estabilização dinâmica da coluna vertebral

Сomentários

Transcrição

estabilização dinâmica da coluna vertebral
ESTABILIZAÇÃO DINÂMICA DA COLUNA VERTEBRAL
Fernando Machado Pedrosa; Rogério Vidal de Lima; Renato Scapucin
Sorpreso; Carlos Eduardo Narciso Sakai; José Wilson Machado Rocco;
Douglas Freitas Santos. Instituto de Ortopedia e Traumatologia do
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São
Paulo
OBJETIVO
Apresentação do sistema dinâmico Dynesys® como uma alternativa à
fusão vertebral em determinadas patologias degenerativas da coluna
lombar e sua técnica cirúrgica.
MATERIAIS E MÉTODOS
O sistema Dynesys® possui três componentes: parafuso pedicular de
titânio (Protasul 100), haste de polyester (Sulene – PET), e espaçador
de policarbonato uretâno (Sulene – PCU). O parafuso é ligeiramente
cônico com sua superfície porosa, o espaçador é colocado entre as
cabeças dos parafusos e preso através da haste de poliéster,
tencionando o sistema. A haste resiste às forças de tensão, os
espaçadores às de compressão, e o sistema todo resiste às forças de
inclinação e cisalhamento. A técnica cirúrgica utilizada consiste no
paciente em posição pronada, sob anestesia geral. Realiza-se a via de
acesso de Wiltse e Spencer. É necessário o uso de radioscopia para o
posicionamento do parafuso pedicular. Os parafusos devem ser
posicionados lateralmente às facetas preservando as articulações.
Determina-se o comprimento do espaçador, inserção da haste pelo
parafuso caudal, o espaçador na haste entre os parafusos e novamente
a haste no parafuso cranial. Tensão e trava do sistema.
CONCLUSÃO
A estabilização dinâmica tem se mostrado como uma opção à fusão
vertebral em determinadas doenças degenerativas da coluna lombar,
por preservar a função primordial articular, a mobilidade, e prevenção de
sobrecarga de níveis adjacentes. Permite ainda menor tempo de
internação hospitalar e reabilitação precoce.