Experimentando o Discipulado

Сomentários

Transcrição

Experimentando o Discipulado
Lição 8
16 a 23 de fevereiro
Experimentando o Discipulado
"Então, convocando a multidão e juntamente os Seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quer vir após Mim, a si
mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me" (Mc 8:34).
Prévia da semana: Assim como o corpo precisa de alimento e água, a vida espiritual precisa de Cristo a fim de viver.
Domingo, 17 de fevereiro
Praticando o conhecimento
1. A que Jesus Se comparou? Como se aplica essa ilustração à vida de discipulado? Jo 6:43-58
Não foi por simples coincidência que Jesus expressou essas palavras não muito depois do milagre da alimentação dos
cinco mil (Jo 6:1-14). A resposta do povo, porém, mostrou que seu coração estava ainda preso a coisas mundanas.
2. Segundo os textos de hoje, qual foi o propósito da vinda de Jesus? Veja também Jo 6:26, 27
"Você precisa praticar sua lição de piano!" Essa é a instrução que os professores de música dão a seus alunos no fim
de cada aula. Os pais também gastam tempo dizendo aos filhos e filhas a mesma coisa. Crianças que esquecem de
praticar suas lições de piano conhecem as conseqüências – não conseguirão tocar bem na frente do professor na
próxima aula!
As pessoas dizem que a prática leva à perfeição. Todos sabemos que, ao fazer algo repetidas vezes, finalmente
conseguimos fazê-lo bem. Contudo, na ciência a prática não leva necessariamente à perfeição. A fim de provar se um
conceito é verdadeiro ou falso, os cientistas fazem uma experiência. Para evitar erros casuais, repetem muitas vezes
a experiência e tomam a média de resultados.
Na aula de ciências, os professores muitas vezes fazem seus alunos praticar no laboratório a fim de compreenderem
conceitos científicos e como aplicar esses conceitos à vida diária. Fazer a experiência ajuda os alunos a
compreenderem como tornar práticos os conceitos.
Jesus seguiu o mesmo método de ensino com Seus alunos. "Então, convocando a multidão e juntamente os Seus
discípulos, disse-lhes: Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me" (Mc 8:34).
A fim de compreender conceitos científicos, os alunos precisam colocar de lado suas pressuposições prévias e seguir
as instruções do professor. Da mesma forma, Jesus disse que se desejamos nos tornar Seus discípulos, temos que
lançar fora todo o nosso conhecimento sobre o que é certo e o que é errado e encher a mente com a verdade sobre
Deus. Os estudantes da ciência têm que tornar a ciência prática ao seguir as instruções do professor. Da mesma
forma, Jesus instrui Seus discípulos a tornar Seus ensinos práticos ao tomarem sua cruz e seguirem-No. Segui-Lo
significa aceitar Suas instruções como modo de vida.
Infelizmente, muitas pessoas que professam ser discípulos de Jesus nunca lançam fora seus conceitos sobre o que é
certo e o que é errado. Para que os discípulos coloquem Jesus em primeiro lugar na vida precisam colocar a si
mesmos em último lugar. Para o cristão, tornar-se o mais elevado significa tornar-se o mais humilde. Isso é contrário
à opinião do mundo. Contudo, sem lançar fora os conceitos mundanos nunca seremos capazes de sentir e apreciar o
amor de Deus. Nunca seremos capazes de nos tornar discípulos de Jesus sem colocá-Lo em primeiro lugar.
Daniel Saputra | Palembang, Indonésia
Segunda, 18 de fevereiro
A suprema tarefa da igreja
3. Como Jesus lhes respondeu? Mt 18:1-4. O que existe nas crianças que as torna bons exemplos de
discipulado?
Lucas nos diz que Jesus veio buscar e salvar o perdido (Lc 19:10). João diz que Jesus veio para que os homens e
mulheres pudessem crer nEle (Jo 3:16). Como Jesus conseguiu isso? Ele chamou indivíduos e os tornou Seus
discípulos. Se afirmarmos que somos seguidores de Cristo, também precisamos chamar pessoas e ajudá-las a se
tornarem discípulas de Cristo.
A igreja primitiva também chamou e formou discípulos:
1. Os que se converteram a Cristo no dia de Pentecostes se devotaram ao ensino e à comunhão dos apóstolos (At
2:42).
2. Apolo havia aceito ardentemente a Jesus, mas necessitava urgentemente de que Priscila e Áquila lhe dessem
esclarecimento adicional (At 18:26).
Como podemos nos devotar aos ensinos de Jesus e Seus apóstolos? Em muitas ocasiões, Jesus ensinou com
parábolas. Ele disse que precisamos nos tornar como criancinhas (Mt 18:3, 4) e levar nossa cruz (Mc 8:34). O que
significam essas coisas? Precisamos nos humilhar ao pé da cruz. Experimentar o discipulado é ser semelhante a Ele no
caráter.
A palavra grega para "discípulo" é mathetes, que significa "seguidor" ou "aprendiz". Os discípulos eram seguidores de
Jesus e aprendiam dEle. Essa é a ênfase primária de Mateus 28:19. Fazer discípulos é o principal verbo nesse verso.
Os outros versos – batizar e ensinar – são subordinados.
Parece que a maioria de nós está satisfeita em fazer apenas a obra subordinada de batizar e ensinar, em vez da obra
principal de fazer discípulos. Desejamos ensinar e batizar, mas nos esquecemos de que a tarefa suprema da igreja é
fazer discípulos. Carl Sweazey disse: "O grande escândalo do evangelismo é a negligência da igreja em cumprir o
discipulado."
Como corpo eclesiástico, temos apenas um alvo: fazer discípulos. A pessoa alcança esse alvo quando vive um estilo
de vida cristão consistente. Quando a pessoa muda seu comportamento, sabemos que ele integrou à sua vida diária
crenças cristãs sobre aquele comportamento.
Podemos ajudar a fazer discípulos por nosso próprio estilo de vida cristão consistente fazendo o seguinte:
1. Cuidando dos novos conversos. A Bíblia nos diz que Filipe – um dos discípulos de Jesus – foi procurar Natanael, e
quando o encontrou disse: "Achamos aquele a respeito de quem Moisés escreveu no Livro da Lei e sobre quem os
profetas também escreveram. É Jesus, filho de José, da cidade de Nazaré" (Jo 1:45).
2. Participando do serviço de comunhão. "De maneira que, cada vez que vocês comem deste pão e bebem deste
cálice, estão anunciando a morte do Senhor, até que Ele venha" (1Co 11:26).
Mesnick M. W. Ataupah | Palembang, Indonésia
Terça, 19 de fevereiro
Nascido para ser discípulo
Uma das experiências mais surpreendentes registradas nos Evangelhos é a Transfiguração, em que Deus manifestou
Sua presença de modo notável ante os olhos de alguns dos discípulos de Cristo.
4. Que três coisas específicas, ocorridas na transfiguração, deveriam ter fortalecido a fé dos discípulos? Mt
17:1-13
Jesus nunca nos chama ao discipulado, a sermos seguidores, sem nos dar razões para crer. Evidentemente, nem tudo
é respondido, mas são-nos dadas razões suficientes para ter fé; razões suficientes para crer mesmo no que não
entendemos completamente.
5. Os discípulos tiveram o grande privilégio de ver coisas que a maioria de nós neste mundo nunca irá ver.
Mas o que esses textos revelam sobre eles? Mt 26:56, 69-75; Mc 9:30-32; Jo 20:19. Que lições podemos tirar
da experiência deles?
Efésios 2:10 declara que "foi Deus quem nos fez o que somos agora; em nossa união com Cristo Jesus, Ele nos criou
para que fizéssemos as boas obras que Ele já havia preparado para nós".
Como cristãos, somos nascidos de novo para ser discípulos de Cristo. Quando ouvem a palavra discípulo, muitas
pessoas pensam nos 12 discípulos de Cristo e nos pastores. Mas a Bíblia diz que todo indivíduo que aceita a Jesus
Cristo como Senhor e Salvador se torna Seu discípulo.
Discípulo é uma pessoa que nasceu de novo, se uniu à igreja, já identificou seus dons espirituais e aceitou a
responsabilidade de um papel na igreja compatível com esses dons.* Como Ellen G. White escreveu, "todo verdadeiro
discípulo nasce no reino de Deus como missionário" (O Desejado de Todas as Nações, p. 195).
Pedro descreve as pessoas que são de Deus como "pedras vivas... na construção de um templo espiritual onde...
servirão como sacerdotes dedicados a Deus. ... A raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente
dedicada a Deus, o povo que pertence a Ele, ... [que] foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que
os chamou da escuridão para a Sua maravilhosa luz" (1Pd 2:5-9). Que bela descrição do discipulado são esses versos!
O discipulado é parte do processo de novo nascimento. A única maneira de você não se tornar um discípulo é recusarse abertamente a sê-lo.
Experimentando pessoalmente o discipulado. "Depois Jesus e os Seus discípulos foram para os povoados que
ficam perto de Cesaréia de Filipe. No caminho, Ele lhes perguntou: Quem o povo diz que Eu sou? Os discípulos
responderam: Alguns dizem que o Senhor é João Batista; outros, que é Elias; e outros, que é um dos profetas. E
vocês? Quem vocês dizem que Eu sou? perguntou Jesus. O Senhor é o Messias! respondeu Pedro. Então Jesus proibiu
os discípulos de contarem isso a qualquer pessoa" (Mc 8:27-30).
Quando Jesus perguntou a Seus discípulos o que os outros estavam dizendo sobre Sua identidade, eles Lhe relataram
várias opiniões que haviam ouvido. E quando Ele pediu a opinião deles, Pedro O identificou como o Messias.
Experimentar pessoalmente o discipulado é ter um relacionamento com Cristo. Para conhecê-Lo pessoalmente,
precisamos andar com Ele, falar com Ele e trabalhar com Ele. Fazer isso nos ajuda a discipular outros. "Ao trabalho
pessoal por outros, deve preceder muita oração particular, pois requer grande sabedoria o compreender a ciência da
salvação de pessoas. Antes de comunicar-vos com os homens, comungai com Cristo. Junto ao trono da graça celestial
preparai-vos para ministrar ao povo" (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 149).
"Consagrai-vos a Deus pela manhã; fazei disto vossa primeira tarefa. Seja vossa oração: ‘Toma-me, Senhor, para ser
Teu inteiramente. Aos Teus pés deponho todos os meus projetos. Usa-me hoje em Teu serviço. Permanece comigo, e
permite que toda a minha obra se faça em Ti.’ Esta é uma questão diária. Cada manhã consagrai-vos a Deus para
esse dia. Submetei-Lhe todos os vossos planos, para que se executem ou deixem de se executar, conforme o indique
a Sua providência. Assim dia a dia podereis entregar às mãos de Deus a vossa vida, e assim ela se moldará mais e
mais segundo a vida de Cristo" (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 70).
Experimentando o espírito humilde. "Naquele momento os discípulos chegaram perto de Jesus e perguntaram:
Quem é o mais importante no Reino do Céu? Jesus chamou uma criança, colocou-a na frente deles e disse: Eu afirmo
a vocês que isto é verdade: se vocês não mudarem de vida e não ficarem iguais às crianças, nunca entrarão no Reino
do Céu" (Mt 18:1-3).
Para ser discípulos de Cristo precisamos ter um espírito dócil e humilde como o de uma criança. Um espírito humilde
mostra ao mundo que somos "uma carta de Cristo, ... escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em
tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos" (2Co 3:3, NVI).
Experimentando o discipulado por meio do serviço da comunhão. "Então Jesus disse: Eu afirmo a vocês que
isto é verdade: se vocês não comerem a carne do Filho do homem e não beberem o Seu sangue, vocês não terão vida.
Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue tem a vida eterna, e Eu o ressuscitarei no último dia. Pois a Minha
carne é a comida verdadeira, e o Meu sangue é a bebida verdadeira. Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue
vive em Mim, e Eu vivo nele" (Jo 6:53-56). Esses versos se referem a nutrirmos nosso relacionamento com Cristo por
meio do estudo da Bíblia, da oração e de qualquer outra disciplina espiritual. Eles também servem como lembretes da
importância de participarmos do serviço da comunhão.
Quanto à importância de comungarmos com nosso Criador, lemos que nada "é mais necessário em nossos trabalhos
do que os resultados práticos da comunhão com Deus. Devemos mostrar, em nossa vida diária, que temos paz e
descanso no Senhor. Essa paz no coração resplandecerá na fisionomia. Imprimirá à voz uma força persuasiva. A
comunhão com Deus refletirá no caráter e na vida. Os homens conhecerão em nós, como nos primeiros discípulos,
que estivemos com Jesus. Eis o que dá ao obreiro um poder que nada mais será capaz de lhe comunicar. Jamais
devemos permitir ser privados de tal poder" (Ellen g. White, A Ciência do Bom Viver, p. 512).
"Quando o amor de Cristo é abrigado no coração, ele, como o suave perfume, não pode ocultar-se. Sua santa
influência será sentida por todos aqueles com quem entramos em contato" (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 77).
* James W. Zackrison, From Spectators to Disciples, p. 24.
Henky Wijaya | Malang, Indonésia
Quarta, 20 de fevereiro
Os que realmente participam do
discipulado
6. Que sinais importantes do advento Jesus deu aos discípulos no discurso do Monte das Oliveiras? Mt 24:4,
5, 9-13, 23-27, 36-44
"Não importa quão alta seja a profissão, aquele cujo coração não está cheio de amor a Deus e aos semelhantes, não é
verdadeiro discípulo de Cristo. Embora possua grande fé, e tenha poder mesmo para operar milagres, todavia sem
amor sua fé será de nenhuma valia" (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 318).
"Nessa última reunião de Jesus com Seus discípulos, o grande desejo por Ele manifestado em seu favor, foi de que se
amassem uns aos outros como Ele mesmo os amara. Falou-lhes repetidamente a esse respeito. ‘O Meu mandamento
é este’, disse por diversas vezes, ‘que vos ameis uns aos outros.’ João 15:12. Foi mesmo a primeira recomendação
que lhes fez ao achar-Se a sós com eles no cenáculo: ‘Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros;
como Eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis".’ Jo 13:34. Para os discípulos, este foi um novo
mandamento; pois eles não haviam amado uns aos outros como Cristo os amara. Ele viu que novas idéias e impulsos
os deviam dominar; que novos princípios tinham de ser por eles seguidos; por meio de Sua vida e morte, deviam
receber uma nova concepção do amor. O mandamento de se amarem uns aos outros tinha uma nova significação em
face de Seu sacrifício. Toda a obra da graça é um contínuo serviço de amor, de abnegação, de esforço com sacrifício.
Durante cada hora da peregrinação de Cristo na Terra, o amor de Deus dEle brotava em irreprimíveis correntes. Todos
quantos são possuídos de Seu espírito, hão de amar como Ele amou. O mesmo princípio que atuava em Cristo, há de
atuar neles em todo o seu trato uns com os outros.
"Esse amor é o testemunho de seu discipulado. ‘Nisto todos conhecerão que sois Meus discípulos’, disse Jesus, ‘se vos
amardes uns aos outros’ Jo 13:35. Quando os homens se ligam entre si, não pela força do interesse pessoal, mas pelo
amor, mostram a operação de uma influência que é superior a toda influência humana. Onde existe esta unidade, é
evidente que a imagem de Deus está sendo restaurada na humanidade, que foi implantada nova vida. Mostra que há
na natureza divina poder para deter os sobrenaturais agentes do mal, e que a graça de Deus subjuga o egoísmo
inerente ao coração natural" (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 677, 678).
Pense nisto
1. Que perspectiva a lição de hoje dá quanto à doutrina?
2. Como 1 Coríntios 13 descreve o amor abnegado?
3. Como Jesus mostrou os atributos do amor mencionados em 1 Coríntios 13 enquanto viveu na Terra?
4. Pense numa situação irritante na qual você se encontrou recentemente. Sua reação exibiu o tipo de amor que
mostra que somos discípulos de Jesus? Se não, de que forma você poderia ter reagido de maneira diferente?
Roy Maju Hutasoit | Java do Oeste, Indonésia
Quinta, 21 de fevereiro
A beleza do discipulado
7. Por que Jesus lhes disse que não divulgassem Sua divindade? Pode haver aqui uma lição para nós,
como discípulos, sobre o tempo e as circunstâncias que devem ser considerados antes de agirmos? Veja
também Jo 4:25-30
8. Leia a resposta de Jesus a Pedro (Mc 8:33-38). Que mensagem importante Jesus dá a todos os que
querem ser Seus discípulos?
Para que alguém seja discípulo, é preciso ser leal ao mestre e refletir na vida diária os ensinos dele. Jesus, enquanto
viajava pela Judéia e Samaria, ensinou Seus discípulos não apenas dizendo-lhes o que fazer, mas também vivendo
Suas próprias instruções. Através de Seu encontro com a mulher samaritana no poço, Ele nos mostra como ajudar
outros a se tornarem discípulos (Jo 4:1-42):
1. Devido ao fato de os judeus e os samaritanos se odiarem mutuamente, era improvável que a mulher se arriscasse
a receber uma reação ríspida de Jesus oferecendo-se para tirar água para Ele. Portanto, Ele tomou a iniciativa,
solicitando a ela o favor de Lhe dar a beber (v. 7).
2. Jesus ministrou às necessidades ocultas dela com a informação sobre a "água viva", sobre seu passado, e sobre a
maneira apropriada de adorar a Deus (v. 10-24).
3. Jesus não deixou a mulher embaraçada quanto a seu passado. Ao contrário, cumprimentou-a por sua sinceridade
(v. 16-18).
4. Através dessa informação, Ele permitiu que a própria mulher tirasse algumas conclusões sobre quem Ele poderia
ser (v. 19).
E assim, quando Jesus finalmente revela Sua verdadeira identidade, a mulher fica convencida de que Ele é o Messias.
Como sabemos disso? Ela corre de volta à aldeia, tão ansiosa para contar aos outros que o Messias já havia vindo,
que acaba deixando o cântaro para trás (v. 28-30).
Assim, Jesus mostrou a Seus discípulos de então, e a nós, de hoje em dia, como derrubar as barreiras que impedem
as pessoas de segui-Lo.
Discípulos são pessoas recém-nascidas que aprendem como usar seus talentos em favor de seu Mestre, para que
outros também se tornem discípulos (Rm 12:6-8; 1Co 12:7-11; Ef 4:11-13).
Alguns dos discípulos de Jesus eram notórios por seu mau gênio e por suas aspirações políticas (Mt 20:20-24; Mc
3:17). Podemos presumir, pelo exemplo de Jesus com a mulher no poço, que Ele também os ajudou, com tato, a
compreender plenamente seu potencial como discípulos Seus.
Os discípulos de Cristo devem sempre se lembrar de que nasceram de novo a fim de serem obreiros para o reino de
Deus, da mesma forma que a mulher samaritana.
Pense nisto
Como você pode incorporar à sua vida diária o método que Jesus usou ao discipular a mulher junto ao poço?
Posman Simanjuntak | Palembang, Indonésia
Sexta, 22 de fevereiro
Discipulado humilde
As crianças sempre me chamam a atenção. Elas riem, gritam para chamar alguém, sorriem de coração; seus olhos
brilhantes parecem ser sem pecado, e seus passos, quando estão correndo (particularmente se são limpas e
saudáveis), mostram liberdade e alegria. Quando vejo crianças, sinto vontade de abraçá-las.
Em Mateus 18:1 os discípulos perguntaram: "Quem é o mais importante no Reino do Céu?" Então, chamando uma
criança da multidão, Jesus disse: "Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se vocês não mudarem de vida e não ficarem
iguais às crianças, nunca entrarão no Reino do Céu" (v. 3).
Há muitas coisas interessantes com respeito às crianças. Aqui estão duas delas:
1. Enquanto os discípulos estavam discutindo sobre qual deles era o maior, Jesus lhes disse: "Se alguém quer ser o
primeiro, deve ficar em último lugar e servir a todos" (Mc 9:35). Então tomou uma criancinha e disse: "Aquele que,
por ser Meu seguidor, receber uma criança como esta estará também Me recebendo. E quem Me receber não recebe
somente a Mim, mas também Aquele que Me enviou" (v. 37). "A confiança simples e a amorosa obediência de uma
criança representam traços de caráter altamente apreciados no reino dos céus. Note-se que Jesus fala de ‘criancinhas’,
aquelas que não aprenderam, pelo mau exemplo dos adultos, os pecados da dúvida e da desobediência."*
2. As crianças são como ímãs – as pessoas são atraídas por sua simplicidade e confiança. Quando aceitamos a Cristo
como nosso Salvador e passamos tempo com Ele, aprendemos a seguir Seus ensinos. Muitas vezes estamos ocupados
demais com atividades que beneficiam apenas a nós mesmos. Esquecemo-nos de nos tornar como criancinhas que
atraem outros a si. Esquecemo-nos de que, como discípulos de Cristo, precisamos ajudar outras pessoas a se
tornarem discípulos também.
Quando somos chamados a nos tornar Seus discípulos, precisamos aprender a agir como nosso Mestre – e mesmo a
nos colocarmos de lado e a esquecer de nós mesmos, para que só Jesus esteja em nossa mente e em nosso coração.
Colossenses 2:6 diz: "Portanto, assim como vocês receberam Cristo Jesus, o Senhor, continuem a viver nEle" (NVI).
Isso significa que precisamos de um contínuo relacionamento com Cristo, envolvendo-O em todos os aspectos de
nossa vida. Quando tomarmos a decisão de nos tornar Seus discípulos, experimentaremos o discipulado, porque
andamos e trabalhamos com Cristo.
* The SDA Bible Commentary, v. 5, p. 639.
Dicas
Aliste seus "peixes" – as pessoas em sua vida que não conhecem a Jesus. No topo da lista deve estar qualquer pessoa
sobre quem você possa ter influência direta. Ore por essas pessoas não meramente como um cristão, mas como um
discípulo de Jesus.
Laste Wijaya | Malang, Indonésia

Documentos relacionados

Etnia e Discipulado

Etnia e Discipulado 1. Esteja disposto a mudar suas idéias. Pedro recebeu uma visão que parecia contrária a tudo que sempre lhe tinha sido ensinado. Mas, à medida que o Espírito Santo revelou esse novo conceito a ele,...

Leia mais

Preparo para o discipulado

Preparo para o discipulado Você já esteve num culto de adoração no qual alguém foi à frente para dar seu testemunho por razões erradas? Você fica sentado no banco e ouve, mas logo se torna aparente que a pessoa não está fala...

Leia mais