instruções de serviço - Terex Construction Portal

Сomentários

Transcrição

instruções de serviço - Terex Construction Portal
INSTRUÇÕES DE SERVIÇO
Carregadora de pneus
MHL 350
EDIÇÃO • EDITION
2007-08
GÜLTIG AB FAHRZEUGIDENTNUMMER • VALID FROM VEHICLE IDENTITY NUMBER • A PARTIR DO N° DE SERIE
626 – 1129
FUCHS-BAGGER GMBH & CO. KG MASCHINENFABRIK • D-76669 BAD SCHÖNBORN
SINOPSE DOS CAPÍTULOS
Estas instruções de serviço da FUCHS possuem 9 capítulos que se destinam a diferentes
leitores:
Capítulo
Tema
Leitores
1
PREFÁCIO
Operadores
Pessoal de revisão e manutenção
Pessoal de reparação
2
SEGURANÇA E PREVENÇÃO
DE ACIDENTES
Operadores
Pessoal de revisão e manutenção
Pessoal de reparação
3
DADOS TÉCNICOS
Operadores
Pessoal de revisão e manutenção
Pessoal de reparação
4
ELEMENTOS DE COMANDO
Operadores
Os operadores devem conhecer a
instrução
de
serviço
estar
e
familiarizados com a utilização desta
máquina da FUCHS ou de máquinas
semelhantes.
5
UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA
Operadores
Os operadores devem conhecer a
instrução
de
serviço
estar
e
familiarizados com a utilização desta
máquina da FUCHS ou de máquinas
semelhantes.
6
TRANSPORTE E REMOÇÃO
Operadores
Pessoal de revisão e manutenção
Pessoal de reparação
7
MANUTENÇÃO
Pessoal de revisão, manutenção e
reparação
O pessoal de revisão, manutenção e
reparação deve ter conhecimentos
teóricos e práticos quanto à revisão,
manutenção e reparação desta máquina
da
FUCHS
ou
de
máquinas
semelhantes.
8
AVARIAS DURANTE O
FUNCIONAMENTO
Operadores
Pessoal de revisão e manutenção
Pessoal de reparação
9
ANEXO
Operadores
Pessoal de revisão e manutenção
Pessoal de reparação
MHL 350
ÍNDICE
1
Prefácio...................................................................................................................... 1.1
1.1 Generalidades....................................................................................................................1.1
1.2 Utilização prevista pelo fabricante .....................................................................................1.1
1.3 Abreviações e termos de significado idêntico....................................................................1.2
1.4 Introdução ..........................................................................................................................1.2
1.5 Garantia e manutenção .....................................................................................................1.2
1.6 Normas de protecção do ambiente....................................................................................1.3
1.7 Como utilizar as instruções de serviço ..............................................................................1.3
1.7.1
Referência às ilustrações ..........................................................................................1.3
1.7.2
Riscos e indicações importantes...............................................................................1.3
1.7.3
Pictogramas ..............................................................................................................1.4
1.8 Instruções de serviço dos fornecedores ............................................................................1.6
1.9 Direitos autorais .................................................................................................................1.6
1.10
Endereço da empresa...................................................................................................1.6
1.10.1 Sede administrativa / departamentos de vendas e assistência pós-venda...............1.6
1.10.2 Peças sobressalentes ...............................................................................................1.6
MHL 350
PREFÁCIO 1
1
1.1
Prefácio
Generalidades
A Carregadora de Rodas MHL 350 foi
cuidadosamente controlada antes de deixar a
fábrica. Durante os controlos finais, todas as
funções foram testadas e as potências
previstas, atingidas.
Estas instruções de serviço permitem
conhecer a máquina, utilizando-a conforme
previsto pelo fabricante.
As instruções de serviço contêm informações
importantes sobre a maneira de utilizar a
máquina de maneira segura, correcta e
económica. A observação das indicações
contidas nestas instruções contribui para a
prevenção de perigos e aumenta a fiabilidade
e durabilidade da máquina.
1.2
Utilização prevista pelo fabricante
A carregadora de rodas MHL 350 é destinada
exclusivamente a trabalhos que correspondam ao funcionamento da máquina e ao
seu implemento. Estes trabalhos são:
• o carregamento,
• a movimentação e
• a deslocação
de materiais, tais como sucata, sucata de
metal, aparas e diversos materiais recicláveis.
Os implementos necessários para estes
trabalhos são:
• a garra de duas e de múltiplas mandíbulas
• o magnete
• o gancho de carga
• a garra classificadora
• a tesoura hidráulica
Observar sempre as indicações do fabricante
contidas nestas instruções de serviço.
NOTA
A gama da temperatura de utilização
e de serviço da máquina estende-se
de -15 °C a +45 °C.
Antes de utilizar a carregadora para
processos de transformação de madeira,
consultar o fabricante da máquina.
Qualquer utilização além destas indicações,
bem como a inobservância das indicações do
fabricante serão indevidas e inadequadas. O
fabricante não assume nenhuma responsabilidade por danos resultantes da utilização
indevida. O risco recai exclusivamente sobre
o empreiteiro.
No caso de montagem de implementos não
fabricados por FUCHS, devem-se tomar em
consideração as condições de utilização
previstas pelo fabricante respectivo.
A utilização prevista pelo fabricante inclui a
observação destas instruções de serviço, a
execução dos trabalhos de manutenção
obrigatórios e a observação dos intervalos de
manutenção.
MHL 350
1.1
1 PREFÁCIO
1.3
Abreviações e termos de significado
idêntico
Nestas instruções de serviço, usamos as
seguintes abreviações e termos de significado
idêntico:
MHL 350 : Carregadora de pneus
StVO
: Código de estrada da Alemanha
StVZO
: Regulamento relativo à admissão
à circulação rodoviária (Alemanha)
UVV
: Normas de prevenção de acidentes
(Alemanha)
ANSI
: American National Standards
Institute (nos EUA)
OSHA
: Occupational Safety and Health
Administration (nos EUA)
Regulação de limitação de carga:
Comando da máquina “Conrolunit Electronic”
Carregadora de pneus: máquina, carregadora
1.4
Introdução
Partimos dos pressuposto que a máquina
apenas
será
utilizada
por
pessoas
devidamente autorizadas, qualificadas e
instruídas.
1.5
Garantia e manutenção
NOTA
Salvo autorização prévia por escrito,
não nos responsabilizamos por
mudanças construtivas nem pela
instalação de equipamentos em
produtos da FUCHS. Nestes casos,
caducam a garantia pela máquina
bem como a nossa responsabilidade
decorrente do produto e de quaisquer
danos consecutivos.
O prazo de garantia é de 12 meses ou
2000 horas de funcionamento a partir da data
de entrega da máquina ao cliente.
A utilização racional da máquina depende da
segurança de serviço e do seu perfeito estado
de funcionamento. Com manejo e manutenção correctos, a carregadora atenderá a
estes requisitos.
Para evitar avarias, observar bem a máquina
e as suas funções e utilizar apenas os
produtos auxiliares e lubrificantes indicados.
Estas instruções de serviço, bem como todas
as demais instruções de serviço fornecidas
devem estar sempre na própria máquina,
prontas para serem consultadas.
As reparações que exijam conhecimentos
técnicos específicos, devem ser realizadas
apenas
por
profissionais
devidamente
qualificados. Por isto, a manutenção preventiva e correctiva devem ser efectuadas
sempre pelo serviço pós-venda do seu
representante.
As instruções de serviço contêm todas as
particularidades a serem observadas para
garantir uma utilização segura e adequada da
máquina.
Uma eventual indemnização por danos, no
período
da
garantia,
dependerá
da
observação das periodicidades do plano de
manutenção.
O conhecimento destas instruções de serviço
é indispensável para evitar erros e garantir o
perfeito funcionamento dos processos. É
importante, portanto, que as pessoas
responsáveis tenham lido e compreendido as
presentes instruções de serviço. A leitura e
compreensão das instruções de serviço são
imprescindíveis. O fabricante não assume
nenhuma responsabilidade por danos e
avarias
operacionais
resultantes
da
inobservância destas instruções.
Recomendamos que a manutenção regular
seja efectuada também após o período de
garantia. Desta forma, a máquina sempre
estará pronta para entrar em funcionamento e
terá uma longa vida útil.
Recomendamos que o cliente faça questão
de que, para reparações, sejam usadas
apenas peças genuínas da FUCHS para ter
um produto de qualidade constante que não
perca o seu estado original.
Para maiores informações, consultar o seu
representante.
Reservamo-nos o direito de realizar
alterações da máquina no intuito do seu
aperfeiçoamento técnico sem que isto tenha a
levar, obrigatoriamente, a modificações
destas instruções de serviço.
1.2
MHL 350
PREFÁCIO 1
NOTA
Aquando de consultas, pedidos e
correspondência
em
geral,
mencionar sempre o número de
identificação da máquina.
NOTA
O número de identificação da
máquina encontra-se gravado no
logotipo (fig. 1/1) e na parte direita do
chassi (fig. 1/2) (em sentido de
marcha).
Fig. 1 N.º de identificação do veículo
1.6
Normas de protecção do ambiente
Ao trabalhar com a máquina, observar sempre
as normas de protecção do ambiente.
Durante a execução de trabalhos de reparação e manutenção, evitar a contaminação do
solo e da rede de esgotos por substâncias
perigosas ao ambiente, tais como:
• graxa e óleo lubrificante
• óleo hidráulico
1.7
1.7.1
Como utilizar
serviço
as
instruções
de
Referência às ilustrações
Referências às ilustrações contidas no texto –
exemplo: (14/1) representa figura 14, posição
1.
1.7.2
Riscos e indicações importantes
• combustível
PERIGO
• agente refrigerante
PERIGO – indica uma situação de
risco imediato que, quando não
evitada, causa acidentes fatais ou
ferimentos graves.
• líquidos de limpeza contendo dissolventes.
É necessário recolher, guardar, transportar e
eliminar essas substâncias em recipientes
apropriados.
No caso da contaminação do solo pelos
líquidos acima mencionados, parar o
vazamento de imediato e usar um agente
aglutinante apropriado. Se for necessário,
escavar
o
solo
contaminado.
Tratar
adequadamente o agente aglutinante e o
material escavado. Observar as normas
vigentes de protecção do ambiente.
AVISO
AVISO – indica uma situação com
potencial de risco que, quando não
evitada, pode causar acidentes fatais
ou ferimentos graves.
CUIDADO
CUIDADO – indica uma situação com
potencial de risco que, quando não
evitada, pode causar ferimentos
leves ou reduzidos.
NOTA
NOTA – indica uma situação que,
quando não evitada, pode causar
danos patrimoniais ou materiais.
MHL 350
1.3
1 PREFÁCIO
1.7.3
Pictogramas
A tabela seguinte explica os pictogramas utilizados na consola de comando. São opcionais as
funções e os indicadores marcados com (*).
Indicação
Descrição
Função
Descrição
Símbolo
(Indicadores)
Símbolo
(Interruptores)
1.4
Controlo do sinal de pisca-pisca
Faróis de trabalho
Controlo da carga da bateria
Luz de marcha
Pressão do óleo de motor
Subir / descer cabina
Travão de estacionamento
Sistema de lubrificação
centralizado
Disparar lubrificação adicional
Pré-incandescência
Ampliação do campo
operacional
Ocupação dupla:
Obstrução do filtro de ar do motor
Obstrução do filtro de retorno
Gamas de velocidade I/II
Pressão do travão de serviço
Só em caso de emergência:
curto-circuitar o interruptor
térmico ou o interruptor do
nível de óleo hidráulico /
bloquear todas as funções de
trabalho
Temperatura do óleo hidráulico
Limpa-pára-brisas /
limpar/lavar (vidro superior)
Regulação de carga limite
Limpa-pára-brisas /
limpar/lavar (vidro inferior)
Lâmpada de controlo do nível do
agente refrigerante
Avisador de sobrecarga *
Ocupação dupla:
Temperatura do agente
refrigerante
Nível do óleo hidráulico
Instalação magnética *
Temperatura do agente
refrigerante motor
Sistema automático de
marcha lenta
Nível de combustível
Bloqueio / desbloqueio do eixo
oscilante
MHL 350
PREFÁCIO 1
Indicação
Descrição
Função
Descrição
Símbolo
(Indicadores)
Símbolo
(Interruptores)
Contador de horas de
funcionamento
Pisca-pisca de emergência
Voltímetro do gerador *
A tabela seguinte explica os pictogramas utilizados na máquina.
Símbolo
MHL 350
Descrição
Símbolo
Descrição
Distância de segurança
Óleo hidráulico
Risco de ferimentos
Combustível
Ponto de fixação
Ponto de fixação para
içamento da máquina com
guindaste
Proibido usar jacto de pressão
Ar condicionado
1.5
1 PREFÁCIO
1.8
Instruções
de
fornecedores
serviço
dos
As instruções de serviço indicadas a seguir
descrevem componentes provenientes de
fornecedores e devem, igualmente, ser
observadas pelo empreiteiro. As instruções de
serviço da FUCHS fazem referências a essas
instruções de serviço.
Instruções de Serviço
Fabricante
Motor Diesel
Deutz
Sistema de lubrificação
centralizado
Lincoln
Ar condicionado
Wölfle
Opcional:
Gerador
EME
Aquecimento autónomo
Eberspächer
Interruptor de sobrecarga Krüger
1.9
Direitos autorais
Reservados todos os direitos de autor destas
instruções de serviço para a empresa FuchsBagger GmbH & Co. KG. Estas instruções
de serviço dirigem-se ao pessoal encarregado
da utilização, manutenção e supervisão.
Salvo autorização prévia por escrito, proibida
a reprodução e divulgação parcial e completa
bem como o uso indevido para fins de
concorrência.
1.10 Endereço da empresa
1.10.1 Sede administrativa / departamentos de vendas e assistência pós-venda
Fuchs-Bagger GmbH & Co. KG Maschinenfabrik
Postfach 1161
Industriestraße 3
D-76662 Bad Schönborn
D-76669 Bad Schönborn
Tel.:
+49-7253-84-0
Fax:
+49-7253-84-411
http://www.fuchs-terex.de
e-Mail: [email protected]
1.10.2 Peças sobressalentes
Schaeff Ersatzteile Service GmbH & Co. KG
Postfach 1264
Erlbacher Straße 115
D-91534 Rothenburg
D-91541 Rothenburg
Tel.:
+49-9861-972-0
Fax:
+49-9861-972-410
http://www.schaeff-terex.com e-Mail: [email protected]
N.º de pedido das instruções de serviço:
N.º de ident. do veículo:
1.6
5 781 170 709 (portugiesisch)
350/0626>
MHL 350
ÍNDICE
2
Segurança e prevenção de acidentes ..................................................................... 2.1
2.1 Notas preliminares .............................................................................................................2.1
2.2 Instruções gerais de segurança.........................................................................................2.1
2.3 Manejo ...............................................................................................................................2.2
2.4 Zona perigosa ....................................................................................................................2.2
2.5 Transporte de pessoas ......................................................................................................2.2
2.6 Estabilidade .......................................................................................................................2.3
2.7 Translação .........................................................................................................................2.3
2.8 Carregamento e descarregamento ....................................................................................2.4
2.9 Ajudante sinaleiro ..............................................................................................................2.4
2.10
Utilização em caso de risco de queda de objectos.......................................................2.4
2.11
Trabalhar nas imediações de linhas aéreas .................................................................2.5
2.12
Utilização em ambientes fechados ...............................................................................2.5
2.13
Interrupções do trabalho ...............................................................................................2.6
2.14
Utilização como dispositivo elevador ............................................................................2.6
2.15
Montagem, manutenção, reparação .............................................................................2.7
2.16
Remoção, transporte ....................................................................................................2.8
2.17
Supervisão, controlo .....................................................................................................2.8
2.18
Grelha protectora do telhado FOPS de acordo com DIN ISO 3449-II ..........................2.9
2.19
FOPS/protecção da parte frontal de acordo com DIN ISO 10262 ................................2.9
2.20
Saída de emergência....................................................................................................2.9
2.21
Perigos residuais ..........................................................................................................2.9
2.21.1 Falha do sistema hidráulico.......................................................................................2.9
2.22
Cabina de elevação ......................................................................................................2.9
2.22.1 Serviço ......................................................................................................................2.9
MHL 350
SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES 2
2
2.1
Segurança
acidentes
e
prevenção
de
Notas preliminares
Em seguida, apresentamos indicações para o
manejo correcto e seguro da carregadora.
Para a utilização de carregadoras, observar
também as normas de segurança nacionais.
Na Alemanha, trata-se das normas de
prevenção de acidentes “Máquinas para
movimentação de terras” (VBG 40) e
“Veículos” (VBG 12), nos EUA, das normas
“ANSI – American National Standards
Institute“ e “OSHA – Occupational Safety and
Health Administration“.
Observar, além destas instruções de serviço,
as normas legais da prevenção de acidentes.
As obrigações podem dizer respeito, por
exemplo, à manipulação de substâncias
perigosas ou ao uso obrigatório de um
equipamento de protecção individual.
Durante a operação da máquina, usar
vestuário de protecção. Não usar anéis, xailes
e casacos abertos. Determinados trabalhos
podem exigir o uso de óculos e sapatos de
segurança, capacetes, luvas de protecção,
coletes reflectores, protectores de ouvidos,
etc.
Antes de iniciar os trabalhos, pegar
informações sobre primeiros-socorros e
serviços de salva-vidas (ajuda médica de
emergência, bombeiros, helicóptero).
O lugar previsto para o extintor (máx. 4 kg)
encontra-se dentro da cabina, na travessa
esquerda traseira. O utente deve saber como
manejar o extintor e conhecer as instalações
locais de detecção e combate a incêndios.
Peças soltas, tais como ferramentas e outros
acessórios, devem ser fixadas na máquina.
Observar, além disto, as exigências de
segurança aplicáveis quando a máquina for
usada em locais específicos (túneis, galerias,
pedreiras, pontões, zonas contaminadas).
2.2
Instruções gerais de segurança
Evitar qualquer operação
comprometer a segurança.
que
possa
Utilizar a máquina apenas quando ela se
encontrar em perfeitas condições de
funcionamento, proporcionando segurança.
Observar todas as instruções de serviço do
fabricante
concernentes
a
transporte,
montagem, manejo, manutenção, reparação.
Se for necessário, o empreiteiro será obrigado
a completar as instruções de segurança por
instruções
particulares
adaptadas
às
condições de utilização locais.
Estas instruções de serviço assim como todas
as demais instruções relativas à segurança
devem ser guardadas cuidadosamente na
cabina do condutor.
As instruções de serviço assim como as
instruções relativas à segurança devem ser
completas e legíveis.
Os equipamentos de segurança das
máquinas carregadoras não devem ser
desactivados nem retirados.
MHL 350
2.1
2 SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES
2.3
Manejo
As funções manejo e manutenção das
carregadoras devem ser atribuídas apenas a
pessoas
• com as necessárias qualidades, físicas e
intelectuais;
• devidamente instruídas em relação ao
manejo e à manutenção e que tenham
comprovado, ao empreiteiro, estarem aptas
ao serviço;
• e dos quais se pode esperar que cumpram
conscienciosamente as suas funções.
Observar a idade mínima legal.
Se não for possível manter esta distância de
segurança, o acesso à zona entre os objetos
e o campo operacional da máquina deve ser
interditado.
Caso o operador da máquina, por razões
próprias à utilização, não possa ver todo o
campo operacional, o campo operacional
deve ser protegido por uma barreira fixa / ele
deve contar com o apoio de um ajudante
sinaleiro.
2.5
Transporte de pessoas
É proibido o transporte de pessoas na
máquina.
As pessoas em questão devem ser
encarregadas, pelo empreiteiro, do manejo e
da manutenção da máquina.
Os elementos de comando (órgãos de
comando) devem ser accionados apenas a
partir do posto do condutor ou do posto do
operador.
Para o acesso e a subida à máquina, usar
apenas as superfícies previstas. Manter as
superfícies em condições de utilização
seguras.
2.4
Zona perigosa
Ninguém deve estar na zona de perigo da
máquina.
A zona de perigo é a zona em torno da
carregadora na qual uma pessoa pode ser
atingida por movimentos de trabalho da
máquina, do seu equipamento de trabalho,
dos seus implementos ou pela oscilação ou
queda da carga.
No caso de perigo para pessoas, o operador
da máquina deve dar sinais de aviso.
O operador deve interromper o trabalho com a
máquina se a pessoa, apesar dos avisos, não
sair da zona perigosa.
Para evitar esmagamentos, manter uma
distância de segurança suficiente (mín. 0,5 m)
entre a máquina e outros objetos, tais como
edifícios, muros, andaimes e outras
máquinas.
2.2
MHL 350
SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES 2
2.6
Estabilidade
Para evitar o viramento, assegurar a
estabilidade das carregadoras durante a
utilização e deslocação.
O operador da máquina deve adequar a
velocidade às condições locais.
Observar a carga máxima admissível da
máquina.
Para evitar quedas, manter distância
suficiente de bordos de fossos, taludes ou
pedreiras.
Na vizinhança de escavações, poços, fossos,
bordos de escavações e de taludes, proteger
as
carregadoras
de
resvalamento e
movimentos acidentais.
2.7
Translação
Para assegurar a segurança do trabalho, o
assento do operador, os retrovisores e os
elementos de comando devem ser ajustados
antes da colocação em serviço da
carregadora.
Antes de descer trajectos em declive, engatar
a velocidade adequada (gama deslocação ou
trabalho). Não mudar a velocidade durante a
descida.
A circulação das carregadoras em estradas
públicas apenas é permitida quando a
máquina e o condutor possuam uma carta de
condução / admissão à circulação rodoviária
em conformidade com o código de estrada
nacional.
NOTA
A máquina MHL 350 não possui a
admissão à circulação rodoviária
facto pelo qual não pode ser
conduzida na rede pública rodoviária
da Alemanha.
As normas do código de estrada devem ser
observadas também fora da rede rodoviária
pública, por exemplo no perímetro da fábrica.
Recomendamos observar esta indicação
também no que concerne à carta de
condução.
Os vidros devem estar limpos e livres de gelo.
As vias de circulação devem encontrar-se em
um estado que garanta o manejo seguro sem
problemas, ou seja: largura suficiente,
aclive/declive reduzido e base estável.
Nas vias de circulação, os troços em
aclive/declive devem permitir a travagem
segura das carregadoras.
Antes de passar por pontes, ambientes
subterrâneos e superfícies de trabalho em
geral, verificar a carga admissível.
Antes de passar por passagens inferiores e
túneis, verificar o espaço livre destas
edificações.
Para aumentar a estabilidade em terrenos
com forte declive/aclive, transportar a carga
do lado “morro acima”.
MHL 350
2.3
2 SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES
2.8
Carregamento e descarregamento
É proibido movimentar o equipamento de
trabalho por cima de postos de condução,
operação ou trabalho de outras máquinas ou
instalações, ocupadas por pessoas.
Aquando
do
carregamento,
evitar
sobrecargas. Fixar o material carregado de
forma que ele não possa cair durante a
deslocação. Realizar o carregamento da
máquina com a altura mais baixa possível.
Ao trabalhar em locais com risco de
viramento, tomar medidas de segurança
adequadas para evitar movimentos acidentais
e quedas das carregadoras.
2.9
2.10 Utilização em caso de risco de queda
de objectos
No caso de perigos ligados à queda de
objectos, as carregadoras só devem ser
utilizadas se os postos de operador e de
comando estão equipados de um tejadilho de
protecção (FOPS). Quando a cabina está
sujeita a invasões de material, instalar uma
protecção frontal.
Quando utilizadas na frente de muros, por
exemplo
com
produtos
empilhados,
posicionar e manejar as máquinas de modo
que o posto de operador e o acesso à cabina
não se encontrem no lado do muro.
Ajudante sinaleiro
Os ajudantes sinaleiros devem ser facilmente
reconhecíveis, por exemplo por uma roupa de
cores de aviso, e devem permanecer sempre
no campo visual do operador da máquina.
O operador da máquina e o ajudante sinaleiro
devem chegar a um acordo quanto aos sinais
a serem usados durante a operação. Estes
sinais devem ser dados só por essas duas
pessoas.
Para assegurar a concentração e segurança
máximas, o ajudante sinaleiro não deve ser
encarregado de outras tarefas.
2.4
MHL 350
SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES 2
2.11 Trabalhar nas imediações de linhas
aéreas
Para evitar a transmissão de corrente
eléctrica durante o trabalho nas imediações
de linhas aéreas ou catenárias, manter uma
distância de segurança de acordo com a
tensão nominal da linha aérea entre a linha e
a máquina / o seu equipamento de trabalho.
O mesmo se aplica à distância entre estas
linhas e o implemento e as cargas fixadas.
Observar as
obrigatórias:
distâncias
de
2.12 Utilização em ambientes fechados
Quando as carregadoras forem utilizadas em
ambientes
fechados,
proporcionar
um
arejamento suficiente e observar as
disposições específicas.
segurança
Tensão nominal
em volts
Distância de
segurança
em metros
– 1000 V
1,0 m
> 1 kV a 110 kV
3,0 m
> 110 kV a 220 kV
4,0 m
> 220 kV a 380 kV
5,0 m
tensão nominal
desconhecida
5,0 m
Considerar também todos os movimentos de
trabalho das carregadoras, por exemplo as
posições da lança, a oscilação de cabos e as
dimensões de cargas fixadas. Considerar
eventuais desníveis do terreno pelas quais a
carregadora pode se aproximar de linhas
aéreas.
Observar também que movimentos oscilantes
das linhas aéreas, causados pelo vento,
podem reduzir a distância.
Quando não for possível manter uma
distância suficiente entre as linhas aéreas ou
catenárias e as carregadoras, cabe ao
empreiteiro – de comum acordo com o
proprietário ou usuário das linhas – tomar
medidas de segurança alternativas contra a
transmissão da corrente, tais como:
• desligar a corrente;
• deslocar a linha aérea;
• cablagem ou
• limitação
do
carregadoras.
MHL 350
raio
de
acção
das
2.5
2 SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES
2.13 Interrupções do trabalho
• tabela de cargas na cabina
Antes das pausas e do fim dos trabalhos,
cabe ao operador parar a carregadora em
uma superfície sólida e plana, imobilizando-a,
em seguida.
• dispositivo de içamento seguro para o meio
de elevação (por exemplo gancho de carga
ou manilha)
Antes das pausas e do fim dos trabalhos,
cabe ao operador descer o equipamento de
trabalho, pousando-o no solo, ou imobilizar o
equipamento de trabalho.
O operador não se deve afastar da máquina
enquanto o equipamento de trabalho não
tenha sido encostado no solo ou imobilizado.
O operador não se deve afastar da máquina
enquanto o equipamento de trabalho não
tenha sido encostado no solo ou imobilizado.
Estacionar as carregadoras somente em
lugares onde não constituam um obstáculo no
perímetro da fábrica ou para a circulação
interna da fábrica. Se for necessário, usar
dispositivos de aviso, por exemplo triângulos
de sinalização, cabos de sinalização,
lâmpadas intermitentes ou avisadoras.
Antes de deixar o posto de comando, cabe ao
operador meter todos os dispositivos na
posição zero e accionar o travão de
estacionamento.
Antes de afastar-se da máquina, cabe ao
operador desligar e bloquear os motores de
propulsão de modo a evitar o arranque
indevido.
2.14 Utilização como dispositivo elevador
Entenda-se por utilização como dispositivo
elevador qualquer operação de elevação,
transporte e descida de cargas mediante um
meio de fixação (cabo, corrente, etc.),
içamento e soltura de cargas para a qual seja
necessário o apoio de outras pessoas.
A utilização como dispositivo de elevação
apenas será permitida quando a carregadora
estiver equipada com os dispositivos de
segurança obrigatórios e prontos a entrar em
funcionamento.
Segundo a directiva CE respeitante às
máquinas 98/37/CE e Euronorm EN 474-5 de
Outubro de 2001, trata-se, nomeadamente,
dos seguintes dispositivos:
* só no caso de uma capacidade de carga
superior a 1000 kg ou de um momento de
derrubamento superior a 40.000 Nm
Para poder utilizar uma carregadora como
dispositivo elevador, é necessário equipá-la
com um avisador de sobrecarga, com válvulas
de segurança para o caso da ruptura de
mangueiras nos cilindros de lança e, se for
caso disto, com um gancho de carga ou haste
da caçamba com gancho.
Aquando da utilização
observar o seguinte:
como
elevador,
• Fixar as cargas de
movimentos e quedas.
modo
a
evitar
• Pessoas que acompanhem a deslocação da
carga ou sejam encarregadas da fixação da
carga devem sempre permanecer no campo
visual do operador.
• Manter as cargas o mais perto possível do
solo e evitar movimentos oscilantes da
carga.
• Deslocar as cargas apenas em trajectos
planos.
• Pessoas encarregadas da fixação da carga
apenas devem aproximar-se lateralmente
da lança após uma autorização do operador
da máquina.
• O operador da máquina só deve dar esta
autorização quando a máquina e o
equipamento
de
trabalho
estiverem
parados.
• Não utilizar meios de fixação (cabos,
cadeias) danificados ou de dimensões
insuficientes.
Para
trabalhar
com
dispositivos de fixação, usar sempre luvas
de protecção.
• A utilização como elevador é da
responsabilidade do empreiteiro. Além
disso, observar as normas de prevenção de
acidentes das associações profissionais.
• avisador de sobrecarga
• válvulas de segurança para o caso da
ruptura de mangueiras nos cilindros de
lança (cilindros de elevação) *
2.6
MHL 350
SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES 2
2.15 Montagem, manutenção, reparação
Cabe ao empreiteiro nomear um pessoa
devidamente qualificada para supervisionar
os trabalhos de montagem, modificação e
desmontagem das carregadoras durante os
quais hão de ser observadas as instruções de
serviço.
Trabalhos em determinadas instalações, tais
como travões, direcção, sistemas hidráulicos
e eléctricos apenas podem ser efectuados por
técnicos devidamente qualificados.
Durante todos os trabalhos, garantir sempre a
estabilidade das carregadoras.
Para
evitar
qualquer
movimento
do
equipamento de trabalho, este deve ser
imobilizado, descendo-o até ao solo ou
adoptando outras medidas, tais como mangas
e cavaletes de apoio. Se for necessário,
bloquear o carro superior da máquina para
evitar movimentos giratórios.
Durante
os
trabalhos
de
reparação
efectuados nas suas imediações, cobrir a
bateria com material isolante. Não colocar
nenhuma ferramenta na bateria.
Antes da abertura ou desmontagem de
dispositivos de protecção das peças móveis
da máquina, parar os accionamentos,
protegendo-os de arranques acidentais.
Dentre os dispositivos de protecção,
mencionamos,
nomeadamente,
capotas,
portas, grelhas protectoras, tampas e
revestimentos.
Após a conclusão dos trabalhos de
montagem, manutenção ou reparação,
reinstalar correctamente todos os dispositivos
de protecção.
Antes de soldar elementos de sustentação
das carregadoras, consultar o fabricante e
observar as regras reconhecidas da técnica
de soldadura.
Para a montagem e desmontagem dos
contrapesos, usar, exclusivamente, os pontos
de fixação previstos pelo fabricante. Observar
o deslocamento significativo do centro de
gravidade da máquina.
Não soldar nem perfurar os tejadilhos de
protecção (FOPS).
Quando as carregadoras são colocadas sobre
cavaletes, evitar o seu resvalamento pelo uso
adequado dos dispositivos de elevação. Evitar
qualquer inclinação dos macacos, bem como
o seu uso em posição inclinada.
Antes de efectuar trabalhos na instalação
hidráulica, evacuar a pressão de comando, as
pressões residuais e a pressão interna do
depósito de combustível.
Imobilizar carregadoras levantadas por calços
de calços de madeira ou metal para evitar o
seu viramento.
Imediatamente após a sua elevação pelo
equipamento de trabalho, introduzir uma base
segura a fim de garantir a estabilidade das
máquinas suspensas. É proibido trabalhar
debaixo de máquinas elevadas que se
apóiem, unicamente, no sistema hidráulico.
Antes de efectuar trabalhos de manutenção e
de reparação, parar os motores de propulsão.
Estas instruções devem ser observadas a
rigor! A única excepção são os trabalhos de
manutenção e de reparação que não podem
ser executados sem propulsão.
Antes de efectuar trabalhos na instalação
eléctrica ou soldaduras a arco, desconectar a
bateria.
Para desconectar a bateria, desconectar
primeiro o pólo negativo e depois o pólo
positivo. Para conectar novamente a bateria,
adoptar o procedimento inverso.
MHL 350
Modificações na instalação hidráulica exigem
a autorização prévia pelo fabricante.
PERIGO
Não abrir os acumuladores de
pressão! Gás sob pressão no seu
interior. Os acumuladores contêem
azoto (perigo de asfixia).
A substituição e colocação em
serviço dos acumuladores devem ser
realizadas sempre por técnicos
devidamente qualificados. Não tocar
os acumuladores enquanto estes
estiverem quentes.
Não modificar os acumuladores de
pressão (por solda, perfuração,
abertura à força, etc.).
Usar apenas as mangueiras
previstas pelo fabricante.
hidráulicas
Assentar e montar as mangueiras hidráulicas
de acordo com as exigências.
É proibido fumar ou manipular fogo durante o
abastecimento de combustível.
2.7
2 SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES
2.16 Remoção, transporte
Para a remoção de carregadoras, usar
apenas meios de fixação de dimensões
suficientes.
Utilizar os pontos de fixação previstos pelo
fabricante, tais como ilhós ou ganchos.
Substituir mangueiras hidráulicas o mais
tardar após seis anos ou de imediato se
apresentem os seguintes defeitos:
• Danificações da superfície externa até à
inserção.
• Superfícies externas quebradiças e frágeis.
Durante o carregamento e transporte, fixar as
carregadoras e os equipamentos necessários
a fim de evitar movimentos acidentais.
• Deformações sob pressão ou sem pressão
(alteração do formato original das
mangueiras).
Limpar o chassi da máquina de lama, neve e
gelo para permitir o acesso seguro às
rampas, evitando o risco de derrapagem.
• Fugas
Antes de partir, inspeccionar o trajecto a ser
percorrido quanto à largura das vias, espaço
necessário nas passagens superiores e
inferiores e carga máxima de estradas,
pavimentos e pontes.
2.17 Supervisão, controlo
Os controlos da máquina
realizados por um perito:
devem
ser
• antes da primeira colocação em serviço e,
após a modificações importantes, antes da
recolocação em serviço;
• no mínimo uma vez por ano;
• e, durante este período de um ano, em
função das condições de uso e serviço.
Além disso, cabe ao operador da máquina
controlar, antes de cada jornada, o
funcionamento dos equipamentos de trabalho
e de translação, segundo as instruções do
fabricante. Ver capítulo 4 “Elementos de
comando” e o capítulo 5 “Utilização da
máquina”.
• Danificações dos elementos de ligação das
mangueiras ou das conexões entre as
peças de ligação e a mangueira.
Controlar o nível do agente refrigerante
apenas quando o motor estiver frio. Girar a
tampa lenta e cuidadosamente para evacuar
a pressão.
Antes da utilização como dispositivo elevador,
cabe ao operador da máquina controlar o
funcionamento dos dispositivos de segurança
necessários.
No caso de defeitos, cabe ao operador da
máquina informar, sem demora, o supervisor
e, no caso da troca de operadores, o
operador que o segue no comando da
máquina.
No caso de defeitos susceptíveis de afectar a
segurança de serviço, parar a máquina e
eliminar os defeitos antes da recolocação em
serviço.
Ao montar equipamentos de trabalho com
sistemas de troca rápida, verificar o seu
assente fixo, girando o equipamento de
trabalho em todas as posições. Nisto, não é
permitida a permanência de pessoas na zona
perigosa.
2.8
MHL 350
SEGURANÇA E PREVENÇÃO DE ACIDENTES 2
2.18 Grelha protectora do telhado FOPS
de acordo com DIN ISO 3449-II
A cabina dispõe de quatro furos no tejadilho
para a fixação de uma grelha protectora de
tejadilhos (FOPS). Este dispositivo de
protecção é um acessório opcional a ser
usado para determinadas aplicações. O
fabricante recebeu o certificado de aprovação
do equipamento conforme DIN ISO 3449-II.
2.19 FOPS/protecção da parte frontal de
acordo com DIN ISO 10262
Na parte anterior e no tejadilho da cabina
existem seis furos previstos para a fixação de
uma protecção frontal de tejadilho. O
fabricante recebeu o certificado de aprovação
conforme DIN ISO 10262-1998 e SAE I 1356fevereiro 1988
2.20 Saída de emergência
O pára-brisas pode ser usado como saída de
emergência. Quando esta saída não pode ser
usada devido à instalação de uma protecção
frontal ou devido a outros motivos, usar o
vidro traseiro como saída de emergência. O
martelo de emergência encontra-se na
travessa direita traseira.
2.21 Perigos residuais
2.21.1 Falha do sistema hidráulico
2.22 Cabina de elevação
Ao descer a cabina até à posição final inferior,
observar que há risco de esmagamento de
terceiros pelo mecanismo de elevação visto
que o operador não pode ver toda a zona em
baixo da cabina.
Observar, ainda, que este risco também
existe quando a cabina, em caso de
emergência, é baixada mediante a torneira de
macho esférico situada no exterior da
máquina (ver capítulo 4.8.6).
CUIDADO
Durante a translação, a cabina há de
encontrar-se na posição inferior.
CUIDADO
Durante o ajuste da cabina, a
translação e o trabalho, descer o
apoio do braço esquerdo e manter
fechada a porta da cabina.
2.22.1 Serviço
No caso do carregamento de peças
compridas e finas, tais como tubos e barras
que sobressaem à garra, oscilações fortes da
garra podem fazer com que estas peças,
apesar da instalação de uma grelha
protectora (protecção frontal), invadam a
cabina.
No caso de avarias do sistema hidráulico
causadas pela parada do motor Diesel, por
defeitos da bomba hidráulica ou pela perda de
óleo hidráulico, restam apenas as seguintes
funções de emergência:
• direcção manual (sem servocomando) e
• descer o equipamento de trabalho (só com
ignição ligada e interruptor basculante
“bloqueio de todas as funções de trabalho”
accionado).
MHL 350
2.9
ÍNDICE
3
Dados técnicos ......................................................................................................... 3.1
3.1 Dimensões .........................................................................................................................3.1
3.2 Componentes.....................................................................................................................3.3
3.3 Motor Diesel.......................................................................................................................3.4
3.4 Instalação eléctrica ............................................................................................................3.4
3.5 Instalação hidráulica ..........................................................................................................3.5
3.6 Mecanismo de rotação.......................................................................................................3.6
3.7 Transmissão ......................................................................................................................3.6
3.8 Travões ..............................................................................................................................3.6
3.9 Eixos ..................................................................................................................................3.6
3.10
Pneus............................................................................................................................3.6
3.11
Aquecimento .................................................................................................................3.7
3.12
Cargas admissíveis.......................................................................................................3.7
3.13
Níveis sonoros de acordo com directiva 2000/14/CE e ISO 6395 anexo A..................3.7
3.14
Vibrações ......................................................................................................................3.7
3.15
Comando ......................................................................................................................3.7
3.16
Campo operacional da máquina ...................................................................................3.8
3.16.1 Curva do campo operacional (equipamento de carga 12,5 m) .................................3.8
3.16.2 Tabela de cargas (equipamento de carga 12,5 m)....................................................3.9
3.16.3 Curva do campo operacional (equipamento de carga 13,5 m) ...............................3.10
3.16.4 Tabela de cargas (equipamento de carga 13,5 m)..................................................3.11
3.16.5 Curva do campo operacional (equipamento de carga 15 m) ..................................3.12
3.16.6 Tabela de cargas (equipamento de carga 15 m).....................................................3.13
3.17
Implementos ...............................................................................................................3.14
3.17.1 Outros acessórios (opcional)...................................................................................3.14
3.18
Capacidades ...............................................................................................................3.15
3.19
Produtos auxiliares .....................................................................................................3.16
3.19.1 Recomendações alternativas para outros campos de temperatura ........................3.17
3.19.2 Óleo hidráulico biodegradável PANOLIN HLP SYNTH 46 ......................................3.17
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3
3.1
Dados técnicos
Dimensões
Fig. 2 Dimensões (em mm) com pneus 12.00-20
MHL 350
3.1
3 DADOS TÉCNICOS
Fig. 3 Dimensões de transporte com pneus 12.00-20 (1) equipamento de carga 12,5 m, 2) equipamento de
carga 13,5 m, 3) equipamento de carga 15 m)
3.2
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3.2
Componentes
1
Eixo dianteiro (eixo de direcção)
2
Eixo traseiro (eixo oscilante)
3
Caixa escalonada com duas
velocidades de translação,
manobrável em carga, e motor de
prato cíclico de regulação contínua
4
4 estabilizadores
5
Contrapeso
6
Cilindro de lança
7
Cabina de elevação hidráulica
8
Mecanismo de elevação cabina
9
Lança em forma de caixa
10
Cilindro de escavação
11
Semi-braço
12
Garra de mandíbulas múltiplas
Fig. 4 Componentes
MHL 350
3.3
3 DADOS TÉCNICOS
3.3
Motor Diesel
Fabricante
DEUTZ
Tipo
BF 6 M 1013 EC
Modelo
Motor de 6 cilindros em linha /
turbocompressor movido por gás de escape +
arrefecimento do ar de admissão
Potência de motor conforme DIN 70020
142 kW a n = 2000 rpm
Cilindrada
7,14 litros
Refrigeração
Arrefecimento de água / do ar de admissão
Normas relativas ao gás de escape
COM II / EPA TIER II
Consumo específico de combustível
212 g/kWh com 100 % da potência nominal
Depósito de combustível
Pré-filtro de combustível com separação de
água
Filtro de ar
Filtro de dois estágios com válvula de
segurança
3.4
Instalação eléctrica
Tensão de serviço
24 V
Bateria
2 x 12 V – 100 Ah / 450 A (conf. DIN) – 760 A
(conf. EN)
Alternador
28 V 55 A
Motor de arranque
24 V 4,0 kW
Ajuda ao arranque a frio
Flange de aquecimento montada no motor
Iluminação
2 faróis de marcha integrados ao carro
superior
2 faróis de trabalho na lança
Luzes traseiras e de pisca-pisca
Opcional: faróis de trabalho no semi-braço e
na cabina.
Instalação para o serviço com a placa magnética
3.4
Gerador de corrente contínua (de 13 kW ou
20°kW) com controlo – accionamento directo
pelo motor diesel por meio da correia
trapezoidal. Os geradores estão equipados
com um filtro de pó e uma indicação de
sobreaquecimento.
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3.5
Instalação hidráulica
Bomba principal
Dupla bomba de vazão variável em circuito
aberto
Débito da bomba:
máx. 580 l/min
n = 2000 rpm
Pressão de serviço:
máx. 360 bar
a
A bomba é regulada em função do débito
necessário, transportando apenas o volume
de óleo exigido pelos equipamentos
consumidores.
A transferência da potência entre a bomba e o
motor é controlada pelo regulador de carga
limite. Desta forma, o motor está protegido
contra variações do número de rotações e
sobrecargas, inclusive quando operado com
carga parcial. O regulador de carga limite
proporciona o aproveitamento optimizado da
potência disponível do motor. Um comutador
de selecção no posto de condução permite a
regulação contínua da bomba no modo de
operação “Fine-Mode”.
Bombas suplementares
Bombas de engrenagens separadas, em
circuito aberto, alimentando os consumidores
secundários tais como “subir cabina” ou as
funções “rotação garra“, “comando“, “piloto“,
“travão“.
Distribuidor
Distribuidor a seccões – sistema de circuito
simples
Radiador de óleo
O número de rotações do ventilador é
regulado termostaticamente.
Filtro de óleo hidráulico
Filtração a pleno débito no retorno de óleo
através de 2 elementos filtrantes EXAPOR
integrados ao depósito de óleo.
Fineza absoluta do filtro 10 µm no elemento
principal e 200 µm através do “bypass”.
MHL 350
3.5
3 DADOS TÉCNICOS
3.6
Mecanismo de rotação
Coroa giratória larga com dentes internos.
Accionamento por engrenagem planetária de
3 estágios com travão de lamelas integrado,
accionado por pedal, bloqueável.
3.7
Velocidade de rotação
do carro superior:
0 – 8 rpm
Campo de rotação:
360° ilimitado
Transmissão
Propulsão hidrostática através de um motor
de prato cíclico de regulação contínua com
válvula de travagem montada directamente,
flangeado à caixa de velocidades de dois
estágios, manobrável em carga.
Tracção nas quatro rodas por eixos de
transmissão entre caixa de velocidades e
eixos.
3.8
Velocidade de translação:
0 – 20 km/h
Capacidade ascencional:
máx. 45 %
Raio de viragem:
8,2 m
Travões
Travão de serviço
Sistema de circuito simples, accionado
hidráulicamente e actuando nos quatro pares
de rodas.
Travão de estacionamento
Travão de disco accionado hidráulicamente,
situado na caixa de velocidades e actuando
através dos eixos cardânicos no eixo dianteiro
e traseiro.
Travão de rotação
Travão de lamelas, accionado por pedal,
bloqueável
3.9
Eixos
Eixo dianteiro
Eixo planetário
integrado, rígido
com
travão
Angulo máx. de viragem:
Eixo traseiro
de
tambor
27°
Eixo planetário com travão de tambor
integrado, oscilante, bloqueio conectável
3.10 Pneus
3.6
Dimensão
Tipo
Disposição
10.00-20
óctuplo
Pneumáticos maciços com
anéis intermediários
Pneus duplos
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3.11 Aquecimento
Aquecimento
Aquecimento por água quente e ar
condicionado com regulação contínua da
temperatura, 3 estágios de ventilação e
4 difusores descongeladores ajustáveis.
3.12 Cargas admissíveis
Peso total admissível
30.000 kg
Carga admissível sobre o eixo dianteiro
18.000 kg
Carga admissível sobre o eixo traseiro
18.000 kg
* Carga máxima no solo com 4 estabilizadores standard
pmax. = 166 N/cm²
(* Carga de cálculo de acordo com DIN ISO 10567 – equipamento de carga 15 m)
3.13 Níveis sonoros de acordo com directiva 2000/14/CE e ISO 6395 anexo A
A máquina recebeu a declaração CE de conformidade (confirmada pela comissão alemã de obras
públicas “Fachausschuss Tiefbau”), estando, portanto, em conformidade com as directivas
europeias e normas harmonizadas.
Certificado de tipo previsto no processo de medição dinâmico DI 2000/14/CE.
Potência acústica
medida representativa:
LWA = 104,9 dB(A)
Potência acústica garantida:
LWA = 106 dB(A)
Pressão acústica ao posto de condução:
LpA =
78 dB(A) *
* Este valor é mais pequeno do que o valor limite admissível de LpA = 85 dB(A).
3.14 Vibrações
O valor médio, quadrático ponderado em frequência, da aceleração a que estão expostos os
membros superiores é inferior a 2,5 m/s².
O valor médio, quadrático ponderado em frequência, da aceleração a que está exposto o corpo
(em pé ou sentado) é inferior a 0,5 m/s².
3.15 Comando
A carregadora está equipada de série com comandos ISO, ver capítulo 5.1.
MHL 350
3.7
3 DADOS TÉCNICOS
3.16 Campo operacional da máquina
3.16.1 Curva do campo operacional (equipamento de carga 12,5 m)
Equipamento de trabalho: lança em forma de caixa 7,4 m, semi-braço 4,5 m e garra de
mandíbulas múltiplas
Fig. 5 Curva do campo operacional (equipamento de carga 12,5 m)
3.8
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3.16.2 Tabela de cargas (equipamento de carga 12,5 m)
Os valores de carga são indicados em (t). A pressão da bomba para esta tabela perfaz 360 bar.
De acordo com ISO 10567, os valores correspondem a 75 % da carga basculante estática ou
87 % da força de elevação hidráulica, indicada por °.
Quando a máquina se encontra em uma base sólida e plana, os valores dizem respeito à rotação
de 360°. Valores em (...) dizem respeito ao sentido longitudinal do chassi. Os valores indicados
sob o item “não apoiado” aplicam-se no caso da elevação da carga sobre o eixo dianteiro e
traseiro.
NOTA
Subtrair o peso de dispositivos de elevação montados (garra, magnete, gancho etc.) da
capacidade de carga. No caso de um sistema de troca rápida da FUCHS montado na
lança, os valores de capacidade de carga reduzem-se em 300 kg.
Conforme as directivas CE, no caso da utilização como dispositivo elevador, é necessário prever
válvulas de segurança contra a ruptura dos tubos nos cilindros de lança assim como um avisador
de sobrecarga.
Fig. 6 Tabela de cargas (equipamento de carga 12,5 m)
MHL 350
3.9
3 DADOS TÉCNICOS
3.16.3 Curva do campo operacional (equipamento de carga 13,5 m)
Equipamento de trabalho: lança em forma de caixa 7,4 m, semi-braço 5,8 m e garra de
mandíbulas múltiplas
Fig. 7 Curva do campo operacional (equipamento de carga 13,5 m)
3.10
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3.16.4 Tabela de cargas (equipamento de carga 13,5 m)
Os valores de carga são indicados em (t). A pressão da bomba para esta tabela perfaz 360 bar.
De acordo com ISO 10567, os valores correspondem a 75 % da carga basculante estática ou
87 % da força de elevação hidráulica, indicada por °.
Quando a máquina se encontra em uma base sólida e plana, os valores dizem respeito à rotação
de 360°. Valores em (...) dizem respeito ao sentido longitudinal do chassi. Os valores indicados
sob o item “não apoiado” aplicam-se no caso da elevação da carga sobre o eixo dianteiro e
traseiro.
NOTA
Subtrair o peso de dispositivos de elevação montados (garra, magnete, gancho etc.) da
capacidade de carga. No caso de um sistema de troca rápida da FUCHS montado na
lança, os valores de capacidade de carga reduzem-se em 300 kg.
Conforme as directivas CE, no caso da utilização como dispositivo elevador, é necessário prever
válvulas de segurança contra a ruptura dos tubos nos cilindros de lança assim como um avisador
de sobrecarga.
Fig. 8 Tabela de cargas (equipamento de carga 13,5 m)
MHL 350
3.11
3 DADOS TÉCNICOS
3.16.5 Curva do campo operacional (equipamento de carga 15 m)
Equipamento de trabalho: lança em forma de caixa 8,2 m, semi-braço 6,5 m e garra de
mandíbulas múltiplas
Fig. 9 Curva do campo operacional (equipamento de carga 15 m)
3.12
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3.16.6 Tabela de cargas (equipamento de carga 15 m)
Os valores de carga são indicados em (t). A pressão da bomba para esta tabela perfaz 360 bar.
De acordo com ISO 10567, os valores correspondem a 75 % da carga basculante estática ou
87 % da força de elevação hidráulica, indicada por °.
Quando a máquina se encontra em uma base sólida e plana, os valores dizem respeito à rotação
de 360°. Valores em (...) dizem respeito ao sentido longitudinal do chassi. Os valores indicados
sob o item “não apoiado” aplicam-se no caso da elevação da carga sobre o eixo dianteiro e
traseiro.
NOTA
Subtrair o peso de dispositivos de elevação montados (garra, magnete, gancho etc.) da
capacidade de carga. No caso de um sistema de troca rápida da FUCHS montado na
lança, os valores de capacidade de carga reduzem-se em 300 kg.
Conforme as directivas CE, no caso da utilização como dispositivo elevador, é necessário prever
válvulas de segurança contra a ruptura dos tubos nos cilindros de lança assim como um avisador
de sobrecarga.
Fig. 10 Tabela de cargas (equipamento de carga 15 m)
MHL 350
3.13
3 DADOS TÉCNICOS
3.17 Implementos
Todos os implementos por nós fornecidos
vêm acompanhados da sua documentação
técnica.
Contém:
• Instruções de Serviço
• Lista de Peças Sobresselentes
3.17.1 Outros acessórios (opcional)
• Avisador de sobrecarga
• Comando individual dos 4 estabilizadores
• Interruptor de sobrecarga
• Lâmina niveladora, além dos 4 estabilizadores
• Limitador de altura da lança
• Válvulas de segurança nos cilindros de
lança
• Válvulas de segurança nos cilindros de
escavação
• Instalação magnética
• Aquecimento autónomo
• Bomba eléctrica de abastecimento
• Extintor de pós inertes
• Grelha protectora para cabina
• Grelha protectora para faróis
• Cabina com vidro blindado para párabrisas e lucarna
• Diversos equipamentos eléctricos tais
como farol suplementar, luz giratória, rádio,
etc.
Outros acessórios a pedido.
NOTA
Antes de efectuar mudanças nos produtos FUCHS ou instalar equipamentos adicionais e
implementos que não fazem parte do nosso programa de fornecimento, solicitar uma
autorização escrita da FUCHS. Caso contrário, caducam a garantia pela máquina bem
como a nossa responsabilidade decorrente do produto e de quaisquer danos
consecutivos.
3.14
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3.18 Capacidades
Designação
Capacidade Tipo
Observação
Depósito de combustível
350 l
Diesel
Óleo de motor
20 l
Óleo HD
Enchimento inicial: 21 l
380 l
Óleo hidráulico
Vol. para mudança
Eixo dianteiro completo
14 l
Óleo para engrenagens
Por cubo da roda
1,5 l
Óleo para engrenagens
Diferencial
11 l
Óleo para engrenagens
Eixo traseiro completo
25,5 l
Óleo para engrenagens
Por cubo da roda
1,5 l
Óleo para engrenagens
Diferencial
22,5 l
Óleo para engrenagens
Caixa
de
velocidades
manobrável em carga
5,5 l
Óleo para engrenagens
Mecanismo de rotação
6,5 l
Óleo para engrenagens
Reservatório
hidráulico
de
óleo
Coroa dentada – união de giro
Sistema de lubrificação
Alimentação pelo sistema de lubrificação centralizado
3 kg
Travão de serviço
Filtro de ar – banho de óleo
(aquecimento)
Ar condicionado
Alimentação pelo sistema hidráulico
0,16 l
1.550 g
150 g
Sistema de refrigeração
Graxa polivalente
36 l
Óleo de motor
Apenas com aquecimento autónomo
Agente de refrigeração
R134a
Óleo
PAG
de
refrigeração
Líquido refrigerante
Água + agente refrigerante
sem
nitritos,
aminos e fosfatos
(para a composição ver
instruções de serviço do
fabricante do motor)
Lava-pára-brisas
Engrenagem de garra
(FUCHS 0,4 m³ – 0,8 m³)
4l
Água com detergente de
vidros
0,7 l
Óleo para engrenagens
NOTA
Quanto às capacidades correctas, observar sempre o nível de enchimento e não a
quantidade acima mencionada.
MHL 350
3.15
3 DADOS TÉCNICOS
3.19 Produtos auxiliares
Produtos auxiliares obrigatórios na Europa Central
Aplicação
Designação
Recomendação de produto
Especificação,
Normas, Qualidade
Motor de propulsão
Diesel
Utilização de combustíveis de DIN EN 590
marca com um teor de ASTM D 975-88; 1-D/2-D
enxofre inferior a 0,05 %
Antes da utilização de combustíveis a
base de éster metílico de colza, é
indispensável
consultar
o
seu
concessionário FUCHS para pedir
informações detalhadas.
Motor de propulsão
Óleo de motor
Titan Cargo MC 10W-40
DQC II
API CG-4/CH-4
ACEA-E3-96/E5-02
ver também instruções de serviço do
fabricante do motor
Refrigeração do motor
Agente
refrigerante
Fricofin
BASF G 48
água limpa e produto anti-congelante a
base de glicol etilénico
ver também instruções de serviço do
fabricante do motor
Circuitos de
hidráulicos
trabalho Óleo
hidráulico Renolin B 15
ou óleo hidrául- ou
ico multigrado
Renolin B 46 HVI (Etiqueta da
marca situada na máquina.)
Óleo
hidráulico PANOLIN
biodegradável a HLP SYNTH 46
base de éster
sintético
Caixa de velocidades Óleo para
manobrável em carga, engrenagens
mecanismo de rotação,
cubos das rodas, eixos,
engrenagem garra e
magnete
HLP ou HVLP ISO VG 46
observar os seguintes valores limite da
viscosidade (conf. ASTM 445):
a 100 °C min. 7,0 mm²/s (cSt)
a -10 °C < 1300 mm²/s (cSt)
HEES ISO VG 46
Enchimento segundo instruções do
cliente. Etiqueta da marca situada na
máquina.
No misturar óleos hidráulicos biodegradáveis provenientes de fabricantes
diferentes.
Limites de viscosidade iguais aos dos
óleos hidráulicos minerais.
Para mudar de óleo hidráulico mineral
para óleo biodegradável, esvaziar,
limpar e enxaguar bem a instalação e o
reservatório.
Para maiores informações antes da
mudança, solicitamos contactar o seu
concessionário FUCHS.
Titan Supergear SAE 80W-90 SAE 80W-90
API GL-4/GL-5
ZF-TZ-MZ 02B, 05A, 07A, 12B, 16F,
17B
Sistema de lubrif. outros Graxa polivalente Renolit Duraplex EP 2
pontos de lubrificação
Sabão complexo de lítio
K P 2P-30
DIN 51 502
Coroa dentada – união
de giro
Lubrificação através do sistema de
lubrificação
3.16
MHL 350
DADOS TÉCNICOS 3
3.19.1 Recomendações alternativas para
outros campos de temperatura
Óleo hidráulico: temperatura ambiente
3.19.2 Óleo
hidráulico
biodegradável
PANOLIN HLP SYNTH 46
Como alternativa aos óleos minerais,
recomendamos óleos hidráulicos biodegradáveis a base de éster sintético. Os limites de
viscosidade dos óleos minerais aplicam-se
também aos óleos biodegradáveis.
CUIDADO
Para mudar de óleo hidráulico
mineral para óleo biodegradável,
esvaziar, limpar e enxaguar bem a
instalação e o reservatório. Observar
as condições de garantia e a
recomendação de conversão da
KLEENOIL PANOLIN AG.
Não misturar óleos hidráulicos
de
biodegradáveis
provenientes
fabricantes diferentes.
Para maiores informações antes da mudança,
solicitamos contactar o seu concessionário
FUCHS.
MHL 350
3.17
ÍNDICE
4
Elementos de comando............................................................................................ 4.1
4.1 Instrução preliminar ...........................................................................................................4.1
4.2 Cabina – elementos de comando ......................................................................................4.2
4.3 Cabina – painel de comando .............................................................................................4.4
4.4 Motor..................................................................................................................................4.6
4.4.1
Arranque....................................................................................................................4.6
4.4.1.1 Arranque a frio (arranque normal) .........................................................................4.6
4.4.1.2 Arranque a quente .................................................................................................4.6
4.4.2
Supervisão durante o trabalho ..................................................................................4.7
4.4.2.1 Curto-circuitar a protecção de sobreaquecimento.................................................4.7
4.4.3
Desligar o motor ........................................................................................................4.8
4.4.4
Regulação de carga limite.........................................................................................4.8
4.4.4.1 Sistema automático de marcha lenta ....................................................................4.8
4.4.4.2 Fine-Mode..............................................................................................................4.8
4.4.5
Trabalhar sob temperaturas hibernais ......................................................................4.9
4.4.5.1 Óleo hidráulico.......................................................................................................4.9
4.4.5.2 Óleo de motor ........................................................................................................4.9
4.4.5.3 Bateria ...................................................................................................................4.9
4.4.5.4 Combustível...........................................................................................................4.9
4.5 Posto de condução ..........................................................................................................4.10
4.5.1
Assento do condutor ...............................................................................................4.10
4.5.2
Posição do volante ..................................................................................................4.10
4.5.2.1 Ajuste da altura do volante ..................................................................................4.10
4.5.2.2 Ajuste da inclinação da coluna de direcção.........................................................4.10
4.6 Aquecimento e ventilação................................................................................................4.11
4.6.1
Aquecimento por água quente ................................................................................4.11
4.6.2
Aquecimento autónomo (opcional)..........................................................................4.11
4.6.3
Ar condicionado.......................................................................................................4.13
4.7 Cabina..............................................................................................................................4.14
4.7.1
Abrir/fechar o pára-brisas........................................................................................4.14
4.7.2
Estore ......................................................................................................................4.14
4.7.3
Porta de cabina .......................................................................................................4.15
4.7.4
Vidro da porta..........................................................................................................4.15
4.7.5
Cabina – lucarna .....................................................................................................4.15
4.7.6
Cabina – iluminação interior....................................................................................4.15
4.7.7
Lava-pára-brisas .....................................................................................................4.15
4.8 Cabina de elevação hidráulica.........................................................................................4.16
4.8.1
Antes da colocação em serviço...............................................................................4.16
4.8.2
Durante a utilização.................................................................................................4.16
4.8.3
Translação com a cabina elevada...........................................................................4.16
4.8.4
Parar a máquina......................................................................................................4.16
4.8.5
Deslocação da cabina .............................................................................................4.17
4.8.6
Descer manualmente a cabina elevada (avaria) .....................................................4.17
MHL 350
ÍNDICE
4.9 Translação .......................................................................................................................4.18
4.9.1
Arrancar...................................................................................................................4.18
4.9.2
Parar........................................................................................................................4.19
4.9.3
Direcção ..................................................................................................................4.19
4.9.4
Travões ...................................................................................................................4.19
4.10
Estacionar a máquina .................................................................................................4.20
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
4
4.1
Elementos de comando
Instrução preliminar
Caso ainda não estiver familiarizado com os
elementos de comando e de indicação da
máquina, ler atentamente este capítulo, antes
de manejar a máquina.
Neste capítulo descrevemos todas as funções
da máquina.
Antes de começar a conduzir ou a trabalhar,
memorizar bem os elementos de comando e
de indicação.
Antes de cada colocação em serviço, efectuar
um controlo visual minucioso da máquina.
Detectar, nomeadamente, danos, parafusos
soltos ou caídos, acumulações de óleo, fugas
de combustível ou de óleo. Eliminar de
imediato qualquer defeito detectado. Antes de
recolocar a máquina em serviço, eliminar
todos os defeitos susceptíveis de afectar a
segurança operacional da máquina.
Antes de colocar a máquina em serviço
efectuar os controlos previstos no capítulo
7.3.
MHL 350
4.1
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.2
Cabina – elementos de comando
Fig. 11 Elementos de comando
4.2
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
Cabina – elementos de comando
1
= Alavanca – subir / descer estabilizadores
2
= Potenciómetro “Fine-Mode“
3
= Descida de emergência da cabina
4
= Alavanca (comando ISO)
5
= Tecla – instalação magnética (opcional)
6
= Apoio para o braço, dobrável para cima
7
= Não utilizado
8
= Pedal travão de rotação, bloqueável
9
= Pedal travão de serviço, bloqueável
10
= Pedal marcha para frente
11
= Pedal marcha para trás
12
= Ajuste do volante – altura
13
= Ajuste do volante – inclinação
14
= Comutador do sinal de pisca-pisca
15
= Buzina
16
= Alavanca (comando ISO)
17
= Tecla – rotação da garra
18
= Alavanca de ajuste das rotações
19
= Travão de estacionamento
Alavanca para frente ⇒ travão soltado, alavanca para atrás ⇒ travão apertado
20
= Tecla – aumento da pressão de serviço
21
= Regulador ar fresco/ar circulante (instalação de ar condicionado)
22
= Painel de comando – aquecimento autónomo (opcional)
MHL 350
4.3
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.3
Cabina – painel de comando
Fig. 12 Painel de comando
4.4
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
Cabina – painel de comando
25 = Chave de ignição
47 = Indicador de pré-incandescência
26 = Interruptor basculante – avisador de
sobrecarga (opcional)
48 = Lâmpada de controlo – travão de
estacionamento
27 = Não utilizado
49 = Lâmpada de controlo – regulador de
carga limite
28 = Interruptor basculante – sistema
automático de marcha lenta
29 = Voltímetro do gerador (opcional)
30 = Potenciómetro do gerador (opcional)
31 = Interruptor limpa-pára-brisas
(vidro superior)
Pos. 1 em baixo : limpa-pára-brisas
Pos. 1 em cima : intermitente
Pos. 2 em cima : limpar/lavar
32 = Interruptor limpa-pára-brisas,
limpar/lavar (vidro inferior)
50 = Lâmpada de controlo – funções de
trabalho bloqueados
51 = Acendedor de cigarros
52 = Lâmpada de controlo – alargamento do
campo operacional
53 = Não utilizado
54 = Contador de horas de funcionamento
55 = Interruptor basculante – bloqueio do
eixo oscilante
56 = Interruptor basculante com bloqueio,
gama I / II
33 = Interruptor basculante – farol de
trabalho
57 = Interruptor basculante – luz de marcha
34 = Tecla – subir / descer a cabina
58 = Tecla – disparo da lubrificação
adicional
35 = Interruptor basculante – alargamento do
campo operacional
36 = Interruptor basculante – funções de
trabalho bloqueados
37 = Indicador – temperatura do agente
refrigerante do motor
38 = Lâmpada de controlo – nível do agente
refrigerante
39 = Indicador de combustível
40 = Lâmpada de controlo – temperatura do
óleo hidráulico
41 = Lâmpada de controlo (ocupação dupla):
Obstrução do filtro de ar do motor
Obstrução do filtro de retorno
42 = Lâmpada de controlo – travão de
serviço
43 = Lâmpada de controlo (ocupação dupla):
Temperatura do agente refrigerante
Nível do óleo hidráulico
44 = Lâmpada de controlo – carga da bateria
45 = Lâmpada de controlo – pressão do óleo
de motor
59 = Lâmpada de controlo – instalação
magnética (opcional)
60 = Interruptor basculante – instalação
magnética (opcional)
61 = Não utilizado
62 = Não utilizado
63 = Lâmpada de controlo – instalação de ar
condicionado
64 = Regulador rotativo – instalação de ar
condicionado
65 = Regulador rotativo – aquecimento por
água quente
66 = Interruptor basculante – pisca-pisca de
emergência
67 = Não utilizado
68 = Não utilizado
69 = Não utilizado
70 = Não utilizado
71 = Lâmpada de controlo – sinal de piscapisca
46 = Botão rotativo – ventilação
MHL 350
4.5
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.4
Motor
Antes do arranque do motor, fechar o
interruptor principal da bateria. O interruptor
principal da bateria está situado em frente do
radiador de óleo.
AVISO
Antes do arranque do motor, cabe ao
operador certificar-se da ausência de
pessoas em cima ou junto da
máquina.
4.4.1
Arranque
NOTA
Antes de cada colocação em serviço,
efectuar os controlos indicados no
capítulo 7.3.
• Colocar todas as alavancas de comando na
posição neutra.
• Apertar o travão de estacionamento (13/19).
• Introduzir a chave de ignição no contacto
(13/25).
Após o arranque do motor, um zumbido e a
luz vermelha da lâmpada de controlo do
travão de serviço (13/42) indicam que a
pressão de travagem necessária ainda não foi
acumulada.
4.4.1.2 Arranque a quente
• Introduzir a chave de ignição no contacto
(13/25).
• Colocar a alavanca de ajuste de rotações
(13/18) na posição marcha lenta.
• Girar a chave de ignição à posição I. As
lâmpadas de controlo (13/44) e (13/45)
acendem-se.
• Girar a chave de ignição à posição II. No
caso do motor estar quente, o indicador de
pré-incandescência (13/47) acende-se só
brevemente. Girar a chave de ignição à
posição III e ligar o motor.
• Assim que o motor estiver em funcionamento, voltar a chave para a posição I. As
lâmpadas de controlo (13/44), (13/45)
devem apagar-se.
Se o motor não entrar em funcionamento
dentro de 15 segundos, colocar a chave de
ignição na posição I ou 0 e esperar
30 segundos antes de recomeçar a operação.
CUIDADO
No início, não usar o motor a carga
plena. Conduzir moderadamente até
o motor atingir a sua temperatura de
trabalho.
Quando o motor está em marcha e a pressão
de travagem acumulada, o zumbido pára e a
lâmpada de controlo apaga-se.
4.4.1.1 Arranque a frio (arranque normal)
• Introduzir a chave de ignição no contacto
(13/25).
• Colocar a alavanca de ajuste de rotações
(13/18) na posição marcha lenta.
• Girar a chave de ignição à posição I. As
lâmpadas de controlo (13/44) e (13/45)
acendem-se.
• Girar a chave de ignição à posição II. O
indicador de pré-incandescência (13/47)
acende-se por alguns segundos até a
temperatura no flange de aquecimento for
atingida. O indicador de pré-incandescência
apaga-se. Girar a chave de ignição à
posição III e ligar o motor.
• Assim que o motor estiver em funcionamento, voltar a chave para a posição I. As
lâmpadas de controlo (13/44), (13/45)
devem apagar-se.
4.6
Fig. 13 Arranque
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
4.4.2
Supervisão durante o trabalho
• Quando a lâmpada de controlo da carga
(14/44) ou de pressão do óleo de motor
(14/45) se acende, parar o motor de
imediato e detectar a causa da avaria e, se
for caso disto, consultar a assistência pósvenda.
• Quando a temperatura do agente refrigerante passar do limite de aprox. 110 °C
(14/37) ou quando o nível mínimo requerido
de óleo hidráulico não for atingido, o
sistema emite um sinal acústico (zumbido) e
todas as funções de trabalho e de
translação serão desligadas. As lâmpadas
de controlo (14/43) e (14/50) estão acesas.
Abrir o capot e deixar o motor ligado no
ponto morto permitindo o seu arrefecimento. Quando a temperatura do agente
refrigerante e o nível do óleo hidráulico
voltarem a atingir a gama admissível, as
funções
bloqueadas
serão
ligadas
novamente. As lâmpadas de controlo
(14/43) e (14/50) devem apagar-se.
CUIDADO
Quando curto-circuitado a protecção
de sobreaquecimento, mover a
máquina apenas durante um breve
intervalo de tempo sob pena de
danificar o motor.
A protecção de sobreaquecimento apenas
estará curto-circuitada enquanto a tecla
(14/36) estiver premida.
• Quando a lâmpada de controlo (14/38) se
acende, falta agente refrigerante no sistema
de refrigeração do motor. Interromper
imediatamente o trabalho, deixa arrefecer
o motor e acrescentar agente refrigerante.
AVISO
Acrescentar
agente
refrigerante
apenas quando o motor está frio.
Risco de escaldadela em caso de
agente refrigerante quente!
• Se a temperatura do óleo hidráulico
ultrapassa a temperatura admissível, a
lâmpada de controlo (14/40) emite luz
vermelha. Interromper imediatamente o
trabalho e desligar o motor. Detectar e
eliminar as causas da avaria de acordo com
as instruções do capítulo 8. Se for caso
disto, consultar a assistência pós-venda.
4.4.2.1 Curto-circuitar a protecção
sobreaquecimento
Fig. 14 Supervisão durante o trabalho
de
Para
curto-circuitar
a
protecção
de
sobreaquecimento, a fim de continuar a
deslocar a máquina e mover o dispositivo de
trabalho, premer a tecla (14/36).
MHL 350
4.7
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.4.3
Desligar o motor
NOTA
Não desligar o motor a plena carga!
Deixar o motor rodar em vazio e sem
carga durante algum tempo.
• Colocar a alavanca de ajuste de rotações
(15/18) na posição marcha lenta.
• Colocar a chave de ignição (15/25) na
posição 0: o motor pára automaticamente.
4.4.4.2 Fine-Mode
O potenciómetro (15/2), através da selecção
de uma posição entre “normal” e “regulação
de precisão”, permite a regulação contínua do
débito da bomba.
• Girar à esquerda (→ 0): normal (débito
máx.)
• Girar à direita (→ 100): regulação de
precisão (débito máx.)
NOTA
4.4.4
Regulação de carga limite
A máquina está equipada com um regulador
de carga limite. A regulação integra além
disso:
No serviço normal, colocar
potenciómetro na posição 0.
o
• regulação eléctrica da velocidade
• sistema automático de marcha lenta
• regulação de precisão do comportamento
de resposta da bomba (Fine-Mode)
O regulador de carga limite protege o motor
contra variações do número de rotações e
sobrecargas, na gama completa das rotações
do motor.
O regulador de carga limite proporciona o
aproveitamento optimizado da potência
disponível do motor.
No caso de avarias do regulador de carga
limite, ver capítulo 8.5.
4.4.4.1 Sistema automático de marcha
lenta
Após ter registado nenhum movimento de
trabalho e quando a instalação magnética
estiver desligada durante o período préajustado de 5 segundos, o sistema automático de marcha lenta reduz o número de
rotações do motor.
O sistema automático de marcha lenta é
activado / desactivado mediante o interruptor
basculante (15/28). Quando o sistema automático de marcha lenta está activado, a
lâmpada de controlo no interruptor está
acesa.
4.8
Fig. 15 Desligar o motor
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
4.4.5
Trabalhar
hibernais
sob
temperaturas
4.4.5.4 Combustível
Utilizar apenas combustível diesel de marca
com um teor de enxofre inferior a 0,5 % (ver
Produtos auxiliares, capítulo 3.19).
4.4.5.1 Óleo hidráulico
Após uma imobilização prolongada a
temperaturas baixas (em torno de 0 °C ou
inferiores), aquecer a máquina e o motor em
regime médio. Para atingir a temperatura de
trabalho, exercer os seguintes movimentos de
trabalho:
No inverno, utilizar apenas combustível
“Diesel de inverno” para evitar obstruções nos
condutos devidas a cristais de parafina. A
temperaturas muito baixas, nem este
combustível de inverno pode evitar a
formação destes cristais.
• Subir / descer lança em forma de caixa
• Abrir / fechar garra
• Abrir / fechar semi-braço
NOTA
Quando a carregadora é aquecida
pelo motor (ponto morto), observar
as regras seguintes:
Temperatura
em °C
Tempo de
aquecimento
em minutos
0 °C e superior
aprox. 15 min
-18 °C – 0 °C
aprox. 30 min
inferior a -18 °C
mais de 30 min
No inverno, observar as seguintes indicações
e informações nas instruções de serviço do
motor:
4.4.5.2 Óleo de motor
Escolher a viscosidade (classe SAE) do óleo
de motor em função da temperatura medida
no lugar de utilização da máquina (ver
Produtos auxiliares, capítulo 3.19).
4.4.5.3 Bateria
O pré-aquecer da bateria pode facilitar o
arranque a frio.
MHL 350
4.9
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.5
Posto de condução
4.5.1
Assento do condutor
O assento confortável dispõe de uma
suspensão pneumática com amortecimento
de vibrações.
O assento corresponde às normas de segurança e saúde conforme ISO 6683 e ISO 7096
classe IV.
(16/1)
Interruptor basculante para suportes
lombares, superior e inferior
• Para a frente ⇒ mais convexo;
para atrás ⇒ menos convexo
(16/2)
Punho para o ajuste do espaldar
(inclinação)
(16/3)
Punho para o ajuste do estofo de
assento (inclinação)
(16/4)
Punho para o ajuste da profundidade
do assento (apoio para as pernas)
(16/5)
Punho para o ajuste longitudinal do
assento (parte superior)
(16/6)
Alavanca de retenção para a
suspensão horizontal (redução das
vibrações horizontais no sentido de
marcha)
• Alavanca engatada para atrás ⇒
assento bloqueado
4.5.2
Posição do volante
4.5.2.1 Ajuste da altura do volante
• Desbloquear o volante mediante a alavanca
(17/12), ajustar a altura desejada do
volante, bloquear o volante novamente.
4.5.2.2 Ajuste da inclinação da coluna de
direcção
• Empurrar a alavanca (17/13) para frente
usando o pé, ajustar a inclinação desejada
da coluna de direcção e soltar a alavanca
(17/13). Mover coluna de direcção
levemente até sentir o engate da alavanca
(17/13).
• Alavanca virada para a frente ⇒
assento oscila livremente
(16/7)
Punho para o ajuste combinado da
altura do assento e do ajuste em
função do peso do operador
• Accionar o punho brevemente:
ajuste automático em função do
peso do operador
Fig. 16 Assento do operador
• Levantar ou empurrar o punho:
ajuste da altura do assento
(16/8)
Punho para o ajuste longitudinal do
assento inteiro
(16/9)
Cinto de segurança de dois pontos
(16/10) Interruptor basculante – aquecimento
do assento (opcional)
AVISO
Antes de começar a trabalhar, é
indispensável a colocação do cinto
de segurança de dois pontos.
4.10
Fig. 17 Ajuste do volante
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
4.6
4.6.1
Aquecimento e ventilação
AVISO
Aquecimento por água quente
O aquecimento da cabina depende da
temperatura do agente refrigerante do motor.
O fluxo de ar do ventilador atravessa um
permutador térmico cuja temperatura é
regulada pelo débito do agente refrigerante.
O aquecimento é usado da seguinte maneira:
• Seleccionar a quantidade de calor no botão
rotativo (20/65). Girar no sentido dos
ponteiros do relógio ⇒ aumento da potência
calorífica.
• Seleccionar a potência desejada
ventilador no botão rotativo (20/46).
do
Durante o abastecimento de combustível, manter desligado o aquecimento. É proibido ligar o aquecimento em ambientes fechados.
NOTA
Para assegurar a função do
aquecimento, o ar de combustão é
aspirado através do filtro de ar do
banho de óleo (lado traseiro da
cabina). Ao trabalhar em ambientes
muito poeirentos, mudar o óleo a
cada 100 horas de funcionamento
(ver os capítulos 7.5 e 7.1.1).
• A distribuição do ar pode ser regulada nos
difusores (18/1), (18/2) e (18/3).
Para evitar a contaminação do aquecimento,
o ar fresco/circulante é aspirado através do
filtro de ar (lado traseiro da cabina debaixo do
assento).
NOTA
Ao trabalhar em ambientes muito
poeirentos, limpar ou, se for
necessário, mudar o não-tecido a
cada 100 horas de funcionamento
(ver capítulo 7.5).
• Remover a chapa protectora, retirar, limpar
ou, se for necessário, mudar o não-tecido.
• Ao colocar o não-tecido, assegurar-se de
que o lado azul do não-tecido indique para
dentro, para garantir uma óptima filtração
do ar fresco/circulante.
4.6.2
Fig. 18 Aquecimento e ventilação
Aquecimento autónomo (opcional)
A ventilação e o aquecimento funcionam
independentemente do motor. A chave de
ignição não precisa estar ligada. O botão
rotativo (20/46) deve estar desactivado.
Os elementos de comando do aquecimento
encontram-se no painel de comando (18/22)
no apoio para o braço direito do assento do
operador.
Para as funções e a utilização do
aquecimento, consultar as instruções de
serviço do fabricante do aquecimento.
MHL 350
4.11
4 ELEMENTOS DE COMANDO
O aquecimento encontra-se no lado direito da
cabina, debaixo de uma tampa metálica.
Antes da estação fria, efectuar os seguintes
trabalhos:
• Verificar e, eventualmente, substituir a vela
incandescente (19/1).
• Verificar e, eventualmente, substituir filtros
de combustível sujos.
1
• Controlar as conexões eléctricas.
• Controlar a estanqueidade de condutos de
combustível e conexões.
• Controlar o nível de óleo no filtro de ar do
banho de óleo.
350-585-019
Fig. 19 Aquecimento autónomo
Se o aquecimento não liga, proceder da
seguinte forma:
• Desligar o aquecimento
• Controlar os fusíveis
• Ligar o aquecimento
Se o aquecimento não liga depois de uma
terceira tentativa, consultar a assistência
pós-venda da sociedade Eberspächer!
Qualquer tentativa adicional desactivará, por
completo, o aquecimento. Este não poderá
ser ligado de novo!
Em caso de sobreaquecimento do aquecimento:
O sobreaquecimento pode ser causado por
difusores obstruídos ou grelhas sujas.
• Desligar o aquecimento
• Desobstruir difusores
• Ligar o aquecimento
No caso de outras avarias que não possam
ser eliminadas, consultar a assistência pósvenda.
CUIDADO
O interruptor principal da bateria só
pode ser desligado 5 minutos após o
aquecimento ter sido desligado. Caso
contrário,
o
arrefecimento
do
aquecimento será interrompido e
haverá risco de incêndio!
O interruptor principal da bateria está situado
em frente do radiador de óleo.
4.12
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
4.6.3
Ar condicionado
NOTA
NOTA
Com motor ligado e à máxima potência do ar condicionado, o agente de
refrigeração deve ser fluido e livre de
bolhas de ar (controlar no visor 20/1
situado ao lado ou em cima do
reservatório do líquido). Se houver
bolhas de ar no visor, é sinal de falta
de agente de refrigeração. O controlo
da estanqueidade e o enchimento do
sistema devem ser efectuados por
uma oficina autorizada.
O ar condicionado apenas funciona
quando o motor está ligado.
Se se quer utilizar apenas o ar
condicionado, assegurar-se de que o
aquecimento esteja desligado.
O ar condicionado é activado mediante o
regulador rotativo (20/64). Além disto, o
comutador rotativo da ventilação (20/46) deve
estar na posição 1 ou superior. A lâmpada de
controlo (20/63) está acesa.
PERIGO
A temperatura na cabina abaixa.
Os trabalhos de manutenção no ar
condicionado devem ser realizados
sempre por técnicos devidamente
qualificados.
O ajuste da temperatura é realizado com o
regulador rotativo (20/64):
Girar no sentido dos ponteiros do relógio ⇒
aumento da potência frigorífica.
Quanto maior for a potência frigorífica
seleccionada pelo regulador rotativo (20/64),
maior deveria ser a posição de ventilação
(20/46).
Para atingir a máxima refrigeração na cabina,
é necessário:
• girar o regulador rotativo (20/64) no sentido
dos ponteiros do relógio até ao limite
• seleccionar a potência
ventilador (20/46)
máxima
do
• desligar o aquecimento
• colocar o ventilador na posição de ar
circulante
• fechar a cabina.
Na estação fria, pode-se também utilizar o ar
condicionado. Quando o ar condicionado e o
aquecimento estão ligados ao mesmo tempo,
o ar na cabina permanece seco, e evita-se o
embaciamento dos vidros. Para isso, basta
colocar o regulador rotativo (20/64) do ar
condicionado numa posição de potência
reduzida.
NOTA
1
E necessário ligar o ar condicionado
ao menos uma vez por mês por
algum tempo para o compressor ser
lubrificado.
464-015-018
Fig. 20 Ar condicionado
MHL 350
4.13
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.7
4.7.1
Cabina
Abrir/fechar o pára-brisas
3
A abertura do pára-brisas será sempre
integral. Uma abertura parcial não é possível.
Ao premer ambas as alavancas de desbloqueio (21/1) o pára-brisas é desbloqueado,
podendo ser puxado por debaixo do tejadilho.
Ao premer ambas as alavancas de desbloqueio (21/1) o pára-brisas é desbloqueado,
podendo ser puxado de volta à posição final
dianteira.
CUIDADO
2
1
320-356-026
Fig. 21 Abrir/fechar o pára-brisas
Assegurar que o pára-brisas esteja
sempre bloqueado nas posições
finais.
NOTA
Ao abrir e fechar o pára-brisas, evitar
que o vidro colida com o volante. Se
for necessário, mudar a posição do
volante.
NOTA
A pedido, a carregadora pode ser
equipada com vidro blindado para
pára-brisas e lucarna. Neste caso,
uma abertura dos vidros não será
possível.
4.7.2
Estore
O estore contra reflexos (21/2), que se
encontra acima do pára-brisas superior, pode
ser engatado em três posições diferentes.
Um outro estore (21/3), situado abaixo da
lucarna, pode ser engatado numa única
posição.
4.14
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
4.7.3
Porta de cabina
Para desbloquear a porta de dentro da
cabina, premer o punho (22/1).
NOTA
Ao abrir a porta para entrar o sair da
cabina, engatar a porta na trava
(23/2) com o trinco (23/1).
Para desbloquear
alavanca (24/1).
4.7.4
a
porta,
accionar
a
331-583-027
Vidro da porta
Ajustar a posição da janela corrediça com o
punho.
4.7.5
1
Fig. 22 Abrir a porta
Cabina – lucarna
Para o arejamento da cabina, a lucarna pode
ser aberta.
4.7.6
Cabina – iluminação interior
A iluminação interna é ligada / desligada
quando girado o vidro da lâmpada.
4.7.7
Lava-pára-brisas
O reservatório do lava-pára-brisas encontrase na cabina atrás do assento. O reservatório
tem uma capacidade aproximada de 4 litros.
Misturar a água com um detergente de vidros
de efeito anticongelante.
2
1
331-583-028
Fig. 23 Bloquear a porta
1
331-583-029
Fig. 24 Desbloquear a porta
MHL 350
4.15
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.8
Cabina de elevação hidráulica
PERIGO
A cabina pode ser elevada em movimento
contínuo.
4.8.1
Com a desligação activada do semibraço, observar que a distância entre
cabina e implemento é mais
pequena. No caso do carregamento
de peças compridas e finas que
sobressaem à garra, oscilações
fortes da garra podem fazer com que
estas peças, invadam a cabina.
Antes da colocação em serviço
Testar,
diariamente,
as
funções
mecanismo de elevação da cabina.
do
PERIGO
Antes de trabalhos de reparação com
a cabina levantada, escorar o
mecanismo de elevação usando
dispositivos adequados.
4.8.3
AVISO
Até com leves desníveis do solo, a
translação da máquina com a cabina
elevada pode causar movimentos
oscilantes susceptíveis de causar
ferimentos ou erros de manobra.
A translação com cabina elevada
apenas é permitida fora da rede
rodoviária pública e com a porta
fechada.
Ao conduzir com cabina elevada,
observar a altura de passagem de
naves fabris e outras instalações.
Colisões aumentam o risco de
ferimentos para o operador.
Para imobilizar a cabina, pode usar-se uma
manga instalada na biela do êmbolo do
cilindro de elevação. Esta manga de
segurança pode ser encomendada na
FUCHS. N.º de pedido da manga de
segurança: 6090031600.
4.8.2
Durante a utilização
Para a subida e descida de pessoas, a cabina
há de encontrar-se na posição inferior. É
proibida a permanência no chassi ou nos
estribos de acesso. Cabe ao operador da
máquina assegurar que os movimentos da
cabina não apresentem qualquer risco nem
para ele nem para pessoas expostas.
PERIGO
Ao trabalhar com a cabina elevada
cabe ao operador evitar qualquer
contacto com linhas aéreas. Após o
contacto com uma linha aérea, o
contacto há de ser desfeito / a
corrente há de ser desligada. Antes
disto, o operador não pode descer da
máquina e a máquina não pode ser
tocada por pessoas! Ver também
capítulo 2.11.
Translação com a cabina elevada
Além disso, observar as seguintes indicações:
• No raio de translação da máquina não
podem existir obstáculos.
• O trajecto deve garantir a estabilidade da
máquina; o trajecto não deve apresentar
riscos para a pessoa na cabina.
• Assegurar a visibilidade suficiente para o
operador no raio de translação; caso
contrário, usar dispositivos de segurança de
trajecto, por exemplo balizas.
4.8.4
Parar a máquina
Descer a cabina até à sua posição inicial.
4.16
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
4.8.5
Deslocação da cabina
A cabina pode ser elevada em movimento
contínuo.
AVISO
Durante o ajuste da cabina, a
translação e o trabalho, descer o
apoio do braço esquerdo e manter
fechada a porta da cabina.
Para ajustar a altura da cabina:
• Fechar a porta da cabina e baixar o apoio
para o braço esquerdo (25/6).
• Accionar a tecla (25/34) em cima até atingir
a altura de trabalho desejada.
• Para descer a cabina até a sua posição
inicial, accionar a tecla (25/34) em baixo.
4.8.6
Descer manualmente
elevada (avaria)
a
cabina
A cabina pode ser descida manualmente, seja
do interior da cabina, por meio da torneira de
macho esférico (25/3), seja a partir do carro
superior, por meio da torneira de macho
esférico situada no reservatório de óleo
hidráulico (26/1).
Fig. 25 Deslocação da cabina
Para elevar a cabina de novo, colocar as
torneiras de macho esférico (25/3) e (26/1) na
posição de fechamento após a descida.
PERIGO
Ao descer a cabina até à posição
final inferior, observar que há risco de
esmagamento de terceiros entre a
cabina e o carro superior.
1
350-585-026
Fig. 26 Torneira de macho esférico
MHL 350
4.17
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.9
Translação
Cabe ao operador certificar-se da ausência de
pessoas no raio de deslocação da máquina.
NOTA
A deslocação de cargas com carro superior
deslocado lateralmente é permitida apenas
em trajectos planos e com eixo oscilante
bloqueado. O eixo oscilante é bloqueado
mediante o interruptor basculante (27/55) (ver
capítulo 5.1.5).
A carregadora não possui a
admissão à circulação rodoviária
facto pelo qual não pode ser
conduzida na rede pública rodoviária
da Alemanha.
4.9.1
Arrancar
NOTA
O sentido da marcha refere-se
sempre à posição normal do chassi
(eixo de direcção à frente).
• Ligar o motor como descrito na pág. 4.6.
• Seleccionar a gama I ou II accionando o
interruptor basculante (27/56) apenas
enquanto a máquina está parada.
• Soltar o travão de estacionamento (27/19) e
o travão de serviço (27/9).
NOTA
Quando o travão de estacionamento
está apertado, não é possível
arrancar. A lâmpada (27/48) está
acesa (luz vermelha).
• Marcha para a frente: accionar o pedal
(27/10), marcha para trás: accionar o pedal
(27/11).
• A velocidade é regulada através dos pedais
de translação (27/10) e (27/11).
CUIDADO
Inverter o sentido de marcha só
quando a máquina está parada. Não
travar accionando a marcha oposta
antes de parar.
Fig. 27 Translação
CUIDADO
Não mudar de velocidade durante a
deslocação. Caso contrário, a caixa
de velocidades pode ser danificada!
Se a máquina ficar atolada, não tentar tirá-la
por solavancos ou baloiços. Para pormenores
adicionais, consultar o capítulo 6 “Transporte,
remoção”.
4.18
MHL 350
ELEMENTOS DE COMANDO 4
4.9.2
Parar
A velocidade é reduzida quando os pedais
(28/10) e (28/11) são soltos. A propulsão
hidrostática funciona como travão de serviço
suplementar, resistente ao desgaste. Ver
também capítulo 4.9.4 “Travões“.
4.9.3
Direcção
A carregadora está equipada com um eixo
dianteiro hidráulico.
CUIDADO
No caso de avarias da direcção,
interromper imediatamente o trabalho
e detectar a causa (ver “Avarias”). Se
for necessário, consultar a assistência pós-venda.
4.9.4
Fig. 28 Translação
Travões
• Travão de serviço (bloqueável)
Accionar o travão de serviço (28/9)
conforme a necessidade. Observar que,
após o bloqueio do travão de serviço, há
uma redução progressiva da pressão de
travagem quando o motor está parado.
• Travão de estacionamento
Apertar o travão de estacionamento (28/19)
quando a máquina está estacionada.
CUIDADO
Apenas apertar o travão de
estacionamento quando a máquina
está parada (sem movimento), com
excepção
da
frenagem
de
emergência.
NOTA
Quando o travão de estacionamento
é accionado, o bloqueio do eixo
oscilante é accionado ao mesmo
tempo.
MHL 350
4.19
4 ELEMENTOS DE COMANDO
4.10 Estacionar a máquina
CUIDADO
Aquando do estacionamento da
máquina, descer o dispositivo de
trabalho cuidadosamente sob pena
de o peso da lança danificar o piso.
• Estacionar a máquina apenas em lugares
planos e sólidos.
• Descer o equipamento de trabalho até ao
solo.
• Apertar o travão de estacionamento (29/19)
e soltar o travão de serviço (29/9).
Fig. 29 Estacionar a máquina
• Bloquear o travão de rotação por meio do
pedal (29/8).
• Reduzir o n.º de rotações do motor puxando
a alavanca (29/18) levemente para a frente
e permitir o arrefecimento do motor,
deixando-o em funcionamento por algum
tempo.
• Empurrar a alavanca (29/18) para a frente
até ao limite, desligar o motor. Colocar a
chave de ignição na posição “0”.
• Colocar a chave de ignição na posição “I”.
Accionar todas as alavancas hidráulicas
para eliminar cargas da instalação
hidráulica.
• Colocar a chave de ignição na posição “0” e
tirar a chave.
• Subir o apoio para o braço esquerdo (29/6).
• Fechar a cabina, todos os vidros e a lucarna
após o trabalho para evitar o acesso de
pessoas não autorizadas.
• Limpar a máquina cuidadosamente após
cada utilização intensiva.
PERIGO
Aquando do estacionamento da
máquina, o carro superior há de
encontrar-se em sentido longitudinal
em relação ao chassi e a cabina há
de encontrar-se na posição inferior.
Colocar o semi-braço em posição
vertical e descer a garra aberta até
ao solo (ver fig. 30).
Colocar chapas entre os dentes das
garras e o piso para evitar a
danificação deste.
350-626-030
Fig. 30 Posicionar a máquina
4.20
MHL 350
ÍNDICE
5
Utilização da máquina .............................................................................................. 5.1
5.1 Utilização da máquina........................................................................................................5.1
5.1.1
Comando – equipamento de trabalho .......................................................................5.1
5.1.2
Aumento da pressão de serviço................................................................................5.1
5.1.3
Comando – estabilizadores.......................................................................................5.2
5.1.4
Bloqueio de todas as funções de trabalho ................................................................5.2
5.1.5
Comando – bloqueio do eixo oscilante .....................................................................5.3
5.1.6
Ampliação do campo operacional .............................................................................5.3
5.1.7
Avisador de sobrecarga (opcional)............................................................................5.4
5.1.8
Interruptor de sobrecarga (opcional) .........................................................................5.4
5.2 Rotação e carregamento ...................................................................................................5.5
5.3 Utilização como dispositivo elevador .................................................................................5.6
5.4 Instalação magnética (opcional) ........................................................................................5.6
5.4.1
Utilização da instalação magnética ...........................................................................5.6
MHL 350
UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA 5
5
Utilização da máquina
5.1
Utilização da máquina
A carregadora está equipada de série com um comando ISO (fig. 31) ao qual se refere a seguinte
descrição.
CUIDADO
A pedido, a carregadora pode ser equipada com um comando especial. Verificar, por
isso, se a carregadora está equipada com um comando especial. Erros de comando
podem provocar ferimentos ou danos materiais.
Antes de iniciar os trabalhos, memorizar bem a função das alavancas. Para familiarizar-se com a
máquina, trabalhar, no início, com o motor em rotação reduzida.
5.1.1
Comando – equipamento de trabalho
Alavanca esquerda
Alavanca direita
a
b
c
d
a
b
c
d
=
=
=
=
Abrir semi-braço
Fechar semi-braço
Girar carro superior à esquerda
Girar carro superior à direita
=
=
=
=
Descer lança em forma de caixa
Subir lança em forma de caixa
Fechar garra
Abrir garra
Fig. 31 Comandos ISO
5.1.2
Aumento da pressão de serviço
A função “aumento da pressão de serviço”
permite aumentar a pressão hidráulica de
320 bar a 360 bar. Isto pode vir a ser
necessário para certos trabalho mais
pesados. Para isso, premer a tecla na
alavanca de comando direita (cf. fig. 32). A
função só estará activada enquanto a tecla
estiver premida.
O aumento da pressão de serviço apenas
entrará em funcionamento quando se sobe a
lança e o semi-braço. Durante a translação e
o movimento abrir/fechar a garra, o aumento
da pressão de serviço será desactivado.
MHL 350
Fig. 32 Aumento da pressão de serviço
5.1
5 UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA
5.1.3
Comando – estabilizadores
• Alav. (33/1) p/frente : descer estabilizadores
• Alav. (33/1) p/trás
5.1.4
: subir estabilizadores
Bloqueio de todas as funções de
trabalho
• O interruptor basculante (34/36) permite
bloquear todas as funções de trabalho. A
lâmpada de controlo no interruptor não está
acesa; a lâmpada de controlo (34/50) está
acesa.
Fig. 33 Estabilizadores
• Quando o apoio para o braço (34/6) está
levantado, todas as funções de trabalho
estão bloqueadas. A lâmpada de controlo
(34/50) está acesa.
• Quando o escadote de manutenção está
baixado, todas as funções de trabalho estão
bloqueadas. A lâmpada de controlo (34/50)
está acesa.
• Quando a temperatura do agente refrigerante passar do limite ou quando o nível
mínimo requerido de óleo hidráulico não for
atingido, o sistema emite um sinal acústico
(zumbido) e todas as funções de trabalho e
de translação serão desligadas. A lâmpada
(34/43) está acesa (ver também capítulo
4.4.2).
Fig. 34 Bloqueio das funções de trabalho
5.2
MHL 350
UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA 5
5.1.5
Comando
oscilante
–
bloqueio
do
eixo
O bloqueio do eixo oscilante é accionado pelo
travão de estacionamento (35/19), ou seja, ao
apertar o travão de estacionamento, o eixo
oscilante será bloqueado automaticamente.
Com o interruptor basculante (35/55), o
bloqueio do eixo oscilante pode ser accionado
independentemente do travão de estacionamento. A lâmpada de controlo no interruptor
não está acesa.
• Rotação e carregamento: bloquear o eixo
oscilante. A lâmpada de controlo no
interruptor (35/55) não está acesa.
• Para a translação (sem carga): desbloquear o eixo oscilante. A lâmpada de
controlo no interruptor (35/55) está acesa.
5.1.6
Ampliação do campo operacional
O interruptor basculante (35/35) permite
ampliar
o
campo
operacional
para
proporcionar a entrada do semi-braço na zona
de segurança da cabina.
Ampliação do campo operacional activada: a
lâmpada (35/35) acende-se.
PERIGO
Fig. 35 Bloqueio do eixo oscilante
Quando a ampliação do campo
operacional está activada, a garra
pode invadir a cabina.
Quando o semi-braço entra na zona de
segurança, a lâmpada de controlo (35/52)
acende-se (luz vermelha).
MHL 350
5.3
5 UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA
5.1.7
Avisador de sobrecarga (opcional)
A máquina pode estar equipada com um
dispositivo avisador de sobrecarga. Ao atingirse a carga máxima, o avisador emite um sinal
acústico intermitente. Quando o sinal estiver
activo, não efectuará nenhum movimento
capaz de aumentar o momento de carga.
Para o manejo do interruptor de sobrecarga,
consultar as instruções de serviço da
empresa Krüger Systemtechnik GmbH.
CUIDADO
O avisador de sobrecarga apenas
funciona quando a máquina está
apoiada.
CUIDADO
O avisador de sobrecarga é um
dispositivo de segurança e não deve
ser utilizado para fins operacionais.
Observar rigorosamente os valores
indicados na tabela de cargas.
Recomendamos trabalhar sempre
com o avisador de sobrecarga
activado.
O avisador de sobrecarga é activado
mediante o interruptor basculante (35/26). A
lâmpada de controlo no interruptor basculante
está acesa (luz vermelha).
5.1.8
Interruptor de sobrecarga (opcional)
A máquina pode estar equipada com um
dispositivo interruptor de sobrecarga. Ao
atingir-se a carga máxima, o interruptor de
sobrecarga desactiva o equipamento de
trabalho. O único movimento ainda possível é
fechar o semi-braço, para reduzir o momento
de carga.
CUIDADO
O interruptor de sobrecarga apenas
funciona quando a máquina está
apoiada.
CUIDADO
O interruptor de sobrecarga é um
dispositivo de segurança e não deve
ser utilizado para fins operacionais.
Observar rigorosamente os valores
indicados na tabela de cargas.
Recomendamos trabalhar sempre
com o interruptor de sobrecarga
activado.
5.4
MHL 350
UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA 5
5.2
⇒ Não empurrar, socar ou bater com a garra.
Rotação e carregamento
É indispensável
instruções:
observar
as
seguintes
• Máquina não apoiada
⇒ Quando a máquina não está apoiada,
levantar as cargas apenas sobre os eixos,
ver tabela de cargas.
⇒ Quando a máquina não está apoiada,
bloquear o eixo oscilante durante o
trabalho, ver capítulo 5.1.5.
⇒ Quando a máquina está parada, accionar o
travão de estacionamento. Quando o
travão de estacionamento está accionado,
o eixo oscilante está bloqueado.
• Máquina apoiada
⇒ Quando a máquina está apoiada, bloquear
as rodas da máquina com o travão de
serviço.
⇒ Durante o trabalho, os 4 estabilizadores
devem estar apoiados, com segurança, no
solo. Verificar a estabilidade permanentemente ao longo dos trabalhos, reajustando
os cilindros de apoio, se for necessário.
⇒ Ao descer a garra num poço, observar as
mangueiras!
⇒ Não puxar cargas com o sistema de
rotação.
⇒ Girar o carro superior sempre a uma
velocidade adequada a fim de evitar
tracções excessivas provocadas pela força
centrífuga da carga, bem como oscilações
da carga aquando da travagem.
⇒ Não travar o movimento de rotação da
carregadora por queda do equipamento de
trabalho.
⇒ Durante a rotação, observar a capacidade
de carga máx. admissível na operação em
360°.
⇒ Durante o funcionamento, é proibida a
permanência de pessoas na zona perigosa
da máquina.
⇒ Accionar todos os elementos de comando
calma e cuidadosamente.
• Generalidades
⇒ Observar rigorosamente os
indicados na tabela de cargas.
valores
⇒ Ao soltar a alavanca de comando esquerda
(36/4) durante a rotação do carro superior,
a alavanca será automaticamente colocada
na posição 0. Ao mesmo tempo, o carro
superior será travado “suavemente” pela
hidráulica. O movimento do carro superior
pode ser travado também por rotação no
sentido inverso.
⇒ O carro superior pode ser imobilizado
numa determinada posição por meio do
pedal (36/8), por exemplo para o transporte
em veículos de plataforma rebaixada o
para a translação. Não utilizar o travão de
rotação (36/8) para travar o carro
superior.
Fig. 36 Rotação do carro superior
⇒ Não limpar o solo na frente da carregadora
com o implemento de trabalho, efectuando
movimentos de vaivém do carro superior.
MHL 350
5.5
5 UTILIZAÇÃO DA MÁQUINA
5.3
Utilização como dispositivo elevador
Ver capítulo 2.14
5.4
5.4.1
Instalação magnética (opcional)
Potência do gerador Potência máx. da
instalado
placa magnética
13 kW
9 kW *
20 kW
14 kW *
Utilização da instalação magnética
NOTA
* Sempre será possível utilizar
magnéticas mais pequenas.
placas
A instalação magnética apenas
deverá ser ligada quando a placa
magnética estiver instalada.
• Colocar a alavanca de ajuste de rotações
(37/18) em posição máxima.
• Para ligar a instalação magnética, accionar
o interruptor basculante (37/60). A lâmpada
de controlo no interruptor (37/60) acendese.
• Aproximar a placa magnética ao material a
ser carregado.
• Activar o magnete com a tecla (37/5) da
alavanca de comando esquerda. A lâmpada
(37/59) acende-se.
Para garantir uma óptima aderência à placa
magnética, iniciar a magnetização com a
tecla (37/5) da alavanca de comando
esquerda poucos momentos antes do
contacto com o magnete. Tirar a placa
magnética do material ao fim de, no
máximo, 5 segundos.
• Tirar a placa magnética carregada.
• Para descarregar o material, desactivar o
magnete com a tecla (37/5). A lâmpada
(37/59) apaga-se.
Se o material a ser descarregado cair
demasiado lentamente, girar o potenciómetro
(37/30) à direita. Se o material, ao
descarregá-lo, for atraído novamente, girar o
potenciómetro à esquerda. O voltímetro
(37/29) indica a tensão existente. A gama
máxima de tensão de serviço é de 220 a
230 V.
Fig. 37 Utilização da instalação magnética
Para evitar sobrecargas do gerador em uso,
não passar da potência máxima da placa
magnética (ver tabela seguinte).
5.6
MHL 350
ÍNDICE
6
Transporte e remoção .............................................................................................. 6.1
6.1
6.2
6.3
6.4
Reboque da máquina.........................................................................................................6.1
Remoção da máquina........................................................................................................6.2
Transporte em veículos de plataforma rebaixada ou ferroviários ......................................6.2
Pontos de fixação para o içamento da máquina por guindaste .........................................6.3
MHL 350
TRANSPORTE E REMOÇÃO 6
6
6.1
Transporte e remoção
Reboque da máquina
A máquina está equipada com estribos de
reboque nos lados anterior e posterior do
chassi.
A caixa de velocidades está sem pressão e
permanece em posição neutra com o motor
em funcionamento.
Após o reboque, colocar os tubos flexíveis na
caixa de velocidades e no travão de
estacionamento.
Designação:
NOTA
A capacidade máx. de carga dos
estribos é de 120 kN.
Antes de rebocar a máquina, colocar a caixa
de velocidades manobrável em carga na
posição neutra (ponto morto). Há dois
procedimentos alternativos – para o reboque
com motor diesel em funcionamento ou para
o reboque com motor parado.
CUIDADO
Com o motor Diesel parado, observar
que os travões e a direcção estão
fora de serviço – a máquina não
pode ser nem dirigida nem travada.
Reboque com motor Diesel parado
Fig. 38 Accionar a mudança de velocidades
• Ligar a ignição (38/25).
• Accionar a caixa de velocidades aprox.
10 vezes por meio da tecla (38/56). Agora a
mudança de velocidades está sem pressão,
a caixa de velocidades encontra-se em
posição neutra.
Reboque com motor Diesel em funcionamento
• Desligar o motor, ligar a ignição (38/25).
• Accionar a caixa de velocidades aprox.
10 vezes por meio da tecla (38/56). Agora a
mudança de velocidades está sem pressão,
a caixa de velocidades encontra-se em
posição neutra.
2
• Desligar a ignição (38/25).
• Desaparafusar os tubos flexíveis na caixa
de velocidades (39/1) e no travão de
estacionamento (39/2).
• Entupir os tubos flexíveis e as conexões na
caixa de velocidades e no travão de
estacionamento; amarrar os tubos flexíveis
soltos no chassi.
1
350-585-039
Fig. 39 Mudança de velocidades
• Ligar o motor.
MHL 350
6.1
6 TRANSPORTE E REMOÇÃO
6.2
Remoção da máquina
Se a máquina ficar atolada, não tentar tirá-la por solavancos ou baloiços.
A máquina pode ser tirada do atoleiro pelo equipamento de trabalho. Para isso, ligar a primeira
velocidade (38/56). Se for necessário, desmontar o implemento.
Se não for possível liberar a máquina pela tracção do equipamento de trabalho, adoptar o
procedimento descrito no capítulo 6.1.
6.3
Transporte em veículos de plataforma rebaixada ou ferroviários
Para o transporte em veículos de plataforma rebaixada ou ferroviários, imobilizar a máquina,
evitando o seu movimento acidental. Para este fim, a máquina dispõe de dois pontos de fixação
(ver fig. 40).
Fig. 40 Transporte em veículos de plataforma rebaixada ou ferroviários
Para garantir um transporte seguro,
posicionar a máquina da seguinte maneira:
• Girar o carro superior no sentido de marcha
e bloquear o travão de rotação (41/8).
• Pousar o equipamento de trabalho sobre a
plataforma sem levantar a máquina.
• Accionar
(41/19).
o
travão
de
estacionamento
• Colocar calços de madeira nos quatro pares
de rodas.
• Instalar cabos ou correntes nos pontos de
fixação e fixar a máquina na plataforma (ver
fig. 40).
6.2
Fig. 41 Posicionar a máquina
MHL 350
TRANSPORTE E REMOÇÃO 6
Pontos de fixação para o içamento da
máquina por guindaste
A pedido, a FUCHS pode fornecer um
dispositivo de suspensão da máquina.
Para fins de carregamento, a máquina
completa pode ser içada com cuidado.
Conforme o peso da máquina, prevemos a
fixação com uma manilha (42/5) do
tamanho 20 DIN 82101.
6.4
NOTA
Antes da elevação, desmontar os
equipamentos de trabalho, como a
garra ou o magnete, susceptíveis de
oscilar. Eventuais oscilações do
equipamento de trabalho comprometem a elevação segura da
máquina.
Desmontar os pés dos estabilizadores.
Fixar o dispositivo de elevação (42/1) por
meio dos pinos (42/2) e dos dispositivos de
segurança (42/3). Posicionar os estabilizadores (42/4) na horizontal.
Os pinos e os dispositivos de segurança
foram adaptados à fixação dos pés de apoio.
Colocar o equipamento de trabalho na
posição para o transporte em veículos de
plataforma rebaixada (cf. fig. 40).
Nesta posição, a distribuição da carga entre
os pontos de fixação é aproximadamente
idêntica.
Capacidade mín. de carga por cabo: 200 kN
(20 t).
Por razões de distribuição da carga, o
comprimento dos quatro cabos (42/6) não
pode ser inferior a 13 m. Caso contrário, usar
um dispositivo carregador.
Colocar os cabos de modo que a cabina e os
revestimentos não sejam danificados.
Fig. 42 Elevar a máquina
MHL 350
6.3
ÍNDICE
7
Manutenção ............................................................................................................... 7.1
7.1 Generalidades....................................................................................................................7.1
7.1.1
Análises periódicas do óleo.......................................................................................7.2
7.1.2
Supressão da pressão residual no circuito hidráulico ...............................................7.3
7.2 Peças de manutenção .......................................................................................................7.4
7.3 Trabalhos precedendo a colocação em serviço ................................................................7.5
7.3.1
Verificação do nível do óleo de motor .......................................................................7.5
7.3.2
Sistema de combustível ............................................................................................7.5
7.3.2.1 Nível de combustível .............................................................................................7.5
7.3.2.2 Pré-filtro de combustível ........................................................................................7.5
7.3.3
Sistema de refrigeração ............................................................................................7.6
7.3.3.1 Nível do agente refrigerante ..................................................................................7.6
7.3.3.2 Verificação do produto anticongelante ..................................................................7.6
7.3.4
Controlo do nível do óleo hidráulico ..........................................................................7.6
7.3.5
Limpar o radiador ......................................................................................................7.6
7.3.6
Pneus ........................................................................................................................7.7
7.3.7
Verificação do nível de óleo – eixos, transmissão de rotação e
caixa de velocidades manobrável em carga .............................................................7.7
7.3.8
Instalação eléctrica....................................................................................................7.7
7.4 Pontos de lubrificação........................................................................................................7.8
7.4.1
Lubrificação central automática – carro superior ....................................................7.11
7.4.1.1 Controlo automático.............................................................................................7.11
7.4.1.2 Enchimento do reservatório de graxa ..................................................................7.12
7.4.1.3 Disparar lubrificação adicional.............................................................................7.12
7.4.1.4 Lubrificar no caso de defeitos da bomba.............................................................7.12
7.4.2
Trabalhos diários e semanais .................................................................................7.13
7.4.2.1 Trabalhos diários .................................................................................................7.13
7.4.2.2 Trabalhos semanais ............................................................................................7.14
7.5 Plano de revisões ............................................................................................................7.15
7.6 Revisões e manutenção ..................................................................................................7.18
7.6.1
Motor Diesel ............................................................................................................7.18
7.6.2
Mudança do óleo de motor......................................................................................7.18
7.6.3
Filtro de óleo de motor ............................................................................................7.19
7.6.4
Sistema de combustível ..........................................................................................7.19
7.6.4.1 Filtro de combustível............................................................................................7.19
7.6.4.2 Limpeza do pré-filtro de combustível com elemento filtrante montado................7.20
7.6.4.3 Substituição do pré-filtro de combustível com elemento filtrante montado .........7.21
7.6.4.4 Purgar a água do sistema de combustível ..........................................................7.22
7.6.4.5 Purgar o ar do sistema de combustível ...............................................................7.22
7.6.5
Filtro de ar, aspiração de ar ....................................................................................7.23
7.6.5.1 Aspiração de ar....................................................................................................7.23
7.6.5.2 Desmontagem e montagem do cartucho principal ..............................................7.23
7.6.5.3 Limpeza do cartucho principal .............................................................................7.24
7.6.5.4 Desmontagem do cartucho de segurança ...........................................................7.24
MHL 350
ÍNDICE
7.6.6
Sistema de refrigeração ..........................................................................................7.25
7.6.6.1 Limpar o radiador.................................................................................................7.25
7.6.6.2 Mudar o agente refrigerante (radiador do motor) ................................................7.25
7.6.7
Verificação da correia trapezoidal ...........................................................................7.26
7.6.7.1 Tensão da correia trapezoidal (alternador)..........................................................7.26
7.6.7.2 Substituição da correia trapezoidal (alternador) ..................................................7.26
7.6.7.3 Tensão da correia trapezoidal (bomba de água / de combustível)......................7.27
7.6.7.4 Substituição da correia trapezoidal (bomba de água / de combustível) ..............7.27
7.6.8
Verificação e regulação da folga de válvulas ..........................................................7.28
7.6.9
Bateria .....................................................................................................................7.28
7.6.10 Purga do travão.......................................................................................................7.29
7.6.11 Purga do travão de estacionamento .......................................................................7.29
7.6.12 Regulação da folga do travão de estacionamento ..................................................7.29
7.6.13 Purga dos cilindros do eixo oscilante ......................................................................7.30
7.6.14 Óleo hidráulico ........................................................................................................7.31
7.6.14.1 Mudança do óleo hidráulico.................................................................................7.31
7.6.14.2 Reservatório de óleo hidráulico – filtro de arejamento ........................................7.31
7.6.14.3 Óleo hidráulico – filtro de retorno.........................................................................7.32
7.6.14.4 Torneira de fechamento do óleo hidráulico no reservatório ................................7.33
7.6.15 Mudança do óleo – eixos e engrenagens ...............................................................7.34
7.6.15.1 Diferencial do eixo dianteiro ................................................................................7.34
7.6.15.2 Diferencial do eixo traseiro ..................................................................................7.34
7.6.15.3 Cubos da roda .....................................................................................................7.35
7.6.15.4 Caixa de velocidades manobrável em carga .......................................................7.35
7.6.16 Transmissão de rotação..........................................................................................7.35
7.6.17 Binários de aperto ...................................................................................................7.36
7.7 Manutenção e limpeza.....................................................................................................7.37
7.8 Conservação (imobilização temporária) ..........................................................................7.37
7.8.1
Durante a imobilização............................................................................................7.38
7.8.2
Após a imobilização ................................................................................................7.38
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7
7.1
Manutenção
Generalidades
A fiabilidade e durabilidade da máquina são
determinadas pela manutenção.
Por essa razão, a observância das instruções
de manutenção é do interesse do próprio
proprietário. Os pormenores dos trabalhos de
manutenção, controlo e lubrificação, diários e
semanais, são objecto deste capítulo.
O período de garantia prevê revisões
obrigatórias a serem efectuadas por técnicos
qualificados do concessionário.
NOTA
O interruptor principal da bateria está
situado em frente do radiador de
óleo. Durante os trabalhos no
sistema eléctrico, o circuito eléctrico
deve ser desconectado com o
interruptor principal da bateria. No
caso de soldaduras, o circuito
eléctrico deve ser desconectado
separando o cabo de terra da bateria.
Enquanto em marcha, não desligar a
máquina com o interruptor principal
da bateria: risco de danos da
instalação eléctrica.
Periodicidades
Intervalos de revisão
(horas de funcionamento)
1.ª revisão
após 500 horas de funcionamento
2.ª revisão
após 1000 horas de funcionamento
3.ª revisão
após 1500 horas de funcionamento
Em seguida
a cada 500 h de serviço
NOTA
As revisões obrigatórias a serem
efectuadas durante o período de
garantia são obrigatórias e devem
ser pagas.
A execução correcta das revisões
obrigatórias será documentada nas
fichas de revisão do certificado de
garantia e entrega.
A inobservância destas disposições
pode implicar restrições da garantia
contratual.
CUIDADO
Ao mudar produtos auxiliares, tais
como óleo de motor, óleo lubrificante,
óleo hidráulico etc., evitar a
contaminação
do
solo.
Usar
recipientes de colecta apropriados.
No caso da contaminação do solo
por estes líquidos, parar o vazamento
de imediato e usar um agente
aglutinante apropriado. Se for
necessário,
escavar
o
solo
contaminado.
Tratar
adequadamente o agente aglutinante e o
material escavado. Observar as
normas vigentes de protecção do
ambiente.
PERIGO
Antes de trabalhos de reparação com
a cabina levantada, escorar o
mecanismo de elevação usando
dispositivos adequados (ver capítulo
4.8.1).
CUIDADO
Durante os trabalhos de manutenção e reparação, observar as instruções de segurança apresentadas
no capítulo 2.15 e seguintes.
MHL 350
7.1
7 MANUTENÇÃO
PERIGO
Não abrir os acumuladores de
pressão! Gás sob pressão no seu
interior. Os acumuladores contêem
azoto (perigo de asfixia).
A substituição e colocação em
serviço dos acumuladores devem ser
realizadas sempre por técnicos
devidamente qualificados. Não tocar
os acumuladores enquanto estes
estiverem quentes.
Não modificar os acumuladores de
pressão (por solda, perfuração,
abertura à força, etc.).
7.1.1
Análises periódicas do óleo
As análises de óleo não substituem os
intervalos estabelecidos para a mudança do
óleo. São prova da maior consciência
ecológica e, antes de tudo, contribuem para a
redução do custos de manutenção pela
prevenção de danos futuros.
Periodicidade das análises de óleo?
Análises do óleo periódicas permitem
acompanhar a evolução do estado do óleo e
da máquina.
Para controlar a qualidade do óleo e
aumentar os intervalos de mudança, analisar
os óleos nos seguintes intervalos:
• Óleo hidráulico:
1000 h de serviço
• Óleo para engrenagens:
500 h de serviço
• Óleo de motor:
500 h de serviço
O laboratório basear-se-á nos primeiros
resultados para propor o intervalo até a
próxima tiragem de amostras.
O concessionário FUCHS pode fornecer uma
brochura de informação sobre a extensão e o
processo de análise de óleo.
Vantagens da análise de óleo
• Aumento dos intervalos de mudança de
óleo em caso da utilização normal ou pouco
intensiva da máquina.
• Desgaste mínimo dos componentes de alta
qualidade com utilização optimizada dos
meios de produção.
• Análises periódicos de laboratório permitem
a prevenção de futuros danos.
• A reparação preventiva protege de danos
maiores e imprevistos.
• Danos subsequentes são evitados.
7.2
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.1.2
Supressão da pressão residual no
circuito hidráulico
CUIDADO
Para os trabalhos de manutenção e
reparação do sistema hidráulico,
evacuar a pressão residual no
circuito hidráulico. Antes de destes
trabalhos, colocar o equipamento de
trabalho no solo de maneira segura.
Para isso, accionar pelo menos 5 vezes os
elementos de comando indicados a seguir,
com o motor Diesel parado. Ligar, para isto,
a ignição (chave à posição I), baixar o
apoio para o braço (43/6) e fechar o
escadote de manutenção (44/1). A lâmpada
de controlo (43/50) funções de trabalho deve
estar desactivado.
NOTA
Observar a sequência correcta dos
pontos 2 e 3!
1. Alavancas de comando (43/4 e 43/16)
descer equipamento de trabalho, girar
carro superior, abrir/fechar garra
2. Pedal travão de serviço (43/9) (accionar
20 vezes)
Fig. 43 Supressão da pressão residual
3. Travão de estacionamento (43/19)
4. Pedais de marcha (43/10), (43/11)
5. Pedal travão de rotação (43/8)
6. Descida de emergência (43/3) ou (26/1)
da cabina de elevação
7. Alavanca estabilizadores (43/1)
8. Tecla (43/17) rotação garra
9. Tecla (43/55) eixo oscilante
10. Interruptor basculante – mudança de
velocidades (43/56)
MHL 350
7.3
7 MANUTENÇÃO
7.2
Peças de manutenção
NOTA
Formar um stock das peças de
manutenção necessárias para as
revisões!
Peças de manutenção
N.º da peça
sobresselente
Cartucho filtro retorno 2x
5 003 660 422
Elemento filtro arejamento
5 003 730 010
Filtro de óleo de motor
5 501 316 450
Filtro de combustível 2x
5 411 657 146
Elemento do pré-filtro de
combustível
5 501 648 523
Filtro de ar do motor:
Cartucho principal
Cartucho de segurança
Junta tampa
(motor)
de
válvula
Correia trapezoidal:
Accionamento bomba de
água / bomba de combustível
Accionamento alternador
Ar condicionado 2x
Gerador 2x
(instalação magnética)
Não-tecido filtrante
aqueci-mento
para
5 501 660 684
5 501 660 685
5 411 656 720
5 411 656 386
5 411 656 691
1 490 954 425
1 490 953 955
5 821 662 080
Produtos auxiliares
A vida útil e a fiabilidade da máquina
dependem em larga escala da utilização dos
produtos auxiliares correctos e da observação
dos períodos de manutenção.
O uso de produtos auxiliares não conformes
às nossas recomendações pode implicar
danos para os quais não assumimos
nenhuma garantia, mesmo durante o período
de garantia contratual.
CAPACIDADES
ver capítulo 3.18
PRODUTOS AUXILIARES ver capítulo 3.19
7.4
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.3
Trabalhos precedendo a colocação
em serviço
• Antes de subir na máquina, girar o carro
superior no sentido de marcha. Colocar o
semi-braço em posição vertical e descer a
garra aberta até ao solo (ver fig. 30).
1
• Antes de efectuar trabalhos de manutenção
na máquina, abrir o escadote de manutenção (44/1).
• Após do término dos trabalhos de manutenção na máquina, fechar o escadote de
manutenção (44/1).
7.3.1
Verificação do nível do óleo de
motor
350-585-044
Fig. 44 Escadote
• Controlar o nível de óleo diariamente antes
da colocação em funcionamento com a
máquina em posição horizontal.
• Os entalhes da vareta indicadora (ver 63/4)
indicam os níveis mínimo e máximo.
• Se for necessário, acrescentar óleo da
marca utilizada. Desaparafusar o bujão e
acrescentar óleo, usando um recipiente
limpo.
7.3.2
Fig. 45 Nível de combustível
Sistema de combustível
7.3.2.1 Nível de combustível
Verificar o nível de combustível no indicador
do depósito (45/39). Para evitar água de
condensação no interregno até à colocação
em funcionamento seguinte, encher o
depósito de combustível diariamente após o
término do trabalho. Para isso, abrir a tampa
depósito (46/1).
1
350-585-046
NOTA
Durante o enchimento, usar óculos e
luvas de protecção.
Fig. 46 Tampa depósito
NOTA
Para evitar a necessidade de pur-gar
o sistema de combustível, não deixar
o depósito de combustível esvaziar
por completo.
7.3.2.2 Pré-filtro de combustível
Abrir a válvula de descarga (47/1) do pré-filtro
de combustível uma vez por semana e
analisar o vazamento do líquido. Assim que
sair combustível em vez de água, fechar a
válvula de descarga.
MHL 350
1
350-585-047
Fig. 47 Parafuso de purga
7.5
7 MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO
7.3.3
Sistema de refrigeração
7.3.3.1 Nível do líquido de refrigeração
AVISO
Verifique o nível do líquido de
refrigeração apenas com o motor
frio. No caso de o líquido de
refrigeração estar quente existe o
perigo de queimadura!
O nível do óleo hidráulico tem de se encontrar
na metade superior, entre as duas marcas do
óculo de inspecção (50/1) (entre a parte do meio
do óculo de inspecção e a marca Max).
7.3.5 Limpar o radiador
Limpar a sujidade aspirada das aletas de
refrigeração do radiador de água/ar de carga
(50/2) e do radiador de óleo hidráulico (50/1).
Radiador de água do motor
1
Se o nível do líquido de refrigeração estiver
demasiado baixo, a lâmpada (45/38) acende-se.
• Desapertar a tampa de protecção (48/1).
• Retirar a tampa (48/2) e verificar o nível da
água.
2
• O nível da água tem de estar até à altura do
tubo de descarga.
350-585-048
7.3.3.2 Verificar o anticongelante
Antes da chegada da estação fria verificar o
anticongelante ajustado.
Figura 48 Radiador do motor
NOTA
Utilize sempre um anticongelante
com anticorrosivo. O anticongelante
está ajustado de origem para aprox.
-35 °C. Para reabastecer, utilize
apenas uma mistura de água e, no
máximo, 45 % de anticongelante.
Uma concentração superior ou
inferior a 45 % de anticongelante
deve ser evitada, dado que reduz a
refrigeração. A composição exacta
da concentração pode ser consultada
no manual de instruções do
fabricante do motor (ver também
capítulo 3.18).
7.3.4
1
350-585-049
Figura 49 Óculo de inspecção do óleo hidráulico
Verificar o nível de óleo hidráulico
Verificar o nível de óleo no óculo de
inspecção
(49/1)
e,
se
necessário,
reabastecer com óleo hidráulico (ver 7.6.14).
2
1
NOTA
Avance os cilindros da lança e do
braço em aprox. 50 %. Coloque os
estabilizadores na posição final
superior.
7.6
350-585-050
Figura 50 Limpar o radiador
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.3.6
Pneus
Aperto das porcas de roda
Durante as 50 primeiras horas de funcionamento, controlar semanalmente o aperto das
porcas de roda, comparando o seu binário de
aperto real com o binário de aperto nominal;
em seguida, controlar o aperto em intervalos
regulares.
Binário: 450 Nm
Fig. 51 Eixo traseiro
Na montagem das rodas, apertar as porcas
progressivamente em cruz, repetindo a
operação até atingir o binário correcto.
7.3.7
Verificação do nível de óleo – eixos,
transmissão de rotação e caixa de
velocidades manobrável em carga
• Colocar a máquina na horizontal.
• Girar a roda até o bujão (53/2) se encontrar
em baixo.
Fig. 52 Eixo dianteiro
• Desligar o motor.
Retirar os bujões de controlo:
• do eixo traseiro (51/1)
• do eixo dianteiro (52/1)
1
• do cubo da roda (53/1)
• da caixa de velocidades manobrável em
carga (55/1)
2
380-027-008
Fig. 53 Cubo da roda
controlar o nível de óleo e acrescentar óleo se
for necessário (ver 7.6.15).
• Controlar o nível do óleo da transmissão de
rotação com a vareta indicadora (54/1) e
acrescentar óleo se for necessário (ver
7.6.16). Os entalhes da vareta indicadora
indicam os níveis mínimo e máximo.
1
7.3.8
Instalação eléctrica
Antes da utilização, verificar a iluminação, os
faróis, os dispositivos de sinalização e o
funcionamento das lâmpadas de controlo.
360-177-058
Fig. 54 Transmissão de rotação
Fig. 55 Caixa de velocidades manobrável em
carga
MHL 350
7.7
7 MANUTENÇÃO
7.4
Pontos de lubrificação
Fig. 56 Pontos de lubrificação
7.8
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
Pontos de lubrificação
No. Ponto de lubrificação
seq.
Quantidade
Observações
1
Assento – pé de apoio
4
X
2
Assento – estabilizador
4
X
3a
Assento – cilindro de apoio (para o
estabilizador)
4
X
3b
Assento – cilindro de apoio (para o
chassi)
4
X
4
Charneira – porta de cabina
2
X
Assento – cabina elevação hidráulica
10
X
6
Assento – lança em forma de caixa
2
X
lubrificação
7
Assento – cilindro de lança
4
X
central automática
8
Assento – semi-braço
2
X
carro superior
9
Assento – cilindro do semi-braço
4
X
10
União de
dentadura)
5
X
11
Assento – suspensão de implementos
2
X
12
Charneira – capot
2
X
13
Charneira – escadote
2
X
14
Charneira – tampa radiador motor
2
X
lubrificação
15
Charneira
hidráulico
2
X
manual
16
Assento – cárter da direcção
4
X
ver fig. 58
17
Assento – cilindro de direcção
4
X
ver fig. 57
18
Assento – eixo oscilante
1
X
ver fig. 59
19
Copos de lubrificação nos assentos dos
cilindros
8
5*
giro
–
(coroa
tampa
giratória,
radiador
óleo
X
lubrificação manual
Efectuar a lubrificação adicional (lubrificação manual),
equipamento de trabalho
encostado no solo (instalação
sem pressão).
CUIDADO
* Submeter os pontos marcados a controlos visuais e testes de funcionamento de 500
em 500 horas de funcionamento (ver capítulo 7.5). Verificar sobretudo possíveis
danos ou desgaste.
NOTA
Para a lubrificação da máquina, esta há de estar apoiada e o equipamento de trabalho há
de estar baixado (lança em posição horizontal).
MHL 350
7.9
7 MANUTENÇÃO
Fig. 57 Cilindro de direcção
Fig. 59 Eixo oscilante
Cilindro de direcção: 4 pontos de lubrificação
Eixo oscilante: 1 ponto de lubrificação
Fig. 58 Cárter de direcção
Cárter da direcção: 4 pontos de lubrificação
7.10
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.4.1
Lubrificação central automática –
carro superior
A máquina está equipada com um sistema de
lubrificação centralizado que proporciona a
alimentação automática de graxa em
determinados pontos de lubrificação no carro
superior (ver Pontos de lubrificação).
7.4.1.1 Controlo automático
Cada vez que se conecta a ignição (60/25), o
sistema realiza um teste do funcionamento do
motor de accionamento da lubrificação
centralizado e da lâmpada de controlo
(60/58). A lâmpada de controlo (60/58) na
tecla acende-se por 2 segundos. Quando não
há avarias, a lâmpada de controlo apaga-se.
A lâmpada de controlo emite luz intermitente
no caso de avarias do sistema de lubrificação.
Lâmpadas de controlo que não se acendem
estão com defeito.
Fig. 60 Tecla lubrificação
Se a lâmpada emite luz intermitente durante o
funcionamento, consultar as instruções de
serviço
do
sistema
de
lubrificação
centralizado.
MHL 350
7.11
7 MANUTENÇÃO
7.4.1.2 Enchimento do reservatório de
graxa
Encher o reservatório de graxa com a bomba
de enchimento que se encontra nas
ferramentas de bordo:
• Introduzir um cartucho de reenchimento
adequado na bomba de enchimento.
7.4.1.3 Disparar lubrificação adicional
O operador pode disparar a lubrificação
adicional a qualquer momento.
Para disparar uma lubrificação adicional,
proceder da seguinte maneira:
• Remover o bujão protector (61/1).
• Premer a tecla (60/58) por aprox. 3 segundos. durante a lubrificação, a lâmpada de
controlo está acesa.
• Aparafusar a bomba de enchimento na
tubuladura roscada.
7.4.1.4 Lubrificar no caso de defeitos da
bomba
• Accionar a bomba de enchimento
(capacidade do reservatório: aprox. 3 kg de
graxa polivalente).
Além disso, o reservatório pode ser enchido
até à marcação MAX pelo niple de enchimento (61/2).
Se a bomba de lubrificação estiver com
defeito, o niple (61/3) da bomba pode ser
usado para uma lubrificação de graxa manual
nos pontos de lubrificação.
Quanto à graxa a utilizar, ver capítulo 3.19
“Produtos auxiliares”.
NOTA
1
3
Quando o sistema de lubrificação
estiver seco, ou seja, esvaziado por
completo, adicionar algumas gotas
de óleo antes de encher o sistema de
graxa. O óleo evacua o ar do êmbolo.
2
NOTA
A graxa deve estar livre de
impurezas; a sua consistência não
deve mudar com o tempo. Não usar
aditivos como por exemplo bissulfito
de molibdénio.
350-585-061
Fig. 61 Reservatório de graxa
NOTA
Deixar a bomba ligada durante o
enchimento. A purga dos tubos é
automática com evacuação do ar em
direcção ao ponto de lubrificação.
Para realizar uma purga completa do sistema
após o enchimento, lubrificações adicionais
(cf. 7.4.1.3) podem vir a ser necessárias.
7.12
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.4.2
Trabalhos diários e semanais
7.4.2.1 Trabalhos diários
Trabalhos de manutenção e controlo a serem executados pelo operador:
Domínio
Critério
Método de
controlo
Periodicidade
Medida
Conjunto
completo da
máquina
Danificações,
equipamentos
perdidos
Controlo visual
Diariamente
Substituir componentes;
se for caso disto,
mandar reparar
Elementos de
comando
Função
Teste de
funcionamento
Diariamente
Mandar reparar
Sistema de
iluminação, sinais
de aviso e
lâmpadas de
controlo
Função,
isolamento,
lâmpadas
incandescentes
defeituosas
Teste de
funcionamento,
controlo visual
Diariamente
Substituir lâmpadas
incandescentes se for
necessário; se for caso
disto, mandar reparar
Travões
Função
Teste de
funcionamento
Diariamente
Mandar reparar se for
necessário
Motor
Nível de óleo,
estanqueidade
Controlo visual
Diariamente
Acrescentar óleo se for
necessário; se for caso
disto, mandar reparar
Nível do agente
refrigerante,
estanqueidade,
limpar aletas de
refrigeração
Controlo visual
Diariamente
Acrescentar água +
agente refrigerante sem
nitritos, aminos e
fosfatos se for
necessário
(para a composição ver
instruções de serviço do
fabricante do motor)
mandar reparar se for
caso disto, limpar o
radiador
Depósito de
combustível
Pré-filtro de
combustível
Nível de
combustível,
estanqueidade
Controlo visual e
controlo visual no
indicador
Sujeira e nível de Controlar o nível
água
no visor de revisão
Diariamente
Reabastecer se for
necessário; se for caso
disto, mandar reparar
Diariamente
Purgar a água se for
necessário; se for caso
disto, mandar reparar
Instalação
hidráulica
Função,
estanqueidade
Controlo visual
Diariamente
Apertar uniões
roscadas, substituir
mangueiras e condutos
e componentes hidráulicos com fugas
Reservatório de
óleo hidráulico
Nível de óleo,
estanqueidade
Controlo visual
Diariamente
Acrescentar óleo se for
necessário; se for caso
disto, mandar reparar
Pontos de
lubrificação
manuais
Função,
enchimento de
graxa limpa
—
Diariamente
Lubrificar a máquina
conforme o plano de
lubrificação,
p. 7.8 – 7.12,
se for caso disto,
mandar reparar
MHL 350
7.13
7 MANUTENÇÃO
7.4.2.2 Trabalhos semanais
Domínio
Critério
Método de
controlo
Periodicidade
Medida
Capot
Danos, função
das molas
pneumáticas,
isolamento
térmico
Teste de
funcionamento e
controlo visual
Semanalmente
Substituir se for
necessário
Ar condicionado
Nível do agente
refrigerante,
funcionamento
Controlar o nível
no visor de
revisão, teste de
funcionamento
Semanalmente Mandar reparar se for
necessário
Mecanismo de
rotação
Fixação do motor
Controlo do
hidráulico, caixa binário de aperto
de velocidades,
com chave
coroa giratória
dinamométrica
Semanalmente
Reapertar parafusos
de fixação
Rodas
Aperto das
porcas
Controlo do
binário de aperto
com chave
dinamométrica
Semanalmente
Reapertar as porcas
Eixos, árvores de
transmissão
Aperto dos
parafusos de
fixação
Controlo do
binário de aperto
com chave
dinamométrica
Semanalmente
Reapertar parafusos
de fixação
Pontos de
lubrificação
manuais
Função,
enchimento de
graxa limpa
—
Semanalmente
Lubrificar a máquina
conforme o plano de
lubrificação,
p. 7.8 – 7.12,
se for caso disto,
mandar reparar
7.14
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.5
Plano de revisões
Trabalhos a realizar por técnicos qualificados da concessionária ou do serviço pós-venda:
O = Controlo, manutenção
X = Substituição
Horas de
funcionamento
Para estes trabalhos a máquina deve ter a temperatura de trabalho!
1
Verificar se as instruções de serviço se encontram na máquina
O
O
2
Óleo de motor
X
X
3
Filtro de óleo de motor
X
X
4
Purga d’água do reservatório de combustível
O
O
5
6
Tubagens de combustível flexíveis (substituir por completo)
Filtro de combustível
7
Elemento do pré-filtro de combustível
8
Câmara de aspiração de ar
1)
O
11
12
13
1)
14
Correia trapezoidal (se for caso disto, regular a tensão o substituir)
Suspensão do motor, fixação da bomba
15
Ajuste n.º de rotações do motor / regulação de limitação de carga
16
Sistema de escape
17
X
X
O
X
Limpeza aletas de refrigeração: radiador de motor e óleo hidráulico.
Ao trabalhar em ambientes muito poeirentos, reduzir os intervalos
de limpeza!
Agente anticongelante do refrigerante (AVIA, BASF, SHELL)
Mudança do agente refrigerante
X
O
9 * Filtro de ar
10
X
O
X
O
O
O
1)
O
O
O
O
O
O
O
O
O
2)
18
Folga entre válvulas no motor de propulsão (se for caso disto, ajustar)
Porcas das rodas
19
Fixação dos eixos e das árvores de transmissão
O
O
20
Apertar os parafusos de fixação nos contrapesos (1000 Nm)
O
O
21
Assento da cabina de elevação (ver capítulo 7.4)
O
O
22
Funcionamento perfeito do bloqueio da porta
O
O
1) No mínimo, de dois em dois anos
2) A cada 1500 h de serviço
NOTA
* Por isso, o elemento filtrante apenas será considerado obstruído e, por conseguinte,
sujeito à substituição, caso o controlo de obstrução for e permanecer activado durante a
operação da instalação hidráulica estiver à temperatura de serviço.
MHL 350
7.15
7 MANUTENÇÃO
O = Controlo, manutenção
X = Substituição
Horas de
funcionamento
Para estes trabalhos a máquina deve ter a temperatura de trabalho!
23
Funcionamento dos travões
O
O
24
Revestimentos dos travões de serviço e de estacionamento
O
O
25
Purgar os travões de serviço/estacionamento (conf. necessidade)
O
O
26
Ajustar a folga do travão de estacionamento (conf. necessidade)
O
O
27
Buchas e pinos do equipamento de trabalho
O
O
28
Elementos eléctricos de controlo, sinalização e iluminação
O
O
29
Mobilidade dos elementos de comando
O
O
30
Controlo bloqueio hidráulico eixos e purga cilindros eixo oscilante
O
O
31
Funcionamento da direcção
O
O
32
Estado e funcionamento dos estabilizadores
O
O
33
Controlo de estanqueidade de tubos, mangueiras, distribuidores, bombas
hidráulicas, cilindros, etc.
Ao reapertar as conexões das mangueiras e tubos, fixar as
contraporcas para evitar que girem.
Accionamento da bomba
O
O
O
O
O
O
34
35
36
37
38
39
Controlo do assento fixo da coroa giratória, transmissão de rotação e
motor de rotação
Lubrificação da máquina segundo o plano dos pontos de lubrificação
Controlo de funcionamento, estado e integridade dos dispositivos de
segurança
Controlo do funcionamento hidráulico sob pressão
3)
ver capítulo
7.4
O
O
O
O
O
X
O
X
40
Filtro de ar do banho de óleo – aquecimento (opção) mudança do óleo
Filtro de ar / não-tecido filtrante (aquecimento por água quente)
41
Gerador – escovas de carvão (comprimento mín. de carvão: 3 mm)
42
Tensão da correia trapezoidal do gerador
43
45
Controlo do estado, da tensão da correia trapezoidal e do filtro do ar
condicionado
Caixa de velocidades manobrável em carga: controlo e, se for
necessário, mudança do óleo
Transmissão de rotação: controlo e, se for necessário, mudança do óleo
46
Reservatório hidráulico – filtro de arejamento
47
Trabalho e marcha de ensaio
O
48
Assinar fichas de revisão e mandá-las à FUCHS
O
44
O
O
O
O
O
O
X
X
X
X
X
X
O
3) Ao trabalhar em ambientes muito poeirentos, reduzir os intervalos de limpeza!
7.16
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
O = Controlo, manutenção
X = Substituição
Horas de
funcionamento
Para estes trabalhos a máquina deve ter a temperatura de trabalho!
49
50
Cubos da roda do eixo dianteiro / traseiro: controlo e, se for necessário,
mudança do óleo
Diferencial do eixo traseiro e dianteiro: controlo e, se for necessário,
mudança do óleo
O = Controlo, manutenção
X = Substituição
X
X
X
X
X
X
Horas de
funcionamento
Para estes trabalhos a máquina deve ter a temperatura de trabalho!
51
52
53
Válvulas de injecção no motor Diesel
Controlo e, se for necessário, mudança do óleo hidráulico
Elemento filtrante do filtro de retorno do óleo hidráulico
X
4)
O
X
X
X
X
4) Aumento dos intervalos de mudança do óleo hidráulico
Mudança segundo análise das amostras de óleo e relatório do laboratório. Intervalos de tiragem de amostras
segundo instrução do laboratório.
MHL 350
7.17
7 MANUTENÇÃO
7.6
7.6.1
Revisões e manutenção
Motor Diesel
Para todos os trabalhos de revisão e
manutenção não indicados nestas instruções,
observar as instruções do motor Diesel.
7.6.2
Mudança do óleo de motor
Para a quantidade de óleo de motor
necessária e a especificação do óleo
lubrificante, ver capítulo 3.18 – 3.19.
Mudança segundo plano de revisões, capítulo
7.5, e análises de óleo, capítulo 7.1.1.
Mudança do óleo
• Aquecer o motor, temperatura do óleo
lubrificante aprox. 80 °C.
• Colocar a máquina na horizontal.
• Desligar o motor.
• Colocar um recipiente de colecta apropriado
embaixo do motor.
Fig. 62 Válvula de mudança de óleo
NOTA
Colectar o óleo evitando a contaminação do solo. Eliminação de
acordo com as normas vigentes!
• Desaparafusar
válvula (62/1).
a
tampa
protectora
na
• Aparafusar a mangueira de purga (62/2) na
válvula (62/1) e deixar escorrer o óleo.
AVISO
A purga de óleo quente implica risco
de escaldadela!
• Remover a mangueira de drenagem (62/2)
e aparafusar a tampa protectora na válvula
(62/1).
• Substituir o elemento filtrante do filtro de
óleo (ver 7.6.3).
• Tirar a tampa (63/1).
• Acrescentar óleo lubrificante até chegar à
marcação MAX da vareta indicadora.
• Fechar a tampa (63/1).
• Ligar o motor, deixando o rodar em ponto
morto baixo durante aprox. 2 minutos.
• Desligar o motor.
• Após aprox. 15 minutos, controlar o nível e,
se for necessário, completar óleo.
7.18
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.3
Filtro de óleo de motor
• Ao mudar o óleo de motor, substituir
sempre o filtro de óleo de motor.
3
2
• Limpar o exterior do cartucho de filtro
(63/2).
• Desaparafusar o cartucho de filtro (63/2),
eliminando-o de acordo com as normas
vigentes.
• Limpar superfície de vedação do porta-filtro.
• Aplicar um pouco de óleo no anel de
vedação do filtro novo.
• Aparafusar o cartucho do filtro de óleo do
motor até a vedação do filtro entrar em
contacto com a cabeça do filtro.
1
4
350-585-063
Fig. 63 Cartucho do filtro de óleo do motor,
cartuchos do filtro de combustível
• Girar o cartucho do filtro de óleo do motor
manualmente dando meia volta.
• Ligar o motor apenas com quantidade
suficiente de óleo (ver capítulo 7.6.2).
• Controlar a estanqueidade do cartucho do
filtro de óleo do motor.
7.6.4
Sistema de combustível
7.6.4.1 Filtro de combustível
Mudança segundo plano de revisões, capítulo
7.5.
• Limpar bem o exterior da unidade de
filtragem de combustível.
• Desaparafusar os cartuchos de filtro de
combustível (63/3) (se for caso disto, com
uma chave de cinta de aperto), eliminandoos de acordo com as normas vigentes.
• Limpar superfície de vedação do porta-filtro.
• Encher o filtro de combustível.
• Aplicar um pouco de combustível na
vedação do filtro de combustível e
aparafusá-lo até a vedação do cartucho do
filtro de combustível entrar em contacto com
a cabeça do filtro.
• Girar o cartucho do filtro de combustível
dando meia volta.
• Controlar a estanqueidade dos cartuchos do
filtro de combustível.
MHL 350
7.19
7 MANUTENÇÃO
7.6.4.2 Limpeza
do
pré-filtro
de
combustível
com
elemento
filtrante montado
3
1
Manutenção segundo plano de revisões,
capítulo 7.5.
NOTA
Para realizar trabalhos de revisão no
pré-filtro de combustível, o motor há
de estar parado.
6
2
• Desligar o motor.
• Abrir o parafuso de purga (64/1) situado na
tampa do filtro.
350-585-064
Fig. 64 Pré-filtro de combustível
• Abrir a válvula de descarga (64/2), colectar
as impurezas e a água saindo num
recipiente adequado e eliminar a mistura de
acordo com as normas vigentes.
• Fechar a válvula de descarga (64/2).
• Purgar o pré-filtro de combustível por meio
da bomba de alimentação de accionamento
manual (64/6).
• Accionar a bomba de alimentação (64/6) até
observar que o combustível sai sem bolhas
de ar do parafuso de purga (64/1) da tampa
do pré-filtro de combustível. Colectar o
combustível saindo e eliminá-lo de acordo
com as normas vigentes.
• Fechar o parafuso de purga (64/1).
7.20
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.4.3 Substituição do pré-filtro de
combustível
com
elemento
filtrante montado
Mudança segundo plano de revisões, capítulo
7.5.
NOTA
Observar o período máx. de accionamento do motor de arranque de
20 segundos.
NOTA
Para realizar trabalhos de revisão no
pré-filtro de combustível, o motor há
de estar parado.
NOTA
Funcionamento
da
válvula
de
descarga: Premer o botão de
accionamento em direcção ao corpo
da válvula e girá-lo.
• Desligar o motor.
• Abrir o parafuso de purga (64/1) situado na
tampa do filtro.
• Abrir a válvula de descarga (64/2), colectar
as impurezas e a água saindo num
recipiente adequado e eliminar a mistura de
acordo com as normas vigentes. O volume
do líquido a ser eliminado não deveria
ser superior a 0,5 – 1,0 litros.
Fig. 65 Pré-filtro de combustível
• Fechar a válvula de descarga (64/2).
• Desaparafusar os parafusos da tampa do
filtro (64/3).
• Remover a tampa do filtro.
• Retirar a cassete de mola (65/4).
• Retirar o elemento filtrante (65/5) pela alça.
• Instalar um elemento filtrante novo.
• Colocar a cassete de mola (65/4) no
elemento filtrante novo.
• Controlar e, se for necessário, substituir o
anel de vedação da tampa do filtro. Instalar
o anel de vedação na tampa do filtro,
verificar o seu assente correcto.
• Montar a tampa do filtro. Apertar os
parafusos, procedendo em sequência
diagonal.
• Purgar o pré-filtro de combustível como
descrito no capítulo 7.6.4.2.
• Ligar o motor e controlar a estanqueidade
do pré-filtro de combustível.
MHL 350
7.21
7 MANUTENÇÃO
7.6.4.4 Purgar a água do sistema de
combustível
1
Manutenção segundo plano de revisões,
capítulo 7.5.
Realizar a purga de água do sistema de
combustível no reservatório e no pré-filtro de
combustível.
NOTA
Colectar a mistura de combustível e
água num recipiente adequado.
360-177-071
Depósito de combustível
Fig. 66 Bujão de purga
• Purgar a água do reservatório de
combustível pelo bujão de purga (66/1).
• Aparafusar a mangueira de purga no bujão
de purga; deixar escorrer água. Assim que
sair combustível em vez de água, fechar o
bujão de purga.
Pré-filtro de combustível
• Abrir a válvula de descarga (64/2) uma vez
por semana e analisar o vazamento do
líquido. assim que sair combustível em vez
de água, fechar a válvula de descarga.
7.6.4.5 Purgar o ar
combustível
do
sistema
de
• Accionar a bomba de alimentação (64/6) até
observar que o combustível sai sem bolhas
de ar do parafuso de purga (64/1) da tampa
do pré-filtro de combustível. Colectar o
combustível saindo e eliminá-lo de acordo
com as normas vigentes.
• Apertar o parafuso de purga (64/1) (25 Nm).
NOTA
Se o motor não pega ao fim de
30 segundos no máximo, colocar a
chave de ignição em posição I ou 0 e
esperar outros 30 segundos antes de
reiniciar o processo.
CUIDADO
No início, não usar o motor a carga
plena. Conduzir moderadamente até
o motor atingir a sua temperatura de
trabalho.
7.22
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.5
Filtro de ar, aspiração de ar
CUIDADO
Para realizar trabalhos de revisão no
sistema de aspiração de ar, o motor
há de estar parado! Não ligar o motor
enquanto o cartucho principal e o
cartucho de segurança estiverem
desmontados.
Fig. 67 Lâmpada de controlo do filtro de ar
NOTA
Antes de substituir o filtro de ar,
proporcionar uma plataforma de
trabalho adequada.
7.6.5.1 Aspiração de ar
2
• Controlar a fixação do filtro de ar.
• Controlar a estanqueidade da aspiração de
ar a jusante do filtro de ar. Controlar o
estado das peças de borracha. Substituir,
de imediato, peças com defeito.
1
• Esvaziar e limpar o colector de pó.
Quando a lâmpada de controlo (67/41) no
painel de instrumentos emite luz contínua,
realizar a manutenção do filtro de ar. Sinais
de luz breves da lâmpada de controlo não são
indício de problema; geralmente estes sinais
são provocados por um aumento demasiado
rápido do n.º de rotações do motor.
350-585-068
Fig. 68 Colector de pó
A obstrução do filtro manifesta-se, igualmente, pela emissão de fumaça espessa pelo
escape e redução sensível da potência do
motor.
7.6.5.2 Desmontagem e montagem
cartucho principal
do
• Abrir as alças (68/1) do corpo (68/2) do
colector de pó e retirar o corpo do colector.
• Remover a tampa (69/2), limpar o corpo do
colector e colocar novamente a tampa
(69/2).
Fig. 69 Mudança do filtro
• Desaparafusar a porca sextavada (69/1) e
retirar o cartucho principal para limpá-lo.
Para a montagem, adoptar o procedimento
inverso.
MHL 350
7.23
7 MANUTENÇÃO
7.6.5.3 Limpeza do cartucho principal
NOTA
Limpar o cartucho principal apenas
com jacto de ar. Não usar água nem
escovas. Aquando da limpeza com ar
comprimido, evitar contaminações de
pó no interior do cartucho principal.
7.6.5.4 Desmontagem
segurança
do
cartucho
de
O cartucho de segurança encontra-se no
interior do cartucho principal.
NOTA
Não limpar nem reaproveitar
cartucho de segurança.
O cartucho principal pode ser limpo no
máximo 5 vezes. Contudo, o filtro deve ser
substituído o mais tardar após um ano de
serviço. Documentar o número de limpezas
efectuadas.
• Desinstalar o cartucho principal.
Para a limpeza, instalar um tubo de ponta
rectangular na pistola de ar comprimido.
Escolher um tubo de comprimento adequado,
que chegue até ao fundo do cartucho.
Realizar a limpeza a seco do cartucho
principal com ar comprimido (máx. 5 bar).
Subir e descer o tubo no cartucho principal,
soprando as impurezas de dentro para fora
até não sair mais nenhuma poeira (fig. 70).
• Instalar um cartucho de segurança novo.
o
• O procedimento de desmontagem do
cartucho de segurança é semelhante ao da
desmontagem do cartucho principal.
• Para as demais etapas de montagem,
adoptar o procedimento inverso.
máx. 5 bar
Controlar se o fole de papel e as vedações de
borracha do cartucho estão danificadas. Usar
uma lâmpada para detectar defeitos do fole
de papel.
NOTA
Não reutilizar cartuchos principais
danificados. Em caso de dúvida,
instalar um cartucho novo.
Para a montagem do cartucho principal,
adoptar o procedimento inverso, vide capítulo
7.6.5.2.
7.24
MTK115076
Fig. 70 Limpeza do cartucho principal
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.6
Sistema de refrigeração
A máquina está equipada com dois
radiadores: um para o motor, o outro para o
óleo hidráulico.
7.6.6.1 Limpar o radiador
• Reinstalar o bujão de purga do motor e a
mangueira.
• Afrouxar o parafuso de purga (71/1) dando
2 voltas.
AVISO
Parar o motor antes e durante a
manutenção e a limpeza do radiador.
Manutenção segundo plano de revisões,
capítulo 7.5.
NOTA
• Encher o sistema de refrigeração de agente
refrigerante (ver “Capacidades”, capítulo
3.18 e capítulo 7.3.3.2). Fechar a tampa e
apertar o parafuso de purga (71/1).
• Ligar o motor até atingir a temperatura de
serviço.
• Desligar o motor, permitindo que arrefeça.
Radiadores sujos provocam sobreaquecimento do motor e/ou do óleo
hidráulico.
• Limpar ambos os radiadores com ar
comprimido, soprando a partir do lado pelo
qual sai o ar.
• Limpar o motor com ar comprimidol.
• Remover impurezas soltas.
7.6.6.2 Mudar o agente
(radiador do motor)
• Remover a mangueira d’água inferior do
radiador e eliminar o agente refrigerante de
acordo com as normas vigentes.
• Controlar o nível e acrescentar agente
refrigerante
(várias
vezes
se
for
necessário).
• Controlar a estanqueidade do sistema de
refrigeração.
Quando o nível do agente refrigerante está
demasiado baixo, a lâmpada de controlo
(67/38) acende-se.
refrigerante
Mudança segundo plano de revisões, capítulo
7.5.
1
AVISO
Os trabalhos no sistema de
refrigeração (p. ex. remover a tampa
do radiador, remover mangueiras)
apenas podem ser efectuados após o
arrefecimento do motor e do agente
refrigerante. Risco de escaldadela
em caso de agente refrigerante
quente!
350-585-071
Fig. 71 Parafuso de purga
NOTA
Colectar o refrigerante evitando a
contaminação do solo. Eliminação
de acordo com as normas
vigentes!
• Colocar a máquina na horizontal.
1
• Remover a tampa do radiador.
• Desaparafusar o bujão de purga (72/1) do
bloco de cilindros e deixar escorrer o agente
refrigerante.
350-585-072
Fig. 72 Purga do agente refrigerante
MHL 350
7.25
7 MANUTENÇÃO
7.6.7
Verificação da correia trapezoidal
Manutenção segundo plano de revisões,
capítulo 7.5.
NOTA
Substituir, imediatamente, correias
trapezoidais gastas ou danificadas.
Premer a correia trapezoidal para baixo com o
polegar (bem no meio do maior compri-mento
livre) e medir a flexão. Com uma pressão
moderada do polegar de aprox. 45 N, a
correia deve ter uma flexão de 10 mm.
Substituir
correias
com
rupturas
ou
contaminadas com óleo, agente refrigerante,
graxa ou produtos afins.
7.6.7.1 Tensão da
(alternador)
correia
Fig. 73 Correia do alternador
trapezoidal
• Soltar o parafuso de fixação (73/1), não o
desaparafusar.
• Soltar os parafusos
desaparafusar.
(73/2),
não
os
• Usar uma ferramenta apropriada como por
exemplo uma peça quadrangular ½“ para
girar o alternador até atingir a tensão
correcta de correia.
• Apertar os parafusos (73/1) e (73/2).
7.6.7.2 Substituição da correia trapezoidal
(alternador)
• Soltar o parafuso de fixação (73/1), não o
desaparafusar.
• Soltar os parafusos
desaparafusar.
(73/2),
não
os
• Girar o alternador para dentro até poder
remover a correia.
• Colocar uma correia nova.
• Realizar a tensão da correia trapezoidal
como descrito no capítulo 7.6.7.1.
NOTA
No caso da montagem de correias
trapezoidais novas, verificar a tensão
após 15 minutos de funcionamento e
ajustar se for necessário.
7.26
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.7.3 Tensão da correia trapezoidal
(bomba de água / de combustível)
• Afrouxar os parafusos (74/1) e (74/2).
• Premer a bomba de combustível (74/3) no
sentido da seta até atingir a tensão correcta
da correia.
• Apertar os parafusos (74/1) e (74/2).
7.6.7.4 Substituição da correia trapezoidal
(bomba de água / de combustível)
• Afrouxar os parafusos (74/1) e (74/2).
• Premer a bomba de combustível (74/3)
contra o sentido da seta até poder remover
a correia.
Fig. 74 Correia trapezoidal (bomba de água / de
combustível)
• Colocar uma correia nova.
• Premer a bomba de combustível (74/3) no
sentido da seta, usando uma ferramenta
apropriada como por exemplo uma peça
quadrangular ½“, até atingir a tensão
correcta da correia.
• Apertar os parafusos (74/1) e (74/2).
MHL 350
7.27
7 MANUTENÇÃO
7.6.8
Verificação e regulação da folga de
válvulas
Manutenção segundo plano de revisões,
capítulo 7.5.
Controlar e, se for necessário, ajustar a folga
de válvulas conforme as instruções de serviço
do fabricante do motor.
7.6.9
Bateria
NOTA
Antes da montagem ou desmontagem da bateria, interromper o
circuito eléctrico com o interruptor
principal da bateria.
NOTA
Para a primeira colocação em serviço
da bateria, observar as instruções do
fabricante da bateria.
Desmontagem da bateria
• Desconectar o cabo negativo
seguida, o cabo positivo.
e,
em
• Soltar a fixação e tirar a bateria.
Montagem da bateria
• Instalar a bateria.
• Conectar o cabo positivo e, em seguida, o
cabo negativo.
NOTA
Conectar sempre o borne negativo
ao pólo negativo (-) e o borne
positivo ao pólo positivo (+).
Sobretudo no inverno, garantir que a bateria
esteja bem carregada.
7.28
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.10 Purga do travão
• Soltar a contraporca (77/2).
Manutenção e plano de revisões, capítulo 7.5.
• Aparafusar o parafuso sem cabeça (77/3)
com sextavado interno até sentir uma
resistência (os revestimentos dos travões
estão em contacto com os discos dos
travões).
NOTA
Colectar o óleo evitando a contaminação do solo. Eliminação de
acordo com as normas vigentes!
• Deixar rodar o motor com n.º de rotações
médio.
• Accionar o travão de estacionamento!
• Desaparafusar o parafuso sem cabeça
(77/3) dando meia volta.
• Imobilizar pela porca (77/2).
• Instalar a cobertura (77/1).
• Accionar e engatar o pedal e travão de
serviço.
• Remover a tampa protectora da válvula de
arejamento (75/1) e instalar uma mangueira
adequada.
• Colocar a mangueira num recipiente de
colecta.
• Afrouxar levemente a válvula de arejamento
com uma chave 9, mantendo-a aberta até o
óleo hidráulico sair sem bolhas de ar.
• Apertar a válvula de arejamento e colocar a
tampa protectora.
• Adoptar o mesmo procedimento para
realizar a purga dos três travões restantes.
Fig. 75 Travão
7.6.11 Purga do travão de estacionamento
Manutenção e plano de revisões, capítulo 7.5.
NOTA
Colectar o óleo evitando a contaminação do solo. Eliminação de
acordo com as normas vigentes!
• Accionar e engatar o pedal e travão de
serviço.
• Soltar o travão de estacionamento (78/19).
• Deixar rodar o motor com n.º de rotações
médio.
Fig. 76 Travão de estacionamento
• Abrir os parafusos de purga de ar (76/1) no
travão de estacionamento.
• Quando o óleo hidráulico sair sem bolhas
de ar, fechar o parafuso de purga (76/1).
Modelo especial com perno
de guia mais comprido
7.6.12 Regulação da folga do travão de
estacionamento
Manutenção e plano de revisões, capítulo 7.5.
• Soltar o travão de estacionamento (78/19).
• Remover a cobertura (77/1).
MHL 350
Fig. 77 Ajustar o travão de estacionamento
7.29
7 MANUTENÇÃO
7.6.13 Purga dos
oscilante
cilindros
do
eixo
NOTA
Colectar o óleo evitando a contaminação do solo. Eliminação de
acordo com as normas vigentes!
• O eixo oscilante não pode estar bloqueado;
a lâmpada de controlo (78/55) está acesa.
• Colocar a máquina sobre cavaletes de
modo que as rodas do eixo oscilante não
estejam em contacto com o solo.
• Apertar o travão de serviço (78/9).
• Soltar o travão de estacionamento (78/19).
• Deixar rodar o motor com n.º de rotações
médio.
• Abrir os parafusos de purga (79/1) um após
o outro até o óleo hidráulico sair sem bolhas
de ar.
• Fechar os parafusos de purga.
Fig. 78 Bloqueio do eixo oscilante
Fig. 79 Parafuso de purga do cilindro do eixo
oscilante
7.30
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.14 Óleo hidráulico
Para a quantidade de óleo hidráulico
necessária e especificações, ver capítulo
3.18 – 3.19.
Mudança segundo plano de revisões, capítulo
7.5, e análises de óleo, capítulo 7.1.1.
7.6.14.2 Reservatório de óleo hidráulico –
filtro de arejamento
Mudança segundo plano de revisões, capítulo
7.5.
Tirar o filtro de arejamento (81/1), substituir o
filtro por um novo e apertá-lo com força
manual.
7.6.14.1 Mudança do óleo hidráulico
NOTA
NOTA
Para a mudança do óleo hidráulico, a
máquina deve ter a temperatura de
trabalho.
Se a tampa estiver suja, p. ex.
contaminada por espuma de óleo
hidráulico, substituir o filtro de
arejamento.
NOTA
Colectar o óleo evitando a contaminação do solo. Eliminação de
acordo com as normas vigentes!
NOTA
1
Antes de encher óleo hidráulico,
proporcionar uma plataforma de
trabalho adequada.
• Fechar todos os cilindros.
• Desligar o motor Diesel.
• Desaparafusar o filtro de arejamento (81/1).
• Abrir a tampa (81/2) do filtro de retorno e
tirar o filtro completo.
360-177-084
Fig. 80 Tampa de fecho
• Desaparafusar a tampa de fecho (80/1) no
bujão de purga. Para poder desaparafusar a
tampa de fecho (80/1), remover primeiro o
revestimento.
• Antes de aparafusar, introduzir a mangueira
de purga de óleo (jogo de ferramentas) num
recipiente colector.
1
• Aparafusar a mangueira de purga de óleo.
• Se for necessário, lavar
reservatório hidráulico.
e
limpar
2
o
• Desaparafusar a mangueira de purga e
fechar o bujão de purga com a tampa de
fecho.
• Colocar óleo hidráulico limpo no orifício do
filtro de retorno (81/2).
350-585-081
Fig. 81 Tampa do filtro
• Aparafusar o filtro de arejamento (81/1).
• Fechar a tampa (81/2) do filtro de retorno e
instalar o filtro completo.
MHL 350
7.31
7 MANUTENÇÃO
7.6.14.3 Óleo hidráulico – filtro de retorno
Mudança segundo plano de revisões, capítulo
7.5.
Substituição do filtro de retorno
NOTA
Antes de substituir o elemento
filtrante, proporcionar uma plataforma
de trabalho adequada.
Este procedimento refere-se a ambos
os filtros de retorno!
O elemento filtrante (83/2) (elemen-to
filtrante Exapor) não pode ser limpo.
Fig. 82 Lâmpada de controlo – filtro de retorno
sujo
Quando a lâmpada de controlo (82/41) no
painel de instrumentos emite luz contínua,
realizar a substituição do filtro de retorno.
Sinais de luz breves da lâmpada de controlo
não são indício de problema.
• Tirar a tampa do filtro de retorno (83/1).
• Tirar o filtro de retorno completo do
reservatório, puxando-o pela alça (83/6).
• Aplicar uma chave inglesa no hexágono
(83/5) e passar uma vareta pela alça (83/6).
Desaparafusar a peneira (83/7) por giros do
filtro de retorno (83/2).
NOTA
Limpar a peneira (83/7) conforme
descrito abaixo aquando de cada
substituição do elemento filtrante!
• Desaparafusar e limpar a peneira (83/7)
com um detergente neutro.
• Limpar a peneira com uma pistola de ar
comprimido, aplicando o jacto de ar de
dentro para fora.
• Instalar um elemento filtrante novo e uma
peneira limpa.
Fig. 83 Filtro de retorno
• Garantir que a vedação entre a peneira e o
elemento filtrante esteja bem colocada.
• Limpar a vedação (83/3) situada entre o
reservatório hidráulico e a tampa do filtro de
retorno.
• Controlar a vedação (83/4), substituindo-a
se for necessário.
• Instalar o filtro de retorno novo com a
vedação no reservatório.
• Fixar a tampa do filtro de retorno com a
vedação no reservatório.
7.32
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.14.4 Torneira de fechamento do óleo
hidráulico no reservatório
Para não ser obrigado a esvaziar o
reservatório do óleo hidráulico no caso da
reparação do conduto de aspiração, da
bomba hidráulica ou dos condutos hidráulicos,
a adução de óleo para a bomba principal
pode ser interrompida.
• Tirar os parafusos de cabeça cilíndrica
(84/1) da tampa de segurança.
• Tirar a tampa de segurança (84/2).
• Usar uma chave de forqueta para girar a
peça quadrangular em 90º desde a posição
de passagem (85/1) até à posição de
fechamento (85/2).
Fig. 84 Fechamento do óleo hidráulico
NOTA
A marcação na face da peça
quadrangular deve estar de través
em relação à passagem.
NOTA
Após o término da reparação e antes
de ligar o motor, colocar a peça
quadrangular novamente na posição
de passagem (85/1).
• Fixar a tampa de segurança (84/2) com os
parafusos de cabeça cilíndrica (84/1).
MHL 350
Fig. 85 Sentido de passagem
7.33
7 MANUTENÇÃO
7.6.15 Mudança do óleo – eixos e engrenagens
• Abrir o parafuso de purga (87/2) e deixar
escorrer o óleo.
Quantidade e especificações do óleo, ver
capítulo 3.18 – 3.19.
• Lavar o eixo se for necessário.
Mudança segundo plano de revisões, capítulo
7.5, e análises de óleo, capítulo 7.1.1.
Para mudar o óleo dos eixos, a máquina
deve ter a temperatura de trabalho.
• Fechar cuidadosamente o parafuso de
purga.
• Encher de óleo.
• Fechar cuidadosamente o parafuso de
controlo e enchimento.
NOTA
Colectar o óleo evitando a contaminação do solo. Eliminação de
acordo com as normas vigentes!
NOTA
Depois de ter enchido os eixos de
óleo, movimentar a máquina durante
aprox. 5 minutos para assegurar uma
boa distribuição do óleo. Em seguida,
verificar, mais uma vez, o nível de
óleo e, se for necessário acrescentar
mais óleo.
7.6.15.1 Diferencial do eixo dianteiro
NOTA
No eixo de direcção, os cubos da
roda e os diferenciais possuem
compartimentos de óleo separados.
• Colocar a máquina na horizontal.
• Accionar o travão de estacionamento.
• Abrir o parafuso de controlo e enchimento
(86/1).
• Abrir o parafuso de purga (86/2) e deixar
escorrer o óleo.
Fig. 86 Diferencial do eixo dianteiro
• Lavar o eixo se for necessário.
• Fechar cuidadosamente o parafuso de
purga.
• Encher de óleo.
• Fechar cuidadosamente o parafuso de
controlo e enchimento.
7.6.15.2 Diferencial do eixo traseiro
• Colocar a máquina na horizontal.
• Accionar o travão de estacionamento.
• Abrir o parafuso de controlo e enchimento
(87/1).
7.34
Fig. 87 Diferencial do eixo traseiro
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.6.15.3 Cubos da roda
• Encher de óleo.
NOTA
• Controlar o nível do óleo com a vareta
indicadora (90/1).
No eixo de direcção, os cubos da
roda e os diferenciais possuem
compartimentos de óleo separados.
• Fechar o dispositivo de enchimento (90/2)
com a tampa.
• Girar a roda até o parafuso de purga (88/2)
se encontrar em baixo.
• Abrir o parafuso de controlo e enchimento
(88/1).
• Abrir o parafuso de purga e deixar escorrer
o óleo.
1
• Lavar se for necessário.
• Fechar cuidadosamente o parafuso de
purga.
• Encher de óleo através do parafuso de
controlo e enchimento (88/1).
2
380-027-008
Fig. 88 Cubos da roda
• Fechar cuidadosamente o parafuso de
fecho.
7.6.15.4 Caixa de velocidades manobrável
em carga
• Colocar a máquina na horizontal.
• Abrir o parafuso de controlo e enchimento
(89/1).
• Abrir o parafuso de purga (89/2) e deixar
escorrer o óleo.
• Lavar se for necessário.
• Fechar cuidadosamente o parafuso de
purga.
• Encher de óleo.
Fig. 89 Caixa de velocidades manobrável em
carga
• Fechar cuidadosamente o parafuso de
controlo e enchimento.
7.6.16 Transmissão de rotação
• Colocar a máquina na horizontal.
• Desaparafusar a tampa no dispositivo de
enchimento (90/2).
• Desaparafusar a tampa (90/4).
• Retirar o tubo flexível (90/3) através do
orifício de manutenção.
• Abrir o bujão de purga no tubo flexível
(90/3), deixar escorrer o óleo.
• Fechar cuidadosamente o bujão de purga,
repor o tubo flexível.
• Aparafusar a tampa (90/4).
MHL 350
Fig. 90 Transmissão de rotação
7.35
7 MANUTENÇÃO
7.6.17 Binários de aperto
NOTA
As superfícies de apoio das cabeças de parafuso devem estar polidas.
Fig. 91 Binários de aperto
Item n.º
1
2
3
4
5
Binário de aperto
195 Nm
195 Nm
195 Nm
630 Nm
195 Nm
Binário de aperto dos parafusos de contrapeso: 1000 Nm
NOTA
Controlar o binário de aperto dos parafusos de contrapeso após 100 horas de
funcionamento, e logo a cada 500 horas de funcionamento.
7.36
MHL 350
MANUTENÇÃO 7
7.7
Manutenção e limpeza
• Realizar a limpeza da máquina numa área
apropriada equipada com separador de
óleo.
• Durante os dois primeiros meses após a
colocação em funcionamento e após a
repintura, não limpar com jacto de vapor.
• Não utilizar detergentes agressivos para
limpar a máquina; recomendamos utilizar
produtos de limpeza convencionais para
automóveis.
• No caso da limpeza com jacto de vapor, a
temperatura do jacto d’água quente não
pode ser superior a 80 °C. A pressão de
projecção máxima é de 20 bar; manter uma
distância mínima de 30 cm entre a tubeira e
a máquina.
• Para evitar a danificação das juntas, a
coroa giratória da máquina não pode ser
limpa nem com limpador de alta pressão
nem com jacto de vapor.
• Não submeter os revestimentos (materiais
isolantes etc.) à acção directa de um jacto
d’água, vapor ou alta pressão.
• No caso da limpeza com jacto d’água ou
vapor, evitar o contacto dos elementos
eléctricos tais como válvulas magnéticas ou
interruptores de pressão com a água. Não
projectar a água nos orifícios do tubo de
escape ou do filtro de ar.
• No caso da limpeza do motor com jacto
d’água ou vapor, não expor os elementos
sensíveis, tais como gerador, cabos,
interruptor de pressão de óleo, à acção
directa do jacto.
• Remover todos os objectos estranhos dos
pneus duplos.
• Após as limpezas húmidas, lubrificar a
máquina conforme o plano de lubrificação.
no caso de máquinas com sistema de
lubrificação centralizado, disparar manualmente três ciclos de lubrificação. Para saber
como disparar manualmente a lubrificação,
ver 7.4.1.3 “Disparo da lubrificação
adicional”.
7.8
Conservação
rária)
(imobilização
tempo-
No caso de uma imobilização superior a três
meses, adoptar medidas de conservação
apropriadas para evitar a danificação dos
mancais (p.ex. danos causados por corrosão):
• Recomendamos conservar a máquina num
lugar seco e livre de poeira.
• Limpar bem o interior e exterior da máquina
e o motor de propulsão.
• Lubrificar a máquina conforme o plano de
lubrificação.
• Controlar e, se for necessário, completar o
nível de óleo dos agregados, tais como
eixos, caixa de velocidades, engrenagens.
• Controlar e, se for necessário, completar o
nível de óleo hidráulico.
• Reparar danos de pintura.
• Encher o depósito de combustível por
completo para evitar a corrosão das
paredes.
• Controlar e, se for necessário, adequar a
concentração do agente anticongelante na
água de refrigeração.
• Realizar todas as medidas de conservação
indicadas nas instruções de serviço do
motor Diesel.
• Aplicar
um
produto
anticorrosivo
convencional nas superfícies não pintadas
das bielas de êmbolos.
• Desinstalar, limpar e armazenar a bateria
conforme as normas num lugar seco e ao
abrigo das geadas; untar os bornes de
graxa para pólos.
• Fechar o orifício de aspiração de ar da
instalação de filtração e o orifício de saída
dos gases no tubo de escape.
• Após as limpezas húmidas, executar todos
os movimentos de trabalho e testar as
funções de translação.
MHL 350
7.37
7 MANUTENÇÃO
7.8.1
Durante a imobilização
Ao fim de seis meses, ligar todos os
agregados das máquinas imobilizadas,
deixando-as ligadas e testando seus
movimentos durante aprox. 15 minutos. Antes
disto, remover a camada anticorrosiva das
bielas de êmbolos e desobstruir a aspiração
do filtro de ar e o orifício de escape. Após o
funcionamento, realizar, outra vez, um
tratamento de conservação.
7.8.2
Após a imobilização
• Antes da recolocação em serviço, remover
a camada anticorrosiva das bielas de
êmbolos; desobstruir a aspiração do filtro de
ar e o orifício de escape. Limpar a máquina
com um detergente neutro (ver 7.7).
• Controlar e instalar a bateria.
• Realizar
todas
as
operações
de
recolocação em serviço do motor Diesel
conforme a instruções de serviço do motor.
• No caso de imobilizações superiores a seis
meses, mudar o óleo de eixos, caixas de
velocidade, engrenagens, etc.
• Lubrificar a máquina conforme o plano de
lubrificação.
7.38
MHL 350
ÍNDICE
8
Avarias....................................................................................................................... 8.1
8.1 Generalidades....................................................................................................................8.1
8.2 Descer o equipamento de trabalho quando o motor está desligado .................................8.1
8.3 Avarias no sistema eléctrico central ..................................................................................8.1
8.4 Avarias na instalação magnética .......................................................................................8.1
8.5 Avarias do regulador de carga limite .................................................................................8.2
8.5.1
Curto-circuitar o regulador de carga limite ................................................................8.2
8.5.2
Ligar o regulador de carga limite...............................................................................8.3
8.6 Direcção bloqueada ...........................................................................................................8.4
8.7 Sem pressão de travagem.................................................................................................8.4
8.8 Potência de travagem insuficiente .....................................................................................8.4
8.9 Travão de estacionamento não se solta ............................................................................8.4
8.10
Temperatura excessiva do óleo hidráulico ...................................................................8.4
8.11
Aceleração e retardação lentas, tracção insuficiente ...................................................8.5
8.12
Sem função de translação ............................................................................................8.5
8.13
Equipamento de trabalho não funciona ........................................................................8.6
8.14
Máquina trabalha muito devagar, sobreaquecimento da instalação.............................8.6
8.15
Perda de potência dos cilindros hidráulicos..................................................................8.6
8.16
Carro superior pivota ....................................................................................................8.6
8.17
Avarias da instalação magnética ..................................................................................8.7
8.18
Avarias do sistema eléctrico .........................................................................................8.7
8.19
Implementos .................................................................................................................8.7
MHL 350
AVARIAS 8
8
8.1
Avarias
Generalidades
Muitas vezes, as avarias são consequência
de tratamento impróprio, utilização incorrecta,
utilização de produtos auxiliares inadequados
ou manutenção irregular.
A tabela seguinte apresenta uma síntese de
várias avarias e facilita a detecção das suas
causas.
8.4
Avarias na instalação magnética
Em caso de avarias da instalação magnética,
controlar os fusíveis na caixa de distribuição
(93/1). A caixa de distribuição da instalação
magnética encontra-se debaixo da capa do
radiador de óleo hidráulico.
Para a ocupação dos fusíveis, ver capítulo 9
(anexo). Se os fusíveis não apresentarem
defeitos, consultar a assistência pós-venda.
Caso a avaria implicar uma reparação,
consultar sempre a assistência pós-venda
competente.
Para as avarias e defeitos do motor Diesel,
consultar as instruções de serviço do motor.
Para reparações necessárias durante o
período de garantia, consultar sempre a
assistência pós-venda competente ou uma
oficina especializada.
8.2
Descer o equipamento de trabalho
quando o motor está desligado
No caso de avarias do motor Diesel, a
descida do equipamento de trabalho pode ser
efectuada com as alavancas de comando
desde que exista uma pressão piloto (ver
5.1.1 “Comando – equipamento de trabalho”).
Ligar, para isto, a ignição.
8.3
1
350-585-092
Fig. 92 Sistema eléctrico central
Avarias no sistema eléctrico central
Os fusíveis dos circuitos eléctricos e os relês
encontram-se no sistema eléctrico central
(92/1) situado no corredor de manutenção.
1
No caso de avarias, controlar os fusíveis. Se
os fusíveis não apresentarem defeitos,
consultar a assistência pós-venda. Para a
ocupação dos fusíveis, ver capítulo 9 (anexo).
350-585-093
Fig. 93 Caixa de distribuição da instalação
magnética
MHL 350
8.1
8 AVARIAS
8.5
Avarias do regulador de carga limite
Avarias são indicadas pela lâmpada de aviso
(94/49) no painel de comando. Quando o
motor está ligado, a lâmpada de aviso (94/49)
deveria estar desligada. Sinais luminosos,
contínuos ou intermitentes, indicam avarias.
Para identificar o código de erros, basta
contar os intervalos de luz intermitente da
lâmpada de aviso (94/49). Favor comunicar
este código de erros ao serviço de pós-venda.
8.5.1
Fig. 94 Lâmpada de aviso – regulador de carga
limite
Curto-circuitar o regulador de carga
limite
No caso de avaria, o regulador pode ser
curto-circuitado a fim de manter o motor em
funcionamento. A máquina entra no modo
serviço de emergência, as funções de
trabalho são reduzidas.
1
CUIDADO
Enquanto o regulador de carga limite
estiver curto-circuitado, mover a
máquina apenas durante um breve
intervalo de tempo sob pena de
danificar o motor.
360-177-098
Fig. 95 Caixa de regulador de carga limite
• Desligar o motor e a ignição.
• Abrir o interruptor principal da bateria
(interromper). O interruptor principal da
bateria está situado em frente do radiador
de óleo.
1
• Desligar o regulador de carga limite usando
o interruptor (96/1) situado ao lado da caixa
de regulação de carga limite (95/1); a
lâmpada de controlo no interruptor (95/1) e
a lâmpada de aviso (94/49) acendem-se
(com ignição ligada).
• Fechar o interruptor principal da bateria.
• Ligar o motor.
O motor entra em funcionamento a todo gás.
Não há regulação da bomba hidráulica.
Quando sujeito a sobrecargas pelo sistema
hidráulico, o motor diesel pode ser parado!
Não ligar e desligar o motor seguidas vezes
com número de rotações máximo sob pena de
danificá-lo!
8.2
360-177-100
Fig. 96 Interruptor de ponte do regulador de carga
limite
MHL 350
AVARIAS 8
8.5.2
Ligar o regulador de carga limite
Após a eliminação das avarias do regulador
de carga limite, desfazer a ponte e activar o
regulador.
• Desligar o motor e a ignição.
• Abrir o interruptor principal da bateria
(interromper). O interruptor principal da
bateria está situado em frente do radiador
de óleo.
• Ligar o regulador de carga limite usando o
interruptor (96/1) situado ao lado da caixa
de regulação de carga limite (95/1); a
lâmpada de controlo no interruptor (96/1) e
a lâmpada de aviso (94/49) não se
acendem (com ignição ligada).
• Fechar o interruptor principal da bateria.
• Ligar o motor.
Se a lâmpada de aviso (94/49) se apaga
enquanto o motor estiver em funcionamento,
o sistema funciona sem avarias.
MHL 350
8.3
8 AVARIAS
Erro
8.6
Causa provável
Solução
Direcção bloqueada
1
Interrupção da adução de óleo para a Controlar e reparar o conduto de aspiração
bomba
2
Defeito da bomba hidráulica
Reparar (consultar um especialista)
3
Defeito do distribuidor de direcção
Reparar (consultar um especialista)
4
Defeito da válvula de prioridade
Reparar (consultar um especialista)
5
Defeito do cilindro de direcção
Reparar, substituir
8.7
Sem pressão de travagem
1
Interrupção da adução de óleo para a Controlar e reparar o conduto de aspiração
bomba
2
Defeito da bomba hidráulica
Reparar (consultar um especialista)
3
Defeito da válvula de interrupção
Reparar (consultar um especialista)
8.8
Potência de travagem insuficiente
1
Defeito da válvula do travão de pé
Reparar (consultar um especialista)
2
Perda de óleo no sistema de travagem
Controlar e reparar
3
Zumbido intermitente
Avaria no sistema do travão de serviço.
Pressão de travagem mínima de 85 bar não
foi atingida. Controlar e reparar
8.9
Travão de estacionamento não se solta
1
Sem pressão de travagem
Controlar a adução de óleo para a bomba e
a válvula de interrupção, reparar ou
substituir
2
Travão de disco encravado
Controlar, reparar
3
Defeito da válvula
estacionamento
4
Perda de óleo no sistema do travão de Controlar e reparar
estacionamento
do
travão
de Controlar, reparar o substituir
8.10 Temperatura excessiva do óleo hidráulico
8.4
1
Defeito do
ventilador
termostato
no
motor
de Substituir
2
Nível de óleo insuficiente
Acrescentar óleo até à marcação do visor
3
Radiador sujo
Limpeza
MHL 350
AVARIAS 8
Erro
Causa provável
Solução
8.11 Aceleração e retardação lentas, tracção insuficiente
1
Potência de motor insuficiente
Controlar a adução de combustível (filtro)
2
Bloqueio de um dos travões
Controlar e reparar
3
Perda de óleo no distribuidor giratório
Reparar (consultar um especialista)
4
Filtro de ar entupido
Limpar ou substituir
5
Comutação
funciona
6
Avaria no comando do travão
Controlar, ajustar
7
Alta pressão insuficiente
Controlar a alta pressão, se for necessário,
substituir as válvulas de alta pressão
8
Giro incompleto da bomba
Controlar,
especialista)
9
Defeito interno da bomba de vazão Substituir as unidades
variável ou do motor
especialista)
para
1.ª
velocidade
não Controlar a alimentação de corrente e a
válvula magnética, reparar, substituir
ajustar
(consultar
um
(consultar um
8.12 Sem função de translação
1
Quantidade insuficiente de óleo hidráulico Acrescentar óleo até à marcação no visor
no reservatório
2
Defeito da válvula magnética
3
Interrupção da alimentação de corrente Controlar e reparar
para a válvula magnética
4
Sem pressão piloto
Medir pressão e procurar o defeito
5
Defeito interno da bomba ou do motor
Substituir a unidade completa (consultar um
especialista)
6
Interrupção da ligação mecânica com o Controlar, reparar
eixo
7
Travão de serviço ou de estacionamento Soltar travões
apertado
MHL 350
Controlar, reparar o substituir
8.5
8 AVARIAS
Erro
Causa provável
Solução
8.13 Equipamento de trabalho não funciona
1
Todas as funções de trabalho estão Desbloquear as funções de trabalho (ver
bloqueadas
capítulo 5.1.4)
2
Apoio para o braço levantado / defeito do Controlar, reparar se for necessário ou
micro-interruptor
substituir
3
Interrupção da adução de óleo para a Controlar condutos
bomba hidráulica
4
Falha da bomba hidráulica
Controlar e, se for necessário, substituir a
bomba
hidráulica
(consultar
um
especialista)
5
Escadote de manutenção aberto
Fechar o escadote
6
Falha do limitador de pressão principal
Controlar e, se for necessário, substituir o
limitador de pressão principal (consultar um
especialista)
7
Temperatura do motor superior a 110 °C
Deixar arrefecer o motor (ver capítulo 4.4.2)
8.14 Máquina trabalha muito devagar, sobreaquecimento da instalação
1
Ajuste demasiado baixo ou defeito do Ajustar e, se for necessário, substituir o
limitador de pressão principal
limitador de pressão principal (consultar um
especialista)
2
Desgaste excessivo da bomba hidráulica
Substituir a bomba hidráulica
3
Óleo hidráulico inadequado
Usar óleo hidráulico com as especificações
recomendadas
4
Ar no sistema hidráulico
Purgar o comando piloto
Apertar as conexões, motor parado e
instalação sem pressão
5
“Fine-Mode” não está em posição 0
Controlar se o “Fine-Mode” está em posição
0; se for necessário, colocar na posição 0
8.15 Perda de potência dos cilindros hidráulicos
1
Desgaste das juntas dentro dos cilindros Substituição das juntas
hidráulicos
2
Defeito das válvulas secundárias
Controlar, substituir se for necessário
8.16 Carro superior pivota
8.6
1
Defeito do travão de rotação
Vedar o pedal de travão, substituir os discos
2
Defeito das válvulas secundárias
Ajustar e, se for necessário, substituir
MHL 350
AVARIAS 8
Erro
Causa provável
Solução
8.17 Avarias da instalação magnética
1
Avarias da instalação magnética, por Controlar fusíveis, reparar (consultar um
exemplo
magnetização
/
des- especialista)
magnetização não funcionam
8.18 Avarias do sistema eléctrico
1
Iluminação externa e/ou interna interior Controlar cabos, conexões, lâmpadas e
não funciona
fusíveis
2
Limpa-pára-brisas não funciona
Controlar cabos, conexões e fusíveis.
Detectar eventuais defeitos mecânicos do
limpa-pára-brisas. Corrosão nos contactos
entre pára-brisas e cabina. Se for
necessário, substituir o limpa-pára-brisas
completo. Fechar e engatar correctamente
o pára-brisas
3
Buzina não funciona
Controlar cabos, conexões e fusíveis.
Substituir a buzina completa e consultar um
especialista para detecção da causa
4
Imprecisão dos órgãos de controlo
Consultar um especialista para a detecção
e eliminação dos erros
5
Funcionamento insatisfatório do motor de Controlar a capacidade de carga da bateria.
arranque
Testar as funções do motor de arranque.
Controlar bornes e estado dos cabos
eléctricos e de terra. Consultar um
especialista para um teste e, se for caso
disto, a substituição da ignição. Controlar o
interruptor principal da bateria
8.19 Implementos
1
Abertura ou fechamento da garra não Controlar e, se for necessário, substituir o
funciona / muito lento
acoplamento rápido
2
Garra não gira
MHL 350
Controlar acoplamento rápido e conexão
eléctrica entre micro-interruptor e válvula
magnética
8.7
ÍNDICE
9
Anexo......................................................................................................................... 9.1
9.1
9.2
9.3
Ocupação dos fusíveis.......................................................................................................9.1
Factores de conversão ......................................................................................................9.2
Índice das figuras...............................................................................................................9.3
MHL 350
ANEXO 9
9
Anexo
9.1
Ocupação dos fusíveis
N° de
fusível
Corrente de Designação Função
activação
do borne
F1
10 A
Borne 15
Comando ignição, paragem do motor, transmissor do nível de agente
refrigerante, relé-piloto flange de aquecimento
F2
7,5 A
Borne 15
Depósito de combustível – indicação temperatura, bezouro e
indicador sobre-aquecimento do motor e nível de óleo hidráulico,
indicação nível de agente refrigerante, filtro de ar / filtro de óleo
hidráulico, temperatura de óleo hidráulico, contador de horas de
funcionamento, lâmpada de controlo da carga, indicador de préincandescência, pressão óleo de motor, transmissor de nível de óleo
hidráulico
F3
7,5 A
Borne 15
Controlo da pressão de travão, avisador de sobrecarga *, caixa de
velocidades, indicação travão de estacionamento, eixo oscilante,
válvula piloto translação
F4
5A
Borne 15
Válvula piloto hidráulica de trabalho com comando de desligação no
caso de sobre-aquecimento do motor e falta de óleo hidráulico
F5
15 A
Borne 15
Desligação do semi-braço / ampliação do campo operacional, sistema
de lubrificação, subir/descer cabina, iluminação do comutador luz,
indicação regulador de carga limite serviço de emergência
F6
10 A
Borne 15
Girar garra, bypass, aumento da pressão
F7
5A
Borne 15
Pisca-pisca
F8
3A
Borne 15
Comando luz baixa
F9
20 A
Borne 15
Instalações de limpeza e lavagem dos dois vidros, assento do
condutor, transformador de tensão para radio borne 15, lâmpada de
avarias regulação de carga limite
F 10
4A
Borne 15
Regulação de limitação de carga com servomotor
F 11
7,5 A
Borne 15
Lâmina niveladora *, interruptor de reserva S66
F 12
10 A
Borne 15
Apoio individual *
F 13
15 A
Borne 15
Reserva borne 15
F 14
20 A
Borne 30
Instalação magnética *
F 15
15 A
Borne 30
Aquecimento autónomo, aquecimento por ar quente *
F 16
5A
Borne 30
Aquecimento autónomo, controlador *
F 17
10 A
Borne 30
Pisca-pisca de emergência
F 18
20 A
Borne 30
Faróis na cabina *
F 19
15 A
Borne 30
Faróis de trabalho no semi-braço *, buzina
F 20
15 A
Borne 30
Faróis de trabalho na lança em forma de caixa
F 21
10 A
Borne 30
Luz de posição direita, comando farol de trabalho na lança em forma
de caixa
F 22
10 A
Borne 30
Luz de posição esquerda, luz baixa, comando faróis de trabalho
tejadilho e semi-braço
F 23
15 A
Borne 30
Iluminação interna, radio *, luz(es) giratórias *, acendedor de cigarros,
tomada de corrente 24 V
F 24
20 A
Borne 30
Ventilador, aquecimento, termostato instalação de ar condicionado
F 25
20 A
Borne 30
Ventilador do condensador da instalação de ar condicionado
F 26
20 A
Norne 30
Reserva borne 30
F 33
20 A
Borne 15
Reserva borne 15
F 34
70 A
Borne 30
Fusível principal borne 15
* opcional
MHL 350
9.1
9 ANEXO
9.2
Factores de conversão
Pressão
1
bar
=
100 Kpa
=
14.5 psi
10 psi
=
68,95 Kpa
=
0,6895 bar
Vazão
1
l/min
=
0,0353 cfm
1
galão imperial/min
=
0,1605 cfm
Velocidade
1
km =
39370 in
[polegadas]
3280,8 ft 1093,6 yd
[pés]
[jardas]
0,53996 106 mm 1000 m
milhas
náuticas
0,62137
milhas
terrestres
Peso
1
kg
=
2,205 lb
[libras]
=
35,27 oz
[onças]
Comprimento
1
m
=
1000 mm
=
39,38 in
=
3,281 ft
1
in
=
25,4 mm
=
0,0254 m
=
0,08333 ft
1
ft
=
304,8 mm
=
0,3048 m
=
12 in
HP
=
kW x 1.341
kW
=
HP x 0,746
°F
=
(°C x 9/5) + 32
ºC
=
(°F – 32) x 5/9
Potência
Temperatura
Volume
1
m³
=
1000 litros =
35,31 ft³
=
61020 in³
1
ft³
=
28,32 litros =
0,02832 m³
=
1728 in³
1
l
=
0,2642 galão americano =
0,2201 galão imperial
=
1
galão americano
=
3,785 litros =
231 in³
=
1
galão imperial
=
4,544 litros =
277 in³
=
9.2
MHL 350
ANEXO 9
9.3
Índice das figuras
Fig. 1 N.º de identificação do veículo
Fig. 34 Bloqueio das funções de trabalho
Fig. 2 Dimensões (em mm) com pneus
12.00-20
Fig. 35 Bloqueio do eixo oscilante
Fig. 3 Dimensões de transporte
com pneus 12.00-20
(1) equipamento de carga 12,5 m,
2)
equipamento de carga 13,5 m,
3)
equipamento de carga 15 m)
Fig. 36 Rotação do carro superior
Fig. 37 Utilização da instalação magnética
Fig. 38 Accionar a mudança de velocidades
Fig. 39 Mudança de velocidades
Fig. 4 Componentes
Fig. 40 Transporte em veículos de plataforma
rebaixada ou ferroviários
Fig. 5 Curva do campo operacional
(equipamento de carga 12,5 m)
Fig. 41 Posicionar a máquina
Fig. 6 Tabela de cargas
(equipamento de carga 12,5 m)
Fig. 7 Curva do campo operacional
(equipamento de carga 13,5 m)
Fig. 8 Tabela de cargas
(equipamento de carga 13,5 m)
Fig. 42 Elevar a máquina
Fig. 43 Supressão da pressão residual
Fig. 44 Escadote
Fig. 45 Nível de combustível
Fig. 46 Tampa depósito
Fig. 9 Curva do campo operacional
(equipamento de carga 15 m)
Fig. 47 Parafuso de purga
Fig. 10 Tabela de cargas
(equipamento de carga 15 m)
Fig. 49 Visor do óleo hidráulico
Fig. 11 Elementos de comando
Fig. 12 Painel de comando
Fig. 13 Arranque
Fig. 14 Supervisão durante o trabalho
Fig. 15 Desligar o motor
Fig. 48 Radiador do motor
Fig. 50 Limpar o radiador
Fig. 51 Eixo traseiro
Fig. 52 Eixo dianteiro
Fig. 53 Cubo da roda
Fig. 54 Transmissão de rotação
Fig. 16 Assento do operador
Fig. 55 Caixa de velocidades manobrável em
carga
Fig. 17 Ajuste do volante
Fig. 56 Pontos de lubrificação
Fig. 18 Aquecimento e ventilação
Fig. 57 Cilindro de direcção
Fig. 19 Aquecimento autónomo
Fig. 58 Cárter de direcção
Fig. 20 Ar condicionado
Fig. 59 Eixo oscilante
Fig. 21 Abrir/fechar o pára-brisas
Fig. 60 Tecla lubrificação
Fig. 22 Abrir a porta
Fig. 61 Reservatório de graxa
Fig. 23 Bloquear a porta
Fig. 62 Válvula de mudança de óleo
Fig. 24 Desbloquear a porta
Fig. 25 Deslocação da cabina
Fig. 63 Cartucho do filtro de óleo do motor,
cartuchos do filtro de combustível
Fig. 26 Torneira de macho esférico
Fig. 64 Pré-filtro de combustível
Fig. 27 Translação
Fig. 65 Pré-filtro de combustível
Fig. 28 Translação
Fig. 66 Bujão de purga
Fig. 29 Estacionar a máquina
Fig. 67 Lâmpada de controlo do filtro de ar
Fig. 30 Posicionar a máquina
Fig. 68 Colector de pó
Fig. 31 Comandos ISO
Fig. 69 Mudança do filtro
Fig. 32 Aumento da pressão de serviço
Fig. 70 Limpeza do cartucho principal
Fig. 33 Estabilizadores
Fig. 71 Parafuso de purga
MHL 350
9.3
9 ANEXO
Fig. 72 Purga do agente refrigerante
Fig. 73 Correia do alternador
Fig. 74 Correia trapezoidal (bomba de água / de
combustível)
Fig. 75 Travão
Fig. 76 Travão de estacionamento
Fig. 77 Ajustar o travão de estacionamento
Fig. 78 Bloqueio do eixo oscilante
Fig. 79 Parafuso de purga do cilindro do eixo
oscilante
Fig. 80 Tampa de fecho
Fig. 81 Tampa do filtro
Fig. 82 Lâmpada de controlo – filtro de retorno
sujo
Fig. 83 Filtro de retorno
Fig. 84 Fechamento do óleo hidráulico
Fig. 85 Sentido de passagem
Fig. 86 Diferencial do eixo dianteiro
Fig. 87 Diferencial do eixo traseiro
Fig. 88 Cubos da roda
Fig. 89 Caixa de velocidades manobrável em
carga
Fig. 90 Transmissão de rotação
Fig. 91 Binários de aperto
Fig. 92 Sistema eléctrico central
Fig. 93 Caixa de distribuição da instalação
magnética
Fig. 94 Lâmpada de aviso – regulador de carga
limite
Fig. 95 Caixa de regulador de carga limite
Fig. 96 Interruptor de ponte do regulador de carga
limite
9.4
MHL 350

Documentos relacionados