Resenha 1 – Dentes Caninos

Сomentários

Transcrição

Resenha 1 – Dentes Caninos
Resenha 1
Autor: Augusto Chaves
Curso: Ciências da Computação
Turma: 2009
RA: 344354
Dados sobre o filme:

Nome: Dentes Caninos (Kynodontas)

Ano: 2009

Direção: Yorgos Lanthimos

Nacionalidade: Grega
A ignorância é o estado que se encontram os jovens personagens centrais do
filme. Desde o dia em que nasceram, os filhos desta família sem sobrenome
foram presos dentro de uma ficção criada por seus pais. O pai (Christos
Stergioglou) e mãe (Michele Valley) têm incutido em seus filhos um medo
avassalador do mundo exterior, e os três jovens - duas mulheres (Aggeliki
Papoulia e Maria Tsoni) e um homem (Hristos Passalis) - nunca viajaram para
além dos limites do seu jardim. É repetidamente dito as crianças que só
estarão prontos para sair "quando o dente canino cair", no entanto apenas ao
pai é permitido ir e vir. Ele dirige para o trabalho em seu carro e retorna com os
mantimentos da família, depois de ter removido meticulosamente todos os
rótulos das latas de primeira. Nenhuma pista do mundo em geral é permitido
penetrar este ambiente hermeticamente fechado. Embora os filhos e sua mãe
estão limitados à sua casa e bens, o pai que vai para o trabalho em uma
fábrica de todos os dias é também um confinado, como sua família é para a
casa. O telhado da fábrica é irregular sugerindo que ele também é um
prisioneiro de que a realidade exterior: não há escapatória para ele também,
ele está preso como os outros.
Os comprimentos que os pais vão para a fim de manter a sua fantasia é
notável; aviões sobrevoando a pedir a mãe para lançar réplicas de brinquedos
para o jardim - eles são "recompensas" para o comportamento das crianças é
bom - e um gato doméstico que vagueia no jardim é imediatamente identificado
como uma ameaça potencial.
Da mesma forma, os pais criaram uma linguagem alternativa para compensar
quaisquer palavras estrangeiras sua prole pode ter pego. Assim, “estrada”
significa "um vento muito forte, ‘Zombie’, uma pequena flor amarela e boceta é
traduzido como “grande luz” (remetendo a grande linha," A boceta foi desligada
e o quarto mergulhou na escuridão total"). Esta atenção aos pequenos detalhes
e a convicção completa do elenco permite Lanthimos nos fazer acreditar em
seu cenário bizarro. As performances são educados, mas autênticas, com cada
um dos atores jovens que jogam as crianças mostrando o seu desenvolvimento
atrofiado educacional através de um comportamento estranhamente robótico e
ocasionais explosões emocionais primordiais. Stergioglou também é excelente
como o pai que fará qualquer coisa para manter o controle completo sobre sua
prole, incluindo reagir com violência chocante para quaisquer forças
desestabilizadoras.
Uma questão que Lanthimos não responde em Dentes Caninos é a que a
maioria dos espectadores vão se perguntar: Por quê? Nós nunca saberemos a
motivação dos pais para manter os filhos confinados sob tais circunstâncias.
Há a sugestão de que outro irmão escapou e está agora vive no exterior – os
jovens às vezes jogam comida pela cerca para ele - mas não se sabe se ele
existe mesmo, ou ele é simplesmente outra criação fictícia dos pais
controladores, cuja finalidade é usá-lo como instrumento para assustar seus
filhos?
O filme sustenta um tom brilhante de humor negro a todo momento,
encontrando humor surreal e tons perturbadores em cada situação, é eficaz
como uma comédia de humor negro e horror, como uma parábola dos pais
obsessivos ou como uma sátira sobre o estado e controle de mídia conseguido
através de uma atmosfera de terror.
O ponto de virada ocorre com a chegada de Christine (Anna Kalaitzidou),
contratada para satisfazer as necessidades sexuais do filho, o catalisador para
esta mudança. A forte sexualidade e tom erótico presentes nas ações do
menino e da irmã mais velha, remetem as crianças que são criadas em
relações abusivas onde seus limites morais e físicos foram violados, não pode
dizer o que é moralmente certo ou errado, apenas que "se sente bem", para
eles o anormal é normal, eles não sabem de nada, nem da vergonha e da
degradação final está nas mãos de uma sociedade que os condena tanto
quanto o agressor.
Após a descoberta de fitas de filmes, dadas por Christine a filha mais velha, o
pai acaba a expulsando e obriga sua filha a fazer sexo com seu irmão, isso
deixa a filha mais velha enojada e inquieta. No dia seguinte, ela vai até o
banheiro e quebra seu dente canino, representando a fuga daquele lugar. Ela
então se esconde no porta-malas do carro de seu pai e espera que ele saia
com o carro para trabalhar. A última cena, com a câmera focando no completo
breu do porta-malas, sugere que não há, de fato, escapatória. Estamos todos
presos por nossas próprias convenções, ideias e estamos condenados a ficar
algemado a elas para a eternidade.