Obras do Hotel Intercontinental arrancam este mês

Сomentários

Transcrição

Obras do Hotel Intercontinental arrancam este mês
Obras do Hotel Intercontinental arrancam este mês
As obras de construção do Hotel Intercontinental, no edifício do Palácio das Cardosas, no
Porto, devem arrancar ainda este mês e ficar concluídas até Dezembro, adiando a abertura do
espaço para o primeiro semestre de 2011.
Os novos prazos para o primeiro hotel que aquela cadeia internacional vai abrir em Portugal
foram hoje adiantados à Lusa por Miguel Félix da Costa, presidente da Solitaire, uma das
empresas responsável pelo investimento.
«Estamos na fase final do concurso para começar a fase 2 da obra, que deve arrancar ainda em
Janeiro. Prevemos que as obras fiquem concluídas até Dezembro de 2010. Depois falta o
licenciamento. Esperamos ter o hotel operacional em meados de 2011», adiantou o
responsável, referindo que, até agora, decorreram obras de «demolição e estabilização».
Foi a candidatura do projecto ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), que não
estava inicialmente prevista, o que provocou atrasos no processo.
«Por força da candidatura tivemos de trabalhar com concursos públicos. O processo atrasou
mas temos um plano de recuperação», observa Félix da Costa, confiante de que o regime de
pré-abertura do hotel de cinco estrelas possa acontecer no início de 2011.
O presidente da Solitaire refere que, «no início, o projecto não reunia as condições para uma
candidatura ao QREN», mas as vantagens do financiamento levaram a transformar o projecto
«de forma a ser candidatável», explicou Félix da Costa.
Esta adaptação para a candidatura não correspondeu a alterações no projecto de arquitectura,
mas a mudanças na engenharia financeira: foi preciso mudar a «relação de capitais próprios e
capitais alheios», através da «injecção de capital», e alterar «determinados rácios de
rentabilidade».
Sem querer revelar os valores do financiamento do QREN, aprovado no último trimestre de
2009, Miguel Félix da Costa adianta, apenas, que «numa zona como o Porto, um investimento
deste tipo, para este sector, ronda entre 60 e 65 por cento do projecto».
O hotel terá 105 quartos, dos quais 16 serão suites, num projecto que, diz o presidente da
Solitaire, «vai pôr Portugal no mapa da maior cadeia de hotelaria do mundo».
«Vai marcar toda a região Norte e dinamizar o Porto Património Mundial».
O custo total do investimento (que inclui a obra mas também todo o equipamento do hotel)
«deverá rondar», de acordo com Félix da Costa, «os 29 milhões de euros»,
O Intercontinental ficará situado num dos quarteirões piloto identificados pela Porto Vivo Sociedade de Reabilitação Urbana do Porto.