APLICAÇÃO DE LASER DE BAIXA INTENSIDADE PARA

Сomentários

Transcrição

APLICAÇÃO DE LASER DE BAIXA INTENSIDADE PARA
APLICAÇÃO DE LASER DE BAIXA INTENSIDADE PARA CICATRIZAÇÃO DE LESÃO POR
PRESSÃO: RELATO DE CASO
[u1] Comentário: Úlcera por pressão
ou lesão por pressão
Introdução: Lesões por pressão ocorrem devido a uma oclusão maior que 25 mmHg e
compromete a perfusão sanguínea e as partes moles dos tecidos podendo ocorrer
complicações diversas. As lesões por pressão afetam normalmente pessoas com mobilidade
restrita, sendo mais suscetíveis em áreas de proeminências ósseas
1
.
[u2] Comentário:
A literatura descreve o
termo laser em inglês que significa Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation (Luz
Amplificada por Emissão Estimulada de Radiação), Laser de baixa Intensidade (LBI),
apresentando propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e de bioestimulação2. O LBI é um
recurso amplamente utilizado no tratamento de feridas cutâneas, visto que acelera a
cicatrização da ferida, aumentando a fase inflamatória, estimulando os macrófagos a liberarem
fatores de crescimento para o desenvolvimento de um novo tecido conjuntivo no local da
lesão, na pele atua aumentando a migração de fibroblastos e consequentemente a formação
de colágeno, promovidos pela vasodilatação, estimulação da produção de ATP,
microcirculação, facilita a multiplicação das células, ocorre o efeito de neovascularização a
partir dos vasos já existentes gerando melhores condições para a cicatrização e promovendo o
aumento da atividade das células epiteliais basais, favorecendo a cicatrização de feridas
cutâneas3. Palavras chave: Laser, úlcera por pressão, cicatrização de feridas. Objetivos: Analisar
o efeito do LBI, Hélio-Neônio ( HeNe) comprimento de onda de 660 nm na melhora da
cicatrização de uma LP. Metodologia: Este estudo é um relato de caso, foi convidado um
[u3] Comentário: Comprimento de
onda?
[u4] Comentário: abreviado
paciente, sexo masculino, 76 anos, portador de lesão por pressão em estágio 3 ( perda de pele
em sua espessura total), com presença de quantidade importante de exsudato e com duração
há 8 anos. Após a limpeza era realizado a aplicação de LBI (660 manômetros (nm) de
2
comprimento de onda; dose de 5 J/cm2 ( dose recomendada para reparação tecidual ), de
modo varredura. A lesão foi avaliada por meio de fotos, com data, régua de medida em cm e
em seguida realizada cobertura com fibra de alginato de cálcio, com troca a cada 2 dias, devido
a quantidade importante de exsudato presente .Este trabalho teve a aprovação do Comitê de
[u5] Comentário: colocar após a
limpeza era...
[u6] Comentário: Em seguida
[u7] Comentário: Como avaliava a
dose?
[u8] Comentário:
Ética em Pesquisa (CEP), parecer nº 1226754. O participante aceitou a participação, assinando
o termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE). O aparelho utilizado para o procedimento
foi o ENDOPHOTON da marca (KLD) e caneta laser (HeNe) comprimento de onda 660 (nm),
potência 35 miliwatts (mw) da caneta. Resultados: após a aplicação do (LBI),do modo
[u9] Comentário: excluir
varredura, 1 vez por semana : lesão inicial com 3,5 cm de comprimento, 2,0 cm de largura e
[u10] Comentário: excluir deixar
apenas LBI
0,3 cm de profundidade . Após a 9° sessão o resultado verificado foi de 1,0 cm de
comprimento, 0,5 de largura, e superficial. Discussão: no final da década de 60 e início dos
[u11] Comentário: primeiro citou
varredura, agora pontual, qual foi? E qual a
dose?
anos 70, foi realizada a primeira aplicação do laser de baixa intensidade em humanos para o
tratamento dos diversos tipos de úlceras crônicas, foi utilizado o laser HeNe e doses de até 5
j/cm² apresentando êxito nesses primeiros estudos, tendo em vista a velocidade mais rápida
de cicatrização, tornando a modalidade rapidamente conhecida1. A melhora na cicatrização da
LP proporcionadas pelo uso do laser, mostraram que houve redução da dor na área lesada e
efeito bactericida pela irradiação liberada. Embora não haja consenso nem protocolo exato
dos parâmetros para aplicação do LBI, estudos mostram que a laserterapia, é eficaz na
[u12] Comentário: LBI
4
aceleração do processo cicatricial, no qual alguns autores utilizam a forma de varredura . A
aplicação do LBI aumenta a proliferação fibroblástica e a sua deposição, promovendo uma
[u13] Comentário:
neovascularização mais acentuada nas fases inicias de cicatrização. A neovascularização que a
aplicação do laser promove é essencial para o processo de cicatrização de feridas, pois
melhora a circulação sanguínea da área atingida. Um estudo com laser HeNe, aplicado na dose
de 4J/cm², apresentou melhores efeitos na produção de colágeno do tipo III 5 .Foram obtidos
resultados rápidos na cicatrização da ferida após um longo período de instalação da LP, a qual
[u14] Comentário: Concordância
plural?
lhe causavam muitos incômodos e limitavam suas atividades de vida diária e o convívio social.
Conclusão Pode-se verificar neste estudo com o laser HeNe, foi eficaz na aceleração do
processo de cicatrização da ferida do paciente. Observamos por meio deste estudo que é
[u15] Comentário: Por meio
fundamental o conhecimento do enfermeiro quanto à escolha do tratamento a ser realizado
no tratamento de LP, sendo a aplicação de LBI uma opção que apresentou resultado positivo
no processo cicatricial. Resultados. O conjunto das terapias facilitou e acelerou o processo
cicatricial, diminuindo o desconforto causado pela ferida e consequentemente levou a
aspectos positivos na qualidade de vida do paciente. Contribuições para enfermagem: Por
meio deste estudo foi possível observar que o uso de LBI em lesões por pressão mostrou ser
favorável para acelerar o processo de cicatrização de feridas crônicas. O enfermeiro tem então
novas escolhas de tratamento no processo de cicatrização de lesão por pressão, ressaltamos
ainda que os estudos nesta aérea da enfermagem devem ser incentivados.
REFERÊNCIAS
1-Lima, L ; Lima, B; Barbalho, M; Rocha, W; Magacho, T. Efeitos do laser vermelho visível e
infravermelho em úlceras de pressão grau III e IV. Revista Brasileira de Reabilitação e Atividade
Física, v. 2, n. 1, p. 8-14, 2013.
2- Lins, R.D.A.U.; Dantas, EM; Lucena, KCR; et al .Efeitos bioestimulantes do laser de baixa
potência no processo de reparo. Anais Brasileiros Dermatologia. An. Bras. Dermatol. vol.85
no.6 Rio de Janeiro Nov./Dec. 2010.
[u16] Comentário: não entendi a frase,
o tratamento com LBI parou antes da
reparação da lesão?
3- Silvestre, JT; Holsbach, D R. Atuação fisioterapêutica na úlcera de pressão: uma revisão de
literatura. Revista Fafibe On-Line — ano V – n.5 — nov. 2012 — ISSN 1808- 6993,
unifafibe.com.br/revistafafibeonline — Centro Universitário UNIFAFIBE, BebedouroSP .
4- Figueiredo, V. F. ; Santos, J M., Silva, A BO; Santos, M C R ; Mendes, E J ; Campos. L L. Análise
do tratamento com laser de baixa potência em pacientes com úlcera por pressão. Revista de
Saúde da Faciplac, v. 1, n. 1, 2014.
5- Andrade, A. G.; Lima, C. F.; Albuquerque, A. K. B. Efeitos do laser terapêutico no processo de
cicatrização das queimaduras: uma revisão bibliográfica. Revista Brasileira Queimaduras, v. 9,
n. 1, p. 21-30, 2010.

Documentos relacionados