O chamado de Jesus ao discipulado

Сomentários

Transcrição

O chamado de Jesus ao discipulado
Lição 3
12 a 19 de janeiro
O chamado de Jesus ao discipulado
Sábado à tarde
Ano Bíblico: Gn 37–39
VERSO PARA MEMORIZAR: "Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de
fatos que se não vêem" (Hb 11:1).
LEITURAS DA SEMANA: Mt 4:18-22; 5:46; 9:10, 11; Mc 1:16-20; Lc 5:1-11; 18:10, 11; Jo
1:35-51
Quando Garibaldi pronunciou aquela famosa proclamação a seus soldados depois do bombardeio
de Roma: ‘Soldados! nada tenho a lhes oferecer a não ser fome, sede, sofrimento e morte. Que
todos os que amam seu país me sigam!’ ele soube que muitos jovens heróicos o seguiriam, aceitando fome, sede e morte." (A. Gordon Nasby, ed., Treasury of the Christian World, p. 92.) Ao
contrário do chamado de Garibaldi, o de Jesus não é pelo amor à pátria mas pelo amor a Deus,
um chamado que – apesar de possivelmente envolver fome, sede, sofrimento e morte – também
oferece a promessa da vida eterna. Assim, desde aquele tempo, as pessoas aceitam Seu chamado a segui-Lo e Lhe dedicar a vida e, assim fazendo, produzem resultados neste mundo agora
e na eternidade.
Nesta semana, vamos examinar os primeiros chamados ao discipulado e buscar retirar deles as
lições para hoje.
Prévia da semana: Como foram os primeiros chamados ao discipulado? Que papel as Escrituras tiveram nesses chamados? O que podemos aprender do chamado de Levi Mateus? Apesar
das muitas diferenças, quais são alguns dos elementos comuns existentes no chamado ao discipulado? Que vantagens temos hoje sobre os primeiros discípulos?
Domingo
Os primeiros chamados
Leia João 1:35-51 e então, responda às seguintes perguntas:
Ano Bíblico: Gn 40–42
1. Como João Batista ajudou a criar o cenário para o chamado desses primeiros discípulos? Pelo que João fez, o que podemos aprender para nós mesmos e para nossa missão como um povo?
2. Qual era o papel das Escrituras para a disposição das pessoas de seguir a Jesus?
Que mensagem existe para nós?
3. Que papel tiveram os discípulos em chamar outros a seguir a Jesus?
4. O que fez Jesus para ajudar Natanael a vencer o preconceito?
Depois de André passar algum tempo com Jesus, ele não só creu que Jesus era o Messias, mas
fez imediatamente o que o Mestre espera que todo discípulo faça: Espalhar a alegria do discipulado. André parece ter entendido um princípio vital do discipulado: Não é para uso particular,
nem nos faz pertencer a uma comunidade fechada ou um clube exclusivo. Ao contrário, é uma
experiência que deve ser compartilhada com os outros.
Da resposta de André ao discipulado, surge um padrão. André ouviu João falar e seguiu a Jesus.
Em seguida, ele contou ao seu irmão Pedro sobre sua experiência e o levou a Jesus, e Pedro
também se tornou seguidor.
Da mesma forma, ouvimos a verdade sobre Jesus, fazemos um compromisso de segui-Lo e então, contamos aos outros sobre Jesus. Isso se repete dia a dia, no mundo inteiro.
Se você fosse falar de Jesus a alguém, o que diria? Quão profunda é sua experiência com o Senhor? O que você diria sobre Jesus para fazer com que tenha seu interesse despertado em
segui-Lo?
Segunda
Ano Bíblico: Gn 43–45
O primeiro chamado em Mateus e Marcos
5. Em Mateus 4:18-22 e Marcos 1:16-20, temos outros aspectos desse primeiro chamado. Nos dois exemplos, aqueles que Ele chamou soltaram as redes e O seguiram. O
que significa isso?
Esta não é a única ocasião e situação em que esse princípio é encontrado na Bíblia.
6. Examine os textos a seguir. Como vemos o mesmo princípio se manifestando aqui,
embora as circunstâncias sejam diferentes?
a. Gn 12:1 (veja também Hb 11:8)
b. 1Rs 19:19-21
c. Fp 3:8
d. Hb 11:24
Uma coisa não pode ser repetida em demasia: O Senhor exige o coração inteiro. Aquilo que não
Lhe rendemos, aquilo a que nos agarramos, recusando-nos a abrir mão, torna- se um ídolo, algo
que consideramos mais importante que o Senhor. O que é pior, essas coisas a que nos agarramos se tornam iscas que o diabo usa para nos afastar completamente de Deus. É por isso que
devemos estar dispostos a abandonar tudo o que o Senhor nos peça. Não podemos, como Ele
disse, "servir a dois senhores" (Mt 6:24).
Terça
Ano Bíblico: Gn 46, 47
O chamado em Lucas
Lucas 5:1-11 contém a versão de Lucas da história do chamado dos discípulos. Como acontece
em outros relatos do Evangelho, esse texto traz elementos não encontrados em outros Evangelhos, ao mesmo tempo que omite elementos encontrados em outros. Alguns afirmam que, portanto, as histórias são contraditórias. Ao contrário, um cuidadoso estudo normalmente soluciona
essas questões, mostrando simplesmente que, apesar de diferentes detalhes ou ênfases, as
histórias se harmonizam, especialmente nos pontos mais importantes.
7. Que indicações existem de que Pedro já tinha alguma fé em Jesus? Lc 5:1-11
Pense nisto. Eles haviam pescado a noite inteira, quando a pesca era melhor, e não haviam pego
nada. Então, Jesus Se aproximou e lhes disse para lançar a rede na água. Ele estava brincando?
Se não pegamos nada à noite, como vamos pegar de dia? Mas, por alguma razão, Pedro ouviu.
Ele tinha razões para confiar em Jesus?
8. Qual foi a resposta de Pedro? Como essa resposta explica de muitas formas a essência do discipulado e o evangelho eterno? Is 53:6; Rm 5:16-21; 1Jo 1:7-9
Apesar de nossa natureza caída, apesar de nossas culpas e debilidades, apesar do fato de que,
como Pedro, somos pecadores, Deus não nos abandona. Quão natural seria alguns de nós, na
presença do Divino, dizer: "Afasta-Te de mim". Sob o sangue da cruz, podemos suportar a presença de Deus. Sob o sangue da cruz, podemos ser Seus discípulos.
Pense no que Jesus fez por nós no Calvário. Pense nas promessas de aceitação, perdão e reconciliação com Deus por causa da cruz. Peça o cumprimento das promessas feitas a você, não porque você se sente digno delas (Pedro era digno?), mas porque Deus as prometeu, e você quer
tomá-Lo pela Palavra.
Quarta
Ano Bíblico: Gn 48–50
O chamado de Levi Mateus
9. Compare o chamado de Levi Mateus com os dos outros primeiros discípulos. Quais
são as semelhanças e as diferenças entre o chamado de Levi Mateus e dos outros discípulos até agora? Mt 9:9; Mc 2:14; Lc 5:27, 28
Até este ponto, aqueles que Jesus chamou ao discipulado eram judeus aparentemente devotos,
como João 1:44 e 45 dá a entender. Mas o chamado de Levi Mateus chega a alguém à margem
da sociedade. Ele era um publicano e, como tal, era visto pelos judeus entre os piores elementos
da sociedade.
10. Como pessoas como Mateus eram consideradas naquela sociedade? Mt 5:46; 9:10,
11; Mc 2:16; Lc 18:10, 11
Mateus era o candidato mais improvável para um chamado ao discipulado. Primeiro, ele foi chamado da banca de coletor de impostos. Os escritores romanos relacionavam essa categoria aos
leões-de-chácara dos bordéis; os rabinos os chamavam de ladrões. Eles eram considerados usurpadores (Lc 3:12, 13), notoriamente desonestos e odiados universalmente, especialmente
por serem judeus que defraudavam seus compatriotas para o inimigo e também defraudavam o
governo.
Que surpresa que alguém com esse caráter e essa reputação tenha sido chamado por Jesus para
o discipulado! Mas foi justamente isso que aconteceu. O chamado de Cristo aqui mostra que a
salvação que Ele trouxe é universal, Seu reino é inclusivo e Ele está disposto a oferecer a cada
um a oportunidade da salvação.
Em nossa sociedade, quais são algumas das categorias consideradas marginais, inaceitáveis
social e moralmente? Que atitude você tem para com essas pessoas? O que podemos aprender,
na história do chamado de Levi Mateus?
Quinta
Ano Bíblico: Êx 1–4
O chamado
11. Pelo que vimos nesta semana (e nas semanas anteriores) sobre o chamado para o
discipulado, que mensagem especial podemos encontrar em Hebreus 11:1?
O mais surpreendente na resposta desses discípulos ao chamado de Cristo foi quão pouco eles
sabiam sobre o que estava por vir, sobre o que os aguardava ao deixar tudo e seguir o Mestre.
Embora, como vimos nesta semana, eles tivessem alguma evidência bíblica naquele tempo para
crer que Jesus era o Messias (Jo 1:45), um estudo dos Evangelhos revela que grande parte da
obra e do ministério de Jesus ainda eram desconhecidos deles, especialmente a parte mais importante de Sua obra: Sua morte na cruz. Como sabemos, até o fim, e mesmo depois, eles tinham sérias distorções em sua concepção do que deveria vir.
12. Quais são alguns exemplos de que eles pouco entendiam sobre a obra do Messias?
Mc 10:35-40; Jo 18:10; At 1:6
Pense nas vantagens que nós, como discípulos modernos, temos sobre aqueles primeiros discípulos, especialmente no momento em que eles foram chamados. É verdade que eles testemunharam muitos milagres incríveis, mas, ao mesmo tempo, não sabiam o que sabemos sobre a
obra, a missão e o triunfo final do que Cristo deveria realizar. E, apesar disso, eles avançaram
em fé, o tipo de fé revelado em Hebreus 11:1.
Você é fraco na fé? O que está prejudicando sua fé? As coisas a que tem assistido, as coisas que
está pensando, as coisas a que está dedicando tempo? O que você pode fazer, agora mesmo,
para fazer com que sua fé cresça?
Sexta
Ano Bíblico: Êx 5–8
Estudo adicional
eia Lucas 5:1-11; Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 132-143; 244-252 (cf. Mt
9:9; Lc 5:27, 28; Jo 21:1-11).
"Aqui estavam os quatro sócios, de posse da maior pesca que tinham testemunhado. No momento de seu maior sucesso material, eles abandonaram o negócio. ... Mesmo diante do significado mais elevado do milagre, deve ter requerido verdadeira fé trocar uma ocupação certa por
um sustento incerto como seguidores de um mestre itinerante que, até então, aparentemente
havia obtido pouco sucesso. ... Por parte dos discípulos, não existia a menor hesitação. A decisão de dissolver a sociedade bem-sucedida como pescadores em favor de uma sociedade mais
elevada com Jesus como pescadores de homens foi tomada imediatamente e com inteligência.
Eles não precisaram de nenhum tempo para considerar cuidadosamente as coisas, não houve
tempo para prover às necessidades da família. ... Eles se haviam lançado ao largo como pescadores comuns; quando retornaram à praia, lançaram-se pela fé ao ‘largo' ao qual Cristo agora os
chamava, trocando peixes por homens." – SDA Bible Commentary, v. 5, p. 739.
Perguntas para consideração
1. Que arranjos você precisa fazer para reorganizar suas prioridades de forma a poder glorificar
a Deus mais eficazmente e ser mais coerente em seu discipulado?
2. Em referência à lição de quinta-feira, quais são as vantagens que temos hoje sobre os discípulos? Quais são as coisas que sabemos e que eles não sabiam? Faça uma lista dessas coisas e
leve-as para a classe. Comente o que vocês acham e, então, perguntem a si mesmos: O que
estamos fazendo com essas vantagens para crescer na graça? Como essas vantagens podem
nos ajudar a sair e fazer discípulos?
3. Pense mais na pergunta a respeito do chamado de Levi Mateus. Comente em classe a questão
do preconceito contra certos grupos. Como está sua igreja nessa questão? Que grupos de pessoas são considerados marginais em sua sociedade? Como você pode ministrar a eles? Mui freqüentemente, as igrejas refletem a cultura ao seu redor, inclusive os preconceitos dessa cultura.
Quão aberto você está aos preconceitos de sua sociedade? O que você pode fazer para ajudar
sua igreja a vencer este terrível sintoma da natureza humana caída?

Documentos relacionados

Seguindo o Mestre: O discipulado em ação

Seguindo o Mestre: O discipulado em ação homens consideram uma honra prestar algum serviço humilde para os grandes heróis do mundo, que distinção nos dá a oportunidade de servir ao Salvador dos homens?" – A. Gordon Nasby, ed., Treasury of...

Leia mais

As mulheres e o discipulado

As mulheres e o discipulado A mulher junto ao poço 8. Como Jesus conquistou a confiança da mulher junto ao poço e, essencialmente, a transformou em discípula? Jo 4:4-30 O processo de conquistar a mulher de Samaria para Cristo...

Leia mais

Lições de candidatos a discípulos

Lições de candidatos a discípulos O jovem rico 3. O que impediu o jovem rico de seguir a Jesus? Que lições podemos tirar da história desse candidato a discípulo? Mc 10:17-23. (Veja também Mt 19:16-26; Lc 18:18-30) A lição de hoje m...

Leia mais