Ecto e endoparasitas em peixes e bivalves

Сomentários

Transcrição

Ecto e endoparasitas em peixes e bivalves
Projeto “A Ponte Entre a Escola e
a Ciência Azul”
Ecto e endoparasitas em peixes e
bivalves
Alunos do 12º ano do Colégio Euro-Atlântico
Índice
• Sumário
Amêijoa Japonesa
Faneca
Amêijoa Japonesa
• Introdução
• Material e Métodos
• Dados e Resultados
Trisopterus luscus
Ruditapes philippinarum
Carapau
Mexilhão
• Discussão
• Agradecimentos
Trachurus trachurus Mytilus edulis
Sumário
A ingestão de produtos da pesca crus ou mal confecionados pode
provocar patologias nos humanos. Neste estudo analisaram-se carapaus
pequenos congelados, carapaus grandes refrigerados, fanecas e moluscos
bivalves, tais como mexilhões e amêijoas japonesas, de modo a verificar a
existência de ecto e endoparasitas.
O objetivo primordial desta atividade é alertar a população
consumidora para a necessidade de prevenção, pois é o método mais eficaz
contra a infeção.
Introdução
2. Peixes
1. Bivalves
•
•
Risco de patologias e repercussão
•
Localização e morfologia dos peixes
económica
•
Alimentação dos peixes
•
Relação entre parasita e hospedeiro
Localização
e
morfologia
das
espécies bivalves analisadas
•
Relação entre parasita e hospedeiro
Técnicas de diagnóstico
•
Fatores intercorrentes
Sensibilização da população
Prevenção
Molúsculo
bivalve
Mexilhão
Carapau
Faneca
Material e Métodos
• Bivalves
• Peixes
1. Lavagem externa das valvas
1. Remoção do opérculo e brânquias (pinça
2. Medição das valvas com um paquímetro
e tesoura) – fanecas
3. Abertura das valvas (bisturi)
4. Cortes histológicos
2. Corte (c.p.r) da cavidade abdominal e a
das brânquias e
glândula digestiva
3. Cortes
5. Análise microscópia através de técnicas
de
coloração
amêijoas)
(solução
abertura da mesma
de
lugol
–
laterais
da
pele
e
cortes
transversais do músculo
4. As larvas de nemátodes encontradas
forma observadas macroscopicamente
Figura 6 –
presença de
caranguejoervilha em
mexilhão
Figura 5 – morfologia mexilhões – Mytilus edulis
Figura 7 – disseção do mexilhão
Figura 8 – morfologia da amêijoa - Ruditapes philippinarum
Figura 9 –
brânquias de
amêijoa em
meio líquido
Figura 10 –
coloração das
brânquias com
lugol
Figura 11 – disseção da faneca –
Trisopterus luscus
Figura 13 – Anisakis spp em carapau
refrigerado
Figura 12 – disseção do carapau refrigerado
– Trachurus trachurus
Figura 14 – disseção do carapau pequeno
congelado
Dados e Resultados – Amêijoa Japonesa
Exemplar nº
Altura (cm)
Cor
Estado das
carnes
Contaminação
1
4,20
Castanho creme
Gorda
Negativa
2
3,95
Amarelo creme
Gorda
Negativa
3
4,89
Amarelo creme
Magra +++
Negativa
4
4,39
Castanho creme
Gorda ++
Positiva +++
5
4,32
Creme
amarelado
Magra +++
Positiva +
6
4,69
Creme
amarelado
Magra ++
Positiva
7
4,10
Castanho
Magra +++
Negativa
8
4,50
Creme
amarelado
Gorda
Negativa
9
4,39
Castanho claro
Gorda
Negativa
10
4,79
Amarelo creme
Gorda
Negativa
11
7,60
Amarelo creme
Gorda +
Positiva
12
4,50
Amarelo creme
Gorda +
Positiva +++
13
4,30
Castanho claro
Gorda ++
Negativa
Dados e Resultados – Mexilhão
Exemplar nº
Altura (cm)
Cor
Estado das
carnes
1
6,16
Castanho
alaranjado
Magro ++
2
5,85
Castanho
alaranjado
Magro
3
6,83
Creme
Gordo
4
6,01
Creme
Gordo
5
5,02
Creme
Magro
6
6,30
Creme
Magro +
7
5,60
Creme
Gordo
8
7,96
Castanho
alaranjado
Magro +
9
5,60
Laranja
Magro +
10
5,83
Castanho
alaranjado
Gordo
11
6,85
Laranja escuro
Gordo
12
7,14
Laranja escuro
Magro ++
Contaminação
Presença de
caranguejo
Dados e Resultados – Mexilhão
Exemplar nº
Altura (cm)
Cor
Estado das
carnes
Contaminação
13
7,30
Laranja
Magro +
Presença de
caranguejo
14
7,13
Castanho
alaranjado
Magro
15
4,91
Creme
Magro
16
5,42
Castanho
Magro
17
6,90
Creme
Magro ++
18
6,00
Creme
Gordo
19
5,90
Creme
Magro
20
4,91
Laranja
Magro
21
6,01
Creme
Magro
22
5,83
Laranja escuro
Magro
23
5,44
Laranja
Magro
24
6,45
Creme
Magro +
25
6,13
Laranja
Gordo
Dados e Resultados
• Carapaus pequenos
Nº de exemplares: 30
Peixes parasitados: 0
Massa média (g): 46,20g
Altura média (cm): 18,54cm
Dados e Resultados
Discussão
Bivalves
• Em relação às amêijoas não foi possível obter uma relação direta entre as
amostras preparadas e os resultados
• Presença de parasitas como Perkinsus atlanticus e fatores coadjuvantes
• Em relação aos mexilhões não foi possível retirar conclusões devido à
existência de caranguejos em exemplares com diferentes características
• Poluição de origem antropogénica
• Controlo e prevenção das patologias
Discussão
Peixes
• Não foram encontrados endoparasitas no carapau congelado, mas sim no
carapau refrigerado
• Parasita Anisakis simplex pode causar doenças e alergias no Homem
• Na faneca, o ectoparasita Diclidophora luscae encontrado nas brânquias
não é patológico
• Ações de formação essenciais para o consumo consciente
• Métodos de prevenção
• Continuação de estudos de investigação epidemiológica e sanitária
Agradecimentos
Este estudo e as atividades de enriquecimento curricular de que
beneficiámos, não teriam sido possíveis sem o apoio da Agência Ciência Viva,
da EMEPC, do IPMA e, muito especialmente, do Kit do Mar. O nosso muito
obrigado.
Gostaríamos de agradecer, de um modo especial a toda a equipa do
Kit do Mar, Drs. Raquel Costa, Diogo Geraldes, Bernardo Mata e Fernanda Silva
e aos investigadores do IPMA, Dra. Paula Ramos e Dr. Francisco Ruano, por
toda a generosidade, simpatia e profissionalismo com que nos acolheram
neste Projeto.