pnv 292.vp

Сomentários

Transcrição

pnv 292.vp
PNV 292
Atos das mulheres
Tea Frigerio
São Leopoldo/RS
2012
© Centro de Estudos Bíblicos
Rua João Batista de Freitas, 558
B. Scharlau – Caixa Postal 1051
93121-970 – São Leopoldo/RS
Fone: (51) 3568-2560
Fax: (51) 3568-1113
[email protected]
www.cebi.org.br
Série: A Palavra na Vida – Nº 292 – 2012
Título: Atos das mulheres
Autor: Tea Frigerio
Capa: Péricles Silva – Releitura da arte de Noêmia Carvalho
Editoração: Rafael Tarcísio Forneck
Revisão: Mardilê Friedrich Fabre
ISBN: 978-85-7733-161-1
TEA FRIGERIO é missionária de Maria – Xaveriana. Nasceu na Itália e chegou
ao Brasil em 1974 atuando como missionária no Pará, na formação de lideranças
comunitárias. Desde 1985, atua no CEBI como assessora popular. Também foi
Coordenadora do Programa de Formação do CEBI.
Sumário
Caríssimas amigas e caríssimos amigos! ....................................
4
Leitura bíblica segundo as relações de gênero............................
6
Introdução ...................................................................................
9
Na missão, a mulher marca presença .......................................... 18
Escolhas que marcam a história .................................................. 22
Maria, presença que cativa o Espírito Santo............................... 26
Uma conversa com Safira ........................................................... 30
Tabita = Dorcas = Gazela ........................................................... 34
A casa de Maria .......................................................................... 38
Falando com Lídia ...................................................................... 42
Olhar diferente... pensar diferente............................................... 46
Reconstruir uma história ............................................................. 51
Caríssimas amigas e caríssimos amigos!
O mês de março vem carregado de significado para nós, mulheres: no dia 2, celebramos o Dia Mundial de Oração (DMO) com as
mulheres da Malásia e, no dia 8, com todas as mulheres do mundo, o
Dia Internacional da Mulher. Essas datas, nós, mulheres, não podemos deixar passar, pois nos colocam no cordão da dança das mulheres que, desde o Êxodo, ousam desobedecer às leis da morte, transgridem o status quo, empenham sua vida na luta contra a discriminação,
intolerância e clamam por vida, vida em plenitude.
Quero celebrar com você, caminhando no Livro dos Atos dos
Apóstolos em busca das apóstolas: encontrá-las, tirá-las do silêncio e,
assim, escutarmos sua voz e partilhar sua experiência.
Como este subsídio está organizado?
1. No início, encontrarão uma transcrição do DVD – CEBI dos
passos a serem percorridos numa Leitura Bíblica segundo as
relações de gênero. É bom fazer uma leitura aprofundada,
primeiro pessoalmente e, em seguida, com o grupo com
quem vai ser trabalhado este subsídio.
2. A primeira parte é uma apresentação tradicional do Livro
dos Atos dos Apóstolos, que tem três finalidades:
a) dar-nos uma visão geral do livro;
b) poder situar as mulheres no próprio livro;
c) sentir como as leituras tradicionais silenciam as mulheres.
3. A segunda parte é nomear todas as mulheres que marcam a
caminhada das primeiras comunidades.
4
PVN 292
4. Por fim, na terceira parte, seguirá a apresentação de algumas
mulheres.
Como usar este subsídio?
1. O subsídio pode ser usado para um estudo pessoal ou em
grupo.
2. No final de cada reflexão, há algumas provocações. Outras
poderão ser acrescentadas conforme a sua realidade.
3. É bom tentar sempre percorrer os passos:
Experiência – Suspeita – Desconstrução – Reconstrução
Miriam puxou o cordão..., diz uma música, convidando-nos a
entrar neste cordão que perpassa toda a história. O mesmo canto nos
retrata assim no seu refrão:
Eh, eh, eh, mulher, mulher!
Mulher que acaricia,
mulher que amassa o pão,
mulher na liderança
e na revolução,
mulher que traz no ventre nossa libertação!
Com sororidade
Tea Frigerio
PVN 292
5
Leitura bíblica segundo
as relações de gênero1
1º Passo: Memória – Experiência
A vida das mulheres interroga a Bíblia. Isso leva a problematizar a realidade e fazer perguntas.
Ao formular perguntas, usa-se o instrumental de gênero como
análise da realidade e do texto bíblico. O instrumental de gênero denuncia a falsidade do conceito de que “o biológico é natural” e
leva-nos a perceber “a construção social de gênero”, e, se é construção, pode ser desconstruído.
O texto dialoga com a experiência das mulheres, e um dos seus
resultados é a reapropriação da palavra.
Quais as perguntas que nos levam para a Bíblia ou quais as perguntas que vêm de nossa vida que levamos para Bíblia?
¢ Como a memória e a partilha de nossas vidas ajudam na
cura de nossas relações?
¢ Como nossa vida de mulheres lança perguntas para a
Bíblia?
2º passo: Suspeita
Ter a liberdade de fazer perguntas.
1
6
Tirado do DVD Leitura Bíblica a partir das relações de gênero – CEBI.
PVN 292
Como apreender a suspeitar? Como suspeitar do texto bíblico?
É importante confrontar as traduções e suspeitar delas, fazendo perguntas: Onde acontece? Quando acontece? Como acontece? O que
acontece? O que se diz da pessoa?
Comparar com outros textos da Bíblia. Verificar as palavraschave e aprofundá-las, compreendendo-as no texto e no ambiente.
Também confrontar com outros textos fora da Bíblia (extratextual).
Levar em conta que o contexto do ambiente bíblico é patriarcal,
androcêntrico, quiriarcal, e que, no texto, há relações de poder, dominação, conflitos e interesse de quem escreve.
¢ Desde pequenas, ensinaram-nos a ser boas meninas.
Como e quando nos nossos grupos de mulheres apreendemos a suspeitar?
¢ Como e quando nós, mulheres, suspeitamos dos textos
bíblicos?
3º Passo: Desconstrução
Ter a liberdade de dar respostas parciais, de encontrar a autoridade bíblica nos nossos corpos e nas nossas relações cotidianas e políticas em defesa da vida.
É importante desconstruir, para chegar perto da realidade de
quem escreveu o texto, para que possamos perceber os silêncios, as
ausências, o pensamento androcêntrico e patriarcal, a fim de que os
textos façam bem para os nossos corpos, as nossas relações junto
com outros corpos e com a natureza.
¢ Já encontramos textos na Bíblia que falam de mulheres?
¢ Já tentamos fazer falar os silêncios das mulheres na
Bíblia?
PVN 292
7
4º Passo: Reconstrução
Ter a liberdade de recriar, reescrever, festejar, celebrar os textos bíblicos, para encontrar o sagrado em nossa vida cotidiana e
política.
O texto é tecido, é corpo como os nossos corpos, como são tecidas as relações entre os corpos. É a partir disso que nasce a interrogação sobre a autoridade bíblica, que nasce da certeza de que a vida é
sagrada e que é um tecido de relações. Na verdade, são dois corpos
que se encontram: o corpo das mulheres e o corpo que é o texto bíblico. Dois corpos que se tocam e se perguntam, sentem e escutam
coisas amorosas, embora tristes.
A reconstrução das relações no cotidiano, reconstrução dos
corpos que se encontram, é espiritualidade nova: a divindade que se
revela como dádiva nas relações dos corpos e corpos-texto. É autoridade bíblica que se revela nas múltiplas relações que tecem a vida,
que assume a defesa da vida como sagrada.
Como recriar textos violentos que nos fazem mal para que ajudem nas novas relações igualitárias, para homens e mulheres? A recriação da Palavra é nossa força de fé, para nós, mulheres e homens
do CEBI.
¢ Como recriamos e reescrevemos os textos bíblicos?
¢ Que compromisso político nasce de nossa leitura bíblica
de mulher?
8
PVN 292
Introdução
A narração histórica do Livro dos Atos abrange um período que
vai dos anos 30 aos anos 60. O Livro foi escrito nos anos 80-90, então
reflete a situação sociopolítica deste período e a situação interna das
comunidades. Ele reconstrói o movimento de Jesus depois da sua ressurreição e antes da institucionalização das igrejas, ocorrida depois
dos anos 70.
Lucas escreveu uma única obra à qual não deu título. Os autores do cânon do Segundo Testamento, na segunda metade do século
II, separaram a primeira parte do livro de Lucas da segunda parte,
dando aos dois livros que nasceram desta separação o título de Evangelho de Lucas e Atos dos Apóstolos.
Nessa primeira composição, Lucas 1,1-4 era o prólogo de toda
a obra. O Evangelho terminaria em Lucas 24,49, e Atos começaria
em Atos 1,6. Ao separar a obra, houve os acréscimos de Lucas
24,50-52 e Atos 1,1-5.
1. Evangelho e Atos: um só livro
A mão do redator final nos ajuda a perceber o projeto da obra
lucana em sua profunda unidade.
a) Unidade de continuidade literária
prólogo: Lc 1,1-4
• Teófilo
PVN 292
At 1,1-3
• Teófilo
• fiz meu primeiro relato
9
dobradiça:
Lc 24,44-53
• falou para eles
• permanecei na cidade
• enviarei o que o Pai prometeu
• revestidos da força
• do Alto
• vós sois testemunhas
• começando em Jerusalém
• a todas as nações
At 1,4-11
• ordenou a eles
• não se afastar de Jerusalém
• aquilo que o Pai prometeu
• recebereis uma força
• descerá sobre vós
• sereis minhas testemunhas
• em Jerusalém
• até os confins da terra
Percebemos uma diferença cronológica: os mesmos acontecimentos no Evangelho se dão num só dia enquanto nos Atos, em quarenta dias, isso se justifica em função do dia de Pentecostes.
b) Unidade de continuidade geográfica
Lc 1,2-5-25
anúncio a Zacarias em Jerusalém no Templo
Lc 4,14
início da atividade missionária de Jesus em Nazaré
Lc 24,52
término do Evangelho em Jerusalém no Templo
At 1-2
a continuidade da missão é assegurada por Jerusalém
At 28,30s
término dos Atos em Roma
No plano de Lucas, tudo começa em Jerusalém para alcançar os confins do mundo, segundo sua visão universal do Plano de Salvação.
10
PVN 292