360 graus-natal.ai

Сomentários

Transcrição

360 graus-natal.ai
CMYK
2 • CORREIO BRAZILIENSE • Brasília, sábado, 27 de dezembro de 2014 • Diversão&Arte
[email protected]
COM SOPHIA WAINER
Arquivo Pessoal
A embaixadora dos EUA, Liliana Ayalde, e o marido, Luis Jorge Narvaez, com as filhas
Tradiçõesdasfestasdefimdeanonorte-americanas
As comemorações de Natal e
ano-novo estão profundamente
enraizadas na cultura popular e
nas tradições familiares nos Estados Unidos. A grande maioria
apresenta alguma combinação de
comida caseira, boa companhia e
práticas muito apreciadas como
canções, filmes, danças, jogos,
etc., mas os elementos específicos
variam de região para região. Algumas atividades dessas festas são
bem conhecidas no mundo todo.
Entre elas estão a iluminação da
árvore de Natal da Casa Branca e a
descida da bola de ano-novo em
Times Square, em NovaYork.
Outras, no entanto, estão ligadas a determinadas regiões ou
mesmo bairros e, por essa razão,
provavelmente são menos conhecidas dos brasileiros. Nos estados
do Colorado e do Novo México,
por exemplo, as famílias de origem hispânica se reúnem para
preparar os tamales de Natal, uma
massa de milho com molho de
chili verde ou vermelho e recheio
de carne de porco. Esse prato exige
muitas horas de preparação e muito amor. Os membros da família
trabalham juntos para colocar o
recheio sobre a massa com uma
colher e depois enrolam na palha
de milho antes de cozinhar em
grandes fornadas.
Em partes do Sul, o Hoppin’ John é a comida tradicional do dia
de ano-novo e é feito com feijãofradinho, arroz e bacon. Acreditase que comer esse prato traz sorte
e prosperidade para o ano que
chega. Receitas de cookies de Natal que foram passadas de geração
em geração também são comuns
nessa época do ano.
As luzes de Natal são uma tradição muito apreciada em diversos
bairros. Determinadas ruas tornaram-se famosas localmente pela
exibição anual de luzes de Natal,
estátuas de Papai Noel, renas, pre-
sépios e bonecos de neve. Todas as
casas dessas ruas devem contribuir com a sua parte, decorando
telhados, paredes, árvores e jardins
com milhares de luzes e enfeites.
As pessoas vêm de quilômetros de
distância, andando ou dirigindo
por essas ruas de árvores de Natal
para admirar as decorações.Vêemse, com frequencia, caixas de doação para levantar fundos a uma caridade específica, como a prevenção contra o câncer, uma vez que o
ato de doar é um aspecto importante das festas de fim de ano.
O amor dos Estados Unidos pelo cinema fez com que essa arte
também se tornasse um elemento
central das comemorações das
festas de fim de ano. Clássicos do
cinema são exibidos repetidas vezes nos canais de rede e a cabo.
Três dos filmes de Natal mais populares são: O Grinch, Uma História de Natal e Rudolph, a Rena do
nariz vermelho.
Para a véspera de ano-novo, o
filme obrigatório é A felicidade
não se compra, estrelado por James Stewart. O dia de ano-novo é
um pouco diferente: milhões de
norte-americanos assistem ao
desfile do Rose Bowl na televisão.
É um desfile muito festivo com
bailarinos, cavaleiros, bandas
marciais, elaborados carros alegóricos com as superfícies cobertas
com materiais naturais como vários tipos de plantas e especialmenterosas(acorpreta,porexemplo, é obtida da casca de cebola).
O desfile é seguido por vários
torneios de futebol norte-americano entre equipes universitárias,
chamados Bowls. É uma maneira
mais tranquila e agradável de
aproveitar o dia seguinte após ficar acordado até tarde para celebrar a véspera de ano-novo com
amigos e pessoas queridas.
Embaixadora Liliana Ayalde
Cássia, eterna roqueira
antes da apresentação, ouvi dela o
seguinte comentário: “O início da
turnê calhou de ser em Brasília,
onde comecei minha carreira e
onde sempre fico nervosa ao me
apresentar”. A declaração foi publicada em matéria no Correio,
sob o título Rock com guitarra desligada. No mesmo papo, ela observou: “O que faz soar rock é a atitude e a interpretação. Vá morar com
o diabo, de Riachão, mesmo sendo
um samba, pode ser rock”.
Na entrevista, falando sobre o
show que deu origem ao Acústico,
Cássia disse:“Prefiro o palco ao estúdio. Mesmo que a qualidade da
gravação não seja tão perfeita, é
mais real”. Isso ela voltou a mostrar
na apresentação no Ópera, que se
tornaria histórica. Como se estivesse no mítico Bom Demais (bar
que existiu na 706 Norte, no fim da
década de 1980), de onde decolou
para a fama e para o sucesso, mostrou-se inteiramente à vontade.
Com uma performance arrebatadora, levou os fãs ao delírio,
ao interpretar ECT (Carlinhos Brown, Nando Reis e Marisa Monte),
Malandragem (Cazuza e Roberto
Frejat), Bichos escrotos (Titãs),
Primeiro de julho (Renato Russo), Partido alto (Chico Buarque),
CMYK
Na próxima segunda-feira, faz
13 anos que a música popular
brasileira contemporânea perdeu uma de suas maiores estrelas, com a morte de Cássia Eller,
no Rio de Janeiro. A cantora, naquele ano, havia participado do
Rock in Rio, lançado o DVD Acústico MTV, seu projeto de maior
êxito comercial,s e manteve-se
na estrada com uma longa e desgastante turnê pelo país. A série
de shows teve início em Brasília,
em 5 de maio, no Ópera House,
na Vila Planalto, onde hoje funciona a Net Live.
Ao conversar com Cássia, dias
Coroné Antônio Bento (João doVale) e, ainda, Sgt. Pepper’s lonnely
hearts Club Band, dos Beatles.
Um dos momentos de maior
emoção do espetáculo foi quando ela, com suavidade, cantou o
clássico do cancioneiro francês
Non, je ne regrette rien(Charles
Dumont e Michel Vaucaire), do
repertório de Edith Piaf, por quem
tinha grande admiração. Depois,
no camarim, com seu jeito moleque de ser e sorrindo, explicou
que o canto suave veio depois do
pedido do filho Chicão. “Ele acha
que eu grito muito, que devia cantar como a Marisa Monte.”
Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press - 5/5/01
por Irlam RochaLima >> [email protected]