesión de político carece de futuro.
e)
Valorar a los políticos que suelen ser correctos.
QUESTÃO 46. En lo que se refiere al uso de la lengua en la viñeta, es correcto afirmar:
a)
“hace” tiene su sujeto en la persona gramatical él.
b)
“hablamos” expresa una acción hipotética.
c)
“les” hace referencia a “nosotros”.
d)
“ustedes” se refiere al interlocutor.
e)
“pero” es una conjunción adversativa equivalente a sino 80  7  3
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
QUESTÃO 47. Considere que ABC é um triângulo acutângulo inscrito em uma circunferência L. A altura traçada do
vértice B intersecta L no ponto D. Sabendo-se que AD  4 e BC  8, calcule o raio de L e assinale a opção correta.
a)
2 10 .
b)
4 10 .
c)
2 5.
d)
4 5.
e)
3 10 .
QUESTÃO 48. Os lados de um losango medem 4 e um dos seus ângulos 30°. A medida da diagonal menor do losango é:
a)
2 2  3.
b)
2  3.
c)
4 2  3.
d)
2 2  3.
e)
4 2  3.
QUESTÃO 49. Um professor de geografia forneceu a seus alunos um mapa do estado de São Paulo, que informava que
as distâncias aproximadas em linha reta entre os pontos que representam as cidades de São Paulo e Campinas e entre
os pontos que representam as cidades de São Paulo e Guaratinguetá eram, respectivamente, 80km e 160km. Um dos
alunos observou, então, que as distâncias em linha reta entre os pontos que representam as cidades de São Paulo,
Campinas e Sorocaba formavam um triângulo equilátero. Já um outro aluno notou que as distâncias em linha reta entre
os pontos que representam as cidades de São Paulo, Guaratinguetá e Campinas formavam um triângulo retângulo,
conforme mostra o mapa.
Com essas informações, os alunos determinaram que a distância em linha reta entre os pontos que representam as
cidades de Guaratinguetá e Sorocaba, em km, é próxima de:
a)
80  2  5  3 .
b)
80  5  2  3 .
c)
80  6 .
d)
80  5  3  2 .
e)
80  7  3 .
QUESTÃO 50. Um triângulo é tal que as medidas de seus ângulos internos constituem uma progressão aritmética e as
medidas de seus lados constituem uma progressão geométrica. Dessa maneira, esse triângulo NÃO é:
a)
Acutângulo.
b)
Equilátero.
c)
Obtusângulo.
d)
Isósceles.
QUESTÃO 51. A caminhada é uma das atividades físicas que, quando realizada com frequência, torna-se eficaz na
prevenção de doenças crônicas e na melhora da qualidade de vida.
Para a prática de uma caminhada, uma pessoa sai do ponto A, passa pelos pontos B e C e retorna ao ponto A, conforme
trajeto indicado na figura.
Quantos quilômetros ela terá caminhado, se percorrer todo o trajeto?
a)
2,29.
b)
2,33.
c)
3,16.
d)
3,50.
e)
4,80.
QUESTÃO 52. Para explorar o potencial turístico de uma cidade, conhecida por suas belas paisagens montanhosas, o
governo pretende construir um teleférico, ligando o terminal de transportes coletivos ao pico de um morro, conforme a
figura a seguir.
Para a construção do teleférico, há duas possibilidades:
 O ponto de partida ficar localizado no terminal de transportes coletivos (ponto A), com uma parada intermediária
(ponto B), e o ponto de chegada localizado no pico do morro (ponto C);
 O ponto de partida ficar localizado no ponto A e o de chegada localizado no ponto C, sem parada intermediária.
ˆ  50 , é correto afirmar que a distância entre os pontos A e
Supondo que AB  300 3 m, BC  200 m, BÂP = 20º e CBN
C é de:
a)
700 m.
b)
702 m.
c)
704 m.
d)
706 m.
e)
708 m.
QUESTÃO 53. A prefeitura de certa cidade vai construir, sobre um rio que corta essa cidade, uma ponte que deve ser
reta e ligar dois pontos, A e B, localizados nas margens opostas do rio. Para medir a distância entre esses pontos, um
topógrafo localizou um terceiro ponto, C, distante 200m do ponto A e na mesma margem do rio onde se encontra o
ponto A. Usando um teodolito (instrumento de precisão para medir ângulos horizontais e ângulos verticais, muito
empregado em trabalhos topográficos), o topógrafo observou que os ângulos B Ĉ A e C Â B mediam, respectivamente,
30º e 105º, conforme ilustrado na figura a seguir.
Com base nessas informações, é correto afirmar que a distância, em metros, do ponto A ao ponto B é de:
a)
200 2 .
b)
180 2 .
c)
150 2 .
d)
100 2 .
e)
50 2 .
QUESTÃO 54. O salário mensal de um vendedor é de R$ 750,00 fixos mais 2,5% sobre o valor total, em reais, das
vendas que ele efetuar durante o mês. Em um mês em que suas vendas totalizarem x reais, o salário do vendedor será
dado pela expressão:
a)
750  2,5x.
b)
750  0,25x.
c)
750,25x.
d)
750   0,25x .
e)
750  0,025x.
QUESTÃO 55. No Brasil há várias operadoras e planos de telefonia celular.
Uma pessoa recebeu 5 propostas (A, B, C, D e E) de planos telefônicos. O valor mensal de cada plano está em
função do tempo mensal das chamadas, conforme o gráfico.
Essa pessoa pretende gastar exatamente R$30,00 por mês com telefone.
Dos planos telefônicos apresentados, qual é o mais vantajoso, em tempo de chamada, para o gasto previsto para essa
pessoa?
a)
A.
b)
B.
c)
C.
d)
D.
e)
E.
QUESTÃO 56. O soro antirrábico é indicado para a profilaxia da raiva humana após exposição ao vírus rábico. Ele é
apresentado sob a forma líquida, em frasco ampola de 5mL equivalente a 1000UI (unidades internacionais). O gráfico
abaixo indica a quantidade de soro (em mL) que um indivíduo deve tomar em função de sua massa (em kg) em um
tratamento de imunização antirrábica.
Analise as afirmações a seguir:
I. A lei da função representada no gráfico é dada por q = 0,2 . m, onde q é a quantidade de soro e m é a massa.
II. O gráfico indica que as grandezas relacionadas são inversamente proporcionais, cuja constante de
1
proporcionalidade é igual a .
5
III. A dose do soro antirrábico é 40UI/Kg.
IV. Sendo 3000UI de soro a dose máxima recomendada, então, um indivíduo de 80 kg só poderá receber a dose
máxima.
V. Se um indivíduo necessita de 2880UI de soro, então, a massa desse indivíduo é de 72,2 kg.
Todas as afirmações corretas estão em:
a)
I – III – IV.
b)
I – III – IV – V.
c)
II – III – IV – V.
d)
I – II – V.
QUESTÃO 57. João resolveu fazer um grande passeio de bicicleta. Saiu de casa e andou calmamente, a uma velocidade
(constante) de 20 quilômetros por hora. Meia hora depois de ele partir, a mãe percebeu que ele havia esquecido o
lanche. Como sabia por qual estrada o filho tinha ido, pegou o carro e foi à procura dele a uma velocidade (constante)
de 60 quilômetros por hora. A distância que a mãe percorreu até encontrar João e o tempo que ela levou para
encontrá-lo foram de:
a)
10 km e 30 min.
b)
15 km e 15 min.
c)
20 km e 15 min.
d)
20 km e 30 min.
e)
20 km e 1 h.
QUESTÃO 58. O gráfico representa a função real definida por f(x) = a x + b.
O valor de a + b é igual a:
a)
0,5.
b)
1,0.
c)
1,5.
d)
2,0.
QUESTÃO 59. Uma fábrica de panelas opera com um custo fixo mensal de R$ 9 800,00 e um custo variável por panela
de R$ 45,00. Cada panela é vendida por R$ 65,00. Seja x a quantidade que deve ser produzida e vendida mensalmente
para que o lucro mensal seja igual a 20% da receita. A soma dos algarismos de x é:
a)
2.
b)
3.
c)
4.
d)
5.
e)
6.

Documentos relacionados

semana 18

semana 18 QUESTÃO 9. “… Os produtos finais têm alto valor unitário, o que reduz a importância dos custos de transporte. Por outro lado, mão-de-obra científica e técnicos altamente qualificados, e intensos in...

Leia mais

Semana 13

Semana 13 as estruturas do poder administrativo no Brasil permanecem as mesmas do período colonial, daí a manutenção do patrimonialismo disseminado na sociedade.

Leia mais