Untitled

Сomentários

Transcrição

Untitled
A Constipação como fator desencadeante para o aparecimento de hemorróidas
The constipation as desencadeante factor for the appearance of hemorroidas
Agra, G.1; Dias, C. R. M.2; Silva, J. K. C.2; Lima, R. L. D. R.2; Santana, P. M. C.2
1. Profª. de Clinica Cirúrgica da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Hemorróidas são veias varicosas perianais que podem ser internas ou externas. Sendo
freqüente na gestação, cirrose com hipertensão portal, pressão intraabdominal, insuficiência
cardíaca congestiva, como também, em pessoas entre 20 e 50 anos de idade. As hemorróidas
tanto internas quanto externas podem se resultar das muitas anastomoses entre os plexos e da
ausência de válvulas nas veias do plexo hemorroidário superior, que deságuam na veia porta.
O principal sintoma das hemorróidas externas é uma massa aumentada ao nível do ânus e as
internas caracterizam-se por sangramento e prolapso. A dor pode estar presente se houver
trombose associada; o sangue é vermelho rutilante e pode ser visto nas fezes ou no papel
higiênico. O esforço durante a defecação eleva as pressões intra-abdominal e venosa
hemorroidária, acarretando distensão das veias hemorroidárias. Quando a ampola retal está
cheia de fezes bem formadas, admiti-se que ocorre obstrução venosa. Como resultado do
aumento repetido e prolongado nessa pressão e da obstrução, ocorre uma dilatação
permanente das veias hemorroidárias. As hemorróidas externas são diagnosticadas pelo
exame visual e as internas através da história do paciente, palpação digital e proctoscopia.
Deve-se orientar o paciente a comer fibras, usar medicamentos aumentando o fecaloma, caso
tenha vontade de evacuar, procurar não demorar, realizar exercício físico a fim de ajudar o
funcionamento do intestino, tomar bastante líquido e comer regularmente nos horários
programados. O objetivo deste é descrever acerca da fisiopatologia hemorroidária,
abrangendo os aspectos gerais da mesma.
Trata-se de uma pesquisa bibliográfica,
exploratória, realizada em biblioteca pública e privada de João Pessoa, durante os meses de
julho a setembro de 2007, através de livros e revistas, analisadas à luz da literatura. Concluise que seu tratamento envolve redução da pressão pelo traumatismo da constipação, alivio da
dor com aplicação de calor e de loções adstringentes e hemorroidectomia.
Palavras-chave: Hemorróidas, constipação, hipertensão portal
Keywords: Hemorroidas, constipation, hipertensão vestibule
A importância da Gasometria Arterial no Desmame Ventilatório.
The importance of the Arterial Gasometria in Desmame Ventilatório.
Abreu, V.A. ²; Albuquerque, J.B.R. ¹; Mesquita, S.K.C. ²; Silva, P.P.S. ².
1. Prof. de CTI da Faser ( [email protected] )
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A gasometria arterial é um teste de diagnóstico que consiste em uma coleta de amostra de
sangue arterial através de uma punção em umas das artérias percutâneas, ou seja, radial,
braquial ou femoral. Esse exame tem como finalidade fornecer dados sobre as
concentrações de oxigênio, os distúrbios metabólicos e respiratórios. Já o desmame
ventilatório é uma fase da ventilação mecânica da qual se inicia a retirada gradual do
paciente da dependência do ventilador, a partir da passagem do paciente em ventilação
controlada para ventilação assistida, até que esse adquira a autonomia respiratória. Este
estudo tem como objetivo abordar a importância da gasometria arterial no processo de
desmame ventilatório. Existem vários critérios para se realizar o desmame, entre eles, a
necessidade de uma busca por índices fisiológicos que são capazes de orientar o momento
adequado para a realização desse procedimento. Muitos desses índices fisiológicos são
fornecidos através de uma gasometria arterial, por isso, é de fundamental importância à
interpretação dos parâmetros gasométricos. Esses fornecerão dados sobre as condições
hemodinâmica e respiratórias dos pacientes críticos, através das leituras do pH, das
pressões parciais de oxigênio e dióxido de carbono, concentração da fração inspirada de
oxigênio (FiO2), níveis de pressão expiratória final positiva (PEEP), ventilação e equilíbrio
ácido-base. Foi realizado um estudo bibliográfico, no acervo das instituições públicas e
privadas, situadas na cidade de João Pessoa-PB. A coleta de dados foi realizada durante o
período de 5 de setembro a 20 de outubro de 2006, da qual adquirimos informações
pertinentes ao assunto sobre a literatura em questão. Diante das idéias centrais concluímos
que o conhecimento dos enfermeiros em relação à interpretação dos parâmetros
gasométricos para a realização do desmame ventilatório é essencial, pois servirá como base
para orientar esses profissionais, permitindo uma assistência adequada na condução e
manutenção do processo.
Palavras-chaves: Gasometria Arterial, Desmame Ventilatório, Assistência de
Enfermagem.
Keywords: Arterial Gasometria, Weans Ventilatório, Assistance of Nursing.
A importância da higienização na prevenção do Câncer de Pênis
The importance of the hygienic cleaning in the prevention of the Cancer of Penis
Trindade, F.M.M.¹; Almeida, R.S.²; Araújo, M.C.²; Santos, D.M.²; Vanderley, C.F.N.².
1. Supervisora de Clínica Médica da Faser (Flávia Melo Maribondo da Trindade).
2. Acadêmicos de enfermagem da Faser.
É um tipo de câncer de pele raro, com maior incidência em indivíduos a partir dos 80 anos de
idade, embora tumores malignos de pênis possam ser encontrados em indivíduos jovens,
sendo que em ambos os casos são caracterizado por uma ferida ou úlcera persistente ou ainda,
por uma tumoração localizada na glande, prepúcio ou corpo do pênis, associados ou não a
presença de esmegma, esse tipo raro de câncer de pele está diretamente ligado as baixas
condições socioeconômicas e de instrução, má higiene íntima, como também, em indivíduos
não circuncidados. Este instrumento de pesquisa teve por objetivo esclarecer a importância da
higienização como forma de profilaxia do câncer de pênis, servindo assim para maior
compreensão a cerca da patologia, sendo realizado através de revisões bibliográficas
pertinentes ao assunto. Para prevenir o câncer de pênis é necessária a realização do autoexame, como também uma limpeza diária com água e sabão, principalmente após as relações
sexuais e a masturbação. Apesar da higiene íntima ainda estar consagrada como uma das mais
importantes medidas de prevenção dessa neoplasia, sua prática ainda não é adequadamente
seguida, cabendo aos profissionais terem conhecimento a respeito dessa patologia, visando
orientar quanto à necessidade de hábitos de higiene saudáveis afim de que sejam quebrados
tabus ainda existentes na sociedade.
Palavras-chave: Higienização, Prevenção, Câncer, Pênis.
Keywords: Hygienic cleaning, Prevention, Cancer, Penis.
A Importância do Suporte Básico de Vida nos Primeiros Socorros
The amount of Basic Life Support on First aid
Frazão Jr, W.A.¹; Pereira, E.F.S.²;
1. Prof. Socorro de Urgência da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Os primeiros socorros são as medidas iniciais e imediatas aplicadas a uma vítima fora do
ambiente hospitalar, executada por pessoa treinada, na tentativa de manter os sinais vitais,
evitar o agravamento das lesões já existentes e a ressucitação imediata - podendo ser também
o atendimento prestado às vítimas, desde acidentes, lesões - por causa externa a males súbitos.
O presente trabalho é estruturado em uma pesquisa bibliográfica que tem como objetivo
estabelecer a relação entre os primeiros socorros e o suporte básico de vida. Esse atendimento
é realizado antes da chegada de qualquer profissional qualificado da área de saúde ou equipe
especializada em atendimento pré-hospitalar, com equipamentos para desfibrilação e/ ou
suporte de vida. A meta é alcançar a estabilização da vítima até que ela possa recuperar-se, o
suficiente, para ser transportada até uma unidade hospitalar, ou ainda, receber cuidados
especializados por uma equipe interdisciplinar, através de serviços que possam acolher e
oferecer uma melhor terapêutica a vitima. No âmbito dos primeiros socorros existe o suporte
básico de vida que é definido como o conjunto de medidas não invasivas, que são adotadas
para evitar a morte cerebral. Para tal são utilizadas as manobras de desobstrução das vias
aéreas, por corpo estranho, ventilação artificial, massagem cardíaca externa Essa última é
reforçada nos consensos atuais como prioridade nos casos de parada cardiorrespiratória. O
domínio das técnicas do suporte básico da vida permitirá que o socorrista saiba fazer o certo
na hora certa, que pode significar a diferença entre a vida e a morte para um acidentado. Além
disso, os conhecimentos na área podem minimizar os resultados decorrentes de uma lesão,
reduzir o sofrimento da vítima e colocá-la nas melhores condições para receber o tratamento
definitivo.
Palavras chave: suporte básico de vida, primeiros socorros, massagem cardíaca
Keywords: brace base as of life, first aid, massage cardiac
A negação da morte e do morrer no cotidiano da enfermagem na unidade de terapia
intensiva
The negation of the death and dying in the daily one of the nursing in the unit of intensive
therapy
Nóbrega, E.S², Rodrigues, F.A.B¹., Silva, J.A.T²
1. Prof. de Antropologia da Faser ([email protected])
2. Discentes da especialização em saúde coletiva da Faser ([email protected])
A unidade de terapia intensiva é um âmbito de esperança de vida para alguns e sinal de morte
para outros. Os profissionais que ali trabalham - como os enfermeiros - caracterizam como um
lugar de vidas frágeis, que estão sendo observadas e cuidadas, por uma equipe
multiprofissional, onde o bom atendimento resulta da colaboração de todos. O estudo tem por
objetivo investigar a negação da morte e do morrer no cotidiano da enfermagem na unidade
de terapia intensiva. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica realizada nos acervos das
bibliotecas da Faser, Unipê e UFPB, periódicos, jornais e revistas e na internet, no período de
abril à setembro de 2007. Cada ser humano possui suas crenças, valores e cultura, sendo
muitas vezes interrompido na hora da doença, mudando seus hábitos quando admitidos em
uma unidade de terapia intensiva. A cada dia a morte está presente na imaginação de todos os
profissionais de saúde, principalmente na Enfermagem que cria um vínculo com o cliente e
vivência a morte no dia-a-dia das suas atividades profissionais. Isso ocasiona numa
aproximação ou um afastamento, pois culturalmente o homem não está preparado para a
morte, constatando com isso o despreparo do profissional da saúde, em particular da
enfermagem técnica e emocional para lidar com esse fato. A enfermagem comprometida com
suas práticas precisa se conscientizar da necessidade de prestar cuidados aos pacientes
independentemente do estágio do ciclo de vida. Observa-se que o homem jamais será capaz
de afastar a morte de sua vida e que ela um dia chegará e vencerá. No cuidar desses pacientes
- embora seja tranqüilo e confortável - existe momentos de conturbação e medo, porém
existam dias bons e maus não somente para o cliente, como para os profissionais e familiares.
Muitos pacientes confidenciam que não têm medo de morrer e temem o sofrimento no
processo do morrer, que ocorre a qualquer um e a cada momento.
Palavras- chave: morte e morrer, enfermagem, unidade de terapia intensiva
keywords: death and to die, nursing, unit of intensive therapy
A violência contra o idoso no ambiente familiar: Um resgate na
literatura
The violence against the aged one in the familiar environment: one has
rescued in literature
Ramalho, L. D1.; Dantas, J 2; Araújo, M.A3, Souza, A. C. C 4, Bezerra, K. D. O5
1. Prof. de Campo de Estágio de Geriatria e Gerontologia – Faser. Especialização em
Saúde da Família e em Saúde Pública. ([email protected])
2. Discente do Curso de Graduação em Enfermagem – Faser – 7º Período.
( [email protected]).
A violência contra o idoso é alarmente e ocorre na maioria das vezes no ambiente familiar.
Atualmente considera-se a violência domiciliar como um sério problema de saúde pública,
que são decorrentes de fatores biológicos, psicológicos e sociais. Este estudo é de caráter
bibilográfico e tem como objetivo identificar na literatura as causas da violência familiar
contra o idoso e as conseqüências e as formas de enfrentamento do problema. Trata-se de
um estudo exploratório de natureza bibliográfica, realizado no período de julho a setembro
de 2007. Os dados foram coletados mediante acesso a livros, artigos, monografias e
dissertações contidas no acervo de bibliotecas públicas e privadas do município de João
Pessoa- PB, assim como a bancos de dados on-line (Medline, scielo). Essa violência pode
acontecer de várias formas, desde o abandono, humilhações e descaso, até as agressões
físicas. Sendo comuns os casos de filhos que batem nos pais, os dopam, tomam seu
dinheiro e os deixam passar fome ou não dão os remédios na hora certa. Um fator
preocupante é que muitas dessas vítimas sentem-se permanentemente ameaçados, sendo
incapazes de se defender para garantir sua segurança. Além disso, muitos desconhecem os
serviços de assistência e proteção contra a violência e não tem quem os ajude na busca do
socorro, por isso hesitam em denunciar seus agressores. Estudos comparativos têm
mostrado que indivíduos idosos de várias classes sócio-econômicas, etnias e religiões são
vulneráveis aos maus-tratos, que ocorrem de várias formas: física, sexual, emocional e
financeira.
Palavras-chaves: Violência, Idoso.
Keywords: Violence, Senior.
O ABORTO E A BIOÉTICA
The abortion and the Bioétic
Agripino, G. 1; Silva, G. N. S. 2; SÁ, M. R. 2; Silva, L. M. S. 2
1.
Prof de Ética e Bioética da Faser ([email protected])
2.
Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Sabe-se que por ano no Brasil um número considerável de mulheres são hospitalizadas e
várias outras chegam a óbito devido a complicações decorrentes de abortos provocados.
Discutido em todas as classes sociais e profissionais, entre políticos que elaboram os projetos
de leis, entre organizações como a dos direitos humanos e entre profissionais de saúde que
dependem para tomar decisões e atitudes acerca do aborto, não só de sua ética pessoal como
também de seu código de ética e da legislação que vigora em seu país, o aborto tem sido uma
polêmica. Quando recorremos aos princípios da bioética em busca de minimizar tal polêmica,
nos deparamos com alguns princípios que tornam este tema um verdadeiro dilema. O objetivo
deste estudo foi identificar e discutir os princípios da bioética que tornam o aborto um dilema.
A metodologia utilizada para a realização do estudo, foi o levantamento bibliográfico acerca
do assunto, realizado no período de 2 de setembro a 26 de setembro de 2007. Os dados
analisados afirmam que os principais princípios da bioética que tornam o aborto um dilema
são o da não maleficência, o da beneficência e o da autonomia. Mesmo nos casos previstos
por lei, em que o profissional encontra-se acobertado pelo seu código de ética e pelo código
penal, prevalece a liberdade de escolha, a autonomia do mesmo sob sua conduta. Portanto,
conclui-se então que a atitude do individuo, independe de normas e que é fundamental que o
ser humano reflita sobre suas condutas e conseqüências que as mesmas irão provocar a
terceiros, associado a isso, baseando-se em princípios éticos, bioéticos e legais, é possível
solucionar de modo individual, os dilemas relacionados à prática do aborto.
Palavras-chave: aborto, bioética
Keywords: abortion, bioétic
Ações de Enfermagem na prevenção de infecção em pacientes submetidos a Diálise
Peritoneal: um enfoque bibliográfico
Action of nursing in the prevention of infection in submitted patients dialyses
peritoneal: a bibliographical approach
Moreira, M.E.A ¹; Rocha, A.H.T ²; Pinto, E.R.S ²; Queiroz, L.P ².
1. Mestre em Enfermagem Docente do curso de graduação em enfermagem Faser
([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A Diálise Peritoneal é uma modalidade terapêutica usada em pacientes com
insuficiência renal aguda ou crônica, acidose metabólica, ICC refratária e outros
distúrbios metabólicos. Consiste na remoção das excretas metabólicas e do excesso de
água no organismo, através da infusão no interior da cavidade abdominal de um líquido
dialisador, que utiliza a membrana peritoneal como depurador do sangue. Este estudo
tem como objetivo descrever as ações de enfermagem voltadas à prevenção de infecção
em pacientes submetidos à diálise peritoneal, à luz da literatura. Trata-se de uma
pesquisa bibliográfica de cunho descritivo, realizada em bibliotecas públicas e privadas
da cidade de João Pessoa-PB, durante o período de setembro a outubro de 2007. A
diálise peritoneal é realizada através da inserção de um cateter, na cavidade abdominal
por meio de uma pequena cirurgia. Esse cateter é colocado em um túnel subcutâneo, na
região do peritôneo, permitindo a entrada e a saída da solução dialisadora. Juntamente
com essa solução serão drenadas substâncias tóxicas que se encontram em excesso no
sangue como, potássio, uréia e outras excretas nitrogenadas. Essas substâncias passarão,
aos poucos, através das paredes dos vasos sanguíneos da membrana peritoneal para a
solução de diálise por meio do processo de transporte de difusão e osmose. Nesse
sentido a Enfermagem atua com a finalidade de prestar assistência junto ao paciente,
explicando o processo e avaliando sua ansiedade em relação ao procedimento. Dessa
forma, fornece apoio e instrução, avaliando e registrando os sinais vitais, o peso e a
circunferência abnominal para estabeleçer os parâmetros basais. Utilizam as técnicas
assépticas, fazendo a desinfecção dos materiais usados, utilizando máscaras e
vestimentas adequadas, aplicando curativos em torno do cateter, prevenindo infecções
para promover sua reabilitação adequada, revisando os resultados dos exames
laboratoriais recentes tais como, uréia sanguínea, creatinina sérica, sódio, potássio e
hemograma.
Palavras chave: Ações de enfermagem, prevenção, infecção e diálise peritoneal.
Key words: Actios of nursing, prevention, infection, dialyses it peritoneal.
Ações de enfermagem na prevenção e tratamento de úlceras por pressão
Action of nursing in the prevention and treatment of pressures ulcer
Ferreira, J.O.P.¹; Nascimento, N.M.²; Pereira, H.D.²; Queiroz, L.P²; Silva, P.M.L.²
1. Profª de Semiologia e Semiotécnica I e II da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
As úlceras por pressão são descritas como uma lesão localizada na pele, causada pela interrupção
do suprimento sanguíneo para a área afetada, devido à pressão, cisalhamento, fricção ou à
associação desses três fatores. Considerada também uma ferida crônica possui grande dificuldade
de cicatrização e incide em grande parte em pacientes idosos ou com a mobilidade prejudicada.
Essas lesões geralmente estão localizadas em áreas de proeminências ósseas como: região
sacrococígea, olécrano, maléolo e escapular. O objetivo desta pesquisa é descrever ações de
enfermagem importantes na prevenção e tratamento das úlceras por pressão em pacientes
considerados de risco. Este estudo de caráter bibliográfico, foi realizado no período de agosto a
setembro de 2007, utilizando o acervo da Biblioteca João Paulo II da Faculdade Santa Emilia de
Rodat, Biblioteca Central da UFPB, além de periódicos e sites indexados. Durante anos as
úlceras por pressão foram vistas como uma falha no tratamento e em especial de uma má atuação
da Enfermagem. Florence Nightingale em sua prática achava que uma boa Enfermagem poderia
prevení-los. Contudo as ações de Enfermagem que podem ser executadas para a prevenção da
úlcera por pressão são: mudanças de decúbito a cada duas horas; utilização de aliviadores de
pressão; orientação para uma boa nutrição em especial para a ingesta de vitamina C e proteínas;
uma boa hidratação da pele; massagens leves em movimentos circulares estimulando a
circulação; evitar cisalhamento nas roupas de cama, bem como evitar a umidade no leito; utilizar
colchões pneumáticos. No tratamento, identificar o grau de evolução da úlcera por pressão
utilizando formas terapêuticas específicas para cada um desses estágios. A partir da abordagem
feita sobre as considerações citadas, observa-se a importância da Enfermagem na prevenção e no
tratamento dessa afecção, pois esses profissionais estão presentes na assistência dos pacientes,
que fazem parte do grupo de risco para desenvolver as úlceras por pressão.
Palavras chaves: Prevenção, tratamento, úlceras por pressão.
Key words: Prevention, treatment, pressures ulcer.
Alterações histológicas em pacientes acometidos por queimaduras
Update changes histológicas well into patients acometidos By scorches
Pinto, R.G.¹; Adonias, S.P.²; Araujo, C.M²; Mariz, O.M.S.²; Pereira. H.D.
1. Prof. de Biologia Celular e Histologia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
Queimaduras são lesões na pele, provocadas por calor, radiação, produtos químicos ou certos
animais e vegetais, causando fortes dores e podendo ou não evoluir para um processo
infeccioso. A dor na queimadura é resultante do contato direto das terminações nervosas com
o ar e os danos teciduais provenientes das queimaduras variam de acordo como o grau e a
profundidade da mesma. O objetivo deste estudo é identificar as alterações histológicas
sofridas pelos tecidos lesionados decorrentes da queimadura e suas possíveis complicações.
Trata-se de um estudo de levantamento bibliográfico realizado na biblioteca da Faculdade
Santa Emília de Rodat, através de livros de histologia e patologia, no período de 15 de agosto
a 20 de setembro de 2007. Os tipos de alterações presentes nos tecidos variam com o grau da
queimadura. Na de 1° grau atinge apenas a epiderme, a de 2° grau atinge epiderme e derme, já
a de 3° grau, além da epiderme e da derme, os tecidos subjacentes também são lesionados. Na
queimadura de 4° grau ocorre à carbonização total dos tecidos, podendo levar o paciente a
óbito. As principais manifestações apresentadas nos tecidos lesionados são: lise ou necrose
celular, instabilidade hemodinâmica, alterações na permeabilidade dos capilares, má absorção
do epitélio, dentre outros. Conclui-se, desse modo, que cabe ao profissional de Enfermagem
tentar minimizar ao máximo a evolução dos danos sofridos pelos tecidos atingidos pela
queimadura, através das técnicas corretas de curativo para assim tentar impedir que a mesma
evolua para um processo infeccioso, agravando o estado de saúde do paciente.
Palavras-chave: Queimaduras, tecidos, infecção, lesão, alterações histológicas.
Keywords: Scorches , tissues , infection , injury, update changes histologicas.
Alterações no Líquido Amniótico: Tratamento da Polidramnia e da Oligoamnia.
Alterations into the Liquid Amniótico : Treatment from Polidramnia and from Oligoamnia.
Agra, G.1, Pereira, C. M., Dutra, G. M., Pontes, J. S.2, Barbosa, L.
1.
Prof. Saúde da Mulher II Faser ([email protected])
2.
Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
O líquido amniótico (LA) desempenha um papel de grande importância no desenvolver da
gestação, por propiciar diversos benefícios fetais. Soma-se a isso o fato de um volume
satisfatório ser necessário para movimentação fetal e, assim, um adequado desenvolvimento
do sistema músculo-esquelético, gastrintestinal e pulmonar, bem como para a integridade
das membranas córion-amnióticas, evitando a formação de bridas e as malformações fetais
conseqüentes. Foi realizado um estudo de caráter bibliográfico na biblioteca da Faser,
através de livros e internet, no período de agosto a setembro de 2007, analisado a luz da
literatura pertinente. O objetivo deste é descrever o tratamento das alterações no volume do
líquido amniótico. Acredita-se existir um aumento semanal médio de 20ml entre a 10ª e 14ª
semanas e de 50ml daí em diante, até aproximadamente a 28ª semana. O líquido amniótico alcança
seu volume máximo por volta da 38ª semana, decrescendo até o nascimento. Contudo, pode ocorrer
diminuição ou aumento anormal do líquido amniótico, prejudicando o feto. Dá-se o nome de
oligoâmnio a redução patológica do volume do líquido amniótico. Através dos exames
especializados, chega-se a conclusão que a paciente apresenta uma quantidade de líquido em torno
de 500ml. Possui um índice em 3 a 5% das gestações no terceiro trimestre e em cerca de 0,2% no
segundo trimestre. Já o aumento excessivo do volume do líquido amniótico superior a 2000ml
chama-se polidrâmnio. Sua freqüência fica por conta de 1% e sua importância se deve ao aumento
da morbidade e mortalidade perinatais, que se torna alta quando mais precocemente se instala o
polidrâmnio e o oligoâmnio. Não há riscos maternos inerentes à oligodramnia, entretanto, poderão
surgir repercussões ligadas à sua etiologia. Mortalidade perinatal (MPN) deve-se aos fatores causais
como anomalias congênitas, crescimento deficiente por prematuridade e oligodramnia prolongada.
O tratamento visa restaurar o volume do líquido amniótico que irá depender da sua etiologia,
através da amnioinfusão. Associa-se a alterações fetais como malformações, infecções, hidropisia
imune e não imune, tumores, gestação múltipla e outras na polidramnia. Os pequenos excessos de
volume amniótico não exigem maiores cuidados, bastando complementar a semiótica pela ultrasonografia. As condições maternas podem se agravar e exigem, muitas vezes, o esvaziamento do
excesso de líquido. Esse pode ser obtido por amniocentese transabdominal, seguida de aspiração. O
reconhecimento de malformações torna inútil o prosseguimento da gravidez ou autoriza a
interrupção. Não havendo evidência de malformação a conduta médica autoriza prolongar a
gravidez, aliviando, simultaneamente, os sintomas decorrentes do excessivo volume.
Palavras-chave: Alterações no volume do líquido amniótico, Tratamento da polidramnia e
oligoamnia, líquido amniótico.
Keywords: Alterations in the volume of the amniotic liquid, Treatment of the polidramnia and
oligoamnia, amniotic liquid.
Análise de rejeitos radiográficos em Centros de Diagnóstico por Imagem de João
Pessoa/PB.
Analysis of radiographic rejects in Diagnostic Image Centers from João Pessoa/PB
AGRIPINO, G. G1; OLIVEIRA, M. V. L2; OLIVEIRA JÚNIOR, B. B2
1. Docente do Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da Faculdade Santa Emília de
Rodat: [email protected]
2. Discente do Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da Faculdade Santa Emília de
Rodat: [email protected], [email protected]
Radiação é a propagação de energia na forma de ondas eletromagnéticas ou de partículas, sendo
radiação ionizante aquela que, ao interagir com a matéria, “arranca” elétrons dos átomos ou de
moléculas. O uso indevido dessa radiação pode levar a efeitos deletérios no organismo, sendo a
proliferação de células cancerosas um dos mais importantes. A repetição das radiografias acarreta
uma dose excessiva no paciente e aumenta a probabilidade desses efeitos deletérios. Dessa forma,
esta pesquisa teve o objetivo de determinar os principais fatores causadores de repetição das
técnicas radiográficas através da análise dos rejeitos radiográficos de hospitais públicos e
privados de João Pessoa. Foi realizada uma pesquisa exploratória de abordagem qualitativa onde
foram analisados os rejeitos radiográficos de três hospitais da grande João Pessoa, no período de
um mês. Os dados foram analisados através da estatística descritiva. Foram analisadas 226
radiografias, sendo 32 (14,2%) em crianças e 194 (85,8%) em adultos. O exame radiográfico
mais freqüente foi o de tórax (N=75, 32,2%), seguido de coluna (N=42; 18,6%) e membros
inferiores (N=31; 13,7%). A maioria dos exames apresentou mais de um tipo de rejeito (N=121;
53%). Dentre os exames que apresentaram apenas uma classificação, os rejeitos por técnica
foram mais prevalentes (N=88; 38%), essa freqüência foi seguida dos rejeitos por
artefato/revelação (N=12; 5,3%) e dos que foram classificados como Outros (N=5; 2,2%). Dentre
os rejeitos por técnica, o principal motivo apresentado foi por estar claro (N=60, 26,5%) e para os
rejeitos por artefato/revelação, o principal motivo foi por manchas (N=65; 28,8%). Conclui-se
que o exame que apresenta maior índice de rejeitos é a radiografia de tórax. O principal fator
causador de rejeitos radiográficos está relacionado à técnica utilizada, resultando principalmente
em radiografias claras, sendo que os exames de abdome, membros inferiores e coluna
estatisticamente estão relacionados aos rejeitos por artefato/revelação.
Palavras chave: Proteção radiológica, controle de qualidade, rejeitos radiográficos
Key words: Radiological protection, Quality control, Radiographic rejects
Análise quantitativa dos casos de leptospirose: Um enfoque na região Nordeste
Analysis quantitative from the cases of leptospirose : A focus on region Northeast
Moreira, M.E.A.1 ; Júnior, C.P.S.C.2 ; Nunes, E.M.3 ; Farias, S.N.S.3 ; Tigre, Y.S.3
1. Docente da disciplina de Doenças Transmissíveis do curso de graduação de
Enfermagem da Faser ([email protected])
2. Discente de Farmácia da UFPB ([email protected])
3. Discente de enfermagem da Faser
A leptospirose é uma doença de caráter endêmico e tem grande importância para a saúde
pública, ocorrendo em todo o território nacional principalmente na época das chuvas. A
doença é causada pela Leptospira interrogans sendo classificada como uma
zooantroponose, onde o rato (Rattus novergicus) é o principal vetor da leptospirose. Na
região nordeste, tem-se um aumento do número de casos da doença devido às precárias
condições de saneamento básico e o contato direto da população com o vetor. Outro
agravante são as chuvas e inundações que favorecem o contato do homem com o rato.
Trata-se de uma pesquisa documental onde foram levantados dados, objetivando mostrar
uma análise quantitativa dos casos de leptospirose na região nordeste. Para o estudo, foram
coletados dados epidemiológicos, bibliográficos e documentais no âmbito da biblioteca da
Faser, na biblioteca da UFPB, na Secretaria de Saúde do Estado e no sistema DATASUS
do Ministério da Saúde pela internet, no período de setembro de 2007. No Brasil foram
notificados 4471 casos de leptospirose no ano de 2006, sendo 779 na região norte, 701 na
região nordeste, 1723 na região sudeste, 1194 na região sul e 74 na região centro-oeste. Na
região nordeste, objeto de enfoque deste trabalho, 701 casos foram confirmados, onde o
estado de Pernambuco apresentou o maior número, com 222 casos. Na Paraíba ocorreram
28 casos da doença, dos quais 17 ocorreram no município de João Pessoa, 10 em Campina
Grande e um em Brejo do Cruz. Conclui-se dessa forma, que a leptospirose é uma doença
de ocorrência nacional e que possui expressivo número de casos na região nordeste
proporcionalmente nas regiões mais populosas como o sudeste. Salientamos a importância
das chuvas e inundações para o surgimento de novos casos, assim como as precárias
condições de moradia e saneamento.
Palavras-chave: Leptospirose, região nordeste, Rattus novergicus, chuvas
Keywords: Leptospirose, Northeast region, Rattus novergicus, rains
Andropausa: alterações fisiológicas e psicológicas
Menopause of the man: psichological and phisiological alterations
Moraes, M.N.C.¹; Guedes, F.T.G.²; Araújo, R.C.²
1. Professora de Geriatria da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A testosterona (hormônio sexual masculino) diminui sua produção de forma discreta, a
partir dos cinqüenta anos de idade. Quando a mesma diminui de maneira acentuada recebe
o nome de andropausa, entendido esse como um fenômeno que corresponde a um período
da vida do homem em que alguns apresentam sintomas decorrentes da diminuição desse
hormônio sexual masculino. É uma designação inapropriada para o quadro clínico
resultante do declínio progressivo da produção androgênica encontrado em pelo menos
20% dos homens. A etiologia desse declínio da testosterona dependente da idade é
multifatorial e envolve alterações testiculares primárias, disfunção da regulação
neuroendócrina das gonadotropinas, elevação das concentrações séricas de globulina
ligadora de hormônios sexuais e redução da sensibilidade dos receptores androgênicos. O
objetivo deste estudo é identificar os aspectos fisiológicos e psicológicos vivenciados pelo
homem no período da andropausa. Trata-se de uma pesquisa de cunho bibliográfico e
descritivo, realizado no período de fevereiro a maio de 2007, em bibliotecas públicas e
privadas, com ajuda de revistas especializadas, periódicos e sites indexados cuja análise é
baseada a luz da literatura. Conclui-se que a depressão, o medo de enfrentar desafios e a
ansiedade são os principais transtornos psíquicos mais freqüentes na andropausa, com
influencia decisiva na libido e na função sexual, e que o climatério masculino é marcado
por mudanças fisiológicas que se instalam lenta e progressivamente com predominância da
perda de interesse sexual, problemas de ereção, falta de concentração, queda de pêlos e
aumento de peso corporal. A andropausa ainda é uma condição muito controversa e pouco
conhecida, apesar de diversos estudos, ainda se busca uma base sólida para discussão de tal
assunto.
Palavras-chave: andropausa, alterações bio-psiquicas, homem.
Keywords: menopause of the man, psichological and physiological alterations, man.
Anemia Gestacional: Um resgate bibliográfico
Gestation Anemy: A bibliographical ranson
Agra, G.¹; Silva Neta, J.A.²; Lino, E.M.R.²; Barbosa, H.B.F.²
1.
Professora de saúde da mulher II da Fsaer ([email protected])
2.
Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A OMS define anemia como condição na qual o conteúdo de hemoglobina está abaixo do
normal, sendo resultante de carência de um ou mais elementos essenciais, sem considerar a
causa da deficiência. O objetivo deste é descrever os aspectos gerais da anemia gestacional.
Trata-se de um estudo bibliográfico, descritivo, de caráter exploratório, realizado em
bibliotecas públicas e privadas da cidade de João Pessoa - PB, no período de agosto a
setembro de 2007, analisado à luz da literatura pertinente. Dentre as adaptações fisiológicas
maternas que ocorre durante a gravidez, a de maior significância acontece no sistema
cardiovascular. Na gestação, ocorre uma elevação do volume sanguíneo em cerca de 40 a
50% devido ao aumento do volume plasmático e de massa total dos eritrócitos, mas o
primeiro deles se torna mais acentuado em relação ao segundo, já que o volume de
eritrócitos depende da quantidade de ferro disponível. A expansão desproporcionada do
volume de plasma leva a uma diminuição das concentrações de hemoglobina e de eritrócitos
e, portanto, a um decréscimo no hematócrito durante a gestação. Já que no período
gestatório há uma grande demanda de ferro, se a gestante dispor apenas desse para a síntese
normal de sua hemoglobina circulante, quando houver o aumento de sua volemia, o feto terá
prioridade absoluta e absorverá o que necessita por via transpaclentária. Se o ferro não for
reposto, a gestante desencadeará uma anemia gestacional ferropriva, que acomete cerca de
90% dos casos. A anemia provoca hipocromia, fraqueza, cefaléia e maior susceptibilidade a
infecções. As conseqüências são o nascimento prematuro, aumento da mortalidade materna,
morte neonatal, abortamento, entre outros. Os cuidados de enfermagem durante o período
gestacional são de suma importância, pois tem por maior preocupação prevenir as
complicações ocasionadas pela anemia.
Palavras-chave: Anemia, gestação, ferropriva
Keywords: anemy, gestation, ferropriva
Aneurisma Cerebral: uma revisão bibliográfica
Cerebral Aneurysms: a bibliografical revision
Cartaxo, Z.R.1; Costa, A.L.S.2 ; Leon, T.M.P.2; Montenegro, V. C.P.2 ; Nunes, T.K.C.2
1. Docente de Neurologia da Faser ([email protected])
2. Discentes de Enfermagem da Faser ([email protected])
Trata-se de um estudo bibliográfico do tipo exploratório, com objetivo de fornecer um
melhor esclarecimento acerca da fisiopatologia do aneurisma cerebral, tipos, causas,
sintomatologia e seus respectivos fatores de risco; identificar tratamentos indicados para o
aneurisma cerebral, contribuindo com o conhecimento para a comunidade acadêmica e para
uma melhor assistência de enfermagem ao paciente portador dessa patologia. O referido
estudo foi realizado no período de setembro de 2007, no acervo bibliográfico de faculdades
públicas e privadas localizadas na cidade de João Pessoa - PB. Aneurisma cerebral é uma
dilatação em forma de bolsa que ocorre na bifurcação das artérias como conseqüência de
uma fraqueza congênita ou adquirida de suas paredes, que submetidas à pressão durante a
vida podem sofrer rupturas espontâneas. Apresenta como sintomas: cefaléia súbita e
intensa, déficits neurológicos, desmaio, vertigem, náusea, vômito, rigidez de nuca, coma ou
morte. O nível de gravidade depende da localização, extensão no cérebro e idade do
indivíduo. O principal tratamento é o cirúrgico e tratar os fatores de risco. O aneurisma
pode ser induzido pela hipertensão, aterosclerose, drogas, MAV ou por TCE sendo 20% de
causa idiopática. Cerca de 5% da população mundial é portadora e desses, 20 % apresentam
múltiplos aneurismas. O risco de hemorragia cerebral é de 1 a 2% ao ano, mas com taxas de
mortalidade de até 50%. Contudo, cerca de 14 a 22% dos sangramentos por aneurismas,
não se identifica um fator determinado, e 30% ocorrem durante o sono. Com este estudo
faz-se necessário um maior empenho dos acadêmicos de enfermagem em esclarecer a
população a respeito dos índices de aneurisma, os riscos a que estão expostos e as formas
de prevenção.
Palavras chaves: aneurisma, aterosclerose, hemorragia.
Keywords: aneurysm, atherosclerosis, hemorrhagic.
As implicações do rotavírus em crianças menores de 2 anos
The implications from the rotavírus well into children under age as of 2 years
Ferreira, J.O.P.¹; Bezerra, L.H.C.² Borges, G.K.M² ; Lima, M.S.N.C.²; Silva, L.M.².
1. Profª. de Semiologia e Semiotécinica da Faser ([email protected] )
2. Discente de enfermagem da Faser ( [email protected] )
Rotavírus é um tipo de vírus da família Reoviridae, do gênero Rotavírus. São classificados
sorologicamente em grupos, subgrupos e sorotipos. Ele vem sendo considerado em todo
mundo o principal responsável por diarréia em crianças menores de 5 anos e tem sido a
principal causa de surtos de diarréia em hospitais, berçários, creches e pré-escolas.Crianças
prematuras ou com deficiência imunológica estão sujeitas à manifestação da doença com
maior gravidade, podendo levar até a morte. Este estudo é estruturado na pesquisa
bibliográfica para o qual foram utilizados livros, periódicos e acervo online da biblioteca da
Faser, durante o período de setembro de 2007. O objetivo é identificar as implicações da
doença por rotavírus na saúde de crianças menores de dois anos, visto que a infecção varia
de um quadro leve, com diarréia aquosa e duração limitada à quadros graves com
desidratação, febre e vômitos, podendo evoluir a óbito. A vacina que previne a doença
diarréica causada por rotavírus faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. Embora
quase todas as crianças sejam infectadas nos primeiros anos de vida, é com crianças de até
dois anos que ocorrem os casos mais graves. As crianças prematuras de baixo nível
socioeconômico ou com deficiência imunológica são mais sujeitas a desenvolver, porque
ainda não possuem o sistema imunológico em condições adequadas para “expulsar” o
agente causador da doença. Estima-se que 80% das crianças com até cinco anos terão tido
pelo menos um episódio de infecção, no Brasil. Diante dos resultados obtidos, entendemos
que a mais importante ação contra a doença é a prevenção pela vacina que está sendo
oferecida para as crianças menores de seis (6) meses, em todos os postos de vacinação do
País, desde 6 de março de 2006. Ale disso, preveni contra os distúrbios hidroeletrolíticos
em crianças doentes.
Palavras-chave: Infecção, Rotavírus e Vacina
Keywords: Infection, Rotavírus and Vaccine
Anorexia Nervosa: Um estudo bibliográfico
Nervous anorexy: bibliográfico study
Agra, G.1; Dias, C. R. M.2; Lima, R. L. D. R.2; Santana, P. M. C.2, Cândido, S. N.2
3. Profª. de Clinica Médica da Faser ([email protected] )
4. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Anorexia se apresenta pelo comportamento que uma pessoa mostra seu peso corporal abaixo
dos níveis esperados para sua estatura. Costuma-se utilizar meios pouco usuais para
emagrecer, além da dieta, é capaz de submeter-se a exercícios físicos intensos, induzir o
vômito, jejuar, tomar diurético e usar laxante. Os mesmos podem desenvolver um paladar
estranho ou estabelecer rituais para a alimentação. A anorexia se classifica de acordo com a
personalidade: os que restringem a alimentação e emagrecem e aqueles que têm episódios
denominados binge eating. Nesses casos os pacientes comem descontroladamente até não
agüentarem mais e depois vomitam o que comeram. As vezes a quantidade ingerida foi tão
grande que nem é necessário induzir o próprio vômito, com isso o corpo se encarrega de
eliminar o conteúdo gástrico. O objetivo é apresentar um breve resgate bibliográfico acerca da
anorexia nervosa. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, exploratória, realizada em
biblioteca pública e privada de João Pessoa, durante os meses de julho a setembro de 2007,
através de livros, revistas e compêndio de psiquiatria, analisada à luz da literatura. Algumas
pessoas podem passar anos em anorexia, numa forma que não seja incompatível com a vida
mas também sem estabelecer o peso ideal. Costuma incidir entre 90 a 95% em mulheres.
Sendo mais grave na fase do crescimento porque pode comprometer o ganho esperado para a
pessoa, resultando numa estatura menor do que seria alcançada caso não houvesse anorexia.
Tal patologia tem maior incidência na população feminina, devido ao padrão de beleza
exigido socialmente através do corpo magro, esguio, esbelto, gerando um adoecer psíquico e
posteriormente físico, observado pela debilidade corporal. O tratamento baseia-se no uso de
antidepressivos tricíclicos, com acompanhamento psicológico e psiquiátrico, com a finalidade
de mitigar a patologia, apoio familiar e suporte nutricional hiperprotéico.
Palavras-chave: Anoréticos, imagem corporal, peso
Keywords: Anoréticos, corporal image, weight
As implicações do rotavírus em crianças menores de 2 anos
The implications from the rotavírus well into children under age as of 2 years
Ferreira, J.O.P.¹; Bezerra, L.H.C.² Borges, G.K.M² ; Lima, M.S.N.C.²; Silva, L.M.².
1. Profª. de Semiologia e Semiotécinica da Faser ([email protected] )
2. Discente de enfermagem da Faser ( [email protected] )
Rotavírus é um tipo de vírus da família Reoviridae, do gênero Rotavírus. São classificados
sorologicamente em grupos, subgrupos e sorotipos. Ele vem sendo considerado em todo
mundo o principal responsável por diarréia em crianças menores de 5 anos e tem sido a
principal causa de surtos de diarréia em hospitais, berçários, creches e pré-escolas.Crianças
prematuras ou com deficiência imunológica estão sujeitas à manifestação da doença com
maior gravidade, podendo levar até a morte. Este estudo é estruturado na pesquisa
bibliográfica para o qual foram utilizados livros, periódicos e acervo online da biblioteca da
Faser, durante o período de setembro de 2007. O objetivo é identificar as implicações da
doença por rotavírus na saúde de crianças menores de dois anos, visto que a infecção varia
de um quadro leve, com diarréia aquosa e duração limitada à quadros graves com
desidratação, febre e vômitos, podendo evoluir a óbito. A vacina que previne a doença
diarréica causada por rotavírus faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. Embora
quase todas as crianças sejam infectadas nos primeiros anos de vida, é com crianças de até
dois anos que ocorrem os casos mais graves. As crianças prematuras de baixo nível
socioeconômico ou com deficiência imunológica são mais sujeitas a desenvolver, porque
ainda não possuem o sistema imunológico em condições adequadas para “expulsar” o
agente causador da doença. Estima-se que 80% das crianças com até cinco anos terão tido
pelo menos um episódio de infecção, no Brasil. Diante dos resultados obtidos, entendemos
que a mais importante ação contra a doença é a prevenção pela vacina que está sendo
oferecida para as crianças menores de seis (6) meses, em todos os postos de vacinação do
País, desde 6 de março de 2006. Ale disso, preveni contra os distúrbios hidroeletrolíticos
em crianças doentes.
Palavras-chave: Infecção, Rotavírus e Vacina
Keywords: Infection, Rotavírus and Vaccine
Aspectos assistenciais ao RN pré-termo
Aspects assistance to the RN pré – termo
FINIZOLA, R. M.1; ARAÚJO, L. M.2
1. Orientador – Farmacêutico Hospitalar/Especialização: Bioquímica UFPB
([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Segundo a Organização Mundial de Saúde, prematuridade é a interrupção da gestação antes
da 37° semana, ou seja, com menos de 259 dias contados a partir do primeiro dia do último
período menstrual. Constitui um dos principais responsáveis pelos índices de mortalidade
neonatal precoce com 80% e com índices de morbidade de 50%. Este estudo tem como
objetivo rever os aspectos assistenciais direcionadas ao recém-nascido (RN) prematuro no
tocante a atuação do profissional de enfermagem. Trata-se então de uma pesquisa
bibliográfica, tendo como base fontes especializadas e reconhecidas na área, promovendo um
estudo mais detalhado do tema. A coleta de dados foi realizada entre os meses de agosto a
outubro. Dados do Sinasc constataram que no Brasil - no ano de 2000 - 8,7 % dos partos são
com 37 semanas e especificamente no nordeste essa taxa chega a 20%. Não se conhece,
exatamente, a etiologia do parto pré-termo, porém a solução encontrada para se tentar
prevení-la é valorizar os chamados fatores de risco, problemas já existentes ou que se
manifestam durante a gestação. Freqüentemente, se associam a essa complicação obstétrica. A
assistência de enfermagem ao lactente prematuro, tem como medidas básicas o manuseio,
prevenção à perda de calor, manutenção da termorregulação, oxigenação, hidratação,
equilíbrio hidroelétrico, prevenção de infecções, cuidados peculiares relacionados à
alimentação, dentre outros. Na casuística do presente estudo, constatou-se que a enfermagem
é de grande importância na evolução deste RN, já que tem uma permanente ligação com o
mesmo, levando a uma assistência correta.
Palavras-chave: prematuridade; recém-nascido; assistência de enfermagem
Key-works: prematurity; just-been born; nursing assistance
Aspectos clínicos e epidemiológico da Sífilis Congênita: um resgate da literatura.
Clinic and epidemical aspects of congenital syphilis: a literature rescue.
Gomes, L. N.¹; Basílio, D. T.²; Silva, A. S. e²; Souza, L. S. de ².
1. Prof. de Enfermagem Clínica da Facene ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Facene ([email protected])
A sífilis congênita é uma doença infectocontagiosa sistêmica, resultado da transmissão do
Treponema pallidum, presente no sangue da gestante infectada, não tratada ou
inadequadamente tratada, para o seu bebê, por via transplacentária. Embora de notificação
compulsória desde 1986, foram notificados ao Ministério da Saúde, no período de 1998 a
junho de 2006, apenas 36.615 casos de sífilis congênita, demonstrando assim o grande subregistro e/ou subnotificação desse agravo. A incidência passou de 1,3 casos por mil
nascidos vivos em 2000 para 1,9 casos por mil nascidos vivos em 2005. Entre os casos
notificados em 2005, 78% das mães realizaram pré-natal. Destas, 56% tiveram o
diagnóstico de sífilis durante a gravidez e apenas 13,3% tiveram os seus parceiros tratados.
Ainda sem considerar o percentual de informações ignoradas, tais indicadores refletem a
baixa qualidade do pré-natal no país e/ou a pouca importância que os profissionais de
saúde, sejam gestores ou diretamente envolvidos no atendimento, têm dado ao diagnóstico
e ao tratamento da sífilis, principalmente na gravidez. Esta pesquisa tem como objetivo
realizar um resgate na literatura sobre Sífilis Congênita, seus aspectos clínicos,
epidemiológicos e cuidados de enfermagem. Trata-se de uma revisão da literatura cujos
dados foram levantados através de acervos bibliográficos, sistemas de informação on-line,
periódicos e revistas científicas, além da biblioteca central de uma instituição de ensino
privado de João Pessoa - PB. Após a pesquisa ficou demonstrado a extrema importância da
participação contínua dos profissionais de saúde junto a comunidade, promovendo práticas
educativas de prevenção de ISTs, assim como estratégias de controle para reunir
informações que revelem o estado de saúde dessa clientela, pois o diagnóstico precoce é o
meio mais eficaz de evitar complicações tanto para a mãe quanto para o bebê, sendo este de
extrema importância para o sucesso do tratamento.
Palavras-chave: Sífilis Congênita. Incidência. Prevenção.
Key-words: congenital syphilis. Incidence. Prevention.
Assistência de Enfermagem ao autocuidado com um paciente portador de Diabetes
Mellitus
Assistance of Nursing to the self-care one with a carrying patient of Diabetes Mellitus
Almeida, A.C.de ²; Andrade, M.J.C. de ¹; Nascimento, H.A.²; Pereira, K.K.E.A. ²; Trigueiro,
H.A.N.³.
1. Professora de Saúde Coletiva e Historia da enfermagem da FIP.
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected]).
3.
Discente de enfermagem da FIP ([email protected]).
Diabetes Mellitus é uma doença crônica devido à deficiência absoluta ou relativa de insulina
e/ou a resistência a ações desses hormônios. O Diabetes mellitus é um distúrbio metabólico
caracterizado pela intolerância à glicose. Sua incidência e prevalência estão alcançando
proporções alarmantes como causa de morbidade e mortalidade, independentemente do país
e das raças. Deixou de ser uma doença complexa para se tornar um problema relevante de
saúde pública. O presente estudo tem como objetivo descrever às razões para o autocuidado
do paciente portador de Diabetes Mellitus. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica
desenvolvida com material já elaborado constituído principalmente de livros e artigos
científicos. Os dados foram analisados e descritos de acordo com a literatura pertinente ao
tema. Ao final do estudo ficou constatado que a Diabetes Mellitus caracteriza-se por excesso
de açúcar no sangue, com alterações no metabolismo de lipídios, carboidratos e proteínas.
Existem duas formas principais de diabetes: o tipo I que ocorre quando o pâncreas para de
produzir a insulina ou a sua produção não é suficiente e o tipo II que ocorre quando a
produção de insulina é baixa ou há pouca sensibilidade do organismo a ação da insulina. O
cuidado integral ao paciente com diabetes e sua família é um desafio para a equipe de saúde,
especialmente para poder ajudar o paciente a mudar seu modo de viver, o que estará
diretamente ligado à vida de seus familiares e amigos. A atuação do enfermeiro como
educador e facilitador da adaptação do paciente é indispensável, por ele ser responsável pela
conscientização do paciente sobre o autocuidado.
Palavras-chaves: Diabetes Mellitus, Autocuidado, Enfermagem.
Keywords: Diabetes Mellitus, Self-care, Nursing.
Assistência de Enfermagem ao Paciente com Cateter de PIC
Nursing Assistance with catheter of Pic patient.
Albuquerque, J. B. R1; Lúcio, R.T.2; Pessoa, J.A.C2; Silva, L.M.S2; Silveira, M.M2.
1.Prof.
da
disciplina
unidade
de
terapia
intensiva
da
[email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser. ([email protected])
Faser.(jb-
A calota craniana rígida contém o tecido cerebral (1400g), sangue (75g) e líquido
cefalorraquidiano (LCR) (75g). O volume e a pressão desses três componentes estão em
geral, em um equilíbrio e produzem a PIC (Pressão Intracraniana). O aumento da
Pressão Intracraniana ocorre sempre que há alteração desses componentes. A
monitorização da PIC caracteriza-se pela introdução de um cateter no espaço epidural,
subaracnóideo, intraventricular ou intraparenquimatoso, adaptado a um transdutor de
pressão onde se faz um registro gráfico. Para classificar os níveis da PIC são utilizados
os seguintes critérios: valor normal (PIC<10mmhg); levemente elevada (PIC entre 11 a
20mmhg); moderadamente elevada (PIC entre 21 a 40mmhg); gravemente elevada
(PIC>41MMHG). O objetivo dessa pesquisa é investigar na literatura a assistência de
Enfermagem ao paciente com cateter de PIC. Trata-se de um estudo bibliográfico, cuja
coleta de dados foi realizada no período de 17 a 28 de setembro de 2007. A indicação da
monitorização da PIC tem maior utilidade principalmente no manuseio do TCE
(traumatismo crânio-encefalico) e pós-operatório de neurocirurgias de grande porte. Os
cateteres intraventricularaes são considerados o “padrão-ouro” da monitorização da
PIC, sendo os únicos que possibilitam a drenagem de LCR para o controle da HIC
(hipertensão intracraniana). As intervenções de enfermagem a esse paciente são:
Monitorar os valores da PIC, atentando para o aumento da mesma; manter vias aéreas
permeáveis; manter os procedimentos de aspiração o mais limitado possível; controlar a
febre; Manter técnica asséptica no manuseio do cateter, a fim de evitar infecção; dentre
outros. Devemos então prestar cuidados de acordo com as necessidades do paciente e
evitar que os mesmos se submetam a esforços inadequados, pois sabemos que esses
devem manter repouso, evitando que se eleve a PIC para não causar futuras
complicações.
Palavras-chaves: assistência, enfermagem, cateter.
Keywords: assistance, nursing, catheter.
Assistência de Enfermagem ao paciente portador de erisipela
Assistance of Nursing to the carrying patient of eirsipela
Agra, G.;¹ Medeiros, R. C.;2 Barbosa, R. M. O.;2 Silva, S. K. P2.
1.Prof. de Clínica Médica da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Erisipela é uma infecção aguda, localizada, causada por estreptococos pyogenes, caracterizada
por placas edematosas vermelho-escuro bem delimitadas, às vezes, com vesículas e bolhas e
localizadas de preferência na face e nas extremidades, com envolvimento característico dos
vasos linfáticos. Esta pesquisa tem por objetivo: descrever aspectos gerais acerca da erisipela,
enfatizando a sistematização da assistência de enfermagem. Trata-se de uma pesquisa de
caráter bibliográfico, realizada no período de julho a setembro de 2007, em bibliotecas
públicas e privadas do município de João Pessoa - PB, em que utilizou-se os seguintes
recursos metodológicos: livros, periódicos, dissertações e site da internet, analisada à luz da
literatura pertinente. A erisipela é uma forma clínica estreptocócica cutânea, que se
caracteriza por instalação aguda da lesão peculiar e síndrome infecciosa, apresentam
diferentes variedades clínicas denominadas de vesicular, bolhosa, hemorrágica, gangrenosa e
flegmonosa. Seu diagnóstico pode ser obtido por cultura sangüínea, esfregaço de bactéria e
imunofluorescência direta, mas o diagnóstico usual é a morfologia clínica. O tratamento com
penicilina é eficaz, porém é de extrema importância medidas gerais como: repouso dos
membros elevados, compressas frias e desbridamento se necessário. Conclui-se, portanto, que
a assistência de enfermagem aos pacientes acometidos de erisipela é de caráter criterioso, pois
trata-se de um tratamento local, mas que pode estender-se, tornando sistêmico, devido ao
risco de septicemia. Salientamos que a equipe de enfermagem exerce papel preponderante no
que diz respeito a prevenção de infecção cruzada. Desse modo, faz necessário ressaltar
cuidados com a ferida, enfatizando os critérios científicos e práticos estabelecidos para a
diminuição da infecção. Estabelecer normas para a realização do curativo, priorizando ações
que visem a otimização da ferida e o bem estar psicológico do paciente, é a principal conduta
de enfermagem.
Palavras chaves: Erisipela, Estreptococos pyogenes, Infecção aguda, Assistência de
Enfermagem.
KeyWords: Eirsipela, Estreptococos pyogenes, Acute Infection, Assistance of Nursing.
Assistência de Enfermagem ao Paciente Susceptível a Trombose Venosa Profunda
(TVP) no Pós – Operatório Imediato
Nursing Assisteance the Pacient Susceptible to Deep Venous Thrombosis on the
Postoperative Immediate
AGRA, G. 1; LEITE, G. S. P. P. A. 2; LOPES, R. E. D.2; NASCIMENTO, N. de M.2;
VASCONCELOS, M. J.2.
1. Profª de Clínica Médica da Faser ([email protected])
2. Discentes de enfermagem da Faser ([email protected])
A Trombose Venosa Profunda (TVP) consiste no desenvolvimento de um trombo (coágulo
de sangue) dentro de um vaso sanguíneo venoso, com conseqüente reação inflamatória do
vaso, podendo determinar obstrução venosa parcial ou total, tendo como complicação mais
temida a embolia pulmonar. Este estudo tem como objetivo descrever a assistência de
enfermagem ao paciente susceptível a trombose venosa profunda, no pós- operatório
imediato. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, de cunho descritivo, realizada em
bibliotecas públicas e privadas de João Pessoa- PB, revistas, periódicos e sites indexados,
durante o período de janeiro a abril de 2007.Os fatores que favorecem ao desenvolvimento
da TVP em pacientes cirúrgicos são: cirurgia maior urológica ou ginecológica em pacientes
de 40 a 60 anos, sem fatores de risco adicionais; cirurgias em pacientes com idade inferior a
40 anos tomando estrógeno; cirurgia geral em pacientes com idade menor que 60 anos;
cirurgias geral em pacientes com 40 a 60 anos que possuem fatores de risco adicionais;
cirurgias em pacientes com história pregressa de tromboembolismo; grandes amputações;
cirurgias ortopédicas maiores; cirurgias maiores em pacientes com neoplasias malignas;
cirurgias maiores em pacientes com outros estados de hipercoagulabilidade; traumas
múltiplos com fratura de pélvis, quadril ou membros inferiores e gastroplastia. Observa-se
que a assistência de enfermagem ao paciente susceptível a trombose venosa profunda dá-se
pela prevenção desta, através das seguintes medidas: orientar o paciente a não utilizar
medicamentos coagulantes antes da cirurgia; administrar anti-coagulantes no
transoperatório; incentivar a deambulação precoce; flexão do pé durante ato cirúrgico para
ativar musculatura da panturrilha; calçamento de meias antiembolismo e utilização do
dispositivo de compressão pneumática.
Palavras-chave: Assistência de Enfermagem, Trombose Venosa Profunda, Pós-Operatório
Imediato.
Key-words: Nursing Assisteance, Deep Venous Thrombosis, Postoperative Immediate.
1
2
Assistência de enfermagem ao paciente traqueostomizado
Assistencia of nursing to the traqueostomizado patient
Bianchi,I.M.2; Coutinho Chaves,K.P.2; Lima, M.R2; Albuquerque, J.B.R1;Silva, L.B.2
1. Professor de UTI da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
Traqueostomia consiste em um procedimento no qual uma abertura é feita para dentro da
traquéia, com intuito de criar uma comunicação da luz traqueal com o exterior, pode ser
temporária ou permanente. É indicada para desviar uma obstrução aérea superior, ajudar na
remoção das secreções traqueobrônquicas, permitir o uso prolongado da ventilação mecânica,
previnir a aspiração de secreção oral ou gástrica no paciente inconsciente ou paralisado e
substitui o tubo endotraqueal. Este trabalho objetiva resgatar nas literaturas como deve ser a
assistência de enfermagem à pacientes traqueostomizados. Trata-se de um estudo
bibliográfico que consistiu no exame do manancial teórico correspondente para levantamento
e a análise do que já foi produzido sobre o objetivo desta pesquisa. O procedimento deverá ser
realizado no centro cirúrgico e quando a saída do paciente daquele local pode trazer riscos
para o mesmo, faz-se uma exceção realizando o tratamento em um ambiente de terapia
intensiva. Quanto a classificação da abertura, essa pode ser alta quando é feita acima da
glândula Tireóide nos dois primeiros anéis traqueais; média quando a abertura é feita através
do istmo tireoidiano, utilizada em portadores de bócio, e baixa quando a abertura é feita na
altura do 3º e 4º anéis traqueais, com tração do istmo tireoidiano. Uma cânula de
traqueostomia com balão de um tamanho adequado é inserida. O balão é uma fixação inflável
da cânula para permitir uma ventilação mecânica eficaz e minimizar o risco de aspiração. As
leituras mostraram que uma adequada assistência de enfermagem visa diminuir os riscos de
infecções estando atento a uma rigorosa técnica de assepsia; bem como o desconforto,
eritema, edema, deslocamento acidental da cânula, além de atentar para o fornecimento de
oxigênio suplementar na traqueostomia, proporcionando uma umidificação adequada,
procurando assim obter uma evolução positiva do quadro garantindo uma boa assistência ao
paciente traqueostomizado.
Palavras-chave: Assistência de Enfermagem, Paciente traqueostomizado
Keywords: Assistencia of nursing, traqueostomizado patient
Assistência de Enfermagem ao recém-nascido acometido por atresia de esôfago
com fístula tráqueo-esofágica distal
Attendance of Enfermagem to the recén-born attacked by esophagus atresia with
fistula tráqueo-esofágica distal
Cunha Filho, P.M.C.¹; Gomes, Y.H.² ; Silva, F.L.² ; Silva, T.N.² ; Soares, K.E.²
1. Prof. de Microbiologia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A atresia de esôfago com fístula tráqueo-esofágica distal (AEFTED) é uma
malformação congênita caracterizada por formação incompleta do esôfago e conexão do
seu segmento distal com a traquéia através de uma fístula. É comum em brancos e no
sexo masculino. Acomete cerca de 1 em 4 mil neonatos, com o maior risco de
mortalidade em prematuros e destes 90% apresentam a atresia associada com a fístula
tráqueo-esofágica distal. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, realizada em
bibliotecas privadas e endereços eletrônicos no período de 6 a 12 de setembro de 2007,
com o objetivo de descrever a assistência de enfermagem ao recém-nascido acometido
por AEFTED. Com base na literatura podemos citar cuidados a neonatos acometidos
por AEFTED como pré e pós-operatório. Dentre os quais destacamos como préoperatório os cuidados como colocar o RN em decúbito elevado, realizar lavagem e
aspiração contínua das secreções do coto esofágico superior por meio de uma sonda,
manter a temperatura corporal e o RN em jejum, administrar oxigenoterapia e
antibióticos profiláticos de amplo espectro; realizar balanço hídrico e monitoramento de
freqüência cardíaca e saturação de oxigênio. Após a cirurgia além dos cuidados gerais ,
o enfermeiro deve ficar atento aos cuidados com a gastrostomia e com a alimentação do
RN. Os principais cuidados são, manter o curativo limpo ao redor da sonda, elevar a
sonda acima do nível do estômago ou mantê-la aberta anotando o volume do conteúdo
gástrico observando a secreção. Na suspensão do jejum, administrar a dieta pela
gastrostomia até que a criança seja capaz de deglutir e na espera estimular a sucção.
Além de orientar os pais sobre o tratamento e os procedimentos para alimentação pela
gastrostomia. Podemos concluir assim que a assistência de enfermagem é
imprescindível na prevenção de possíveis complicações e na contribuição para um bom
prognóstico.
Palavras chave: atresia de esôfago, fístula traqueo-esofágica distal, recém-nascido, malformação
congênita.
Keywords: esophagus atresia, fistula traqueo-esofágica distal, newly born, congenital malformação.
Assistência de enfermagem a mulheres mastectomizadas
Nursing assistance the mastectomy women
Agra,G.¹; Rocha, A.H.T.²; Nascimento, A.F.M.²; Pinto, E.R.S ²; Queiroz, L.P.²
1. Profª de Clínica Cirúrgica da Faser ([email protected] yahoo.com.br)
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
O tratamento cirúrgico do câncer de mama é baseado na retirada do tumor e no esvaziamento
axilar . A retirada do tumor pode exigir uma mastectomia que consiste na cirurgia de excisão da
mama e dos nódulos linfáticos com a remoção do tecido mamário devido à presença de
desenvolvimento pré-canceroso ou canceroso. A quantidade de tecido removido durante a
mastectomia varia de acordo com o tamanho e estágio do câncer, biotipo e preferências pessoais.
É um processo cirúrgico agressivo podendo acarretar repercussões físicas e emocionais
desfavoráveis a vida da mulher, tornando necessário um suporte emocional adequado para um
ajustamento saudável a nova condição de saúde. Psicologicamente a perda de uma mama resulta
em uma imagem alterada do corpo e do auto conceito, além de desencadear preocupações
psicosociais como, incerteza quanto ao futuro, medo de recorrência e impacto do câncer de mama
e de seu tratamento. Este estudo tem como objetivo descrever a assistência de enfermagem a
mulheres mastectomizadas, no que se refere aos cuidados pré e pós-operatórios. Trata-se de uma
pesquisa bibliográfica de cunho descritivo, realizada em bibliotecas públicas e privadas de João
Pessoa-PB, durante o período de março a abril de 2007, analisada à luz da literatura pertinente.
Logo, a assistência de enfermagem a mulheres mastectomizadas, se dá através do processo nas
diferentes etapas da recuperação, dos cuidados que devem tomar com o membro superior
homolateral à cirurgia, dos exercícios que recuperem a capacidade funcional do braço e do
ombro, além de informações sobre outros tratamentos, como radioterapia, quimioterapia e
hormonioterapia. Vale salientar que o cuidar não se limita a aplicações de técnicas ou
procedimentos, mas sobretudo, à humanização, estando com a cliente para ouví-la, fornecendo
dessa forma suporte emocional, social e espiritual.
Palavras chaves: Assistência de enfermagem, mulheres, mastectomizadas.
Key words: Nursing Assistance, women, mastectomy.
Assistência de Enfermagem no controle hídrico em pacientes da Unidade de
Terapia Intensiva
Nursing assistance in the hídrico control in patients of the unit of intensive therapy
Albuquerque, J.B.R. ¹; Araújo, E.M.A. ²; Costa, R.R. ²; Frazão, C.S.C. ²; Lira, T.S.M ²;
1. Docente de UTI e URPA da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
O equilíbrio hídrico é a relação existente entre ganhos e perdas corporais. Uma vez
que, no volume (hidro) se diluem íons (eletrólitos), denomina-se de equilíbrios
hidroeletrolítico. Os distúrbios nos equilíbrios eletrolíticos ocorrem principalmente
em pacientes em UTI e devem ser corrigidos para saúde e segurança do paciente.
Essa pesquisa tem por objetivo investigar a assistência de enfermagem voltada ao
controle hídrico de pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Trata-se de
uma pesquisa bibliográfica, realizada em bibliotecas públicas e privadas do
município de João Pessoa - PB, livros e através de periódicos e sites indexados, no
período de agosto a setembro de 2007, analisados à luz da literatura.
Aproximadamente 50 a 70% do peso de um adulto são compostos de líquidos (água
e eletrólitos). A quantidade de água e eletrolíticos do organismo humano mantém-se
em estado de equilíbrio nos indivíduos normais graças aos mecanismos que
regulam, por um lado, o equilíbrio de entrada e saída de líquidos e eletrólitos e, por
outro a distribuição adequada em seus diferentes compartimentos. Os
compartimentos onde a água está distribuída são divididos em meio intracelular e
meio extracelular. O meio extracelular compreende o interior dos vasos e os espaços
interticais. Os desequilíbrios que ocorrem na composição do líquido extracelular
são: hiponatremia, hipernatremia, hipocalemia ou hipopotassemia, hipercalemia ou
hipertassemia, hipomagnesemia. Os problemas hidroeletrolíticos mais comuns são
observados freqüentemente nas doenças renais, nas doenças cardiorespiratórias
graves, em pacientes politraumatizados, em pacientes no pós-operatório, nas
carências alimentares e depleção nutricional e nas condições que exigem líquidos
parenterais. Diante do que foi exposto, conclui-se que o enfermeiro deve estar atento
aos sinais e sintomas pertinentes aos distúrbios hídricos dos pacientes em UTI. Para
isso, é necessário fazer um controle rigoroso do balanço hidroeletrolítico em
intervalos freqüentes, cabendo à enfermagem, juntamente com os demais membros
da equipe de saúde, prestar uma assistência adequada, eficaz e voltada para um
controle hídrico adequado em pacientes da UTI.
Palavras-chave: Assistência, Enfermagem, Controle hídrico, pacientes da unidade
de terapia intensiva.
Keywords: Assistence, Nursing, hídrico control, patients of the unit of intensive
therapy.
Assistência de Enfermagem no pós-operatório da cirurgia bariátrica
Nursing assistance on after operating of surgery estomach reduction
Agra, G.1; Meireles, D. S.2 ; Neto, L. M. R.2; Souza, M. S. S.2
1. Professora de Clínica Cirúrgica da Faser ([email protected])
2. Discentes de Enfermagem da Faser ([email protected])
A cirurgia bariátrica é um procedimento indicado aos pacientes portadores de obesidade
mórbida que apresentam piora da qualidade de vida - devido à alta freqüência de morbidade
associada; redução da expectativa de duração da vida e altíssima probabilidade de fracasso
dos tratamentos conservadores, baseados na utilização de dietas, medicamentos,
psicoterapia e exercícios físicos. Esta pesquisa tem por objetivo descrever a assistência de
enfermagem no pós-operatório desta cirurgia. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica,
realizada no mês de setembro de 2007, no acervo bibliográfico de faculdades privadas e
públicas localizadas na cidade de João Pessoa – PB. No mundo existem cerca de 1 bilhão
de adultos com sobrepeso e 300 milhões de obesos, condições que apresentam um risco
maior para o surgimento de doenças crônicas. Nos EUA 33% dos homens e 36% das
mulheres americanas são obesos, o índice de obesidade mórbida é 12 vezes maior em
homens com idade entre 24 e 34 anos e três vezes maior em homens com idade entre 34 e
44 anos, comparados com homens não-obesos da mesma idade. Portanto, cabe ao
enfermeiro realizar ações educativas; conhecer as propostas cirúrgicas e o perfil do
paciente; planejar e implementar estratégias para promover o sucesso da cirurgia;
possibilitar a efetiva participação deste junto à família e acompanhar o nutricionista na
reeducação alimentar e na monitorização da perda de peso, avaliando a aceitação e
aderência à dieta, estando alerta a sinais e sintomas observados. Conclui-se, desse modo,
que o paciente bariátrico necessita de um maior número de informações específicas a
respeito do procedimento aos quais será submetido através suas particularidades e possíveis
complicações e que estas possam ser revertidas em seu benefício e recuperação o mais
breve possível.
Palavras chaves: enfermagem, pós-operatório, obesidade.
Keywords: nursing, after operating, obesity.
Avaliação e Controle da Dor em Pacientes Oncológicos
Evaluation and Control of Pain in Oncológicos Patients
Cartaxo, S. L.¹; Lima, C. L. A.²; Pereira, C.M.A.²; Silva, M. M. A.²; Xavier, R. T.²;
¹ Enfermeira docente de Centro Cirúrgico da Faser ([email protected])
² Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A dor é um fenômeno complexo que envolve estímulo, percepção e reação. É uma sensação
ou experiência emocional desagradável, associada com dano tecidual real e/ou potencial.
Toda lesão tecidual de origem física, química ou térmica é seguida de uma reação
inflamatória que resulta na liberação de substâncias químicas, como a bradicinina, histamina e
prostaglandinas, causando a dor. A prevalência da dor crônica nos pacientes oncológicos é
alta, por sua vez requer maior atenção dos profissionais de saúde. Segundo dados
epidemiológicos apresentados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a incidência do
câncer é cerca de 10 a 17 milhões de novos casos anuais no mundo e cerca de cinco milhões
de pessoas sofrem com dor diariamente. A organização afirma, ainda, que devidamente
tratados, mais de 90% dos pacientes oncológicos teriam um melhor controle da dor. Porém,
inúmeros relatórios publicados indicam que a intensidade da dor indicada pelo paciente é
avaliada de forma incorreta pelos profissionais. Este estudo tem por objetivo descrever a
importância da avaliação da dor do câncer, para que seja tratada de forma precisa e eficaz,
tentando melhorar, ao máximo, a qualidade de vida dos pacientes. Trata-se de uma pesquisa
bibliográfica, de caráter descritivo, realizado durante o período de julho a setembro de 2007,
em bibliotecas públicas e privadas de João Pessoa – PB, baseada em revistas especializadas e
site do Ministério da Saúde. Portanto, o alívio da dor em pacientes com câncer avançado
requer avaliação criteriosa dos sintomas, bem como do impacto na vida social, familiar e
emocional. O profissional de saúde deve priorizar a anamnese, exame físico e exames
complementares para tentar estabelecer uma relação precisa entre a dor e sua causa,
instituindo, assim, o arsenal terapêutico disponível na atualidade, que inclui uma variedade de
drogas e recursos auxiliares, como os alternativos para o controle da dor em pacientes
oncológicos.
Palavras-chaves: dor, câncer, tratamento.
Keywords: pain , to cancer, treatment.
Benefícios alcançados por pessoas diabéticas através da educação para o autocuidado:
uma revisão literária
Benefits reached by diabetic people through the education for the self-care: a literary revision
Santos, E.F.P². ; Souza, C.M¹.; Souza, D.C³.; Souza, M.A¹
1. Docentes da Faser ([email protected]; [email protected])
2. Graduada em enfermagem na Faser ([email protected])
3. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
Diabetes Mellitus (DM) é uma síndrome clínica heterogenia que se caracteriza por
anormalidades endócrino-metabólicas que alteram a homeostase. As anormalidades
endócrinas têm como elemento fundamental uma deficiência insulínica absoluta ou relativa,
que se manifesta por uma deficiente função secretora de insulina pelo pâncreas e/ou por uma
ação deficiente da insulina nos tecidos-alvo. As anormalidades envolvem importantes
transtornos no metabolismo de carboidratos, lipídios e proteínas do organismo humano, tendo
se caracterizado, até historicamente, com a bem conhecida hiperglicemia e suas complicações.
Esta pesquisa teve como objetivo resgatar na literatura pertinente ao tema dados que
justifiquem a importância da educação para o autocuidado na vida dos portadores de diabetes.
A presente pesquisa caracteriza-se como um estudo do tipo bibliográfico, realizado em
bibliotecas públicas e privadas na cidade de João Pessoa-PB. A coleta dos dados ocorreu
durante o mês de fevereiro de 2006 e foram analisados à luz da literatura pertinente ao tema e
descritos textualmente. É fundamental apoiar o ensino diário nos Serviços de Saúde,
entendido nesse contexto: diabetes, como estratégia básica que faça com que atinja-se
demandas de natureza heterogêneas. É natural na organização, implantação e implementação
dos Serviços de Saúde que atendem pacientes portadores de diabetes, a presença de
profissionais habilitados e capacitados; quando não, pelo menos que estejam motivados a
aprender as devidas competências que levaram a práticas salutares e convictas de educação
em diabetes que serão o diferencial para uma boa qualidade de vida. A educação do diabético
para o autocuidado pode reduzir ou evitar, de forma considerável, os fatores de risco e o
surgimento de complicações típicas da doença, contribuindo para um melhor controle e
qualidade de vida dessa população. Concluímos que só se pode chegar a um bom resultado se
o indivíduo estiver bem informado sobre a doença e suas complicações. Se proceder a uma
mudança de comportamento frente a ela, assumindo maior responsabilidade no seu tratamento
e nos cuidados inerentes ao seu bem, daí a necessidade da educação para o autocuidado como
uma forma preventiva.
Palavras-chave: Diabetes Mellitus, educação, autocuidado
Keywords: Diabetes Mellitus, education, self-care
Cardiopatias Congênitas: sintomas, complicações e tratamento.
Congenital cardiopathy: symptom, complication and treatment.
Santos, B. M. P1, Sá, M. R2, Cavalcanti, E. L. A.², Silva, L. M. S2
1. Prof. Mestre da UFCG/ETSC ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
É definida como uma doença na qual há anormalidade no coração, que está presente no
nascimento. As cardiopatias congênitas começaram a ser identificadas a partir do séc. XII,
podendo seus sintomas surgirem imediatamente após o nascimento, ou nas primeiras
semanas de vida. Trata-se de um estudo bibliográfico, cuja coleta de dados foi realizada no
período de 10 a 21 de setembro de 2007, objetivando investigar na literatura os sintomas,
complicações e tratamento das cardiopatias congênitas. Os sintomas são variáveis conforme
tipo, grau e evolução da doença e os mais comuns são: cianose, falta de ar, baqueteamanto
digital, sudorese e cansaço para as mamadas (neonatal). Em se tratando das complicações, as
mais comuns são: morte prematura, incapacidade sob a forma de dispnéia ou fadiga e
endocardite infecciosa. O tratamento divide-se em clínico - que se baseia no diagnóstico
precoce e identificação de sinais e sintomas devendo o cliente ser indicado a um centro de
tratamento e diagnostico de cardiopatias congênitas. E, também, tratamento cirúrgico em
alguns casos como: Tetralogia de Fallot, estenose pulmonar moderada ou severa, CIV
(comunicação interventricular) grande ou moderada, dentre outros. De modo geral o
tratamento cirúrgico tem objetivo de assegurar chances de sobrevida da criança, tornar a
função cardíaca normal ou o mais próximo possível e criar condições para reversão de
alterações secundárias, pulmonares ou cardíacas. Diante do exposto, o profissional de
enfermagem deve estar atento a história materna, ao estado físico do lactente ao nascer
observando peso, idade, presença de cianose e alterações como irritabilidade, agitação,
fadiga, podendo assim identificar precocemente a cardiopatia e proceder ao tratamento
proporcionando assim uma melhor qualidade de vida para os portadores dessa patologia.
Palavras-chaves: cardiopatias, congênitas, sintomas.
Keywords: cardiopathy, congenital, symptom.
Benefícios da atividade física para uma velhice saudável
Benefits of the physical activity for a healthy old age
MOREIRA, M. E. A.1; COSTA, E. T.2
1. Docente da disciplina Doenças Transmissíveis da Faser ([email protected])
2. Discente da Faser ([email protected])
Estudos apontam que no ano de 2025, o Brasil tornar-se-á a sexta maior população em idosos
do mundo. Diante disso será possível evidenciar inúmeras conseqüências desse problema
repercutidas sobre a família, a sociedade e os serviços de saúde. É sabido que muitas causas
de morbimortalidade poderão ser evitadas ou retardadas através de medidas adequadas e a
atividade física tem apresentado um importante papel na prevenção e na manutenção da
saúde. Em conformidade com essa idéia o estudo bibliográfico aqui apresentado teve como
objetivo investigar por intermédio da literatura pertinente, os benefícios da atividade física
para uma velhice saudável. O embasamento teórico para a construção desse estudo foi obtido
pela consulta exaustiva em livros, revistas, periódicos e Internet, em bibliotecas públicas e
privadas de ensino superior situadas em João Pessoa PB, num período compreendido entre
agosto de 2006 e maio de 2007. Foram abordados critérios de relevante importância, tais
como: as alterações fisiológicas comuns no processo de envelhecimento, a avaliação préparticipação e a prescrição de exercícios - elementos indispensáveis que permitem ao idoso
uma adesão segura no programa de atividade física. Os resultados esclareceram que a
atividade física propicia aos idosos inúmeros benefícios nos aspectos biológicos, psicológicos
e sociais independentes da idade ou condição física, permitindo que esses possam gozar de
autonomia e independência mesmo na idade avançada. Vale ressaltar que nós enfermeiros
devamos estar aptos para esclarecer que a velhice por si só não é um instrumento ou arma
detonadora, mas quando essa vem associada com o sedentarismo, desencadeia patologias com
alto poder causador de incapacidades. Nesse contexto encontramos a maravilhosa
oportunidade para incentivar o idoso a desfrutar dos benefícios da atividade física para
obtenção de uma velhice saudável.
Palavras-chave: Atividade Física, Idoso.
Keywords: Physical activity, Aged.
Critérios determinados no peri-operatório em paciente Hemofílico:
Um Estudo Bibliográfico
Certain criteria in the peri-operative in patient Hemophiliac:
A Bibliographical Study
Cézar, H.M.N.¹; Farias, S.N.S1.; Montenegro, V.L.G1.; Nóbrega, S.M.C.1.; Moreira, E.A.2.
1. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
2. Docente da Faser mestre em Enfermagem ([email protected])
A Hemofilia é uma doença hemorrágica hereditária que envolve uma deficiência específica
de proteínas de coagulação, caracterizada como um distúrbio genético marcado por um
sangramento prolongado devido à diminuição ou ausência de um dos fatores de coagulação
necessários para formação do coágulo sanguíneo, os quais os principais fatores deficitários
são os fatores VIII (Hemofilia A ou Clássica) e o IX (Hemofilia B ou doença de
Christmas). Objetivamos com esta pesquisa, descrever os critérios que são determinados
no peri-operatório de pacientes hemofílicos a luz da literatura. Trata-se de um estudo
bibliográfico realizado com o acervo literário de instituições de ensino superior
relacionado aos cursos de saúde e o acervo mundial da rede de computadores. A coleta de
dados ocorreu no período de 10 a 18 de agosto do corrente ano, os dados foram descritos
textualmente. Os resultados mostraram que os pacientes hemofílicos submetidos a
tratamento cirúrgico, necessitam de um acompanhamento de uma equipe multidisciplinar e
qualificada, reunindo a perícia médica, cirúrgica, laboratorial e fisioterápica, visando
corrigir a deficiência do fator adequadamente antes, durante e após a cirurgia, por um
período suficiente que permita a cicatrização das lesões. Isso requer o acompanhamento do
paciente mesmo após a alta para um melhor controle da hemostasia. Contudo concluímos
que todos os critérios durante o tratamento cirúrgico de pacientes hemofílicos devem ser
observados e respeitados e cabe ao profissional a responsabilidade de tomar as condutas
mais adequadas frente ao paciente hemofílico, participando e comunicando-se ativamente
com os membros da equipe multidisciplinar.
Palavras-chaves: Hemofilia, Hemofílicos, Peri-operatório
Word-key: Hemophilia, Hemophiliac, Peri-operative
Comparação do mecanismo de ação farmacológica das Drogas Colinérgicas e
Anticolinérgicas
An approach from act farmacologica of medicines Colinergicos e Anticolinergicos
Silva, M.G¹.; Borba, M.V².; Fonseca, R.A².;Souza,M.P.A².
1.Profa. de Farmacologia da Faser ([email protected])
2.Discentes de enfermagem da Faser ([email protected] )
([email protected]) ([email protected])
As drogas colinérgicas promovem a ação do neurotransmissor acetilcolina, produzindo efeitos
que imitam a estimulação nervosa parassimpática, em contrapartida, as drogas
anticolinérgicas interrompem os impulsos nervosos parassimpáticos no Sistema Nervoso
Central e no Sistema Nervoso Autônomo, impedindo que a acetilcolina estimule os
receptores colinérgicos. Foi realizado um estudo bibliográfico onde foram selecionados
materiais gráficos na Biblioteca da Faser e na Internet, com o objetivo de comparar o
mecanismo de ação famacológica das drogas colinérgicas e anticolinérgicas. As drogas
colinérgicas subdividem-se em duas classes principais: as drogas anticolinesterásicas que
agem inibindo a destruição da acetilcolina nos locais receptores colinérgicos e seus efeitos
bloqueiam a decomposição da acetilcolina e esta começa a se acumular; e os agonistas
colinérgicos que imitam a ação do neurotransmissor acetilcolina estimulando diretamente os
receptores colinérgicos. São elas: Acetilcolina, Betanecol, Carbacol, Cevimelina e
Pilocarpina. A ação dos agonistas colinérgicos dependem da afinidade da droga com os
receptores muscarínicos. Essas drogas atuam imitando a ação da acetilcolina sobre os
neurônios de determinada área do corpo (órgão-alvo) e ao se recombinarem aos receptores na
membrana celular. Já as drogas anticolinérgicas não bloqueiam todos os receptores
colinérgicos que são estimulados pelo alcalóide muscarina e bloqueados pela Atropina, além
de Beladona, Homatropina, Escopolamina e Hiosciamina. A atropina antagoniza de maneira
competitiva as ações da acetilcolina e outros agonistas colinérgicos dos receptores
muscarínicos. Ao término do estudo podemos constatar a relevância das drogas colinérgicas e
anticolinérgicas atuando em suas funções específicas como bloqueadores e estimulantes dos
Sistemas Nervoso Central e Autônomo.
Palavras-chave: Colinérgicas, Acetilcolina, Anticolinérgicas, Atropina.
Keywords: Colinergicas, Acetilcolina, Anticolinergicas, Overrun.
Comportamentos de Risco para o Câncer de Pele: Um estudo bibliográfico
Risk Behavior to Skin Cancer: Bibliographical Research
Moreira, M. E. de A; Diniz, T. R. R; Santos, M. das G. P. C.
1. Mestre em Enfermagem. Docente do curso de Graduação em enfermagem da Faser
([email protected])
2. Discentes do 6° período Graduação em Enfermagem da Faser
([email protected])
O câncer de pele é responsável por um número considerável de óbitos em nosso país, tendo
como um dos principais fatores de risco a exposição à radiação ultravioleta. Essa radiação é
reconhecidamente um carcinógeno humano completo, principalmente no horário
compreendido entre 10h e 16h, sem nenhuma ou pouca proteção para a pele. Entre os
cânceres de pele relacionados à exposição a essa radiação, o mais grave é o melanoma
cutâneo, em virtude de sua letalidade. Este estudo de natureza bibliográfica, teve como
objetivo identificar na literatura pertinente ao tema, os comportamentos de risco para o
câncer de pele. A pesquisa partiu do levantamento bibliográfico realizado no acervo da
biblioteca da Faser, em periódicos da área, bem como em sites contendo artigos com
abordagem sobre esse tema, no período de agosto a setembro de 2007. Nos últimos 40
anos, a incidência de melanoma cutâneo apresentou, mundialmente, uma tendência de
crescimento. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA), ligado ao Ministério da
Saúde, prevê em torno de 118.840 mil casos novos da doença este ano. O câncer de pele
ocorre com mais freqüência nos homens e, nas mulheres já supera o de mama, sendo mais
comum após os 40 anos de idade, pois o efeito do sol é acumulativo. Pessoas que
costumam se expor com freqüência ao sol para se bronzear, vendedores ambulantes,
carteiros, surfistas, dentre muitos outros, possuem maior probabilidade de desenvolverem o
câncer de pele. Admite-se que muitas dessas pessoas conhecem os riscos da exposição aos
raios solares, mas ignoram as recomendações de proteção. Podemos concluir desta forma
que, mesmo com as informações disponíveis na mídia em geral, ainda existam pessoas que
se arriscam debaixo de um sol impróprio, uns por um bronzeado que satisfaçam a sua autoimagem, outros por atividade laborativa e outros simplesmente por ignorarem os riscos. O
diagnóstico precoce é uma importante forma de prevenção da doença. Ao identificar sinais
de câncer de pele, é preciso procurar as unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Os
dermatologistas estão aptos para confirmar o diagnóstico e encaminhar o paciente aos
Centros de Atendimento do Câncer (CACON).
Palavras-chave: Radiação Ultravioleta, Câncer, Melanona Cutâneo, Carcenógeno Humano.
Keywords: Ultra Violet Radiation, Cancer, Cutaneous Melanoma, Human Carcinogen
Contraceptivos orais e a interação medicamentosa com antibióticos
Verbal contraceptives and the medicamentosa interaction with antibiotics
Cunha Filho, P.M.C¹. ; Roseno, D. A ². ; Barbosa, L.
1.
2.
Prof. de Microbiologia da Faser ([email protected])
Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Os contraceptivos orais são progestogênios isolados ou associados a estrogênios,
administrados por via oral com a finalidade de impedir a concepção. Constitui um dos
métodos hormonais mais empregados em todo o mundo desde 1950 tendo sofrido
extraordinária evolução em termos de quantidade e qualidade dos hormônios utilizados.
Uma importante interação envolvendo o uso concomitante de antibióticos e contraceptivos
orais pode resultar em perda da eficácia contraceptiva e a gravidez indesejada, pois a
presença de antibióticos reduz os níveis hormonais comprometendo a absorção do
medicamento. Este estudo trata-se de uma pesquisa bibliográfica, com o objetivo de enfocar
o antagonismo dos contraceptivos orais com os antibióticos. O primeiro caso da falha
contraceptiva associada ao uso de antibióticos ocorreu em 1971 quando observaram uma
incidência aumentada de sangramento intermenstrual em mulheres que utilizavam
contraceptivos orais e, ao mesmo tempo, estavam fazendo uso da rifampicina, um
antibiótico utilizado para o tratamento de doenças como tuberculose e hanseníase. Casos
posteriores foram publicados, envolvendo outros antibióticos mais comumente utilizados,
como a penicilina - principalmente as ampicilinas e as tetraciclinas. Também estão
envolvidos nesta interação a eritromicina, as cefalosporinas, a griseofulvina, as
sulfonamidas e o cotrimoxazol. Com o estudo foi concluído que apesar de o mecanismo de
interação entre antibióticos e o contraceptivo oral ainda não estar comprovado, existem
evidências que demonstram a interação existente podendo resultar em perda da eficácia
contraceptiva.
Palavras chaves: contraceptivos orais, antibióticos, interação de medicamentos.
Keywords: Verbal contraceptives, antibiotics, medicine interaction.
Eutanásia à luz dos Princípios Bioéticos
Bioethics knowledges-based euthanasia
Agripino, G.G¹; Frazão, C.S.C.²; Maia, E.V.P.².
1. Prof. do Curso de Especialização em Saúde Coletiva da Faser
([email protected])
2. Discentes do Curso de Especialização em Saúde Coletiva da Faser
([email protected] [email protected])
Os avanços tecnológicos na área das Ciências Médicas têm suscitado debates e reflexões
acerca dos limites éticos e morais envolvidos no uso do conhecimento em técnicas para
pesquisas e tratamento das doenças em seres humanos. A bioética vem para nortear tais
reflexões dentro do universo da responsabilidade e do respeito ao valor magnânimo do ser
humano: a vida. O objetivo do estudo foi promover a discussão sobre eutanásia
investigando os aspectos éticos e morais quando dessa prática, relacionando-a com os
princípios bioéticos da autonomia, beneficência, não–maleficência e da justiça,
identificando quais a sustentam ou a negam. Realizamos uma pesquisa bibliográfica em
obras pertinentes, artigos científicos e na Internet. As pesquisas tiveram lugar na Biblioteca
Central da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Biblioteca Setorial do Hospital
Universitário Lauro Wanderley (HULW) e Biblioteca da Faser, ocorrendo no período de 1º
à 20 de setembro do corrente ano. Hodiernamente, o conceito de eutanásia traz consigo o
caráter consciencial de provocar a morte de alguém por piedade ou compaixão. Pelo
princípio da autonomia, tem-se a garantia do exercício e renúncia a direitos fundamentais.
Interesses escusos, moral e eticamente inaceitáveis afastar-se-iam quando da observação do
princípio da justiça. Pelo princípio da não-maleficência evita-se o dano ao enfermo e aos
demais. O princípio da beneficência reflete o protagonismo do médico frente às decisões.
Reflexões sobre a prática da eutanásia à luz dos Princípios da Bioética colaboram para a
auto-avaliação das condutas dos profissionais da saúde frente à vida humana, trazendo,
assim, uma visão crítica e consciente a respeito dessa grande questão. Concluí-se que
condutas pautadas em decisões coerentes com a verdade imparcial dos fatos respeitarão
todos os princípios da bioética, quais sejam, o princípio da beneficência (a morte pode ser
melhor para o paciente do que certas condições de vida); princípio da não-maleficência
(prolongar a vida pode ser um mal); princípio da autonomia (pauta-se nos Direitos
Humanos e respeita as convicções individuais) e princípio da justiça (as normas éticas e
morais têm que ser socializadas, não pode haver exceção nesta regra).
Palavras-chave: Eutanásia, princípios bioéticos, ética profissional
Keywords: Euthanasia, bioethics knowledges, professional ethic.
Cuidados de Enfermagem no Pré e Pós Operatório de Colostomia
Cares of Nursing in the Daily pay after Operatorio of Colostomia
AGRA, G.¹; LEITE, V. M. M.²; OLIVEIRA, M. G.N²; SILVA, S. R. N.F².
1. Profª de Clínica Cirúrgica da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Colostomia é a criação de uma abertura do cólon para a superfície do abdome, cujo objetivo é
descomprimir o cólon obstruído, desviar a corrente fecal na preparação para ressecção de uma
evacuação de fezes quando o cólon distal ou reto é removido, além de proteger de uma
anastomose distal após a ressecção. Classificam-se em temporárias e permanentes, cuja indicação
é para pacientes com doença do cólon e gastrintestinais. Com este estudo objetivamos investigar
os cuidados de enfermagem ao paciente colostomizado no período pré e pós operatório. Trata-se
de uma pesquisa bibliográfica fundamentada a partir das consultas em livros e revistas específicas
durante os meses de julho a setembro de 2007, analisada à luz da literatura consultada. Conclui-se
a partir das literaturas consultadas que a assistência da enfermagem ao paciente colostomizado
consiste nos cuidados direcionados ao estoma e também nas orientações ao paciente, de acordo
com o tipo. As ações de enfermagem no período pré-operatório giram em torno de preparar
fisicamente o paciente para a cirurgia, fornecer informações sobre o cuidado pós-operatório,
incluindo o cuidado com o estoma, além de apoiar emocionalmente o paciente e a família. Com
relação aos cuidados pós-operatórios, estes compreendem a monitorização do paciente quanto às
complicações do estoma, avaliar o abdome quanto ao retorno da peristalse e examinar as
características das primeiras fezes, ajudando os pacientes a saírem do leito e encorajá-los a
começar a participar do controle da colostomia. Nesse sentido, a assistência de enfermagem
abordada holisticamente direciona o paciente colostomizado a recuperar sua qualidade de vida
em seus aspectos físico, psíquico, social e ambiental.
Palavras-chave: Cuidados de Enfermagem, Operatório, Colostomia.
Keywords: Cares of Nursing, Operatório, Colostomia
Cuidados de enfermagem no pré e pós-operatório de Ooforectomia
Cautions of nursery at the pre and post operation of ooforectomy
Agra, G.1; Amorim, K. C. S.2; Seixas, C. N.2; Silva, D. C. A.2; Silva, J. K. C.2
1. Prof. de Clínica médica da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
A Ooforectomia é a remoção cirúrgica de um ou ambos os ovários, podendo ser
unilateral e bilateral; realizado para tratamento de cistos ováricos ou cancro ovárico. O
procedimento é realizado sob anestesia geral, o qual é susceptível à fatores de risco para
complicações como obesidade, abcessos abdominais e tabagismo. O objetivo deste
trabalho é descrever os cuidados de enfermagem no pré e pós-operatórios de
ooforectomia. Trata-se de uma pesquisa bibliografia exploratória, realizada nas
bibliotecas João Paulo II e da Faculdade Santa Emília de Rodat – PB, através de livros,
revistas, periódicos cirúrgicos e sites, no período de abril a setembro de 2007, analisado
á luz da literatura. Os cuidados de enfermagem no pré-operatório são: realização de
exame físico no paciente, coleta de urina e o envio para a realização do sumário de
urina, encaminhamento para a realização da ultra-sonografia pélvica e tomografia
computadorizada, se solicitada pelo médico e ajudar o paciente e sua família. No pósoperatório, entretanto: na noite anterior à cirurgia, oferecer ao paciente, alimentos.
Orientar ao paciente para não comer, nem beber, inclusive água, após a meia-noite do
dia que antecede à cirurgia. Portanto, uma assistência de enfermagem completa e com
base, para não haver futuras complicações às mulheres que se submeterem à retirada dos
ovários. Nesse sentido vale destacar que a maior incidência de ooforectomia é em
mulheres com mais de 40 anos e menopausadas. Entretanto com idade maior que 40
anos só fazem ooforectomia parcial, devido à conservação de um dos ovários no intuito
de preservar a quantidade de hormônios, para manter níveis estrogênicos para regulação
fisiológica feminina.
Palavras-chave: Cuidados de enfermagem, pré e pós-operatório, reposição hormonal
Keywords: Nursing Care, Pre and post operative, Hormonal reposition
Cuidados de enfermagem no pré e pós-operatório de prostatectomia
Cares of nursing in the daily pay and after operatório of prostatectomy.
Agra, G. ¹. ; Araújo, T.M.C.² ; Farias, S.N.S.² ; Gonzaga, E.F.² ; Leopoldino, M.K.T.²
1. Prof. de clinica cirúrgica da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A prostatectomia é uma intervenção cirúrgica indicada em situações em que há um aumento do
tamanho da próstata, o qual pode ser devido a uma hiperplasia prostático ou ao câncer de
próstata, motivo maior desse procedimento. Dentre os tipos de prostatectomia podemos destacar:
ressecção transuretral, incisão transuretral, prostatectomia retropúbica, prostatectomia
suprapúbica, prostatectomia perineal e prostatectomia radical laparoscópica. O objetivo deste é
investigar os cuidados de enfermagem no pré e pós-operatórios de prostatectomia. Trata-se de
uma pesquisa bibliográfica, realizada em bibliotecas pública e privada do município de João
Pessoa-PB, através de livros, periódicos, revistas especializadas, sites indexados, durante o
período de abril a maio de 2007, analisados à luz da literatura. No que se refere ao cuidado no
pré-operatório, o enfermeiro deve fornecer orientações sobre o procedimento, oferecer apoio
emocional, solicitar aconselhamento sexual e observar sinais de possíveis desconfortos, sendo
capaz de intervir de maneira eficaz para o bem-estar do paciente. Quanto ao cuidado pósoperatório, o enfermeiro deve monitorar os sinais vitais do cliente, buscando indícios de
hemorragia e choque; observar se existe sinal de infecção; registrar a quantidade e as
características do débito urinário; administrar a medicação prescrita; verificar o posicionamento
dos drenos e infusões venosas, em síntese, assistir ao paciente de maneira integral, de acordo com
as suas necessidades nas primeiras 24 horas após o ato cirúrgico. Dessa forma, podemos concluir
que os cuidados de enfermagem no pré e pós-operatórios de prostatectomia são essenciais para a
recuperação do paciente, pois com isso, o enfermeiro estará prevenindo futuras complicações e
assim promovendo uma assistência qualificada ao seu cliente prostatectomizado.
Palavras-chave: Cuidados de enfermagem, pré e pós-operatório, prostatectomia.
Keywords: nurse care, prostatectomy, daily pay and after operatório.
Cuidados imediatos prestados aos pacientes queimados no local do acidente
Immediate cares rendered the patients in the place of the accident
Agra, G.¹; Amorim, P. R. O.²; Martins, R. M. A.²; Oliveira, M. H.² ; Silva, A. L. R.²
1. Prof.ª de Clínica Médica da Faser ([email protected])
2. Discentes de enfermagem da Faser ([email protected]).
Queimaduras são lesões causadas por agentes térmicos, químicos e elétricos com ação curta
ou prolongada de temperaturas extremas sobre o corpo humano, agindo no tecido de
revestimento, podendo destruir parcial ou totalmente a pele e seus anexos. São classificadas
de acordo com a profundidade e extensão da lesão. Este estudo tem por objetivo identificar os
cuidados imediatos prestados ao paciente no local do acidente, através do Livro de Condutas
Emergenciais (ATLS) e sites indexados, analisados à luz da literatura pertinente. É um estudo
do tipo bibliográfico, exploratório, realizado em bibliotecas públicas e privadas no período de
20 de agosto a 24 de setembro de 2007. Diante do exposto, os cuidados de emergência no
local devem incluir procedimentos para evitar que as queimaduras se agravem, como: agentes
térmicos - apagar as chamas, mandar a vítima rolar no chão, esfriar a área queimada com
líquido não-inflamável, remover fontes potenciais de calor (jóias, fivelas e roupas), cobrir a
ferida com pano suave não felpudo e úmido, oferecer água para hidratar a vítima. Agentes
químicos: despir o paciente sob água corrente, lavar imediatamente a área afetada com água
corrente, proteger com compressas estéreis, panos limpos ou procurar recursos médicos.
Agentes elétricos: com a vítima em contato com a rede elétrica não se deve tocar na vítima,
desligar eletricidade da caixa de fusíveis ou chave geral, ligar para companhia de eletricidade
para desligar a rede, se a vítima estiver na rua então deve-se afastar o fio elétrico com um
pedaço de madeira. Conclui-se desse modo que o conhecimento dos cuidados imediatos são
imprescindíveis para o salvamento das vítimas acometidas por estas queimaduras.
Palavras-chaves: Queimaduras, agentes elétricos, agentes químicos, agentes físicos, vítima.
Keywords: Burns, electric agents, chemical agents, physical agents, victim.
Déficit de Autocuidado em Pacientes com Infarto do Miocárdio, subsidiado pela
Teoria de D. Orem.
Déficit of Autocuidado in Patients with Infarto of the Miocárdio, subsidises for the
Theory of D. Orem.
AZEVEDO, A.R2;
MOREIRA,M.E1
BEZERRA,
A.A2;
MACHADO,
H.C2;
SIMÕES,
K.M2;
1- Professora de Clínica Médica da Faculdade Santa Emília de Rodat - FASER
2- Dicentes da Faculdade Santa Emília de Rodat – Faser ([email protected])
O Infarto do Miocárdio é um distúrbio caracterizado pela formação de áreas necróticas
no tecido cardíaco, decorrente da oclusão da artéria coronária e, conseqüente,
interrupção do fluxo sanguíneo. Dados do Instituto do Coração mostram que cerca de
40% dos pacientes de doenças coronarianas não apresentam os chamados fatores
clássicos de risco. A ocorrência é mais preocupante quando se sabe que as doenças
cardiovasculares são a primeira causa de morte no Brasil, 33% do total. De cada dez
vítimas, seis, em média, são do sexo masculino e em 40% dos casos de doença
coronária, a primeira manifestação é o infarto, com índice médio de mortalidade de 8%.
Trata-se de um estudo bibliográfico, que teve como objetivo identificar os déficits de
autocuidado em pacientes com infarto do miocárdio, subsidiado pela Teoria de D.
Orem. O desenvolvimento da pesquisa ocorreu no acervo de instituições públicas e
privadas da cidade de João Pessoa, no período de 22 de abril a 10 de maio de 2007.
Considerando a Teoria do autocuidado de D. Orem, ressaltamos a necessidade da
assistência de enfermagem quando o paciente se encontra incapacitado de atender suas
necessidades biológicas, psicológicas, de desenvolvimento ou sociais. O infarto do
miocárdio é considerado uma patologia que requer do paciente, ações de autocuidado,
cujo objetivo é prevenir e minimizar a recidiva e complicações da enfermidade. Nesse
sentido, alicerçado pela teoria de D. Orem as demandas de autocuidado estão
relacionadas com o estilo de vida, hábitos alimentares, atividade laborativa, atividade
física, dentre outros fatores. Tais demandas possibilitam ao enfermeiro inferir os
seguintes diagnósticos de enfermagem conforme a Taxonomia da Nanda: Déficit do
conhecimento sobre os fatores precipitantes para a doença; Déficit do autocuidado
relacionado a hábitos de vida como tabagismo e etilísmo; Déficit do autocuidado
relacionado à nutrição; Déficit de autocuidado para banho/ higiene etc. Com base nesses
diagnósticos é permitido ao enfermeiro implementar ações voltadas para o déficit do
autocuidado em pacientes com infarto do miocárdio, propiciando assim uma melhor
qualidade de vida e não reincidência da patologia.
Palavras- chaves - Autocuidado; Infarto
Keywords – Autocuidado; Infarto
Depressão Infantil: Um resgate bibliográfico
Infantile Depression: A bibliographical rescue
Agra, G.¹; Queiroz,V. C.²; Silvestre, A.C.A.²; Rodrigues, R. X.²
1. Prof.ª de Clínica Médica da Faser ([email protected])
2. Discentes de enfermagem da Faser ([email protected])
A depressão ocorre devido a um desequilíbrio bioquímico entre os neurotransmissores
serotonina e noradrenalina. Porém a doença não deve somente ser analisada sob o ponto
de vista biológico, pois existem alguns fatores psicológicos que contribuem para o seu
surgimento. Nas crianças, os fatores que influenciam o aparecimento da depressão
podem ser: separação dos pais, falta de atenção, troca de escola ou pressão para ter boas
notas, perda de um ente querido, entre outros. Este estudo tem como objetivo descrever
aspectos gerais sobre a depressão infantil. Consta de uma pesquisa bibliográfica,
realizada em bibliotecas públicas e privadas, no período de 10 de agosto a 24 de
setembro de 2007, através de livros, periódicos e sites indexados, analisados à luz da
literatura pertinente. A depressão infantil é um transtorno do humor capaz de
comprometer o desenvolvimento da criança e interferir no processo de maturidade
psicológica e social. É de difícil identificação, já que a maioria das crianças pequenas é
incapaz de descrever seus sentimentos e freqüentemente apresentam um quadro de
irritabilidade em vez de tristeza. O diagnóstico de depressão é mais difícil nessa fase,
pois os sintomas podem ser confundidos com birra ou falta de educação, mau humor,
tristeza e agressividade. O que diferencia a depressão das tristezas do dia-a-dia são a
intensidade, a persistência e o comprometimento das atividades normais. O tratamento
normalmente é feito através de psicoterapia e apoio familiar. Conclui-se desse modo,
que é importante levar em consideração as mudanças dos padrões comportamentais
infantis, haja vista, que quando as crianças estão em unidade de internação pediátrica,
muitas vezes suas genitoras não podem ficar em sua companhia e isso pode acarretar
medo, insegurança, tristeza, apatia e choro freqüente. A persistência desses sintomas
desencadeia a depressão infantil o que poderá levar à recusa de medicações e isso pode
prejudicar o curso da doença base. Na maioria das vezes, o apoio familiar e a
psicoterapia são suficientes. Somente a partir dos seis anos de idade é necessário, em
alguns casos, intervir com medicamentos.
Palavras-chaves: Depressão infantil, humor, criança, tristeza.
Keywords: Infantile Depression , humor, child, sadness
Deslocamento Prematuro da Placenta: um enfoque bibliográfico
Premature displacement of the Placenta: a focus bibliographic
Almeida, C.B. ¹; Rodrigues, A.F. ²; Fonseca, L.S. ²; Megda, T.F. ²; Mesquita, S.K.C. ².
1. Prof. de Saúde da Mulher (1 e 2) de Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
O Deslocamento prematuro da placenta (DPP) é um distúrbio que consiste num
deslocamento súbito da placenta normalmente implantada, que ocorre após a vigésima
semana de gravidez. Esse distúrbio materno ocorre em cerca de 1% de todas as gestações,
sendo responsável por altos índices de mortalidade perinatal e materna. Este estudo tem
como objetivo abordar sobre o descolamento precoce da placenta. Foi realizado um estudo
bibliográfico no acervo das instituições públicas e privadas, situadas na cidade de João
Pessoa-PB, no período de 10 a 21 de outubro de 2007, em que adquirimos informações
pertinentes ao assunto através da literatura em questão. É um dos mais graves problemas
obstétrico associado à hemorragia, pois nos países desenvolvidos, as hemorragias ocorrem
em 20% dos casos, já nos países de terceiro mundo, esse número é ainda maior, visto que
nem sempre existem hemocentros organizados nas maternidades, o que hoje é considerado
fundamental para obstetrícia. Não se conhece a causa desse distúrbio obstétrico, porém em
muitos casos, são associados aos fatores traumáticos e aos fatores não traumáticos. Ocorre
um aumento na pressão venosa uterina, levando a estase e rompimentos dos vasos
uteroplacentários, iniciando-se então o sangramento, que por força mecânica, “empurra a
placenta do seu leito, deslocando-a”. O objetivo principal do tratamento é impedir o choque
e a insuficiência renal que é a complicação mais grave do DPP. Esse por sua vez inicia-se
sempre com a restauração da volemia, seguindo o protocolo de atendimento ao paciente em
choque hipovolêmico, com um diferencial: a pressão arterial não pode ser usada como
parâmetro de reposição volêmica, pois a maioria dos pacientes com DPP tem a pressão já
elevada pelo seu estado hipertensivo. Diante das idéias centrais concluímos que é de
fundamental importância que o enfermeiro tenha conhecimento desse problema obstétrico
que é o DPP, pois dessa forma poderá contribuir agilizando o atendimento à gestante e
encaminhando-a para uma equipe de pré-natal alto risco.
Palavras–chaves: Deslocamento prematuro da placenta, Assistência de Enfermagem.
Keywords: Premature displacement of the Placenta, Assistance of Nursing.
Diabetes Infantil: Uma Revisão da Literatura
Infantile Diabetes: A Revision Of Literature
Almeida, C.B. ¹, Anjos, A. A.N. ², Medeiros, S.M. ², Silva, L.O. ², Simões, N.C.F. ².
1. Prof. Da disciplina de Saúde da Criança ([email protected] Com.)
2. Discente do 6º período de Enfermagem da Faser ([email protected] com).
Diabetes é uma alteração na produção do hormônio insulina pelo pâncreas ou uma
resistência à ação da insulina pelo organismo. É a insulina que ajuda o organismo a
transformar o açúcar (glicose) em energia para o funcionamento do corpo humano, por
isso ocasiona um excesso de glicose no sangue. Existem dois tipos de diabetes, a do tipo
1 e a do tipo 2. A diabetes do tipo 1 é o tipo mais comum em crianças, de aparecimento
súbito e pode surgir desde as primeiras semanas de nascimento até os 30 anos de idade,
mas é na faixa dos 5 aos 7 anos e durante a puberdade que a doença tende a ser mais
comum, estando relacionada à falta ou pouca produção de insulina, não conseguindo
controlar a taxa de glicose ingerida. A diabetes tipo 2 é hereditária e acontece quando as
células resistem à ação da insulina, mesmo que sua produção seja normal. Quanto mais
cedo o diabetes for detectado, mais chance se tem de eficácia no controle da doença e de
evitar complicações futuras. Os sintomas da diabetes infantil são: sede, aumento da
fome e emagrecimento, aumento do número de vezes em que se urina e são na maioria
das vezes acompanhados por grande mal estar, sonolência, fraqueza, tonturas, câimbras
e formigamentos. O objetivo deste estudo é averiguar na literatura os fatores que levam
ao desenvolvimento da diabetes na criança. Trata-se de um estudo bibliográfico, de
caráter exploratório, realizado nas bibliotecas públicas e privadas da cidade de João
Pessoa – PB, no período de agosto a setembro de 2007. Conclui-se com este estudo a
importância que o tema acarreta, pois nós como futuros enfermeiros devemos ter total
conhecimento para podermos orientar os pais como devem proceder para ajudar seus
filhos no controle da doença e até mesmo detectar precocemente alguma manifestação
da doença.
Palavras-chaves: Diabetes, Infantil, Tipo I.
Keywords: Diabetes, Infantile, type I
Diabetes no Idoso: Um enfoque da Enfermagem com ênfase no tratamento nãofarmacológico.
Diabetes in the Aged one: An approach of the Nursing with emphasis in the don′t pharmacologyc
treatment
Morais, M.N.C.S.¹; Araújo,T.M.C.²; Gonzaga, E.F.²; Leopoldino, M.K.T ².
1. Docente de Geriatria e Gerontologia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
O diabetes mellitus tipo 2, resulta em geral de graus variáveis de resistência a insulina e de
deficiência relativa a mesma, sendo essa patologia forte componente hereditário, geralmente
associado à obesidade. O diabetes é especialmente prevalente nos idosos com mais de 65 anos de
idade, entre esses 8,6% têm diabetes tipo 2. O estudo tem como objetivo enfatizar sobre o
tratamento não-farmacológico do diabetes mellitus tipo 2 e oferecer subsídio para melhoria da
assistência a pacientes diabéticos através desse tratamento. Trata-se de uma pesquisa de natureza
bibliográfica desenvolvida através de consulta aos acervos bibliotecários de entidades privadas e
por meio do universo online, no período de abril a setembro de 2007, analisados à luz da
literatura. O diabetes mellitus tipo 2 é uma síndrome metabólica que agrega um grupo de doenças
decorrentes da insuficiência ou dificuldade da insulina exercer suas funções, caracterizando-se
por aumento da concentração de glicose no sangue e distúrbios no metabolismo dos carboidratos,
lipídios e proteínas, podendo provocar o surgimento de complicações agudas e crônicas. O
tratamento não-farmacológico dessa patologia, baseia-se fundamentalmente numa dieta
balanceada, na prática de atividades físicas, prevenção da obesidade e ainda informações aos
pacientes e cuidadores sobre a importância do cumprimento desses de forma rigorosa, reduzindo
assim a dependência da terapia medicamentosa no decorrer do tratamento. Desse modo
subentende-se que o tratamento não-farmacológico prioriza a qualidade de vida, através da
manutenção do processo de autocuidado do paciente de acordo com seu nível cultural e sua
situação sócio-econômica, com participação multiprofissional onde a enfermagem pode atender o
idoso frente as suas particularidades, proporcionando uma melhor assistência.
Palavras-chaves: diabetes tipos 2; enfermagem; tratamento.
Keywords: diabetes types 2; nursing; treatment.
Dificuldades na adesão à técnica de lavagem das mãos pelos profissionais de
Enfermagem: um resgate na literatura
Difficuties in the adhesion to the technique of laudering of hands for the professionals of
Nursing: one has resecued in literature
Carneiro, C.A.¹; Nascimento, N.M.²; Pereira, H.D.²; Queiroz, L.P²; Silva, P.M.L.²
1.Profª de Semiologia e Semiotécnica I da Faser ([email protected])
2.Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
As mãos constituem a principal via de transmissão de infecção hospitalar. Sua lavagem
adequada é de grande importância para eliminar da pele substâncias tóxicas,
medicamentosas, grande números de microorganismos, para proteger-se da agressão do
meio e evitar propagação de doença. Deve ser realizada de forma cuidadosa com o objetivo
de remover a flora normal e transitória, sendo indicado o uso de água e sabão, no início e
no término do trabalho. O objetivo deste trabalho, de caráter bibliográfico, foi investigar
quais as dificuldades na adesão à lavagem das mãos pelos profissionais de Enfermagem
evidenciados na literatura. A coleta de dados foi feita nas bibliotecas da Faculdade Santa
Emília de Rodat, e Universidade Federal da Paraíba, através de sites, periódicos e alguns
acervos bibliográficos, sendo essa realizada entre o período de 21 a 27 de setembro de
2007. Após a coleta foi feita uma leitura seletiva dos dados de interesse à pesquisa,
seguindo uma leitura analítica, com vistas à apreensão da idéia central e elaboração do
corpo dessa pesquisa. A lavagem das mãos é o procedimento mais importante e menos
dispendioso para evitar a transmissão de infecções hospitalares. A importância de lavar as
mãos pode variar entre as diversas unidades do hospital e a aquisição e transmissão de
diversos patógenos torna-se reduzida quando a técnica de higienização das mãos é
desenvolvida freqüentemente. A falta de adesão à lavagem das mãos continua a representar
um dos principais desafios para os profissionais do Serviço de Controle de Infecção
Hospitalar. As principais justificativas nesse sentido são: a falta de pias ou a má localização
das mesmas, os custos elevados, a irritabilidade e a toxicidade do produto e o tempo
necessário para a prática, pois a mesma requer disponibilidade de tempo.
Palavras chaves: Lavagem das mãos, adesão, enfermagem
Key words: Laudering of the hands, adhesion, nursing
Doença hipertensiva específica da gestação (DHEG): um enfoque bibliográfico
Specific hipertensiva illness of the gestation (DHEG): A focus bibliographic
Diniz, M.A.¹; Lins, S.S.²; Sá, M.R.² ; Sá, S.A.A.²; Sousa, G.R.D.²
1. Prof. De Saúde da Mulher II da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
Sabemos que na gestação, mesmo havendo alterações anatômicas, endócrinas, hemodinâmicas e
imunológicas importantes, o organismo feminino se mantém em equilíbrio dinâmico por
mecanismos compensatórios. Contudo, o limite entre a normalidade e a doença é extremamente
tênue e o desequilíbrio representa risco elevado de morbimortalidade materno-fetal. Entre alguns
desequilíbrio que pode ocorrer na gestação destaca-se a Doença Hipertensiva Especifica da
Gestação (DHEG). O objetivo deste trabalho consiste em descrever as alterações provocadas pela
DHEG. Trata-se de um estudo bibliográfico onde foram utilizados livros, periódicos e pesquisa
on-line do acervo da Faser e da UFPB nos meses de agosto a setembro de 2007. A DHEG referese a um aumento da pressão arterial em uma gestante, tendo normalmente seu inicio na vigésima
semana de gestação e é detectada quando os níveis pressóricos ultrapassam 140 X 90 mmHg, ou
quando ocorrer um aumento acima de 30 mmHg na PAS e 15 mmHg na PAD, com base no valor
medido antes da vigésima semanaa de gestação. As complicações hipertensivas na gravidez são a
maior causa de morbidade e mortalidade materna e fetal, ocorrem em cerca de 10% de todas as
gestações e são mais comuns em mulheres nulíparas (que nunca pariram), em gestação múltipla,
mulheres com hipertensão há mais de quatro anos, história de hipertensão em gravidez prévia e
de doença renal ou, ainda, em mulheres com história familiar de pré-eclâmpsia. As principais
manifestações clínicas são o aumento da pressão arterial, eliminação de proteína a edema local ou
generalizado. O diagnóstico da DHEG inclui medidas de pressão arterial e comparação com os
níveis anteriores a gravidez, pesquisa de edema e dosagem das proteínas a urina. O tratamento
pode ser de duas formas não medicamentoso e medicamentoso. Dessa forma, concluímos que a
DHEG é uma complicação na gestação que deve ter seu acompanhamento rigoroso, pois pode
provocar sofrimento fetal e complicações maternas.
Palavras-chaves: Doença hipertensiva, Gravidez, Complicações
Keywords:Hipertensiva illness, Pregnancy, Complications
Efeitos do Citrato de Sildenafil (Viagra) em pacientes acometidos por hipertensão
pulmonar: um estudo bibliográfico
Effects of Citrato de Sildenafil(Viagra) in pacients with by hypertension pulmonary: a
bibliografy study
Moreira, M.E. A; Silva, F.G; Brito, H.M.T; Oliveira, M.F.S;Mendes,A . E. O .
1. Docente da Disciplina Enfermagem Clínica Médica da Faser
([email protected] com).
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected] com).
A hipertensão pulmonar é caracterizada pela elevação da pressão no sistema pulmonar
podendo ser causada pela elevação da pressão atrial esquerda, aumento do fluxo
sangüíneo pulmonar ou da resistência vascular pulmonar, podendo, também, ser
desencadeada por diversas patologias clínicas, sendo classificada como secundária ou
primária, tendo um índice de mortalidade bastante elevado. Dentre os diversos
tratamentos farmacológicos utilizados na terapêutica, o uso do citrato de sildenafil tem
produzido uma excelente resposta na qualidade de vida dos clientes que são submetidos
ao uso da droga. Trata-se de um estudo bibliográfico, que teve como objetivo investigar
os efeitos do citrato de sildenafil em pacientes acometidos por hipertensão pulmonar, à
luz da literatura. Vale ressaltar que o levantamento bibliográfico para realização desta
pesquisa foi realizado em acervos da Faculdade Santa Emília de Rodat, Universidade
Federal da Paraíba, em sites oficiais e periódicos, no período de março a setembro de
2007. Os resultados desse estudo demonstraram que o uso do citrato de sildenafil na
hipertensão pulmonar promove a expansão dos alvéolos melhorando a oxigenação. O
uso da droga proporciona o relaxamento na parede arterial, levando a uma menor
resistência arterial e consequentemente, diminuindo a pressão sangüínea no sistema
pulmonar. Apesar de ter grande importância para doentes pulmonares, os usos do
fármaco associados a drogas vasodilatadoras tendem a ocasionar graves interações
medicamentosas podendo até levar o paciente a óbito. Nesse sentido é importante
avaliar os riscos e benefícios para que os pacientes venham obter uma maior expectativa
de vida com excelente qualidade.
Palavras-chaves: Hipertensão Pulmonar, Citrato de Sildenafil, Qualidade de Vida.
Keywords: Hypertension pulmonary, Quality of life, Citrato de Sildenafil.
Enfermeiro componente atuante na Prevenção do Câncer de Mama
Operating component nurse in the Prevention of the Cancer of Breast
Ferreira, J.O. P 1 ; Gomes, J.H.M.2; Gomes, Y.H.3
1. Professora de Semiologia e semiotécnica II e Oncologia da Faser ([email protected])
2. Enfermeira ([email protected])
3. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
O câncer de mama é provavelmente o mais temido pelas mulheres devido a sua alta
freqüência e, sobretudo, pelos seus efeitos psicológicos, afetando a percepção de
sexualidade e a própria imagem pessoal. Também pode acometer homens, mas raramente,
por isso muitas vezes é confundido com a ginecomastia. O mesmo pode ocorrer durante o
processo das células adultas do nosso organismo que se dividem para haver o crescimento e
renovação dessas células, processo chamado de mitose, que por alguma ocasião se
reproduzem com uma velocidade maior, desencadeando o aparecimento de massas
celulares denominadas de neoplasias ou tumores, geralmente apresentando um nódulo.
Fatores de risco como a história familiar/ginecológica, dieta rica em gordura animal,
exposição a hormônios, radiação, podem desencadear a doença. Tendo como objetivo
informar a prevenção e formas de tratamento do câncer de mama, com o intuito de enfocar
principalmente o auto-exame e o Breastcare (cuidado com a mama). O estudo realizado foi
de tipo bibliográfico no qual foram utilizados: livros, periódicos, estudos em internet, do
acervo da Faser, no período de setembro de 2007. No Brasil, todo ano são registrados 40
mil novos casos de câncer de mama e morte de dez mil mulheres vítimas da doença. No
homem atinge um para cada cem mulheres. Entre as mulheres, ocupa o primeiro lugar de
incidência nas regiões Nordeste, com 22,84%, Sul, 24,14% e Sudeste,com 23,83%. Já nas
regiões Norte e Centro-Oeste o câncer de colo de útero supera a incidência , mas mesmo
assim, espera-se que seja responsável por 16,03% e 14,54%. Este estudo mostra o
enfermeiro como componente atuante na aplicação de ações educativas, informativas
utilizadas na prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. “Uma quantidade
enorme de cânceres de mama seria evitada se as pessoas soubessem como fazer a
prevenção, pois prevenir significa evitar que algo indesejável aconteça”.
Palavras-chave: Fatores de risco, Prevenção, Enfermagem.
Keywords: Factors of risk, Prevention, Nursing.
Eritroblastose Fetal: Uma abordagem literária
Foetal Eritroblastosis: A literary approach
Paiva, J.1; Lira, H. C.2; Silva, K. M 2; Silva,A .L. S.²; Lino, T.S.2
1. Profª. de Semiologia e Semiotécnica I e II, e Oncologia da Faser
([email protected]).
2. Discente de enfermagem ([email protected]).
A Doença Hemolítica do Recém-Nascido (DHR) ou Eritroblastose Fetal (EF) é causada
por um componente do sangue chamado Rh, que é um anticorpo capaz de aglutinar
hemácia, esse distúrbio sanguíneo da vida fetal avançada ou do início da vida neonatal
que pode ocorrer quando existe uma incompatibilidade de Rh ou ABO entre a mãe e a
criança. A incompatibilidade existe quando o feto possui um antígeno das hemácias,
herdado do pai, e ausente na mãe, ou seja, quando a mãe é Rh negativo e o feto é Rh
positivo ou entre um feto do grupo A ou B e a mãe é grupo O. O estudo traz como
objetivo descrever o conhecimento científico necessário sobre a Eritroblastose Fetal,
focalizando a assistência de enfermagem em evitar a progressão dessa patologia. Tratase de um estudo bibliográfico consubstanciado na literatura pertinente ao tema em
destaque, sendo a pesquisa realizada nas bases de dados do Scielo (Sientific Eletronic
Library Online), como também, em publicações avulsas em boletins e livros. As
hemácias fetais podem atravessar a placenta caindo na circulação materna. Quando
esses eritrócitos são incompatíveis com os do sangue materno, esse produzirá
anticorpos, que então atravessam a placenta e destroem as hemácias fetais, algumas
vezes de forma muito intensa, levando o aparecimento das seguintes manifestações
clínicas: icterícia, anemia, edema, hepatoesplenomegalia e cardiomegalia. Concluímos
com a realização dessa pesquisa que a DHR é uma característica peculiar do sistema
sanguíneo materno em conjunto com o fetal. A existência de meios de prevenção,
diagnóstico e com a realização de tratamento adequado. Isso diminui as complicações
produzidas por essa afecção, necessitando da assistência de enfermagem durante o prénatal bem como na vida do feto e neonato, identificando manifestações clínicas,
interpretando os exames laboratoriais e contribuindo para diminuir os agravos desta
afecção.
Palavras Chave: Eritroblastose fetal; doença; imunocompatibilidade.
Keywords: Foetal Eritroblastosis, disease, immunocompatibility
Eritroblastose Fetal como Hipersensibilidade Tipo II
Eritroblastosis Fetal as Hipersensibility Type II
Cunha Filho, P.M.C¹.; Santos, L.L.A.S².
1. Prof. de Microbiologia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A eritroblastose fetal é ocasionada pela aglutinação progressiva e fagocitose imediata das
hemácias, que atinge fetos e recém-nascidos. Logo, essa doença é caracterizada como uma
hipersensibilidade tipo II, por envolver uma reação entre IgG contra o antígeno aderido à
célula. Assim o presente trabalho trata-se de uma pesquisa bibliográfica, de caráter
descritivo. A maior parte dos casos de eritroblastose fetal se dá através da
incompatibilidade do fator-Rh da mãe com o do filho, onde a mãe apresenta fator-RH
negativo e o bebê fator-Rh positivo, esse herdado do pai. Desse modo a mãe irá
desenvolver aglutinas anti-Rh positivo, que irá propagar-se através da placenta para o feto,
causando neste a aglutinação das hemácias que liberará hemoglobinas no sangue, fazendo
com que os macrófagos convertam a hemoglobina em bilirrubina, deixando a pele
amarelada. Esse processo não tem efeito sobre o feto Rh positivo durante a primeira
gravidez, pois a sensibilização raramente ocorre antes do início do trabalho de parto, sendo
característica da segunda gestação, isso em condições normais. Seu tratamento consiste na
substituição do sangue do recém-nascido por sangue Rh negativo que ao ser totalmente
substituído pelas hemácias Rh positivas do próprio recém-nascido as aglutininas anti-Rh
provenientes da mãe já terão sido destruídas. O diagnóstico precoce facilita o tratamento da
mãe e do feto evitando seqüelas. Os métodos usados são a análise dos níveis de bilirrubina
no líquido aminiótico, teste de Coombs indireto e direto, entre outros. Atualmente já é
possível evitar o surgimento dessa doença através da sensibilização materna com o uso de
anticorpos anti-Rh. Podemos assim concluir que um pré-natal bem realizado poderá
detectar e tratar precocemente a doença e evitar conseqüências graves ou até mesmo o óbito
do bebê.
Palavras-chave: Eritroblastose fetal, hipersensibilidade tipo II.
Keywords:Eritroblastosis-fetal,hipersensibility type II.
Insuficiência Renal Crônica
Chronic Renal Inadequacy
Albuquerque, J.B.R¹; Andriola, T.V.R.²; Barbosa,P. C.²; Monte, P.S.²; Santana, R.F.G.²
1. Prof. de C.T.I. e Nefrologia da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
A Insuficiência Renal Crônica é o resultado de uma disfunção progressiva e irreversível do
funcionamento normal do tecido renal. O Objetivo deste trabalho é identificar na literatura
quanto às causas e os tipos de tratamento que pode ser utilizado para aumentar e melhorar o
tempo de vida das pessoas acometidas por essa patologia, tendo como metodologia o estudo
da pesquisa bibliográfica com revisão de literatura. Quando os rins encontram-se
comprometidos, não conseguem filtrar o sangue dificultando a liberação de toxinas do
organismo tornando o volume de urina diminuído e consequentemente haverá uma retenção
de líquidos causando edema, hipertensão, dispnéia, refletindo num desequilíbrio
homeostático. O indivíduo passa, então, a ter uma vida repleta de restrições. Tendo como as
duas principais causas, a Diabetes e a Hipertensão ocorrendo mais em homens e mulheres de
meia idade. Para diminuir e amenizar os sintomas dessa patologia tem como tratamento: a
diálise peritoneal, que é a colocação do cateter Tenckoff no peritônio, através de um
dializador retirando as toxinas. Existe a diálise intermitente, ambulatória contínua e a cíclica
contínua. A Hemodiálise consiste na anastomose através de uma fístula, onde o sangue sai
pela artéria, passa pelo filtro e retorna ao organismo pela veia o sangue depurado. Para a
prevenção da doença o Ministério da Saúde está reorganizando a atenção básica no sistema de
Saúde Pública para diminuir o número de pacientes que se submetem a Diálise, visando à
capacitação das equipes do Programa da Família com o intuito de controlar a incidência das
doenças que levam a Insuficiência Renal.
Palavras -chaves: Insuficiência Renal, Diálise, Hemodiálise, Doenças Renais.
Keywords: Renal Inadequacy, Dialysis, Hemodiálise, Renal diseases.
Fatores de risco e prevenção da Amniorrexe prematura: um estudo à luz da literatura
Factors of risk and prevention of amniorrexe premature : a study the light of literature
Agra, G ¹; Asevedo, M.G. P. ²; Guimarães, T.O. ²; Neves, A. P. M. ²; Sousa, M. R. G ².
1. Prof. de Saúde da Mulher II da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A amniorrexe prematura (AP) ou ruptura prematura das membranas (RPM) é definida com a
ruptura espontânea das membranas ou bolsa amniótica (âmnio e córion) entre a trigésima
oitava e quadragésima semana de gestação, devendo ocorrer antes do início do trabalho de
parto. No entanto, essa ruptura pode ocorrer antecipadamente, fugindo assim, dos padrões de
anormalidades. Quando ocorre prematuramente, se dá através de alguns fatores de risco,
devendo ser investigados. Este estudo tem por objetivo descrever os fatores de risco e a
prevenção da amniorrexe prematura. Caracteriza-se por ser uma pesquisa bibliográfica;
realizada em bibliotecas privadas e públicas de João Pessoa – PB, sites indexados, periódicos,
revistas especializadas, durante o período de setembro de 2007, analisadas à luz da literatura
pertinente. No que diz respeito aos fatores de risco, ainda é pouco conhecida, geralmente é
atribuído a infecções derivadas de cervicite, vaginite e colonização por certos
microorganismos, ocorrendo assim a rotura precoce. Podendo ocorrer, também, por
traumatismos, deficiência de vitamina C, corioamnionite e atividade sexual. Desse modo, é de
suma importância, o acompanhamento no período gestacional nos serviços de saúde para
prevenir essa patologia, onde a gestante irá receber todas informações essenciais com relação
a dieta, higiene, sono, hábito intestinal, exercícios, vestuário, recreação, sexualidade, hábitos
de fumo, álcool, drogas e outras eventuais orientações que se façam necessárias. Conclui-se
que, embora os fatores de risco sejam ainda pouco conhecidos, o acompanhamento durante o
período gestacional pode diminuir os índices de amniorrexe prematura, que de alguma forma
interfiram no bom andamento da gravidez permitindo um desenvolvimento saudável do bebê
e reduzindo os riscos da gestante.
Palavras-chaves: Amniorrexe prematura, fatores de risco, prevenção.
Key-Words: Amniorrexe premature, factors of risk, prevention.
Febre: mecanismo de defesa ou agressão?
Fever: defence mechanism or aggression?
Cunha Filho, P. M. C¹. ; Leite, E.M. de A. M ²; Bezerra, M. M³.
1. Prof. de Microbiologia da Faser ([email protected])
2. Enfermeira ([email protected])
3. Discente de Enfermagem ([email protected])
A febre é decorrente da elevação da temperatura do termostato hipotalâmico (centro
termorregulador), acima da variação normal da temperatura corporal. Tal elevação é
decorrente da introdução de pirogénos exógenos (microrganismos, toxinas, alérgenos
etc.), associados à produção de pirogénos endogénos (IL-1, IL-6, interferon e o fator de
necrose tumoral), estes por sua vez atuam no hipotálamo desencadeando o processo
febril. A febre participa do sistema de defesa do organismo, mas também tem potencial
de lesá-lo. A pesquisa em questão tem por objetivo identificar a febre como um
mecanismo de defesa ou agressão ao organismo. Trata-se de um estudo de natureza
bibliográfica, realizado no período de agosto a setembro de 2007, no município de João
Pesssoa-PB. Como recursos metodológicos, utilizou-se de materiais bibliográficos tais
como livros, periódicos, dissertações entre outros, encontrados em bibliotecas públicas e
privadas, bem como site da internet. Os resultados da pesquisa mostram que a febre
acima de 42 ºC é entendida como uma agressão ao corpo, uma vez que pode causar
danos aos neurônios, meninges, entre outros sistemas do organismo. Entretanto a febre é
um mecanismo de defesa indispensável visto que, dentro de certos limites de ação
(38,2º à 41,9ºC), ela auxilia na defesa orgânica, reduzindo a capacidade de
multiplicação de microorganismo, eliminando células defeituosas e toxinas. Além disso,
aumenta a motilidade e a capacidade de digestão das células de defesa, promove
elevação dos níveis séricos de anticorpos, induz uma maior ativação de linfócitos nos
órgãos secundários e dos leucócitos polimorfonucleares, auxiliando assim na resposta
imunológica. Portanto, concluímos que a febre - por contribuir significativamente com a
resposta imunológica - é considerada um mecanismo de defesa importante e necessário
à sobrevivência do organismo.
Palavras-chave: febre, agressão, defesa.
Key words: fever, aggression, defence.
Gestantes Acometidas por Candidíase Vulvovaginal: fatores predisponentes e
complicações
Vulvovaginal Gestantes Attacks for Candidíase: predisponent factors and complications
Almeida, C. B.¹; Alves, D.J.M.²; Araújo, L.A.M.²; Costa, A.M.L.²; Pereira, K.L.A.²
1. Prof. de Saúde da Mulher I e II da Faser ([email protected])
2. Discentes de enfermagem da Faser ([email protected])
A candidíase é uma infecção na mucosa genital, principalmente vulva e vagina,
causada por fungos do gênero Cândida sp. Esses fungos vivem naturalmente na
flora vaginal de mulheres sadias, no entanto ao encontrar o meio vaginal favorável
multiplicam-se por esporulação e torna-se patogênico. A maior prevalência é na
gravidez, pois as alterações anatômicas e funcionais que as mulheres passam durante
a gestação acabam favorecendo a aderência e multiplicação dos microorganismos na
vagina. O presente estudo tem por objetivo identificar os fatores predisponentes e as
complicações da candidíase na gestação. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica que
foi realizada no acervo da Biblioteca da Faculdade Santa Emilia de Rodat (Faser) e
na Biblioteca Central da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), localizadas na
cidade de João Pessoa-PB. A coleta de dados foi realizada no período de julho a
setembro do corrente ano mediante a busca em livros, periódicos e endereços
específicos no universo on-line. Do ponto de vista obstétrico, as gestantes podem
passar por complicações se não tratar rigorosamente a vulvovaginite até o final da
gestação. As complicações mais freqüentes são: infecção ovular ascedente,
coriomnionite e amniorrexe prematura. Esta última definida como rotura das
membranas ovulares antes do trabalho de parto que se relaciona à presença de
Cândida sp. na placenta, embora a integridade da placenta seja mantida. A
amniorrexe prematura atinge cerca de 5% a 10% das gestações. Diante das reflexões
apresentadas este estudo contribui para aumentar os nossos conhecimentos a cerca
da patologia, mostrando que a candidíase vulvovaginal é caracterizada como uma
infecção bastante conhecida e de fácil terapêutica, porém com alta prevalência e
recidivas, servindo também de referencial teórico para os futuros profissionais de
enfermagem a prestar uma assistência de qualidade a essas gestantes atentando
principalmente para as possibilidades de complicações gestacionais se o tratamento
não for adequado.
Palavras-Chaves: Candidíase, gestantes, fatores predisponentes e complicações.
KeyWords: Candidíase, gestantes, Predisponent factors and complications.
Humanização no Atendimento de Pacientes Submetidos ao Tratamento de Hemodiálise
no Ambiente Hospitalar
Humanization in the Attendance of Patients Submited to the Treatment of Hemodialys in the
Hospital Environment
Nitão, F.F¹; Lucena, T.B.L²;Nascimento, W.A.B²; Pereira, M.P.P²;Sena, Y.R.E.S².
1.prof de Administração da Faser ([email protected])
2.Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A humanização da assistência hospitalar é uma temática atual consolidada desde maio 2.000
com Programa Nacional de Humanização Hospitalar (PNHAH). Trata-se de uma política
proposta pelo Ministério da Saúde que tem como meta principal promover uma nova cultura
de atendimento à saúde no Brasil. Entende-se por humanização a produção de cuidado em
saúde, formado por um conjunto de iniciativa que enfatiza a qualidade do atendimento do
ponto de vista técnico, mais o reconhecimento dos direitos do paciente/cliente e a
valorização do profissional. O paciente que apresenta perda da função renal precisa
submeter-se de forma sistemática e constante (três vezes por semana) a seções de
hemodiálise, o que significa uma dependência e a criação de um vínculo com centro de
diálise, onde, aproximadamente, esse paciente permanecerá por quatro horas ligado a uma
máquina chamada rim artificial. Este estudo tem por objetivo descrever a humanização do
atendimento de pacientes submetidos ao tratamento de hemodiálise, bem como uma melhor
assistência junto à implantação da Política de Humanização proposta pelo Ministério da
Saúde, visando dessa forma promover uma melhor conscientização dos profissionais, para
com isso incorporarem uma atitude de respeito diante do paciente e de suas necessidades.
Trata-se de uma pesquisa bibliográfica de caráter descritiva realizada em bibliotecas pública
e privada de João pessoa-PB, através de periódicos e revistas especializadas. A partir desse
trabalho foi possível perceber a importância da humanização em saúde, sobretudo na
assistência hospitalar, para melhorar a qualidade no atendimento ao cliente em tratamento de
hemodiálise, levando em consideração as circunstâncias físicas, sócias, culturais,
econômicas e psicológicas, nas quais o individuo está inserido.
Palavras-chave: Humanização, hemodiálise, tratamento.
Keywords: Humanization, hemodialysis, treatment.
Impasses e desafios entre os profissionais de saúde com síndrome de Burnout: um
enfoque bibliográfico.
Deadlocks and challenges among the health professionals along syndrome as of
Burnout: um he hangs bibliographical.
Moreira, M.E.A.¹; Pereira, H.D.²; Mariz, O.M.S.²; Adonias, S. P.²
1.
2.
Prof. de Clínica Médica e Doenças Transmissíveis da Faser
([email protected])
Discente de enfermagem da Faser ( [email protected])
É milenar o conhecimento da relação entre trabalho e doença psíquica. Esse
adoecimento é ocasionado pela natureza do trabalho, pela sua organização e pela forma
como a pessoa reage às pressões a ao estresse. Essa síndrome se refere a um tipo de
estresse ocupacional e institucional com a predileção para profissionais que mantêm
uma relação constante e direta com outras pessoas, principalmente quando essa
atividade é considerada de ajuda (médicos e enfermeiros). O objetivo deste estudo de
caráter bibliográfico é discutir a problemática que envolve a síndrome de Burnout nos
profissionais de saúde, enfatizando impasses e desafios à luz da literatura. O
levantamento bibliográfico foi realizado na biblioteca da Faculdade Santa Emília de
Rodat, através de periódicos e sites da Internet, no período de 20 de agosto a 21 de
setembro de 2007. A síndrome de Burnout é um desafio psicológico que descreve o
estado de exaustão prolongado e diminuição de interesse especialmente em relação ao
trabalho. O termo “Burnout” (do inglês “combustão completa”) descreve principalmente
a sensação de exaustão da pessoa acometida. É geralmente desenvolvida após um
período muito grande de esforço, com intervalos muito pequenos para recuperação;
mas, alguns consideram que trabalhadores com determinados traços de personalidade
(principalmente neuroses) são mais susceptíveis a adquirir a síndrome. Conclui-se que o
estresse vivenciado pelos profissionais da área de saúde não pode ser considerado como
uma doença, mas sim como em desgaste físico e psicológico, diante do enfrentamento
de tensões e adaptações. É algo comum no ser humano, porém em excesso pode
prejudicar a habilidade e o saber – fazer do profissional.
Palavras-chave: estresse, trabalho, síndrome de Burnout, psicológico.
Keywords: entrant, work, syndrome as of Burnout, psychological.
Importância da Aspiração Traqueobrônquica no Paciente em Ventilação Mecânica
Invasiva
Importance from Aspiration Traqueobrônquica into the Patient em Ventilation Mechanic
Invasive
Paiva, J.O.¹Borges, A.P.²; Sá, S.A.A.²; Sá, S.D.A.²; Sousa, G.R.D.²
1. Professora de semiologia e semiotecnica I e II e oncologia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected]).
A aspiração traqueobrônquica é um procedimento invasivo bastante utilizado pela
enfermagem em pacientes de unidade intensiva, sob ventilação mecânica invasiva (VMI).
Está indicada em pacientes com confusão mental, traqueostomizados ou com tubo
endotraqueal, com fraqueza muscular respiratória, politraumatizados, que necessitem de um
suporte ventilatório - nada mais que uma máquina fazendo o movimento de inspiração e
expiração ou auxiliando o paciente que esteja impossibilitado de realizar sozinho. Esse
movimento de inspiração e expiração tem que ser mantido para que ocorram as trocas gasosas
que acontecem nos interiores dos alvéolos e nos tecidos do organismo. O objetivo deste
trabalho é descrever a importância da aspiração em pacientes em VMI, dando ênfase às
complicações apresentadas na não realização da mesma. Trata-se de um estudo bibliográfico,
para o qual foram utilizados livros, periódicos e pesquisa on-line do acervo da Faser, nos
meses de agosto e setembro de 2007. A retenção de secreções traqueobrônquicas é comum em
pacientes sob assistência ventilatória mecânica (AVM), devido à diminuição do reflexo de
tosse e ao aumento da produção de secreções causada pela liberação de mediadores químicos,
aumento no número de glândulas e células secretoras de muco - podendo resultar em
obstrução completa ou parcial das vias aéreas. A obstrução completa ou tamponamento
mucoso pode acarretar atelectasias e comprometimento da oxigenação em virtude do aumento
do shunt pulmonar, enquanto que a obstrução parcial pode aumentar o trabalho respiratório
levando ao aprisionamento aéreo e desequilíbrios da relação ventilação-perfusão. Diante do
exposto, observamos a importância da aspiração traqueobrônquica em pacientes acamados e
em VMI, pois além de retirar as secreções, evita algumas complicações apresentadas devido
ao uso prolongado do respirador mecânico.
Palavras-chave: Aspiração, ventilação mecânica invasiva, complicações.
Keywords: Aspiration , ventilation mechanic invasive, complications.
Imunização para profissionais de saúde
Immunization for health professionals
Cunha Filho, P. M. C.1, Silva, G.N.S.2, Monteiro, J. M.2
1. Prof º. Ms Imunologia Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem Faser ([email protected])
Compreende-se que a maioria dos profissionais de qualquer área de atuação, apresenta algum
risco para a sua saúde na execução de suas atividades. Quando se trata de profissionais de
saúde esse risco é mutuo, pois afeta tanto os profissionais como os clientes atendidos por eles.
Quando um profissional de saúde entra em contato com um cliente portador de uma doença
infecto-contagiosa, ele pode não só se infectar com o microrganismo, mas também transmitílo a outras pessoas. Uma das medidas utilizadas para prevenir a disseminação de algumas
doenças é a imunização desses profissionais, mas um dos problemas identificados é que nem
todos buscam imunizar-se de acordo com o que é necessário. Por este motivo, o objetivo deste
estudo foi identificar as vacinas recomendadas para os profissionais de saúde, bem como, as
que são disponibilizadas pelo Ministério da Saúde (MS). A metodologia utilizada para a
realização do estudo partiu de um levantamento bibliográfico realizado na biblioteca da Faser
e em locais que forneceram acesso a internet, no período de 3 a 25 de setembro de 2007. Os
dados coletados afirmam que as vacinas consideradas principais para os profissionais de
saúde pelo MS são: hepatite B, tríplice viral, influenza, Varicela e BCG. Vacinas como a
hepatite A, DT (vacina para adultos contra difteria e tétano) e Antimeningocócica C
conjugada, também são recomendadas. Esta última é disponível apenas em serviços privados
e a hepatite A disponibilizada nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais
(Cries). Conclui-se então que é de fundamental importância que o profissional de saúde se
conscientize, que no processo de saúde e doença ele não pode ser foco de transmissão de
patologias e para isso deve ter o conhecimento de que o número de vacinas necessárias é
maior do que o imaginado e que a maioria está disponível gratuitamente.
Palavras chave: Imunização, Profissionais de saúde
Keywords: Immunization, Health professionals
Índices de Morbidade da Dpoc Em Idosos Hospitalizados no Sistema Único de Saúde
Indices of Morbidade of the Hospitalized Dpoc in Aged in the Only System of Health
Medeiros, V.M.L1. Anjos, A. N. A2, Silva, L.O.2, Simões, N.C.F.2, Medeiros, S.N.2,
1. Prof. de Pesquisa e Gestão em Saúde Coletiva da FCMPB ([email protected])
2. Discentes do 6º período de Enfermagem da Faser ([email protected])
A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é uma patologia progressiva e irreversível
que acomete os pulmões e tem como principais características a destruição dos alvéolos,
diminuindo assim a capacidade para a respiração. A mesma é considerada um grande desafio
para a saúde pública. Portanto o objetivo deste estudo foi verificar os índices de morbidade da
DPOC em idosos hospitalizados no Sistema Único de Saúde (SUS). A pesquisa caracteriza-se
por ser de caráter epidemiológico, descritivo, exploratório, retrospectivo e não-experimental,
com método de análise quantitativo. O universo foi composto por indivíduos com idade
superior ou igual a 60 anos, de ambos os gêneros, internados em hospitais conveniados do
SUS, em João Pessoa, no período de julho de 2006 a julho de 2007. A coleta de dados foi via
Internet, através das informações do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde
– Datasus. Nas informações obtidas e estudadas de acordo com a CID-10, verificou-se: o ano,
gênero e faixa etária, número de internações, taxas de morbidade e óbitos. As mesmas foram
dispostas em banco de dados de Planilha Excel. Por se tratar de uma investigação baseada em
dados de domínio público, sem implicações com seres humanos, não foi necessário realizar o
encaminhamento ao comitê de ética em pesquisa cientifica. Contudo observou-se que: As
internações foram de 54%, (n=1.561), com Tempo médio de internações 5.1 dias (±10.71) e
Taxas de morbidade 3.01%, os Óbitos foram de 16%, (n=47). Conclui-se que: A DPOC é a
segunda causa por internação hospitalar observando as patologias do CID-10; Dentre as
doenças respiratórias a DPOC indica maior incidência, seguida de pneumonia; A duração
média de dias de internação por DPOC representa índices medianos em relação a outras
patologias respiratórias; Os óbitos têm um percentual significante dentro das patologias por
problemas respiratórios.
Palavras-chaves: DPOC, Idosos, Internações.
Keywords: COPD, Aged, Internments
Inervação cardíaca: uma abordagem anatômica
Cardiac inervação - an anatomical boarding
Souza, C. M1.; Oliveira, J.G2.; Silva, J.M.R2; Souza, M.A1.
1. Prof. de anatomia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
O coração humano adulto normalmente se contrai numa freqüência rítmica aproximada de 72
bat/min, essa é feita por excitação ritmada, realizada por uma inervação própria. Esse órgão
realiza sua função de bomba propulsora-premente e distribui com exatidão os nutrientes aos
tecidos, bem como recolhe os resíduos do metabolismo celular. A inervação cardíaca pode ser
dividida em: extrínseca e intrínseca. O objetivo é promover uma revisão anátomo funcional da
inervação cardíaca, que se caracteriza por uma pesquisa bibliográfica, permitindo informações
existentes, a fim de descrever e interpretar a realidade. A extrínseca provém de nervos situados
fora do coração, mantendo sua freqüência pelo sistema nervoso autônomo, simpático e
parassimpático, desses partem nervos que se dirigem à base do coração, formando um
emaranhado de filetes, o plexo cardíaco, que irá entrar em contato com a inervação intrínseca
através de fibras nervosas. A inervação intrínseca ou sistema de condução do coração advém de
uma estrutura encontrada no seu interior. É realizado por um sistema especializado de células
musculares cardíacas diferenciadas, denominadas de tecido nodal, e distribuído por quatro
formações: nó sinu-atrial, nó atrioventricular, fascículo atrioventricular e o plexo subendocárdico.
O nó sinu-atrial ou nódulo de Keith-Flack, situado no átrio direito próximo ao orifício de
desembocadura na veia cava superior, determina a cadência do ritmo, sendo-lhe atribuído à
denominação de “marcapasso” fisiológico do coração. Do nó sinu-atrial, o impulso é conduzido
ao nó atrioventricular (nódulo de Aschoff-Tawara) localizado por diante e por baixo do orifício
do seio coronário. Daí emerge o fascículo atrioventricular (feixe de His), direcionado à porção
superior do septo interventricular, dividindo-se em: ramos direito e esquerdo, situados sob o
endocárdio emitindo ramos, constituindo o plexo subendocárdico ou rede de Purkinge.
Concluímos que o coração se contrai rítmica e continuamente, realizando sua função de distribuir
o sangue arterial para todas as células do corpo humano.
Palavras chave: inervação cardíaca, cadência rítmica, inervação intrínseca extrínseca, condução.
Keywords: cardiac inervação, rhythmic cadence, intrinsic and extrinsical inervação, conduction.
Infecção Hospitalar, Conscientização é a Melhor Prevenção
Hospital infection, awareness is the best prevention
Cunha Filho, P.M.C. ¹; Santos, L.L.A.S. ².
1.Prof. de Imunología da Faser ([email protected])
2.Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Infecção hospitalar é uma infecção adquirida no ambiente hospitalar, podendo manifestarse no mesmo, ou após a alta do paciente, podendo ser causada por microrganismos
presentes ou não na flora do paciente, onde são caracterizadas como endógena ou exógena
respectivamente. A presente pesquisa tem por objetivo informar os profissionais da área de
saúde acerca dos métodos de prevenção para uma infecção hospitalar. Caracterizando-se
como uma pesquisa bibliográfica, com caráter descritivo. Assim a infecção hospitalar
exógena pode ser adquirida através do contato com outros pacientes, com fômites mal
esterilizados e através dos próprios profissionais de saúde, principalmente os enfermeiros e
técnicos de enfermagem que estão em contato mais freqüente com os pacientes e não
tomam as devidas medidas de proteção para si e prevenção para os pacientes. Não se pode
esquecer da higienização do ambiente hospitalar, pois a presença de insetos poderá
transmitir microrganismos para o hospitalizado, através da alimentação e de objetos
contaminados. Por isso se faz necessário que os profissionais de saúde se conscientizem da
necessidade das medidas de proteção e prevenção, como a lavagem das mãos, o uso de
batas, aventais, óculos, esterilização eficaz dos fômites, limpeza e desinfecção do ambiente
hospitalar como um todo.Também temos que conscientizar os familiares dos pacientes,
para que evite o trânsito constante na enfermaria, para que não cause infecção cruzada, que
podem influenciar na recuperação do enfermo, devido à baixa imunidade do mesmo.
Observamos então os métodos de controle e prevenção eficaz de uma infecção hospitalar,
sem esquecer que assim também serão diminuídos os gastos da unidade de saúde, pois o
número de dias que o paciente passaria no hospital devido à infecção não acontecerá,
sobrando mais recursos para melhoras na unidade, assim, favorecendo a segurança tanto do
paciente como a dos próprios profissionais de saúde.
Palavras-chaves: Infecção hospitalar; prevenção.
Keywords: Hospital Infection, awareness, prevention
Infertilidade: etiologia relacionada ao gênero masculino e feminino
Infertility: etiology related to the masculine and feminine sort
Almeida, C. B. de ¹; Almeida, A.C.de ²; Azevedo, A. R. de ²; Nascimento, H.A.²; Pereira,
K.K.E.A. ².
1. Professora de Saúde da Mulher I e II da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected]).
A infertilidade é a ausência de gravidez comprovada, clínica e hormonalmente, em um casal
que se mantém sexualmente ativo sem utilização de métodos contraceptivos, em um período
de um ou mais anos, sendo uma condição que afeta muitos casais durante a vida reprodutiva.
A infertilidade pode ser classificada como primária quando tanto o homem quanto a mulher
não tem história de concepção anterior, mesmo mantendo-se sexualmente ativos e sem
utilização de métodos contraceptivos. E secundária quando o homem ou a mulher, ou
ambos, conceberam anteriormente, porém, não conseguem fazê-lo, mesmo mantendo-se
sexualmente ativos e sem utilização de métodos contraceptivos. Aproximadamente 30% das
causas estão relacionadas com fatores femininos e 30% com fatores masculinos. Em 40%
dos casos, ambos os fatores estão presentes. Diante da temática apresentada este estudo tem
como objetivo analisar os fatores masculinos e femininos relacionados com a infertilidade.
A pesquisa é de natureza bibliográfica, desenvolvida mediante informações contidas em
livros e documentos disponíveis na biblioteca da Faser e artigos acessados na rede mundial
de computadores. Ao final do estudo ficou constatado que na mulher, a infertilidade, pode
estar relacionada com a idade, anovulação, alterações nas tubas, aderência pélvica, fatores
uterinos ou cervicais, tubas uterinas bloqueadas, fatores hormonais ou ovulatórios e
endometriose. Nos homens está relacionada com a quantidade e qualidade dos
espermatozóides, infecções e inflamações, varicocele, distúrbios imunológicos ou alterações
hormonais. Concluímos dessa forma que a infertilidade é um distúrbio ou condição do
sistema reprodutivo masculino ou feminino que reduz a capacidade de ter filhos e ao
contrário do que se acreditava no passado a infertilidade não é um problema exclusivo da
mulher.
Palavras-chaves: Infertilidade, Etiologia, Masculino, Feminino.
Keywords: Infertility, Etiology, Masculine, Feminine.
Instrumento auxiliar no diagnóstico do Lúpus Eritêmatoso Sistêmico
Auxiliary instrument in the diagnosis of Lúpus Eritêmatoso Sistêmico
Cunha Filho, P.M.C.¹; Gomes, Y.H.²; Silva, F.L.²; Silva, T.N.²; Soares, K.E.²
1. Prof. De Microbiologia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
O termo Lúpus vem do latim e é usado para descrever lesões cutâneas erosivas
assemelhadas a mordidas de lobo. O Lúpus Eritêmatoso Sistêmico (LES) é uma doença
auto-imune, inflamatória e crônica que acomete o tecido conjuntivo. Trata-se de um
estudo bibliográfico realizado no período de 5 a 12 de setembro de 2007, em uma
biblioteca privada, na cidade de João Pessoa- PB, com o objetivo de descrever um
instrumento auxiliar no diagnóstico do LES. A Associação Americana de Reumatismo
elaborou uma tabela de critérios relevantes e norteadores para auxiliar no diagnóstico do
LES. É baseada em sinais, sintomas e achados laboratoriais específicos que são
agregados em critérios devidamente estabelecidos e assim descritos: eritema malar,
lesão discóide, fotossensibilidade, úlceras orais e nasofaríngeas, artrite, serosite,
acometimento renal, manifestações neurológicas, desordens hematológicas, achados
imunológicos e anticorpos antinucleares. É considerado um instrumento qualitativo para
um diagnóstico com precisão, porém não definitivo. Ao apresentar quatro dos onze
critérios da tabela, o indivíduo pode ser caracterizado um suspeito, passando a
necessitar de investigação mais rigorosa. Por se tratar de uma afecção multisistêmica e
recidiva, os critérios variam e abordam indícios nas diversas partes do organismo. Os
autores divergem no uso das sinonímias, mas o contexto da tabela permanece inalterado.
A tabela não pode ser considerada unânime, mas a partir da observação rigorosa de seus
critérios, o profissional poderá subsidiar o fechamento do diagnóstico. Entendendo a
dificuldade da captura de sinais e sintomas no portador do LES, por assemelhar-se com
o de outras patologias, consideramos a tabela uma porta de entrada para identificar-mos
suspeitos e averiguar-mos de forma específica sua real situação mórbida.
Palavras-chaves: auto-imune, Associação Americana de Reumatismo, tecidos conjuntivos, instrumento
auxiliar, diagnóstico.
Keywords: solemnity-immune, American Association of Rheumatism, woven conjunctive, auxiliary
instrument, diagnosis.
Pressão Arterial Sistêmica como fator da Homeostase
Arterial blood pressure Sistêmica as a suit from the Homeostase
Barbosa, I.S.F.¹; Pereira, E.F.S.²; Lima, C.C.P.C.²; Dias, M.A.P.²
1. Prof. Biofísica da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
A pressão arterial mantém o sangue circulando no organismo que tem início com o batimento
do coração. A cada batimento, o coração joga o sangue pelos vasos sangüíneos. As paredes
dessas artérias são elásticas, estiram-se e relaxam a fim de manter o sangue circulando por
todo organismo. O presente trabalho tem por objetivo analisar a pressão arterial sistêmica,
como fator de regulação da homeostase. Este trabalho é estruturado em uma pesquisa
bibliográfica que busca o entendimento a cerca da pressão arterial como manutenção do
líquido interno extracelular e sua relação com as funções fisiológicas. O resultado do
batimento do coração é a propulsão de uma certa quantidade de sangue exercida contra a
parede da artéria. Essa pressão é necessária para que o sangue consiga chegar as extremidades
do corpo. Homeostase é a condição na qual o meio interno permanece dentro de certos limites
fisiológicos em termos de composição química, temperatura e pressão. Uma condição básica
para a sobrevivência do ser humano é a manutenção de um nível adequado de pressão arterial
capaz de nutrir os tecidos em condições, que variam desde o sono ou repouso, até o exercício
físico, trabalho ou situações de estresse. A manutenção da homeostasia dos mecanismos de
regulação do sistema cardiovascular, se dá pela manutenção da pressão arterial num nível
relativamente constante e a adaptação do fluxo sangüíneo às diferentes demandas
metabólicas. A pressão arterial também é influenciada pelos mesmos fatores que fazem
oscilar as demandas metabólicas. No entanto, para a manutenção da homeostasia
cardiovascular é extremamente importante que a pressão arterial seja mantida em um nível
relativamente constante.
Palavras chave: pressão arterial, homeostase, manutenção
Keywords: arterial pressure, homeostase, maintenance
Lábio leporino: um estudo bibliográfico
Hare lip: a bibliographical study
Agra G.¹; Amorim, P. R. O.²; Martins, R. M. A.²; Silvestre, A. C. A.².
1. Prof.ª de Clínica Cirúrgica da Faser ([email protected])
2. Discentes de enfermagem da Faser ([email protected])
O lábio leporino é uma anomalia congênita que resulta em uma má formação facial estrutural
que ocorre na fase embrionária, isso é, entre a quarta e a décima segunda semana de gestação.
É evidenciado logo ao nascimento e representa um dos defeitos que provocam reações
emocionais mais lancinantes nos pais sendo de etiologias genética e ambiental. As fendas
podem ser unilaterais ou bilaterais. O lábio leporino é uma má formação relativamente
freqüente, constituindo 15% de todas as más formações. No Brasil, de acordo com o
Ministério da Saúde, sua ocorrência é de aproximadamente 2:1000 recém-nascidos em todo o
mundo, com mortalidade ocorrendo no primeiro ano de vida em torno de 30% e mais
freqüente no sexo masculino. Este estudo tem por objetivo descrever as principais
manifestações clínicas, as possíveis complicações, seu diagnóstico e tratamento. É um estudo
do tipo bibliográfico, exploratório, realizado em bibliotecas públicas e privadas, analisados à
luz da literatura pertinente no período de 23 de agosto a 25 de setembro de 2007. Tem como
principais manifestações clínicas: as formações incompletas dos lábios, dificuldade na
alimentação, sucção, fala anasalada, podendo levar a complicações como perda da audição,
problemas dentários, otites e ajustes sociais problemáticos, além de acarretar distúrbio da
imagem corporal, evidenciado por exclusão social e sentimento de vergonha. O diagnóstico
pode ser feito através do exame físico, radiografias, ressonâncias magnética, impressões
dentárias e fotografias em nível de documentação. A conduta terapêutica tem como foco o
fechamento das fendas através de procedimento cirúrgico com a finalidade de prevenir as
complicações citadas anteriormente facilitando assim um crescimento e desenvolvimento
normal da criança, podendo a cirurgia ser realizada entre os três e 18 meses de idade. Concluise desse modo, que o lábio leporino constitui uma anomalia congênita, a qual decorre diversas
manifestações clínicas, que devem ser assistidas por uma equipe multiprofissional.
Palavras-chaves: Lábio, leporino, má formação, fendas, complicações, diagnóstico, anomalia, congênita.
Keywords: Lip, leporine, bad formation, rifts, complications, diagnosis, anomaly, congenital.
Lúpus eritematoso: Uma abordagem literária
Eritematoso Lupus: An Literary approach
Oliveira, J.P.O.¹; Araújo, M.A.²; Melo, F.C.G. ²; Melo, L. K. S. M.²; Nóbrega, B.M. ²
1.
Professora de Semiologia e Semiotécnica II e Oncologia da Faser
([email protected]).
2.
Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
O Lúpus Eritematoso é uma doença auto-imune, que causa modificações inflamatórias
em várias partes do corpo, mais especificamente nos tecido vascular e conjuntivo. Ela
ocorre dez vezes mais em mulheres do que nos homens e é aproximadamente três vezes
mais comum na população negra do que nos brancos. Pode aparecer em qualquer idade
e os sintomas são os mesmos em homens e mulheres. Este estudo, de caráter
bibliográfico teve como objetivo, descrever sobre Lúpus Eritematoso, através de uma
abordagem literária pertinente. O levantamento bibliográfico se deu a partir de dados
coletados na biblioteca da Faser, acervos on-line e periódicos da área, com a temática
em questão. Essa patologia tem início insidioso, com exacerbações e remissões febris,
caracterizada por lesões na pele, articulações, rins e membranas serosas. Sua etiologia
não é totalmente conhecida, sendo mais aceito fatores genéticos e ambientais. Essa
afecção pode se apresentar de três formas: Discóide, Sistêmico e o Induzido por Drogas.
As alterações inflamatórias produzidas pelo Lúpus decorrem de um desequilíbrio na
resposta imunológica, produzindo em exagero auto-anticorpos que vão agir contra o
próprio organismo. Os pacientes muitas vezes apresentam sintomas inespecíficos como
perda de peso, febre, letargia, mal-estar e artralgia, confundindo-se com outras afecções,
porém existem sinais e sintomas que podem levar a suspeita de LE como, por exemplo,
erupções cutâneas, fotossensibilidade, artrite, insuficiência renal e derrame pleural. O
diagnóstico baseia-se numa cuidadosa anamnese, exame físico e exames de sangue. O
tratamento visa evitar a perda progressiva da função do órgão afetado, minimizando a
incapacidade gerada pela doença e impedir complicações através de medicamentos
antiinflamatórios não esteróides e corticóides, por exemplo. Ao enfermeiro, cabe
levantar dados pertinentes ao paciente, observando sua percepção sobre a doença para
dessa forma prestar uma assistência de qualidade.
Palavras-Chaves: Lúpus Eritematoso, modificações inflamatórias, auto-imune.
KeyWords: Lúpus Eritematoso, inflammatory alterations , auto - immune
Manifestações clínicas da Esclerose Lateral Amiotrófica- ELA
Clinical manifestations of the Amiotrophics Lateral Sclerosis - ALS
Agra, G.¹; Amorim, P. R. O.²; Martins, R. M. A.²; Queiroz,V. C.² ; Rodrigues, R. X.²
1. Prof.ª de Clínica Médica da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected]ail.com)
A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) é uma doença incapacitante de etiologia
desconhecida, cujo significado vem contido no próprio nome, a qual esclerose significa
endurecimento; lateral, porque a doença começa em um dos lados do corpo; e amiotrófica
devido ao resultado da atrofia do músculo. É uma doença incurável, fatal e rara. Este estudo
tem como objetivo descrever as principais manifestações clínicas da ELA. Consta de uma
pesquisa bibliográfica, realizada em bibliotecas públicas e privadas, no período de 10 de
agosto a 25 de setembro de 2007; através de livros, periódicos e sites indexados, analisados à
luz da literatura pertinente. É uma patologia neurodegenerativa devastadora, pouco divulgada
e tem como característica principal a degeneração progressiva dos neurônios motores no
cérebro e na medula espinhal o que leva a progressiva atrofia, enfraquecimento e paralisia
muscular que conduz à morte, geralmente por falha respiratória. A ELA tem início
tipicamente entre os 50 e 60 anos, com maior incidência no sexo masculino abrangendo uma
razão de aproximadamente 2:1. Cerca de 10% dos casos se iniciam antes dos 40 anos e outros
10% após os 70 anos, tendo uma sobrevida entre dois a cinco anos na maioria dos casos. A
fraqueza muscular é uma das principais manifestações clínicas, acompanhada por
fasciculação, reflexo exaltado, atrofia, espasticidade, câimbra, paralisia bulbar progressiva
(forma mais agressiva) e também labilidade emocional, porém as funções intelectual e
sensorial não se mostram prejudicadas e na maioria dos casos as funções sexual, vesical e
intestinal não são afetadas. Não existe cura para a ELA e o tratamento é feito de acordo com a
sintomatologia no intuito de manter as funções mais estáveis. Conclui-se desse modo, que a
importância do conhecimento precoce das manifestações clínicas da ELA é imprescindível
para o tratamento, haja vista que esse é o indicador para sua qualidade de vida.
Palavras-chaves: Esclerose Lateral Amiotrófica, manifestações clínicas, atrofia.
Keywords: Amyotrophic Lateral Sclerosis, clinical manifestations, atrophy.
Mola Hidatiforme: Cuidados de Enfermagem
Hydatidiform mole: nursery cares
Basílio D. T.² Bezerra P. J. F.¹; Silva A. S.²; Souza L. S. de.²
1. Prof. de Enfermagem Clínica da Facene ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Facene ([email protected])
A Mola Hidatiforme é uma neoplasia placentária anormal não-invasiva, caracterizada por
vilos coriônicos vesiculares, edematosos, aumentados, acompanhados por quantidades
variáveis de troflobasto proliferativo. Uma mola hidatiforme pode desenvolver-se a partir
de células que permanecem após um aborto espontâneo ou uma gravidez a termo, sendo
que mais freqüentemente, ela origina-se de um ovo como uma formação anormal
independente (gestação molar). Esta pesquisa tem como objetivo realizar um resgate na
literatura sobre Mola Hidatiforme, seus aspectos clínicos, epidemiológicos e cuidados de
enfermagem. Trata-se de uma revisão da literatura cujos dados foram levantados através de
fontes da literatura, sistemas de informação online, periódicos e revistas científicas, além da
biblioteca central de uma instituição de ensino. A enfermagem deve monitorar os sinais
vitais, a secreção vaginal e a urina da paciente para detectar proteinúria. A paciente e seu
companheiro podem necessitar de suporte quando souberem do diagnóstico e dessa forma a
enfermagem deve dar-lhes tempo para trabalhar e verbalizar seus sentimentos. Reconhecer
a capacidade de superação da paciente e avaliar o apoio da sua família, pois a paciente não
carrega no ventre um filho e sim um tumor. Após a curetagem a paciente pode ter
diagnóstico de déficit de conhecimentos acerca do acompanhamento necessário, devendo
ser acompanhada por um ano. Pode ser necessário repor sangue. Recomendar o uso de uma
pílula anticoncepcional para evitar a gravidez pelo menos um ano até que os títulos de HCG
apresentem-se negativos. Observa-se que existe ainda muita coisa a ser aprendida sobre a
assistência a portadora de mola hidatiforme, mas para isso é de extrema importância que
haja uma participação contínua dos profissionais de saúde junto à comunidade e o
enfermeiro deve utilizar cada contato mantido durante o cuidar, para reunir informações
que revelem o estado de saúde dessa clientela.
Palavras-chave: Enfermagem. Mola Hidatiforme. Cuidados.
Key-words: Nursery. Hydatidiform mole. Cares.
Mola Hidatiforme: uma revisao da literatura
Hidatiforme spring: one revision of literature
Ferreira, J.O.P¹; Alves, D.J.M.²; Morais, L.M.L.²; Oliveira, M.I².
1. Prof. de Oncologia, semiologia e semiotécnica I e II da Faser
([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser (lí[email protected])
Mola hidatiforme é um crescimento tumoral do tecido da placenta ou das membranas,
podendo desenvolver-se a partir de células que permanecem após um aborto espontâneo, ou
uma gravidez a termo, ela origina-se de um ovo como uma formação anormal independente
(gestação molar). Raramente a placenta se torna anormal, quando o feto é normal. A
incidência da mola hidatiforme é de aproximadamente 1/1000 gestações no nosso meio, no
Brasil a incidência e de 1/ 200 gestações. Trata-se de um estudo bibliográfico onde foram
utilizados livros periódicos, consulta online do acervo da Faser no período de agosto a
setembro de 2007. O estudo tem por objetivo aprimorar conhecimentos científicos dos
enfermeiros e estudantes de enfermagem. A mola classifica-se em mola parcial e mola
hidatiforme completa. A mola hidatiforme pode causar graves complicações como: infecções,
sangramento e a toxemia gravídica. Quando uma mulher apresenta uma mola hidatiforme ao
invés de uma gravidez normal, nenhum movimento ou batimento cardíaco fetal é detectado.
Pequenas quantidades de um material semelhante a grãos de uva podem ser eliminados pela
vagina como parte da degeneração da mola. Ocorrem geralmente perdas sanguíneas vaginais e
enjôos matinais excessivos. O tumor hidatiforme é visível através de ecografia, as análises de
sangue e de urina detectam níveis excessivos de gonadotrofina coriônica humana produzidas
pelo tumor. O tumor pode ser removido quer por sucção do conteúdo do útero, quer por
raspagem, podendo, por vezes, ser necessária uma histerectomia. Mediante as reflexões é
importante ressaltar a necessidade do conhecimento dos profissionais de enfermagem, a fim
de identificar essa patologia precocemente e assegurar uma assistência de qualidade e que
contribua com a sua reabilitação, proporcionando uma melhor qualidade de vida.
Palavras-chave: mola hidatiforme, gestação
Keywords: hidatiforme spring, gestation
Monitorização Hemodinâmica Invasiva
Key Hemodinamica Invasive
Albuquerque, J.B.¹; Alves, A.G.S²; Bezerra, J.L.F²; Guedes, L.T² Sousa,
A.C.A²;
1. Professor de UTI da Faser([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser (anaclarissa_azeve[email protected])
A monitorização Hemodinâmica Invasiva é a observação de parâmetros
clínicos-laboratoriais objetivos, trazendo maior segurança e qualidade no
atendimento, sendo uma avaliação contínua para diagnósticos e tratamentos
de condições clínicas complexas em tempo real. O objetivo deste trabalho é
descrever os tipos de monitorização hemodinâmica invasiva, enfatizando a
importância destes para os profissionais de enfermagem por fornecer
informações quali-quantitativas e fidedionas sobre o estado do paciente
com maior rapidez para estabelecer terapia adequada imediata, à luz da
literatura. Esta pesquisa foi realizada no acervo da Biblioteca João Paulo II,
na Faculdade Santa Emília de Rodat - Faser, sendo utilizados para consulta:
livros, artigos científicos, além da internet. Esse tipo de monitorização
obtém as medidas, ou seja, os dados através de cateteres e transdutores
elétricos inseridos no paciente interligados a monitores, na qual foram
criados vários métodos de monitorização invasiva. Os mais utilizados são
PAM, PIC, PVC e cateteres de Swan-Sanz, indicado nos casos de choque
de diversas causas, disfunção de múltiplos órgãos, sepse, IAM, préoperatório, entre outros. Isso permite notificar parâmetros hemodinâmicos
a beira do leito, melhorando e tornando hábil o diagnóstico, a terapêutica e
o prognóstico com os dados obtidos para detectar possíveis problemas,
graças aos avanços tecnológicos. Portanto os enfermeiros têm que ser
capacitados para desempenhar seu papel com responsabilidade, rapidez e
eficiência, para prestar uma assistência de enfermagem de qualidade
imediata ao paciente.
Palavras-chave: Monitorização Hemodinâmica Invasiva, Tipos de Monitorização,
Profissionais de Enfermagem, Paciente
Keywords: Key hemodinâmica invasive, kinds of monitorização, professionals of
nursing
Número de Casos de Calazar em Municípios da Paraíba
Number of Cases of Calazar in Cities of the Paraíba
SILVA, S. S. M da¹.; LIMEIRA, M. M. M. ²;
1. Profª. de Parasitologia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem de Faser ([email protected])
A Leishmaniose Visceral ou Calazar representa hoje uma das principais enfermidades que
afetam a população mundial. No Brasil é endêmica em quase todos os estados com exceção
dos da região sul. Para a Organização Mundial de Saúde ela se encontra entre as seis
doenças tropicais de importância mundial e a segunda depois da malária entre as causadas
por protozoários. Essa doença afeta de um a dois milhões de pessoas por ano surgindo
aproximadamente 500 mil novos casos a cada ano. No Brasil, segundo o Ministério da
Saúde em 2005 registrou-se um total de 3.203 casos de calazar; a Paraíba apresentou 20
casos da doença. Foi realizado um estudo documental com abordagem quantitativa, com o
objetivo de descrever e discutir o número de casos de Calazar em municípios da Paraíba, no
ano de 2006. Este estudo utilizou dados de todos os municípios do estado que apresentaram
casos positivos da doença no mesmo ano, num total de 20 municípios e 34 casos. Entre os
municípios estudados, o de Cajazeiras apresentou oito casos, o que equivale a 23,52% de
um total de 34 casos. Em seguida, os municípios de Conde e João Pessoa apresentam
quatro casos cada, correspondente a 11,76%. O município de Riacho de Santo Antônio foi
o único que apresentou dois casos da doença, ou seja, 5,88% dos casos. Com apenas um
caso, o equivalente a 2,94%, ficaram os municípios de Aroeira, Campina Grande,
Conceição, Emas, Gurinhém, Mãe D’água, Patos, Pedras de Fogo, Pitimbu, Poço Dantas,
Rio Tinto, Santa Inês, Santa Luzia, Serra Grande e Sousa, perfazendo um total de 47,05%
ou 16 casos. Podemos concluir com este estudo que entre todos os municípios estudados, o
de Cajazeiras foi o que apresentou o maior número, com oito casos.
Palavras-chave: Leishmaniose Visceral, Organização Mundial de Saúde, Calazar, Doenças
tropicais.
Keywords: Visceral Leishmaniose, world-wide organization of health, calazar, tropical
illnesses
O Diagnóstico por Imagem no Campo da Radiologia: Um Breve Histórico.
The Diagnostic in Imaging the Field of Radiology: A Brief History
Agra, G.1; Castro, D.A.L.2; Rego, S.R.V2.Lima, L. F. S2, Rezende, F. Y. S2.
1. Profª de Condutas e procedimentos ambulatoriais da Faser ([email protected]).
2. Discente de tecnologia em radiologia da Faser ([email protected]).
Radiologia é uma especialidade médica de diagnóstico por imagem através dos raios-x, que
possibilitam o estudo de órgãos e/ou estruturas, ajudando na obtenção de informações com
uma rapidez e eficiência que valorizam a Medicina como um todo. Objetiva descrever a
História da Radiologia como forma de diagnóstico por imagem. Trata-se de um estudo
bibliográfico, realizado em bibliotecas públicas e privadas de João Pessoa - PB, sites
indexados, analisados à luz da literatura pertinente. A história da Radiologia teve seu limiar
em 1895 com a descoberta experimental dos raios-x pelo físico alemão Wilhelm Conrad
Roentgen. Na ocasião, as aplicações médicas dessa descoberta revolucionaram a medicina,
pois se tornara possível à visão no interior do pacientes. Com o passar dos anos, esse
método evoluiu e assumiu uma abrangência universal na pesquisa diagnóstica relacionada
ao ser humano. Desde então, a Medicina passou a contar com uma poderosíssima
ferramenta de diagnóstico por imagem e, assim, o corpo humano tornou-se transparente e,
por conseqüência, menos misterioso. Como era uma radiação invisível, denominou-se de
Raios X. Sua descoberta valeu-lhe o prêmio Nobel de Física em 1901. Na época - começo
do século XX - ocorreu uma revolução no meio médico, trazendo um grande avanço no
diagnóstico por imagem. Desde aquela época até os dias de hoje surgiram várias
modificações nos aparelhos iniciais a fim de se reduzir à radiação ionizante usada nos
pacientes, pois acima de certa quantidade a dosagem é prejudicial à saúde. Assim foram
surgindo tubos de Raios X, diafragmas, com intuito de reduzir a quantidade de Raios X,
assim diminuindo a radiação secundária que, além de prejudicar o paciente, piorava a
imagem final. Conclui-se que a Radiologia é a parte da ciência que estuda órgãos e
estruturas através da utilização dos raios-x, envolvendo um processo de revelação.
Palavras-chaves:Diagnóstico, Imagem,Radiologia, Histórico.
Key-words: Diagnostic, Imaging, Radiology, History.
O papel do enfermeiro no gerenciamento da Unidade de Terapia Intensiva (UTI):
Uma abordagem literária
The paper of the nurse in the management Intensive Care Unit (UTI): A literary
boarding
Almeida, D.T.S.2; Duarte, K.T.2; Nitão, F.F.1; Pinheiro, G.N.B.2; Santos, J.B.2
1. Docente de Administração Aplicada à Enfermagem da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A enfermagem vem desenvolvendo inúmeras atividades expressivas no campo de
trabalho, dentre elas o gerenciamento dos serviços de saúde, cuja responsabilidade é
cabível apenas ao profissional de nível superior, conforme o artigo 11, da lei nº 7.498 de
25 de junho de 1986. Com base nos ensinamentos de Florence Nightingale, o
enfermeiro é aquele que cuida, que está perto para atender as necessidades do enfermo,
assim como a mãe cuida do seu filho. No entanto ao assumir funções administrativas no
ambiente hospitalar, o profissional se distancia do paciente, comprometendo a
assistência de enfermagem. O estudo bibliográfico foi realizado com o objetivo de
descrever as ações gerenciais desempenhadas pelo enfermeiro na unidade de terapia
intensiva (UTI). Os dados foram coletados em revistas científicas (impressas e
eletrônicas), bem como artigos científicos, disponibilizados em banco de dados
eletrônicos, e acervo da Faser. Compreende-se a necessidade de uma reflexão acerca das
atividades desenvolvidas pela enfermagem no ambiente hospitalar, sobretudo na
unidade de terapia intensiva (UTI), onde os cuidados intensivos são destinados a
pacientes graves e recuperáveis. De acordo com a literatura, compete ao enfermeiro
avaliar, sistematizar e decidir sobre o uso apropriado de recursos humanos, físicos,
materiais e de informação no cuidado ao paciente de terapia intensiva, visando o
trabalho em equipe, a eficácia e custo efetividade. No que se refere a educação e
preparo, o enfermeiro atua no limiar entre humano e o tecnológico, frente a isso pode-se
dizer que o enfermeiro de terapia intensiva, necessita dispor de habilidades e
competências que o permitam desenvolver suas funções eficazmente aliando
conhecimento técnico- cientifico e domínio de tecnologia. No tocante a estruturação
organizacional de um serviço, é composta de elementos denominados instrumentos
administrativos, que tem a finalidade de planejar os recursos humanos e materiais,
racionalizando e equacionando o serviço. Os instrumentos organizacionais são:
regimento - com a finalidade de mostrar o porquê da unidade e seus objetivos que
devem norteá-la -, manual - composto por normas e procedimentos - e organograma.
Podemos concluir dessa forma que o papel do enfermeiro no gerenciamento da UTI é de
extrema importância pelo fato de trabalhar para manter não somente o bem estar do
paciente, mas também o da unidade, garantindo assim a funcionabilidade adequada para
uma assistência de qualidade com o estabelecimento de um elo entre a equipe
multidisciplinar e o paciente.
Palavras-chave: gerenciamento, Unidades de Terapia Intensiva, enfermeiro.
Keywords: management, Intensive Care Units (UTI), nurse.
O porquê do álcool 70% desinfetar e o álcool com concentração superior a 90% fixar
microorganismos
The reason of alcohol 70% to disinfect and the alcohol with superior concentration 90% to fix
microorganisms
Cunha Filho, P.M.C.¹; Ferreira, C.S.H.T.²; Ferreira, J.J.B.²
¹- Profº de Microbiologia da Faser ([email protected]).
²- Discente de enfermagem da Faser ([email protected]).
O álcool 70% possui propriedades microbicidas reconhecidamente eficazes para eliminar os
germes, freqüentemente mais envolvidos em infecções, sendo muitas vezes imprescindível na
realização de ações de simples prevenção, como anti-sepsia das mãos, desinfecção do
ambiente e de artigos médico-hospitalares. Alem disso, é adquirido com baixo custo, possui
fácil aplicabilidade e toxidade reduzida. Porém o álcool comum (geralmente 96%) é capaz de
fixar a bactéria (ou seja, "colar" a bactéria na superfície que foi limpa), mas não a destrói.
Trata-se de estudo bibliográfico, com fonte de pesquisa em livros, revistas, anais, periódicos e
sites indexados, realizado nos meses de agosto e setembro de 2007, analisadas à luz da
literatura pertinente. O objetivo deste é evidenciar para os profissionais de saúde, não somente
as ações do álcool, mas sim, esclarecê-las com relação ao modo com que esses processos
acontecem. Hoje se sabe que uma propriedade importante do álcool etílico é sua capacidade
de desnaturar proteínas, devido a essa propriedade, esse é amplamente usado como antiséptico e são preferidas em relação a soluções mais concentradas, inclusive muitas pensam
que se álcool etílico 70% é um bom anti-séptico, então álcool etílico 100% seria ainda melhor,
contudo o inverso é verdadeiro. Conclui-se, portanto, que o álcool é um anti-séptico de grande
ação microbicida, mas que se usado de forma incorreta, ou seja, com as concentrações
inapropriadas pode ter uma ação totalmente contrária à de anti-sepsia, propiciando a fixação
de microorganismos na superfície onde deveria ser desinfetada. Diante do exposto, é de
responsabilidade dos profissionais de saúde ter embasamento científico para distinguir quais
as concentrações relativamente coerentes para cada tipo de procedimento a ser realizado.
Palavras-chaves: álcool; desinfecção; fixação de microorganismos.
Keywords: alcohol; disinfection; setting of microorganisms.
O uso dos desfibriladores cardíacos em ambientes públicos
The use of the cardiac desfibriladores in public environments
Bezerra, I.N.3; Frazão Júnior, W.A.2; Nogueira, C. B.3; Pereira, V.G.3; Santos, B.M.P.1.
1. Prof (a) de Urgência da UFCG ([email protected])
2. Prof (a) de Socorro e Urgência da Faser ([email protected])
3. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
As doenças cardiovasculares correspondem à primeira causa de morte entre os países em
desenvolvimento, como no Brasil, onde já ocupam o primeiro lugar nos dados de mortalidade.
Esses índices de mortalidade na maioria das vezes estão relacionados à parada cardiorrespiratória,
que tem como principal causa a fibrilação ventricular (FV) ou taquicardia ventricular (TV) sem
pulso. A compressão cardíaca por si só, não prevê a reversão da fibrilação ventricular (FV), mas
sim, fornece suporte básico circulatório até que a desfibrilação seja realizada. O referente estudo
tem por finalidade, observar o uso de desfibriladores cardíacos em ambientes públicos. Trata-se
de uma pesquisa bibliográfica, realizada através de acervos da biblioteca João Paulo II e da
Faculdade Santa Emília de Rodat, acervos pessoais, como também referência online. É
fundamental a utilização dos desfibriladores numa situação de fibrilação ventricular ou
taquicardia ventricular, pois se sabe que, a sobrevida após uma parada cardíaca diminui 7% a
10% a cada minuto sem desfibrilação, portanto, a partir do momento em que é realizada uma
desfibrilação precoce aumenta os índices de sobrevivência dos pacientes, vítimas de parada
cardiorrespiratória fora do hospital. Os novos desfibriladores automáticos externos (DEA) pesam
menos de três quilos; são de fácil transporte, não necessitam de tomadas para serem ligados e
ainda são de fácil utilização por leigos por incluírem mecanismos de viva-voz. Possui, ainda, a
função de monitorizar o ritmo cardíaco e determinar a necessidade ou não de desfibrilação. A
extensão potencial final deste processo observou a importância da necessidade do uso de
desfibriladores por pessoas leigas treinadas, associadas ao suporte avançado de vida préhospitalar, uma vez que, esses usados precocemente trarão ótimos benefícios para a população.
Palavras-chave: desfibrilação, Parada cardiorrespiratória
Key- Words: desfibrilação, cardiorespiratoria stop
Os Efeitos da Radiação Ultravioleta sobre a pele humana
The effects of the Ultraviolet Radiation on the human’s skin being
AGRIPINO, G.G.1; CASTRO, D. A. L2 ; COUTINHO, A. G. F2; LIMA, L.F.S.2; LIMA, P.
I. A.2
1. Professor do Curso Superior de Tecnologia em Radiologia ([email protected])
2. Alunos do Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da Faser
([email protected])
Introdução: A radiação ultravioleta é uma radiação eletromagnética mais energética que a
luz visível, porém, não ionizante, ocupando a faixa entre luz visível e os raios X. Em
função das falhas na camada de ozônio, a humanidade está exposta às reações imediatas
causadas pelos raios ultravioletas (UV), como queimaduras, envelhecimento cutâneo e até
câncer de pele. Este trabalho tem como objetivo rastrear na literatura os principais efeitos
da radiação ultravioleta sobre a pele humana. Metodologia: Para tanto, realizou-se uma
pesquisa exploratória bibliográfica, através do acervo de bibliotecas de instituições públicas
e privadas de João Pessoa, além de base de internet. Os dados coletados foram realizados
no período de janeiro a agosto de 2007. Resultados: As reações da pele humana, quando
expostas à radiação UV são classificadas como agudas ou cônicas e os efeitos são
somáticos e hereditários. Os efeitos somáticos são aqueles que danificam a célula sem
interferir nas gerações posteriores, enquanto que os efeitos hereditários surgem quando na
prole do sujeito irradiado, como resultado de danos por radiações em células dos órgãos
reprodutores. A radiação ultravioleta ao ter contato com a pele humana, pode ocasionar
eritemas, carcinomas. Um dos cânceres mais comuns é o carcinoma basocelular, o segundo
é o carcinoma espinocelular e o melanoma, que apresenta-se em terceiro lugar em
incidência; é talvez o de maior importância por se tratar de um tumor altamente maligno.
Conclui-se que estudos que levam ao conhecimento aprofundado acerca da radiação
ultravioleta têm grande importância diante dos inúmeros efeitos maléficos, onde a
conscientização da população em geral sobre estes levam à prevenção de casos de cânceres
agessivos passíveis de serem prevenidos com a mudança dos hábitos.
Palavras chaves: Radiação ionizante; radiação ultra-violeta, câncer de pele
Key words: Ionizing Radiation; Ultraviolet Radiation; Skin’s Cancer
Osteogênese imperfeita: patologia dotada de limitações e incapacidades.
Imperfect osteogênese: pathology endowed with limitations and incapacities.
Paiva, J. O. 1; Arruda, T. S. C. 2; Oliveira, A. L. 2; Silva, A. R. C. 2; Silva, P. M. L. 2
1. Prof. de Semiologia, Semiotécnica I e II e Oncologia da Faser
([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A osteogênese imperfeita (OI), também conhecida como doença dos ossos de cristal, caracterizase por um distúrbio genético que afeta os ossos, decorrente de uma falha na produção de colágeno
(tecido que forma o osso), em que os indivíduos que nascem com ela apresentam uma ausência
dessa proteína ou a incapacidade de sintetizá-la, resultando em uma estrutura óssea bastante frágil
e sujeita a fraturas contínuas quando exposta a situações que normalmente não seriam suficientes
para produzi-las. É uma doença rara que ocorre um caso em cada 15 mil a 20 mil nascimentos,
sendo a mesma de herança autossômica dominante, com menor freqüência recessiva. Estudos
demonstram um leve predomínio em mulheres do que em homens numa proporção de 1,7 para 1.
Este estudo tem como objetivo aprimorar o conhecimento acerca da OI, bem como demonstrar as
dificuldades e limitações enfrentadas pelo portador dessa patologia. É um estudo do tipo
bibliográfico, em que foram utilizados os acervos da Faser, por meio de livros, periódicos e
consultas online, nos meses de agosto e setembro de 2007. Os principais sintomas que
acompanham as pessoas portadoras da osteogênese imperfeita são: baixa estatura devido ao
pouco crescimento dos ossos, várias fraturas, esclerótica azulada, rosto em forma triangular,
dentes acinzentados e frágeis, deficiência auditiva decorrente de alterações nos ossículos do
ouvido médio, dificuldades para andar entre outros. O diagnóstico é freqüentemente feito na
infância, devido à presença constante de fraturas, uma vez que durante essa fase a criança
apresenta-se mais vulnerável a quedas. O tratamento pode ser medicamentoso, cirúrgico e
fisioterápico, a fim de manter controlada a doença ou ainda corrigir as deformidades produzidas
pela mesma. Percebe-se com isso a necessidade de adquirir conhecimentos acerca desse
distúrbio, de modo a oferecer uma melhor assistência possível ao paciente portador da OI e ainda
proporciona-lhe uma melhor qualidade de vida.
Palavras-chave: Osteogênese imperfeita; fraturas; incapacidades.
Keywords: Imperfect osteogênese; breakings; incapacities.
Osteoporose e qualidade de vida no idoso
Osteoporose and quality of life in the aged one
Morais, M.N.C.S.¹; Pontes, A.P.²; Nelo, S.I.²; Souza, C.K.²; França, P.C.M.²
1. Profª. de Geriatria da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A osteoporose é uma enfermidade crônica, multifatorial, relacionada ao envelhecimento
e de grande importância, devido a sua relação com fraturas e suas complicações; causa
de grande morbidade e mortalidade na população idosa. Trata-se de uma doença
caracterizada pela baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura do tecido ósseo,
onde esta condição de fragilidade eleva os riscos de fraturas. A desmineralização óssea
ocorre por vários motivos, nas mulheres destacando-se, após a menopausa e o
envelhecimento, quando aumenta o grau de destruição e diminui a formação óssea,
ocasionando o adelgadamento dos ossos, tornando-os quebradiços. Pretende-se com este
estudo, construir uma base contextual sobre a osteoporose e suas implicações para a
qualidade de vida do idoso. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica com abordagem
descritiva, realizada através do levantamento literário, principalmente de livros, artigos
científicos e alguns sites, sobre a temática abordada, durante o período de junho a
setembro de 2007, na cidade de João Pessoa – PB. Entende-se, que a osteoporose é
considerada um problema de saúde pública, atingindo um número considerável de
pessoas idosas, principalmente as mulheres, com complicações bio-psico-sociais em
decorrência da perda da capacidade funcional, autonomia e independência. Entende-se
também, que apesar dos avanços científicos na área, na realidade, há uma carência de
práticas direcionadas a essa clientela, que venha contribuir para manutenção da
qualidade de vida nessa população. Por sabermos que a osteoporose faz parte do
processo de envelhecimento, se faz necessário um enfoque maior a sua prevenção, que é
fundamental, assim como o tratamento de reabilitação, associado ao tratamento
medicamentoso. Não podemos deixar de mencionar a significância dos governos, no
que diz respeito aos programas de apoio a saúde do idoso, que devem ser elaborados
com uma visão com a realidade vivenciada por cada um, já que essa patologia está
associada a uma boa qualidade de vida, abrangendo todas as dimensões, fazendo-se
necessário, constantes mudanças na arquitetura, em respeito às características dessa
população que em breve será a maioria.
Palavras-chaves: Osteoporose, Qualidade de vida, Idosa.
Keywords: Osteoporose, Quality of life, Aged.
Paciente Portador de Esclerose Múltipla: Intervenções de Enfermagem
Carrying Patient Multipla Ssclerosis: Interventions of Nursing
MORAES, M.N.C.S.de¹; LEITE, V.M.M²; MOCHIZUKI, M.S²; NEVES, V.D²; OLIVEIRA,
M.G.N².
1 Profª de Enfermagem em Geriatria e Gerontologia da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Esclerose Múltipla é uma doença degenerativa progressiva, crônica, do sistema nervoso central,
caracterizada pela ocorrência de pequenas placas de desmielinização no cérebro e na medula
espinhal, predominante nos climas temperados, acometendo adultos jovens, especificamente do
sexo feminino, sendo raríssimo antes dos 10 e depois dos 60 anos de idade. Pretende-se com este
estudo identificar as intervenções de enfermagem a um portador de esclerose múltipla a partir das
literaturas consultadas. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica que consistiu no resgate e
aprofundamento acerca da temática através de livros e revistas especializadas no período de
novembro de 2006. Conclui-se com este trabalho que o tratamento tem como finalidade: retardar
a progressão da doença; controlar os sintomas e tratar as exacerbações agudas por meio de
fármacos, em especial os corticosteróides, mesmo que os os autores pesquisados concordem não
existir cura para a esclerose múltipla. Quanto as intervenções de enfermagem, faz-se necessário
um levantamento dos problemas para priorização das ações, como: deambulação prejudicada,
fraqueza, mialgia, amnésia temporária, câimbras, parestesia, vertigem, disfunção motora,
distúrbios da fala. Os autores pesquisados enfatizam a importância da identificação dos
problemas apresentados pelo paciente, para priorização das intervenções de enfermagem.
Destacam entre elas: a realização de exercícios musculares diários; recuperação de mobilidade
para preservação da capacidade funcional; monitoração diária dos sintomas físicos de dor,
orientação ao paciente sobre o acesso à ingestão rica em ferro e sais minerais; estímulo ao
paciente para alternar atividades com períodos de repouso.
Palavras-chave: Esclerose Múltipla, Intervenções, Enfermagem.
Keywords: Multipla Sclerosis, Interventions, Nursing
Placenta Prévia: Uma Revisão da Literatura
Previous Placenta: A Literary Revision
Almeida, C.B.1, Anjos, A.A.N.2, Medeiros, S.M.2, Silva, L.O.2, Ferreira, N.S.C.2,
1.Prof. da disciplina de saúde da criança ([email protected]).
2.Discente do 6° período de enfermagem da Faser ([email protected]).
Placenta prévia é uma patologia em que ocorre o deslocamento da placenta para cima ou
próximo do colo do útero, podendo cobrir parcialmente ou totalmente a endocervice. É
classificada em: placenta prévia central-total, placenta previa central-parcial, placenta
previa marginal e implantação baixa da placenta. É mais freqüente sua ocorrência em
mulheres multíparas, com mais de trinta e cinco anos, que apresentam anomalias
uterinas, geralmente nas doze últimas semanas de gravidez, acometendo uma em cada
duzentas gestações. Possui como principal sintoma a hemorragia, onde o sangue se
apresenta vermelho-vivo independente de esforço físico e é indolor. Seu diagnóstico
pode ser confirmado através de ultra-sonografia, mas depende da idade gestacional,
pois, se identificado antes de trinta e duas semanas o correto seria a denominação de
inserção baixa da placenta, porque a mesma pode retornar ao local de origem. Se
ultrapassada as trinta e duas semanas, confirma-se a patologia. O tratamento da placenta
prévia depende de vários fatores, como: idade gestacional, volume do sangramento
vaginal, situação fetal, dilatação e contração uterina. As complicações associadas à
placenta prévia podem se apresentar tanto na mãe quanto no feto, entre as complicações
maternas, destacamos: hemorragia, choque, infecção, traumas operatórios e óbito, as
complicações do feto, são: prematuridade, ruptura prematura das membranas e
apresentações anômalas. O objetivo deste estudo é averiguar na literatura os fatores
desencadeantes e característicos da placenta prévia. Trata-se de um estudo bibliográfico,
descritivo, de caráter exploratório, realizado nas bibliotecas públicas e privadas da
cidade de João Pessoa - PB, no período de agosto à setembro de 2007. Conclui-se ao
término desta pesquisa, a importância do conhecimento à cerca da classificação,
incidência, sintomas, diagnóstico, tratamento e complicações da patologia, pois nós
como futuros enfermeiros, devemos ter total conhecimento para podermos detectar e
orientar as futuras mães ao melhor procedimento cabível.
Palavras-chave: Placenta prévia; gestação; complicação.
keywords:Previous placenta; gestation; complication.
Pneumonia por Pneumocystis carinii como co-infecção do HIV: um estudo
bibliográfico
Pneumonia for Pneumocystis carinii like co-infection of HIV: a bibliographic study
Vasconcelos, P.H.V². Menezes, A.B.A.S². Andrade, M.S². Nascimento, C.M². Moreira,
M.E.A¹.
1- Mestre em enfermagem. Docente da Faser ([email protected])
2- Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A pneumonia é uma inflamação do parênquima pulmonar que resulta habitualmente de
agentes infecciosos. Esse termo também se dá por inflamação que ocorrem devido a
processo físicos, químicos ou alérgicos. A cada ano, dois milhões de casos de
pneumonia ocorrem no Brasil e mais de 33 mil brasileiros morrem por pneumonia. O
estudo trata-se de uma pesquisa bibliográfica, à luz da literatura, que teve como objetivo
enfatizar a pneumonia por Pneumocystis carinii, como co-infecção em pacientes soro
positivos por HIV. O levantamento bibliográfico ocorreu através de consulta aos
acervos bibliotecários de entidades privadas e por meio do universo online, no período
de agosto a setembro de 2007. A pneumonia por Pneumocystis carinii geralmente se
expressa em pacientes com imunocomprometimento severo; sua epidemiologia
corresponde amplamente a epidemiologia da imunossupressão. Até a ocorrência da
epidemia da infecção com vírus da imunodeficiência humana tipo I ( HIV-I), a
pneumonia por Pneumocystis carinii era pouco freqüente, com casos esporádicos
registrados primariamente em pacientes com leucemia ou outras causas que
comprometessem as defesas do hospedeiro e em pacientes que estivessem recebendo
tratamento imunossupressor. Nesse sentido, a seqüência de eventos no desenvolvimento
da pneumonia por Pneumocystis carinii pode ser hipotetizada como a seguinte: redução
da imunidade mediada por células, acarretando a proliferação de organismo dentro do
espaço alveolar; diminuição da complacência pulmonar, resultando em hipoxemia;
aumento do esforço respiratório e por ultimo, insuficiência respiratória. Ao final deste
estudo concluímos que a pneumonia por Pneumocystis carinii se manifesta em
pacientes Imunocomprometido, atuando assim como uma co-infecção do HIV.
Palavras chaves: infecção; pneumonia; HIV.
Keywords: infection; pneumonia; HIV.
Teste de Colimação em Equipamentos de Raios-X em Serviços de Saúde de João
Pessoa/PB
Collimation Testing in X-Ray Equipaments in Health Services of João Pessoa/PB
COSTA JUNIOR, C. E. O.2; FERREIRA, M. A.2; BARROS, V. S. M.1
1. Professor Orientador de Gestão e C. Q. em Radiologia da Faser ([email protected]
2. Discentes de Tecnologia em Radiologia da Faser ([email protected],
[email protected])
Entre os vários parâmetros que influenciam na qualidade da imagem radiográfica e na dose de
radiação para o paciente, destaca-se o teste de alinhamento do raio central em relação à mesa
e a coincidência entre o campo luminoso e o campo de radiação. Neste trabalho, foi realizada
uma pesquisa em sete serviços de radiologia, da rede pública e privada, em João Pessoa, com
o objetivo de avaliar o sistema de colimação e o alinhamento do feixe de Raios-X, conforme
as exigências estabelecidas pelo Ministério da Saúde (Anvisa). Foi utilizado um dispositivo
de teste de colimação e alinhamento (MRA), um chassi radiográfico e filmes. O dispositivo de
teste foi posicionado a um metro do ponto focal do aparelho, sobre um chassi carregado. O
tamanho do campo luminoso foi ajustado às marcas apropriadas do dispositivo de teste e o
cilindro para avaliar o alinhamento foi posicionado no centro campo. Foi então feita uma
exposição, com kVp e mAs, variando a cada serviço e os filmes revelados. Para o teste de
colimação, os resultados obtidos demonstraram que apenas um equipamento entre os oito
avaliados, estava fora da tolerância, que é de 10% da distância foco-filme, determinado pelo
Ministério da Saúde. Quanto ao teste do alinhamento do eixo central de raios-X, foi verificado
que apenas um equipamento encontrava-se fora do limite de tolerância (3°). Concluiu-se que
para o sistema de colimação e o alinhamento do eixo central dos equipamentos avaliados de
João Pessoa, a maioria encontra-se adequado em relação aos critérios de qualidade
estabelecidos pela Anvisa.
Palavras-Chave: Controle de Qualidade, Sistema de Colimação, Alinhamento do Feixe
Central.
Keywords: Quality control, Collimation, Alignment of the Central Beam.
Raiva: uma moléstia infecciosa fatal
Rabies: a fatal infectious disease
MOREIRA, M. E. A.1; ARAÚJO, J. P. F.2; COSTA, E. T.2; FURTADO, I. S.2
1.Docente da disciplina Doenças Transmissíveis da Faser ([email protected])
2.Discentes da Faser ([email protected])
A raiva é uma antropozoonose, cujo agente etiológico é um vírus denominado Rábico, que
possui tropismo pelo sistema nervoso central. Esse vírus pertence ao gênero Lyssavirus, da
família Rhabdoviridae. A raiva é conhecida desde a antiguidade, sendo descrita por
Demócrito (500 a.C.). Zinke, por sua vez, demonstrou-a como infecção em 1804, quando
reproduziu sua transmissão de um cão infectado para outro sadio. A transmissão da raiva se
dá pela inoculação do vírus contido na saliva do animal infectado. No Brasil, a maioria dos
casos são transmitidos por cães e gatos raivosos. A raiva constitui um importante problema
de saúde pública, não só por exigir um alto custo na assistência preventiva às pessoas
expostas ao risco de adoecer e morrer, mas por ser uma infecção aguda com prognóstico
fatal. O período de incubação da raiva pode ser de seis dias a um ano, variando de acordo
com a localização e gravidade da mordedura, arranhadura ou lambedura de animais
infectados; proximidade de troncos nervosos e da quantidade de partículas virais
inoculados. Em seu quadro clínico, inclui-se cefaléia, mal-estar, crises convulsivas,
alterações do comportamento, aumento da salivação, sudorese, hidrofobia etc. Este estudo
objetiva abordar aspectos gerais sobre a raiva. O mesmo foi desenvolvido através de um
levantamento bibliográfico, utilizando como fonte de dados: livros, periódicos e Internet.
Os resultados obtidos demonstram que para o controle da raiva é necessário investimentos
em programas que contemplem as seguintes áreas: vigilância epidemiológica; captura e
eliminação de animais infectados, vacinação de animais, educação em saúde e profilaxia da
raiva em indivíduos expostos ao risco de infecção.
Palavras-chave: transmissão, quadro clínico, prevenção.
Keywords: transmission, clinical situation, prevention.
Razões predisponentes do suicídio
Causes predisponentes from the suicide
Agra, G.¹; Almeida, M. D. S.²; Oliveira, M. H.² ; Silva, A. L. R.²; Suassuna, S. M. G.²
1. Prof.ª de Clínica Médica da Faser ([email protected])
2. Discentes de enfermagem da Faser ([email protected])
O suicídio é a morte intencional, o ato consciente de extermínio, auto-induzida, uma
enfermidade multidimensional, cujo indivíduo carente que define uma questão para qual o ato
é percebido como a melhor solução, não é um ato aleatório ou sem finalidade. Pelo contrário,
trata-se do escape de um problema ou crise que está causando, invariavelmente, intenso
sofrimento. O trabalho tem como objetivo descrever as possíveis razões que levaram o
individuo a praticar o ato suicida. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica de caráter
exploratório, realizado no acervo da Faculdade Santa Emília de Rodat, no período de agosto a
setembro de 2007. O mesmo está associado com necessidades frustradas ou não satisfeitas,
sentimentos de desesperança, desamparo, conflitos ambivalentes entre a sobrevivência e um
stress insuportável, um estreitamento das opções percebidas, além de uma necessidade de
fuga. A pessoa que tenta suicidar-se emite sinais de angústia. Em geral, o comportamento
suicida é dividido em três categorias: ameaça de suicídio, uma advertência verbal ou não
verbal; tentativas de suicídios, qualquer ação auto dirigida empreendida pela pessoa e que
levará a morte; suicídio completo pode acontecer depois que os sinais de advertência
passaram despercebidos ou foram ignorados. Alguns fatores de risco mais freqüentes
associados ao suicídio são sexo, idade, estada civil, raça, ocupação, saúde física e mental,
pacientes psiquiátricos, depressão, alcoolismo e falta de objetivos. Podemos concluir que, o
suicida pratica um ato de comunicação e não em gesto solitário e que, acima de tudo é um
alerta para a sociedade que o interfere em comunicar-se de outras maneiras, exceto por gestos.
A resposta violenta do suicidado é sua busca a interação com seu próprio eu e com o mundo
que o rodeia.
Palavras-chaves: Suicídio, morte e depressão.
Keywords: Suicide, death , depression.
Relação entre Pneumonia e Ventilação Mecânica em Pacientes na Unidade de Terapia
Intensiva
Raono amidst Pneumonia and Ventilation Mechanics well into Patients at the Driv as of
Therapeutics Intensity
Albuquerque, J.B.R.¹; Pereira, E.F.S.²; Bezerra,I.N.²;Nascimento, H.A.²; Nascimento, A.F.M.²
1. Prof. De Enfermagem em UTI e URPA da Faser ([email protected])
2. Discente de Enfermagem da Faser ([email protected])
Os indivíduos que necessitam de uma internação hospitalar inspiram cuidados em saúde.
Particularmente na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde encontram-se pacientes com
quadro crítico (maioria inconscientes e monitorizados por diversos aparelhos), a assistência
prestada visa não só a recuperação da integridade física da pessoa, mas são também
indispensáveis as medidas preventivas de complicações decorrentes da hospitalização. O
presente trabalho é estruturado numa pesquisa bibliográfica e teve como objetivo identificar a
correlação existente entre pacientes, pneumonia e ventilação mecânica para enumerar os
cuidados de enfermagem à esses pacientes na UTI. É sabido que a ventilação mecânica é o
método de substituição da ventilação normal e é empregado quando organismo é incapaz de
manter o ciclo respiratório, que consiste da aspiração de ar até os pulmões onde este ar é
absorvido pelos alvéolos e transportado pelas hemácias até os tecidos, mantendo a oxigenação
tecidual. Justamente por ser um procedimento invasivo torna o indivíduo susceptível a
diversos tipos de complicação, dentre elas a pneumonia que consiste em uma infecção ou
inflamação localizada nos pulmões, que pode ser causada por muitas espécies de
microorganismos diferentes, entre eles os vírus, as bactérias, alguns parasitas ou fungos. Já
que o enfermeiro é o profissional da equipe de saúde que monitora o paciente na maior parte
do tempo durante sua internação é indispensável a conscientização da equipe no que se refere
a necessidade de uma assistência de qualidade e implementação de medidas de vigilância
contínua que permitam ao paciente recuperar-se do seu quadro patológico inicial sem que o
mesmo adquira demais complicações. Identificamos como possíveis ações preventivas da
pneumonia derivada de ventilação mecânica a execução correta das técnicas de aspiração de
secreção, curativo, manutenção da higiene corporal do paciente, e evolução do paciente a
partir da presença ou ausência de indicativos de pneumonia.
Palavras chave: pneumonia, ventilação mecânica, tratamento intensivo
Keywords: pneumonia , ventilation mechanics , handling intensive.
Retinoblastoma na Infância: uma abordagem científica.
Retinoblastoma in Infancy: a scientific boarding.
Paiva, J.O.¹, L.A.M.²; Borges, A.P.²; Costa, A.M.L.²; Pereira, K.L.A.²
1. Prof. de Semiologia e Semiotecnica I e II e Oncologia da Faser
([email protected]).
2. Discente de enfermagen da Faser ( [email protected]).
O retinoblastoma (RB) é um tumor maligno que se desenvolve na retina, com uma
freqüência na infância, em torno de 1 para 25 mil nascidos vivos. Esta pesquisa tem por
objetivo identificar os principais sinais e sintomas do retinoblastoma na infância. Tratase de uma pesquisa bibliográfica que foi realizada no acervo bibliográfico da Faculdade
Santa Emilia de Rodat (Faser) e na Biblioteca Central da Universidade Federal da
Paraíba (UFPB), localizadas na cidade de João Pessoa-PB. A coleta de dados foi
realizada no período de maio a setembro de 2007 mediante a busca em livros,
periódicos e endereços específicos no universo on-line. É uma doença de etiologia
genética decorrente da mutação de um gene localizado no braço longo do cromossomo
13 com apresentação multifocal ou unifocal. Pode ter caráter hereditário, o que ocorre
em 10% dos casos, o qual tem transmissão pelo modelo autossômico dominante. Os
sinais e sintomas do retinoblastoma dependem do seu tamanho e localização, sendo os
mais comuns o reflexo do "olho de gato" (leucocoria), massa orbitária, estrabismo, cor
diferente dos olhos (heterocromia), hiperemia conjuntival, cefaléia, vômitos, dor óssea
e perda de visão. Diante das reflexões apresentadas, este estudo contribuiu para
aumentar os nossos conhecimentos a cerca da patologia, mostrando que o
retinoblastoma no Brasil é uma doença de maior prevalência em crianças até 14 anos de
idade sem diferença entre sexo ou raça, servindo também de referencial teórico para os
profissionais de enfermagem a prestar uma assistência de qualidade na puericultura
atentando para identificar precocemente as alterações oculares nos primeiros anos de
vida, e se necessário encaminhar para o oftalmologista para o tratamento adequado.
Palavras-Chaves: Retinoblastoma, infância, tumor maligno.
KeyWord: Retinoblastoma, infancy, malignant tumor.
Síndrome de Guillan Barré (SGB): Distúrbio neuromuscular degenerativo
Syndrome Of Guillan Barré(SGB): Neurology Muscular Degenerative Disorder
Oliveira, J.P.O.¹; Dantas, A. S. D.²; Diniz, E.E.C.S.², Melo, L. K. S.², Nóbrega, B.M. ².
1.
Professora de Semiologia e Semiotécnica II da Faser ([email protected]).
2.
Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A Síndrome de Guillan Barré (SGB) é uma afecção inflamatória neuropática desmielinizante, de
caráter ascendente agudo e progressivo dos nervos sensoriais e motores periféricos como também
das raízes nervosas e dos nervos sensoriais e motores. Ela é a neuropatia desmielinizante mais
freqüente afetando 1 em 10 mil pessoas. Este estudo de caráter bibliográfico teve como objetivo
esclarecer acerca da SGB para o aprimoramento do conhecimento teórico-científico. Essa
síndrome trata-se de uma doença auto-imune que destrói a bainha de mielina que circunda os
axônios dos nervos periféricos, resultando na lentificação da transmissão causando paralisia
neuromuscular. Essa patologia é geralmente caracterizada por fraqueza muscular e perda
sensorial distal ou disestesia podendo desenvolver-se em horas, dias ou semanas após sintomas
de uma infecção viral respiratória ou GI, embora a vacinação, gravidez e cirurgia tenham sido
identificados como eventos antecedentes. A fraqueza muscular freqüentemente começa nas
pernas e ascende até envolver tronco, membros superiores e músculos da face. A avaliação
diagnóstica se faz através da anamnese, exames neurológicos, punção lombar para exame do
LCR e estudos eletrofisiológicos da condução nervosa. O tratamento é realizado através de
plasmaférese, terapia com imunoglobulina, monitorização eletroencefalográfica, analgésicos e
relaxantes musculares, além de intubação e ventilação mecânica se desenvolve paralisia
respiratória. As possíveis complicações são a insuficiência respiratória, arritmias cardíacas,
complicações da mobilidade e paralisia, ansiedade e depressão. Devido a essas possíveis
complicações, se faz necessário a avaliação contínua do paciente. Desse modo o (a) enfermeiro
(a), fazendo uso de suas atribuições e visando o bem estar do paciente e de sua família deve
avaliar a capacidade que os mesmos têm para o enfrentamento da doença e uso das estratégias de
enfrentamento adequadas por parte deles.
Palavras chave: síndrome de Guillan Barré, distúrbio, auto-imune, degenerativo.
KeyWords : syndrome of Guillan Barré, disorder , auto - immune , degenerative.
Síndrome do Piriforme e a dor isquiática: variação anatômica como fator etiológico.
Syndrome of Pear-shaped and isquiática pain: anatomical variation as etiológico factor.
Maia, R.G.1; Araújo, M.B.2; Fonseca, T.de S.A.2; Santos, J.B.dos2; Torres, T.L.F.2
1. Prof. de Anatomia da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected])
A Síndrome do Músculo Piriforme manifesta-se por um conjunto de sinais e sintomas resultantes
de uma compressão nervosa produzida pelo referido músculo no componente fibular comum do
nervo isquiático. Esse é o maior nervo do corpo humano sendo formado na cavidade pélvica
passando para a região glútea através do forame isquiático maior, por baixo do músculo
piriforme, para alcançar o terço distal da coxa e dividir-se em seus componentes funcionais,
como tibial e fibular comum. Em casos de variações anatômicas em que o nervo tibial passa
abaixo do músculo e o fibular comum perfura o piriforme para atingir a região glútea, poderemos
encontrar uma sintomatologia característica dessa síndrome. Objetivamos então, descrever a
variação anatômica e correlacioná-la a sintomatologia diagnosticada na síndrome do piriforme.
O nosso trabalho trata-se de um estudo exploratório descritivo de uma variação anatômica,
identificada durante a dissecação da região glútea de um cadáver feminino no laboratório da
Faser. A variação relatada se correlaciona com os sinais e sintomas da síndrome da compressão
nervosa, caracterizada por distúrbios sensitivos, motores e trófico na área de distribuição do
nervo isquiático. A isquialtagia, dor no trajeto do nervo, é o principal sintoma; outros são: dor na
região lombar, glútea, trocantérica, face posterior da coxa, região anterolateral e posterolateral da
perna e todo o pé e por limitação dos movimentos, inclusive durante a marcha. Fraqueza para
movimento de abdução e rotação lateral da coxa em decorrência da dor. Diante do exposto,
podemos concluir que há uma relevante associação do nervo isquiático com a síndrome do
piriforme.
Palavras-chave: Síndrome do Piriforme, Nervo Isquiático, Variação Anatômica, Sintomatologia.
Keywords: Syndrome of the Pear-shaped one, Isquiático Nerve, Anatomical Variation,
Sintomatologia.
Sistematização da Assistência de Enfermagem ao Paciente com Insuficiência Renal
Crônica.
Systematization of the Assistance of Nursing to the Patient with Chronic Renal
Insufficience.
Moreira, M.E. de A¹; Almeida, N.S.2; Diniz, E.E.C.S.2; Melo, L.K.S.M.2; Mesquita, S.K.C.²
1. Prof. de Clínica Médica da Faser ([email protected])
2. Discente de enfermagem da Faser ([email protected]).
A Insuficiência Renal Crônica (I.R.C) é caracterizada pela perda lenta, progressiva e
irreversível da função renal, na qual diminui a capacidade do corpo para manter os
equilíbrios metabólicos e hidroeletrolíticos, resultando em uremia ou azotemia. Essa
patologia pode afetar pessoas de ambos os sexos, sendo a incidência mais elevada entre as
de meia idade. Este estudo, de caráter bibliográfico, teve como objetivo sistematizar a
assistência de enfermagem a pacientes portadores de Insuficiência Renal Crônica. O
levantamento bibliográfico se deu a partir de dados coletados na biblioteca da Faser,
acervos online e periódico da área, com a temática abordada sob enfoque. Na I.R.C, as
manifestações clínicas surgem quando ultrapassam 50% da perda da função renal. O
tratamento é feito com dietas e medicamentos e podem ser aplicados até que os rins estejam
funcionando em torno de 10 a 12%; abaixo desses valores os pacientes são submetidos à
diálise ou transplante renal. Nesse sentido, diante das reações de saúde apresentadas pelo
paciente, é possível identificar os seguintes diagnósticos de enfermagem: excesso de
volume hídrico e desequilíbrio eletrolítico; nutrição alterada menor que as necessidades
corporais; déficit de conhecimento sobre a condição e esquema de tratamento; ansiedade
relacionada com o diagnóstico, alteração da função urinária e intolerância à atividade.
Diante dos diagnósticos, o enfermeiro deverá planejar as ações de enfermagem, sugerir
intervenções, para depois implementar e proceder à avaliação das respostas do paciente
com vistas ao alcance das metas propostas. Considerando tratar-se de uma enfermidade
crônica, é imperativa abordagem da enfermagem de forma sistematizada, incluindo as
etapas do processo de enfermagem.
Palavras–chaves: Insuficiência Renal Crônica, Sistematização da Assistência de
Enfermagem.
Keywords: Chronic Renal insufficience, Systematization of the Assistance of Nursing.

Documentos relacionados