Microsoft PowerPoint - AIDS e DI\301TESES 6

Сomentários

Transcrição

Microsoft PowerPoint - AIDS e DI\301TESES 6
AIDS e DIÁTESES
Drª Bernadete de L. dos S. Peres Fernandes
Drª Maria José de Souza
Drª Rosangela Mendes Coelho
Drª Sumiko Oura Wakabara
Orientador: Dr Romeu Carillo Junior
Clínica de Homeopatia do Hospital do Servidor Público Municipal
ABRAH-Associaçõa Brasileira de Reciclagem e Assistência em
Homeopatia
JUSTIFICATIVA
ABORDAGEM DIATÉSICA DA
AIDS
OBJETIVO
VERIFICAR SE HÁ UMA ORIGEM
DIATÉSICA NA AIDS
MATERIAL E MÉTODO
Levantamento de diáteses pessoal e familiar através de ficha clínica.
Efetuado no período de abril a agosto de 2006
GRUPO AFETADO
80 PACIENTES COM HIV DO SAE HIV/AIDS JD. HELENA EM TABOÃO
DA SERRA-SP E DO SAE DST/AIDS FIDELIS RIBEIRO EM SÃO
PAULO-SP
17 DO SEXO MASCULINO
63 DO SEXO FEMININO
IDADE MÉDIA DE 30,04 ANOS
GRUPO CONTROLE
80 PACIENTES DO AMBULATÓRIO DA UNIDADE DE HOMEOPATIA
DO H S P M
10 DO SEXO MASCULINO
70 DO SEXO FEMININO
IDADE MÉDIA DE 34,02 ANOS
MÉTODO ESTATÍSTICO : Х²
Fi c h a d e l eva nt a ment o d e d a d os
Nome:
Idade
(inic iais )
Prontuário
ano s
mes es
Tuberc ulos e
A migdalite S / pus
Sexo
m as c ulino
f eminino
Diagnóstico diatésico pe ssoa l
Rinite
Tuberculinismo As m a
Psora
Sicose
Sifilinismo
Diagnóstico
Otite
Conjuntivite
Hipertensao
Diabetes
Rinite
Enxaqueca
Aftas
Derm atites
Es carlatina
A lcoolis mo
Artros e
Sd. Dis peptica
Varizes
Am igdalite
Herpes S.
Herpes Z.
Rinite
Sinus ite
Enxaqueca
Varicela
Colagenos es
Artrite
Varizes
Cancer
Tendinite
Gonorreia
Condilom a
Miom a
Alcoolis m o
Hepatite B
Hepatite C
Cirros e
Dcs Pis iq.
D. Com porta/
Rinite
Enxaquec a
VDRL
D. Chagas
Am igdalites
Epileps ia
diatésico familiar
+
Ma te rno : Ma e ; Avó ; Avo ; Tios ( prime iro gra u)
Tuberculinismo
As m a
Rinite
Tuberculos e
Am igdalite S / pus
Otite
Conjuntivite
Psora
Hipertens ao
Diabetes
Rinite
Enxaqueca
Aftas
Derm atites
Es carlatina
A lcoolis mo
Artros e
Sd. Dis peptica
Varizes
Am igdalite
Herpes S.
Herpes Z.
Rinite
Sinus ite
Enxaqueca
Varicela
Colagenos es
Artrite
Varizes
Cancer
Tendinite
Miom a
Alcoolis m o
Hepatite B
Hepatite C
Cirros e
Dcs Pis iq.
D. Com porta/
Rinite
Enxaquec a
D. Venéreas
D. Chagas
Am igdalites
Epileps ia
Sicose
Sifilinismo
Diagnóstico diatésico familiar
Tuberculinismo As m a
Pa te rno : Ma e ; Avó ; Avo ; Tios ( prime iro gra u)
Rinite
Tuberculos e
A migdalite S / pus
Otite
Conjuntivite
Psora
Hipertensao
Diabetes
Es carlatina
A lcoolis mo
Rinite
Artros e
Enxaqueca
Sd. Dis peptica
Aftas
Varizes
Derm atites
Am igdalite
Herpes S.
Colagenos es
Herpes Z.
Artrite
Rinite
Varizes
Sinus ite
Cancer
Enxaqueca
Tendinite
Varicela
Miom a
Alcoolis m o
Rinite
Hepatite B
Enxaquec a
Hepatite C
D. Venéreas
Cirros e
D. Chagas
Dcs Pis iq.
Am igdalites
D. Com porta/
Epileps ia
Sicose
Sifilinismo
Diagnóstico diatésico familiar
Tuberculinismo As m a
Fra te rnos
Rinite
Tuberculos e
A migdalite S / pus
Otite
Conjuntivite
Psora
Hipertensao
Diabetes
Es carlatina
A lcoolis mo
Rinite
Artros e
Enxaqueca
Sd. Dis peptica
Aftas
Varizes
Derm atites
Am igdalite
Sicose
Herpes S.
Colagenos es
Herpes Z.
Artrite
Rinite
Varizes
Sinus ite
Cancer
Enxaqueca
Tendinite
Varicela
Miom a
Sifilinismo
Alcoolis m o
Rinite
Hepatite B
Enxaquec a
Hepatite C
D. Venéreas
Cirros e
D. Chagas
Dcs Pis iq.
Am igdalites
D. Com porta/
Epileps ia
Indefinidos
Observacoes
A quanto tempo
descobriu ser soropositivo
( meses )
Após descobrir soro +, em quanto tempo inciaram sinais clinicos ( meses)
Tempo de medicacao ( meses )
RESULTADOS
Tabela 1: Distribuição das diáteses pessoais entre os
grupos com HIV e sem HIV
HIV
TUB.
PSORA SICOSE
SIF.
TOTAL
COM 64 (25,2%) 78 (30,7%)78 (30,7%)34 (13,4%) 254
SEM 14 (7,7%) 77 (42,5% 59 (32,6%)31 (17,1%) 181
RESULTADOS
Gráfico 1: Distribuição das diáteses pessoais entre os
grupos com HIV e sem HIV
80
70
60
50
COM HIV
SEM HIV
40
30
20
10
0
TUB
PSORA
SICOSE
SIF
RESULTADOS
Tabela 2: Distribuição do Tuberculinismo pessoal entre
grupos com HIV e sem HIV
HIV
COM
SEM
TUB
SEM TUB TOTAL
64 (25,2%) 190 (74,8%) 254
14 (7,7%) 167 (92,3%) 181
• Tuberculinismo: X² obtido = 21,5
• Valor crítico do Х² = 6,6 p = 0,01
RESULTADOS
Tabela 3: Distribuição do Sifilinismo pessoal pelos grupos
com HIV e sem HIV
HIV
COM
SEM
SIF
S/ SIF
TOTAL
254
34 (13,4%) 220 (86,6%)
31 (17,1%) 150 (82,9%)
181
• Sifilinismo: X² obtido = 1,1
• Valor crítico do X² = 6,6 p = 0,01
RESULTADOS
Tabela 4: Distribuição da Psora pessoal pelos grupos com
e sem HIV
HIV
COM
SEM
PSORA S/ PSORA TOTAL
254
78 (30,7%) 174 (69,3%)
77 (42,5%) 104 (57,5%)
181
• Psora: X² obtido = 6,4
• Valor crítico do X² = 6,6 p = 0,01
RESULTADOS
Gráfico 2: Distribuição das diáteses familiares entre
grupos com HIV e sem HIV
80
70
60
50
COM HIV
SEM HIV
40
30
20
10
0
TUB
PSORA
SICOSE
SIF
COMENTÁRIOS
• 1/3 do nº de casos de TB no mundo é por coinfecção AIDS/TB
• Existem 50 milhões de infectados com TB no
Brasil
• Paciente HIV+ é 25 vezes mais susceptível à TB,
em relação aos não infectados
• AIDS tem correlação com tuberculinismo,
significando uma tendência diatésica da doença
COMENTÁRIOS
• Há relatos de sífilis secundária em pacientes
HIV+, com sorologia negativa
(VDRL e FTA abs)
• Pacientes com HIV parecem mais
propensos a apresentar neurossífilis com ou
sem manifestações neurológicas.
.
COMENTÁRIOS
• No grupo com HIV 09 tiveram sífilis (VDRL+) =
11% da amostra.
• A prevalência de sífilis no Brasil é de 2,1% (dados
de 2003)
• 12 referiram Doença de Chagas entre os
antecedentes familiares = 15% da amostra.
• AIDS poderia ter sido a única manifestação
sifilínicas desses pacientes?
• Tuberculinismo e Sifilinismo – uma alimenta a
outra?
CONCLUSÃO
Existe correlação
estatisticamente significativa entre
AIDS e Tuberculinismo.