Glycine max (L.) Merril – Soja

Сomentários

Transcrição

Glycine max (L.) Merril – Soja
Glycine max (L.) Merril – Soja
Família = Fabaceae ( Papilonáceas ).
Profª Drª Ana Maria Soares Pereira
Histórico
A soja é usada como alimento por mais de 5000 anos
na Ásia,especialmente na China e Japão, onde foi
domesticada.
O primeiro relato sobre o uso da soja encontra-se
na Matéria Médica do Imperador Shen Nung em
2838 a.C..
O seu uso como alimento foi largamente usado na
construção das muralhas da China ( 2939 a.C ).
Até hoje, esses países são
grandes consumidores
da soja
O primeiro plantio de soja
no ocidente foi nos jardins
botânicos da Inglaterra
e França.
O Brasil é o maior exportador de soja do mundo, e o
segundo produtor mundial, perdendo apenas para
os USA
Produtos derivados da soja
Leite de soja
Tofu* ( queijo de soja ),
Missô*,
pasta de soja,
farinha de soja,
farelos de soja,
óleo de soja,
Tempeh*,
proteína texturizada de soja*,
grão torrados de soja
molho de soja*,
yogurte de soja*
óleo de Soja ( rico em ácidos poliinsaturados: linoleico,
oleico e linolénico - 86%, e ácidos graxos saturados:
palmítico e esteárico - 14% ).
Lecitina de soja ( compostos fosfolipídicos das sementes
de soja, rico em fosfatidil-colina, fosfatidil-etanolamina
e fosfatidil-inositol ).
A lecitina está associada à redução da agregação das
plaquetas do sangue, prevenindo o entupimento de
vasos e, também, melhorando o sistema imunológico
A lecitina é removida do óleo
de soja por um processo de
precipitação de vapor.
Nas plantas há proteínas de
defesa contra pragas e/ou
patógenos como as lectinas
que inibem por exemplo
proteinases, por isso são
tóxicas quando o alimento é
ingerido cru . A soja é
particularmente rica em
proteínas anti-nutricionais,
destacando-se inibidores
de enzimas proteolíticas
e a aglutinina (lectina) da soja.
Aspectos botânicos
Planta herbácea anual
com talos rasteiros,
pubescente, robusta,
muito ramificada;
raiz pivotante; folhas
ovaladas, compostas,
tripinadas,pubescentes;
flores pequenas
branco-amareladas ou
azuladas, fruto em vagem
arqueada com até 6
sementes subglobosas lisas e
acastanhadas.
Informações agronômicas
Reprodução por
sementes
Constituintes Químicos
Grãos - 0,2 a 0,3% de isoflavonas
( 10% de daidzeina e 30% de genisteína; gliciteína )
– considerados como fitoestrógenos,
As isoflavonas são fenóis
heterocíclicos estruturalmente
similares aos esteróides
estrogênicos.
As isoflavonas podem agir como anti-estrogênios
por competir com os estrogênios endógenos de
ocorrência natural e que são mais potentes (por ex.,
17b-estradiol)
e se ligarem ao receptor de estrogênio.
Isso pode explicar porque populações que
consomem quantidades significativas de soja
têm um risco reduzido de câncer dependente
de estrogênio.
Fitoestrogênios
Fitoestrogênios podem ocupar os receptores
estrogênicos, por conter um anel fenólico aromatizado
com uma oxidrila geralmente ligada ao carbono 3
(agonista ou antoagonista). Mas são estruturalmente
diferentes do estradiol, estrona e estriol.
Isoflavonas
Coumestanos
lignanos
Obs: anto-estrogênio com ação de 120 a 2000
vezes menor
( Tamoxifeno)
Presença de Fitoesteróides
Coumestanos: Semente de linhaça, alfafa e trevo
Lignanas: Trigo, arroz, aveia, frutas vermelhas,
pêra, cenoura, óleo de oliva, cebola, alho, cerveja.
Isoflavonas: Soja (proteína, farelo, tofu, leite),
lentilha, feijão, grão-de-bico
Proteínas - 35 a 50% - ( glicina e caseína );
carboidratos - 15-35% - ( holósidos, pentosanos
e galactosanos )
vitaminas ( D, E, complexo B ).
O ácido fítico
O ácido fítico da dieta, encontrados no farelo, nos
cereais integrais e nos grãos, inibem a absorção de
zinco. O ácido fítico forma com um zinco um
composto altamente insolúvel que o corpo não pode
absorver. O processo de cozimento reduz o efeito
negativo do ácido fítico e da fibra sobre a absorção
do zinco (pele, cicatrização, defesa imunológica)
Atividade farmacológica
HORMONAL Æ Regulador estrogênico ( isoflavonas ).
Redução dos fogachos na menopausa ( por
estimulação dos receptores beta-estrogênicos;
diminuição dos níveis de estradiol circulante
( aumento das proteínas carreadoras de hormônios
sexuais ).
Em relação ao ciclo menstrual, as isoflavonas
aumentam a duração da fase folicular, e atrasam
o pico da progesterona.
Atividade farmacológica
OSTEOPOROSE Î genisteína.
A soja pode ter ação sobre os ossos. Um estudo
clínico recente, envolvendo 66 mulheres
pós-menopausa, conduzido pela University of Illinois
mostrou que 90 mg de isoflavonas por dias
aumentou significativamente o teor de cálcio nos
ossos assim como a densidade óssea na coluna
lombar após 6 meses de ingestão.
Atividade farmacológica
ANTITUMORAL Æ diminuição do risco de câncer de
mama, endométrio, ovário e próstata ( ligação
estável aos receptores beta-estrogênicos porém
fraca e duradoura, sem causar hiperplasia mamária
ou endometrial ; estudos in vivo e in vitro
comprovaram inibição de crescimento de tumores
de próstata, cólon e mama )
Atividade farmacológica
CARDIOVASCULAR Æ melhora do perfil
cardiovascular, com diminuição do colesterol
circulante, diminuição da oxidação do LDL-colesterol
ATIVIDADES ANTIOXIDANTEÆ atividade (com
inibição da formação de radicais livres, em especial
o peróxido de hidrogênio ).
Estudos clínicos
OSTEOPOROSEÆ Melhora do padrão ósseo com o uso
de isoflavonas.
FOGACHOS Æ Estudos clínicos múltiplos controlados
mostraram grande utilidade no combate aos
sintomas vasomotores e fogachos., na dose de
100 mg/dia em 3 doses/dia.
COLESTEROL Æ Isoflavonas da soja reduziram
hipercolesterolemia em estudo duplo cego
TROPISMO
Sistema endócrino
Alimento funcional
"Deixe o alimento ser teu
remédio e o remédio ser
teu alimento",
Pensamento exposto
por Hipócrates
aproximadamente
2.500 anos atrás,
Alimento funcional
A soja tem sido considerada um alimento funcional
por desempenhar ação preventiva e terapêutica
em doença cardiovascular (DCV), câncer,
osteoporose e o alívio dos sintomas da menopausa.
O termo alimentos funcionais foi primeiramente
introduzido no Japão em meados dos anos 80 e se
refere aos alimentos processados contendo
ingredientes que auxiliam funções específicas
do corpo além de serem nutritivos.