Colégio Batista de Brasília

Сomentários

Transcrição

Colégio Batista de Brasília
Colégio Batista de Brasília
Orientações para a AV2
Caráter Cristão-ENTUSIASMO
Com o intuito de melhorar a preparação dos
nossos estudantes para os diversos tipos de
avaliação a que se submeterão (PAS, ENEM,
vestibular tradicional), as equipes do Ensino Médio
e 9° ano do Ensino Fundamental II trabalharam,
em cada sala de aula, diversas orientações as
quais levamos ao conhecimento dos senhores para
que possam explorar em momentos de conversa
em família.
Queremos encorajá-los a manterem um rico
diálogo com seus filhos, pois sabemos que o
sucesso da vida estudantil dos adolescentes e
jovens passa, também, pelo envolvimento dos
pais.
Orientações para os itens TIPO A:
Os itens do TIPO A são questões que o
estudante deve julgar como Certo (C) ou
Errado (E).
Orientações para os itens TIPO B:
Os
itens
do
TIPO
B
aparecem
frequentemente nas provas de Matemática, Física e
Química. Nesse tipo de questão, de acordo com o
que for pedido na questão, o aluno deverá
assinalar uma resposta numérica que pode variar
de 000 a 999.
Orientações para os itens TIPO C:
Os itens do TIPO C são aquelas em que o
aluno deve assinalar uma opção (correta ou
incorreta, de acordo com o enunciado) dentre 4 (a,
b,
c,
d)
ou
5 (a, b, c, d, e) opções. São muito conhecidas
como questões de “múltipla escolha”.
Orientações CESPE/UNB:
Nos itens tipo A, de acordo com o comando
agrupador de cada um deles, marque, para cada
item: o campo designado com o código C, caso
julgue o item CERTO; ou o campo designado com
o código E, caso julgue o item ERRADO.
Nos itens tipo B, marque, de acordo com o
comando: o algarismo das CENTENAS na
coluna C; o algarismo das DEZENAS na coluna D;
o algarismo das UNIDADES na coluna U.
O algarismo das CENTENAS, o das DEZENAS e o
das UNIDADES devem ser obrigatoriamente
marcados, mesmo que sejam iguais a zero.
Nos itens do tipo C, marque a única opção
correta de acordo com o respectivo comando.
Exemplos:
Itens TIPO A – Espanhol
Texto 1
Libertad en Internet
Una de las constantes de la historia humana
es su resistencia a los cambios,su dificultad para
asimilar las novedades. El bípedo implume se ha
impuesto de forma sistemática a casi todos los
frutos de la ciencia y de la técnica a lo largo de los
siglos.
Sólo en forma de juguete se admitía la
invención, pero lo normal era desconfiar del
inventor Y perseguirlo, porque la novedad podía
producir desorden en
las conciencias y
alteraciones políticas.
Del ferrocarril se aseguraba que volvería
locos a los campesinos y a las vacas. Del
automóvil, Que no podía correr más que un caballo
sin peligro de estrellarse y que, por supuesto,
nunca habría caminos suficientes para semejantes
trastos. Cuando los hermanos Lumière y otros
pioneros del cine comenzaron a exhibir sus
inventos, los espectadores se arrojaban de las
butacas antes de que los atropellara la locomotora
de la pantalla.
Ahora está de moda decir que la televisión
es la causa de la decadencia y de la violencia
social.
Lo mismo se ha dicho de todas las
novedades en materia de comunicación, desde el
folletín a Las radionovelas.El descubrimiento de
redes de pornografía infantil que usa Internet ha
hecho que algunos dirigentes políticos proclamen la
necesidad de controlar el invento.
Internet nació para garantizar que las
bases nucleares de la defensa occidental pudieran
funcionar y seguir comunicándose aunque los
soviéticos consiguieran
destruir el ordenador
central. Hoy, dentro del mundo civil, conserva la
misma estructura básicamente refractaria al
control exterior.
Claro
que
puede
ser
utilizado
por
criminales,pero también por la gente que no
pretende hacer daño a nadie.
Todavía hoy algunos indígenas africanos
piensan que, si les hacen una fotografía, se
llevarán su alma junto a su imagen. Viendo lo que
sucede con los dirigentes políticos estoy dispuesto
a darles la razón.
(Adaptado do jornal ABC,
por Federico Jiménez Losada, 13 out. 1996, p. 24.)
Juzgue los ítems seguintes:
1.
2.
3.
Según el texto y respecto a las
invenciones, el autor afirma que los
primeros espectadores del cine se
asustaban al mirar las imágenes.
Algunos políticos acusan a Internet de ser
un vehículo para la transmisión de la
pornografía.
Sobre
el
origen,
finalidad
y
funcionamiento de la
Internet, se
comenta que es la principal causa de
violencia social.
Item TIPO B – Química
Cadeira elétrica para o tratamento da
osteoporose
Tecnologia, desenvolvida no Brasil, está sendo
testada em idosos
Numa pessoa sem osteoporose, os ossos
têm células que captam sinais mecânicos. Um novo
equipamento desenvolvido por investigadores das
universidades de São Paulo (USP), de São Carlos e
da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP),
no Brasil, está sendo testado no tratamento para a
osteoporose.
Trata-se de uma cadeira que emite sinais
elétricos. O tratamento é indolor e as sessões não
excedem
os
20
minutos.
Atualmente,
as
terapêuticas para a osteoporose são realizadas
com recurso a medicamentos e exercícios físicos.
A nova tecnologia produz sinais elétricos
que
atingem
diretamente
os
ossos
mais
prejudicados pela doença: fêmur, coluna e bacia.
Para realizar o tratamento, basta ao paciente ficar
sentado na cadeira e pressionar um botão.
A cadeira usufrui de duas placas, colocadas
debaixo do estofo, que formam um campo elétrico.
Não há dor. Ao todo, são cinco sessões por semana
e, quando o tratamento é concluído, o aparelho
envia um alerta.
Segundo a fisioterapeuta da UNIFESP, Ana
Paula Lirani Galvão, quando o campo elétrico
atinge os ossos, algumas células do organismo
captam os sinais e estimulam a formação de uma
nova massa óssea, o que aumenta a absorção de
cálcio.
Galvão explica que, numa pessoa sem
osteoporose, os ossos têm células que captam
sinais mecânicos – gerados, por exemplo, pela
ação de andar ou correr – e enviam uma carga
elétrica para outras células responsáveis por
formar mais ossos. O objetivo da nova técnica é
criar os sinais elétricos que o corpo deixou de
enviar e, assim, estimular a formação da nova
massa óssea.
Os primeiros testes foram realizados em
ratos de laboratório e os resultados foram
positivos. Agora, a experiência já está a ser
aplicada a uma centena de idosos, que estão
internados em três lares de São Paulo – 40 deles
sob placebos, ou seja, sem efeitos reais.
Orivaldo Lopes da Silva, professor de bioengenharia da USP de
São Carlos
A partir do texto de Orivaldo Lopes Silva,
responda ao que se pede no item 4, que é do
tipo B.
4. A combustão é provavelmente a primeira reação
química controlada. Foi para nossa espécie a
primeira das tecnologias que iniciou nossa
diferenciação dos outros grupos de animais. O
destemor
perante
o
fogo
foi,
muito
provavelmente, um grande diferencial que nos
distanciou dos predadores, enquanto nos unia
como grupo social. “Além disso, a manipulação
dos óxidos liberados e do uso do calor foi, aos
poucos,
incrementando
este
domínio
tecnológico.” Com o auxílio do texto, calcule
a massa de água formada na queima
completa de 150 g de pentano C5H12.
Item TIPO C – Filosofia
Exemplo de Cartão Resposta
Com base nos principais conceitos
filosóficos estudados, assinale o que for
verdadeiro no item 5, que é do tipo C:
Item 1
Item 2
Item 3
C
C
C
E
E
E
5. O homem sempre buscou explicações sobre os
Item 4
C
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
D
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
U
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Item 5
a
b
c
aspectos essenciais da realidade que o cerca e
sobre sua própria existência. Na Grécia antiga,
antes de a filosofia surgir, essas explicações
eram dadas pela mitologia e tinham, portanto,
um forte caráter religioso. Historicamente,
considera-se que a filosofia tem início com Tales
de Mileto, em razão de ele ter afirmado que “a
água é a origem e a matriz de todas as coisas”.
Nesse sentido, pode-se dizer que a frase de
Tales tem caráter filosófico pelas seguintes
razões (marque APENAS UMA alternativa):
A
B
C
D
E
Porque destaca a importância da água para
a vida; porque faz referência aos deuses
como causa da realidade e, porque nela,
embora apenas subentendido, está contido
o pensamento: “tudo é matéria”.
Porque enuncia algo sobre a origem das
coisas; porque o faz sem imagem e
fabulação e porque nela, embora apenas
subentendido, está contido o pensamento:
“tudo é um”.
Porque narra uma lenda; porque narra essa
lenda através de imagens e fabulação e
porque nela, embora apenas subentendido,
está contido o pensamento: “tudo é
movimento”.
Porque enuncia uma verdade revelada por
Deus; porque o faz através da imaginação
e,
porque
nela,
embora
apenas
subentendido, está contido o pensamento:
“o homem é a medida de todas as coisas”.
Porque enuncia algo sobre a origem das
coisas; porque o faz recorrendo a deuses e
a imaginação e, porque nela, embora
apenas subentendido, está contido o
pensamento: “conhece-te a ti mesmo”.
d
e