Folha da sala - Teatro Maria Matos

Сomentários

Transcrição

Folha da sala - Teatro Maria Matos
© NEUER TANZ / VA Wölfl
© Mariana Silva
teatro | coprodução
Raquel Castro
Os Dias São Connosco
Sala Principal com bancada
qui 10 a qua 16 janeiro (exceto dia 14)
ter a sáb 21h30 dom 18h00
Duração 60 min | M/12
Maria Matos Teatro Municipal
Av. Frei Miguel Contreiras, n.º 52
1 700-21 3 Lisboa
tel. 21 8 438 800
www.teatromariamatos.pt
Os Dias São Connosco *
*Título retirado da crónica
Cardoso do jornal Público
Ainda Ontem
de Miguel Esteves
Quando a sua filha nasceu, Raquel Castro iniciou um
diário em vídeo de 365 dias para poder mostrar-lhe,
mais tarde, o seu primeiro ano de vida. Inspirada por
esse registo privado e documental, decidiu criar um espetáculo, uma carta-vídeo de uma mãe para uma filha
que é também um retrato de uma pessoa e do mundo
que a rodeia, feito ao vivo para ser visto no futuro.
“Quase sempre aquilo que parecia ter sido um dia igual
aos outros acabava por me surpreender,porque ao reviver o filme em câmara lenta no final de cada dia, dava
por mim a relembrar coisas, situações, imagens, pessoas
ou palavras que tinha ouvido ou dito, das quais dificilmente me tornaria a lembrar. Foi importante perceber
que a vida está cheia de presente, de um presente que
não podemos abarcar na totalidade. A sensação era a de
que afinal tinha vivido muito mais do que aquilo que
julgava. O vídeo acabava também por funcionar como
um depósito dessas coisas que nunca teriam lugar na
minha memória, coisas por que passei mas que, de outro modo, acabariam de fora da grande narrativa da
minha vida. A grande diferença que existe entre os vídeos que fiz para a minha filha ao longo do seu primeiro ano de vida e estes que farei agora no Teatro Maria
Matos, consiste na presença de um novo interlocutor, o
público. Para esta versão escolhi representar-me servindo-me das ferramentas próprias do teatro, procurando
tornar mais simbólicos alguns traços do meu retrato. Este é também um retrato datado, pretende ser um reflexo
dos dias de hoje. Ainda que semelhante em muitas coisas, este mesmo espetáculo feito daqui a um ano será
inevitavelmente diferente."
Raquel Castro
Desde 2008, tem trabalhado como atriz em projetos de
Gonçalo Amorim, João Mário Grilo, Pedro Gil, Ricardo
Gageiro, Rui Pina Coelho, Tiago Rodrigues e Mónica
Calle. Em 2011, participou no Laboratório de criação Biografia do Teatro Maria Matos onde nasceu o projeto Os
Dias São Connosco, a sua primeira criação.
Pedro Gil
Actor desde 1999. Colabora habitualmente com Artistas
Unidos, Gonçalo Amorim, mala voadora, Mundo Perfeito e Teatro o Bando. Criou, entre outros, os espetáculos
Homem-Legenda, Mona Lisa Show e Enquanto Vivermos.
João Gambino
Licenciado em cinema e vídeo, desde 2005 tem trabalhado como diretor de fotografia e operador de camara
para cinema, videoclips ou publicidade. Em teatro estreou-se no espetáculo Enquanto vivermos para o qual concebeu o desenho de luz e o vídeo.
Raquel Castro
criação e interpretação Raquel Castro apoio à dramaturgia Pedro Gil vídeo João Gambino fotografia de cena Mariana Silva direção de produção Stage One
produção executiva Maria João Santos e Maria Manuel coprodução Maria Matos Teatro Municipal agradecimentos Ana Pereira, André Nogueira, Helena Batista,
João Mourão e Maria da Luz (Galerias Quadrum), José Capela, Luís Lemos, Rui Pina Coelho, Nina Guerra, Filipe Guerra, Teatro Nacional D. Maria II, São Luiz Teatro
Municipal, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa um agradecimento especial a Mariana Tengner Barros, Alexandre Gregório, Carlos Malvarez, Diogo Andrade,
João Abel e Pedro Oliveira
a seguir...
teatro
mala voadora
dead end
qua 23 a sáb 26 janeiro 21h30
12€ / Com desconto 6€
Chris Torpe volta a colaborar com a mala voadora em dead end, um espetáculo que parte de uma recolha de narrativas
populares da zona de Guimarães para, tendo como referência o modelo narrativo do melodrama, se aproximar de
coisas como o mal, o destino e o sacrifício. dead end pode ser sobre a necessidade do mal.

Documentos relacionados