A REVISÃO ATUALIZADA DE UM GRANDE SUCESSO UM

Сomentários

Transcrição

A REVISÃO ATUALIZADA DE UM GRANDE SUCESSO UM
9 771 677 85 500 2
PRÉ-AMPLIFICADOR BURMESTER
REFERENCE 077
um sucesso de
crítica e público
CD PLAYER MBL CORONA C31
AUDIO VIDEO MAGAZINE . setembro 2014 . # 204. ANO 19
E MAIS
Testes de áudio
AMPLIFICADOR INTEGRADO
VALVULADO CAV T-50
PRÉ DE PHONO TOM EVANS AUDIO
THE GROOVE+
FONE DE OUVIDO AUDEZE LCD-3
9
00176
ISSN 167785500-2
r$18
espaço aberto
nesta edição
ótima relação
custo-performance
UM VINHO ‘HI-END’
grupo Pau brasil
SAMSUNG UN55HU8500G 3D LED UHD 4K 2.160P
9 771677 85500 2
00170
9 771 677 85 500 2
ISSN 167785500-2
00175
00169
9 771677 85500 2
9 771677 85500 2
ISSN 167785500-2
9 771 677 85 500 2
ISSN 167785500-2
00168
ISSN 167785500-2
9 771 677 85 500 2
9 771677 85500 2
00167
ISSN 167785500-2
9 771677 85500 2
00166
ISSN 167785500-2
9 771677 85500 2
00165
Arte em reprodução eletrônica
a revisão atualizada
de um grande sucesso
00174
00173
ISSN 167785500-2
9 771 677 85 500 2
00172
ISSN 167785500-2
9 771 677 85 500 2
00171
ISSN 167785500-2
clubedoaudioevideo.com.br
204
ISSN 167785500-2
setembro 2014
ISSN 167785500-2
PRÉ-AMPLIFICADOR BURMESTER REFERENCE 077, CD PLAYER MBL CORONA C31, AMPLIFICADOR INTEGRADO VALVULADO CAV T-50 e tv SAMSUNG UN55HU8500G 3D LED UHD 4K 2.160P
Ano 19
teste áudio 1
PRÉ-AMPLIFICADOR BURMESTER
REFERENCE 077
Fernando Andrette
[email protected]
A própria Burmester reconhece que seu primeiro grande sucesso
e de menor custo. Nessa nova edição comemorativa, a Burmester
de crítica e público, foi o pré-amplificador 777, lançado em 1977.
optou por fazer uma versão mais simples (único gabinete) e uma
Com esse produto, a empresa alemã conseguiu entrar em impor-
mais sofisticada, com uma fonte de alimentação separada, além de
tantes mercados audiófilos, como o japonês e o norte-americano.
disponibilizar opções com e sem pré de phono!
Algumas características do pré-amplificador 777 saltavam aos
O novo Reference 077 possui as seguintes características: projeto
olhos, como uma topologia simétrica dual mono, todas as cone-
dual mono, sem o uso de capacitores no caminho do sinal, novo
xões XLR, controle de volume elaborado com resistores discretos e
controle de volume, que utiliza um novo circuito de controle desen-
diversas fontes para cada estágio do sinal! Sem contar a construção
volvido e patenteado pela Burmester com 60 passos, seis entradas
e o acabamento simplesmente deslumbrante, todo cromado e com
balanceadas (XLR), sensibilidade de entrada ajustável por +/- 6 dB
um painel espelhado, que nos remetia imediatamente à sensação
para cada entrada individual, duas saídas balanceadas, inversão
de estarmos vendo uma joia, e não um equipamento de áudio! Na
de fase para cada entrada e zona (podendo ser utilizado até duas
comemoração do aniversário de 30 anos da empresa em 2007, os
zonas), controle de balanço separado para cada zona, opção de
engenheiros da Burmester aceitaram o desafio de ‘rever’ o projeto
módulo de phono MM e MC (com capacitância de entrada progra-
e apresentaram ao mundo o novo Reference 077. O objetivo central
mável), opção de módulo conversor DA (com a mesma tecnologia
foi fazer uma versão com as mesmas qualidades sonoras do pré
utilizada no CD player da Burmester, modelo 069), módulo DAC com
top de linha da empresa, o 808 MkV, em uma peça mais versátil
a escolha de upsampling de 96 kHz ou 192 kHz, controle remoto
setembro . 2014
31
PRÉ-AMPLIFICADOR BURMESTER REFERENCE 077
programável para outros componentes (máster / slave) via DC com
D’Agostino Momentum Estéreo e Audia Flight Strumento nº 4; caixas
conexão in / out e ligação para controle externo através de RS 232
acústicas: Dynaudio Confidence C1 Signature, Piega Coax 30.2 e
e USB. Ou seja, um pré-amplificador moldável a todas as exigências
Evolution MM3; fontes digitais: CD player MBL C31 (leia o Teste 2
dos clientes, do mais conservador (que ainda utiliza diversas mídias
nesta edição) e dCS Scarlatti (transporte, DAC e clock); fontes ana-
distintas) aos novos usuários que possuem toda a sua discoteca
lógicas: Basis Debut, pré de phono Tom Evans Groove+ e cápsula
em um servidor de mídia e desejam um sistema mais minimalista,
My Sonic Lab Ultra Eminent EX; e condicionadores: AC Organizer
composto apenas de um pré, power e caixas hi-end. Esse novo
LC 311 SE e Hydra Triton.
consumidor vem crescendo rapidamente, e entre os nossos leitores,
Quando temos a oportunidade de testar um excelente pré-
muitos já se encaixam nesse novo perfil. E é pensando exatamente
-amplificador, mudo um pouco o ritual de avaliação. Antes mesmo
em todo esse leque de nichos de mercado, que os engenheiros da
de fazer as observações iniciais, deixo o produto ligado por pelo
Burmester se debruçaram para desenvolver o novo Reference 077.
menos 24 horas (no caso de produtos já inteiramente amaciados)
Para o teste, a Maison de La Musique nos disponibilizou a versão
do Reference 077 com pré de phono para cápsula MC e DAC, além
da fonte externa. Felizmente o produto veio para teste amaciado, o
que nos permitiu colocá-lo em nossa sala de testes imediatamente.
Tanto a fonte quanto o pré possuem uma base de alumínio, que
deve ser colocada embaixo de cada componente. Curioso como
sou, não resisti a fazer o teste de ouvir o pré com a base e sem a
32
para estabilização de temperatura, ouço atentamente uns dez discos da metodologia no nosso sistema de referência, anoto algumas
características importantes, e só então depois de tudo devidamente registrado é que começo a escutar o pré em teste. A razão de
mudar um pouco o meu método da primeira audição é ver se o
pré (devido a sua vital importância no sistema) casou corretamente
com toda a configuração, pois muitas vezes podemos cometer o
erro de ter uma primeira impressão, e só mais tarde perceber que
mesma, mais adiante descreverei minhas observações. Para realizar
determinadas características sônicas eram de compatibilidade, e não
o teste, utilizamos o cabo de força original da Burmester (que vai li-
de assinatura do produto. Seguro de que o pré entrou no sistema
gado à fonte, e dessa para o pré, a Burmester disponibiliza um cabo
nas melhores condições possíveis, faço minha audição preliminar
especial, com as mesmas características físicas do cabo de força)
e as respectivas anotações, para só então começar a buscar o
e também os cabos de força PowerLink MM2, Elation da Kubala-
melhor setup de cabos, prateleiras, fontes etc. Como a Burmester
Sosna e Iridium da Logical Cables. Demais cabos utilizados: cabo
envia seu próprio cabo de força e as plataformas para serem coloca-
de interconexão Opus MM2 XLR e cabos de caixa Reference XL
das como base na fonte e no pré, resolvi iniciar o teste seguindo as
da Transparent Audio e Absotute Dream da Crystal Cable. Demais
indicações do fabricante. Instalei a fonte e o pré em suas respectivas
equipamentos utilizados: amplificadores: Air Tight ATM-3B, Dan
bases, apoiando ambos no rack da Audio Concept. A sonoridade
setembro . 2014
do Reference 077 é cristalina: rica, detalhada, com um silêncio de fundo exuberante e uma
apresentação de um palco amplo, tanto em termos de profundidade como de largura. Imediatamente o pré convida o ouvinte a preparar uma pilha de discos com todos os gêneros
musicais, pois haverá surpresas de toda ordem: no detalhe da técnica vocal, na complexidade
do solo, na beleza da interpretação, tudo é colocado à plena luz do dia! Nada fica oculto ou
mascarado! Todo acontecimento musical ganha maior presença, e são tantos detalhes, que
em certas passagens é preciso decupar o que é mais relevante.
O equilíbrio tonal do Reference 077 é simplesmente excelente, com timbres naturais e
decaimentos em ambos os extremos perfeitos, capazes de nos fazer estar atentos até o último
momento antes do silêncio! Com qualquer um dos cabos de força utilizados, as diferenças
foram muito sutis (isso pode ser, pelo fato de não podermos substituir o cabo ‘umbilical’ entre
a fonte e o pré-amplificador), o que é uma excelente notícia, pois não será preciso perder
tempo e dinheiro com o upgrade do cabo de força! A única variação que ouvimos com a troca
do cabo de força foi na apresentação do soundstage: com o cabo da Burmester, algumas
gravações tinham um pouco menos de profundidade e altura. Mas em termos de qualquer
um dos outros quesitos da nossa metodologia, a alteração dos cabos de força foi totalmente
irrelevante! Em compensação, o uso da bandeja de alumínio da Burmester necessita de alguns
cuidados. Depois de ouvir por uma semana o Reference 077 e entender sua assinatura sônica
e o casamento com o resto do sistema, resolvi mantê-lo no rack da Audio Concept e retirar
a base. Fiquei surpreso com algumas características, como: um som mais molhado, texturas
mais confortáveis (principalmente dos pratos de condução), ainda que se perdesse um pouco
da extensão do decaimento, vozes com uma menor precisão no detalhe, mas com ganho
também no conforto auditivo e graves com menor precisão, mas com ganho no corpo, principalmente nos médios-graves.
Com as mudanças, surgiu um impasse: voltar com a base, e entre essa e o rack colocar o
Varifoot da Hi-Fi Experience, ou trocar de rack, colocando o Reference 077 com suas respectivas bases no Finite Elemente Master Reference (em que se encontra o pré Momentum)? Para
não complicar o meio de campo, resolvi acabar o teste nas condições iniciais, e só depois testar as outras opções (caso contrário, extrapolaria o tempo estimado para o teste). Então, amigo
leitor, para facilitar sua vida, as avaliações foram divididas em dois tempos: na primeira parte,
com a base e o rack da Audio Concept e sem a base, ainda no mesmo rack; e na segunda parte,
com o Varifoot e no rack Finite Element. O que preciso deixar muito claro é que nas condições
feitas na primeira parte, o resultado em tudo foi excelente. O pré da Burmester é simplesmente
um ponto fora da curva, e acredito que muitos dos nossos leitores apreciem as características aqui já descritas, como a sonoridade cristalina e a total precisão. Mas haverá aqueles
que como eu possuem centenas de gravações que não são perfeitas tecnicamente, mas que
não abrem mão de escutá-las! E aí me coloquei na tarefa de descobrir se o Reference 077
é maleável o suficiente para essas situações. Comecei pelo óbvio: colocar entre a base e o rack
o Varifoot; como o Momentum teve um resultado excepcional com a mola, achei que poderia ir
por esse caminho. O som ficou mais próximo da retirada da base, mas com algumas variáveis
sonoras: os graves perderam firmeza e precisão, e o som no geral ganhou um relaxamento que
comprometeu a resposta de transientes. Segunda tentativa: o Varifoot no spike, nas mesmas
condições anteriores: o som ficou muito mais próximo do uso da base, voltando àquela precisão cirúrgica, não substituindo a base diretamente apoiada no rack da Audio Concept. Terceira
tentativa: o Varifoot no modo borracha (ainda com a base): o som perdeu velocidade, pegada
setembro . 2014
33
PRÉ-AMPLIFICADOR BURMESTER REFERENCE 077
e precisão. Nova rodada: ainda no rack da Audio Concept, agora
sem a base, com o Varifoot apoiado nos pés da fonte e do pré pela
mola: eureka! O som ganhou um misto de precisão e musicalidade
espantoso! Agora, as gravações tecnicamente ruins puderam ser
escutadas com grande prazer. Animado, busquei ver as diferenças
para cada versão do Varifoot, e nenhuma das outras duas opções
foi superior à performance da mola. O interessante é que na opção
spike a sonoridade voltou a ser muito semelhante à própria base
da Burmester! Faltava ainda repassar toda essa segunda etapa,
agora no outro rack: as diferenças foram mínimas. A melhor opção
foi o Burmester sem base e Varifoot, diretamente apoiado no Finite
Elemente! Durma com um barulho desse, amigo leitor! Essas questões de vibrações são por demais complexas, para se afirmar que
CONCLUSÃO
O Reference 077 é um excelente pré-amplificador, e como todo
produto fora de série, necessita de certos ‘mimos’ para mostrar todo
o seu valor. Com compatibilidade excelente em relação a toda eletrônica utilizada, ele permite (desde que o usuário assim deseje) ajustes
finos ao gosto do freguês! Esse é o seu grande trunfo! Com uma
assinatura sônica que prima pela precisão e detalhamento, ainda
assim, não se furta a ser maleável o suficiente para não se impor ao
sistema. Com uma série de recursos e possibilidades, o pré também
se adéqua às necessidades de diversos nichos do mercado. O audiófilo pode adquirir sua versão mais simples e, a partir de suas futuras necessidades, ir comprando os módulos que precisar. Junte-se
a isso um acabamento e uma construção magnífica, e você terá uma
existe um único modelo para tudo!
ideia exata do sucesso que o Reference 077 vem galgando desde o
seu lançamento, em 2007. Ainda que ele esteja fora do seu alcance,
não perca a oportunidade de escutá-lo no Hi-End Show ou no próTipo
Pré-amplificador Dual-mono
prio showroom da Maison de La Musique, em São Paulo.
com estágios X-Amp2 de
amplificação
Entradas analógicas
- 6x de linha XLR
- 1x de linha RCA
PRÉ-AMPLIFICADOR BURMESTER REFERENCE 077
(com sensibilidade
individual ajustável)
Saídas analógicas
- 1x de pré XLR
- 1x de gravação XLR
- 2x para fones de ouvido
Entrada ‘Remote’
Equilíbrio Tonal11,0
Soundstage12,0
Textura11,0
Transientes12,0
Dinâmica11,0
Para sincronização com
Corpo Harmônico12,0
outros aparelhos Burmester
Organicidade12,0
Musicalidade11,0
Entrada ‘Burlink’
Para controle remoto via
RS-232 e USB
Slots de expansão
Phono MM / phono MC /
(opcional)
DAC 192 kHz
Dimensões do módulo
450 x 160 x 345 mm
do pré (L x A x P)
ESPECIFICAÇÕES
Peso do módulo do
34
Total92,0
VOCAL
ROCK . POP
JAZZ . BLUES
MÚSICA DE CÂMARA
SINFÔNICA
28 kg
pré
Dimensões do módulo
450 x 160 x 345 mm
da fonte (L x A x P)
Peso do módulo da
fonte
setembro . 2014
28 kg
Maison de La Musique
(11) 2117.7005
www.maisondelamusique.com.br
Preço: sob consulta