Jesus Cristo é a face da misericórdia do Pai” Misericordiae Vultus, 1

Сomentários

Transcrição

Jesus Cristo é a face da misericórdia do Pai” Misericordiae Vultus, 1
"Jesus Cristo é a face da misericórdia do Pai” Misericordiae Vultus, 1
Com estas palavras o Papa Francisco começou a “Bula de proclamação” (nome fino, não
acham?) para o extraordinário Ano Santo da Misericórdia que começa em 8 de
Dezembro.
Como nós, Escuteiros Católicos, celebramos o Natal este ano no meio deste Ano especial
da Misericórdia, convido-vos a todos, a mim também, a reflectir sobre que espécie de face
projectamos quando anunciamos a Boa –Nova pelo mundo através do programa
escutista.
O Papa Francisco tem muitas mensagens bonitas na sua bula. Um dos mais lindos
parágrafos (Misericordiae Vultus, Parágrafo 8), que acho especialmente apropriado para a
época de Natal diz “Com os olhos fixos em Jesus e no seu olhar misericordioso,
experimentamos o amor da Santíssima Trindade. A missão que Jesus recebeu do Pai foi
a de revelar o mistério do amor divino na sua plenitude. “Deus é amor” (1, João 4: 8, 16),
João afirma pela primeira e única vez em toda a Sagrada Escritura. Este amor foi agora
tornado visível e tangível na vida inteira de Jesus. A sua pessoa é só amor, amor dado
gratuitamente. As relações que forma com as pessoas que se aproximam dele
manifestam algo inteiramente único e irrepetível. Os sinais que ele opera, especialmente
em favor dos pecadores, dos pobres, dos marginalizados, dos doentes, e dos que sofrem,
têm todos o significado de ensinar a misericórdia. Tudo nele fala sobre misericórdia. Nada
nele é desprovido de compaixão.”
Nós somos herdeiros desta mensagem. Pelo Baptismo, e pela fé em Jesus e nos seus
discípulos, temos a missão de ir anunciar o “mistério do amor divino na sua plenitude.”
Como escuteiros católicos, de modo especial, estamos particularmente habilitados a
trazer a Boa Nova a um mundo que espera. Este mundo está à espera da vinda do
Messias. Este é um mundo que espera, como o prefácio da Festa do Cristo-Rei diz, “um
reino eterno e universal, um reino de verdade e de paz, um reino de santidade e graça,
um reino de justiça, de amor, e de paz.”
O nosso papel é trazer à luz a mensagem de Jesus, Nosso Senhor, que está dentro da
mensagem do movimento escutista mundial. Somos guardiões da mensagem de Deus.
Somos guardiões, e protectores, da Sua criação. Temos tanta coisa sobre a qual
podemos ser agradecidos.
Através do baptismo, a cada católico foi-lhe dada a graça de ser zelador de Deus, e
somos chamados a sê-lo da sua graça, especialmente da sua Misericórdia, através do
movimento escutista. Deus enche-nos da sua vida de modo a que tenhamos alegria em
servir os outros. Deus inunda-nos de bênçãos para que tenhamos dons a partilhar.
A Igreja convida-nos a aprofundar a relação com Jesus Cristo através da oração diária e
da frequência dos Sacramentos da reconciliação e da Santa Comunhão. Crescendo em
proximidade com Jesus, vimos a saber os caminhos pelos quais Ele quer que partilhemos
os dons que nos foram confiados.
Tudo o que temos nos foi dado ... o nosso tempo, o nosso trabalho, e o nosso lazer, os
nossos talentos e habilidades, a nossa família, os nossos amigos, e os nossos
companheiros escuteiros, e, para muitos de nós, os nossos recursos financeiros e
materiais. Quando com alegria devolvemos com gratidão os nossos dons a Deus,
realizamos que somos seus filhos e filhas, e que aprofundamos o nosso amor pelos
nossos irmãos e irmãs.
Ao celebrarmos este Ano extraordinário da Misericórdia, precisamos de nos lembrar que
somos os zeladores e mensageiros do Evangelho para todo o mundo.
Ao pensar na misericórdia de Deus este ano, especialmente durante este Natal,
possamos experimentá-lo intensamente. Quando sentimos a alegria do amor de Deus e a
misericórdia, sim, o “mistério do Seu amor divino”, sabemos que escolhemos a melhor
parte.
Quando vivemos as Obras Corporais da Misericórdia, quando damos de comer a quem
tem fome, damos de beber aos que têm sede, vestimos os nus, abrigamos os sem-abrigo,
visitamos os doentes, os que estão na prisão, ou enterramos os mortos, estamos a fazer
a nossa boa acção diária.
Quando fazemos tudo o que podemos para viver as Obras Espirituais da Misericórdia,
quando aconselhamos os que têm dúvidas, instruímos os ignorantes, admoestamos os
pecadores, confortamos os aflitos, perdoamos as injúrias, suportamos com paciência os
que estão errados, e rezamos pelos vivos e pelos mortos, contribuímos para que a
mensagem de Jesus seja levada aos outros, especialmente aos nossos companheiros
escuteiros.
Desejo que durante este Natal, neste ano especial da Misericórdia, todos os Escuteiros
Católicos façam tudo o que cada um de nós pode fazer para trazer à luz a mensagem de
Jesus.
Que sejamos bem sucedidos fazendo isto e assim possamos caminhar mais chegados a
Jesus, e experimentar a Sua Misericórdia neste ano tão especial.
Pe. Joseph A. Weber
CICS, Assistente Regional Inter-Americano

Documentos relacionados