Nome: Vitor Chaves Turma: S 13 Actividade: CID Pequena definição

Сomentários

Transcrição

Nome: Vitor Chaves Turma: S 13 Actividade: CID Pequena definição
Nome: Vitor Chaves
Turma: S 13
Actividade: CID
Pequena definição de ONG.
O que significa ONG:
Organizações não Governamentais.
Qual a função das ONG:
As ONG são associações sem fins lucrativos que afectam diversas áreas como por
exemplo o combate à pobreza, educação assistência social, meio ambiente, saúde,
entre outras.
As ONG guiam-se pelos princípios do respeito pelos direitos humanos e fomentam a
participação de sociedade civil na Cooperação e Desenvolvimento.
As áreas fundamentais das ONG de Desenvolvimento são: A Cooperação e a
Educação para o Desenvolvimento e a Ajuda humanitária de Emergência.
A ONG escolhida por mim para este trabalho é a “Médicos do Mundo”.
*Médicos do Mundo é uma Organização Não Governamental (ONG) de ajuda
humanitária e cooperação para o desenvolvimento, sem filiação partidária ou religiosa.
O trabalho de MdM assenta no direito fundamental de todos os seres humanos terem
acesso a cuidados de saúde independentemente da sua nacionalidade, religião ou
ideologia.
O acesso a cuidados primários de saúde é um direito fundamental de todos os seres
humanos, independentemente da sua nacionalidade, religião, ideologia, raça ou
possibilidades económicas.
O facto de esse direito fundamental não ser garantido a um enorme número de
pessoas, quer em Portugal quer no estrangeiro, justifica a acção de Médicos do
Mundo.
Como organização não governamental (ONG) de ajuda humanitária e cooperação
para o desenvolvimento, sem filiação partidária ou religiosa, a prestação de cuidados
globais de saúde é o pilar da acção de Médicos do Mundo. Não combatemos apenas a
doença; lutamos por fazer chegar aos mais desprotegidos um conceito alargado de
saúde, que inclui o bem-estar físico, psíquico e social, tal como foi definido pela
Organização Mundial de Saúde na conferência que decorreu em 1979 em Alma Ata.
Esta concepção alarga o campo de acção de Médicos do Mundo à denúncia das
injustiças sociais junto da opinião pública, para que o aumento da consciência social
de cada um seja a garantia da recusa das injustiças cometidas todos os dias um
pouco por todo o mundo.
Como afirma o nosso lema "Lutamos contra todas as doenças, até mesmo a injustiça"
Filosofia:
A filosofia de Médicos do Mundo resume-se na seguinte frase:
"Lutamos contra todas as doenças até mesmo a injustiça"
Médicos do Mundo é uma ONG, cuja missão é:



Prestar cuidados de saúde às populações mais vulneráveis, quer em situações
de emergência quer no combate à exclusão social, fora e dentro do país;
Estimular o empenho voluntário de médicos e de outros profissionais de saúde;
Garantir o apoio de outros profissionais qualificados, necessários para um bom
desempenho das nossas missões.
Os Objectivos de acordo com os estatutos são:
Médicos do Mundo, através da prestação de cuidados de saúde e com total
independência:
Mobilizar os seus parceiros para uma acção solidária dentro e fora da área da saúde;
Denunciar as violações de direitos humanos e, em particular, as barreiras ao acesso
aos cuidados de saúde através das suas actividades e dos seus testemunhos;
Desenvolver novas abordagens e novas práticas de saúde pública, baseadas no
respeito pela dignidade humana;
Comprometer-se a estabelecer relações totalmente transparentes com doadores e
patrocinadores.
História MdM:
A associação Médicos do Mundo nasce em 1980 na sequência da operação "Um
barco pelo Vietname", que levou assistência médica a um grupo de 2564 refugiados
vietnamitas que se encontravam à deriva no mar da China, sem que nenhum país
acedesse em acolhê-los.
Bernard Kouchner, um dos fundadores de Médicos Sem Fronteiras, defendia a ideia
de fretar um navio que levaria a bordo médicos e jornalistas para ajudar e testemunhar
as violações dos direitos humanos face à situação dos boat people vietnamitas.
Enfrentando a oposição de alguns, que consideravam a operação demasiado
mediática, Kouchner avançou com a missão, a qual depois é prolongada com a acção
desenvolvida a partir da "Ilha de Luz", um navio transformado em hospital que permite
até ao fim dos anos 80, salvar a vida a milhares de refugiados.
Na sequência desta divergência de opinião, Koouchner e outros fundadores de MSF
abandonam aquela associação, para fundar, no dia 1 de Fevereiro de 1980, em Paris,
uma nova organização de ajuda humanitária com vocação internacional:
Médicos do Mundo
O conceito de direito de ingerência, adoptada em 1987, serve de suporto às operações
na Arménia, Curdistão e Somália. A medicina humanitária transforma-se num combate
ético, contra os ataques à deontologia.Nesta linha, foi assinado em Cracóvia, em
Março de 1990, a Carta Europeia de Acção Humanitária onde se nega a exclusão, a
discriminação, a tortura e as manipulações genéticas e se reafirma o envolvimento da
medicina humanitária a favor do respeito dos equilíbrios ecológicos, da assistência a
todas as vítimas e do direito internacional humanitário.
No decurso dos anos 90, a emergência de novos conflitos que tocam principalmente a
população civil (Ruanda, Serra Leoa, Chechénia, ex-Juguslávia) conduzem MdM a
reafirmar o direito à protecção da população civil em caso de guerra.
A associação milita a favor da criação do Tribunal Penal Internacional, que permite
julgar pessoas responsáveis de genocídio, crime contra a humanidade e violações do
direito internacional humanitário.
E em Portugal?
Médicos do Mundo foi fundado em 1999 por um grupo de médicos. A sede funciona
em Lisboa, com representações também em Lisboa, no Porto e em Évora.
Actualmente conta com cerca de 37.000 doadores, cerca de 200 voluntários activos e
280 sócios, apoiados por uma equipa operativa.
* Esta informação foi retirada do site: www.medicosdomundo.pt
Reflexão
A razão da minha escolha em relação a esta ONG prende-se com o facto de a mesma
dentro dos seus objectivos tentar levar os cuidados de saúde a quem deles necessita
assim como alertar para a falta dos mesmos, pois tenho a plena consciência que hoje
em dia estes cuidados não chegam à maioria da população mundial.
O verdadeiro estado lastimoso em que certas populações ficam durante e após
situações de guerra e outros actos de vandalismo, são muitas vezes encobertos por
certos governantes que não prestam os cuidados que deveriam prestar às suas
populações.
Esta falta de ética praticada por estes prende-se muitas vezes quer por interesses
próprios quer por incompetência e outras vezes, é bem verdade, por falta de meios.
Desta forma a organização MDM ao conseguir chegar a certos locais, que se não
fosse de uma forma desinteressada em prestar auxilio não chegaria, tem a
possibilidade de denunciar situações que se prendem com a falta de condições de
saúde de certas populações.
Há a ter em conta que muitas das vezes estas situações não se prendem só com a
falta de cuidados de saúde mas também maus tratos, descriminação e falta de
qualidade de vida.
É por estas razões, que a organização MDM tenta mobilizar os seus parceiros, para
que de certa forma se tome conhecimento de que há algo errado.
Não quero deixar de salientar que esta organização não leva só a ajuda a países
carenciados, mas também a países que não prestam os cuidados anteriormente
referidos às suas populações, e infelizmente nestes está o nosso país, pois o acesso
aos cuidados básicos de saúde ainda não é garantido a toda a população.
Dentro desta sociedade individualista, consumista as ONG surgem como entidades de
solidariedade e sensibilização da população para uma intervenção que visa o bem de
todos, a justiça e o respeito pelo próximo, valores estes que se foram
perdendo/esquecendo ao longo dos tempos.