Apresentação do PowerPoint

Сomentários

Transcrição

Apresentação do PowerPoint
O Parque Natural da
Arrábida
(Miguel Henriques)
“Navio Treino de Mar Creoula”
Campanha [email protected] Arrábida 2014
Setembro - Sesimbra
Lisboa
Cabo da Roca
100m
40m
Arrábida
Setúbal
Sado
Sesimbra
Parque Natural
da Arrábida
38ºN
Costa da
Galé
Cabo de Sines
5Km
9ºW
Parque Natural da Arrábida
Criado em 1976
Área terrestre: 12 328 ha
Altura máxima: 501 m
Concelhos: Setúbal, Palmela e Sesimbra
Espécies terrestres: > 2200
Parque Marinho Professor Luiz Saldanha
Criado em 1998
Área: 5 621 ha
Extensão: 38 km de costa
Profundidade máxima: 100m
Espécies marinhas: > 1400
PNA – a nossa missão
• Proteger áreas de vegatação natural únicas
da floresta mediterrânica;
• Proteger a fauna e flora, terestre e marinha;
• Proteger os valores geológicos;
• Proteger as paisagens naturais;
• Proteger o património construído.
•1971 Reserva da Arrabida
•1976 Parque Natural da Arrábida
•80’s Reserva Biogenética do CE
•Monumentos Naturais
(Pedra da Múa e lagosteiros)
•1997 Rede Natura 2000 (SIC e ZPE)
•1998 Parque Marinho
•2003 Alargamento até ao Cabo Espichel
Lonicera implexa Aiton
Phlomis purpurea L.
Phillyrea latifolia L.
Pistacia lentiscus L.
Rhamnus alaternus L.
Convolvulus fernandesii P.Silva &
Teles
Euphorbia pedroi Molero &Rovira
 Duas plantas endémicas das arribas
costeiras de Sesimbra e cabo
Espichel
 Três invertebrados terrestres
endémicos (dois escaravelhos e um
caracol)
Plano de Ordenamento do Parque Natural da Arrábida (POPNA)
Resolução do Conselho de Ministros nº 141/2005, de 23 de Agosto
Áreas Proteção Total (PT)
•Apresentam valores excecionais em termos de conservação da
Natureza;
•Acesso muito restrito (vigilância, investigação e conservação);
•Condições únicas permitem o desenvolvimento arbóreo de arbustos
formando matas densas (Quercus coccifera L. subsp. rivasmartinezii )
Áreas de Proteção Parcial (PP)
•Áreas com valores naturais e paisagísticos relevantes;
•Inclui habitats protegidos e prioritários ;
•Áreas naturais sem uso permanente, por exemplo atividades turismo da
natureza (PP tipo I);
•A presença humana está associada a atividades tradicionais como
agricultura e pastorícia (PP tipo II)
Áreas de Proteção Complementar (PC)
•Áreas de enquadramento de uso mais intensivo do solo;
•Áreas de compatibilização entre intervenção humana e
desenvolvimento socioeconómico com a conservação dos
valores naturais e paisagísticos;
Parque Marinho
Lisboa
Cabo da Roca
100m
40m
Arrábida
Sesimbra
Parque Marinho Actual
Setúbal
Sado
Costa da
Galé
1ª proposta para
uma Reserva Marinha
5Km
Cabo de
Sines
“Hot Spot” de Biodiversidade
A diversidade biológica desta área marinha é uma
das suas características mais notáveis. O Parque
Marinho com mais de 1400 espécies registadas
constitui uns dos “hot spots” de biodiversidade
Europeus. Esta característica é responsável pela
sua classificação como Área Protegida e área da
Rede Natura 2000
Diversidade oceanográfica
Cabo da Roca
100m
Lisboa
Grandes
Estuários
40m
Arrábida
Sesimbra
Costa rochosa abrigada
Zonas de
grande
profundidade
Enquadramento local
•Costa rochosa
•Proximidade do Estuário
•Orientação
•Clima
•Oceanografia
Setúbal
Sado
Costa da
Galé
Cabo de Sines
Costa Arenosa
Elevado
número de
espécies:
Algas – 112
Plantas fanerogâmicas - 2
Esponjas – 52
Cnidários – 79
Anelídeos – 164
Crustáceos – 251
Moluscos – 335
Briozoários – 68
Equinodermes – 47
Ascídeas – 32
Peixes – 166
Tartarugas - 3
Cetáceos – 7
Aves – 44
outros-37
Diversidade biológica
Mais de 1400 spp.
Problemas e perturbação
Problemas e Pressões
•Pesca ilegal, comercial e
lúdica
•Pesca com determinadas
artes
Espécies comerciais com escassez de adultos
•Motonáutica
•Lazer balnear
% 70
60
50
40
•Mergulho
amador
30
20
•Investigação
10
0
•Perturbação
dos fundos e
Espécies
Espécies não
linha de
costa
comerciais
comerciais
Evolução das pradarias marinhas no
Portinho da Arrábida em 20 anos
1983
2003
Recuperação dos fundos de pradarias
Projeto Biomares
Actividade de pesca
Permitido
Interdito
palangre (peixe)
arrasto (de qualquer tipo)
toneira (choco/lula)
apanha (mariscagem)
armadilhas
(polvo/crustáceos acessório)
embarcações mais de 7 mts.
rede de emalhar (peixe)
rede de tresmalho (peixe e
choco)
embarcações não licenciadas
para o Parque
pesca submarina
Área de recuperação
de habitat
Proteção Total
8% da área total
sem atividades humanas
Proteção Complementar
Proteção Parcial
50% da área total
Maioria das atividades humanas
Pesca lúdica e comercial incluindo redes
42% da área total
Forte redução atividades extrativas
Pesca afastada da costa 200 m e apenas com armadilhas e toneiras
Ano1
Ano2
Ano3
Ano5
Faseamento
na implementação
do PM
Ano4
Capturas médias diárias (Kg) por ano e período, calibrado pelo n.º de
dias de pesca. Amostra de 40 embarcações licenciadas para operar no
PNA (dados da autoridade nacional para a pesca)
Mean Daily Catch (Kg / auction day)
45
40
35
30
25
20
15
10
5
0
1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
1995-2005
2006-2009
Biomassa por 1000 metros de rede
100
Complementary
Partial
CPUE (Kg / 1000m)
80
Total
60
40
20
0
Autumn 07 Spring 08 Summer 08 Autumn 08 Winter 09
Spring 09 Autumn 09 Spring 10 All Campaigns
Os resultados do efeito PT não são iguais
para todas as espécies
6
Complementary
5
CPUE (n/1000m)
Partial
4
Total
3
2
1
0
A região de Sesimbra e a oceanografia
O que se tem investigado no Parque Marinho
Quais as principais lacunas
Naturalistas na viragem do séc. XIX – XX
utilizam intensamente a região. São dados notáveis
contributos para o conhecimento da fauna marinha
portuguesa. (Bocage, Capello, Vieira, Osório)
Luís Gonzaga
do Nascimento
(1882-1970)
Rei D. Carlos I
(1863-1908)
Pioneiro da oceanografia
em Portugal. Diversas
campanhas e amostragem
ao largo de Sesimbra
Naturalista setubalense cujas colecções
hoje no museu oceanográfico do Portinho
da Arrábida, ilustram a riqueza faunística
da região
Luiz Saldanha
(1937-1997)
Naturalista e oceanógrafo
Pioneiro da aplicação do
mergulho com
escasfandro ao estudo da
fauna em Sesimbra
As algas marinhas da zona costeira da arrábida e a sua protecção
Palminha, F. In A serra da Arrábida e a protecção à Natureza : Liga para a Protecção
da Natureza (1958)
Records of Rhodophyta new to the flora of the Iberian Atlantic coast
Berecibar, E., & Wynnel, M. J. Botanica Marina, 52, 217–228 (2009)
Estudo do povoamento dos horizontes superiores da rocha litoral da
costa da Arrábida (Portugal)
Saldanha, L. Arquivos do Museu Bocage (1974)
Vertical and horizontal distribution of sublittoral macrobenthic
communities in the Arrábida/Espichel Coast
Boaventura, D . & P. Ré Boletim do Museu Municipal do Funchal (Supl. 6): 221-238
(2005)
ALGAS ● MACRO POVOAMENTOS
BENTÓNICOS
The genus Tedania (Porifera , Demospongiae) in the waters of the
Iberian Peninsula with a description of two new species
Cristobo, F. J. (2002)
Catálogo de los moluscos opistobranquios bentónicos de las costas
de Setúbal-Espichel (Portugal)
Calado, G., et al. Nova Acta Científica Compostelana (Bioloxía), 9, 285–294 (1999)
Ecology, distribution and abundance of Crustacea Natantia at
Arrábida Marine Park
Joana Cristina Projecto Garcia. Tese de Mestrado (2002)
Ecology, distribution and abundance of Equinodermata at Arrábida
Marine Park
Ana Isabel dos Ramos Catarino, Tese de Mestrado (2002)
ESPONJAS ● MOLUSCOS ● CRUSTÁCEOS
EQUINODERMES
Inventariação e ecologia da ictiofauna do substrato rochoso da costa
arrábida/espichel
Almada, V., et al. (2000)
First occurrence of the Monrovia doctorfish Acanthurus monroviae
(Perciformes: Acanthuridae) in European Atlantic waters
Horta e Costa, B. & Gonçalves, E. J. Marine Biodiversity Records, 6: e20 (2013)
Tropicalization of a rocky reef fish assemblage at a temperate
biogeographic transition zone.
Horta e Costa, B.; et al. Marine Ecology Progress Series, 504: 241-252. (2014)
ESPONJAS ● MOLUSCOS ● CRUSTÁCEOS
EQUINODERMES
Padrões de actividade e estrutura dos territórios dos machos
parentais de Parablennius pilicornis cuvier (Pisces: Blenniidae) da
costa portuguesa
Almada V., et al Análise Psicológica 2(V), 261-280 (1987)
Composition, Temporal and Spatial patterns of very-nearshore
larval fish assemblages at the Arrábida Marine Park
Borges, R. PhD thesis. Universidade do Algarve (2006)
Using historical accounts to assess the occurrence and distribution
of small cetaceans in a poorly known area
Brito, C., & Vieira, N.Journal of the Marine Biological Association of the United
Kingdom, 90(08), 1583–1588 (2010)
COMPORTAMENTO ANIMAL ● LARVAS E
RECRUTAMENTO ● CATÁCEOS
Vessel’s site fidelity and spatio-temporal distribution of artisanal
fisheries before the implementation of a temperate multiple-use
marine protected area
B. Horta e Costa et al. Fisheries Research 8(6) (2013)
‘Reserve effect’ within a temperate marine protected area in the
north-eastern Atlantic (Arrábida Marine Park, Portugal)
B. Horta e Costa et al. Marine Ecology Progress Series 481, 11-24 (2013)
The effect of conservation measures on the spatial and temporal
variation of rocky fish assemblages in the Arrábida Marine Park
B. Horta e Costa. Tese de Doutoramento (2013)
EFEITOS NA ACTIVIDADE PESQUEIRA ●
EFEITO DE RESERVA
Dados Ecológicos de Gorgónias (Octocorallia: Alcyonacea) –
Contributo para a conservação e gestão de actividades subaquáticas
no Parque Marinho Professor Luiz Saldanha (Portugal)
Sandra Rodrigues. Tese de Mestrado em Ecologia e Gestão Ambiental (2008)
Can small MPAs protect local populations of a coastal flatfish, Solea
senegalensis?
D. Abecasis, et al. Fisheries Management and Ecology 21, 175-185 (2014)
The Luiz Saldanha Marine Park: an overview of conflicting perceptions
G. Carneiro. Conservation & Society 9(4), 325-333 (2011)
IMPACTO DE ACTIVIDADES LÚDICAS ●
EFEITO NA BIOLOGIA DAS SPP ●
SOCIOLOGIA
Necessidades presentes e futuras
 Grupos particulares: algas, cnidários, ascídias
 Programas de monitorização de longo prazo
 Recuperação da habitats degradados
 Distribuição e variação populacional das macroalgas
 Hidrodinamismo e modelo de circulação costeira
 Estudos do “efeito de reserva”
 Avaliação da conectividade com áreas adjacentes
 Dependência das espécies aos diferentes habitats
 Impacto de espécies exóticas
 Distribuição do esforço de pesca e outras actividades
 Determinação da capacidade de carga do sistema
…
Parque Marinho Professor Luiz Saldanha
mais informação
Portal do ICNF
http://www.icnf.pt/portal/naturaclas/ap/p-nat/pnar/parqmarinh
Museu oceanográfico
Forte Stª. Maria no Portinho da Arrábida
Seminário sobre avaliação do PNA
(Sesimbra, 14 outubro)
Fotografias: subaquáticas, Emanuel Gonçalves; superfície, Fernando Carqueijeiro/PNA

Documentos relacionados

Parque Marinho Prof. Luiz Saldanha

Parque Marinho Prof. Luiz Saldanha Sesimbra Praia de Alpertuche Forte do Cavalo

Leia mais