Itaú Unibanco Holding S.A.

Сomentários

Transcrição

Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de
Sustentabilidade 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
2
Homenagem
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Homenagem a
José Carlos Moraes Abreu
Em 18 de março de 2012, faleceu José
Carlos Moraes Abreu. Desde maio de
2011, era presidente de honra da Itaúsa.
Advogado, formado pela Universidade
de São Paulo em 1944, José Carlos
Moraes Abreu dedicou mais de 50
anos de sua vida ao Conglomerado
Itaúsa e teve papel extremamente
relevante no desenvolvimento da
Itaúsa – Investimentos Itaú S.A. e suas
controladas, apoiando os fundadores
Olavo Setubal e Eudoro Villela nos mais
diversos e importantes desafios, tanto
no setor financeiro quanto industrial.
Além de sua rica trajetória na Itaúsa
e suas controladas, Moraes Abreu
foi membro do Conselho Monetário
Nacional (CMN), de 1975 a 1984. Foi
membro do Conselho de Administração
da Itaúsa de maio de 1966 a abril 2011,
tendo sido presidente de setembro de
2008 a abril de 2011.
Já no Itaú Unibanco S.A., José Carlos
Moraes Abreu foi membro do Conselho
de Administração de 1964 a março
de 2003, tendo sido presidente do
Conselho de Administração em 1985
e vice-presidente de 1986 a março de
2003. Foi ainda diretor presidente de
março de 1985 a junho de 1990 e diretor
geral entre 1976 e 1985.
Sua contribuição ao grupo é inestimável.
Ao longo de sua vida foi um grande
banqueiro, um homem de muito
bom senso e um exemplo de ética
empresarial.
3
Sumário
Sobre o relatório . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
Mensagem do presidente do Conselho
de Administração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6
Mensagem do presidente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
Destaques 2011. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
Quadros de desafios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
2012. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
2011. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
2010. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
Perfil da organização. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
Principais indicadores financeiros. . . . . . . . . . . . . . . 27
Panorama e estratégias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Estratégia de sustentabilidade. . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Governança corporativa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41
Política de Governança Corporativa. . . . . . . . . . . . . 44
Regulamentos e políticas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
Estruturas de governança. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45
Nossas práticas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Gerenciamento de riscos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
Estrutura de comitês e comissões superiores
responsáveis pela gestão de riscos. . . . . . . . . . . 49
Gestão de crises e continuidade dos negócios. . 50
Negócios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
Banco comercial. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
Banco de varejo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
Microfinanças. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62
Pequenas e médias empresas . . . . . . . . . . . . . . . 69
Cartões de crédito. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73
Crédito imobiliário. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 75
Wealth Management & Services). . . . . . . . . . . . . 78
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Crédito ao consumidor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
Financiamento de veículos. . . . . . . . . . . . . . . . . . 84
Redecard . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87
Itaú BBA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88
Seguros, previdência e capitalização . . . . . . . . . . . 100
Negócios no exterior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 106
Relacionamentos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Acionistas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Clientes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Colaboradores. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Sociedade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Comunidade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Fornecedores. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Governo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Imprensa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
109
111
112
120
144
147
150
154
155
Investimentos sociais e culturais . . . . . . . . . . . . . . . . .
Social . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Fundação Itaú Social. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Instituto Unibanco. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Cultural . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Instituto Itaú Cultural . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
156
160
160
165
167
167
Meio ambiente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 169
Prêmios e reconhecimentos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 178
Índice remissivo GRI. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 182
Indicadores GRI – Formas de gestão. . . . . . . . . . . . . . 194
Declaração de Garantia (assurance statement)
Itaú Unibanco. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 201
Relatório de asseguração limitada dos auditores
independentes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 204
Declaração de exame do nível de aplicação GRI. . . . 206
Expediente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 207
4
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Sobre o relatório
A partir de 2011, o Relatório Anual de
Sustentabilidade do Itaú Unibanco passa
a ser divulgado exclusivamente online
5
Sobre o relatório
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Esta versão tem o intuito de divulgar
aos públicos de interesse um
panorama de como a organização
conduziu suas operações em 2011
e o que está projetado para 2012
O Itaú Unibanco Holding S.A. publica
seu Relatório Anual de Sustentabilidade
em linha com as diretrizes da Global
Reporting Initiative (GRI) e da
Associação Brasileira das Companhias
Abertas (Abrasca). Ele relaciona nosso
desempenho econômico, social e
ambiental aos dez princípios do Pacto
Global, iniciativa da Organização das
Nações Unidas (ONU). (Perfil 2.1, 3.5 e 4.12)
O relatório atingiu o nível A+ de
aplicação da Global Reporting Initiative
(GRI), de acordo com as diretrizes GRI
G3.1. Apresentamos, em sua totalidade,
as formas de gestão, os itens de perfil
e os indicadores de desempenho,
inclusive os setoriais. (Perfil 3.5)
Nesse ciclo, houve um esforço coletivo das
linhas de negócio para o relato da gestão
dos indicadores GRI do setor financeiro,
que aparecem em capítulos específicos.
Esse exercício visa mostrar a evolução
do monitoramento e da gestão, o que
aponta estágios diferentes de relato para
cada negócio. Por esse motivo, as linhas
trazem os indicadores setoriais reportados
em níveis variados de cumprimento das
diretrizes GRI.
As informações deste relatório retratam
o desempenho de toda a organização,
no Brasil e no exterior, no período de 1º
de janeiro a 31 de dezembro de 2011.
(Perfil 3.1 e 3.8) O exercício de limite
será realizado no prazo de quatro anos
e incluirá todas as organizações sujeitas
ao controle ou à influência significativa
do Itaú Unibanco Holding S.A. (Perfil 3.5,
3.6 e 3.7)
Entre 2009 e 2011, o banco passou
por um longo processo de consultas,
análises e reflexões, que resultou em
uma nova estratégia de sustentabilidade,
ainda mais próxima dos negócios: o
Mapa de Sustentabilidade. Ele define
três focos de atuação: Diálogo e
Transparência, Educação Financeira,
Riscos e Oportunidades Socioambientais.
Esses são os temas mais significativos
(materiais) relacionados ao nosso
negócio e ao contexto em que estamos
inseridos. No final de 2011, apresentamos
essa estratégia a especialistas. (Perfil
4.16) Para conhecer o processo de
elaboração dessa nova estratégia,
consulte o subcapítulo Estratégia de
sustentabilidade. (Perfil 1.2 e 3.5)
Com base nas diretrizes da norma
AA1000, o Itaú Unibanco realizou um
processo de mapeamento, classificação
e priorização de stakeholders. O nível
de engajamento que buscamos para os
públicos identificados varia conforme os
resultados das metodologias aplicadas.
Nossa atuação tem foco em todos os
stakeholders, por meio das diversas
ferramentas de engajamento, durante o
ano inteiro. (Perfil 4.16)
Os públicos estratégicos (stakeholders)
são colaboradores, clientes, acionistas,
investidores, sociedade, imprensa,
comunidade, poder público,
fornecedores, academia, associações
de classe/entidades e organizações não
governamentais (ONGs). (Perfil 4.14)
As principais formas de engajamento
adotadas pelo banco são informação,
consulta, negociação, envolvimento e
colaboração, com ações como: materiais
informativos, palestras, pesquisas,
painéis e fóruns multistakholders
ou fóruns para grupos específicos,
diálogos, canais em mídias sociais,
negociações, focus groups, joint
ventures, parcerias, workshops e
processos colaborativos, entre outras.
Ao longo do relatório, podem-se
encontrar exemplos de iniciativas, com
a frequência que aconteceram ao longo
do ano. (Perfil 4.16)
A transparência e a prestação de contas
para a sociedade são importantes
para manter a confiança de todos
os nossos públicos estratégicos. Por
isso, o relatório de sustentabilidade
é publicado anualmente (Perfil 3.3) e
apresenta o desempenho em relação ao
relatório anterior e às perspectivas para
2012. (Perfil 3.2 e 3.5)
As informações foram asseguradas pela
PwC, e o processo de relato foi verificado
pela BSD, de acordo com a norma AA1000.
Consulte as declarações aqui. Veja,
também, a tabela com as respostas aos
indicadores GRI ao final deste relatório.
(Perfil 3.12) Para conhecer a política de
contratação de auditores externos, acesse
o item 2 do Formulário de Referência em
http://www.itau.com.br/ri. (Perfil 3.13)
O relatório é fruto do trabalho de
centenas de pessoas, que fornecem
informações e indicadores sobre a
atuação do banco ao longo do ano.
O documento reflete um processo de
melhoria contínua e de aprofundamento
das práticas de gestão. Todos os
comentários, dúvidas, críticas e
sugestões são importantes e podem
ser encaminhados para o e-mail
[email protected] (Perfil 3.4)
Boa leitura!
6
Mensagem do presidente do Conselho de Administração
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Mensagem do presidente do
Conselho de Administração
Apesar do cenário global adverso,
ficamos entre os dez maiores bancos
do mundo em valor de mercado
(Perfil 1.1)
Passados três anos daquela que foi
uma das maiores fusões do mercado
financeiro internacional, é com enorme
satisfação que eu posso constatar em
quantas frentes – e de quantas maneiras
– a proposta de somar virtudes das
instituições que constituíram o Itaú
Unibanco se faz presente no dia a dia
do banco. A integração é, hoje, tão
completa e tão profunda que já nem a
comentamos mais, exceto em ocasiões
especiais, quando somos convidados
a fazer um balanço desse período tão
intenso, o que eu acredito ser o caso
de uma mensagem como esta. E meu
contentamento torna-se maior quando
percebo que, a despeito das incertezas
da economia global, o Brasil e a nossa
instituição continuam a apresentar
performances destacadas e sustentáveis.
Caminhando do geral para o específico,
começo minha análise pela economia
global. Em 2011, pela primeira vez
o risco de desintegração do euro
deixou de ser um tema tabu e passou
a frequentar discursos oficiais e a
fazer parte dos cenários considerados
por empresas e investidores. A crise
europeia saiu da periferia e passou
a ameaçar economias do porte
de Espanha e Itália, cujas dívidas
começaram a ser tratadas com
desconfiança e altas taxas de juros.
Reconhecer
de forma
diferenciada
os que geram
mais valor para
a instituição é
uma crença do
Itaú Unibanco e,
como tal, deve
ser encarada com
determinação
e ousadia
Pedro Moreira Salles
7
Mensagem do presidente do Conselho de Administração
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Assumimos o compromisso de
levar o índice de eficiência do
banco para 41% ao fim de 2013.
As bases para tal estão lançadas
Em meio a marchas e contramarchas,
sustos e volatilidade, e depois de várias
reuniões de cúpula, o euro sobreviveu.
Nos últimos dias de 2011, o banco
central europeu passou a oferecer linhas
de três anos aos bancos. Mais de 500
bancos obtiveram € 489 bilhões, criando
um colchão de liquidez que vai ajudar
a Europa a atravessar um 2012 que se
apresenta difícil. Não obstante, os riscos
permanecem – e a sobrevivência do
euro depende agora da capacidade
dos países europeus de coordenar uma
união fiscal, cujo primeiro e importante
passo são os ajustes fiscais, algo de difícil
implementação política face ao cenário
recessivo que se anuncia.
A China continuou a desacelerar. Apesar
das apreensões de sempre sobre o risco
de hard landing, a verdade é que essa
desaceleração é reflexo de políticas
oficiais que têm sido calibradas de modo
a reequilibrar a economia de maneira
suave. Os EUA tiveram um começo
de 2011 com crescimento lento e
politicamente conturbado. A dificuldade
em alcançar um acordo sobre o ajuste
fiscal levou à piora da classificação de
crédito do país. Nos últimos meses de
2011, os dados econômicos foram mais
positivos, embora a dificuldade de voltar
a crescer a taxas elevadas permaneça. O
desemprego segue alto, e o quadro fiscal
ainda é um enorme desafio.
Alguns dos principais países da
América Latina começaram o ano com
crescimento em aceleração e risco de
inflação, embora a dinâmica dos preços
ao consumidor, em geral, continuasse
bem comportada, casos de México,
Colômbia, Chile e Peru.
O Brasil começou o ano já com inflação
superior à meta e crescimento acima do
potencial. Aproveitou-se o primeiro ano
de governo para reequilibrar a economia
com políticas contracionistas, como
elevação dos juros na primeira metade
do ano, aperto das condições de crédito
e contenção das despesas fiscais. Mas
a inflação continuou a subir durante
quase todo o ano, cedendo apenas
nos últimos meses, como resultado da
interrupção do crescimento do Produto
Interno Bruto (PIB). Mais bem ajustado,
o Brasil prepara-se para voltar a crescer
em 2012, com inflação em queda. A
deterioração do cenário internacional
no segundo semestre contribuiu para
a diminuição da pressão inflacionária
e abriu espaço para um novo ciclo de
queda dos juros, que tende a continuar
em 2012. Certamente veremos taxa
Selic de um dígito em 2012. Se o ano
de 2011 terminou mais difícil do que
se imaginava em seus primeiros dias,
em 2012 o cenário pode ser oposto: um
começo complicado, com um final bem
mais satisfatório.
Quando avalio a performance do Itaú
Unibanco, destaco que nosso resultado
de 2011 apresentou crescimento
de 9,7% em relação ao ano anterior,
com um ROE de 22,3%. Ao longo
do exercício, enfrentamos diversos
desafios, relacionados principalmente a
crescimento da inadimplência, pressão
sobre as margens e temas ligados ao
controle de custos.
O sistema financeiro nacional apresentou
aumento de inadimplência, em função,
principalmente, do crescimento da
inflação e dos juros crescentes no
período – um movimento que havia sido
estimado por nós ainda no final de 2010.
Para nos preparar para tal contexto,
nós nos tornamos mais restritos nas
concessões de crédito, dedicando maior
foco a carteiras com melhores garantias
e menores riscos. Dessa forma, nosso
portfólio apresentou crescimento de
19,1% em 2011, com certa desaceleração
em relação ao período anterior, quando
o crescimento foi de 20,5%.
Nosso índice de eficiência alcançou
47,7% em 2011, com uma melhora de 1,4
ponto percentual em relação ao ano de
2010, e terminou o ano no seu patamar
mais baixo. A disseminação das práticas
relacionadas ao Projeto Eficiência – uma
abordagem sistêmica de gestão de
custos que já havia sido implantada,
com inegável sucesso, no Unibanco – foi
responsável por desenvolver uma forte
e abrangente cultura de atuação sobre
o tema na corporação, o que acabou
por cumprir um papel determinante
para a melhoria do índice. Esse processo
continuará nos próximos anos. Assumimos
o compromisso de levar o índice de
eficiência do banco para 41% ao fim de
2013. As bases para tal estão lançadas.
Importante salientar que o foco em gestão
de despesas não afetou o processo de
expansão da rede e a redefinição do
modelo de atendimento nas agências,
tornando-o ainda mais próximo das
necessidades dos nossos clientes.
A completa integração de Itaú e Unibanco
pode ser atestada pelo encerramento
do sistema legado do Unibanco, em
dezembro de 2011. A companhia
agora roda numa única plataforma
sistêmica, demonstração inequívoca da
8
Mensagem do presidente do Conselho de Administração
competência das nossas equipes. Essa
era a última grande etapa da unificação
dos bancos, e uma das mais complexas e
delicadas de todo o processo.
Mesmo com um cenário global adverso,
o desempenho operacional do Itaú
Unibanco permitiu que nossas ações
sofressem menor impacto relativo da
crise, o que nos fez avançar no ranking
mundial da Bloomberg de valor de
mercado de bancos, no qual passamos a
ocupar a oitava posição. É o terceiro ano
consecutivo em que figuramos entre
os dez maiores bancos do mundo por
esse conceito. Por outro lado, em termos
absolutos, nossa ação não teve boa
performance em 2011, encerrando o ano
14,6% abaixo do seu valor de abertura,
em reais. Já no início de 2012, houve
uma recuperação sensível da nossa
ação, refletindo os bons fundamentos
da companhia e do país. Por fim, entre
os muitos reconhecimentos que o
banco recebeu no período, eu gostaria
de destacar o prêmio de Banco Mais
Sustentável do Mundo, concedido
pelo jornal Financial Times e pela
International Finance Corporation (IFC).
Todos esses resultados e conquistas só
foram possíveis por conta da enorme
quantidade de talentos de nossa
organização. E foi justamente para
continuarmos a nos destacar na atração
e manutenção de talentos que Roberto
Setubal e eu escolhemos o grande tema
a ser destacado em nosso projeto de
cultura corporativa, nos próximos anos:
a meritocracia.
Muito mais do que um modelo de
gestão de carreiras ou de busca da
excelência, a meritocracia, para o
Itaú Unibanco, é uma questão de
sobrevivência. Como atuamos em
um mercado que é definido de forma
dramática pela capacidade de cada
instituição atrair, formar e reter talentos,
não seria possível imaginar outra
postura. Porque nada é mais relevante
para o desenvolvimento de talentos
e para a construção de uma cultura
corporativa diferenciadora do que a
prática contínua e intransigente da
meritocracia.
Reconhecer de forma diferenciada os
que geram mais valor para a instituição
é uma crença do Itaú Unibanco e,
como tal, deve ser encarada com
determinação e ousadia. O objetivo
final do processo meritocrático é
diferenciar os diferentes. Cada vez
mais, os profissionais levam em conta o
ambiente de uma organização na hora
de escolhê-la para trabalhar. Dentre as
diversas características organizacionais
ressaltadas pelos grandes talentos,
a meritocracia é certamente a mais
relevante. E, como talento atrai talento,
um ambiente no qual a meritocracia
predomina tende a criar um ciclo
virtuoso de atração e desenvolvimento
de profissionais. É nisso que acreditamos
– e é isso que vamos perseguir
obstinadamente.
Ao final do ano, o Conselho de
Administração iniciou uma longa
e complexa discussão sobre o
apetite de risco da organização. O
tema, fundamental para o perfil de
desenvolvimento do banco no futuro, foi
objeto de várias discussões do Comitê
de Riscos. A sua proposta ao Conselho,
assentada em processos sólidos e
metodologia própria, será alvo de
debates profundos ao longo do primeiro
semestre de 2012.
Por fim, gostaria de agradecer a todos
os acionistas, clientes, parceiros e
colaboradores do Itaú Unibanco, sem
os quais não seria possível construir
nossa visão de futuro, que é ser o banco
líder em performance sustentável e em
satisfação dos clientes.
Pedro Moreira Salles
Presidente do Conselho de
Administração
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Todos esses
resultados e
conquistas só
foram possíveis
por conta
da enorme
quantidade de
talentos de nossa
organização
9
Mensagem do presidente
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Mensagem do presidente
Com o processo de unificação entre
Itaú e Unibanco totalmente concluído,
em 2011 direcionamos nosso foco
para o aumento da eficiência
(Perfil 1.1)
2011 foi um ano de muitos desafios.
Mais um motivo para celebrarmos os
bons resultados que tivemos, com
crescimentos robustos de carteiras e
o equilíbrio entre receitas e despesas,
que resultou no lucro de R$ 14,6
bilhões. Tudo isso aliado ao sucesso
na conclusão da nossa integração, que
só foi possível graças aos craques que
temos aqui na empresa e que jogam
para o time.
Operacionalmente, o processo de
unificação entre Itaú e Unibanco
– iniciado em novembro de 2008 –
apresentou poucos problemas. E, do
ponto de vista cultural, fomos muito
bem-sucedidos e conseguimos alcançar
um grande nível de motivação dentro
do banco. Prova disso é que a Fale
Francamente, nossa pesquisa interna
de clima, tem avançado de forma
consistente nos últimos dois anos: de
2009 para 2011, a satisfação dos nossos
colaboradores saltou de 69% para 75%.
Mesmo em um ano marcado pela
elevação da volatilidade no cenário
internacional, especialmente a partir de
agosto, ratificamos nosso compromisso
com a economia brasileira por meio
da continuada expansão da nossa
carteira de crédito, e os resultados que
obtivemos ao longo de 2011 refletem
nosso comprometimento com o
desenvolvimento do país.
Acima de tudo,
acreditamos que
não é possível
oferecer um bom
atendimento
aos clientes
se não formos
eficientes
Roberto Setubal
10
Mensagem do presidente
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Nossas relações, nossas políticas e
nossos produtos só serão sustentáveis
se forem bons para os clientes, para
os colaboradores, para os acionistas e
para a sociedade em geral
Em 2011, também avançamos rumo
a nossa internacionalização, com
foco maior na América Latina, onde
pretendemos ser o banco preferencial
de clientes pessoas físicas, das grandes
companhias locais, das empresas
multinacionais com filiais na região e de
investidores em geral.
Para 2012, manteremos o foco na
expansão de nossos negócios nas
Américas, especialmente na América
Latina, cujas economias nacionais
têm se mostrado bastante sólidas,
apesar da crise internacional. Dessa
forma, nosso progresso regional
dependerá, em grande parte, das
oportunidades específicas que surgirem
para realizarmos aquisições – tanto na
América Latina quanto, eventualmente,
nos Estados Unidos.
Depois de todo o esforço na integração,
em 2011 nós definimos um novo
objetivo para o banco nos próximos
anos: a eficiência. Nossa meta é alcançar
um Índice de Eficiência (IE) de 41%
ao final de 2013, a partir do patamar
de 47,7% registrado em 2011. Esse
percentual de 41% significa que, para
gerar R$ 1 de receita, é necessário
investirmos cerca de R$ 0,41.
Para alcançar esse resultado, já
colocamos em curso o Projeto Eficiência,
que está sendo implementado, de
maneira transversal, em todas as
áreas do banco e tem como objetivo
criar indicadores que auxiliarão no
acompanhamento das metas de
aumento de receitas, redução de custos
e economia de recursos.
E, quando falamos em eficiência,
não pensamos apenas em cortes de
despesas: queremos que as receitas
cresçam de maneira mais acelerada do
que os gastos. Estamos concentrando
nossos esforços em melhorar processos
e buscar inovações para sermos, cada
vez mais, um parceiro de longo prazo
e de qualidade na relação com nossos
clientes.
Acima de tudo, acreditamos que não é
possível oferecer um bom atendimento
aos clientes se não formos eficientes.
Com pessoas mais qualificadas e
focadas em meritocracia, estruturas
mais adequadas, processos mais
inteligentes, queremos nos tornar um
banco mais eficiente para oferecer
produtos e serviços mais qualificados,
com agilidade e simplicidade. Só
assim continuaremos crescendo e
gerando valor aos acionistas, clientes e
sociedade.
Não temos dúvida de que esse
cenário contrasta com o que ainda
enfrentamos em órgãos de defesa do
consumidor, onde o foco é reduzir o
número de reclamações registradas
contra o banco. Estamos insatisfeitos
e incomodados com os rankings e
já estamos atuando em diversos
programas de gestão da qualidade,
que vão, certamente, melhorar nossa
posição quanto às reclamações e
deverão aumentar a satisfação de
nossos clientes. Essa é uma de nossas
metas mais importantes para 2012.
11
Mensagem do presidente
Graças a compromissos e práticas como
esses, conquistamos o reconhecimento
de banco mais sustentável do mundo,
concedido pelo jornal Financial Times e
pela International Finance Corporation
(IFC). Esse resultado nos deixou muito
felizes, pois essas renomadas instituições
investigaram nossas práticas, crenças e
objetivos e avaliaram nossas políticas
de recursos humanos, de tecnologia, de
relacionamento com os clientes e até
nossas políticas de extração de preços,
tarifas, serviços e juros. Temos plena
consciência de que tudo o que o banco
faz em suas atividades diárias tem que
ser sustentável. Na mesma linha, fomos
confirmados, pela 12ª vez consecutiva,
como integrantes do Dow Jones
Sustainability World Index e do Índice de
Sustentabilidade Empresarial da Bolsa de
Valores de São Paulo (ISE BM&FBovespa).
Tudo isso nos ajudou muito a definir o
conceito de performance sustentável
em 2011. Após amplo processo interno
de diálogo, concordamos em concordar
que nossas relações, nossas políticas e
nossos produtos só serão sustentáveis
se forem bons para os clientes, para os
colaboradores, para os acionistas e para
a sociedade em geral. Redefinimos três
focos estratégicos: Educação Financeira,
Diálogo e Transparência e Riscos e
Oportunidades Socioambientais.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Penso que 2012 também será um
ano difícil, em decorrência das
mudanças que estão ocorrendo no
mundo e, mais especificamente,
na Europa. Uma série de dúvidas e
riscos pode ganhar relevância no
cenário internacional e refletir no
desempenho econômico do Brasil,
cujo crescimento deve alcançar o
patamar de aproximadamente 3,5%.
Mas acredito que, de forma geral, o
Brasil se sairá bem, mesmo que com
eventuais ajustes na economia.
Nossa expectativa em relação ao
resultado do Itaú Unibanco para 2012
é muito positiva. Será o primeiro ano
em que iremos operar totalmente
integrados e mais prontos para
uma melhor geração de valor para
acionistas, clientes, colaboradores e
sociedade.
Atenciosamente,
Roberto Setubal
Diretor-presidente do Itaú Unibanco
Holding S.A.
Depois de todo
o esforço na
integração,
em 2011 nós
definimos um
novo objetivo
para o banco nos
próximos anos:
a eficiência
12
Destaques 2011
Em 2011, o Itaú Unibanco foi eleito
o Banco Mais Sustentável do Mundo
pelo Financial Times e pela IFC
13
Destaques
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Prêmio 2011 FT/IFC Sustainable Finance Awards
– em junho de 2011, fomos reconhecidos como Sustainable
Bank of the Year pelo jornal britânico Financial Times e pela
International Finance Corporation (IFC), braço para o setor
privado do Banco Mundial. O Itaú Unibanco também está
presente no Dow Jones Sustainability World Index (DJSI) desde
sua criação, em 1999.
Foco na meritocracia e na eficiência –
durante o Encontro entre Líderes de 2011,
Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles
compartilharam com 12 mil gestores os
novos focos da agenda estratégica do
banco: meritocracia e eficiência.
Nova estratégia de sustentabilidade –
o Comitê Executivo validou o conceito
de performance sustentável e o Mapa
de Sustentabilidade, que reflete
a integração sustentabilidade na
estratégia de negócios do Itaú Unibanco.
Mais Transparência – lançado em agosto,
o Programa Transparência 100% busca
uma comunicação mais clara, simples
e objetiva, em um diálogo mais aberto
com o cliente, baseado em simplicidade,
educação financeira e inovação.
Itaú no Complexo do Alemão (RJ) – o
Itaú Unibanco inaugurou sua primeira
agência no Complexo do Alemão,
na zona norte do Rio de Janeiro, em
setembro. Desde o início de 2011, o
banco mantém cinco quiosques com
caixas eletrônicos em comunidades com
Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).
Itaú: entre as marcas mais valiosas do
mundo – com valor de mais de R$ 24
bilhões, segundo a Interbrand, o Itaú é,
pelo oitavo ano consecutivo, a marca
brasileira mais valiosa. Em 2011, pela
primeira vez, a marca foi listada entre
as 100 mais valiosas do mundo pelo
ranking BrandZ, publicado pelo jornal
Financial Times.
Primeira conta-corrente exclusivamente
eletrônica – a iConta foi feita
para clientes que queiram utilizar
exclusivamente os canais eletrônicos
do banco: Itaú 30 horas na internet,
telefone (atendimento eletrônico),
celular, iPad e caixas eletrônicos. As
transações incluídas no pacote da iConta
são ilimitadas e gratuitas.
Mobilidade urbana – estimular o uso da
bicicleta como meio de transporte para
evitar emissões de gases do efeito estufa
(GEE) e contribuir com a mobilidade
urbana e a redução do sedentarismo.
Esses são os objetivos do projeto Bike
Rio, do qual o Itaú Unibanco é parceiro.
Quadros de desafios
Para tornar a prestação de contas
ainda mais clara e transparente,
disponibilizamos três quadros
com nossos desafios
(Perfil 1.2)
14
2012
Principais desafios assumidos para 2012
Desafios
Obter melhoria de 2 a 3 pontos percentuais no Índice de Eficiência até o final do ano de 2013.
Implantar uma agência do Itaú Unibanco em todas as cidades brasileiras com mais de 40 mil habitantes.
Promover o crescimento da carteira de clientes Itaú Uniclass de 2,1 milhões para 2,5 milhões de clientes até o final de 2012.
Aumentar a escala da operação do Itaú Microcrédito por meio de parcerias e promover um crescimento de 80% na carteira de clientes.
Diminuir as taxas cobradas no segmento de cartões de crédito, a partir do segundo semestre de 2012, para enfrentar o
aumento da competitividade do mercado.
Lançar índice de sustentabilidade e novos produtos relacionados à área socioambiental do Itaú BBA.
Estreitar o relacionamento com as áreas socioambientais dos clientes externos do Itaú BBA para agregar valor e reduzir os riscos.
Finalizar o portal de intranet que unificará todos os portais do banco. Em 2011, do total de 200 portais de intranet existentes
no banco, foram inseridos 40 portais no novo portal unificado.
Finalizar a reforma para modernizar o data center antigo (Centro de Processamento de Dados da avenida do Estado). Em 2012,
serão reformulados 3.000 m2, o que gerará uma redução total de 43% no consumo de energia elétrica desse CPD.
Implantar sistemas de biometria (de reconhecimento digital e facial) em 4.380 agências.
Construir o painel de monitoramento de sustentabilidade, por meio da definição de objetivos, metas, planos de ação e
indicadores relacionados aos três focos da estratégia de sustentabilidade nos negócios.
Expandir as salas de telepresença e videoconferência no Brasil. A meta é criar mais cinco salas de telepresença e 10 salas de
videoconferência até o final de 2012.
Inaugurar o museu que reunirá a colação Brasiliana e a coleção de numismática do Itaú Cultural.
Intensificar as parcerias com a área pública, focando a gestão educacional e a implementação de políticas intersetoriais de
educação integral (escola, família e comunidade).
Disseminar e estimular a metodologia de avaliação econômica para programas e projetos sociais.
Contribuir para intensificar a participação dos colaboradores do Itaú nas ações de voluntariado.
Instalar a nova governança de sustentabilidade no Itaú Unibanco. (Sustentabilidade)
Realizar diálogos com especialistas e outros públicos estratégicos para refinamento e legitimação das plataformas.
(Sustentabilidade)
Diminuir as taxas cobradas no segmento de cartões de crédito a partir do segundo semestre de 2012 para enfrentar o aumento
da competitividade do mercado. (Crédito ao Consumidor)
Manter o market share no segmento de cartões de crédito. (Crédito ao Consumidor)
15
Quadros de desafios
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Desafios
Aplicar o modelo japonês Kaizen (de erro zero) em todos os processos da área de Crédito ao Consumidor, que serão revisitados
e redesenhados. (Crédito ao Consumidor)
Participar de iniciativas empresariais e do setor financeiro para a Rio +20. (Sustentabilidade)
Lançar as enciclopédias de Cinema, Dança e Música e o novo site durante as comemorações dos 25 anos do Instituto Itaú
Cultural. (Instituto Itaú Cultural)
Inaugurar o museu que reunirá a colação Brasiliana e a coleção de numismática do Itaú Cultural (Instituto Itaú Cultural)
Promover a circulação dos acervos do instituto em mais de 10 exposições a serem realizadas no Brasil e na América Latina.
(Instituto Itaú Cultural)
2011
Resultados dos principais desafios assumidos em 2011
Desafios
Resultados
Comentários
Aumentar a participação do Itaú
Unibanco nos mercados em que atua
na América do Sul (Argentina, Chile,
Uruguai e Paraguai).
Cumprido
Aumentamos participação na concessão de empréstimos nos países
do Cone Sul. Na Argentina, nossa participação passou de 1,4% para
1,6% (dados de out./2011); no Chile, de 3,5% para 3,9% (dados de
nov./2011); no Paraguai, de 14,6% para 16,0% (dados de nov./2011);
e no Uruguai, de 8,5% para 9,6% (dados de dez./2011). Nos países
da América Latina onde atuamos, o aumento da participação de
mercado foi superior às metas estabelecidas.
Ampliar a rede de agências no exterior.
Cumprido
Inauguramos 12 agências no Chile, oito no Paraguai e uma no Uruguai.
Ampliar o segmento de empresas
nos mercados externos, com foco em
pequenas e médias empresas.
Cumprido
A carteira de crédito de pequenas e médias empresas da Latam
cresceu 39,7% em 2011.
Consolidar a cultura organizacional
Parcialmente
cumprido
Evoluímos no entendimento da nova cultura, mas se trata de um
exercício contínuo.
Fortalecer o conceito de meritocracia na
organização.
Parcialmente
cumprido
Tivemos grandes avanços, como a implantação das avaliações
periódicas de performance, importante ferramenta para o
exercício da meritocracia. Esse é um dos temas estratégicos a
serem trabalhados por toda a organização nos próximos anos.
Migrar 600 agências para o novo padrão
visual (layout).
Parcialmente
cumprido
Migramos 440 agências para o novo padrão visual e reduzimos
em 40% o custo por metro quadrado reformado. Toda a rede de
agências deverá estar reformada até 2013.
Implantar ferramenta sistêmica de
avaliação para o procedimento Conheça
seu Fornecedor e expandir as categorias
a serem avaliadas.
Cumprido
Cumprir agenda de reformas
e manutenção das unidades
administrativas para ampliar as práticas
de ecoeficiência (reutilização da água,
aproveitamento de lençóis freáticos,
redução do uso de energia).
Parcialmente
cumprido
O programa Conheça seu Fornecedor nos propicia minimizar os
principais riscos associados ao relacionamento do Itaú Unibanco
com companhias inidôneas ou suspeitas de envolvimento em atos
ilícitos. A ferramenta sistêmica foi disponibilizada, e expandimos as
avaliações para novas categorias.
Até o momento, foram reformados cerca de 96% dos prédios. O
término está previsto para meados de 2012.
16
Quadros de desafios
Desafios
Manter o crescimento do Itaú BBA.
Aumentar a participação do Itaú BBA
nas emissões de títulos de renda fixa e
ações de empresas latino-americanas.
Ampliar as operações do Itaú BBA com
clientes corporate.
Aprimorar o atendimento aos clientes
ultralarge.
Implementar no Itaú BBA os
compromissos assumidos no âmbito do
Protocolo Verde.
Manter participação ativa do Itaú BBA
no Comitê Diretivo dos Princípios do
Equador.
Realizar capacitações das equipes do
Itaú BBA para lidar com mudanças
climáticas e desenvolver, no médio e no
longo prazos, instrumentos e medidas
de mitigação e adaptação, incluindo
mecanismos de financiamento.
Promover a expansão internacional
da auditoria interna, com o
fortalecimento das estruturas externas
na América Latina e a revisão dos perfis
profissionais.
Implantar ferramentas de prospecção,
análise e estatística para subsidiar os
trabalhos da auditoria interna.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Resultados
Comentários
Cumprido
O Itaú BBA registrou crescimento de 7,7% no produto bancário, de
20,3% na carteira de crédito, coobrigações e títulos (sem considerar
clientes migrados em 2011) e de 28% nos volumes transacionados
de cash management. O ROE médio do Itaú BBA ficou em 25,1%.
Cumprido
O Itaú BBA coordenou 19 das 23 ofertas públicas no Brasil, em
2011; quatro ofertas em Latam (todas na Argentina), com volume
de US$ 3,8 bilhões, contra nenhuma em 2010; e quatro ofertas em
volume de US$ 400 milhões, contra uma em 2010;
O banco de atacado também ampliou a cobertura de research para
82% do MSCI Latam e, em relação ao fee pool Latam, manteve os
resultados e aumentou a participação nas receitas originadas na
região (o percentual do fee pool passou de 7%, em 2010, para 9,3%,
em 2011).
Cumprido
O Itaú BBA incorporou 400 clientes oriundos do Itaú Unibanco
e 1.600 grupos com faturamento entre R$ 350 milhões e R$ 1
bilhão. O banco de atacado registrou crescimento de 33% da
carteira, atingindo EAD de R$ 28 bilhões (+ R$ 6 bilhões de clientes
migrados).
Cumprido
O Itaú BBA redefiniu a segmentação interna de clientes em
setembro de 2011 e criou o segmento Ultra Large para atender
250 grupos econômicos com faturamento superior a R$ 5 bilhões
anuais. Também registrou 8% de crescimento no mesmo período.
Parcialmente
cumprido
O Itaú BBA respondeu a matriz de indicadores e participa de
grupos de trabalho para reavaliação e identificação de temas
prioritários.
Cumprido
Como resultado da participação ativa e de liderança do Itaú BBA
nas discussões sobre a revisão dos Princípios do Equador, o Itaú
Unibanco foi reeleito, em outubro de 2011, membro do Comitê
Diretivo dos Princípios do Equador.
Cumprido
O Itaú BBA participa da revisão dos Princípios do Equador, atua como
líder de bancos de mercados emergentes nas discussões relacionadas a
mudanças climáticas e contribui para a definição de critérios adequados
e efetivos à realidade brasileira e de países emergentes. Além disso, no
ano de 2011, o Itaú BBA iniciou negociações internas e com clientes para
a identificação de oportunidades de negócios com créditos de carbono.
Estão sendo estudadas oportunidades para o desenvolvimento de
produtos que gerem receitas financeiras ao banco baseadas em créditos
de carbono.
Cumprido
Foram intensificadas as visitas às diversas unidades e feitas
reuniões com reguladores, executivos, Comitê de Auditoria e
equipes de auditoria locais, buscando fortalecer a governança e o
relacionamento nas diversas esferas e identificar necessidades de
desenvolvimento.
Cumprido
Implementamos estrutura que otimiza o uso de tecnologia nas
auditorias, permitindo que a abrangência dos trabalhos vá além
de escopos tradicionais e alcance, dentre outros fatores, análises
estatísticas cíclicas e contínuas dos riscos relevantes. Com isso, o
auditor migra a estratégia de atuação baseada em itens amostrais
para a estratégia de revisão de 100% das transações num período
de análise.
17
Quadros de desafios
Desafios
Ampliar a automatização dos processos
da auditoria interna.
Criar estrutura para a abordagem
da auditoria de projetos, com foco
na avaliação dos escritórios e no
acompanhamento dos projetos críticos
da companhia.
Intensificar a avaliação sistemática dos
riscos de fraude, lavagem de dinheiro,
regulatório e de imagem.
Ampliar a cobertura da SOx nos
trabalhos rotineiros da auditoria interna.
Encerrar o processo de revisão
de contratos, que deverão ser
apresentados em português claro.
Aprofundar o modelo de gestão para os
contenciosos e ampliar a proximidade
com o Ministério Público e o Judiciário.
Reduzir as entradas e o custo médio de
ações legais.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Resultados
Comentários
Cumprido
A capacidade e abrangência dos testes de auditoria foi ampliada
com a aplicação de ferramentas de tratamento de bases de dados
– como ACL (Audit Comand Language) e SAS (Statistic Analyze
System). Processos para retenção e multiplicação do conhecimento
em análise de dados foram implementados, visando ganhos de
eficiência na atividade de auditoria.
Com relação aos processos de suporte, foram feitas melhorias no
sistema de gestão da Auditoria, como a automatização da matriz de
riscos relevantes, e melhorias operacionais no fluxo de auditorias
integradas, que possuem foco tanto em negócios quanto em
tecnologia.
O relatório de auditoria passou a ser eletrônico, gerando economia de
34 mil páginas/ano e redução dos custos de entrega.
Cumprido
Implementamos uma abordagem alinhada às melhores práticas
de gestão de projetos, cuja avaliação compreende análise sobre
a gestão de escopo, tempo, recursos humanos, risco, qualidade,
orçamento, comunicação, aquisição e integração. Foram realizadas
cinco auditorias de projetos, duas auditorias de escritórios de
projetos e 13 acompanhamentos de projetos.
Cumprido
Realizamos auditoria da estrutura responsável pelo Programa
de Prevenção a Atos Ilícitos e pela validação das políticas
setoriais de PLD, além do controle detectivo de operações de
câmbio suspeitas. Para as unidades de negócio, avaliamos o
cumprimento das políticas setoriais e a adequação das estruturas,
procedimentos e comunicação ao regulador.
Os riscos regulatórios são avaliados em todos os trabalhos e,
em 2011, obtivemos uma visão abrangente da atuação da área
corporativa de Controles Internos e Compliance, com base na
consolidação dos apontamentos das auditorias rotineiras.
As avaliações dos riscos de fraude e de imagem compõem o
escopo das auditorias rotineiras nas unidades de negócio.
Cumprido
A sinergia com os auditores externos para o aproveitamento
dos trabalhos da AI foi fortalecida. A quantidade de controles
SOx testados nos trabalhos rotineiros passou de 436 para 644,
numa evolução de 48%. Adicionalmente, para atendimento aos
normativos de IFRS, foram testados 138 controles SOx, totalizando
782 verificações, uma evolução de 79%.
Parcialmente
cumprido
A revisão dos contratos foi concluída em praticamente todos
os processos de atendimento pessoa física. A linguagem dos
contratos está clara, simples e objetiva.
Cumprido
Temos reavaliado constantemente nossas práticas e participado
de discussões com órgãos como o Ministério Público e os Tribunais
de Justiça para entender como podemos contribuir para melhorar
nossa gestão e também propor, com ética e transparência, soluções
alternativas para a solução de litígios massificados.
Parcialmente
cumprido
O banco está selecionando para defesa casos e assuntos nos quais tem
condições de produzir boas provas e de ter maior expectativa de ganho
com o objetivo de alcançar 80% de sucesso no índice de resultados
favoráveis no final de 2012. Dessa forma, o banco também contribui
com o Judiciário, pois, ao se conciliar com os clientes, reduz o número
de processos a serem julgados e auxilia, de modo geral, o sistema
financeiro, identificando e explicando os assuntos relevantes aos juízes.
18
Quadros de desafios
Desafios
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Resultados
Comentários
Desenvolver sistemas que consomem
menos energia e utilizam menor
quantidade de recursos físicos,
contribuindo para a otimização dos CPDs.
Cumprido
As ações de melhoria no desenvolvimento de sistemas e na
escolha criteriosa das aplicações que suportam os negócios
possibilitaram a adoção massiva de ambientes virtualizados e,
como consequência, reduzir e/ou evitar o crescimento em 233
servidores físicos nos data centers.
Repensar os sistemas aplicativos,
tornando-os mais eficientes do ponto
de vista do consumo de máquina,
energia e de utilização de insumos,
como papel.
Cumprido
Esse é um programa contínuo, que tem como meta a redução de
5% no consumo de energia de todos os aplicativos utilizados no
banco.
Parcialmente
cumprido
O saldo da carteira de crédito imobiliário atingiu, em dezembro
de 2011, R$ 20,1 bilhões, com crescimento de 51% em relação a
dezembro de 2010.
Cumprido
Em 2011, expandimos a Certificação Itaú Empresas (Ciemp) para
a equipe de produtos da área Empresas. Até o final de 2013,
esperamos ampliar a certificação Ciemp considerando as áreas
comerciais e de operações.
Dobrar o tamanho da carteira de crédito
imobiliário.
Expandir o programa de certificação
Ciemp (Certificação Itaú Empresas) para
toda a área Empresas.
Concluir a unificação das tesourarias.
Parcialmente
cumprido
A unificação das tesourarias não foi concluída devido à
complexidade do processo, que será finalizado em 2013.
Avançar na implantação da Plataforma
Fluir (programa de reformulação de
processos financeiros).
Cumprido
O projeto avançou: quatro produtos foram inseridos na plataforma
em 2011. Em 2012, a meta é fazer com que 50% dos produtos
sejam incluídos.
Ter balanço consolidado pelo
International Financial Reporting
Standards (IFRS).
Cumprido
O balanço já está sendo publicado trimestralmente em IFRS para o
Itaú Unibanco Holding.
Cumprido
Em relação à participação de mercado, a Superintendência de Seguros
Privados (Susep), órgão responsável pela divulgação de informações
ao mercado, não as atualiza desde julho de 2011. Sendo assim, não foi
possível medir o market share do segmento de seguros. Com relação
ao aumento da relevância no resultado do Itaú Unibanco, o Índice de
Seguridade cresceu de 11,5%, entre janeiro a setembro de 2010, para
12,9%, no mesmo período de 2011. Aguardaremos o fechamento do
4º trimestre para obter a comparabilidade anual.
Considerando a qualidade no atendimento, registramos queda
de 19%, em 2011 (na comparação com 2010), no volume de
reclamações que deram entrada no Procon para os clientes da área
de Seguros (exceto Garantec).
Conquistar maior participação no
mercado de seguros e maior relevância
no resultado do banco, mantendo o foco
na eficiência operacional e na qualidade
do atendimento aos nossos clientes.
Resultados
25%
75%
Cumprido
Parcialmente
cumprido
Total 32 desafios,
sendo 24 cumpridos e
8 parcialmente cumpridos
19
Quadros de desafios
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
2010
Desafios assumidos em 2010 que não foram cumpridos ou parcialmente cumpridos
Desafios
Resultados em 2010
Resultados em 2011
Ampliar as iniciativas de
captação e reúso de águas
pluviais.
Parcialmente cumprido
A instalação de caixa-d’água para
captação de água pluvial (reutilização nos
vasos sanitários do prédio A do Centro
Administrativo Tatuapé) foi iniciada.
Cumprido
A construção da caixa de reúso de água
iniciou-se em maio/2010, e o processo
começou a funcionar em set./2011.
Substituir as válvulas de
descarga em todos os polos
administrativos para obter uma
economia mínima de 20% a
40% no consumo de água.
Parcialmente cumprido
Os andares dos principais prédios
administrativos estão passando por
reformas. O novo layout contempla
torneiras mais econômicas, bem como
válvulas de descarga dual flush e mictório
que consome 0,8 litro de água por
acionamento.
Cumprido
Até o momento, foram reformados mais de
95% dos prédios programados (principais
polos). O término das reformas está previsto
para meados de 2012.
Implantar o sistema de gestão
ambiental das operações.
Parcialmente cumprido
O Centro Administrativo Tatuapé, um dos
principais prédios administrativos, está
passando pelo processo de certificação
ISO 14001. Podemos destacar como uma
das melhorias já implementadas no site a
criação e manutenção de um Sistema de
Gestão Ambiental, que controla e mensura
o consumo de recursos em geral, bem
como a geração de resíduos e demais itens
que possam causar impactos ao meio
ambiente.
Cumprido
– Sistema de Gestão Ambiental: atendimento
a aproximadamente 200 leis ambientais
aplicáveis ao prédio. Implementação de
cerca de 50 normas regulamentadoras
(NBRs/NRs).
– Gerenciamento e controle de cerca de 60
aspectos ambientais.
– Confirmação de regularidade de
documentos legais originados de órgãos
ambientais pertinentes.
– Implantação de objetivos e metas
específicos.
– Eliminação gradativa dos gases R-22
agressivos à camada de ozônio.
– Treinamento presencial para cerca de
1.000 prestadores de serviços e treinamento
e-learning para mais de 4.200 colaboradores
do CA Tatuapé.
– Implantação de controles para destinação
de resíduos.
– Instalação de um lavador de gases.
Utilizar a água de reúso nas
torres de refrigeração de outros
edifícios administrativos, além
dos que já usam esse processo.
Não cumprido
O projeto ainda está em estudo.
Parcialmente cumprido
No Centro Tecnológico, está em processo
de finalização a implementação do reúso de
águas servidas com o aproveitamento do
efluente tratado na reposição das perdas por
evaporação em cinco (torres de resfriamento.
Esse projeto será finalizado e entrará em
operação a partir de meados de 2012.
20
Quadros de desafios
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Elaborar e implantar um
programa de gestão de
resíduos que estabeleça
processos, registre evidências
e estimule prestadores de
serviços a melhorar suas
práticas.
Parcialmente cumprido
O programa de gestão de resíduos foi
implantado no Centro Administrativo
Tatuapé, com o intuito de controlar,
monitorar e reduzir a geração de resíduos
e seus impactos ambientais, garantindo,
assim, a prática da destinação correta de
resíduos. É provável que as ações tomadas
nesse site sejam replicadas gradativamente
nos demais.
Parcialmente cumprido
Em 2011, foi implementada a ISO 14001 no
Centro Administrativo Tatuapé e o sistema
de gestão de resíduos está inserido nesse
sistema.
Nos demais prédios da administração
central, foram reciclados cerca de 64% de
todos os resíduos gerados.
Outros resíduos oriundos das áreas de obras
e manutenção estão sendo descartados
adequadamente, como, por exemplo:
descarte de lâmpadas fluorescentes,
processo de coleta e fragmentação de
documentos auxiliando a área de arquivo,
coleta de material classe II e III na unidade
Rudge Ramos, coleta de material classe II na
unidade São Caetano e outros.
Aperfeiçoar o site de
fornecedores, com
metodologias incorporadas
após a associação.
Parcialmente cumprido
Foram implementadas diversas melhorias
no sistema de fornecedores, com a inclusão
de novos status gerenciais e o cadastro
interno de fornecedores, a inclusão de
documentos para análises complementares,
a definição de novos campos – que
permitem análises mais aprofundadas
– e o desenvolvimento de sistema para
automação do processo PLD. Em 2011,
ocorrerão a implantação da automação da
avaliação KYS (Know Your Supplier, sigla em
inglês para Conheça o seu Fornecedor) e
outras melhorias.
Cumprido
Concluímos a implantação do sistema
automatizado para avaliação KYS (Conheça o
seu Fornecedor).
Desenvolvemos plano de visita a
fornecedores e lançamos documento para
o mercado para mapearmos condutas
referentes aos valores, transparência
e gestão ambiental e social de nossos
principais fornecedores.
Criamos o programa Diálogo de
Sustentabilidade, para o engajamento dos
fornecedores.
Estabelecemos, em parceria com o Jurídico
Trabalhista, um plano mais robusto de
acompanhamento periódico de categorias
de mão de obra intensiva.
Alcançar 80 mil escolas e 300
mil educadores por meio
da Olimpíada da Língua
Portuguesa – Escrevendo o
Futuro.
Parcialmente cumprido
A Olimpíada da Língua Portuguesa –
Escrevendo o Futuro, promovida pela
Fundação Itaú Social, alcançou 239 mil
educadores e 60 mil escolas.
Essa é uma ação que acontece bienalmente;
portanto, não houve mudança nos números
em 2011.
Ampliar as bases de dados
virtuais do Instituto Itaú
Cultural, com o lançamento
das enciclopédias de
Cinema, Dança e Música e o
lançamento do novo site da
instituição, que potencializará
seu caráter de portal de
conteúdos voltados
à reflexão sobre a arte e a
cultura brasileiras.
Parcialmente cumprido
O Instituto Itaú Cultural está com o núcleo
em fase de pesquisa para o lançamento das
enciclopédias de Cinema, Dança e Música.
O novo site não foi lançado em decorrência
de problemas de desenvolvimento de
tecnologia.
Parcialmente cumprido
As novas enciclopédias estão passando
pela fase de redação dos verbetes. Já o site
não foi lançado devido a problemas de
desenvolvimento da empresa que estava
responsável pelo novo projeto.
21
Quadros de desafios
Transferir a tecnologia do
Programa Entre Jovens
à Secretaria Municipal
de Educação do Rio de
Janeiro, para ser implantada
experimentalmente em 349
escolas da rede.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Não cumprido
A tecnologia foi aplicada nas escolas,
porém, sem transferência da tecnologia
(o projeto Transferência foi concebido e
cronologicamente detalhado a partir da
estratégia aprovada pelo conselho e pela
diretoria do Instituto Unibanco).
Cumprido
Em 2011 a Secretaria Municipal de Educação
assumiu a execução do PEJ em 90 escolas
da sua rede, com estudantes de 9ª série do
Ensino Fundamental, como estratégia de
preparação para o Ensino Médio.
Durante 2010, os resultados da aplicação
da tecnologia social Jovem de Futuro
foram mensurados, e o impacto do projeto,
comprovado por um criterioso processo
externo de avaliação.
Com esses resultados, em 2011, foi possível
apresentar a proposta de transferência da
tecnologia para seis estados brasileiros:
Ceará, Pará, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas
Gerais e São Paulo. Hoje, o Jovem de Futuro
integra o Programa Ensino Médio Inovador,
desenvolvido pelo MEC para a melhoria
do Ensino Médio público – é uma política
pública federal e começou a ser aplicada
nas redes de ensino público dos seis estados
supracitados, com previsão de atender a 798
escolas públicas do país.
Resultados
11,1%
33,3%
Cumprido
Parcialmente
cumprido
Não aplicado1
55,5%
Total 9 desafios,
sendo 5 cumpridos e
3 parcialmente cumpridos
1
O desafio reporta uma atividade
que é realizada bienalmente
Perfil da organização
A seguir, estão listados
os principais números e
informações do Itaú Unibanco
23
Perfil da Organização
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
27/09/1924 data de fundação
104.542 colaboradores no Brasil e no exterior (Perfil 2.8)
4.072 agências de serviços completos em todo o Brasil e no exterior
912 postos de atendimento bancário (PABs)
28.769 caixas eletrônicos
Observação: informações referentes a 31 de dezembro de 2011
Ações negociadas
BM&FBovespa (Bolsa de Valores de São Paulo)
BCBA (Bolsa de Comércio de Buenos Aires)
NYSE (Bolsa de Valores de Nova York – New York Stock Exchange)
Marca (Perfil 2.2)
Outra marcas (Perfil 2.2)
Produtos e/ou serviços oferecidos pela empresa: (Perfil 2.2 e 2.8)
Banco de varejo
Microfinanças
Pequenas e médias empresas
Cartões de crédito
Crédito imobiliário
Wealth Management and Services
Financiamento de veículos
Redecard
Banco de atacado
Banco de investimento
Tesouraria
Seguros
Previdência
Capitalização
24
Perfil da Organização
Segmentação
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Segmentação
Empresas
Pessoa física
Itaú BBA
Itaú clientes institucionais
Pequenas e médias empresas
Oferecemos um amplo leque de serviços
bancários a uma base diversificada
de clientes pessoas físicas e jurídicas.
Tais serviços são prestados de maneira
integrada pelos segmentos Banco
Comercial, Itaú BBA e Crédito ao
Consumidor. (Perfil 2.2, 2.3 e 2.8)
O segmento Banco Comercial
oferece uma ampla gama de serviços
bancários a uma base diversificada de
pessoas físicas e pessoas jurídicas. Os
serviços oferecidos pela unidade de
negócios incluem seguro, previdência
e capitalização, cartões de crédito,
gestão de ativos, produtos de crédito
e soluções personalizados, criados
especificamente para atender às
demandas dos clientes. Nossa meta
é aumentar o relacionamento com
nossos clientes, diversificando as
fontes de receita. Esse segmento é uma
importante fonte de captação para
nossas operações e gera significativas
receitas financeiras e de prestação de
serviços. (Perfil 2.2 e 2.8)
Estruturas
especializadas
Itaú Personnalité
s
uro
eg
es
Itaú Negócios
(individuais)
ito
éd
, cr
tos
en
im
est
Inv
Poder público
Itaú Private Bank
O Itaú BBA é responsável pelo
atendimento ao segmento corporate
e pelas atividades de banco de
investimentos. O modelo de
administração do Itaú BBA tem
por base a formação de estreitos
relacionamentos com os clientes
por meio do atendimento de suas
necessidades e a oferta de soluções
personalizadas. O atendimento ao
segmento corporate inclui a prestação
de serviços bancários a grandes
empresas, enquanto as atividades de
banco de investimento abrangem a
oferta de recursos de financiamento
a esse segmento, por meio de
instrumentos de renda fixa e renda
variável, entre outros. (Perfil 2.2 e 2.8)
A unidade de negócios de Crédito
ao Consumidor oferece, a clientes
correntistas e não correntistas,
produtos e serviços financeiros como
financiamento de veículos, cartões de
crédito e empréstimos a consumidores
de com renda inferior. (Perfil 2.2 e 2.8)
Itaú Uniclass
Agências
Itaú
Itaú
Além disso, o Itaú Unibanco conta
com um amplo leque de operações
no exterior e reforçou sua
presença internacional com base
em unidades estrategicamente
localizadas em 20 países e dois
territórios das Américas, da
Europa e da Ásia. Dessa forma, são
geradas sinergias significativas
em financiamento ao comércio
exterior, colocação de Eurobonds,
oferta de transações financeiras
mais sofisticadas e operações de
private banking. Nos países do
hemisfério sul (Argentina, Brasil,
Chile, Paraguai e Uruguai), o Itaú
é um banco “full service”, com
atuação em áreas como varejo,
corporate, private bank e clientes
institucionais. No hemisfério
norte, a atuação da organização é
predominantemente voltada aos
mercados corporate e private, com
exceção do Japão, único país dessa
região onde o Itaú Unibanco atua
no varejo. (Perfil 2.2 e 2.8)
25
Perfil da Organização
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Atuação no exterior* (Perfil 2.3, 2.5, 2.7, 3.6)
O Itaú Unibanco está presente em
e dois territórios
20 países
* Atuamos em 20 países e dois territórios
Presença internacional por segmento de atuação
Segmento de Atuação
Países:
Varejo
Private banking
Estados Unidos
Bahamas
México
(*)
(8)
Argentina
Chile
Uruguai
Paraguai
Peru
Colômbia
Japão
(**)
China
Emirados Árabes Unidos
Reino Unido
Luxemburgo
Suíça
Portugal
Alemanha
Espanha
França
(*) Start-up focada em não-correntista.
(**) Focada principalmente em operações de remessa de valores para o Brasil.
Corporate / Banco de Investimentos
Clientes Institucionais
26
Perfil da Organização
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Posição acionária do Itaú Unibanco Holding em 31 de dezembro de 2011 (Perfil 2.9)
Acionista
Ações ordinárias %
Ações preferenciais %
Total de ações %
Itaúsa - Investimentos Itaú S.A.
38,664577
0,003379
19,366274
Iupar - Itaú Unibanco
Participações S.A.
51,000002
0
25,542604
0
6,983355
3,485844
10,335329
90,519895
50,360630
0,000092
2,493371
1,244648
100,000000
100,000000
100,000000
BlackRock,Inc.
Outros
Ações tesouraria
Total
Em 2011, tivemos como evento
relevante, no tocante ao capital social,
o grupamento e desdobramento das
ações do Itaú Unibanco Holding S.A.,
conforme tabela abaixo: (Perfil 2.9)
Quantidade inicial
Quantidade final – Pós-grupamento
Total de ações
4.570.936.100
45.709.361
Ações ordinárias
2.289.286.400
22.892.864
Ações preferenciais
2.281.649.700
22.816.497
Quantidade inicial
Quantidade final – Pós-desdobramento
Total de ações
45.709.361
4.570.936.100
Ações ordinárias
22.892.864
2.289.286.400
Ações preferenciais
22.816.497
2.281.649.700
27
Perfil da Organização
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Principais indicadores financeiros (Perfil 2.8)
Patrimônio líquido R$ bilhões
Ativos totais R$ bilhões
2009
608,3
2009
755,1
2010
2010
851,3
2011
Lucro líquido R$ bilhões
2009
50,7
60,9
2011
71,3
Índice de Basileia* %
2009
10,1
2010
2010
13,3
2011
14,6
16,7
15,4
2011
16,4
* Refere-se ao Consolidado Econômico-Financeiro
Total de operações de crédito
com avais e fianças R$ bilhões
2009
Índice de eficiência %
2009
278,4
2010
333,4
2011
397,0
ROE* %
2009
2010
2011
22,3
23,5
22,3
* Retorno Recorrente sobre o Patrimônio Líquido Médio (anualizado)
42,4
49,1
2010
47,7
2011
Recursos próprios livres, captados
e administrados R$ bilhões
2009
2010
2011
855,1
1.009,5 (trilhão)
1.144,9 (trilhão)
28
Perfil da Organização
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Distribuição do Valor Adicionado (DVA)* – 2011 (EC1)
32,6%
Colaboradores
33,2%
Reinvestimentos
dos lucros
23,0%
Impostos, taxas e
contribuições
2,5%
Remuneração de
capital de terceiros
8,7%
Remuneração
aos acionistas
* Refere-se ao valor econômico direto gerado e distribuído
pelo Itaú Unibanco, incluindo receitas, custos operacionais,
remuneração de empregados, doações e outros investimentos
na comunidade, lucros acumulados e pagamentos para
provedores de capital e governos.
Total distribuído
em 2011
R$ 36,8 bi
Panorama e estratégias
Eficiência na gestão
de negócios e de pessoas
29
30
Panorama e estratégias
Três anos após a realização de uma das
maiores fusões do mercado financeiro
internacional, em novembro de 2008,
o Itaú Unibanco é hoje uma instituição
com práticas reconhecidas pelo
mercado e com uma visão clara: ser o
banco líder em performance sustentável
e em satisfação dos clientes. (Perfil 4.8)
Para atingir essa visão, definimos
o Nosso Jeito de Fazer (cultura
corporativa), conjunto de dez atitudes
que direcionam nossas equipes.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Para chegarmos a esse patamar,
tivemos de percorrer um caminho
que exigiu reflexão, visão estratégica,
abertura para o diálogo e flexibilidade
para entender como as principais
macrotendências globais afetam nossos
negócios. Definimos, assim, nossa mais
uma etapa para inserir cada vez mais a
sustentabilidade na estratégia do banco,
como expresso em nossa visão. estratégia
de sustentabilidade.
Meritocracia
Entendemos que é fundamental gerar
valor compartilhado para colaboradores,
clientes, acionistas e sociedade, a fim
de garantir a perenidade do negócio.
No papel de uma das empresas líderes
do Brasil e da América Latina, devemos
atuar como agente de transformação
e utilizar nosso porte e capacidade
de mobilização, assim como nossas
tecnologias e competências, para
inspirar mudanças positivas na
sociedade, contribuindo para que a
sustentabilidade seja cada vez mais
intrínseca às práticas do setor financeiro.
Em 2011, readequamos diversos
produtos e demos ênfase ainda maior
a iniciativas de educação financeira
para nossos colaboradores e clientes.
Também assumimos uma posição de
liderança em fóruns e projetos globais,
como os Princípios do Equador e o
Acordo de Basileia.
Em junho, recebemos o prêmio
Sustainable Bank of the Year, concedido
pelo jornal britânico Financial Times e
pela International Finance Corporation
(IFC), braço para o setor privado do
Banco Mundial. Esse reconhecimento
reflete nosso compromisso com o tema,
e é um indicativo de grande valor, que
demonstra que estamos no caminho
correto. Mas temos plena consciência de
que ainda há muitas oportunidades para
o aprimoramento de nossas atividades e
o alcance de nossa visão.
Durante o Encontro entre Líderes de
2011, Roberto Setubal e Pedro Moreira
Salles compartilharam com 12 mil
gestores de todo o Brasil e das unidades
internacionais os novos focos da agenda
estratégica do banco: a meritocracia e a
eficiência.
Não existe empresa de excelência
sem pessoas de excelência. Por isso,
meritocracia é um de nossos temas de
destaque em 2011. Para nós, significa
liderar pessoas, reconhecendo-as e
diferenciando-as de acordo com seu
desempenho relativo. Com base nessa
crença, conseguimos atrair, formar e reter
talentos – mantendo um círculo virtuoso
vital para a sobrevivência da nossa
organização.
Quando temos critérios transparentes
e objetivos de avaliação, é possível
recompensar de modo justo aqueles que
foram além do esperado.
Entendemos que
é fundamental
gerar valor
compartilhado
para
colaboradores,
clientes,
acionistas e
sociedade, a fim
de garantir a
perenidade do
negócio
31
Panorama e estratégias
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Eficiência
Após dois anos dedicados ao processo
de integração, chegou o momento
de otimizar ainda mais a gestão dos
custos para recolocar a instituição numa
trajetória de crescimento sustentável.
Com o intuito de nos tornarmos mais
eficientes, utilizamos como mecanismo
de medição o Índice de Eficiência (IE),
calculado por meio da relação entre
despesas e receitas.
Em 2010, nosso Índice de Eficiência (IE)
era de 49%, o que significa que, para cada
R$ 1 que geramos de receita, foi investido
R$ 0,49. Ao final de 2011, o IE ficou em
47,7%. Nossa meta é alcançar, até o
final de 2013, 41%, desafio assumido
publicamente pelo Itaú Unibanco frente
ao mercado e aos acionistas.
Esse avanço só será possível com um
esforço conjunto dos colaboradores para
agilizar processos, reduzir despesas e
aumentar receitas com mais qualidade
do que já temos. Hoje o Itaú Unibanco
já é o banco com o melhor índice de
eficiência do mercado.
Para isso, foi criado o Projeto Eficiência,
cujo foco está na criação de indicadores
que auxiliarão no acompanhamento das
metas de aumento de receitas, redução
de custos e economia de recursos.
Além do protagonismo de cada área de
negócio, o Projeto Eficiência também
atua em pacotes corporativos de
grandes despesas do banco, como:
pessoal, operações, TI e Telecom,
Correios e insumos para cartão/cheque,
call Center, marketing, entre outros.
Seguem alguns resultados obtidos nos
últimos períodos:
Pacote Call Center
• Padronização com disseminação de melhores práticas
entre centrais internas e externas;
• Migração de contatos de clientes para canais mais
econômicos (SMS e internet).
Pacote Marketing
• Unificação da Marca;
• Racionalização e padronização da relação com fornecedores;
• Otimização do uso de malas diretas.
Despesas de Call Center por Cliente
Despesas de Marketing por Produto Bancário
106
100
100
94
83
83
-6%
100
94
-22%
-13%
82
2011
2010
2012
100
Custo Unitário
Mensal (Base 100)
Custo Total
(Base 100)
Pacote Correios
• Racionalização de correspondências automáticas;
• Eletronização de comunicação com clientes;
• Melhor uso dos produtos oferecidos pelos Correios.
Despesas de Correios por Cliente
100
93
79
-11%
100
-18%
89
73
2010
2011
2012
Custo Unitário
Mensal (Base 100)
Custo Total
(Base 100)
-14%
78
67
2010
2011
2012
Custo Unitário
Mensal (Base 100)
Custo Total
(Base 100)
32
Panorama e estratégias
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Mas não se trata apenas de cortar
despesas. É fundamental revê-las e
avaliar se são realmente necessárias.
Agir assim é pensar como dono do
negócio. Isso possibilita identificar qual
é o dinheiro bem gasto pelo banco:
aquele que traz retorno e é usado em
benefício dos clientes.
Ser eficiente é:
Ter qualidade
Aumentar receitas
Reduzir despesas
Fazer mais com menos
Agilizar processos
Evolução do Índice de Eficiência %
Ter atitude de dono
53,1
51,5
51,3
49,5
49,1
47,2
47,8
41,0
Meta
2005
2006
2007
2008
2009
2010
9M/11
2012
2013
Índice de Eficiência
A marca Itaú
2011 foi um ano importante para a
consolidação do nosso propósito
de marca: sermos agentes de
transformação. Como líderes de
mercado, entendemos nossa
responsabilidade como protagonistas
nas transformações das vidas de
nossos clientes, da sociedade e do país.
Esse posicionamento se desdobra na
forma com que nos comunicamos, nas
atitudes que apoiamos e em nossas
ações do dia a dia.
Acreditamos que uma marca forte
nasce dentro da empresa, no coração
e na mente das pessoas que a
desenvolvem no dia a dia. Desde o
momento em que são contratados,
temos a preocupação em engajar
nossos colaboradores a serem
embaixadores da marca e de tudo o
que ela representa.
Desenvolvemos iniciativas voltadas
a ensinar nossos clientes a utilizar
melhor seu dinheiro e a contratar
serviços e empréstimos adequados
às suas necessidades. Trazemos
mais transparência aos nossos
relacionamentos com a reformulação de
contratos e extratos, tornando-os mais
simples e objetivos.
A evolução de uma marca passa pela
compreensão dos significados que os
consumidores atribuem a ela. Por isso,
estimulamos o diálogo constante e a
construção coletiva através de nossos
ambientes de mídias sociais, como
Facebook, Twitter e YouTube.
Tudo isso gera uma série de
reconhecimentos. Em 2011, o Itaú
Unibanco figurou pela primeira vez
no ranking anual BrandZ, da agência
da pesquisa Millward Brown, como
a 90ª marca mais valiosa do mundo.
Esse ranking, publicado pelo Financial
Times, mostra que o banco obteve um
aumento de 29% no valor de sua marca.
Em 2011 a consultoria Interbrand
também reconheceu o Itaú como
a marca brasileira mais valiosa pela
8ª vez consecutiva, alcançando R$
24,296 bilhões – cifra 18% superior
à apresentada em 2010, quando foi
avaliada em R$ 20,651 bilhões, e 130%
maior do que em 2008 (R$ 10,552
bilhões), ano da fusão com o Unibanco.
E nossa marca não é reconhecida
apenas no Brasil. Lançamos em 2011
nossa primeira campanha institucional
internacional estrelada por latinoamericanos com trajetórias de sucesso
global, como a atriz Alice Braga e o
artista plástico Vik Muniz.
A consistência desse processo de
construção de marca com os nossos
públicos de interesse e em todas as
regiões em que atuamos nos coloca
num caminho muito sólido para a
construção de uma marca global
com propósito e atitudes muito bem
definidas.
33
Panorama e estratégias
Estratégia da sustentabilidade
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Estratégia de sustentabilidade
A seguir, apresentamos uma breve cronologia de nossa história até aqui.
2008
Fusão
O início da parceria – Em 3 de novembro de 2008, Itaú e Unibanco anunciaram sua fusão,
formando o maior conglomerado financeiro privado do Hemisfério Sul.
Essência da Sustentabilidade
Ponto de partida – Publicação da Essência da Sustentabilidade, 8 temas que definiam a
estratégia de sustentabilidade do banco.
2009
Painéis de Stakeholders de 2009
Diálogo público – Avaliação da Essência da Sustentabilidade em diálogos públicos
multisakeholder, e também com especialistas e colaboradores.
Um novo banco, uma nova identidade corporativa
Encontro entre líderes
Apresentadas a visão e a cultura do novo banco, nascidas de um processo que envolveu
mais de 16 mil colaboradores.
Definição da marca 05/2010
Campanha Imagine
Esta campanha marcou a definição de Itaú como a marca que representaria a empresa.
2010
Final da integração das agências Unibanco
Campanha 1+1>2
Esta campanha marcou o final da integração das agências Unibanco na rede de agências
do Itaú.
Propósito da Marca
Agente de transformação
No final de 2010, lançamos o propósito da marca: ser um agente de
transformação. Vemos na transformação um jeito inteligente de evoluir e de promover
a evolução do outro.
2011
Novo posicionamento do banco
Campanha O mundo muda, o Itaú muda com você
Esta campanha marcou uma mudança no discurso institucional do banco. O discurso
deu lugar a conversa.
Segundo Encontro entre Líderes
Meritocracia e eficiência
Nesse encontro, que reuniu 12 mil gestores de todo o Brasil e das unidades externas,
foram lançados os novos temas estratégicos do banco: Meritocracia e Eficiência.
34
Panorama e estratégias
Estratégia da sustentabilidade
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Processo colaborativo para a construção da nova estratégia
Workshop e entrevistas
Processo de consultas internas e externas e alinhamento com a alta administração, que
levou à definição de performance sustentável e do mapa de sustentabilidade.
Programa Transparência 100%
Foco no cliente
Seu objetivo é traduzir a linguagem do banco para os clientes de forma simples,
inovadora e sempre pautada por educação financeira.
2011
Painéis de especialistas 2011
Nova estratégia de sustentabilidade
Em dezembro de 2011, fizemos um painel com especialistas de várias áreas para ouvir
sugestões e validar os temas de nosso novo Mapa da Sustentabilidade, a nova estratégia
que estava em construção.
Aprovação pelo Comitê Executivo
Estratégia de sustentabilidade integrada aos negócios
Foram aprovados pelo Comitê Executivo a definição de performance sustentável, bem
como o mapa que integra sustentabilidade à agenda de negócios do banco.
Mapa de Sustentablilidade
Focos estratégicos e frentes viabilizadoras
O mapa de sustentabilidade apresenta três focos estratégicos de atuação, apoiados por
quatro frentes viabilizadoras.
A estratégia de sustentabilidade de uma
organização deve ser um processo de
evolução contínua e de aprimoramento
constante, a fim de alinhar as demandas
e expectativas da sociedade com o
posicionamento e as estratégias dos
negócios.
Assim, 2011 foi um marco para nós.
Redesenhamos nossa estratégia de
sustentabilidade nos negócios, batizada
de Mapa da Sustentabilidade, para
que esteja ainda mais integrada aos
negócios. Durante esse processo,
também definimos o conceito de
performance sustentável, expresso na
visão do banco.
Definição do conceito de
performance sustentável e
do Mapa de Sustentabilidade
(Perfil 3.5)
O trabalho realizado para chegarmos
a esses dois resultados – o Mapa da
Sustentabilidade e a definição de
performance sustentável – envolveu
etapas distintas e complementares:
2010
• análise do resultado dos painéis com
stakeholders (realizados no final de
2009) para debater a Essência da
Sustentabilidade, nosso posicionamento
de sustentabilidade até então;
2010/2011
• entrevistas com o presidente do
Conselho de Administração, o
presidente executivo, todos os vicepresidentes e diversos diretores;
2011
• análise da visão e do Nosso Jeito de
Fazer, do propósito da marca, das
políticas e regulamentos do banco,
além dos compromissos voluntários e
dos pactos dos quais somos signatários;
• workshops com representantes de áreas
do banco;
• apresentação do resultado do trabalho
aos diretores para garantir a integração
à agenda estratégica dos negócios;
• validação da proposta da nova
estratégia em um novo painel de
diálogo com especialistas externos;
• validação pelo Comitê de Sustentabilidade;
• validação final pelo Comitê Executivo.
35
Panorama e estratégias
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Performance sustentável
Para o Itaú Unibanco, performance
sustentável é gerar valor compartilhado
para colaboradores, clientes, acionistas
e sociedade, garantindo a perenidade
do negócio. Ela será alcançada a partir
de uma série de fatores que atuam de
forma interligada, como demonstra a
imagem a seguir.
Peformance sustentável
Sociedade
• Diálogo permanente para
entender as expectativas
• Parceiro no desenvolvimento das
pessoas, sociedade e país
• Ser agente de transformação
Acionistas
• Relação de longo prazo
• Resultado Financeiro
Clientes
• Equilíbrio na relação
• Soluções financeiras adequadas
ao ciclo de vida do cliente
• Transparência
• Educação Financeira
• Fidelização
• Integração de critérios ESG
na avaliação de risco e desenho
de produtos
Colaboradores
• Desenvolvimento das pessoas
• Incentivos
• Meritocracia
• Cultura e clima organizacional
36
Panorama e estratégias
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Colaboradores
Orgulho de pertencer
Acionistas
Geração de valor compartilhado
Tudo começa com nossos colaboradores
e a maneira pela qual nos relacionamos
com eles. Acreditamos que, ao
promovermos o desenvolvimento das
pessoas por meio de uma cultura forte,
da prática da meritocracia, de um bom
clima organizacional e de práticas de
incentivos que contemplem a visão de
curto a longo prazo, desenvolvemos em
nossas equipes, cada vez mais, o orgulho
de pertencer ao Itaú Unibanco.
Ao atingirmos a satisfação dos clientes,
permanecemos nas escolhas financeiras
que eles farão ao longo de suas vidas.
Isso gera resultado financeiro para
nossos acionistas e a manutenção de um
negócio viável no longo prazo.
Colaboradores satisfeitos e que
se identificam com os valores e
as estratégias da organização são
incentivados desenvolver e oferecer
produtos e serviços adequados às
necessidades dos clientes.
Clientes
Satisfação dos clientes
Dessa forma, estamos no caminho
para atingir a satisfação dos clientes. É
fundamental promovermos relações
cada vez mais equilibradas e de longo
prazo, pautadas pela transparência das
informações, pela oferta de soluções
financeiras adequadas ao ciclo de vida
de cada pessoa ou empresa e pela
educação financeira. Além disso, é muito
importante considerarmos questões
socioambientais no desenvolvimento de
novos produtos e serviços, bem como
nas análises de riscos.
Para o Itaú Unibanco, não basta gerar
resultado financeiro. Nós também
queremos gerar valor compartilhado.
Valor é um conceito cuja pratica
pressupõe benefício para ambos os
lados, mesmo que vistos de formas
diferentes. Incorpora nossas promessas
e realizações, que é fundamental
para permanecermos na escolha dos
diferentes públicos no longo prazo, de
forma perene.
Sociedade
E é a partir da crença no valor
compartilhado que pautamos nossa
atuação perante a sociedade. Queremos
ser parceiros no desenvolvimento das
pessoas, da sociedade e dos países
onde atuamos e – por meio de um
diálogo permanente – entender suas
expectativas para agir, de maneira
ética e responsável, diante dos novos
desafios. Com isso, seremos cada vez
mais um agente de transformação.
Entendemos que esse é o jeito certo de
fazer negócios e que só dessa forma nos
manteremos na escolha permanente
dos nossos públicos, alcançando a
performance sustentável.
37
Panorama e estratégias
Mapa de Sustentabilidade
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Mapa de Sustentabilidade (Perfil 3.5)
O Mapa de Sustentabilidade representa
a integração da sustentabilidade à
agenda de negócios do Itaú Unibanco.
Ele está organizado em três focos
estratégicos: Diálogo e Transparência,
Educação Financeira, Riscos e
Oportunidades Socioambientais.
Esses temas endereçam assuntos
relevantes para a sociedade e são
significativos para o setor financeiro no
Brasil e em todo o mundo.
São temas estratégicos e materiais.
Foram estabelecidas também quatro
frentes viabilizadoras – estruturas
internas da organização, transversais a
todas as áreas –, que funcionam como
engrenagens para a integração e o
aprofundamento constante dos três
focos na agenda do Itaú Unibanco.
As quatro frentes viabilizadoras são:
Cultura, Governança e Gestão, Incentivos
e Eficiência.
(Perfil 3.5)
Mapa de Sustentabilidade
3 focos estratégicos
4 frentes viabilizadoras
Educação Financeira
Entender as necessidades das pessoas
para oferecer conhecimento e soluções
financeiras adequadas, contribuindo para
que indivíduos e empresas tenham uma
relação saudável com o dinheiro.
Iniciativas em andamento
Programa Transparência 100%
Programa Uso Consciente do Dinheiro
para colaboradores
• Colaboradores (Brasil e Latam)
• Multiplicadores
Programa Uso Consciente do Dinheiro
• Guias Uso Consciente do Dinheiro nas
agências
• Novo site do Uso Consciente do
Dinheiro
Projetos com áreas de negócio
• Pessoa física
• Itaú Microcrédito
• Empresas
• Cartão de crédito
• WMS
Fundação Itaú Social e Instituto Unibanco
Ética nas Vendas
38
Panorama e estratégias
Mapa de Sustentabilidade
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Mapa de Sustentabilidade (continuação)
Diálogo e Transparência (Perfil 4.16)
Construir relações de confiança e perenes para melhorar
nossos negócios e gerar valor compartilhado.
Iniciativas em andamento
Clientes
• Programa Transparência 100%
• Fórum de Clientes
Ouvidoria
• Relacionamento com órgãos de defesa do consumidor
• Executivos em Ação
• Comunidade Empresas
Acionistas e investidores
• Apimecs e road shows
• Relatório anual de sustentabilidade
Mercado financeiro
• Diálogos sobre Princípios para o Investimento
Responsável
Colaboradores
• Pesquisa de clima organizacional
• Ombudsman
• Portas Abertas
• Banco de Ideias Sustentáveis
Fornecedores
• Engajamento ou diálogo com fornecedores
• Inserir critérios socioambientais na matriz de risco de
fornecedores
Agenda positiva com o poder público (três poderes)
Sociedade
• Rio+20
• Mídias sociais (Facebook, Twitter, YouTube e Instagram)
• Programa Itaú de Finanças Sustentáveis
• Processo de diálogos com especialistas
• Programa de Gestão de Crises e Reputação
Riscos e Oportunidades Socioambientais
Buscar oportunidades de negócios e gerir riscos
socioambientais considerando tendências de mercado,
regulamentações e demanda de clientes e da sociedade.
Iniciativas em andamento
Crédito
• Análise de Risco Socioambiental
• Linhas de financiamento diferenciadas
• Sustentabilidade no crédito imobiliário
• Microcrédito
Investimentos
• Princípios para o Investimento Responsável
• Fundos socioambientais
Seguro
• Seguro residencial com serviços ambientais
• Princípios para sustentabilidade em seguros
Itaú sem papel
39
Panorama e estratégias
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Cultura
Incentivos
Nossa cultura corporativa, o Nosso Jeito
de Fazer, é o modo como buscamos
nossa visão de “ser o banco líder
em performance sustentável e em
satisfação dos clientes”. Por isso, é
fundamental que todos os processos
de cultura interna estejam alinhados
à estratégia de sustentabilidade. A
partir de 2012, estas diretrizes de
sustentabilidade serão introduzidas, de
forma transversal, em toda a grade de
cursos da instituição, e principalmente
na formação de liderancas. Da mesma
forma, sustentabilidade deixa de ser
uma categoria do Prêmio Walter Moreira
Salles, e a performance sustentável
passa a ser um dos critérios de análise
de todas as categorias do prêmio.
A análise de desempenho e a
remuneração variável são ferramentas
fundamentais para a estratégia da
performance sustentável. Muitos
esforços já vêm sendo feitos nesse
sentido pela organização, e muitos ainda
devem acontecer para alcançarmos
um modelo que reflita a estratégia de
performance sustentável da melhor
forma possível. Alguns exemplos
importantes são aspectos não tangíveis,
como satisfação de clientes e clima
organizacional, que têm um peso cada
vez mais relevante na avaliação de
desempenho de todos os gestores da
organização e também de toda a equipe
comercial. O peso desses aspectos pode
variar de 20% a 50%, dependendo da
área e do nível hierárquico.
Governança e gestão
Eficiência
A estratégia de sustentabilidade só
é efetiva se estiver integrada aos
processos de governança do negócio.
É por essa razão que, a partir de 2012,
a área de sustentabilidade tem uma
governança própria e participa das
outras governanças do banco, como o
Comitê de Excelência do Atendimento,
o Comitê de Avaliação de Processos e
Produtos e os Comitês de Produto.
O Projeto Eficiência tem aderência à
estratégia de sustentabilidade, pois está
pautado em dois pilares: corte de custo
x aumento de receita. Buscamos, assim,
o corte de custos desnecessários e de
desperdícios e, portanto, uma melhor
utilização dos recursos que consumimos.
Ao mesmo tempo, como definido na
estratégia de sustentabilidade, buscamos
relações equilibradas e de longo prazo
com nossos clientes – aspecto que se
reflete no pilar receita, pois esse é o tipo
de receita que buscamos atrair.
A estratégia de
sustentabilidade
só será
efetiva se for
integrada aos
processos
de governança
do negócio
40
Panorama e estratégias
A nova governança da sustentabilidade
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
A nova governança da sustentabilidade (Perfil 4.9)
DE
PARA
Comitê de
Acompanhamento de
Sustentabilidade
Comitê de Supervisão
de Sustentabilidade
Comitê Executivo de
Sustentabilidade
Comitê de
Sustentabilidade
Comitê Executivo de
Sustentabilidade
Comitê de
Sustentabilidade
Grupos de Gestão (temáticos)
Comissão de
Sustentabilidade
O novo modelo de governança da
sustentabilidade da organização entra
em vigor em 2012, e uma evolução
é a criação de quatro Grupos de
Gestão temáticos multiárea: Educação
Financeira, Riscos e Oportunidades
Socioambientais, Diálogo e
Transparência e Compromissos
Voluntários. (Perfil 4.9)
> Educação Financeira
> Riscos e Oportunidades Socioambientais
> Diálogo e Transparência
Comitê Executivo de Sustentabilidade
Grupos de Gestão (Temáticos)
Responsável pela integração entre
as estratégias de negócio e a
sustentabilidade e pela promoção
da corresponsabilidade das diversas
áreas da organização na integração da
sustentabilidade à gestão e à cultura
organizacional. Composto por membros
do Comitê Executivo (vice-presidentes),
com reuniões semestrais. (Perfil 4.9)
Formados de acordo com os focos
estratégicos estabelecidos (Educação
Financeira, Riscos e Oportunidades
Socioambientais e Diálogo e
Transparência) para gerenciar as
iniciativas em andamento, bem como
alinhar e compartilhar conhecimento.
Composto por gerentes e analistas,
com encontros definidos conforme a
necessidade de cada tema. (Perfil 4.9)
Comitê de Sustentabilidade
Há um Grupo de Trabalho de
Compromissos Voluntários, formado
pelas áreas de Compliance, Jurídico,
Controles Internos, Relações
Governamentais e Sustentabilidade,
que tem por finalidade gerenciar o fluxo
de aprovação de novos compromissos,
bem como avaliar a aderência do Itaú
Unibanco a eles e endereçar planos
de ação para eventuais lacunas e
descolamentos. . (Perfil 4.9)
Comitê de Supervisão de
Sustentabilidade
Composto por membros do Conselho
de Administração, ele se reúne
anualmente. O comitê fornece subsídios
às estratégias de longo prazo e tem
a responsabilidade de acompanhar e
orientar a política de sustentabilidade,
assim como validar a estratégia de longo
prazo do Itaú Unibanco em relação à
sustentabilidade. (Perfil 4.9)
Implementa a estratégia de
sustentabilidade e assegura a sua gestão,
além de monitorar a evolução dos
planos de ação, o desenvolvimento de
indicadores e a mensuração de metas.
Possui caráter deliberativo e é composto
por diretores e superintendentes de
áreas envolvidas na implementação de
iniciativas relacionadas à estratégia de
sustentabilidade. (Perfil 4.9)
Governança corporativa
Transparência e ética
nos relacionamentos são
fundamentais para atingir a
performance sustentável e a
satisfação dos clientes
41
42
Governança corporativa
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
“Ser o banco líder em
performance sustentável e
em satisfação dos clientes.”
“Ser um banco líder em performance
sustentável e em satisfação dos
clientes.” Com a intenção de
materializar essa visão, o banco conta
com uma estrutura de governança
corporativa responsável pelo
direcionamento das boas práticas, da
transparência e das estratégias que
impulsionam o banco no caminho do
desenvolvimento.
A governança do Itaú Unibanco
compreende a Assembleia Geral dos
Acionistas e os seguintes órgãos:
Conselho de Administração, Diretoria,
Conselho Fiscal e Conselho Consultivo
Internacional, além de seis comitês
diretamente relacionados ao Conselho
de Administração.
Para saber mais sobre as políticas
e práticas de governança do Itaú
Unibanco, acesse:
www.itauunibanco.com.br/ri e siga a
rota Menu RI > Governança Corporativa.
43
Governança corporativa
Estrutura Societária
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Estrutura societária em 31/12/2011 (Perfil 2.3)
Família
Egydio de Souza
Aranha
Família
Moreira Salles
100% total
Free float*
38,88% ON
82,16% PN
65,50% total
61,12% ON
17,84% PN
34,50 % total
Cia. E. Johnston
de Participações
Itaúsa
50,00% ON
33,47% total
38,66% ON
19,61% total
50,00% ON
66,53% total
iupar
Itaú Unibanco
Participações S.A.
Free float*
51,00% ON
25,87% total
9,40% ON
99,27% PN
53,69% total
Itaú Unibanco
Holding S.A.
*Excluindo controladores e Tesouraria
Volume médio diário negociado
(BM&FBovespa + Nyse) (R$ milhões)
Ações preferenciais em
circulação em 31/12/2011
CAGR 05 11: 25,88%
˜
CAGR 05 11: 23,26%
˜
CAGR 05 11: 27,67%
874
˜
641
242
559
189
319
185
95
79
106
224
2005
2006
452
2007
NYSE (ADR)
632
2008
191
650
207
368
443
2009
2010
BM&FBovespa (ON + PN)
736
227
40%
Brasileiros na
BM&FBovespa
459
39%
Estrangeiros
na Nyse (ADR)
2011
21%
Estrangeiros na
BM&FBovespa
44
Governança corporativa
Política de Governança Corporativa
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Política de Governança Regulamentos
Corporativa
e políticas
Aprovada em agosto de 2011 pelo
Conselho de Administração, a Política
de Governança Corporativa do Itaú
Unibanco consolida os princípios e as
práticas de governança adotados pela
holding, com o objetivo de fortalecer e
criar as melhores condições para o seu
desenvolvimento e o das subsidiárias.
Um dos documentos mais significativos
para a gestão é o Código de Ética, que
aborda os princípios adotados pelo
banco, bem como as práticas e condutas
que os consolidam. O documento
aponta os princípios básicos que guiam
as ações de todos os colaboradores.
A política faz remissões ao Estatuto
Social, aos regimentos internos do
Conselho de Administração e demais
órgãos estatutários e comitês, ao
Código de Ética e a outros regulamentos
internos. O documento aborda também
temas como ambiente regulatório e
autorregulatório, direitos dos acionistas,
transparência, responsabilidade
socioambiental e visão do Itaú Unibanco.
O código está 100% implementado e
foi distribuído para todos os integrantes
do conglomerado. Além disso, um
programa de educação continuada em
ética dissemina as diretrizes do código,
enquanto outro programa monitora seu
cumprimento. (Perfil 4.8)
As diretrizes contidas na política se
aplicam ao Itaú Unibanco Holding
S.A. e às suas empresas controladas
no Brasil e no exterior. Sua aplicação
também está baseada na transparência
e na ética das relações com investidores,
colaboradores, clientes, acionistas,
fornecedores, governos, organizações
não governamentais, imprensa, parceiros,
comunidades e demais públicos
estratégicos. Exemplos claros das condutas
adotadas pelo banco são a campanha
Uso Consciente do Crédito, bem como a
adesão aos Princípios do Equador.
• Políticas para Recepção e Tratamento
de Denúncias;
A adoção das melhores práticas de
governança corporativa é um processo
contínuo e um dos caminhos para
assegurarmos o crescimento sólido e
perene da organização.
•P
olítica Corporativa de Ética e Combate
à Corrupção e à Propina;
•P
olítica Corporativa de Continuidade
de Negócios;
•P
olítica de Sustentabilidade;
(Perfil 4.8)
•P
olítica de Risco Socioambiental
Corporativa;
•P
olíticas setoriais de risco
socioambiental (para as áreas
Empresas, Itaú BBA, Itaucred Veículos
e Crédito Imobiliário). (Perfil 4.8)
Entre outros regulamentos, destacamos:
• Política de Remuneração de Acionistas;
• Política Corporativa de Prevenção e
Combate a Atos Ilícitos;
Para saber mais sobre os regulamentos
e as políticas do Itaú Unibanco, acesse:
http://ww13.itau.com.br/PortalRI/
Iframe.aspx?strURL=/PortalRI/HTML/
port/governanca/Reg_Politicas.htm
Princípios do Código de Ética
Identidade
Alinhamos as nossas empresas à
identidade corporativa, baseada em
elevados padrões de ética, resiliência
e respeito à sustentabilidade.
Interdependência
Estamos abertos ao diálogo e interagimos
com as nossas partes interessadas de
modo a compartilhar ações e objetivos
que levem ao bem comum.
Boa-fé
Agimos com transparência e
assumimos a responsabilidade por
nossos atos e escolhas.
Excelência
Cultivamos ambientes que propiciam
a realização de um trabalho de alta
qualidade, relevante para quem o
realiza, para a instituição e para a
sociedade. (Perfil 4.8)
45
Governança corporativa
Estruturas de governança
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Estruturas de
governança
A governança do Itaú Unibanco
compreende a Assembleia Geral dos
Acionistas e os seguintes órgãos: Conselho
de Administração, Diretoria, Conselho Fiscal
e Conselho Consultivo Internacional, além
de seis comitês diretamente relacionados
ao Conselho de Administração,
apresentados no organograma e nos
quadros a seguir. (Perfil 4.1)
Conselho de administração
Os acionistas do Itaú Unibanco são
responsáveis por eleger os membros
do Conselho de Administração na
Assembleia Geral Ordinária, realizada
no primeiro quadrimestre de cada ano.
Em 2011, o Conselho de Administração
contava com 13 membros, sendo três
membros independentes e nove não
executivos1. (Perfil 4.3)
Em linhas gerais, o Conselho é
responsável por definir a estratégia do
Itaú Unibanco e de suas controladas,
devendo analisar os assuntos de
relevância concernentes à sociedade e
supervisionar efetivamente a sua gestão
em prol dos interesses dos acionistas. O
presidente do Conselho é o representante
máximo dos interesses de todos os
acionistas, fomentando performance,
ética e valores corporativos. (Perfil 4.7)
O Conselho de Administração é
avaliado anualmente para assegurar a
complementaridade das competências
dos seus membros – profissionais
alinhados com os valores da
organização e que sabem combinar,
de modo harmônico, os interesses
dos acionistas, dos gestores e dos
colaboradores, bem como os temas
pertinentes à responsabilidade social
e ambiental, pautados pela legalidade
e pela ética. O Comitê de Nomeação e
Governança Corporativa oferece apoio
metodológico e procedimental nessa
avaliação de performance do Conselho
de Administração, dos conselheiros, do
presidente do Conselho, dos comitês e do
diretor-presidente. (Perfil 4.10)
Esses mecanismos de avaliação baseiamse em critérios como: valor agregado
(cujos componentes são estratégia,
performance, compliance, pessoas e
cultura, e gestão de relacionamento
externo, entre outros), funcionamento
(incluindo periodicidade, dinamismo,
agenda, canais de comunicação,
desempenho e independência) e
composição. Ocorrem, também,
autoavaliações individuais, realizadas por
cada um dos órgãos, com o intuito de
promover a autocrítica como ferramenta
de desenvolvimento. (Perfil 4.10)
Conforme o regimento interno do
Conselho de Administração, os
conselheiros devem atuar de forma
isenta, aplicando-se as seguintes regras:
(Perfil 4.6)
• os membros do Conselho não podem
participar de deliberações relativas a
assuntos com relação aos quais seus
interesses sejam conflitantes com os
da organização. Cabe a cada membro
informar ao Conselho seu conflito
de interesse tão logo o assunto seja
incluído na ordem do dia ou proposto
pelo presidente do Conselho e, de
qualquer forma, antes do início de
qualquer discussão sobre cada tema;
(Perfil 4.6)
• na primeira reunião que seguir o
ato de sua eleição, o conselheiro
eleito deve informar aos membros
do Conselho: (a) as principais
atividades que desenvolva externas
à organização; (b) a participação em
conselhos de outras empresas; e (c)
o relacionamento comercial com
empresas do Conglomerado Itaú
Unibanco, inclusive se presta serviços
a essas empresas. Essas informações
devem ser prestadas anualmente e
sempre que houver um novo evento
que enseje a atualização desse tipo de
informação. Os conselheiros somente
poderão participar de, no máximo,
quatro conselhos de administração de
empresas que não pertençam a um
mesmo conglomerado econômico. Para
fins desse limite, não será considerado
o exercício dessa função em entidades
filantrópicas, clubes ou associações. O
referido limite poderá ser ultrapassado
mediante aprovação do Comitê de
Nomeação e Governança; (Perfil 4.6)
• se o membro do Conselho ou empresa
por ele controlada ou gerida vier a
fazer uma operação com empresas
do Conglomerado Itaú Unibanco, as
seguintes regras devem ser observadas:
(a) a operação deve ser feita em
condições de mercado; (b) se não se
tratar de operação cotidiana ou de uma
prestação de serviços, deve haver laudos
emitidos por empresas de primeira
linha comprovando que a operação foi
feita em condições de mercado; (c) a
operação deve ser informada ao Comitê
de Nomeação e Governança; e (d) a
operação deve ser conduzida pelos
canais habitualmente competentes
na hierarquia do Conglomerado Itaú
Unibanco. (Perfil 4.6)
1 Conforme nossa Política de Governança Corporativa,
é independente o conselheiro que não possui relação
comercial nem de qualquer outra natureza: com a
organização, com empresa sob o mesmo controle,
com o acionista controlador ou com membro de
órgão de administração que possa (i) originar conflito
de interesses; ou (ii) prejudicar sua capacidade
e isenção na análise e apreciação. Não pode ser
considerada independente, por exemplo, a pessoa
que: (i) detenha participação, direta ou indireta, no
capital social da companhia ou de qualquer empresa
por esta controlada ou sob controle comum igual ou
superior a 5%; (ii) integre acordo de acionistas ou se
vincule ao bloco de controle, direta ou indiretamente
(por intermédio de pessoa jurídica ou de familiar –
cônjuges, parentes consanguíneos ou por afinidade
em linha reta ou colateral até o segundo grau);
(iii) é ou foi, nos últimos três anos, funcionário ou
diretor da companhia ou de empresa sujeita ao
mesmo controle, ou cujo familiar é ou foi diretor
da companhia ou de empresa sujeita ao mesmo
controle; (iv) é ou foi (ou cujo familiar é ou foi), nos
últimos três anos, responsável técnico, sócio, diretor,
gerente, supervisor ou qualquer outro integrante,
com função de gerência, da equipe envolvida nos
trabalhos de auditoria externa da companhia ou de
empresa sujeita ao mesmo controle. A independência
do conselheiro deve ser atestada pelo Comitê de
Nomeação e Governança Corporativa, cuja análise
não ficará, necessariamente, restrita aos limites ou
relacionamentos acima exemplificados.
Consideram-se conselheiros não executivos aqueles
classificados pelo Conselho de Administração como não
independentes e que não sejam diretores, empregados
ou colaboradores da companhia. (Perfil 4.3)
46
Governança corporativa
Estruturas de governança
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Comitês
Os membros dos comitês são eleitos pelo
Conselho de Administração e possuem
mandato de um ano. O Comitê de
Auditoria é composto por no mínimo três
e no máximo sete membros, e os demais
comitês são compostos por no mínimo
três e no máximo dez membros. (Perfil 4.1)
Vale mencionar que, nos termos
da Resolução do Banco Central nº
3.921/2010, o Comitê de Remuneração,
responsável pelo cumprimento das
atribuições relacionadas à política de
remuneração dos administradores da
Sociedade, tem em sua composição um
membro não administrador.
Os comitês que se reportam ao Conselho
possuem membros com comprovado
conhecimento na respectiva área e
capacitação técnica compatível com
suas atribuições. (Perfil 4.7)
Para saber mais sobre as políticas e as
práticas de governança corporativa do
Itaú Unibanco e verificar as qualificações
dos membros do mais alto órgão de
governança da empresa, acesse www.
itauunibanco.com.br/ri. (Perfil 4.7)
Pelo fato de oferecerem suporte
ao Conselho de Administração,
nossos comitês têm sua eficiência e
conveniência constantemente avaliadas
por ele. (Perfil 4.10)
Administração do Itaú Unibanco Holding S.A.
Assembleia Geral dos
Acionistas
Conselho Fiscal
Conselho de
Administração
Comitê de
Auditoria
Comitê de
Pessoas
Auditoria
Interna
Auditoria
Externa
Comitê de
Nomeação e
Governança
Corportaviva
Comitê de
Gestão de
Risco e de
Capital
Diretoria
Executiva
Comitê de
Divulgação e
Negociação
Comitê de
Estratégia
Comitê de
Remuneração
Conselho
Consultivo
Internacional
47
Governança corporativa
Administração do Itaú BBA S.A.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Administração do Itaú BBA S.A.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Itaú Unibanco S.A.
Banco Itaú BBA S.A.
Diretoria
Executiva
Diretoria
Para saber mais, acesse:
Sobre a composição do Conselho
de Administração, dos comitês, da
diretoria e dos demais conselhos do
Itaú Unibanco e do Itaú BBA, acesse:
www.itauunibanco.com.br/ri Menu RI
> Governança Corporativa
Nossas práticas
Somos signatários e adotamos em
nossas ações diretrizes reconhecidas
internacionalmente, como as do Pacto
Global, dos Princípios do Equador, da
Global Reporting Initiative (GRI), da UNEP
Finance Initiative (UNEP, sigla em inglês
para United Nations Environmental
Program), dos Princípios para o
Investimento Responsável (PRI, sigla em
inglês para Principles for Responsible
Investment), do Carbon Disclosure
Project e do GHG Protocol, além da
norma AA1000. No Brasil, adotamos e
participamos do debate de importantes
iniciativas para o setor, como o Pacto
pela Erradicação do Trabalho Escravo e o
Protocolo Verde. (Perfil 4.12)
Nossas práticas de negócios estão
alinhadas às tendências indicadas pelo
Dow Jones Sustainability World Index
(DJSI) e pelo Índice de Sustentabilidade
Empresarial da Bolsa de Valores de São
Paulo (ISE BM&FBovespa). (Perfil 4.12)
Em 2011, instituímos um grupo
de trabalho, formado pelas áreas
Sustentabilidade, Compliance, Jurídico
e Relações Governamentais, com os
objetivos de mapear a aderência do
banco a esses compromissos e sugerir
possibilidades de melhoria. Esse
grupo faz parte da governança de
sustentabilidade e responde ao Comitê
de Sustentabilidade. (Perfil 4.12)
Para conhecer
As Nossas Práticas, acesse:
www.itauunibanco.com.br/ri Menu RI
> Governança Corporativa
48
Governança corporativa
Gerenciamento de riscos
Gerenciamento
de riscos (Perfil 1.2)
Considerada pelo Itaú Unibanco um
instrumento essencial para a otimização
do uso de recursos e a seleção das
melhores oportunidades de negócios,
a gestão de riscos tem como objetivo
mapear eventos de natureza interna e
externa que possam afetar as estratégias
das unidades de negócio e de suporte
e o cumprimento dos objetivos,
com possibilidade de impactos nos
resultados, no capital, na liquidez e na
reputação do banco. (Perfil 4.11)
Princípio da precaução
O Itaú Unibanco aplica o Princípio da
Precaução por meio da identificação de
riscos. O objetivo é mapear os eventos de
risco, de natureza interna e externa, que
possam afetar as estratégias das unidades
de negócio e de suporte e o cumprimento
de seus objetivos, com possibilidade
de impactos nos resultados, no capital,
na liquidez e na reputação do banco. A
gestão de risco é considerada instrumento
essencial para a otimização do uso
de recursos e a seleção das melhores
oportunidades de negócios, visando obter
a melhor relação risco-retorno. (Perfil 4.11)
A gestão de riscos permeia toda a
instituição. Por meio de comissões, a alta
administração define os objetivos globais,
que são mensurados sob a forma de metas
e limites para as unidades de negócio
gestoras de risco. As unidades de controle,
por sua vez, apoiam a administração do
banco com processos de monitoramento
e análise de risco. (Perfil 4.11)
O gerenciamento de riscos no Itaú
Unibanco é o processo por meio do
qual identificamos e medimos os
riscos existentes e potenciais de nossas
operações; aprovamos procedimentos,
políticas e metodologias de gestão
e controle de riscos consistentes
com as orientações do Conselho de
Administração e as estratégias do
banco; e administramos nossa carteira
buscando as melhores relações riscoretorno. (Perfil 4.11)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Além disso, o banco está
implementando o apetite de risco: um
conjunto de afirmações que apresenta
os tipos e níveis de riscos aceitáveis na
organização. Trata-se de uma ferramenta
de gestão em linha com as melhores
práticas internacionais, reforçando ainda
mais nossa governança. (Perfil 4.11)
Para conhecer
Sobre a Gestão de Riscos do
Itaú Unibanco, acesse:
www.itauunibanco.com.br/ri Menu RI
> Governança Corporativa. (Perfil 4.11)
O gerenciamento de riscos no Itaú
Unibanco é o processo em que:
• são identificados e medidos os
riscos existentes e potenciais das
operações do banco;
• a carteira de risco do banco é
administrada vis-à-vis às melhores
relações risco-retorno;
• são aprovados políticas,
procedimentos e metodologias
de gestão e controle de riscos
consistentes com as orientações
do Conselho de Administração e
as estratégias do banco.
Categorias de risco
Risco de Crédito – possibilidade de ocorrência de perdas associadas ao não
cumprimento, pelo tomador ou contraparte, de suas respectivas obrigações
financeiras nos termos pactuados, à desvalorização de contrato de crédito
decorrente da deterioração na classificação de risco do tomador, à redução de
ganhos ou remunerações, às vantagens concedidas na renegociação e aos custos
de recuperação.
Risco de Liquidez – possibilidade de ocorrência de desequilíbrios entre
ativos negociáveis e passivos exigíveis – “descasamentos” entre pagamentos e
recebimentos – que possam afetar a capacidade de pagamento da instituição,
levando-se em consideração as diferentes moedas e os diferentes prazos de
liquidação de seus direitos e obrigações.
Risco Operacional – possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha,
deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas ou de
eventos externos. Inclui o risco legal, associado à inadequação ou à deficiência
em contratos firmados pela instituição, bem como a sanções em razão do
descumprimento de dispositivos legais e a indenizações por danos a terceiros
decorrentes das atividades desenvolvidas pela instituição.
Risco de Subscrição –risco oriundo de uma situação econômica adversa, que
contraria tanto as expectativas da sociedade seguradora no momento da
elaboração de sua política de subscrição quanto as incertezas existentes na
estimação das provisões.
49
Governança corporativa
Estrutura dos Comitês
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Controle centralizado
A estrutura que controla os aspectos
referentes a riscos operacionais, de
mercado, de crédito, de liquidez
e de subscrição do Itaú Unibanco
Holding S.A. é organizada de forma
centralizada para garantir que os riscos
do conglomerado sejam administrados
de acordo com as políticas e os
procedimentos estabelecidos. O
objetivo do controle centralizado é
prover à alta administração uma visão
global das exposições do conglomerado
aos riscos, de forma a otimizar e agilizar
as decisões corporativas. A identificação,
o acompanhamento e a mitigação dos
riscos são feitos de modo a fornecer
informações para respaldar as decisões
tomadas pelas quatro comissões da alta
direção anteriormente mencionadas.
Estrutura de comitês e comissões superiores responsáveis pela gestão de riscos
Conselho de
Administração (CA)
Comitê de
Gestão de Riscos e
de Capital (CGRC)
Comitê de Auditoria
Comissão Superior
de Políticas de Risco
(CSRisc)
Comissão
Superior de Tesouraria
Institucional (CSTI)
Comissão
Superior de Tesouraria
Institucional – Liquidez
(CSTIL)
Comissão Superior
de Crédito (CSC)
Comissão Superior
de Auditoria e Gestão
de Riscos Operacionais
(CSAGRO)
50
Governança corporativa
Estrutura dos Comitês
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Gestão de crises e
continuidade dos negócios
O Programa de Continuidade de
Negócios do Itaú Unibanco tem por
objetivos proteger seus colaboradores,
assegurar a continuidade das funções
críticas de suas linhas de negócio,
salvaguardar as receitas e sustentar
tanto a estabilidade dos mercados em
que o banco atua quanto a confiança de
seus clientes e parceiros estratégicos na
prestação de serviços e no fornecimento
de produtos.
O programa pode ser dividido em dois
elementos-chave:
Gestão de Crises – processos de
comunicação e de procedimentos
centralizados de resposta por meio dos
quais a instituição gerencia eventos de
interrupção dos negócios e quaisquer
outros tipos de ameaças à imagem e à
reputação de sua identidade perante
seus colaboradores, clientes, parceiros
estratégicos e reguladores. Os agentes
focais – representantes nomeados
dentro das áreas de negócios – atuam no
monitoramento de potenciais problemas,
na resolução de crises, na retomada dos
negócios, na melhoria dos processos e na
busca por ações de prevenção.
Planos de Continuidade de
Negócios (PCN) – documentação
de procedimentos e informações
desenvolvida, consolidada e mantida
de forma que esteja disponível para
utilização em eventuais incidentes,
possibilitando a retomada das atividades
críticas do Itaú Unibanco em prazos e
condições aceitáveis. O acionamento
adequado desses planos preserva a
integridade de pessoas, bens, sistemas
e informações e, consequentemente, a
reputação do banco.
Para que o programa se mantenha
aderente aos requerimentos do negócio,
o Itaú Unibanco conta com um time
de profissionais dedicados à criação
de suas diretrizes e à implementação,
à manutenção, ao gerenciamento e ao
treinamento de seus colaboradores.
A partir da disponibilidade de novas
informações, técnicas e tecnologias,
e com o objetivo de mantê-lo
abrangente e atualizado, o Programa de
Continuidade de Negócios pode sofrer
alterações, de acordo com o que o Itaú
Unibanco julgue ser necessário para a
proteção de todos os públicos e recursos
envolvidos.
Para saber mais, acesse o relatório
de gerenciamento de riscos do
Itaú Unibanco, na rota governança
corporativa/gerenciamento de riscos
circular 3.477.
Responsabilidade socioambiental
de produtos e serviços
O Itaú Unibanco adota políticas
e procedimentos relacionados à
responsabilidade socioambiental em
seus produtos e serviços. Destacam-se
as políticas a seguir.
Política Corporativa de Ética e
Combate à Corrupção e à Propina
Disponível no site http://www.itau.
com.br/ri e na intranet, essa política
estabelece diretrizes complementares
ao Código de Ética Itaú Unibanco
relativas aos seguintes temas: (FS15)
• Combate à Corrupção e à Propina;
• Vantagens Pessoais e Subornos;
• Cortesias e Contribuições;
• Atividades Externas;
• Participação em Empresas;
• Participação em Atividades e
Publicações de Disseminação do
Conhecimento;
• Relações com Clientes e
Fornecedores;
• Relações de Parentesco;
• Comunicação de Desvios Éticos;
• Proteção de administradores e
colaboradores que manifestem
dúvidas, suspeitas ou denúncias
sobre desvios de conduta. (FS15)
As áreas de negócio e suporte,
respaldadas pelas diretrizes traçadas
pela Comissão Superior de Ética e pela
estrutura de governança, composta
por Ombudsman, comitês de ética das
empresas, Ouvidoria e Inspetoria, são
responsáveis pela implementação das
diretrizes definidas na política. (FS15)
51
Governança corporativa
Estrutura dos Comitês
Política Corporativa de Avaliação de
Produtos/Operações/Processos
Disponível ao público interno, essa
política estabelece um padrão de
governança de avaliação de produtos
(novos e alteração) e processos,
assegurando que os planos, as decisões
e os esforços desenvolvidos sejam
coerentes com as políticas comerciais,
gerenciais e éticas e as alçadas
estabelecidas pela regulamentação
vigente e pela administração superior,
visando alcançar os melhores
resultados financeiros, econômicos e
mercadológicos, com foco na gestão
de riscos. (FS15)
Esse processo requer, dentro de um
esquema matricial, a integração entre
áreas de produtos e áreas avaliadoras,
formando um grupo organizado de
atividades que, em conjunto, gera
valor para os clientes e diferenciais
competitivos. (FS15)
Uma estrutura de governança composta
por órgãos diversos, tais como a
Comissão Superior de Produtos, o
Comitê de Avaliação de Produtos e
Processos, Compliance e Controles
Internos, responde pela implementação
das diretrizes definidas na política. (FS15)
Política de Sustentabilidade
Disponível na intranet e no site ww2.
itau.com.br/sustentabilidade/_
arquivos/politica-desustentabilidade.pdf, a política tem
como objetivos: (FS1 e FS15)
• ratificar nosso compromisso com
a busca pelo desenvolvimento
sustentável;
• evidenciar as diretrizes que permeiam
a estratégia e a gestão para todos os
nossos públicos estratégicos;
• promover inovações, revisões e
adequações nos negócios, com base nos
conceitos de sustentabilidade. (FS15)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Uma estrutura de governança,
composta pelo Comitê de Supervisão da
Sustentabilidade, pelo Comitê Executivo
de Sustentabilidade, pelo Comitê de
Sustentabilidade e pelos Grupos de
Gestão (temáticos), responde pela
implementação das diretrizes definidas
na política. (FS15)
Política Corporativa
de Risco Socioambiental
Publicada em 2011, ela apresenta
diretrizes socioambientais para a
concessão de crédito a empresas.
Elaborada por colaboradores das
áreas que seriam impactadas por seu
conteúdo e aprovada pela Comissão
Superior de Crédito, a política está
disponível na intranet e se aplica a
todas as operações de crédito com
pessoas jurídicas brasileiras ocorridas no
território nacional. (FS1)
Se o cliente não apresentar a
documentação solicitada pela política,
a operação não se concretiza. As
operações podem ser liquidadas
antecipadamente, caso exista
irregularidade socioambiental. (FS1)
Todas as situações descritas na política
são passíveis de alçada para os casos de
exceção, definidos nas políticas setoriais
de risco socioambiental e nos manuais
das áreas de negócio. (FS1)
Política de Gestão e Controle de Riscos
Disponível apenas para o público interno,
a política estabelece os fundamentos
associados à estrutura e ao processo de
gestão e controle de riscos adotados pelo
Itaú Unibanco, observando as melhores
práticas, as normas e regulamentações
aplicáveis.
A estrutura de governança, composta
por órgãos colegiados, como Comissão
Superior de Crédito, Comissão Superior
de Políticas de Risco, Comissão Superior
de Auditoria e Gestão de Riscos
Operacionais e Comissão Superior
das Unidades Externas, responde pela
implementação das diretrizes definidas
na política. (Perfil 4.9)
O Itaú Unibanco
adota políticas
e procedimentos
relacionados à
responsabilidade
socioambiental
em seus
produtos e
serviços
52
Governança corporativa
Mudanças climáticas
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Mudanças climáticas (EC2)
O tema mudanças climáticas é
considerado nas iniciativas do foco
estratégico Riscos e Oportunidades
Socioambientais.
Os riscos e oportunidades
relacionados às mudanças climáticas
são abordados nos questionários
que respondemos – como o do
Carbon Disclosure Project (CDP),
por exemplo – e nos índices
de sustentabilidade dos quais
participamos. Essas ferramentas
nos permitem identificar lacunas,
que são encaminhadas conforme
definido pela governança de
sustentabilidade.
Estudos sobre o tema apontam que
a incidência de eventos climáticos
extremos (como secas prolongadas
e enchentes) têm aumentado,
tanto em frequência quanto em
intensidade, nos últimos anos. O
Instituto Nacional de Pesquisas
Especiais (Inpe) destaca que, em um
cenário de altas emissões até o final
do século XXI, possíveis impactos
associados às mudanças climáticas
no Brasil incluem:
• aumento de enchentes urbanas e
deslizamentos de terra em áreas de
encosta;
• escassez de alimentos e elevação
dos preços;
• impacto na qualidade da água
fornecida à população;
• níveis mais baixos de rios, afetando
o transporte e a geração de energia
hidrelétrica na Amazônia;
• desertificação de áreas;
• aumento de doenças tropicais;
• elevação do nível do mar, afetando
áreas costeiras.
Todos têm reflexos socioeconômicos e
impactam direta ou indiretamente as
atividades de uma instituição financeira.
Isso nos leva à necessidade de mapear
esses riscos e nos preparar para lidar com
eles, tanto em nossas instalações físicas,
mitigando nosso risco operacional,
quanto nas atividades de nossos clientes,
que podem ter sua capacidade de
pagamento afetada. Até o final de 2011,
o Itaú Unibanco não dispunha ainda de
cálculos que mensurassem os impactos
em termos financeiros.
Quanto à regulamentação, acreditamos
que não estamos sujeitos a riscos
regulatórios, pelo menos em um
primeiro momento. Isso porque as
emissões das atividades do setor
financeiro não são significativas
quando comparadas, por exemplo,
às de empresas com operações
industriais com quantidade significativa
de emissões – que provavelmente
precisarão investir em mitigação por
causa de novas regulamentações. Em
nosso caso, as emissões significativas
estão relacionadas às atividades
financiadas, o que implica que nosso
investimento provavelmente deverá ser
maior no mapeamento de riscos.
Por outro lado, existem oportunidades
para o desenvolvimento de produtos
financeiros que ajudem a direcionar
recursos para uma economia de baixo
carbono. No entanto, para que esse
mercado ganhe representatividade,
é necessário que os governos
construam um conjunto de regras
claras e de longo prazo que facilitem
o direcionamento de recursos (veja a
declaração de investidores entregue
durante a COP 17 no link www.
unepfi.org/fileadmin/documents/20
11InvestorStatementClimateChange.
pdf ). Caso contrário, a equação risco
x retorno desses investimentos não
chegará a um patamar semelhante ao
de investimentos tradicionais (muitas
vezes, mais carbono intensivos), e
estes continuarão recebendo a maior
parte dos recursos financeiros.
Nesse sentido, no âmbito internacional,
a decisão sobre um possível novo
acordo climático, embora tenha
ganhado força por passar a considerar
todos os países, foi adiada para 2015.
Na esfera nacional, estudo do Instituto
de Pesquisa Econômica Aplicada
(Ipea) realizado em 2011 (Mudança do
Clima no Brasil: aspectos econômicos,
sociais e regulatórios) aponta que
alguns dos principais obstáculos para
a regulação das mudanças climáticas
são a falta de convergência de ações
e a temporalidade das medidas
adotadas pelas políticas nacional,
estadual e municipal. De acordo com
o estudo, as três esferas adotam metas
e estratégias distintas, o que torna
difícil a padronização das medidas
de redução de gases de efeito estufa
(GEE) e o monitoramento das mesmas.
Ainda assim, existem algumas
vantagens competitivas que podem
ser aproveitadas, especialmente no
que se refere à eficiência energética e
à energia limpa.
53
Governança corporativa
Medidas contras a corrupção
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Medidas contra a corrupção (SO2 e SO4)
Os riscos relacionados a corrupção
estão especificados na Política
Corporativa de Ética e Combate à
Corrupção e à Propina. A avaliação
desses riscos ocorre nas rotinas de
monitoramento, que em 2011 foram
aplicadas ao Itaú Unibanco S.A. e são
realizadas por áreas como Controles
Internos, Controles Financeiros,
Gestão de Riscos etc. As denúncias
são feitas por meio da Ouvidoria e da
Inspetoria.
Se uma ocorrência é identificada,
o caso segue para um dos 24
colegiados de ética, passa pela
avaliação da área competente e,
posteriormente, é levado à Comissão
de Ética, para tomada de decisão.
As possíveis consequências, caso
haja comprovação de irregularidade,
abrangem: demissão sem justa causa,
demissão por justa causa e processo
criminal, para os colaboradores; e
denúncia ao poder público e cessão de
contratos, para os fornecedores.
Em 2011, não foram denunciados
nem apurados casos de corrupção e
propina. Tampouco ocorreram ações
judiciais contra a organização ou seus
colaboradores. O gerenciamento
de riscos associados ao combate à
corrupção e à propina é aplicado a
100% das empresas da Itaú Unibanco
Holding.(SO2)
Negócios
Foco na eficiência e
na satisfação dos clientes
(Perfil 2.7)
54
55
Negócios
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em 2011, registramos lucro líquido
recorde de R$ 14,6 bilhões – o maior
da história dos bancos nacionais
Podemos dizer que 2011 foi um
ano desafiador para os negócios
do Itaú Unibanco.
Se em 2010 o Brasil viveu um período
de expansão econômica sem paralelo
nas últimas décadas, os 12 meses
seguintes trouxeram maior instabilidade
devido às incertezas geradas pela crise
financeira na Europa e pelo aumento da
inadimplência no ambiente doméstico.
Ainda assim, encerramos o ano com
crescimento em todas as nossas linhas
de atuação, avanço na qualidade de
nossos produtos e serviços e progressos
importantes na gestão. Registramos
lucro líquido recorde de R$ 14,6 bilhões
– o maior da história dos bancos
nacionais e 9,7% superior ao resultado
de 2010, que alcançou R$ 13,3 bilhões.
condição essencial para aumentarmos
a qualidade de nossos serviços e
apresentarmos a agilidade que os
clientes esperam.
Nossa rede de agências cresceu,
principalmente na região Nordeste
do Brasil, e foi modernizada com a
implantação de ambientes novos e
mais acolhedores, propícios ao nível
de qualidade de atendimento que
buscamos oferecer.
Reestruturamos inteiramente o
segmento de crédito ao consumidor,
consolidando sete plataformas
operacionais em uma única, o que
reverterá em serviços mais eficientes
para nossos 57,8 milhões de clientes
correntistas e não correntistas (em
quantidade de contas).
Começamos a nos beneficiar da
integração total de nossas operações,
concluída no final de 2010. Após a
unificação, nosso foco passou a ser a
eficiência dos processos, por meio da
qual buscamos elevar nossas receitas e
cortar despesas desnecessárias. Todos
os nossos negócios passaram a ter esse
objetivo como prioridade máxima,
levando o banco, como um todo, a
encerrar 2011 com índice de eficiência
(IE) de 47,7%, já melhor que os 49,1%
registrados em dezembro de 2010.
Mudanças importantes também
ocorreram no Itaú BBA, responsável
pelo atendimento a grandes grupos
empresariais. Criamos um novo nicho
de clientes, batizado de Ultra Large,
dedicado ao relacionamento com as
maiores companhias do Brasil. Também
incorporamos ao Itaú BBA o atendimento
a 400 companhias que antes era feito
pelo segmento de pequenas e médias
empresas, que atende 1,5 milhão de
clientes pessoa jurídica.
Em 2012, continuaremos nesse caminho,
buscando a ambiciosa meta de atingir IE
de 41% no final de 2013 – o que significa
que, para gerar R$ 1 de receita, é
necessário investirmos cerca de R$ 0,41.
Consideramos a maior eficiência uma
Durante o primeiro semestre de 2011,
nos antecipamos ao aumento da
inadimplência registrado no segmento
de pequenas e médias empresas e
conferimos maior cautela à concessão de
crédito, selecionando melhor os clientes e
preservando a rentabilidade da operação.
Estratégia parecida foi usada em
financiamento de veículos, que refinou
os modelos de avaliação de crédito e
aprimorou a estrutura de cobrança,
mantendo a liderança de mercado.
O crédito imobiliário, apesar de ter
crescido um pouco menos que o esperado
no ano, registrou volumes históricos. O
Itaú Unibanco manteve-se como o líder
nesse segmento entre os bancos privados
nacionais, tornando sua operação cada
vez mais ágil e descomplicada e se
diferenciando da concorrência por meio
de uma distribuição ousada.
Em nossa estrutura Wealth Management
& Services, que cuida dos negócios
de gestão de fortunas, corretora de
valores e asset management, obtivemos
destaque, no Brasil e no exterior, com as
operações de private banking.
Por fim, expandimos nossas operações
no Cone Sul. Entramos nos mercados
de Peru e Colômbia. Nos Estados
Unidos, na Europa e na Ásia, mantemos
escritórios para atender aos grandes
investidores internacionais e a empresas
com subsidiárias na América Latina.
Realizamos também uma grande
campanha publicitária com o objetivo
de posicionar o Itaú como o banco
especialista em América Latina.
Para 2012, prevemos um período de
incertezas no cenário internacional,
que deve se prolongar, ao menos, até o
fim do primeiro semestre e pode exigir
ajustes na condução macroeconômica
56
Negócios
do Brasil e nos negócios do Itaú
Unibanco. Julgamos que a economia
brasileira está razoavelmente protegida,
embora possa vir a ser atingida por
uma queda nos preços das commodities
ou por oscilações bruscas na taxa de
câmbio. Independentemente dessa
conjuntura, a turbulência na Europa
tende a estimular a concorrência no
Brasil e na América Latina em geral,
região que provavelmente crescerá
acima da média mundial. Com isso, deve
haver um movimento de diminuição do
spread bancário.
O panorama geral para nossas
operações, no entanto, é de crescimento
e de melhoria significativa na eficiência
de processos e serviços, que devem
reverter em maior rentabilidade e
satisfação de nossos clientes.
Auditoria socioambiental
Subordinada diretamente ao Conselho
de Administração do Itaú Unibanco,
com supervisão técnica do Comitê de
Auditoria, a Auditoria Interna atua em
todas as empresas, macroprocessos e
processos do conglomerado, conforme
o planejamento anual, elaborado com
base na avaliação dos riscos inerente
e residual, de acordo com o nível dos
riscos apurados. (Perfil 4.9 e FS9)
Há uma equipe dedicada e treinada,
com a responsabilidade de realizar
as auditorias periódicas, avaliando a
aderência a: (FS9)
• Política de Sustentabilidade, quanto
aos seguintes aspectos:
– estratégia para sustentabilidade;
– estrutura – governança e gestão;
– adequação de representações
e associações junto a fóruns
externos de sustentabilidade;
– implementação e aderência aos
compromissos e pactos;
– comunicação e monitoramento;
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
• Política Corporativa de Risco
Socioambiental;
• Princípios do Equador, quando se
trata de financiamentos de projetos,
somente para project finance. (FS9)
Os trabalhos de auditoria ocorrem
sem a participação de terceiros. Para as
auditorias socioambientais do banco,
consideramos os conceitos da norma
AA1000 e do Protocolo Verde, quando
relacionado à Política de Sustentabilidade.
Nas auditorias dos segmentos de crédito
corporate e empresas, utilizamos os
parâmetros dos Princípios do Equador
e os padrões das Políticas de Risco
Socioambiental do Banco Itaú BBA S.A.
e da área Empresas. (FS9)
O plano de ação para pontos de
auditoria classificados com o nível de
risco extremo ou elevado é elaborado
pela área auditada e aprovado pela
Auditoria. O acompanhamento das
ações inclui reporte mensal ao Comitê
de Auditoria e trimestral à Comissão
Superior de Auditoria e Gestão de
Riscos Operacionais, dirigida pelo nosso
presidente executivo. (FS9)
Para pontos com nível de risco
moderado, o plano de ação é elaborado
pela área auditada e aprovado pelo
Oficial de Controles Internos e Risco.
Trimestralmente, reporta-se ao Comitê
de Auditoria o acompanhamento
dessas ações. Em ambos os casos, cabe
à Auditoria validar a efetividade das
implantações. (FS9)
A Auditoria não emite ou
valida pareceres sobre os riscos
socioambientais envolvidos na análise
de concessão de crédito. (FS9)
Seguem alguns dos principais
apontamentos identificados em 2011 e
as respectivas ações geradas. (FS9)
Política Corporativa de
Sustentabilidade. A Política Corporativa
de Sustentabilidade em vigor não
define claramente as atribuições e
responsabilidades pela gestão das
práticas setoriais relativas ao tema.
Também não define o acompanhamento
no âmbito institucional. Ações: a política
está sendo revista para que defina, além
dos aspectos apontados, os níveis de
alçadas e o fluxo de comunicação entre
as estruturas. (FS9)
Processo de riscos socioambientais
em operações de crédito Pessoa
Jurídica. Existência de pareceres com
validade vencida. Ações concluídas em
janeiro de 2011: regularização dos casos
identificados, formalização do processo
de reanálise e revisão dos pareceres em
manual interno. (FS9)
Avaliação do processo de análise do
risco socioambiental em operações
de crédito corporate – Itaú BBA. O
manual interno estava desatualizado,
sem contemplar todas as atividades
realizadas pela área. Ações concluídas
em junho de 2011: revisado o manual
interno de procedimentos. (FS9)
57
Negócios
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Compromissos com iniciativas externas (Perfil 4.13)
Em 2011, o Itaú BBA foi reeleito para
compor o Comitê Diretivo (Steering
Committee) dos Princípios do Equador
– é o único representante da América
Latina nesse comitê.
O Itaú Unibanco também tem presença
nos órgãos de governança das
instituições:
• Federação Brasileira de Bancos
(Febraban);
• Associação Viva o Centro;
• Associação Paulista Viva;
• Brain;
• Associação Brasileira das Companhias
Abertas (Abrasca);
• Associação Brasileira das Entidades
do Mercado Financeiro e de Capitais
(Anbima);
• Associação Nacional das Instituições de
Crédito, Financiamento e Investimento
(Acrefi);
• Centro Brasileiro de Relações
Internacionais (Cebri);
• Instituto Brasileiro de Relações com
Investidores (Ibri);
• Instituto Nacional de Investidores (INI);
• Instituto Brasileiro de Governança
Corporativa (IBGC)
Além disso, por meio de nossas diversas
áreas, participamos, em 2011, das
seguintes atividades:
• United Nations Environment Programme
– Finance Initiative (Unep-FI);
• Global Roundtable, em outubro, como
palestrante; delegação da Unep-FI
que apresentou as questões do setor
financeiro para auxiliar a preparação das
missões da ONU para a Rio+20, em Nova
York; orador na mesa sobre o capítulo
de setor financeiro, no lançamento do
estudo Towards a Green Economy Report,
da Unep, em Paris; annual general
meeting da Unep-FI e reunião da Latin
American Task Force da Unep-FI, ambos
em Washington;
• Fundação Dom Cabral: Centro de
Referência em Sustentabilidade, que
promove estudos e debates sobre
desenvolvimento sustentável, e Centro de
Desenvolvimento do Varejo Responsável,
cujo propósito é gerar conhecimento
voltado às empresas de varejo e às
componentes de suas cadeias de
suprimento;
• Fundação Getulio Vargas: atividades
do fórum coordenado pela entidade,
com o objetivo de fomentar as finanças
sustentáveis na América Latina – Latin
America Finance Forum (LASFF);
• Rede Brasileira de Signatários do PRI
(Principles for Responsible Investment):
fomos anfitriões de um encontro com
corretoras e signatários para promover a
disseminação dos PRI e patrocinamos o
evento anual do PRI (PRI in Person), em Paris;
• Centro Empresarial Brasileiro para o
Desenvolvimento Sustentável (CEBDS):
Câmaras técnicas CTFin, CTGest, CTCom e
CT Clima; workshop da Visão 50; Fórum de
Negócios Inclusivos, que pretende discutir
negócios inclusivos e cujo primeiro
passo planejado é conceituar negócios
sustentáveis, em parceria com a Fundação
Dom Cabral e a Fundação Avina;
- Climate Finance Visit: representação da
Superintendência de Sustentabilidade do
banco, em comitiva do setor financeiro
brasileiro, a convite da Embaixada Britânica
e da Fundação Getulio Vargas, para
conhecer boas práticas de financiamento
relacionado ao clima (Climate Finance)
em Londres. Entre as organizações
visitadas estavam: HSBC, Deutsche
Bank, F&C Asset Management, PwC,
Departamento de Energia e Clima do
Governo Britânico, Lloyds, Sustainable
Development Capitak LLP, Green
Investment Bank e Carbon Tracker;
• Carbon Disclosure Project (CDP): mesaredonda CDP América Latina, com
outros representantes de empresas
latino-americanas, para intercâmbio de
boas práticas;
• Parceiros na realização do
evento Sustainability Week IIC
(Inter-American Investment
Corporation, instituição multilateral
de investimento ligada ao Banco
Interamericano de Desenvolvimento
que tem como objetivo promover
o desenvolvimento econômico na
América Latina e Caribe através do
financiamento de empresas privadas,
especialmente pequenas e médias);
• Príncipios para Seguro Sustentável (PSI
– Principles for Sustainable Insurance):
participamos do processo oficial
de consulta global dos princípios,
previstos para serem lançados para
adesão em junho de 2012, por ocasião
da Rio+20, e, por meio da nossa
representação na CNseg (Confederação
Nacional de Empresas de Seguro),
apoiamos sua construção;
• GT de Sustentabilidade da
Confederação Nacional de Empresas
de Seguro (CNseg), grupo de trabalho
que discute a inserção desse tema no
mercado de seguros brasileiro;
• GHG Protocol: adaptação ao contexto
nacional, pelo Centro de Estudos
em Sustentabilidade da Fundação
Getulio Vargas (GVces) e pelo World
Resources Institute (WRI), em parceria
com o Ministério do Meio Ambiente,
o Conselho Empresarial Brasileiro
para o Desenvolvimento Sustentável
(CEBDS), o World Business Council for
58
Negócios
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Compromissos com iniciativas externas (continuação)
Sustainable Development (WBCSD)
e 27 empresas fundadoras (entre
elas o Itaú Unibanco), do GHG
Protocol, ferramenta utilizada para
entender, quantificar e gerenciar
emissões de gases de efeito estufa
(GEE) originalmente desenvolvida
nos Estados Unidos, em 1998, pelo
WRI, atualmente a metodologia mais
usada mundialmente pelas empresas
e governos para a realização de
inventários de GEE;
• Rede Brasileira do Pacto Global,
que reúne empresas signatárias do
Pacto e que pretendem apoiar sua
implementação;
• Engaging Stakeholders Network, da
SustainAbility: grupo de empresas
privadas organizado pela instituição
internacional para compartilhar
experiências que permitam
antecipar e superar expectativas
de seus acionistas, colaboradores,
fornecedores e clientes;
• Programa Febraban de Educação
Financeira;
• GT Jurídico Ambiental da Febraban;
• GT de Tecnologia/Licenciamento
Ambiental da Febraban;
• Workshop de Políticas e Práticas
Socioambientais nas Instituições
Financeiras, organizado pelo Banco
Central do Brasil (Bacen) e pelo Uniethos;
• Princípios do Equador: discussão sobre
a aplicação consistente dos Princípios
do Equador por parte das instituições
signatárias – o Itaú BBA participou dos
seguintes grupos de trabalho, levando
a perspectiva de um país emergente:
Mudanças Climáticas, Revisão do Escopo
e Questões Sociais;
• Câmara Americana de Comércio
(Amcham RJ): participação nas discussões.
Dentre todas as associações mencionadas,
as únicas em que contribuímos
financeiramente além da taxa de associado
são Associação Paulista Viva e Associação
Viva o Centro.
Consideramos estratégica nossa
participação nas seguintes associações:
Unep-FI; PRI; Climate Finance Visit; CDP;
Sustainability Week IIC; PSI; GHG Protocol;
Engaging Stakeholders Network; Programa
Febraban de Educação Financeira;
Comissão de Sustentabilidade e
Responsabilidade Social da Febraban;
GT Jurídico Ambiental da Febraban; GT
de Tecnologia/Licenciamento Ambiental
da Febraban; Workshop de Políticas e
Práticas Socioambientais nas Instituições
Financeiras; Princípios do Equador;
Câmara Portuguesa de Comércio no
Brasil; Câmara Americana de Comércio
SP (Amcham SP), Associação Brasileira
das Entidades de Crédito Imobiliário e
Poupança (Abecip), Associação Brasileira
das Empresas de Leasing (Abel),
Associação Nacional das Corretoras
de Valores, Câmbio e Mercadorias
(Ancor), Associação dos Investidores
no Mercado de Capitais (Amec),
Associação Brasileira de Normas Técnicas
(ABNT), Câmara de Comércio Brasil
Holanda (Dutcham Brasil), Associação
Brasileira de Marketing Direto (Abemd);
Associação Brasileira de Marketing &
Negócios (ABMN); Instituto Brasileiro de
Mercado de Capitais (Ibmec), Associação
Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV),
Associação Brasileira de Direito
Financeiro (ABDF), Instituto Brasileiro de
Executivos de Finanças (Ibef).
59
Negócios
Banco de varejo
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Banco comercial (Perfil 2.7)
Banco de varejo (Perfil 2.7)
Oferecemos produtos e serviços
bancários a clientes pessoas físicas e
jurídicas. Esse segmento engloba o
banco de varejo, clientes de alta renda,
gestão de fortunas e o atendimento a
micro, pequenas e médias empresas.
Em 2011, foi o primeiro ano completo
de operação após a integração total
das agências de Itaú e Unibanco.
Vencida essa etapa, o desafio foi extrair
valor da fusão, tornando a operação
mais eficiente e desenvolvendo um
relacionamento mais intenso e próximo
com nossos clientes pessoa física.
Em 2011, o saldo da carteira de crédito
somou R$ 397 bilhões, com aumento de
19,1% em relação ao ano anterior.
Ao longo do ano, mantivemos o
movimento de reforma de nossa rede
e reforçamos a capilaridade dos pontos
de atendimento – com maior atuação
no Nordeste e entrada em comunidades
pacificadas do Rio de Janeiro. Investimos
em inovação e tecnologia para
simplificar nossos serviços e ampliar
nossa oferta de produtos. Também
alcançamos um ganho de produtividade
por meio do novo modelo de
atendimento implantado em meados de
2010 (Itaú Uniclass e Itaú Negócios).
Os resultados obtidos pelo banco
de varejo Brasil demonstram que
fomos bem-sucedidos no período.
Aumentamos nossa participação no
mercado de empréstimos em 16,1%,
totalizando uma carteira de R$ 236,4
bilhões. Nossa base de clientes registrou
um salto de 10%, chegando a cerca de
22 milhões – com aproximadamente 3,5
milhões de poupadores, 18,5 milhões
de correntistas.. Finalizamos o ano
com 4.072 agências, 912 postos de
atendimento bancário e 28.769 caixas
eletrônicos espalhados por mais de mil
municípios brasileiros e no exterior.
Atuação no Brasil*
Norte
113
2010: 106
Nordeste
333
2010: 301
Centro-Oeste
359
2010: 357
Sudeste
3.141
2010: 3.133
Sul
755
2010: 754
*Quantidade de agências e Postos de Atendimento Bancário (PABs)
sem considerar agências e PABs do exterior e do Itaú BBA.
Total de pontos = 4.701
60
Negócios
Banco de varejo
O ano de 2012 será marcado por uma
nova expansão no interior do estado de
São Paulo e pela abertura de agências
em todas as cidades do Brasil com
mais de 40 mil habitantes. Ocorrerá
também a implantação escalonada
de equipamentos de biometria para
reconhecimento digital e facial nos
caixas eletrônicos e nas agências.
Segmentação
A segmentação é outro aspecto
importante em nossa operação, pois nos
permite oferecer um pacote de produtos e
serviços adequado a cada nível de renda.
Os clientes com renda mensal de até R$
4 mil, que formam a grande maioria dos
correntistas pessoa física, normalmente
utilizam serviços mais simples, como
saques, pagamentos, transferências e
caderneta de poupança.
Para aqueles que possuem remuneração
entre R$ 4 mil e R$ 7 mil, o atendimento é
realizado pelo Itaú Uniclass, que oferece
espaços especiais para atendimento nas
agências, caixas exclusivos em parte delas,
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
gerentes dedicados, limites de crédito
maiores e consultoria especializada. Ao
final de 2011, havia cerca de 2,3 milhões de
clientes com esse perfil, comparativamente
aos 750 mil de dezembro de 2010. Há
estimativa de atingirmos 2,5 milhões de
clientes ao final de 2012.
Já nossos clientes com renda acima
de R$ 7 mil, grupo formado por
aproximadamente 700 mil pessoas, são
atendidos pelo Itaú Personnalité, com
rede própria de agências. Durante 2011,
aprimoramos o modelo de atendimento
desse segmento, que deve dobrar
de tamanho nos próximos três anos.
No último trimestre, inauguramos 22
agências Personnalité, totalizando 202
em todo o Brasil.
Entre os serviços e facilidades oferecidos
a todos nossos clientes, estão os produtos
segmentados, como forma de tornar a
concessão de crédito mais rápida para
o cliente, e o Orientador de Crédito, um
serviço online que auxilia na escolha
do produto de crédito mais adequado
à necessidade ou ao projeto do cliente,
respeitando o seu momento de vida.
Transparência
A transparência nas relações é
primordial para o Itaú Unibanco. Nesse
sentido, estamos desenvolvendo
linguagens específicas para diferentes
perfis de clientes. O objetivo é garantir
uma melhor compreensão de nossos
produtos e serviçose possui três eixos
norteadores: simplicidade, inovação
e educação financeira.. Exemplos de
projetos implementados: alertas nos
terminais eletrônicos antes da entrada
no cheque especial, revisão de extratos,
comunicados e malas diretas, envio de
SMS e reestruturação do demonstrativo
de dívidas.
A fim de oferecer a solução financeira
mais adequada para nossos clientes
que estejam no ciclo de inadimplência
crescente, passamos a utilizar, em 2011,
informações globais de endividamento
para definir limites de crédito de
clientes Itaú Uniclass e Itaú Personnalité.
Em 2012, levaremos essa prática ao
restante de nosso público.
Produtos e serviços com benefícios ambientais
Os clientes pessoa física contam
com o Crediário Aquecedor Solar
e o Crediário Reforma. Voltado a
correntistas que desejam adquirir
aquecedor solar, o Crediário
Aquecedor Solar representou, em
2011, 0,05% do total de contratos
da linha de negócio. Em 2010, os
contratos celebrados correspondiam a
0,1% do total. Já o Crediário Reforma,
que se destina a reforma e decoração
de imóveis, sujeitos a aprovação de
orçamento, representou, em 2011,
99,95% dos contratos da linha. Os
crediários temáticos formam uma
linha especial, com 3% do total de
crediários contratados em 2011. (FS8)
Publicamos nos canais eletrônicos um
alerta de incentivo ao uso exclusivo
do extrato consolidado eletrônico.
Dessa forma, reduzimos os impactos
ambientais referentes aos processos
de produção e de descarte do papel,
além de diminuirmos o consumo de
tinta para impressão e as emissões
geradas por todo esse processo.
Em 2012 iniciamos uma intensa
campanha de conscientização sobre
o uso do papel, estimulando que
nossos clientes adotem os extratos
eletrônicos.
61
Negócios
Banco de varejo
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Educação financeira (FS16)
Acessibilidade
Divulgamos para nossos colaboradores
e clientes material educativo sobre
uso consciente do crédito, resumo dos
produtos contratados, ferramentas
de controle financeiro, orientador
de crédito, controle de gastos e
segurança, visando, principalmente,
à educação financeira e à redução do
superendividamento. Em 2011, mais
de 50% de nossos clientes pessoa física
receberam os materiais de orientação.
Buscamos desenvolver soluções em
serviços que atendam a clientes com
deficiência visual. Existem hoje cerca de
3 mil contas de deficientes visuais. Para
essses clientes oferecemos as seguintes
opções:
O Orientador de Crédito ajuda o cliente
a decidir qual é o melhor crédito para
sua necessidade. Outra iniciativa nessa
linha é a consulta de empréstimos
contratados, que permite ao cliente
visualizar seus empréstimos de
forma consolidada e detalhada, com
todas as características da operação:
data de contratação, taxa de juros,
detalhamento das parcelas (quitadas
e a pagar), valor da próxima parcela
em aberto e valor para liquidar
antecipadamente.
Todos os correntistas podem fazer
a consulta pelos seguintes canais:
agência, caixa eletrônico, internet e
telefone. O principal objetivo dessa
iniciativa é ajudar o cliente a controlar
seus compromissos financeiros e não se
superendividar. A ferramenta também
possibilita ao gerente avaliar a melhor
ocasião para oferecer um produto de
crédito ao cliente, adequado ao seu
perfil e momento de vida.
Em 2011 foi lançada a campanha
Crédito Consciente Itaú. Quanto mais
você entende, menos se surpreende.
Toda em plataforma digital, a campanha
traz informações educativas sobre os
diferentes tipos de crédito. Os vídeos
tiveram mais de 6 milhões de views.
Além disso, as agências do varejo
possuem materiais educativos sobre o
uso consciente do dinheiro, em que os
clientes podem esclarecer suas dúvidas
sobre os produtos financeiros.
• recebimento em braille;
• caractere ampliado;
• recebimento de extrato normal;
Essas opções são disponibilizadas a
todas as contas corrente e cartões de
crédito. (FS14)
Modernização, tecnologia e inovação
O novo modelo físico e de atendimento
das agências do Itaú – que inclui
também o Itaú Uniclass e o Itaú
Negócios – foi desenvolvido em 2010 e
começou a ser implantado naquele ano.
O objetivo principal da mudança foi
fazer com que os espaços favorecessem
o relacionamento com nossos clientes.
Para isso, concebemos ambientes mais
iluminados, modernos e acolhedores,
que aproximam nossos colaboradores
dos usuários.
Em 2011, adequamos cerca de 450
agências do Itaú a esse novo layout,
totalizando aproximadamente 1.500
unidades reformadas. Também
desenvolvemos um modelo para
cidades menores, que começará a ser
implementado no primeiro semestre de
2012, e criamos um padrão aprimorado
para as agências Personnalité. Em 2012,
prevemos realizar a reforma de outras
500 agências do Itaú, completando a
modernização total da rede até o final
de 2013. Em 2012, serão inauguradas
130 agências de varejo e 30 do Itaú
Personnalité.
A expansão do serviço Itaú Uniclass na
rede de varejo, iniciada em setembro
de 2011, ultrapassou 1.300 agências
e postos de atendimento bancário (o
equivalente a 26% do total da rede),
totalizando mais de 2.700 pontos de
atendimento. Estimamos que, até o
final do primeiro trimestre de 2012,
implantaremos o atendimento do
segmento Itaú Uniclass em mais 1.500
pontos de venda, atingindo toda a
nossa rede de varejo. Esses clientes
passarão a contar com gerências
dedicadas, caixas exclusivos, limites
de crédito revisados, consultorias
especializadas e atendimento gerencial
por telefone em horários estendidos.
Em termos de inovação e tecnologia,
o Itaú Unibanco também alcançou
muitas realizações em 2011. Uma das
novidades do ano foi o lançamento da
iConta, que é 100% eletrônica e destinase a pessoas que utilizam canais como
internet, telefone, celular, iPad e caixas
eletrônicos para gerenciar e movimentar
a conta-corrente. Os usuários da iConta
estão isentos de mensalidade e, caso
precisem usar o guichê do caixa ou
necessitem de atendimento pessoal,
pagam um valor avulso.
Desenvolvemos uma solução mobile que
facilita a vida de nossos clientes: o iToken
SMS, que permite o recebimento do
código de segurança de transações pelo
telefone celular.
Em relação à tecnologia, avançamos no
projeto de biometria, isto é, o uso de
características biológicas em mecanismos
de identificação. A aplicação desse
recurso em procedimentos bancários
aumentará a segurança dos clientes e
a confiabilidade das transações. Nossa
expectativa é que, até meados de 2012,
todas as novas contas-correntes adotem
essa tecnologia. Até 2013, nossa meta é
ter dispositivos de biometria em 70% dos
nossos caixas eletrônicos.
62
Negócios
Microfinanças
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Microfinanças (Perfil 2.7)
O Itaú Microcrédito é um dos segmentos
que melhor refletem nosso papel de
agente de transformação na sociedade,
pois fornece empréstimos a pessoas com
pouco ou nenhum acesso ao sistema
financeiro tradicional, em locais que
abrigam populações economicamente
vulneráveis. Muitos empreendedores
se dedicam durante todo o dia a seu
empreendimento, o que impossibilita
o deslocamento para as agências
bancárias e, consequentemente, o
acesso a serviços financeiros. (FS13)
A metodologia de atuação baseiase no relacionamento direto entre o
agente e o microempreendedor, no
local onde é executada a atividade
econômica. Assim, por meio do
agente de microcrédito, levamos o
banco até o cliente, dando início à
bancarização desses empreendedores.
Disponibilizamos crédito, seguros e
educação financeira em regiões carentes
desses serviços, além de oferecermos
orientação para instituições, bancos e
cooperativas que buscam atender as
necessidades financeiras de pessoas
físicas e jurídicas empreendedoras
de atividades produtivas de pequeno
porte.
A operação fechou 2011 com 119
colaboradores, entre eles uma equipe
de campo formada por 68 agentes
e supervisores de microcrédito.
Todos os dias, a equipe de campo
percorre comunidades de baixa
renda das regiões metropolitanas
de Porto Alegre, Rio de Janeiro e
São Paulo, em busca de clientes que
precisam de apoio para investir em
seus pequenos negócios. São donos
de padarias, mercearias, lan houses
e salões de beleza, entre outros – na
maioria dos casos, pessoas com baixo
grau de instrução, provenientes das
classes C2, D e E –, que atuam na
informalidade.
A base da atuação do microcrédito é
o estabelecimento de uma relação de
confiança entre o empreendedor e
o agente de microcrédito. A atuação
desses agentes funciona assim: eles
batem à porta de um estabelecimento
e conversam com seu proprietário. Caso
enxerguem potencial para o negócio,
recomendam a liberação do crédito.
Denominamos esse tipo de empréstimo
– que é firmado diretamente entre
os agentes de microcrédito e os
microempreendedores – de operação de
1º Piso (leia boxe a seguir).
A tecnologia é uma grande aliada na
operação do Itaú Microcrédito. O uso
de smartphones mantém os agentes em
campo e conectados com a central. Dessa
forma, eles podem acessar a internet e
utilizar a câmera fotográfica do celular
para registrar documentos que serão
verificados durante a análise de crédito.
O valor dos financiamentos varia de
O Itaú Microcrédito também se
destina a microempreendedores
que precisam reformar seus
estabelecimentos, como foi o
caso da mercearia Três Irmãos,
em Guarulhos-SP
63
Negócios
Microfinanças
R$ 400 a R$ 10 mil (para primeiro
crédito) e de R$ 400 a R$ 14.200 (para
renovações), e os pagamentos podem
ser feitos em até 15 parcelas. A taxa de
juros recua a cada renovação, iniciando
em 4% ao mês e podendo chegar a
2,8% ao mês. Em 2011, realizamos
mais de 6 mil operações e financiamos
um valor superior a R$ 20 milhões.
Esse desempenho representa um
crescimento de 41% das operações
e de 35% dos valores financiados em
relação ao realizado em 2010. Desde
sua fundação, em janeiro de 2003, a
unidade de negócios de microcrédito
do Itaú Unibanco já realizou mais de
35 mil operações de financiamento,
equivalentes a mais de R$ 110 milhões.
Outra linha de atuação do Itaú
Unibanco é a operação de 2º Piso, que
trata da concessão de crédito para
microempreendedores por meio de
organizações da sociedade civil de
interesse público (OSCIPs) cadastradas
no Programa Nacional de Microcrédito
Produtivo Orientado (PNMPO). Nesse
modelo, nossa atuação é indireta, pois
direcionamos linhas de financiamento
para OSCIPs parceiras, que também
recebem nossa assessoria em temas de
governança e gestão (leia boxe a seguir).
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
importantes para o desenvolvimento
do negócio e o intercâmbio de
informações. O Banco Interamericano
de Desenvolvimento (BID) participou
ativamente da concepção e
implementação da operação, por meio
de um convênio de cooperação técnica
e financeira. Também possuímos
parcerias com universidades, como
a Fundação Getulio Vargas (FGV),
o Instituto de Ensino e Pesquisa
(Insper), o Massachusetts Institute
of Technology (MIT), a University
of California, Los Angeles (UCLA), e
a Harvard University, na criação de
sistemas tecnológicos.
Outra aliança foi firmada com a
Microsoft e a rede CDI Lan, braço
de negócios ligado ao Comitê pela
Democratização da Informática. Por
meio dela, levamos às lan houses
associadas a oferta de crédito para
financiar a aquisição de softwares da
Microsoft, incentivando a legalização
desses estabelecimentos. Esse foi um
projeto-piloto realizado em 2011, e
prevemos sua expansão durante 2012.
Temos estabelecido parcerias
Parceria com a rede Assaí
Em novembro de 2011, por meio
da Financeira Itaú CBD S.A. Crédito,
Financiamento e Investimento
(FIC) a rede Assaí passou a oferecer
o Itaú Microcrédito em 33 de suas
lojas na Grande São Paulo e na
cidade do Rio de Janeiro.
Os clientes da Assaí recebem informações
sobre o produto e, caso tenham
interesse em contratá-lo, informam seus
dados cadastrais para que a central de
atendimento do banco possa contatálos. O potencial de novos negócios é
promissor, uma vez que grande parte do
público dessa rede atacadista é formado
por microempreendedores.
A tecnologia
é uma grande
aliada na
operação do Itaú
Microcrédito.
O uso de
smartphones
mantém os
agentes em
campo e
conectados com
a central
64
Negócios
Microfinanças
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
O Itaú Microcrédito quer se
transformar, nos próximos cinco anos,
em uma das maiores operações
de microcrédito do Brasil
Agentes de microcrédito
Bases para a expansão
Em geral, o perfil de nosso agente de
microcrédito compreende profissionais
com família formada e que possuem
duas competências fundamentais:
raciocínio analítico e identificação com
a causa da transformação social. Sua
condição socioeconômica é semelhante
à dos clientes desse segmento.
O Itaú Microcrédito quer se transformar,
nos próximos cinco anos, em uma das
maiores operações de microcrédito do
Brasil. Por isso, investimos continuamente
na capacitação de nossos profissionais,
na aquisição e no desenvolvimento
de sistemas tecnológicos e em uma
plataforma de comunicação adequada
ao nosso público.
Uma vez contratados, esses agentes
passam por um extenso programa de
treinamento, que dura cerca de um
ano e oferece módulos em sala de aula
e formação prática em campo. Para
contribuir com o desenvolvimento
desses colaboradores, patrocinamos
seus cursos universitários, o que
também é um fator de retenção. Nosso
próximo passo é nos aproximar de
projetos sociais nas comunidades para
promovermos a formação de um celeiro
de talentos. (FS4)
Esse programa de treinamento capacita
o agente a realizar um levantamento
socioeconômico do cliente e a transmitir
a ele informações sobre educação
financeira, além de conscientizá-lo
sobre suas obrigações de crédito. O
agente orienta, acompanha e monitora a
aplicação dos valores emprestados.
Em 2012, distribuiremos o Caderno do
Empreendedor, uma ferramenta que
ajudará o microempreendedor no controle
das vendas e das despesas de seu negócio.
O caderno o auxiliará na organização
de suas atividades, apontando o
momento certo para a compra de novas
mercadorias, para fazer um levantamento
do estoque e para identificar os melhores
clientes e fornecedores.
Intensificamos as sinergias entre o Itaú
Microcrédito e as demais unidades de
negócio do banco. Partindo da premissa
de que o microcrédito é a porta de
entrada da população de menor renda
aos serviços financeiros, desenvolvemos
outros produtos para atender esse
público. Um exemplo emblemático é
o seguro Itaú Proteção Microcrédito
(seguro prestamista), que é oferecido
a todos os microempreendedores sem
custo adicional (boxe a seguir).
Com o objetivo de simplificar a oferta e
a comunicação do produto, passamos
a utilizar a marca Itaú Microcrédito
– em vez de Microinvest – em
nossos materiais de divulgação e na
identificação dos agentes de campo.
Essa mudança deve trazer vários
benefícios para a nossa atuação, pois
a marca Itaú confere credibilidade e
um sentimento de pertencimento ao
colaborador do microcrédito.
65
Negócios
Microfinanças
Durante o primeiro semestre de 2012,
pretendemos consolidar esse novo
modelo de negócio para que o Itaú
Microcrédito possa alcançar a produção
e a escala pretendidas – mantendo
uma qualidade de carteira condizente
com os padrões internacionais do
setor –, além de lançar novos produtos
microfinanceiros, principalmente o
microsseguro de vida e para acidentes
pessoais e o seguro patrimonial.
Em 2011, embora não tenhamos
alcançado nossas metas de produção,
voltamos nosso foco para a construção
de meios para conseguirmos
incrementar em 2,5 vezes nossa
participação no mercado durante os
próximos três anos. A partir do segundo
semestre de 2012, também temos a
expectativa de aumentar a escala de
nossa concessão de crédito, atingindo
um crescimento de pelo menos 30% na
carteira de clientes em relação a 2011.
Para o 2º Piso, as metas incluem o
crescimento da carteira, suportado pelo
fortalecimento do setor microfinanceiro,
por meio da troca de conhecimento e da
concessão de funding.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Operações de 1º Piso (FS7)
As operações de 1º Piso oferecem
crédito para capital de giro, misto,
reformas ou ativo fixo, destinado
a pequenos empreendedores
(formais ou informais) urbanos
e envolvidos em atividades
produtivas de pequeno porte.
Para ter acesso a essa modalidade
é preciso ser maior de 18 anos,
ser proprietário ou sócio do
empreendimento, ter faturamento
máximo de R$ 240 mil/ano, ter
a atividade e trabalhar nela há
pelo menos um ano (para a
modalidade de capital de giro)
e pelo menos dois anos (para as
outras modalidades). Não é preciso
ter conta-corrente em banco e
garantias formais. (FS7)
• Mínimo no primeiro crédito:
R$ 400,00
- Máximo no primeiro crédito:
R$ 10.000,00
• Mínimo na renovação: R$ 400,00
• Máximo na renovação: R$ 14.200,00
• Mínimo de quatro parcelas e máximo
de 15
• Taxas cobradas: juros, TAC e IOF
(taxa de juros cadente na renovação)
• 6.086 créditos (clientes beneficiados)
em 2011
• Valor total financiado em 2011:
R$ 20.200.124,00 (FS7)
Operações de 2º Piso (FS7)
Essas operações oferecem crédito para
microempreendedores por meio de
organizações da sociedade civil de
interesse público (OSCIPs) cadastradas
no Programa Nacional de Microcrédito
Produtivo Orientado (PNMPO). Tratase de uma cessão de crédito com
coobrigação do cedente, em que as
instituições de microfinanças cedem
a carteira de títulos a receber para o
Itaú Unibanco, recebendo, assim, o
valor dos títulos antecipadamente
em sua conta-corrente. Esse recurso
é proveniente da exigibilidade dos
depósitos à vista, em conformidade
com a Resolução BACEN nº 4.000, de
25 de agosto de 2011.
O método de análise das instituições
parceiras foi desenvolvido pelo
Itaú Unibanco exclusivamente para
atender esse setor.
Por meio do Programa de
Relacionamento e Apoio às
Instituições de Microfinanças,
realizamos encontros com as
instituições parceiras, buscando
a troca de conhecimentos e as
boas práticas microfinanceiras.
Envolvemos a diretoria e o conselho
das instituições para discutir
planos de ação e o planejamento
para utilização do funding
disponibilizado pelo Itaú Unibanco.
(FS5)
Os resultados do programa
demonstram sua importância para
a manutenção do desenvolvimento
sustentável das instituições parceiras
e, consequentemente, a qualidade
da nossa carteira. (FS5)
66
Negócios
Microfinanças
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Regiões de atendimento do Itaú Microcrédito
Realizamos operações de 1º Piso
(empréstimos concedidos diretamente
aos microempreendedores) e de
2º Piso (empréstimos concedidos
indiretamente a microempreendedores
por meio de instituições
especializadas).
Tanto as operações de 1º Piso quanto
as de 2º Piso adotam a modalidade
de microcrédito produtivo
orientado, e, assim, contribuem
para a inclusão socioeconômica de
microempreendedores, formais ou
informais urbanos, pertencentes às
classes C2, D e E, que não têm acesso
às linhas tradicionais de crédito,
incentivando o desenvolvimento de
atividades produtivas. (FS7 e FS13)
Em 2011, o Itaú Microcrédito, por meio
de seus agentes próprios (operação
de 1º Piso), atendeu os seguintes
municípios brasileiros:
- Rio de Janeiro: Rio de Janeiro, Duque
de Caxias, Petrópolis, Piabeta, Piabeta
(Magé), Guia de Pacobaíba, Belford
Roxo, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu,
Queimados, São João do Meriti e Japeri;
- Rio Grande do Sul: Porto Alegre,
Canoas, Guajuviras (Canoas), São
Leopoldo, Sapucaia do Sul, Esteio, Novo
Hamburgo, Gravataí, Viamão, Alvorada,
Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul e Santo
Ângelo;
Regiões de atendimento do Itaú Microcrédito
Operações de 1º Piso
Operações de 2º Piso
- São Paulo: São Paulo, Barueri,
Carapicuíba, Cotia, Diadema, Itapevi,
Jandira, Mauá, Osasco, Santo André,
São Bernardo do Campo, Vargem
Grande Paulista, Santana de Parnaíba,
Taboão da Serra, Embu, Itapecerica
da Serra, Guarulhos, Ferraz de
Vasconcelos, Poá e Itaquaquecetuba.
Por meio da operação de 2º Piso, o
Itaú Unibanco atende indiretamente
alguns municípios do Rio Grande do
Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas
Gerais, Pernambuco e Paraíba.
A combinação do 1º Piso com o
2º Piso oferece, potencialmente,
abrangência nacional para a
operação.
67
Negócios
Microfinanças
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Microsseguro prestamista (FS7)
Essa modalidade de seguro, lançada
em dezembro de 2011, já vem
incluída no crédito e não tem custo
adicional para o cliente. O produto
destina-se a usuários de nossas
operações de 1º Piso e é limitado ao
valor de R$ 15.000,00. Sua vigência
é a mesma do crédito. Em 2011, 435
clientes foram beneficiados por essa
modalidade. (FS7)
Benefícios: em caso de morte do
cliente, quitação do saldo devedor
do crédito adquirido, assistênciafuneral no valor de R$ 3 mil e auxíliocesta básica (quatro créditos no valor
de R$ 100,00 cada).
Riscos e oportunidades
socioambientais
A International Finance Corporation
(IFC), braço financeiro do Banco Mundial,
apoiou o Itaú Microcrédito com sugestões
de alguns critérios mínimos para a política
de crédito. As sugestões são baseadas nos
critérios dos Princípios do Equador. Todos
os colaboradores do Itaú Microcrédito
têm acesso à Política de Concessão de
Crédito, por meio de manuais impressos.
Periodicamente, é realizada uma auditoria
das operações e dos processos internos
e externos do Itaú Microcrédito para
certificar a aplicabilidade das políticas.
para desmatamento, produtos
farmacêuticos e produtos que
contenham PCB (Polychlorinated
biphenyls) ou pesticidas-herbicidas
sujeitos às proibições internacionais.
(FS1 e FS2)
• utilizem formas exploratórias de
trabalho, trabalho escravo ou forçado
ou trabalho infantil;
O crédito só pode ser oferecido para
microempreendimentos que tenham
impacto positivo no desenvolvimento
da comunidade e que sigam práticas
sustentáveis. Antes da concessão, o agente
de crédito faz uma avaliação global sobre
o microempreendimento, identificando,
além das questões relevantes ao crédito,
se a situação do negócio não fere a política
do Itaú Microcrédito e as legislações
vigentes. Se, após a concessão do crédito,
o agente identificar algum desvio, ele tem
a responsabilidade de orientar o cliente,
bem como se certificar de que o crédito
não seja renovado até que o usuário se
adapte à política. (FS1 e FS2)
• produzam ou comercializem produtos
ilegais, armas e munições, tabaco,
animais selvagens ou produtos
regulamentados sob a Convenção
sobre o Comércio Internacional de
Espécies da Flora e Fauna Selvagens
em Perigo de Extinção (Cites),
materiais radioativos, equipamentos
Para proteger o cliente de
superendividamento, são adotados
controles como a obrigatoriedade
de apresentar certos documentos, o
estabelecimento de limites (R$ 10 mil
no primeiro crédito, por exemplo) e de
critérios para a concessão – como, por
exemplo, trabalhar na atividade há, no
(FS1, FS2 e FS15)
Financiamos apenas atividades que
respeitam normas socioambientais,
excluindo aquelas que, entre outros
aspectos:
mínimo, um ano para solicitar capital
de giro e dois anos para as demais
finalidades. O modelo de análise de
crédito também permite a concessão
segura, dentro da capacidade de
pagamento do cliente. (FS1 e FS2)
Para acompanhar a utilização do crédito,
o agente visita o empreendimento
aproximadamente 15 dias após a
concessão. A proximidade com o
cliente e a orientação são algumas das
ferramentas utilizadas para fomentar o
desenvolvimento social e financeiro do
microempreendedor. Promovemos cafés
da manhã (com a intenção de explicar
o produto e nossa atuação dentro da
comunidade) e atividades lúdicas, como
o jogo de tabuleiro sobre educação
financeira (atividade voluntária). A
etapa de acompanhamento do crédito
concedido é tão importante quanto as
etapas anteriores de prospecção, análise
e concessão. Disponibilizamos, ainda,
dois canais de atendimento para nossos
clientes: o SAC Itaú Unibanco e a Central
Itaú Microcrédito. (FS5)
68
Negócios
Microfinanças
Buscamos o baixo endividamento
do cliente (1º Piso), o crescimento
sustentável das instituições parceiras
(2º Piso) e o desenvolvimento
socioeconômico das regiões onde
atuamos, além da geração de emprego e
renda e da melhoria na qualidade de vida
dos microempreendedores. (FS13)
Avaliação de impacto (EC9 e SO1)
No Itaú Microcrédito, sempre que há
renovação do crédito (47,3%, em 2011),
o agente realiza um novo levantamento
socioeconômico do cliente, e o analista
da mesa de crédito pode fazer uma
avaliação rápida sobre o impacto
financeiro e social gerado desde o
último crédito.
Temos vários casos documentados de
pessoas atendidas pelo microcrédito
que, com a expansão de seus negócios,
passaram a compor as carteiras de clientes
com renda mais elevada e, hoje, são
atendidas por segmentos premium do
banco. Depoimentos em vídeo fornecidos
por alguns de nossos clientes – nos quais
eles atribuem o progresso de seus negócios
e de sua vida ao acesso ao microcrédito do
Itaú Unibanco – podem ser assistidos em
www.itau.com.br/microcredito.
Há, ainda, dois canais disponíveis para
que os clientes nos contatem: o SAC Itaú
Unibanco (0800 728 0728) e a Central
Itaú Microcrédito (4004-1937). Em virtude
do bom contato periódico e pessoal
com o agente de crédito, o cliente
acaba dispensando outros meios para a
resolução de seus problemas. (SO1)
Nas operações de 1º Piso, não temos
uma avaliação quantitativa dos impactos
sociais, mas sim uma avaliação qualitativa
feita pelos agentes de crédito e
supervisores, que acompanham de perto o
desenvolvimento de seus clientes durante
as visitas e a renovação do crédito. No
entanto, ainda não temos tais informações
compiladas em uma base. (SO1)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Entre os impactos observados,
destacam-se:
• os clientes atendidos têm a
oportunidade de melhorar suas
condições sociais com o pacote crédito,
seguro e orientação (geração de renda,
emprego e ascensão social);
• a orientação educativa, que
inclui educação financeira e
acompanhamento do agente de
crédito, aumenta as habilidades dos
microempreendedores (orientação
sobre o fluxo de caixa, ciclo econômico,
separação entre despesas pessoais e
despesas do negócio etc.).
Não existem no mercado benchmarks
de microfinanças relacionados a
impactos econômicos indiretos. Em
2012, pretendemos estudar a utilização
de indicadores compatíveis com os
do Mix Market (www.mixmarket.
org), organização de benchmarking
internacional em microfinanças, para
identificar um peer group compatível
com o Itaú Microcrédito e monitorar os
indicadores. (EC9)
Não temos uma avaliação quantitativa
dos impactos sociais, mas sim uma
avaliação qualitativa, feita pelos
agentes de crédito e supervisores,
que acompanham de perto o
desenvolvimento de seus clientes
durante as visitas e a renovação do
crédito. No entanto, ainda não temos tais
informações compiladas em uma base.
Também iniciamos um trabalho para
identificar microempreendedores
individuais em regiões com as maiores
oportunidades para o microcrédito – o
mapeamento de geomarketing –, o qual
nos trará mais conhecimento sobre as
regiões onde atuamos. Além disso, serão
desenvolvidos, no segundo semestre de
2012, indicadores para medir o impacto
social do nosso produto.
Buscamos o baixo
endividamento
do cliente, o
crescimento
sustentável das
instituições
parceiras e o
desenvolvimento
socioeconômico
das regiões onde
atuamos
69
Negócios
Pequenos e médias empresas
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Pequenas e médias
empresas
O segmento atende pequenas e médias
empresas (PMEs) com faturamento
anual de até R$ 300 milhões. Além
do gerente de relacionamento, que
atua como consultor financeiro, o
atendimento a esses clientes é realizado
também por especialistas em produtos
– profissionais com expertise em ativos,
cash management, comércio exterior,
seguros, investimentos e derivativos.
Uma rede de agências com grande
capilaridade e infraestrutura tecnológica
de vanguarda também está à disposição
de nossos clientes.
Financiamos o desenvolvimento
das pequenas e médias empresas,
que compõem um dos setores mais
importantes para o crescimento da
economia e a geração de empregos no país.
Para melhor atender nossos clientes
e criar as bases para um crescimento
consistente de longo prazo, em 2011,
contratamos 1.452 colaboradores
e abrimos 64 novos pontos de
atendimento presencial.
Aproveitamos oportunidades para
atender às demandas de setores com
grande potencial de expansão, como o
de comércio exterior. Desenvolvemos,
ainda, uma série de produtos e serviços
para facilitar o dia a dia dos exportadores
e importadores e para descomplicar
as operações de câmbio. Prova disso
é o crescimento no uso de soluções
eletrônicas, como o Câmbio on-line, que
avançou 80,2% em relação a 2010, e o
Comexpress, aplicativo de gestão de
negócios internacionais, que apresentou
um salto de 52,3% no período.
Outro destaque do ano foi a ativação
do Projeto Progredir, direcionado aos
clientes pessoa jurídica atendidos pelo
Itaú Unibanco e pelo Itaú BBA, que
participam, em algum nível, da cadeia
de fornecedores da Petrobras. Por meio
desse projeto, criado a partir de uma
parceria entre a Petrobras e alguns
bancos brasileiros, os fornecedores da
cadeia da estatal passaram a ter crédito
garantido pelos recebíveis gerados
nos contratos de bens e serviços.
Esses contratos, fechados na cadeia
e registrados no Portal Progredir, dão
transparência na relação comercial,
o que diminui o risco da operação e,
consequentemente, o custo para os
tomadores.
Internamente, realizamos a expansão
do Ciemp (Certificação Itaú Empresas),
programa de certificação para os
colaboradores focado no conhecimento
de produtos e serviços específicos para
pessoas jurídica. Ele também aborda
temas como sustentabilidade, valores,
cultura e ética. Até o final de 2013,
esperamos ampliar a certificação Ciemp
também para as equipes comerciais e
de operações.
Apoio às pequenas
e médias empresas
- Seminário Itaú Empresas:
seminários que abordam assuntos
como gestão de pessoas, gestão
financeira, tecnologia, marketing,
cenário macroeconômico e
tributário. Os eventos fazem parte do
programa de assessoria empresarial
do Itaú Empresas, por meio do qual
entregamos conteúdo e informações
relevantes para o desenvolvimento
de nossos clientes. Em 2011, foram
realizados nove eventos, distribuídos
em cinco regiões brasileiras, com a
participação de quase 2 mil clientes.
- Projeto Visão de Sucesso:
em 2011, o Itaú Empresas
fechou a parceria com o Banco
Interamericano de Desenvolvimento
(BID) e o Instituto Endeavor Brasil
para o Projeto Visão de Sucesso.
A iniciativa prevê a seleção de
pequenas e médias empresas (PMEs)
para participarem desse programa
exclusivo de capacitação técnica e
de gestão para negócios, de forma
subsidiada. O objetivo é fomentar
o empreendedorismo voltado à
“base da pirâmide”, formada pela
população economicamente
classificada como classes C, D e E. O
governo coreano, por meio do Fundo
Fiduciário de Desenvolvimento
de PME IIC-Coreia, está apoiando
esse projeto com um programa
de assistência técnica de US$ 500
mil. Fundos de contrapartida local
totalizam outros US$ 500 mil.
70
Negócios
Pequenos e médias empresas
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
O segmento atende 1,5 milhão
de pequenas e médias empresas
(PMEs) com faturamento anual
de até R$ 300 milhões.
Riscos e oportunidades
socioambientais
Desde 2007, avaliamos o risco
socioambiental na concessão de crédito
para pequenas e médias empresas,
com base na Política Setorial de Risco
Socioambiental. Durante o seu processo
de construção, a política passou pela
avaliação de stakeholders externos,
seguindo as diretrizes da norma AA1000.
(Perfil 4.16 e FS1)
Em 2011, essa política foi revisada, de
modo a refletir a política institucional, ou
seja, a Política de Risco Socioambiental
do Itaú Unibanco Holding S.A., que não
está disponível publicamente. (FS1)
Para a realização da análise de
risco socioambiental, são utilizadas
ferramentas como a Lista Proibida,
a Lista Restrita, a categorização
socioambiental, o questionário de
autodeclaração socioambiental, as
diretrizes setoriais, checklists específicos
para determinados setores, visitas a
clientes e um canal de comunicação
externo (Fale Conosco). (FS1, FS2 e FS3)
Os clientes são categorizados conforme
os riscos socioambientais associados aos
seus setores de atividade econômica.
A partir dessa categorização, realiza-se
a análise de risco socioambiental na
concessão de crédito para empresas
consideradas A (alto potencial de risco)
e B (médio potencial de risco) e que
tenham envolvimento em crédito com o
banco igual ou superior a R$ 5 milhões.
(FS2)
Como reflexo da adequação da política
de risco socioambiental do Itaú
Unibanco à Política institucional, em
2011 passamos a analisar as empresas
com envolvimento em crédito a partir
de R$ 1 milhão dos ramos de atividade
enquadrados na Lista Restrita por meio
de checklist específico, dada a criticidade
de tais setores. Essa nova regra do
processo objetiva ampliar o número de
empresas que devem passar por esse
tipo de análise de risco. (FS2)
Durante o processo de análise, quando
identificado potencial risco, a equipe
técnica poderá realizar visitas in loco ou
solicitar informações complementares
à empresa. Os questionamentos ficam
sob o monitoramento da área de análise,
e, quando os problemas identificados
não podem ser contornados via plano
de ação, o crédito não é concedido. Os
clientes são analisados periodicamente,
e a análise de risco socioambiental é
válida por até dois anos. (FS3)
Não concedemos crédito para
empresas que tenham envolvimento
com as atividades previstas na Lista
Proibida. Periodicamente, verificamos
as atualizações do cadastro de
empregadores do Ministério do
Trabalho e Emprego, previsto na Portaria
Interministerial nº 2, de 12 de maio de
2011. (FS1)
71
Negócios
Pequenos e médias empresas
Para a identificação de trabalho infantil
e prostituição, realiza-se monitoramento
de notícias na mídia. Quando
identificado o fato, o crédito não é
concedido. (FS2 e FS3)
O processo de análise socioambiental é
constantemente reavaliado dentro do
ciclo de crédito, de modo a abranger
sempre um maior número de empresas
analisadas, focando principalmente
aquelas que atuam em ramos com
potencial envolvimento nas atividades e
ramos das listas restrita e proibida. (FS3)
Os temas de gestão de impactos
na biodiversidade e de mudanças
climáticas também estão contemplados
nas ferramentas de análise de risco
socioambiental. (EN14)
O processo de análise de risco
socioambiental para pequenas e médias
empresas foi certificado com a norma de
qualidade ISO 9001, em junho de 2010.
Essa recertificação é realizada a cada
três anos.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Treinamento
A equipe de análise de risco
socioambiental é composta
por profissionais com formação
multidisciplinar. Para garantir que
a equipe se mantenha atualizada e
tenha o conhecimento necessário às
suas atividades, em 2011 foi realizado
curso in company, em parceria com a
Fundação Getulio Vargas, sobre o tema
Direito Ambiental. (FS4)
Destaca-se, também, a participação
da equipe técnica de análise no
treinamento sobre sistemas de gestão
de risco socioambiental realizado
anualmente pelo Interamerican
Investiment Corporation (IIC), que,
em 2011, aconteceu em Salvador e
contou com o apoio do Itaú Unibanco,
e nos cursos promovidos pela
International Finance Corporation (IFC),
como, por exemplo, o Community of
Learning, sobre os Novos Padrões de
Desempenho da IFC.
Gerentes comerciais passam
constantemente por treinamentos de
reciclagem de crédito, e nesses cursos
é abordada a questão socioambiental,
bem como os procedimentos de análise
relativos à Política Setorial de Risco
Socioambiental. Ao longo do ano, os
gerentes comerciais também recebem
diversas publicações sobre o tema. (FS4)
Pareceres socioambientais para Pequenas e Médias Empresas
emitidos ao longo de 2011
Categorização
socioambiental
Parecer
socioambiental
favorável
Parecer
socioambiental
desfavorável
Mudanças
de práticas
A
1.812
41
7
B
1.520
69
10
C
65
13
0
Total
3.397
123
17
Disponibilizamos, ainda, treinamento
a distância, no formato de e-learning,
sobre risco socioambiental, que
pode ser acessado por todos os
colaboradores do banco.
Mobilização de clientes para a gestão
Em 2011, realizamos a sexta edição do
Projeto Extreme Makeover, em parceria
com a Microsoft e a revista Pequenas
Empresas Grandes Negócios. O projeto
oferece, gratuitamente, consultoria
tecnológica, financeira e socioambiental
para três empresas selecionadas, de
acordo com seu perfil e oportunidades
de atuação. (FS5)
O objetivo é ajudar as pequenas
empresas a fazer bom uso da tecnologia
e das finanças para se modernizarem,
facilitar a gestão e aumentar a eficiência.
Também visa aumentar a rentabilidade
e mostrar que toda e qualquer empresa,
independentemente do seu porte, pode
ser mais eficiente e sustentável. Por meio
do projeto, fazemos o diagnóstico das
empresas e oferecemos recomendações
nos seguintes temas: gestão financeira;
governança; negócios e meio ambiente;
colaboradores; clientes; concorrentes;
fornecedores e sociedade e governo.
Além disso, realizamos palestras sobre
educação financeira aos funcionários
das empresas participantes. (FS5)
Outra iniciativa é o projeto Assessoria
de Gestão Sustentável, que busca levar
uma solução pioneira no mercado
financeiro brasileiro às micro e
pequenas empresas em situação de
crédito desfavorável. Para esses clientes,
a mudança na gestão financeira da
empresa pode significar não só a honra
de acordo com o banco, mas também a
própria sobrevivência. (FS16)
O projeto oferece conhecimentos
teóricos de gestão e controles financeiros
e disponibiliza consultores especializados
em gestão de micro e pequenas
empresas, permitindo ao clientes evoluir
72
Negócios
Pequenos e médias empresas
na forma de administrar o negócio
para aumentar sua geração de valor.
Os principais objetivos são melhorar
a gestão do negócio nas empresas,
aprimorar a eficiência da cobrança de
crédito e fidelizar o cliente. (FS16)
Em 2011, 1.688 empresas participaram
do programa. Houve uma evolução de
18% no índice de honra de acordo dos
clientes que reestruturaram sua dívida
e um resultado, devido à regularização
incremental, de R$ 5,26 milhões. O
índice de retorno financeiro para o Itaú
Unibanco alcançou 646%. (FS16)
Produtos com foco socioambiental
- Financiamento Socioambiental InterAmerican Investment Corporation (IIC).
Financiamento de pequenas e médias
empresas com boas práticas nos negócios,
aplicando os critérios de elegibilidade da
IIC e nossa análise de risco socioambiental.
Em fevereiro, captamos mais US$
280 milhões na IIC, o maior volume já
repassado pelo Banco Interamericano de
Desenvolvimento (BID) para um banco
da América Latina. Somados aos US$ 50
milhões captados em 2006, são, ao todo,
US$ 330 milhões em financiamentos para
essas empresas. (FS8)
- Programa ABC (Linha Agro do
Banco Nacional de Desenvolvimento
Econômico e Social – BNDES).
Financia projetos que visam reduzir
as emissões de gases de efeito estufa
provenientes de agricultura, pecuária
e desmatamento ou promover a
ampliação de florestas cultivadas e
a recuperação de áreas degradadas.
Em dezembro de 2011, foi liberada a
primeira operação desse programa. (FS8)
- Giro Ambiental*. Empréstimo para
empresas que queiram melhorar seus
processos, produtos e serviços e, ao
mesmo tempo, minimizar seus impactos
no meio ambiente. (FS8)
- Compror Ambiental*. Linha de
crédito para clientes (compradores)
que queiram financiar a aquisição de
bens e serviços com seus fornecedores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
(vendedores). É concedido a empresas
comprometidas com a preservação dos
recursos naturais, a eficiência energética, o
tratamento de efluentes etc. (FS8)
- BNDES Procopa e BNDES Automático
Hotelaria*. Crédito especial para
empreendimentos como pousadas, hotéis
e resorts, que pode ser utilizado para
construção, ampliação e modernização da
rede hoteleira, com vistas aos dois grandes
eventos que o Brasil sediará nos próximos
anos: a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos
Olímpicos de 2016. Os empreendimentos
hoteleiros que apresentam certificação no
Sistema de Gestão da Sustentabilidade para
Meios de Hospedagem do Inmetro ou nível
“A” em eficiência energética no Procel Edifica
têm condições especiais de prazo e taxas de
juros. (FS8)
- Condições especiais e Programa BNDES
Emergencial de Reconstrução do Estado
do Rio de Janeiro (PER-RJ). Para empresas
e microempreendedores localizados em
municípios afetados pelos desastres naturais
ocorridos em janeiro de 2011 que declararam
situação de emergência ou estado de
calamidade pública. Até maio de 2011, 98
operações do PER-RJ haviam sido liberadas
no Itaú Unibanco. Além do programa
do BNDES, oferecemos a esses clientes
condições especiais de produtos, crédito e
cobrança. Principais benefícios: prorrogação
do vencimento dos contratos rotativos;
inibição de ações de cobrança; renegociação
de dívidas com condições mais flexíveis e
individualizadas; prorrogação de vencimento
de operações de leasing, entre outros. (FS13)
Em 2011, 100% dos produtos e projetos
para pequenas e médias empresas
submetidos ao processo de governança
foram aprovados. O processo inclui
análise dos aspectos de sustentabilidade
econômica e ambiental, jurídicos, de
segurança da informação, de prevenção à
lavagem de dinheiro, fiscais e tributários,
dentre outros. Essas informações são
avaliadas para auxiliar e embasar as
decisões da governança de aprovação e
reprovação de processos e produtos. (FS15)
* Não divulgamos o valor total desses serviços e produtos
por considerarmos a informação estratégica, assim como o
valor total da linha de negócio. (FS8)
73
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Negócios
Cartões de crédito
Cartões de crédito1 (Perfil 2.7)
Por meio das operações da Itaucard,
Hipercard, joint ventures e parcerias
com importantes varejistas nacionais,
oferecemos um amplo portfólio
de cartões de crédito a cerca de
34,3 milhões de contas de clientes
correntistas e não correntistas. Com um
valor transacionado de R$ 154,2 bilhões
em 2011 – volume 20,3% superior ao de
2010 –, mantivemos nossa liderança no
mercado de cartões no Brasil.
Durante 2009 e 2010, 80% dos esforços
foram concentrados na integração das
sete plataformas que funcionavam nas
operações pré-fusão. Esse processo
foi definido como prioridade, uma
vez que permitiria a padronização e
a simplificação de processos, além
de oferecer a base para a busca do
aumento da eficiência das operações.
Foi um processo de integração de alta
complexidade, que envolveu a revisão e
padronização das atividades e a criação de
uma estrutura-matriz de contabilização,
processamento, atendimento e logística,
entre outros aspectos administrativos.
Após dois anos totalmente voltados à
integração de nossas operações, com
a migração das sete plataformas de
processamento para uma única – mais
completa e robusta –, passamos, em
2011, a concentrar nossas prioridades
na revisão do modelo de negócios,
buscando o aumento da eficiência e a
construção de nosso posicionamento
em qualidade de produtos e serviços.
Revisão do modelo de negócios e foco
na eficiência
A revisão do modelo de negócios teve
como principal objetivo a reavaliação
dos acordos comerciais com alguns
parceiros. Optamos pela manutenção
das alianças com empresas estratégicas
e de porte nacional que apresentam
alto volume de transações e significativa
capilaridade. Com menor número de
parcerias, iniciamos o aprimoramento
da oferta de produtos e serviços e do
atendimento aos nossos clientes.
A nova forma de conduzir o negócio
implicou mudanças no quadro de
colaboradores, que abrangeram
todos os níveis hierárquicos, desde a
diretoria até o nível administrativo. A
transparência com que conduzimos
esse processo, baseado na meritocracia,
evitou que nossa pesquisa de clima
organizacional Fale Francamente fosse
afetada negativamente.
Mesmo com a alta complexidade
das mudanças ocorridas ao longo do
processo de reestruturação da área, o
volume de reclamações de clientes no
Procon se manteve estável em 2011 em
relação a 2010, apresentando ligeira
queda (leia mais no subcapítulo Clientes).
1 Não são considerados nos valores
transacionados e nas quantidades de contas
os produtos de Empréstimo Pessoal e
Crédito Direto ao Consumidor. Para efeito de
demonstração, os volumes e resultados aqui
apresentados incluem a parcela de clientes
correntistas e não correntistas.
Com um valor
transacionado
de R$ 154,2
bilhões em
2011 – volume
20,3% superior
ao de 2010 –,
mantivemos
nossa liderança
no mercado de
cartões no Brasil
74
Negócios
Cartões de crédito
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em dezembro de 2011, iniciamos a
aplicação do método Kaizen de gestão
da qualidade e melhoria contínua
em todos os nossos processos.
Acreditamos que, a partir de 2012, com
a estabilidade operacional do projeto
e a universalização dos canais de
atendimento, seremos capazes de gerar
uma mudança sensível na percepção de
nossos clientes a respeito da qualidade
de nossos produtos e serviços.
Transparência e educação
financeira
Outras ações também com foco em
eficiência foram tomadas ao longo
de 2011, como o encerramento das
atividades das salas VIP em aeroportos
e das lojas Itaucard, bem como a
redução do consumo de papel em
nossas comunicações – como encartes,
newsletters e folders.
O Programa Transparência 100% (veja
mais informações no capítulo Clientes)
busca tornar nossos produtos e serviços
cada vez mais claros para nossos
clientes, de modo que possam utilizá-los
com segurança, cientes dos detalhes dos
produtos que estão adquirindo.
No que se refere à melhoria da
qualidade do atendimento ao cliente,
destaca-se o projeto Tudo para
Todos, que visa à universalização do
atendimento e está, atualmente, em
estágio inicial de implementação.
O projeto permitirá a realização de
qualquer tipo de transação, tanto nas
agências e caixas eletrônicos quanto
nos diversos pontos de venda de
nossos parceiros – benefício inédito
no mercado brasileiro. A expectativa é
que, até o final de 2012, todos os nossos
clientes possam realizar qualquer tipo
de transação em todos os canais.
Para que o projeto fosse possível, as
lojas Itaucard funcionaram, durante um
ano e meio, como um espaço para o
mapeamento de 100% das demandas,
solicitações e problemas apresentados
pelos clientes. Sistematizadas, essas
informações geraram um vasto arquivo
e permitiram a realização do projeto.
Buscamos manter relações equilibradas
e de longo prazo com nossos clientes
por meio da oferta de produtos
adequados ao ciclo de vida de cada um.
Por isso, investimos para melhorar nossa
comunicação, reforçando aquela com
foco em gerenciamento de recursos e
prevenção ao endividamento excessivo.
Veja alguns exemplos de ações
implementadas que buscam oferecer
mais transparência aos nossos clientes:
• reformulação de extratos e faturas dos
cartões de crédito, de malas diretas e
de newsletters;
• simplificação dos contratos
e detalhamento das faturas
implementados desde 2010, que
passaram a ser exigidos por lei a partir
da Resolução 3.919, emitida pelo Banco
Central em abril de 2011;
• envio de alertas por SMS sobre
movimentações com cartão de crédito.
Outras ações realizadas ao longo do ano
demonstram nosso comprometimento
com o engajamento de colaboradores
e clientes nos processos de decisão.
Adotamos uma política de Precificação
de Taxas e Tarifas (Pricing) que determina
um fluxo a ser seguido para a aprovação
e a alteração de preços das taxas e
tarifas dos cartões de crédito. Todas as
novas taxas devem passar por estudo
e aprovação de um comitê específico.
Alguns dos critérios para aprovação
levam em conta a oferta responsável dos
produtos e preço justo aos clientes. (FS15)
Em 2011, tivemos a participação de
clientes no processo de inclusão de novos
benefícios nos cartões Itaucard. Por meio
da promoção “Benefício Feito por Você”,
milhares de pessoas enviaram sugestões
sobre os tipos de benefício que gostariam
de ter em seus cartões de crédito e
débito. O resultado foi a inclusão de
descontos de 50% para ingressos em
peças de teatro. Os clientes também
ajudaram a criar os novos cartões Pão
de Açúcar Itaucard, a partir de pesquisa
realizada na rede social Facebook,
que determinou as características e os
benefícios dos novos cartões.
Seguindo a Resolução 3.919 do
Banco Central do Brasil (Bacen),
disponibilizamos aos consumidores
um cartão de crédito básico, voltado
ao público de baixa renda. O produto
oferece apenas serviços essenciais para
cartões de crédito (transações com
o cartão e pagamento de contas) e
apresenta as menores tarifas entre os
cartões de crédito ofertados.
Renegociação de dívidas
Em 2011, lideramos o movimento
de redução das taxas de juros de
cartões de crédito por meio da oferta e
comunicação do produto Parcelamento
da Fatura aos nossos clientes Pessoa
Física. Nosso objetivo é disponibilizar
alternativas de financiamento com
taxas de juros mais baixas a clientes que
estejam com dificuldade de liquidar suas
faturas à vista. O produto consiste em
uma linha de crédito para financiamento
da fatura, com prazo alongado (que
varia de quatro a 24 parcelas fixas) e
taxas de juros reduzidas. (FS7)
75
Negócios
Crédito imobiliario
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Crédito imobiliário (Perfil 2.7)
Nos últimos anos, a atividade imobiliária
no Brasil alcançou uma expansão
significativa, impulsionada pelo
aumento do nível de emprego, da renda
e da oferta de crédito.
Em 2011, os financiamentos imobiliários
no país aumentaram 30% em relação a
2010, atingindo um volume de R$ 117
bilhões, ou 4,1% do PIB nacional, segundo
o Sindicato da Indústria da Construção
Civil de São Paulo (Sinduscon-SP). Em
2012, a expectativa é que esse mercado
movimente R$ 152,1 bilhões.
O déficit habitacional brasileiro
e o percentual de participação
relativamente baixo do crédito
imobiliário no PIB anunciam um
potencial muito grande de crescimento
no longo prazo. Por isso, o Itaú
Unibanco reestruturou suas atividades
e desempenhou um papel relevante
na evolução desse tipo de negócio
nos últimos anos, tornando-se líder do
segmento entre os bancos privados
do país. Ao final de 2011, alcançamos
17,8% de participação de mercado –
correspondentes a mais de R$ 21 bilhões
em financiamentos. Nossa carteira
de crédito imobiliário atingiu R$ 13,5
bilhões, com crescimento de 66,7% em
comparação com o final de 2010.
No atendimento à pessoa física, que
representa 70% do volume de crédito
concedido, nos valemos de nossa base
de clientes correntistas e da ampla rede
de atendimento para aumentarmos
gradativamente nossa participação.
Atualmente, 85% dos tomadores de
crédito imobiliário são correntistas do
banco, e 50% desse tipo de operação
são realizados em nossas agências, com
entrada mínima de 20% e prazo de
liquidação de até 30 anos. A outra metade
das operações é realizada em imobiliárias
parceiras, espalhadas pelo Brasil.
O principal diferencial de nossa linha
de atuação é a oferta ininterrupta
de avaliações para os pedidos de
financiamento, serviço disponível todos
os dias da semana – incluindo finais
de semana e feriados. Outra grande
vantagem oferecida é a agilidade de
nossa fábrica de concessão de crédito,
que dá respostas instantâneas a 70%
dos pedidos por meio de um sistema
informatizado de alto desempenho.
Em 2011, aprimoramos ainda mais esse
sistema, atingindo uma média de 13 dias
de prazo para a liberação do crédito na
conta-corrente do cliente, contra uma
média de mercado de aproximadamente
40 dias. Esse desempenho foi
conquistado por meio de investimentos
no aprimoramento de sistemas, na
melhoria dos processos e na redução da
quantidade de documentos solicitados
para as aprovações.
No financiamento à construção,
somos responsáveis por cerca de 30%
do volume de crédito no Brasil. As
20 maiores construtoras do país são
atendidas pelo Itaú BBA, e as demais,
por nossa estrutura de atendimento a
pequenas e médias empresas, que conta
com gerentes especializados nesse nicho.
Riscos e oportunidades
socioambientais
Nosso crédito imobiliário para pessoa
jurídica é concedido por meio do Plano
Empresário – linha de crédito disponível
às empresas do segmento da construção
civil (incorporadores e construtores) para
empreendimentos de unidades residenciais
e/ou comerciais. O financiamento é
concedido mediante aprovação de
crédito da tomadora; do projeto do
empreendimento; e documental, por
meio da análise jurídica da(s) garantia(s),
construtora, tomadora e demais envolvidos
no financiamento.
O Plano Empresário está sujeito à Política
Socioambiental – Crédito Imobiliário
do Itaú Unibanco, implantada com o
objetivo de mitigar possíveis riscos de
passivo ambiental ou descumprimento
de leis relacionadas a aspectos
socioambientais do empreendimento
a ser financiado. Disponível na intranet
do banco, a política se aplica a todos os
Ao final de 2011,
alcançamos
17,8% de
participação de
mercado –
correspondentes
a mais de R$
21 bilhões em
financiamentos
de imóveis
76
Negócios
Crédito imobiliario
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
No atendimento à pessoa física,
que representa 70% do volume de
crédito concedido, nos valemos de
nossa base de clientes correntistas
e da ampla rede de atendimento
para aumentarmos gradativamente
nossa participação.
financiamentos destinados à construção
de empreendimentos em todas as
regiões do Brasil. (FS1)
A política propõe a aplicação de
três questionários, que abordam
aspectos socioambientais da empresa,
do empreendimento e do terreno.
Os resultados dos questionários
são mensurados, e, em caso de
identificação de algum risco financeiro,
ambiental ou de imagem do banco,
a operação é submetida à análise
das áreas pertinentes. Podemos
solicitar documentos adicionais para
dar continuidade ao processo de
contratação ou liberação de parcela.
Com base no risco apresentado,
podemos negar o crédito ou o projeto
do empreendimento. (FS1e FS2)
Além da aplicação dos questionários,
os contratos têm uma cláusula que
busca reforçar a Política Nacional do
Meio Ambiente (Decreto 99.274/1990
e Lei 9.605/1998) e as determinações
da Constituição Federal. Destacam-se,
na política e na cláusula dos contratos,
entre outros temas:
• trabalho infantil;
• populações tradicionais, povos
indígenas e quilombolas;
• impactos na biodiversidade (área de
reserva extrativista ou de refúgio da
vida silvestre);
• impactos em fontes hídricas (área de
mananciais ou de manguezais);
• impactos em corpos d’água ou
drenagem (captação de água
da chuva para uso na operação
do empreendimento; os aterros
sanitários aos quais os resíduos do
empreendimento são direcionados;
instalação de hidrômetros individuais;
peças e/ou metais sanitários que
possibilitam o uso racional de água;
sistema hidráulico que contempla a
reciclagem de água). (FS1)
Também contratamos uma empresa
de engenharia para fazer uma vistoria
à obra, no início do financiamento, que
faz parte do processo de concessão do
crédito. Um engenheiro vai até o local e
realiza o Estudo de Viabilidade Técnica
do empreendimento, no qual avalia o
valor das unidades do empreendimento,
bem como a legitimidade da garantia
para a confecção do contrato de
financiamento. Ele também colhe
dados com o engenheiro da obra sobre
77
Negócios
Crédito imobiliario
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Atualmente, realizamos operações
financeiras com empresas dos setores de
construção civil e incorporação de todo
o Brasil e de todos os portes
o preenchimento do questionário do
terreno, analisando informações como:
histórico do terreno e vizinhança (se
existiu/existe algum tipo de indústria,
posto de gasolina, lixão, ferro velho, se
já foi descartado algum efluente líquido
etc.), se há algum corpo hídrico no
terreno, se há alguma vegetação no local.
Atualmente, realizamos operações
financeiras com empresas dos setores de
construção civil e incorporação de todo
o Brasil e de todos os portes. A política
adota a classificação do Banco Mundial
para determinar quais setores e regiões
têm potencial elevado de impactos
socioambientais. (FS6)
(FS3)
Mensalmente, ocorrem vistorias
nas obras, e a liberação do crédito
está atrelada aos resultados dessas
avaliações. As informações, aprovações e
laudos são arquivados e acompanhados.
O engenheiro também pode tirar
fotos de irregularidades encontradas,
que ficam no sistema e podem ser
consultadas a qualquer momento. Caso
encontre irregularidades, primeiro se
desenvolve um plano de ação e, quando
necessário, aciona-se o departamento
jurídico para medidas cabíveis. (FS3)
Cerca de 40 escritórios contratados e
cinco colaboradores (engenheiros do
crédito imobiliário) participam desse
processo. Todos contam com um manual
de preenchimento dos questionários, que
é atualizado sempre que há melhorias nos
questionários e/ou processos.
A aplicação da Política no Itaú Unibanco
está sob a responsabilidade da unidade
de negócio Crédito Imobiliário, e sua
instância máxima é a Comissão de Crédito
Imobiliário, alçada competente para
liberar as demais parcelas, negar ou exigir
alguma condicionante. (FS1)
Em 2012, com a Fundação Vanzolini,
criaremos um sistema de certificação
das empresas que cumprirem a
futura régua a ser formulada pelo Itaú
Unibanco. (FS1)
78
Negócios
Wealth Management & Services
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Wealth Management
& Services (Perfil 2.7)
A Wealth Management & Services (WMS)
oferece portfólio único de produtos e
serviços, que incluem soluções para
a gestão de patrimônio, crédito para
projetos futuros, assessoria financeira
para empresas e planejamento de
sucessão. A WMS leva em consideração
os objetivos e as necessidades de cada
fase da vida de seus clientes.
Em 2011, obtivemos destaque no
Brasil e no exterior com as operações
de private banking, que representam o
topo de nossa estrutura de atendimento
a pessoas físicas. Na Itaú Asset
Management – a maior gestora privada
de recursos de clientes institucionais
do Brasil –, lideramos os segmentos
corporate, private e varejo de alta renda.
No segmento do mercado de capitais,
realizamos eventos com investidores
de todo o Brasil e atingimos resultados
relevantes no serviço de custódia, que
finalizou o ano com um total de R$
823 bilhões em ativos e participação
de mercado de 25,2%. Durante o ano,
reforçamos a busca pela eficiência
e fortalecemos nossos processos de
inovação, que levaram ao lançamento
de produtos e serviços únicos no
mercado.
Temos escritórios em Nova York,
Londres, Dubai, Tóquio e Hong Kong,
além da América Latina, para atender
os grandes investidores institucionais
estrangeiros. Com profissionais
que conhecem profundamente os
investidores institucionais dessas
regiões, temos como objetivo identificar
as melhores oportunidades de
investimentos na América Latina.
Gestão de ativos
Atuamos nos segmentos de renda fixa,
crédito, institucional, renda variável,
multimercados e indexados. Ao fim
de 2011, 20 escritórios de grandes
instituições distribuíam os fundos do
Itaú Unibanco no Brasil, totalizando R$
286,2 bilhões sob nossa gestão, o que
representa uma participação de 14,80%
do mercado, de acordo com o ranking
de gestão de fundos da Associação
Brasileira das Entidades dos Mercados
Financeiro e de Capitais (Anbima).
Para acompanhar o grande crescimento
do mercado de fundos de investimento
no país nos últimos anos, ofertamos
produtos e serviços sob medida, com
características diferenciadas para cada
segmento. Baseados em tecnologia e
inovação, nosso desafio é simplificar os
processos sem comprometer o controle
de riscos.
It Now – A família de ETFs do Itaú
Em 2011, sob a marca It Now, passamos
a oferecer fundos com cotas negociadas
em bolsa, categoria de investimento
conhecida no mercado como ETF
(Exchange Traded Fund). O It Now
IFNC, por exemplo, segue o Índice
Financeiro da BM&FBovespa, que mede o
comportamento das ações de bancos e de
empresas de serviços financeiros diversos,
previdência e seguros. Fomos selecionados
para gerir esse fundo após concorrência
realizada pela bolsa e teremos a
exclusividade desse índice por três anos.
Lançamos, ainda, os ETFs IMAT
(materiais básicos) e IDIV (dividendos),
ambos baseados em índices da
BM&FBovespa. O It Now IMAT replicará
o índice de materiais básicos, composto
por empresas dos setores de mineração,
química, siderurgia e metalurgia. Já o It
Now IDIV segue o índice de dividendos,
que reúne as empresas com o melhor
retorno de dividendos medido nos 24
meses anteriores à seleção da carteira.
Na Itaú Asset
Management
– a maior
gestora privada
de recursos
de clientes
institucionais do
Brasil –, lideramos
os segmentos
corporate, private
e varejo de
alta renda
79
Negócios
Wealth Management & Services
Outros dois ETFs de destaque estão
dentro de um nicho conhecido como
investimentos socialmente responsáveis,
que reúne papéis de empresas
reconhecidas por boas práticas
socioambientais e de governança
corporativa. Esse é o caso do ISE (Índice
de Sustentabilidade Empresarial)
e do IGTC (Índice de Governança
Corporativa), índices da BM&FBovespa,
os quais passaram a ter ETFs geridos
pelo Itaú Unibanco após concorrência
realizada em 2011.
Entendemos que a ampliação da família
It Now por meio desses dois produtos
contribui para fomentar o mercado
de fundos que levam em conta o
desempenho ambiental e social das
empresas investidas. Nesse sentido, o
ISE e o IGCT incentivam as corporações
a adotar cada vez mais critérios
ambientais, sociais e de governança
corporativa.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Fundos socioambientais
Fundo Itaú Ecomudança – a família
Ecomudança é composta por fundos DI
e de renda fixa, que revertem 30% de
sua taxa de administração a projetos
de organizações sem fins lucrativos
(ONGs) que têm como objetivo reduzir
as emissões de gases causadores do
efeito estufa (GEE). De 2009 até 2011,
foram direcionados R$ 1,7 milhão a
programas de 12 entidades que atuam
nas áreas de eficiência energética,
energias renováveis, manejo de resíduos
e florestas (recuperação de florestas
nativas ou redução de desmatamento).
Além disso, a Itaú Asset Management
é investidora-signatária do Carbon
Disclosure Project (CDP) (www.
cdproject.net). (FS8)
Fundo Itaú de Excelência Social
(FIES) – criado em 2004, é um fundo
que aplica seus recursos em ações de
empresas socialmente responsáveis.
Sua política de investimento prevê
a aplicação em ativos listados no ISE
(Índice de Sustentabilidade Empresarial
da BM&FBovespa) e a utilização de
filtros positivos e negativos para limitar
o universo de investimento, de acordo
com as análises realizadas pelas áreas de
gestão do produto, de gestão do fundo
e pelo Conselho Consultivo do FIES
(acesse nossa política no site da CVM
–a http://www.cvm.gov.br). Caso um
risco social, ambiental ou de governança
corporativa seja identificado, o
Conselho define se mantém ou exclui a
empresa do portfólio do fundo. Assim,
oferecemos no Brasil um produto que
investe apenas em empresas com
reconhecidas práticas ambientais e
sociais. (FS1, FS7 e FS11)
Desde 2004 até o final de 2011, o FIES
destinou R$ 16,5 milhões a programas
sociais de 97 ONGs, investindo na
formação de mais de 15 mil crianças,
adolescentes e jovens, além de cerca
de 1.500 educadores. Nesse período,
contribuiu para a criação de uma rede
social que estimula a constante troca
de conhecimento entre as organizações
sobre o tema, além de apoiar o Fundo
das Nações Unidas para a Infância
(Unicef ) no Brasil. Além dos números
citados acima, o FIES também arrecadou
mais de R$ 2,2 milhões para crianças
e jovens por meio da incorporação
dos fundos Unibanco Private Social e
Unibanco Multigestor Social II. (FS7)
A família Ecomudança é composta
por fundos que revertem 30% de
sua taxa de administração a
projetos de ONGs cujo objetivo é
reduzir as emissões de gases do
efeito estufa
80
Negócios
Wealth Management & Services
Fundo Social Itaú Personnalité Futura DI
– criado em 2009, o fundo destinou, entre
2010 e 2011, cerca de R$ 197 mil ao Canal
Futura, valor que representa 30% de sua
taxa de administração. O Canal Futura é
uma iniciativa desenvolvida pela Rede
Globo, com o objetivo de contribuir para
o desenvolvimento social a partir de uma
abordagem plural sobre temas relevantes,
como saúde, trabalho, educação, meio
ambiente e cidadania. (FS7)
Riscos e oportunidades
socioambientais
Em 2008, a Itaú Asset Management
tornou-se signatária dos Princípios para
o Investimento Responsável (PRI, sigla
em inglês para Principles for Responsible
Investment). O PRI é uma iniciativa de
investidores institucionais, criada em
conjunto com a Organização das Nações
Unidas (ONU), para nortear o mercado
financeiro e de capitais na busca pela
integração de questões ambientais,
sociais e de governança aos processos
de investimento. (FS1)
A Itaú Asset Management conta, desde
2010, com uma metodologia própria
para identificar riscos e oportunidades
ambientais, sociais e de governança
corporativa (em inglês, ESG –
Environmental, Social and Governance)
que possam impactar o valor de mercado
das empresas investidas. Sempre que
aplicável, o valor do risco identificado é
integrado nos processos de investimento.
Atualmente, apenas os fundos de renda
variável com gestão ativa aplicam esse
tipo de avaliação em seus processos. A
integração desses temas no processo de
investimento não implica, necessariamente,
a exclusão de determinados setores ou
empresas. (FS2 e FS11)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em 2011, demos continuidade ao
processo de discussão sobre a relevância
de questões ESG nos processos
de investimentos da Itaú Asset
Management. Realizamos treinamentos
para as áreas de gestão e de produtos
da Itaú Asset, assim como para a área de
sustentabilidade do Itaú Unibanco.
Além disso, a Política de Exercício
do Direito de Voto em Assembleias
de Empresas Investidas (Política de
Proxy Voting, disponível em www.
itau.com.br, aprovada pelo Comitê
Estratégico da Itaú Asset Management,
menciona a consideração de questões
ligadas à governança corporativa e às
melhores práticas ambientais e sociais.
Essa política, alinhada ao código
de melhores práticas da Anbima
(Associação Brasileira das Entidades
dos Mercados Financeiro e de Capitais),
reforça o nosso dever de atuar pelo
interesse dos clientes, buscando
exercer uma influência positiva na
gestão das empresas em todo o
país. Em 2011, participamos de 40
assembleias de empresas investidas. A
decisão de voto compete aos gestores,
de acordo o mandato do fundo e
com seu dever fiduciário. O registro
dos votos fica disponível durante três
meses no site do Itaú Unibanco. (FS12)
Investimento responsável
A Itaú Asset Management foi a única
instituição brasileira patrocinadora
do encontro anual dos signatários
dos Princípios para o Investimento
Responsável (PRI), da Organização
das Nações Unidas (ONU), realizado
em setembro, na França. O evento
reuniu presidentes, diretores
de investimentos e executivos
responsáveis pelos maiores
investidores institucionais e asset
managers do mundo.
Também promovemos e sediamos
um evento entre corretoras que
possuem atividade de research,
juntamente com e os signatários do
PRI no Brasil. O objetivo da iniciativa
foi debater o papel das corretoras na
integração de questões relacionadas
à análise ambiental, social e de
governança corporativa (ESG, sigla
em inglês para environmental, social
and governance) em suas análises.
O evento contou com a participação
de 70 representantes de mais de
20 corretoras. A disseminação
dessas questões nas análises de
investimentos das corretoras é
fundamental para sua integração à
filosofia de investimento.
Uma das principais iniciativas
adotadas pelo banco após a adesão
ao PRI, em 2008, foi a formulação
de uma metodologia própria
para a integração de questões
ESG à avaliação das companhias
investidas. Essa iniciativa foi elogiada
pelo chairman do PRI, Wolfgang
Engshuber, durante visita à Itaú Asset
Management, confirmando o êxito
da iniciativa.
Em 2011, também participamos da
iniciativa de engajamento EMDP
(Emerging Markets Disclosure
Project), em conjunto com
signatários do PRI. A ação teve como
objetivo disseminar a importância
do reporte das questões ESG pelas
empresas investidas. (FS5)
81
Negócios
Wealth Management & Services
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
O Itaú Private Bank é o maior private
bank da América Latina e líder
absoluto no mercado nacional
Análise de perfil do investidor
Educação financeira (FS16)
Com o objetivo de evitar que o
cliente assuma riscos superiores a
sua capacidade e ao seu desejo, a
Associação Brasileira das Entidades
dos Mercados Financeiro e de Capitais
(Anbima) recomendou aos seus
associados que adotem um processo
de API (análise de perfil do investidor)
quando da contratação de produtos de
investimento de risco (fundos de ações,
fundos multimercado, fundos de crédito
privado, ações à vista e derivativos). Essa
análise avalia características pessoais
do investidor, considerando seu grau de
experiência e entendimento financeiro,
real ou presumido, frente aos produtos
de investimento. (Perfil 4.12 e FS15)
Investir na educação financeira de
investidores e potenciais investidores é
fundamental, não só para que escolham
os melhores produtos, mas também
para que façam um planejamento
financeiro e consigam poupar e investir
parte de sua renda.Realizamos diversas
iniciativas de educação financeira
voltadas para os investidores. Conheça, a
seguir, as principais.
Nossos procedimentos vão além dessa
avaliação API. Pretendemos atender às
regras de suitability, prover um serviço
de assessoria financeira personalizado e
gerir um processo de acompanhamento
de perfil de carteiras. (FS15)
Quando o cliente investe em um
produto considerado arriscado,
verificamos se ele possui o perfil
apropriado. Caso contrário, solicitamos
o preenchimento de um questionário,
arquivado eletronicamente, que
analisa se o seu perfil é conservador,
moderado, arrojado ou agressivo e se
sua carteira está adequada. O cliente
pode consultar as informações sobre
seu perfil a qualquer momento, por
meio dos canais de atendimento, e
recebe mensalmente um informativo,
no extrato de investimentos, alertando
sobre possíveis divergências entre seu
perfil e seus investimentos. (FS15)
• Chat Itaú Corretora. Chats semanais,
disponíveis no site da Itaú Corretora,
para clientes e não clientes, com o
objetivo de esclarecer questões sobre
finanças pessoais, como orçamento
familiar, investimentos e outros.
Em 2011, ocorreram 28 chats, com
participação de cerca de 600 pessoas.
• Simulador Quanto Tempo até
1 milhão?. Desenvolvemos, em
colaboração com a revista Veja, um
simulador para orientar e motivar a
reflexão a respeito dos componentes
do orçamento familiar/pessoal.
Disponível na internet (www.
quantotempoateummilhao.com.br),
registrou aproximadamente 3.400
acessos, em 2011.
• TV Itaú Corretora. Veicula programas
online, com conteúdo de educação
financeira (Planejamento financeiro,
Orientação financeira, Do bolso à bolsa)
e ilustrações animadas, totalizando 55
vídeos. Disponível na internet, teve cerca
de 82 mil page views em 2011.
• Sessões Aprenda, da Itaú Corretora,
e Como Investir, do Investshop. Têm o
objetivo de esclarecer questões sobre
finanças pessoais, como investimentos,
mercado de renda variável, fluxo da
negociação de ações. Essas sessões
registraram em torno de 110 mil acessos
por clientes da Itaú Corretora e 23 mil
por clientes do Investshop.
• TV nas agências. Veiculamos, em 56
agências com TVs digitais disponíveis,
um motion graphic de 30 segundos a
respeito dos diferentes tipos de objetivos
para investimentos. Houve 25 exibições
por hora, do dia 14 de dezembro de 2011
ao dia 3 de janeiro de 2012.
• Palestra sobre finanças pessoais para
novos colaboradores deficientes físicos.
Em 2011, realizamos duas palestras, para
101 colaboradores.
• Campanha de comunicação e educação
sobre investimentos e previdência. São
vídeos, tutoriais e simuladores, disponíveis
no canal Itaú Invista no YouTube, que
levam a clientes e não clientes conteúdos
a respeito de investimentos e finanças
pessoais para cada momento e objetivo de
vida, com aproximadamente 2 milhões de
page views.
• Palestras. Voltadas para diversos
públicos – como espectadores
participantes da ExpoMoney (feira de
educação financeira e investimentos),
colaboradores de empresas parceiras,
congressos de educação (São Paulo
e Salvador), jovens universitários e
82
Negócios
Wealth Management & Services
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
gerentes e clientes selecionados dos
segmentos Uniclass e Personnalité –,
abordam, de forma educativa, diferentes
tipos de reservas que precisam ser
formadas para cada momento e objetivo
de vida. Aproximadamente 5 mil
pessoas já assistiram a essas palestras.
para projetos futuros, assessoria para
suas empresas e planejamento para a
transmissão de patrimônio às gerações
futuras. Cada proposta passa por um
rigoroso processo de análise, conduzido
por um grupo multifuncional, para
garantir a viabilidade do projeto.
No período, a Itaú Corretora ficou em
quinto lugar no ranking de corretoras
nacionais, com participação de 5,9%
em termos de volume de mercado. Em
mercado futuro, a Itaú Corretora encerrou
2011 com market share de 7,9%, tendo
alcançado R$ 100,7 milhões em contratos
negociados, cifra 21,4% superior à de 2010.
Private banking
Proximidade
O Itaú Private Bank – maior private bank
da América Latina e líder absoluto no
mercado nacional – oferece a clientes
pessoa física com aplicações a partir de
R$ 3 milhões a gestão eficiente de seu
patrimônio e soluções de investimento
personalizadas, no Brasil e no exterior.
Para isso, além de escritórios nas
principais cidades do Brasil, o Itaú Private
Bank está presente na Suíça, no Chile,
no Paraguai, no Uruguai, nos Estados
Unidos, nas Bahamas e nas Ilhas Cayman.
Os clientes private contam com toda a
estrutura do Itaú Unibanco para fazer
seus negócios. A linha de frente de nossa
operação é formada pelos private bankers,
cuja missão é compreender o perfil
de cada cliente e oferecer as melhores
soluções para suas necessidades. O
modelo de qualidade no atendimento
se apoia no número reduzido de clientes
por banker, permitindo que o Itaú Private
Bank conheça profundamente seu
público e a origem de seus recursos. Por
meio do banker, o cliente tem acesso a
uma ampla oferta de serviços para apoiálo, além de profissionais especializados,
um equipe de analistas comerciais e de
banking e todas as estruturas do Itaú
Unibanco.
Durante 2011, redesenhamos o
atendimento aos nossos clientes,
criando um modelo alinhado aos
processos de contratação do Banco
Pessoa Física. Ao mesmo tempo,
criamos plataformas robustas
específicas para grandes operadores de
ações. Esse novo modelo de atuação
será implantado em 2012 e deve
conferir maior eficiência e agilidade à
operação, revertendo em benefícios
para nossos clientes.
Relacionamento de longo prazo
O Itaú Private Bank foi pioneiro ao
introduzir no Brasil o conceito de
wealth management: um modelo de
atendimento diferenciado, que vai além
das necessidades bancárias do dia a dia
e das opções de investimento oferecidas
no Brasil e no exterior. Na prática, wealth
management é atuar com foco no cliente,
levando em consideração seus objetivos
e necessidades em cada fase da vida.
O Itaú Private Bank apoia a perpetuação
do patrimônio e o empreendedorismo
de nossos clientes por meio da oferta
de um portfólio único de produtos e
serviços, que conta com soluções para
a gestão de investimentos, crédito
Sempre em busca de soluções sob
medida para as necessidades de cada um,
o Itaú Private Bank se posiciona como
mais do que um banco – somos um
verdadeiro sócio para o cliente.
Itaú Corretora
Em 2011, a Itaú Corretora teve que se
adaptar a um ambiente de negócios
menos aquecido do que o do ano
anterior. Apesar disso, intermediamos, na
BM&FBovespa, um volume financeiro de
R$ 191,4 bilhões em ações com clientes
pessoas físicas, investidores institucionais,
estrangeiros e empresas.
Outros destaques foram a centralização
do atendimento às agências de trading
em São Paulo e a escolha, pela Comissão
de Valores Mobiliários (CVM), da Itaú
Corretora como a única empresa do
mercado cujos clientes podem se
cadastrar de forma totalmente eletrônica.
Por fim, após alguns projetos-pilotos
testados em 2010, lançamos o Corretora
Day nas agências do Personnalité. Por
meio da iniciativa, os gerentes convidam
clientes para falar sobre bolsa de valores,
alternativas de investimentos e cenário
macroeconômico, entre outros temas.
Nosso objetivo é levar informação aos
investidores para que eles possam tomar
suas decisões de forma mais consciente.
Em 2012, pretendemos manter o
crescimento de nosso market share,
apoiados em iniciativas bem-sucedidas
de relacionamento, a exemplo do
Corretora Day.
83
Negócios
Crédito ao consumidor
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Crédito ao consumidor
(Perfil 2.7)
O segmento de crédito ao consumidor é
voltado para os clientes não correntistas
e reúne a operação de cartões de
crédito, os serviços financeiros
oferecidos por meio de parcerias com
redes varejistas e o financiamento e
leasing de veículos.
Em 2011, essas operações foram
impactadas pela mudança de cenário
ocorrida a partir do final de 2010,
após o Governo Federal anunciar as
primeiras medidas macroprudenciais,
que encareceram os financiamentos.
Aliado a isso, houve um aumento acima
do esperado na inadimplência e um
crescimento abaixo do projetado da
economia brasileira ao longo do ano.
Para enfrentar essa conjuntura e, ao
mesmo tempo, manter o crescimento
da carteira de empréstimos e a
rentabilidade das operações, adotamos
uma posição mais cautelosa na
concessão de crédito e reforçamos
os investimentos em inovação e
tecnologia. Dessa forma, conseguimos
atingir uma maior eficiência e oferecer
produtos e serviços com mais qualidade
a nossos clientes.
Durante o ano, celebramos um acordo
com a Ideal Invest para fomentar o
crescimento do crédito universitário
no Brasil. A mudança estabelece
que o programa Pravaler, gerido
pela Ideal Invest, passará a atender a
demanda por novos financiamentos
de cursos superiores em instituições
anteriormente atendidas pelo Crédito
Universitário Itaú. Os clientes que já
haviam contratado o financiamento
do Itaú Unibanco em anos anteriores,
no entanto, continuam com a opção
de renovar seus contratos diretamente
com o banco.
O segmento de crédito ao
consumidor é voltado aos clientes
não correntistas e reúne a operação
de cartões de crédito, os serviços
financeiros oferecidos por meio de
parcerias com redes varejistas e o
financiamento e leasing de veículos
84
Negócios
Financimento de veículos
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Financiamento de veículos
Em 2011, o comércio de veículos no
Brasil cresceu abaixo do projetado
pela indústria devido ao impacto de
medidas governamentais de restrição
ao crédito e ao esfriamento da demanda
de consumo, que ficaram conhecidas
como medidas macroprudenciais.
Em dezembro de 2010, foi anunciado
o aumento do capital mínimo para
operações de financiamento a pessoas
físicas com prazos superiores a 24 meses.
Em abril de 2011, ocorreu o aumento do
Imposto sobre Operações Financeiras
(IOF), que passou de 1,5% para 3% no
crédito concedido a pessoas físicas.
Frente a esse cenário, e antecipando-se
à concorrência, alteramos nossa política
de crédito no início de 2011. A cautela
maior na concessão de financiamento
foi reforçada no segundo trimestre
do ano, uma vez que a inadimplência
apresentava crescimento. Atendemos
clientes empresariais e individuais com
serviços de financiamento e leasing de
carros, caminhões e motocicletas.
Para selecionar melhor o crédito que
concedemos, revisitamos nossos
modelos creditícios e investimos
em sistemas e no conhecimento de
profissionais especializados. Ao mesmo
tempo, visando à rentabilidade da
operação, reforçamos nossa atuação
em cobrança, intensificando esforços
de relacionamento com os nossos
3,9 milhões de clientes. Nos casos de
inadimplência, temos o desafio adicional
de nos aproximarmos dos clientes que
não são correntistas do banco.
O refinamento dos modelos de crédito
e o aprimoramento das rotinas de
cobrança mostraram ser uma estratégia
acertada, aliados à maior eficiência
nas áreas administrativas e de apoio,
nas quais promovemos esforços de
centralização e otimização da estrutura.
Com essas medidas, atingimos um nível
de rentabilidade satisfatório e, apesar do
maior conservadorismo na concessão
de financiamentos, encerramos o ano
de forma praticamente estável em
termos de participação de mercado:
perdemos apenas 1 ponto percentual e
encerramos 2011 com uma fatia total de
32,8%, o que mantém o Itaú Unibanco
na liderança nacional.
Em 2011, enquanto o comércio de
veículos no Brasil cresceu 3,3% em
relação a 2010, segundo a Associação
Nacional dos Fabricantes de Veículos
Automotores (Anfavea), alcançamos
uma carteira total de R$ 64,9 bilhões,
figurando como o terceiro maior
segmento de crédito do Itaú Unibanco,
atrás apenas dos segmentos grandes
empresas e pequenas e médias
empresas. Nossas operações de
financiamento, leasing e Finame de
veículos pesados atingiram saldo de
R$ 8,4 bilhões. As novas concessões
de financiamento e leasing de veículos
somaram R$ 27,4 bilhões.
Apesar dos obstáculos apresentados
pelo mercado, em 2011 financiamos um
em cada quatro carros vendidos sob
esse regime de pagamento no país, e
somos líderes no crédito para compra de
veículos no Brasil.
Produtos e serviços online oferecidos pelo segmento de financiamento de veículos
Produtos
- financiamento: operação de crédito direto ao consumidor, com planos de até 60 meses para pagamento, com incidência de IOF;
- leasing: operação de arrendamento mercantil, com planos de 24 a 72 meses para pagamento e sem incidência de IOF;
- autofinanciamento: operação de crédito pessoal com planos de até 48 meses para pagamento.
Serviços online
- informações sobre contrato de financiamento ou leasing;
- segunda via do carnê (uma ou mais parcelas em aberto);
- emissão de segunda via de parcela em atraso;
- solicitação de substituição de veículo no contrato vigente;
- solicitação de transferência do titular do contrato;
- atualização cadastral.
85
Negócios
Financimento de veículos
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
iCarros, iMotos e iCaminhões
Em 2011, o iCarros, portal
automotivo do Itaú Unibanco (www.
icarros.com.br), expandiu seus
negócios e ampliou sua plataforma
tecnológica, novidades que visam ao
atendimento de todos os públicos
do setor e à consolidação da
liderança de mercado.
Em março, o portal abriu sua área de
comercialização de motocicletas, o
iMotos (www.imotos.com.br), dirigida
a um consumidor crescente e com
características muito específicas. Em
maio, foi a vez do lançamento do
iCaminhões (http://caminhoes.icarros.
com.br/principal/index.jsp), voltado
para veículos de transportes de carga,
como caminhões e veículos urbanos
Riscos e oportunidades
socioambientais
Adotamos uma política para a
avaliação de riscos e de impactos
socioambientais das atividades
de empresas solicitantes de
financiamento de veículos. Aplicada
em todo o território nacional, a
política busca estabelecer diretrizes
e instrumentos para a avaliação dos
riscos socioambientais na análise
de crédito; apoiar internamente
programas e ações de desenvolvimento
sustentável; fornecer diretrizes
para treinamento dos profissionais
comerciais e de crédito pessoa jurídica;
e contribuir para que os clientes
pessoa jurídica melhorem suas práticas
socioambientais. (Perfil 4.8, FS1 e FS2)
A análise de risco socioambiental é
aplicada de acordo com a classificação
socioambiental da empresa e o risco
a ser atingido junto à instituição
(superior a R$ 5.000.000,00), conforme
os seguintes critérios: Risco A: quando
o risco já existente no Itaú Unibanco,
somado ao valor da operação
de carga (VUCs). Dessa forma, a
família de veículos do portal ficou
completa, com anúncios classificados,
especificações técnicas, além de fotos
e matérias sobre o setor.
Em setembro, o iCarros lançou um
aplicativo mobile para iPhone e
Android, que permite a consulta das
ofertas de carros novos e usados
e também a intermediação de
propostas de aquisição diretamente
pela tela do telefone celular.
Essas inovações levaram o portal a
encerrar o ano com uma média de 10
milhões de visitantes por mês, que
têm acesso a uma base de cerca de 5
mil revendas e 130 mil veículos.
proposta, for igual ou superior a R$
500.000,00; Risco B: quando o risco já
existente no banco, somado ao valor
da operação proposta, for igual ou
superior a R$ 1.000.000,00; Risco C:
para empresas classificadas no risco C,
correntistas ou não correntistas, não
haverá necessidade de análise de risco
socioambiental. (FS2)
Por meio de pesquisas, conseguimos
identificar informações importantes
sobre o risco socioambiental de cada
tomador de crédito. Realizamos, por
exemplo, consulta à lista do Ministério
do Trabalho (Lista Suja) de empresas
que utilizaram trabalho forçado ou
análogo ao escravo, além de pesquisa na
internet associando o nome da empresa
com os termos “trabalho escravo”,
“trabalho degradante”, “trabalho infantil”,
“meio ambiente”, “área contaminada”
e “crime ambiental”, entre outros, para
averiguação de informações e notícias
vinculadas a esses temas. (FS2)
Além desse processo, as empresas com
risco A respondem um questionário
socioambiental, dentro dos parâmetros
estabelecidos para avaliação. (FS2 e FS3)
Todas as informações obtidas, em
conjunto com outros fatores de crédito,
direcionam a aprovação ou a recusa
de uma operação, conferindo mais
assertividade à tomada de decisão de
crédito. Para as empresas com risco A
e B, ao identificarmos possíveis riscos
significativos, podemos recusar a
concessão do crédito ou, em casos com
aprovação recomendada, submeter
a operação à Comissão de Crédito.
Para as empresas do grupo de risco C,
correntistas ou não correntistas, não
há necessidade da análise de risco
socioambiental. (FS1 e FS2)
Há, também, os clientes enquadrados
na Lista Restrita, para os quais não
existe impedimento, mas a operação
deve ser aprovada pela Comissão
de Crédito. Fazem parte da Lista
Restrita as empresas que operam nos
seguintes setores:
• produção ou comércio de armas de
fogo, munições e explosivos;
• produção ou comércio de madeira ou
produtos florestais provenientes de
florestas nativas;
• atividades pesqueiras;
• produção, comércio e utilização de
materiais radioativos;
• extração, industrialização,
comercialização e transporte de
asbesto/amianto;
• comércio de animais silvestres ou
produtos derivados. (FS1 e FS2)
Não realizamos operações de crédito
com empresas enquadradas na Lista
Proibida, conforme os seguintes
critérios:
• atividades que incentivem direta ou
indiretamente a prostituição;
• empresas que utilizem mão de obra
infantil de forma prejudicial ou
exploratória;
• empresas incluídas no cadastro
nacional de empregadores que tenham
mantido trabalhadores em condições
análogas às de escravo, conforme
portaria nº 540, de 15 de outubro
de 2004, do Ministério do Trabalho e
Emprego. (FS1 e FS2)
86
Negócios
Financimento de veículos
Trabalhamos com empresas de todo o
território nacional, de todos os portes
e praticamente todos os segmentos.
Avaliamos o risco socioambiental
somente no momento da solicitação
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
de crédito, tendo em vista que nossos
produtos são pontuais, e não de crédito
rotativo. (FS6)
Para as tabelas abaixo, foi considerado:
Porcentagem do portfólio por setor¹ (FS6)
Setor
Valor do portfólio
(em milhões de reais)
Porcentagem em relação
à linha de negócio
Transporte
4.573,17
47,00%
Materiais de construção
614,05
6,31%
Veículos leves e pesados
442,41
4,55%
Alimentos – Indústria
436,85
4,49%
Outros
3.662,72
37,65%
¹ Valor total da linha de negócio: R$ 9,7 milhões (carteira total da Itaucred veículos PJ).
Porcentagem do portfólio por região (FS6)
Região
Valor do portfólio
(em milhões de reais)
Porcentagem em relação
à linha de negócio
Sudeste
4.296,48
44,16%
Sul
3.149,03
32,37%
Centro-Oeste
810,96
8,34%
Nordeste
1.000,61
10,28%
Norte
418,06
4,30%
Não determinado
54,06
0,56%
Porcentagem do portfólio por tamanho¹ (FS6)
Valor do portfólio
(em milhões de reais)
Porcentagem em relação
à linha de negócio
Microempresa (R$ 0 a R$ 2.400,00 mil)
4.737,60
1,87%
Pequena empresa (R$ 2.400,01 a R$ 16.000,00 mil)
3.354,78
7,56%
Porte
Média empresa (R$ 16.000,01 a R$ 90.000,00 mil)
1.255,18
21,66%
Grande empresa (acima de R$ 90.000,01 mil)
254,73
68,71%
Não determinado
126,92
0,20%
¹ Valor total da linha de negócio: R$ 9,7 milhões (carteira total da Itaucred veículos PJ).
A Política de Risco Socioambiental
está disponível aos colaboradores na
intranet do Itaú Unibanco. Para sua
implementação, houve treinamento dos
colaboradores envolvidos no processo.
(FS1 e FS4)
87
Negócios
Redecard
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Redecard (Perfil 2.7)
A Redecard é uma empresa controlada
pelo Itaú Unibanco e uma das
líderes no setor de meios eletrônicos
de pagamentos no Brasil. Ela é
responsável pelo credenciamento,
captura, transmissão, processamento e
liquidação financeira de transações com
cartões de crédito e débito. Também
realiza pré-pagamento de recebíveis
aos clientes, consulta de cheques e
disponibilização de terminais e ainda
atua na captura e processamento de
cartões de benefícios (voucher) e de lojas
(private label).
Em 2011, a Redecard completou o
primeiro ano de atividades sob o contexto
de abertura de mercado e do novo
ambiente concorrencial. Nesse período,
reforçou seus valores corporativos e suas
iniciativas com foco no cliente orientadas
à estratégia de serviços, à expansão
geográfica e aos novos segmentos.
Assim, consolidou o modelo de rede de
serviços para agregar valor aos clientes
e implementou uma nova segmentação
com o foco em excelência operacional e
controle de custos.
Para enfrentar esse cenário, aumentou a
capacidade de processamento, ampliou
a oferta de bandeiras e implementou
melhorias na gestão, em linha com a
agenda de eficiência do Itaú Unibanco.
Em 2011, o volume financeiro de crédito
e de débito cresceu 25,2% em relação
ao registrado em 2010. Já o lucro
líquido atingiu R$ 1.404,3 milhões, o
que representa um crescimento de 0,3%
com relação a 2010. Esses resultados
refletem a disciplina da empresa para
manter suas linhas de receitas, controlar
custos e despesas e aumentar seu índice
de eficiência. Tudo isso sem deixar de
investir na melhoria da qualidade do
serviço prestado.
Outros destaques em 2011 foi a
inclusão, pelo terceiro ano consecutivo,
de suas ações nas carteiras do Índice
de Sustentabilidade Empresarial (ISE),
da BM&FBovespa, e do Dow Jones
Sustainability Index World (DJSIWorld). Esses índices reúnem papéis
de companhias reconhecidas como
referência em gestão socioambiental e
governança corporativa.
88
Negócios
Itaú BBA
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Itaú BBA (Perfil 2.7)
As principais atividades do banco de
atacado Itaú BBA estão relacionadas
ao atendimento a grandes empresas,
com faturamento superior a R$ 150
milhões por ano, no Brasil e no exterior.
Também atuamos como banco de
investimentos e fazemos a gestão
da tesouraria institucional do Itaú
Unibanco, que presta serviços a diversas
áreas de negócios e é responsável por
zelar pela liquidez do banco, centralizar
a pesquisa macroeconômica e executar
as captações próprias do conglomerado,
entre outras atividades.
Para atuar em um ambiente
competitivo mantendo nossas metas
de rentabilidade e crescimento, criamos
uma nova segmentação de clientes
para atender às maiores organizações
empresariais do mercado, que
denominamos Ultra Large.
Esse novo grupo de clientes, formado
por aproximadamente 240 empresas
com faturamento superior a R$ 5 bilhões
anuais, foi inserido em uma plataforma
exclusiva, que tem como objetivos
aumentar a frequência dos atendimentos
e dedicar o tempo necessário para
auxiliar no desempenho de atividades
complexas e de grande porte.
A mudança em nossa estrutura também
beneficiou os clientes do segmento
logo abaixo do Ultra Large, batizado
de Large Corporate, uma vez que
pudemos colocar mais foco em suas
necessidades. Esse segmento congrega
aproximadamente 600 empresas cujo
faturamento anual oscila entre R$ 1
bilhão e R$ 5 bilhões.
No Corporate (voltado a empresas com
faturamento anual entre R$ 150 milhões
e R$ 1 bilhão), incorporamos, em 2011,
pouco mais de 400 clientes que eram
atendidos pela estrutura de pequenas e
médias empresas, passando a oferecer
produtos e serviços mais adequados a
suas necessidades.
Para respaldar a nova segmentação
e a ampliação da carteira de clientes,
investimos em novos sistemas e na
modernização de nossa infraestrutura
tecnológica, incluindo a ampliação da
capacidade da rede de dados, novos
sistemas de videoconferência e melhorias
no site de contingência.
Obtivemos crescimento do produto
bancário de 7,7% e ampliação de 21,3% da
carteira de crédito e coobrigações, ambos
em relação a 2010. Nosso resultado em
2011 alcançou R$ 2,6 bilhões, e o retorno
sobre o capital alocado atingiu 25,1%.
No segmento de banco de investimento,
aumentamos nossa participação em
emissões de títulos de renda fixa e de
ações de empresas latino-americanas,
atingindo a meta que havíamos
estabelecido para o ano.
Na tesouraria, simplificamos a estrutura
operacional da área por meio da
integração das mesas Proprietária e
Flow e aprimoramos os mecanismos de
controle e a segurança das operações,
melhorando a eficiência do middle-office
e do back-office.
Em relação ao financiamento de
projetos, nossa atuação segue as
diretrizes dos Princípios do Equador –
criados em 2003 e de adesão voluntária
–, que estabelecem boas práticas para
investimentos responsáveis. Somos
signatários dos princípios desde 2004 e
fomos a primeira instituição financeira
de um país emergente a aderir ao
documento. Dessa forma, a concessão
de financiamentos é condicionada a uma
avaliação dos riscos socioambientais do
projeto ao qual se destina.
89
Negócios
Itaú BBA
Resultados
Em renda variável, coordenamos 19
das 23 ofertas públicas realizadas,
que totalizaram R$ 13,5 bilhões, uma
representatividade de 83% do total de
transações e 87% do volume financeiro
emitido. Com isso, consolidamos nossa
liderança nesse mercado, conforme o
ranking de originação da Associação
Brasileira das Entidades do Mercado
Financeiro e de Capitais (Anbima) de
dezembro de 2011. Adicionalmente,
prestamos assessoria financeira a 38
transações de fusões e aquisições,
encerrando o ano em segundo lugar no
ranking Thomson Reuters em volume,
acumulando um total de US$ 22,8
bilhões em 2011.
Em renda fixa, participamos de
operações de distribuição de
debêntures, notas promissórias e
securitização que totalizaram R$
15,1 bilhões. No ranking Anbima de
distribuição de renda fixa, o Itaú BBA
manteve a primeira posição, com
29% de participação de mercado. Em
emissões internacionais de renda fixa,
atuamos como joint bookrunner de
ofertas, com volume total de US$ 3,1
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
bilhões, alcançando o segundo lugar
em quantidade no ranking Bloomberg
de emissões de empresas brasileiras em
dezembro de 2011.
O Itaú BBA também é o banco de
investimento líder em receitas no
Brasil segundo a Dealogic (plataforma
de banco de investimentos globais e
regionais). Em 2011, pela primeira vez,
um banco brasileiro alcançou a liderança
desse ranking.
Em derivativos, conquistamos posição
de liderança na Central de Custódia e de
Liquidação Financeira de Títulos (CETIP)
em operações registradas no balcão
com empresas. O foco se concentrou
em operações de proteção sobre as
exposições de moedas estrangeiras, taxas
de juros e commodities junto aos clientes.
Ao longo do ano de 2011, foram
executados 71 projetos pela equipe de
project finance, os quais totalizam R$
87,1 bilhões em investimentos.
O segmento de cash management
apresentou um crescimento de 28%
nos volumes transacionados em 2011,
comparativamente a 2010.
Internacionalização
O Itaú BBA também deu passos
importantes em seu processo de
internacionalização, concentrando em
Londres grande parte de suas operações
na Europa. O banco mantém, ainda,
escritórios em Lisboa, Frankfurt, Paris e
Madrid.
Nossa estratégia de internacionalização
está voltada também para a América
Latina, onde pretendemos ser o banco
preferencial das grandes empresas locais,
das empresas multinacionais com filiais
na região e de investidores em geral.
Na América Latina, estamos presentes
nos mercados da Argentina, do Chile
e do Peru. Além disso, obtivemos
a autorização do Banco Central do
Brasil (Bacen) para entrar no mercado
da Colômbia e, em 2012, obtivemos
aprovação das autoridades colombianas
para abrir escritório de representação.
Outro destaque foi a eleição do Itaú BBA
como o melhor banco de atacado do
Chile pelo Instituto Ipsos.
Na América Latina, estamos
presentes nos mercados da
Argentina, do Chile (foto ao
lado) e do Peru
90
Negócios
Itaú BBA
Nos outros mercados externos – Europa,
Estados Unidos e Ásia –, temos como
foco de atuação a aproximação com as
matrizes das empresas que atuam na
América Latina e o atendimento aos 700
maiores investidores internacionais por
meio da distribuição de títulos emitidos
por empresas latino-americanas.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Riscos e oportunidades
socioambientais
Pioneiro entre as instituições financeiras
brasileiras no desenvolvimento de
um sistema para avaliação de riscos
socioambientais na concessão de crédito,
o Itaú BBA tem evoluído constantemente
no entendimento dessa questão e em sua
aplicação prática no dia a dia dos negócios.
Perspectivas
Em 2012, pretendemos aprofundar
nossa nova segmentação, continuar a
internacionalização e fortalecer nossa
posição na Colômbia. Na tesouraria
institucional, estamos preparados para
o aumento das exigências de capital
econômico por parte do Banco Central
do Brasil (Bacen). Projetamos, ainda,
um crescimento do negócio de project
finance e buscaremos a ampliação das
iniciativas de cross-sell entre os produtos.
Nos últimos anos, o banco de atacado
também tem ampliado a oferta de geração
de valor para seus clientes por meio da
antecipação das demandas relacionadas a
riscos e da identificação de oportunidades
de negócios no tema socioambiental.
Um exemplo é a prestação de serviços de
assessoria e esclarecimentos aos clientes
para que estejam mais bem preparados para
responder às exigências de atendimento
de critérios socioambientais quando da
realização de negócios com instituições
financeiras e bancos de fomento.
Nosso serviço de assessoria em
temas socioambientais também
está presente no financiamento de
projetos, para munir o cliente com
todas as informações socioambientais
necessárias para facilitar o
desdobramento das negociações. Dessa
forma, temos alcançado efeitos positivos
no baixo número de projetos com
negativas na concessão de crédito.
A análise de risco socioambiental do Itaú
BBA é aplicada a operações de crédito
envolvendo grandes empresas nas
cinco regiões do Brasil e concentrada
no chamado setor “CIB” (Corporate and
Investment Banking). Isso ocorre porque
entendemos que esse setor, além de
representar 96% do portfólio do Itaú
BBA, compreende, entre outros negócios,
o financiamento a grandes projetos. (FS6)
Porcentagem do portfólio por setor (FS6)
Setor
Valor do portfólio Valor da linha
(em milhões
de negócio
de reais)
(em milhões de reais)*
% do setor
em relação
à linha de negócio
CIB
128.237
133.395
96%
Tesouraria
5.158
133.395
4%
* Este indicador reporta Brasil, por conta da necessidade de divisão por região. No exterior, há R$ 12.015
milhões, o que gera o total de R$ 145.410 milhões reportado no FS7 e no FS8.
Porcentagem do portfólio por região (FS6)
Valor da linha
de negócio (em
milhões de reais)*
% do setor em
relação à linha
de negócio
Centro Oeste 3.703
133.395
3%
Sul
15.905
133.395
12%
Sudeste
85.880
133.395
64%
Nordeste
6.770
133.395
5%
Norte
2.820
133.395
2%
Outros
18.318
133.395
14%
Região
Valor do portfólio
(em milhões
de reais)
* Este indicador reporta Brasil, por conta da necessidade de divisão por região. No exterior, há R$ 12.015
milhões, o que gera o total de R$ 145.410 milhões reportado no FS7 e no FS8.
91
Negócios
Itaú BBA
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Portfólio por tamanho (FS6)
Tamanho
Valor do portfólio Valor da linha de
(em milhões de
negócio
reais)
(em milhões de reais)*
% do setor em
relação à linha
de negócio
Grandes
empresas
133.395
100%
133.395
* Este indicador reporta Brasil, por conta da necessidade de divisão por região. No exterior, há R$ 12.015
milhões, o que gera o total de R$ 145.410 milhões reportado no FS7 e no FS8.
Política de Risco
Socioambiental do Itaú BBA
Para orientar as avaliações de
risco socioambiental, em 2011,
desenvolvemos e aprovamos a Política
de Risco Socioambiental Itaú BBA,
com o objetivo de atender à nova
política corporativa – Política de Risco
Socioambiental do Itaú Unibanco,
atualizada em 2011 – de forma
compatível com as peculiaridades
de nosso setor. Ambas abordam seis
grandes temas: atividades proibidas;
atividades restritas; constituição de
garantias imobiliárias; licenciamento
ambiental para projetos; financiamento
a projetos de biotecnologia; e cláusulas
contratuais. (FS1)
cadastro nacional de empregadores
que tenham mantido trabalhadores
em condições análogas às de escravo,
conforme Portaria Interministerial nº 2,
de 12 de maio de 2011, do Ministério
do Trabalho e Emprego e da Secretaria
de Direitos Humanos (a chamada Lista
Suja). Para verificar a ocorrência desses
casos, são feitas buscas periódicas de
notícias na mídia sobre envolvimento
de clientes com as atividades da Lista
de Atividades Proibidas, assim como
na chamada Lista Suja. Caso a situação
encontrada seja considerada pela
GARSA como de risco e/ou algum cliente
conste na Lista Suja, procede-se com a
suspensão do limite de crédito. (FS2 e
Aprovada pelas devidas alçadas, a nova
política setorial aplica-se a operações de
crédito realizadas no território nacional
com clientes do Itaú BBA sediados no
Brasil. Ela objetiva, principalmente,
endereçar potenciais riscos de imagem
– legal e de crédito – em que possamos
estar envolvidos no processo de
concessão de crédito, além de fazer
referência a critérios internacionais de
análise de risco, como os Princípios do
Equador. Confira, a seguir, os aspectos
determinados pela Política de Risco
Socioambiental do Itaú BBA. (FS1)
FS3)
• Lista de atividades proibidas. O Itaú
BBA não concede crédito a: empresas
relacionadas com atividades que
incentivem a prostituição; empresas
que, em suas atividades, utilizem mão
de obra infantil em desacordo com
a legislação; empresas incluídas no
• Lista de atividades restritas. O Itaú
BBA concede crédito a clientes que
desenvolvam as atividades a seguir
mediante o atendimento de diretrizes
específicas, por entendermos que tais
atividades representam maior potencial
de risco socioambiental. São elas:
produção ou comércio de armas de
fogo, munições e explosivos; extração
e produção de madeira e produção de
lenha e carvão vegetal provenientes de
florestas nativas; atividades pesqueiras;
e extração e industrialização de asbesto/
amianto. Nesses casos, analisamos a
conformidade do cliente em questão
com a diretriz setorial aplicável e
emitimos parecer para subsidiar
a decisão do Comitê de Crédito
responsável. O acompanhamento é
feito quando da renovação do limite
de crédito, podendo ser semestral ou
anual, conforme o caso. (FS2 e FS3)
• Análise de contaminação e reserva
legal na constituição de garantias
imobiliárias. A aceitação pelo Itaú BBA
de garantia de hipoteca e de alienação
fiduciária sobre imóveis em operações
de crédito com clientes é precedida de
análise de risco de contaminação e da
verificação de averbação de reserva
legal por meio da matrícula atualizada
de imóveis rurais. (FS2)
• Adaptação das cláusulas nos contratos
de empréstimos e financiamentos.
Conforme orientações definidas na
Política de Risco Socioambiental
do Itaú Unibanco, os contratos de
empréstimos e financiamentos do
Itaú BBA passam a refletir, além de
declaração de regularidade ambiental
do tomador, hipóteses de suspensão
de desembolsos e de vencimento
antecipado, além de obrigações
socioambientais contratuais específicas
para os casos de contratos de
financiamentos de projetos, quando
aplicáveis.
• Exigência do Certificado de
Qualidade em Biossegurança emitido
pela Comissão Técnica Nacional de
Biossegurança. Quando da contratação
de financiamentos relacionados à
atividade de pesquisa de organismos
geneticamente modificados. (FS2)
92
Negócios
Itaú BBA
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
• Solicitação da licença ambiental aplicável
ao financiamento de projetos, conforme
detalhado a seguir:
(i) Para financiamento de longo prazo de
projetos da modalidade corporate finance:
Projetos corporate finance contratados (sob os critérios da Política Socioambiental1) em 2011
Número de projetos
contratados
Investimento total1
(em milhões de reais)
Participação do Itaú BBA2 (em milhões
de reais)
Catogorização2 dos Projetos corporate finance
A
2
1.005,7
286,5
B
8
2.216,1
626,1
Setor de atuação dos Projetos corporate finance
Açúcar e álcool
2
403,2
156,2
Energia
2
797,4
245,3
Gráfica
1
49,0
12,6
Ind. alimentos e bebidas
1
101,0
60,6
Papel e celulose
1
852,9
235,0
Saneamento
1
152,8
51,5
Saúde
2
865,5
151,5
Localização dos Projetos corporate finance
Sul do Brasil
2
953,9
295,6
Sudeste do Brasil
8
2.267,7
617,0
3.221,8
912,6
Totais de Projetos corporate finance contratados
Total
10
Política de Risco Socioambiental para o Crédito Pessoa Jurídica
2
Categorização conforme Política de Risco Socioambiental para o Crédito Pessoa Jurídica
Obs.: os projetos de corporate finance não costumam ser aprovados como operações específicas, mas enquadrados em limites existentes
1
Em 2011, não houve operações canceladas por questões socioambientais
relacionadas ao financiamento de projetos
Saiba mais
Para aqueles com valor total igual ou
superior a US$ 10 milhões, observase, adicionalmente, o atendimento
aos critérios estabelecidos pelos
Princípios do Equador, avaliando riscos
e impactos em temas considerados
sensíveis mundialmente, como
biodiversidade, mudanças climáticas
etc., com base nos Padrões de
Desempenho e nas Diretrizes de
Meio Ambiente, Saúde e Segurança
da International Finance Corporation
(IFC). Sempre que possível, é feita
uma análise prévia (chamada
screening), com base em aspectos
socioambientais macros do projeto,
a qual é considerada nas decisões
do Comitê de Crédito responsável.
O atendimento aos critérios dos
Princípios do Equador é avaliado
no momento da contratação e
durante toda a vida do contrato
de financiamento. Dessa forma,
realizamos monitoramentos periódicos
de cumprimento do plano de ação
(anexo ao contrato), obrigatoriamente
ou facultativamente por uma consultoria
independente, conforme requerido pelos
Princípios do Equador. O monitoramento
dos projetos ocorre pelo menos uma
vez ao ano, podendo incluir visitas ao
local de implantação, além da avaliação
documental. Caso se verifique pendência
em relação ao cumprimento do plano de
ação, poderão ser discutidas, em conjunto
com o cliente, ações corretivas, assim
como poderá haver adoção de outras
medidas, conforme previstas em contrato.
(FS2 e FS3)
93
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Negócios
Itaú BBA
(ii) Para financiamento de curto prazo
(empréstimo ponte) e concessão de
fiança estruturada para projetos:
Demais operações relacionadas a financiamento de projetos contratadas em 2011
Empréstimo-ponte
Fiança de projeto
Totais
7
13
20
Investimento total (em milhões de reais)
9.626,7
9.385,0
19.011,7
Participação do Itaú BBA (em milhões de reais)
1.550,6
1.390,0
2.940,6
0
1
1
Número de operações contratadas
Número de operações
Valores das operações contratadas
Categorização1 das operações contratadas
A
B
7
11
18
C
0
1
1
Localização das operações contratadas
Centro-Oeste do Brasil
1
1
2
Nordeste do Brasil
3
7
10
Norte do Brasil
2
0
2
Sudeste do Brasil
0
1
1
Sul do Brasil
0
4
4
Brasil2
1
0
1
Construção civil
0
1
1
Energia
7
11
18
Logística
0
1
1
Setor das operações contratadas
Categorização conforme Política de Risco Socioambiental para o Crédito Pessoa Jurídica
2
Projetos instalados em mais de uma região do Brasil (exemplo: empreendimentos lineares, CAPEX de uma rede de lojas etc.)
1
94
Negócios
Itaú BBA
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Demais operações relacionadas ao financiamento de projetos aprovadas pelo Itaú BBA em 2011 mas ainda não
contratadas1.
Empréstimo-ponte
Fiança de projeto
Totais
5
17
1.812,0
5.311,7
Número de operações aprovadas (ainda não contratadas)
Número de projetos
12
Valores das operações aprovadas (ainda não contratadas)
Volume aprovado de
participação do IBBA2 (em
milhões de reais)
3.499,7
Localização das operações aprovadas (ainda não contratadas)
Centro-Oeste do Brasil
1
0
1
Nordeste do Brasil
5
3
8
Norte do Brasil
1
0
1
Sudeste do Brasil
1
2
3
Sul do Brasil
1
0
1
Brasil3
2
0
2
Setor das operações contratadas
Energia
6
3
9
Mineração
2
1
3
Óleo e gás
3
0
3
Saneamento
1
1
2
A contratação, por diversos motivos, não ocorreu em 2011
2
Se valor em outra moeda, foi utilizada o taxa de câmbio do dia da última aprovação
3
Projetos instalados em mais de uma região do Brasil (exemplo: empreendimentos lineares, CAPEX de uma rede de lojas, etc.)
1
Saiba mais
Nos casos descritos na tabela
acima, são observados, no
momento da contratação,
aspectos aplicáveis da legislação
ambiental, aspectos de saúde e
segurança ocupacional, inclusive
no que se refere a condições
de trabalho e relação com a
comunidade e populações
afetadas. (FS2)
95
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Negócios
Itaú BBA
(iii) Para financiamento de projetos da
modalidade project finance:
Project Finance1 contratados (sob os critérios dos Princípios do Equador) em 2011.
Número de projetos
contratados
Investimento total (em
milhões de reais)4
Participação do Itaú BBA
(em milhões de reais)4
Categorização2 do Project Finance
A
2
1422,3
817,0
B
4
3689,0
675,0
Setor de atuação dos Project Finance contratados
Energia
2
232,3
63,2
Mineração
2
1.422,3
817,0
Óleo e gás
2
3.456,8
611,8
Localização dos Project Finance contratados
Brasil3
2
3.456,8
611,8
Sul do Brasil
1
120,3
25,8
Nordeste do Brasil
1
112,0
37,4
Norte do Brasil
1
487,1
193,6
Chile
1
935,1
623,4
5.111,3
1.491,9
Totais de Project Finance contratados
Totais
6
Project Finance definido por Basileia em http://www.bis.org/publ/bcbs107.pdf
2
Vide Princípio 1 , disponível em www.equator-principles.com/documents/Equator_Principles.pdf
3
Projetos instalados em mais de uma região do Brasil (exemplo: empreendimentos lineares, CAPEX de uma rede de lojas etc.)
4
Se valor em outra moeda, foi utilizada o taxa de câmbio do dia da contratação
1
Project Finance1 aprovados pelo Itaú BBA mas ainda não contratados2
(sob os critérios dos Princípios do Equador) – 2011.
Número de projetos aprovados
e ainda não contratados
Volume aprovado de participação do
IBBA (em milhões de reais)3
Setor de atuação dos Project Finance aprovados (ainda não contratados)
Energia
1
120,0
Logística
1
464,0
Óleo e gás
1
467,6
Localização do Project Finance aprovados (ainda não contratados)
Brasil4
2
931,6
Nordeste do Brasil
1
120,0
Totais de Project Finance aprovados (ainda não contratados)
Totais
3
1.051,6
Project Finance definido por Basileia em http://www.bis.org/publ/bcbs107.pdf
2
A contratação, por diversos motivos, não ocorreu em 2011
3
Se valor em outra moeda, foi utilizada o taxa de câmbio do dia da última aprovação
4
Projetos instalados em mais de uma região do Brasil (exemplo: empreendimentos lineares, CAPEX de uma rede de lojas etc.)
Obs.: a categorização definitiva do projeto (vide Princípio 1, disponível em www.equator-principles.com/documents/Equator_
Principles.pdf ) acontecerá até contratação
1
96
Negócios
Itaú BBA
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Saiba mais
Os mesmos aspectos avaliados no
tópico acima são considerados para
esse tipo de financiamento. No
entanto, para essa modalidade, a
análise é realizada também durante
toda a vida do contrato, por meio
do estabelecimento de medidas de
acompanhamento e/ou mitigação
em Plano de Acompanhamento
Socioambiental (anexo ao contrato),
as quais devem ser monitoradas
pelo menos uma vez ao ano. Caso
se verifique pendência em relação
ao cumprimento do Plano de
Acompanhamento Socioambiental,
poderão ser discutidas, em conjunto
com o cliente, ações corretivas,
assim como poderá haver adoção de
outras medidas, conforme previstas
em contrato. (FS2, FS3 e FS5)
Princípios do Equador
Criados em 2003 e de adesão
voluntária, os Princípios do Equador
consistem em um conjunto de critérios
e diretrizes socioambientais que
devem ser observados pelos bancos
signatários para identificar e avaliar
riscos e impactos socioambientais
em operações de financiamento na
modalidade project finance.
de crédito a operações da modalidade
project finance são aqueles definidos pelos
Padrões de Desempenho da International
Finance Corporation (IFC), a saber:
ou seriamente ameaçadas conforme
definição da Lista Vermelha da IUCN e
o gerenciamento de recursos naturais
renováveis de forma sustentável; (FS2
e EN14)
• Sistema de Gestão Socioambiental;
• Trabalho e Condições de Trabalho:
critérios a serem observados para
promover tratamento justo, não
discriminação e igualdade de
oportunidades, entre outros; (FS2)
Esses princípios utilizam como
parâmetros os Padrões de
Desempenho (http://www1.
ifc.org/wps/wcm/connect/
• Povos Indígenas: critérios a serem
Topics_Ext_Content/IFC_External_
observados no tratamento dos povos
Corporate_Site/IFC+Sustainability/
indígenas e populações tradicionais,
Sustainability+Framework/
tais como o respeito total dos direitos
Sustainability+Framework+-+2012/
humanos, das aspirações, da cultura e
Performance+Standards+and
dos meios de subsistência; (FS2)
+Guidance+Notes+2012/) e as
Diretrizes de Meio Ambiente,
• Aquisição de Terras e Reassentamento
Saúde e Segurança da International
Involuntário: critérios a serem observados
Finance Corporation (IFC) (http://
para compensação pela perda de bens e para
www1.ifc.org/wps/wcm/connect/
melhorar ou restaurar os padrões de vida das
Topics_Ext_Content/IFC_External_
pessoas deslocadas, entre outros; (FS2)
Corporate_Site/IFC+Sustainability/
Sustainability+Framework/Environme • Preservação da Biodiversidade e
ntal%2C+Health%2C+and+Safety+G
Gerenciamento Sustentável dos Recursos
uidelines/).
Naturais: critérios a serem observados
para evitar ou minimizar os impactos
Os principais aspectos a serem
negativos sobre a biodiversidade, como
considerados pelos signatários dos
interferência em habitats naturais, a
Princípios do Equador na concessão
sobrevivência de espécies ameaçadas
• Prevenção e Redução da Poluição:
determina que devem ser feitas
considerações sobre receptores
ambientalmente sensíveis, quando
do desenho do projeto, e deve ser
monitorada a geração de efluentes ao
longo da vida do projeto; (FS2)
• Segurança e Saúde da Comunidade:
estabelece que o cliente deve evitar
ou minimizar os impactos negativos
decorrentes do projeto sobre solo,
água e outros recursos naturais usados
pelas comunidades afetadas; (FS2)
• Proteção dos patrimônios cultural e
arqueológico.
Até 2010, exercemos a presidência
do Comitê Diretivo dos Princípios do
Equador e, em 2011, cumprimos a
meta de manter participação ativa
no órgão como forma de disseminar
e ampliar o alcance das boas práticas
de avaliação de risco nos mercados
emergentes, principalmente nos
países da América Latina.
97
Negócios
Itaú BBA
Treinamento dos colaboradores
A equipe de analistas de riscos
socioambientais do Itaú BBA
é multidisciplinar, constituída
por profissionais de formações
diversas (engenheiros, advogados,
administradores de empresas, geógrafos
e gestores ambientais). Durante o
ano de 2011, todos os membros da
equipe participaram de vários cursos,
treinamentos, palestras, fóruns e grupos
de discussão, que contribuíram para
sua capacitação, em consonância com a
formação, o setor e a atividade que cada
analista desenvolve na equipe. (FS4)
Os sete membros da equipe
participaram, ao todo, de cerca de 400
horas de treinamentos, dentre os quais
destacamos: (FS4)
• Community of Learning, sobre os
novos Padrões de Desempenho da IFC,
organizado pela IFC, em Washington;
• Workshop Brasil de Negócios e
Biodiversidade, organizado pelo
Instituto Life;
• Workshop Biodiversity for Banks,
organizado pela WWF, Equator
Principles, Business and Biodiversity
Offsets Programme (BBOP) e Citibank,
em Washington;
• Brazil Windpower 2011, organizado
pela ABEEólica, no Rio de Janeiro;
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
• Encontro Anual da International
Hydropower Association, em Foz do
Iguaçu;
• 4º Pre-Salt & Deepwater Brazil Forum,
organizado pelo IQPC.
Em 2011, também oferecemos
treinamentos presenciais para
apresentar a nova política aos nossos
colaboradores das equipes de crédito,
comercial e produtos. Capacitamos
ainda colaboradores nas unidades do
Itaú Unibanco no Chile e na Argentina
com foco nos Princípios do Equador e
seus critérios de aplicação. (FS4)
Ações de engajamento
Em 2011, dos 2.298 grupos econômicos
clientes ativos do Itaú BBA com limite
de crédito aprovado, 173 (8%) foram
avaliados pela equipe de Avaliação de
Risco Socioambiental. Da mesma maneira,
essa equipe interagiu com 44 (23%) das
195 instituições financeiras clientes em
questões socioambientais. (FS10)
Em 2011, dos
2.298 grupos
econômicos
clientes ativos
do Itaú BBA com
limite de crédito
aprovado, 173
(8%) foram
avaliados pela
equipe de
Avaliação de
Risco
Socioambiental
A interação com os clientes ultrapassa
o processo de análise de risco
socioambiental. Em 2011, desenvolvemos
ações para expandir nosso
relacionamento com os clientes, com o
intuito de identificar oportunidades de
negócios no tema socioambiental. (FS5)
Os sete membros da equipe de
analistas de riscos socioambientais
do Itaú BBA participaram, ao
todo, de cerca de 400 horas de
treinamento em 2011
98
Negócios
Itaú BBA
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em 2011, assumimos papel de liderança entre
os bancos de países em desenvolvimento
nas discussões de temas como mudanças
climáticas e povos indígenas
Destacam-se os road shows que
realizamos com os clientes do setor
sucroalcooleiro para compartilhar a
expertise de nossos colaboradores
no relacionamento com os órgãos
ambientais. Procuramos, assim, facilitar
o atendimento, por parte do cliente, de
exigências de instituições financeiras e
bancos de fomento. (FS5)
Como resultado dessas interações,
percebemos que os clientes
estão construindo, ao longo do
relacionamento, sistema de gestão cada
vez mais robusto e em consonância com
as melhores práticas. (FS5)
Realizamos, também, ações de
relacionamento com outras instituições
financeiras para trocar experiências,
compartilhar melhores práticas de
mercado e desenvolver conjuntamente
novas diretrizes de análise e gestão
de risco socioambiental, buscando
a aplicação consistente de padrões
comuns de adesão voluntária. (FS5)
Em 2011, reforçando a liderança
em sustentabilidade do Itaú BBA no
mercado e com o intuito de estreitar
o relacionamento com as demais
instituições financeiras, clientes com
projetos em setores de infraestrutura,
consultorias especializadas, escritórios
de advocacia e outras partes
interessadas, o Itaú BBA promoveu
o evento O Mercado Financeiro e a
Questão Socioambiental: Perspectivas
para as Economias Emergentes.
O evento, que contou com o apoio
da IFC e a presença do presidente
do Comitê Diretivo dos Princípios do
Equador, apresentou os novos Padrões
de Desempenho da IFC. Sua aplicação
em projetos dos setores de energia,
indústria extrativa (mineração e óleo
& gás) e agribusiness foi debatida em
mesas-redondas.(FS5)
Outro destaque é o papel de liderança
que assumimos entre os bancos
de países em desenvolvimento na
condução de discussões de temas
relevantes no processo de revisão
dos Padrões de Desempenho da
IFC e dos Princípios do Equador, tais
como mudanças climáticas e povos
indígenas. Nessas discussões, trazemos
os desafios da realidade dos países em
desenvolvimento (FS5).
Participamos, ainda, de discussões
com Ministério do Meio Ambiente,
Ministério da Fazenda, Banco Nacional
de Desenvolvimento Econômico e Social
(BNDES), Banco Central do Brasil (Bacen)
e Febraban, no âmbito do Protocolo
Verde. (FS5)
Além disso, o Itaú BBA foi o único
banco privado a participar do workshop
organizado pela Confederação Nacional
das Indústrias (CNI) para discutir ações
para implantação da Política Nacional
de Mudanças Climáticas. Fizeram parte
desse workshop representantes de
diversos setores da indústria, além dos
ministérios da Indústria e Tecnologia e
da Fazenda e do BNDES. Participamos
desse evento para identificar possíveis
meios de viabilizar, por meio da
concessão de crédito, ações a serem
tomadas pelos clientes. (FS5)
Em 2011, realizamos também
apresentações em diversos eventos,
inclusive internacionais, totalizando
cerca de 140 horas. Destacamos nossa
participação como painelistas no evento
Unep-FI’s 2011 Global Roundtable,
falando sobre nova economia, organizado
pela Unep-FI, em Washington. (FS5)
Produtos com benefícios
socioambientais
Repasses BNDES – Dentre as diversas
operações realizadas com repasse
de recursos do Banco Nacional de
Desenvolvimento Econômico e Social
(BNDES), destacam-se:
• BNDES Finem com subcréditos
para investimentos sociais. Esses
investimentos têm por objetivo a
elevação do grau de responsabilidade
social empresarial, assim como a
articulação e o fortalecimento de
políticas públicas desenvolvidas nos
diferentes níveis federativos. Em 2011,
foram contratadas três operações, no
valor total aproximado de R$ 491, 6
milhões com subcréditos específicos
para investimentos sociais. (FS7)
• BNDES Finem com subcréditos
para investimentos ambientais. Os
financiamentos aqui relatados utilizaram
subcréditos para reflorestamento,
compensação ambiental e/ou projetos
ambientais. Em 2011, foram contratadas
duas operações, totalizando o valor
aproximado de R$ 176, 6 milhões
com subcréditos específicos para
investimentos ambientais. (FS8)
99
Negócios
Itaú BBA
• BNDES Automático destinado a
projetos de reflorestamento. Em 2011,
houve quatro projetos financiados,
totalizando o valor aproximado de R$
21,5 milhões. (FS8)
• Crédito Rural destinado a
reflorestamento. Em 2011, realizaramse 92 operações, totalizando R$
2.320.000,00 em valor contratado. (FS8)
O valor envolvido nas operações
do BNDES Finem com subcréditos
sociais equivalia a 0,34% do que o
Itaú BBA possuía em carteira em 2011,
consideradas as operações no Brasil e
no exterior. Somado aos projetos com
benefício ambiental, o valor total equivalia
a 0,48% da nossa carteira. (FS7 e FS8)
Gestão de impactos na biodiversidade
A Política de Risco Socioambiental do
Itaú BBA ratifica a obrigatoriedade de
aplicação dos critérios dos Princípios
do Equador, que preveem, entre
seus critérios, a análise de aspectos
relacionados à conservação da
biodiversidade, dentre os quais a avaliação
de alteração e/ou destruição de habitats
naturais e/ou modificados, a conservação
de habitats críticos e áreas protegidas por
lei e o impacto da introdução de espécies
estrangeiras. (EN14)
Além disso, no âmbito dessa política
foram desenvolvidas diretrizes setoriais
que devem ser observadas para a
concessão de crédito a clientes que
realizem atividades pesqueiras e de
extração e produção de madeira,
produção de lenha e de carvão vegetal
provenientes de florestas nativas.
Reforçamos que impactos à
biodiversidade são considerados desde
a avaliação do crédito até o término
de contratos de financiamento dos
projetos. (EN14)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Mudanças climáticas
Mudanças climáticas também
constituem um dos oito grandes
temas tratados pelos Padrões de
Desempenho da International Finance
Corporation (IFC), além de serem
abordadas na diretriz para concessão de
crédito a empresas que desenvolvam
atividades de extração e produção de
madeira e produção de lenha e carvão
vegetal provenientes de florestas
nativas. Essa diretriz foi desenvolvida
levando em consideração o fato de
que o desmatamento é a principal
contribuição para o agravamento das
mudanças climáticas na realidade
brasileira. (EC2)
Em 2011, o Itaú BBA iniciou as primeiras
negociações internas e com clientes para
identificação e estudo de oportunidades
pioneiras para o desenvolvimento de
produtos que gerem receitas financeiras
ao banco baseadas nos créditos de
carbono. Além disso, dada a importância
da energia eólica no desenvolvimento
de uma economia mais limpa, estamos
aumentando a concessão de crédito para
esse tipo de atividade. Em 2010, tivemos
uma participação de mais de R$ 100
milhões em projetos eólicos, e, em 2011,
esse número subiu para mais de R$ 1
bilhão em projetos contratados. (EC2)
Em 2012, pretendemos estreitar
ainda mais as relações com as áreas
socioambientais de nossos clientes,
visando agregar valor, além de reduzir
riscos. Também pretendemos nos
aproximar das áreas comerciais para
identificar oportunidades de negócios
com viés socioambiental.
Em 2011, o Itaú
BBA iniciou as
primeiras
negociações
para desenvolver
produtos que
gerem receitas
financeiras
baseadas nos
créditos de
carbono
100
Negócios
Seguros, previdência e capitalização
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Seguros, previdência
e capitalização
Assim como nas demais linhas de
negócio do Itaú Unibanco, o segmento
de seguros, previdência e capitalização
teve como foco, em 2011, a busca por
mais qualidade e eficiência operacional.
Esse processo envolveu a simplificação
de produtos e processos, a melhoria
no relacionamento com os clientes
e órgãos de defesa do consumidor
e o crescimento das receitas de
administração de fundos.
Em 2011, nossos ativos totais
alcançaram R$ 84,3 bilhões, 23% a mais
que no ano anterior, e as provisões
técnicas alcançaram R$ 73,8 bilhões
(sem considerar as operações de
unidades externas e a parcela de 30%
que possuímos na Porto Seguro), com
aumento de 23,7%.
Seguros
Atuamos no setor de seguros
atendendo a empresas e pessoas físicas.
Disponibilizamos produtos específicos
e atendimento dedicado para projetos
dos setores de construção civil, químico
e petroquímico, geração de energia,
infraestrutura, transportes, aviação e
outros. Atuamos também no segmento
de pequenas e médias empresas,
focados na simplificação do portfólio
de produtos para melhor atender às
necessidades dos clientes, com destaque
para os produtos de riscos patrimoniais
e vida em grupo.
Para pessoas físicas, oferecemos
seguro de vida individual, acidentes
pessoais, prestamista, viagem e garantia
estendida.
Ao final de 2011, nossa participação
de mercado no Brasil atingiu 10,1%,
com R$ 6,218 bilhões em prêmios de
seguros, segundo a Superintendência
de Seguros Privados (Susep), com
destaque para os produtos de vida e de
garantia estendida. Considerando nossa
participação de 30% na Porto Seguro,
atingimos R$ 8,466 bilhões em prêmios.
Durante o ano, trabalhamos na revisão
de nossos produtos e contratos tendo
em mente dois objetivos: simplificar
seu entendimento por parte de nossos
clientes, usando linguagem clara e
sumários executivos mais curtos; e
melhorar a efetividade de nossas vendas,
oferecendo os seguros certos para cada
perfil, o que promove uma redução no
índice de cancelamentos e também
nos custos gerados no processo de
venda. Também nos concentramos na
intensificação do uso de tecnologia ao
adotarmos apólices eletrônicas, reduzindo,
assim, o consumo excessivo de papel.
Um dos destaques na linha de produtos
foi o lançamento do Seguro Itaú
Viagem, cujos clientes contam com
proteção em viagens nacionais e
internacionais. Os segurados têm à sua
disposição, onde quer que estejam,
uma central de atendimento 24 horas,
com atendentes que falam português.
Um dos diferenciais desse produto é o
reembolso de despesas de atendimento
médico ou hospitalar (apenas no
plano Internacional). Disponível
para todos os nossos correntistas
– independentemente da idade –,
o seguro pode ser contratado nas
agências do banco ou no Itaú Bankline, e
seu pagamento é realizado por meio de
débito em conta-corrente.
Já a Garantec, marca utilizada pelo Itaú
Unibanco para atuar no mercado de
garantia estendida com as principais
redes de varejo do país, iniciou a coleta de
peças trocadas em assistências técnicas
para seu reaproveitamento. Dessa forma,
por meio dos ecopontos (recolhimento
sustentável de baterias e pilhas)
instalados em mais de 40 localidades,
evitou-se que esses equipamentos
fossem descartados como lixo comum
e oferecessem riscos de contaminação
do solo, diminuindo a vida útil de
aterros sanitários. Em 2011, a Garantec
manteve a liderança no mercado, com
aproximadamente 59,2% de participação,
conforme dados da Susep.
Em 2011, os
ativos totais
do segmento
de Seguros,
previdência e
capitalização
alcançaram
R$ 84,3 bilhões,
23% a mais que
no ano anterior
101
Negócios
Seguros, previdência e capitalização
Iniciada em 2009, a iniciativa vem sendo
ampliada para estimular o recolhimento
adequado de pequenos equipamentos
eletrônicos quebrados ou sem uso e das
peças trocadas nas assistências técnicas.
Em 2011, atingimos um resultado três
vezes superior ao de 2010, com 12 mil
produtos coletados e oito toneladas de
peças trocadas.
Em 2012, manteremos a agenda de
eficiência operacional e qualidade no
atendimento por meio da melhoria
dos controles e da simplificação dos
produtos e contratos. Nosso objetivo
será aumentar a participação no
segmento de pessoa jurídica, para o
qual também lançaremos uma política
socioambiental visando aprimorar a
contribuição no gerenciamento dos
riscos de nossos clientes.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
• Seguro de vida para mulheres.
Disponibilizado para mulheres
correntistas do Itaú Unibanco, tem
como grande diferencial a cobertura
de diagnóstico de câncer. Parte dos
resultados da venda do produto é
repassada ao Instituto Brasileiro de
Controle do Câncer (IBCC). (FS7)
Os setores de consumo cíclico e não
cíclico são os principais com os quais
mantemos o portfólio de negócios
de seguros para pessoas jurídicas. A
participação dos setores de construção,
transporte e financeiro também é
relevante. (FS6)
Além das ações citadas, mantemos
outros produtos disponíveis para gerar
benefícios sociais. Destacam-se: (FS7)
• Seguro de Vida em Grupo e Acidentes
Pessoais Coletivo. Destinado a empresas
públicas, privadas, setores industriais,
comercial e de serviços, oferece aos
funcionários, sócios e proprietários
os seguintes benefícios: auxílio-cesta
básica em caso de morte do titular,
auxílio-funeral e Fique Bem (serviço de
consulta e atendimento psicológico e
financeiro). No seguro APC Escolar, em
eventual acidente, disponibiliza-se o
transporte do aluno e aulas particulares
e de reforço, entre outros serviços. (FS7)
• Seguro Proteção Financeira
(Prestamista, Educacional, Microcrédito
e Quebra de Garantia). Disponível ao
cliente que contrata um empréstimo,
financiamento ou compromisso de
pagamento mensal no Itaú Unibanco.
Oferece quitação total ou parcial da
dívida para as seguintes coberturas:
perda involuntária de emprego, para
trabalhadores CLT; incapacidade total
e temporária, para trabalhadores
autônomos ou profissionais liberais;
invalidez permanente total por acidente;
e morte. (FS7)
(em milhões de reais)
Participação na
área de seguros
Consumo cíclico
271,78
26,8%
Consumo não cíclico
152,08
15,0%
Construção e transporte
120,79
11,9%
Financeiro e outros
89,77
8,9%
Materiais básicos
49,38
4,9%
Telecomunicações
20,82
2,1%
Bens industriais
14,86
1,5%
Petróleo, gás e biocombustíveis
9,31
0,9%
Tecnologia da informação
8,22
0,8%
Utilidade pública
5,93
0,6%
Outros¹
269,32
26,6%
Setor
Valor do portfólio
¹Inclui associações, sindicatos, serviços, governo e outras não classificadas.
102
Negócios
Seguros, previdência e capitalização
O portfólio de produtos para pessoas
jurídicas está concentrado nas regiões
Sudeste e Sul do Brasil, com participação
de 89% nos negócios (78% e 11%,
respectivamente).
Recursos geridos na área
de seguros por região
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Mudanças climáticas
Nossa operação de seguros reflete e
considera questões climáticas tanto na
subscrição quanto no desenvolvimento
de novos produtos. Como exemplo,
citamos as oportunidades de
alinhamento com centros de estudos
especializados e com resseguradores
mundiais que possuem experiência na
questão climática, por meio dos contatos
com os mercados de seguro e de
resseguro internacional. (EC2)
As mudanças que podem surgir em
decorrência das alterações climáticas
representam, no nosso universo
de negócios, riscos potenciais.
Elas podem influenciar, direta ou
indiretamente, a sinistralidade dos
produtos comercializados e também a
continuidade das atividades dos clientes
segurados, especialmente em relação a
grandes corporações. (EC2)
6% Nordeste
3% Centro-Oeste
78% Sudeste
11% Sul
2% Norte
Quando pensamos no mercado de
grandes riscos, atuamos para estudar e
gerenciar os riscos e as oportunidades
associados às mudanças climáticas em
uma carteira com grandes exposições
por risco segurado. Eventos climáticos
extremos podem impactar grandes
clientes, que possuem patrimônios
e bens a proteger em quantidades e
valores significativos. Esses clientes
contam com a proteção oferecida pelas
nossas soluções securitárias e com nosso
conhecimento em gerenciamento de
riscos. (EC2)
Nosso papel é colaborar para a redução
dos riscos, para a mitigação dos
efeitos e para a adaptação dos nossos
clientes atuais e futuros diante de
vulnerabilidades operacionais atreladas a
aspectos de alterações climáticas. (EC2)
Eventos como desastres naturais,
furacões, tufões ou ciclones tropicais
podem causar mudanças físicas
significativas nas rotinas das empresas,
em especial nas de grande porte. Essas
mudanças podem trazer implicações
financeiras diretas para a rentabilidade
das carteiras dos ramos de seguro. Os
danos materiais, por exemplo, podem
significar sinistros para nossas carteiras,
uma vez que devemos cobrir os prejuízos
causados por eventos naturais. Podemos
citar como exemplo a cobertura básica do
Seguro de Riscos Nomeados, que cobre
danos materiais decorrentes de incêndio,
inclusive causado por queda de raio. (EC2)
Além dos riscos mencionados, existem
também oportunidades. Por meio do
nosso conhecimento, temos condições
de refletir sobre novas tecnologias,
produtos e serviços que podem ser
desenvolvidos e oferecidos ao cliente
para mitigar riscos e para orientá-lo
em aspectos de gerenciamento. Temas
como créditos de carbono, energias
renováveis, estratégias de concessão
florestal via manejo sustentável,
vulnerabilidade climática de culturas
agrícolas e planejamento urbano, entre
outros, são oportunidades para atuação
e fortalecimento do nosso papel. (EC2)
Mudanças regulatórias também podem
impactar as rotinas de nossos clientes,
como a Política Nacional sobre Mudança
do Clima, que serve de diretriz para a
redução das emissões de gases de efeito
estufa (GEE). Essa política exige adaptação
por parte de nossos clientes, abrindo
espaço para investimentos em obras de
modernização, com oportunidades para
os seguros de riscos de engenharia e para
o seguro-garantia, entre outros. (EC2)
No caso de mudanças tecnológicas,
podemos pensar no segurado que,
sabendo de uma nova tecnologia capaz
de monitorar com maior precisão a
elevação do nível de água de um rio
próximo a sua propriedade, investe
e adota tal tecnologia de medição,
reduzindo, assim, o tempo de resposta
previsto pelo seu plano de evacuação em
situações de potenciais enchentes. (EC2)
Além disso, a Itaú Seguros acredita que
a modelagem climática é um assunto
crucial e que a abordagem desse
aspecto dentro da operação permitirá
o enfrentamento das questões atuais e
emergentes relativas à sustentabilidade
na indústria de seguros. (EC2)
103
Negócios
Seguros, previdência e capitalização
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Nossa operação de seguros
reflete e considera questões
climáticas tanto na subscrição
quanto no desenvolvimento
de novos produtos.
Apesar de a Itaú Seguros não possuir
uma política formalmente instituída
com componentes sociais e ambientais,
dependendo do tipo de produto e do
valor de risco, um inspetor de riscos
terceirizado realiza a avaliação do local
ou do bem segurado, a fim de verificar se
está dentro das normas de aceitação do
seguro, considerando o estado do local
segurado, a vizinhança, se há encostas
que possam prejudicar o patrimônio e
se há mudanças climáticas que afetam a
atividade do cliente. (FS1)
No que diz respeito aos aspectos sociais,
o Código de Ética estabelece uma
Política de Responsabilidade Social, o
respeito aos clientes e colaboradores, a
excelência na prestação de serviços e a
luta para erradicar os trabalhos infantil,
forçado e escravo.
Além disso, adotamos um Guia de
Subscrição (guideline) para o Seguro
de Responsabilidade Civil Ambiental,
produto para pessoas jurídicas (grandes
empresas). O objetivo desse seguro
é cobrir riscos de poluição ambiental
decorrentes de eventos, súbitos ou
graduais, que venham a causar danos
ao meio ambiente, à saúde pública e a
terceiros. Esse produto busca garantir
ao segurado e à sociedade que o
dever jurídico de indenizar, reparar
ou compensar os danos causados ao
meio ambiente e a terceiros afetados
pela atividade do segurado terá
fundos financeiros para apoiar o seu
cumprimento, quando esse dever
vier a ser imputado a ele por meio da
responsabilidade civil ambiental e
estiver de acordo com as condições da
apólice contratada. (FS1)
O segurado estará amparado nos gastos
com a adoção de medidas necessárias
para o controle das consequências de
um acidente ambiental, com vistas
a minimizar os danos a terceiros, à
saúde pública e ao meio ambiente,
incluindo as ações de contenção,
recolhimento, neutralização, tratamento
e disposição final dos resíduos
gerados no acidente. Também cobre a
recuperação ambiental das áreas e dos
bens ambientais impactados, de acordo
com as condições e os procedimentos
estabelecidos pela legislação ambiental
pertinente. (FS8)
O Guia de Subscrição do Seguro de
Responsabilidade Civil Ambiental
apresenta as diretrizes de análise, como
caracterização do local de risco, da
região ocupada, dos aspectos legais
ambientais, identificação de perigos,
de cenários de riscos e de acidentes e
medidas de gerenciamento de risco.
Um dos critérios previstos na análise –
aplicada a toda e qualquer proposta de
seguro, independentemente do valor
da importância segurada solicitada
pelo cliente – é a consulta à Lista Suja
do Ministério do Trabalho. Além disso,
há previsão contratual informando que
a seguradora declarará o vencimento
antecipado do contrato na hipótese de
existência de sentença condenatória
transitada em julgado em razão
de prática, por parte do segurado
ou de pessoa física atuando como
administrador do mesmo, de trabalho
escravo ou infantil. (FS2)
Também faz parte do processo de
subscrição a análise dos aspectos de
biodiversidade e hídricos (como operação
industrial próxima de corpo d’água) do
proponente e de que forma ele gerencia
os riscos que podem, quando efetivados,
impactar tais bens ambientais. (FS2)
Durante o processo, se avaliarmos
as respostas como suficientes,
subscrevemos o risco para oferecer
a cobertura. Se as considerarmos
insuficientes, podemos solicitar ao
cliente mais detalhamentos sobre os
aspectos socioambientais identificados
durante a análise, solicitar mais
informações e realizar uma inspeção de
risco no local ou declinar o risco e não
oferecer a cobertura solicitada. (FS2)
Como resultado, podemos: declinar
o risco; oferecer a cobertura sem
restrições; oferecer a cobertura com
restrições; ou oferecer a cobertura com
monitoramento da implantação das
recomendações feitas ao cliente, entre
outras possibilidades. (FS2)
104
Negócios
Seguros, previdência e capitalização
O monitoramento dos acordos
realizados contratualmente com o
cliente no momento da aceitação da
contratação pela seguradora é efetuado
anualmente, quando da renovação
do contrato, e durante a vigência do
contrato, de acordo com o resultado
final da subscrição para aceitação do
risco. Podemos, ainda, realizar visitas
de monitoramento. Há, também, a
obrigatoriedade de o segurado nos
comunicar alterações que venham
a ocorrer, como a não renovação de
licenças ambientais. (FS3)
O descumprimento das obrigações
previstas contratualmente pode gerar
a perda do direito de usufruir da
importância segurada contratada. As
não conformidades podem ser objeto
de negociação entre o segurado e a
seguradora, que oferece recomendações
de adequações, buscando apoiá-lo na
resolução. (FS3)
Em 2011, contávamos com 13 apólices
e cerca de 30 transações (inclui
aditamentos), representando 0,40% dos
R$ 1.375 milhões da linha de negócio
Seguros. (FS8)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
imagem da seguradora, se há impactos
diretos aos clientes e se o produto
agrega resultado para a seguradora.
A política está disponível ao acesso
de todos os colaboradores do
conglomerado. Quanto à descrição dos
produtos, há materiais disponíveis no
Itaú Bankline para todos os públicos
e informações mais detalhadas em
uma biblioteca digital disponível aos
colaboradores.
Essa política é praticada por meio do
processo de governança de produtos e
processos. (FS15)
Treinamento dos colaboradores
Em 2011, focamos esforços no
reposicionamento estratégico do Seguro
de Responsabilidade Civil Ambiental,
para relançamento em 2012, e no
desenvolvimento dos colaboradores
da unidade de subscrição ambiental,
responsável pela aplicação do Guia
de Subscrição. Após o lançamento do
produto reformulado, serão avaliadas as
necessidades de treinamento e as formas
de viabilizar tais capacitações. (FS4)
Qualidade nos produtos
Engajamento de partes interessadas
Conforme a Política Corporativa de
Avaliação de Produtos/Operações/
Processos, todo produto do
conglomerado deve passar por uma
certificação – um selo de conformidade.
Os produtos lançados seguem um
roteiro (avaliação de governança) para
sua avaliação no que diz respeito a
questões legais, regulatórias, fiscais e
outras. (FS15)
A política conceitua a administração
dos produtos/operações/processos.
Também define a atribuição das áreas
de produtos e avaliadoras do Itaú
Unibanco e estabelece as diretrizes
para a adequada gestão dos riscos. O
documento identifica se o produto
está de acordo com a legislação e as
normas da Superintendência de Seguros
Privados (Susep) e de órgãos de defesa
do consumidor, se há exposição da
No ano, também realizamos algumas
ações de engajamento com clientes
e corretores de seguros, buscando
abordar os principais riscos
ambientais, a legislação ambiental,
as leis que mencionam o seguro de
responsabilidade civil ambiental e a
importância de os clientes e demais
envolvidos acompanharem esses temas
e verificarem a potencial influência
deles em suas operações industriais e
comerciais. (FS5)
Destacamos a palestra realizada em
outubro, no IX Seminário Internacional
de Gerência de Riscos, organizado pela
Associação Brasileira de Gerenciamento
de Riscos (ABGR). O objetivo dessa
apresentação foi compartilhar aspectos
de gerenciamento de riscos ambientais
e da legislação ambiental brasileira
que trata desse tema, relacionando-os
com instrumentos securitários, como
o Seguro de Responsabilidade Civil
Ambiental. A palestra abordou os
seguintes tópicos:
•R
iscos Ambientais – Panoramas Geral e
Específico;
•P
olítica Nacional do Meio Ambiente
(Lei Federal nº 6.938/1981);
•P
olítica Nacional de Resíduos Sólidos
(PNRS) (Lei Federal n° 12.305/2010);
• L ei Estadual Paulista n º 13.577/2009 –
Prevenção e Gerenciamento de Áreas
Contaminadas;
• Projetos de Lei e o Seguro Ambiental. (FS5)
Participaram do evento pelo menos
50% dos clientes da carteira de riscos
ambientais e cerca de 500 corretores (10%
dos nossos corretores). Os organizadores
do evento e os participantes avaliaram
positivamente a palestra, inclusive
procurando nossos colaboradores
presentes para esclarecer dúvidas sobre
o nosso Seguro de Responsabilidade Civil
Ambiental. (FS5 e FS10)
O relacionamento com os corretores
se dá por meio de um canal de
comunicação eficiente e transparente,
com regras claras e produtos adequados.
Identificamos os corretores que
possuem perfil adequado para trabalhar
com o Itaú Unibanco e estreitamos o
relacionamento com eles por meio de
reuniões presenciais, além de conceder
benefícios comerciais de parceria, o
que possibilita o aumento das vendas.
Acompanhamos o resultado das vendas
e a sinistralidade de forma global.
Além disso, realizamos troca de
experiências com os resseguradores
e cosseguradores – parceiros de
negócios em operações estruturadas
em consórcio – por meio de
convenções, treinamentos, visitas e
participação no desenho dos contratos
de resseguro. Esses são parceiros
importantes, que dividem o risco
com a seguradora. Juntos, buscamos
desenvolver condições que façam
frente à concorrência. Dessa forma,
podemos oferecer aos clientes produtos
adequados, com preços justos. (FS5)
105
Negócios
Seguros, previdência e capitalização
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Previdência (EC3)
Capitalização
Possuímos um amplo portfólio de
produtos, que nos permite adequar
a oferta aos vários perfis de clientes.
Um bom exemplo é o Flexprev
MultiPerformance, lançado em 2011,
cujos recursos são alocados em um
fundo multimercado com gestão
ativa em renda fixa e renda variável.
Outro destaque é o Flexprev Índice
de Preços, cuja carteira é composta
predominantemente por títulos
indexados à inflação com prazo superior
a cinco anos, que apresentou retorno de
16,44% nos últimos 12 meses, favorecido
pela queda nas taxas de juros. Já o
Flexprev Turbo RF é composto por
títulos públicos pós-fixados, pré-fixados
e atrelados a índice de preços. Esse
produto é indicado para clientes que
buscam retornos superiores aos demais
planos tradicionais conservadores.
O processo de simplificação e melhoria
da comunicação com os clientes nos
levou a remodelar nossa estratégia de
vendas de produtos de capitalização.
Para atuarmos de maneira mais
transparente e, consequentemente,
ampliarmos a demanda por esse tipo
de produto, passamos a apresentar o
título de capitalização como adequado
a quem gosta de concorrer a prêmios, e
não como uma modalidade atrativa de
investimento.
Outro destaque durante o ano foram
os produtos para menores de idade,
cujos recursos são aplicados pelo
pai ou responsável em um plano
de previdência com a finalidade de
subsidiar os estudos. Nesses planos,
apresentamos um forte crescimento
em reservas em relação ao mercado, de
24% no ano. Em variedade de produtos,
destacam-se os planos Fases da Vida,
que possuem uma composição de
investimentos variável ao longo do
tempo, aumentando a alocação em
renda fixa, tornando-se gradativamente
mais conservador e, portanto, menos
arriscado com o passar dos anos.
A assessoria especializada também
é chave em nossa atuação no
atendimento aos clientes pessoa
jurídica. Por meio de um relacionamento
próximo à área de recursos humanos
das empresas clientes, conseguimos
oferecer as melhores soluções em
previdência empresarial.
Em 2011, distribuímos R$ 31,5 milhões
em prêmios de sorteios, a 2.119 clientes.
O lucro líquido com capitalização
alcançou R$ 449 milhões, um aumento
de 71,82% em relação a 2010. Já as
provisões técnicas totalizaram R$ 2,847
bilhões no encerramento do ano.
Também repassamos um percentual
da renda obtida com a venda de
títulos de capitalização à Associação
de Assistência à Criança Deficiente
(AACD). Durante o ano, esses repasses
totalizaram R$ 3,204 milhões.
Em 2011, o lucro
líquido com
capitalização
alcançou R$ 449
milhões, um
aumento
de 71,82% em
relação a 2010
106
Negócios
Negócios no exterior
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Negócios no exterior
A nossa atuação internacional oferece
suporte principalmente para brasileiros
que operam no exterior. Abaixo algumas
informações sobre elas.
América Latina
O Itaú Unibanco é a maior instituição
financeira da América Latina. Mantemos
operações em sete países, além do Brasil.
Além de apresentar um nível de
crescimento acima da média mundial,
a América Latina é prioridade na
expansão internacional do Itaú
Unibanco à proximidade geográfica
e cultural de seus países com o Brasil.
Nosso propósito é sermos reconhecidos
como o “banco da América Latina”, uma
referência na região para todos os tipos
de serviços financeiros prestados a
pessoas físicas ou jurídicas.
A crescente expansão de empresas
brasileiras na região favorece nossa
estratégia, ao formar uma base de
clientes para iniciarmos ou expandirmos
nossas operações.
Em 2011, por meio do Itaú BBA, abrimos
um escritório no Peru e iniciamos a
instalação de outro na Colômbia, cuja
finalização ocorreu em março de 2012,
após a aprovação das autoridades locais.
No México, teve início a emissão de
cartões Itaucard em parceria com a
operadora de telefonia móvel Movistar,
fruto de um acordo assinado em
dezembro de 2010 por meio do qual o
Itaú Unibanco ganhou exclusividade
para a oferta de cartões de crédito
para mais de 17 milhões de clientes da
operadora. Nos países do Cone Sul, nos
quais já estávamos presentes, nossa
atuação se fortaleceu com a abertura de
23 agências, a oferta de novos serviços
na Argentina, o estabelecimento de
alianças estratégicas – como as realizadas
com operadoras de celular no Uruguai,
na Argentina e no Paraguai – e novos
empreendimentos no Chile, com a
aquisição da carteira de clientes de
alta renda do HSBC e a criação de uma
joint venture com o Munita, Cruzat &
Claro (MCC), especialista na gestão de
grandes fortunas. Em todos esses países,
obtivemos aumento de participação
de mercado e crescimento acima dos
concorrentes no volume de crédito
concedido, além de conquistarmos maior
penetração no atendimento a pequenas
e médias empresas (leia a seguir os
resultados alcançados em cada país).
A carteira de crédito de nossas
operações no Mercosul (Argentina,
Chile, Uruguai e Paraguai) apresentou
crescimento de 43% de 2010 para 2011,
alcançando um saldo de R$ 19,2 bilhões.
No atendimento à pessoa física,
passamos a oferecer serviços para os
clientes em viagem, com promoções em
cidades como Punta del Este, Buenos
Aires, Valle Nevado e Florianópolis (para
os não brasileiros). Alcançamos ainda a
marca de 1 milhão de cartões de crédito
emitidos nos países da América Latina
e somos líderes desse segmento no
Paraguai e no Uruguai. No Chile, somos
o quarto maior operador de cartões
de crédito, e estamos presentes na
Argentina e no México.
Em termos de gestão, também
avançamos muito. Fortalecemos os
mecanismos de controle de risco
em todas as nossas filiais, com
investimentos em estrutura de
auditoria e compliance. A ênfase em
processos de inovação, buscando
a satisfação dos clientes, também
foi objeto de workshops para o
intercâmbio de ideias e o surgimento
de novos projetos, como o OCA Cel,
inovação implantada no Uruguai para
pagamentos via celular.
Internamente, reforçamos o intercâmbio
entre nossos colaboradores, com
programas como o job swap (troca de
posições) e o International Assignment,
que permite a alocação temporária
em projetos realizados por unidades
externas do Itaú Unibanco. Também
trouxemos os principais executivos do
Itaú Unibanco na Argentina, no Chile, no
Paraguai e no Uruguai para participar
do Encontro entre Líderes, realizado
em São Paulo, em fevereiro de 2011, e
replicamos, posteriormente, a iniciativa
nesses países. No aspecto cultural,
continuamos a disseminação do Nosso
Jeito de Fazer nas unidades externas e
reforçamos a meritocracia como valor
central das relações de trabalho, com
as devidas adaptações locais para os
mecanismos de avaliação.
Argentina
Na Argentina, o Itaú Unibanco possui
uma rede de 81 agências e 1.566
colaboradores, com produtos e serviços
dirigidos aos clientes pessoa física e
jurídica. Para pessoas físicas, os principais
produtos são poupança, empréstimo
pessoal e cartão de crédito. Já no
atendimento a empresas, os destaques
são financiamentos, empréstimos
sindicalizados e produtos de tesouraria,
como derivativos e câmbio.
Em 2011, mudamos nossa sede no
país para um escritório no bairro de
Puerto Madero, mais confortável e em
linha com os conceitos de convivência
seguidos no Brasil, como os open offices,
ou seja, espaços sem salas fechadas,
que estimulam a convivência e a
transparência.
Outra novidade no ano foi a criação da
Linha Laranja, células de atendimento
aos brasileiros em viagem ao país
vizinho. Com atendentes bilíngues, essa
estrutura busca solucionar problemas
como a perda e o roubo de cartões de
forma conveniente e com comunicação
direta com a rede no Brasil.
Os ativos totais do Itaú Unibanco na
Argentina atingiram R$ 3,4 bilhões em
31 de dezembro de 2011, com destaque
para o crescimento de 60% na carteira
de crédito em relação ao final do ano
anterior. Ainda em relação à concessão
de empréstimos, nossa participação no
mercado argentino aumentou de 1,5%
para 1,6%.
107
Negócios
Negócios no exterior
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em 2011, o Banco Itaú
Argentina entrou no ranking
das 10 melhores marcas, na
categoria Bancos, cartões de
crédito e seguros
Além disso, o Banco Itaú Argentina
entrou no ranking das 10 melhores
marcas, na categoria Bancos, cartões
de crédito e seguros, segundo pesquisa
realizada pela consultoria especializada
em estratégia da marca I+E.
Chile
No Chile, atendemos a pessoas
jurídicas e a pessoas físicas com foco
nos segmentos de média e alta renda.
Além do varejo, atuamos no país por
meio de uma corretora de valores e
seguros, de uma seguradora e de uma
administradora de fundos mútuos. Ao
final de 2011, contávamos com 2.334
colaboradores no país, além de uma
rede de 88 agências.
Durante o ano, celebramos importantes
acordos, que fortaleceram nossa posição
no país. Em março, o Itaú Unibanco e
o Banco Nacional de Desenvolvimento
Econômico e Social (BNDES) anunciaram
a assinatura de um contrato para
fomentar a comercialização em território
chileno de bens produzidos no Brasil.
Em agosto, estabelecemos uma parceria
com a Munita, Cruzat & Claro (MCC),
empresa especialista em gestão de
patrimônio, para a criação de uma joint
venture no país voltada ao atendimento
do segmento de clientes de altíssima
renda. Por fim, em setembro, adquirimos
a carteira de clientes de alta renda
do HSBC chileno, que incluiu US$ 20
milhões em créditos, quatro novas
agências e cerca de 4 mil clientes.
foi bem-sucedida, e o nome Itaú
obteve boa penetração no país, como
demonstra o ganho de participação de
mercado que conquistamos durante o
ano, passando de 14,1% para 16,2%.
Em termos de concessão de crédito,
aumentamos nossa participação no
mercado chileno de 3,4% para 3,9%. Em
31 de dezembro de 2011, os ativos totais
do Itaú Unibanco no país atingiram
R$ 16,7 bilhões.
No final do período, nossos ativos totais
no país atingiram R$ 3,7 bilhões, o que
representou um aumento de 63% em
relação a 31 de dezembro de 2010 e
posicionou o banco como primeiro no
ranking de ativos.
Em 2011, o Banco Itaú Chile foi o
primeiro banco em Qualidade de
Serviços ao Cliente, segundo pesquisa
da consultoria Ipsos, que é a principal
referência em qualidade de serviços da
indústria financeira.
Em 2011, o Banco Itaú Paraguai recebeu
o prêmio de Best Foreign Exchange
Providers, da Global Finance, e no início
de 2012, também ganhou o prêmio
Beyondbanking, do BID, com a ação
de educação financeira “Aprendendo
economia e finanças em 60 segundos”.
Essa premiação reconhece as iniciativas
sustentáveis em matéria ambiental,
social e de governança corporativa de
entidades financeiras na América Latina
e Caribe.
Paraguai
As operações do Itaú Unibanco no
Paraguai incluem os segmentos de
pessoas físicas e jurídicas e totalizam
uma rede de 27 agências e 650
colaboradores.
Em 2011, vivemos o desafio de
consolidar a marca Itaú, em substituição
à Interbanco, que representou nossos
ativos no Paraguai até 2010, quando
decidimos promover nosso novo
posicionamento de mercado. A troca
108
Negócios
Negócios no exterior
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Uruguai
Europa, Caribe e Miami
No Uruguai, o Itaú Unibanco está
presente com uma rede de 22
agências e 628 colaboradores. Os
principais produtos ofertados no
país são poupança, cartão de crédito,
financiamentos, cash management,
serviços de investimentos, produtos
de tesouraria e fundos de pensão.
Nossa empresa de cartões de crédito,
OCA, ocupa posição de liderança
no segmento, com 405 mil clientes,
21 pontos de atendimento e 471
colaboradores.
Nossas atividades bancárias sob
a estrutura do Banco Itaú BBA
International S.A. são desenvolvidas
na Europa, em Portugal, Reino Unido,
Suíça e Luxemburgo, e fora da Europa,
em Miami, Ilhas Cayman e Bahamas,
com foco principalmente em atividades
internacionais de corporate e investment
banking, mercado de capitais e private
banking, em estreita cooperação com as
instituições e áreas do conglomerado
que no Brasil coordenam essas
atividades. No final de 2011, os ativos
consolidados do Banco Itaú BBA
International totalizaram R$ 14,9 bilhões,
e os ativos sob gestão, provenientes do
segmento private banking, atingiram R$
23,5 bilhões.
Em 2011, os principais destaques de
nossa operação no Uruguai foram a
realização de promoções em Punta del
Este, durante as quais os turistas clientes
do Itaú Unibanco gozaram de descontos
em restaurantes e shopping centers da
cidade, e o lançamento do OCA Cel,
plataforma que permite o pagamento
de táxis, estacionamentos, delivery
de refeições e entradas de cinema,
entre outros serviços, por meio do
telefone celular. Para efetuar esse tipo
de operação, basta que o comprador
adquira uma carga de créditos e mande
um SMS para o vendedor cadastrado.
Essa iniciativa foi pioneira no mercado
uruguaio e já foi apresentada em outros
países. Atualmente, estamos estudando
a viabilidade de sua aplicação para
novos mercados e tipos de serviços.
Além disso, o Banco Itaú Uruguai foi
o primeiro no ranking de faturamento
entre os emissores de cartões de crédito
da bandeira Visa.
Nossos ativos totais no Uruguai
alcançaram R$ 4,8 bilhões em 31 de
dezembro de 2011, cifra equivalente a
um crescimento de 35% em relação ao
ano anterior. O destaque foi o avanço de
54% da carteira de crédito, que alcançou
R$ 2,2 bilhões em 31 de dezembro.
Ainda em termos de concessão de
crédito, aumentamos nossa participação
no mercado uruguaio de 12,4% para
15,5% (bancos privados). Recebemos,
ainda, o prêmio de Best Sub-Custodians
Bank, da Global Finance.
Produtos e serviços para clientes
institucionais estrangeiros
Aos clientes institucionais estrangeiros,
oferecemos um pacote completo de
produtos e serviços, tais como gestão
de recursos, custódia, investimentos
alternativos, fundos de private equity,
ações e produtos de renda fixa e de
tesouraria. O atendimento é feito por
gerentes de relacionamento em Nova
York, Londres, Hong Kong, Tóquio e Dubai
e por equipes especializadas de produtos.
Perspectivas para 2012
Para 2012, projetamos um cenário
macroeconômico de crescimento e
esperamos manter a ampliação da
oferta de produtos e serviços, tanto
para pessoas físicas quanto para
jurídicas. Manteremos nossa estratégia
de crescimento na América Latina
para firmar o Itaú Unibanco como o
maior e melhor banco da região, por
meio do foco em cinco pilares centrais
– qualidade de serviços, eficiência,
satisfação de clientes, aumento de
escala e crescimento de market share
–, sempre com base em um adequado
controle de riscos e compliance.
Campanha
internacional
Com o objetivo de tornar a
marca Itaú mais conhecida no
exterior, realizamos em 2011
nossa primeira grande campanha
publicitária internacional.
Batizada de “Itaú. The Global
Latin American Bank” (Itaú. O
banco global da América Latina),
a campanha se valeu da imagem
de personalidades latinoamericanas de destaque no
mundo, como a atriz Alice Braga,
o artista Vik Muniz e o jogador de
polo argentino Nacho Figueras.
Veiculada em aeroportos,
jornais e revistas da Europa e
dos Estados Unidos, buscou
posicionar o Itaú Unibanco como
a instituição financeira referência
para a realização de negócios na
América Latina.
109
109
Relacionamentos
Relações equilibradas e
de longo prazo melhoram
os negócios e permitem
alcançar uma
performance sustentável
110
Relacionamentos
A transparência e abertura para o
diálogo com todos os públicos é um
dos pilares da gestão do Itaú Unibanco,
pois nos permite construir relações mais
perenes e gerar valor compartilhado por
meio dos nossos negócios.
Ao estreitarmos o relacionamento
com nossos públicos, percebemos
as oportunidades que existem para
aperfeiçoarmos nossas estratégias,
avançarmos na gestão de temas
prioritários para o nosso negócio e
sermos um agente de transformação.
Para isso, realizamos atividades de
engajamento com todos esses grupos.
(Perfil 4.14)
Identificamos nossos públicos
estratégicos por meio de todos os
relacionamentos que estabelecemos.
Com base nas diretrizes da norma
AA1000, realizamos um processo de
mapeamento, classificação e priorização
dos stakeholders, definindo o nível de
engajamento almejado para cada um.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Os meios de relacionamento com
nossos públicos estratégicos, assim
como nossas ferramentas de prestação
de contas, estão em constante
evolução. Por meio deles, recebemos
suas demandas e procuramos
traduzi-las na melhoria de produtos,
serviços e processos.
E, atentos às possibilidades trazidas
pelas novas tecnologias, abrimos
canais de relacionamento na internet
com nossa participação nas redes
sociais digitais.
No que diz respeito ao relacionamento
com nossos colaboradores, em 2011
estruturamos ferramentas e métodos
ainda mais claros para avaliar seu
desempenho – e, com base na
meritocracia, buscamos avaliar de
maneira mais precisa a performance
das equipes e conceder o devido
reconhecimento àqueles que se
destacam em suas áreas.
Ao longo dos anos, também temos
investido para oferecer aos acionistas
instrumentos mais rápidos e eficientes
para a divulgação dos nossos
resultados e dos riscos e
oportunidades de mercado.
(Perfil 4.15)
Com base na meritocracia,
buscamos avaliar de maneira
mais precisa a performance
das equipes e conceder o
devido reconhecimento
àqueles que se destacam
em suas áreas
111
Relacionamentos
Acionistas
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Acionistas
O Itaú Unibanco é uma empresa de
capital aberto e negocia suas ações
na Bolsa de Valores de São Paulo
(BM&FBovespa), na Bolsa de Valores
de Nova York (NYSE) e na Bolsa de
Comércio de Buenos Aires (BCBA). Na
BM&FBovespa, as ações são negociadas
sob o código ITUB (ITUB3 – Ação
Ordinária e ITUB4 – Ação Preferencial);
na NYSE e na BCBA, as negociações
ocorrem por meio de certificados de
depósito de ações (ADRs, na NYSE, e
CEDEARs, na BCBA). (Perfil 2.6)
A prestação de contas de forma
transparente e a divulgação de fatos
relevantes sobre a empresa são exigidas
por lei, mas temos ido além e inovado
na maneira como divulgamos nossos
indicadores e resultados. Podemos
citar como exemplo de transparência a
divulgação espontânea das recompras
de ações próprias. (Perfil 4.16)
Em 2011, realizamos 22 reuniões
públicas em parceria com a Associação
dos Analistas e Profissionais de
Investimento do Mercado de Capitais
(Apimec) e oito teleconferências com
investidores e profissionais do mercado
de capitais, entre outros. No total, mais
de 4.300 pessoas acompanharam os
eventos de forma presencial ou pela
internet. Ainda em 2011, participamos
de 13 feiras de educação financeira
(Expo Money), com presença
aproximada de 50 mil congressistas.
Entre roadshows e conferências,
participamos de 26 eventos no Brasil e
no exterior, que contaram com presença
de investidores dos Estados Unidos,
Europa, Ásia, Oriente Médio e America
Latina. Em fevereiro de 2011, também
ocorreu o primeiro Investors Day,
encontro anual que reuniu mais de 150
investidores institucionais.
Todas as informações relevantes
para analistas e investidores estão
no site de Relações com Investidores
(www.itauunibanco.com.br/ri) e são
disponibilizadas em português, inglês
e espanhol. A página recebe cerca de 7
mil visitas por dia. No site de RI também
é possível consultar os relatórios
trimestrais e anual do banco.
Fomos o primeiro banco brasileiro
a disponibilizar um perfil de RI no
Twitter (@itauunibanco_ri), uma das
redes sociais de maior abrangência
atualmente. A ferramenta já conta com
mais de 4.500 seguidores e mostra-se
um importante canal para a divulgação
de informações relativas ao banco.
Além disso, comunicados e fatos
relevantes são enviados por e-mail para
aproximadamente 8 mil endereços
eletrônicos cadastrados, e os boletins
Ação em Foco, distribuídos após a
divulgação dos resultados trimestrais
com linguagem didática, alcançam
70 mil destinatários, entre acionistas,
analistas e outros interessados.
Acionistas e governança
Todo acionista, minoritário ou não,
tem acesso ao Fale Conosco, recurso
disponível no site de Relações com
Investidores do Itaú Unibanco, para fazer
recomendações e receber orientações.
(Perfil 4.4)
Os acionistas minoritários que
representam, em conjunto, 10% (dez por
cento) ou mais das ações com direito a
voto têm direito de eleger um membro
efetivo e seu respectivo suplente no
Conselho Fiscal. (Perfil 4.4)
Adicionalmente, a existência de
membros independentes no Conselho
de Administração visa especialmente
resguardar os interesses da organização
e de seus acionistas minoritários.
Com isso, propicia o debate de ideias
eventualmente diferentes das dos
conselheiros indicados pelo bloco
controlador. (Perfil 4.4)
112
Relacionamentos
Clientes
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Clientes
A visão do Itaú Unibanco é ser líder
em performance sustentável e em
satisfação dos clientes. O caminho
para alcançar esse propósito começa
com a oferta de produtos e serviços
adequados ao perfil de cada cliente e
passa por um relacionamento pautado
pela transparência das informações, pela
educação financeira e pela promoção
de relações equilibradas e de longo
prazo. Entendemos que, só dessa forma,
alcançamos a satisfação dos clientes
e permanecemos como a instituição
financeira escolhida por eles ao longo de
suas vidas. Isso também gera resultado
financeiro para nossos acionistas e
a manutenção de uma performance
sustentável, no longo prazo.
Programa Transparência 100%
Uma de nossas prioridades em 2011
foi o aprimoramento das relações com
nossos clientes no que diz respeito à
clareza, à transparência e à agilidade na
prestação de informações.
Por meio do Programa Transparência
100%, consolidado em 2011, mudanças
operacionais foram feitas para deixar
contratos mais claros e com linguagem
mais acessível, substituir termos técnicos
em extratos e faturas, implementar
alertas por SMS sobre movimentação no
cartão de crédito e exibir mensagens no
caixa eletrônico e na internet avisando o
cliente que ele passará a utilizar o cheque
especial. Essas ações são exemplos de
iniciativas que temos implantado para
tornar toda comunicação com nossos
clientes mais simples, objetiva, clara
e transparente em todos os canais de
relacionamento. (PR3)
E isso passa, inclusive, por reformulação
de produtos, como foi o caso do seguro
de vida e do PIC. Reposicionamos nossos
títulos de capitalização, que passaram
a ser comercializados como produtos
de sorte, adequados a quem gosta de
concorrer a prêmios, e não como uma
modalidade de investimento. Essa é uma
forma de oferecer o produto certo para
os clientes certos de maneira clara e
transparente.
Os resultados dessas iniciativas já
começaram a ser percebidos, mas
ganharão escala nos próximos anos e
com novos ajustes que serão realizados
de acordo com as demandas dos
próprios clientes e dos órgãos de defesa
que os representam.
Com o Programa Transparência 100%,
reforçamos nosso compromisso de
ser o banco mais sustentável para
nossos clientes, a partir de uma grande
agenda de contribuições trazidas pelas
entidades de defesa do consumidor.
As ações do Programa Transparência
100% foram divididas em cinco frentes:
Frentes
Descrições
Crédito Consciente:
Prevenção ao
Endividamento
Prevenção ao superendividamento, além de inclusão da
Educação Financeira no dia a dia do cliente.
Atenção Especial
aos Segmentos
Ações criadas especialmente para alguns públicos
diferenciados, utilizando uma linguagem mais próxima do
perfil e com foco no uso responsável dos produtos e serviços
financeiros.
Transparência da
Informação
Novas informações e demonstrativos relevantes,
disponibilizados com linguagem mais simples, visando
facilitar a compreensão dos clientes e consumidores.
Mais Segurança
Serviços disponíveis para levar mais segurança e
tranquilidade às operações dos clientes e consumidores.
Diálogos com
os Órgãos
Desenvolvimentos de aprendizados adquiridos a partir
de um diálogo aberto, construtivo e transparente com os
órgãos de defesa do consumidor.
113
Relacionamentos
Clientes
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Agenda de melhoria contínua
A voz do cliente (Perfil 4.16)
Com base nas contribuições e sugestões
dos clientes, nos principais assuntos
verificados nos canais internos de
atendimento e nos apontamentos
dos órgãos de defesa do consumidor,
identificamos oportunidades de
aperfeiçoamento de nossos produtos,
serviços e processos. Trata-se do
desenvolvimento de uma agenda
institucional de melhoria contínua.
Entendemos que a voz do cliente
é um fator indutor para inovação e
o aperfeiçoamento dos produtos,
serviços e do atendimento oferecido
pela instituição. Nesse contexto, um
exemplo de ação desenvolvida em 2011
foi a reformulação do demonstrativo de
evolução de dívidas. Em um processo
de criação compartilhada, clientes e
banco chegaram a um consenso sobre
o melhor formato para apresentar a
informação – ou seja, de maneira clara,
simples, objetiva e com a linguagem do
cliente. (PR5)
Nesse contexto, destacam-se:
• Programa Executivos em Ação: seu
objetivo é proporcionar aos executivos
da organização a oportunidade de
vivenciar a experiência do cliente,
acompanhar pessoalmente o processo
de atendimento e participar da
resolução dos problemas. Em 2011, o
público-alvo foram os vice-presidentes,
diretores e superintendentes. Em
2012, essa iniciativa será estendida a
gerentes e coordenadores e também
passará a fazer parte do processo de
recepção dos novos executivos da
organização.
• 1º Fórum de Debates Direitos do
Consumidor – Entidades e Itaú
Unibanco: seu objetivo foi intensificar
o diálogo entre o banco e as lideranças
das principais entidades de defesa
do consumidor. Ao todo, foram 11
encontros que reuniram mais de 200
autoridades de diversas entidades de
todo o país, como o Departamento
de Proteção e Defesa do Consumidor
(DPDC), o Banco Central do Brasil
(Bacen), o Poder Judiciário, o Ministério
Público, as Defensorias Públicas, os
Procons estaduais e municipais, o
Brasilcon, as Promotorias de Justiça,
a imprensa e outras entidades civis
de defesa do consumidor, além de
executivos de todas as áreas de
negócios. Em 2012, acontecerá a
segunda edição do evento.
Outra importante iniciativa para estreitar
o diálogo com nossos clientes e ouvir
sugestões e críticas é o Fórum de
Clientes, que visa aprimorar a qualidade
do atendimento e dos produtos
e serviços oferecidos. No fórum,
são convidados clientes dos vários
segmentos do banco, selecionados
aleatoriamente para participar de
encontros periódicos com os executivos
da organização durante um ano. Os
grupos, formados por dez clientes,
falam abertamente de suas percepções
sobre os produtos, serviços e sobre o
atendimento prestado. A transparência,
o diálogo, a interação e a proximidade
têm estimulado a implantação de
melhorias e gerado um entendimento
cada vez mais alinhado às expectativas e
necessidades dos clientes. (PR5)
Seguindo a premissa de ficar cada vez
mais próximo dos clientes e estreitar
relacionamento, lançamos em 2011
um perfil no Facebook e reforçamos
nossa atuação no Twitter para
compartilhar informações institucionais
e ouvir o que os clientes têm a dizer.
Também disponibilizamos tutoriais
com orientações sobre como utilizar
melhor modalidades como o crédito
automático, o cheque especial e o
financiamento de veículos.
Uma
importante
iniciativa para
estreitar o
diálogo com
nossos clientes
é o Fórum de
Clientes, que
visa aprimorar
a qualidade do
atendimento e
dos produtos
e serviços
oferecidos
114
Relacionamentos
Clientes
Comunicação interna
voltada ao cliente
A comunicação interna é um pilar
estratégico para a disseminação de uma
cultura voltada ao cliente. Por essa razão,
ao longo de 2011 foram desenvolvidas
diversas ações para o público interno,
com foco na qualidade do atendimento
e na satisfação dos clientes. Dentre essas
ações podemos citar as campanhas
internas de comemoração do Dia do
Consumidor, em março, e do Dia do
Cliente, em setembro. (PR5)
Um importante canal de comunicação
interna é a Revista Itaú Unibanco,
na qual são divulgados mensalmente
os principais projetos e ações
desenvolvidos com foco no cliente.
Outra novidade foi a campanha de
endomarketing “Você seria seu próprio
cliente?”, por meio da qual buscamos
provocar nosso público interno,
levando-o a refletir sobre as melhores
formas de atuar e contribuir com a
satisfação dos nossos clientes.
Os comportamentos destacados pelo
Guia Todos pelo Cliente, lançado em
2010, também têm sido uma importante
ferramenta para nortear nosso
relacionamento com esse público.
Em 2011, a disseminação desses
comportamentos e o reconhecimento de
atitudes diferenciadas alinhadas a eles
proporcionaram significativos avanços
na consolidação de uma cultura voltada
para o cliente, focada em sua satisfação e
na qualidade do atendimento. O Prêmio
Todos pelo Cliente é uma ferramenta
relevante para essa finalidade.
Além de ser uma estratégia criada para
valorizar, reconhecer e disseminar as
boas práticas dos colaboradores voltadas
à resolução de problemas dos clientes e
ao aumento de seu nível de satisfação e
da qualidade do atendimento, o prêmio
leva os colaboradores à reflexão sobre
suas ações e sobre como pequenas
mudanças de atitude podem impactar
muito positivamente em nosso
relacionamento com esse público.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Os 7 comportamentos destacados
pelo Guia Todos pelo Cliente
• Trate o cliente como você gostaria de ser tratado.
• Faça sempre o que é certo. Pessoas seguem exemplos.
• Ouça atentamente o cliente. Sempre aprendemos
com essa experiência.
• Entenda as necessidades do cliente e surpreenda-o,
indo além do que ele espera.
• Falhas e equívocos acontecem. Garanta a solução
certa com agilidade, presteza e cordialidade.
• Busque sempre a melhor opção para o cliente
e para o banco. Será um bom negócio para todos.
• Seja claro, preciso e transparente em sua comunicação.
O prêmio é aberto a todas as áreas do
conglomerado e permite que cada
colaborador reconheça e indique um
parceiro interno ou qualquer outro
colaborador que tenha se destacado
por uma atitude diferenciada em
prol da satisfação do cliente, direta
ou indiretamente. Os colaboradores
responsáveis pelas atitudes mais
destacadas são reconhecidos com
bolsas de estudos para estimular seu
desenvolvimento profissional.
Também acreditamos que os canais
de atendimento abertos a sugestões
e reclamações, como o site, o Fale
Conosco, as agências, as Centrais de
Atendimento, o SAC e a Ouvidoria,
devem sempre manter uma relação
transparente e buscar incessantemente
a resolução de problemas para que os
clientes obtenham a resolução de suas
demandas e não precisem recorrer aos
órgãos de defesa do consumidor. Por
isso, o Itaú Unibanco, além da melhoria
na transparência e no relacionamento
com clientes, desenvolve ainda
iniciativas para aprimorar processos e
padronizar o atendimento, de modo a
proporcionar uma experiência positiva
ao cliente, independentemente do canal
por ele procurado. (PR5)
115
Relacionamentos
Clientes
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Ouvidoria
A Ouvidoria Itaú Unibanco é o canal
especializado no atendimento
aos clientes que já registraram
manifestações nos canais disponíveis
e não ficaram satisfeitos com a
solução oferecida. Entre as atribuições
da Ouvidoria estão a identificação
e proposição de melhorias no
atendimento e em produtos e
serviços oferecidos pela organização,
fortalecendo, assim, o relacionamento
com os clientes. O órgão também é
responsável por tratar as reclamações
provenientes do Banco Central (Bacen),
dos Procons, da imprensa e dos demais
órgãos e entidades de defesa do
consumidor.
Destacamos nessa estrutura o Procon
Fone – canal telefônico gratuito
destinado a atender exclusivamente os
técnicos do Procon –, cuja finalidade
é tratar reclamações, solicitações ou
dúvidas apresentadas aos órgãos de
defesa do consumidor pelos clientes ou
usuários do banco. Esse canal é o mais
eficiente para o encaminhamento de
reclamações apresentadas aos Procons,
pois nos permite resolver grande parte
das questões no ato.
Em 2011, a Ouvidoria recebeu a
recertificação ISO 9001, emitida
pela International Organization for
Standardization. Essa conquista ratifica
o compromisso da Ouvidoria com a
excelência do atendimento.
Agência no Complexo
do Alemão (RJ)
Depois de levar caixas eletrônicos às
comunidades pacificadas do Rio de
Janeiro, o Itaú inaugurou sua primeira
agência no Complexo do Alemão, na
zona norte do Rio de Janeiro, no dia
29 de setembro de 2011.
Desde o início de 2011, o banco
mantinha cinco quiosques com
caixas eletrônicos em comunidades
com Unidades de Polícia Pacificadora
(UPPs). O movimento registrado
nesses equipamentos demonstrou
a demanda por serviços bancários
para essa população. Somente nos
equipamentos da Cidade de Deus,
a média mensal de transações
nesses meses superou em 25% a
média registrada nos equipamentos
instalados no Conjunto Nacional,
na esquina da av. Paulista com rua
Augusta, em São Paulo. (FS13)
Compromisso público com
a satisfação dos clientes (PR5)
A adesão à 2ª edição do Projeto
Indicadores Públicos, lançado pelo
Departamento de Proteção e Defesa
do Consumidor (DPDC), também tem
promovido avanços nas três metas com
as quais o banco se comprometeu:
aumento do índice de resolução
de conflitos na fase preliminar
de reclamação dos clientes (fase
representada pelas notificações prévias
ou Cartas de Informações Preliminares
– CIPs) e em audiências de conciliação,
além da redução nas reclamações
endereçadas aos Procons.
O banco, que já havia participado da 1ª
edição do projeto, alcançou resultado
positivo quanto à resolução de conflitos
durante a fase preliminar de reclamação,
superando os 83% de resolutividade
propostos e atingindo índice de
resolução de 85,5%.
Quanto à meta de aumento da proporção
de acordos para as reclamações
fundamentadas, alcançamos 67,9%
de acordos, ficando a apenas 0,1% do
percentual a ser atingido.
Em relação à redução no número de
reclamações endereçadas aos Procons –
cuja meta exigia um declínio de 6% – o
resultado apontou aumento de 16%
nas demandas, fato que exigirá nossa
atenção e a intensificação dos esforços
com vista à reversão desse desempenho.
116
Relacionamentos
Clientes
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Fomos a única instituição financeira a
firmar formalmente com o Procon-SP
o compromisso de reduzir o total de
atendimentos (CIPs) e de reclamações
fundamentadas (demandas que
não foram solucionadas na primeira
intervenção do Procon). Ambas as metas
foram superadas, garantindo-nos um
resultado destacado tanto entre os
fornecedores participantes quanto entre
as instituições financeiras.
Com relação à redução no volume
de CIPs, registramos queda de 23%,
ante os 20% estabelecidos como
meta. A diminuição das reclamações
fundamentadas foi ainda mais expressiva:
recuo de 52% no volume, ante uma meta
também de 20% de redução.
Em 2012, o Itaú Unibanco renovou seus
compromissos públicos com os órgãos
de defesa do consumidor para a redução
do volume total de reclamações feitas
contra o banco e aumento dos índices de
resolutividade das demandas registradas.
O Itaú Unibanco no ranking
de reclamações do Procon SP
e do Banco Central em 2011
Em 2011, no ranking de reclamações
do Procon São Paulo, o banco passou
da 2ª posição em 2010 (com 1.708
queixas) para a 3ª colocação (1.383).
Essa redução, de 19% no total de
reclamações fundamentadas no
Procon-SP em relação a 2010 – e
diante de um crescimento de 23% do
volume de reclamações do setor –,
demonstra que estamos no caminho
certo. Sabemos que o processo
de melhoria é contínuo. Metas e
resultados fazem parte de uma
agenda maior desenvolvida pelo Itaú
Unibanco com o objetivo de atender
nossos clientes cada vez melhor.
Sabemos que temos que seguir
investindo esforços para aprimorar
serviços e reduzir falhas, em
velocidade maior do que a expansão
do setor bancário. Como forma de
demonstrar que estamos focados
em reduzir reclamações e aumentar
a satisfação dos clientes, assumimos
compromissos públicos de melhoria
com a Fundação Procon-SP.
De acordo com o acumulado dos
rankings mensais divulgados pelo
Banco Central do Brasil (Bacen),
mantivemos o 2º lugar em número de
reclamações classificadas de clientes
como denúncias, registrando 4.480
queixas, um aumento de 63% em
relação ao total contabilizado em 2010
(2.830). Destas, 48% – ou seja, 2.153
– foram julgadas como procedentes,
atingindo um índice geral de 0,82.
A essas ações soma-se a figura do
Assessor de Relacionamento, que atua em
parceria com os Procons de 33 cidades
do Brasil. Esse profissional representa o
conglomerado no encaminhamento de
processos, subsidiando as áreas internas
do banco com as expectativas desses
organismos. (Perfil 4.17)
Total de reclamações direcionadas ao
Banco Central do Brasil (Bacen) em 2011 (PR4)
Mês/2011
Reclamações no Bacen (PR4)
2011
2010
Procedentes:
2.153
1.432
Procedentes
Improcedentes
Jan
143
158
Improcedentes:
2.327
1.398
Fev
249
163
Total de denúncias:
4.480
2.830
Mar
182
210
Abr
148
176
Mai
153
168
Jun
167
209
Jul
159
198
Ago
204
204
Set
191
200
Out
170
181
Nov
164
207
Dez
223
253
Total
2.153
2.327
117
Relacionamentos
Clientes
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Segurança da informação (PR1)
Segurança é um dos atributos mais
importantes nas atividades bancárias.
Ao depositar seus recursos em uma
instituição financeira, os clientes
precisam ter confiança de que seu
patrimônio e suas informações estão
protegidos. Buscamos nos antecipar
às necessidades do cliente e levar
informações que normalmente não
são fornecidas pelos bancos em geral.
Ao longo dos anos, desenvolvemos
uma expertise para dialogar com
nossos públicos sobre os riscos de
segurança e os meios de proteção.
Identificamos uma preocupação
e uma demanda dos clientes e da
sociedade sobre mais informação e
consciência sobre o tema.
Nesse contexto, desenvolvemos
o Programa Mais Segurança, cujo
objetivo é promover a mudança
de comportamento e reduzir as
fraudes e os atos ilícitos. Por meio
dele, disseminamos práticas seguras
para a vida pessoal e profissional
de colaboradores, clientes e toda
a sociedade. O programa trata das
disciplinas da segurança corporativa:
segurança da informação, gestão de
crises, segurança física, prevenção
a fraudes, prevenção à lavagem de
dinheiro e segurança em mídias sociais.
Dentre as ações realizadas em 2011,
destacam-se:
dinâmica em formato de júri que
incentiva a discussão de situações de
risco comuns entre adolescentes que
utilizam a internet;
• criação e divulgação do Cyber Guia
para colaboradores e sociedade,
uma cartilha sobre navegação digital
voltada para adolescentes entre 10 e
16 anos. O guia contém dicas sobre
segurança no uso da internet, envios e
recebimentos de e-mails, utilização de
redes sociais, entre outros;
• reestruturação do site Mais Segurança
(www.itau.com.br/seguranca), com
informações sobre segurança em
viagem, em trânsito, durante as compras,
perigos online e crianças, além de dicas
relacionadas à segurança bancária;
• curso a distância, lúdico e dinâmico,
sobre segurança bancária, voltado
à educação dos clientes com foco
na redução das fraudes bancárias,
disponível no site Mais Segurança;
• Jornada Mais Segurança – uma ação
realizada anualmente para todos os
colaboradores do banco, que trata de
temas voltados à segurança;
• campanha de segurança voltada
aos colaboradores da nossa rede
de agências por meio de e-learning,
eventos presenciais e outros tipos de
comunicações;
• palestras de conscientização,
ambientação e comunicação digital
para colaboradores do Brasil e das
unidades internacionais (Chile,
Argentina, Uruguai, Paraguai, Estados
Unidos, Bahamas e Ilhas Cayman).
• ooficina sobre o uso seguro da
internet, desenvolvida em parceria
com a Fundação Itaú Social, para
levar o tema “Segurança na internet” Por meio dessas ações, obtivemos
importantes resultados, dentre os quais
a adolescentes de escolas públicas
se destacam:
e ONGs. A oficina consiste numa
• Jornada Mais Segurança:
– aumento de 400% no número
de visitas ao hotsite da campanha,
totalizando 180 mil acessos;
• Mais Segurança no site
institucional:
– seção mais acessada do site do
Itaú Unibanco, atrás apenas da
homepage;
• Mídias sociais:
– o assunto segurança tornou-se
o segundo mais compartilhado
no Twitter do Itaú Unibanco,
contribuindo para a diminuição de
fraudes eletrônicas;
• Cyber Guia:
– 10,2 mil guias solicitados pelos
colaboradores para compartilhar
com familiares e sociedade;
• Oficinas de Uso Seguro da Internet:
– 91% de aprovação na avaliação
dos jovens entre 10 e 16 anos
de escolas públicas e ONGs
que participaram das oficinas
oferecidas pelos nossos 70
voluntários.
Em 2012, pretendemos:
• realizar a Jornada Mais Segurança
(anual);
• consolidar o Programa Mais
Segurança para clientes;
• criar o Programa Mais Segurança para
clientes pessoa jurídica;
• aumentar o número de Oficinas de
Uso Seguro da Internet;
• disponibilizar o site Mais Segurança
em versões em espanhol e inglês,
para as unidades externas que
quiserem implementar.
118
Relacionamentos
Clientes
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Saúde e segurança do cliente (PR1)
Para a segurança dos clientes nos
pontos de atendimento e nas
agências do banco, avaliamos
os impactos em segurança nos
seguintes âmbitos:
• produtos e serviços (segurança
patrimonial em pontos de
venda referente a vigilância e
equipamentos de segurança);
• desenvolvimento do conceito do
produto ou serviço oferecido;
• desenvolvimento/operação;
• uso e serviço.
Fazem parte da política de
segurança procedimentos como:
análise do layout dos pontos de
venda (agências/PABs/financeira) a
inaugurar ou em obras ou reformas
para instalação dos dispositivos
de segurança e análise de risco
dos pontos de venda, visando
a melhorias nos aspectos de
segurança.
Destacam-se as seguintes iniciativas:
• centro de monitoramento próprio;
• baixa de imagens das agências em
tempo real;
• sistema de segurança reforçado,
que dispensa a utilização de porta
giratória em algumas localidades;
• investimento em segurança
superior ao exigido por lei;
• palestras para colaboradores nas
agências;
• unidades regionais de segurança
nos grandes centros (Belo
Horizonte, Campinas, Curitiba e Rio
de Janeiro).
Em 2011, iniciamos a melhoria dos
equipamentos de segurança e do
processo de gestão do acesso de
terceiros às agências.
Além disso, desenvolvemos a
definição e implementação de
política de segurança para os
colaboradores e prestadores de
serviços nos pontos de vendas.
Entre os recursos empregados estão
circulares/normativos, manual
de segurança, DVD, palestras e
comunicados internos, entre outros.
Investimos na avaliação dos
impactos em segurança para
atender à Lei Federal 7.102/83
(que regulamenta as instituições
financeiras e cujo órgão fiscalizador
é a Polícia Federal), às exigências
legais (leis estaduais e municipais),
ao relacionamento com órgãos da
Secretaria de Segurança Pública
(Polícias Federal, Civil e Militar) e às
políticas internas.
Nas etapas de pesquisa e
desenvolvimento, certificação,
marketing e promoção, bem como
armazenamento, distribuição,
fornecimento, disposição,
reutilização ou reciclagem, não há
impacto significativo do negócio na
saúde e segurança.
Educação financeira
Por meio do Programa Uso Consciente
do Dinheiro, buscamos auxiliar na
educação financeira de pessoas físicas
e empresas para que tenham uma vida
financeira mais saudável, entendam
melhor seus direitos e deveres e evitem
o superendividamento. O programa
é composto de várias iniciativas para
nossos diferentes públicos (para
conhecê-las consulte o indicador FS16
no Índice Remissivo GRI). Entre elas,
destacam-se um site com dicas sobre
o tema e simuladores de orçamento
familiar. Em 2011, disponibilizamos ainda
dois guias (Saia do Vermelho e Orçamento
Familiar) em mil agências. (FS16)
Pesquisas com clientes
Buscamos conhecer o nível de satisfação
dos clientes por meio de pesquisas, das
centrais de atendimento e dos Fóruns de
Clientes (reuniões periódicas de grupos
de clientes com executivos do banco). E,
desde 2010, realizamos, semestralmente,
a Pesquisa Quantitativa Visão Mercado
Nacional, com os objetivos de avaliar
a satisfação geral de nossos clientes e
da concorrência, além de identificar os
principais atributos do relacionamento
bancário. Trata-se de pesquisa
telefônica, sem identificação do banco,
com os clientes ativos das carteiras das
instituições. (PR5)
Em 2011, verificamos que, tanto nossos
clientes pessoa física quanto pessoa
jurídica (de empresas com faturamento
acima de R$ 500 mil ao ano) mantiveram
a maior nota média de satisfação geral,
com os índices permanecendo estáveis
entre 2010 e 2011. Com base nos
resultados, traçamos planos de ação
para manter e melhorar constantemente
os índices. (Perfil 4.17 e PR5)
119
Relacionamentos
Clientes
Também realizamos, desde 2008,
pesquisas em todas as agências, com
o intuito de mensurar a satisfação dos
pontos de venda, com periodicidade
mensal ou semestral dependendo do
público. Por amostra aleatória, uma
pesquisa quantitativa avalia a satisfação
dos clientes via Itaú Bankline, caixa
eletrônico e telefone. (PR5)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Multas
Em 2011, houve 2.329 sanções
administrativas impostas ao banco por
descumprimento a leis ou regulamentos
referentes ao fornecimento e uso de
produtos e serviços. Dessas, oito foram
consideradas significativas (valor do
processo acima de R$ 500 mil), somando
R$ 24,9 milhões – todas pendentes de
decisão. (PR9)
No que diz respeito a processos
judiciais, o risco foi reduzido dos R$
19,3 milhões apontados em 2010 para
R$ 13,8 milhões em 2011. A carteira
de execuções, atualmente, compõese de 19 processos com aplicação de
multas significativas, pendentes de
decisão. Em 2010, eram 23 processos
significativos. (PR9)
Os principais tipos de multas referemse a: tempo de atendimento previsto
em lei municipal; instalação de
emissor de senhas nas agências; e
não comparecimento em audiência.
Destacam-se seis multas aplicadas ao
relógio com o logo do banco instalado
no topo do Conjunto Nacional, na
Avenida Paulista, em São Paulo, com
base da Lei Cidade Limpa, as quais
somaram R$ 23,2 milhões. (PR9)
Apesar de não ter havido nenhuma
decisão sobre não conformidade com
regulamentos e códigos voluntários
relativos a marketing, incluindo
publicidade, promoção e patrocínio, vale
registrar o ajuizamento, em 2011, pela
Assembleia Legislativa do Rio (Alerj),
de Ação Civil Pública, que teve como
objeto a suposta ilegalidade relacionada
à propaganda televisiva veiculada
nacionalmente a respeito de benefícios
do cartão Itaucard. (PR6)
Comunicação e marketing
Com o objetivo de atuar de maneira ética
e transparente, diversas normas internas
orientam nossas ações de marketing,
como o Código de Ética, o Nosso
Jeito de Fazer (Cultura Corporativa),
o Guia Corporativo de Segurança da
Informação, a Gestão Corporativa de
Crises e o Guia para Continuidade de
Negócios. (Perfil 4.8 e PR6)
Além disso, aderimos a diversos códigos
de autorregulação existentes no
mercado, como os do Banco Central do
Brasil (Bacen), da Superintendência de
Seguros Privados (Susep), do Conselho
Nacional de Autorregulamentação
Publicitária (Conar), da Federação
Brasileira de Bancos (Febraban), da
Associação Brasileira das Empresas de
Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) e o
Código de Defesa do Consumidor (CDC),
entre outros. (Perfil 4.12 e PR6)
Monitoramos continuamente nossa
conformidade com esses padrões
por meio de pesquisas de mercado,
canais de atendimento ao cliente
e da gestão conjunta de Controles
Internos, Compliance, Jurídico e áreas
de negócios. Não comercializamos
produtos que sejam objeto de debate
público ou de questionamentos das
partes interessadas. (PR6)
Em 2010, das 1.613 sanções
administrativas, duas foram
significativas, correspondendo a R$ 2,9
milhões. Essas duas sanções referiam-se
a suposto envio de cartão não solicitado,
sendo uma delas aplicada pelo Procon
de Minas Gerais, no valor de R$ 1,9
milhão, e outra pelo Procon de São
Paulo, no valor de R$ 1 milhão. (PR9)
Uma das explicações para o aumento
das sanções administrativas entre 2010 e
2011 é o aumento do escopo. Em 2011,
incorporamos as multas decorrentes
do funcionamento de nossas agências,
além das multas pelo fornecimento de
produtos e serviços. (PR9)
O Conar considerou o anúncio
“Banco Mais Sustentável do Mundo”
regular e arquivou, por unanimidade,
a representação em face do Itaú
Unibanco na sessão de 01/03/2012
da Câmara Especial de Recurso do
Conselho de Ética. (PR6)
120
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Colaboradores
Possuímos 104.542* colaboradores
em todo o Brasil e no exterior – e é
por meio das iniciativas, das ações e
do comprometimento dessas pessoas
que conseguimos alcançar o sucesso
em nossos negócios e operações e nos
transformar no maior banco do país
em valor de mercado e no 8º maior
banco do mundo pelo mesmo critério
(segundo dados da Bloomberg de
dezembro de 2011).
O desenvolvimento desses profissionais
e o reconhecimento de seus esforços
são, portanto, de extrema importância
para a formação de um ambiente que
incentive a busca pela inovação e pela
satisfação dos clientes.
Por isso, em 2011, uma vez estabelecida
e disseminada a cultura organizacional,
batizada de Nosso Jeito de Fazer,
passamos também a analisar os
colaboradores com base na meritocracia
e na eficiência. Em 2012, além de
avançar nesses dois temas, vamos dar
continuidade à consolidação de nossa
cultura. (Perfil 4.8)
*Este número não contempla diretores, trainees,
estagiários e terceiros.
Meritocracia
Esse é um dos temas estratégicos
a serem trabalhados por toda a
organização nos próximos anos.
Diante dessa meta, a avaliação da
atitude e do desempenho de cada
profissional torna-se um instrumento
decisivo para definir promoções,
reconhecimentos e premiações. A
meritocracia – reconhecer e diferenciar
as pessoas de acordo com seu
desempenho relativo – é uma de
nossas principais crenças e um direito
e um dever de todos que compõem a
organização.
A análise do desempenho de cada
profissional é feita por meio de
avaliações periódicas de performance,
realizadas ao menos uma vez por
ano. São levados em consideração as
metas propostas, os resultados obtidos
e também a forma de entregar tais
resultados, pois, embora seja importante
alcançar os objetivos, todas as ações
devem estar calcadas no Nosso Jeito
de Fazer. Decisões sobre promoções e
novas metas são, então, tomadas pelo
comitê de avaliações.
Ao final do processo de avaliação,
cada colaborador recebe feedbacks
individuais, nos quais conhece seus
pontos fortes e fracos e sua posição
relativa aos outros membros da equipe.
Além de assegurar transparência ao
processo de gestão, esse mecanismo
estimula os colaboradores a aperfeiçoar
suas habilidades e buscar evolução
profissional constante.
A meritocracia
– reconhecer
e diferenciar
as pessoas de
acordo com seu
desempenho
relativo – é
uma de nossas
principais
crenças e um
direito e um
dever de todos
que compõem
a organização
121
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Princípios da meritocracia no Itaú
Unibanco Instituto Unibanco
1) A meritocracia é uma das principais
crenças do Itaú Unibanco. Dessa forma,
entendemos que sua prática ampla é
um direito e um dever de todos.
2) Nossas pessoas devem estabelecer
metas claras e desafiadoras para
si mesmas e para suas equipes.
Só assim será possível reconhecer
desempenhos diferenciados de forma
diferenciada.
3) As avaliações periódicas de
performance são um dos mais
importantes instrumentos de
meritocracia no Itaú Unibanco – e
devem ser realizadas, no mínimo
uma vez ao ano, para todos os
colaboradores.
6) Os avaliados, sem exceção, devem
conhecer sua posição relativa ao
final do processo de avaliação. Isso
garante a transparência no processo
de gestão.
7) O processo de avaliação exige
feedbacks honestos e transparentes
em relação à performance – o “quê” e
o “como”. Deve ressaltar pontos fortes
e fracos, potencial e perspectivas do
profissional, visando, acima de tudo,
ao seu desenvolvimento.
8) Nenhuma decisão sobre promoção,
aumento por mérito, oportunidades
em nova função, escolha de sócios,
associados ou desligamentos pode ser
tomada sem ter por base a avaliação
individual e relativa do profissional.
4) As avaliações de performance
devem considerar não apenas as
realizações do período, mas também
o alinhamento com o Nosso Jeito
de Fazer. Para nós, o “como” é tão
importante quanto o “quê”.
9) Os líderes devem encontrar espaços
e oferecer oportunidades para os
mais bem avaliados desenvolverem
plenamente seu potencial dentro da
instituição.
5) O exercício de avaliação deve ser
absolutamente transparente para
os avaliados. Como consequência, a
distribuição deve ser em uma curva
forçada de performance.
10) As pessoas são as principais
responsáveis pelas próprias carreiras.
Todas devem buscar continuamente
melhores oportunidades
profissionais dentro da instituição.
A meritocracia em números: (LA12)
100%
dos colaboradores do banco
têm metas contratadas
45.000
Aproximadamente
colaboradores, entre líderes e equipes,
foram avaliados no Planejamento
Estratégico de Pessoas (PEP)
13.200
Aproximadamente
promoções e méritos ocorreram em 2011
7.392
colaboradores foram
movimentados pelo Programa
Oportunidade de Carreira (POC)
Na 11ª edição do Prêmio Walther
Moreira Salles,
casos
foram inscritos e 39 pessoas,
reconhecidas
1.327
As avaliações
periódicas de
performance
são um dos
mais
importantes
instrumentos de
meritocracia no
Itaú Unibanco
122
Relacionamentos
Colaboradores
Nosso Jeito de Fazer
Em 2010, o lançamento do Nosso Jeito
de Fazer, conjunto de dez atitudes e
valores que guiam todos os nossos
relacionamentos, foi um marco no Itaú
Unibanco. A ferramenta é uma das
bases para a avaliação da meritocracia
em relação ao desempenho dos
colaboradores, pois indica os caminhos a
serem seguidos na busca pela eficiência
e pelos bons resultados. (Perfil 4.8)
Para tornar esse processo de avaliação
mais claro e transparente aos olhos
dos colaboradores, intensificamos as
ações para a disseminação e a reflexão
sobre o decálogo. No final de 2010,
tiveram início as Oficinas do Nosso
Jeito de Fazer, das quais participaram
apenas as lideranças – que tinham
como missão divulgar os conceitos para
suas equipes. Em 2011, essas oficinas
foram replicadas e conduzidas pelos
superintendentes. No ano, também
foram realizadas as Dinâmicas do
Nosso Jeito de Fazer, atividades que
tiveram como finalidade aprofundar o
entendimento sobre cada uma das dez
atitudes, além de workshops para líderes
das áreas de varejo e da administração
central. No total, foram realizados
mais de 100 encontros, que contaram
com a participação de mais de 2 mil
colaboradores.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
O Nosso Jeito de Fazer (Perfil 4.8)
Todos pelo Cliente
Paixão pela Performance
Liderança Ética e Responsável
Craques que jogam para o Time
Foco na Inovação e Inovação com Foco
Processos servindo Pessoas
Ágil e Descomplicado
Carteirada não vale
Brilho nos Olhos
Sonho Grande
123
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Total de trabalhadores, por tipo de
emprego, contrato de trabalho e
região, discriminados por gênero (LA1)
A tabela abaixo apresenta as
informações do quadro de
colaboradores Itaú Unibanco Holding,
que engloba colaboradores do Brasil e
do exterior. (LA1)
O total de funcionários no Brasil, não
contabilizando aprendizes, estagiários
e trainees, é de 98.258 colaboradores.
No entanto, para os demais indicadores
– exceto o LA13 –, o total utilizado será
94.240, que retrata o número total de
colaboradores sob gestão direta da
holding¹. (LA1)
2010
Nível hierárquico
2011
Total
Brasil
Exterior
Total
Diretoria
190
159
17
176
Gerência
15.853
14.799
839
15.638
Administrativo
52.616
51.226
3.192
54.418
Produção
39.403
32.233
2.253
34.486
Trainees
168
140
0
140
2.014
2.094
0
2.094
Aprendizes
Estagiários
1.534
1.386
54
1.440
Total sem terceiros*
111.778
102.037
6.355
108.392
Terceiros** (Perfil 2.2)
31.627
31.709
-
31.709
143.405
133.746
6.355
140.101
Total com terceiros
¹As controladas Itaú BBA, Redecard, Itaú Corretora, SFR e Previtec contam com gestão própria de seus colaboradores, que por esse motivo são considerados
nos indicadores LA1 e LA13.
* Inclui as unidades do Brasil e do exterior.
** Terceiro é todo aquele que não faz parte do quadro de funcionários do Itaú Unibanco. Ele pode estar em qualquer área do conglomerado, mas não
responde a nenhum nível hierárquico dentro da instituição. Ele está subordinado à sua empregadora (empresa contratada).
Em 2011, nosso quadro de
colaboradores sofreu uma redução de
3.498 pessoas, passando de 108.040
em dezembro de 2010 para 104.542
ao final de 2011. Esses desligamentos
ocorreram após uma reformulação
em operações que apresentavam
desempenho insatisfatório. Para
minimizar os impactos dessas
mudanças, criamos um centro de
reaproveitamento de profissionais, por
meio do qual recolocamos 1.646 pessoas
internamente. Também conversamos
Gerência
Brasil
Exterior
com os sindicatos e conduzimos todo o
processo com muita transparência.
A tabela abaixo apresenta as
informações dos colaboradores
que possuem contratos por tempo
indeterminado. Quanto ao tipo de
emprego, a única categoria que
engloba funcionários de meio período
é a de produção; as demais retratam
colaboradores que trabalham em
período integral. (LA1)
Administrativo
Produção
Total
Mulheres
Homens
Mulheres
Homens
Mulheres
Homens
Mulheres
Homens
Total
6.447
8.352
29.602
21.624
21.103
11.130
57.152
41.106
98.258
236
603
1.530
1.662
1.326
927
3.092
3.192
6.284
124
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Demais tipos de contrato (LA1)
Diretoria
Trainees
Aprendizes
Estagiários
Outros (especificar)
Mulheres
Homens
Mulheres
Homens
Mulheres
Homens
Mulheres
Homens
Mulheres
Homens
Brasil
12
147
45
95
1.483
611
720
666
1.527
3.740
Exterior
1
13
-
-
-
-
37
17
7
3
Em 2011 foram considerados apenas os
funcionários sob a administração da área
de pessoas para a divisão por região,
com um total de 94.240 colaboradores
próprios; para terceiros, não houve
alterações. (LA1)
Colaboradores próprios e terceiros
(LA1)
2010
Região
Próprios
2011
Terceiros
Próprios
Terceiros
Sul
9.341
4.009
8.306
3.171
Sudeste
81.269
24.026
74.981*
24.606
Centro-Oeste
3.962
1.146
4.081
1.204
Nordeste
6.530
2.149
5.637
2.354
Norte
1.214
297
1.235
374
Total
102.316
31.627
94.240
31.709
* Não inclui as empresas não administradas no Brasil dentro do Sudeste: IBBA, Redecard, Itaú Corretora,
Previtec e SFR.
Colaboradores próprios*
(LA1)
Mulheres
Região
Abaixo de
30 anos
Entre 30 e
50 anos
Homens
Acima de
50 anos
Abaixo de
30 anos
Entre 30 e
50 anos
Acima de
50 anos
Total
Sul
1.927
2.623
369
915
1.992
480
8.306
Sudeste
17.277
24.165
2.418
11.114
16.973
3.034
74.981*
419
307
7
288
198
16
1.235
Nordeste
1.714
1.656
105
884
1.129
149
5.637
Centro-Oeste
1.157
1.136
87
648
883
170
4.081
22.494
29.887
2.986
13.849
21.175
3.849
94.240
Norte
Total
* Banco Fiat S.A., Banco Itaucard, Dibens Leasing, Fai Financeira, Fina Prom Servs, Fic Promotora, Financeira Itaú, Fináustria Part, Hipercard, iCarros
Ltda., Itaú Seguros, Itaú UBB Hold, Itaú Unibanco, Itauleasing, Itauprev, Itauseg Saúde, Kinea, Luizacred, Marcep, Megabonus, Microinvest.
125
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Colaboradores por categoria (LA13)
Diretoria
2010
%
2011
%
190
0%
176
0%
Gerência
15.853
14%
15.638
14%
Administrativo
52.616
47%
54.418
50%
Produção
39.403
35%
34.486
32%
168
0%
140
0%
Aprendizes
Trainees
2.014
2%
2.094
2%
Estagiários
1.534
1%
1.440
1%
111.778
100%
108.392
100%
Total
Colaboradores por gênero (LA13)
2010
%
2011
%
Mulheres
64.978
58%
62.544
58%
Homens
46.800
42%
45.848
42%
111.778
100%
108.392
100%
Total
Colaboradores por gênero – tabela por nível hierárquico
(LA13)
2010
2011
Mulheres
%
Homens
%
Total
%
Mulheres
%
Homens
%
Total
%
Diretoria
13
7%
177
93%
190
100%
15
9%
161
91%
176
100%
Gerência
6.572
41%
9.281
59%
15.853
100%
6.683
43%
8.955
57%
15.638
100%
Administrativo
29.932
57%
22.684
43%
52.616
100%
31.132
57%
23.286
43%
54.418
100%
Produção
26.153
66%
13.250
34%
39.403
100%
22.429
65%
12.057
35%
34.486
100%
Trainees
53
32%
115
68%
168
100%
45
32%
95
68%
140
100%
Aprendizes
1.430
71%
584
29%
2.014
100%
1.483
71%
611
29%
2.094
100%
Estagiários
825
54%
709
46%
1.534
100%
757
53%
683
47%
1.440
100%
64.978
58%
46.800
42%
111.778
100%
62.544
58%
45.848
42%
108.392
100%
Total
126
Relacionamentos
Colaboradores
Proporção de
mulheres - Diretoria
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Proporção de
mulheres - Gerência
Proporção de mulheres Administrativo
43%
41%
57%
57%
66%
65%
2010
2011
9%
7%
2010
2011
Proporção de
mulheres - Trainees
32%
2010
2011
2010
Proporção de
mulheres - Aprendizes
71%
71%
2010
2011
2011
Proporção de
mulheres - Estagiários
2011
Colaboradores por faixa etária
Colaboradores
por faixa etária
2010
2011
(LA13)
%
2011
%
Abaixo dos 30 anos
45.823
41%
42.751
40%
Entre 30 e 50 anos
58.232
52%
57.834
53%
Acima dos 50 anos
7.723
7%
7.807
7%
111.778
100%
108.392
100%
7%
40%
Abaixo do 30 anos
Entre 30 e 50 anos
Acima dos 50 anos
58%
53%
2010
Total
Proporção de
mulheres - Total
58%
54%
32%
2010
53%
Proporção de
mulheres - Produção
2010
2011
127
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Relacionamentos
Colaboradores
Colaboradores por faixa etária – tabela por nível hierárquico (LA13)
2010
Colaboradores
por faixa etária
Abaixo
dos 30
anos
%
Entre 30
e 50 anos
%
Acima
dos 50
anos
%
Total
%
Diretoria
0
0%
112
59%
78
41%
190
100%
Gerência
1.163
7%
12.703
80%
1.987
13%
15.853
100%
Administrativo
17.106
33%
31.645
60%
3.865
7%
52.616
100%
Produção
23.841
61%
13.769
35%
1.793
5%
39.403
100%
Trainees
166
99%
2
1%
0
0%
168
100%
2.014
100%
0
0%
0
0%
2.014
100%
Aprendizes
1.533
100%
1
0%
0
0%
1.534
100%
Total
Estagiários
45.823
41%
58.232
52%
7.723
7%
111.778
100%
Colaboradores
por faixa etária
Abaixo
dos 30
anos
%
Entre 30
e 50 anos
%
Acima
dos 50
anos
%
Total
%
0
0%
126
72%
50
28%
176
100%
2011
Diretoria
Gerência
1.131
7%
12.616
81%
1.891
12%
15.638
100%
Administrativo
19.192
35%
31.277
57%
3.949
7%
54.418
100%
Produção
18.758
54%
13.811
40%
1.917
6%
34.486
100%
140
100%
0
0%
0
0%
140
100%
Aprendizes
Trainees
2.094
100%
0
0%
0
0%
2.094
100%
Estagiários
1.436
100%
4
0%
0
0%
1.440
100%
Total
42.751
40%
57.834
53%
7.807
7%
108.392
100%
Total de colaboradores negros* (LA13)
2010
%
2011
%
Mulheres
9.849
8,81%
8.553
7,89%
Homens
6.162
5,51%
5.863
5,41%
16.011
14,32%
14.416
13,30%
Total de negros
*Em relação ao total de colaboradores (LA1)
128
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Relacionamentos
Colaboradores
Colaboradores negros– tabela por nível hierárquico (LA13)
2010
2011
Mulheres
%
Homens
%
Total
%
Mulheres
%
Homens
%
Total
%
Diretoria
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
Gerência
354
0,32%
506
0,45%
860
0,77%
386
0,36%
527
0,49%
913
0,84%
Administrativo
2.992
2,68%
2.647
2,37%
5.639
5,04%
3.318
3,06%
2.831
2,61%
6.149
5,67%
Produção
6.241
5,58%
2.889
2,58%
9.130
8,17%
4.716
4,35%
2.452
2,26%
7.168
6,61%
Trainees
1
0,00%
3
0,00%
4
0,00%
1
0,00%
1
0,00%
2
0,00%
Aprendizes
192
0,17%
78
0,07%
270
0,24%
105
0,10%
41
0,04%
146
0,13%
Estagiários
69
0,06%
39
0,03%
108
0,10%
27
0,02%
11
0,01%
38
0,04%
9.849
8,81%
6.162
8.553
7,89%
5.863
5,41%
Total
5,51% 16.011 14,32%
14.416 13,30%
Total de colaboradores deficientes* (LA13)
2010
%
2011
%
Mulheres
2.020
1,81%
2.332
2,47%
Homens
2.093
1,87%
2.310
2,45%
Total de deficientes
4.113
3,68%
4.642
4,93%
*Em relação ao total de colaboradores – 94.240
Colaboradores deficientes– tabela por nível hierárquico (LA13)
2010
2011
Mulheres
%
Homens
%
Total
%
Mulheres
%
Homens
%
Total
%
Diretoria
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0,00%
0,00%
0
0,00%
Gerência
8
0,01%
29
0,03%
37
0,03%
32
0,03%
18
0,02%
50
0,05%
607
0,54%
661
0,59%
1.268
1,13%
908
0,84%
885
0,82%
1.793
1,65%
Produção
1.405
1,26%
1.403
1,26%
2.808
2,51%
1.392
1,28%
1.407
1,30%
2.799
2,58%
Trainees
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
Aprendizes
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
Estagiários
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
0
0,00%
2.020
1,81%
2.093
1,87%
4.113
3,68%
2.332
2,15%
2.310
2,13%
4.642
4,28%
Administrativo
Total
129
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Relacionamentos
Colaboradores
Em 2011, alcançamos a cota legal
de 5% de colaboradores com
deficiência, considerando as empresas
administradas pela área pessoas do Itaú
Unibanco. Não estão contempladas
neste grupo as empresas Redecard, Itaú
BBA, Itaú Corretora, SFR e Previtec.
Taxa de rotatividade (LA2)****
Desligamentos**
Mulheres
Rotatividade*
Taxa de rotatividade*** (%)
Homens
Mulheres
Abaixo Entre Acima Abaixo Entre Acima
de 30 30 e 50 de 50 de 30 30 e 50 de 50
anos
anos
anos anos
anos
anos
Sul
Homens
Total
Abaixo Entre
de 30 30 e 50
anos
anos
Acima
de 50
anos
Abaixo
de 30
anos
Entre
30 e 50
anos
Acima
de 50
anos
836
310
79
215
184
77
1.701
43,38% 11,82% 21,41%
23,50%
9,24%
16,04%
2.777
2.181
517
1.378
1.619
551
9.023
16,07%
12,40%
9,54%
18,16%
Norte
135
41
2
59
34
4
275
32,22% 13,36% 28,57%
20,49% 17,17% 25,00%
Nordeste
965
245
14
320
164
23
1.731
56,30% 14,79% 13,33%
36,20% 14,53% 15,44%
Centro Oeste
272
84
14
85
90
14
559
23,51%
13,12% 10,19%
4.985
2.861
626
2.057
2.091
669
Sudeste
Total
Sul
Mulheres
7,39%
21,38%
16,09%
13.289 22,16% 9,57% 20,96% 14,85%
Contratações
Novas
contratações*
9,03%
8,24%
9,87% 17,38%
Taxa de novas contratações (%)
Homens
Mulheres
Abaixo Entre Acima Abaixo Entre Acima
de 30 30 e 50 de 50 de 30 30 e 50 de 50
anos
anos
anos anos
anos
anos
Homens
Total
Abaixo Entre
de 30 30 e 50
anos
anos
Acima
de 50
anos
Abaixo Entre Acima
de 30 30 e 50 de 50
anos
anos
anos
562
129
1
324
132
1
1.149
29,16%
4,92%
0,27%
35,41%
6,63%
0,21%
4.287
1.044
13
3.215
1.026
8
9.593
24,81%
4,32%
0,54%
28,93%
6,04%
0,26%
Norte
170
10
-
146
18
-
344
40,57%
3,26%
0,00%
50,69%
9,09%
0,00%
Nordeste
436
92
1
293
66
-
888
25,44%
5,56%
0,95%
33,14%
5,85%
0,00%
Centro Oeste
398
68
-
247
73
1
787
34,40%
5,99%
0,00%
38,12%
8,27%
0,59%
5.853
1.343
15
4.225
1.315
10
0,50% 30,51% 6,21%
0,26%
Sudeste
Total
12.761 26,02% 4,49%
* Empresas relatoras: Banco Fiat S.A., Banco Itaucard, Dibens Leasing, Fai Financeira, Fic Promotora, Fina Prom Servs, Financeira Itaú, Fináustria Part, Hipercard, iCarros
Ltda., Itaú Seguros, Itaú UBB Hold, Itaú Unibanco, Itauleasing, Itauprev, Itauseg Saúde, Kinea, Luizacred, Marcep, Megabonus, Microinvest, Orbitall, Pro-Imóvel, Provar
Negócios e Trishop.
** Englobam desligamentos por demissão, aposentadoria ou morte em serviço.
*** O cálculo foi realizado com base no total de desligamentos pelo total de funcionários sob a administração da área de pessoas no final de 2011, que corresponde a
94.279 colaboradores (94.240 +39 expatriados).
**** Não é possível comparar os dados de 2010 com os de 2011 por conta da diferença de memória de cálculo e de escopo entre os anos. Em 2010, o cálculo de
turnover se deu pelo número total de desligamentos sobre a média dos funcionários. Em 2011, esse cálculo foi feito em relação ao total de colaboradores ao final do
período. Quanto ao escopo, em 2011, não foram contabilizadas as empresas cuja gestão de colaboradores não é realizada pela área holding, sendo elas: Itaú BBA, Itaú
Corretora, Redecard, Previtec e SFR.
130
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Relacionamentos
Colaboradores
Retorno ao trabalho e taxas de retenção após licença maternidade/
paternidade, por gênero (LA15)
Total de
Colaboradores em
relação à licença
maternidade/
paternidade*
Com direito Usufruíram
à licença** da licença
Retornaram ao
trabalho após o
término da licença***
Retornaram ao trabalho
após o término da
licença e permaneceram
empregados doze meses
após seu retorno
Taxa de retenção
dos colaboradores
que retornaram
ao trabalho após o
término da licença
Mulheres
2.718
2.718
2.715
2.576
99,89%
Homens
966
966
894
872
92,55%
*Por se tratar de um indicador novo da G3.1, não há histórico de resposta para anos anteriores.
**Foram consideradas licenças para maternidade, adoção e por aborto.
***Foram excluídos os casos de desligamento com um ou dois dias após o retorno.
Todos os acidentes são investigados
pela área de Segurança e Medicina do
Trabalho e analisados pela Previdência
Social, e as devidas ações são tomadas.
Em 2011, foram registrados três casos de
óbitos de empregados da organização
por ocorrências de acidentes de trajeto,
sendo dois femininos e um masculino.
Taxas de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos, absenteísmo e óbitos de
colaboradores próprios (LA7)
Total geral
2011
Taxas de saúde e segurança*
2010
Mulheres
Homens
Taxa de Lesões (TL)**
0,75
0,95
0,64
279,78
362,14
200,52
Taxa de Doenças Ocupacionais (TDO)
0,7
0,84
0,57
Taxa de Absenteísmo (TA)
0,90
1,12
0,70
Taxa de Dias Perdidos***(TDP)
*Empresas consideradas para este relato (limite): Itaú Unibanco, Hipercard, Itauprev, Itauleasing, Itaú Unibanco Holding, Banorte, Megabonus, Microinvest, Dibens, Provar
Negócios, Luizacred, Financeira Itaú, Maxfacil, Fináustria Part, Fina Prom Servs, Banco Fiat S.A., Trishop, Fic Promotora, Facilita, Fai, Total Serviços, Itaú Seguros, Itauseg Saúde,
Orbitall, Kinea, Banco Itaucard, iCarros Ltda., Dtvm, Pro-Imóvel, Marcep e Unibanco Prev.
Todas as informações são armazenadas em sistemas internos da área de pessoas do Itaú Unibanco (Ponto Eletrônico, SAP, SIGP, FPW) de onde os dados foram extraídos
para confecção dos dados estatísticos. Não houve diferenças na forma de cálculo do indicador do ano de 2010 para esse ano.
As informações são armazenadas em sistemas internos, onde elaboramos os dados estatísticos. Os dados foram extraídos dos sistemas internos da área de pessoas do Itaú
Unibanco, sendo: Ponto Eletrônico, SAP, SIGP, FPW.
**Para o cálculo desses resultados, foram considerados os óbitos no período deste relatório.
***Ao calcular “dias perdidos”, o banco considerou “dias” como “dias de trabalho programado”. Foram considerados afastamento acima de 15 dias por doença ocupacional,
inclusive acidente de trabalho.
As taxas não abrangem prestadores de serviços terceirizados.
131
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Gestão de talentos (LA11)
Consideramos talentos os colaboradores
com atuação exemplar na aderência
aos valores e à cultura da organização
(Nosso Jeito de Fazer) e na qualidade
diferenciada das entregas. A gestão
desses talentos ocorre de maneira
integrada, em todas as etapas
profissionais: contratação, treinamento
e desenvolvimento, avaliações de
performance e gestão de consequências.
Desenvolvemos programas voltados a
atrair e formar talentos de alto potencial,
principais fontes para suprir a demanda
de líderes no médio e no longo prazos.
Eles podem ser nacionais (estagiários
e trainees) ou internacionais (MBA
Recruiting, Programa de Patrocínio
de Mestrado no Exterior, Job Swap e
International Assignment).
Com foco na captação de talentos
do mercado, o MBA Recruiting busca
atrair, para oportunidades de fulltime
position e summer job, profissionais de
alto potencial que estejam finalizando
curso de MBA e mestrado nas melhores
universidades dos Estados Unidos e da
Europa. O programa oferece uma visão
do contexto da organização, permitindo
o aperfeiçoamento de habilidades
gerenciais e estimulando a inovação no
Itaú Unibanco.
Os profissionais contratados para fulltime
position são convidados a compor o
quadro da liderança da organização. Já
o summer job seleciona estudantes para
desenvolverem projetos focados em
determinada área do conglomerado, por
um período de três meses. Sua principal
estratégia consiste em avaliar estudantes
para contratação (fulltime position) ao
final do curso.
Em 2011, o processo seletivo para os dois
programas passou por uma reformulação
e realizamos o primeiro recrutamento
presencial, com visitas aos campi das
escolas de negócio. Executivos visitaram
11 universidades, proferiram palestras
sobre as diferentes áreas de negócio,
estreitaram o relacionamento com os
estudantes e entrevistaram cerca de
80 candidatos. Essa forma de atuação
possibilitou aprofundar os laços com as
universidades, bem como promover a
exposição da marca Itaú no exterior.
Outras oportunidades exploradas foram:
patrocínio de centros acadêmicos para
palestras e conferências; recepção
de universidades para palestras de
divulgação dos programas de MBA e
visita de alunos estrangeiros no Brasil
com interesse de conhecer a atuação do
Itaú Unibanco nesse setor.
O Programa de Patrocínio de Mestrado
no Exterior, por sua vez, busca
desenvolver nossos colaboradores
de alto potencial, com o objetivo
de prepará-los para assumir futuras
posições de liderança. Os participantes
recebem um incentivo para cursar MBA
acadêmico, MBA executivo ou mestrado,
durante um ou dois anos, nas mais bem
conceituadas universidades dos Estados
Unidos e da Europa.
Além do desenvolvimento de
habilidades gerenciais, a experiência
internacional permite que o profissional
tenha uma visão do contexto global
dos negócios e, por meio da troca de
experiências, conheça boas práticas
de gestão para aplicação no banco.
Ao longo dessa formação, que
corresponde a um período de licença
não remunerada, o participante conta
com um mentor, que tem por missão
ajudá-lo a manter uma visão atualizada
sobre a organização e a ampliar suas
expectativas de aperfeiçoamento e
desenvolvimento de carreira.
Em 2010, seis profissionais foram
contemplados com o patrocínio. Em 2011,
o processo seletivo contou com diferentes
etapas, considerando: indicações,
assessment, entrevistas com sócios e
associados e representantes da área de
pessoas e validação em Comitê Executivo.
Entre as 22 indicações, dez profissionais
foram contemplados com o patrocínio.
Desenvolvemos
programas
voltados a
atrair e formar
talentos de alto
potencial,
principais fontes
para suprir a
demanda
de líderes no
médio e no
longo prazos
132
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em 2011, implantamos um novo
programa para o desenvolvimento
de nossos colaboradores: o Job Swap
Em 2011, implantamos um novo
programa para o desenvolvimento de
nossos colaboradores: o Job Swap. Com
ele, buscamos preparar os profissionais
para um perfil de mobilidade
internacional e desenvolvê-los para
futuras posições de liderança, por meio
de oportunidades de atuação, que
têm duração de três a seis meses, em
unidades internacionais.
Durante o programa, o profissional
desempenha uma atividade em área
análoga à sua de origem, tendo a
oportunidade de participar de um
projeto estratégico para a unidade.
Realizam-se ações de desenvolvimento,
como treinamento intercultural e
acompanhamento de atividades do
cotidiano, para auxiliar na adaptação e
na compreensão do comportamento
em diferentes ambientes, com outros
valores, hábitos, formas de pensar
e condutas. Além disso, avalia-se a
evolução do colaborador no idioma
do local de destino. Em 2011, ainda
como projeto-piloto, foram mobilizados
cinco profissionais: um do Chile, um
da Argentina, um do Brasil e dois do
Paraguai. No ano de 2012, temos 16
projetos de Job Swaps confirmados e 16
em prospecção.
Uma ação de longo prazo com
foco internacional é o International
Assignment, que, assim como o Job
Swap, visa ao desenvolvimento do
perfil de mobilidade internacional, com
duração de um a quatro anos. Nesse
programa, o profissional assume uma
posição em uma unidade internacional,
passando a compor o quadro de
funcionários do local de destino.
Em 2011, tivemos um profissional
mobilizado e, para 2012, temos três
projetos confirmados.
Mantemos ainda diversos programas
voltados para o desenvolvimento das
competências dos nossos colaboradores.
Destacam-se:
• períodos sabáticos com reinserção
garantida, para licenças não
remuneradas. Qualquer colaborador
pode solicitar a licença por motivos
particulares, desde que os motivos
alegados sejam considerados
relevantes pelo diretor da área;
• serviços de colocação no mercado
de trabalho/assistência na transição
para uma vida sem trabalho, para
casos de outplacement patrocinado
pela empresa (comumente para nível
gerencial e executivo);
• curso de requalificação profissional
(reembolso de até R$ 974,06) para
bancários (a convenção coletiva
não especifica cursos, de forma que
são aceitos todos os tipos, inclusive
artesanato e culinária, entre outros);
• recapacitação para aqueles que
pretendem continuar trabalhando
(para categoria bancária).
133
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
A seguir, conheça outros programas
desenvolvidos pelo banco que
contribuem para o desenvolvimento dos
colaboradores e incentivam a busca pela
eficiência em 2011:
Agir (Ação Gerencial Itaú): é um
programa de metas voltado para as
equipes comerciais e operacionais, que
estabelece indicadores de resultados
e processos como geração de receita
e aumento de eficiência. Em 2011, o
programa passou por alterações, dando
maior peso aos indicadores de satisfação
de clientes e redução de reclamações no
Procon e no Banco Central (Bacen) para
definir os resultados de diretores e das
equipes que atuam na linha de frente.
Encontro entre Líderes: a segunda edição
do Encontro entre Líderes, realizada
em julho de 2011, em São Paulo, reuniu
cerca de 14 mil gestores que puderam
entender como e por que a meritocracia
e a eficiência foram eleitas como nossas
prioridades. Durante o evento, Roberto
Setubal, diretor-presidente, e Pedro
Moreira Salles, presidente do Conselho
de Administração, ressaltaram para os
gestores a importância desses dois temas
para o desenvolvimento da organização
e a disseminação dos nossos valores,
com vista a alcançarmos nossa visão.
Portas Abertas: implantado em
2010, esse é um programa no qual
os colaboradores se encontram com
presidentes e vice-presidentes, e, sem
pauta definida, fazem comentários e
apresentam sugestões de melhorias
para suas respectivas áreas. O Portas
Abertas é um importante canal para
ajudar na disseminação da cultura e
reforçar os valores da organização. Em
2011, foram realizadas 12 reuniões
Portas Abertas, das quais participaram
172 colaboradores – 34 sugestões de
melhoria foram aceitas.
Público do segundo Encontro entre Líderes*
Gestores por regiões - Brasil e Itaú Latam
0,3%
1,3%
5%
4,6%
10,3%
Sudeste
Sul
Nordeste
Centro-Oeste
Norte
78,5%
* Dados referentes ao total de público convocado.
Fonte: área de Cultura e Clima.
Itaú Latam
54% homens
46% mulheres
134
Relacionamentos
Colaboradores
Clique Conhecimento: essa é a nova
plataforma de educação a distância
desenvolvida para o aprendizado
e a capacitação dos colaboradores.
Elaborada com tecnologia de ponta, em
um processo que durou dois anos, essa
ferramenta permite a navegação em um
ambiente mais amigável, a impressão
dos certificados de cursos já realizados e
o compartilhamento dos conhecimentos
adquiridos. Também é possível pesquisar
as ofertas de aprendizado disponíveis
de maneira simples e rápida e participar
de fóruns com especialistas criados sob
medida para cada área.
Educação e treinamento (LA8)
Desenvolvemos ações e programas
com foco em educação para a saúde
e treinamento, aconselhamento e
prevenção de riscos para nossos
colaboradores, seus familiares e, em
alguns casos, para as comunidades
de entorno. Oferecemos, ainda,
tratamentos para funcionários e seus
dependentes. Dentre as iniciativas,
destacam-se:
Programa Momento Saúde
No eixo de Educação para a Saúde,
procuramos divulgar aos colaboradores
informações científicas sobre temas
ligados às dimensões física, psicológica,
social e organizacional dos cuidados
com a saúde. Em 2011, realizamos
publicações em diversas mídias internas,
abordando um dos seguintes temas por
mês: “Época de mais dengue”; “Feriados”;
“Dimensões da vida”; “Espiritualidade:
modismo ou necessidade?”; “Entenda
o rótulo dos alimentos”; “A família
mudou?”; “Psicoterapia para quê?”;
“Saúde do coração”; “Ansiedade,
controlar é preciso”; “Novidades na luta
contra a Aids”; e “Fraternidade faz bem”.
Com o sucesso do folheto impresso
Momento Saúde, o incorporamos à
revista corporativa Itaú Unibanco,
que, passou a publicar artigo mensal
com esse título. Ao mesmo tempo,
publicamos um folheto digital, disponível
para download na intranet, e enviamos
cartazes para todas as agências e PABs,
onde é mais difícil acessar a intranet. Para
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
os para deficientes visuais, há uma versão
em áudio do folheto digital. Realizamos,
ainda, um evento interativo e lúdico,
nos principais polos administrativos,
denominado “O lado bom do estresse é
prevenir”.
Prevenção de transtornos mentais
Atendendo ao tema saúde mental,
iniciamos, no final de 2011, o
atendimento psicológico presencial
para acolher e orientar nossos
colaboradores no ambiente de
trabalho. O serviço pode ser utilizado
por procura espontânea ou mediante
encaminhamento dos profissionais
de saúde do ambulatório médico.
Oferece, gratuitamente, psicólogos
especializados no controle do estresse e
da depressão, entre outras necessidades,
nos polos administrativos de São Paulo
localizados no bairro do Jabaquara, que
possuem cerca de 10 mil colaboradores,
e nos polos que concentram centrais
de atendimento, como nos bairros
paulistanos do Tatuapé, com cerca de 5
mil colaboradores, e da Vila Leopoldina,
com cerca de 4 mil.
Teste Dimensões da Vida
Disponível na intranet desde maio
de 2011, o teste de autoavaliação
“Dimensões da Vida” busca avaliar
o perfil de saúde individual nas
dimensões física, emocional, social,
profissional e financeira. A partir do
resultado, apresentado em um gráfico,
o colaborador pode planejar melhorias
para obter mais equilíbrio entre as
dimensões. Houve mais de 8 mil acessos
ao teste até dezembro.
Debates
Anteriormente parte do programa Saúde
da Mulher, o Debates teve seu escopo
ampliado, para tratar do tema saúde
mental mais diretamente, abrangendo
todos os colaboradores. Os debates
ocorreram no auditório da nossa maior
unidade, no bairro do Jabaquara, cidade
de São Paulo, e foram transmitidos ao
vivo, online, para democratizar o acesso
aos colaboradores de outros polos. Uma
versão editada permaneceu disponível
na internet por três meses. Em 2011, os
temas abordados foram:
No Programa
Portas
Abertas, os
colaboradores
se encontram
com
presidentes
e vicepresidentes
para fazer
comentários
e apresentar
sugestões de
melhorias
para suas
respectivas
áreas
135
Relacionamentos
Colaboradores
• “Espiritualidade: modismo ou
necessidade?” – contou com a
participação do psiquiatra Alexander
Moreira-Almeida e do frade
dominicano Frei Betto, com mediação
do jornalista Ernesto Paglia. Assistiram
presencialmente 160 colaboradores e,
pela internet, 1.171. Solicitaram o DVD
do evento 480 colaboradores;
• “Ansiedade: controlar é preciso” –
com a participação do psiquiatra
Márcio Bernik e a mediação da
jornalista Lorena Calábria. Assistiram
presencialmente 140 colaboradores e,
pela internet, 1.109. Solicitaram o DVD
do evento 307 colaboradores.
Câncer de pulmão e de boca – Programa
Quero Parar de Fumar
Cumprindo a meta de 2011, o Quero
Parar de Fumar, programa de apoio
e tratamento para o abandono do
tabaco, passou por avaliação. O índice
da satisfação dos que participaram do
atendimento em grupo foi de 83%, e o
dos que participaram do atendimento
individual alcançou 92%.
A demanda por tratamento individual
mostra que a decisão de oferecer
as duas modalidades, respeitando a
diversidade dos colaboradores, foi
acertada. Tanto no tratamento individual
como no em grupo, o acesso aos
medicamentos é gratuito, para facilitar a
adesão e o sucesso da iniciativa.
Em 2011, participaram do programa
127 colaboradores, dos quais 73
completaram um ano de tratamento –
entre eles, 22 pararam de fumar (30%).
Considera-se sucesso no abandono do
uso do tabaco apenas quem parou por
mais de um ano.
DST/Aids
Mantendo o compromisso de abordar
o tema na agenda corporativa, no dia
1º de dezembro – Dia Mundial de Luta
contra a Aids –, publicamos na Revista
Itaú Unibanco a matéria “Novidades na
luta contra a Aids”. A matéria divulgou
a disponibilidade para locação do DVD
“Se liga aí” – que aborda questões
sobre comportamento sexual seguro
para a população jovem – e também
apresentou informações sobre as
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
últimas pesquisas, o combate ao
preconceito e um pouco da história
do programa do banco, iniciado em
1987. Essa iniciativa garante, desde o
seu lançamento, sigilo e privacidade, a
não discriminação e a manutenção de
benefícios médicos e psicossociais.
Programa Saúde da Mulher
O programa considera as necessidades
de saúde específicas que surgem nas
várias fases da vida da mulher e as
doenças que podem ser prevenidas ou
tratadas precocemente. Destacam-se as
seguintes ações:
Gripe comum + H1N1 – Vacinação no
posto de trabalho
De 101.763 colaboradores elegíveis,
48.570 (48%) receberam a vacina contra
a gripe comum e a H1N1, entre maio
e junho de 2011. O índice foi menor
que o de 2010 (60,3%), apesar de ter
sido mantida a oferta de vacinação
no próprio posto de trabalho ou por
reembolso.
•C
âncer de Colo de Útero e Mama
– Consultório da Mulher. Busca a
detecção precoce da infecção pelo
HPV e a prevenção do câncer de
colo de útero, além da prevenção do
câncer de mama, com a facilidade
da realização de consultas e exames
ginecológicos no ambiente de
trabalho. Em 2011, 1.947 colaboradoras
foram atendidas no “Consultório da
Mulher” e detectaram-se 41 casos de
infecção pelo HPV, dos quais 11 casos
já apresentavam modificações celulares
em colo de útero causadas pelo vírus.
Mesmo considerando o custo dos
exames para o plano de saúde, que não
é alto, um estudo realizado em 2011
demonstrou uma redução de 35% nos
custos devido à campanha realizada
no Itaú Unibanco, além da vantagem
intangível de facilitar às colaboradoras
o acesso a um serviço essencial no
próprio ambiente de trabalho.
Meningite – Vacinação
Em setembro de 2011, por causa da
ocorrência de surtos localizados de
meningite, oferecemos orientações e
auxílio na logística da vacinação contra
a meningite C em Itaberaba (BA). Em
outubro, realizamos vacinação contra
meningite C para colaboradores das
cidades de Ouro Branco, Conselheiro
Lafaiete e Congonhas, no Estado de
Minas Gerais.
Hipertensão arterial – Campanha de
aferição da pressão arterial
A campanha “Blitz Hipertensão” percorre
os principais prédios administrativos,
aferindo a pressão arterial de
colaboradores e terceiros no posto
de trabalho, com o objetivo de alertar
sobre essa doença silenciosa. Em 2011,
a abrangência da campanha aumentou
significativamente e representou
67,3% da população-alvo. Realizamos
23.537 aferições, alcançando a meta de
melhorar a eficiência do processo com o
acompanhamento dos casos de pressão
alterada identificados. Em 20 polos
administrativos, 1.347 colaboradores
apresentaram medidas alteradas, dos
quais 1.062 foram orientados a realizar
outras duas medidas pressóricas.
Posteriormente, o Fique OK (programa
de apoio pessoal da empresa) contatouos para orientação, com subsequente
acompanhamento por um serviço
médico contratado pelo plano de saúde.
•P
roblemas na gravidez e no parto –
Curso Bebê a Bordo. Ultrapassamos a
meta para 2011, realizando 12 cursos
para gestantes e seus parceiros, todos
com excelente avaliação dos 1.436
participantes: média de 99,6% de
satisfação. Dirigido aos colaboradores
da Grande São Paulo, Rio de Janeiro,
Belo Horizonte e Curitiba, o curso
conta com uma equipe multidisciplinar
e aborda os principais aspectos da
gravidez, com enfoque na dinâmica
familiar. Aqueles que não têm acesso
ao curso presencial podem solicitar
a apostila elaborada pela equipe do
curso. Em 2011, enviamos 404 apostilas
para colaboradores.
• L ivros. Enviado aos colaboradores
solicitantes de todo o Brasil, o livro Os
segredos de uma encantadora de bebês
é focado no desenvolvimento infantil
e visa orientar pais de crianças de até
1 ano de idade. Já o Manual do grávido
136
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
O Programa de Nutrição visa incentivar um estilo
de vida mais saudável e escolhas que melhorem
a qualidade de vida de nossos colaboradores
traz orientações de pais à espera de
seus filhos. Em 2011, 401 livros foram
enviados em cada tema.
• Desmame precoce e depressão
pós-parto – Bebê em Casa. Em
continuidade ao programa “Bebê à
Bordo”, o programa “Bebê em Casa”
foi implantando em 2011, com foco
na saúde da criança e no apoio à
família de colaboradores com recémnascidos. Disponibilizado inicialmente
a funcionários da cidade de São
Paulo, oferece visita domiciliar por
enfermeira especializada em pósparto, que observa as necessidades
do bebê e da família e aborda
questões relativas ao aleitamento
materno, primeiros cuidados com o
bebê e desenvolvimento esperado
para recém-nascidos. Em casos
de depressão pós-parto, presta-se
orientação especializada. Se necessário,
pode auxiliar nos encaminhamentos
para serviços de referência, como
Fique OK e/ou plano de saúde. Em
2011, ocorreram 27 atendimentos, em
dezembro. A meta para 2012 é atender
pelo menos 700 famílias.
Acidentes na infância – Curso de
Primeiros Socorros
Durante os cursos Bebê a Bordo,
colaboradores que são pais ou futuros
pais manifestaram interesse no tema
“Primeiros Socorros na Infância”.
Assim, em 2011, implantamos um
curso que atingiu 99,5% de satisfação
entre os participantes. Nos dois cursos
ministrados presencialmente, no polo do
Jabaquara (zona sul da capital paulista),
participaram 188 pessoas. Enviamos 672
apostilas e 1.159 DVDs com o conteúdo
do curso a colaboradores de todo o
Brasil, que os solicitaram.
LER/Dort – Programa de Ginástica
Laboral
Desenhado especificamente para os
mais de 7.730 operadores, atendentes
e analistas de todas as centrais de
atendimento localizadas no Rio de
Janeiro e em São Paulo, o programa
conta com a adesão formal de 93% dos
colaboradores (7.180 funcionários), mas
apenas 26% (1.910) têm participado,
realizando, em média, quatro aulas de
ginástica laboral por mês, embora seja
oferecido o mínimo de oito aulas/mês.
Programa de Nutrição
Destinado a incentivar um estilo de vida
mais saudável, escolhas que melhorem
a qualidade de vida e o tratamento de
patologias que podem ser controladas
ou extintas mediante acompanhamento
clínico, oferecemos um programa de
nutrição que trata de temas como:
• Doenças crônicas e gestantes –
Atendimento clínico nutricional.
Em nossos ambulatórios com maior
concentração de colaboradores,
oferecemos atendimento clínico
nutricional para aprimorar o
tratamento dos funcionários com
doenças crônicas e prevenir problemas
nas gestantes. Realizamos 2.332
atendimentos para 626 colaboradores,
com satisfação média de 95,8%.
Houve maior incidência de apoio ao
tratamento de colesterol elevado
(21%), acompanhamento de gestantes
(13%) e diabetes/glicose alta (11%).
Em 2011, os tratamentos registraram
maior adesão, com diminuição de
2,3% das faltas ao longo do ano. Para
apoiar os médicos dos ambulatórios
em seus atendimentos, foi elaborada
uma cartilha sobre gastrite e refluxo,
oferecida aos pacientes para orientação
nutricional específica para essas
doenças.
• Alimentação saudável – Oficinas de
culinária light. Encontros de duas horas
e meia após o expediente de trabalho
para grupos de 50 pessoas. Neles,
os colaboradores aprendem a fazer
29 receitas saudáveis. Essas oficinas
foram realizadas em quatro polos
administrativos de São Paulo e Rio de
Janeiro, registrando 942 participações e
99,7% de satisfação.
• Emagrecimento com saúde. A parceria
entre o banco e o grupo Vigilantes
de Peso favoreceu a participação de
nossos colaboradores no programa de
emagrecimento a preços mais acessíveis.
As reuniões coletivas organizadas pelo
grupo são voltadas à orientação para
o emagrecimento saudável. Em 2011,
ampliamos a parceria em todo Brasil, o
que ampliou o número de adesões, que
passaram de 176 em 2010 para 453 em 2011.
•P
alestra – “Nutrição para mais qualidade
de vida”. Na procura por atendimento
clínico no ambiente de trabalho, é
comum recebermos casos unicamente
para emagrecimento. Com foco nesse
público, promovemos a palestra “Nutrição
para mais qualidade de vida”, que contou
com a presença de 162 colaboradores.
Dependência Química – Programa
Depende de Você
Programa implantado em 2010,
disponibiliza na intranet informações
sobre dependência química (incluindo
o alcoolismo), divulga canais de apoio
internos e externos para tratamento,
disponibiliza e-learning na grade de
desenvolvimento de cada colaborador
e oferece a cartilha Depende de Você. A
intenção é estimular os colaboradores
com problemas a procurarem ajuda, assim
como capacitar o gestor a lidar melhor com
as situações no local de trabalho.
137
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Para oferecermos produtos e serviços
adequados a nossos clientes, precisamos
que nossas equipes tenham clareza
e consciência sobre os conceitos
de educação financeira
Educação financeira (FS16)
Para oferecermos produtos e serviços
adequados a nossos clientes,
precisamos que nossas equipes
tenham clareza e consciência sobre
os conceitos de educação financeira
e os apliquem na sua vida pessoal e
profissional. Dessa forma, podemos
disseminar esse tema – que é
um dos focos de nosso Mapa de
Sustentabilidade – para dentro e para
fora do banco.
• J ogo sobre Uso Consciente do
Dinheiro em comunidades carentes.
Formamos 777 colaboradores
voluntários para aplicação do jogo
de UCD, que busca levar a educação
financeira para jovens de comunidades
carentes. Fizemos o jogo em 29
organizações, impactando diretamente
550 pessoas, entre funcionários,
comunidade e familiares.
Em 2011, investimos aproximadamente
R$ 114 milhões em treinamentos para
nossos colaboradores* (LA10)
Horas de treinamentos
Veja a seguir alguns dos programas e
iniciativas:
• Programa de Educação Financeira
para Colaboradores. Com
participação voluntária, pretende
apoiar os colaboradores para que
façam escolhas financeiras mais
conscientes e apliquem os conceitos
de uso consciente do dinheiro (UCD)
no seu dia a dia profissional e em sua
vida pessoal. Em 2011, o programa
abrangeu três e-learnings, artigos
mensais na revista e no portal interno,
um chat e um ciclo de palestras (11
palestras, em polos variados). Mais de
80 mil colaboradores se cadastraram
no e-learning, que foi oferecido a
95 mil funcionários. Realizamos a
formação de 200 multiplicadores
internos (colaboradores capacitados
para falar sobre o tema interna e
externamente).
Média de horas de treinamento por ano
Média de horas de
treinamento
por colaborador
Mulheres
Homens
Total
185.054,74
213.665,78
398.720,52
29,86
27,60
28,60
Administrativo 1.126.917,80
785.278,22
1.912.196,02
39,53
38,46
39,08
Produção
307.049,48
198.362,10
505.411,58
14,69
18,21
15,89
Trainees
9.057,38
15.394,01
24.451,39
232,24
236,83
235,11
Estagiários
34.509,43
28.616,81
63.126,24
51,74
48,50
50,22
29,52
31,26
30,24
Gerência
Total
1.662.588,83 1.241.316,92 2.903.905,75
Mulheres Homens
Total
* Empresas consideradas: Banco Fiat S.A., Banco Itaucard, Dibens Leasing, Fai Financeira, Fic Promotora, Fina
Prom Servs, Financeira Itaú, Fináustria Part, Hipercard, iCarros Ltda., Itaú Seguros, Itaú UBB Hold, Itaú Unibanco,
Itauleasing, Itauprev, Itauseg Saúde, Kinea, Luizacred, Marcep, Megabonus, Microinvest, Orbitall, Pro-Imóvel,
Provar Negócios e Trishop.
138
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Análise de desempenho
Todos os nossos colaboradores (94.279
funcionários próprios, baseados no Brasil,
dos quais 38.906 são homens e 55.373,
mulheres) estão inseridos em algum
modelo de avaliação de desempenho.
Do total de colaboradores: (LA12)
• aproximadamente 53 mil estão no
Programa de Gestão de Performance;
• os demais estão inseridos em
programas como o AGIR (rede de
agências e áreas comerciais) ou
programas próprios de avaliação
de desempenho, considerando a
especificidade do negócio. (LA12)
O modelo de apuração dos resultados
busca avaliar o desempenho individual,
com base em metas predefinidas. Ele se
baseia em um Balanced Scorecard, no
qual os diretores e os superintendentes
descrevem suas metas nas seguintes
dimensões: Financeira, Satisfação do
Cliente, Processo e Gestão de Pessoas.
A partir dessas definições, o modelo
é aplicado aos demais níveis da
organização (gerentes, coordenadores,
especialistas e equipes). (LA12)
Proporção de salário base e remuneração entre mulheres
e homens, discriminados por categoria funcional
e por operações em locais significativos (LA14)
Salário base mulheres/homens*
2010
2011
Diretoria
0,99
1,01
Gerência
0,94
0,94
Administrativo
0,97
0,94
Produção
0,96
0,93
Trainees
1
1
Aprendizes
1
1
Estagiários
1
1
*Proporção entre o salário base para mulheres e o salário base para homens em cada categoria funcional.
Todos os
nossos
colaboradores
estão inseridos
em algum
modelo de
avaliação de
desempenho
139
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Benefícios
Todos os benefícios oferecidos aos
trabalhadores de tempo integral
são também disponibilizados aos
colaboradores de meio período (com
exceção dos benefícios de check-up
a folha de pagamento do banco
e adquire o direto aos benefícios.
Dentre eles, podemos citar o fundo de
aposentadoria, os produtos bancários,
o clube para funcionários e familiares,
e estacionamento). O Itaú Unibanco
não utiliza contratos específicos para
trabalhadores temporários. A partir
do momento em que um funcionário
é contratado, ele passa a integrar
Planos de pensão (EC3)*
FUNDAÇÃO ITAUBANCO
PAC
Itaubanco
CD
- Plano de pensão de benefício definido (BD)
- Outro tipo de benefício
BD
CD
BD
CD
BD
BD
CD
Ativos:
1.700
16.373
24
25
382
1.669
8.402
Assistidos*:
3.905
1.337
3
4
271
2.724
526
Autopatrocinados:
1.604
2.394
7
5
51
297
100
Vinculados (BPD):
941
615
24
13
19
11
956
475
666
3
0
37
50
1.005
8.625
21.385
61
47
760
4.751
10.989
Número de participantes
Em fase de opção:
TOTAL
Obrigações do
empregador
atendidas
Estimativa
através de um
fundo detido
e mantido
separadamente
dos recursos da
organização
Plano
Porcentagem
Pelo empregado
de salário
contribuída:
Pelo empregador
LAM BD LAM CD FRANPREV
Plano
002
Futuro
Inteligen
Planos de pensão
Obrigação atuarial
R$ 4.147,57 R$ 4.306,54 R$ 13,74 R$ 11,62 R$ 188,70 R$ 1.536,81
(em milhões de reais)
R$ 722,7
Ativos do plano (em
milhões de reais)
R$ 733,5
Cobertura
R$ 4.610,85 R$ 4.306,54 R$ 15,17 R$ 11,62 R$ 189,66 R$ 1.501,22
100%
100%
100%
100%
100%
97%
100%
Base de cálculo da
estimativa e data da
estimativa
Estudo
específico
(Avaliação
atuarial),
em
31/12/2011
Cobertura
O fundo tem 100%
de cobertura pelo
plano
SIM
SIM
SIM
SIM
SIM
SIM
PAC
Itaubanco
CD
0%
1,17%
0%
4,20%
0,04%
5,25%
3,92%
0,117%
0,88%
0,39%
1,46%
2,72%
7%
7,83%
Estudo e
SIM
FUNDAÇÃO ITAUBANCO
LAM BD LAM CD FRANPREV
Plano 002
Futuro
Inteligen
* Para a cobertura total de fundo há contratos de amortização de déficit firmado com o patrocinador, com conclusões para: UBBPrev – jun/2020; BANORTE – dez/2023; BEMGEPREV – dez/20
o
nte
140
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
o plano de saúde, o benefício farmácia
(convênio com a Droga Raia) e parcerias
do banco com outras empresas para
oferecer descontos especiais aos
colaboradores. (LA3)
UBB PREV
BANORTE
FUNBEP
PREBEG
BEMGEPREV
ITAUBANK
IFM
Básico
IJMS
Plano I
Plano II
Plano I
Plano II
Plano
Plano
Plano
Itaú BD
Itaú CD
BD
BD
BD
BD
BD
CD
BD
BD
CD
BD
CD
0
5
0 7
1.569
24
505
0 1.962
1.561
746
7
332
0
547
5.058
1
1.397
1.185
107
110
70
0
0
0
0
15
0
5
0
95
26
70
0
0
0
0 200
0
18
0
993
1.016
249
5
0
0
25
71
0
5
0
54
64
164
9
7
337
25
554
6.913
25
1.930
1.185
3.211
2.777
1.299
77
R$ 1,06
R$ 38,80
R$ 151,00
R$ 3.339,00
-
R$ 845,00
R$ 259,00
R$ 411,68
R$ 137,87 R$ 120,48
53
R$ 41,80
R$ 14,00
R$ 70,70
R$ 3.297,60
-
R$ 1.050,00
R$ 251,29
R$ 411,68
R$ 163,00 R$ 121,00
100%
36%
47%
98%
100%
100%
100%
100%
2
%
0
Plano não
possui
compromissos
atuariais
específico (Avaliação atuarial), Estudo específico (Avaliação
em 31/12/2011
atuarial), em 31/12/2011
o
nte
SIM
NÃO
UBB PREV
SIM
NÃO
BANORTE
Estudo específico
(Avaliação atuarial),
em 31/12/2011
Estudo
Estudo
específico
específico
(Avaliação
(Avaliação
atuarial),
atuarial), em
em
31/12/2011
31/12/2011
Estudo
específico
(Avaliação
atuarial), em
31/12/2011
SIM
SIM
SIM
NÃO
SIM
FUNBEP
PREBEG
BEMGEPREV
ITAUBANK
100%
100%
Estudo específico
(Avaliação atuarial),
em 31/12/2011
SIM
SIM
IFM
Básico
IJMS
Plano I
Plano II
Plano I
Plano II
Plano
Plano
Plano
Itaú BD
Itaú CD
%
0%
0%
N/A
7,40%
6,54%
4,91%
9,14%
N/A
2,65%
0%
2,68%
%
0%
2,7MM
N/A
11 MM
13,08%
7,00%
20,34%
314 mil
3,47%
5,48%
1,50%
021. Os planos PAC, FRANPREV, Básico, IJMS e Itaú BD são de contribuição compulsória; todos os demais são voluntários.
141
Relacionamentos
Colaboradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Saúde e segurança
Os 21 polos administrativos do Itaú
Unibanco possuem Comissão Interna
de Prevenção de Acidentes (Cipa)
representando 33% dos nossos
colaboradores, o equivalente a 31.641
pessoas, dentre os 94.240 colaboradores
contabilizados em 2011. Conforme
a legislação brasileira, as Cipas estão
instaladas apenas em unidades com
mais de 100 trabalhadores. (LA6)
Essas comissões se reúnem
mensalmente para tratar de assuntos
relacionados à segurança do ambiente
de trabalho, discutir e sugerir
medidas de prevenção. O número de
representantes de cada Cipa depende
do total de colaboradores do polo
administrativo. Com mandato de 12
meses, 50% dos membros das Cipas
devem ser eleitos por votação; a
outra metade deve ser indicada pelo
empregador. Todos participam de um
curso de formação de membro de Cipa
– um treinamento presencial, ministrado
por um técnico ou engenheiro de
segurança no trabalho. (LA6)
Apesar de não contar com Cipa, cada
agência possui um “Responsável por
Segurança no Local de Trabalho”,
conforme determina a legislação. Esse
colaborador ocupa os cargos de gerente
de Operações e chefe de serviço e
realiza um e-learning anual, que aborda
noções básicas de saúde e segurança no
local de trabalho – como a análise das
condições do mobiliário e do ambiente
de trabalho para prevenir acidentes e
proteger a saúde dos funcionários. O
treinamento é ministrado sempre que
ocorre a promoção ou admissão de
novos colaboradores para os cargos
mencionados. (LA6)
Alguns temas relativos a saúde e
segurança dos trabalhadores são
abordados por acordos com sindicatos:
(LA9)
• equipe multiprofissional para debater
políticas de prevenção, campanhas
educacionais e de esclarecimentos sobre
Aids (CCT 2011/12); (LA9)
• Comitê de Acompanhamento do
Plano de Saúde, com a finalidade de
acompanhar o índice de sinistralidade
e discutir ações educativas sobre saúde,
custeio, coberturas e rede credenciada,
entre outros; (LA9)
• comissão paritária entre bancários
e empregadores para discutir
saúde, procedimentos previstos no
Programa de Controle Médico e Saúde
Ocupacional (PCMSO), exames e Semana
Interna de Prevenção de Acidentes de
Trabalho (Sipat) (CCT 2011/12). (LA9)
Medidas contra a discriminação
Em 2011, foram relatados cinco casos de
assédio sexual, 24 de assédio moral, um
de discriminação e dois de assédio moral
e sexual, totalizando 32 casos. Entre
esses 32 casos analisados, apenas um
ainda está em andamento. O aumento
de casos em relação a 2010, quando
houve um único relato de discriminação,
deve-se à nova forma de classificação
adotada. Essa alteração passou a
qualificar dois tipos de discriminação:
moral e sexual. Dessa forma, passaram a
ser contabilizados como discriminação
casos que anteriormente eram
classificados apenas como assédio. (HR4)
Todas as ocorrências foram analisadas
e resolvidas internamente por meio de
procedimentos de reparação, com base
em apoio psicológico e institucional ao
colaborador discriminado – nenhuma
acarretou processo judicial. O Itaú
Unibanco possui políticas e práticas
que coíbem atos de discriminação e
preconceito. (HR4)
Temos um canal de denúncias que existe
para tratar cada caso especificamente.
Em 2011, foi realizada uma campanha
preventiva, incentivando as pessoas a
procurar a área de Ética e Ombudsman
para aconselhamento e resolução de
dúvidas. (HR4)
Em todos os casos de denúncias, é
tomada uma série de medidas. Se o
caso constituir reincidência (já houve
reclamação envolvendo as pessoas
citadas), o gestor (superior hierárquico
do envolvido) e a consultoria de
pessoas são comunicados e recebem
uma sugestão de como atuar no caso.
Monitoram-se as providências adotadas.
(HR4)
Se não configurar uma reincidência,
o gestor e a consultoria de pessoas
recebem a comunicação de que
a Ombudsperson atuará no caso
(apuração in loco, se for necessário).
O resultado pode ser o desligamento
do infrator (para casos mais graves),
uma mudança de área ou uma sanção
disciplinar, conforme a RP29 (Política
de Aplicação de Medidas Disciplinares
do Itaú Unibanco), de conhecimento
de todos os colaboradores, em que está
relatado o que pode ser feito em cada
caso. (HR4)
Há também o programa Fique Ok,
que presta orientação psicológica ao
colaborador. Trata-se de um Programa
de Apoio Pessoal, disponibilizado
para todos os colaboradores da
organização e seus dependentes
(cônjuge, filhos, pais e irmãos) que
oferece uma estrutura completa de
suporte, com psicólogos, assistentes
sociais, advogados, nutricionistas,
fisioterapeutas e personal trainer, entre
outros. Se houver necessidade de um
atendimento presencial, disponibiliza-se
uma rede credenciada de profissionais,
com valores diferenciados para
colaboradores e seus familiares. (HR4)
O atendimento é feito por telefone, 24
horas por dia (inclusive madrugadas e
fins de semana, em caso de emergência),
de forma rápida, gratuita e confidencial.
Basta ligar para 0800 7732930. (HR4)
Em alguns polos administrativos,
os colaboradores contam com
atendimento presencial de um
assistente social. (HR4)
142
Relacionamentos
Colaboradores
Reconhecimentos
Reconhecer e premiar os colaboradores
que apresentaram desempenho
acima da média, ideias inovadoras e
boas práticas compõem outro eixo
para a validação da meritocracia que
praticamos. Os principais projetos para a
valorização das equipes são:
Prêmio Walther Moreira Salles
A 11ª edição do Prêmio Walther Moreira
Salles, realizada em 2011, contou com
a inscrição de mais de 1.300 projetos
(três vezes mais do que no último
ano) em cinco categorias: Eficiência,
Inovação, Qualidade no Atendimento,
Sustentabilidade e Gestão de Pessoas.
Os vencedores, escolhidos após etapas
de avaliação e de votação secreta e
individual dos membros do Comitê
Executivo na última etapa, foram:
Categoria Eficiência: Migração Física das
Agências
Categoria Inovação: OCA Cel –
Pagamentos e Consultas pelo celular
Categoria Sustentabilidade: Construindo
a Sustentabilidade com o Cliente
Categoria Qualidade no Atendimento:
Melhor Banco de Câmbio do Brasil
Categoria Gestão de Pessoas: Waldemar
Wiltemburg dos Santos
Essas equipes e colaboradores
realizaram projetos cujos resultados
se destacaram no ano e estavam
completamente alinhados com o
Nosso Jeito de Fazer. A entrega dos
prêmios ocorreu na Sala São Paulo, e os
ganhadores receberam troféus e ações
do Itaú Unibanco.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Programa de Sócios e Associados
Lançado em 2010, é um projeto inovador
que busca valorizar os colaboradores
que se destacam por apresentar uma
performance consistente, liderança
positiva e adesão aos valores do banco.
Os sócios e associados são eleitos ao
final de criterioso processo de avaliação,
e podem investir parte de seu bônus
em ações da holding, recebendo
contrapartidas da empresa quando o
fazem. Dois aspectos são fortemente
considerados nessa escolha: o resultado
do contrato de metas e o alinhamento
ao Nosso Jeito de Fazer. Em 2011, foram
eleitos 20 associados e 7 sócios.
Ética e respeito
A transparência no relacionamento com
nossos colaboradores é assegurada
também por mecanismos que auxiliam
a construir um ambiente de trabalho
regido por códigos de conduta e de
ética claros, que oferece oportunidades
justas e canais de comunicação sempre
disponíveis para auxiliar na resolução
de conflitos. O principal entre esses
canais é a Superintendência de Ética
e Ombudsman, voltada para a orientação
e o aconselhamento de colaboradores
diante de dilemas éticos ou conflitos de
relacionamento.
Como forma de disseminar o código de ética
do banco e explicar o papel da área de Ética
e Ombudsman, promovemos, em 2011, a
Semana de Ética e Ombudsman, além de
chats, sessões de e-learning para gestores e
palestras. Para as equipes das agências, foi
realizado o Bate-Papo com o Ombudsman.
Todos os anos, são realizados mais de 2 mil
atendimentos.
Outra ferramenta importante nesse processo
é a realização da pesquisa de clima anual Fale
Francamente, que em 2011 atingiu todos
os colaboradores do Brasil e das unidades
externas do banco e registrou índice de
participação de 89%. Elaborada em parceria
com o instituto Great Place to Work, a pesquisa
se destaca pela confidencialidade das
informações, o que permite aos participantes
comentar sobre temas importantes para
a instituição, como a meritocracia. Após
a finalização do processo, os resultados
são divulgados para todas as áreas e dão
origem a grupos de trabalho que atuam nas
oportunidades de melhoria identificadas.
Pesquisa interna de Clima - Fale Francamente
VE +2
VG +4
VE +0
VG +2
VE +2
VG +3
VE +4
VG +7
83%
69%
67% 67%
2005
2006
73%
71%
2007
69%
2008
Visão Empresa
76%
75%
71%
2009
2010
2011
Visão Gestor
* Até 2009 a pesquisa era refeita a cada 2 anos
143
Relacionamentos
Colaboradores
O respaldo e o reconhecimento de
nossas ações voltadas à melhoria
do relacionamento com nossos
colaboradores podem ser avaliados por
meio dos prêmios que recebemos todos
os anos. Em 2011, fomos reconhecidos
como uma das melhores empresas para
trabalhar nos levantamentos realizados
pelas revistas Você S/A, Exame e Época.
Também fomos listados, pelo quinto
ano consecutivo, na pesquisa Empresas
dos Sonhos dos Jovens, realizada pela
consultoria Cia de Talentos.
Colaboradores e governança
Os colaboradores têm livre acesso aos
e-mails corporativos dos membros
do Conselho de Administração. Há
também os serviços da área de Ética
e Ombudsman, cuja função é receber
e analisar dilemas éticos, conflitos de
interesses e relatos sobre desvios éticos,
dando-lhes o devido encaminhamento de
acordo com o tipo de assunto. (Perfil 4.4)
Estamos em constante processo
de revisão de nossas práticas e do
aperfeiçoamento da comunicação dos
colaboradores com nossa administração.
(Perfil 4.4)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Contratação local
Apesar de não possuir uma política global
para o preenchimento dos cargos por
moradores das comunidades nas quais
opera, o Itaú Unibanco adota práticas para
realizar contratação local, especialmente
na empresa Microinvest, por conta do
perfil de sua operação e estratégia. (EC7)
Dos 13.924 membros da alta gerência –
cargos concentrados na Administração
Central, localizada na capital paulista,
nos níveis de coordenação, gerência e
superintendência –, 81,84% provêm
da comunidade local, ou seja, de
São Paulo. (EC7)
Membros de alta gerência provenientes
da comunidade local (EC7)
2010
2011
Total de membros da alta gerência
15.853
13.924
Membros da alta gerência proveniente da comunidade local
12.999
11.396
82%
81,84%
% membros da alta gerência proveniente da comunidade local
* Não foram consideradas as seguintes empresas: IBBA, Itaú Corretora, Redecard, SFR, Previtec e as Unidades
Internacionais.
144
Relacionamentos
Sociedade
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Sociedade
Líder do mercado brasileiro e com
forte presença na América Latina,
o Itaú Unibanco também tem o
propósito de atuar como um agente de
transformação. Para isso, mantém um
diálogo constante com a sociedade,
visando entender suas expectativas e
necessidades e, dessa forma, ser parceiro
no desenvolvimento dos cidadãos, da
sociedade e dos países onde atua.
As diversas iniciativas que promovemos na
sociedade e as mensagens institucionais
que divulgamos, além de exemplificarem
essa crença, também têm o objetivo
de inspirar as pessoas e influenciar a
sociedade na busca por comportamentos
que acreditamos sejam benéficos para
todos. Mais do que promover nossas
estratégias isoladamente e exaltar
resultados pontuais, queremos que
nossa visão de sustentabilidade e nossos
princípios sejam reproduzidos em larga
escala em um país rico culturalmente e
com amplas perspectivas de crescimento
econômico nos próximos anos.
Em São Paulo, as ações desenvolvidas em
parceria com a prefeitura possibilitaram
a reforma do Parque Municipal Prefeito
Mário Covas, opção de lazer localizada na
avenida Paulista, e da estufa do Viveiro
Manequinho Lopes, dentro do Parque do
Ibirapuera, uma das maiores áreas verdes
da capital paulista. (EC8)
Somos responsáveis ainda pela
manutenção do Parque Lina e Paulo
Raia, próximo à sede administrativa do
banco, e da Passarela Verde no bairro
de Pinheiros, por onde transitam cerca
de 5 mil pessoas diariamente. Primeiro
projeto do tipo na cidade, a passarela
teve o contrato de parceria – firmado
entre a prefeitura de São Paulo e o banco
– renovado por mais três anos, e passou
por revitalização seguindo conceitos
sustentáveis, como o uso de telhados
verdes, pisos de borracha reciclada para
deficientes visuais e elevadores que
garantem a mobilidade para pessoas
com dificuldade de locomoção. (EC8)
Incentivos e patrocínios
Parcerias e benefícios
Em nossa estratégia de relacionamento
com as instituições governamentais,
temos investido, ao longo dos anos, em
parcerias para beneficiar os habitantes
das maiores cidades do país.
No Rio de Janeiro, por exemplo, o banco
patrocina o programa Bike Rio, iniciativa
da prefeitura local e da concessionária
Serttel com foco na mobilidade e na
redução das emissões de carbono. O
projeto coloca à disposição dos cidadãos
bicicletas que podem ser utilizadas das
6h às 22h, por intervalos de uma hora,
durante todo o dia. Os usuários devem se
cadastrar e pagar uma taxa mensal de R$
10 – ou uma diária de R$ 5 – e respeitar
15 minutos de descanso antes de iniciar
um novo período de aluguel. (EC8)
Investimos em patrocínios a atividades
ligadas à valorização da cultura
brasileira, como o apoio à arte e aos
esportes mais apreciados no país. Em
2011, fomos o principal patrocinador
do festival de música Rock in Rio,
realizado na cidade do Rio de Janeiro,
como forma de nos aproximarmos do
público (clientes ou não) e incentivar a
mensagem divulgada pelo evento, de
incentivo a atitudes inovadoras e que
possam transformar a sociedade.
Também fomos a primeira empresa a
assinar o contrato de patrocínio da Copa
do Mundo de 2014, que será realizada
no Brasil, e nos tornamos o Patrocinador
Oficial da Seleção Brasileira de Beach
Soccer.
Investimos em
patrocínios
a atividades
ligadas à
valorização
da cultura
brasileira,
como o apoio
à arte e aos
esportes mais
apreciados
no país
145
Relacionamentos
Sociedade
Incentivamos também iniciativas pelo
país. Na Lagoa Rodrigo de Freitas, cartão
postal do Rio de Janeiro, patrocinamos,
em parceria com a prefeitura, o projeto
“Lagoa em Forma”, desenvolvido pela
ONG Arte, Vida e Esporte. Ao longo
da ciclovia e da pista de cooper locais,
foram instaladas dez estações para a
prática de alongamento e exercícios
musculares. Apoiamos, ainda, o Carnaval
de rua do Rio de Janeiro e a FLIP (Feira
Literária Internacional de Paraty).
Na Bahia, atuamos no Carnaval de
Salvador. No Sul, apoiamos iniciativas
como o Festival de Teatro de Curitiba
e o Festival de Dança de Joinville. Em
relação ao esporte, o tênis é um dos que
incentivamos. Destacamos os torneios
Sony Ericsson Open e Itaú Masters
Tour, a Copa Itaú de Tênis Escolar e
Universitário e o Centro de Treinamento
Itaú/Instituto Tênis.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Clube A
O Itaú Unibanco se relaciona com
aproximadamente 4 milhões e meio
de aposentados. Pensando nesse
segmento, temos o Clube A, que
oferece gratuitamente, atividades
esportivas e culturais a muitos
aposentados.
O Clube A é um clube de lazer e
entretenimento para a Terceira
Idade. É uma associação civil sem
fins lucrativos, que visa promover o
convívio e a valorização de pessoas
aposentadas. Ele foi criado para
reunir pessoas especiais, com muita
experiência de vida, histórias para
contar, conhecimento para dividir e
vontade de descobrir formas de viver a
Melhor Idade.
Além disso, é um ponto de
encontro, um espaço especial para
a convivência, onde os aposentados
podem expandir seus relacionamentos
com pessoas de interesses comuns,
realizar ações sociais e atividades
que permitam a adoção de novas
formas de agir e reagir perante a vida.
Essa nova postura é desenvolvida
por meio da participação dos
associados em projetos sociais e
atividades de recreação, lazer, cultura,
que gerem alegria, energia, com
ações que resgatem o senso de
solidariedade e cidadania. Hoje, temos
aproximadamente 6 mil associados.
Estamos localizados em diversos
polos espalhados por São Paulo, Rio
de Janeiro e Rio Grande do Sul, e os
projetos aplicados são incentivados pelo
Ministério da Cultura e pelo Ministério
do Esporte, o que dá uma maior
credibilidade à Associação Clube A.
146
Relacionamentos
Sociedade
Educação financeira (FS16)
Uma consequência do valor
compartilhado é uma relação na qual
todas as partes percebam os benefícios
(relação ganha-ganha). Entendemos
que, por meio da disseminação de
nosso conhecimento em educação
financeira, possibilitamos escolhas
mais conscientes e contribuímos para
o desenvolvimento das pessoas e dos
países onde atuamos.
A seguir, alguns dos programas e
iniciativas pontuais que realizamos para
disseminar a educação financeira para
toda a sociedade em 2011.
• Palestras educativas em Expo Moneys.
Participamos das 13 Expo Moneys
realizadas em 2011, proferindo palestras
sobre assuntos relacionados a orçamento
familiar, desperdício e supérfluo, entre
outros temas. Trata-se de uma feira de
educação financeira e investimentos,
que tem o objetivo de levar o assunto
para todos os interessados, desde o
iniciante ao investidor. Em média, 150
pessoas assistiram a cada palestra, além
de 30 minipalestras, com público médio
de 40 pessoas.
• Palestras em diversas empresas,
eventos e formadores de opinião.
Palestras educativas, que abordam
assuntos relacionados ao orçamento
familiar, aos tipos de reservas que
precisamos manter, momentos de
vida etc., buscando levar educação
financeira para colaboradores de
empresas parceiras que atuam nos
setores de produção, administrativo ou
comercial.
• Patrocínio e divulgação de conteúdos
sobre educação financeira para jovens.
Patrocínio, palestras, guias e estandes
com jogos de simulação na Expo Y,
em São Paulo. Palestras e patrocínio
do Desafio da Educação Financeira,
realizado por meio de jogos que
simulam bolsa de valores, nos estados
de Santa Catarina, São Paulo e Rio
de Janeiro. O objetivo consiste em
oferecer conteúdo sobre educação
financeira para jovens universitários
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
que estão entrando no sistema
bancário e aprendendo a administrar
um orçamento. Cerca de 2 mil jovens
foram impactados.
• Campanha de comunicação e
educação sobre crédito consciente.
Entre setembro e novembro de 2011,
disponibilizamos no YouTube seis
tutoriais, orientando a sociedade, de
forma educativa, sobre o momento de
utilizar cada produto de crédito ou de
não utilizá-lo e a importância de ter um
planejamento financeiro. Tivemos 7,7
milhões de views.
• Campanha de comunicação e educação
sobre investimentos e previdência.
Buscando levar para a sociedade, de
forma educativa, os diferentes tipos
de reserva que precisam ser formadas
para cada momento e objetivo de vida,
disponibilizamos tutoriais, simuladores
e jogos no canal YouTube Invista, com
2,3 milhões de page views.
• Novo site Uso Consciente do
Dinheiro. Lançado em dezembro,
oferece conteúdo sobre educação
financeira para todo tipo de público,
para que tenham informações de
como administrar um orçamento.
Disponibilizamos sete guias (Saia do
vermelho, Use bem o seu dinheiro, Família
e dinheiro, Conta-corrente e cartão de
débito, O melhor crédito para você,
Consumir e poupar e A hora de investir),
um novo simulador de orçamento
familiar – também disponível para
download –, artigos, vídeos, rádio releases
e dicionário dos termos sobre educação
financeira. Houve mais de 100 mil
acessos até o dia 5 de janeiro de 2012.
• Rádio releases. Disponibilização de
rádio releases em rádios locais e artigos
em meios de comunicação impressos
e eletrônicos, com dicas importantes e
rápidas e artigos que aprofundam mais
o tema. Gravamos cinco rádio releases,
atingindo 984 praças, e disponibilizamos
seis artigos.
Ainda em 2011, destacamos iniciativas
para a educação financeira com foco no
jovem universitário:
• L ançamento do novo site
Universitário Itaú. O portal tem como
objetivo aproximar a instituição
desse público por meio de uma
linguagem diferenciada, com opções
de customização e conteúdo, e
ferramentas interativas (widgets)
que facilitam o controle das finanças
pessoais.
• Vídeo “Palavras de Sabedoria”.
Lançamos 16 vídeos com duração
média de dois minutos cada, que
trazem dicas e orientações de
planejamento das finanças pessoais,
por meio de elementos de animação
e infográficos que traduzem as dicas
passadas pelo consultor.
•C
iclo de palestras sobre educação
financeira. Realizamos quatro ciclos de
palestras em universidades e um ciclo
para colaboradores do banco – que
contou com transmissão online para os
participantes da Fan Page Universitária.
•M
eu Guru da Grana (websérie). Tivemos
três escolhidos para participar do
projeto, que foram selecionados entre
os 135 jovens que se inscreveram com
um vídeo contando sua história. Os
vencedores foram acompanhados em
seu dia a dia pelo consultor Gustavo
Cerbasi, que criou um planejamento de
finanças pessoais a partir dos objetivos
de cada um. Como resultado, o projeto
foi divulgado como uma websérie em
nove episódios disponibilizados na Fan
Page Universitária.
147
Relacionamentos
Comunidade
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Comunidade
Embora a atuação do Itaú Unibanco
alcance todo o Brasil, por meio
das agências e de outros canais de
relacionamento, podemos atuar
mais fortemente como agentes
transformadores nas comunidades
em que estamos presentes, com uma
estrutura maior e mais dedicada.
Para isso, iniciamos um programa
de identificação das necessidades e
oportunidades locais nas regiões onde
possuímos grandes polos operacionais
instalados. Dessa forma, podemos
desenhar um mapa de atuação em
conjunto com as lideranças da sociedade
civil e as entidades públicas. (EC8 e SO1)
Em 2011, esse modelo de atuação foi
empregado na comunidade do bairro
Jabaquara, na zona sul da cidade de
São Paulo, onde está localizado o
polo administrativo Itaú Unibanco
Centro Empresarial. As consultas e as
reuniões realizadas com moradores e
frequentadores do bairro identificaram
a necessidade de investimentos para a
melhoria dos aparelhos de segurança
pública, como viaturas e postos
policiais. (EC8 e SO1)
Não temos até o momento a definição
sobre programas de desenvolvimento da
comunidade nem um plano específico de
engajamento de stakeholders. (EC9 e SO1)
Em dezembro de 2011, também
participamos de uma audiência
pública no município de Mogi Mirim,
no interior de São Paulo, para discutir
a instalação de nosso novo Centro
Tecnológico na cidade. Na ocasião,
apresentamos o projeto e todo o seu
impacto econômico, ambiental e
social. Para esse evento, realizado na
Câmara Municipal e aberto ao público,
foram convidados representantes
de toda a sociedade: poder público,
imprensa, entidades de representação,
líderes comunitários e religiosos.
Participaram representantes da
prefeitura responsáveis por meio
ambiente, urbanismo e assuntos gerais.
Também estavam presentes a Elektro
(fornecedora de energia) e a SAEE
(esgoto e água). (EC9 e SO1)
A área a ser ocupada pelo novo Centro
Tecnológico terá mais de 800 mil metros
quadrados e concentrará as informações
armazenadas pelo banco. A expectativa
é que o data center também agregue
ao município avanços tecnológicos
e uma maior capacidade energética
– investimentos a serem realizados
pelo governo local –, além de gerar
desenvolvimento econômico e social
para a população de Mogi Mirim.
Ao contribuirmos para aumentar
a quantidade e a qualidade das
informações disponíveis sobre nosso
modelo de atuação e incrementarmos
a capacidade das comunidades locais
para interagir e manter os benefícios
gerados pelas iniciativas e políticas do
poder público – independentemente
Por meio do programa Itaú
Voluntário, nossos colaboradores
têm a possibilidade de atuar
em ações corporativas como
a Oficina de Uso Consciente
do Dinheiro e a Oficina de Uso
Seguro da Internet
148
Relacionamentos
Comunidade
dos segmentos partidários que ocupem
as esferas governamentais –, temos
evoluído para construir um canal de
diálogo estruturado com esses cidadãos.
Também acreditamos que, assim,
fortalecemos nossa capacidade de
geração de valor compartilhado a partir
de uma base de negócios sustentáveis.
Nos próximos anos, a partir das
experiências e dos resultados obtidos
com o plano estratégico desenvolvido na
capital paulista, pretendemos expandir
nossa atuação para outras comunidades
– do país e do exterior – onde mantemos
nossos maiores polos operacionais.
Em 2012, também formalizaremos
nossas diretrizes para balizar as doações
direcionadas a projetos e manteremos
a busca pela criação de uma rede de
desenvolvimento social em conjunto
com as lideranças locais.
Ação em situações de crise
No início de 2011, as cidades da região
serrana do estado do Rio de Janeiro
foram atingidas por fortes chuvas
que causaram deslizamentos de terra,
derrubaram casas e provocaram
inúmeras mortes. A tragédia, de
proporções inéditas, resultou em uma
reação imediata por parte da equipe
do banco, que, usando sua experiência
no gerenciamento de crises, prestou
seu auxílio e levou alimentos, água
e medicamentos aos colaboradores
atingidos e também a seus parentes e
vizinhos.
Menos de uma semana após o começo
dos trabalhos, capitaneados pela equipe
de Gestão de Crises, o banco pôde
comemorar a notícia de que todos
os 459 colaboradores que atuavam
na região haviam sido contatados e
assistidos. Complementarmente, fomos
o primeiro banco a reabrir as agências,
que, além dos serviços financeiros,
abriram as portas para receber doações
aos desabrigados. Outro ponto
importante foi flexibilizar as condições
de crédito e cobrança para que os
moradores locais pudessem retomar sua
rotina e seus negócios.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
No total, foram arrecadados
aproximadamente R$ 2,3 milhões
(depositados em uma conta-corrente
aberta em nome do Fundo Estadual de
Assistência Social do Rio de Janeiro),
além de 10,5 toneladas de doações,
entre alimentos, roupas, brinquedos e
material de limpeza e 3,8 mil litros de
água. O dinheiro foi utilizado para a
compra de móveis e eletrodomésticos
para 2 mil famílias cadastradas nos
abrigos.
A mesma estratégia foi adotada no
estado do Paraná, onde as chuvas
causaram estragos na capital, Curitiba,
e em outras cidades. As agências
locais receberam 21 toneladas de
alimentos, roupas, material de limpeza
e medicamentos distribuídos aos
desabrigados em parceria com o
Programa de Voluntariado Paranaense
Defesa Civil (Provopar), vinculado à
Secretaria de Saúde e Bem-Estar Social
do Estado do Paraná.
No Japão, atingido por um terremoto
e um tsunami no mês de março,
montamos um Comitê Tático de Crises
que tinha como missão avaliar a
situação emergencial e definir um plano
de ação para disponibilizar auxílio aos
colaboradores e garantir a manutenção
dos negócios no país.
Entre as medidas adotadas para
lidar com o desastre japonês esteve
a criação de uma linha direta com
as assistentes sociais no Brasil para
fornecer atendimento em português,
inglês e japonês aos 69 colaboradores
e seus familiares. Em parceria com a
Federação das Associações de Províncias
do Japão no Brasil e a Cruz Vermelha
Japão, também foi criado um canal para
o envio de suprimentos e remédios.
O banco ainda isentou de tarifas as
remessas de dinheiro de clientes do
Brasil destinadas à manutenção, à
doação e ao tratamento médico de
residentes do Japão.
Após as chuvas
que atingiram
a região
serrana do Rio
de Janeiro em
2011, o Itaú
Unibanco levou
alimentos,
água e
medicamentos
a colaboradores
e também a
seus parentes
e vizinhos
149
Relacionamentos
Comunidade
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Itaú Voluntário
Programa Mais Segurança
A Fundação Itaú Social, em parceria com
o Instituto Unibanco, mobiliza e articula
uma rede de colaboradores que já são
ou gostariam de ser voluntários. Além
dos colaboradores e seus familiares, o
programa inclui também, a participação
de aposentados.
Esse programa tem como objetivo
promover o conhecimento e a
consciência sobre segurança para
nossos colaboradores e clientes – e
também para a sociedade em geral –,
visando reduzir as fraudes e os atos
ilícitos e tornar nosso dia a dia mais
seguro.
Após identificarmos os principais
públicos-alvo, desenvolvemos ações de
comunicação específicas para cada um,
aproveitando o conhecimento interno
voltado à eficiência e à inovação.
Os voluntários têm a possibilidade de
atuar em uma das ações corporativas,
que podem ser metodologias
desenvolvidas a partir de competências
da própria empresa, como a Oficina de
Uso Consciente do Dinheiro e a Oficina
de Uso Seguro da Internet, ou em
programas da própria Fundação e do
Instituto, como a Olimpíada de Língua
Portuguesa Escrevendo o Futuro e o
Estudar Vale a Pena.
Outra forma importante de divulgação
e promoção das ações é o Portal
Voluntários Itaú Unibanco (www.
ivoluntarios.org.br), uma rede social
na qual os voluntários cadastram seus
projetos, publicam relatos e divulgam
oportunidades de trabalho voluntário.
Em 2011, foram mais de 700 mil acessos
à rede, que encerrou o ano com 6.644
usuários.
Ações realizadas pelo Programa Mais
Segurança em 2011:
• reestruturação do site Mais Segurança
(www.itau.com.br/seguranca) com
a reformulação do conteúdo sobre
segurança bancária e inclusão de
conteúdo para os clientes e toda
sociedade, tais como segurança
pessoal e segurança digital;
• criação de curso a distância lúdico e
dinâmico sobre segurança bancária –
relacionado a agências, internet, caixas
eletrônicos e atendimento via telefone
– voltado à educação dos clientes e à
redução de fraudes;
• realização de campanha de segurança
voltada à realidade da rede de agências
para preparar nossos colaboradores
a atuar na redução do número de
fraudes;
• realização da Jornada Mais Segurança,
tradicional evento de segurança que
ocorre todos os anos no Itaú Unibanco,
e que, em 2011, foi totalmente digital.
Para reforçar a campanha, realizamos
duas palestras: uma com Marcelo
Tas (para colaboradores do Centro
Empresarial) e outra com a vicepresidente de Segurança da IBM (para a
alta gestão).
O Programa
Mais Segurança
visa promover
o conhecimento
sobre
segurança
para nossos
colaboradores,
clientes e a
sociedade
em geral com
o intuito de
reduzir fraudes
e atos ilícitos
150
Relacionamentos
Fornecedores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Fornecedores
Para alcançar uma performance
sustentável e assegurar a geração
de benefícios compartilhados,
contribuímos com o desenvolvimento
de uma cadeia de valor que tem como
meta a excelência e o respeito no
tratamento de seus fornecedores.
Com o foco voltado para o diálogo e
a transparência, temos investido em
ferramentas e capacitações para avaliar
e aprimorar a atuação das empresas que
vendem produtos ou prestam serviços
para o banco.
A realização do primeiro workshop
no ano de 2011, envolvendo 65
parceiros, foi um passo importante
para explicar nosso modelo de atuação
e nossos princípios, além de novos
procedimentos para contratações e
avaliações de risco. Nesse período,
mantivemos relacionamento com 107
mil empresas de todo o país, sendo 5,6
mil os recorrentes. (Perfil 4.16)
Avaliação e seleção
de fornecedores (EC6)
Para a comunicação com nossos
fornecedores atuais e potenciais, o
Itaú possui o site www.itau.com.br/
fornecedores, canal que nos possibilita
compartilhar nossas práticas e políticas.
Um dos nossos principais objetivos
é a transparência nas relações com o
mercado fornecedor. Por esse motivo,
em nosso Portal, disponibilizamos
informações relevantes, como
Código de Ética Itaú Unibanco, a
forma de avaliação e contratação de
fornecedores e nossa estratégia de
sustentabilidade. (Perfil 4.8)
Não existe nenhuma restrição para o
acesso ao cadastro, mas as empresas
passam por um processo criterioso
de homologação e, antes de qualquer
avaliação, devem concordar com as
nossas práticas e políticas, que buscam
assegurar o cumprimento da legislação
nos aspectos que tangem a regularidade
no seu ramo de atuação, bem como as
obrigações comerciais empregatícias e
de contribuinte tributário.
Para a seleção de fornecedores,
consideramos fatores como saúde
financeira, desempenho ambiental
e social (cumprimento da legislação
vigente em relação às questões
trabalhistas, ambientais e respeito aos
direitos humanos), qualificação técnica
(capacidade, experiência, referências
e inovações), custos e eficiência no
desempenho das atividades. (EC6)
Para participar dos processos de
concorrência, os fornecedores devem
estar homologados. O processo de
homologação tem como objetivo avaliar
o cumprimento de obrigações legais,
minimizar o risco de estabelecermos
relacionamento com empresas
inidôneas, suspeitas de envolvimento
em lavagem de dinheiro e atividades
ilícitas, com problemas financeiros
ou que mantenham práticas não
sustentáveis, entre outros aspectos. (EC6)
A verificação da saúde financeira do
fornecedor é relevante para que não
coloque o banco em risco, mitigando
também prejuízos sociais (demissão em
massa, por exemplo) e econômicos para
as demais partes envolvidas (sociedade
e colaboradores do fornecedor). (EC6)
Em 2011, consolidamos a implantação
do procedimento chamado “Conheça
seu Fornecedor”. Esse é um processo que
estabelece condições para que o cadastro
de fornecedores seja realizado com todas
as avaliações necessárias para garantir,
com precisão e a qualquer tempo, que
tenhamos certeza da identidade (“quem
é”), atividade (“o que faz”) e idoneidade
das pessoas que mantêm relações
comerciais com o banco.
Após realização de todas as análises,
em caso de identificação de indícios de
violação a legislação, uma investigação
interna é instaurada. Comprovada
a violação, são aplicadas sanções
que podem gerar desde um plano
de ação para auxílio ao fornecedor
Para a
comunicação
com nossos
fornecedores
atuais e
potenciais,
temos um
Portal Web,
canal que nos
possibilita
compartilhar
nossas práticas
e políticas
151
Relacionamentos
Fornecedores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
na solução das irregularidades, até a
interrupção temporária ou definitiva do
fornecimento do contrato.
de recolhimento das contribuições).
Também possuem normas para
segurança e medicina do trabalho.
Além da avaliação feita no processo
de homologação, nossos contratos
preveem cláusulas específicas para
acompanhamento de obrigações
trabalhistas, como por exemplo: sempre
que solicitado, o fornecedor obriga-se
a entregar documentos específicos
(relação de empregados, folha de
pagamento, cópia dos comprovantes
Apesar de o Itaú Unibanco não
possuir uma política específica que dê
preferência aos fornecedores locais
– entendidos como fornecedores os
que realizam o faturamento no mesmo
estado onde estão localizados os
endereços de entrega dos serviços e/
ou materiais –, a regionalização das
contratações ocorre nos casos em que o
mercado local dispõe de empresas
capacitadas para fornecer
produtos e serviços, agregando
eficiência à operação. (EC6)
Em 2011, do valor total gasto
com fornecedores, 73% tiveram
como destino fornecedores
locais. Fornecedores não locais
receberam 27%. (EC6)
Gastos com fornecedores locais, por região (em %) (EC6)
Norte
97
2010: 91
Nordeste
96
2010: 94
Centro-Oeste
71
2010: 77
Sudeste
85
2010: 72
Sul
73
2010: 91
Itaú Unibanco
Base 2010
Base 2011
Regiões
Fornecedores locais
Fornecedores locais
Centro-Oeste
77%
71%
Nordeste
94%
96%
Norte
91%
97%
Sul
91%
73%
Sudeste
72%
85%
Total geral
76%
73%
Total de pontos = 73
2010: 76
152
Relacionamentos
Fornecedores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Oferecemos canais de
comunicação abertos,
via telefone, site e e-mail,
para contato, por meio
dos quais qualquer pessoa
pode registrar denúncias,
sugestões e dúvidas
Políticas e práticas relativas
aos direitos humanos
de avaliação, incluídos todos os
significativos. (HR2)
Consideramos que o risco de trabalho
infantil, forçado ou análogo ao escravo e
de violação de outros direitos humanos
pode ocorrer em atividades que utilizam
mão de obra intensiva, tais como
manutenção predial e de equipamentos,
limpeza, construção civil, elétrica,
hidráulica etc. em todo o território
nacional. (HR2, HR6 e HR7)
Em 2011, assim como no ano anterior,
não foram identificados casos de violação
de direitos humanos, de trabalho infantil
ou de trabalhadores jovens expostos a
trabalho perigoso, de trabalho forçado
ou análogo ao escravo nas operações
do Itaú Unibanco e dos fornecedores
significativos. (HR2, HR6 e HR7)
Do total de empresas que mantiveram
relacionamento com o banco em
2011, aproximadamente 5.600 são
recorrentes e passaram pelo processo de
homologação, sendo que 2.308 foram
consideradas fornecedores significativos
em função do risco de violação dos
direitos humanos, de trabalho escravo
e infantil ou do faturamento anual
superior a R$ 1 milhão. (HR2)
No ano anterior, das 103.459 empresas
que se relacionaram com o banco,
2.405 eram fornecedores significativos.
Mais de 3 mil passaram pelo processo
Com uma base de fornecedores dessa
dimensão, é imprescindível um modelo
de atuação que permita e garanta
a disseminação de boas práticas de
gestão, o respeito aos direitos humanos,
o cumprimento da legislação trabalhista
e a preservação do meio ambiente.
Esse processo se dá por meio de uma
área centralizadora das compras e
da gestão dos fornecedores, que
tem como objetivo garantir que os
processos de aquisição de produtos
e serviços necessários para o banco
sejam realizados de maneira eficiente,
ética, eficaz e isentos de riscos legais
ou operacionais que possam prejudicar
o desempenho das áreas de negócios
e a satisfação dos clientes. A aplicação
da Política de Compras viabiliza uma
criteriosa seleção dos fornecedores
e o posterior acompanhamento da
aplicação das práticas exigidas. (HR2)
Implementamos diversas ações e
procedimentos preventivos, com
o objetivo de mitigar esses riscos,
minimizando a quantidade de
ocorrências. Oferecemos canais de
comunicação abertos, via telefone, site
e e-mail, para contato, por meio dos
quais qualquer pessoa pode registrar
denúncias, sugestões e dúvidas.
Priorizamos o atendimento a esses canais
e, caso sejam identificados indícios de que
algum fornecedor esteja infringindo as
leis sobre os direitos humanos, ou sejam
recebidas informações sobre isso, é aberta
uma investigação interna para apuração.
Se comprovado o fato, são aplicadas
sanções que podem gerar desde um
plano de ação para auxílio ao fornecedor
na solução das irregularidades, até a
interrupção temporária ou definitiva do
fornecimento. (HR2)
153
Relacionamentos
Fornecedores
Nosso processo de avaliação de
fornecedores passou por melhorias
significativas e foi certificado novamente
pela ISO 9001 em 2011. Ele também
prevê a utilização de contratos que
incluam aspectos como a inexistência de
trabalho infantil e trabalho compulsório
(forçado), saúde e segurança no trabalho,
liberdade de associação e afiliação
a sindicatos das diversas categorias,
diversidade, horário de trabalho e
remuneração adequados, com práticas
disciplinares mais humanas e respeito ao
meio ambiente. (HR2, HR6 e HR7)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Nos casos em que são identificados
apontamentos ou não conformidades em
fornecedores com relacionamento ativo
com o banco, é iniciado um plano de
ação para regularização ou substituição
do fornecedor. (HR2, HR6 e HR7)
Em 2011, demos continuidade ao
projeto iniciado em 2010 de controle
de terceiros, por meio do qual são
mapeadas informações dos funcionários
de fornecedores, que contribuem
para mitigação de riscos trabalhistas,
trabalho infantil e escravo, entre outros.
(HR2, HR6 e HR7)
O processo de homologação
de fornecedores é renovado
periodicamente, e todas as empresas
que têm interesse em ser homologadas
precisam declarar-se “De Acordo” com
o Código de Ética Itaú Unibanco –
disponibilizado em nosso portal de
fornecedores –, que aborda critérios
sociais e ambientais. (HR2, HR6 e HR7)
Além do processo de homologação
e formalização do contrato, existe
um processo de monitoramento
de fornecedores com mão de obra
intensiva, que também tem como
objetivo identificar inconsistências
e/ou violações, inclusive sobre as
obrigações trabalhistas. Dessa forma,
podemos, em conjunto com a empresa,
estabelecer planos de recuperação
e regularização das pendências que
visam, principalmente, evitar problemas
na continuidade dos serviços e
consequente ruptura contratual. (HR7)
Após a avaliação, os fornecedores
considerados críticos são classificados
em matrizes de risco, para que os
gestores contratantes tenham a visão
global das empresas contratadas. Essa
matriz, além de trazer uma análise sobre
aspectos financeiros, considera critérios
relacionados à identificação de riscos
sociais. (HR2, HR6 e HR7)
As empresas categorizadas como médio
ou alto risco respondem a um questionário
que visa avaliar a sua conformidade com
as práticas de responsabilidade social,
conforme detalhado anteriormente.
(HR2, HR6 e HR7)
Práticas de segurança
Nossas equipes de segurança são
formadas por prestadores de serviços
terceirizados (vigilantes). Por exigência
legal, esses profissionais participam
de um curso de formação e, a cada
dois anos, passam por um curso de
reciclagem. Ambos os cursos abordam
aspectos de direitos humanos e relações
humanas, de forma a prepará-los para o
contato com o público. (HR8)
Além disso, desenvolvemos uma
cartilha e um vídeo temático que
orientam esses profissionais quanto
à política de segurança. O material,
que aborda assuntos como educação,
cordialidade, respeito, discriminação e
atendimento a pessoas com deficiência,
é distribuído às empresas prestadoras
de serviço de vigilância, para uso no
treinamento dos vigilantes. (HR8)
Nosso
processo de
avaliação de
fornecedores
passou por
melhorias
significativas e
foi certificado
novamente
pela ISO 9001
em 2011
154
Relacionamentos
Governo
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Governo
Estar próximo das organizações públicas
nas três esferas de governo – Executivo,
Legislativo e Judiciário – e formar
parcerias possibilita ao Itaú Unibanco
atuar como um indutor em setores que
podem gerar benefícios para toda a
sociedade.
Com esse objetivo, temos reavaliado
constantemente nossas práticas e
participado de discussões com órgãos
como o Ministério Público e os Tribunais
de Justiça para entender como podemos
contribuir para melhorar nossa
gestão e também propor, com ética e
transparência, diferentes alternativas
para a solução de litígios massificados.
Ajuda financeira significativa
recebida do governo
Em 2011, recebemos R$ 116.865.108,04
em incentivos referentes ao Programa
de Alimentação do Trabalhador (PAT),
a doações ao Fundo da Criança e do
Adolescente, a projetos de caráter
cultural (Lei Rouanet – art. 18 e 25 da
Lei 8383/91), a patrocínios concedidos
a projetos desportivos e à prorrogação
da licença-maternidade. Em 2010, a
cifra ficou em R$ 61.722.894,77. Dois
fatores impulsionaram o aumento em
relação ao ano anterior: o valor das
doações efetuadas pelas empresas da
organização e a base de imposto das
empresas que fizeram as doações. (EC4)
Diálogo com o Legislativo e o
Executivo (Perfil 4.16)
Contribuições a partidos políticos,
políticos ou instituições relacionadas
Também acompanhamos a atuação
dos poderes Legislativo e Executivo nas
esferas federal, estadual e municipal,
e contribuímos com a discussão sobre
projetos de lei que podem ter impactos
significativos sobre os setores em
que atuamos. Nossa estratégia está
lastreada por comportamentos éticos
e transparentes e tem como objetivo
oferecer subsídios para que autoridades
do poder público possam avaliar com
maior profundidade as demandas das
comunidades e criar mecanismos legais
que aprimorem o relacionamento das
empresas com a sociedade em geral.
O apoio concedido pelo Itaú Unibanco
aos candidatos que participam de
campanhas políticas é distribuído de
Nosso maior foco é promover o
desenvolvimento de todo o setor
financeiro, um dos mais regulados no
Brasil, contribuindo para a construção de
políticas públicas. Por isso, estruturamos
nosso diálogo com o poder público
apoiados em consensos adotados por
discussões promovidas pelas entidades
que reúnem outros representantes do
mercado, como a Federação Brasileira
de Bancos (Febraban) e o Conselho
Nacional das Instituições Financeiras
(CNF), que incluem empresas
concorrentes. (SO5)
acordo com os princípios e os valores
de transparência e ética sobre os quais
se baseia a atuação da organização.
Para assegurar uma conduta adequada
nesse processo, foi criado o Comitê
de Avaliação Política, composto de
conselheiros e executivos do banco,
além de uma política específica para
doações a campanhas eleitorais. (SO6)
Nossa política determina que todos
os recursos sejam direcionados
exclusivamente aos candidatos,
impossibilitando doações a comitês
partidários, partidos políticos ou
intermediários. Os valores destinados a
esse fim também seguem rigorosamente
a legislação que regulamenta as doações
para campanhas eleitorais. (SO6)
Como não houve eleições em 2011, não
realizamos contribuições. Em 2010, as
doações do banco somaram R$ 23,7
milhões, valor distribuído a candidatos
de todas as regiões do país. (SO6)
Incentivos recebidos do governo, por categoria (EC4)
Categoria
2010 (em reais)
2011 (em reais)
Doações ao Fundo da Criança
e do Adolescente
5.952.435,86
14.652.397,77
Programa de Alimentação
do Trabalhador (PAT)
5.939.271,22
9.992.528,16
Lei Rouanet
24.717.398,72
76.370.461,78
Patrocínios a projetos esportivos
6.017.696,52
14.931.571,82
515.035,86
918.148,51
Outros*
18.581.056,58
-
Total
61.722.894,77
116.865.108,04
Prorrogação da licença-maternidade
*O item é composto pelos investimentos em atividades audiovisuais (539 mil) e de outras empresas do
grupo, principalmente Redecard.
155
Relacionamentos
Imprensa e formadores de opinião
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Imprensa e formadores de opinião
Para poder ser um agente de
transformação e dar maior amplitude
à questão da performance sustentável
nos negócios do setor financeiro, o Itaú
Unibanco entende que é preciso manter
uma relação aberta e transparente com
a imprensa e os formadores de opinião
em geral, recebendo suas demandas
e influenciando-os positivamente a
discutir temas que possam contribuir
para o desenvolvimento da sociedade.
Uma das estratégias mais bem-sucedidas
nesse sentido é a realização de encontros
e workshops em que podemos expor
informações relevantes sobre temas que
ajudem a compreender o funcionamento
do setor financeiro e suas implicações no
mundo globalizado. (Perfil 4.16)
Em 2011, foram promovidos eventos
que trataram de temas como o Acordo
de Basileia e as oportunidades que a
realização da Copa do Mundo no Brasil
trará para as micro, pequenas e médias
empresas brasileiras. Neste último caso,
diversos jornalistas e interessados de
outras áreas puderam participar das
discussões, fazendo com que a iniciativa
se estenda para 2012. Outro destaque
foi a participação do Itaú Unibanco em
coletiva de imprensa da Fifa durante o
sorteio das eliminatórias da Copa do
Mundo de 2014, que será realizada no
Rio de Janeiro. O economista chefe do
Itaú Unibanco, Ilan Goldfajn, também
apresentou um estudo sobre os
impactos econômicos que a Copa trará
ao Brasil para uma plateia de cerca de 50
jornalistas de todo o mundo.
Promovemos, ainda, um encontro de
formação para jornalistas de finanças
sobre o mercado de fundos de índices,
em parceria com a BM&FBovespa, e
um seminário sobre franquias para a
comunidade empresarial e jornalistas
especializados no tema. Além disso,
representantes da imprensa de nove
estados (Acre, Amapá, Goiás, Rio Grande
do Sul, Piauí, Paraíba, Bahia, Pernambuco
e Amazonas) participaram de curso
de formação sobre o aplicativo Brasil
Hoje, desenvolvido pela Fundação
Itaú Social com o objetivo de ampliar
a compreensão sobre as informações
produzidas pelas avaliações nacionais,
como os resultados do Índice de
Desenvolvimento da Educação Básica
(Ideb), da Prova Brasil e do Exame
Nacional do Ensino Médio (Enem).
Ainda em 2011, 20 jornalistas dos
principais meios de imprensa do país
foram recebidos por executivos do Itaú
Unibanco para conhecer os projetos
executados em prol do cliente. Nesse
encontro, formadores de opinião
tomaram contato com as iniciativas que
melhoraram o diálogo e ampliaram a
transparência com o cliente.
No inicio de dezembro, realizamos a 5ª
edição da press trip, em que trouxemos
ao Brasil jornalistas de América Latina,
Estados Unidos, Reino Unido e Japão.
Todos participaram de uma agenda
de apresentações em que tiveram
contato com nossos executivos, além de
acompanharem a reunião Apimec-SP e
visitarem as obras do Maracanã, nossa
agência e as operações de microcrédito
no Complexo do Alemão, no Rio de
Janeiro. A ação reforçou a reputação do
banco internacionalmente.
Já no escopo reativo, o diálogo
permanentemente estabelecido,
aliado às nossas estratégias de
comunicação, permite-nos receber
e dar o devido encaminhamento às
demandas de veículos de comunicação e
consumidores que publicam conteúdos
em blogs e sites. Apenas da imprensa,
recebemos cerca de 1.800 pautas
em 2011. Essa atuação permite que
possamos apoiar o banco nas mudanças
de práticas, produtos e serviços. Um
exemplo é a nova comunicação do
produto de capitalização, hoje com
ênfase nos sorteios e nas premiações.
Para ter sucesso em sua estratégia de
comunicação, possuímos uma equipe
interna especializada no atendimento dos
profissionais da imprensa, além de uma
área específica do site (www.itau.com.
br/imprensa) em que estão disponíveis
todos os press releases divulgados no
ano, separados por mês. Nessa página,
os jornalistas também podem solicitar
atendimento para a realização de
reportagens e tirar dúvidas sobre as áreas
de negócios, a gestão, os resultados
financeiros e as ações de investimento
social desenvolvidas pela instituição.
Gestão de crises
A representatividade do Itaú Unibanco
no sistema financeiro nacional aumenta
sua responsabilidade de garantir a
continuidade dos negócios, mesmo
em situações de anormalidades. Para
nós, atingir uma posição diferenciada
em gestão de riscos é uma questão
de prioridade. Entre as iniciativas que
conferem esse foco à nossa atuação está
o Programa Corporativo de Gestão de
Crises, que completou três anos em 2011,
consolidando-se como uma das mais
importantes ferramentas institucionais
para a gestão de uma performance
sustentável e da reputação da instituição.
Seu modelo de gestão é multidisciplinar
e está estruturado em três níveis
de atuação (estratégico, tático e
operacional). Os agentes focais, que são
representantes nomeados para atuar na
resolução de crises e auxiliar a retomada
dos negócios, são a chave do programa,
que tem como premissa criar ações
coordenadas para responder a situações
de exceção, de forma que impeçam
prejuízos humanos, financeiros e à
reputação do Itaú Unibanco.
Em momentos de crise, respostas ágeis
e assertivas são fundamentais para
preservar nossa imagem. Para reforçar
constantemente essa diretriz, em
2011, foi realizado o segundo encontro
institucional dos agentes focais. O evento
reuniu 130 pessoas, entre agentes focais
e gestores, no Itaú Unibanco Centro
Empresarial. Durante o encontro, os
principais conceitos do programa foram
confirmados e realinhados, por meio
da apresentação de cases nacionais e
internacionais.
156
Investimentos sociais
e culturais
Atuando como um agente
de transformação da sociedade
157
Investimentos sociais e culturais
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Nossa visão estratégica vai além
das metas e objetivos do negócio e,
cada vez mais, busca fazer do Itaú
Unibanco um agente de verdadeira
transformação social
Nossa visão estratégica vai além das
metas e dos objetivos do negócio.
Cada vez mais, o Itaú Unibanco se
apropria do propósito de ser um
agente de transformação para inspirar
mudanças de atitude e promover o
desenvolvimento das pessoas e do país.
A atuação do Itaú Unibanco está
diretamente relacionada aos
compromissos públicos assumidos em
favor do desenvolvimento do país, que
se dá por meio de diálogos permanentes
baseados em comportamentos éticos
e transparentes. O objetivo é contribuir
com a construção de políticas públicas
que favoreçam os interesses do setor
financeiro e da sociedade brasileira. (SO5)
A educação é ponto central da nossa
atuação enquanto transformadores.
Ela é condição para evoluirmos como
sociedade e agentes econômicos.
Quando investimos na educação de
crianças e jovens, estamos investindo
também na formação de cidadãos
mais preparados e conscientes do seu
papel na sociedade. Também estamos
formando, de maneira legítima,
melhores clientes, não só para o Itaú
Unibanco, mas para a economia do país
como um todo. Em outras palavras,
estamos ajudando as pessoas, o país e
o próprio banco a crescerem de forma
sustentável.
Nosso compromisso com a educação vai
além do aporte financeiro. Nós levamos
para as escolas boas práticas de gestão
e de planejamento, experiências e
tecnologias desenvolvidas pelo próprio
banco. Fazemos isso através de parcerias
com os governos, influenciando
políticas públicas e fazendo com que
os benefícios delas advindos possam
chegar, com mais velocidade, a um
número cada vez maior de pessoas.
Em 2011, nossos investimentos sociais e
culturais alcançaram o valor de R$ 293,8
milhões, com destaque para o total
de recursos destinados a educação e
cultura, que atingiram o montante de R$
184,2 milhões. (EC8)
(SO5)
(EC8)
Entendemos que, além de promover o
acesso de crianças e jovens à educação
básica de qualidade, também é
importante estimular o pensamento
crítico para a formação de cidadãos
conscientes de seu papel. Fazemos
isso através do nosso investimento em
Cultura.
Por meio da Lei de Incentivo ao
Esporte, destinamos R$ 12 milhões a
13 projetos relacionados a esportes de
alto rendimento, esporte educacional,
participação e lazer em 12 estados
brasileiros. (EC8)
Nossos investimentos sociais e
culturais são coordenados e geridos
por três instituições: Instituto Itaú
Cultural, Fundação Itaú Social e
Instituto Unibanco. Cada uma dessas
organizações tem projetos, objetivos
e metas distintos, mas todas atuam
de maneira complementar, e têm
sido responsáveis por significativos
avanços em áreas prioritárias como a
educação de crianças e adolescentes,
o desenvolvimento da cidadania e
a valorização da arte e da história
brasileiras. (EC8)
No ano, investimos ainda R$ 54,8
milhões em outros 66 projetos, por meio
da Lei Rouanet. Esses recursos foram
empregados em oito estados brasileiros.
Confira na tabela a seguir os principais
investimentos culturais e sociais
realizados em 2011 pela Fundação Itaú
Social.
158
Investimentos sociais e culturais
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Recursos investidos pelo Itaú Unibanco em ações para benefício público (EC8)
Atuação*
Projetos em 2011 Abrangência Descrição e impactos
Gestão
educacional
Ciclos de Debates
de Gestão
Educacional
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social que tem o
objetivo de ampliar a reflexão sobre estratégias
e experiências que potencializem os esforços de
gestores para a melhoria da qualidade da educação.
262 mil
Gestão
educacional
Excelência em
Gestão Educacional
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social que compreende
dois eixos: um de intervenção e outro de produção
de estudos sobre a gestão da educação.
3,1 milhões
Gestão
educacional
Melhoria da
Educação no
Município
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social que tem como
foco a formação continuada dos gestores municipais
para uma gestão mais efetiva na promoção da
qualidade da educação.
1 milhão
Gestão
educacional
Olimpíada da
Língua Portuguesa
Escrevendo o
Futuro
Nacional,
anual
Política pública de educação do Governo Federal,
realizado em parceria com a Fundação Itaú Social,
que tem como objetivo contribuir com a formação
de professores, tendo em vista a melhoria do ensino
da leitura e da escrita nas escolas públicas brasileiras.
5 milhões
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social baseado no
desenvolvimento de ferramenta e capacitações
para facilitar e aprimorar o diagnóstico e a visão dos
gestores sobre a realidade social de seus municípios,
um sistema de banco de dados que reúne diversos
indicadores sociais e educacionais brasileiros.
657 mil
Gestão
educacional
Fundação
Itaú Social
Investimento
(em reais)
Tema central
Brasil Hoje
Programa da Fundação Itaú Social que busca
contribuir para ampliar o uso da avaliação como
Espírito
uma das estratégias de melhoria da qualidade
Santo, Goiás,
da educação básica, colaborando na construção
Tocantins e
e na disponibilização para os sistemas de ensino
Paraná, anual
e escolas de um conjunto de referências sobre
avaliação e aprendizagem.
Gestão
educacional
Avaliação e
Aprendizagem
Educação
integral
Políticas de
Educação Integral
Nacional,
anual
Parcerias com secretarias de Educação, colaborando
na estruturação das políticas de educação integral
e na formação dos profissionais que atuam em sua
implementação.
1,2 milhão
Educação
integral
Jovens Urbanos
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social que contribui
para a formação integral de jovens que vivem em
grandes centros urbanos.
4,4 milhões
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social, realizado em
parceria com o Unicef, que tem como objetivo
identificar, reconhecer, dar visibilidade e estimular o
trabalho de ONGs que contribuem, em articulação
com as políticas públicas de educação e de
assistência social, para a educação integral de
crianças, adolescentes e jovens que vivem em
condições de vulnerabilidade.
14,6 milhões
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social para
disseminação da avaliação, com objetivo de
aprimoramento das ações sociais. Oferece cursos
de avaliação econômica de projetos sociais,
além de outras estratégias de disseminação e
aprofundamento do tema.
3,5 milhões
Educação
integral
Avaliação
de projetos
sociais
Prêmio Itaú-Unicef
Avaliação
Econômica de
Projetos Sociais
800 mil
159
Atuação*
Investimentos sociais e culturais
Tema central
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Projetos em 2011 Abrangência Descrição e impactos
Investimento
(em reais)
Mobilização
social
Itaú Criança
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social que tem o
objetivo de mobilizar a sociedade para a garantia
dos direitos da criança e do adolescente, colocando
a rede Itaú a serviço da causa e mobilizando
colaboradores, clientes, parceiros e comunidade.
Mobilização
social
Itaú Voluntário
Nacional,
anual
Programa de Voluntariado do Itaú que mobiliza
colaboradores, aposentados e convidados para
atuação em ações sociais.
2,1 milhões
Mobilização
social
Comunidade,
Presente!
Nacional,
anual
Programa da Fundação Itaú Social que apoia
demandas locais da sociedade, feitas por meio da
rede Itaú.
3,4 milhões
São Paulo,
anual
A Associação Cidade Escola Aprendiz é uma
Organização da Sociedade Civil de Interesse Público
(Oscip) que experimenta, aplica e dissemina o
conceito de educação comunitária. Os projetos
apoiados são o Centro de Formação Aprendiz e a
publicação Experiências Bairro-Escola
187, 5 mil
Nacional,
anual
Atuação na valorização da responsabilidade social,
na veiculação de campanhas de utilidade pública,
difusão de informações e realização de ações
educativas. A programação do Canal Futura é
utilizada em instituições sociais de todo o território
nacional. A Fundação Itaú Social é parceira do Canal
Futura desde a data de sua criação em 1997.
2,7 milhões
São Paulo,
anual
Programa Parceiros Vitae de Apoio ao Ensino
Técnico e Agrotécnico, que se realiza sob a forma
de concursos anuais de projetos. Foi instituído
em 1996 com o objetivo de contribuir para o
aperfeiçoamento da educação profissional técnica
de nível médio.
800 mil
Nacional,
anual
A Fundação Victor Civita tem como objetivo
contribuir com a melhoria da qualidade do ensino
no Brasil, por meio da qualificação e valorização
de professores da Educação Básica. A parceria com
a Fundação Itaú Social consiste no apoio para a
produção e disseminação de estudos e pesquisas na
área de educação.
190 mil
Desenvolvido pela Associação de Apoio ao
Programa Alfabetização Solidária, tem o objetivo de
Minas Gerais,
reduzir os altos índices de analfabetismo e ampliar
anual
a oferta pública de Educação de Jovens e Adultos
(EJA) no Brasil.
81 mil
Rio de Janeiro A Plataforma dos Centros Urbanos contribui para a
e São Paulo, garantia dos Direitos das Crianças e Adolescentes
anual
dos grandes centros.
600 mil
Parceria com Fundação Tide Setubal para produção
de estudo sobre o impacto do território na
educação.
68 mil
Parcerias
Parcerias
Associação Cidade
Escola Aprendiz
Canal Futura
Fundação
Itaú Social
Parcerias
Parceiros Vitae
Parcerias
Fundação Victor
Civita
Parcerias
Programa
Alfabetização
Solidária
Parcerias
Plataforma dos
Centros Urbanos
(Unicef)
Parcerias
Educação e
Vulnerabilidade
Social
Nacional,
anual
19,7 milhões
* O Itaú Unibanco não investe em serviços e infraestrutura para benefício público por meio de engajamento pro bono. Todos os investimentos da Fundação Itaú Social e do
Instituto Itaú Cultural ocorreram na forma de engajamento comercial. Já os investimentos institucionais e do Instituto Unibanco se deram por meio de engajamento em espécie.
160
Investimentos sociais e culturais
Social
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Social
Fundação Itaú Social
Entendemos que a educação é um
ponto-chave para o desenvolvimento
da sociedade brasileira. Entre as tensões
sociais que observamos, é também a
que mais diretamente impacta a relação
de pessoas com o banco. Por isso, a
Fundação Itaú Social, constituída em 2000,
atua de maneira a apoiar programas de
melhoria de políticas públicas na área
educacional, desenvolvendo tecnologias e
metodologias que possam ser replicadas
em larga escala através de parcerias com
os governos municipais, estaduais e
federal, além de mecanismos de avaliação
sistemática de projetos sociais.
Com alcance nacional, a Fundação Itaú
Social concentra seus investimentos
em quatro áreas de atuação: Gestão
Educacional, Educação Integral, Leitura
e Escrita e Avaliação de Projetos Sociais.
A instituição também se dedica a
integrar e organizar a mobilização
social de colaboradores e dos pedidos
de apoio a projetos desenvolvidos nas
comunidades locais recebidos pelas
agências e pelas demais plataformas
de relacionamento, com grande
abrangência em todo o país.
Todos os programas da Fundação Itaú
Social promovem o desenvolvimento
das comunidades locais com base em
suas necessidades. Veja mais detalhes
a seguir. (EC8 e SO1)
Gestão educacional
Em 2011, a Fundação Itaú Social foi a
única instituição brasileira convidada
a participar da Feira de Inovação do
encontro anual do Conselho Econômico
e Social da Organização das Nações
Unidas (ONU), realizada em julho, em
Genebra, na Suíça. O evento reuniu
600 participantes de todo o mundo e
teve como tema a educação – o que
estimulou a discussão sobre experiências
que contribuem para o cumprimento das
Metas de Desenvolvimento do Milênio
e da agenda Educação para Todos,
compromissos assumidos pela ONU.
A Gestão Educacional é uma áreachave para a implementação de
medidas que possibilitem a melhoria
da aprendizagem dos alunos. Afinal,
esta é a principal razão da educação
escolar.
Não se trata apenas dos aspectos
administrativos de cumprimento
da legislação, trata-se da gestão
dos recursos humanos, materiais e
pedagógicos em todos os âmbitos das
políticas públicas educacionais, seja na
O Programa Jovens Urbanos
tem como objetivo ampliar
o repertório sociocultural
de jovens em situação de
vulnerabilidade, na faixa etária
de 15 a 21 anos, residentes
nas periferias das regiões de
grandes metrópoles
161
Investimentos sociais e culturais
Social
Secretaria da Educação, nas estruturas
intermediárias, como as diretorias de
ensino e subsecretarias, e até mesmo no
cotidiano da escola. (SO5)
E, por congregar uma série de
aspectos educacionais, o campo da
gestão é atualmente um dos nossos
maiores desafios para a melhoria da
qualidade da educação pública. São
desafios que reforçam a importância
de investimentos na formação de
quadros competentes que permitam o
aperfeiçoamento das capacidades de
planejamento e condução da política
educacional, com foco na inovação
e no aprimoramento das estruturas
de gestão.
Nesse cenário, a Fundação Itaú
Social acredita que as alianças
ganham destaque porque ampliam
a possibilidade de obtenção
de apoio de diferentes setores
sociais, governamentais e não
governamentais, e fortalecem
a possibilidade de execução do
planejamento mediante os governos
municipais, estaduais e federal.
A Fundação Itaú Social, por meio da
Olimpíada da Língua Portuguesa
Escrevendo o Futuro, investe na
formação de professores para o
aperfeiçoamento das práticas
pedagógicas no ensino da escrita.
A Olimpíada é desenvolvida em parceria
com o Ministério da Educação e envolve
professores, alunos e a comunidade das
escolas públicas do país.
Desde 2010 passamos por um processo
de avaliação dos impactos da primeira
edição da Olimpíada. Verificaram-se
impactos positivos nas notas médias dos
alunos de Poema (0,925 ponto = 48%) e
em variedade linguística (peso de 20% na
nota total) de Artigo de Opinião (0,057
ponto = 1,1%). O impacto nas notas de
Poema é potencializado, e o impacto
nas notas de Artigo de Opinião só é
significativo de acordo com a intensidade
de realização das oficinas propostas no
material do professor e o envio de textos
para a etapa seguinte do concurso.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
O núcleo de Gestão Educacional é
formado pelos programas: Melhoria da
Educação no Município, Excelência em
Gestão Educacional, Ciclo de Debates
Gestão Educacional, Avaliação e
Aprendizagem, Brasil Hoje e Olimpíada
de Língua Portuguesa Escrevendo o
Futuro.
Ações
Melhoria da educação
no município
http://ww2.itau.com.br/itausocial2/atuacao/
melhoriasEducacao.html
Excelência em Gestão
Educacional
http://ww2.itau.com.br/itausocial2/atuacao/
excelenciaGestaoEducacional.html
Portal Itaú Fase
http://ww2.itau.com.br/itausocial/fase/
Ciclo de debates de
gestão educacional
http://ww2.itau.com.br/itausocial2/atuacao/debate_
gestaoeduca.html
Avaliação e
Aprendizagem
http://ww2.itau.com.br/itausocial2/atuacao/avaliacao_
aprendizagem.html
Brasil Hoje
http://www.brasilhoje.org.br
Olimpíada de
Língua Portuguesa
Escrevendo o Futuro
http://ww2.itau.com.br/itausocial2/atuacao/olimpiada.html
Para saber mais sobre a Fundação Itaú
Social, acesse: www.fundacaoitausocial.
org.br/
– nas dimensões afetiva, física, ética e
intelectual – e no compartilhamento
da sua formação entre diversos atores,
parceiros e espaços da cidade.
Educação integral
A Educação Integral apresenta-se
como um mosaico de aprendizagens
e reconhece a existência de inúmeras
oportunidades presentes na escola, na
família, na comunidade e na cidade.
Esse mosaico ganha unidade quando
articulado e integrado por uma clara
intencionalidade educativa, que oriente a
costura de tempos, espaços e conteúdos,
bem como configure um currículo aberto
aos inúmeros desafios encontrados
quando se busca oferecer formação para
uma vida digna na sociedade para todas
as crianças e jovens.
A transmissão de conhecimentos
acumulados pela humanidade não é
suficiente para preparar o indivíduo
para os desafios pessoais e sociais
que a contemporaneidade e o futuro
impõem. A busca constante de
significados, compreensão, intervenção
e transformação da realidade origina
desafios que extrapolam o simples
contato com os conhecimentos.
Por isso, é necessário oferecer às
novas gerações oportunidades que as
ajudem a desenvolver seu potencial
criativo, a interagir socialmente de
forma autônoma e construtiva. A
Educação Integral pode responder a
essas demandas da sociedade, com
base no reconhecimento de crianças,
adolescentes e jovens em sua totalidade
Para contribuir com a ampliação e a
consolidação da educação integral, a
Fundação Itaú Social desenvolve uma
série de iniciativas, como o Prêmio ItaúUnicef e o Programa Jovens Urbanos,
além de estabelecer parcerias com
secretarias de Educação por todo o
162
Investimentos sociais e culturais
Social
país, colaborando na estruturação das
políticas de educação integral e na
formação dos profissionais que atuam
em sua implementação. (SO5)
O Prêmio Itaú-Unicef, projeto pioneiro
iniciado em 1995, tem como objetivo
mobilizar, inovar, induzir e dar
visibilidade ao trabalho de organizações
da sociedade civil sem fins lucrativos
que, em articulação com políticas
públicas de educação e assistência
social, realizam ações socioeducativas e
contribuem para a educação integral de
crianças, adolescentes e jovens.
As reflexões promovidas pelo Prêmio ItaúUnicef já influenciaram políticas públicas
de Educação Integral. São exemplos o
Programa Mais Educação, do Ministério
da Educação, e o Escola Integrada de Belo
Horizonte, além de outras experiências
publicadas em 2011 no livro Tendências
para Educação Integral.
A fundação segue desenvolvendo
parcerias com secretarias de educação,
no sentido de colaborar com a
ampliação e o aprimoramento da
oferta de educação integral. Em Belo
Horizonte (MG), no programa Escola
Integrada, parceira desde 2004, a
fundação contribui não apenas com
a formação de educadores e gestores
de ONGs e das secretarias municipais
de Educação e Assistência Social, mas
também com a avaliação da iniciativa,
que atende 47 mil estudantes em 147
escolas municipais. Em Goiás, além
do apoio técnico para a formação e o
acompanhamento de 400 gestores das
120 Escolas de Tempo Integral da rede
estadual, a fundação contribuiu com a
reestruturação do modelo de educação
integral da rede estadual goiana, que
inclui uma nova matriz curricular mais
diversificada, com maior integração
entre o currículo básico e as atividades
complementares. No Rio de Janeiro, a
fundação participou do processo de
construção da nova matriz escolar de
sete horas para 91 Escolas de Tempo
Integral da rede municipal, assim como
das orientações de implementação da
nova proposta. (SO5)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
A 9ª edição do prêmio, realizada em
2011, recebeu o número recorde de
2.922 projetos inscritos, que foram
separados por macrorregiões, com
sedes em São Paulo, Ribeirão Preto,
Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Goiânia,
Belém, Curitiba e Fortaleza. Os finalistas
foram escolhidos após o processo
seletivo e visitas técnicas, e os 32
vencedores regionais receberam R$ 20
mil cada. As organizações responsáveis
pelos quatro projetos vencedores
nacionais (micro, pequeno, médio e
grande porte) foram premiadas na etapa
nacional, sendo que o grande vencedor
nacional foi o Projeto Verde Vida, de
Crato (CE). (SO5)
O Programa Jovens Urbanos é voltado
para jovens na faixa etária de 15 a
21 anos residentes nas periferias
das regiões de grandes metrópoles
e atua em articulação com agências
governamentais (nos âmbitos municipal
e estadual), centros tecnológicos,
ONGs localizadas nos territórios de
intervenção do programa e assessores
especializados em diversas áreas de
produção tecnológica.
Seu objetivo é ampliar o repertório
sociocultural dos jovens em situação
de vulnerabilidade, de maneira a
contribuir para sua transformação
do ponto de vista individual e
coletivo. Para isso, oferece a eles
ações de formação que lhes dão
a oportunidades de explorar,
experimentar, circular e produzir na
sua cidade. Dessa forma, colabora
para a permanência e o retorno desses
jovens à escola e para sua vinculação
a novos processos formativos, além
de facilitar o acesso e o usufruto dos
equipamentos e bens culturais e sociais
disponíveis na cidade, aumentando
o conjunto de competências e
habilidades necessárias para a vida
pública e o mundo do trabalho.
Para contribuir
com a
ampliação e a
consolidação
da educação
integral, a
Fundação
Itaú Social
desenvolve
iniciativas
como o Prêmio
Itaú-Unicef e
o Programa
Jovens
Urbanos
163
Investimentos sociais e culturais
Social
A sexta edição do programa em São
Paulo teve início em novembro de
2010, nos distritos de Lajeado e São
Miguel Paulista, na Zona Leste, e Grajaú
e Ipiranga/Heliópolis, na Zona Sul. A
formação dos 960 jovens participantes
dessa edição aconteceu nas estratégias
de exploração, experimentação,
produção e expressão.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
No segundo semestre de 2011, o
Programa Jovens Urbanos ampliou sua
atuação para a cidade mineira de Pouso
Alegre e agora contempla 500 jovens
matriculados no 1º ano do ensino médio
das escolas públicas estaduais.
O Programa Jovens Urbanos/Poupança
Jovem é uma iniciativa conjunta do
Governo do Estado de Minas Gerais e da
Fundação Itaú Social (SO5).
Para saber mais sobre a Fundação Itaú
Social, acesse: www.fundacaoitausocial.
org.br/
Ações
Prêmio Itaú Unicef
http://ww2.itau.com.br/itausocial2/atuacao/
premioItauUnicef.html
Programa Jovens
Urbanos
http://ww2.itau.com.br/itausocial2/atuacao/
jovensUrbanos.html
Avaliação de projetos sociais
Qual o impacto das ações sociais? O que
teria acontecido aos participantes de
projetos sociais caso eles não tivessem
participado do projeto? E qual o retorno
econômico em suas vidas comparado ao
investimento feito pelas organizações
que desenvolvem as iniciativas?
Para responder a essas perguntas e
poder calcular o retorno social de
uma iniciativa, a Fundação Itaú Social
desenvolveu a Avaliação Econômica de
Projetos Sociais.
Desenvolvido em parceria com a área
de Controle de Riscos e Financeiro do
Itaú Unibanco, o instrumento subsidia e
aprimora a gestão dos projetos, melhora
a alocação de recursos e proporciona
uma prestação de contas mais eficiente
para financiadores, participantes e
a sociedade em geral. Dessa forma,
contribuímos com o aprimoramento
das políticas sociais, por meio do uso
de metodologias econométricas para
avaliação dos projetos e da formação
dos gestores. (SO5)
Ações
Avaliação Econômica
de Projetos Sociais
http://ww2.itau.com.br/itausocial2/atuacao/
avaliacaoProjetos.html
164
Investimentos sociais e culturais
Social
Para disseminar a cultura e a prática de
avaliação, o programa oferece o curso de
Avaliação Econômica de Projetos Sociais,
que apresenta os principais conceitos e
instrumentos básicos necessários para a
mensuração do impacto e para o cálculo
do retorno econômico, intercalando
aulas teóricas e práticas.
Além dos cursos, o programa realiza
também seminários que compõem um
espaço para debate sobre métodos e
avaliações, contando com a presença
e a contribuição de especialistas em
avaliação e de representantes do setor
público e do terceiro setor. Em 2011,
foram realizados quatro seminários
regionais sobre o tema – em Salvador,
São Paulo, Goiânia e Curitiba – e um
seminário internacional, no Rio de
Janeiro. Divulgamos, ainda, os impactos
dos nossos programas por meio
de relatórios publicados no site da
fundação. (SO1, SO5 e EC9)
Mobilização Social
Incentivamos o compromisso de
nossas equipes com a comunidade.
Dessa maneira, mais de 100 mil
colaboradores em todo o país são
estimulados a se envolver em ações
sociais. Alinhada ao desafio dessas
equipes de garantir performance com
sustentabilidade, a Fundação Itaú Social
investe na mobilização estruturada e
no engajamento qualificado em ações
sociais, fundamentalmente nas áreas do
voluntariado e da garantia de direitos da
criança, do adolescente e do jovem.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em 2011, o programa apostou em
uma mobilização nacional em favor
da formação de crianças, incentivando
adultos a ler para crianças de até 5
anos. Pais, educadores, voluntários de
organizações sociais e demais pessoas que
aderiram à mobilização tiveram acesso
gratuito à Coleção Itaú de Livros Infantis,
composta de três livros. Para a ação, o
banco disponibilizou 3 milhões de livros.
Outra ação importante foi em relação
a 4 mil bibliotecas, de escolas públicas
ou organizações sociais, indicadas
por funcionários do Itaú, que nelas
realizaram ações de leitura. Cada uma
recebeu a doação de cem títulos para
incrementar seu acervo.
Outro campo de atuação do Itaú Criança
é a divulgação dos mecanismos de
destinação de parte do imposto de
renda a programas e projetos realizados
com crianças e adolescentes.
Atualmente, o Itaú Criança tem parceria
com 31 Conselhos Municipais dos
Direitos da Criança e do Adolescente
(CMDCAs), presentes nas cinco regiões
brasileiras. Em cada município parceiro
há um grupo organizado de até 15
funcionários voluntários, que mobiliza
os colegas de todo o país a contribuírem
para as iniciativas indicadas pelos
CMDCAs.
Em 2011, aproximadamente 12 mil
funcionários do Itaú destinaram cerca
de R$ 1.300.000,00 aos Fundos dos
Direitos da Criança e do Adolescente
parceiros do programa. O valor captado
foi 30% superior ao destinado no ano
anterior. (EC4)
Itaú Criança
Com o objetivo de mobilizar a
sociedade para a garantia dos direitos
da criança e do adolescente, o
programa Itaú Criança coloca a rede
Itaú a serviço da causa e mobiliza
colaboradores, clientes, parceiros e
comunidade. O programa prevê a
divulgação do Estatuto da Criança
e do Adolescente (ECA), buscando
sensibilizar os diversos públicos para
conhecer e pôr em prática esta lei.
Comunidade, presente!
O Programa Comunidade, presente!
tem como objetivo aproximar a rede
de atendimento Itaú das comunidades
em que está inserida e apoiar projetos
sociais relevantes de organizações
próximas às agências.
Incentivamos o
compromisso
de nossas
equipes com
a comunidade
– mais de
100 mil
colaboradores
em todo
o país são
estimulados a
se envolver em
ações sociais
165
Investimentos sociais e culturais
Social
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
O Instituto Unibanco, criado em
1982, tem direcionado o foco de
sua atuação para a qualificação
das escolas públicas de ensino
médio, estratégico para a
formação da juventude
Por meio do programa, são apoiadas
ações nas áreas de educação e saúde
pública. Entre elas, as que oferecem
educação infantil, ações socioeducativas
no contraturno escolar, inclusão digital,
formação de jovens para o trabalho e
ampliação dos serviços de saúde para a
população local.
Esses apoios são viabilizados por meio
do envolvimento dos gerentes de
agências que, conhecendo o contexto
social das comunidades em que estão
inseridos, identificam, encaminham e
acompanham os projetos apoiados.
E o Comunidade, presente! os auxilia
nesse processo, oferecendo um fluxo
estruturado para avaliação desses
pedidos pela Fundação Itaú Social.
Em 2011, foram apoiados 93 projetos,
beneficiando diretamente mais de 70
mil pessoas.
Instituto Unibanco
A capacidade de inserção no mercado
de trabalho formal, o aumento na
geração de renda e o desenvolvimento
social são fatores que dependem
intensamente do nível de escolaridade
alcançado por cada indivíduo durante
seu amadurecimento. O Instituto
Unibanco, criado em 1982, tem
direcionado o foco de sua atuação para
a qualificação das escolas públicas
de ensino médio, estratégico para a
formação da juventude. Suas iniciativas,
assim como o desenvolvimento de
novas tecnologias e metodologias
educacionais, estão alinhadas com os
princípios do Itaú Unibanco de trabalhar
em parcerias com o poder público
e investir na melhoria das políticas
públicas. (SO5)
Os projetos do Instituto Unibanco são
desenvolvidos em regiões urbanas com
amplo contingente de jovens na faixa
etária correspondente ao ensino médio
e atendem mais de 90 mil estudantes
em todo o país. Entre seus objetivos
estão a diminuição da evasão escolar, o
aprimoramento da gestão das escolas
públicas, a capacitação de professores e
o desenvolvimento de novos métodos
para avaliar e requalificar as instituições
públicas de ensino. (SO5)
Jovem de Futuro
O Instituto Unibanco firmou parceria
com o Ministério de Educação
(MEC), com a Secretaria de Assuntos
Estratégicos da Presidência da República
(SAE) e com seis estados brasileiros para
institucionalizar o Programa Jovem de
Futuro como política pública federal e
166
Investimentos sociais e culturais
Social
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
estadual. A projeção é que a iniciativa
beneficiará alunos de ensino médio em
4.117 escolas do Brasil nos próximos
cinco anos. Dessa forma, a partir de
2012, a tecnologia do programa será
transferida para as redes públicas de
ensino médio dos estados do Ceará,
Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais,
Pará e São Paulo. (SO5)
Para saber mais sobre as metodologias
do Instituto Unibanco, acesse: http://
ww2.itau.com.br/institutounibanco/
pages/Proj_Metodologias.aspx
Essa transferência é fruto da integração
do Ensino Médio Inovador – projeto
do Ministério da Educação destinado a
promover um processo de mudança no
ensino médio público do país – com o
Projeto Jovem de Futuro. (SO5)
Nossos projetos não necessariamente
endereçam prioridades de agendas
das partes interessadas, mas, juntos,
reforçam o resultado final de melhoria
dos índices de despenho das escolas.
Eles constituem benchmarks ao
mostrar a correlação entre educação
e desenvolvimento econômico e
gerar confiança na capacidade de
transformação da escola pública. O
modelo de autonomia da escola na
gestão de seus recursos e a formação
em gestão escolar para resultados
promovem o êxito no ambiente escolar
de uma forma nova no setor. (EC9 e SO1)
O Ministério torna-se parceiro nesse
processo por meio do repasse de
recursos diretamente às escolas,
enquanto o Instituto Unibanco será
responsável pelas formações e pelo
apoio técnico. As secretarias estaduais
executarão o projeto em suas escolas.
Entre 2012 e 2014, estima-se que serão
beneficiados 3 milhões de alunos de
3 mil escolas do Brasil, ampliando o
alcance e a performance das políticas
públicas educacionais nos estados. (SO5)
Para saber mais sobre o programa
Jovem de Futuro, acesse: http://ww2.
itau.com.br/institutounibanco/pages/
Proj_JovemDeFuturo.aspx
Impactos econômicos indiretos e
avaliação de impacto dos projetos do
Instituto Unibanco
Não realizamos ação específica para
identificar impactos econômicos
indiretos dos projetos do Instituto
Unibanco. No entanto, há estudos
que estabelecem a correlação
entre educação e desenvolvimento
econômico. Podemos destacar os
seguintes impactos, entre 2009 e 2011,
nas regiões em que atuamos: (EC9 e SO1)
Metodologias
• melhoria na gestão escolar;
São instrumentos que buscam
intervir em aspectos específicos
da vida do jovem ou da realidade
escolar, objetivando a melhoria
de resultados dentro da escola. As
metodologias do Instituto Unibanco
são testadas em instituições-piloto
com acompanhamento e supervisão
intensiva e, depois de sistematizadas,
podem ser disseminadas para serem
aplicadas sob a gestão das redes
públicas.
• o ensino médio concluído gera um
aumento de 20% na renda do jovem,
com reflexos na renda total da família;
São exemplos de metodologias do
Instituto Unibanco os programas Entre
Jovens, Jovem Cientista, Construindo o
Futuro e Estudar Vale a Pena.
• com nosso apoio técnico, as escolas se
tornam capazes de celebrar parcerias
com outras instituições, além de criar
uma rede de relacionamento entre
as escolas, que geralmente atuam de
forma isolada;
• melhoria no clima escolar. (EC9 e SO1)
Educação financeira (FS16)
Desenvolvido pelo Instituto
Unibanco, o Projeto Educação
Financeira nas Escolas oferece a
estudantes do segundo ano do
ensino médio instrumentos para
que eles possam pensar no futuro,
planejar suas finanças pessoais e,
assim, construir uma visão de longo
prazo, deixando de ser imediatistas.
Composto de dois livros e um vídeo
de uso pedagógico, o material
aborda aspectos de cidadania,
como o pagamento de impostos e
a conservação do bem público, o
impacto das ações no meio ambiente
e, principalmente, a formação de uma
visão responsável sobre o futuro.
Seu caráter pedagógico é a principal
diferença entre a iniciativa nacional e
as de outros países.
Em 2011, capacitamos 1.223
multiplicadores (representantes
das secretarias de educação ou
professores), de 873 escolas nos
estados de São Paulo, Ceará,
Tocantins, Rio de Janeiro e Distrito
Federal. No total, 15.386 alunos
foram impactados pelo projeto. Esta
ação está diretamente vinculada
à Estratégia Nacional de Educação
Financeira (Enef ), na qual o Instituto
Unibanco faz parte do comitê de
educação financeira nas escolas.
167
Investimentos sociais e culturais
Cultural
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Cultural
Instituto Itaú Cultural
Desde sua fundação, em 1987, o
Instituto Itaú Cultural tem atuado como
um agente de grande importância para
o estudo, a preservação e a divulgação
da memória artística brasileira.
A circulação do acervo do banco
ficou por conta da realização de 14
exposições: Coleção Brasiliana Itaú
(Fortaleza, Brasília e Curitiba), Fotografias
Modernistas (Belém, Paraguai e Cidade
do México), Brasiliana Fauna e Flora
(Chile, Argentina, Uruguai e Paraguai),
O Egito sob o Olhar de Napoleão
(Espaço Memória), Arte Cibernética –
Acervo de Arte e Tecnologia do Itaú
Cultural (Porto Alegre) e 1911-2011
Arte Brasileira e Depois, na Coleção
Itaú (Belo Horizonte e Rio de Janeiro).
Juntas, essas exposições receberam
aproximadamente 322 mil visitantes até
o fim de 2011.
Em 2011, o Itaú Cultural teve a presença
de mais de 200 mil pessoas em sua
sede, localizada em São Paulo. O público
virtual do site do instituto totalizou
cerca de 12,7 milhões de acessos únicos.
Foram desenvolvidos 369 eventos e
lançados 20 produtos. Desses, 23.470
foram distribuídos. No programa
Rumos, o instituto teve 2.891 inscritos
nos editais de Artes Visuais, Educação,
Cultura e Arte e Jornalismo Cultural.
Desses, 79 foram selecionados.
Investimos no Itaú Cultural, por meio do
artigo 26 da Lei Rouanet, o total de R$
29,7 milhões em 2011, além dos R$ 23,6
milhões provenientes de recursos sem o
incentivo dessa lei. Dessa forma, o total
destinado ao instituto no ano alcançou
R$ 53,3 milhões. (EC4)
Coleção Brasiliana
A coleção Brasiliana, formada pelo
ex-presidente do banco Olavo
Setubal, é administrada pelo Itaú
Cultural. Ela possui mais de 2.130
itens e 5 mil imagens, entre livros,
pinturas, documentos manuscritos e
objetos adquiridos sem a utilização
de incentivos fiscais. A coleção faz
um recorte da história da arte do país
e representa, atualmente, o maior
acervo pertencente a uma organização
privada, com peças de qualidade
e importância reconhecidamente
significativas, permitindo a valorização
e a manutenção das obras em
território nacional.
Em 2012, a itinerância da coleção
Brasiliana pelo país terá continuidade
com a realização de mais dez
exposições – e um novo museu será
inaugurado na sede do Itaú Cultural
para exibir as obras dessa coleção e a
coleção Itaú Numismática, que reúne
mais de 6.800 peças entre moedas,
medalhas e condecorações.
Itaú Cultural no Ibirapuera
Alinhado à estratégia de formar
parcerias com os governos federal,
estaduais e municipais para que os
investimentos sociais do Itaú Unibanco
possam influenciar a transformação
da sociedade brasileira, o Itaú Cultural
iniciou, em 2011, a gestão do Auditório
Ibirapuera, localizado no principal
parque da cidade de São Paulo.
Firmada por meio de uma parceria
público-privada (estabelecida em edital
de chamamento público da Prefeitura
Municipal de São Paulo), a iniciativa prevê
que o instituto utilize, nos próximos
cinco anos, sua experiência em gestão
da cultura para realizar a manutenção,
o desenvolvimento e a execução
da programação artística no local,
destinada à apresentação de espetáculos
musicais. O Itaú Cultural também será
responsável pela administração da escola
de música do auditório, que oferece a
aproximadamente 160 alunos (a partir de
9 anos de idade) cursos com duração de
cinco anos para o aprendizado de música.
O objetivo do Itaú Cultural ao assumir a
administração do Auditório Ibirapuera é
enfatizar a democratização do acesso à
cultura, desenvolvendo atividades sem
a utilização de leis de incentivo em um
168
Investimentos sociais e culturais
Cultural
espaço municipal capaz de promover a
integração harmoniosa entre públicos
bastante diferentes quanto à classe
social e ao nível de escolaridade.
De agosto a dezembro de 2011, foram
realizados 58 espetáculos no auditório,
com 76 apresentações que reuniram
aproximadamente 66.300 mil pessoas.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Cultural imediatamente reconheceu seu
erro, reviu condutas internas e abraçou
o protesto em suas dependências,
recebendo as mães no dia do protesto
para um diálogo franco e aberto.
A conduta nesse caso levou o Itaú Cultural
a receber o Prêmio Aberje (Associação
Brasileira de Comunicação Empresarial),
na categoria gestão de crises.
“Mamaço”
Em março de 2011, uma mãe foi
impedida de amamentar seu bebê
em uma exposição do Itaú Cultural. A
causa do episódio foi a interpretação
equivocada do regulamento do
instituto, que proíbe a ingestão de
alimentos perto das obras de arte.
Um movimento nascido nas redes
sociais digitais, então, reuniu mães que
compareceram ao local para protestar.
Com respeito e apoio total a essa causa
legítima (movimento que combate
qualquer tipo de discriminação contra a
amamentação em locais públicos), o Itaú
Celebrando os 25 anos do Instituto
Itaú Cultural
Em 2012, o Itaú Cultural comemora os
25 anos de sua fundação. Para celebrar a
data, o instituto preparou o lançamento
de seu novo site e das enciclopédias
de Cinema, Dança e Música, com maior
conteúdo, dinamismo e facilidade de
acesso.
O site do Itaú Cultural reúne
informações sobre a instituição e seus
eventos, mas também é uma importante
fonte de pesquisa sobre a arte e a
cultura brasileiras. Recebe por mês cerca
de 1 milhão de acessos únicos, em sua
maioria destinados às enciclopédias
de Arte e Tecnologia, Artes Visuais,
Literatura Brasileira e Teatro já
disponíveis.
O ano de 2012 também marcará
a 15ª edição do Programa Rumos,
projeto que tem como objetivo
apoiar a produção artística nacional
em suas mais variadas expressões
e nas diferentes regiões do país. Ao
longo de sua existência, o Rumos
tem mobilizado artistas, especialistas,
pesquisadores e instituições parceiras
em prol do fortalecimento da cidadania
e das características múltiplas do
povo brasileiro, tendo a cultura como
fio condutor. Os produtos gerados
pelo programa são distribuídos
gratuitamente a instituições culturais
e educacionais e disponibilizados para
emissoras de TV parceiras, além do
próprio site do Itaú Cultural.
O projeto Música para Crianças,
realizado pelo grupo Mawaca
no Itaú Cultural, tem a proposta
de despertar a sensibilidade,
ampliar o repertório e estimular
a criação e a expressão das
crianças na área musical
Meio ambiente
Utilização consciente
e eficiente dos
recursos naturais
169
170
Meio ambiente
O Itaú Unibanco tem investido
continuamente em programas e
iniciativas para reduzir o impacto
de suas operações na utilização dos
recursos naturais. Entre outros objetivos,
essas medidas visam incrementar a
eficiência dos processos internos do
banco para diminuir o consumo de
energia e água, o gasto de papel e as
emissões de gases geradores do efeito
estufa. Para alcançar essas metas,
desenvolvemos novas tecnologias e
trabalhamos na otimização do uso
de máquinas e softwares, em uma
evolução contínua dos mecanismos e
dos processos que o banco emprega em
suas diferentes tarefas. (EN26)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
TI Verde
Em 2011, um dos maiores avanços
alcançados dentro do programa de TI
Verde do Itaú Unibanco foi a reforma
de uma área de 880 m² do data
center primário, que está localizado
na avenida do Estado (região central
da cidade de São Paulo). Desde o
início da implantação do programa
de modernização, em 2008, o banco
otimizou o uso da energia elétrica
em torno de 43% se comparado ao
ambiente legado, devido a práticas
de eficiência energética em facilities,
ocupação racional de espaços, refresh
tecnológico dos equipamentos de
TI e à virtualização de servidores. O
projeto, considerado crítico por influir
nas operações centrais do banco, inclui
melhorias relacionadas à ventilação,
redução do uso de ar-condicionado,
instalação de paredes com isolamento
térmico e aprimoramento dos sistemas
de cabeamento. (EN5)
Alguns números do data center
R$ 2 milhões
por hora ou
560 por segundo
– é a quantidade média de transações
processadas pelo data center do banco
– por mês, chegam a 1,5 bilhão.
80% – é a
porcentagem de
aumento total
de capacidade elétrica que a
modernização proporcionará
(de 3,6 MW para 6 MW)
4,8 bilhões de
músicas em mp3
(músicas com 5 megabytes cada)
–é o equivalente ao total de dados
armazenados no data center (24
petabytes* em discos e tapes)
4.348 é o total de
servidores do banco
nos data centers
*Petabyte é a unidade usada para medir a capacidade atual de armazenamento de dados do conglomerado. Um petabyte equivale a 1 quatrilhão de bytes (1.000.000.000.000.000).
171
Meio ambiente
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Comitê de TI Verde
Criado em 2008 com o objetivo
de identificar, mapear e mensurar
oportunidades que levem em conta as
esferas econômica, social e ambiental
das áreas de TI, o Comitê de TI Verde do
Itaú Unibanco também tem conseguido
atuar na destinação adequada e no
reaproveitamento dos resíduos gerados
nas reformas das diversas áreas da
organização. A modernização do data
center, por exemplo, gerou como resíduo
duas toneladas de cabos, descartados
adequadamente com o apoio de
empresas especializadas.
Apenas em 2011, foram coletadas e
descartadas 5.357 toneladas de lixo
eletrônico (computadores, impressoras,
monitores e outros equipamentos
eletrônicos) oriundo da administração
central, dos data centers, das agências e do
almoxarifado do banco. O material, enviado
a empresas parceiras para ser reciclado,
tem um índice de reaproveitamento de
aproximadamente 96% e inclui plásticos,
aço, metais e outros componentes. (EN22)
Certificações ambientais
Em abril de 2011, o Itaú Unibanco Chile
inaugurou seu novo Centro Tecnológico
de Operações (CTO) em Santiago. O
prédio é totalmente ecológico e recebeu
a certificação Leed, concedida pelo U.S.
Green Building Council (USGBC), que atesta
a utilização de mecanismos amigáveis
ao meio ambiente para o consumo de
água e energia, entre outras inovações de
engenharia. A construção, em cuja reforma
foram investidos R$ 15 milhões, abriga as
áreas de tecnologia, operações e back office
e possui seis andares, 5.200 m² de área útil
e 1.500 m² de jardins.
Para receber a certificação, as novas
instalações foram equipadas com
uma série de dispositivos que geram
economia no consumo de energia e no
gasto de água, em comparação com as
construções tradicionais. Também foram
instalados sistemas de reaproveitamento
da água e separação de resíduos para
reciclagem.
Os andares da nova sede chilena
também foram concebidos de acordo
com o novo conceito arquitetônico
utilizado no Brasil, que elimina divisórias
e salas individuais para permitir um
melhor aproveitamento dos espaços
internos e promover mais comunicação
entre as equipes. Aproximadamente
20% da mão de obra do Itaú Unibanco
alocada no Chile está instalada no novo
prédio. (EN26)
Outro importante avanço foi a ISO
14001 implementada no Centro
Administrativo Tatuapé, em São Paulo.
Pelo sistema de gestão de resíduos, em
2011 foram reciclados cerca de 79% do
total de resíduos gerados nesse site.
Nos demais prédios da administração
central foram reciclados cerca de 64%
de todos os resíduos gerados por eles.
Outros resíduos das áreas de obras e
manutenção estão sendo descartados
adequadamente, como lâmpadas
fluorescentes, processo de coleta e
fragmentação de documentos, coleta de
material classe II e III na unidade Rudge
Ramos e coleta de material classe II na
unidade São Caetano – todos em São
Paulo.
Área de preservação
A Fundação Itauclube possui uma
área protegida, localizada no Clube
de Campo Guarapiranga, na capital
paulista, com 7.601 m² de área
construída em um terreno de 73.276
m² para uso dos funcionários do Itaú
Unibanco. O clube encontra-se em área
de proteção aos mananciais (APM) e
subárea envoltória de represa (SER) de
extrema importância para a região, cujo
valor de conservação é regulado pela
Lei nº 13.885/04, que trata do Plano
Diretor de Uso e Ocupação do Solo da
Subprefeitura do M’Boi Mirim, e por
seu zoneamento como Zona de Lazer e
Turismo (ZLT-02), que definem normas
de uso e parcelamento do solo urbano
em área de preservação obrigatória.
(EN11)
Em 2011, foram
coletadas e
descartadas
5.357 toneladas
de lixo
eletrônico
oriundo da
administração
central,
dos data
centers, das
agências e do
almoxarifado
do banco
172
Meio ambiente
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Água
O volume de água retirada de fontes
hídricas pelos prédios administrativos e
agências em 2011 foi de 2.014.171 m3,
o que representa uma diminuição de
cerca de 3% na comparação com 2010.
Desse total, 1.915.881 m3 vieram de
concessionárias, e 98.290 m³, dos poços
artesianos do Centro Administrativo
Raposo, que estão em processo de
obtenção das outorgas no DAEE, e do poço
artesiano do Centro Administrativo ITM,
que possui outorga para captação de água
subterrânea concedida pelo DAEE. (EN8)
A quantidade de água de reúso, por sua
vez, aumentou 9% no mesmo período,
somando 44.536 m3, provenientes de:
O total de água consumida, incluindo
abastecimento por concessionárias,
retirada de poços artesianos e
água de reúso, teve queda de 3%,
totalizando 2.058.707 m³. Toda a
água retirada de poços e fornecida
por concessionárias é descartada em
esgoto doméstico e tratada pelas
concessionárias.
(EN10)
• Torre Eudoro Vilela (Centro
Empresarial): água captada dos
lavatórios, que em 2011 atingiu um
volume de captação de 12.338 m3;
• Centro Administrativo Raposo: a
água usada no prédio é desviada
para tratamento e reutilizada para
descargas e irrigação. Em 2011, houve
o reúso de 32.198 m3. (EN10)
Prédios
administrativos
Consumo de água (m /ano)
3
Agências
Total
2010
2011
2010
2011
2010
2011
Rede pública
710.381
713.148
1.281.160
1.202.732
1.991.541
1.915.881
Poço artesiano
89.803
98.290
0
0
89.803
98.290
1.281.160
1.202.732
2.081.344
2.014.171
0
0
40.929
44.536
1.281.160
1.202.732
2.122.273
2.058.707
800.184 811.439
Total de retirada* (EN8)
40.929
Água de reuso (EN10)
Total consumido = total descartado** (EN21)
44.536
841.113 855.975
* O Itaú não utiliza águas de superfície (rios, lagos) nem coleta água de chuva ou de outras organizações.
** O consumo de água do banco não afeta significativamente suas fontes hídricas, pois os prédios administrativos e agências utilizam água apenas para
atender às necessidades básicas dos funcionários, refrigeração e limpeza do ambiente. O descarte, que ocorre via estações de tratamento de esgoto (ETEs),
também não afeta significativamente os corpos d’água ou habitats. (EN9 e EN25)
Energia e emissões
Entendemos que nossas atividades,
ainda que não possuam uma demanda
energética comparável à de empresas
de setores de atividades industriais,
contribuem para o aquecimento global
através da emissão de gases do efeito
estufa (GEE).
Em 2011, mantivemos a evolução
no inventariado de GEE, que segue
o protocolo GHG, ferramenta
utilizada mundialmente por diversas
organizações para calcular a quantidade
de carbono gerada por seus processos
produtivos.
Como forma de minimizar nossa
contribuição à intensificação do efeito
estufa, implementamos medidas que
reduzem, direta ou indiretamente,
as emissões de GEE associadas à
nossa atividade. Como as fontes
de emissão influenciadas por essas
medidas são parte do inventário de
emissões corporativas da empresa, o
comportamento das demais fontes
incluídas na quantificação mascaram
a eficácia real das reduções obtidas.
Dentre as medidas implementadas
podemos citar: (EN18)
173
Meio ambiente
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Saiba mais sobre as salas de
telepresença
• coleta seletiva em nossas unidades
administrativas, reduzindo a geração
de metano na decomposição do
resíduo em aterros;
• iniciativas ligadas ao Comitê de TI Verde
da empresa, reduzindo o consumo
de energia pela implementação de
medidas de eficiência energética, como
a troca de monitores por versões com
menor consumo de eletricidade;
• implantação de salas de telepresença
para a realização de videoconferências,
reduzindo as emissões associadas ao
deslocamento de funcionários. (EN29)
dentro e fora do Brasil – de modo
bastante realista, tornando também
mais ágeis os processos do banco.
Ainda que o deslocamento dos
colaboradores seja um fator de baixo
impacto entre aqueles que geram
emissões de gases causadores do
efeito estufa, temos investido em salas
de telepresença para aperfeiçoar a
comunicação entre as áreas e diminuir a
necessidade de viagens. (EN18 e EN29)
Essas salas são equipadas com telas,
câmeras e equipamentos de áudio de
altíssima resolução, que permitem a
realização de reuniões a distância –
2010
Fontes não-renováveis
2011
70.472,3
EN3
Consumo de
energia direta
EN4
Consumo de
energia indireta
EN16
Total de emissões de GEE
diretas e indiretas
30.645,4
EN17
Outras emissões de GEE indiretas relevantes
178.653,9
EN18
Iniciativas para reduzir as emissões
de GEE e reduções concretizadas
EN19
Emissões das substâncias
destruidoras da camada
de ozônio
61.980
Fontes renováveis
Emissões das substâncias
EN20* destruidoras da camada
de ozônio
Em 2011, foram implementadas sete
salas de telepresença e sete salas
de videoconferência. Em 2010, já
havíamos inaugurado nove salas de
telepresença. No total, contamos com
16 salas de telepresença instaladas
e implementadas. Uma das metas
do Itaú Unibanco é expandir a
implantação desses espaços para
o Mercosul e ampliar seu acesso a
um maior número de colaboradores
brasileiros. (EN18)
1.372,0
2.152.018
71.844,3
2.208.433,0
GJ
t CO2e
t CO2e
t CO2e
t CO2e
Favor ver parágrafo acima.
R22
1,7
6,7
R141b
0,2
0,5
R22
0,4
R141b
0,06
NOx
50.126,9
51,9
SOx
3.420,1
3,4
TOC
4.859,3
4,9
PM
4.859,3
3.476,7
3,5
CO
11.191,3
11,8
*Valores obtidos com base na planilha Cálculo EN20_2011.xls
Substâncias destruidoras da camada de ozônio (EN19)
ODP (CFC-11 equivalente)
R-22
0,055
R-141 b
0,1
Fonte: Protocolo de Montreal
GJ
t
t CFC-11
equivalente
t
174
Meio ambiente
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Economia de energia
Como exemplo de ações realizadas
que auxiliaram na redução de energia
temos: (EN5)
• reforma do conglomerado e agências
– todas as reformas do conglomerado
incorporam materiais de maior ganho
energético, como:
– luminárias mais eficientes e
persianas reflexivas, que diminuem
a incidência de calor, permitindo
o uso do ar-condicionado em
potências mais baixas;
– materiais menos agressivos ao
meio ambiente (novos carpetes
que são produzidos de maneira a
emitir uma menor quantidade de
gases de efeito estufa – GEEs);
– torneiras mais econômicas,
válvulas de descarga dual-flush e
mictórios que consomem 0,8 litro
de água por acionamento;
– normas da certificação LEED
utilizadas na construção do novo
prédio do Centro Administrativo
Tatuapé, ainda em projeto.
• projeto de ecoeficiência na rede de
agências – o objetivo do projeto
é identificar e implantar ações de
ecoeficiência voltadas para a redução
do consumo de água e energia,
aumentando a eficiência na gestão
de custos e provocando mudança de
atitude nos gerentes e colaboradores,
tornando-os agentes disseminadores de
boas práticas (inclusive dentro de casa),
alinhados com a visão do banco. Como
resultado, podemos citar:
– água: redução de 7,8% em relação
ao orçamento previsto para contas
de água;
– energia: redução de 3,6% em
relação ao orçamento previsto para
contas de energia, que equivale a
592,53 tCO2e evitados.
• projeto Impressão Responsável – projeto
para redefinir o modelo de prestação de
serviços nos segmentos de impressão
e copiadoras, visando à melhoria do
processo e à economia de recursos. (EN5)
– renovação do parque de
impressoras;
–d
isponibilização do recurso frente
e verso e modos de economia de
tinta e tonner para impressões;
– r edução do consumo de papel;
– r edução do consumo de energia;
– impressoras com qualificação
Energy Star (25% mais eficientes
que as impressoras convencionais);
– r edução das emissões de gases de
efeito estufa (GEE).
Em 2011 também foi feito um trabalho de
divulgação e treinamento dos usuários
dos principais prédios administrativos
para utilização dos equipamentos. Essas
ações resultaram em: (EN5)
• redução de consumo de energia – troca
e redução do parque de impressoras
(de 2.932 para 1.855, redução de 63%);
• redução do consumo de materiais
(papel) – maior controle da volumetria
e conscientização dos usuários (de 12
milhões de impressões mensais para 10,9
milhões de impressões mensais, o que
significa uma redução de 9,17%). (EN26)
• eletronização de produtos e serviços:
milhões folhas de papel foram
poupadas. A quantidade de gases
de efeito estufa que deixaram de
ser emitidos para a atmosfera é de
mais de 24.800 kg de CO2e.
– s ubstituição dos relatórios de LIS
e Contas Garantidas impressos em
papel – economia estimada de
mais de 335.000 folhas de papel
por mês;
– incentivo ao recebimento do
Extrato Mensal Consolidado via
PDF através do Itaú Empresas na
Internet – aproximadamente 100
mil clientes aderiram ao extrato
em PDF;
– implantação da nova Proposta
de Abertura de Contas (PAC) – o
Itaú já deixou de utilizar mais de
7 milhões de folhas de papel na
abertura de contas desde esta
reformulação;
– s implificação de formulários de
Câmbio Personnalité – redução de
aproximadamente 1.840.000 folhas
de papel (80% do consumo anual).
(EN6)
• novo data center: (EN7)
(EN6 e EN26)
– Itaú sem papel – campanha
lançada no início de 2012 e que
tem como objetivo incentivar a
eletronização de alguns serviços
e eliminar o uso desnecessário do
papel. Até o primeiro trimestre
de 2012, mais de 600 mil clientes
cancelaram a emissão dos
documentos impressos (extratos e
faturas);
– Contador de Sustentabilidade
– a cada contrato de câmbio
assinado digitalmente no Itaú
30 Horas, é contabilizada a
quantidade de folhas de papel
poupada e a emissão de gases
de efeito estufa (GEE) evitada
na produção dessas folhas. O
contador exibe para o cliente
Empresas a somatória de folhas
poupadas e seu equivalente em
CO2 evitados. Desde o lançamento
da assinatura digital de contratos
de câmbio em 2009, mais de 6,2
Pensando no futuro das operações, na
qualidade dos serviços, na segurança
e em maior eficiência, iniciamos, em
2008, o programa de transformação
e modernização de nosso data center
primário.
O programa, responsável por reformar
o data center em plena operação, utiliza
critérios baseados nas melhores práticas
de mercado para aumentar a capacidade
de densidade elétrica dos ambientes (W/
m²), contribuindo diretamente para a
obtenção de maior eficiência energética
e de refrigeração, diminuição de custos
e riscos operacionais e otimização do
espaço físico.
Desde o início da implantação do
programa de modernização, em 2008,
o banco otimizou o uso da energia
elétrica em torno de 43%, se comparado
ao ambiente legado, devido a práticas
de eficiência energética em facilities,
175
Meio ambiente
ocupação racional de espaços, refresh
tecnológico dos equipamentos de TI e à
virtualização de servidores. O PUE (power
usage effectiveness), que em 2001 era de
2,14, passou para 1,73 em 2007 e atingiu
o patamar de 1,65 em 2011. (EN7)
Materiais utilizados
O volume de materiais utilizados pelo Itaú
Unibanco em 2011 (11.652 toneladas de
papel) foi menor do que o reportado para o
ano de 2010 (48.428 t) devido aos esforços
para ampliar o mapeamento do consumo
de materiais por toda a organização.
Também houve uma alteração de
metodologia. Em 2010, reportamos a
quantidade de papel comprado e, em
2011, informamos a quantidade de papel
utilizado. Além disso, superestimamos o
uso de papel formato A4 em 2010, uma
vez que bobinas e formulários de papel
foram contabilizados como A4, embora
seu volume, peso e custo sejam bem
maiores do que os do papel A4. No valor
atual reportado incluem-se as informações
de agências sobre material de TI e plásticos
de cartão. Como a essência do negócio do
Itaú Unibanco são os serviços prestados,
todos os materiais são considerados de
uso indireto. (EN1)
Um dos aspectos que aperfeiçoou o
mapeamento do consumo de materiais
foi o projeto “Impressão Responsável”. Esse
novo modelo de serviço de impressão na
administração central do Itaú Unibanco
abrange tanto a parte de conscientização
dos colaboradores na tomada de decisão
de impressão quanto a contabilização
individual das impressões, aperfeiçoando
o controle do recurso. Também na gestão
do consumo de papel, os parceiros do
Itaú Unibanco, que prestam serviços de
suporte e manutenção de impressoras,
contabilizam os insumos consumidos
e repassam essas informações para
a organização. No total, são quatro
fornecedores externos que gerenciam
12 sites espalhados pelo Brasil, além da
gráfica interna do Itaú Unibanco. O volume
de materiais utilizados por parceiros
varia entre as áreas – na área de Crédito
ao Consumidor, metade do papel é
consumido por fornecedores terceirizados.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em 2011, a gráfica interna emitiu 57%
das faturas e 6,4% das cartas. Cabe ainda
destacar que, em 2009, nossa gráfica
recebeu a certificação FSC
(Forest Stewardship Council) para impressos
bancários e, em 2010,
para talões de cheque.
clientes por mês.
• Área Empresas: novo formulário para a
Proposta de Abertura de Conta (PAC), com
redução de mais de 75% da quantidade
de folhas impressas por conta aberta. Já
deixamos de utilizar mais de 7 milhões de
folhas desde essa reformulação.
• Área Empresas: Simplificação de
O material de TI foi controlado a partir do
formulários de Câmbio – dos 19 tipos
projeto desenvolvido para a substituição
de formulários que eram utilizados na
de monitores CRT por LCD, visando à
contratação das principais operações de
otimização do consumo de energia. Nesse
câmbio do Personnalité, reduzimos para
processo, a superintendência responsável
apenas dois, além de adequar a linguagem
pelo atendimento e suporte ao usuário
utilizada para facilitar a compreensão
passou a gerir todos os equipamentos de
pelos clientes. Com essas medidas,
microinformática, possibilitando um controle deixamos de utilizar aproximadamente
maior do consumo desses equipamentos.
1.840.000 folhas de papel.
• Área Empresas: substituição dos
Não há nenhum consumo mensurado
relatórios de LIS e Contas Garantidas
de materiais provenientes de reciclagem.
impressos em papel por ferramentas
Entretanto, para minimizar os impactos
de consultas, não havendo mais a
no consumo de materiais é adotada por
necessidade de imprimir e distribuir esses
algumas áreas a utilização de materiais
relatórios para a rede de agências. Esse
certificados. A área de Crédito ao Consumidor projeto gera economia estimada de mais
determinou, por meio de análises de
de 335 mil folhas de papel por mês.
impactos ambientais, a utilização de insumos • Área Empresas: Contador de
certificados em detrimento de materiais
Sustentabilidade Itaú Comexpress – a
reciclados – por isso, adota em todas as
cada contrato de câmbio assinado
faturas emitidas papéis certificados pelo FSC.
digitalmente no Itaú 30 Horas, contabilizaA medida garante que a madeira utilizada
se a quantidade de folhas de papel
para a fabricação do papel tenha origem
poupada e a emissão de gases de efeito
em florestas cujo manejo foi realizado
estufa (GEEs) evitada na produção dessas
seguindo parâmetros sustentáveis. (EN2)
folhas. O contador exibe esses dados para
o cliente (pequenas e médias empresas).
Desde o lançamento da assinatura digital
de contratos de câmbio, em 2009, mais
Mitigação de impactos ambientais
de 6,2 milhões de folhas de papel foram
poupadas, superando a estimativa de
Confira a seguir o uso de materiais no Itaú
Unibanco com foco na redução do consumo 5,7 milhões para 2011. A quantidade de
gases de efeito estufa que deixaram de ser
de papel: (EN26)
emitidos para a atmosfera é de mais de
24.800 kg de CO2e.
• Varejo pessoa física: Campanha
sem papel – incentivo e estímulo à
• Microcrédito: a concentração geográfica
contratação do extrato consolidado
do agente de microcrédito busca melhorar
eletrônico, disponibilizado pela
a produtividade desse profissional e o
internet aos clientes Pessoa Física com
atendimento ao cliente, além de diminuir
conta-corrente que recebem o extrato
a necessidade de deslocamento (uso de
consolidado por correio. Essa iniciativa
serviços coletivos) dentro das praças de
visa à redução do consumo de papel.
atuação.
• Pequenas e Médias Empresas: Área
• Microcrédito: A digitalização dos
Empresas – campanha de incentivo (via
documentos possibilita a economia em
warnings e mensagens) ao recebimento
cópias, impressão, papel e arquivamento.
do extrato mensal consolidado via PDF. Ao • Seguros: a Apólice Eletrônica, projeto
final de 2011, aproximadamente 100 mil
iniciado em 2011 e cuja implantação
clientes já haviam aderido ao extrato em
deve ocorrer em 2012, tem como foco as
PDF, com uma média de adesão de 12 mil
operações com pessoas físicas e jurídicas.
176
Meio ambiente
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Peso de materiais por tonelada (EN1)
Uso de materiais (t)
2011
Cheques 1
764
Correspondências
4.513
Resmas A4 – agências
4.111
Outros tipos de papel
2.264
Total de papel
2
11.652
3,4
235,75
Material de TI
254
Plástico (PVC) 3,5
Total de material consumido
12.142
¹ Para o cálculo são multiplicados o volume médio de folhas impressas e talões de cheques fabricados pelo peso médio de uma folha (6,584 g). Também é considerada a
folha para correspondência (4,8 g).
² O papel consumido pelo Itaú Unibanco está relacionado a faturas de cartão de crédito emitidas, cartas de senha, cartas de cobrança e outros tipos de correspondência com o cliente.
3
Materiais provenientes de origem não renovável.
4
A quantidade de materiais de TI (monitores, desktops e notebooks) foi levantada mensalmente e os materiais, separados por tipo. O valor total de material consumido foi
realizado através do peso médio de cada equipamento por tipo, multiplicado pelo número levantado.
5
O consumo de plástico refere-se à confecção de cartões de crédito. É considerado o volume de cartões emitidos no ano multiplicado pelo peso médio de um cartão (5 gramas). As
informações são de responsabilidade da gerência de Planejamento e Controle da Produção da Logística de Tangíveis. O corpo do cartão é feito em PVC e são agregados outros
elementos, como tarja magnética (óxido de ferro), painel de assinatura e holograma (poliéster).
Peso total de resíduos, por tipo e método de disposição (EN22)
Total de resíduos (t)
Resíduos não perigosos
Resíduos perigosos
Resíduos não especificados
Resíduos por destinação (t)
Resíduos não perigosos
Compostagem
2010
2011
13.902
12.396,89
239,57
2.487,75
15 unidades de tubos de TV
70.968 unidades de lâmpadas
4.901 cartuchos
-
6,7
2010
2011
-
12.396,89
216,2
351,44
7.836,7
10.282,09
Aterro sanitário*
2.045
1.549,06
Aterro industrial
76
214,30
80
-
Reciclagem
Incineração
Leilão
Resíduos perigosos
Reciclagem
20.624 unidades
-
-
2.487,75
235,81
70.968 unidades de lâmpadas
4.901 cartuchos
2.484,45
Aterro sanitário
0,55
0
Desativação eletrotérmica
0,83
0,7
2,4
2,6
15 unidades
-
Aterro industrial
Reutilização
Resíduos não especificados
6,7
Destinação não especificada
6,7
* Em 2011, houve uma redução da quantidade de resíduos enviados para aterro, por conta da ampliação da compostagem das sobras das bandejas dos restaurantes.
* Os resíduos laboratoriais são tratados por empresa especializada em processo de desativação eletrotérmica; após o processo, ele é destinado ao aterro sanitário
como resíduo comum (não infectante).
177
Meio ambiente
Impactos de transporte
O transporte de colaboradores,
resíduos, malotes, cargas e materiais
da organização acarretam impactos
ambientais, por meio de emissões
atmosféricas e do uso de energia,
considerados pouco significativos. Para
mitigar esses impactos, otimizamos e
reduzimos o número de embarques por
meio da medição da quilometragem
percorrida nos trajetos. (EN29)
Controlamos e monitoramos as
emissões atmosféricas do uso de
geradores de energia elétrica (fontes
estacionárias com combustão a óleo
diesel) e das fontes móveis (veículos
com fonte de combustível a óleo
diesel), sejam estes próprios ou
veículos terceirizados a serviço do Itaú
Unibanco. (EN29)
Para realizar esse monitoramento
utilizamos o anel de Ringelmann, uma
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
escala gráfica para avaliação colorimétrica
visual, que auxilia no processo de
identificação do nível de emissões, seja
de fontes fixas ou moveis. (EN29)
Como exemplo de ações destacamos
o transporte de colaboradores para os
polos administrativos e entre os polos
administrativos:
• disponibilização de vans que
circulam entre os polos, facilitando
o transporte dos colaboradores,
evitando o uso desnecessário de táxis
e, consequentemente, diminuindo as
emissões de CO2;
•o
timização das rotas de transporte
de colaboradores entre prédios
administrativos, que contribuíram para
melhorar eficiência;
• r ealização de uma campanha para
incentivar o uso de vans, em vez
de táxis, para os colaboradores
se deslocarem entre os polos
administrativos; (EN7)
Investimentos em disposição de resíduos, tratamento de
emissões, prevenção e gestão ambiental (em reais) (EN30)
2010
2011
Disposição de resíduos e tratamento de emissões
Tratamento e disposição de resíduos
1.516.945,88
344.301,55
Tratamento de emissões*
1.379.373,71
6.032.093,00
Subtotal
2.896.319,59
6.376.394,55
Serviços externos de gestão ambiental**
47.500,00
208.596,48
Certificação externa de sistemas de gestão
365.688,66
25.150,00
-
20.000,00
Despesas extras para instalar tecnologias mais
limpas
1.130.700,00
756.747,80
Subtotal
1.543.888,66
1.010.494,28
Total
4.440.208,25
7.386.888,83
Prevenção e gestão ambiental
Pessoal para atividades gerais de gestão ambiental
* O valor apresentado engloba investimento com lavador de gases, retrofit das máquinas de arcondicionado, instalação de salas de telepresença e compra de cinco equipamentos para minimização da
emissão de poluentes, com o uso do catalisador.
** Elaboração e asseguração do inventário de GEE.
Essas iniciativas envolveram ações de
endomarketing, melhoria da qualidade
das vans e disponibilização de relatórios
aos gerentes do banco.
Investimentos ambientais
Em 2011, o Itaú Unibanco investiu
R$ 6.376.394,55 no tratamento e na
disposição dos resíduos e no tratamento
de emissões e R$ 1.010.494,28 em
prevenção e gestão ambiental,
totalizando R$ 7.386.888,83. Na
comparação com 2010, houve um
aumento de 66% nos investimentos, já
que em 2011 houve investimentos em
retrofit das máquinas de ar-condicionado,
compra de equipamentos para
minimização da emissão de poluentes,
projeto e implementação de salas de
telepresença e videoconferência no Brasil
e no exterior, gastos com lavador de
gases e implementação da ETE em um
importante prédio administrativo. (EN30)
178
Prêmios e reconhecimentos
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Prêmios e reconhecimentos
Conheça, a seguir, os principais
prêmios e reconhecimentos recebidos
pelo Itaú Unibanco em 2011
(Perfil 2.10)
Performance e eficiência
• Pela sexta vez consecutiva, o Itaú
critérios avaliados estão Adequação
de Capital, Qualidade dos Ativos,
Unibanco recebeu o Certificado Top
Consumidor – Excelência nas Relações de Gestão, Ganhos e Liquidez.
Consumo e Respeito ao Meio Ambiente,
• Banco brasileiro mais bem colocado
da revista Consumidor Teste.
• Selecionado como o melhor banco da
América Latina e o segundo maior da
região no levantamento Os 25 Melhores
Bancos da América Latina, realizado
pela revista América Economia. Entre os
no ranking Safest Emerging Market
Banks (quarto lugar), realizado pela
revista Global Finance, em que são
classificados os 10 Bancos Mais
Seguros de Mercados Emergentes da
América Latina.
• No Prêmio Paulista de Qualidade
da Gestão, do Instituto Paulista
de Excelência na Gestão, a área
de Asset Management do Itaú
Unibanco ganhou o Troféu
Governador do Estado (Médias
Empresas), na categoria Nível III.
Na mesma premiação, a Unidade
de Custódia Local (DSMC) do
banco recebeu Medalha de Prata
categoria Nível II.
179
Prêmios e reconhecimentos
• O Itaú BBA foi reconhecido pela
publicação Latin Finance como Best
Investment Bank for Brazil.
• No ranking Valor Multinacionais
Brasileiras, do Valor Econômico/Sobeet,
o Itaú Unibanco ocupou a 35ª posição.
• Terceiro colocado na categoria bancos
e 16º na classificação geral, no Ranking
Exame IBRC de Atendimento ao
Cliente, concedido pelo Instituto Ibero
Brasileiro de Relacionamento com
Cliente (IBRC) e pela revista Exame.
• Reconhecido na categoria Marketing
Promocional do Prêmio Lide de
Marketing Empresarial, concedido pelo
Grupo de Líderes Empresariais e pela
Editora Referência, pela campanha
“O Itaú paga metade”, da Itaucard. A
Itautec também ganhou o prêmio pela
campanha de parceria com o Instituto
Ayrton Senna, na categoria Marketing
Institucional.
• Premiado na categoria Melhor
Governança Corporativa do setor
bancário no ranking As Melhores da
Dinheiro, promovido pela revista Istoé
Dinheiro.
• O Guia de Investimentos Pessoais 2011:
Os melhores investimentos do país e os
maiores rendimentos para sua marca,
da revista Exame, reconheceu o Itaú
Unibanco nas categorias: Melhor
Gestor de Fundos de Ações que
Seguem Índices de Mercado e Melhor
Gestor de Fundos Multimercados que
Investem em Juros e Moedas.
• O Itaú Unibanco alcançou o segundo
lugar nas categorias Melhor Amigo
do Esporte do Estado de São Paulo e
Melhor Amigo do Esporte do Estado de
Goiás no Prêmio Empresário Amigo do
Esporte.
• Destaque na categoria Bancos
no Prêmio de Qualidade de
Relacionamento Multicanal, realizado
pela revista Consumidor Moderno e pela
Consultoria Izo Brasil.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
• Primeiro colocado, pela segunda vez
consecutiva, na lista dos 50 maiores
bancos brasileiros por patrimônio do
ranking Melhores e Maiores da Exame,
realizado anualmente pela revista
Exame. Também obteve a terceira
colocação na relação das 100 maiores
empresas de capital aberto por valor de
mercado.
• Pela terceira vez consecutiva, o banco
ganhou o prêmio Top Hospitalar, na
categoria Serviços Financeiros.
• A IR Magazine, publicação global
sobre relação com investidores, em
parceria com a PR Newswire/revistas
RI e Ibri, premiou o Itaú Unibanco,
na categoria Grand Prix, pelo melhor
programa de relações com investidores,
considerando as empresas large cap.
• Pela segunda vez consecutiva, o Itaú
Unibanco recebeu prêmios em diversas
categorias no Prêmio Segurador Brasil,
organizado pela Editora Brasil Notícias.
• Roberto Setubal, presidente do Itaú
Unibanco, foi eleito o banqueiro do ano
pela revista Euromoney, no Euromoney
Awards for Excellence. Foi a primeira
vez que um CEO de um banco de
mercados emergentes recebeu esse
reconhecimento. O Itaú Unibanco
foi premiado como melhor banco da
América Latina pela quarta vez e como
melhor do Brasil pela 13ª vez.
• Listado no ranking geral da Agência
Estado como uma das instituições
cujas projeções para os principais
indicadores econômicos do país mais
se aproximam da realidade.
• No prêmio Consumidor Moderno de
Excelência em Serviços ao Cliente, da
revista Consumidor Moderno, o Itaú
Unibanco foi reconhecido na categoria
Cartões de Crédito.
• No prêmio Top of Mind Internet,
realizado pelo provedor de internet
UOL, em parceria com o Instituto
Datafolha, para destacar as marcas mais
lembradas pelos consumidores em
diversas categorias, o Itaú Unibanco
venceu na categoria de bancos.
• A empresa norte-americana NICE
Systems, uma das líderes mundiais em
soluções, considerou o Itaú Unibanco,
em seu prêmio NICE Customer
Excellence, o Melhor Usuário da
Ferramenta Mais Utilizada do Mundo
para Gestão de Call Center.
• Selecionado como Melhor Banco em
Mercados Emergentes – região Brasil,
na categoria Best Emerging Market
Bank in Latin America, segundo a
revista Global Finance.
• Em 2011, os destaques foram:
Melhor Desempenho Global; Melhor
Desempenho; Destaque/Líder de
Vendas.
• Pela quinta vez consecutiva, o
Itaú Unibanco recebeu da revista
Euromoney o prêmio Best Managed
Companies in Latin America Survey.
Concorrendo pelo setor de Bancos
e Finanças, o banco foi premiado
na categoria Most Convincing and
Coherent Strategy.
• Eleito pela revista inglesa Global
Custodian como Melhor Custodiante
Brasileiro.
• Considerado pela revista Euromoney
Best Private Banking Services Overall in
Brazil e Best Private Banking Services
Overall in Peru.
• A revista Global Finance concedeu ao
Itaú BBA o prêmio Best Trade Finance
Banks, na categoria Best Trade Finance
in Brazil.
• Eleito, pela terceira vez consecutiva,
Best Foreign Exchange Bank, pela
revista Global Finance.
• Selecionado como Outstanding Private
Banking in Latin America pela revista
Private Banker International.
• Eleito pelas publicações The Banker e
Professional Wealth Management Best
Private Bank in Brazil e Best Private
Bank in Latin America.
180
Prêmios e reconhecimentos
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Sustentabilidade
Tecnologia da informação/Internet
Recursos Humanos
• Reconhecido como uma das
20 empresas referências em
sustentabilidade no Brasil, na 12ª edição
do Guia Exame de Sustentabilidade.
• Vencedor do Prêmio INFO, concedido
pela revista INFO/Exame, na categoria
Banco Mais Conectado. Alexandre de
Barros, vice-presidente de Tecnologia
do Itaú Unibanco, foi escolhido como
Melhor CIO.
Uma das 150 Melhores Empresas para
Trabalhar do Brasil, segundo ranking
elaborado pelas revistas Você S/A e
Exame.
• Vencedor do 2011 Sustainable Finance
Awards: Banco Mais Sustentável do
Mundo, concedido pelo jornal britânico
Financial Times e pela IFC (International
Finance Corporation), braço para o
setor privado do Banco Mundial.
• Selecionado, pelo 12º ano consecutivo,
para compor a carteira do Dow Jones
Sustainability World Index (DJSI). O
Itaú Unibanco é o único banco latinoamericano a participar do índice desde
a sua criação.
• Agraciado com o Prêmio Época de
Mudanças Climáticas, na categoria
Serviços, pela revista Época.
• Presente no ranking das 50 Empresas
do Bem, realizado pela revista Istoé
Dinheiro, reconhecido como uma
empresa que une sustentabilidade e
saúde financeira.
• Alcançou a 18º colocação no ranking
internacional Top 1.000 Sustainable
Companies, compilado pela consultoria
americana Justmeans. O Itaú Unibanco
foi a empresa brasileira mais bem
colocada nessa listagem.
• No Prêmio Relatório Bancário, da
Cantarino Brasileiro, o Itaú Unibanco
recebeu os reconhecimentos de Melhor
Data Center, Melhor Serviço de Mobile
Banking, Melhor em Serviço Tablet e
Personalidade Financeira em TI (Luis
Rodrigues).
• Vencedor do prêmio Datacenter
Leaders Awards, condedido pela
Datacenter Dynamics.
• Reconhecido em cinco categorias do
prêmio E-finance, realizado pela revista
Executivos Financeiros: Melhor e Mais
Inovadora Central de Atendimento;
Cash Mais Rápido do Mundo; Aplicativo
Ipad; WMS Atualização Tecnológica;
e Profissional TI do ano (Alexandre de
Barros, vice-presidente de Tecnologia).
• Considerado uma das Melhores
Empresas para Trabalhar, segundo
pesquisa do Great Place to Work e da
revista Época. O banco também foi
premiado nas categorias: Empresas
Mais Procuradas para Trabalhar e
Empresa que Mais Contrata Pessoas.
• O vice-presidente do Itaú Latam,
Ricardo Marino, foi reconhecido como
Referência da Humanidade pela
Fundação Internacional de Jovens
Líderes.
• Eleita uma das 20 empresas mais
admiradas pelos RHs do Brasil,
segundo pesquisa nacional realizada
anualmente pela revista Gestão RH.
• Na 10ª edição da pesquisa Empresas
dos Sonhos dos Jovens, realizada pela
consultoria Cia de Talentos, o banco
foi apontado, pela quinta vez, como
uma das empresas mais desejadas para
trabalhar. Também conquistou o sexto
lugar no ranking e é a única instituição
financeira entre as 10 empresas
escolhidas.
181
Prêmios e reconhecimentos
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Marca e reputação
• Listado entre as 15 empresas de
maior prestígio do Brasil no prêmio As
Empresas de Maior Prestígio no Brasil,
realizado anualmente pela revista
Época Negócios, em parceria com o
Grupo Troiano de Branding.
• O Itaú Unibanco foi considerado
uma das dez marcas mais valiosas do
mercado brasileiro, de acordo com
ranking elaborado pela Brand Finance/
Superbrands.
• Em 2011, o Itaú Unibanco conquistou
o primeiro lugar do ranking da
consultoria Interbrand, sendo
reconhecido como a Marca mais Valiosa
do Brasil.
• No prêmio As Empresas Mais
Admiradas no Brasil, da revista Carta
Capital, o Itaú Unibanco foi vencedor
na categoria Banco de Varejo e listado
como a sexta empresa mais admirada
do país. Roberto Setubal foi escolhido
como o quinto executivo mais
admirado do Brasil.
• Vencedor do Troféu Ponto Extra, da
Associação Paulista dos Supermercados
(Apas), pelo Melhor Anúncio Trade.
• No prêmio Melhores Empresas que se
Comunicam com Jornalistas, realizado
pela revista Negócios da Comunicação,
em parceria com a consultoria britânica
BDO, o Itaú Unibanco foi reconhecido
em duas categorias: Financeiro e Bens
de Capital.
• Reconhecido pela melhor estratégia
de marketing, na categoria Produto
Bancário, na oitava edição da
premiação As Grandes Sacadas de
Marketing.
• No ranking das Marcas Mais Valiosas
do Brasil, realizado desde 2006 pela
revista IstoÉ Dinheiro, em parceria com a
Brand Analytics, o banco conquistou o
segundo lugar, tornando-se a instituição
financeira mais valiosa do país.
• Na pesquisa Marcas Objeto de Desejo,
realizada pela revista Consumidor
Moderno, em parceria com a Shopper
Experience, o Itaú Personnalité foi
reconhecido como a principal marca
na categoria Bancos de Alta Renda, e
o Private venceu na categoria Bancos
Private.
• Vencedor do Prêmio Intangíveis Brasil
(PIB), realizado pelo Grupo Padrão/
DOM Strategy Partners, na categoria
Governança Corporativa. Além disso,
o banco ocupa a segunda colocação
no Reputation Index, ranking geral
de reputação elaborado pelo Grupo
Padrão.
• Primeiro lugar entre as instituições
financeiras do país no ranking Top
1.000 World Banks, elaborado pela
revista britânica The Banker, do grupo
Financial Times. No ranking geral de
bancos mundiais, o Itaú Unibanco
ocupa a 34ª posição. Além disso, foi o
12º colocado na lista dos bancos mais
lucrativos do mundo.
• Prêmio da Associação Brasileira de
Comunicação Empresarial (Aberje),
na categoria Comunicação nas Crises
Empresariais, com o case “Mamaço Itaú
Cultural – do limão à limonada: como
transparência, agilidade de resposta,
reconhecimento do próprio erro e
apoio a uma causa legítima mudaram o
curso de uma crise de imagem”.
• Top of Mind na categoria bancos pelo
terceiro ano consecutivo, segundo
a pesquisa feita pela Associação
Brasileira dos Anunciantes (ABA), em
parceria com a consultoria de branding
TopBrands.
• Fernando Chacon, diretor de Marketing
do Itaú Unibanco, foi prestigiado nas
categorias São Paulo e Brasil do prêmio
Profissional de Marketing, concedido
pela revista Marketing, em parceria com
a Academia Brasileira de Marketing
(ABM).
• Eleito Top Executivo, na categoria
Private Banking, no prêmio Top of
Mind, que é realizado pela revista
Amanhã e reconhece as empresas
mais proeminentes do mercado do Rio
Grande do Sul.
• Vencedor, com quatro cases (nas
categorias: Campanha e Call Center),
do Prêmio Abemd, realizado pela
Associação Brasileira de Marketing
Direto (Abemd).
• No ranking das 100 empresas mais
valiosas do mundo, compilado pelo
jornal britânico Financial Times,
alcançou a terceira melhor colocação
entre as empresas latino-americanas.
182
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Índice remissivo GRI
(Perfil 3.12)
O relatório de sustentabilidade GRI do Itaú Unibanco atende aos requisitos para o nível A de aplicação GRI,
de acordo com os parâmetros ressaltados na tabela a seguir:
Não exigido
Indicadores de
desempenho da
G3 & indicadores
de desempenho
do Suplemento
Setorial
Responder a um mínimo
de 10 indicadores de
desempenho, incluindo
pelo menos um de cada
uma das seguintes áreas
de desempenho: social,
econômico e ambiental.
B+
A
O mesmo exigido
para o nível B
Informações sobre a
forma de gestão para cada
categoria de indicador
Responder a um mínimo
de 20 indicadores de
desempenho, incluindo
pelo menos um de cada
uma das seguintes áreas de
desempenho: econômico,
ambiental, direitos humanos,
práticas trabalhistas,
sociedade, responsabilidade
pelo produto.
Forma de gestão divulgada
para cada categoria de
indicador
Responder a cada indicador
essencial da G3 e do
Suplemento Setorial com
a devida consideração ao
Princípio da Materialidade
de uma das seguintes
formas: (a) respondendo ao
indicador ou (b) explicando
o motivo da omissão.
Itens de perfil
Estratégia e análise
Item
Descrição
1.1
Mensagem do presidente
1.2
Descrição dos principais impactos, riscos e oportunidades
Página/Resposta
6e9
5, 14 e 48
Perfil organizacional
Item
Descrição
A+
Página/Resposta
2.1
Nome da organização
2.2
Principais marcas, produtos e/ou serviços
2.3
Estrutura operacional da organização
2.4
Localização da sede da organização
2.5
Países em que a organização opera e em que suas principais
operações estão localizadas
2.6
Tipo e natureza jurídica da propriedade
2.7
Mercados atendidos
25, 54, 59, 62, 73, 75, 78, 83, 87 e 88
2.8
Porte da organização
23, 24 e 27
Itaú Unibanco Holding S.A.
23, 24 e123
24, 25 e 43
http://ww13.itau.com.br/portalri/index.aspx?idioma=port /
Conheça o Itaú Unibanco/Empresas relacionadas
Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, nº 100,
Torre Olavo Setubal – São Paulo (SP), Brasil.
25
http://ww13.itau.com.br/portalri/index.aspx?idioma=port /
Conheça o Itaú Unibanco/Empresas relacionadas
111
Itaú Unibanco Holding S.A. é uma sociedade anônima de
capital aberto
Com verificação externa
Forma
de gestão
da G3
B
Responder a todos os
critérios elencados
para o nível C, mais:
1.2;
3.9, 3.13;
4.5 a 4.13;
4.16 a 4.17
Com verificação externa
Perfil da G3
Responder aos itens:
1.1;
2.1 a 2.10;
3.1 a 3.8, 3.10 a 3.12;
4.1 a 4.4, 4.14 a 4.15
C+
Com verificação externa
Conteúdo do relatório
C
183
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
2.9
Principais mudanças durante o período coberto pelo relatório
26
2.10
Prêmios recebidos no período coberto pelo relatório
178
Parâmetros para o relatório
Item
Descrição
Página/Resposta
3.1
Período coberto pelo relatório para as informações
apresentadas
3.2
Data do relatório anterior mais recente
3.3
Ciclo de emissão de relatórios
5
3.4
Dados para contato em caso de perguntas relativas ao
relatório ou seu conteúdo
5
3.5
Processo para definição do conteúdo do relatório
3.6
Limite do relatório
3.7
Declaração sobre quaisquer limitações específicas quanto ao
escopo ou ao limite do relatório
3.8
Base para a elaboração do relatório
5
5
O relatório anterior foi publicado no início de 2011.
5, 34 e 37
5 e 25
5
5
3.9
Técnicas de medição de dados e as bases de cálculos
As técnicas de medição, as bases para os cálculos e as hipóteses
de medição utilizadas nas estimativas para compilação dos
indicadores e de outras informações do relatório seguem, em
grande parte, aquelas propostas pelas diretrizes GRI G3.1 para
relatórios de sustentabilidade. Nos casos em que há divergência,
as definições encontram-se em notas de rodapé dos indicadores
3.10
Reformulações de informações fornecidas em relatórios
anteriores
Não houve.
3.11
Mudanças significativas de escopo, limite ou métodos de
medição aplicados no relatório
Alteração de metodologia: em 2010, para o indicador EN1
reportamos a quantidade de papel comprado; em 2011,
reportamos a quantidade de papel utilizado.
3.12
3.13
Tabela que identifica a localização das informações no
relatório
Política e prática atual relativa à busca de verificação externa
para o relatório
5 e 182
5
Governança, compromissos e engajamento
Item
Descrição
4.1
Estrutura de governança da organização, incluindo comitês
do alto órgão de governança
4.2
Presidência do mais alto órgão de governança
4.3
4.4
Membros independentes ou não-executivos do mais alto
órgão de governança
Mecanismos para que acionistas e empregados façam
recomendações
Página/Resposta
45 e 46
www.itauunibanco.com.br/ri
O presidente do Conselho de Administração não é CEO
da organização nem diretor executivo.
45
111 e 143
184
Indicadores GRI – Formas de gestão
4.5
Relação entre remuneração e o desempenho da organização
(incluindo social e ambiental)
4.6
Processos para assegurar que conflitos de interesse sejam
evitados
4.7
Qualificações dos membros do mais alto órgão de governança
4.8
4.9
4.10
4.11
4.12
4.13
4.14
4.15
Declarações de missão e valores, códigos de conduta e
princípios internos relevantes
Responsabilidades pela implementação das políticas
econômicas, ambientais e sociais
Processos para a autoavaliação do desempenho do mais alto
órgão de governança
Explicação de se e como a organização aplica o princípio da
precaução
Cartas, princípios ou outras iniciativas desenvolvidas
externamente
Participação em associações e/ou organismos nacionais/
internacionais
Relação de grupos de stakeholders engajados pela
organização
Base para a identificação e seleção de stakeholders com os
quais se engajar
4.16
Abordagens para o engajamento dos stakeholders
4.17
Principais temas e preocupações levantados por meio do
engajamento dos stakeholders
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
O Itaú Unibanco privilegia a remuneração variável, que
corresponde a parte significativa da remuneração total paga aos
administradores.
O Comitê de Remuneração, criado para discutir a remuneração
dos principais executivos do banco, visa alinhar as melhores
práticas de governança nacionais e internacionais, bem como
assegurar o balanceamento de práticas de gestão de risco da
instituição. O Comitê de Nomeação e Governança Corporativa
é responsável pelos processos de avaliação da performance do
Conselho de Administração.
A remuneração anual dos membros do Conselho de
Administração é composta de (i) honorários fixos mensais;
(ii) remuneração variável de longo prazo (plano para outorga
de opções de ações); e (iii) plano de benefícios. O plano para
outorga de opções de ações, além de atrair, motivar e integrar
os administradores no processo de desenvolvimento da
instituição para o médio e o longo prazos, faculta-lhes participar
da valorização que seu trabalho e dedicação trouxerem para
as ações representativas do capital do emissor. Além disso, o
referido plano alinha os interesses dos administradores aos dos
acionistas do emissor, na medida em que se compartilham os
mesmos riscos e ganhos proporcionados pela valorização de
suas ações.
Os principais indicadores de desempenho da organização
utilizados para estabelecer a remuneração variável são o
Resultado Gerencial Operacional (RGO) e a Criação de Valor (CV).
(RGO – Custo de Capital).
45
45 e 46
30, 44, 85, 119, 120, 122 e 150
O Código de Ética Itaú Unibanco foi elaborado ao longo
de um ano a partir de consultas internas (com cerca de 700
administradores e colaboradores) e, a fim de alinhá-lo a padrões
mundiais, realizamos benchmarks com empresas e instituições de
vários países.
40 e 56
45 e 46
48
5, 47, 81 e 119
57
5 e 110
110
5, 38, 70, 111, 113, 150, 154 e 155
116 e 118
Essas informações estão disponíveis no capítulo Estratégia
de Sustentabilidade e se baseiam no resultado do painel de
consulta a especialistas realizado em 9 de dezembro de 2011.
185
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Formas de gestão
Forma de gestão
PS
Aspectos
Carteira de produtos
55
Auditorias
56
Participação ativa
Desempenho econômico
EC
151
Impactos econômicos indiretos
157
170 e 197
Água
170 e 197
Emissões, efluentes e resíduos
Conformidade
94
173 e 177
Geral
174
Emprego
198
Relação entre trabalhadores e a governança
142
Saúde e segurança no trabalho
Treinamento e educação
198 e 199
50, 64, 71, 80 e 85
197 e 198
Igualdade de remuneração para homens e mulheres
138
Processo de compra
199
Não discriminação
199
Liberdade de associação
199
Trabalho infantil
199
Trabalho forçado/escravo
199
Práticas de segurança
200
Direitos indígenas
76
Avaliações
75 e 76
Remediação
75 e 76
Comunidade
199
Corrupção
198
Políticas públicas
199
Comportamento anticompetitivo
198
Conformidade
PR
170, 172 e 173
175
Diversidade e igualdade de oportunidades
SO
196
Produtos e serviços
Transporte
HR
170, 175 e 197
Energia
Biodiversidade
LA
44
196 e 197
Presença no mercado
Materiais
EN
Página/Resposta
17 e 119
Saúde e segurança do cliente
199
Rotulagem de produtos e serviços
199
Comunicação e marketing
199
Privacidade do cliente
199
Compliance
199 e 200
186
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Indicadores de desempenho
Desempenho Econômico
Descrição
Página/Resposta
Pacto
Global
Valor econômico direto gerado
e distribuído
28
O modelo utilizado segue as normas da Comissão de Valores Mobiliários
(CVM). As contribuições às fundações e institutos estão divulgadas na
nota explicativa 22 – Informações Complementares (do item “e” ao “j”) e
no Relatório da Administração.
-
52, 79, 99 e 102
7
105 e 139
-
154, 164 e 167
-
Indicador
Desempenho econômico
EC1
EC2
EC3
EC4
Implicações financeiras e outros
riscos e oportunidades devido a
mudanças climáticas
Cobertura das obrigações do
plano de pensão de benefício
Ajuda financeira significativa
recebida do governo
Presença no mercado
EC5
Variação da proporção do
salário mais baixo, comparado
ao salário-mínimo local,
por gênero, em unidades
operacionais importantes.
EC6
Políticas, práticas e proporção
de gastos com fornecedores
locais
EC7
Contratação local
O salário mais baixo para colaboradores que trabalham em período
integral, em 2011, foi de R$ 622,00 – igual para ambos os gêneros.
Em 2010, era de R$ 510,00. Nos dois anos, os valores equivaliam ao
salário-mínimo nacional praticado no período. Todas as empresas
administradas pela área de pessoas foram consideradas significativas e
incorporadas na avaliação dos dados.
1
150 e 151
-
143
6
144, 147, 157, 158 e 160
-
68, 147, 164 e 166
-
Página/Resposta
Pacto
Global
175 e 176
8
175
8e9
173
8
Impactos econômicos indiretos
EC8
EC9
Impacto de investimentos em
infraestrutura oferecidos para
benefício público
Descrição de impactos
econômicos indiretos
significativos
Desempenho Ambiental
Indicador
Descrição
Materiais
EN1
EN2
Materiais usados por peso ou
volume
Percentual dos materiais usados
provenientes de reciclagem
Energia
EN3
EN4
EN5
Consumo de energia direta
discriminado por fonte de
energia primária
173
Consumo de energia indireta
Toda a energia comprada pelo banco é proveniente de concessionárias,
discriminado por fonte primária e no Brasil não há uma legislação que determine o fornecimento da
fonte de energia utilizada pelas distribuidoras.
Energia economizada por meio
de melhorias em conservação
170 e 174
e eficiência
8e9
8
187
EN6
EN7
Indicadores GRI – Formas de gestão
Iniciativas para fornecer
produtos e serviços com baixo
consumo de energia
Iniciativas para reduzir o
consumo de energia indireta e
as reduções obtidas
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
174
-
174, 175 e 177
-
172
8e9
Água
EN8
Total de água retirada por fonte
EN9
Fontes hídricas
significativamente afetadas
por retirada de água
EN10
Percentual e volume total de
água reciclada e reutilizada
172
O consumo de água do banco não afeta significativamente suas
fontes hídricas, pois os prédios administrativos e as agências utilizam
água apenas para atender às necessidades básicas dos funcionários, à
refrigeração e à limpeza do ambiente.
172
O percentual de água reciclada/reutilizada em relação o total de água
consumida (EN8) é de 2%.
8
8
Biodiversidade
EN11
EN12
EN13
Localização e tamanho da área
possuída
Impactos significativos na
biodiversidade de atividades,
produtos e serviços
Habitats protegidos ou
restaurados
171
Como a maioria das operações do Itaú Unibanco se situa em áreas
urbanas, não realizamos o monitoramento dos impactos de nossas
atividades na biodiversidade.
Como a maioria de nossas operações se situa em áreas urbanas, não há,
no momento, habitats protegidos ou restaurados pelo Itaú Unibanco.
71, 96 e 99
A maior parte de nossas atividades ocorre em áreas urbanas e, por
tal razão, o banco não dispõe de estratégia para mitigar impactos na
biodiversidade. O tema é endereçado nas políticas, nas avaliações e no
monitoramento, no momento da concessão de crédito para empresas.
EN14
Estratégias para gestão de
impactos na biodiversidade
EN15
Numero de espécies na Lista
Como a maior parte de nossas atividades se dá em áreas urbanas, não
Vermelha da IUCN e outras listas
possuímos sistema de monitoramento de espécies ameaçadas.
de conservação
8
8
-
-
-
Emissões, efluentes e resíduos
EN16
EN17
EN18
EN19
Total de emissões diretas e
indiretas de gases de efeito
estufa
Outras emissões indiretas
relevantes de gases de efeitos
estufa
Iniciativas para reduzir as
emissões de gases de efeito
estufa e as reduções obtidas
Emissões de substâncias
destruidoras da camada de
ozônio
173
8
173
8
172 e 173
7, 8 e 9
173
8
EN20
NOx, SOx e outras emissões
atmosféricas significativas
173
A empresa não tem emissões significativas de POP, VOC, HAP, e emissões
de chaminé e fugitivas.
8
EN21
Descarte total de água, por
qualidade e destinação
172
8
EN22
Peso total de resíduos, por tipo
e método de disposição
EN23
Número e volume total de
derramamentos significativos
EN24
Peso de resíduos transportados
considerados perigosos
171 e 176
O Itau não destina seus resíduos para reutilização, recuperação,
incineração, injeção subterrânea, nem os armazena dentro das
propriedades do banco.
Dada a natureza de nosso negócio, nossas atividades não geram
derramamentos significativos.
Todo resíduo perigoso transportado é referente aos resíduos gerados
pelo Itaú Unibanco. Sendo assim, são transportadas 2.487,75 toneladas
da organização para as empresas responsáveis pelo tratamento.
8
8
-
188
Indicadores GRI – Formas de gestão
EN25
Descrição de proteção e índice
de biodiversidade de corpos
d’água e habitats
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
172
O descarte, que ocorre via estações de tratamento de esgoto (ETEs), não
afeta significativamente os corpos d’água ou habitats
-
Produtos e serviços
EN26
Iniciativas para mitigar os
impactos ambientais
170, 171, 174 e 175
Por conta da natureza do negócio, o banco não gera impactos
significativos no uso da água, de efluentes, e poluição sonora. Além
disso, os programas voltados para a redução de materiais minimizam,
consequentemente, a produção de resíduos provenientes do papel.
EN27
Percentual de produtos e
embalagens recuperados, por
categoria de produto
Não Material
Valor de multas significativas
e número total de sanções
resultantes de não
conformidade com leis e
regulamentos ambientais
Nos últimos dois anos, não houve multas significativas (acima de R$
500 mil) ou sanções não monetárias por não conformidade com leis e
regulamentos.
7, 8 e 9
8e9
Conformidade
EN28
8
Transporte
EN29
Impactos ambientais referentes
ao transporte de produtos e de
trabalhadores
173 e 177
8
Total de investimentos e gastos
em proteção ambiental
177
Não houve operações ou incidentes que demandassem gastos ou investimentos com remediação.
7, 8 e 9
Geral
EN30
Desempenho Social – Práticas Trabalhistas e Trabalho Decente
Indicador
Descrição
Página/
Resposta
Pacto
Global
123 e 124
-
129
6
139
-
Emprego
LA1
LA2
LA3
Total de trabalhadores, por
tipo de emprego, contrato de
trabalho e região, discriminados
por gênero
Numero total e taxa de novas
contratações de funcionários e
de rotatividade de empregos,
por faixa etária, gênero e região
Benefícios oferecidos a
empregados de tempo integral
que não são oferecidos a
empregados temporários ou
em regime de meio período,
discriminados por unidades
operacionais significativas
Relações entre trabalhadores e a governança
LA4
LA5
Percentual de empregados
abrangidos por acordo de
negociação coletiva
Todos os nossos empregados baseados no Brasil são abrangidos por
acordos de negociação coletiva.
1, 2 e 3
Descrição de notificações
(prazos e procedimentos)
Os acordos coletivos e as políticas internas não estabelecem prazo
mínimo para informar aos trabalhadores as mudanças de estrutura,
processuais e outras que influenciem direta ou indiretamente o dia a
dia de trabalho. No entanto, o banco comunica com a antecedência
necessária, de acordo com o grau de impacto que essas mudanças
terão na vida do colaborador. Em 2011, não houve nenhum caso de
mudança significativa.
-
189
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Saúde e segurança no trabalho
LA6
LA7
LA8
LA9
Percentual dos empregados
representados em comitês
formais de segurança e saúde
Taxas de lesões, doenças
ocupacionais, dias perdidos,
absenteísmo e óbitos
relacionados ao trabalho, por
região e por gênero
Programas de educação,
prevenção e controle de risco
Temas relativos a segurança
e saúde cobertos por acordos
formais com sindicatos
141
130
Não há pessoalidade na prestação dos serviços terceirizados, o que
resulta em controle ausente de taxas de lesões, doenças ocupacionais,
dias perdidos, absenteísmo e óbitos relacionais para trabalhadores
contratados.
1, 2 e 3
1
134
1
141
1
137
6
131
-
121 e 138
-
125, 126, 127 e 128
1e3
138
1, 2 e 3
Treinamento e educação
LA10
LA11
LA12
Média de horas de treinamento
por ano, por funcionário, por
gênero, discriminadas por
categoria funcional
Programas para gestão de
competências e aprendizagem
contínua
Percentual de empregados
que recebem regularmente
análises de desempenho e de
desenvolvimento de carreira,
por gênero
Diversidade e igualdade de oportunidade
LA13
LA14
LA15
Composição dos grupos
responsáveis pela governança
corporativa e discriminação
de empregados por categoria
funcional, de acordo com
gênero, faixa etária, minorias
e outros indicadores de
diversidade
Proporção de salário-base e
remuneração entre mulheres
e homens, por categoria
funcional, por unidades
operacionais significativas
Retorno ao trabalho e taxas
de retenção após licençamaternidade/ paternidade, por
gênero
130
Desempenho Social – Direitos Humanos
Descrição
Página/
Resposta
Pacto
Global
Percentual e número total de
acordos de investimentos e
contratos significativos que
incluem cláusulas de integração
das preocupações com direitos
humanos, ou que tenham
sido submetidos a avaliações
referentes a direitos humanos
Em 2011, o Itaú Unibanco celebrou um Contrato de Compra e Venda de
Ações para aquisição de 49% do Banco CSF S.A. (Banco Carrefour) – até
o começo de 2012, aguardava a conclusão da operação pelo Banco
Central. Os contratos de investimento não possuem cláusulas com foco
em direitos humanos, nem são submetidos a avaliações referentes ao
tema.
-
Indicador
Processo de compra
HR1
190
HR2
HR3
Indicadores GRI – Formas de gestão
Percentual de empresas
contratadas, fornecedores
significativos e outros parceiros
de negócios que foram
submetidos a avaliações
referentes a direitos humanos, e
as medidas tomadas
Horas de treinamento para
empregados em políticas e
procedimentos relativos a
direitos humanos, incluindo
percentual de empregados
treinados
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
152 e 153
Não houve treinamento sobre direitos humanos no período reportado.
Mantemos treinamentos em que o tema é abordado de forma
indireta, em conteúdos com escopos mais amplos, como Ética, Cultura
Corporativa, Gestão de Pessoas e Liderança, entre outros.
1, 2, 3, 4
-
Não discriminação
HR4
Número total de casos de
discriminação e as medidas
tomadas para corrigir e mitigar
novos casos.
141
1, 2, 3
Não há operações nem fornecedores significativos do Itaú Unibanco
que apresentem risco ao direito de exercer liberdade de associação e de
negociação coletiva. A organização atua de acordo com os princípios e
direitos preconizados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT),
que garantem liberdade sindical, proteção do direito à sindicalização,
livre funcionamento, sem ingerência das autoridades, e direito de
negociação coletiva.
1, 2, 3
152 e 153
1, 2, 3, 5
152 e 153
1, 2, 3, 4
153
-
Liberdade de associação
HR5
Operações e fornecedores
significativos identificados
em que o direito de exercer
a liberdade de associação e
negociação coletiva podem ter
sido violados ou colocados em
risco significativo, e as medidas
tomadas para apoiar esse
direito
Trabalho infantil
HR6
Operações e fornecedores
significativos identificados
como de risco significativo de
ocorrência de trabalho infantil
e as medidas tomadas para
contribuir para a abolição do
trabalho infantil
Trabalho forçado/escravo
HR7
Operações e fornecedores
significativos identificados
como tendo risco significativo
de ocorrência de trabalho
forçado ou obrigatório, e
medidas que contribuam
para a eliminação de todas as
formas de trabalho forçado ou
obrigatório
Práticas de segurança
HR8
Percentual do pessoal de
segurança treinado em direitos
humanos
Direitos indígenas
HR9
Número total de casos de
violação de direitos dos povos
indígenas e medidas tomadas
Nos últimos dois anos, não houve casos nem ação civil pública que
abordassem o tema de direitos humanos, e o único procedimento
administrativo existente trata de uma recomendação do Ministério
Público Federal encaminhada indiscriminadamente ao Itaú e às demais
instituições financeiras.
-
191
Indicadores GRI – Formas de gestão
HR10
HR11
Percentual e número total de
operações que tenham sido
analisadas quanto aos riscos
relacionados a direitos humanos
e/ou os impactos desses riscos
Número de reclamações
relacionadas com os direitos
humanos arquivadas,
encaminhadas e resolvidas
através de mecanismos formais
de reclamação
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Em 2011, não houve nenhum tipo de análise ou avaliação nas unidades
do banco que tivesse o foco em atestar questões de direitos humanos.
O Itaú Unibanco possui o canal formal do Ombudsman para registrar
manifestações dos colaboradores por meio de telefone e e-mail,
incluindo casos com foco em direitos humanos. Em 2011, não houve
queixas protocoladas sobre o tema.
Desempenho Social – Sociedade
Indicador
Descrição
Página/
Resposta
Pacto
Global
68, 147, 164, 166
Nossa administração central está localizada na cidade de São Paulo, um
centro urbano. Da mesma forma, a grande maioria de nossas operações
ocorre em áreas urbanas e, por sua natureza e tamanho (agência
bancária), não causa impactos negativos significativos nas comunidades
locais. Por esse motivo, não há mapeamento desse tipo de impacto.
-
53
10
O tema de corrupção é regulamentado pelo Código de Ética Itaú
Unibanco e pela Política Corporativa de Ética e Combate à Corrupção e à
Propina (HF-5). Não realizamos treinamentos com foco no tema para os
colaboradores e gestores do banco em 2011.
10
53
10
154, 157, 161, 162, 163, 164, 165 e 166
10
154
10
Comunidade
SO1
Percentual de operações com
programas implementados
nas comunidades locais
de avaliação de impacto,
desenvolvimento e
engajamento
Corrupção
SO2
Unidades submetidas
a avaliações de riscos
relacionados à corrupção
SO3
Percentual de empregados
treinados nas políticas e
procedimentos anticorrupção
SO4
Medidas tomadas em resposta a
casos de corrupção
Políticas públicas
SO5
SO6
SO7
Posições quanto a políticas
públicas
Políticas de contribuições
financeiras para partidos
políticos, políticos ou
instituições
Numero de ações judiciais por
concorrência desleal
Não houve casos de ações judiciais por concorrência desleal.
-
-
Conformidade
SO8
Descrição de multas
significativas e número total de
sanções não monetárias
Não houve ocorrência de multas significativas nas esferas administrativa,
judicial e de arbitragem nem sanções não monetárias.
SO9
Operações com impactos
potenciais significativos ou
impactos negativos reais sobre
as comunidades locais
Nossa administração central está localizada na cidade de São Paulo, um
centro urbano. Da mesma forma, a grande maioria de nossas operações
ocorre em áreas urbanas e, por sua natureza e tamanho (agência
bancária), não causa impactos negativos significativos na comunidade
local. Por esse motivo, não há mapeamento desse tipo de impacto.
SO10
Medidas de prevenção e
mitigação implementadas nas
operações com significativo
potencial ou impactos
negativos reais sobre as
comunidades locais
Nossa administração central está localizada na cidade de São Paulo, um
centro urbano. Da mesma forma, a grande maioria de nossas operações
ocorre em áreas urbanas e, por sua natureza e tamanho (agência
bancária), não causa impactos negativos significativos na comunidade
local. Por esse motivo, não há mapeamento desse tipo de impacto.
192
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Desempenho Social – Responsabilidade Sobre o Produto
Indicador
Descrição
Página/
Resposta
Pacto
Global
117 e 118
1
Em 2010, não foi relatado nenhum caso de não conformidade com foco
na saúde e segurança dos produtos e serviços do banco. Já em 2011,
foram registrados 168 casos, dos quais 111 passaram por processo
de arquivamento (não geraram multas ao banco) e 57 resultaram em
multas para o Itaú.
Dentre as principais ocorrências, podemos citar 25 casos por sistema
de alarme inoperante, ineficiente ou não instalado; oito casos por
vigilância ostensiva e armada insuficiente; sete casos por protocolo
fora de prazo; sete casos por funcionar sem plano de segurança
aprovado; e seis casos por impedir ou dificultar acesso de agentes da
polícia federal, entre outros.
-
Saúde e segurança do cliente
PR1
PR2
Avaliação de impactos na saúde
e segurança durante o ciclo de
vida de produtos e serviços
Não conformidades
relacionados aos impactos
causados por produtos e
serviços
Rotulagem de produtos e serviços
PR3
Tipo de informação sobre
produtos e serviços exigida por
procedimentos de rotulagem
PR4
Não conformidades
relacionadas à rotulagem de
produtos e serviços
PR5
Práticas relacionadas à
satisfação do cliente, incluindo
resultados de pesquisas
112
O indicador apresenta baixíssima aderência à realidade dos serviços
financeiros e, portanto, não é aplicável ao nosso negócio.
116
O indicador PR4, correlato ao indicador PR3, não se aplica ao nosso
negócio. Ainda assim, o capítulo Clientes mostra com transparência os
números de reclamações dos clientes, com informações significativas
sobre o contexto do nosso negócio.
8
-
113, 114, 115, 118 e 119
-
119
-
Comunicação e marketing
PR6
Programas de adesão a leis,
normas e códigos voluntários
PR7
Casos de não conformidade
relacionados à comunicação de
produtos e serviços
PR8
Reclamações comprovadas
relativas à violação de
privacidade de clientes
O Conar considerou o anúncio ‘Banco Mais Sustentável do Mundo’ regular
e arquivou, por unanimidade, a representação em face do Itaú Unibanco
na sessão de 01/03/2012 da Câmara Especial de Recurso do Conselho de
Ética. Houve também um registro no período do relatório, o ajuizamento
pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), de Ação Civil Pública, cujo
objeto é a suposta ilegalidade relacionada à propaganda televisiva
veiculada nacionalmente a respeito de benefícios do cartão Itaucard.
As informações requeridas por este indicador são sensíveis e de
classificação confidencial restrita, portanto não passíveis de divulgação
pública.
-
-
Compliance
PR9
Multas por não conformidade
relativas ao fornecimento e uso
de produtos e serviços
119
-
193
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Indicadores do suplemento setorial financeiro
Indicador
Descrição
Página/
Resposta
51, 67, 70, 71, 76, 77, 79, 80, 85,
86, 91 e 103
FS1
Políticas com componentes ambientais e sociais específicos aplicadas
às linhas de negócios
FS2
Procedimentos para avaliação e classificação de riscos ambientais e sociais nas
linhas de negócios
FS3
Processos para o monitoramento da implantação, por parte do cliente, do
cumprimento de exigências ambientais e sociais incluídas em contratos ou
transações
FS4
Processo(s) para melhorar a competência do pessoal na implantação das políticas
e procedimentos ambientais e sociais aplicados nas linhas de negócios
FS5
Interações com clientes/investidores/parceiros comerciais em relação a riscos e
oportunidades ambientais e sociais
FS6
Porcentagem da carteira de linhas de negócios por região específica, por porte (ex.
micro/pequena e média/grande) e por setor
FS7
Valor monetário dos produtos e serviços criados para proporcionar um benefício
social específico para cada linha de negócio, divididos por finalidade
65, 66, 67, 74, 79, 80, 98-99 e 101
FS8
Valor monetário dos produtos e serviços criados para proporcionar um benefício
ambiental específico para cada linha de negócio, divididos por finalidade
60, 72, 79, 98, 99, 103 e 104
FS9
Abrangência e frequência das auditorias para avaliar a implementação de políticas
ambientais e sociais, e procedimentos de avaliação de riscos
FS10
Percentual e número de empresas na carteira da instituição com as quais a
organização interagiu em questões ambientais ou sociais
97 e 104
FS11
Percentual de ativos sujeitos a triagem ambiental ou social positiva e negativa
79 e 80
FS12
Política(s) de voto aplicada(s) a questões ambientais ou sociais para participações
nas quais a organização declarante tem direito a ações com voto ou
aconselhamento na votação
FS13
Pontos de acesso em áreas pouco populosas ou em desvantagem econômica,
por tipo
FS14
Iniciativas para melhorar o acesso aos serviços financeiros de pessoas com
deficiências
FS15
Políticas para o bom desenvolvimento e venda de produtos e serviços financeiros
FS16
Iniciativas para melhorar a educação financeira, por tipo de beneficiário
67, 70, 71, 76, 80, 85, 91,
92, 94, 96 e 103
70, 71, 77, 85, 91, 92, 96 e 104
64, 71, 86, 97 e 104
65, 67, 71, 80, 96, 97, 98 e 104
77, 86, 90, 91 e 101
56
80
62, 66, 72 e 115
61
51, 67, 72, 74, 81 e 104
61, 71, 72, 81, 118, 137,146 e 166
Pacto
Global
194
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Indicadores GRI – Formas de gestão
Assim como todos os aspectos de
sustentabilidade da organização,
as formas de gestão nos âmbitos
econômico, ambiental e social
estão alinhadas com a Política de
Sustentabilidade do Itaú Unibanco
Holding S.A., traduzida pela Circular
Normativa Permanente HF-27. Sua
construção envolveu a consulta ao
público interno, clientes, fornecedores e
especialistas em sustentabilidade, bem
como a avaliação de compromissos
nacionais e internacionais,
especialmente daqueles que vinculam
o desenvolvimento sustentável a
mecanismos de mercado e que
propõem as melhores práticas para
instituições do setor financeiro (veja o
capítulo Estratégia de sustentabilidade
e o site http://ww2.itau.com.br/
sustentabilidade).
As diversas políticas internas apontadas
ao longo do relatório demonstram nosso
compromisso e seriedade na mitigação
de nossos impactos em cada uma das
dimensões tratadas a seguir: econômica,
ambiental, laboral, direitos humanos,
responsabilidade pelos nossos produtos
e sociedade.
Formas de gestão econômica
e ambiental
Dada a natureza dos serviços
financeiros, entendemos que os
impactos ambientais mais significativos
não ocorrem diretamente em nossas
operações, mas sim de forma indireta,
por meio dos nossos negócios: crédito,
financiamento, investimentos e seguros.
Por essa razão, reportamos os impactos
econômicos e ambientais de forma
integrada, pela semelhança de seus
conteúdos.
Temos trabalhado incessantemente
para aperfeiçoar nossos processos e
produtos, que podem ter influência
significativa no enfrentamento dos
desafios econômicos e ambientais
representados pelas mudanças
climáticas, pelo ciclo de pobreza e pela
preservação da biodiversidade e dos
recursos naturais.
Ao longo de 2011, revisamos nossa
Política de Risco Socioambiental, a qual
é destinada às operações de crédito
para pessoa jurídica. Ela subsidia
a análise de risco socioambiental,
incluindo os seguintes aspectos: lista
proibida, lista restrita, categorização
socioambiental, consulta a instituições
como o Ministério Público, questionário
de autodeclaração socioambiental,
diretrizes setoriais (destacam-se
madeira e agropecuária), visitas a
clientes, aplicação da legislação
ambiental, informações públicas,
contratação de consultorias externas
e canal de comunicação externo (Fale
Conosco), entre outros. O processo
visa identificar as práticas de gestão do
risco socioambiental de cada empresa
analisada.
Riscos relacionados à biodiversidade
são considerados quando da
aprovação ou renovação de limites
de crédito de grupos econômicos
que exerçam atividades relacionadas
à pesca ou à extração e produção
de madeira e produção de lenha
e carvão vegetal provenientes de
florestas nativas. Eles incluem, por
exemplo, o acompanhamento do
nível de aderência do cliente pessoa
jurídica aos princípios e critérios
do Forest Stewardship Council
(FSC), o planejamento do cliente
para obtenção da certificação, além
do atendimento à legislação do
país em que opera e aos tratados
internacionais e acordos assinados
por esse país, como a Convenção
Internacional sobre a Comercialização
de Espécies da Flora e da Fauna
Ameaçadas de Extinção (Cites).
Desde 2004, aplicamos os critérios
dos Princípios do Equador na análise
de projetos com valor total igual
ou superior a US$ 10 milhões, na
modalidade project finance. Os
princípios estabelecem a análise de
aspectos relacionados à conservação
da biodiversidade, como a alteração
e/ou destruição de habitats naturais
e/ou modificados, a conservação de
habitats críticos e áreas protegidas
por lei e o impacto da introdução de
espécies exóticas.
O tema mudanças climáticas
é endereçado na estratégia de
sustentabilidade do Itaú Unibanco.
É um foco de riscos e oportunidades
socioambientais, considerando
que o impacto econômico, social e
ambiental de mudanças climáticas
será sentido no médio prazo. Com
relação a esse tema, em 2011,
nós participamos do grupo de
trabalho de revisão dos padrões
de desempenho da International
Finance Corporation (IFC) e atuamos
na revisão dos Princípios do Equador,
dos quais somos signatários, como
líder de bancos de mercados
emergentes.
Captamos um funding de U$ 35
milhões junto à IFC, para investir
em projetos sustentáveis, tais como
produção mais limpa, conquista de
certificação de qualidade ambiental
e eficiência energética. Esse contrato
foi assinado no segundo semestre, e
já efetuamos o desembolso de uma
operação.
Oferecemos, também, linhas de
microcrédito que incentivam e
alavancam pequenos negócios
e contribuem para a redução da
pobreza. O microcrédito produtivo e
orientado, ao permitir o acesso dos
microempreendedores ao crédito,
impulsiona a geração de renda
e, com assessoria em educação
financeira, aumenta a segurança e
a sustentabilidade do cliente, que
passa a entender um pouco mais
sobre fluxo de caixa, ciclo econômico,
perdas e lucro.
195
Indicadores GRI – Formas de gestão
Nossos colaboradores participam
regularmente de treinamentos
presenciais e via e-learning sobre a nova
política, os processos de análise de risco,
educação financeira e outros temas.
Realizamos consultas públicas com
os públicos impactados por nossas
atividades e acompanhamos os temas
considerados prioritários pelo poder
público e pela sociedade civil. Esse
acompanhamento se dá por meio do
monitoramento de imprensa, mídias
sociais, projetos de lei, audiências
públicas e atas de comissões no
Congresso Nacional, entre outras
atividades.
Apoiamos, ainda, projetos de formação
de jovens e de ampliação de acesso
a bens culturais, além de uma série
de ações para benefício público.
Acreditamos que iniciativas de caráter
social e cultural podem ajudar a romper
o ciclo de pobreza.
Destaca-se, em 2011, o desenvolvimento
de uma frente de trabalho com foco
em mobilidade urbana, iniciada
com o patrocínio do Projeto Bike
Rio. Trata-se de uma parceria com a
Prefeitura do Rio de Janeiro e a Empresa
Serttel (detentora da tecnologia e
administradora da operação) para
empréstimo de bicicletas em 60 pontos
da capital carioca. Para reforçar essa
atuação, também fechamos uma
parceria com a ONG Transporte Ativo,
a fim de desenvolver rotas alternativas
para ciclistas, pesquisas e campanhas de
educação no trânsito.
Com relação ao impacto ambiental
de nossas instalações, buscamos
implantar medidas de ecoeficiência,
como a redução de consumo de água
e energia. Nossos principais desafios
estão relacionados ao grande número
de agências e à dispersão da rede e das
instalações administrativas no Brasil,
críticos para o sucesso das medidas de
uso racional de materiais, água e energia.
Diversas áreas do banco estabeleceram
procedimentos para aquisição,
uso e descarte de equipamentos
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
e materiais. Equipamentos como
microcomputadores, monitores,
impressoras, leitoras de documentos,
scanners e painéis de senhas, entre
outros, ao final de sua vida útil,
são destinados a fornecedores
homologados, que recebem visitas
aleatórias de um representante da
organização para acompanhar o
processo de desmonte e descarte.
Trocamos e reduzimos o parque de
impressoras em 36%. A atualização
do parque tem como objetivo a
automatização de controles hoje
manuais para geração de arquivos
eletrônicos e aceleração do processo
de descarte de itens defasados
tecnologicamente.
A adoção da apólice eletrônica,
a diminuição da quantidade de
correspondências enviadas aos clientes
e o incentivo à troca do extrato por
extrato eletrônico permitiram redução
significativa no volume de papel
utilizado. Para diminuir ainda mais o
uso de papel e de impressão, encontrase em curso um processo sistêmico
para permitir emissões de extratos
em periodicidade superior à atual
(trimestral).
Para conscientizar nossos
colaboradores, realizamos campanhas e
disponibilizamos diversos treinamentos,
com destaque para as reuniões mensais
sobre a filosofia do “colaborador como
dono do negócio”.
A seguir, apresentamos nossas metas
para 2012:
• promover o crescimento da carteira
de microcrédito para contribuir para
o desenvolvimento das comunidades
mais carentes, sem acesso ao sistema
financeiro tradicional;
• desembolsar todo o recurso captado
junto à IFC para o financiamento de
projetos sustentáveis;
• finalizar proposta de Política de Risco
para a Seguradora;
• superar a marca de 1,2 tonelada de
material coletado nos Ecopontos;
• implantar dispositivos de economia de
água e energia nas agências e reduzir
em R$ 12 milhões os gastos com o
consumo de energia elétrica, além de
estabelecer indicadores de consumo
ideal de recursos por agências;
•d
ivulgar na intranet o Manual de
Procedimento de Coleta de Dados do
Inventário de Gases de Efeito Estufa;
• implantar um sistema de bilhetagem,
soluções embarcadas nas áreas de
negócio (GED), e-learning de impressão
e screensaver de impressão sustentável,
para aperfeiçoar as medidas de
impressão consciente;
• c oncluir o desenvolvimento sistêmico
prevendo emissões de extratos em
periodicidade superior à atual;
• s ubstituir monitores CRT por LCD nas
agências no Brasil, para promover a
redução do consumo de energia.
Forma de gestão social –
Práticas trabalhistas
Nossa estratégia para incentivar a
diversidade baseia-se em três princípios:
justa competitividade diante das
diferenças; garantir oportunidades
iguais a todos em um ambiente de
respeito mútuo; e heterogeneidade. A
aplicação desses princípios é feita por
meio de diversos projetos e programas,
com destaque para: Programa Aprendiz;
Estagiários; Programa de Inclusão de
Pessoas com Deficiência; Trainees;
Programa de Oportunidade de Carreira
(interno); Contratação de Pessoas; e
Centro de Realocação de Pessoas.
O cumprimento da cota de contratação
de pessoas com deficiência é um de
nossos maiores desafios. Entre as ações
desenvolvidas com esse objetivo, em 2011,
destaca-se o lançamento do Programa
de Atração e Formação de Talentos de
Pessoas com Deficiência, divulgado em
diversas mídias, como metrô, ONGs,
Universidades e LinkedIn, resultando em
aproximadamente 2.900 inscritos. Outra
ação foi criar um treinamento específico
para os novos colaboradores, visando
capacitá-los com conhecimentos do
mercado bancário e áreas administrativas.
Como resultado, foram contratados
529 pessoas com deficiência em 2011,
totalizando 4.642 colaboradores.
196
Indicadores GRI – Formas de gestão
As metas futuras em diversidade
incluem: implementação de novo
sistema de gestão de pessoal (People
Soft); redefinição de estratégia para
as frentes de diversidade, como
manutenção de cota e maior foco
em aspectos culturais; novo conceito
para o programa de movimentações
internas; e no programa de estágio
para negros, esperamos contratar 40
estagiários em 2012, com a finalidade de
dar continuidade às ações afirmativas
existentes.
Para a realocação de pessoas, temos
como desafios a customização do
processo, com a adequação do modelo
para características do negócio e nível
dos profissionais, a manutenção do
clima no momento de mudança e a
correta identificação do perfil/potencial
das pessoas para as vagas disponíveis,
que nem sempre são suficientes
para a quantidade de pessoas em
disponibilidade.
Seguimos, também, políticas para
temas específicos de saúde e segurança:
ambiente livre de tabaco, exames
médicos ocupacionais, licenças médicas,
reabilitação profissional, Comissão
Interna de Prevenção de Acidentes
de Trabalho (Cipa), Representante
de Segurança no Local de Trabalho
(RSLT) e ginástica laboral. Nossa
estratégia nessa área baseia-se em
um ciclo PDCA (melhoria contínua),
que parte da identificação das
necessidades, seguida de definição
do que será realizado, elaboração do
plano de ação, implantação do plano,
acompanhamento dos resultados e
modificações e aprimoramento dos
processos, quando necessário.
Analisamos os indicadores de saúde
de nossos colaboradores obtidos em:
exames periódicos, atestados inferiores
a 15 dias, afastamentos pelo INSS, visitas
aos locais de trabalho, participação nos
programas de saúde e qualidade de
vida, dados da vigilância epidemiológica
(endemias em locais específicos do país),
análises ergonômicas dos postos de
trabalho e Programa de Prevenção de
Riscos Ambientais (PPRA), um database
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
warehouse e modelagem estatística
da base de dados dos afastados por
doença, visando gerar informações
epidemiológicas relevantes para o
direcionamento das ações preventivas.
Nosso maior desafio nessa área é a
capilaridade do banco: levar as ações
preventivas a quase 5 mil locais
diferentes. Ainda assim, cumprimos
diversas metas, como: percentual
de realização de exames médicos,
programa de reabilitação profissional
e retorno ao trabalho, realização de
check-up de executivos, elaboração de
PPRA, realização de vacina contra gripe
sazonal e H1N1 e consultório da mulher
(atendimento ginecológico preventivo
nos ambulatórios médicos).
No futuro, pretendemos criar um Comitê
de Ergonomia, finalizar o database
warehouse com informações de saúde,
elaborar e implantar uma política
corporativa de saúde, entre outras
metas.
Em relação aos fornecedores, nossas
políticas de compras e de serviços
terceirizados são construídas em
conjunto com áreas relevantes sob o
ponto de vista dos riscos envolvidos
em uma contratação. Nosso processo
de contratação passa por uma
certificação anual (ISO 9001), novamente
conquistada em 2011.
Além disso, temos um processo de
avaliação do mercado, por meio do qual
entendemos como outras empresas
atuam no tema e compartilhamos boas
práticas. As oportunidades identificadas
também são consideradas nas revisões
periódicas.
Periodicamente, lançamos no nosso
portal interno informações sobre como
os gestores devem proceder para
realizar qualquer contratação em nome
do banco.
As políticas preveem uma série de
mecanismos ligados aos aspectos
trabalhistas, tais como: centralização
das compras na diretoria responsável
pela atividade; definição clara e objetiva
das etapas do processo de contratação;
estabelecimento da responsabilidade
de cada área envolvida na contratação;
modelo de avaliação dos fornecedores
de acordo com a matriz de risco
da categoria; modelo de gestão de
contratos; alçadas para aprovação; forma
de atuação e gestão dos terceiros; antes
do encerramento do contrato, o gestor
deve garantir que foram cumpridas
todas as obrigações contratadas, pagas
as verbas rescisórias e outros encargos,
inclusive garantir que, no caso de
prestação de serviços que inclua mão
de obra, o fornecedor tenha cumprido
as obrigações legais junto aos seus
colaboradores terceiros.
Desenvolvemos contratos que exigem
das empresas o cumprimento de
suas obrigações tributárias, civis,
previdenciárias e trabalhistas. Exige-se
que o fornecedor entregue, sempre
que solicitado, documentos específicos
(relação de empregados, folha de
pagamento, cópia dos comprovantes
de recolhimento das contribuições). Há,
também, um anexo com normas para
segurança e medicina do trabalho.
Com relação à responsabilidade
social e ambiental, exigimos que
o fornecedor exerça sua atividade
de forma compatível com a ética e
com a responsabilidade social, com
observância da legislação em vigor e,
especialmente, das normas relacionadas
à preservação do meio ambiente
e ao respeito aos direitos sociais
constitucionais.
Podemos efetuar auditorias nos
fornecedores e, caso sejam identificadas
irregularidades, principalmente em
relação aos aspectos trabalhistas,
são aplicadas sanções que podem
gerar desde um plano de ação para
auxílio ao fornecedor na solução das
irregularidades até a interrupção
temporária ou definitiva do
fornecimento do contrato.
O tamanho da organização e a
quantidade de fornecedores que
nos prestam serviços são desafios
constantes. Para garantirmos a
197
Indicadores GRI – Formas de gestão
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
disseminação e o cumprimento
das nossas políticas relacionadas a
fornecedores, realizamos diálogos
internos e externos.
orientada pela Política de Aplicação
de Medidas Disciplinares do Itaú
Unibanco, de conhecimento de todos os
colaboradores.
Em 2012, cumprimos diversas metas
previstas: instituímos as análises mensais
dos fornecedores com mão de obra
intensiva; disponibilizamos o programa
Conheça seu Fornecedor, que nos
propicia minimizar os principais riscos
associados ao relacionamento do Itaú
Unibanco com companhias inidôneas
ou suspeitas de envolvimento em atos
ilícitos; obtivemos retornos favoráveis
ao nosso modelo de sustentabilidade e
diretrizes de relacionamento por meio
do programa de diálogo com nossos
fornecedores.
Como benefício aos colaboradores
e seus dependentes, mantemos
o programa Fique Ok, que conta
com psicólogos, assistentes
sociais, advogados, nutricionistas,
fisioterapeutas e personal trainer.
Os serviços são oferecidos
ininterruptamente e podem ser
acionados por telefone, de forma
gratuita e confidencial. Em alguns
polos administrativos, os colaboradores
contam com atendimento presencial por
um assistente social.
Forma de gestão social – Direitos
humanos
O respeito aos direitos humanos,
a adoção de políticas e práticas
que contribuem ativamente para a
prevenção, o combate e a erradicação
do trabalho degradante (infantil, forçado
e escravo), o compromisso de coibir
qualquer forma de discriminação,
assédio, desrespeito, exploração e
preconceito e o respeito ao direito de
livre associação sindical e negociação
coletiva estão explícitos no Código de
Ética do Itaú Unibanco. O código rege
todos os relacionamentos internos e
externos da organização, incluindo
fornecedores.
As principais vertentes das políticas e
das práticas relacionadas aos direitos
humanos na organização são voltadas
para o público interno e para os
fornecedores, com atenção especial aos
fornecedores de serviços de segurança.
Para garantir que o colaborador tenha
plena liberdade de fazer sugestões,
expressar sua insatisfação ou denunciar
qualquer abuso, o banco dispõe de
um canal de denúncias. Todas as
denúncias são analisadas e monitoradas
até a sua resolução, que pode ser o
desligamento do infrator, uma mudança
de área ou uma sanção disciplinar
Com relação aos fornecedores, toda
empresa ou pessoa, por meio do
portal www.itau.com.br/ri, tem acesso
ao Código de Ética, a informações
sobre os processos de avaliação e
contratação de fornecedores, à nossa
estratégia de sustentabilidade e a um
espaço aberto para manifestação. Há
também telefone e e-mail dedicados
ao atendimento de demandas,
coleta de sugestões e recebimento
de reclamações ou denúncias. As
respostas são acompanhadas por áreas
independentes.
Para se submeter à avaliação, as
empresas devem concordar com as
nossas práticas e políticas relacionadas
ao cumprimento da legislação, no
que diz respeito à regularidade no
seu ramo de atuação, bem como às
obrigações comerciais empregatícias e
de contribuinte tributário.
Durante o processo de avaliação, as
empresas categorizadas como de médio
e alto risco de violação dos direitos
humanos passam por um criterioso
processo de homologação. Respondem
a um questionário que visa avaliar
suas práticas e seus compromissos
de abolição do trabalho infantil e
compulsório, saúde e segurança no
trabalho, liberdade de associação
e direto à negociação coletiva, não
discriminação, respeito ao horário de
trabalho, condições de remuneração,
práticas disciplinares e canais de
comunicação. Após a contratação,
realizamos visitas periódicas para
identificar o cumprimento dessas
práticas sociais e atestar as informações
analisadas no processo inicial de
homologação.
Caso seja comprovada qualquer
violação à legislação após investigação
interna, são aplicadas sanções que
podem gerar desde um plano de
ação para auxílio ao fornecedor na
solução das irregularidades até a
interrupção temporária ou definitiva do
fornecimento do contrato.
Dos fornecedores de serviços de
segurança, exigimos a conformidade
com a lei e a garantia de que o
profissional de segurança tenha
estabilidade emocional para
desempenhar suas atividades.
Realizamos reuniões periódicas
com as empresas para apresentar
indicadores de comportamento de seus
profissionais.
As empresas prestadoras de serviço
de vigilância recebem cartilha e vídeo
temático para uso no treinamento
dos vigilantes, com orientações para o
alinhamento dos profissionais à política
de segurança. O material também
trata de assuntos como educação,
cordialidade, respeito e discriminação.
Do ponto de vista de segurança
da informação, as empresas cujas
categorias são consideradas críticas
recebem nossas visitas regularmente
e são classificadas por uma série
de critérios técnicos. Realizamos
uma avaliação que estabelece,
em conjunto, planos viáveis para
regularização de pendências e/
ou inconformidades. Esse processo
visa assegurar a confidencialidade
de nossas informações e também
o desenvolvimento dos nossos
fornecedores.
198
Indicadores GRI – Formas de gestão
Como metas para o futuro, destacam-se:
• durante 2012, faremos análise de uma
parcela de nossos fornecedores por
meio de uma auditoria independente,
com o objetivo de atestar que nossos
controles e avaliações são efetivos e
contribuem para o desenvolvimento
dos nossos parceiros;
• pretendemos intensificar o diálogo
com nossos fornecedores e realizar
workshops com um maior número
de empresas, tanto pequenas como
grandes corporações;
• a construção de uma matriz de
sustentabilidade é um dos nossos
objetivos. A ideia é categorizar nossos
fornecedores e estabelecer ações
específicas por riscos encontrados.
Entendemos que poderemos atingir
um maior número de empresas e,
com isso, ter um resultado mais
abrangente. Pretendemos, ainda, obter
a recertificação da área na ISO 9001.
Forma de gestão social – Sociedade
Nossa estratégia de sustentabilidade
propõe que a organização seja
agente de transformação, parceira
no desenvolvimento das pessoas, da
sociedade e do país e construa seus
relacionamentos a partir do diálogo
permanente. Orientados por essa
política, realizamos consulta pública
com as partes interessadas em nossas
atividades e monitoramos movimentos
da sociedade civil, para entender as
expectativas dos diferentes públicos.
Fazemos, também, o acompanhamento
sistemático do processo legislativo e
executivo, nas esferas federal, estadual e
municipal.
O relacionamento entre os
colaboradores e deles com as
comunidades e os demais públicos
é pautado pelo Código de Ética Itaú
Unibanco e pelas políticas corporativas
de Ética, Combate à Corrupção e à
Propina – esta, revista em 2011 –,
Venda ou Doação de Bens Disponíveis
e de Patrocínios. Tanto o Código
como as políticas, as diretrizes e os
procedimentos são sistematicamente
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
divulgados para colaboradores,
fornecedores e parceiros. Todos podem
ser encontrados em www.itau.com.br/ri.
A área de Ética e Ombudsman tem
um canal responsável pela recepção,
análise e tratamento de manifestações
de administradores e colaboradores
sobre desvios de conduta em relação
ao Código de Ética Itaú Unibanco
e ao Nosso Jeito de Fazer. Em 2011,
identificamos procedimentos de
vendas que mencionavam deficiências
relacionadas a nossos concorrentes,
não legitimados por diretrizes internas,
e orientamos as áreas comerciais
envolvidas a incluir orientações
específicas sobre a importância do
respeito aos concorrentes em seus
treinamentos.
Em 2012, iniciaremos o processo
de revisão do Código de Ética Itaú
Unibanco e aprimoraremos as diretrizes
corporativas relativas aos direitos
humanos e ao estabelecimento
de parcerias com a cadeia de
suprimentos, bem como ampliaremos o
monitoramento do cumprimento dessas
diretrizes – um grande desafio que
enfrentamos, atualmente.
Outros desafios estão relacionados
ao: acompanhamento dos poderes
Executivo e Legislativo, dada a grande
quantidade informações, com amplos
impactos potenciais e grande número
de pessoas envolvidas na tomada de
decisões; engajamento da sociedade
civil, pela pouca cultura de participação
nos processos de tomada de decisão em
temas relevantes para a sociedade.
Outra frente de atuação que traz
benefícios para a sociedade é nossa
linha de negócio de microcrédito.
Acreditamos que o microcrédito
está relacionado à identificação de
oportunidades e ações para ampliar
os impactos positivos dentro das
comunidades onde atuamos. A
principal dificuldade é criar e manter
um relacionamento aberto e de
confiança com o cliente. O agente que
atua em uma região sem histórico
com o microcrédito tem de vencer a
desconfiança da comunidade, entender
o potencial da região e criar uma cultura
positiva relacionada ao produto. Com as
operações de 2º Piso do microcrédito,
temos maior proximidade com o
cliente e troca de boas práticas entre
o Itaú Unibanco e as instituições. Em
2012, pretendemos aumentar a oferta
desse produto, adquirir conhecimento
sobre operações microfinanceiras em
regiões onde não atuamos e pensar
em workshops para capacitar os nossos
clientes nos indicadores utilizados no
diagnóstico.
Além das ações de relacionamento e
dos produtos desenhados para trazer
benefícios sociais – como o microcrédito
–, mantemos iniciativas voltadas
especificamente para a promoção da
cultura e o apoio a projetos sociais.
Em 2011, o Itaú Cultural ampliou
a quantidade de eventos culturais
gratuitos oferecidos à população e criou
uma área de inovação. Fazemos isso por
meio de agentes sociais, organizações
parceiras, artistas, educadores,
intelectuais, ONGs e diferentes tipos
de multiplicadores. Firmamos um
convênio público-privado, por cinco
anos, para administração e gestão do
Auditório Ibirapuera, espaço público
de responsabilidade da Prefeitura
Municipal de São Paulo. Esse convênio
prevê a não utilização de verba
incentivada para as atividades culturais
próprias e o compromisso de aumentar
a acessibilidade e reduzir os preços de
ingressos ao público.
O Instituto Unibanco apoia projetos
voltados para assistência social, em
especial a educação. Busca conceber,
validar e disseminar metodologias e
tecnologias sociais que contribuam
para aumentar a efetividade de políticas
públicas, atuando prioritariamente junto
a jovens cursando escolas públicas de
ensino médio. A principal tecnologia
desenvolvida pelo instituto é o Projeto
Jovem de Futuro, que pode se tornar um
modelo pioneiro na parceria públicoprivada social e possibilita a construção
de um banco de casos de sucesso em
educação para a rede estadual de ensino
199
Indicadores GRI – Formas de gestão
médio. No médio prazo, as iniciativas
buscam reconstruir a perspectiva
de futuro dos jovens em situação
de vulnerabilidade e quebrar o ciclo
intergeracional de pobreza.
A Fundação Itaú Social apoia e
acompanha projetos sociais voltados
ao ensino fundamental, por meio da
articulação com o poder público.
Forma de gestão social –
Responsabilidade pelo produto
Nossa visão de sermos líderes
em performance sustentável e
satisfação dos clientes nos coloca a
responsabilidade e o compromisso
de zelar pela segurança dos produtos
oferecidos e pela privacidade do cliente.
Além do atendimento aos requisitos
legais e às exigências de organismos
reguladores do mercado, como Bacen e
Susep, aderimos a diversos códigos de
autorregulação existentes no mercado,
como os do Conar, da Febraban, da
Abecs e do CDC.
Documentos internos definem
regras e processos para garantir a
conformidade com esses compromissos
da organização. Os principais são:
Código de Ética Corporativo, Nosso
Jeito de Fazer, Política de Segurança
da Informação, Guia Corporativo de
Segurança da Informação, Gestão
Corporativa de Crises, Guia para
Continuidade de Negócios, Política
Corporativa de Avaliação de Produtos/
Operações/Processos e Política de
Prevenção à Lavagem de Dinheiro.
Os normativos internos são registrados
no portal corporativo, em folhetos
e, quando são informações públicas,
disponibilizados no site corporativo. Os
normativos externos são monitorados
e possuem controles internos. Todo
colaborador assina códigos de conduta
e termos de compromisso com a
proteção das informações. Eventuais
não conformidades ou necessidades de
adaptação e seus respectivos planos de
ação são devidamente registrados.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Com base nessas diretrizes,
desenvolvemos e aperfeiçoamos nossos
produtos considerando a segurança
dos clientes e a transparência nos
contratos de adesão. A criação ou
alteração de produtos/processos e o
atendimento a demandas legais ou
ações comerciais estão submetidos a um
processo de governança, para que sejam
apresentados, avaliados e aprovados ou
reprovados.
O processo de avaliação visa identificar
os riscos de causar prejuízo moral
ou financeiro ao cliente ou à própria
instituição e considera os aspectos
socioambientais, fiscais, tributários,
jurídicos, de segurança da informação
e de prevenção à lavagem de dinheiro,
entre outros. Adicionalmente, o processo
contribui para o desenvolvimento
de produtos inovadores no mercado,
adequados às necessidades do nosso
público-alvo e oferecidos com clareza e
objetividade para nossos clientes.
Nosso relacionamento com clientes
inclui central de atendimento, agências,
lojas e Sistema Itaú Unibanco de
Ouvidoria, para garantir o melhor
desenvolvimento e manutenção
dos nossos produtos, operações,
processos e serviços. Atendemos todas
as demandas legais definidas pelos
órgãos reguladores relacionadas ao
desenvolvimento e à venda de produtos,
como, por exemplo, custo efetivo total,
tamanho mínimo para letra em contrato
de adesão, regras para a cobrança de
tarifas e assuntos com foco direto na
satisfação dos clientes. Apresentamos
todos os dados necessários para o
cliente no momento de contratação
dos produtos e serviços, por vezes mais
completos do que o exigido em lei.
Temos processos internos que analisam
os resultados dos nossos próprios canais
de atendimento, registro de reclamações
e serviços de pós-venda e também os
apontamentos de órgãos de defesa do
consumidor (Procon e Bacen), visando
à identificação de oportunidades de
melhoria e evitando reincidências.
Realizamos o acompanhamento
periódico e o reporte de ações corretivas
em fórum com as principais lideranças.
Orientamos o cliente para evitar seu
sobre-endividamento, como parte de
nosso Programa Transparência 100%.
Continuamos utilizando os meios
tradicionais para a propagação da nossa
mensagem, mas também utilizamos o
ambiente digital, para criar um maior
envolvimento do consumidor. Nossas
campanhas exclusivas para esse meio
atingiram mais de 20 milhões de views
em 2011.
Todas os filmes de publicidade são
pré-testados antes de ir ao ar e também
pós-testados para mensuração dos seus
resultados (critérios quantitativos e
qualitativos). Além disso, são analisados
o resultado esperado com as ações de
patrocínio e o custo de utilização de
todos os tipos de mídia.
No que diz respeito à privacidade
do cliente, além da observância aos
Princípios de Segurança da Informação,
ao Código de Ética e às circulares
normativas internas, há vigilância
contínua quanto a questões de
conformidade, além de uma estrutura
específica para prevenir o vazamento de
informações e a violação da privacidade
do cliente.
Para avaliar a aderência às diretrizes
e procedimentos apresentados,
mantemos o Projeto Compliance, que
também facilita a implantação de planos
de ação para o alcance da conformidade
e a melhoria dos controles. Fazemos
um acompanhamento sistemático para
nos atualizar quanto aos seguintes
aspectos: normas do nosso segmento;
demandas definidas no fórum de
autorregulamentação da Febraban;
pesquisas de competitividade e
tendências de mercado; políticas de
crédito; estratégias de atuação ; além de
acompanhar a inadimplência da carteira
de financiamento e outros indicadores e
de projeções de mercado.
O monitoramento da legislação e do
mercado se dá por meio de análises
comerciais e pela participação em
comissões com órgãos reguladores
200
Indicadores GRI – Formas de gestão
e setoriais, bem como pelo
acompanhamento das comunicações de
caráter jurídico, atuarial e de produtos.
Essas práticas permitem maior agilidade
para a tomada de decisões sobre riscos e
oportunidades.
Nossos maiores desafios são: a
multiplicação das informações
e o esclarecimento de todos os
pontos; o alinhamento de todas as
áreas relacionadas aos processos
mencionados; desenvolver políticas para
novos produtos, processos, operações
e serviços que não possuam legislação
específica; e adaptar nossos processos
e sistemas para atender as demandas
dentro do prazo legal, frente ao grande
número de mudanças recentes na
regulamentação de alguns produtos.
Dentre as metas alcançadas em
2011, destacam-se: superamos a
meta de redução de 20% no total de
atendimentos junto ao Procon-SP;
finalizamos a unificação de sistemas
operacionais em todo conglomerado;
reduzimos os juros do parcelamento
de fatura; melhoramos a orientação
ao cliente sobre o endividamento;
aumentamos a oferta de produtos
microfinanceiros; expandimos a
capacitação dos colaboradores sobre
educação financeira com o curso Uso
Consciente do Dinheiro; oferecemos
mais segurança para o cliente por meio
do desenvolvimento e aperfeiçoamento
de produtos; estabelecemos penalidade
mais rigorosa para os fornecedores
de serviços de segurança que tiverem
profissionais envolvidos em situações de
risco por imprudência ou imperícia.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Como desafios futuros, destacam-se:
otimizar os recursos e reduzir custos,
buscando eficiência financeira e de
processos; prosseguir valorizando o
colaborador por meio da meritocracia;
manter o foco na redução de juros
(rotativo e parcelado); reduzir as
reclamações nos órgãos internos
(SAC e Ouvidoria) e externos, como
ações cíveis, Bacen e Procon; melhorar
os índices de satisfação de clientes;
intensificar a frente de comunicação e
esclarecimento/orientação ao cliente
sobre o endividamento; implementar
metodologia integrada de riscos;
intensificar o diálogo com nossos
fornecedores; e analisar parceiros
através de uma auditoria independente,
para verificar se nossos controles e
avaliações são efetivos e se contribuem
positivamente para o desenvolvimento
dos nossos parceiros.
201
Declaração de Garantia (Assurance Statement) - Itaú Unibanco
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Declaração de Garantia
(Assurance Statement) - Itaú Unibanco
A BSD Consulting executou a verificação independente
do processo de elaboração do Relatório Anual de
Sustentabilidade 2011 do Itaú Unibanco. No período
de agosto 2011 a julho 2012, a BSD Consulting
acompanhará, de forma contínua, os processos de gestão
de sustentabilidade e de elaboração do Relatório Anual
de Sustentabilidade 2011. O processo de verificação tem
o objetivo de proporcionar às partes interessadas do Itaú
Unibanco uma opinião independente sobre: a qualidade do
relatório; os processos de engajamento com stakeholders;
a aderência aos princípios da AA1000AS 2008; e a
continuidade dos processos de gestão de sustentabilidade.
Independência
Trabalhamos de forma independente e asseguramos que
nenhum integrante da BSD mantém contratos de consultoria
ou outros vínculos comerciais com o Itaú Unibanco. A BSD
Consulting (Brasil) é licenciada pela AccountAbility como
provedor de garantia (AA1000 Licensed Assurance Provider), sob
o registro 000-33.
Nossa Competência
A BSD Consulting é uma empresa especializada em
sustentabilidade. Os trabalhos foram conduzidos por uma
equipe de profissionais experientes e capacitados em
processos de verificação externa.
Responsabilidades do Itaú Unibanco e da BSD
Todo conteúdo do Relatório Anual de Sustentabilidade e
processos de engajamento e definição da materialidade são de
responsabilidade do Itaú Unibanco. A avaliação do conteúdo
do relatório e a conferência do nível de aplicação GRI não
foram objeto de trabalho da BSD.
Escopo e Limitações
O escopo de nossos trabalhos inclui as informações contidas
no Relatório Anual de Sustentabilidade 2011 do Itaú Unibanco,
pelo período coberto pelo relatório. O processo de verificação
foi conduzido de acordo com o padrão AA1000AS 2008
(AA1000 Assurance Standard 2008), Tipo 1, proporcionando um
nível moderado de assurance. O processo abrange a avaliação
da aderência aos três princípios: Inclusão, Materialidade e
Capacidade de Resposta.
Metodologia
A abordagem de verificação do processo AA1000 consistiu em:
• Avaliação do conteúdo do Relatório Anual de
Sustentabilidade 2011;
• Entendimento do processo de geração de informações
para o Relatório Anual de Sustentabilidade, considerando o
processo de engajamento e definição do conteúdo;
• Entendimento da construção do novo Mapa de
Sustentabilidade;
• Acompanhamento do painel de engajamento com
especialistas;
• Entrevistas com gestores e colaboradores no nível
corporativo e no nível de agências para avaliar a abordagem
em relação aos desafios mais relevantes;
• Análise de documentos e atas internas para comprovação de
informações apresentadas no relatório e para evidenciar o
processo de tomada de decisões para temas relevantes;
• Análise da percepção dos gestores e funcionários sobre
os compromissos assumidos pelo Banco por meio
da Política de Sustentabilidade.
Principais Conclusões
Na avaliação da BSD Consulting, em 2011, o Itaú Unibanco
consolidou sua estratégia de sustentabilidade, aplicando
um processo de avaliação interna e externa que o levou
da sua antiga Essência de Sustentabilidade para um novo
Mapa de Sustentabilidade, alinhado com a nova visão de
Performance Sustentável. O novo conceito proporcionou
maior clareza quanto à posição do banco em termos de
sustentabilidade, tanto para o público interno como frente às
partes interessadas externas. O desafio para o próximo ciclo
de gestão será o desenvolvimento de indicadores e metas a
partir do Mapa de Sustentabilidade; e o aprimoramento de
processos em áreas relevantes como: suprimentos, produtos
e agências. É importante contemplar a atuação do Banco
no Brasil e no exterior. Seguem as conclusões resumidas em
relação aos três princípios da AA1000AS.
Principais Conclusões sobre a Aderência aos Princípios
AA1000AS (2008)
Inclusão – aborda a participação de stakeholders
no desenvolvimento de um processo de gestão de
sustentabilidade transparente e estratégico
Mapa de sustentabilidade: O processo da elaboração do
Mapa de Sustentabilidade foi conduzido com participação
ampla de colaboradores e incluiu consultas a especialistas
externos. O Banco considerou as avaliações coletadas
durante o processo de engajamento em torno da Essência
de Sustentabilidade e divulgou o novo Mapa internamente,
deixando a divulgação externa para o Relatório de
Sustentabilidade 2011 e outros canais como website
para o ano de 2012.
202
Declaração de Garantia (Assurance Statement) - Itaú Unibanco
Retomada do processo AA1000ES: O banco retomou
o processo de engajamento fundamentado na norma
AA1000ES, constituindo um primeiro passo na avaliação
do seu mapa de stakeholders de acordo com os critérios da
referida norma. Desta forma, criou-se uma base mais clara para
definir os níveis de engajamento necessários para gerenciar
os relacionamentos com os stakeholders. Para completar o
processo, o Itaú Unibanco precisará aprofundar a análise das
expectativas das diferentes partes interessadas e sistematizar
as formas de engajamento existentes para cobrir eventuais
lacunas na gestão dos relacionamentos com os stakeholders.
Política de Sustentabilidade: A Política de Sustentabilidade
não sofreu mudanças no ano 2011 e ainda não contempla
todos os públicos estratégicos do banco, não considerando,
por exemplo, acionistas e investidores. Em função do
novo Mapa de Sustentabilidade e das análises feitas no
mapeamento dos seus stakeholders, sugerimos uma revisão
ampla da Política, com engajamento das partes interessadas
consideradas prioritárias.
“Todos pelo cliente”: Em 2011, o banco continuou a
implementar o seu guia “Todos pelo cliente”, envolvendo
os colaboradores na busca por melhorias na resolução de
problemas relacionados ao atendimento a clientes. Porém,
os problemas dos titulares de cartões de crédito continuam
ocupando de modo excessivo os colaboradores das agências.
O comprometimento das instâncias remotas (back office)
deveria ser melhor trabalhado para garantir soluções
mais efetivas desses problemas. Durante o processo de
verificação, notou-se uma grande oportunidade de aprimorar
a disseminação do conceito de sustentabilidade para
as áreas de atendimento.
Gestão ambiental: Com a certificação LEED da sua sede
administrativa no Chile, o Itaú Unibanco implementou o
conceito de construção sustentável nas suas operações
internacionais. No Brasil, existe um grande potencial de
progredir com a implementação do conceito na construção
e reforma de agências, que, em geral, já demonstram
bons resultados na gestão ambiental, contribuindo com
economias de energia e de água para maior eficiência nos
usos de recursos.
Revisão da governança: Com as mudanças estabelecidas
na governança de sustentabilidade, o banco garantiu mais
eficiência para a implementação da política. Um ponto forte
é a inclusão da área de sustentabilidade no processo de
desenvolvimento de novos produtos.
Materialidade (ou Relevância) – trata de assuntos
necessários para que os stakeholders tomem conclusões sobre
o desempenho econômico, social e ambiental da organização
Maior foco: Com a redução dos oito assuntos contemplados
na sua Essência de Sustentabilidade para três focos
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
estratégicos (Educação financeira, Riscos e Oportunidades
Socioambientais e Diálogo e Transparência), o Banco
demonstrou maior destaque para assuntos diretamente
ligados ao seu negócio. Isso ajudará a concentrar esforços em
seus principais desafios em relação à sustentabilidade.
Metas estratégicas: O Relatório de Sustentabilidade 2011
traz a prestação de contas sobre as metas estabelecidas para
o ano e apresenta novas metas. Porém, é importante ressaltar
que o estabelecimento de metas deve estar alinhado à nova
estratégia de sustentabilidade do banco. É recomendável
separar metas estratégicas e metas operacionais para permitir
melhor acompanhamento do desempenho, evitando a
apresentação excessiva de metas. Um número menor de
metas relevantes e alinhadas à estratégia permitirá aos
usuários do relatório o acompanhamento da evolução do
banco ao longo dos anos.
Desafios estratégicos: Entre os três focos estratégicos
definidos, avaliamos a evolução do Banco em Educação
financeira e a integração de iniciativas existentes nos focos
de Diálogo e Transparência e Oportunidades e Riscos
Socioambientais. Neste último, existe um peso maior na
avaliação de riscos, cuja implantação está se consolidando
cada vez mais, tanto na avaliação da carteira de clientes
como da cadeia de fornecedores. Existe ainda um potencial
de evolução na criação de novas oportunidades, seja na
oferta e comunicação de produtos socioambientais como
na contribuição do Banco para a implementação de práticas
socioambientais nos seus fornecedores.
Capacidade de Resposta – aborda as ações tomadas pela
organização em decorrência de demandas específicas de
stakeholders
Avaliação de risco socioambiental: O processo da
avaliação de risco socioambiental se consolidou e recebeu
certificação de qualidade. Assim, o Banco consegue garantir
a implementação da sua Política de Crédito Socioambiental
que foi desenvolvida em um processo amplo de engajamento
com stakeholders.
Desenvolvimento de produtos: A participação da área
de sustentabilidade no processo de desenvolvimento de
novos produtos demonstra o compromisso do Banco de
integrar sustentabilidade no negócio e poderá resultar em
inovações significativas.
Educação financeira: O programa de Educação financeira
atingiu e impactou de forma positiva o público interno e
seus familiares. O banco coloca as informações também
à disposição dos seus clientes, porém em muitos casos as
metas de venda de produtos conflitam com a abordagem da
educação financeira dos clientes. O dilema deve receber mais
atenção para não prejudicar o valor estratégico deste item.
203
Declaração de Garantia (Assurance Statement) - Itaú Unibanco
Comunicação externa e implementação da política
interna: O Itaú Unibanco manteve uma postura proativa
na comunicação das suas ações de sustentabilidade com
o público externo e recebeu o reconhecimento como
melhor banco em sustentabilidade pelo Financial Times.
Isso alavancou o tratamento do tema na comunicação com
o público interno e com os acionistas. Porém, constatamos
que a divulgação da política de sustentabilidade deve ser
ampliada para garantir a sua implementação em todos os
níveis do Banco. A revisão da Política será uma oportunidade
de enfrentar esse desafio e assegurar seu conhecimento e
aplicação em todos os níveis, em especial na rede de agências.
São Paulo, 16 de abril de 2012
BSD Consulting (Brasil)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
204
Relatório de asseguração limitada dos auditores independentes
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Relatório de asseguração limitada
dos auditores independentes sobre o
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Aos Administradores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Introdução
Fomos contratados para realizar um serviço de asseguração
limitada sobre o Relatório Anual de Sustentabilidade 2011 do
Itaú Unibanco Holding S.A. (“Banco”), do exercício social findo
em 31 de dezembro de 2011.
Responsabilidade da administração sobre o Relatório
Anual de Sustentabilidade
A administração do Itaú Unibanco Holding S.A. é responsável
pela elaboração e apresentação do Relatório Anual de
Sustentabilidade 2011 de acordo com os critérios e as
diretrizes para relatórios de sustentabilidade do Global
Reporting Initiative (GRI-G3.1). Esta responsabilidade inclui
o desenho, a implementação e a manutenção de controles
internos para a adequada elaboração e apresentação do
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011.
Responsabilidade do profissional
Nossa responsabilidade é de emitir um relatório de
asseguração limitada das informações divulgadas no Relatório
de Anual Sustentabilidade 2011 do Itaú Unibanco Holding
S.A. do exercício social findo em 31 de dezembro de 2011 com
base no trabalho realizado.
Procedimentos Aplicados
Conduzimos nosso trabalho de acordo com a Norma Brasileira
de Contabilidade para Trabalho de Asseguração Diferente
de Auditoria e Revisão NBC TO 3000, emitida pelo Conselho
Federal de Contabilidade. Esta norma exige o cumprimento
com os padrões éticos, o planejamento e a realização do
serviço para obtermos asseguração limitada de que nenhuma
questão tenha chegado ao nosso conhecimento que nos leve
a acreditar que o Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
do Itaú Unibanco Holding S.A. não esteja de acordo com
os critérios e as diretrizes para relatórios de sustentabilidade
do Global Reporting Initiative (GRI-G3.1), em todos os seus
aspectos relevantes.
Os procedimentos selecionados dependem do julgamento
do auditor independente, incluindo a avaliação dos riscos
do Relatório Anual de Sustentabilidade não cumprir
significativamente com os critérios e as diretrizes para
relatórios de sustentabilidade do Global Reporting
Initiative (GRI-G3.1). Dentro do escopo do nosso trabalho,
realizamos os seguintes procedimentos, entre outros: (i)
o planejamento dos trabalhos considerando a relevância
e o volume das informações apresentadas no Relatório
Anual de Sustentabilidade 2011; (ii) a obtenção do
entendimento dos controles internos; (iii) a constatação,
com base em testes, das evidências que suportam os
dados quantitativos e qualitativos do Relatório Anual
de Sustentabilidade 2011; (iv) entendimento dos
procedimentos e da metodologia de cálculo para a
consolidação dos indicadores; (v) confronto por base
amostral dos indicadores divulgados no Relatório Anual
de Sustentabilidade 2011 com as informações qualitativas
e quantitativas; (vi) entrevistas com gestores responsáveis
pelas informações por meio de visitas à unidade
administrativa do Banco; e (vii) confronto das informações
de natureza financeira com os registros contábeis.
Em um serviço de asseguração limitada, os procedimentos
de obtenção de evidências são mais limitados do que em
um serviço de asseguração razoável; portanto, obtém-se
um nível de asseguração substancialmente menor do
que seria obtido em um serviço de asseguração razoável.
Consequentemente, não é possível expressar, e não
expressamos uma opinião de asseguração razoável sobre
o Relatório Anual de Sustentabilidade objeto de nossos
trabalhos.
205
Relatório de asseguração limitada dos auditores independentes
Escopo e limitações
Nosso trabalho teve como objetivo verificar se os dados
incluídos no Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
do Itaú Unibanco Holding S.A. no que se refere à
obtenção de informações qualitativas, à medição e aos
cálculos de informações quantitativas, se apresentam
em conformidade com os critérios e as diretrizes para
relatórios de sustentabilidade do Global Reporting Initiative
(GRI-G3.1). As opiniões, informações históricas e informações
descritivas e sujeitas a avaliações subjetivas e a avaliação de
conformidade legal das informações contidas no Relatório de
Sustentabilidade 2011 não foram contempladas no escopo
dos trabalhos desenvolvidos. Adicionalmente, destacamos
que as informações relativas a determinados indicadores que
apresentam medidas técnicas podem apresentar variações,
uma vez que a precisão depende da natureza do indicador e
está sujeita ao método utilizado como referência.
Conclusão
Com base nos procedimentos executados e nas evidências
obtidas, nada chegou ao nosso conhecimento que nos faça
crer que o Relatório Anual Sustentabilidade 2011 do Itaú
Unibanco Holding S.A., relativo ao exercício social findo em
31 de dezembro de 2011, não atenda, em todos os aspectos
relevantes, aos critérios descritos acima (Escopo e Limitações).
São Paulo, 26 de abril de 2012.
PricewaterhouseCoopers
Auditores Independentes
CRC 2SP000160/O-5
Manuel Luiz da Silva Araújo
Contador CRC 1RJ039600/O-7 “S” SP
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
206
Declaração de exame do nível de aplicação GRI
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
207
Expediente
Expediente
Edição e coordenação geral:
Gerência de Relações Públicas e Reconhecimentos
Superintendência de Comunicação Corporativa Itaú Unibanco
Coordenação de coleta de indicadores:
Superintendência de Sustentabilidade Itaú Unibanco
Coordenação do projeto editorial:
Report Comunicação
Design gráfico e editorial:
Report Comunicação
Revisão:
Assertiva Produções Editoriais
Fotos:
Leonardo Wen e banco de imagens Itaú Unibanco
Itaú Unibanco Holding S.A.
Relatório Anual de Sustentabilidade 2011
Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, 100
Torre Olavo Setubal
CEP 04344-902 – São Paulo – SP
www.itau.com.br
Análise Gerencial
da Operação, Desempenho
das Ações e dos
ADRs e Demonstrações
Contábeis 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Demonstrações
Financeiras
2011
3
Sumário
Análise Gerencial da Operação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
Desempenho das Ações e dos ADRs. . . . . . . . . . . . . . . 18
Relatório da Administração. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
Administração e Diretoria. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Demonstrações Contábeis. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis. . . 47
Relatório dos auditores independentes. . . . . . . . . . . 120
Resumo do Relatório do Comitê de Auditoria. . . . . 122
Parecer do Conselho Fiscal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 125
Glossário de termos estrangeiros. . . . . . . . . . . . . . . . . 127
Itaú Unibanco Holding S.A.
Análise
Gerencial
da Operação
5
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
O ano de 2011
Resultado
O lucro líquido recorrente acumulado no
ano de 2011 alcançou o montante de R$
14.621 milhões, 12,4% maior em relação
ao ano anterior. Esse resultado deve–se
principalmente ao aumento de 14,5%
da Margem Financeira com Clientes, de
11,4% das Receitas de Prestações de
Serviços e de Tarifas Bancárias e de 29,3%
do resultado de seguros, previdência e
capitalização. Nesse período, observamos
também o crescimento de 25,6% do
Resultado dos Crédito de Liquidação
Duvidosa e o incremento de 9,5% das
Despesas não Decorrentes de Juros.
No passivo e patrimônio líquido,
destacam-se os crescimentos
do patrimônio de 17,2% no ano,
alcançando R$ 71,3 bilhões; o
aumento em recursos de aceites e
emissão de títulos em 101,5%; das
dívidas subordinadas em 15,2%;
dos depósitos a prazo em 24,1% e
o das obrigações por empréstimos
e repasses em 19,6%, quando
comparados com o ano anterior. O ativo total em 31 de dezembro de
2011 alcançou R$ 851,3 bilhões, uma
evolução de 13,3% em relação ao final
do ano anterior. Destacamos o aumento
das operações de crédito (sem avais e
fianças) de 17,1% em relação a 2010,
alcançando R$ 345,5 bilhões e das
aplicações interfinanceiras de liquidez
de 34,4% quando comparado a 2010,
atingindo R$ 116,1 bilhões. No ano de 2011, alteramos a forma de
cálculo do retorno para adequá-lo à
nova dinâmica de provisionamento de
dividendos. O patrimônio líquido de
31 de dezembro de 2011, que compõe
a base de cálculo de nossos retornos
anualizados sobre o patrimônio
líquido médio foi ajustado em R$ 1.847
milhões, valor do dividendo proposto
pelos órgãos de administração que
O retorno recorrente anualizado alcançou
22,3% no acumulado do ano.
Lucro Líquido R$ milhões
13.323
13.023
10.491
ultrapassa o mínimo obrigatório, e que
conforme determinação da CartaCircular 3.516/11 do Banco Central
do Brasil, deve ser mantido em nosso
patrimônio enquanto não aprovado
pela assembleia de acionistas.
Para fins comparativos, nossas
demonstrações financeiras anuais
consolidadas, referentes ao exercício
findo em 31 de dezembro de
2010 foram ajustadas devido a
algumas alterações nos critérios de
consolidação dos nossos resultados. Esses ajustes estão refletidos nas
informações financeiras referentes ao
exercício findo em 31 de dezembro
de 2010 neste relatório e em nossas
demonstrações financeiras aqui
apresentadas adiante, referentes ao
exercício findo em 31 de dezembro
de 2011. As informações financeiras
apresentadas neste relatório referentes
ao exercício findo em 2009 não
refletem esses ajustes.
Retorno Anualizado Sobre o
Patrimônio Líquido Médio – ROE %
14.641
14.621
24,1%
22,3%
22,3%
23,5%
21,4%
22,3%
10.067
2009
2010
Lucro Líquido
2011
Lucro Líquido Recorrente
2009
2010
ROE
2011
ROE Recorrente
6
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Apresentamos, na tabela abaixo, os principais indicadores financeiros
do Itaú Unibanco Holding S.A. para os anos de 2011 e 2010:
Destaques
R$ milhões (exceto onde indicado)
2011
Demonstração do Resultado do Período
Lucro Líquido Recorrente
Lucro Líquido
Produto Bancário (1)
Margem Financeira Gerencial (2)
Ações (R$)
Lucro Líquido Recorrente por Ação (3)
Lucro Líquido por Ação (3)
Número de Ações em Circulação no final do período – em milhares
Valor Patrimonial por Ação
Dividendos/JCP Líquidos (4)
Dividendos/JCP Líquidos (4) por Ação
Market Capitalization (5)
Market Capitalization (5) (US$ milhões)
Índices de Desempenho (%)
Retorno Recorrente sobre o Patrimônio Líquido Médio anualizado (6)
Retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio anualizado (6)
Retorno Recorrente sobre o Ativo Médio anualizado (7)
Retorno sobre o Ativo Médio anualizado (7)
Índice de Basileia Consolidado Econômico Financeiro
Taxa Anualizada com Operações de Crédito
Taxa Anualizada da Margem Financeira com Clientes (8)
Taxa Anualizada da Margem Financeira de Crédito com Clientes após Risco de Crédito (8)
Índice de Inadimplência (90 dias)
Índice de Cobertura (PDD/Operações vencidas há mais de 90 dias)
Índice de Eficiência (IE) (9)
Índice de Eficiência Ajustado ao Risco (IEAR) (9)
Balanço Patrimonial
Ativos Totais
Total de Operações de Crédito com Avais e Fianças
Operações de Crédito (A)
Fianças, Avais e Garantias
Depósitos + Debêntures + Obrigações por TVM + Empréstimos e Repasses (B) (10)
Índice Operações de Crédito/Captações (A/B)
Patrimônio Líquido
Dados Relevantes
Ativos sob Administração
Colaboradores do Conglomerado (indivíduos)
Colaboradores Brasil (individuos)
Colaboradores Exterior (individuos)
Quantidade de Pontos de Atendimento
Número de Agências (unidades)
Número de PABs (unidades)
Número de Caixas Eletrônicos (unidades) (11)
2010
14.641
14.621
74.256
49.601
13.023
13.323
66.390
44.050
3,23
3,23
4.513.640
15,81
4.394
0,97
152.787
81.451
2,87
2,94
4.544.368
13,40
3.908
0,86
179.639
107.813
22,3%
22,3%
1,8%
1,8%
16,4%
13,0%
11,4%
8,1%
4,9%
153%
47,7%
70,3%
31/dez/11
851.332
397.012
345.483
51.530
480.601
71,9%
71.347
23,5%
24,1%
2,0%
2,0%
15,4%
14,1%
12,2%
9,4%
4,2%
177%
49,1%
70,1%
31/dez/10
751.443
333.427
295.053
38.374
390.688
75,5%
60.879
403.906
104.542
98.258
6.284
33.753
4.072
912
363.818
108.040
102.316
5.724
34.212
3.967
944
28.769
29.301
Índices Macroeconômicos | Principais Indicadores
2011
2010
Risco País (EMBI)
CDI – Taxa do Período (%)
Dólar – Cotação em R$
Dólar – Variação do Período (%)
Euro – Cotação em R$
Euro – Variação do Período (%)
IGP-M – Taxa do Período (%)
224
11,6%
1,8758
12,6%
2,4342
9,3%
5,1%
175
9,8%
1,6662
-4,3%
2,2280
-11,1%
11,3%
Poupança – Taxa do Período (%)
7,5%
6,9%
(1) Produto Bancário é a soma da Margem Financeira Gerencial, das Receitas de Prestação de Serviço e Rendas de Tarifas Bancárias, das Outras Receitas Operacionais e do Resultado de Seguros, Previdência
e Capitalização antes das Despesas de Sinistros e de Comercialização; (2) Detalhada na página 8; (3) Calculado com base na média ponderada da quantidade de ações em circulação no período; (4) JCP –
Juros sobre Capital Próprio. Valores pagos/provisionados e declarados após 31/12/2011 (Nota 16 – b II das Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis); (5) Quantidade total de ações em circulação (ON
e PN) multiplicado pela cotação média da ação preferencial no último dia de negociação do período; (6) O cálculo do retorno foi efetuado dividindo-se o Lucro Líquido pelo Patrimônio Líquido Médio. O
quociente dessa divisão foi multiplicado pelo número de períodos no ano para se obter o índice anual. Adicionalmente, a partir do quarto trimestre de 2011, alteramos a forma de cálculo do retorno recorrente
anualizado para adequá-lo à nova dinâmica de provisionamento de dividendos. (7) O cálculo do retorno foi efetuado dividindo-se o Lucro Líquido pelo Ativo Médio. O quociente dessa divisão foi multiplicado
pelo número de períodos no ano para se obter o índice anual; (8) Não inclui Margem Financeira com o Mercado. Veja detalhes na página 8; (9) Maiores detalhes das metodologias de cálculo do Índice de
Eficiência e do Índice de Eficiência Ajustado ao Risco na página 12; (10) Conforme detalhado na página 6; (11) Inclui PAEs (posto de atendimento eletrônico) e pontos em estabelecimentos de terceiros.
7
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Demonstração do
Resultado Gerencial
O Relatório de Análise Gerencial da Operação
está baseado na Demonstração do Resultado
Gerencial que, por sua vez, decorre de
reclassificações realizadas na demonstração
do resultado contábil. Basicamente, os efeitos
fiscais do hedge dos investimentos no
exterior – originalmente contabilizados nas
Itaú Unibanco Holding S.A.
linhas de despesas tributárias (PIS e Cofins) e
de Imposto de Renda e Contribuição Social
sobre o Lucro Líquido – são reclassificados
para a margem financeira. Adicionalmente,
são feitas reclassificações entre linhas
no intuito de possibilitar uma melhor
demonstração dos resultados gerenciais.
Nossa estratégia de gestão do risco cambial
do capital investido no exterior tem por
objetivo não permitir efeitos decorrentes
de variação cambial no resultado. Para
alcançarmos esta finalidade, o risco cambial
é neutralizado e os investimentos são
remunerados em reais, por meio da utilização
de instrumentos financeiros derivativos.
Nossa estratégia de hedge dos investimentos
no exterior também considera o impacto de
todos os efeitos fiscais incidentes. Ressalta-se
que em 2011 tivemos depreciações de 12,6%
do Real em relação ao Dólar norte-americano
e de 9,3% em relação ao Euro.
Conciliação entre o Resultado Contábil e o Gerencial | 2011
R$ milhões
Itaú Unibanco
Contábil
Produto Bancário
Margem Financeira Gerencial
Margem Financeira com Clientes
Margem Financeira com o Mercado
Receitas de Prestação de Serviços e de Tarifas Bancárias
Resultado de Operações com Seg., Prev. e Cap. antes das despesas com Sinistros
Outras Receitas Operacionais
Perdas com Créditos e Sinistros Líquidas de Recuperação
Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo
Despesas com Sinistros
Outras Receitas/(Despesas) Operacionais
Despesas não Decorrentes de Juros
Despesas Tributárias de ISS, PIS, Cofins e Outras
Despesas de Comercialização de Seguros
Resultado de Participações em Coligadas
Resultado Operacional
Resultado não Operacional
Resultado antes da Tributação e Participações
Imposto de Renda e Contribuição Social
Participações no Lucro
Participações Minoritárias nas Subsidiárias
Lucro Líquido
71.914
47.259
45.816
1.443
19.048
5.215
393
(15.936)
(19.912)
5.488
(1.512)
(37.689)
(33.018)
(3.722)
(989)
39
18.289
191
18.481
(2.855)
(192)
(814)
14.621
Efeitos não
Recorrentes
Efeitos Fiscais
do Hedge
- - - - - - - - - 802
431
- - 371
802
- 802
(782)
20
2.342
2.342
- 2.342
- - - - - - (118)
- (118)
- - 2.224
- 2.224
(2.224)
-
Gerencial
74.256
49.601
45.816
3.785
19.048
5.215
393
(15.936)
(19.912)
5.488
(1.512)
(37.005)
(32.587)
(3.839)
(989)
410
21.316
191
21.507
(5.861)
(192)
(814)
14.641
Conciliação entre o Resultado Contábil e o Gerencial | 2010
R$ milhões
Itaú Unibanco
Contábil
Produto Bancário
Margem Financeira Gerencial
Margem Financeira com Clientes
Margem Financeira com o Mercado
Receitas de Prestação de Serviços e de Tarifas Bancárias
Resultado de Operações com Seg., Prev. e Cap. antes das despesas com Sinistros
Outras Receitas Operacionais
Perdas com Créditos e Sinistros Líquidas de Recuperação
Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo
Despesas com Sinistros
Outras Receitas/(Despesas) Operacionais
Despesas não Decorrentes de Juros
Despesas Tributárias de ISS, PIS, Cofins e Outras
Despesas de Comercialização de Seguros
Resultado de Participações em Coligadas
Resultado Operacional
Resultado não Operacional
Resultado antes da Tributação e Participações
Imposto de Renda e Contribuição Social
Participações no Lucro
Participações Minoritárias nas Subsidiárias
Lucro Líquido
66.988
44.648
40.020
4.627
17.101
4.711
529
(11.519)
(14.121)
4.209
(1.608)
(35.214)
(30.864)
(3.770)
(1.003)
423
20.255
81
20.336
(5.886)
(261)
(866)
13.323
Efeitos não
Recorrentes
- - - - - - (1.573)
(1.573)
- - 1.004
1.004
- - - (569)
- (569)
269
(300)
Efeitos Fiscais
do Hedge
(598)
(598)
- (598)
- - - - - - 88
88
- - - (510)
- (510)
510
-
Gerencial
66.390
44.050
40.020
4.029
17.101
4.711
528
(13.092)
(15.693)
4.209
(1.608)
(34.122)
(29.772)
(3.770)
(1.003)
423
19.176
81
19.256
(5.106)
(261)
(866)
13.023
8
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Demonstração de Resultado
R$ milhões
2011
Produto Bancário
Margem Financeira Gerencial
Margem Financeira com Clientes
Margem Financeira com o Mercado
Receitas de Prestação de Serviços e de Tarifas Bancárias
Resultado de Operações de Seg., Prev. e Cap. antes das Despesas com
Sinistros e das Despesas de Comercialização
Outras Receitas Operacionais
Perdas com Créditos e Sinistros Líquidas de Recuperação
Despesas de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo
Despesas com Sinistros
Margem Operacional
Outras Receitas/(Despesas) Operacionais
Despesas não Decorrentes de Juros
Despesas Tributárias de ISS, PIS, Cofins e Outras
Despesas de Comercialização de Seguros
Resultado de Participações em Coligadas
Resultado Operacional
Resultado não Operacional
Resultado antes da Tributação e Participações
Imposto de Renda e Contribuição Social
Participações no Lucro
Participações Minoritárias nas Subsidiárias
Lucro Líquido Recorrente
2010
2011-2010
74.256
49.601
45.816
3.785
19.048
66.390
44.050
40.020
4.029
17.101
7.866
5.551
5.796
(244)
1.947
11,8%
12,6%
14,5%
-6,1%
11,4%
5.215
4.711
504
10,7%
393
(15.936)
(19.912)
5.488
(1.512)
58.320
(37.005)
(32.587)
(3.839)
(989)
410
21.316
191
21.507
(5.861)
(192)
(814)
14.641
528
(13.092)
(15.693)
4.209
(1.608)
53.298
(34.122)
(29.772)
(3.770)
(1.003)
423
19.176
81
19.256
(5.106)
(261)
(866)
13.023
(136)
(2.844)
(4.219)
1.279
96
5.022
(2.882)
(2.815)
(70)
15
(13)
2.140
111
2.251
(754)
69
52
1.618
-25,7%
21,7%
26,9%
30,4%
-6,0%
9,4%
8,4%
9,5%
1,9%
-1,5%
-3,0%
11,2%
- 11,7%
14,8%
-26,4%
-6,1%
12,4%
2011
Eventos não Recorrentes
Variação
2010
(20)
300
Reversão Parcial da Provisão Adicional para Créditos de Liquidação Duvidosa (a)
- 1.038
Contingências Fiscais (b)
- (380)
509
145
Programa de Pagamento ou Parcelamento de Tributos Federais - Lei nº
11.941/09 (c)
Ajuste a Valor de Mercado - BPI (d)
(244)
- Provisão para Contingências - Planos Econômicos (e)
(285)
(467)
Benefícios a Empregados - Pronunciamento Técnico CPC 33 (f )
Lucro Líquido
- (35)
14.621
13.323
9
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Eventos não Recorrentes
de 2011 e de 2010
a) Reversão Parcial da Provisão
Adicional para Créditos de
Liquidação Duvidosa
No quarto trimestre de 2010, a provisão
para créditos de liquidação duvidosa
passou a refletir o modelo de perda
esperada adotado na gestão do risco
de crédito da instituição, baseado
no conceito amplo de Basileia II, que
considera inclusive as perdas potenciais
para créditos rotativos. Este modelo
substitui o anterior, que continha,
além da perda esperada, o conceito
de provisão anticíclica, a qual passou
a ser tratada como colchão de capital
segundo os preceitos de Basileia III. A
adoção deste modelo resultou em uma
reversão de R$ 1.573 milhões, antes de
impostos, no quarto trimestre de 2010.
(b)Contingências Fiscais
Provisão para contingências fiscais
relacionadas a eventos não recorrentes.
(c)Programa de Pagamento ou
Parcelamento de Tributos Federais Lei nº 11.941/09
Efeitos complementares da adesão do Itaú
Unibanco Holding e suas controladas ao
Programa de Pagamento ou Parcelamento
de Tributos Federais em 2009. Este
programa inclui débitos administrados
pela Receita Federal do Brasil e pela
Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.
Itaú Unibanco Holding S.A.
(d)Ajuste ao Valor de Mercado Investimento BPI
Efeito de avaliação do investimento
mantido no Banco Português de
Investimento pelo valor de mercado
de suas ações nas respectivas datas
de fechamento.
(e)Provisão para Contingências Planos Econômicos
Constituição de provisão para
perdas decorrentes de planos
econômicos que vigoraram durante
a década de 1980.
(f)Benefícios a Empregados Pronunciamento Técnico CPC 33
Impacto na contabilização dos
benefícios pós-emprego no
resultado de 2010 no contexto do
atendimento ao pronunciamento
técnico CPC 33.
10
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Balanço Patrimonial | Ativo
R$ milhões
31/dez/11
Circulante e Realizável a Longo Prazo
31/dez/10
Variação
dez/11-dez/2010
839.422
740.464
10.633
10.097
5,3%
Aplicações Interfinanceiras de Liquidez
116.082
86.359
34,4%
Títulos Mobiliários e Inst. Financ. Derivativos
187.880
186.562
0,7%
98.923
86.524
14,3%
Disponibilidades
Relações Interfinanceiras e Interdependências
13,4%
Operações de Crédito, Arrendamento e Outros Créditos
345.483
295.053
17,1%
(Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa)
(25.772)
(22.018)
17,0%
Outros Ativos
106.193
97.888
8,5%
26.450
21.593
22,5%
Carteira de Câmbio
Outros
79.743
76.295
4,5%
11.909
10.979
8,5%
Investimentos
2.717
3.250
-16,4%
Imobilizado de Uso e de Arrend. Merc. Operacional
5.287
4.728
11,8%
Intangível e Ágio
3.906
3.001
30,1%
851.332
751.443
13,3%
Permanente
Total do Ativo
O ativo total em 31 de dezembro de 2011
alcançou R$ 851,3 bilhões, uma evolução
de 13,3% sobre o ano anterior. Destacamos
o aumento das operações de crédito (sem
avais e fianças) de 17,1% em relação a
2010, alcançando R$ 345,5 bilhões e das
aplicações interfinanceiras de liquidez
de 34,4% quando comparado a 2010,
atingindo R$ 116,1 bilhões.
Balanço Patrimonial | Passivo
R$ milhões
31/dez/11
Circulante e Exigível a Longo Prazo
31/dez/10
Variação
dez/11-dez/2010
777.009
686.286
13,2%
242.636
202.688
19,7%
Depósitos à Vista
28.933
26.443
9,4%
Depósitos de Poupança
67.170
57.899
16,0%
Depósitos
Depósitos Interfinanceiros
Depósitos a Prazo
Captações no Mercado Aberto
Recursos de Aceites e Emissão de Títulos
Relações Interfinanceiras e Interdependências
2.066
1.929
7,1%
144.469
116.416
24,1%
188.819
199.656
-5,4%
51.557
25.592
101,5%
4.048
3.668
10,4%
56.602
47.338
19,6%
6.807
5.705
19,3%
73.754
60.551
21,8%
152.785
141.088
8,3%
Dívida Subordinada
38.974
33.830
15,2%
Carteira de Câmbio
26.182
22.035
18,8%
Diversos
87.629
85.223
2,8%
836
766
9,2%
Obrigações por Empréstimos e Repasses
Instrumentos Financeiros e Derivativos
Provisões Técnicas de Seg., Prev. e Capitalização
Outras Obrigações
Resultados de Exercícios Futuros
Participações Minoritárias nas Subsidiárias
Patrimônio Líquido
Total do Passivo
No passivo e patrimônio líquido,
destacam-se os crescimentos do
patrimônio de 17,2% no ano, alcançando
2.139
3.513
-39,1%
71.347
60.879
17,2%
851.332
751.443
13,3%
R$ 71,3 bilhões, o aumento em recursos
de aceites e emissão de títulos em 101,5%,
das dívidas subordinadas em 15,2%,
dos depósitos a prazo em 24,1% e das
obrigações por empréstimos e repasses
em 19,6% no ano.
11
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Carteira de Crédito
com Avais e Fianças
destaques os crescimentos nas carteiras
de crédito imobiliário, de cartão de crédito
e de crédito pessoal, com evoluções de
66,7%, 18,0% e 47,0% em relação a 2010,
respectivamente. Vale ressaltar no segmento
de pessoa jurídica, o desempenho da carteira
de grandes empresas com crescimento
de 21,3%, e de micro, pequenas e médias
empresas, que cresceram 13,0% no período
A carteira de crédito, incluindo operações
de avais e fianças, alcançou o saldo de R$
397.012 milhões em 31 de dezembro de
2011, com acréscimo de 19,1% em relação
ao mesmo período do ano anterior. No
segmento de pessoa física, tivemos como
de 12 meses, impulsionado pelo crescimento
da carteira de médias empresas.
O saldo de avais e fianças atingiu R$ 51.530
milhões em 31 de dezembro de 2011, com
acréscimo de 34,3% nos últimos 12 meses
influenciado, principalmente, pelo aumento das
operações de grandes empresas, que cresceram
34,5% em relação a 31 de dezembro de 2010.
R$ milhões
31/dez/11
Pessoas Físicas
Cartão de Crédito
Crédito Pessoal
Veículos
Crédito Imobiliário (*)
Pessoas Jurídicas
Grandes Empresas
Micro, Pequenas e Médias Empresas (**)
Argentina/Chile/Uruguai/Paraguai
Total com Avais e Fianças
Total Varejo - Brasil (***)
Saldo de Avais e Fianças
Pessoas Físicas
Grandes Empresa
Micro, Pequenas e Médias Empresa
Argentina/Chile/Uruguai/Paraguai
Crescimentos ajustados pelos efeitos da variação cambial
147.573
38.961
35.069
60.093
13.450
228.761
139.907
88.854
20.678
397.012
236.427
51.530
267
46.670
3.174
1.419
31/dez/10
125.079
33.030
23.864
60.118
8.067
193.951
115.348
78.604
14.397
333.427
203.682
38.374
252
34.693
2.541
888
Variação
dez/11 – dez/10
18,0%
18,0%
47,0%
0,0%
66,7%
17,9%
21,3%
13,0%
43,6%
19,1%
16,1%
34,3%
5,7%
34,5%
24,9%
59,8%
17,2%
(*) Não considera o saldo de R$ 534,2 MM da cessão de crédito imobiliário com coobrigação. Se fosse considerado, o crescimento do saldo no ano teria sido de 73,4%; (**) Inclui Crédito Rural
Pessoas Físicas; (***) Inclui Pessoas Físicas e Micro, Pequenas e Médias Empresas. Obs.: A carteirva de crédito consignado adquirida é considerada como risco de grandes empresas. As carteiras
de crédito imobiliário e crédito rural do segmento pessoa jurídica encontram-se alocadas de acordo com o porte do cliente. Desconsiderando o efeito da variação cambial em Grande Empresas,
o crescimento registrado nesta carteira seria de 18,1% em 12 meses.
Evolução da Carteira de Crédito –
Abertura por moeda
R$ bilhões
2009
242,0
36,3 278,3
290,3
2010
43,1
332,8
2011
Moeda Local
333,4
64,2 397,0
Moeda Estrangeira
Em 31 de dezembro de 2011, uma
parcela de R$ 64,2 bilhões do total dos
nossos ativos de crédito era denominada
ou indexada a moedas estrangeiras. A
desvalorização do Real em relação a essas
moedas, em especial ao dólar norteamericano, contribuiu para o crescimento
do saldo total das operações de crédito
em 2011.
12
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Margem Financeira
Em 2011, a margem financeira gerencial
cresceu 12,6% em relação a 2010,
decorrente do aumento de 14,5% da
margem financeira com clientes, reflexo do
aumento verificado na carteira de crédito
e da alteração do mix de empréstimos
e financiamentos. Para permitir uma
análise mais detalhada das variações da
margem com clientes, segregamos as suas
operações em dois grupos distintos: a
margem financeira das operações sensíveis
à variação da taxa de juros e a margem das
operações sensíveis à variação dos spreads.
A margem financeira das operações sensíveis
à variação da taxa de juros somou R$ 7.160
milhões no ano de 2011, com crescimento
de 30,5% em relação a 2010, devido
principalmente, ao acréscimo do saldo médio
das operações sensíveis à variação na taxa de
juros e à elevação da taxa básica de juros.
A margem financeira das operações
sensíveis a spreads realizadas com clientes
atingiu R$ 38.656 milhões em 2011, uma
elevação de 11,9% em relação ao ano
anterior. Este crescimento deveu-se,
basicamente, à elevação do saldo médio das
operações de crédito.
A margem financeira das operações
realizadas com o mercado, decorre,
basicamente, das operações da
tesouraria que compreendem o
gerenciamento dos descasamentos
entre ativos e passivos (ALM– Asset
Liability Management) e a gestão
das carteiras proprietárias. No ano
de 2011, a margem financeira com
o mercado somou R$ 3.785 milhões,
uma redução de R$244 milhões em
relação ao anterior, devido ao menor
resultado em posições proprietárias,
que foi provocado pelas condições
de mercado.
R$ milhões
2011
Saldo
Médio
Operações Sensíveis à Variação na Taxa de Juros Realizadas com Clientes (A)
Margem
Financeira
2010
Taxa
Média (a.a.)
Saldo
Médio
Margem
Financeira
Taxa Média
(a.a.)
69.352
7.160
10,3%
58.194
5.485
9,4%
Operações Sensíveis a Spreads (B)
331.651
38.656
11,7%
268.671
34.535
12,9%
Net Interest Margin – Margem Financeira com Clientes (C = A+B)
401.003
45.816
11,4%
326.865
40.020
12,2%
Margen Financeira com o Mercado. (Tesouraria) (D)
Margem Financeira (E = C+D)
R$ bilhões
37,1
2010
40,0
5,6
45,8
2011
Margem Financeira com Clientes
4.029
49.601
44.050
Net Interest Margin com Clientes X CDI
Evolução da Margem Financeira
2009
3.785
42,7
4,0 44,0
3,8 49,6
Margem Financeira com o Mercado
11,8%
12,2%
11,6%
9,9%
9,8%
11,4%
2010
2011
2009
NIM com Clientes
CDI
13
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Receitas de
Prestação de Serviços
e de Tarifas Bancárias
Em 2011 as receitas de prestação de serviços e
de rendas de tarifas bancárias, alcançaram R$
19.048 milhões, crescimento de 11,4% em relação
a 2010. Considerando o resultado com operações
de seguros, previdência e capitalização, as receitas
atingiram R$ 21.762 milhões, com aumento de
13,3% em relação ao ano anterior.
As receitas de administração de recursos
somaram R$2.608 milhões, crescimento de
4,5% em relação ao ano anterior. Os ativos sob
nossa administração totalizaram R$403.906
milhões, uma evolução de 11,0% em relação a
2010, proveniente do crescimento das carteiras.
Itaú Unibanco Holding S.A.
As receitas decorrentes dos serviços de
conta corrente atingiram R$ 2.477 milhões,
mantendo uma evolução positiva em relação
ao ano anterior. Mesmo com o aumento da
base de clientes, houve migração de clientes
para pacotes de serviços que possibilitam
uma maior utilização de serviços sem que
haja incidência de cobrança.
As receitas com cartões de crédito totalizaram R$
7.497 em 2011, aumento de 18,1% em relação a
2010, influenciadas, principalmente, pelas maiores
receitas de interchange e anuidades de cartões.
Na linha de outras de receitas houve um
crescimento R$172 milhões em 2011,
evolução de 10,3% em relação ao ano anterior,
devida, principalmente, ao aumento dos
serviços de assessoria econômica e financeira,
ocasionado pela maior atividade das áreas
Corporate e Banco de Investimento.
As receitas de operações de crédito e
garantias prestadas cresceram 17,1% em
2011, impulsionadas pelo maior volume
de operações de financiamento de veículos
para pessoas físicas.
O resultado da operação de seguros,
previdência e capitalização alcançou R$ 2.714
milhões em 2011, aumento de 29,3% em
relação ao ano anterior, devido ao aumento nos
prêmios ganhos e redução na sinistralidade.
As receitas relacionadas aos serviços de
recebimento mantiveram-se praticamente
estáveis em relação ao ano anterior.
R$ milhões
2011
2010
2011-2010
Administração de Recursos
Serviços de Conta Corrente
Operações de Crédito e Garantias Prestadas
Serviços de Recebimentos
Cartões de Crédito
Outros
Receitas de Prestação de Serviços
Resultado com Operações de Seguros, Previdência e Capitalização (1)
2.608
2.477
3.288
1.333
7.497
1.845
19.048
2.714
2.496
2.451
2.809
1.324
6.347
1.673
17.101
2.100
111
26
479
8
1.150
172
1.947
615
4,5%
1,1%
17,1%
0,6%
18,1%
10,3%
11,4%
29,3%
Total
21.762
19.201
2.562
13,3%
(1) Receitas de Operações de Seguros, Previdência e Capitalização (-) Despesas com Sinistros (-) Despesas de Comercialização de Seguros, Previdência e Capitalização.
Evolução das Receita de Serviços e Resultado de
Seguros, Previdência e Capitalização
Composição das Receitas de Prestação
de Serviços e Tarifas Bancárias
R$ milhões
2011
26,9%
28,9%
2010
29,3%
21.762
12,5%
10,9%
12%
19.201
17.604
8,5%
11,4%
13,0%
8,7%
12,8%
15,1%
34,4%
6,1%
2009
2010
14,6%
33,1%
6,9%
2011
Rec. Prest. Serviços e Tarifas Bancárias + Result. Seg., Prev. e Cap.)
(Rec. Prest. Serviços e Tarifas Bancárias + Result. Seg., Prev. e Cap.)/Produto Bancário
A relação entre o total de receitas de prestação de serviços
e rendas de tarifas bancárias e o produto bancário – que
considera além destas receitas, a margem financeira
gerencial, a receita de operações com seguros, previdência e
capitalização e outras receitas operacionais – atingiu 29,3%.
Cartões de Crédito
Operações de Crédito e Garantias Prestadas
Serviços de Recebimentos
Serviços de Conta Corrente
Outros
Administração de Recursos
Resultado com Operações de Seguros,
Previdência e Captalização
14
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Resultado de Créditos
de Liquidação Duvidosa
O resultado de créditos de liquidação
duvidosa totalizou R$14.424 milhões
em 2011. A despesa com provisão de
créditos de liquidação duvidosa alcançou
R$ 19.912 milhões no ano, com aumento
de R$ 4.219 milhões em relação ao
ano anterior, devido ao crescimento
da carteira de crédito e aumento da
inadimplência, especialmente no
Itaú Unibanco Holding S.A.
primeiro semestre no segmento de micro
e pequenas empresas e no segundo
semestre no segmento de pessoas físicas.
A receita de recuperação de créditos
anteriormente baixados como prejuízo
somou R$ 5.488 milhões, devido a maiores
esforços de cobrança ao longo do ano.
A partir do quarto trimestre de 2010 foi
revisto o critério de Provisionamento
Complementar para Créditos de
Liquidação Duvidosa, passando a refletir
o modelo de perda esperada adotado na
gestão do risco de crédito da instituição,
baseado no conceito amplo de Basileia
II, que considera inclusive as perdas
potenciais para créditos rotativos. Este
modelo substitui o anterior, denominado
provisionamento adicional, que continha,
além da perda esperada, o conceito de
provisão anticíclica, a qual passa a ser
tratada como colchão de capital segundo
os preceitos de Basileia III.
R$ milhões
2011
2010
2011-2010
Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
Receita de Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo
(19.912)
5.488
(15.693)
4.209
(4.219)
1.279
26,9%
30,4%
Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa
(14.424)
(11.484)
(2.940)
25,6%
PDD e Carteira de Crédito
Despesa de Provisão para Créditos
de Liquidação Duvidosa
9,8%
7,5%
7,4%
5,9%
7,5%
6,9%
6,0%
5,9%
6,2%
5,9%
4,5%
4,3%
24.052
22.018
25.772
19.912
5.058
6.104
16.399
4.531
15.693
7.503
6.167
6.929
14.424
14.165
11.781
2009
13.210
10.558
2010
11.484
2011
Saldo de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (R$ milhões)
Saldo da PDD Complementar — modelo perda esperada (R$ milhões)
Saldo da PDD Adicional — modelo perda esperada + provisão anticíclica (R$ milhões)
Saldo da Carteira de Crédito em classificação H
Saldo da PDD Específica + Genérica + Complementar / Carteira de Crédito
Saldo da PDD Específica + Genérica / Carteira de Crédito
Em dezembro de 2011, o saldo da carteira de crédito sem avais
e fianças evoluiu R$ 50.430 milhões em relação ao ano anterior,
alcançando R$ 345.483 milhões, enquanto o saldo da provisão
para créditos de liquidação duvidosa aumentou R$ 3.754 milhões,
atingindo R$ 25.772 milhões. A proporção do saldo de provisões
frente à carteira de crédito manteve-se estável em relação a 2010.
2009
2010
2011
Despesa de PDD (R$ milhões)
Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa (R$ milhões)
Despesa de PDD / Carteira de Crédito (*)
RCLD/Carteira de Crédito (*)
(*) Saldo médio da carteira de crédito considerando os dois últimos trimestres.
A relação entre a despesa de provisão para créditos de liquidação
duvidosa e a carteira de crédito atingiu 6,2% em 2011, aumentando
0,3 ponto percentual em relação ao patamar do ano anterior.
15
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Índice de Inadimplência
(acima de 90 dias)
Índice de Inadimplência
(15 a 90 dias)
7,7%
7,4%
6,6%
5,6%
5,8%
4,0%
4,9%
4,2%
3,5%
2010
Pessoas Jurídicas
2011
Total
Pessoas Físicas
O gráfico acima apresenta as evoluções dos índices de inadimplência
acima de 90 dias da carteira de crédito total, da carteira de crédito
para pessoas físicas e da carteira de crédito para pessoas jurídicas.
Em 2011, a inadimplência das pessoas físicas aumentou 0,8 ponto
percentual e das pessoas jurídicas 0,6 ponto percentual.
Índice de Cobertura
(90 dias)
174%
177%
153%
37%
44%
30%
2009
36%
51%
94%
90%
2010
35%
88%
2011
Cobertura pela PDD Específica
Cobertura pela PDD Complementar
Cobertura pela PDD Genérica
Cobertura pela PDD Adicional
O índice de cobertura da carteira com atrasos acima
de 90 dias alcançou 153% em 2011, influenciado pelo
crescimento da carteira de crédito em atraso. O saldo de
provisão para créditos de liquidação duvidosa atingiu R$
25.772 milhões nesse ano, com crescimento de 17,0% em
relação ao ano anterior.
4,4%
3,9%
2,1%
2,4%
1,8%
2,9%
2009
6,9%
6,5%
4,6%
2009
2010
Pessoas Jurídicas
2011
Total
Pessoas Físicas
No ano de 2011, o índice de inadimplência de curto prazo (medido
pelo saldo de créditos em atraso entre 15 a 90 dias sobre a carteira
de crédito) apresentou um aumento de 0,5 ponto percentual. O
segmento de pessoas físicas aumentou 0,4 ponto percentual e o de
pessoas jurídicas aumentou 0,6 ponto percentual.
16
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Despesas não
Decorrentes de Juros
No ano de 2011, as despesas não
decorrentes de juros totalizaram R$ 32.587
milhões, crescimento de 9,5% em relação
a 2010, em função, principalmente, do
crescimento de R$ 1.295 milhões das
despesas operacionais e de R$ 958 milhões
das despesas de pessoal.
As despesas de pessoal aumentaram
7,7% em relação a 2010, impactadas pelo
aumento das despesas com desligamento
de funcionários, devido à reestruturação
da área de crédito ao consumidor e ao
crescimento das despesas com processos
Itaú Unibanco Holding S.A.
trabalhistas, influenciadas pela revisão
no processo de cálculo do custo médio.
Contribuíram também para essa variação,
os reajustes de 9,0% em 2011 e 7,5% em
2010 relacionados a Convenção Coletiva do
Trabalho firmados nos meses de setembro.
As despesas administrativas apresentaram
crescimento de 3,7% em relação a 2010,
impulsionadas pelas maiores despesas com
serviços de terceiros, em virtude do aumento
das despesas com honorários advocatícios,
assessoria e consultoria e desenvolvimento
de sistemas; pelo crescimento das despesas
com processamento de dados, devido ao
maior nível de atividade operacional no ano e
pelo aumento das despesas com instalação,
em função das reformas para o novo padrão
Itaú Unibanco, que somou R$ 303 milhões no
ano de 2011.
As despesas operacionais em 2011
apresentaram uma evolução de R$1.295
milhões, 37,4% maior que em 2010,
influenciadas, principalmente, pelo
aumento das despesas de provisão para
contingências, devido ao aumento do
custo médio das ações cíveis e tributárias
e pelo crescimento das despesas
com sinistros, devido ao aumento da
quantidade de cartões de crédito no
período, parcialmente compensado pela
introdução de novos controles para a
redução das fraudes com cartões.
R$ milhões
2011
2010
2011-2010
Despesas de Pessoal
Despesas Administrativas
Despesas Operacionais
Outras Despesas Tributárias (1)
(13.357)
(14.100)
(4.760)
(370)
(12.399)
(13.598)
(3.465)
(311)
(958)
(502)
(1.295)
(59)
7,7%
3,7%
37,4%
19,0%
Total
(32.587)
(29.772)
(2.815)
9,5%
(1) Não inclui ISS, PIS e Cofins
Evolução das Despesas não Decorrentes de Juros
R$ milhões
Colaboradores (2)
108.040
104.542
101.640
(27.878)
(29.772)
(32.587)
(5.130)
(3.776)
(4.193)
(14.100)
(13.598)
(11.593)
2009
2009
(13.357)
(12.399)
(12.092)
2010
Despesas de Pessoal
Outras Despesas Operacionais e Tributárias
Outras Despesas Administrativas
2011
2010
2011
(2)Para empresas sob controle do Itaú Unibanco, consideramos 100% do total de colaboradores.
Para as empresas com controle compartilhado, consideramos 50% do total de colaboradores.
Para empresas sem o controle do Itaú Unibanco, nenhum colaborador é considerado.
O número de colaboradores passou de 108.040 em 2010 para
104.542 em 2011, devido, principalmente, à reestruturação da área
de crédito ao consumidor. Essa reestruturação tem como objetivo
a integração dos sistemas e processos em uma única plataforma,
capturando sinergias entre as estruturas operacionais e revisando a
estratégia de alguns negócios.
17
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Índice de Eficiência
Em 2011, o índice de eficiência alcançou 47,7%, com uma melhora
de 1,4 ponto percentual em relação ao ano de 2010. A disseminação
das práticas relacionadas ao projeto eficiência foi responsável
pela forte atuação no controle de nossas despesas e teve papel
determinante para esta melhoria. Se compararmos o quarto
trimestre de 2011 com o mesmo período do ano anterior, o referido
índice apresentou uma melhora de 4,6 pontos percentuais.
Evolução do Índice de Eficiência
75,2%
47,2%
70,1%
70,3%
49,1%
47,7%
2010
2011
Índice de Eficiência Ajustado ao Risco
O índice de eficiência ajustado ao risco em 2011 atingiu 70,3%,
um aumento de 0,2 ponto percentual em relação a 2010, devido,
principalmente, ao crescimento das despesas de provisão para
créditos de liquidação duvidosa, parcialmente compensado pelos
fatores que impactaram o índice de eficiência.
2009
Índice de Eficiência Ajustado ao Risco
Índice de Eficiência
R$ milhões
2011
Despesas não Decorrentes de Juros (A)
Despesas com Comercialização de Seguros (B)
Margem Financeira Gerencial
Receita de Prestação de Serviços e .
de Tarifas Bancárias
Resultado de Operações com Seguros,
Previdência e Capitalização antes das Despesas
com Sinistros e Comercialização
Outras Receitas Operacionais
Produto Bancário (C)
Despesas Tributárias com ISS, PIS, COFINS
e Outras (D)
Índice de Eficiência [ E = (A + B) / (C + D) ]
Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação
Duvidosa
Receita de Recuperação de Créditos .
Baixados como Prejuízo
Despesas com Sinistros de Seguros
Perdas com Créditos e Sinistros (F)
Índice de Eficiência Ajustado ao Risco
[G = (A + B + F) / (C + D) ]
2010
2011-2010
(32.587)
(989)
49.601
(29.772)
(1.003)
44.050
(2.815)
15
5.551
9,5%
-1,5%
12,6%
19.048
17.101
1.947
11,4%
5.215
4.711
504
10,7%
393
74.256
528
66.390
(136)
7.866
-25,7%
11,8%
(3.839)
(3.770)
(70)
1,9%
47,7%
49,1%
(19.912)
(15.693)
(4.219)
-1,4 p.p.
26,9%
5.488
4.209
1.279
30,4%
(1.512)
(15.936)
(1.608)
(13.092)
96
(2.844)
-6,0%
21,7%
70,3%
70,1%
0,2 p.p.
18
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Desempenho das
ações e dos ADRs em
Bolsas de Valores
A abertura de capital do Itaú Unibanco
ocorreu em 1944, e atualmente possui
ações listadas nas bolsas de valores de São
Paulo (ITUB3 e ITUB4), Nova Iorque (ITUB)
e Argentina (ITUB4), sendo os certificados
negociados no exterior lastreados em ações
preferenciais (ITUB4).
O valor de mercado do Itaú Unibanco calculado a partir da cotação média da ação
preferencial (mais líquida) no último dia de
negociação do período e o total de ações
em circulação (ordinárias e preferenciais)
- chegou a R$ 152,8 bilhões em 31 de
dezembro de 2011. Quando comparado
com o valor de mercado de 2000, o Itaú
Unibanco cresceu o equivalente a 7,2
vezes, enquanto o Ibovespa apresentou um
crescimento de 3,9 vezes.
De acordo com a Bloomberg, no final
de dezembro de 2010 o Itaú Unibanco
ocupava a 8ª posição no ranking de valor
de mercado mundial de bancos, sendo
o segundo ano consecutivo em que o
Banco permanece entre os 10 maiores
bancos mundiais.
Confira abaixo a evolução das cotações das
ações do Itaú Unibanco.
(R$)
(R$)
(US$)
Ações PN
ITUB4
Ações ON
ITUB3
ADRs
ITUB
Cotação de Fechamento em 31/12/2010
Máxima no ano
Média no ano
Mínima no ano
Cotação de Fechamento em 31/12/2011
Variação em 2011
Volum e Financeiro Médio Diário Negociado 2011 (milhões)
39,79
40,65
33,76
25,15
33,99
-14,6%
270
Valor de Mercado x Índice Ibovespa
175,1
179,6
152,8
CAGR 00 11: 19,62%
˜
140,5
CAGR 00 11: 13,21%
˜
115,3
80,8
107,9
68,6
63,9
69,3
54,5
59,9
44,4
41,2
21,3
19,6
22,2
15,3
37,5
33,4
23,8
26,2
13,6
11,3
2000
2001
2002
2003
2004
ibovespa (mil pontos)
2005
2006
2007
2008
2009
2010
Valor de Mercado (bilhões)
Cotação média da ação preferencial (mais líquida) no último dia de negociação do período x total de ações em circulação.
2011
31,00
32,63
28,47
21,51
27,01
-12,9%
8
24,01
24,77
20,40
14,47
18,56
-22,7%
274
19
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Em 2011, as ações preferenciais do
Itaú Unibanco (ITUB4) mantiveram o
quarto lugar no ranking de volume
financeiro médio negociado na
BM&FBOVESPA.
No mesmo período, o ADR (American
Depositary Receipt) do Banco foi o sexto mais
negociado na NYSE (Bolsa de Valores de
Nova Iorque) e o primeiro no ranking entre os
bancos estrangeiros com negociação nos EUA.
Volume Médio Diário Negociado (BM&FBovespa+NYSE)
R$ milhões
CAGR 05 11: 25,91%
˜
13,38%
CAGR 05 11: 23,33%
874
˜
CAGR 05 11: 27,67%
˜
641
737
242
650
559
207
189
319
185
95
79
106
224
2005
2006
34,30%
278
191
632
3,61%
452
2007
2008
NYSE (ADR)
368
443
459
2009
2010
2011
BM&FBOVESPA (ON + PN)
Participação nos Índices de Mercado
A participação nos índices de mercado serve
de referência para investidores avaliarem a
representatividade de uma companhia no
mercado de ações.
Índices Nacionais
IFNC (Índice Financeiro)
ICO2 (Índice Carbono Ef iciente)
ITAG (Índice de Ações com Tag Along Diferenciado)
IGC (Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada)
IBrX-50
IBrA (Índice Brasil Amplo)
IBrX (Índice Brasil)
Ibovespa (Índice Bovespa)
ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial)
Índices Internacionais
BRIC Select ADR Index
Latin America 35 ADR Index
Emerging 50 ADR Index
ADR Composite Index
GS Sustain
No setor bancário, o Itaú apresenta a maior
participação nos índices IBrX, IBrX-50, IBrA,
IGC, ISE e Ibovespa.
Participação (%)
Posição
20,35
14,52
13,11
7,47
9,80
8,24
8,09
4,66
5,68
1º
1º
1º
2º
3º
3º
3º
4º
5º
5,61
4,44
4,79
0,92
5º
4º
6º
37º
1,43
N/A
20
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Convergência com as
normas Internacionais
de Contabilidade - IFRS
Grupamento e
Desdobramento
de Ações
O Itaú Unibanco passou a divulgar suas
demonstrações contábeis consolidadas
também em acordo com as normas
internacionais de contabilidade IFRS
(International Financial Reporting
Standards), a partir de 31 de dezembro de
2010 em conformidade com o requerido
pelo Conselho Monetário Nacional.
Conforme aprovado em Assembleia Geral
Extraordinária realizada em 25 de abril de
2011, anunciado por comunicado enviado
à CVM na mesma data e em homologação
do Banco Central, concluímos em 30 de
novembro de 2011 a operação para ajuste
da base acionária, realizada via grupamento
e desdobramento simultâneo de ações,
grupamento feito na proporção de 100 para
1 seguido de um desdobramento na mesma
proporção.
As demonstrações contábeis consolidadas
completas estão para consulta no site de
Relações com Investidores na seção
(www.itauri.com > Informações Financeiras
> Demonstrações Contábeis > IFRS).
Recompra de Ações
Próprias pela Tesouraria
Desde novembro de 2004, o Itaú Unibanco,
de forma pioneira, passou a divulgar
espontaneamente suas transações com
ações próprias realizadas pela Tesouraria.
No ano de 2011, adquirimos 40.970.900
ações preferenciais no montante de R$ 1,3
bilhão, ao preço médio de R$ 31,79.
Maiores detalhes sobre a política, regras
operacionais e histórico das negociações
com ações próprias, estão disponíveis no
site de RI (www.itauri.com > Governança
Corporativa > Recompra de Ações).
Dividendos/Juros sobre
Capital Próprio (JCP)
O Itaú Unibanco remunera seus acionistas
por meio de pagamentos mensais e
complementares de dividendos e Juros
sobre Capital Próprio (JCP).
O Itaú Unibanco pagou ou provisionou
no ano de 2011 R$ 4.394 milhões em
dividendos e JCP, líquidos de impostos.
Este montante representa 30,0% do lucro
líquido do período, sendo que, conforme
estabelecido no Estatuto Social, os acionistas
tem direito a receber no mínimo 25% do
lucro líquido ajustado.
Esta operação, que contou com ampla
divulgação através de comunicados aos
acionistas por carta, pelo site de Relações
com Investidores e CVM, é importante
para trazer maior eficiência aos sistemas
de registro e controle de ações escriturais,
reduzindo assim custos operacionais e
administrativos, pela eliminação de valores
abaixo de 100 ações da base.
Relações com o Mercado
O Itaú Unibanco foi a empresa de capital
aberto que mais realizou reuniões públicas
APIMEC pelo Brasil em 2011.
Aproximadamente 3,7 mil pessoas
estiveram presentes nas 22 reuniões
realizadas, aumento de 52% no número de
participantes presenciais em relação a 2010.
De forma inédita, realizamos 7 reuniões
APIMEC nas feiras Expomoney, inovando
e buscando cada vez mais sinergia no
relacionamento com o investidor brasileiro
pessoa física.
Em 2011, participamos de todos os eventos
Expo Money (exposição voltada para
educação financeira), disponibilizando
profissionais de Relações com Investidores,
Itaú Corretora e especialistas em produtos
de investimento para atender investidores,
acionistas e interessados.
Para visualizar as apresentações e webcasts,
acesse o site de Relações com Investidores
(www.itau-unibanco.com.br/ri).
Quanto aos fundos e demais
investidores institucionais, atendemos a
aproximadamente 2.600 investidores através
de 26 conferências e roadshows nacionais
e internacionais, reuniões presenciais,
teleconferências e e-mails.
Manual de Ações do
Investidor Pessoa Física
Lançamos o Manual de Ações para o
Investidor Pessoa Física durante a feira
Expomoney São Paulo. Este material é uma
introdução ao mercado de ações e instrui
o investidor individual como proceder
ao iniciar seus investimentos em títulos e
valores mobiliários, além de destacar os
diversos canais de atendimento que o Itaú
disponibiliza para este público.
O Manual está disponibilizado em nosso
site de Relações com Investidores (www.
itau-unibanco.com.br/ri > Ações do Itaú
Unibanco > Manual de Ações para o
Investidor Pessoa Física).
21
Análise Gerencial da Operação
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
Distribuição Acionária
A seguir demonstramos a posição das ações
representativas do capital social e ações em
tesouraria em 31 de dezembro de 2011:
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Quantidade de Ações (Em milhares)
Ordinárias (ON)
Capital Social
Ações em Tesouraria
Total de Ações (-) Tesouraria
Preferenciais (PN)
2.289.286
2
2.289.284
Total
2.281.650
57.294
2.224.356
4.570.936
57.296
4.513.640
Estrutura Acionária
A gestão de nossa estrutura societária
tem como principal objetivo a otimização
da aplicação de capital entre os diversos
segmentos que compõem o conglomerado.
Abaixo apresentamos uma síntese da atual
estrutura societária em 31/12/2011:
Família
Moreira Salles
100,00% Total
Cia. E. Johnston de
Participações
50,00% ON
33,47% Total
Free Float*
Família Egydio Souza Aranha
38,88% ON
82,16% PN
65,50% Total
61,12% ON
17,84% PN
34,50% Total
Itaúsa
38,66% ON
19,61% Total
50,00% ON
66,53% Total
IUPAR (Itaú Unibanco
Participações S.A.)
Free Float*
51,00% ON
25,87% Total
9,40% ON
99,27% PN
53,69% Total
Itaú Unibanco
Holding S.A.
Composição das Ações
Preferenciais em 31/12/2011
40%
Brasileiros na BM&FBovespa
39%
Estrangeiros na NYSE (ADR)
21%
Estrangeiros na BM&FBovespa
(*) Excluindo Controladores e Tesouraria
Relatório da Administração
O ano de 2011
Relatório da
Administração
O ano de 2011
23
Relatório da Administração
O ano de 2011
Itaú Unibanco Holding S.A.
O ano de 2011
Senhores acionistas
Apresentamos o Relatório da
Administração e as Demonstrações
Contábeis do Itaú Unibanco Holding S.A. (Itaú Unibanco) e de suas controladas
relativos ao ano de 2011, os quais seguem
as normas estabelecidas pela Lei das
Sociedades por Ações, pelo Conselho
Monetário Nacional (CMN), pelo Banco
Central do Brasil (Bacen), pela Comissão
de Valores Mobiliários (CVM), pela
Superintendência de Seguros Privados
(Susep) e pelo Conselho Nacional de
Seguros Privados (CNSP).
1) Destaques
O total do valor adicionado do Itaú
Unibanco, que demonstra a riqueza
gerada para a comunidade, atingiu R$
36,8 bilhões em 2011, tendo a seguinte
distribuição: 32,6% para os colaboradores,
33,2% em reinvestimentos dos lucros,
23,0% em impostos, taxas e contribuições,
8,7% em remuneração aos seus acionistas
e 2,5% na forma de remuneração de
capital de terceiros. Pela 8ª vez consecutiva, a marca Itaú foi
reconhecida como a mais valiosa no Brasil
pela consultoria Interbrand, pioneira no
desenvolvimento do método de valoração
de marcas, sendo avaliada em R$ 24,3
bilhões, 18% superior ao apresentado em
2010 e 130% maior do que em 2008 (ano
da associação entre Itaú e Unibanco). Em 31 de dezembro de 2011, o Itaú
Unibanco figurava como 8º maior banco do
mundo pelo critério de valor de mercado
(R$ 152,8 bilhões), segundo ranking da
Bloomberg. No final de 2010, o Banco
estava na 10º posição nesse mesmo ranking.
Pelo 7º ano consecutivo, o Itaú Unibanco
manteve-se dentre o grupo de empresas
selecionadas para compor a carteira do
Índice de Sustentabilidade Empresarial
da BM&FBovespa (ISE) em sua edição
2012. Além disso, a Itaúsa, uma das
controladoras do Itaú Unibanco, também
consta no ISE pelo 5º ano e a Redecard,
empresa controlada pelo Itaú Unibanco,
foi selecionada pelo 3º ano consecutivo. Em 2011, diversos filmes de campanhas,
além dos tutoriais com foco no
Uso Consciente do Dinheiro, foram
disseminados com grande repercussão
nas redes sociais e juntos somaram mais
de 20 milhões de visualizações. O Itaú está
presente hoje no Facebook (facebook.
com/itau), no Youtube (youtube.com/
bancoitau) e no Twitter (twitter.com/
itau) e com menos de 5 meses no ar, a
Fanpage (página) do Itaú Unibanco no
Facebook ultrapassou a marca dos 730
mil fãs, ocupando a liderança em número
de seguidores de toda a categoria. O Itaú
ainda detém a liderança no Twitter, onde
possui mais de 80 mil seguidores em todos
os seus perfis.
O processo de remodelação na rede
de atendimento de varejo, baseado no
novo modelo de relacionamento com
os clientes, que reformula conceitos de
atendimento e layouts, atingiu o total de
cerca de 1.500 unidades reformadas no
final de 2011, tendo sido 440 remodeladas
durante 2011.
A expansão do serviço Itaú Uniclass na
rede de varejo, iniciada em setembro
de 2011, ultrapassou 1.300 agências
e postos de atendimento bancário
(equivalente a 26% do total da rede)
que passaram a atender os clientes com
gerências dedicadas, caixas exclusivos,
limites de crédito revisados, consultorias
especializadas e atendimento gerencial
por telefone em horários estendidos,
totalizando mais de 2.700 pontos de
atendimento. O Banco estima que até
o final do primeiro trimestre de 2012
implantará o atendimento do segmento
Itaú Uniclass em mais 1.500 pontos de
venda, atingindo toda sua rede de varejo.
Finalizada a integração das agências
do Itaú e do Unibanco em 2010,
implantamos o “Projeto Eficiência”, que
propicia a gestão orçamentária e de
acompanhamento matricial dos custos
e de receitas, o estabelecimento de
metas para cada unidade de negócio
e a disseminação de uma forte cultura
de eficiência operacional. Os princípios
desse projeto determinam a análise
detalhada de indicadores de resultados, o
compartilhamento das melhores práticas
e o seu controle matricial. Esse projeto nos
permitiu estabelecer o desafio de atingir
o índice de eficiência, que mede a relação
entre despesas e receitas operacionais, de
41% ao final de 2013.
1.1) Eventos Societários
Em abril, o Itaú Unibanco Holding
celebrou com o Carrefour Brasil, Contrato
de Compra e Venda de Ações para
aquisição de 49% do Banco Carrefour,
pelo valor de R$ 725 milhões. O Banco
Carrefour é a entidade responsável pela
oferta e distribuição, com exclusividade,
de produtos e serviços financeiros,
securitários e previdenciários nos canais
de distribuição do Carrefour Brasil
operados com a bandeira “Carrefour” no
Brasil (canais eletrônicos, hipermercados e
supermercados). A conclusão da operação
depende da aprovação do Banco Central
do Brasil.
Em dezembro, foi anunciada a venda
de nossas operações de processamento
de cartões de crédito para terceiros
conduzidas pela empresa Orbitall, sociedade
processadora de cartões de crédito. A
alienação foi feita para o Grupo Stefanini,
24
Relatório da Administração
O ano de 2011
empresa brasileira do setor de soluções
de TI. A conclusão dessa operação está
prevista para os primeiros meses de 2012. A
integração das atividades realizada após a
fusão viabilizou esta transação, uma vez que
Itaú Unibanco passa a ter escala suficiente
para processar exclusivamente os cartões
próprios e adquirência de todas as empresas
do conglomerado, com competitividade de
custos e maior eficiência. No Chile - 1) Assinamos um acordo com
o Munita, Cruzat & Claro, um dos líderes
em gestão de patrimônio de terceiros, que
constitui uma nova empresa para desenvolver
conjuntamente este nicho; 2) Concluímos a
aquisição da carteira de alta renda do banco
HSBC, posicionando o Itaú como o banco líder
nesse segmento e contando com uma rede
de 84 agências no país.
Em outubro, realizamos um grupamento
de ações ordinárias (ITUB3) e preferenciais
(ITUB4) na proporção de 100 para 1
seguido de um desdobramento na
proporção de 1 para 100, conforme
aprovado em Assembleia de Acionistas
realizada no dia 25 de abril. O grupamento
seguido do desdobramento, visou trazer
maior eficiência ao sistema operacional
de ações escriturais pela eliminação de
valores abaixo de 100 ações da base.
No ano de 2011, adquirimos 40.970.900
ações preferenciais de emissão própria no
montante total de R$ 1,3 bilhão ao preço
médio de R$ 31,79 por ação. O programa
de recompra de ações foi renovado
na reunião realizada pelo Conselho de
Administração em 31 de outubro de
2011 por mais um ano. Esse programa
estabelece um limite para recompra de até
56.700.000 ações preferenciais e 9.000.000
ações ordinárias.
2) Ambiente Econômico
O ano de 2011 foi marcado por elevada
volatilidade no cenário internacional,
Itaú Unibanco Holding S.A.
particularmente a partir de agosto. A
perspectiva de crescimento das economias
desenvolvidas deteriorou-se, influenciada
ainda pela necessidade de grandes
ajustes fiscais nos próximos trimestres,
em especial pela economia européia. A contenção no crédito privado nos
mercados internacionais, reflexo da crise
também deve ser um fator de moderação
no crescimento. O Banco Central Europeu
proveu liquidez de três anos para um
grande número de instituições financeiras
em dezembro, contribuindo para algum
alívio, pelo menos no curto prazo, nas
condições financeiras da região. Nos
Estados Unidos, o crescimento acima
do esperado no segundo semestre de
2011 foi a surpresa positiva. A China deve
apresentar desaceleração moderada ao
longo dos próximos trimestres, mas a
posição externa do país continua sólida,
a dívida das famílias é baixa, e o consumo
mantém potencial de crescimento.
No cenário doméstico, consolidouse a tendência de desaceleração da
atividade econômica. Esse arrefecimento
é conseqüência do aperto fiscal e
monetário realizado entre o final de
2010 e meados de 2011, mas também
reflete a recente deterioração do cenário
econômico global. As expectativas
dos consumidores e empresários
permaneceram em níveis inferiores
àqueles verificados no passado recente. O Produto Interno Bruto (PIB) do 4T11
deverá registrar um pequeno crescimento
em torno de 0,2%, apresentando uma leve
recuperação em relação à estabilidade
observada no trimestre anterior. Com isso,
estima-se em 2,7% o crescimento anual
do PIB em 2011, sendo que o crescimento
acumulado nos três primeiros trimestres
está em 3,2% quando comprada ao
mesmo período de 2010.
A inflação medida pelo IPCA encerrou o
ano de 2011 em 6,5%. O arrefecimento da
atividade econômica, a menor pressão dos
preços das commodities e a diminuição
dos reajustes de itens administrados
contribuem para a perspectiva de redução
da inflação ao longo de 2012.
Nesse contexto, com a elevação das
incertezas sobre o cenário externo e
o possível impacto sobre a atividade
doméstica, o Banco Central do Brasil
iniciou um processo de redução da taxa
Selic em agosto de 2011. A taxa básica
de juros encerrou 2011 em 11,0% ao ano,
ante os 12,5% antes do ciclo de redução. Além do afrouxamento da política
monetária, o governo tem utilizado
outros instrumentos para estimular a
economia, incluindo a redução de IPI
para os segmentos de eletrodomésticos
e a diminuição das alíquotas de
requerimentos de capital e IOF para
determinadas operações de crédito.
O mercado de crédito mostrou redução
no crescimento ao longo de 2011. No
ano de 2011, as novas concessões de
crédito para pessoas físicas elevaramse, em termos reais, 4,4% em relação
ao mesmo período de 2010 (após
crescimento de 15,4% em 2010 frente a
2009). No segmento de pessoas jurídicas,
as concessões em 2011 cresceram 1,4%
ante 2010, ano em que a expansão foi
de 2,5% em relação a 2009. O total de
crédito como percentual do PIB atingiu
49,1% em dezembro de 2011 ante 45,2%
em dezembro de 2010. A inadimplência
acima de 90 dias subiu para 5,5% em
dezembro, ante 4,5% no fechamento
de 2010, influenciada pela elevação das
taxas de juros dos empréstimos e pelo
menor crescimento econômico.
25
Relatório da Administração
O ano de 2011
3) Informações e
Indicadores
A tabela a seguir apresenta as principais
informações e indicadores do Itaú
Itaú Unibanco Holding S.A.
Unibanco no ano de 2011 em comparação
com o ano anterior. As Demonstrações
Contábeis Completas e o Relatório de
Análise Gerencial da Operação, com
as informações detalhadas sobre as
Jan a
Dez/11
Demonstração do Resultado do Período - R$ bilhões (1)
Resultado Bruto da Intermediação Financeira
Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
Receita de Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo
Receitas de Serviços, Rendas de Tarifas Bancárias e Resultado de Operações
de Seguros, Previdência e Capitalização
Despesas de Pessoal, Administrativas e Outras Despesas Operacionais
Imposto de Renda e Contribuição Social
Lucro Líquido Recorrente
Lucro Líquido
Total de Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio (líquido de impostos)
Ações - R$
Lucro Líquido Recorrente por Ação (2)
Lucro Líquido por Ação (2)
Valor Patrimonial por Ação (2)
Número de Ações em Circulação – em milhares
Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio por ação (líquido de impostos)
Preço da Ação PN (3)
Preço da Ação PN/Lucro Líquido
Preço da Ação PN/Patrimônio Líquido
Capitalização de Mercado - R$ bilhões (4)(5)
47,3
(19,9)
5,5
Jan a
Dez/10
operações do período, estão disponíveis
no site do Itaú Unibanco: www.itauunibanco.com.br/ri > Informações
Financeiras > Demonstrações Contábeis >
BRGAAP > 2011.
Evolução
(%)
44,6
(15,7)
4,2
5,8%
26,9%
30,4%
4º
Trim/11
8,8
(5,5)
5,5
3º
Trim/11
7,6
(5,0)
3,9
16,7%
9,7%
40,2%
21,8
19,2
13,3%
5,9
5,5
7,4%
(31,8)
(3,7)
14,6
14,6
4,4
(29,3)
(5,5)
13,0
13,3
3,9
8,3%
(32,8%)
12,4%
9,7%
12,4%
(8,4)
(1,5)
3,7
3,7
2,3
(8,2)
1,1
3,9
3,8
0,7
2,3%
(239,3%)
(4,9%)
(3,3%)
228,6%
3,23
3,23
15,81
4.514
0,9727
33,85
10,5
2,1
152,8
2,87
2,94
13,40
4.544
0,8607
39,53
15,3
2,7
179,6
12,6%
9,9%
18,0%
(0,7%)
13,0%
(14,4%)
(31,4%)
(22,2%)
(14,9%)
0,83
0,82
15,81
4.514
0,5060
33,85
10,5
2,1
152,8
0,87
0,84
15,12
4.512
0,1648
29,09
10,0
1,9
131,3
(4,6%)
(2,0%)
4,6%
0,0%
207,0%
16,4%
5,0%
10,5%
16,4%
31 Dez
2011
30 Set
2011
31 Dez
2010
Evolução (%)
30 Set/11 a 31 Dez/10 a
31 Dez/11
31 Dez/11
Balanço Patrimonial - R$ bilhões
Ativos Totais
851,3
837,0
751,4
1,7%
13,3%
Carteira de Crédito com Avais e Fianças
397,0
382,2
333,4
3,9%
19,1%
1.144,9
39,0
71,3
92,6
1.117,1
37,6
68,2
88,1
1.009,6
33,8
60,9
78,7
2,5%
3,6%
4,6%
5,0%
13,4%
15,2%
17,2%
17,7%
22,3%
22,3%
1,8%
1,8%
47,7%
16,0%
48,6%
22,4%
22,5%
1,8%
1,8%
47,8%
15,1%
49,8%
23,5%
24,1%
2,0%
2,0%
49,1%
15,8%
37,3%
(0,1 p.p)
(0,2 p.p)
0,0 p.p
0,0 p.p
(0,1 p.p)
0,9 p.p
(1,2 p.p)
(1,2 p.p)
(1,8 p.p)
(0,2 p.p)
(0,2 p.p)
(1,4 p.p)
0,2 p.p
11,3 p.p
104.542
98.258
6.284
33.753
4.072
912
28.769
105.969
99.820
6.149
34.178
4.005
943
29.230
108.040
102.316
5.724
34.212
3.967
944
29.301
(1,3%)
(1,6%)
2,2%
(1,2%)
1,7%
(3,3%)
(1,6%)
(3,2%)
(4,0%)
9,8%
(1,3%)
2,6%
(3,4%)
(1,8%)
Recursos Próprios Livres, Captados e Administrados
Dívidas Subordinadas
Patrimônio Líquido
Patrimônio de Referência (Consolidado Operacional)
Índices de Desempenho (%)
Retorno Recorrente sobre o Patrimônio Líquido Médio - anualizado
Retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio - anualizado
Retorno sobre o Ativo Médio - anualizado
Retorno Recorrente sobre o Ativo Médio - anualizado
Índice de Eficiência (6)
Índice de Basileia (Consolidado Operacional)
Índice de Imobilização (Consolidado Operacional)
Dados Relevantes
Colaboradores do Conglomerado (indivíduos)
Colaboradores Brasil (individuos)
Colaboradores Exterior (individuos)
Quantidade de Pontos de Atendimento
Número de Agências (unidades)
Número de PABs (unidades)
Número de Caixas Eletrônicos (unidades)
Evolução
(%)
(1) Exclui os efeitos não recorrentes de cada período; (2) Calculado com base na média ponderada da quantidade de ações; (3) Com base na cotação média das ações preferenciais
no último dia do período; (4) Calculado com base na cotação média das ações preferenciais no último dia do período (cotação da ação PN média multiplicada pela quantidade de
ações em circulação no final do período); (5) R$ 137,4 bilhões considerando a cotação de fechamento das ações ON e PN multiplicada total de ações em circulação de cada classe
de ação. (6) Calculado conforme critérios internacionais definidos no Relatório de Análise Gerencial da Operação.
26
Relatório da Administração
O ano de 2011
4) Desempenho
4.1) Resultado
O lucro líquido acumulado no ano de 2011
atingiu R$ 14,6 bilhões, com rentabilidade
anualizada de 22,3% sobre o patrimônio
líquido médio (24,1% no ano anterior). O lucro líquido recorrente foi de R$ 14,6
bilhões, com rentabilidade anualizada de
22,3%. A evolução de 5,8% no resultado de
intermediação financeira e de 11,4% nas
receitas de prestação de serviços e rendas
de tarifas bancárias no ano de 2011,
adicionadas ao controle das despesas de
pessoal e administrativas, contribuíram
para o lucro líquido apresentado.
O índice de eficiência atingiu 47,7% no
acumulado do ano de 2011, frente aos
49,1% alcançados em 2010, redução de
1,4 ponto percentual como resultado dos
esforços iniciados desde 2010. O Itaú Unibanco recolheu ou provisionou
impostos e contribuições próprios
no total de R$ 14,5 bilhões em 2011. Também foram retidos e repassados
tributos no montante de R$ 12,1 bilhões,
que incidiram diretamente sobre a
intermediação financeira.
4.2) Patrimonial
O total de ativos consolidados alcançou
R$ 851,3 bilhões e o patrimônio líquido
consolidado totalizou R$ 71,3 bilhões
em 31 de dezembro de 2011, com
crescimento de 13,3% e 17,2% nos últimos
12 meses, respectivamente. A diversificação de negócios do Itaú
Unibanco se reflete na composição
da sua captação e da sua carteira de
crédito, reduzindo os riscos a segmentos
específicos, conforme segue:
4.2.1) Captações
Os recursos próprios livres, captados
e administrados totalizaram R$ 1,1
trilhão em 31 de dezembro de 2011,
com crescimento de 13,4% quando
comparado a 31 de dezembro de
Itaú Unibanco Holding S.A.
2010. Desse total, 41,7% de Fundos de
Investimentos, Carteiras Administradas
e Provisões Técnicas de Seguros,
Previdência e Capitalização, 34,0% de
Depósitos, Debêntures e Recursos de
Letras e 24,3%, de Recursos Próprios e
Outras Captações.
O saldo dos ativos sob administração
encerrou o ano de 2011 em R$ 403,9
bilhões, evolução de 11,0% em
relação ao ano anterior.
4.2.2) Carteira de Crédito e
Inadimplência:
Em 31 de dezembro de 2011, o saldo
da carteira de crédito, incluindo avais
e fianças atingiu R$ 397,0 bilhões, com
crescimento de 19,1% em relação a 31
de dezembro de 2010.
Segmento Pessoas Físicas - No Brasil,
nossa carteira de crédito para pessoas
físicas, alcançou R$ 147,6 bilhões, 18,0%
superior ao valor registrado em 31 de
dezembro de 2010. Destaques:
• A carteira de crédito imobiliário atingiu
R$ 13,5 bilhões, com crescimento
de 66,7% em comparação com o
final de 2010. A oferta de crédito
imobiliário é promovida pela rede
de agências, incorporadoras e
corretoras, bem como por meio das
parcerias, tais como: com a Lopes
(LPS Brasil – Consultoria de Imóveis
S.A.) e com a Coelho da Fonseca
Empreendimentos Ltda.
• Produtos como Cartões de Crédito,
Crédito Pessoal e Empréstimos
Consignados próprios apresentaram
crescimento de 18,0%, 50,7% e 38,5%
respectivamente, quando comparados
com 31 de dezembro de 2010. • Líderes no segmento de financiamento
para aquisição de veículos, alcançamos
o saldo de R$ 60,1 bilhões na sua
carteira em 31 de dezembro de
2011. As novas concessões de
financiamento e leasing de veículos
somaram R$ 7,3 bilhões. Nossas
operações de financiamento, leasing e
finame de veículos pesados, atingiram
saldo de R$ 8,4 bilhões em 31 de
dezembro de 2011.
No exterior, a carteira de crédito das
operações no Mercosul (Argentina,
Chile, Uruguai e Paraguai), apresentou
crescimento de 28,5% em relação a 31
de dezembro de 2010, alcançando um
saldo de R$ 6,4 bilhões.
Segmento Pessoas Jurídicas - No Brasil,
nossa carteira de crédito para pessoas
jurídicas, atingiu R$ 228,8 bilhões em
31 de dezembro de 2011, apresentando
crescimento de 17,9% em relação a 31 de
dezembro de 2010, conforme abertura:
• A carteira de crédito e coobrigações do
Itaú BBA, aonde atendemos empresas
com faturamento acima de R$ 150
milhões, atingiu o montante de R$
139,9 bilhões, com evolução de 21,3%
quando comparada a dezembro de
2010. As posições de financiamentos
de comércio exterior tiveram um
crescimento de 46,8% quando
comparadas a dezembro de 2010. • O segmento de micro, pequenas e
médias empresas, aonde atendemos
companhias com faturamento de até R$
150 milhões ao ano, apresentou o saldo
de sua carteira de crédito incluindo
avais e fianças no valor de R$ 88,9
bilhões em 31 de dezembro de 2011,
com crescimento de 13,0% quando
comparado a 31 de dezembro de 2010. No Chile, Argentina, Uruguai e Paraguai
as operações de crédito para empresas
somaram a R$ 14,2 bilhões em 31 de
dezembro de 2011, com crescimento de
51,7% em relação a dezembro de 2010. Inadimplência - O índice de
inadimplência total, considerando
o saldo das operações em atraso há
mais de 90 dias, alcançou 4,9% em
31 dezembro de 2011, apresentando
um aumento de 0,7 ponto percentual
em relação a dezembro de 2010. Este
indicador atingiu 6,6% para carteira
de clientes pessoas físicas e 3,5% para
carteira de clientes pessoas jurídicas ao
final de dezembro de 2011. 27
Relatório da Administração
O ano de 2011
4.2.3) Solidez do Capital
Com base nas avaliações da Moodys,
Standard & Poors e Fitch Ratings, o banco
e suas subsidiárias possuem os melhores
ratings do mercado brasileiro. Em 2011,
obteve melhora no rating de Depósito de
Longo Prazo em Moeda Estrangeira de
Baa2 para Baa1 pela agência Moodys. O Índice de Basileia atingiu 16,0% ao
final dezembro de 2011, evidenciando
a solidez na base de capital do banco. Em 2011, emitimos letras financeiras
subordinadas no valor total de R$ 7,4
bilhões, um incremento significativo
na base de capital. Deste total, R$
2,0 bilhões correspondem a recursos
novos. O banco também realizou novas
colocações de dívida subordinada nível
II no montante total de US$ 750 milhões.
5) Negócios
Banco Comercial - O segmento oferece
produtos e serviços bancários a uma
diversificada base de clientes, pessoas
físicas e jurídicas. O segmento engloba os
clientes de varejo, clientes de alta renda,
clientes com elevado patrimônio financeiro
(Private Bank) e o segmento empresas
(micro, pequenas e médias empresas).
Ao final de 2011 contávamos com 4.984
pontos de atendimento, entre Agências
e Postos de Atendimento Bancário (PAB),
um crescimento de 105 agências no
período de um ano.
No segmento Private Bank, o Itaú
Unibanco é o maior da América Latina
e permanece como líder absoluto no
mercado nacional, com mais de 25%
de participação de mercado, de acordo
com a ANBIMA, atendendo mais de 5.500
grupos econômicos. Em Administração de Ativos, onde são
administrados Fundos de Privatização, Renda
Fixa, Ações, Ações Carteira Livre, Clubes de
Investimentos e Carteiras de Clientes e do
Grupo, no Brasil e no exterior, o Itaú Unibanco
possui 19,7% de participação de mercado e
ocupa a segunda posição no ranking global
de administração, segundo a ANBIMA.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Na área de Soluções para o Mercado de
Capitais, líder na prestação de serviços
de custódia e na escrituração de ações
servindo 63,0% das empresas listadas na
BM&FBovespa, o Itaú Unibanco também
oferece soluções às corporações tais
como: a Administração Fiduciária de
Fundos de Investimento e atuação como
Agente de Garantias.
Seguros, Vida, Previdência e Capitalização As operações desses negócios em volume
de receitas de prêmios, contribuições
previdenciárias e com títulos de
capitalização atingiram R$ 19,0 bilhões em
2011 e as provisões técnicas totalizaram
R$ 73,8 bilhões ao final de dezembro de
2011, incluindo as operações no exterior. Cabe destacar que o Itaú Unibanco detêm
30% do capital do Grupo Porto Seguro,
seguradora líder em seguros de veículos e
residenciais no país.
Negócios no Exterior - O Itaú Unibanco
está presente em 18 países além do
Brasil. Na América do Sul, atuamos na
Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai com
foco nas atividades de banco comercial,
no atendimento ao varejo bancário e
empresas. Adicionalmente, possuímos
operações na Europa (Portugal, Reino
Unido, Luxemburgo e Suíça), nos EUA
(Miami e Nova Iorque), Oriente Médio
(Dubai) e na Ásia (Hong Kong, Xangai
e Tóquio), sobretudo em operações
de clientes institucionais, corporate e
private banking. Em 2011, esses negócios
atingiram lucro líquido recorrente de R$
2.559 milhões com ativos totais em R$
162,1 bilhões em 31 de dezembro de 2011.
O Itaú Unibanco iniciou operação na
Suíça através do Banco Itaú Suisse,
localizado em Zurique. A operação tem
como principal objetivo atender clientes
do segmento private, sejam brasileiros
ou latino-americanos, que buscam
globalmente outras oportunidades de
investimentos. Em novembro de 2011, o Itaú BBA obteve
autorização do Banco Central do Brasil
para estruturar sua operação de Banco
de Atacado e Investimentos na Colômbia. O início da operação ainda depende
da aprovação dos órgãos reguladores
locais. O mercado alvo do Itaú BBA será
composto por investidores institucionais
e pelas grandes empresas com presença
no país. O portfólio de produtos incluirá
operações de crédito, financiamento ao
comércio exterior, câmbio e derivativos e
atividades de banco de investimentos, tais
como assessorias para fusões e aquisições
e acesso ao mercado de capitais. Este
movimento é mais um passo importante
no processo de expansão da operação
do banco de atacado e investimento
no exterior e reforça nossa atuação na
América Latina.
Crédito ao Consumidor - O Itaú Unibanco,
líder no segmento de crédito ao consumo
no Brasil, por meio da Itaucard, Hipercard
e parcerias, oferece um amplo portfólio
de produtos para clientes correntistas e
não correntistas, originados em canais
proprietários e por meio de parcerias
com empresas de destaque em seus
respectivos mercados de atuação. Em
2011, o valor transacionado atingiu R$
154,2 bilhões, o que representou um
acréscimo de 20,3% em relação a 2010.
Recentemente, alcançou 1 milhão de
cartões de crédito emitidos nos outros
países da América Latina. Atuando no
Cone Sul, possui a liderança de cartões de
crédito no Paraguai e no Uruguai, sendo
o quarto maior no Chile e está presente
também na Argentina e no México.
A Redecard, companhia em que o Itaú
Unibanco detém 50% de participação,
apresentou lucro líquido de R$ 1.404,3
milhões no ano de 2011, com crescimento
das receitas de prestação de serviços de
7,3% sobre o ano de 2010.
Itaú BBA - Na área de banco de
investimento, mantivemos performance
diferenciada neste ano, apesar da
desaceleração da atividade econômica. Destacamos:
• Em renda variável, coordenamos 19 das
23 ofertas públicas que totalizaram R$
13,5 bilhões, uma representatividade
de 83% do total de transações e
87% do volume financeiro emitido,
consolidando a liderança deste mercado
28
Relatório da Administração
O ano de 2011
conforme ranking de Originação
ANBIMA de novembro de 2011. Adicionalmente, prestamos assessoria
financeira a 38 transações de fusões e
aquisições, encerrando o período em º
lugar no ranking Thomson Reuters em
volume, acumulando um total de US$
22,8 bilhões em 2011.
• Em Renda Fixa, participamos de
operações de distribuição de debêntures,
notas promissórias e securitização que
totalizaram R$ 15,1 bilhões. No ranking
ANBIMA de distribuição de renda fixa,
o Itaú BBA manteve a 1ª posição, com
29% de market share. Em emissões
internacionais de renda fixa, o Itaú
BBA atuou como joint bookrunner
de ofertas com volume total de US$
3,1 bilhões, alcançando o 2º lugar em
quantidade no ranking Bloomberg de
Emissões de Empresas Brasileiras em
dezembro de 2011.
• Cabe destacar também, que o Itaú BBA
é o Banco de Investimento líder em
receitas no Brasil, segundo a Dealogic
(plataforma de Banco de Investimentos
globais e regionais). Pela primeira vez,
um banco brasileiro alcança a liderança
nesse ranking.
No Banco de Atacado, ressaltamos as
seguintes operações:
• Em Derivativos, o Itaú BBA conquistou
sua posição de liderança na CETIP
(Central de Custódia e de Liquidação
Financeira de Títulos), em operações
de derivativos registradas no balcão
com Empresas. O foco se concentrou
em operações de proteção sobre as
exposições de moedas estrangeiras, taxas
de juros e commodities junto aos clientes. • Ao longo do ano de 2011 foram
executados 71 projetos pela área de
Project Finance, os quais totalizam R$
87,1 bilhões em investimentos.
• A área de Cash Management do Itaú
BBA apresentou crescimento dos
volumes transacionados na ordem de
28% no período de janeiro a dezembro
de 2011 comparativamente ao mesmo
período de 2010.
Itaú Unibanco Holding S.A.
• A Itaú Corretora intermediou na
BM&FBovespa durante o ano de 2011 um
volume financeiro de R$ 191,4 bilhões
em ações com clientes pessoas físicas,
investidores institucionais, estrangeiros e
empresas. Neste período, a Itaú Corretora
ficou em 5º lugar no ranking das corretoras,
com uma participação de 5,9% do volume
de mercado. Em Mercado Futuro, a
Itaú Corretora terminou o ano de 2011
com o Market share de 7,9%, com R$
100,7 milhões de contratos negociados,
quantidade 21,4% superior ao ano de 2010.
6) Pessoas
O Itaú Unibanco contava com 105 mil
colaboradores no final de dezembro de
2011, incluindo 6 mil colaboradores em
unidades no exterior. Em 2011 foram
contratados 15.185 colaboradores, sendo
1.474 estagiários, através de recrutamento
externo, visando atender às demandas
de expansão dos negócios e rotatividade
normal. Com o objetivo de promover a
valorização dos seus profissionais, o Itaú
Unibanco movimentou internamente
7.932 colaboradores no ano de 2011,
através de vagas internas e 1.656
colaboradores realocados por meio do
Centro de Realocação neste período.
A remuneração fixa do pessoal somada
aos seus encargos e benefícios totalizou
R$ 11,0 bilhões em 2011. Os benefícios
sociais proporcionados aos colaboradores
e seus dependentes foram de R$ 2,0
bilhões. Além disso, foram investidos
mais de R$ 258 milhões em programas de
treinamento durante o período.
Dando continuidade ao esforço
de disseminar uma forte cultura
meritocrática, em 2011 o Itaú Unibanco
voltou sua atenção para um tema
absolutamente decisivo para o sucesso
das instituições: a prática cada vez mais
ampla da meritocracia. Liderar pessoas,
reconhecendo-as de acordo com seu
desempenho relativo é o conceito
fundamental para o aprofundamento da
meritocracia no Banco. O “Fale Francamente” é a pesquisa anual
de clima organizacional promovida
pelo Itaú Unibanco junto aos seus
colaboradores. Realizada em agosto
de 2011, com a participação e retorno
voluntário de 89% dos colaboradores no
Brasil, apontou um índice de satisfação
de 75% em relação à empresa e de 83%
em relação aos gestores, apresentando
evolução em relação à pesquisa realizada
em 2010 (69% - empresa e 73% - gestores). O Itaú Unibanco foi reconhecido como
uma das “150 Melhores Empresas para
Você Trabalhar” da Revista Você S.A/Exame
(em parceria com Fundação Instituto de
Administração) e entre as “100 Melhores
Empresas para Trabalhar” da Revista
Época (em parceria com Great Place to
Work). Além disso, foi Destaque em RH na
pesquisa da Revista Você S.A/Exame e a
segunda empresa mais procurada pelos
profissionais (a maior dentre os bancos) e
aquela que mais contrata pelo ranking da
Revista Época.
7) Sustentabilidade e
Governança Corporativa
Ao longo de 2011, o Itaú Unibanco
promoveu um intenso processo de reflexão
sobre sua estratégia de sustentabilidade,
envolvendo a alta gestão, as diferentes
áreas de negócios e os representantes
de públicos de relacionamento. Esse
trabalho forneceu subsídios para
estabelecer o que é performance
sustentável para o banco: gerar valor
compartilhado para colaboradores,
clientes, acionistas e sociedade,
garantindo a perenidade dos negócios. Foram definidos, ainda, três focos
prioritários de atuação em sustentabilidade
nos negócios: Educação Financeira; Riscos
e Oportunidades Socioambientais; e
Diálogo e Transparência, que concretizam
as iniciativas do Itaú Unibanco desde
2009, para disseminar a sustentabilidade
nos negócios.
O Itaú Unibanco foi selecionado pela 12ª
vez consecutiva para compor a carteira
do Dow Jones Sustainability World Index
(DJSI), principal índice de sustentabilidade
do mundo, em sua edição 2011/2012,
sendo o único banco latino-americano a
29
Relatório da Administração
O ano de 2011
participar da composição do índice desde
sua criação. A Itaúsa – Investimentos Itaú
S.A., classificada pelo 5º ano consecutivo
como a líder do setor de serviços
financeiros, e a Redecard S.A. (presente 3
anos consecutivos), empresa controlada
pelo Itaú Unibanco Holding S.A., também
fazem parte desta edição do índice.
O Centro Administrativo Tatuapé recebeu
a certificação na norma ISO 14001, uma
padronização internacional para gestão
ambiental que estabelece requisitos
específicos para o gerenciamento de
impactos ao meio ambiente e a segurança
das pessoas. A implantação da ISO 14001
passou por diversas etapas, desde a criação
de um Sistema de Gestão Ambiental até a
regulamentação de processos e documentos
para garantir a eficiência operacional e
minimizar impactos ambientais.
Pela sétima vez, o Itaú Unibanco foi
eleito uma das 20 empresas modelo em
sustentabilidade pelo Guia Exame de
Sustentabilidade, que está em sua 12ª
edição. O reconhecimento pela Exame
deve-se especialmente pela ação de
análise de impacto socioambiental das
empresas que solicitam financiamentos ao
banco. Essa política incorpora a avaliação
de riscos e oportunidades sociais e
ambientais aos empreendimentos.
Em outubro, lançamos mais dois fundos
com cotas negociadas em bolsa, os
chamados ETFs (Exchange Trade Funds)
baseados em Investimentos Socialmente
Responsáveis. Tratam-se dos fundos ISE
(Índice de Sustentabilidade Empresarial)
e IGTC (Índice de Governança Corporativa
Trade), que passarão a compor a família de
ETF do banco sob a marca “It Now”.
Em agosto de 2011, aderimos ao Código
Abrasca de Autorregulação e Boas Práticas
das Companhias Abertas, que estabelece
regras e recomendações de melhores
práticas de Governança Corporativa
existentes no Brasil e no exterior. A adesão
ao código é voluntária e evidencia o nosso
comprometimento com o desenvolvimento
do Mercado de Capitais brasileiro.
Reforçando o compromisso do Itaú Unibanco
com a transparência e a comunicação com
Itaú Unibanco Holding S.A.
o mercado, em 2011 realizamos 22 reuniões
públicas (APIMEC) e 8 teleconferências com
investidores, profissionais do mercado de
capitais entre outros. No total, mais de 4.300
pessoas acompanharam os eventos de
forma presencial ou pela internet. Ainda em
2011, participamos de 13 feiras de educação
financeira (Expo Money), com presença
aproximada de 50.000 congressistas. Além disso, o Itaú Unibanco atendeu a 26
conferências e roadshows no exterior, o que
colabora para fortalecer o relacionamento
com acionistas, analistas e investidores.
8) Investimentos
Sociais e Culturais
Em 2011, o Itaú Unibanco fez importantes
investimentos sociais e culturais, sempre
reforçando seu propósito de ser agente
de transformação. Atuou, principalmente,
como protagonista em transformações
importantes para o desenvolvimento das
pessoas e do país, com foco prioritário em
educação de qualidade e desenvolvimento
de consciência crítica, atuando em
questões relevantes para a sociedade e
que impactam direta ou indiretamente a
sustentabilidade de seus negócios.
Os investimentos sociais e culturais
do Itaú Unibanco alcançaram o valor
aproximado de R$ 293,8 milhões em 2011,
com destaque para os investimentos
em educação e cultura que atingiram o
montante de R$ 184,2 milhões.
A Fundação Itaú Social foi a única instituição
brasileira convidada a participar da Feira de
Inovação do encontro anual do Conselho
Econômico e Social das Nações Unidas,
realizada em julho, em Genebra na Suíça. Esse evento reuniu 600 participantes de
todo o mundo. O tema Educação, tema
escolhido este ano, estimulou a discussão de
experiências que contribuem para manter
e acelerar o cumprimento das Metas de
Desenvolvimento do Milênio e da agenda
Educação para Todos, compromissos
assumidos pela ONU. Em âmbito nacional,
a Fundação Itaú Social e o Cenpec foram
as únicas organizações da sociedade civil
convidadas pelo Ministério da Educação
para a discussão sobre a Ampliação de
jornada versus Aumento de dias letivos. Em setembro de 2011, a Fundação Itaú
Social lançou uma campanha nacional
de incentivo à leitura para crianças com
até 6 anos de idade. A iniciativa é uma
das ações do programa Itaú Criança,
e tem como objetivo contribuir para
uma educação de qualidade, um direito
fundamental de todas as crianças e
adolescentes. Serão disponibilizadas 4 mil
Bibliotecas Itaú Criança, compostas por
100 títulos criteriosamente selecionados
e voltados para o público infanto-juvenil
e adulto, totalizando 400 mil livros a
serem distribuídos às organizações onde
acontecerão estas ações.
A 9ª edição do Prêmio Itaú-Unicef, iniciativa
pioneira em estimular experiências de
educação integral no Brasil, bateu recorde
de projetos inscritos no país: 2.922. As
organizações responsáveis pelos quatro
projetos vencedores nacionais (micro,
pequeno, médio e grande porte) foram
premiadas na etapa regional, sendo que
o grande vencedor nacional foi o Projeto
Verde Vida, de Crato (CE).
O Instituto Unibanco firmou parceria com
o Ministério de Educação (MEC) e com
a Secretaria de Assuntos Estratégicos
da Presidência da República (SAE) para
institucionalizar o Programa Jovem de
Futuro como política pública federal para
seis Estados, estabelecendo um canal
oficial de apoio financeiro às escolas
públicas de ensino médio beneficiadas. A
projeção é de que a iniciativa beneficiará alunos de ensino médio em 4.117 escolas
no Brasil nos próximos três anos.
No ano de 2011, o Itaú Cultural teve a
presença de mais de 200 mil pessoas
em sua sede. O público virtual do site
do instituto totalizou 12,7 milhões de
acessos únicos. Foram desenvolvidos 369
eventos, e lançados 20 produtos. Desses,
23.470 foram distribuídos. No programa
Rumos, tivemos 2.891 inscritos nos editais
de Artes Visuais; Educação, Cultura e
Arte e Jornalismo Cultural. Desses, 79
foram selecionados. O Instituto assumiu,
por meio de edital público da Prefeitura
Municipal de São Paulo, o Auditório
Ibirapuera. Nos próximos cinco anos fará a
gestão da casa, no tocante à manutenção
deste patrimônio arquitetônico de autoria
30
Relatório da Administração
O ano de 2011
de Oscar Niemeyer, sua programação
artística e as atividades da Escola de
Música. De outubro a dezembro de 2011,
foram realizados 34 eventos que reuniram
cerca de 70 mil pessoas. No período, o instituto assinou contrato com
12 novas estações de TV, fechando o ano com
193 estações parceiras (educativas, públicas,
legislativas, comunitárias e universitárias). Já
nas estações de rádio, o instituto fechou o
ano com 169 novos parceiros.
A circulação do acervo do Banco ficou
por conta da realização de 14 exposições:
Coleção Brasiliana Itaú (Fortaleza, Brasília e
Curitiba), Fotografias Modernistas (Belém,
Paraguai e Cidade do México), Brasiliana
Fauna e Flora (Chile, Argentina, Uruguai e
Paraguai), O Egito Sob o Olhar de Napoleão
(Espaço Memória), Arte Cibernética –
Acervo de Arte e Tecnologia do Itaú Cultural
(Porto Alegre) e 1911-2011 Arte Brasileira
e Depois, na Coleção Itaú (Belo Horizonte
e Rio de Janeiro). Juntas totalizaram, até o
final de 2011, mais de 320 mil visitantes.
O investimento do Itaú Unibanco no Itaú
Cultural, por meio do artigo 26 da Lei
Rouanet, foi de R$ 29,7 milhões, além dos
R$ 23,6 milhões provenientes de recursos
sem o incentivo desta lei. Desta forma, o
total investido no instituto no ano foi de
R$ 53,3 milhões. O Conglomerado Itaú Unibanco investiu
ainda R$ 54,8 milhões em outros projetos, por
meio da Lei Rouanet. Esses recursos foram
empregados em 66 projetos em 8 estados. Através da Lei de Incentivo ao Esporte foi
investido pelo Itaú Unibanco R$ 12 milhões,
divididos em 13 projetos de esportes de
alto rendimento, esporte educacional,
participação e lazer, em 12 estados brasileiros.
9) Prêmios e
Reconhecimentos
Principais prêmios e reconhecimentos
recebidos no ano de 2011 pelo Itaú
Unibanco Holding S.A.:
• Bank of the Year 2011 – Bank of the Year
in Brazil and Latin America, promovido
Itaú Unibanco Holding S.A.
pela Revista The Banker, o prêmio é
considerado como um dos de maior
prestígio no calendário global de
bancos. Os vencedores são decididos por
comissões julgadoras independentes
da revista, que avaliam os critérios:
atendimento às necessidades dos
clientes, complexidade das operações,
capacidade de inovação e performance;
• Eleito o Banco Mais Sustentável do Mundo
no prêmio “2011 FT/IFC Sustainable
Finance Awards”, concedido pelo jornal
britânico Financial Times e pelo IFC
(International Finance Corporation), braço
financeiro do Banco Mundial.
• Safest Emerging Market Banks,
pela revista Global Finance. Foram
classificados os 10 Bancos Mais Seguros
de Mercados Emergentes da América
Latina, sendo o Itaú Unibanco o banco
brasileiro melhor colocado no ranking;
• Private Banker International Awards
2011 - Outstanding Private Banking in
Latin America. Desenvolvido pela revista
britânica Private Banker International,
reconhece as melhores organizações da
indústria financeira;
• Global Private Banking Awards - Best Private
Bank in Brazil and Latin America. O prêmio,
existente desde 2009, tem como finalidade
reunir informações quantitativas e
qualitativas provenientes de private banks
no intuito de conferir-lhes destaques por
excelência em suas atuações. As duas
publicações organizadoras da premiação
pertencem ao Grupo Financial Times.
• As Empresas de Maior Prestígio no Brasil. Realizada anualmente pela revista
Época Negócios, o Itaú Unibanco
posicionou-se dentre as 15 empresas de
maior prestígio do Brasil;
• As Marcas Mais Valiosas no Brasil, a marca
do Itaú foi considerada a segunda marca
mais valiosa do mercado brasileiro, sendo
a primeira entre Bancos, de acordo com
ranking elaborado pela Brand Analytics. O estudo avaliou 200 marcas de 150
empresas atuantes no País. A base de
pesquisa de mercado considerou mais de
14,5 mil entrevistas com consumidores
finais em 37 categorias e 30 entrevistas
com analistas de mercado de bancos de
investimentos;
• BrandZ Top 100 Most Valuable Global Brands
2011, pela primeira vez, a marca Itaú
apareceu no ranking de marcas globais,
elaborado pela Millward Brown Optimor. O
Itaú aparece em 90º lugar no ranking geral
e é o 1º lugar entre marcas de instituições
financeiras latino-americanas, com um
incremento de 29% no seu valor de marca
no comparativo entre 2010 e 2011.
• As Empresas Mais Admiradas no Brasil,
promovida pela Revista Carta Capital,
o Itaú Unibanco foi o vencedor na
categoria “Banco de Varejo” e é a 6ª
empresa mais admirada do país. Roberto
Setubal, por sua vez, foi escolhido como
o 5º executivo mais admirado;
• IR Magazine Brazil Awards 2011,
concedido pela IR Magazine, publicação
global sobre relação com investidores.O
Itaú Unibanco venceu na categoria
Grand Prix com o melhor programa de
relações com investidores, considerando
as empresas com capitalização de
mercado acima de R$ 3 bilhões;
• O Itaú Unibanco lidera o ranking “Os 25
Melhores Bancos da América Latina”,
publicado anualmente pela revista
AméricaEconomia;
• Top of Mind na categoria bancos, segundo
a pesquisa feita pela ABA (Associação
Brasileira dos Anunciantes) em parceria
com a Consultoria TopBrands. O Itaú
Unibanco foi reconhecido pelo terceiro
ano consecutivo;
• Top 1000 World Banks, elaborado pela
revista britânica The Banker. O Itaú
Unibanco conquistou o 1º lugar entre
as instituições financeiras do país, No
ranking geral de bancos mundiais, o Itaú
Unibanco ocupa a 34ª posição;
• As Melhores da Dinheiro, promovido
pela Revista Isto é Dinheiro, elege as
companhias de destaque no ano em
cada setor. O Itaú Unibanco recebeu o
prêmio na categoria Melhor Governança
Corporativa do setor bancário;
31
Relatório da Administração
O ano de 2011
• Best Investment Bank for Brazil,
concedido para o Itaú BBA pela
Latin Finance, uma das publicações
mais importantes sobre finanças
corporativas da América Latina. Este
prêmio avalia e premia a excelência de
instituições financeiras em serviços,
produtos e investimentos bancários;
• A revista Institutional Investor elegeu a
equipe do Itaú BBA pelo segundo ano
consecutivo como a melhor equipe de
research do Brasil e pela primeira vez
como a melhor equipe de vendas da
América Latina;
• A revista Institutional Investor apontou
o Itaú Unibanco e sua equipe de
Relações com Investidores como
os melhores do setor de bancos e
serviços financeiros em cinco de oito
reconhecimentos divididos em quatro
categorias avaliadas no estudo Latin
America Investor Relations Perception;
• Prêmio Intangíveis Brasil (PIB), segundo
o Grupo Padrão / DOM Strategy
Partners, o Itaú Unibanco foi o
vencedor do prêmio na categoria
Governança Corporativa;
• Banker of the Year (Roberto Setubal),
pelo Euromoney Awards for Excellence,
concedido pela revista Euromoney, uma
das mais importantes publicações do
mundo no setor financeiro. Esta é a
primeira vez que o presidente de uma
instituição de mercado emergente
recebe este prêmio.
• Melhor “Cash Manager Brasil” para o Itaú
BBA pela revista Euromoney;
• “Deal of the Year 2011 (Américas)” pela
“Project Finance International” com a
operação pelo Itaú BBA.
10) Auditoria
independente Instrução CVM nº 381
Procedimentos Adotados pela Sociedade
A política de atuação do Itaú Unibanco
Holding S.A., empresas controladas e
controladora, na contratação de serviços
Itaú Unibanco Holding S.A.
não relacionados à auditoria externa
dos nossos auditores independentes, se
fundamenta na regulamentação aplicável
e nos princípios internacionalmente
aceitos que preservam a independência
do auditor. Esses princípios consistem
em: (a) o auditor não deve auditar o seu
próprio trabalho, (b) o auditor não deve
exercer funções gerenciais no seu cliente
e (c) o auditor não deve promover os
interesses de seu cliente.
No período de janeiro a dezembro
de 2011, não foram prestados pelos
auditores independentes e partes a eles
relacionadas, serviços não relacionados à
auditoria externa em patamar superior a
5% do total dos honorários relativos aos
serviços de auditoria externa.
• 18 de maio de 2011 – Contrato de
prestação de serviços de consultoria
no projeto da Asset Management
Internacional em obter a certificação
GIPS (Global Investment Performance
Standards) para fundos de investimento
– Itaú USA Asset Managament Inc. –
Estados Unidos da América;
• 09 de junho e 11 de julho de 2011 –
Licenças para utilização de biblioteca
eletrônica relativa às regras internacionais
de contabilidade (Comperio) – Banco Itaú
Europa International – Estados Unidos
da América; Itaú Unibanco S.A. e Itaú
Unibanco Holding S.A.– Brasil;
Conforme estabelecido na instrução CVM
nº 381, relacionamos os outros serviços
prestados e sua data de contratação:
• 01 de agosto de 2011 – Contrato para a
aquisição de relatórios com projeções
macroeconômicas e apresentações sobre
a evolução da economia nacional, regional
e mundial oferecido pelo Club Económico
– Banco Itaú Paraguay S.A. – Paraguai;
• 02 de fevereiro de 2011 – Contrato para
prestação de serviços relacionados
com a análise do processo de registro
contábil pela mesa flow da tesouraria do
Conglomerado Financeiro Itaú Unibanco
- Itaú Unibanco Holding S.A – Brasil;
• 11 de agosto de 2011 - Contrato para
a extensão da prestação de serviços
de revisão dos aspectos relacionados
ao Programa de Continuidade de
Negócios do Banco Itaú BBA – Banco
Itaú BBA S.A. – Brasil;
• 17 de março de 2011 – Contrato para
prestação de serviços de consultoria
relacionados com os efeitos tributários
gerados no Banco Itaú Chile – Banco
Itaú Chile S.A - Chile;
• 06 de setembro de 2011 - Contrato
de prestação de serviços relacionados
com a revisão dos documentos a serem
encaminhados ao Financial Services
Authority – FSA para abertura de sua
subsidiária no Reino Unido – Banco Itaú
BBA International S.A. – Portugal;
• 28 de março de 2011 – Participação em
treinamento no curso QI/FATCA Módulo
3 Critical Customer Grups – Banco Itaú
Europa Luxembourg S.A - Luxemburgo;
• 05 de abril de 2011 - Contrato de
prestação de serviços profissionais
relacionados com o aperfeiçoamento
dos conhecimentos dos nossos auditores
internos nas práticas e recomendações
para o exercício da atividade de auditoria
interna (THE IIA The Institute of Internal
Audit) – Redecard S.A – Brasil;
• 13 de maio de 2011 – Participação
em treinamento no curso
Finanças: Consolidação de Contas
Contábeis – Banco Itaú BBA
International S.A. – Portugal;
• 15 de setembro de 2011 - Contrato de
prestação de serviços relacionados com
a avaliação dos aspectos regulatórios da
transferência da trading desk do Banco
Itaú Suisse. – Banco Itaú Suisse S.A. – Suíça;
• 03 de outubro de 2011 – Contrato de
prestação de serviços relacionados
com a avaliação dos requerimentos
para o Federal Branch Charter definidos
pela Regulation K do Federal Reserve
e pelo Office of the Comptroller of
the Currency. – Banco Itaú Europa
International – Miami;
• 10 de fevereiro e 01 de dezembro de
2011 - Contrato para prestação de
32
Relatório da Administração
O ano de 2011
serviços relacionados à asseguração
limitada dos dados do Inventário de
Emissões de Gases de Efeito Estufa –
Itaú Unibanco Holding S.A. – Brasil;
• 08 de dezembro - Contrato para a
extensão da prestação de serviços
relacionados com a revisão dos
documentos a serem encaminhados ao
Financial Services Authority – FSA para
abertura de sua subsidiária no Reino
Unido – Banco Itaú BBA International
S.A. – Portugal;
• 30 de agosto e 19 de dezembro de
2011 – Participação em pesquisa
salarial denominada Encuesta
Financiera de Remuneraciones y
Beneficios – Banco Itaú Paraguay S.A. –
Paraguai; OCA S.A. – Uruguai.
Itaú Unibanco Holding S.A.
11) Circular nº 3.068/01
– Bacen
O Itaú Unibanco declara ter capacidade
financeira e intenção de manter até o
vencimento os títulos classificados na
categoria “Mantidos até o Vencimento”,
no montante de R$ 3,1 bilhões,
representando apenas 1,7% do total de
títulos e valores mobiliários.
Agradecimentos
Agradecemos aos nossos colaboradores,
pelo empenho e talento que nos
permitem obter resultados consistentes,
e aos nossos clientes e acionistas, pela
confiança que nos é atribuída.
(Aprovado na Reunião do Conselho de
Administração de 06 de fevereiro de 2012).
Justificativa dos Auditores Independentes
– PricewaterhouseCoopers
A prestação de outros serviços profissionais
não relacionados à auditoria externa, acima
descritos, não afeta a independência nem
a objetividade na condução dos exames
de auditoria externa efetuados ao Itaú
Unibanco, controladora e suas controladas/
coligadas. A política de atuação com o
Itaú Unibanco na prestação de serviços
não relacionados à auditoria externa se
substancia nos princípios que preservam a
independência do Auditor Independente,
todos observados na prestação dos
referidos serviços.
33
Relatório da Administração
Administração e Diretoria
Itaú Unibanco Holding S.A.
Itaú Unibanco Holding S.A.
Conselho de Administração
Diretoria
Presidente
Pedro Moreira Salles
Diretor Presidente
ROBERTO EGYDIO SETUBAL
Vice-Presidentes
ALFREDO EGYDIO ARRUDA VILLELA FILHO
ROBERTO EGYDIO SETUBAL
Diretores Vice-Presidentes
ALFREDO EGYDIO SETUBAL (*)
CANDIDO BOTELHO BRACHER
Conselheiros
ALCIDES LOPES TÁPIAS
ALFREDO EGYDIO SETUBAL
CANDIDO BOTELHO BRACHER
FERNANDO ROBERTO MOREIRA SALLES
FRANCISCO EDUARDO DE ALMEIDA PINTO
GUSTAVO JORGE LABOISSIERE LOYOLA
HENRI PENCHAS
ISRAEL VAINBOIM
PEDRO LUIZ BODIN DE MORAES
RICARDO VILLELA MARINO
Diretores Executivos
CAIO IBRAHIM DAVID
CLAUDIA POLITANSKI
MARCOS DE BARROS LISBOA
RICARDO BALDIN
SÉRGIO RIBEIRO DA COSTA WERLANG
Comitê de Auditoria
Presidente
GUSTAVO JORGE LABOISSIERE LOYOLA
Membros
ALKIMAR RIBEIRO MOURA
EDUARDO AUGUSTO DE ALMEIDA GUIMARÃES
GUY ALMEIDA ANDRADE
Diretores
CARLOS EDUARDO DE SOUZA LARA
EDUARDO HIROYUKI MIYAKI
EMERSON MACEDO BORTOLOTO
JACKSON RICARDO GOMES
MARCO ANTONIO ANTUNES
RODRIGO LUÍS ROSA COUTO
ROGÉRIO PAULO CALDERÓN PERES
(*) Diretor de Relações com Investidores
Conselho Fiscal
Presidente
IRAN SIQUEIRA LIMA
Conselheiros
ALBERTO SOZIN FURUGUEM
ARTEMIO BERTHOLINI
Contador
CARLOS ANDRÉ HERMESINDO DA SILVA
CRC - 1SP281528/O-1
34
Relatório da Administração
Administração e Diretoria
Itaú Unibanco Holding S.A.
Itaú Unibanco S.A.
Diretor Presidente e Diretor Geral
ROBERTO EGYDIO SETUBAL
Diretores Vice-Presidentes
ALEXANDRE DE BARROS
ALFREDO EGYDIO SETUBAL
JOSÉ CASTRO ARAÚJO RUDGE
JOSÉ ROBERTO HAYM
LUÍS OTAVIO MATIAS
MÁRCIO DE ANDRADE SCHETTINI
MARCO AMBROGIO CRESPI BONOMI
MARCOS DE BARROS LISBOA
RICARDO VILLELA MARINO
SÉRGIO RIBEIRO DA COSTA WERLANG
Diretores Executivos
ANDRÉ SAPOZNIK
CAIO IBRAHIM DAVID
CARLOS EDUARDO MONICO
CELSO SCARAMUZZA
CLAUDIA POLITANSKI
DEMOSTHENES MADUREIRA DE PINHO NETO
FERNANDO MARSELLA CHACON RUIZ
LUIS ANTONIO RODRIGUES
OSVALDO DO NASCIMENTO
Diretores
ADRIANO BRITO DA COSTA LIMA
ALBERTO FERNANDES
ANA CARLA ABRÃO COSTA
ANDRÉA MATTEUCCI PINOTTI CORDEIRO
ANTONIO CARLOS AZZI JÚNIOR
ANTONIO CARLOS RICHECKI RIBEIRO
ARNALDO PEREIRA PINTO
AURÉLIO JOSÉ DA SILVA PORTELLA
CARLOS AUGUSTO DE OLIVEIRA
CARLOS EDUARDO DE CASTRO
CARLOS EDUARDO DE SOUZA LARA
CARLOS EDUARDO MACCARIELLO
CARLOS EDUARDO PEREIRA TEIXEIRA
CARLOS HENRIQUE DONEGÁ AIDAR
CARLOS ORESTES VANZO
CESAR PADOVAN
CÍCERO MARCUS DE ARAÚJO
CLAUDIO CÉSAR SANCHES
CLAUDIO JOSÉ COUTINHO ARROMATTE
COSMO FALCO
CRISTIANE MAGALHÃES TEIXEIRA PORTELLA
CRISTINA CESTARI SPADA
DANIEL LUIZ GLEIZER
EDILSON PEREIRA JARDIM
ERNESTO ANTUNES DE CARVALHO
FABIO DI PACE MENEZES
(*) Eleito em AGE de 30/12/2011 - Em fase de homologação pelo BACEN
FERNANDO DELLA TORRE CHAGAS
FERNANDO JOSÉ COSTA TELES
GILBERTO TRAZZI CANTERAS
HENRIQUE PINTO ECHENIQUE
HENRIQUE RUTHER
IBRAHIM JOSÉ JAMHOUR
JACKSON RICARDO GOMES
JASON PETER CRAUFORD
JEAN MARTIN SIGRIST JÚNIOR
JOÃO ANTONIO DANTAS BEZERRA LEITE
JOÃO LUIZ DE MEDEIROS
JORGE LUIZ VIEGAS RAMALHO
JOSÉ VIRGILIO VITA NETO
LEILA CRISTIANE BARBOZA BRAGA DE MELO
LUÍS EDUARDO GROSS SIQUEIRA CUNHA
LUIS TADEU MANTOVANI SASSI
LUIZ ANTONIO NOGUEIRA DE FRANÇA
LUIZ EDUARDO LOUREIRO VELOSO
LUIZ FERNANDO OLIVEIRA BARRICHELO
LUIZ SEVERIANO RIBEIRO
MARCELO BOOCK
MARCELO LUIS ORTICELLI
MARCO ANTONIO ANTUNES
MARCO ANTONIO SUDANO
MARCOS ANTÔNIO VAZ DE MAGALHÃES
MARCOS AUGUSTO CAETANO DA SILVA FILHO
MARCOS SILVA MASSUKADO
MARCOS VANDERLEI BELINI FERREIRA
MARIO LUIZ AMABILE
MESSIAS DOS SANTOS ESTEVES (*)
NATACHA LITVINOV
OSMAR MARCHINI
OSVALDO JOSÉ DAL FABBRO
PAULO EIKIEVICIUS CORCHAKI
PAULO MEIRELLES DE OLIVEIRA SANTOS
RENATA HELENA DE OLIVEIRA TUBINI
RENÊ MARCELO GONÇALVES
RICARDO LIMA SOARES
RICARDO ORLANDO
RICARDO RIBEIRO MANDACARU GUERRA
RICARDO URQUIJO LAZCANO
ROBERTO FERNANDO VICENTE
ROBERTO MASSARU NISHIKAWA
RODOLFO HENRIQUE FISCHER
ROGERIO CARVALHO BRAGA
ROGÉRIO PAULO CALDERÓN PERES
ROMILDO GONÇALVES VALENTE
ROONEY SILVA
SERGIO GUILLINET FAJERMAN
SERGIO SOUZA FERNANDES JÚNIOR
VILMAR LIMA CARREIRO
WAGNER BETTINI SANCHES
35
Relatório da Administração
Administração e Diretoria
Itaú Unibanco Holding S.A.
Banco Itaú BBA S.A.
Conselho de Administração
Presidente
ROBERTO EGYDIO SETUBAL
Vice-Presidentes
FERNÃO CARLOS BOTELHO BRACHER
PEDRO MOREIRA SALLES
Conselheiros
ALFREDO EGYDIO SETUBAL
ANTONIO CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA
CANDIDO BOTELHO BRACHER
EDUARDO MAZZILLI DE VASSIMON
HENRI PENCHAS
JOÃO DIONÍSIO FILGUEIRA BARRETO AMOÊDO
SÉRGIO RIBEIRO DA COSTA WERLANG
Diretoria
Diretor Presidente
CANDIDO BOTELHO BRACHER
Diretores Vice-Presidentes
ALBERTO FERNANDES
DANIEL LUIZ GLEIZER
JEAN-MARC ROBERT NOGUEIRA BAPTISTA ETLIN
RODOLFO HENRIQUE FISCHER
Diretores Executivos
ALEXANDRE JADALLAH AOUDE
ANDRÉ LUÍS TEIXEIRA RODRIGUES
ELAINE CRISTINA ZANATTA RODRIGUES VASQUINHO
FERNANDO FONTES IUNES
MARCELO TREVISAN MARANGON
MILTON MALUHY FILHO
Diretores
ADRIANO LIMA BORGES
ALBERTO ZOFFMANN DO ESPÍRITO SANTO
ALEXANDRE ENRICO SILVA FIGLIOLINO
ÁLVARO DE ALVARENGA FREIRE PIMENTEL
ANDRÉ CARVALHO WHYTE GAILEY
ANDRÉ DEL BEL CURY
ANDRÉ FERRARI
ANTONIO JOSÉ CALHEIROS RIBEIRO FERREIRA
ANTONIO SANCHEZ JUNIOR
EDUARDO CARDOSO ARMONIA
EDUARDO CORSETTI
EMERSON SAVI JUNQUEIRA
FABIO MASSASHI OKUMURA
FERNANDO HENRIQUE MEIRA DE CASTRO
FLÁVIO DELFINO JUNIOR
GILBERTO FRUSSA
GUSTAVO HENRIQUE PENHA TAVARES
HENRIQUE RUTHER
ILAN GOLDFAJN
JOÃO CARLOS DE GÊNOVA
JOÃO MARCOS PEQUENO DE BIASE
JORGE BEDRAN JETTAR
JOSÉ AUGUSTO DURAND
LILIAN SALA PULZATTO KIEFER
MARCELLO PECCININI DE CHIARO
MARCELO ARIEL ROSENHEK
MARCELO DA COSTA LOURENÇO
MARCO ANTONIO SUDANO
MARCOS AUGUSTO CAETANO DA SILVA FILHO
MÁRIO LÚCIO GURGEL PIRES
MÁRIO LUÍS BRUGNETTI
PAULO DE PAULA ABREU
PAULO ROBERTO SCHIAVON DE ANDRADE
RODERICK SINCLAIR GREENLEES
SOLANGE PAIVA VIEIRA
THALES FERREIRA SILVA
Banco Itaucred Financiamentos S.A.
Itaú Seguros S.A.
Diretor Presidente
LUÍS OTÁVIO MATIAS
Diretor Presidente
ROBERTO EGYDIO SETUBAL
Diretor Vice-Presidente
MÁRCIO DE ANDRADE SCHETTINI
Diretor Superintendente
MARCOS DE BARROS LISBOA
Diretores
CARLOS EDUARDO DE SOUZA LARA
CLÁUDIO JOSÉ COUTINHO ARROMATTE
EVANIR COUTINHO USSIER
FÁBIO MASSASHI OKUMURA
FERNANDO JOSÉ COSTA TELES
FLÁVIO KITAHARA SOUSA
JACKSON RICARDO GOMES
JASON PETER CRAUFORD
LUÍS FERNANDO STAUB
MARCO ANTONIO ANTUNES
MARCOS ANTÔNIO VAZ DE MAGALHÃES
MARCOS VANDERLEI BELINI FERREIRA
Diretores Executivos
ANDRÉ HORTA RUTOWITSCH
ANTONIO EDUARDO MÁRQUEZ DE FIGUEIREDO TRINDADE
JOSÉ CASTRO ARAÚJO RUDGE
Diretores Gerentes
LUIZ FERNANDO BUTORI REIS SANTOS
MARCO ANTONIO ANTUNES
NORBERTO GIL FERREIRA CAMARGO
Demonstrações
Contábeis
36
37
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Balanço Patrimonial Consolidado (Nota 2a) (Em milhares de reais)
ATIVO
CIRCULANTE
DISPONIBILIDADES
APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ
Aplicações no Mercado Aberto
Aplicações no Mercado Aberto - Recursos Garantidores das Provisões Técnicas SUSEP
Aplicações em Depósitos Interfinanceiros
TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS
Carteira Própria
Vinculados a Compromissos de Recompra
Vinculados a Prestação de Garantias
Vinculados ao Banco Central
Instrumentos Financeiros Derivativos
Recursos Garantidores das Provisões Técnicas - Cotas de Fundos de PGBL/VGBL
Recursos Garantidores das Provisões Técnicas - Outros Títulos
RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS
Pagamentos e Recebimentos a Liquidar
Depósitos no Banco Central
SFH - Sistema Financeiro da Habitação
Correspondentes
Repasses Interfinanceiros
RELAÇÕES INTERDEPENDÊNCIAS
OPERAÇÕES DE CRÉDITO, ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO E OUTROS CRÉDITOS
Operações com Características de Concessão de Crédito
(Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa)
OUTROS CRÉDITOS
Carteira de Câmbio
Rendas a Receber
Operações com Emissores de Cartão de Crédito
Crédito com Operações de Seguros e Resseguros
Negociação e Intermediação de Valores
Diversos
OUTROS VALORES E BENS
Bens Não Destinados a Uso
(Provisões para Desvalorizações)
Prêmios Não Ganhos de Resseguros
Despesas Antecipadas
REALIZÁVEL A LONGO PRAZO
APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ
Aplicações no Mercado Aberto
Aplicações no Mercado Aberto - Recursos Garantidores das Provisões Técnicas SUSEP
Aplicações em Depósitos Interfinanceiros
TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS
Carteira Própria
Vinculados a Compromissos de Recompra
Vinculados a Prestação de Garantias
Vinculados ao Banco Central
Instrumentos Financeiros Derivativos
Recursos Garantidores das Provisões Técnicas - Outros Títulos
RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS - SFH - Sistema Financeiro da Habitação
OPERAÇÕES DE CRÉDITO, ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO E OUTROS CRÉDITOS
Operações com Características de Concessão de Crédito
(Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa)
OUTROS CRÉDITOS
Carteira de Câmbio
Diversos
OUTROS VALORES E BENS - Despesas Antecipadas
PERMANENTE
INVESTIMENTOS
Participações em Coligadas
Outros Investimentos
(Provisão para Perdas)
IMOBILIZADO DE USO
Imóveis de Uso
Outras Imobilizações de Uso
(Depreciações Acumuladas)
IMOBILIZADO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL OPERACIONAL
Bens Arrendados
(Depreciações Acumuladas)
ÁGIO
INTANGÍVEL
Direitos Por Aquisição Folhas de Pagamento
Outros Ativos Intangíveis
(Amortização Acumulada)
TOTAL DO ATIVO
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
NOTA
4b e 6
11b
4c, 4d e 7
11b
11b
8
4e
4f
9
4e
4nI e 11b
13a
4g
4nI
4g e 13b
4b e 6
11b
4c, 4d e 7
11b
8
4e
4f
9
13a
4g e 13b
4h e 15a Il
4i e 15b
4j
4k e 15b
4l e 15b
31/12/2011
31/12/2010
622.747.887
10.633.082
113.645.149
85.445.536
2.816.013
25.383.600
147.704.470
46.765.192
12.947.833
8.838.992
9.781.464
5.961.548
57.733.857
5.675.584
98.224.030
104.574
98.052.554
1.166
35.047
30.689
28.879
180.492.549
195.769.313
(15.276.764)
68.547.960
26.038.027
1.266.414
18.408.662
3.589.696
1.728.168
17.516.993
3.471.768
138.389
(49.011)
552.950
2.829.440
216.674.506
2.436.840
6
2.436.834
40.175.954
22.040.083
8.211.080
1.889.009
349.291
3.584.698
4.101.793
669.734
139.218.506
149.713.469
(10.494.963)
32.688.824
411.772
32.277.052
1.484.648
11.909.142
2.716.641
1.684.423
1.235.566
(203.348)
5.286.998
3.453.180
8.561.880
(6.728.062)
95.691
3.809.812
1.647.548
3.876.786
(1.714.522)
851.331.535
564.401.807
10.096.540
85.662.014
68.154.703
3.191.812
14.315.499
155.987.247
32.938.921
57.212.290
6.952.286
2.901.030
5.588.633
46.050.748
4.343.339
85.940.965
83.685
85.776.470
5.098
75.712
10.431
158.906.454
172.369.327
(13.462.873)
64.455.717
19.525.671
1.092.219
18.060.924
3.035.835
3.079.285
19.661.783
3.342.439
150.349
(69.182)
424.362
2.836.910
176.062.251
696.707
23.230
154.125
519.352
30.575.168
15.705.664
6.281.895
2.147.948
147.149
2.718.556
3.573.956
572.144
114.128.172
122.683.517
(8.555.345)
29.105.844
2.067.147
27.038.697
984.216
10.979.052
3.249.788
2.058.988
1.379.070
(188.270)
4.723.791
3.291.742
7.998.898
(6.566.849)
3.999
18.553
(14.554)
67.617
2.933.857
2.414.697
2.456.978
(1.937.818)
751.443.110
38
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Balanço Patrimonial Consolidado (Nota 2a) (Em milhares de reais)
PASSIVO
CIRCULANTE
DEPÓSITOS
Depósitos a Vista
Depósitos de Poupança
Depósitos Interfinanceiros
Depósitos a Prazo
Outros Depósitos
CAPTAÇÕES NO MERCADO ABERTO
Carteira Própria
Carteira de Terceiros
Carteira Livre Movimentação
RECURSOS DE ACEITES E EMISSÃO DE TÍTULOS
Recursos de Letras Imobiliárias, Hipotecárias, de Crédito e Similares
Recursos de Debêntures
Obrigações por Títulos e Valores Mobiliários no Exterior
RELAÇÕES INTERFINANCEIRAS
Recebimentos e Pagamentos a Liquidar
Correspondentes
RELAÇÕES INTERDEPENDÊNCIAS
Recursos em Trânsito de Terceiros
Transferências Internas de Recursos
OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS E REPASSES
Empréstimos
Repasses
INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS
PROVISÕES TÉCNICAS DE SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO
OUTRAS OBRIGAÇÕES
Cobrança e Arrecadação de Tributos e Assemelhados
Carteira de Câmbio
Sociais e Estatutárias
Fiscais e Previdenciárias
Negociação e Intermediação de Valores
Operações com Cartões de Crédito
Dívidas Subordinadas
Diversas
EXIGÍVEL A LONGO PRAZO
DEPÓSITOS
Depósitos Interfinanceiros
Depósitos a Prazo
CAPTAÇÕES NO MERCADO ABERTO
Carteira Própria
Carteira Livre Movimentação
RECURSOS DE ACEITES E EMISSÃO DE TÍTULOS
Recursos de Letras Imobiliárias, Hipotecárias, de Crédito e Similares
Recursos de Debêntures
Obrigações por Títulos e Valores Mobiliários no Exterior
OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS E REPASSES
Empréstimos
Repasses
INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS
PROVISÕES TÉCNICAS DE SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO
OUTRAS OBRIGAÇÕES
Carteira de Câmbio
Fiscais e Previdenciárias
Operações com Cartões de Crédito
Dívidas Subordinadas
Diversas
RESULTADOS DE EXERCÍCIOS FUTUROS
PARTICIPAÇÕES MINORITÁRIAS NAS SUBSIDIÁRIAS
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social
Reservas de Capital
Reservas de Lucros
Ajustes de Avaliação Patrimonial
(Ações em Tesouraria)
TOTAL DO PASSIVO
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
NOTA
4b e 10b
4b e 10c
4b e 10d
4b e 10e
4d e 7h
4n II e 11a
9
16b II
4o, 4p e 14c
4e
10f
13c
4b e 10b
4b e 10c
4b e 10d
4b e 10e
4d e 7h
4n II e 11a
9
4o, 4p e 14c
10f
13c
4q
16e
16
4c, 4d e 7d
31/12/2011
31/12/2010
421.618.311
159.455.538
28.932.523
67.196.544
1.793.508
61.559.963
81.813.398
43.471.088
36.537.645
1.804.665
29.459.349
18.474.079
1.038.733
9.946.537
120.726
67.554
53.172
3.927.461
3.857.437
70.024
29.009.787
17.972.358
11.037.429
4.139.099
10.470.320
103.222.633
855.975
25.751.044
2.976.200
7.051.103
2.503.701
41.178.016
10.715.074
12.191.520
355.390.776
83.180.884
272.115
82.908.769
107.005.139
92.576.432
14.428.707
22.097.865
15.113.364
63
6.984.438
27.592.273
3.170.360
24.421.913
2.668.217
63.284.144
49.562.254
430.526
12.973.003
28.259.410
7.899.315
836.211
2.138.904
71.347.333
45.000.000
763.413
27.386.624
(139.142)
(1.663.562)
851.331.535
400.664.566
139.548.607
25.537.134
57.899.455
1.683.821
53.522.521
905.676
122.444.995
98.424.824
23.069.503
950.668
14.581.772
10.967.302
292.676
3.321.794
411.902
288.302
123.600
3.256.170
3.221.184
34.986
21.777.965
12.009.163
9.768.802
3.979.057
9.269.146
85.394.952
694.359
19.927.459
4.462.534
8.937.165
3.099.347
36.851.682
976.930
10.445.476
285.621.231
63.139.450
245.596
62.893.854
77.211.358
66.471.552
10.739.806
11.009.947
3.310.387
1.091.417
6.608.143
25.559.999
3.639.691
21.920.308
1.725.778
51.281.621
55.693.078
2.107.495
13.429.083
23.151
32.852.941
7.280.408
765.865
3.512.903
60.878.545
45.000.000
594.734
15.895.260
17.128
(628.577)
751.443.110
39
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Demonstração do Resultado Consolidado (Nota 2a) (Em milhares de reais)
NOTA
RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA
Operações de Crédito, Arrendamento Mercantil e Outros Créditos
Resultado de Operações com Títulos e Valores Mobiliários e Instrumentos
Financeiros Derivativos
Receitas Financeiras das Operações com Seguros, Previdência e Capitalização
Resultado de Operações de Câmbio
Resultado das Aplicações Compulsórias
DESPESAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA
Operações de Captação no Mercado
Despesas Financeiras de Provisões Técnicas de Previdência e Capitalização
Operações de Empréstimos e Repasses
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA ANTES DOS CRÉDITOS
DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA
RESULTADO DE CRÉDITOS DE LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA
Despesa de Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
Receita de Recuperação de Créditos Baixados como Prejuízo
RESULTADO BRUTO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA
OUTRAS RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS
Receitas de Prestação de Serviços
Administração de Recursos
Serviços de Conta Corrente
Cartões de Crédito
Operações de Crédito e Garantias Prestadas
Serviços de Recebimentos
Outros
Rendas de Tarifas Bancárias
Resultado de Operações com Seguros, Previdência e Capitalização
Despesas de Pessoal
Outras Despesas Administrativas
Despesas Tributárias
Resultado de Participações em Coligadas e Outros Investimentos
Outras Receitas Operacionais
Outras Despesas Operacionais
RESULTADO OPERACIONAL
RESULTADO NÃO OPERACIONAL
RESULTADO ANTES DA TRIBUTAÇÃO SOBRE O LUCRO E PARTICIPAÇÕES
IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL
Devidos sobre Operações do Período
Referentes a Diferenças Temporárias
PARTICIPAÇÕES NO LUCRO - Administradores - Estatutárias - Lei nº 6.404 de 15/12/1976
PARTICIPAÇÕES MINORITÁRIAS NAS SUBSIDIÁRIAS
LUCRO LÍQUIDO
MÉDIA PONDERADA DA QUANTIDADE DE AÇÕES EM CIRCULAÇÃO
LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO - R$
VALOR PATRIMONIAL POR AÇÃO - R$ (EM CIRCULAÇÃO EM 31/12)
EXCLUSÃO DOS EFEITOS NÃO RECORRENTES
LUCRO LÍQUIDO SEM OS EFEITOS NÃO RECORRENTES
LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO - R$
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
11c
11c
8d I
13d
13e
11c
13f
13g
4p e 14a II
15a lll
13h
13i
4p e 14a I
16e
2a e 22k
2º Semestre
2011
01/01 a
31/12/2011
01/01 a
31/12/2010
55.556.501
31.147.110
101.366.445
59.102.824
79.626.922
51.314.622
15.365.896
26.060.595
18.714.020
3.334.178
796.270
4.913.047
(32.613.265)
(27.626.657)
(2.924.624)
(2.061.984)
5.929.625
914.047
9.359.354
(54.107.439)
(46.249.862)
(5.239.459)
(2.618.118)
4.512.672
979.912
4.105.696
(34.979.324)
(30.082.387)
(3.928.147)
(968.790)
22.943.236
47.259.006
44.647.598
(7.536.189)
(10.424.778)
2.888.589
15.407.047
(7.159.381)
7.250.746
1.332.961
343.215
3.233.170
926.109
701.857
713.434
2.657.255
1.500.071
(6.778.573)
(7.417.370)
(1.932.351)
82.567
187.006
(2.708.732)
8.247.666
63.899
8.311.565
(313.498)
(3.195.510)
2.882.012
(85.399)
(424.555)
7.488.113
(14.423.754)
(19.911.948)
5.488.194
32.835.252
(14.545.854)
13.912.326
2.607.734
675.646
6.111.133
1.761.944
1.332.789
1.423.080
5.135.371
2.714.409
(13.356.634)
(14.099.747)
(4.091.978)
39.497
392.528
(5.191.626)
18.289.398
191.390
18.480.788
(2.855.428)
(7.029.598)
4.174.170
(191.923)
(812.816)
14.620.621
4.529.310.833
3,23
15,81
(9.911.355)
(14.120.560)
4.209.205
34.736.243
(14.480.968)
12.340.783
2.486.010
582.922
5.284.056
1.460.334
1.324.525
1.202.936
4.759.871
2.099.884
(12.451.571)
(13.597.894)
(4.168.422)
423.093
528.633
(4.415.345)
20.255.275
80.594
20.335.869
(5.886.043)
(4.127.657)
(1.758.386)
(260.940)
(865.923)
13.322.963
4.536.069.092
2,94
13,40
20.369
14.640.990
3,23
(300.315)
13.022.648
2,87
40
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Demonstração Consolidada dos Fluxos de Caixa (Em milhares de reais)
NOTA
LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO
Lucro Líquido
Ajustes ao Lucro Líquido:
Opções de Outorgas Reconhecidas
Ajustes ao Valor de Mercado de Títulos e Valores Mobiliários e Instrumentos Financeiros
Derivativos (Ativos/ Passivos)
Efeito das Mudanças das Taxas de Câmbio em Caixa e Equivalentes de Caixa
Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
Despesa de Juros e Variação Cambial de Operações com Dívida Subordinada
Despesa de Juros de Operações com Debêntures
Despesas Financeiras Provisões Técnicas de Previdência e Capitalização
Depreciações e Amortizações
Ajuste de Obrigações Legais - Fiscais e Previdenciárias
Ajuste de Provisão de Passivos Contingentes
Tributos Diferidos
Resultado de Participações em Coligadas e Outros Investimentos
Receita de Juros e Variação Cambial de Títulos e Valores Mobiliários Disponíveis para Venda
Receita de Juros e Variação Cambial de Títulos e Valores Mobiliários Mantidos até o Vencimento
(Ganho) Perda na Alienação de Ativos Financeiros Disponíveis para Venda
(Ganho) Perda na Alienação de Investimentos
(Ganho) Perda na Alienação de Bens não de Uso Próprio
(Ganho) Perda na Alienação do Imobilizado
(Ganho) Perda nos Distratos de Operações Intangíveis
Resultado dos Acionistas Minoritários
Outros
VARIAÇÃO DE ATIVOS E OBRIGAÇÕES
(Aumento) Redução em Aplicações Interfinanceiras de Liquidez
(Aumento) Redução em Títulos e Valores Mobiliários e Instrumentos Financeiros
Derivativos (Ativos/Passivos)
(Aumento) Redução em Depósitos Compulsórios no Banco Central do Brasil
(Aumento) Redução em Relações Interfinanceiras e Relações Interdependências (Ativos/Passivos)
(Aumento) Redução em Operações de Crédito, Arrendamento Mercantil Financeiro e Outros Créditos
(Aumento) Redução em Outros Créditos e Outros Valores e Bens
(Aumento) Redução em Operações da Carteira de Câmbio e Negociação e Intermediação de Valores
(Redução) Aumento em Depósitos
(Redução) Aumento em Captações no Mercado Aberto
(Redução) Aumento em Recursos por Emissão de Títulos
(Redução) Aumento em Obrigações por Empréstimos e Repasses
(Redução) Aumento em Operações com Cartões de Crédito (Ativos/Passivos)
(Redução) Aumento em Provisões Técnicas de Seguros, Previdência e Capitalização
(Redução) Aumento em Cobrança e Arrecadação de Tributos e Assemelhados
(Redução) Aumento em Outras Obrigações
(Redução) Aumento em Resultado de Exercícios Futuros
Pagamento de Imposto de Renda e Contribuição Social
CAIXA LÍQUIDO PROVENIENTE/(APLICADO) NAS ATIVIDADES OPERACIONAIS
Juros sobre o Capital Próprio/Dividendos Recebidos de Coligadas
Recursos da Venda de Títulos e Valores Mobiliários Disponíveis para Venda
Recursos do Resgate de Títulos Valores Mobiliários Mantidos Até o Vencimento
Alienação de Bens não de Uso Próprio
Alienação de Investimentos
Alienação de Imobilizado de Uso
Distrato de Contratos do Intangível
Aquisição de Títulos e Valores Mobiliários Disponíveis para Venda
Aquisição de Títulos e Valores Mobiliários Mantidos até o Vencimento
Aquisição de Investimentos
Aquisição de Imobilizado de Uso
Aquisição de Intangível
CAIXA LÍQUIDO PROVENIENTE/(APLICADO) NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO
Captação de Obrigações por Dívida Subordinada
Resgate de Obrigações por Dívida Subordinada
Resgate de Obrigações por Debêntures
Variação da Participação dos Acionistas Minoritários
Outorga de Opções de Ações
Aquisições de Ações para Tesouraria
Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio Pagos a Acionistas Minoritários
Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio Pagos
CAIXA LÍQUIDO PROVENIENTE/(APLICADO) NAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO
7i
15b
15a lll
7f
2º Semestre
2011
18.140.316
7.488.113
10.652.203
82.551
01/01 a
31/12/2011
38.557.686
14.620.621
23.937.065
162.663
01/01 a
31/12/2010
34.421.299
13.322.963
21.098.336
131.660
1.142.063
1.605.804
(658.631)
(2.395.589)
10.424.778
2.788.405
100.808
2.924.624
1.098.801
526.635
173.947
(2.882.012)
(82.567)
(2.891.412)
(223.938)
(75.821)
(323.512)
(43.876)
7.540
(43.616)
424.555
(80.161)
(818.430)
(4.093.285)
(2.167.626)
19.911.948
4.345.353
165.306
5.239.459
2.166.563
866.756
228.499
(4.174.170)
(39.497)
(3.744.181)
(407.973)
(301.358)
(521.932)
(42.507)
(44.074)
(44.418)
812.816
(80.366)
(33.131.331)
(31.657.183)
629.288
14.120.560
2.619.814
224.058
3.928.147
2.137.276
(1.469.652)
1.213.319
1.758.386
(423.093)
(2.893.857)
(444.589)
(558.920)
(183.672)
(34.279)
7.585
(55.625)
865.923
184.638
(62.513.317)
26.549.860
(649.548)
1.792.629
(64.219.394)
(6.213.568)
(934.820)
(36.970.340)
838.617
(674.306)
33.722.208
(9.045.280)
19.263.373
3.655.113
4.613.551
4.073.601
(8.529.489)
1.959.065
7.497
(1.840.819)
17.321.886
54.855
12.475.188
478.742
76.568
412.314
70.841
178.425
(16.954.383)
(218.300)
(10.126)
(1.198.155)
(1.275.513)
(5.909.544)
2.626.925
(3.651.339)
(103.724)
(1.257.996)
198.367
(744.647)
(337.121)
(1.547.736)
(4.817.271)
(12.276.084)
257.096
(66.630.980)
1.155.240
45.106
39.948.365
(10.837.816)
26.310.792
9.264.096
3.955.445
7.281.789
161.616
2.037.189
70.346
(4.008.977)
5.426.355
70.321
34.221.963
814.258
146.044
696.630
184.471
184.048
(33.599.564)
(341.300)
(20.994)
(1.902.929)
(2.008.056)
(1.555.108)
8.850.750
(8.051.490)
(510.603)
(1.522.343)
353.036
(1.302.638)
(664.472)
(4.588.486)
(7.436.246)
(71.907.716)
548.265
(66.776.695)
(2.899.951)
(251.211)
11.972.027
67.712.790
9.679.627
12.702.151
3.262.420
5.871.963
226.054
7.816.056
313.283
(3.112.846)
(28.092.018)
89.372
17.891.819
286.604
369.483
233.694
70.326
145.473
(17.030.846)
(582.120)
(229.487)
(1.923.132)
(649.647)
(1.328.461)
9.352.093
(180.252)
(1.604.242)
12.320
406.084
- (727.591)
(4.315.488)
2.942.924
AUMENTO/(DIMINUIÇÃO) LÍQUIDO EM CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA
6.595.071
(3.564.999)
(26.477.555)
Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Período
Efeito das Mudanças das Taxas de Câmbio em Caixa e Equivalentes de Caixa
Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Período
28.626.235
2.395.589
37.616.895
39.014.268
2.167.626
37.616.895
66.121.111
(629.288)
39.014.268
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
15b
15b
16e
4a e 5
41
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Demonstração Consolidada do Valor Adicionado (Em milhares de reais)
NOTA
RECEITAS
2º Semestre
2011
01/01 a
31/12/2011
01/01 a
31/12/2010
59.662.036
109.288.715
89.525.332
55.556.504
101.366.445
79.626.922
Prestação de Serviços e Rendas de Tarifas Bancárias
9.908.001
19.047.697
17.100.654
Resultado das Operações com Seguros, Previdência e Capitalização
1.500.071
2.714.409
2.099.884
(7.536.189)
(14.423.754)
(9.911.355)
233.649
583.918
609.227
(35.304.739)
(59.299.065)
(39.394.669)
(32.613.266)
(54.107.439)
(34.979.324)
(2.691.473)
(5.191.626)
(4.415.345)
(6.210.738)
(11.764.138)
(11.405.491)
Intermediação Financeira
Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa
8d
Outras
DESPESAS
Intermediação Financeira
Outras
INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS
Materiais, Energia e Outros
13g
(240.880)
(459.891)
(456.022)
Serviços de Terceiros
13g
(1.740.025)
(3.265.955)
(2.872.258)
(4.229.833)
(8.038.292)
(8.077.211)
Outras
Processamento de Dados e Telecomunicações
13g
(1.757.043)
(3.494.837)
(3.278.980)
Propaganda, Promoções e Publicações
13g
(519.776)
(956.725)
(1.129.235)
(858.404)
(1.432.045)
(1.564.358)
Instalações
Transportes
13g
(300.322)
(583.074)
(595.708)
Segurança
13g
(241.995)
(482.164)
(450.656)
Viagens
13g
(102.423)
(188.915)
(166.925)
(449.870)
(900.532)
(891.349)
18.146.559
38.225.512
38.725.172
Outras
VALOR ADICIONADO BRUTO
DEPRECIAÇÃO E AMORTIZAÇÃO
13g
(736.995)
(1.419.141)
(1.355.070)
17.409.564
36.806.371
37.370.102
82.566
39.497
423.093
VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR
17.492.130
36.845.868
37.793.195
DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO
17.492.130
36.845.868
37.793.195
6.062.382
11.997.794
11.202.027
4.738.755
9.485.138
8.738.556
Benefícios
986.691
1.865.882
1.898.619
F.G.T.S.
336.936
646.774
564.852
VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO PELA ENTIDADE
VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA
Pessoal
Remuneração Direta
Impostos, Taxas e Contribuições Federais
Estaduais
Municipais
Remuneração de Capitais de Terceiros - Aluguéis
15a lll
3.047.439
8.498.169
11.564.949
2.681.903
7.776.266
10.934.189
7.528
8.508
2.525
358.008
713.395
628.235
469.641
916.468
837.333
7.912.668
15.433.437
14.188.886
Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio
1.652.749
3.207.100
4.482.550
Lucros Retidos/(Prejuízo) do Período
5.835.364
11.413.521
8.840.413
424.555
812.816
865.923
Remuneração de Capitais Próprios
Participação dos não-controladores nos Lucros Retidos
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
42
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Balanço Patrimonial (Em milhares de reais)
ATIVO
NOTA
CIRCULANTE
DISPONIBILIDADES
APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ
4b e 6
Aplicações no Mercado Aberto
Aplicações em Depósitos Interfinanceiros
31/12/2011
31/12/2010
28.646.456
3.792.477
7.833
1.940
26.302.382
192.959
454.176
192.959
25.848.206
-
13.631
33.489
Carteira Própria
7.837
28.299
Vinculados a Prestação de Garantias
5.794
5.190
2.318.501
3.559.575
15a I
1.959.278
3.067.840
13a
359.223
491.735
4g
4.109
4.514
6.097.851
14.428.183
4b e 6
5.794.144
14.176.842
4c, 4d e 7
-
6.387
TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS
4c, 4d e 7
OUTROS CRÉDITOS
Rendas a Receber
Diversos
OUTROS VALORES E BENS - Despesas Antecipadas
REALIZÁVEL A LONGO PRAZO
APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ - Aplicações em Depósitos Interfinanceiros
TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS
Carteira Própria
-
13
Vinculados a Prestação de Garantias
-
6.374
OUTROS CRÉDITOS - Diversos 13a
PERMANENTE
INVESTIMENTOS
Participações em Controladas
4h e 15a I
Outros
IMOBILIZADO DE USO 4i
TOTAL DO ATIVO 303.707
244.954
56.308.737
63.030.639
56.308.494
63.030.331
56.308.494
63.029.924
-
407
243
308
91.053.044
81.251.299
6.226.283
2.856.800
PASSIVO
CIRCULANTE
DEPÓSITOS - Depósitos Interfinanceiros
4b e 10b
4.832.444
-
RECURSOS DE ACEITE E EMISSÃO DE TÍTULOS
4b e 10d
5.542
5.542
INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS
4d e 7h
OUTRAS OBRIGAÇÕES
Sociais e Estatutárias
-
2.717
1.388.297
2.848.541
2.704.993
16b II
1.288.091
4o, 4p e 14c
4.996
25.060
Dívidas Subordinadas
10f
85.715
47.890
Diversas
13c
Fiscais e Previdenciárias
EXIGÍVEL A LONGO PRAZO
9.495
70.598
6.443.608
7.749.709
3.344.008
DEPÓSITOS - Depósitos Interfinanceiros
4b e 10b
-
RECURSOS DE ACEITE E EMISSÃO DE TÍTULOS
4b e 10d
500.000
500.000
5.943.608
3.905.701
OUTRAS OBRIGAÇÕES
Fiscais e Previdenciárias
4o, 4p e 14c
816.111
576.158
Dívidas Subordinadas
10f
5.111.734
3.304.889
Diversas
13c
15.763
24.654
16
78.383.153
70.644.790
45.000.000
45.000.000
PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social
Reservas de Capital
763.413
594.734
Reservas de Lucros
34.422.444
25.661.505
(139.142)
17.128
Ajustes de Avaliação Patrimonial
(Ações em Tesouraria)
TOTAL DO PASSIVO
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
4c, 4d e 7d
(1.663.562)
(628.577)
91.053.044
81.251.299
43
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Demonstração do Resultado (Em milhares de reais)
NOTA
RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA
Resultado de Operações com Títulos e Valores Mobiliários e Instrumentos Financeiros Derivativos
2º Semestre
2011
01/01 a
31/12/2011
01/01 a
31/12/2010
1.603.318
2.608.483
1.021.447
1.603.318
2.608.483
1.021.447
DESPESAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA
(427.559)
(753.200)
(376.032)
Operações de Captação no Mercado
(427.559)
(753.200)
(376.032)
RESULTADO BRUTO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA
1.175.759
1.855.283
645.415
OUTRAS RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS
5.336.102
9.830.784
9.557.780
Despesas de Pessoal
(97.414)
(190.128)
(163.300)
Outras Despesas Administrativas
(20.231)
(43.523)
(64.946)
(54.411)
(185.652)
(177.081)
Despesas Tributárias
14a II
Resultado de Participações em Controladas
15a I
Outras Receitas (Despesas) Operacionais
RESULTADO OPERACIONAL
RESULTADO NÃO OPERACIONAL
RESULTADO ANTES DA TRIBUTAÇÃO SOBRE O LUCRO E PARTICIPAÇÕES
IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL
4p
Devidos sobre Operações do Período
Referentes a Diferenças Temporárias
PARTICIPAÇÕES NO LUCRO - Administradores - Estatutárias - Lei nº 6.404 de 15/12/1976
LUCRO LÍQUIDO
MÉDIA PONDERADA DA QUANTIDADE DE AÇÕES EM CIRCULAÇÃO
LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO - R$
VALOR PATRIMONIAL POR AÇÃO - R$ (EM CIRCULAÇÃO EM 31/12)
EXCLUSÃO DOS EFEITOS NÃO RECORRENTES
LUCRO LÍQUIDO SEM OS EFEITOS NÃO RECORRENTES
LUCRO LÍQUIDO POR AÇÃO - R$
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
2a e 22k
5.538.061
10.293.030
10.048.503
(29.903)
(42.943)
(85.396)
6.511.861
11.686.067
10.203.195
19.753
28.868
9.763
6.531.614
11.714.935
10.212.958
(409.816)
178.218
64.314
68.784
73.198
(13.364)
(478.600)
105.020
77.678
(1.227)
(2.957)
(5.257)
6.120.571
11.890.196
10.272.015
4.529.310.833
4.536.069.092
2,63
2,26
17,37
15,55
20.369
(300.315)
11.910.565
9.971.700
2,63
2,20
44
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (Nota 16) (Em milhares de reais)
Capital
Social
SALDOS EM 01/07/2011
Reservas
de Capital
Ajustes de
Avaliação
Patrimonial
(Nota 7d)
Reservas
de Lucros
Lucros
(Ações em
Acumulados Tesouraria)
Total
45.000.000
619.297
29.946.904
(32.044)
-
Aquisições de Ações para Tesouraria
- - - - - (1.048.000) 74.486.157
(744.647)
(744.647)
Outorga de Opções de Ações - Opções Exercidas
- 61.565
7.718
- - 129.085
198.368
Outorga de Opções Reconhecidas
- 82.551
- - - - 82.551
Variação do Ajuste a Valor de Mercado
- - - (107.098)
- - (107.098)
Lucro Líquido
- - - - 6.120.571
- 6.120.571
Destinações:
Reserva Legal
- - 306.029
- (306.029)
- - Reservas Estatutárias
- - 2.314.870
- (2.314.870)
- - Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio
- - 1.846.923
- (3.499.672)
- (1.652.749)
45.000.000
763.413
34.422.444
(139.142)
-
(1.663.562) 78.383.153
- 144.116
4.475.540
(107.098)
-
45.000.000
640.759
18.771.151
120.031
-
- - 924.424
- - - SALDOS EM 31/12/2011
MUTAÇÕES NO PERÍODO
SALDOS EM 01/01/2010
Benefícios a Empregados - Deliberação CVM nº 600, de 07/10/2009
(Nota 19)
(615.562)
3.896.996
(1.031.327) 63.500.614
924.424
Outorga de Opções de Ações - Opções Exercidas
- (91.313)
94.647
- - 402.750
406.084
Outorga de Opções Reconhecidas
- 45.288
86.372
- - - 131.660
Variação do Ajuste a Valor de Mercado
- - (3.934)
(102.903)
- - (106.837)
Complemento de Juros sobre o Capital Próprio Pagos em
01/03/2010 - Exercício 2009
- - (620)
- - - (620)
Lucro Líquido
- - - - 10.272.015
- 10.272.015
Destinações:
Reserva Legal
- - 513.601
- (513.601)
- - Realização da Reserva de Lucros a Realizar
- - (357.931)
- 357.931
- - Reservas Estatutárias
- - 5.633.795
- (5.633.795)
- - Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio
SALDOS EM 31/12/2010
MUTAÇÕES DO EXERCÍCIO
SALDOS EM 01/01/2011
- - - - (4.482.550)
- (4.482.550)
45.000.000
594.734
25.661.505
17.128
-
(628.577) 70.644.790
-
(46.025)
6.890.354
(102.903)
-
45.000.000
594.734
25.661.505
17.128
-
- - - - (1.302.638)
(1.302.638)
- 6.016
79.367
- - 267.653
353.036
Aquisições de Ações para Tesouraria
Outorga de Opções de Ações - Opções Exercidas
402.750
7.144.176
(628.577) 70.644.790
Outorga de Opções Reconhecidas
- 162.663
- - - - 162.663
Variação do Ajuste a Valor de Mercado
- - - (156.270)
- - (156.270)
Complemento de Juros sobre o Capital Próprio Pagos em
17/03/2011 - Exercício 2010
- - (1.524)
- - - (1.524)
Lucro Líquido
- - - - 11.890.196
- 11.890.196
Destinações:
Reserva Legal
- - 594.510
- (594.510)
- - Reservas Estatutárias
- - 6.241.663
- (6.241.663)
- - Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio
SALDOS EM 31/12/2011
MUTAÇÕES NO EXERCÍCIO
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
- - 1.846.923
- (5.054.023)
- (3.207.100)
45.000.000
763.413
34.422.444
(139.142)
-
(1.663.562) 78.383.153
-
168.679
8.760.939
(156.270)
-
(1.034.985)
7.738.363
45
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Demonstração dos Fluxos de Caixa (Em milhares de reais)
NOTA
LUCRO LÍQUIDO (PREJUÍZO) AJUSTADO
2º Semestre
2011
01/01 a
31/12/2011
01/01 a
31/12/2010
1.965.653
2.384.283
338.123
6.120.571
11.890.196
10.272.015
(4.154.918)
(9.505.913)
(9.933.892)
82.551
162.663
131.660
Despesa de Juros e Variação Cambial de Operações com Dívida Subordinada
807.789
685.666
- Tributos Diferidos
478.600
(105.020)
(77.678)
(5.538.061)
(10.293.030)
(10.048.503)
28.872
57.745
57.746
(12.456)
(12.456)
- (2.258)
(1.574)
2.774
Lucro Líquido
Ajustes ao Lucro Líquido:
Outorga de Opções Reconhecidas
Resultado de Participações em Controladas
15a I
Amortização de Ágio
(Ganho) Perda na Alienação de Investimentos
Efeito das Mudanças das Taxas de Câmbio em Caixa e Equivalentes de Caixa
Outros
VARIAÇÃO DE ATIVOS E OBRIGAÇÕES
(Aumento) Redução em Outros Créditos e Outros Valores e Bens
Aumento (Redução) em Outras Obrigações
Pagamento de Imposto de Renda e Contribuição Social
CAIXA LÍQUIDO PROVENIENTE/(APLICADO) NAS ATIVIDADES OPERACIONAIS
Juros sobre o Capital Próprio/Dividendos Recebidos
(Aumento) Redução em Aplicações Interfinanceiras de Liquidez
(Aumento) Redução em Títulos e Valores Mobiliários e Instrumentos Financeiros
Derivativos (Ativos/Passivos)
(Aquisição) Alienação de Investimentos
(Aquisição) Alienação de Imobilizado de Uso
CAIXA LÍQUIDO PROVENIENTE/(APLICADO) NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO
45
93
109
(264.620)
291.899
322.757
(43.551)
179.044
146.500
(220.840)
113.084
176.257
(229)
(229)
- 1.701.033
2.676.182
660.880
1.047.764
14.047.324
4.383.005
(1.120.197)
(17.465.508)
(7.251.881)
211
23.944
(11.566)
11.776
3.874.270
- (9)
(28)
(60)
(60.455)
480.002
(2.880.502)
Aumento (Redução) em Depósitos
820.221
1.488.436
2.444.784
Captação de Obrigações por Dívida Subordinada
236.025
1.406.850
3.352.779
(170.336)
(247.846)
- - - 505.542
406.084
Resgate de Obrigações por Dívida Subordinada
(Aumento) Redução em Recursos por Emissão de Títulos
Outorga de Opções de Ações
Aquisições de Ações para Tesouraria
Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio Pagos
CAIXA LÍQUIDO PROVENIENTE/(APLICADO) NAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO
AUMENTO/(DIMINUIÇÃO) LÍQUIDO EM CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA
Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Período
Efeito das Mudanças das Taxas de Câmbio em Caixa e Equivalentes de Caixa
Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Período
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
4a e 5
198.367
353.036
(744.647)
(1.302.638)
- (1.547.736)
(4.588.486)
(4.315.488)
(1.208.106)
(2.890.648)
2.393.701
432.472
265.536
174.079
27.279
194.899
23.594
2.258
1.574
(2.774)
462.009
462.009
194.899
46
Relatório da Administração
Demonstrações Contábeis
Itaú Unibanco Holding S.A.
ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.
Demonstração do Valor Adicionado (Em milhares de reais)
2º Semestre
2011
01/01 a
31/12/2011
1.603.318
2.777.631
1.051.877
1.603.318
2.608.483
1.021.447
-
169.148
30.430
(838.280)
(753.200)
(376.032)
Intermediação Financeira
(427.558)
(753.200)
(376.032)
Outras
(410.722)
-
-
(19.996)
(43.048)
(75.948)
(11.386)
(21.438)
(26.782)
(406)
(634)
(1.643)
Despesas com Serviços do Sistema Financeiro
(3.637)
(6.593)
(17.752)
Seguros
(1.715)
(4.850)
(6.219)
Outras
(2.852)
(9.533)
(23.552)
745.042
1.981.383
599.897
NOTA
RECEITAS
Intermediação Financeira
Outras
DESPESAS
INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS
Serviços de Terceiros
Propaganda, Promoções e Publicações
VALOR ADICIONADO BRUTO
DEPRECIAÇÃO E AMORTIZAÇÃO
VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO PELA ENTIDADE
VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA
(46)
(93)
(109)
744.996
1.981.290
599.788
5.538.060
10.293.030
10.048.503
VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR
6.283.056
12.274.320
10.648.291
DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO
6.283.056
12.274.320
10.648.291
96.807
189.230
165.068
Pessoal
Remuneração Direta
15a l
01/01 a
31/12/2010
95.645
186.088
160.944
Benefícios
690
1.920
2.726
F.G.T.S.
472
1.222
1.398
65.490
194.512
210.519
65.488
194.486
210.458
2
26
61
188
382
689
Impostos, Taxas e Contribuições Federais
Municipais
Remuneração de Capitais de Terceiros - Aluguéis
Remuneração de Capitais Próprios
6.120.571
11.890.196
10.272.015
Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio
1.652.749
3.207.100
4.482.550
Lucros Retidos/(Prejuízo) do Período
4.467.822
8.683.096
5.789.465
As Notas Explicativas são parte integrante das Demonstrações Contábeis.
Notas Explicativas
às Demonstrações
Contábeis
48
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
NOTA 1 CONTEXTO
OPERACIONAL
O Itaú Unibanco Holding S.A. (ITAÚ
UNIBANCO HOLDING) é uma sociedade
anônima de capital aberto que, em
conjunto com empresas coligadas e
controladas, atua no Brasil e no exterior,
na atividade bancária em todas as
modalidades através de suas carteiras:
comercial, de investimento, de crédito
imobiliário, de crédito, financiamento
e investimento e de arrendamento
mercantil, inclusive as de operações de
câmbio e nas atividades complementares,
destacando-se as de Seguros, Previdência
Privada, Capitalização, Corretagem
de Títulos e Valores Mobiliários e
Administração de Cartões de Crédito,
Consórcios, Fundos de Investimentos e
Carteiras Administradas.
NOTA 2 APRESENTAÇÃO DAS
DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS
a) Apresentação das
Demonstrações Contábeis
As Demonstrações Contábeis do
ITAÚ UNIBANCO HOLDING e de suas
Controladas (ITAÚ UNIBANCO HOLDING
CONSOLIDADO) foram elaboradas de
acordo com a Lei das Sociedades por
Ações, incluindo as alterações introduzidas
pela Lei nº 11.638, de 28/12/2007, e Lei nº
11.941, de 27/05/2009, em consonância,
quando aplicável, com os normativos do
BACEN, do Conselho Monetário Nacional
(CMN), da Comissão de Valores Mobiliários
(CVM), da Superintendência de Seguros
Privados (SUSEP) e do Conselho Nacional
de Seguros Privados (CNSP), que incluem
práticas e estimativas contábeis no que se
refere à constituição de provisões.
A fim de possibilitar adequada análise do
Lucro Líquido é apresentado logo a seguir à
Demonstração de Resultado Consolidado
o “Lucro Líquido Sem os Efeitos não
Recorrentes”, destacando-se esse efeito
numa única rubrica denominada “Exclusão
dos Efeitos não Recorrentes” (Nota 22k). Conforme determina o parágrafo único
do artigo 7º da Circular nº 3.068, de
08/11/2001, do BACEN, os títulos e
valores mobiliários classificados como
títulos para negociação (Nota 4c) são
apresentados no Balanço Patrimonial,
no Ativo Circulante, independente de
suas datas de vencimentos.
As Operações de Arrendamento
Mercantil Financeiro são apresentadas
a valor presente no Balanço
Patrimonial, e as receitas e despesas
relacionadas, que representam
o resultado financeiro dessas
operações, estão apresentadas
agrupadas na rubrica Operações de
Crédito, Arrendamento Mercantil e
Outros Créditos da Demonstração
do Resultado. As Operações de
Adiantamento sobre Contratos de
Câmbio são reclassificadas de Outras
Obrigações – Carteira de Câmbio para
Operações de Crédito. O resultado
de Câmbio é apresentado de forma
ajustada, com a reclassificação de
despesas e receitas, de maneira a
representar exclusivamente a variação
e diferenças de taxas incidentes sobre
as contas patrimoniais representativas
de moedas estrangeiras.
b) Consolidação
Conforme determinado no parágrafo
1º, do artigo 2º, da Circular nº 2.804, de
11/02/1998, do BACEN, as demonstrações
contábeis do ITAÚ UNIBANCO HOLDING
abrangem a consolidação de suas
dependências no exterior.
Os saldos das contas patrimoniais e de
resultado e os valores das transações,
entre as empresas consolidadas, são
eliminados. Estão consolidados os
Fundos de Investimentos Exclusivos de
aplicação de empresas consolidadas. Os títulos e aplicações pertencentes
às carteiras desses fundos estão
classificados por tipo de operação
e foram distribuídos por tipo de
papel, nas mesmas categorias em
que originalmente foram alocados. Os efeitos da Variação Cambial sobre
os investimentos no exterior estão
apresentados na rubrica de resultado
de Operações com Títulos e Valores
Itaú Unibanco Holding S.A.
Mobiliários e Instrumentos Financeiros
Derivativos na Demonstração do
Resultado.
A diferença no Lucro Líquido e
Patrimônio Líquido entre ITAÚ
UNIBANCO HOLDING e ITAÚ
UNIBANCO HOLDING CONSOLIDADO
(Nota 16d) resulta da adoção de
critérios distintos na amortização de
ágios originados nas aquisições de
investimentos, líquidos dos respectivos
créditos tributários.
No ITAÚ UNIBANCO HOLDING, os ágios
registrados em controladas, originados
substancialmente da associação ITAÚ
UNIBANCO são amortizados com
base na expectativa de rentabilidade
futura e em laudos de avaliação ou
pela realização dos investimentos,
conforme normas e orientações do
CMN e do BACEN.
No ITAÚ UNIBANCO HOLDING
CONSOLIDADO, esses ágios foram
integralmente amortizados até
31/12/2009 nos períodos em que
ocorreram os investimentos, de modo
a: a) permitir melhor comparabilidade
com demonstrações contábeis
consolidadas de períodos anteriores; e
b) possibilitar a avaliação do Resultado
e do Patrimônio Líquido pela utilização
de critérios conservadores.
A partir de 01/01/2010, os ágios
originados nas aquisições de
investimentos deixaram de ser
integralmente amortizados
nas demonstrações contábeis
consolidadas, visando compatibilizar
as práticas contábeis atuais com
as normais internacionais de
contabilidade (Nota 4k).
Em 2011 houve alteração no
critério de consolidação de
algumas empresas destacando-se
a Financeira Itaú CBD S.A. Crédito,
Financiamento e Investimento com
alteração de consolidação integral
para proporcional e a Porto Seguro
S.A. que passou a ser tratada por
equivalência patrimonial, inclusive
para fins comparativos.
49
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
As demonstrações contábeis consolidadas
abrangem o ITAÚ UNIBANCO HOLDING
e suas controladas diretas e indiretas,
destacando-se:
Índice
Participação (%)
País de
Constituição
31/12/2011
31/12/2010
Portugal
100,00
100,00
Brasil
100,00
100,00
Afinco Americas Madeira, SGPS, Sociedade Unipessoal, Ltda.
Banco Dibens S.A.
Banco Fiat S.A. Brasil
100,00
99,99
Argentina
99,99
99,99
Banco Itaú BBA S.A. Brasil
99,99
99,99
Banco Itaú Chile
Chile
99,99
99,99
Luxemburgo
99,98
99,98
Portugal
99,99
99,99
Uruguai
100,00
100,00
Banco Itaucard S.A.
Brasil
100,00
100,00
Banco Itaucred Financiamentos S.A. Brasil
100,00
100,00
Banco Itauleasing S.A.
Brasil
100,00
100,00
BIU Participações S.A.
Brasil
66,16
66,16
Cia. Itaú de Capitalização
Brasil
99,99
99,99
Dibens Leasing S.A. - Arrendamento Mercantil
Brasil
100,00
100,00
Brasil
50,00
50,00
Brasil
99,99
99,99
Brasil
50,00
50,00
Brasil
100,00
100,00
Banco Itaú Argentina S.A.
Banco Itaú Europa Luxembourg S.A. Banco Itaú BBA International, S.A. (1)
Banco Itaú Uruguay S.A. FAI - Financeira Americanas Itaú S.A. Crédito, Financiamento e Investimento
(2)
Fiat Administradora de Consórcios Ltda.
Financeira Itaú CBD S.A. Crédito, Financiamento e Investimento
(2)
Hipercard Banco Múltiplo S.A.
Itaú Administradora de Consórcios Ltda.
Brasil
99,99
99,99
Ilhas Cayman
100,00
100,00
Itaú Corretora de Valores S.A.
Brasil
100,00
100,00
Itaú Seguros S.A.
Brasil
100,00
100,00
Itaú Unibanco S.A.
Brasil
100,00
100,00
Itaú Vida e Previdência S.A.
Brasil
100,00
100,00
100,00
Itau Bank, Ltd.
(3)
Itaú Unibanco Consultoria S.A.
(4)
Brasil
-
Luizacred S.A. Soc. Créd. Financiamento Investimento
(2)
Brasil
50,00
50,00
Uruguai
100,00
100,00
Brasil
100,00
100,00
Brasil
50,00
50,00
Ilhas Cayman
100,00
100,00
Brasil
100,00
51,00
OCA Casa Financiera S.A. Orbitall Serviços e Processamento de Informações Comerciais S.A.
Redecard S.A. (5)
Unibanco Cayman Bank Ltd.
Unibanco Participações Societárias S.A. (Nota 16e)
(1)Nova denominação social do Banco Itaú Europa, S.A.;
(2)Empresa com controle compartilhado incluída proporcionalmente na consolidação;
(3)Não contempla a participação das Ações Preferenciais Resgatáveis (Nota 10f );
(4)Nova denominação social da Itaúsa Export S.A, empresa incorporada pela ITB Holding Brasil controlada pelo Itaú Unibanco S.A.;
(5)Empresa consolidada integralmente cuja a participação no capital é de 50% mais 17 ações.
50
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
NOTA 3 EXIGIBILIDADES
DE CAPITAL E LIMITES
DE IMOBILIZAÇÃO
a) Índices de Basileia e
de Imobilização
Apresentamos abaixo os principais
indicadores em 31/12/2011,
obtidos conforme regulamentação
em vigor:
Consolidado
Econômico-Financeiro (2)
Consolidado
Operacional (1)
Patrimônio de Referência (3)
92.560.637
93.111.393
16,0%
16,4%
Nível I
12,3%
12,6%
Nível II
3,7%
3,8%
Índice de Basileia
Índice de Imobilização (4)
Folga de Imobilização
48,6%
14,4%
1.272.305
33.148.373
(1)Demonstrações contábeis consolidadas contendo somente as empresas financeiras;
(2)Demonstrações contábeis consolidadas abrangendo todas as empresas controladas, diretas e indiretas, inclusive de seguros, de previdência, de capitalização e demais empresas não
financeiras, conforme o disposto na Resolução n. 2.723 do CMN, de 01/06/2000, com as alterações estabelecidas pela Resolução n. 2.743 do CMN, de 28/06/2000.
(3)O CMN, através da Resolução nº 3.444, de 28/02/2007, define o Patrimônio de Referência (PR), para fins de apuração dos limites operacionais, como o somatório de dois níveis, a exemplo da
experiência internacional, Nível I e II, cada qual composto por itens integrantes do Patrimônio Líquido, além de dívidas subordinadas e instrumentos híbridos de capital e dívida.
(4)A diferença entre o Índice de Imobilização do Consolidado Operacional e do Econômico-Financeiro decorre da inclusão de empresas controladas não financeiras que dispõem de elevada
liquidez e baixo nível de imobilização, com conseqüente redução do índice de imobilização do Consolidado Econômico-Financeiro e possibilitando quando necessário, distribuição de
recursos para as empresas financeiras.
Em 13/01/2012 o Banco Central do
Brasil, aprovou para compor o Nível II do
Patrimônio de Referência, emissões de
dívida subordinada, que representam, o
montante de R$ 198.000. Também encontra-se em processo
de aprovação, para compor o Nível II,
emissões de divída subordinada, que
representam, em 31/12/2011, o montante
de R$ 108.400. Caso as emissões fossem
consideradas, os índices seriam afetados
em 0,05%. A Administração julga adequado o atual
nível do índice de Basileia (16,0% com
base no Consolidado Operacional),
levando em consideração que:
a) Supera em 5,0 pontos percentuais
o mínimo exigido pelas autoridades
(11,0%); e
b) Considerando os demais
valores de realização dos ativos
(Nota 18), o montante de
provisionamentos adicionais
ao mínimo requerido (Nota 8c)
e os créditos tributários não
contabilizados (Nota 14b IV), o
índice passaria a ser de 17,0%.
A Resolução nº 3.490 de
29/08/2007 do CMN dispõe
sobre os critérios de apuração do
Patrimônio de Referência Exigido
(PRE). Para os cálculos das parcelas
de risco, foram observados
os procedimentos da Circular
nº 3.360, de 12/09/2007 para
risco de crédito, das Circulares
nºs 3.361, 3.362, 3.363, 3.364,
3.366 e 3.368, de 12/09/2007,
nº 3.388, de 04/06/2008, nº
3.389, de 25/06/2008, nº 3.498,
de 28/06/2010 e nº 3.568, de
21/12/2011 e das Cartas-Circulares
nºs 3.309 e 3.310, de 15/04/2008
para risco de mercado, e das
Circulares nº 3.383, de 30/04/2008
e 3.476, de 28/12/2009 e das
Cartas-Circulares nºs 3.315 e
3.316, de 30/04/2008 para risco
operacional. Para a parcela
de risco operacional, o ITAÚ
UNIBANCO HOLDING optou
pela utilização da Abordagem
Padronizada Alternativa.
A Circular nº 3.568, de 21 de
dezembro de 2011, altera dispositivos
das mencionadas Circulares nºs 3.361,
de 12/09/2007, 3.388, de 04/06/2008,
3.389, de 25/06/2008, 3.478, de
24/12/2009, e 3.498, de 28/06/2010
que estabelecem os procedimentos
para o cálculo das parcelas referentes
ao risco de mercado. A implantação
das novas sistemáticas de cálculo
será gradual, a partir de 01/01/2012,
sendo que a partir de 31/12/2012
passam a ser adotadas na íntegra. Caso as novas regras já estivessem
em vigor, os índices seriam reduzidos
em cerca de 0,7%.
51
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
O Patrimônio de Referência utilizado para
o cálculo dos índices e a composição das
exposições ao risco em 31/12/2011 estão
demonstrados abaixo:
Consolidado
Operacional
Patrimônio Líquido Itaú Unibanco Holding S.A. (Consolidado)
Participações Minoritárias nas Subsidiárias
Patrimônio Líquido Consolidado (BACEN)
Créditos Tributários Excluídos do Nível I
Ativo Permanente Diferido Excluído do Nível I
Ajustes ao Vr de Mercado - TVM e Instr. Fin. Derivativos Excluídos do Nível I
Ações Preferenciais com Cláusula de Resgate Excluídas do Nível I
Nível I
Dívidas Subordinadas
Ações Preferenciais com Cláusula de Resgate
Ajustes ao Valor de Mercado - TVM e Instrumentos Financeiros Derivativos
Nível II
Nível I + Nível II
Exclusões:
Instrumentos de Captação Emitidos por Instituições Financeiras
Patrimônio de Referência
Consolidado
Econômico-Financeiro
71.347.333
1.181.081
72.528.414
(581.319)
(294.295)
139.142
(740.703)
71.051.239
21.258.638
444.422
(139.142)
21.563.918
92.615.157
71.347.333
1.741.227
73.088.560
(589.591)
(295.413)
138.637
(740.703)
71.601.490
21.258.638
444.422
(138.637)
21.564.423
93.165.913
(54.520)
92.560.637
(54.520)
93.111.393
Exposições ao Risco:
Exposição Ponderada pelo Risco de Crédito (EPR)
Parcela exigida para cobertura do risco de crédito (PEPR)
a) Por Fator de Ponderação (FPR):
FPR de 20%
FPR de 35%
FPR de 50%
FPR de 75%
FPR de 100%
FPR de 150%
FPR de 300%
Derivativos - Ganho Potencial Futuro
b) Por Tipo:
Títulos e Valores Mobiliários
Operações de Crédito - Varejo
Operações de Crédito - Não Varejo
Coobrigações - Varejo
Coobrigações - Não Varejo
Compromissos de Crédito - Varejo
Compromissos de Crédito - Não Varejo
Outras Exposições
Parcela exigida para cobertura do risco Operacional (POPR)
Varejo
Comercial
Finanças Corporativas
Negociação e Vendas
Pagamentos e Liquidações
Serviços de Agente Financeiro
Administração de Ativos
Corretagem de Varejo
Planos de Negócios
Adicional do Conef
Parcelas exigidas para cobertura do risco de Mercado:
Ouro, moeda estrangeira e operações sujeitas à variação cambial (PCAM)
Operações sujeitas à variação de taxas de juros (PJUR)
Prefixadas denominadas em real (PJUR1)
Cupons de moedas estrangeiras (PJUR2)
Cupom de índices de preços (PJUR3)
Cupons de taxas de juros (PJUR4)
Operações sujeitas à variação do preço de commodities (PCOM)
Operações sujeitas à variação do preço de ações (PACS)
Patrimônio de Referência Exigido
Folga em relação ao Patrimônio de Referência Exigido
Exposição Total Ponderada pelo Risco [EPR + (1/0,11 X (POPR + PCAM + PJUR + PCOM + PACS)
Índice (%)
Montante do PR apurado para cobertura do risco de taxa de juros das operações não classificadas
na carteira de negociação (RBAN)
538.077.718
59.188.549
92,9%
523.898.000
57.628.780
92,1%
209.093
164.240
3.467.700
13.989.864
37.980.538
1.568.458
1.381.114
427.542
0,3%
0,3%
5,4%
22,0%
59,6%
2,5%
2,2%
0,7%
348.989
164.236
4.671.607
13.586.910
35.391.982
1.567.586
1.466.628
430.842
0,6%
0,3%
7,5%
21,7%
56,6%
2,5%
2,3%
0,7%
2.539.902
11.167.056
20.141.094
48.931
5.549.824
2.773.876
1.730.308
15.237.558
3.460.219
562.006
920.872
82.110
1.288.706
268.814
128.146
190.583
18.982
1.078.447
967.550
224.290
488.310
169.912
85.038
72.345
38.552
63.727.215
28.833.422
579.338.319
16,0
4,0%
17,5%
31,6%
0,1%
8,7%
4,4%
2,7%
23,9%
5,4%
0,9%
1,4%
0,1%
2,0%
0,4%
0,2%
0,3%
0,0%
0,0%
0,0%
1,7%
0,0%
1,5%
0,4%
0,8%
0,3%
0,1%
0,1%
0,1%
100,0%
45,2%
2.601.475
10.886.302
20.149.975
48.931
5.546.475
2.651.677
1.730.676
14.013.269
3.851.446
562.006
920.872
82.110
1.288.706
268.814
128.146
190.583
18.982
391.227
1.076.014
965.117
224.467
485.700
169.912
85.038
72.345
38.552
62.556.240
30.555.153
568.693.094
16,4
4,2%
17,4%
32,2%
0,1%
8,9%
4,2%
2,8%
22,4%
6,2%
0,9%
1,5%
0,1%
2,1%
0,4%
0,2%
0,3%
0,0%
0,0%
0,6%
1,7%
0,0%
1,5%
0,4%
0,8%
0,3%
0,1%
0,1%
0,1%
100,0%
48,8%
1.382.613
1.604.744
52
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Abaixo demonstramos os efeitos ocorridos
no período, decorrentes de alterações na
legislação ou de variação de saldos:
Consolidado Operacional
Evolução do Índice de Basileia
Índice em 31/12/2010
Resultado do Período
Juros sobre o Capital Próprio e Dividendos
Outorga de Opções Reconhecidas
Outorga de Opções de Ações - Opções Exercidas no Período
Ajustes de Avaliação Patrimonial
Dívidas Subordinadas e Ações Preferenciais Resgatáveis
Ações em Tesouraria
Ativos Diferidos Excluídos do Nível I do PR
Outras Variações no PR
Variações na Exposição ao Risco
Índice em 31/12/2011
b) Capital para a Atividade de Seguros
O CNSP – Conselho Nacional de Seguros
Privados, acompanhando a tendência
mundial de fortalecimento do mercado
segurador, divulgou a resolução CNSP
nº 227 de 06/12/2010 (que revogou
as Resoluções nºs 178 de 28/12/2007
e 200 de 16/12/2008), e a circular nº
411 de 22/12/2010. Os normativos
dispõem sobre as regras de capital
regulamentar exigido para autorização
e funcionamento das sociedades
seguradoras e previdência e as regras
de alocação de capital provenientes
do risco de subscrição para os diversos
ramos de seguros. Em janeiro de 2011
entrou em vigor a Resolução CNSP nº
228 de 6/12/2010, que dispõe sobre os
critérios de estabelecimento do capital
adicional baseado no risco de crédito das
sociedades supervisionadas.
O Patrimônio Líquido Ajustado
(PLA) das empresas do ITAÚ
UNIBANCO HOLDING, que participam
exclusivamente de atividades de
seguros e previdência é superior
ao capital regulamentar exigido
em R$ 1.774.567 (R$ 1.436.753
em 31/12/2010) na Itaú Seguros
S.A. e R$ 1.498.723 (R$ 1.198.724
em 31/12/2010) na Itaú Vida e
Previdência S.A.
Consolidado Econômico-Financeiro
Patrimônio
de Referência
Exposição
Ponderada
Efeito
Patrimônio
de Referência
Exposição
Ponderada
Efeito
78.670.791
14.668.577
(3.208.723)
162.663
353.036
(156.270)
3.068.398
(1.302.638)
(92.008)
396.811
- 92.560.637
497.468.330
- - - - - - - (92.008)
- 81.961.997
579.338.319
15,8%
3,0%
(0,7%)
0,0%
0,1%
0,0%
0,6%
(0,3%)
0,0%
0,1%
(2,6%)
16,0%
80.718.514
15.398.096
(3.208.723)
162.663
353.036
(156.270)
3.068.398
(1.302.638)
(94.328)
(1.827.355)
- 93.111.393
522.952.010
- - - - - - - (94.328)
- 45.835.412
568.693.094
15,4%
2,9%
(0,6%)
0,0%
0,1%
0,0%
0,6%
(0,3%)
0,0%
(0,3%)
(1,4%)
16,4%
NOTA 4 RESUMO DAS
PRINCIPAIS PRÁTICAS
CONTÁBEIS
a) Caixa e Equivalentes de Caixa – Para
fins da Demonstração Consolidada dos
Fluxos de Caixa, incluem caixa e contas
correntes em bancos (considerados na
rubrica Disponibilidades), Aplicações
em Depósitos Interfinanceiros
e Aplicações em Operações
Compromissadas – Posição Bancada
com prazo original igual ou inferior a
90 dias.
b) Aplicações Interfinanceiras de
Liquidez, Créditos Vinculados no
BACEN Remunerados, Depósitos
Remunerados, Captações no
Mercado Aberto, Recursos de
Aceites e Emissão de Títulos,
Obrigações por Empréstimos e
Repasses, Dívidas Subordinadas
e Demais Operações Ativas
e Passivas – As operações com
cláusula de atualização monetária/
cambial e as operações com encargos
prefixados estão registradas a valor
presente, líquidas dos custos de
transação incorridos, calculadas “pro
rata die” com base na taxa efetiva
das operações, de acordo com a
Deliberação nº 649, de 16/12/2010, .
da CVM. c) Títulos e Valores Mobiliários –
Registrados pelo custo de aquisição
atualizado pelo indexador e/ou taxa
de juros efetiva e apresentados no
Balanço Patrimonial conforme a
Circular nº 3.068, de 08/11/2001, do
BACEN. São classificados nas seguintes
categorias:
• Títulos para Negociação - Títulos
e valores mobiliários adquiridos
com o propósito de serem ativa
e frequentemente negociados,
avaliados pelo valor de mercado
em contrapartida ao resultado do
período;
• Títulos Disponíveis para Venda
- Títulos e valores mobiliários
que poderão ser negociados,
porém não são adquiridos com
o propósito de serem ativa e
frequentemente negociados,
avaliados pelo valor de mercado
em contrapartida à conta
destacada do patrimônio líquido;
• Títulos Mantidos até o Vencimento Títulos e valores mobiliários, exceto
ações não resgatáveis, para os quais
haja intenção ou obrigatoriedade e
capacidade financeira da instituição
para sua manutenção em carteira
até o vencimento, registrados
53
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
pelo custo de aquisição ou pelo
valor de mercado quando da
transferência de outra categoria. Os
títulos são atualizados até a data de
vencimento, não sendo avaliados
pelo valor de mercado.
Os ganhos e perdas de títulos
disponíveis para venda, quando
realizados, serão reconhecidos na data
de negociação na demonstração do
resultado, em contrapartida de conta
específica do patrimônio líquido.
Os declínios no valor de mercado
dos títulos e valores mobiliários
disponíveis para venda e dos mantidos
até o vencimento, abaixo dos seus
respectivos custos atualizados,
relacionados a razões consideradas
não temporárias, serão refletidos no
resultado como perdas realizadas.
d) Instrumentos Financeiros
Derivativos – São classificados, na
data de sua aquisição, de acordo com a
intenção da administração em utilizálos como instrumento de proteção
(hedge) ou não, conforme a Circular nº
3.082, de 30/01/2002, do BACEN. As
operações que utilizam instrumentos
financeiros, efetuadas por solicitação
de clientes, por conta própria, ou que
não atendam aos critérios de proteção
(principalmente derivativos utilizados
para administrar a exposição global
de risco), são contabilizadas pelo
valor de mercado, com os ganhos e
as perdas realizados e não realizados,
reconhecidos diretamente na
demonstração do resultado.
Os derivativos utilizados para
proteger exposições a risco ou para
modificar as características de ativos
e passivos financeiros que sejam
altamente correlacionados no que
se refere às alterações no seu valor
de mercado em relação ao valor de
mercado do item que estiver sendo
protegido, tanto no início quanto
ao longo da vida do contrato e
considerado efetivo na redução do
risco associado à exposição a ser
protegida, são classificados como
hedge de acordo com sua natureza:
• Hedge de Risco de Mercado – Os ativos
e passivos financeiros, bem como os
respectivos instrumentos financeiros
relacionados, são contabilizados pelo
valor de mercado com os ganhos e
as perdas realizados e não realizados,
reconhecidos diretamente na
demonstração do resultado;
• Hedge de Fluxo de Caixa – A parcela
efetiva de hedge dos ativos e
passivos financeiros, bem como os
respectivos instrumentos financeiros
relacionados, são contabilizados pelo
valor de mercado com os ganhos e
as perdas realizados e não realizados,
deduzidos quando aplicável, dos
efeitos tributários, reconhecidos
em conta específica do patrimônio
líquido. A parcela não efetiva do
hedge é reconhecida diretamente na
demonstração do resultado.
e) Operações de Crédito, de
Arrendamento Mercantil Financeiro
e Outros Créditos (Operações
com Característica de Concessão
de Crédito) – Registradas a valor
presente, calculadas “pro rata die”
com base na variação do indexador
e na taxa de juros pactuados,
sendo atualizadas accrual até o
60º dia de atraso nas empresas
financeiras, observada a expectativa
do recebimento. Após o 60º dia, o
reconhecimento no resultado ocorre
quando do efetivo recebimento
das prestações. Nas Operações com
Cartões de Crédito estão incluídos
os valores a receber, decorrentes
de compras efetuadas pelos seus
titulares. Os recursos correspondentes
a esses valores estão registrados
em Outras Obrigações – Operações
com Cartões de Crédito, que incluem
adicionalmente recursos derivados de
outros créditos relativos a operações
com emissores de cartão de crédito.
f) Provisão para Créditos de Liquidação
Duvidosa – Constituída com base na
análise dos riscos de realização dos
créditos, em montante considerado
suficiente para cobertura de
eventuais perdas atendidas às normas
estabelecidas pela Resolução nº 2.682,
Itaú Unibanco Holding S.A.
de 21/12/1999, do CMN, dentre as
quais se destacam:
• As provisões são constituídas a partir
da concessão do crédito, baseadas
na classificação de risco do cliente,
em função da análise periódica da
qualidade do cliente e dos setores de
atividade e não apenas quando da
ocorrência de inadimplência;
• Considerando-se exclusivamente a
inadimplência, as baixas de operações
de crédito contra prejuízo write-offs
devem ser efetuadas após 360 dias do
vencimento do crédito ou após 540
dias, para as operações com prazo a
decorrer superior a 36 meses. g) Outros Valores e Bens – Compostos
basicamente por Bens Não Destinados
a Uso, correspondentes a imóveis
disponíveis para venda, próprios
desativados e recebidos em dação de
pagamento, os quais são ajustados
a valor de mercado através da
constituição de provisão, de acordo
com as normas vigentes; Prêmios
não Ganhos de Resseguros (Nota
4n I); e Despesas Antecipadas,
correspondentes a aplicações de
recursos cujos benefícios decorrentes
ocorrerão em exercícios futuros.
h) Investimentos – Em controladas
e coligadas estão avaliados pelo
método de equivalência patrimonial,
sendo as demonstrações contábeis
das agências e subsidiárias no
exterior, consolidadas, adaptadas aos
critérios contábeis vigentes no Brasil
e convertidas para reais. Os demais
estão registrados pelo valor de custo,
e são ajustados a valor de mercado
através da constituição de provisão, de
acordo com as normas vigentes.
i) Imobilizado de Uso – Demonstrado
ao custo de aquisição ou construção,
menos depreciação acumulada,
ajustado ao valor de mercado até
31/12/2007, quando aplicável, para
os imóveis relacionados às operações
de seguros, previdência privada
e capitalização, por reavaliação
suportada por laudos técnicos. 54
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Corresponde aos direitos que
tenham por objeto bens corpóreos
destinados à manutenção das
atividades da companhia ou exercidos
com essa finalidade, inclusive os
bens decorrentes de operações que
transfiram à companhia os benefícios,
riscos e controles desses bens. Os
bens adquiridos em contratos de
Arrendamento Mercantil Financeiro
são registrados de acordo com a
Deliberação n° 554, de 12/11/2008, da
CVM, em contrapartida a Obrigações de
Leasing Financeiro. As depreciações são
calculadas pelo método linear, sobre o
custo corrigido. j) Arrendamento Mercantil
Operacional – Os bens arrendados são
demonstrados ao custo de aquisição
menos depreciação acumulada. A
depreciação dos bens arrendados é
reconhecida pelo método linear no
prazo de vida útil usual, considerando
uma redução de 30% na vida útil do
bem, se enquadrada nas condições
previstas na Portaria nº 113, de
26/02/1988, do Ministério da Fazenda. Os valores a receber são registrados
em arrendamentos a receber pelo
valor contratual, em contrapartida
às contas retificadoras de rendas a
apropriar. A apropriação em resultado
ocorrerá na data da exigibilidade da
contraprestação.
k) Ágio – Corresponde ao valor excedente
pago na aquisição de investimentos
decorrente da expectativa de
rentabilidade futura. Não possui prazo
de vida útil definida e são submetidos
anualmente ao teste de redução ao
valor recuperável de ativos.
l) Intangível – Corresponde aos direitos
adquiridos que tenham por objeto bens
incorpóreos destinados à manutenção
da entidade ou exercidos com essa
finalidade, de acordo com a Resolução
nº 3.642, de 26/11/2008, do CMN. Está
composto por direitos na aquisição de
folhas de pagamento e contratos de
associações, amortizados de acordo com
os prazos dos contratos, e softwares e
carteiras de clientes, amortizados em
prazos de cinco a dez anos.
m)Redução ao Valor Recuperável de
Ativos – Uma perda é reconhecida
caso existam evidências claras de que
os ativos estão avaliados por valor
não recuperável. Este procedimento é
realizado semestralmente.
n) Operações de Seguros, Previdência
e Capitalização – Os prêmios
de seguros, cosseguros aceitos e
despesas de comercialização são
contabilizados de acordo com o prazo
de vigência do seguro, por meio de
constituição e reversão da provisão
de prêmios não ganhos e despesas
de comercialização diferidas. Os juros
decorrentes do fracionamento de
prêmios de seguros são contabilizados
quando incorridos. As receitas de
contribuições previdenciárias, a receita
bruta com títulos de capitalização e
as correspondentes constituições das
provisões técnicas são reconhecidas
por ocasião do recebimento. I -Créditos de Operações e Outros
Valores e Bens relativos as
Operações de Seguros e Resseguros:
• Prêmios a Receber de Seguros –
Referem-se às parcelas de prêmios
de seguros a receber vincendas
e vencidas de acordo com as
apólices de seguros emitidas;
• Valores a Recuperar de Resseguro
– Referem-se aos sinistros pagos
ao segurado pendentes de
recuperação do Ressegurador, as
parcelas de sinistros a liquidar e
os sinistros ocorridos, mas, não
avisados - IBNR de resseguro,
classificados no ativo de acordo
com os critérios estabelecidos pela
Resolução nº 162, de 26/12/2006,
do CNSP e alterações promovidas
pela Resolução nº 195, de
16/12/2008, do CNSP, e Circular nº
379, de 19/12/2008, da SUSEP;
• Prêmios não Ganhos de
Resseguros – Constituída para
apurar a parcela de prêmios não
ganhos de resseguro, calculado
pro-rata-die, e para riscos não
emitidos calculados por estimativa,
Itaú Unibanco Holding S.A.
conforme estudo técnico atuarial
e de acordo com os critérios
estabelecidos pela Resolução
nº 162, de 26/12/2006, do CNSP
e alterações promovidas pela
Resolução nº 195, de 16/12/2008,
do CNSP, e Circular nº 379, de
19/12/2008, da SUSEP.
II - Provisões Técnicas de Seguros,
Previdência Complementar
e Capitalização – As provisões
técnicas são calculadas de acordo
com as notas técnicas aprovadas
pela SUSEP e com os critérios
estabelecidos pela Resolução nº 162,
de 26/12/2006, do CNSP e alterações
promovidas pelas Resoluções nº
181, de 19/12/2007, e nº 195, de
16/12/2008 do CNSP.
II.I -Seguros:
• Provisão de Prêmios não Ganhos
(PPNG) – Constituída com base
nos prêmios emitidos, pelo
regime de competência diária, e
representa a parcela do prêmio
correspondente ao período do
risco ainda não decorrido. A
Provisão de Prêmios Não Ganhos
para os Riscos Vigentes Mas
Não Emitidos é constituída com
base em nota técnica atuarial
e tem como objetivo estimar a
parcela de prêmios não ganhos
referentes aos riscos assumidos
pelas seguradoras e que estão
em processo de emissão;
• Provisão de Insuficiência de
Prêmios – Constituída, de acordo
com Nota Técnica Atuarial, se
for constatada insuficiência de
Prêmios;
• Provisão de Sinistros a Liquidar
– Constituída com base nas
notificações de sinistros, em
valor suficiente para fazer face
aos compromissos futuros,
em discussões judiciais,
onde o valor é determinado
por peritos reguladores e
assessores jurídicos que efetuam
as avaliações com base na
55
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
importância segurada e nas
regulações técnicas, levando-se
em conta a probabilidade de
resultado desfavorável para a
Seguradora;
• Provisão de Sinistros Ocorridos,
mas Não Avisados – IBNR –
Constituída em função do
montante esperado de sinistros
ocorridos em riscos assumidos
na carteira e não avisados. • Outras Provisões – Constituída
basicamente pela provisão
técnica da modalidade extensão
de garantia do seguro garantia
estendida e o cálculo é efetuado
durante o prazo compreendido
entre a data de início de vigência
do contrato e a data de início da
cobertura do risco, sendo que o
valor a ser constituído deverá ser
igual ao prêmio comercial retido.
.
Itaú Unibanco Holding S.A.
contemplar a estimativa para
os riscos vigentes, mas não
expirados;
de sua recuperação por
recebimento ou compensação
com outro exigível;
• Provisão de Eventos Ocorridos
• Passivos Contingentes – Decorrem
Mas Não Avisados – IBNR –
Constituída em função do
montante esperado de eventos
ocorridos mas não avisados;
basicamente de processos
judiciais e administrativos,
inerentes ao curso normal dos
negócios, movidos por terceiros,
ex-funcionários e órgãos públicos,
em ações cíveis, trabalhistas, de
natureza fiscal e previdenciária e
outros riscos. Essas contingências,
coerentes com práticas
conservadoras adotadas, são
avaliadas por assessores legais
e levam em consideração a
probabilidade que recursos
financeiros sejam exigidos para
liquidar as obrigações e que o
montante das obrigações possa
ser estimado com suficiente
segurança. As contingências são
classificadas como prováveis,
para as quais são constituídas
provisões; possíveis, que somente
são divulgadas sem que sejam
provisionadas; e remotas, que não
requerem provisão e divulgação. Os valores das contingências
são quantificados utilizando-se
modelos e critérios que permitam
a sua mensuração de forma
adequada, apesar da incerteza
inerente ao prazo e valor.
• Provisão de Excedente
Financeiro – Constituída pela
diferença entre pagamentos
atualizados diariamente pela
Carteira de Investimentos com o
fundo acumulado constituído;
II.III -Capitalização:
• Provisão Matemática para
Resgates – Representa a parcela
de títulos de capitalização
recebidos a serem resgatados;
• Provisão para Contingências de
II.II -Previdência Complementar e
Seguro de Vida com Cobertura
de Sobrevivência – As provisões
matemáticas representam
os valores das obrigações
assumidas sob forma de seguros
de Sobrevivência, Planos de
Aposentadoria, Invalidez, Pensão e
Pecúlio e são calculadas segundo
o regime financeiro previsto
contratualmente.
• Provisões Matemáticas de
Benefícios a Conceder e de
Benefícios Concedidos –
Correspondem, respectivamente,
aos compromissos assumidos
com participantes, cuja
percepção dos benefícios ainda
não se iniciou e àqueles em gozo
de benefícios;
• Provisão de Insuficiência de
Contribuição – Constituída
quando constatada
atuariamente a insuficiência de
prêmios ou contribuições. • Provisão de Riscos Não
Expirados – Constituída para
Sorteios – Constituída de acordo
com a metodologia prevista
em Nota Técnica Atuarial para
cobertura da provisão de
sorteio a realizar em eventual
insuficiência de recursos. o) Ativos e Passivos Contingentes
e Obrigações Legais – Fiscais e
Previdenciárias – São avaliados,
reconhecidos e divulgados de acordo
com as determinações estabelecidas
na Resolução nº 3.823, de 16/12/2009,
do CMN e Carta Circular nº 3.429, de
11/02/2010 do BACEN.
I -Ativos e Passivos Contingentes
Referem-se a direitos e obrigações
potenciais decorrentes de eventos
passados e cuja ocorrência
depende de eventos futuros.
Os Depósitos Judiciais em
Garantia correspondentes são
atualizados de acordo com a
regulamentação vigente.
Contingências garantidas por cláusulas
de indenização em processos de
privatização e outros e com liquidez são
reconhecidas quando da notificação
judicial, sendo reconhecidos
simultaneamente os valores a receber,
não gerando efeito no resultado.
• Ativos Contingentes – Não são
reconhecidos, exceto quando
da existência de evidências que
assegurem elevado grau de
confiabilidade de realização,
usualmente representado pelo
trânsito em julgado da ação e
pela confirmação da capacidade
II -Obrigações Legais – Fiscais e
Previdenciárias
Representadas por exigíveis
relativos às obrigações
tributárias, cuja legalidade
ou constitucionalidade é
56
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
objeto de contestação judicial,
constituídas pelo valor integral
em discussão.
Os Exigíveis e os Depósitos
Judiciais correspondentes são
atualizados de acordo com a
regulamentação vigente.
p) Tributos – Calculados às alíquotas
abaixo demonstradas, consideram,
para efeito das respectivas bases de
cálculo, a legislação vigente pertinente
a cada encargo.
Imposto de Renda
15,00%
Adicional de Imposto de Renda
10,00%
Contribuição Social (1)
15,00%
PIS (2)
0,65%
COFINS (2)
4,00%
ISS
até 5,00%
(1)Para o ITAÚ UNIBANCO HOLDING e suas controladas financeiras e equiparadas, a alíquota corresponde a 15%. Para as controladas não financeiras e de previdência privada a alíquota é de 9%.
(2)Para as controladas não financeiras que se enquadram no regime de apuração não cumulativo, a alíquota do PIS é de 1,65% e da COFINS é de 7,6%.
As alterações introduzidas pela
Lei nº 11.638 e pela Lei nº 11.941
(artigos 37 e 38) que modificaram
o critério de reconhecimento
de receitas, custos e despesas
computadas na apuração do lucro
líquido do exercício não tiveram
efeitos para fins de apuração do
lucro real da pessoa jurídica optante
pelo Regime Tributário de Transição
(RTT), sendo utilizadas, para fins
tributários, as normas vigentes em
31/12/2007. Os efeitos tributários da
adoção das referidas normas estão
registrados, para fins contábeis,
nos ativos e passivos diferidos
correspondentes.
q) Resultados de Exercícios
Futuros – Referem-se; (i) às rendas
recebidas antes do cumprimento
do prazo da obrigação que lhes
deu origem, sobre as quais não
haja quaisquer perspectivas de
exigibilidade e cuja apropriação,
como renda efetiva, depende
apenas da fluência do prazo e
(ii) deságios na aquisição de
investimentos, não absorvidos no
processo de consolidação.
NOTA 5 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA
Para fins da Demonstração dos Fluxos de
Caixa, o valor de Caixa e Equivalentes de
Caixa para o ITAÚ UNIBANCO HOLDING
CONSOLIDADO é composto por:
Para o ITAÚ UNIBANCO HOLDING é composto por:
31/12/2011
31/12/2010
Disponibilidades
10.633.082
10.096.540
Aplicações em Depósitos Interfinanceiros
18.921.241
7.639.279
8.062.572
21.278.449
37.616.895
39.014.268
Aplicações em Operações Compromissadas Posição Bancada
TOTAL
31/12/2011
31/12/2010
7.833
1.940
Aplicações em Operações Compromissadas Posição Bancada
454.176
192.959
TOTAL
462.009
194.899
Disponibilidades
57
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
NOTA 6 APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE LIQUIDEZ
31/12/2011
Aplicações no Mercado Aberto
0 - 30
31 - 180
181 - 365
46.014.191
39.415.468
15.877
31/12/2010
Acima de 365
6
Total
%
Total
%
85.445.542
73,6
68.177.933
78,9
Posição Bancada (*)
22.110.380
10.538.334
15.877
5
32.664.596
28,1
33.443.634
38,7
Posição Financiada
22.851.550
14.012.549
- 1
36.864.100
31,8
25.839.519
29,9
Com Livre Movimentação
1.398.159
14.005.964
- - 15.404.123
13,3
10.744.809
12,4
Sem Livre Movimentação
21.453.391
6.585
- 1
21.459.977
18,5
15.094.710
17,5
1.052.261
14.864.585
- - 15.916.846
13,7
8.894.780
10,3
2.513.685
120.268
182.060
-
2.816.013
2,4
3.345.937
3,9
24,0
14.834.851
17,2
Posição Vendida
Aplicações no Mercado Aberto - Recursos
Garantidores das Provisões Técnicas - SUSEP
Aplicações em Depósitos Interfinanceiros
18.910.835
3.225.465
3.247.300
2.436.834
27.820.434
TOTAL
67.438.711
42.761.201
3.445.237
2.436.840
116.081.989
58,1
36,8
3,0
2,1
49.643.856
32.271.481
3.746.677
696.707
57,5
37,4
4,3
0,8
% por prazo de vencimento
TOTAL - 31/12/2010
% por prazo de vencimento
86.358.721
86.358.721
(*)Inclui R$ 7.226.864 (R$ 8.670.170 em 31/12/2010) referentes a Aplicação no Mercado Aberto com livre movimentação, cujos títulos estão vinculados à garantia de operações na BM&F Bovespa
S.A. - Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&F Bovespa) e BACEN.
No ITAÚ UNIBANCO HOLDING a Carteira
é composta por Aplicação no Mercado
Aberto - Posição Bancada com vencimento
até 30 dias no montante de R$ 454.176
(R$ 192.959 em 31/12/2010), Aplicação
em Depósitos Interfinanceiros de 181 a
365 dias de R$ 25.848.206 e acima de 365
dias de R$ 5.794.144 (R$ 14.176.842 em
31/12/2010).
58
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
NOTA 7 TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS
FINANCEIROS DERIVATIVOS (ATIVOS E PASSIVOS)
Apresentamos a seguir a composição por tipo de papel, prazo de vencimento e tipo de
carteira dos Títulos e Valores Mobiliários e de Instrumentos Financeiros Derivativos, já
ajustados aos respectivos valores de mercado.
a) Resumo por Vencimento
31/12/2011
Custo
TÍTULOS PÚBLICOS - BRASIL
Letras Financeiras do Tesouro
Letras do Tesouro Nacional
Notas do Tesouro Nacional
Tesouro Nacional/Securitização
Títulos da Dívida Externa Brasileira
Aplicações em Fundos não Exclusivos
Outros
TÍTULOS PÚBLICOS - OUTROS PAÍSES
Argentina
Banco Central
Tesouro Nacional
Rússia
Dinamarca
Espanha
Coreia
Chile
Paraguai
Uruguai
Estados Unidos
México
Outros
TÍTULOS DE EMPRESAS
Euro Bonds e Assemelhados
Certificados de Depósito Bancário
Ações
Debêntures
Notas Promissórias
Cotas de Fundos
Renda Fixa
Direitos Creditórios
Renda Variável
Certificados de Recebíveis Imobiliários Letras Financeiras
Outros
COTAS DE FUNDOS DE PGBL/VGBL (1)
SUBTOTAL - TÍTULOS E VALORES
MOBILIÁRIOS
Títulos para Negociação
Títulos Disponíveis para Venda
Títulos Mantidos até o Vencimento (2)
INSTRUMENTOS FINANCEIROS
DERIVATIVOS
TOTAL DE TÍTULOS E VALORES
MOBILIÁRIOS E INSTRUMENTOS
FINANCEIROS DERIVATIVOS (ATIVO)
Provisão para Ajustes
ao Valor de Mercado
Valor de
refletida no:
Mercado
Patrimônio
Resultado
Líquido
%
0 - 30
366.437 83.719.499 44,6 2.053.572
(474) 31.125.650 16,6
- (12.650) 17.487.223 9,3
- 146.965 27.540.593 14,7 1.705.740
(5.709)
294.891 0,2
- 238.245
7.196.278 3,8
273.703
- 74.129
0
74.129
60
735
0
- (9.375) 5.120.107 2,8 1.231.468
- 224.908 0,1
11.685
- 2.958
0
- - 221.950 0,1
11.685
- - - - 1
1.949.129
1
171.778
- 418.365 0,2
418.365
- 295.012 0,2
- 3.226
1.045.709 0,6
358.514
(13.885)
344.029 0,2
225.220
294
295.437 0,2
7.294
- 292.243 0,2
1.876
926
215.481 0,1
222
63
39.794
0
36.514
361.537 31.760.715 16,9 5.190.163
84.149
5.134.976 2,9
94.339
301
1.360.061 0,7
25.026
(6.230)
2.842.820 1,5 2.842.820
70.918
8.673.228 4,6
121.507
34
936.120 0,5
52.863
3.553
2.021.337
1 2.017.226
(29)
806.045 0,4
801.934
- 971.739 0,5
971.739
3.582
243.553 0,1
243.553
208.421
8.045.952 4,3
36.382
- 2.475.123 1,3
- 391
271.098 0,1
- - 57.733.857 30,7 57.733.857
de
31 - 90 91 - 180 181 - 365 366 - 720 Acima
720 dias
44.810
(2.286)
(26.296)
26.692
500
46.200
- - 15.198
(1.013)
(86)
(927)
- - - - 134
- 76
11.936
4.050
15
(33.310)
(15.002)
- (34.261)
1.419
- 13.111
(2.396)
- 15.507
1.423
- - -
177.588.881
26.698
718.599 178.334.178 94,9 66.209.060 4.014.243 2.207.166 16.907.396 18.288.284 70.708.029 178.255.226
129.672.459
44.811.452
3.104.970
26.698
- - - 129.699.157 69 61.964.079 1.494.000 729.747 13.106.274
718.599 45.530.051 24,2 4.158.361 2.520.007 1.477.419 3.768.370
- 3.104.970 1,7
86.620
236
- 32.752
8.901.667
644.579
186.490.548
671.277
-
9.546.246
5,1
(5.504.488)
(1.272.690)
1.386.139 238.465 14.049.096 13.251.705 52.740.522
1.343.990
- 2.829.362 2.921.306 24.030.992
- 215.650 9.938.575 2.943.468 4.389.530
11.569
17.290 1.271.943 7.200.693 17.333.358
15.047
4.801
3.538
5.382
266.123
15.533
724
5.396
180.403 6.720.519
- - - - - - - 282
453
- 2.034.882 844.388
302.400
105.373
601.596
105.779
48.976
36.937
259
21.272
- - 63
- 2.895
105.779
48.976
36.874
259
18.377
- - - - - 1.432.545 344.806
- - - - - - - - 85.990
- 209.022
- - 266.247 360.255
3.412
10.578
46.703
42.155
2.046
20.943
25.311
28.354
99.971
88.305
32.086
67.069
712
2.195
- - - 288.172
- - - 1
215.258
- - - 2.155
1.125
593.222 1.124.313 2.555.900 4.931.206 17.365.911
201.881 184.664
711.356
956.487 2.986.249
82.478 384.041
538.128
170.147
160.241
- - - - - - 107.846
576.063 1.438.215 6.429.597
115.687 297.752
469.818
- - - - - - 4.111
- - - - 4.111
- - - - - - - - - - 91.206 150.010
244.948
704.480 6.818.926
- - - 1.656.517
818.606
101.970
- 15.587
5.360
148.181
-
Valor de
Mercado
83.308.252
31.128.410
17.526.169
27.366.936
300.100
6.911.833
74.129
675
5.114.284
225.921
3.044
222.877
- 1.949.128
418.365
295.012
1.042.349
357.914
295.067
280.307
210.505
39.716
31.432.488
5.065.829
1.359.760
2.883.311
8.600.891
936.086
2.004.673
808.470
971.739
224.464
7.836.108
2.475.123
270.707
57.733.857
2.265.686 1.571.716
645.290
1.478.856
9.167.851 43.237.206
8.926.463 24.679.431
193.970 2.791.392
982.578
2.602.120
87.283.337
24.966.475
30.687.390
25.586.072
324.355
5.610.718
67.860
40.467
13.927.681
292.919
85.546
207.373
44.795
2.013.719
734.316
236.163
701.817
256.673
224.557
9.393.996
28.726
- 30.993.460
5.425.849
3.009.878
3.887.130
8.020.371
1.264.832
1.786.805
640.029
882.290
264.486
7.586.379
- 12.216
46.050.748
133.215.733
41.869.537
3.169.956
8.307.189
718.599 187.880.424 100 68.474.746 5.585.959 2.852.456 18.386.252 19.270.862 73.310.149 186.562.415
23,7%
INSTRUMENTOS FINANCEIROS
DERIVATIVOS (PASSIVO)
31/12/2010
16,5%
6,8%
15,5%
(30.138) (6.807.316) 100 (1.526.453) (631.313) (619.382) (1.361.951)
10,2%
27,3%
(916.353) (1.751.864)
(5.704.835)
(1) Carteira de títulos dos planos de previdência PGBL e VGBL cuja propriedade e os riscos envolvidos são de clientes, contabilizada como Títulos e Valores Mobiliários - títulos para Negociação, tendo como
contrapartida no passivo, a rúbrica Provisões Técnicas de Previdência, apresentada no Exigivel a Longo Prazo, conforme determina a SUSEP; (2) Ajustes ao mercado positivo não contabilizado de R$ 596.846
(R$ 604.417 em 31/12/2010), conforme Nota 7e.
59
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
b) Resumo por Tipo de Carteira
31/12/2011
Vinculados
Carteira
Própria
TÍTULOS PÚBLICOS - BRASIL
Letras Financeiras do Tesouro
Compromissos Prestação de
de Recompra Garantias (*)
40.873.914
Instrumentos
Recursos
Financeiros Garantidores
Derivativos
(Nota 11b)
Banco
Central
18.619.706
9.296.045
10.120.684
-
4.809.150
Total
83.719.499
7.293.991
8.221.629
5.407.856
9.771.393
- 430.781
31.125.650
Letras do Tesouro Nacional
14.719.930
2.443.146
324.147
- - - 17.487.223
Notas do Tesouro Nacional
15.363.516
3.885.375
3.564.042
349.291
- 4.378.369
27.540.593
294.891
- - - - - 294.891
3.126.722
4.069.556
- - - - 7.196.278
74.129
- - - - - 74.129
Tesouro Nacional/Securitização
Títulos da Dívida Externa Brasileira
Aplicações em Fundos não Exclusivos
Outros
TÍTULOS PÚBLICOS - OUTROS PAÍSES
Argentina
Banco Central
Tesouro Nacional
735
- - - - - 735
3.867.331
93.411
1.136.893
10.071
-
12.401
5.120.107
154.060
70.848
- - - - 224.908
2.958
- - - - - 2.958
151.102
70.848
- - - - 221.950
Dinamarca
893.368
- 1.055.761
- - - 1.949.129
Espanha
418.365
- - - - - 418.365
Coreia
Chile
295.012
- - - - - 295.012
1.008.932
13.184
1.121
10.071
- 12.401
1.045.709
Paraguai
344.029
- - - - - 344.029
Uruguai
217.302
- 78.135
- - - 295.437
Estados Unidos
290.367
- 1.876
- - - 292.243
México
206.102
9.379
- - - - 215.481
Outros
39.794
- - - - - 39.794
24.064.030
2.445.796
295.063
-
-
4.955.826
31.760.715
2.775.819
2.359.157
- - - - 5.134.976
300.701
83.980
9.814
- - 965.566
1.360.061
Ações
2.838.349
2.659
1.812
- - - 2.842.820
Debêntures
7.332.930
- 283.425
- - 1.056.873
8.673.228
669.110
- - - - 267.010
936.120
2.021.337
TÍTULOS DE EMPRESAS
Euro Bonds e Assemelhados
Certificados de Depósito Bancário Notas Promissórias
Cotas de Fundos
1.635.284
- 12
- - 386.041
Renda Fixa
451.218
- 12
- - 354.815
806.045
Direitos Creditórios
940.513
- - - - 31.226
971.739
Renda Variável
243.553
- - - - - 243.553
8.031.823
- - - - 14.129
8.045.952
Letras Financeitas
208.916
- - - - 2.266.207
2.475.123
Outros
271.098
- - - - - 271.098
-
-
-
-
-
57.733.857
57.733.857
Certificados de Recebíveis Imobiliários COTAS DE FUNDOS DE PGBL/VGBL
SUBTOTAL - TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS
68.805.275
21.158.913
10.728.001
10.130.755
-
67.511.234
178.334.178
Títulos para Negociação
36.568.072
12.474.007
7.528.867
9.771.393
- 63.356.818
129.699.157
Títulos Disponíveis para Venda
32.185.450
8.455.392
3.174.304
359.362
- 1.355.543
45.530.051
51.753
229.514
24.830
- - 2.798.873
3.104.970
INSTRUMENTOS FINANCEIROS DERIVATIVOS
-
-
-
-
9.546.246
-
9.546.246
TOTAL DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS
E INSTRUMENTOS FINANCEIROS
DERIVATIVOS (ATIVO)
68.805.275
21.158.913
10.728.001
10.130.755
9.546.246
67.511.234
187.880.424
TOTAL DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS
E INSTRUMENTOS FINANCEIROS
DERIVATIVOS (ATIVO) - 31/12/2010
48.644.585
63.494.185
9.100.234
3.048.179
8.307.189
53.968.043
186.562.415
Títulos Mantidos até o Vencimento
(*) Representam os Títulos Vinculados a processos de Passivos Contingentes (Nota 12b), Bolsas e Câmaras de Liquidação e Custódia.
60
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
c) Títulos para Negociação
Abaixo, composição da carteira de Títulos para Negociação por
tipo de papel, demonstrada pelo seu valor de custo e de mercado
e por prazo de vencimento.
31/12/2011
Ajustes ao
Valor de
Valor de
Mercado (em Mercado
Resultado)
Custo
TÍTULOS PÚBLICOS - BRASIL
%
0 - 30
31/12/2010
31 - 90
91 - 180
181 365
366 720
Valor de
Mercado
62.338.412
44.810
62.383.222
48,1
1.946.247
1.367.422
Letras Financeiras do Tesouro
28.089.132
(2.286)
28.086.846
21,7
- 1.326.358
- 2.501.946
Letras do Tesouro Nacional
13.497.845
(26.296)
13.471.549
10,4
- - 215.650
8.488.716
2.262.241
2.504.942
30.636.039
Notas do Tesouro Nacional
19.592.047
26.692
19.618.739
15,1
1.684.763
11.162
16.950
1.271.290
3.558.134 13.076.440
19.116.382
35.684
500
36.184
0,0
- 15.047
4.801
3.538
5.382
7.416
60.619
1.049.575
46.200
1.095.775
0,8
187.355
14.855
- 5.396
68.448
819.721
666.917
74.129
- 74.129
0,1
74.129
- - - - - 67.860
- - - - - - - - - - 15.476
787.570
15.198
802.768
0,6
32.616
119.461
84.213
36.937
14.655
514.886
9.352.750
225.921
(1.013)
224.908
0,2
11.685
105.779
48.976
36.937
259
21.272
292.578
3.044
(86)
2.958
0,0
- - - 63
- 2.895
85.546
222.877
(927)
221.950
0,2
11.685
105.779
48.976
36.874
259
18.377
207.032
Tesouro Nacional/Securitização
Títulos da Dívida Externa Brasileira
Aplicações em Fundos não Exclusivos
Outros
TÍTULOS PÚBLICOS - OUTROS PAÍSES
Argentina
Banco Central
Tesouro Nacional
Rússia
Chile
Uruguai
237.401 12.270.886
Acima de
720 dias
6.864.777 39.696.489
69.498.510
970.572 23.287.970
18.935.217
- - - - - - - - - - 44.795
50.439
134
50.573
0,0
15.721
10.054
24.749
- 49
- 248.354
27.370
76
27.446
0,0
3.334
1.433
10.488
- 12.191
- 24.007
Estados Unidos
280.307
11.936
292.243
0,2
1.876
2.195
- - - 288.172
8.714.290
México
200.517
4.050
204.567
0,2
- - - - 1
204.566
28.726
Outros
3.016
15
3.031
0,0
- - - - 2.155
876
- 8.812.620
(33.310)
8.779.310
6,8
2.251.359
7.117
408.133
798.451
2.288.419
3.025.831
8.313.726
Euro Bonds e Assemelhados
1.446.433
(15.002)
1.431.431
1,1
377
7.117
3.962
31.379
218.600
1.169.996
1.452.703
Certificados de Depósito Bancário 1.085.299
- 1.085.299
0,8
10.266
- 296.325
448.460
170.147
160.101
2.450.754
887.285
(34.261)
853.024
0,7
853.024
- - - - - 1.441.937
1.405.331
1.419
1.406.750
1,1
119.572
- 107.846
81.180
243.155
854.997
1.355.940
290.295
- 290.295
0,2
52.863
- - 237.432
- - - 1.202.146
13.111
1.215.257
1,0
1.215.257
- - - - - 1.017.242
Renda Fixa
791.463
(2.396)
789.067
0,6
789.067
- - - - - 610.963
Direitos Creditórios
216.439
- 216.439
0,2
216.439
- - - - - 189.666
Renda Variável
194.244
15.507
209.751
0,2
209.751
- - - - - 216.613
20.708
1.423
22.131
0,0
- - - - - 22.131
594.220
1,9
TÍTULOS DE EMPRESAS
Ações
Debêntures
Notas Promissórias
Cotas de Fundos
Certificados de Recebíveis Imobiliários Outros
COTAS DE FUNDOS DE PGBL/VGBL
Total
2.475.123
- 2.475.123
57.733.857
-
57.733.857
129.672.459
26.698
% por prazo de vencimento
Total 31/12/2010
132.963.390
% por prazo de vencimento
No ITAÚ UNIBANCO HOLDING em
31/12/2011 a carteira é composta por
Títulos Públicos - Letras Financeiras do
Tesouro no valor de R$ 6.502 (R$ 5.825 em
31/12/2010 com vencimento acima de 365
dias) com vencimento entre 181 a 365 dias.
252.344
- - - - 1.656.517
818.606
930
44,5 57.733.857
-
-
-
-
-
46.050.748
129.699.157 100,0 61.964.079
1.494.000
9.167.851 43.237.206
133.215.734
47,7%
1,2%
0,6%
10,1%
133.215.734 100,0 71.334.402
9.310.315
7.795.412
9.097.782
53,5%
7,0%
5,9%
6,8%
729.747 13.106.274
7,1%
33,3%
8.327.250 27.350.573
6,3%
20,5%
61
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
d) Títulos Disponíveis para Venda
Abaixo, composição da carteira de Títulos Disponíveis Para Venda por tipo de papel,
demonstrada pelo seu valor de custo e de mercado e por prazo de vencimento.
31/12/2011
Custo
TÍTULOS PÚBLICOS - BRASIL
Letras Financeiras do Tesouro
Letras do Tesouro Nacional
Notas do Tesouro Nacional
Tesouro Nacional/Securitização
Títulos da Dívida Externa Brasileira
Outros
TÍTULOS PÚBLICOS - OUTROS PAÍSES
Argentina
Dinamarca
Espanha
Coreia
Chile
Paraguai
Uruguai
Estados Unidos
Mexico
Outros
TÍTULOS DE EMPRESAS
Euro Bonds e Assemelhados
Certificados de Depósito Bancário Ações
Debêntures
Notas Promissórias
Cotas de Fundos
Renda Fixa
Direitos Creditórios
Renda Variável
Certificados de Recebíveis Imobiliários Outros
TOTAL
Ajuste dos Títulos reclassificados em
exercícios anteriores para categoria de
mantidos até o vencimento
Ajuste Hedge Contábil - Circular 3082
Impostos Diferidos
Participações Minoritárias nas Subsidiárias
Ajuste de Títulos de participações em
Coligadas não Consolidadas
AJUSTE AO VALOR DE MERCADO - TVM 31/12/2011
TOTAL 31/12/2010
Ajuste dos Títulos reclassificados em
exercícios anteriores para categoria de
mantidos até o vencimento
Ajuste Hedge Contábil - Circular 3082
Impostos Diferidos
Participações Minoritárias nas Subsidiárias
Ajuste de Títulos de participações em
Coligadas não Consolidadas
AJUSTE AO VALOR DE MERCADO - TVM 31/12/2010
17.962.758
3.039.278
4.028.324
4.962.660
264.416
5.667.405
675
4.326.705
- 1.949.128
418.365
295.012
991.910
357.914
267.697
- 9.988
36.691
22.521.989
3.554.269
274.461
1.996.026
7.165.126
645.791
802.527
17.007
755.300
30.220
7.813.082
270.707
44.811.452
Ajustes ao Valor Valor de
de Mercado Mercado
(no PL)
%
0 - 30
31/12/2010
31 - 90
de
91 - 180 181 - 365 366 - 720 Acima
720 dias
366.437
(474)
(12.650)
146.965
(5.709)
238.245
60
(9.375)
- 1
- - 3.226
(13.885)
294
- 926
63
361.537
84.149
301
(6.230)
70.918
34
3.553
(29)
- 3.582
208.421
391
718.599
18.329.195 40,3
20.977
18.717
1.064
3.038.804
6,7
- 17.632
- 4.015.674
8,8
- - - 5.109.625 11,2
20.977
407
340
258.707
0,6
- - - 5.905.650 13,0
- 678
724
735
0,0
- - - 4.317.330
9,4 1.198.852 1.915.421 760.175
- - - - - 1.949.129
4,3
171.778 1.432.545
344.806
418.365
0,9
418.365
- - 295.012
0,6
- 85.990
- 995.136
2,1
342.793
256.193
335.506
344.029
0,8
225.220
42.155
2.046
267.991
0,6
3.960
98.538
77.817
- - - - - 10.914
0,0
222
- - 36.754
0,1
36.514
- - 22.883.526 50,3 2.938.532 585.869 716.180
3.638.418
7,9
93.690
194.528
180.702
274.762
0,6
14.760
82.478
87.716
1.989.796
4,4 1.989.796
- - 7.236.044 15,9
1.935
- - 645.825
1,4
- 115.687
297.752
806.080
1,8
801.969
- - 16.978
0,0
12.867
- - 755.300
1,7
755.300
- - 33.802
0,1
33.802
- - 8.021.503 17,7
36.382
91.206
150.010
271.098
0,6
- 101.970
- 45.530.051 100,0 4.158.361 2.520.007 1.477.419
10.771
9,1%
5,5%
3,2%
1.778.210
327.416
1.449.859
653
- - 282
265.463
- - - 209.022
3.412
20.943
32.086
- - - 1.724.697
679.977
89.668
- 464.449
232.386
- - - - 242.630
15.587
3.768.370
8,3%
6.244.188 10.266.039
1.950.734
743.022
681.227 1.884.588
3.608.324 1.478.924
- 258.707
3.450 5.900.798
453
- 90.718
86.701
- - - - - - - - 10.529
46.703
25.311
28.354
54.878
712
- - - 10.692
- 240
2.591.557 14.326.691
686.657 1.802.864
- 140
- - 1.195.060 5.574.600
- - - 4.111
- 4.111
- - - - 704.480 6.796.795
5.360
148.181
8.926.463 24.679.431
19,6%
Valor de
Mercado
14.795.909
6.031.257
51.351
3.706.888
263.736
4.717.694
24.983
4.558.738
341
2.013.719
734.316
236.163
453.463
256.673
184.357
679.706
- - 22.514.890
3.842.997
559.124
2.445.193
6.633.932
1.264.832
769.563
29.066
692.624
47.873
6.987.961
11.288
41.869.537
54,3%
(277.529)
(149.026)
(28.870)
(413.087)
(139.142)
41.415.788
No ITAÚ UNIBANCO HOLDING
em 31/12/2011 a carteira é
composta por Títulos Públicos
Letras Financeiras do Tesouro no
453.749
12.681
41.869.537
100 4.142.818 4.502.552 3.594.303 4.658.999 2.995.733 21.975.132
9,9%
10,8%
8,6%
11,1%
7,2%
52,4%
(51.044)
(171.926)
(2.404)
(223.928)
17.128
valor de R$ 7.129 com vencimento
entre 181 a 365 dias (R$ 34.051
em 31/12/2010, sendo - Notas do
Tesouro Nacional no montante de
R$ 27.664 com vencimento entre
31 a 90 dias e Letras Financeiras do
Tesouro no montante de R$ 6.387
com vencimento acima de 365 dias).
62
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
e) Títulos Mantidos até o Vencimento
Itaú Unibanco Holding S.A.
o valor de R$ 10.771 (R$ 12.681
em 31/12/2010), referentes ao
ajuste a mercado dos títulos
reclassificados em 31/12/2003. Os
títulos classificados nesta categoria,
se avaliados a valor de mercado,
apresentariam em 31/12/2011
um ajuste positivo no valor de R$
596.846 (R$ 604.417 em 31/12/2010).
Abaixo, composição da carteira de
Títulos Mantidos até o Vencimento
por tipo de papel, demonstrada
pelo seu valor de custo e por prazo
de vencimento. No custo contábil,
não apropriados em resultado,
estão incluídos em 31/12/2011
31/12/2011
Custo
Contábil
TÍTULOS PÚBLICOS - BRASIL
Notas do Tesouro Nacional (*)
31/12/2010
%
0 - 30
31 - 90
3.007.082
96,8
86.348
-
2.812.229
90,5
- - - 194.853
6,3
86.348
- - - - - - - 9
0,0
-
-
Títulos da Dívida Externa Brasileira
Outros
TÍTULOS PÚBLICOS - OUTROS PAÍSES
TÍTULOS DE EMPRESAS
91 - 180
-
de
181 - 365 366 - 720 Acima
720 dias
-
Custo
Contábil
142.740
2.777.994
2.988.917
- 34.235
2.777.994
2.762.802
- 108.505
- 226.107
- - - 8
-
-
-
9
16.193
97.879
3,2
272
236
-
32.752
51.230
13.389
164.846
Euro Bonds e Assemelhados
65.127
2,1
272
236
- - 51.230
13.389
130.149
Debêntures (*)
30.434
1,0
- - - 30.434
- - 30.499
Certificado de Recebiveis Imobiliário
Total
2.318
0,1
- - - 2.318
- - 4.198
3.104.970
100,0
86.620
236
-
32.752
193.970
2.791.392
3.169.956
2,8%
0,0%
-
1,1%
6,2%
89,9%
3.028.933
100,0
11.188
10.227
18.774
142.994
249.770
2.595.980
0,4%
0,3%
0,5%
4,7%
8,2%
85,7%
% por prazo de vencimento
Total 31/12/2010
% por prazo de vencimento
(*) Inclui aplicações da Itaú Vida e Previdência S.A. no montante de R$ 2.036.747 (R$ 2.016.807 em 31/12/2010).
f) Resultado Realizado e não Realizado na Carteira de Títulos e Valores Mobiliários
01/01 a 31/12/2011
Lucro (Prejuízo) - Títulos para Negociação
(1.884.911)
Lucro (Prejuízo) - Títulos Disponíveis para Venda
Total do Resultado Realizado
Ajustes ao Valor de Mercado dos Títulos para Negociação
Total
g) Reclassificação de Títulos e Valores
Mobiliários (artigo 5º da Circular nº
3.068, de 08/11/2001, do BACEN)
A Administração determina diretrizes
para a classificação de Títulos e
Valores Mobiliários. As classificações
dos títulos existentes na carteira,
assim como aqueles adquiridos
no período, são periódica e
sistematicamente avaliadas de acordo
com tais diretrizes.
Conforme estabelecido no artigo 5º
da Circular nº 3.068, de 08/11/2008,
do BACEN, a reavaliação quanto
à classificação de títulos e valores
mobiliários só pode ser efetuada por
ocasião dos balancetes semestrais. Além disso, no caso da transferência
01/01 a 31/12/2010
97.391
301.358
558.920
(1.583.553)
656.311
(225.647)
(72.650)
(1.809.200)
583.661
da categoria “mantidos até o
vencimento” para as demais, essa só
poderá ocorrer por motivo isolado,
não usual, não recorrente e não
previsto, que tenha ocorrido após a
data da classificação.
No período, não foram realizadas
reclassificações ou alterações nas
diretrizes existentes.
63
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
h) Instrumentos Financeiros Derivativos
A globalização dos mercados nos
últimos anos proporcionou um
crescente nível de sofisticação dos
produtos financeiros utilizados. Como conseqüência deste processo,
houve uma crescente demanda por
instrumentos financeiros derivativos
para administrar riscos de mercado,
resultantes basicamente de
flutuações em taxas de juros, câmbio,
commodities e demais preços de
ativos. Desta forma, o ITAÚ UNIBANCO
HOLDING e suas controladas operam
nos mercados derivativos, tanto
no atendimento às crescentes
necessidades de seus clientes, como
na execução de sua política de
gestão de riscos. Tal política baseiase na utilização dos instrumentos
derivativos como forma de
minimização dos riscos resultantes das
operações comerciais e financeiras.
A comercialização de instrumentos
financeiros derivativos junto a
clientes é precedida da aprovação
de limites de crédito. O processo de
aprovação dos limites também leva
em consideração potenciais cenários
de stress.
O conhecimento do cliente, do
setor em que atua e do seu perfil
de apetite a riscos, assim como a
prestação de informações sobre os
riscos envolvidos na operação e sobre
as condições negociadas, asseguram
a transparência na relação entre as
partes e permitem que se ofereça ao
cliente o produto mais adequado às
suas necessidades.
As operações de derivativos efetuadas
pelo ITAÚ UNIBANCO HOLDING e
suas controladas junto a clientes são
neutralizadas de modo a eliminar os
riscos de mercado.
A maior parte dos contratos de
derivativos negociados pela instituição
com clientes no Brasil refere-se a
operações de swap, termos, opções
e futuros, todas registradas na
BM&FBOVESPA ou na CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e
Derivativos. No exterior, realizam-se
operações com contratos derivativos
de futuros, termos, opções, swaps com
registro principalmente nas Bolsas
de Chicago, Nova York e Londres. Importante destacar que no exterior
existem operações de balcão, mas seus
riscos são baixos em relação ao total
da instituição. Ressaltamos, também,
que na carteira da instituição não
existem operações estruturadas com
base em ativos subprime e todas estas
operações são baseadas em fatores de
risco negociados em bolsa.
Os principais fatores de risco dos
derivativos assumidos em 31/12/2011
eram relacionados a taxas de câmbio,
taxas de juros, commodities, cupons de
dólar e de TR, Libor e renda variável. O gerenciamento destes e de outros
fatores de risco de mercado está
apoiado em modelos determinísticos
e estatísticos sofisticados. Com base
neste modelo de gestão, a instituição
tem conseguido, com a utilização de
operações envolvendo derivativos,
otimizar a relação risco-retorno
mesmo em situações de grande
volatilidade.
A maioria dos derivativos da carteira
da instituição é negociada em bolsa. Para estes derivativos são utilizados
os preços divulgados pelas próprias
bolsas, exceto em casos em que se
identifique baixa representatividade
do preço por liquidez de seu
contrato específico. Os derivativos
tipicamente apreçados desta forma
são os contratos futuros. Da mesma
forma, existem outros instrumentos
que possuem cotações (preços
justos) diretamente divulgadas
por instituições independentes e
que são apreçados utilizando estas
informações diretas. Caem nesta
situação grande parte dos títulos
públicos brasileiros, títulos (públicos
e privados) internacionais de alta
liquidez e ações.
Para derivativos que não têm preços
diretamente divulgados por bolsas,
os preços justos são obtidos por meio
Itaú Unibanco Holding S.A.
de modelos de apreçamento que
utilizam informações de mercado,
inferidas a partir de preços divulgados
de ativos de maior liquidez. Destes
preços são extraídas as curvas de juros
e as volatilidades de mercado que
servem de dados de entrada para os
modelos. Nesta situação, encontramse os derivativos de balcão, contratos a
termos e os títulos pouco líquidos.
O valor total das margens dadas
em garantia era de R$ 7.788.197 (R$
7.550.431 em 31/12/2010) e estava
basicamente composto por Títulos
Públicos. 64
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
I - Derivativos por Indexador
Conta de Compensação
Valor Referencial
Contratos de futuros
Compromissos de Compra
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Índices
Títulos
Commodities
Outros
Compromissos de Venda
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Índices
Títulos
Commodities
Outros
Contratos de Swaps
Posição Ativa
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Prefixados
Pós-Fixados
Índices
Títulos
Commodities
Outros
Posição Passiva
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Prefixados
Pós-Fixados
Índices
Títulos
Commodities
Outros
Contratos de Opções
De Compra - Posição Comprada
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Pós-Fixados
Índices
Títulos
Commodities
Outros
De Venda - Posição Comprada
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Prefixados
Pós-Fixados
Índices
Títulos
Commodities
Outros
De Compra - Posição Vendida
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Índices
Títulos
Commodities
Outros
De Venda - Posição Vendida
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Prefixados
Pós-Fixados
Índices
Títulos
Commodities
Outros
31/12/2011
31/12/2010
268.806.691
251.093.457
59.086.805
144.153.604
41.365.378
6.337.726
121.604
28.340
17.713.234
15.796.309
52.335
1.106.099
230.226
513.005
15.260
94.805.857
9.882.748
39.935.611
16.808.431
3.808.922
23.994.782
27.711
3.000
344.652
94.733.497
11.171.268
24.957.617
21.732.526
6.144.340
29.224.854
111.595
108.461
1.282.836
1.108.515.671
237.863.509
17.481.380
36.910.843
278.388
181.516.985
1.161.948
501.299
12.666
354.696.072
7.635.296
27.211.517
1.881
218.024
315.902.581
2.821.099
767.655
138.019
174.396.804
10.324.753
23.953.704
139.247.706
794.762
64.920
10.959
341.559.286
10.757.287
35.433.232
1.881
- 293.394.454
1.635.568
197.195
139.669
292.049.317
127.498.864
8.128.154
98.353.005
19.288.222
1.644.975
- 84.508
164.550.453
13.056.594
113.173.138
32.032.996
4.230.057
- 2.057.668
68.752.696
7.243.721
34.370.129
9.277.398
864.567
16.745.215
31.910
- 219.756
68.493.648
14.608.979
19.443.008
7.834.574
3.272.086
23.121.546
28.783
- 184.672
2.331.971.056
695.906.184
24.903.212
530.427.631
314.295
138.085.213
1.533.796
- 642.037
527.345.713
12.295.017
404.532.475
- 282.438
107.033.922
2.646.857
- 555.004
527.730.100
26.546.754
376.481.678
123.220.607
864.194
- 616.867
580.989.059
16.714.590
444.963.343
- - 118.333.496
825.393
- 152.237
Valor Patrimonial a
Ajustes ao Valor de
Receber / (Recebido) Mercado (no Resultado
(A Pagar) / Pago
/Patrimônio Líquido)
31/12/2011
75.678
75.678
(861)
941
75.487
- 111
- - - - - - - 72.360
2.154.902
605.726
544.683
227.059
2.909
738.955
22.827
- 12.743
(2.082.542)
(607.984)
(99.646)
(324.801)
(133.159)
(815.193)
(85.421)
(999)
(15.339)
1.212.946
1.122.030
885.988
64.834
1.417
124.447
31.120
14.173
51
2.094.632
148.936
293.440
76
606
913.862
721.049
14.143
2.520
(779.127)
(454.429)
(47.363)
(258.169)
(15.336)
(3.830)
- (1.224.589)
(308.839)
(178.363)
(76)
- (646.042)
(79.199)
(9.422)
(2.648)
31/12/2010
(49.576)
18.425
11.805
(34)
6.652
2
- - (68.001)
(62.767)
(362)
213
(3.008)
(2.077)
- (118.802)
595.129
7.272
50.033
241.284
(362)
311.906
(26.037)
- 11.033
(713.931)
21.987
10.268
(300.016)
1.906
(477.180)
34.128
(4.044)
(980)
(674.057)
(372.975)
(288.605)
(36.204)
(1.173)
(57.787)
10.910
(310)
194
301.500
(40.531)
(49.400)
1.402
(260)
(2.118)
381.490
(292)
11.209
46.826
(96.552)
10.551
144.006
(13.050)
2.077
(206)
(649.408)
113.276
(237.990)
(1.402)
181
(197.372)
(316.222)
1.264
(11.143)
Valor de Mercado
31/12/2011
31/12/2010
26.102
94.103
10.944
907
82.139
2
111
- (68.001)
(62.767)
(362)
213
(3.008)
(2.077)
- (46.442)
2.750.031
612.998
594.716
468.343
2.547
1.050.861
(3.210)
- 23.776
(2.796.473)
(585.997)
(89.378)
(624.817)
(131.253)
(1.292.373)
(51.293)
(5.043)
(16.319)
538.889
749.055
597.383
28.630
244
66.660
42.030
13.863
245
2.396.132
108.405
244.040
1.478
346
911.744
1.102.539
13.851
13.729
(732.301)
(550.981)
(36.812)
(114.163)
(28.386)
(1.753)
(206)
(1.873.997)
(195.563)
(416.353)
(1.478)
181
(843.414)
(395.421)
(8.158)
(13.791)
(56.197)
172.699
(115)
45.180
94.688
- - 32.946
(228.896)
(14.097)
(45.379)
(126.868)
(177)
- (42.375)
921.278
2.937.641
(54.461)
1.460.714
465.949
19.335
1.037.565
3.122
- 5.417
(2.016.363)
(327.791)
(223.480)
(388.290)
(3.456)
(1.045.669)
(1.067)
- (26.610)
246.142
1.074.898
311.749
468.970
1.637
129.007
113.379
- 50.156
1.244.479
480.454
99.431
- 917
60.627
600.747
- 2.303
(1.245.324)
(461.860)
(263.333)
(399.000)
(75.242)
- (45.889)
(827.911)
(545.577)
(192.745)
- - (48.748)
(38.070)
- (2.771)
CONTINUA >>
65
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
>> CONTINUAÇÃO
Valor Patrimonial a
Ajustes ao Valor de
Receber / (Recebido) Mercado (no Resultado
(A Pagar) / Pago
/Patrimônio Líquido)
Conta de Compensação
Valor Referencial
31/12/2011
31/12/2011
31/12/2010
17.248.256
1.445.147
1.055.571
(28.993)
1.026.578
1.369.426
8.702.057
21.340
885.878
(61.598)
824.280
50.139
7.883.317
- 623.364
(61.547)
561.817
- Mercado Interfinanceiro
519.792
- - - - - Pós-Fixados
262.117
21.340
261.918
- 261.918
50.139
Contratos a Termo
Compras a Receber
Moeda Estrangeira
Commodities
31/12/2010
31/12/2011
31/12/2010
Valor de Mercado
36.831
- 596
(51)
545
- 1.351.234
-
(324.514)
(8.140)
(332.654)
(49.591)
1.218.300
- (43.311)
(7.515)
(50.826)
- - - (261.918)
- (261.918)
(49.591)
130.857
- (19.081)
(631)
(19.712)
- 2.077
- (204)
6
(198)
- 2.230.047
1.423.807
1.011.835
7.781
1.019.616
1.397.678
1.181.390
- 24.352
9.067
33.419
- 47.699
- 526
(1)
525
- Prefixados
147.953
- 147.787
(639)
147.148
- Pós-Fixados
110.134
- 110.002
- 110.002
- Índices
189
- 188
- 188
- Títulos
731.176
- 724.891
(544)
724.347
- 11.506
- 4.089
(102)
3.987
- - 1.423.807
- - - 1.397.678
4.964.918
-
(517.628)
32.964
(484.664)
(28.800)
4.905.297
- (341.957)
32.400
(309.557)
- Mercado Interfinanceiro
- - - (8)
(8)
- Prefixados
- - (53.661)
(258)
(53.919)
- - - (110.002)
- (110.002)
(28.800)
59.621
- (12.008)
830
(11.178)
- Obrigações por Compra a Pagar
Moeda Estrangeira
Pós-Fixados
Commodities
Outros
Vendas a Receber
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Commodities
Outros
Obrigações por Venda a Entregar
Moeda Estrangeira
Pós-Fixados
Commodities
66
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
Conta de Compensação
Valor Referencial
31/12/2011
Derivativos de Crédito
Posição Ativa
Moeda Estrangeira
Prefixados
Pós-Fixados
Indice
Títulos
Outros
Posição Passiva
Moeda Estrangeira
Prefixados
Títulos
Outros
Operações de Forwards
Posição Ativa
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Prefixados
Pós-Fixados
Outros
Posição Passiva
Moeda Estrangeira
Mercado Interfinanceiro
Prefixados
Pós-Fixados
Índices
Outros
Swap com Verificação
Posição Ativa - Mercado
Interfinanceiro
Posição Passiva - Mercado
interfinanceiro
Verificação de Swap - Posição Ativa - Moeda
Estrangeira
Outros Instrumentos Financeiros Derivativos
Posição Ativa
Moeda Estrangeira
Prefixados
Pós-Fixados
Títulos
Outros
Posição Passiva
Moeda Estrangeira
Prefixados
Títulos
Outros
31/12/2010
Valor Patrimonial a
Ajustes ao Valor de
Receber / (Recebido) Mercado (no Resultado
(A Pagar) / Pago
/Patrimônio Líquido)
31/12/2011
31/12/2010
Valor de Mercado
31/12/2011
31/12/2010
7.195.321
3.659.633
117.308
1.820.095
- - 1.721.101
1.129
3.535.688
117.393
2.899.987
517.179
1.129
31.284.974
16.256.768
15.862.100
18.570
- 376.098
- 15.028.206
14.945.815
12.986
69.405
- - - 50.873
6.701.450
2.902.115
53.727
2.621.843
- - 226.545
- 3.799.335
22.110
3.126.150
651.075
- 36.958.479
13.832.488
13.121.050
168
3.400
509.024
198.846
23.125.991
22.758.545
26.711
273.257
- - 67.478
6.021
153.463
242.792
134
226.387
4.955
11.144
172
- (89.329)
(121)
(89.187)
(21)
- 69.385
421.749
415.142
283
- 6.324
- (352.364)
(347.767)
(486)
(1.199)
(858)
(2.054)
- (174)
136.299
157.739
1.403
134.389
11.278
(1.446)
12.104
11
(21.440)
(1.379)
(7.769)
(12.281)
(11)
55.580
29.966
29.966
- - - - 25.614
25.614
- - - - - (2.306)
289.762
400.531
1.537
360.776
16.233
9.698
12.276
11
(110.769)
(1.500)
(96.956)
(12.302)
(11)
124.965
451.715
445.108
283
- 6.324
- (326.750)
(322.153)
(486)
(1.199)
(858)
(2.054)
- (2.480)
133.884
261.321
1.177
255.785
- - 4.359
- (127.437)
(812)
(121.436)
(5.189)
- (497.630)
612.340
556.161
1
975
7.804
47.399
(1.109.970)
(1.086.808)
(938)
(3.208)
- - (19.016)
-
50.873
6.021
-
-
-
-
-
-
(174)
(2.306)
(2.480)
-
53.488
25.384
-
4.441
4.441
-
4.894.085
4.639.716
607.810
973.165
- 3.053.908
4.833
254.369
118.279
- 74.798
61.292
4.314.876
3.394.599
258.970
697.805
- - 2.437.824
920.277
360.296
33
- 559.948
ATIVO
PASSIVO
TOTAL
757.950
892.171
55.199
520.543
- 315.972
457
(134.221)
(74.353)
- (60.059)
191
8.901.667
(5.504.488)
3.397.179
19.166
32.172
30.707
(398)
- 1.863
- (13.006)
(11.377)
- - (1.629)
644.579
(1.302.828)
(658.249)
777.116
924.343
85.906
520.145
- 317.835
457
(147.227)
(85.730)
- (60.059)
(1.438)
9.546.246
(6.807.316)
2.738.930
485.451
728.693
191.439
377.006
(2.919)
- 163.167
(243.242)
(183.424)
(36)
- (59.782)
8.307.189
(5.704.835)
2.602.354
181 - 365
36.072.308
19.678.975
176.964.941
3.625.680
1.025.165
6.899.353
759.963
Acima de 365
89.094.843
46.341.593
26.898.044
2.259.070
4.179.327
3.684.058
50.873
53.488
2.650.435
31/12/2011
268.806.691
92.650.955
1.108.515.671
17.248.256
7.195.321
31.284.974
50.873
53.488
4.894.085
31/12/2010
292.049.317
66.586.199
2.331.971.056
1.445.147
6.701.450
36.958.479
12.050
25.384
4.314.876
Os contratos de derivativos possuem os seguintes vencimentos em dias:
Compensação Valor Referencial
Futuros
Swaps
Opções
Termo
Derivativos de Crédito
Forwards
Swaps com Verificação
Verificação de Swap
Outros
0 - 30
75.850.339
9.938.875
846.275.922
3.392.768
88.450
6.635.781
111.785
31 - 180
67.789.201
16.691.512
58.376.764
7.970.738
1.902.379
14.065.782
1.371.902
67
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
II -Derivativos por Contraparte
Abaixo, composição da carteira de
Instrumentos Financeiros Derivativos
(Ativos e Passivos) por tipo de
instrumento, demonstrada pelo seu
valor de custo e de mercado e por
prazo de vencimento.
31/12/2011
Ajustes ao Valor
de Mercado
Valor de
(no Resultado Mercado
/ Patrimônio
Líquido)
Custo
%
0 - 30
31/12/2010
de
91 - 180 181 - 365 366 - 720 Acima
720 dias
31 - 90
Valor de
Mercado
ATIVO
Futuros
BM&F Bovespa
75.678
(49.576)
26.102
0,3
395
51.759
4.860
(397)
(3.248)
(27.267)
-
75.672
(44.806)
30.866
0,3
517
57.727
4.733
(1.243)
(3.693)
(27.175)
- Instituições Financeiras
- (4.122)
(4.122)
0,0
(122)
(2.444)
201
(1.511)
(246)
- - Empresas
- (648)
(648)
0,0
- (3.530)
(74)
2.357
691
(92)
- Pessoas Físicas
6
- 6
0,0
- 6
- - - - - 3.216.662
(71.475)
3.145.187
33,0 1.251.956
181.813
221.929
659.589
113.243
716.657
2.319.377
2.091.861
(403.323)
1.688.538
17,7 1.162.296
11.080
34.765
470.611
9.786
- 1.304.670
Instituições Financeiras
328.182
(42.582)
285.600
3,0
44.506
67.001
58.622
87.472
27.061
938
364.018
Empresas
796.619
374.430
1.171.049
12,3
45.154
103.732
128.542
101.506
76.396
715.719
650.502
- - - - - - - - - - 187
1.897.713
(53.817)
1.843.896
19,3
631.162
362.338
155.050
208.327
146.548
340.471
1.447.817
726.726
(546)
726.180
7,6
460.227
219.170
46.631
152
- - 1.397.678
81.976
(854)
81.122
0,8
74.394
408
1.014
1.840
3.466
- 50.139
Prêmios de Opções
BM&F Bovespa
Pessoas Físicas
Operações a Termo
BM&F Bovespa
Instituições Financeiras
Empresas
1.089.011
(52.417)
1.036.594
10,9
96.541
142.760
107.405
206.335
143.082
340.471
- 2.154.902
595.129
2.750.031
28,8
230.034
350.694
167.437
503.337
533.970
964.559
2.937.641
BM&F Bovespa
223.425
108.967
332.392
3,5
13.180
24.956
31.083
61.205
21.850
180.118
270.832
Instituições Financeiras
154.296
104.662
258.958
2,7
29.254
62.986
12.663
28.407
49.081
76.567
449.116
1.773.662
380.420
2.154.082
22,6
186.693
261.554
122.101
413.419
462.723
707.592
2.196.090
Swaps - Ajuste a Receber
Empresas
Pessoas Físicas
Derivativos de Crédito
Instituições Financeiras
Empresas
Forwards
3.519
1.080
4.599
0,0
907
1.198
1.590
306
316
282
21.603
242.792
157.739
400.531
4,2
40
14.591
17.102
6.526
51.769
310.503
261.321
60.798
34.278
95.076
1,0
40
14.591
17.102
2.316
1.644
59.383
76.931
181.994
123.461
305.455
3,2
- - - 4.210
50.125
251.120
184.390
421.749
29.966
451.715
4,7
97.407
101.331
73.318
66.727
43.652
69.280
612.340
Instituições Financeiras
278.731
- 278.731
2,9
84.107
72.837
44.813
30.818
7.512
38.644
151.123
Empresas
142.715
29.978
172.693
1,8
13.153
28.391
28.474
35.909
36.130
30.636
459.565
303
(12)
291
0,0
147
103
31
- 10
- 1.652
Pessoas Físicas
Swaps com Verificação - Empresas
Outros - Instituições Financeiras
-
4.441
4.441
0,0
-
-
-
-
-
4.441
-
892.171
32.172
924.343
9,7
54.692
509.190
5.594
34.747
96.644
223.476
728.693
722.041
Instituições Financeiras
775.689
1.465
777.154
8,1
54.406
465.969
532
11.197
73.846
171.204
Empresas
116.482
30.707
147.189
1,6
286
43.221
5.062
23.550
22.798
52.272
6.652
8.901.667
644.579
9.546.246 100,0 2.265.686 1.571.716
982.578 2.602.120
8.307.189
7.518.121
789.068
8.307.189 100,0 1.686.236 2.014.656
Total
% por prazo de vencimento
Total em 31/12/2010
% por prazo de vencimento
23,7%
20,3%
16,5%
24,3%
645.290 1.478.856
6,8%
15,5%
573.176 1.314.565
6,9%
15,8%
10,2%
27,3%
753.686 1.964.870
9,1%
23,7%
68
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
31/12/2011
Ajustes ao Valor
de Mercado
Valor de
(no Resultado Mercado
/ Patrimônio
Líquido)
Custo
%
0 - 30
31/12/2010
de
91 - 180 181 - 365 366 - 720 Acima
720 dias
31 - 90
Valor de
Mercado
PASSIVO
Futuros
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
(56.197)
BM&F Bovespa
- - - - - - - - - - (58.735)
Instituições Financeiras
- - - - - - - - - - (737)
Empresas
- - - - - - - - - - 3.275
(2.003.716)
(602.582)
(2.606.298)
38,3 (1.203.954) (290.029) (234.708) (711.838) (153.522)
(1.403.003)
(365.030)
(1.768.033)
26,0 (1.113.901)
Instituições Financeiras
(488.895)
(198.646)
(687.541)
10,1
(85.559)
Empresas
(111.692)
(39.008)
(150.700)
2,2
(4.494)
(17.439)
(34.597)
(66.256)
(126)
102
(24)
0,0
- (24)
- (842.142)
24.824
(817.318)
12,0
(41.886)
(91.767) (193.303)
Prêmios de Opções
BM&F Bovespa
Pessoas Físicas
Operações a Termo
BM&F Bovespa
Instituições Financeiras
Empresas
(87.219)
(12.247) (2.073.235)
(20.299) (483.560)
(63.054)
- (1.677.346)
(185.347) (179.812) (162.022)
(63.439)
(11.362)
(298.902)
(27.029)
(885)
(96.256)
- - - (731)
(55.937)
(99.004)
(335.421)
(78.391)
- (8)
(8)
0,0
- - (8)
- - - - (70.479)
3.549
(66.930)
1,0
(5.891)
(31.092)
(29.525)
(167)
(115)
(140)
(49.591)
11,0
(35.995)
(60.675) (163.770)
(55.770)
(98.889)
(335.281)
(28.800)
(771.663)
21.283
(750.380)
Swaps - Ajuste a Pagar
(2.082.542)
(713.931)
(2.796.473)
BM&F Bovespa
(337.082)
(180.052)
(517.134)
7,6
(6.109)
(10.625)
(24.338) (130.538) (101.963)
(243.561)
Instituições Financeiras
(446.003)
(235.806)
(681.809)
10,0
(133.912)
(75.391)
(13.005)
(40.886) (110.062)
(308.553)
(397.090)
(1.269.604)
(286.806)
(1.556.410)
22,9
(70.127)
(89.048)
(72.991) (341.529) (273.856)
(708.859)
(1.170.619)
Empresas
41,1 (211.414) (177.127) (116.146) (532.912) (497.274) (1.261.600) (2.016.363)
(388.871)
Pessoas Físicas
(29.853)
(11.267)
(41.120)
0,6
(1.266)
(2.063)
(5.812)
(19.959)
(11.393)
(627)
(59.783)
Derivativos de Crédito
(89.329)
(21.440)
(110.769)
1,7
-
(5.127)
(8.953)
(6.760)
(8.873)
(81.056)
(127.437)
(89.091)
(17.409)
(106.500)
1,6
- (5.127)
(8.953)
(4.540)
(7.488)
(80.392)
(124.798)
(238)
(4.031)
(4.269)
0,1
- - - (2.220)
(1.385)
(664)
(2.639)
(352.364)
25.614
(326.750)
4,7
(69.029)
(67.263)
(61.015)
(48.599)
(47.031)
(33.813) (1.109.970)
Instituições Financeiras
Empresas
Forwards
Instituições Financeiras
(247.121)
(1)
(247.122)
3,6
(56.219)
(50.964)
(40.448)
(32.641)
(38.172)
(28.678)
(628.098)
Empresas
(104.991)
25.665
(79.326)
1,1
(12.777)
(16.060)
(20.564)
(15.931)
(8.859)
(5.135)
(480.813)
(252)
(50)
(302)
0,0
(33)
(239)
(3)
(27)
- - (1.059)
(174)
(2.306)
(2.480)
0,0
-
-
-
-
-
(2.480)
-
(134.221)
(13.007)
(147.228)
2,2
(170)
-
(5.257)
(5.905) (110.649)
(25.247)
(243.242)
Pessoas Físicas
Swaps com Verificação - Empresas
Outros
- - - - - - - - - (7)
Instituições Financeiras
BM&F Bovespa
(75.664)
(4.345)
(80.009)
1,2
(170)
- - - (79.839)
- (174.173)
Empresas
(58.557)
(8.662)
(67.219)
1,0
- - (5.257)
(5.905)
(30.810)
(25.247)
(69.026)
- - - - - - - - - - (36)
(5.504.488)
(1.302.828)
Pessoas Físicas
Total
% por prazo de vencimento
Total em 31/12/2010
% por prazo de vencimento
(6.807.316) 100,0 (1.526.453)
22,4%
(5.667.816)
(37.019)
(5.704.835) 100,0 (1.146.305)
20,1%
(631.313) (619.382) (1.361.951) (916.353) (1.751.864) (5.704.835)
9,3%
13,5%
25,7%
(837.818) (586.321) (1.408.613) (744.365)
(981.413)
14,7%
9,1%
10,3%
20,0%
24,7%
13,0%
17,2%
69
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
III -Derivativos por Valor Referencial
Abaixo, composição da carteira de Instrumentos Financeiros Derivativos
por tipo de instrumento, demonstrada pelo seu valor referencial, por
local de negociação (mercado organizado ou balcão) e contrapartes.
31/12/2011
Derivativo
Crédito
Opções
207.682.736
12.905.296
1.063.857.655
1.299.979
-
-
-
-
-
61.123.955
79.745.659
44.658.016
15.948.277
7.195.321
31.284.974
50.873
53.488
4.894.085
6.733.113
21.225.565
36.036.706
1.735.245
5.619.795
23.657.453
- - 3.526.457
54.390.392
55.756.355
8.612.773
14.213.032
1.575.526
7.597.207
50.873
53.488
1.367.628
450
2.763.739
8.537
- - 30.314
- - - Total
268.806.691
92.650.955
1.108.515.671
17.248.256
7.195.321
31.284.974
50.873
53.488
4.894.085
Total 31/12/2010
292.049.317
66.586.199
2.331.971.056
1.445.147
6.701.450
36.958.479
12.050
25.384
4.314.876
Balcão
Instituições Financeiras
Empresas
Pessoas Físicas
Forward
Verificação
de Swap
Swaps
BM&F/Bovespa
Termo
Swap com
Verificação
Futuros
Outros
IV -Derivativos de Crédito
Abaixo, composição da carteira de Derivativos de Crédito
demonstrada pelo seu valor referencial e efeito no cálculo do
Patrimônio de Referência Exigido.
Valor do Risco de Crédito
31/12/2011
Transferidos
31/12/2010
(3.659.633)
(3.289.161)
(2.471.934)
(2.872.680)
Swaps de créditos cujos ativos subjacentes são:
Títulos e valores mobiliários
Swap de taxa de retorno total cujos ativos subjacentes são:
Títulos e valores mobiliários
Recebidos
(1.187.699)
(416.481)
3.535.688
3.412.289
3.526.626
3.404.240
Swaps de créditos cujos ativos subjacentes são:
Títulos e valores mobiliários
Swap de taxa de retorno total cujos ativos subjacente são:
Títulos e valores mobiliários
Total
9.062
8.049
(123.945)
123.128
Durante o período não houve ocorrência de evento de crédito relativo a fatos geradores previstos nos contratos. De acordo com a Resolução nº 3.490 do CMN, que passou a vigorar a partir de
01/07/2008 (Nota 3), o efeito no cálculo do Patrimônio de Referência Exigido em 31/12/2011 é de R$ 91.751 (R$ 255.726 em 31/12/2010).
V - Hedge Contábil
a) O objetivo do relacionamento
de hedge do ITAÚ UNIBANCO
HOLDING é proteger os fluxos de
caixa de pagamento de juros da
dívida (CDB / Ações Preferenciais
Resgatáveis) referente ao seu
risco de taxa de juros variável
(CDI / LIBOR), tornando o fluxo
de caixa constante (prefixado) e
independente das variações do DI
Cetip Over e da LIBOR.
Para proteger os fluxos de caixa futuro
da dívida contra a exposição à taxa de
juros variável (CDI), em 31/12/2011
o ITAÚ UNIBANCO HOLDING
negociou contratos de Futuro DI na
BM&FBOVESPA a vencer entre 2012 e
2017 no montante de R$ 30.948.192
(R$ 20.357.388 em 31/12/2010). Para
proteger os fluxos de caixa futuro da
dívida contra a exposição à taxa de
juros variável (LIBOR), em 31/12/2011
o ITAÚ UNIBANCO HOLDING negociou
contratos de SWAPS com vencimento
em 2015 no montante de R$ 737.324
(R$ 654.937 em 31/12/2010). Tais
Instrumentos Financeiros Derivativos
geraram ajuste a valor de mercado
líquido dos efeitos tributários
registrado no patrimônio líquido de
70
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
R$ (168.455) (R$ (28.252) em 31/12/2010),
sendo R$ (151.774) (R$ (17.081) em
31/12/2010) referentes a CDB e R$
(16.681) (R$ (11.171) em 31/12/2010)
referente a Ações Preferenciais
Resgatáveis. Os itens objeto de hedge
totalizam R$ 31.672.085 (R$ 20.419.986
em 31/12/2010) sendo R$ 30.934.761
(R$ 19.765.049 em 31/12/2010) de CDB
com vencimentos entre 2012 e 2017 e
R$ 737.324 (R$ 654.937 em 31/12/2010)
de SWAPS de Ações Preferenciais
Resgatáveis com vencimento em 2015.
Os ganhos ou perdas relativos ao
Hedge Contábil de fluxo de caixa, que
esperamos reconhecer no resultado
nos próximos 12 meses, montam
em R$ (179.954) (R$ (83.757) em
31/12/2010).
A efetividade apurada para a carteira
de hedge estava em conformidade com
o estabelecido na Circular nº 3.082, de
30/01/2002, do BACEN.
No 1º trimestre de 2011 o ITAÚ
UNIBANCO HOLDING realizou
uma operação de recompra
de CDBs subordinados passivo
gerando um efeito no patrimônio
líquido de R$ 3.210.
Itaú Unibanco Holding S.A.
b) As operações de
swap contratadas em
negociação associada à
operação de captação e/
ou aplicação no montante
de R$ 40.545 (R$ 103.439
em 31/12/2010) estão
registradas pelos valores
atualizados conforme a
variação incorrida dos
respectivos indexadores
(“curva”), e não são
avaliadas pelo valor
de mercado, conforme
facultado pela Circular nº. 3.150/02 do BACEN.
VI - Resultado Realizado e não Realizado na Carteira de Instrumentos Financeiros Derivativos
01/01 a 31/12/2011
Swap
Termo
Futuro
Opções
Derivativos de Crédito
Outros
Variação Cambial Investimentos no Exterior
Total
VII -Acordos de Compensação
As operações de derivativos de
balcão são contratadas sob convênios
de derivativos que prevêem a
(475.822)
(139.496)
(872.682)
311.738
184.836
791.322
2.776.810
2.576.706
01/01 a 31/12/2010
169.239
28.689
1.247.597
695.155
82.605
(301.594)
(1.065.833)
855.858
compensação dos valores a pagar e
receber decorrentes dos derivativos,
nos termos do artigo terceiro do
parágrafo segundo, da Resolução nº
3263 do CMN, de 24/02/2005.
i) Evolução do Ajuste a Valor de Mercado do Período
Saldo Inicial
Ajustes com efeitos no:
Resultado
Títulos para Negociação
Instrumentos Financeiros Derivativos
Patrimônio Líquido
Disponiveis para Venda
Hedge Contábil Instrumentos Financeiros Derivativos
Futuros
Swap
Saldo Final
Ajuste a Valor de Mercado
Títulos para Negociação
Títulos Disponíveis para Venda
Instrumentos Financeiros Derivativos
Para Negociação
Hedge Contábil
Futuros
Swap
01/01 a 31/12/2011
01/01 a 31/12/2010
1.407.096
615.862
(1.605.804)
(225.647)
(1.380.157)
38.365
264.850
(226.485)
(216.530)
(9.955)
(160.343)
(160.343)
26.698
718.599
(905.640)
(628.111)
(277.529)
(247.391)
(30.138)
658.631
(72.650)
731.281
132.603
38.464
94.139
119.363
(25.224)
1.407.096
1.407.096
252.344
453.749
701.003
752.047
(51.044)
(30.861)
(20.183)
71
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
O quadro abaixo demonstra, para melhor
entendimento, o resultado não realizado
de títulos disponíveis para venda e dos
mantidos até o vencimento:
31/12/2011
Ajuste de Títulos Disponíveis para Venda - Patrimônio Líquido
31/12/2010
718.599
Ajuste de Títulos Mantidos até o Vencimento (*)
Total de Resultado Não Realizado
453.749
607.617
617.098
1.326.216
1.070.847
(*) Inclui o valor de R$ 10.771 (R$ 12.681 em 31/12/2010) do ajuste a mercado de títulos reclassificados até 31/12/2003, não reconhecidos no resultado.
j) Análise de Sensibilidade - CARTEIRAS
DE NEGOCIAÇÃO (TRADING) E NÃO
NEGOCIAÇÃO (BANKING)
Em cumprimento à Instrução
Normativa CVM nº 475, de 17 de
dezembro de 2008, o Itaú Unibanco
realizou análise de sensibilidade
por fatores de risco de mercado
considerados relevantes aos quais
o conglomerado estava exposto. Cada fator de risco de mercado foi
sensibilizado com aplicações de
choques de 25% e 50%, tanto de
crescimento quanto de queda. As
maiores perdas resultantes, por fator
de risco, em cada um dos cenários,
foram apresentadas com impacto no
resultado, líquido de efeitos fiscais,
fornecendo uma visão da exposição
do Itaú Unibanco em derivativos em
cenários excepcionais.
De acordo com os critérios de
classificação de operações previstos
na Resolução nº 3.464 do CMN, de
26 de junho de 2007, e na Circular
nº 3.354, de 27 de junho de 2007, do
BACEN e no Novo Acordo de Capitais Basileia II, os instrumentos financeiros,
incluídas todas as operações com
derivativos, são segregados em
carteira de negociação e carteira
de não negociação. A mensuração
do risco de mercado é realizada
observando esta mesma segregação
de carteiras.
risco, sempre que uma situação de
perda ou risco elevado é identificada,
minimizando a possibilidade de
perdas significativas. Adicionalmente,
ressalta-se que os resultados
apresentados não se traduzem
necessariamente em resultados
contábeis, pois o estudo tem fins
exclusivos de divulgação da exposição
a riscos e as respectivas ações de
proteção considerando o valor
justo dos instrumentos financeiros,
dissociado de quaisquer práticas
contábeis adotadas pela instituição.
As análises de sensibilidade, aqui
apresentadas, são uma avaliação
estática de exposição do portfolio
e, portanto, não consideram a
capacidade dinâmica de reação da
gestão (tesouraria e áreas de controle)
que aciona medidas mitigadoras do
A carteira de negociação consiste
em todas as operações, inclusive
derivativos, com horizonte de
investimentos de curto prazo,
destinadas a hedge de outros
instrumentos desta carteira ou trava de
resultados de arbitragem.
Valores em BRL mil
Carteira Trading
Exposições
Fatores de Risco
Risco de Variação em:
Prefixado
Taxa de juros prefixada em reais
Cupons Cambiais
Taxas de cupons de moedas estrangeiras
Moedas Estrangeiras
Taxas de câmbio
Índices de Preços
Taxas de cupons de índices de preços
TR
Taxas de cupom de TR
Ações
(*) Valores líquidos dos efeitos fiscais.
Preços de ações
31/12/2011 (*)
Cenários
I
II
(1.118)
(27.821)
III
(55.369)
246
(6.207)
(12.531)
(7.486)
(187.152)
(374.305)
(163)
(4.060)
(8.083)
367
(9.267)
(18.706)
525
(13.121)
(26.243)
Total sem correlação
(7.629)
(247.628)
(495.236)
Total com correlação
(5.501)
(178.532)
(357.049)
72
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
A carteira de não negociação é formada
pelas operações não classificadas
na carteira de negociação. Consiste
de operações com horizonte de
investimento de médio e longo
prazos e seus respectivos hedges e as
destinadas à gestão ativa dos riscos
financeiros, que podem ou não ser
realizados com derivativos.
Valores em BRL mil
Carteiras Trading e Banking
Exposições
31/12/2011 (*)
Fatores de Risco
Risco de Variação em:
Prefixado
Taxa de juros prefixada em reais
Cenários
I
II
(4.343)
(108.226)
III
(215.754)
Cupons Cambiais
Taxas de cupons de moedas estrangeiras
(1.068)
(26.420)
(52.268)
Moedas Estrangeiras
Taxas de câmbio
(1.960)
(49.009)
(98.018)
Índices de Preços
Taxas de cupons de índices de preços
(1.021)
(25.313)
(50.197)
TR
Taxas de cupom de TR
(3.355)
(82.061)
(160.429)
Ações
1.381
(34.523)
(69.046)
Total sem correlação
Preços de ações
(10.366)
(325.552)
(645.712)
Total com correlação
(7.474)
(234.712)
(465.538)
(*) Valores líquidos dos efeitos fiscais.
Para mensurar estas sensibilidades, são
utilizados os seguintes cenários:
Cenário I: Acréscimo de 1 ponto-base
nas curvas de juros pré-fixado, cupom
de moedas, inflação e índices de taxas
de juros, e 1 ponto percentual nos
preços de moedas e ações, que têm
como base as informações divulgadas
pelo mercado (BM&F BOVESPA,
Anbima, etc).
Cenário II: Aplicação de choques de 25
pontos-base nas curvas de juros préfixado, cupom de moedas, inflação e
índices de taxas de juros, e 25 pontos
percentuais nos preços de moedas e
ações, tanto de crescimento quanto de
queda, sendo consideradas as maiores
perdas resultantes por fator de risco.
Cenário III: Aplicação de choques de 50
pontos-base nas curvas de juros préfixado, cupom de moedas, inflação e
índices de taxas de juros, e 50 pontos
percentuais nos preços de moedas e
ações, tanto de crescimento quanto de
queda, sendo consideradas as maiores
perdas resultantes por fator de risco.
Os derivativos contratados pelo Itaú
Unibanco estão demonstrados no item
Instrumentos Financeiros Derivativos,
constante nesta nota.
73
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
NOTA 8 OPERAÇÕES DE CRÉDITO, ARRENDAMENTO
MERCANTIL FINANCEIRO E OUTROS CRÉDITOS
a) Composição da Carteira com Característica de Concessão de Crédito
I - Por Tipo de Operação e Níveis de Risco
Níveis de Risco
Operações de Crédito
31/12/2011
AA
A
104.011.016
B
C
D
49.086.216 14.979.238 12.394.717 11.598.879
Financiamentos
38.421.370
42.816.554 10.076.213
Financiamentos Imobiliários
Operações com Cartões de Crédito
Adiantamentos sobre
Contratos de Câmbio (1)
Outros Créditos Diversos (2)
Total Operações com Característica
de Concessão de Crédito
Avais e Fianças (3)
Total com Avais e Fianças
Total - 31/12/2010
F
G
H
Total
Total
9.224.454 274.536.614 220.560.307
45.824.837
Operações de Arrendamento
Mercantil Financeiro
E
99.360.447 26.212.747 15.307.490 13.234.918 2.903.159 2.458.183 1.824.200
Empréstimos e Títulos
Descontados
Financiamentos Rurais e
Agroindustriais
31/12/2010
2.126.145
1.957.545
1.505.531
8.234.652
147.707.760
121.832.381
2.609.186
1.263.106
652.964
484.580
301.037
925.638
97.550.648
76.997.354
4.777.708
606.165
167.077
37.321
228.427
93.022
173
127
28.810
5.938.830
5.424.948
14.987.101
6.851.512
990.219
266.266
144.506
31.028
15.885
17.505
35.354
23.339.376
16.305.624
4.605.233
14.571.725
3.543.091
1.436.557
889.950
394.980
318.479
258.387
703.189
26.721.591
37.764.648
-
31.531.377
1.436.327
1.869.329
858.933
520.045
433.703
369.902
3.160.635
40.180.251
33.685.363
2.657.957
923.474
228.154
35.208
68.418
8.539
-
2.915
10.721
3.935.386
2.860.760
1.288
29.497
6.239
23.690
12.310
3.606
7.478
970
23.862
108.940
181.766
111.275.494 146.416.520 31.426.558 18.672.274 15.064.529 3.830.329 3.217.843 2.456.374 13.122.861 345.482.782 295.052.844
51.529.592
38.373.987
111.275.494 146.416.520 31.426.558 18.672.274 15.064.529 3.830.329 3.217.843 2.456.374 13.122.861 397.012.374 333.426.831
49.370.286 142.580.785 56.024.916 16.120.094 11.169.103 4.580.021 2.868.243 1.781.222 10.558.174 295.052.844
(1) Composto por Adiantamentos sobre Contratos de Câmbio e Rendas de Adiantamentos Concedidos, reclassificados de Obrigações - Carteira de Câmbio / Outros Créditos (Nota 2a);
(2) Compostos por Títulos e Créditos a Receber, Devedores por Compra de Valores e Bens e Avais e Fianças Honrados;
(3) Contabilizados em Contas de Compensação.
74
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
II - Por Faixas de Vencimento e Níveis de Risco
31/12/2011
AA
A
B
C
D
31/12/2010
E
F
G
H
Total
Total
OPERAÇÕES EM CURSO ANORMAL (1) (2)
Parcelas Vincendas
-
-
3.417.783
3.279.619
2.818.553
1.603.786
1.324.479
1.020.744
4.223.906
17.688.870
11.754.878
01 a 30
-
-
206.281
215.961
161.529
74.863
58.602
49.154
406.496
1.172.886
636.712
31 a 60
-
-
115.116
114.312
113.858
60.643
54.699
42.237
205.335
706.200
621.905
61 a 90
-
-
114.292
112.769
103.699
59.693
49.531
42.138
197.779
679.901
546.108
91 a 180
-
-
329.188
311.942
300.053
170.169
174.931
116.865
536.219
1.939.367
1.522.926
181 a 365
-
-
605.243
568.856
553.828
312.724
260.225
214.513
915.109
3.430.498
2.581.308
Acima de 365
-
-
2.047.663
1.955.779
1.585.586
925.694
726.491
555.837
1.962.968
9.760.018
5.845.919
Parcelas Vencidas
-
-
546.294
688.980
1.214.593
1.015.932
1.034.946
944.154
6.675.077
12.119.976
10.269.107
01 a 14
-
-
28.013
76.267
65.269
33.478
25.760
21.116
102.923
352.826
278.195
15 a 30
-
-
466.902
110.771
184.235
62.467
40.073
29.875
164.050
1.058.373
1.063.084
31 a 60
-
-
51.379
444.602
308.051
156.009
162.535
61.302
287.161
1.471.039
1.362.933
61 a 90
-
-
-
42.429
599.822
191.134
157.918
88.349
321.611
1.401.263
1.024.027
91 a 180
-
-
-
14.911
57.216
540.131
606.291
700.985
1.324.238
3.243.772
2.668.409
181 a 365
-
-
-
-
-
32.713
42.369
42.527
4.268.987
4.386.596
3.624.643
-
-
-
-
-
-
-
-
206.107
206.107
247.816
SUBTOTAL
Acima de 365
-
-
3.964.077
3.968.599
4.033.146
2.619.718
2.359.425
1.964.898
10.898.983
29.808.846
22.023.985
PROVISÃO ESPECÍFICA
-
-
(39.640)
(119.058)
(403.315)
(785.915) (1.179.713) (1.375.429) (10.898.983) (14.802.053) (11.217.317)
SUBTOTAL - 31/12/2010
-
-
2.963.550
2.781.866
2.697.374
2.144.336
1.655.290
1.393.423
8.388.146
22.023.985
OPERAÇÕES EM CURSO NORMAL
Parcelas Vincendas
110.471.028 145.430.455 27.233.846 14.282.454 10.819.500
1.176.575
828.410
476.225
2.173.999 312.892.492 271.070.610
01 a 30
9.723.156
24.712.809
4.858.581
4.654.475
3.364.234
175.198
111.245
60.050
574.576
48.234.324
40.375.447
31 a 60
9.395.845
13.507.877
1.914.979
1.084.983
640.673
67.823
45.625
30.940
232.417
26.921.162
23.426.165
61 a 90
5.690.180
8.731.428
1.602.619
889.309
513.289
82.203
41.334
19.025
135.668
17.705.055
17.087.370
91 a 180
12.746.155
16.051.071
2.904.421
1.655.287
1.103.358
117.661
58.833
43.480
244.987
34.925.253
31.636.386
181 a 365
15.718.621
20.708.001
4.552.891
1.905.820
1.673.551
153.994
109.509
72.570
258.290
45.153.247
41.707.644
Acima de 365
57.197.071
61.719.269 11.400.355
4.092.580
3.524.395
579.696
461.864
250.160
728.061
139.953.451
116.837.598
421.221
211.883
34.036
30.008
15.251
49.879
2.781.444
1.958.249
111.275.494 146.416.520 27.462.481 14.703.675 11.031.383
1.210.611
858.418
491.476
(363.183)
(429.209)
(344.033)
8.471.729
2.435.685
1.212.953
387.799
111.275.494 146.416.520 31.426.558 18.672.274 15.064.529
3.830.329
3.217.843
2.456.374
Parcelas Vencidas até 14 dias
SUBTOTAL
PROVISÃO GENÉRICA
SUBTOTAL - 31/12/2010
TOTAL GERAL
PROVISÃO EXISTENTE
804.466
-
986.065
(732.082)
228.635
(274.625)
(441.111) (1.103.138)
49.370.286 142.580.785 53.061.366 13.338.228
2.223.878 315.673.936 273.028.859
(2.223.878)
(5.911.259)
(6.269.506)
2.170.028 273.028.859
13.122.861 345.482.782 295.052.844
-
(732.082)
(314.265)
(560.169) (4.419.271) (1.914.781) (2.252.169) (2.456.129) (13.122.861) (25.771.727) (22.018.218)
Provisão Requerida (3)
-
(732.082)
(314.265)
(560.169)
Provisão Complementar (4)
-
-
-
-
TOTAL GERAL 31/12/2010
PROVISÃO EXISTENTE
(1.506.453) (1.149.098) (1.608.922) (1.719.462)
(2.912.818)
(765.683)
(643.247)
(736.667)
49.370.286 142.580.785 56.024.916 16.120.094 11.169.103
4.580.021
2.868.243
1.781.222
(13.122.861)
(20.713.312)
(17.486.823)
-
(5.058.415)
(4.531.395)
10.558.174 295.052.844
-
(712.904)
(560.250)
(759.198) (3.349.614) (2.289.552) (2.007.483) (1.781.043) (10.558.174) (22.018.218)
Provisão Requerida (3)
-
(712.904)
(560.250)
(483.603)
(1.116.910) (1.374.006) (1.434.121) (1.246.855)
Provisão Complementar (4)
-
-
-
(275.595)
(2.232.704)
(915.546)
(573.362)
(534.188)
(10.558.174)
(17.486.823)
-
(4.531.395)
(1)Para as operações que apresentem parcelas vencidas há mais de 14 dias ou de responsabilidade de empresas concordatárias ou em processo de falência;
(2)O saldo das operações não atualizadas (“Non Accrual”) montam em R$ 20.448.398 (R$ 14.850.519 em 31/12/2010);
(3)Foi mantida a política de não utilizar a classificação de risco “AA” para pessoas físicas. Em consequência todas as operações de crédito efetuadas com clientes classificados nesses segmentos são
oneradas pela constituição de provisão quando da concessão do crédito;
(4)Alocada em cada nível de risco, por solicitação do BACEN, de modo a explicitar os adicionais quantificados para manter a robustez necessária à absorção de eventuais aumentos de inadimplência
observados em cenários históricos de perda incorrida.
75
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
III - Por Setores de Atividade
31/12/2011
SETOR PÚBLICO
%
31/12/2010
%
2.010.353
0,6
1.165.860
0,5
Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica
411.774
0,1
565.373
0,2
Química e Petroquímica
613.367
0,2
272.565
0,1
Outros
985.212
0,3
327.922
0,1
343.472.429
99,4
293.886.984
99,5
SETOR PRIVADO
PESSOA JURÍDICA
188.118.136
54,4
161.561.353
54,6
INDÚSTRIA E COMÉRCIO
99.862.499
28,9
85.113.228
28,8
Alimentos e Bebidas
16.588.060
4,8
14.344.592
4,9
Autopeças e Acessórios
4.776.173
1,4
3.867.481
1,3
Bens de Capital Agrícola
1.021.056
0,3
847.518
0,3
Bens de Capital Industrial
5.642.929
1,6
5.172.365
1,8
Celulose e Papel
2.330.319
0,7
2.361.801
0,8
Distribuição de Combustíveis
2.195.430
0,6
1.893.279
0,6
Eletroeletrônicos
6.977.488
2,0
6.945.799
2,4
Farmacêutica
2.768.508
0,8
2.098.890
0,7
Fertilizantes, Adubos, Inseticidas e Defensivos
1.650.528
0,5
1.313.974
0,4
275.434
0,1
373.160
0,1
Importação e Exportação
1.894.570
0,5
1.996.909
0,7
Materiais e Equipamentos Médico Hospitalar
1.035.369
0,3
918.736
0,3
Material de Construção
5.299.718
1,5
4.398.567
1,5
Metalurgia e Siderurgia
7.534.425
2,2
6.876.259
2,3
Móveis e Madeira
3.060.849
0,9
2.710.836
0,9
Química e Petroquímica
7.051.031
2,0
5.330.789
1,8
Supermercados
1.640.950
0,5
1.088.887
0,4
Veículos Leves e Pesados
7.653.253
2,2
5.942.477
2,0
Vestuário
9.062.054
2,6
7.682.679
2,6
Outros Comércio
5.858.663
1,7
4.940.944
1,7
Outros Indústria
5.545.692
1,6
4.007.286
1,4
70.649.267
20,4
60.313.047
20,4
Construção Pesada (Empreiteiras)
3.737.145
1,1
3.317.358
1,1
Financeiro
5.273.058
1,5
5.331.036
1,8
Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica
5.281.264
1,5
5.216.304
1,8
Holding
3.264.627
0,9
3.037.021
1,0
11.367.739
3,3
9.568.362
3,2
Mídia
3.092.746
0,9
2.697.881
0,9
Prestadoras de Serviços
4.752.916
1,4
4.487.883
1,5
Saúde
1.730.067
0,5
1.953.773
0,7
Telecomunicações
1.175.256
0,3
1.058.677
0,4
Transportes
15.961.549
4,6
11.931.044
4,0
Outros Serviços
15.012.900
4,3
11.713.708
4,0
16.109.347
4,7
13.948.391
4,7
13.729.411
4,0
11.742.958
4,0
2.379.936
0,7
2.205.433
0,7
1.497.023
0,4
2.186.687
0,7
Fumo
SERVIÇOS
Imobiliário
SETOR PRIMÁRIO
Agroindústria
Mineração
OUTROS Pessoa Jurídica
PESSOA FÍSICA
155.354.293
45,0
132.325.631
44,9
Cartão de Crédito
39.801.064
11,5
33.892.494
11,5
CDC / Conta Corrente
38.640.877
11,2
27.518.496
9,3
Crédito Imobiliário
16.819.163
4,9
10.790.484
3,7
Veículos
60.093.189
17,4
60.124.157
20,4
345.482.782
100,0
295.052.844
100,0
TOTAL GERAL
76
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
b) Concentração de Crédito
31/12/2011
Operações de Crédito, Arrendamento Mercantil Financeiro e Outros Créditos (*)
31/12/2010
% do
Total
Risco
% do
Total
Risco
Maior Devedor
3.099.722
0,8
2.313.377
0,7
10 Maiores Devedores
21.999.582
5,5
18.099.197
5,4
20 Maiores Devedores
36.715.537
9,3
29.008.782
8,7
50 Maiores Devedores
59.376.674
15,0
48.566.953
14,5
100 Maiores Devedores
77.454.351
19,5
64.956.470
19,4
(*) Os valores incluem Avais e Fianças.
Operações de Crédito, Arrendamento Mercantil Financeiro, Outros Créditos e
Títulos e Valores Mobiliários de Empresas e Instituições Financeiras (*)
31/12/2011
31/12/2010
% do
Total
Risco
Maior Devedor
4.516.385
10 Maiores Devedores
20 Maiores Devedores
% do
Total
Risco
1,0
4.436.216
1,2
30.722.398
7,0
28.567.215
7,6
49.679.952
11,3
44.697.920
11,9
50 Maiores Devedores
80.560.182
18,4
69.990.469
18,7
100 Maiores Devedores
104.000.316
23,7
92.206.387
24,6
(*) Os valores incluem Avais e Fianças.
c) Evolução da Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
01/01 a 31/12/2011
01/01 a 31/12/2010
Saldo Inicial
(22.018.218)
(23.702.735)
Constituição Líquida do Período
(19.911.948)
(14.120.560)
(19.384.928)
(15.693.165)
Requerida pela Resolução nº 2.682/99
Complementar (3)
Write-Off
Saldo Final
Provisão requerida pela Resolução 2.682/99
(527.020)
1.572.605
16.158.439
15.805.077
(25.771.727)
(22.018.218)
(20.713.312)
(17.486.823)
Provisão Específica (1)
(14.802.053)
(11.217.317)
Provisão Genérica (2)
(5.911.259)
(6.269.506)
(5.058.415)
(4.531.395)
Provisão Complementar (3)
(1) Para as operações que apresentam parcelas vencidas há mais de 14 dias ou de responsabilidade de empresas concordatárias, ou em processo de falência;
(2) Para operações não enquadradas no item anterior em função da classificação do cliente ou da operação;
(3) A partir do 1º trimestre de 2011 refere-se à provisão complementar aos percentuais mínimos requeridos pela Resolução nº 2.682, de 21/12/1999, do CMN, utilizando – se da metodologia de perda
esperada, adotada na gestão de risco de crédito da instituição, que considera inclusive as perdas potenciais para créditos rotativos.
Em 2010, reduziu-se a necessidade da PDD complementar, associada às novas orientações de Basileia III, onde os efeitos anticíclicos passam a ser tratados na base de capital.
Em 31/12/2011, o saldo da provisão em
relação à carteira de crédito equivale a
7,5% (7,5% em 31/12/2010).
77
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
d) Recuperação e Renegociação de Créditos
I - Composição do Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa
01/01 a
31/12/2011
01/01 a
31/12/2010
(19.911.948)
(14.120.560)
5.488.194
4.209.205
(14.423.754)
(9.911.355)
Despesa de Provisão para Créditos de
Liquidação Duvidosa
Receita de Recuperação de Créditos Baixados
como Prejuízo
Resultado de Créditos de Liquidação Duvidosa
II - Créditos Renegociados
31/12/2011
31/12/2010
Créditos Renegociados
14.570.189
9.032.483
Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa
(6.105.115)
(4.214.187)
41,9
46,7
(%)
e) Operações Ativas Vinculadas
Apresentamos abaixo informações relativas a operações ativas vinculadas,
realizadas na forma prevista na Resolução nº 2.921, de 17/01/2002, do CMN.
31/12/2011
0 - 30
01/01 a 31/12/2011
31 - 180
181 - 365
Total
Receitas (Despesas)
480
110.569
26.261
137.310
22.740
480
110.569
26.261
137.310
(22.715)
Operações Ativas Vinculadas
Operações de Crédito
Obrigações por Operações Ativas Vinculadas
Obrigações por Títulos e Valores Mobiliários no Exterior
Resultado líquido das operações vinculadas
25
Em 31/12/2011, não havia operações inadimplentes.
f) Operações de Vendas ou
Transferências de Ativos Financeiros
De acordo com a Resolução 3.809 de
28/10/2009 do CMN, o montante das
operações de vendas ou transferências
de ativos financeiros onde a entidade
reteve substancialmente os riscos e
benefícios é de R$ 554.290 composto
exclusivamente por operações de Crédito
Imobiliário R$ 534.193 e Crédito Rural R$
20.097, cedidos com coobrigação.
NOTA 9 CARTEIRA DE CÂMBIO
31/12/2011
ATIVO - OUTROS CRÉDITOS
No ano de 2011, foram realizadas cessões
de crédito sem coobrigação, amparadas no
disposto na Resolução nº 2.836, de 30 de
maio de 2001,do CMN, sendo com Partes
Relacionadas no valor de R$ 318.776, sem
impacto no resultado consolidado, e com
Empresas Não Ligadas, no valor de R$
2.271.369 com efeito no resultado de R$ 546.
31/12/2010
21.592.818
Câmbio Comprado a Liquidar - ME
15.486.310
10.649.825
Direitos sobre Vendas de Câmbio - MN
11.277.758
11.204.440
(Adiantamentos Recebidos) - MN
PASSIVO - OUTRAS OBRIGAÇÕES (Nota 2a)
(314.269)
(261.447)
26.181.570
22.034.954
Câmbio Vendido a Liquidar - ME
11.130.675
10.924.697
Obrigações por Compras de Câmbio - MN
15.046.806
11.106.115
4.089
4.142
1.143.965
588.785
1.129.766
550.378
14.199
38.407
Outras
g) Cessão de Crédito
26.449.799
CONTAS DE COMPENSAÇÃO
Créditos Abertos para Importação - ME
Créditos de Exportação Confirmados - ME
78
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
NOTA 10 CAPTAÇÃO DE RECURSOS E
OBRIGAÇÕES POR EMPRÉSTIMOS E REPASSES
a) Resumo
31/12/2011
0 - 30
Depósitos
Captações no Mercado Aberto
31 - 180
181 - 365
31/12/2010
Acima
de 365
Total
%
Total
%
127.685.624
19.849.754
11.920.160
83.180.884
242.636.422
41,9
202.688.057
39,8
59.279.439
11.396.283
11.137.676
107.005.139
188.818.537
32,5
199.656.353
39,1
Recursos de Aceites e Emissão de Títulos
4.862.330
15.756.393
8.840.626
22.097.865
51.557.214
8,9
25.591.719
5,0
Obrigações por Empréstimos e Repasses
4.025.673
12.771.562
12.212.552
27.592.273
56.602.060
9,8
47.337.964
9,3
6,9
34.487.665
6,8
Dívidas Subordinadas (*)
TOTAL
% por prazo de vencimento
TOTAL - 31/12/2010
% por prazo de vencimento
59.547
8.157.341
2.501.565
28.996.734
39.715.187
195.912.613
67.931.333
46.612.579
268.872.895
579.329.420
33,9
11,7
8,0
46,4
194.833.143
56.868.707
47.631.276
210.428.632
38,2
11,2
9,3
41,3
509.761.758
509.761.758
(*) Inclui R$ 740.703 (R$ 657.794 em 31/12/2010) de Ações Preferenciais Resgatáveis classificadas no Balanço na rubrica de Participações Minoritárias.
b) Depósitos
31/12/2011
0 - 30
31 - 180
28.932.523
Poupança
67.169.544
- 666.096
682.565
30.917.461
19.167.189
- Interfinanceiros
A prazo
Outros Depósitos
TOTAL
% por prazo de vencimento
TOTAL - 31/12/2010
% por prazo de vencimento
No ITAÚ UNIBANCO, a Carteira
é composta por Depósitos
Interfinanceiros no montante de R$
4.832.444 (R$ 3.344.008 em 31/12/2010
com vencimento acima de 365 dias)
com vencimento entre 181e 365 dias.
Acima
de 365
181 - 365
À vista
- 31/12/2010
- Total
%
Total
%
- 28.932.523
11,9
25.537.134
12,6
- - 67.169.544
27,7
57.899.455
28,6
444.847
272.115
2.065.623
0,9
1.929.417
1,0
11.475.313
82.908.769
144.468.732
59,5
116.416.375
57,4
- - - - 0,0
905.676
0,4
127.685.624
19.849.754
11.920.160
52,6
8,2
4,9
100.018.287
17.549.791
21.980.529
49,3
8,7
10,8
83.180.884 242.636.422
34,3
63.139.450 202.688.057
31,2
202.688.057
79
Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis
Exercício de 01/01 a 31/12 de 2011 e 2010 (Em milhares de reais)
Itaú Unibanco Holding S.A.
c) Captações no Mercado Aberto
31/12/2011
0 - 30
Carteira Própria
31 - 180
31/12/2010
Acima
de 365
181 - 365
Total
%
Total
%
22.744.688
11.393.389
9.333.011
92.576.432
136.047.520
72,0
164.896.376
Títulos Públicos
14.151.360
296.240
55.840
41.372
14.544.812
7,7
49.038.804
24,6
Emissão Própria
2.912.640
10.267.326
9.277.155
91.698.285
114.155.406
60,4
101.284.273
50,7
Exterior
5.680.688
829.823
16
836.775
7.347.302
3,9
14.573.299
7,2
36.534.751
2.894
-
-
36.537.645
19,4
23.069.503
11,6
-
-
1.804.665
14.428.707
16.233.372
8,6
11.690.474
5,9
59.279.439
11.396.283
11.137.676
107.005.139
188.818.537
Carteira de Terceiros
Carteira Livre Movimentação
TOTAL
% por Prazo de Vencimento
TOTAL - 31/12/2010
31,4
6,0
5,9
56,7
89.009.486
21.368.715
12.066.794
77.211.358
44,6
10,7
6,0
38,7
% por Prazo de Vencimento
82,5
199.656.353
199.656.353
d) Recursos de Aceites e Emissão de Títulos
31/12/2011
0-30
RECURSOS DE LETRAS:
de Crédito Imobiliário
Financeiras
de Crédito do Agronegócio
Hipotecárias
DEBÊNTURES
OBRIGAÇÕES POR TVM NO EXTERIOR
Trade Related - Emitidos no Exterior - Structure Note Issued
Non-Trade Related - Emitidos no Exterior
Euro Certificates of Deposits
31-180
31/12/2010
Acima
de 365
181-365
Total
%
Total
%
2.095.437 11.817.298
4.561.344 15.113.364 33.587.443
65,2
14.277.689
55,8
1.832.885
10.311.381
2.326.128
1.280.813
15.751.207
30,5
8.736.478
34,1
- 600.719
1.943.400
11.763.592
14.307.711
27,8
2.465.749
9,7
253.798
894.371
274.329
1.862.017
3.284.515
6,4
2.773.523
10,8
8.754