I Colóquio Internacional “A Filosofia de Nietzsche e a Teoria Política

Сomentários

Transcrição

I Colóquio Internacional “A Filosofia de Nietzsche e a Teoria Política
I Colóquio Internacional “A Filosofia de Nietzsche e a
Teoria Política: Abordagens Contemporâneas”
O “Super-Homem” e o “Homem Integral”: o uso político da filosofia de
Nietzsche pelo Movimento Verde-Amarelo
Geraldo Pereira Dias1
Nesta comunicação, temos por objetivo, inicialmente, apontar para o uso político da filosofia
de Nietzsche levado a cabo pelo movimento Verde-Amarelo. Para tanto, contamos fazer ver
que um de seus principais nomes, Plínio Salgado, usou de maneira reacionária e ambígua a
ideia do “Super-Homem” (Übermensch) nietzschiano, ora se servindo dela para corroborar
seu nacionalismo ufanista, ora para contrapô-la ao seu conceito de Homem Integral.
Palavras-chave: Super-homem; movimento verde-amarelo; homem integral.
The “Superman” and the “Integral Man”: the political usage of Nietzsche's
philosophy by Movimento Verde-Amarelo
In this paper I intend to point out the political usage of Nietzschean philosophy by
Movimento Verde-Amarelo. I ought to show that one of its most prominent members, Plínio
Salgado, used the Nietzschean idea of the “Superman” (Übermensch) in an ambiguous and
reactionary fashion, at times using it to aid his project of vainglorious nationalism, and at
others to oppose to it his own concept of 'Integral man'.
Mestre em Filosofia pelo programa de Pós -graduação em Filosofia da Universidade Federal de São Paulo,
realizou pesquisa financiada pela CAPES a respeito da Filosofia de Nietzsche, com ênfase no livro Aurora. É
bacharel e licenciado em filosofia pela Universidade Federal de São Paulo, campus Guarulhos. É membro do
GEN - Grupo de Estudo Nietzsche.
Volume I - 2015
1
Caderno de Resumos
Keywords: Superman; Movimento Verde-Amarelo; Integral man.
- 49 -

Documentos relacionados

Como viver no deserto sem transformar em deserto a própria vida

Como viver no deserto sem transformar em deserto a própria vida Referências Bibliográficas 1. CRAGNOLINI, Mónica B. Nietzsche, camino y demora. Buenos Aires: Editorial Universitaria de Buenos Aires, 1998. 2. _______. “Nietzsche por Heidegger: contrafiguras para...

Leia mais

nietzSche, crítico dA morAl eStudo A pArtir de mAcintyre

nietzSche, crítico dA morAl eStudo A pArtir de mAcintyre Ou seja, há uma normatividade e uma necessidade exteriores ao sujeito, que compete a ele discernir sendo físico. Não é apenas exterior ao sujeito, como se tratasse de um objeto; é, antes, transcend...

Leia mais