Aula II aparelho fonador e pontos articulatórios

Сomentários

Transcrição

Aula II aparelho fonador e pontos articulatórios
Aula II
aparelho fonador e pontos
articulatórios
Nívia Aniele
Apoio Pedagógico
PosLin
O aparelho fonador
É formado por três partes:
1. Sistema articulatório
2. Sistema fonatório
3. Sistema respiratório
Segmentos consonantais e vocálicos
• Todas as línguas naturais possuem consoantes
e vogais;
• Os segmentos consonantais são sons
produzidos por algum tipo de obstrução;
• Os segmentos vocálicos são sons produzidos
sem a obstrução da passagem do ar
Classificações das consoantes
Abercrombie (1979)
Parâmetros considerados na produção dos
segmentos consonantais
1.
2.
3.
4.
5.
Mecanismo e direção da corrente de ar;
Vibração das cordas vocais;
Som nasal ou oral;
Articuladores envolvidos na produção dos sons;
Maneira utilizada na obstrução da corrente de ar.
1. Qual o mecanismo da corrente de ar?
pulmonar, glotálica ou velar.
2. A corrente de ar é ingressiva ou egressiva?
Egressiva. Ingressiva não ocorre no
português.
3. Qual o estado da glote? Vozeado ou
desvozeado.
http://fonticaarticulatria.blogspot.com.br/2011/05/o-papel-das-pregasvocais-vozeamento.html
4. Qual a posição do véu palatino? Oral ou nasal.
5. Qual o articulado ativo?
Tem a propriedade de movimentar-se em
direção ao articulador passivo
São eles: lábio inferior, língua, véu palatino e as
cordas vocais.
6. Qual o articulador passivo?
Localizam-se na mandíbula superior, exceto o véu
palatino que se localiza na parte posterior do palato.
São eles: lábio superior, os dentes superiores e o céu
da boca (alvéolos, palato duro, véu palatino e a úvula.
A partir dos articuladores ativos e passivos podemos
definir o LUGAR DE ARTICULAÇÃO dos segmentos
consonantais
Bilabial: articulador ativo é o lábio inferior e o passivo é o lábio superior.
Exemplo: pá, boa, má.
Labiodental: articulador ativo é o ápice ou a lâmina da língua e o passivo são os
dentes incisivos superiores. Exemplo: faca, vaca.
Alveolar: articulador ativo é o ápice ou a lâmina da língua e o passivo são os
alvéolos. Exemplo: data, sapa, nada.
Alveolopalatal: articulador ativo é parte anterior da língua e o passivo é a parte
medial do palato duro. Exemplo: tia, dia (alguns dialetos), chá, já.
Palatal: articulador ativo é a parte média da língua e o passivo é a parte final
do palato duro. Exemplo: banha, palha.
Velar: articulador ativo é a parte posterior da língua e o passivo é o véu
palatino. Exemplo: casa, gata.
Glotal: os músculos da glote se comportam como articuladores. Exemplo: rata.
7. Qual a natureza da estritura?
Estritura é o termo técnico para a posição
assumida pelo articulador ativo em relação ao
passivo, indicando como e em qual grau se dá a
passagem da corrente de ar através do aparelho
fonador.
A partir da natureza da estritura classificamos os
os segmentos consonantais quanto à MANEIRA
OU MODO DE ARTICULAÇÃO.
Oclusivos: São consoantes que sofrem fechamento de
algum dos órgãos (como lábios, arcada dentária,
língua, palato, etc.) durante a passagem de ar: [P, B, T,
D, K, G].
Fricativos: São consoantes produzidas pela passagem
do ar através de um canal estreito feito pela colocação
de dois articuladores próximos um ao outro: [F, V, S, Z,
ʃ, ʒ, x].
Africados: Quando à oclusão segue-se uma fricção,
ocorre em algumas variantes do português brasileiro
como dia e tia, que tem pronúncia de [djia] e [tchia].
Nasais: São consoantes que, em sua pronúncia, o ar expirado
ressoa na cavidade nasal por encontrar abaixados a úvula e o véu
palatino. [M, ɲ, ŋ].
Laterais: São consoantes pronunciadas ao fazer passar a corrente
de ar nos dois cantos da boca ao lado da língua. [L, LH]
Vibrantes: São consoantes pronunciadas através da vibração de
algum elemento do aparelho fonador, em geral a língua ou o véu
palatino: p[r]oa, ca[r]o
Tepe: Quando a ponta da língua mantém com os alvéolos um
contato de uma só batida: ca[r]a, b[r]ava
Retroflexos: Quando o levantamento e encurvamento da ponta da
língua se dirigem ao palato duro: co[rr]a, mo[rr]a.
Notação dos segmentos consonantais
MODO DE ARTICULAÇÃO + LUGAR DE
ARTICULAÇÃO + GRAU DE VOZEMENTO
Exemplo:
[p] oclusiva bilabial desvozeada
[b] oclusiva bilabial vozeada
Articulações secundárias
Labialização: A consoante que apresenta a propriedade
secundária de labialização é seguida de uma vogal arredondada.
Ex. linguiça
Palatalização: A consoante que apresenta a propriedade
secundária de palatalização apresenta um efeito auditivo
quando seguida de vogais anteriores i, e, é. Ex. dia, tia.
Velarização: A consoante lateral [l] apresenta a propriedade
articulatória secundária de velarização em certos dialetos do sul
do Brasil. Ex. Sal, sol, alma.
Dentalização: algumas consoantas podem ser articuladas como
dentais ou alveolares. Ex. consoante [t]
Tabela fonética consonantal
EXERCÍCIOS
Sites
• www.fonologia.org
• http://soundsofspeech.uiowa.edu/ (sons do
inglês, espanhol e alemão).
Referência
CRISTOFÁRO-SILVA, T. Fonética e fonologia do
Português. Roteiro de estudos e guias de
exercícios. São Paulo: Contexto, 1999

Documentos relacionados

Lição 01 – 250,09 Kb Arquivo introdutório ao alfabeto Devanagari

Lição 01 – 250,09 Kb Arquivo introdutório ao alfabeto Devanagari Introduz uma aspiração ao final da sílaba para substituir um “स”् ou um “र”् final. É escrito na forma de um par de pontos dispostos verticalmente ao lado direito da sílaba. 1.4. Consoantes As cons...

Leia mais

1.O sânscrito clássico - registado no século IV a.C. através da

1.O sânscrito clássico - registado no século IV a.C. através da 6.1 Importa referir que uma consoante isolada é equivalente à sílaba derivada da conjugação do som da letra (no exemplo, “t”) acrescida do “som natural” (”a”). Quando se quer indicar uma consoante ...

Leia mais