Em teste Papas para bebé

Сomentários

Transcrição

Em teste Papas para bebé
Em teste
Papas para bebé
As farinhas infantis são boas e recomendam-se. Mas as
biológicas pecam nas instruções de preparação e na gordura
COMO
TESTÁMOS
20 PAPAS
Testámos 8 marcas,
com e sem glúten,
lácteas e não lácteas
e instantâneas e
prontas-a-comer.
Avaliámos os produtos
prontos a consumir
ou reconstituídos
seguindo as instruções
do fabricante, segundo
a lei.
Hora da verdade
no laboratório:
farinhas biológicas mais
caras e de pior qualidade
xperimentar novas texturas e diversificar a alimentação com farinhas a partir
dos 4 meses é seguro: as 8 marcas com
e sem glúten que analisámos são, na
maioria, equilibradas ao nível da composição nutricional, e não apresentam problemas de
higiene e conservação.
As papas devem ser introduzidas de forma progressiva, para que o bebé se familiarize e o seu aparelho
digestivo as assimile correctamente. Cabe ao pediatra
assinalar o momento mais adequado para iniciar novos alimentos, como as farinhas. Com estas, começa
a desenvolver-se a mastigação, fenómeno novo nesta
etapa da vida do bebé. As necessidades nutricionais
vão mudando à medida que as crianças crescem.
Durante o primeiro ano, face ao peso à nascença, o
E
www.deco.proteste.pt
bebé triplica o seu peso. À medida que cresce, desenvolve processos de maturação neurológica e motriz
que, associadas ao desenvolvimento do próprio tubo
digestivo, aparelho urinário e sistema imunitário,
permitem adaptar-se a uma alimentação diferente do
leite materno. A partir do 3.º mês, o bebé é capaz de
aguentar a cabeça e, ao 4.º mês, o reflexo de expulsar
os alimentos da boca desaparece.
Estes dois aspectos ajudam ao começo da introdução
de outros alimentos, em complemento do leite. Deve
introduzir-se um alimento de cada vez e pouco a
pouco: só assim se detectam possíveis alergias.
Biológica, mas com gordura a mais
Mel, sacarose, frutose ou glucose, ou xarope: sempre
que havia adição destes açúcares, contabilizámo-los.
HIGIENE E
CONSERVAÇÃO
Contámos
microrganismos a
30ºC, bolores e
leveduras,
Enterobacteriaceae¸
Enterobacter
sakazakii, Salmonella
e Listeria
monocytogenes.
RÓTULOS
Verificámos a
denominação de
venda e o modo de
preparar, entre outros.
Verificámos o
equilíbrio nutricional
destas refeições
Março 2010 • 311 Proteste 17
Em teste
Farinhas para bebé A nossa selecção
100
95
100
99
CERELAC
CEREAIS LÁCTEOS
NUTRIBEN
FRUTAS
NUTRIBEN
8 CEREAIS E MEL
CERELAC
FARINHA LÁCTEA
Composição nutricional e
microbiologia irrepreensíveis.
Entre € 1,48 e € 1,75
Por dose € 0,80
Único senão: um pouco de
açúcares adicionados a mais
Entre € 2,05 e € 3,45
Por dose € 0,24
Muito boa na composição
e na higiene e conservação
Entre € 2,19 e € 2,85
Por dose € 0,73
Muito boa qualidade. Falta
“instântanea” no rótulo.
Entre € 2,75 e € 3,59
Por dose € 0,31
Proteína
Açúcares adicionados
Gordura
Sódio
Cálcio
Glúten
Higiene e conservação
Nitratos
Rotulagem
QUALIDADE GLOBAL (%)
RESULTADOS
Pronta-a-comer
2x250
Instantânea
0,80
Láctea
1,48 - 1,75
Com glúten
Peso líquido (ml)
CARACTERÍSTICAS
Dose
Refeições
saudáveis em
www.deco.
proteste.pt
o
/alimentaca
criancas
PREÇO (€)
Embalagem
FARINHAS PARA BEBÉ
V
A
A
A
A
A
A
A
A
A
100
A PARTIR DOS 4 MESES
CERELAC Cereais Lácteos
V
V
n.a.
n.a.
A
A
n.a.
A
A
A
A
99
V
A
n.a.
A
A
A
A
A
A
A
99
CERELAC Papa de Início
2,11 - 2,80
0,72
250
CERELAC Multifrutos
2,65 - 3,29
0,57
250
MILUPA Primeira papa
1,62 - 2,69
0,74
250
BLÉDINA Baunilha
1,28 - 1,65
0,73
2x250
V
NUTRIBEN Frutas
2,05 - 3,45
0,24
300
V
V
MILUPA Pêras
2,45 - 3,20
0,50
250
V
NUTRIBEN Primeira papa
1,85 - 2,65
0,51
300
4,65
1,11
250
NUTRIBEN 8 cereais e mel
2,19 - 2,85
0,73
300
MILUPA 8 cereais com mel
1,93 - 2,69
0,71
250
CERELAC Farinha láctea
2,75 - 3,59
0,31
500
V
V
BLÉDINA Bolacha
1,28 - 1,65
0,73
2x250
V
V
1,35
0,68
2x250
V
V
HOLLE Ecológica creme de arroz
V
V
n.a.
A
A
A
n.a.
A
A
A
B
99
A
A
A
A
C
A
A
A
A
95
A
B
A
A
A
A
A
A
A
95
V
A
A
A
A
C
A
A
A
A
94
V
n.a.
A
C
A
n.a.
A
A
A
A
93
V
n.a.
n.a.
C
A
n.a.
A
A
A
E
83
V
V
n.a.
A
A
A
n.a.
A
A
A
100
V
V
n.a.
A
A
A
n.a.
A
A
A
99
V
A
A
A
A
A
A
A
B
99
V
A
A
A
A
C
A
A
A
95
V
A
B
A
A
A
A
A
A
95
V
A PARTIR DOS 6 MESES
CONTINENTE Multicereais
n.a.
1,89
0,95
2x250
V
V
V
A
A
A
C
A
A
A
A
94
CERELAC Bolacha
1,39 - 1,88
0,81
2x250
V
V
V
A
B
A
A
A
A
A
A
94
NUTRIBEN 8 cereais e mel L.A.
2,20 - 3,45
0,42
300
V
V
V
A
B
A
A
A
A
A
A
94
MILUPA Bolacha Maria
2,10 - 2,80
0,54
250
V
V
V
A
A
A
A
C
A
A
B
94
CERELAC 8 cereais e mel
1,44 - 1,79
0,54
300
V
V
n.a.
B
A
A
n.a.
A
A
B
91
4,99
1,15
220
V
n.a.
n.a.
E
A
n.a.
A
C
B
30
GALACTINA Boa Noite Mullticereais
BABYBIO Baunilha quinoa biológicos
18 Proteste 311 • Março 2010
A
www.deco.proteste.pt
A presença na alimentação das crianças pode desenvolver o gosto pelos alimentos doces, que mais tarde
facilitam o aparecimento de cáries dentárias.
O enriquecimento em açúcares aumenta o valor calórico das farinhas e pode favorecer a obesidade.
Cinco marcas de farinhas lácteas obtiveram bom ao
nível dos açúcares adicionados: Nutribén Frutas, a
partir dos 4 meses, Continente multicereais, Cerelac
Bolacha e Nutribén 8 cereais e mel, todas a partir dos
6 meses. Apesar dos valores um pouco mais elevados,
estavam abaixo do valor definido na lei.
Os cereais são pobres em matéria gorda. Por isso, também as farinhas deles provenientes devem ter teores
baixos deste nutriente. Com a excepção de uma farinha não láctea biológica, Babybio, a partir dos 6
meses, todos os produtos são pobres em gordura.
A Nutriben Primeira papa e Holle, papa de creme de
arroz, poderiam ter menos gordura.
O leite contém quantidades suficientes de sódio. Não
há razão para habituar as crianças ao gosto salgado.
À excepção da Galactina, farinha líquida, com médio,
todos os produtos continham doses baixas de sódio.
Nas farinhas lácteas, e dado incorporarem leite, o cálcio deve estar presente em quantidades mínimas.
Além disso, as papas podem substituir o leite durante o período de desmame.
Quatro marcas não passaram do médio pelos valores
próximos do mínimo exigido.
Nenhuma farinha denominada «sem glutén» continha
esta proteína.
Apenas a farinha biológica Babybio apresentava um
teor mais elevado em nitratos, mas abaixo do limite
legal. Não encontrámos resíduos de pesticidas, nem
aflatoxinas, toxinas produzidas por fungos.
QUADRO COMO USAR
Preço em Dezembro de
2009.
Açúcares adicionados
Pesquisados nas farinhas
com adição de mel, sacarose, frutose, glucose ou
seu xarope.
Proteínas e cálcio Aplicável nas farinhas lácteas,
preparadas com água.
Nitratos Contaminante
naturalmente presente
nos cereais. Devido ao
baixo peso corporal, a dose
diária aceitável é mais rapidamente atingida em
bébes e crianças.
Melhor
do Teste
Escolha
Acertada
Escolha
Económica
Boa qualidade
Muito bom
Bom
Médio
Medíocre
Mau
Não comprar
www.deco.proteste.pt
REFEIÇÕES NOS PRIMEIROS 12 MESES
O crescimento faz-se por etapas e, em cada uma, há alimentos e doses
a respeitar. No primeiro ano, pode adoptar regras simples.
até 4
meses
4a5
meses
5a6
meses
6a9
meses
9 a 12
meses
a
n.º
refeições
diárias
Alimentação
ao peito
ou biberão
Papa
Sopa de
legumes
+
ou
Papa
Sopa de
legumes
+
+
Papa
e
Sopa de legumes
com carne
+
+
Papa
iogurte
natural
ou
Fruta
e
a
+
Fruta
+
Sopa de legumes
com carne
ou peixe
Fruta
e
DICAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO PROGRESSIVA
Com 1 ano, a criança pode ingerir quase todos os alimentos, mas evite
comidas condimentadas, gordas e doces. Aconselhe-se com o pediatra.
Comece a alimentação sólida com purés
ou papas de fruta, como maçã ou
banana. Citrinos, devido à acidez, e morangos,
só a partir dos 9 meses. O melão e a melancia,
mais difíceis de digerir, devem surgir mais
tarde. Pelo risco de alergia, introduza frutas
exóticas como o quivi e o ananás, após 1 ano.
A manga e a papaia são excepções.
1
A primeira papa deve ser sem glutén, de
arroz e milho, e incluiu-se aos 4 meses.
Dê pequenas porções e vá aumentando a
quantidade. Aos 6 meses, introduza o trigo,
cereal com glúten. Se houver antecedentes
familiares de doença celíaca, espere alguns
meses. Introduzido o trigo, já pode incluir o
pão branco sem fibra e massas.
2
A partir do 5.º mês, dê verduras,
hortaliças e legumes em papas ou
caldos. Batata ou cenoura são a base.
Acrescente feijão verde, abóbora, alface, etc.
3
Aos 5 meses, inicie as sopas
à base de batata, cenoura
e legumes
PREÇO
Não sócios € 13,28
Sócios € 10,62
Março 2010 • 311 Proteste 19
Em teste
RÓTULO COM INSTRUÇÕES DE PREPARAÇÃO DUVIDOSAS
Farinhas
biológicas
mais caras
e de qualidade
inferior
Todas as marcas apresentam o
modo de preparação. Mas
algumas sugestões da farinha
instantânea Holle, a partir dos
4 meses, podem induzir em
erro. Em alternativa ao leite
Bio-Lac2 (da Holle), indica 100
ml de água a juntar à mesma
quantidade de leite gordo, que
leva a pensar que se pode dar
leite de vaca, algo totalmente
desaconselhado em bebés
menores de 1 ano.
Não menos errado é adicionar
2 a 3 colheres de chá de açúcar
mascavado, ou adicionar óleo
vegetal para compensar as
menores quantidades de
ácidos gordos essenciais e
vitaminas lipossolúveis que o
leite de vaca contém face ao
materno.
É desejável que os rótulos
apresentem uma tabela de
medidas segundo a idade do
bebé. Algumas marcas já o
fazem, mas a maioria indica
uma quantidade única.
Esta informação, além de útil
para os pais, evita sobras ou a
sobrealimentação. Todas as
marcas distinguiam entre
lácteas ou não lácteas, excepto
a BABYBIO para 6 meses, onde
se lê “Cereais infantis
biológicos com baunilha e
quinoa a partir dos 6 meses”.
ECONOMIA
€ 0,77
por dose, em média,
de papa pronta
€ 0,44
por dose, em média, de
farinha instântanea
€ 0,33
poupança por dose se
optar por farinhas
lácteas por preparar
Marca Holle recomenda leite na preparação,
algo perigoso para bebés de 4 meses
INTOLERÂNCIA AO GLÚTEN
Alguns cereais, como o trigo, cevada,
centeio e aveia, contêm glúten, proteína
responsável pela intolerância alimentar
conhecida por doença celíaca.
A introdução precoce do glúten parece
aumentar o risco de esta intolerância
surgir, já que o organismo do bebé ainda
não consegue assimilá-lo. Daí que seja
habitual começar pelas farinhas à base
de cereais sem glúten, como o milho e o
arroz. Emagrecimento, vómitos e
diarreias crónicas são alguns dos
sintomas desta doença e podem surgir
poucas semanas depois da introdução
de alimentos com glúten, como papas e
bolachas. Por isso, não se recomendam Até aos 4 meses, não é
farinhas com glúten antes dos 6 meses. aconselhável dar farinhas
Siga as indicações do pediatra.
com glutén
20 Proteste 311 • Março 2010
Mais útil do que dicas de preparação para
uma dose única é a tabela de medidas
de acordo com a idade
Instântaneas mais baratas
Por dose, pode poupar € 0,50 se optar pela Nutribén,
nossa Escolha Acertada nas farinhas a partir dos 4
meses, em vez da Blédina, ambas com a mesma qualidade. A diferença é ter de preparar a primeira.
As farinhas lácteas para preparar com água são uma
solução mais económica face às farinhas não lácteas.
Já os cereais líquidos prontos a comer, quando comparados com as farinhas por preparar, tornam-se mais
caros. Por exemplo, se escolher uma papa já feita o
preço médio é de € 0,77 por dose, enquanto as farinhas ainda por misturar podem custar apenas
€ 0,44 por dose.
As farinhas biológicas são mais caras. Por quilo, a
marca Holle, não láctea, a partir dos 4 meses, é duas
vezes mais cara que as restantes farinhas analisadas
no mesmo segmento. A partir dos 6 meses, nas papas
não lácteas, a diferença por quilo da biológica Babybio
é também significativa face às restantes. O preço por
quilo é o triplo quando comparado com um produto
não biológico. ¬
www.deco.proteste.pt

Documentos relacionados