os recifes arenosos de sabellaria wilsoni (polychaeta: sabellariidae)

Сomentários

Transcrição

os recifes arenosos de sabellaria wilsoni (polychaeta: sabellariidae)
ISSN 2176-1213 - Semin. de IC. da UFPA, Belém, v. 22, n.1, 2011
OS RECIFES ARENOSOS DE SABELLARIA WILSONI (POLYCHAETA: SABELLARIIDAE) COMO
HABITAT VITAIS PARA A FAUNA MACROBENTÔNICA DE PRAIAS ARENOSAS DA ILHA DE
MAIANDEUA/ALGODOAL (PA)
Bruno de Jesus Barros Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) - Curso de Oceanografia, Laboratório de
Oceanografia Biológica, Instituto de Geociências – e-mail: [email protected]
José Souto Rosa Filho (Orientador) - Curso de Oceanografia, Laboratório de oceanografia Biológica,
Instituto de Geociências – e-mail: [email protected]
O presente trabalho teve como objetivo descrever a importância dos recifes de Sabellaria wilsoni para as
populações dos Bivalvia Prothotaca pectorina e Cyrtopleura costata e do Crustacea Alpheus armillatus na
ilha de Maiandeua/Algodoal (PA). As amostragens ocorreram mensalmente, de maio a dezembro de
2008. Por mês foram coletadas 16 amostras de recife utilizando-se um amostrador cilíndrico (5 cm de
diâmetro e 40 cm de comprimento). Para cada amostra foi medido o volume, utilizando o método de
deslocamento da coluna d’água em uma proveta de 2l. As amostras foram fixada em formalina salina a
5% tamponada com bórax. Em laboratório os bivalves tiveram o comprimento e altura da concha
medidos. Os crustáceos foram sexados e posteriormente tiveram o comprimento da carapaça (CC)
determinado, sendo ainda registrado o número de fêmeas ovígeras e o estágio de maturação dos ovos.
Foram analisados 396 Prothotaca, 713 Cyrtopleura e 71 Alpheus. Os tamanhos dos bivalves (Prothotaca:
altura - máximo 23,3 mm e mínimo 0,55 mm e largura - máximo 26,2 mm e mínimo – 0,6 mm;
Cyrtopleura: altura - máximo 9,05 mm e mínimo 0,2 mm e largura - máximo 22,3 mm e mínimo – 0,4 mm)
estavam abaixo do comprimento máximo alcançado pelas espécies, revelando a dominância de juvenis
ou adultos jovens. Foram registrados indivíduos adultos e juvenis de Alpheus,com comprimento máximo
de 10,8 mm e mínimo de 1,55 mm. A maioria (70%) dos crustáceos foi fêmea, das quais 43 eram
ovígeras com ovos imaturos e maduros. Pode-se concluir que os recifes são de grande importância para
a manutenção das espécies estudadas, dado que Prothotaca pectorina e Cyrtopleura costata utilizam-nos
nas fases iniciais do ciclo de vida e Alpheus armilatus permanece no hábitat por toda a vida, inclusive
durante o período reprodutivo.
Palavras-chave: Fauna Associada, Recifes Arenosos, Costa Norte do Brasil
Titulo do projeto do orientador: Influência das variações ambientais na estruturação de comunidades
biológicas costeiras amazônicas: exemplo comunidade macrobentônica associada a recifes arenosos de
Sabellaria wilsoni (POLYCHAETA: SABELLARIDAE)
Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento no CNPq.
Grande-área: Ciências Exatas e da Terra
Área: Ocenaografia
Subárea: Oceanografia Biológica

Documentos relacionados

Estoque de peixes em rota de esgotamento no Brasil

Estoque de peixes em rota de esgotamento no Brasil entre os diversos assuntos apresentados nesta edição, merece destaque a comemoração dos 60 anos da fundação do Instituto Oceanográfico. A Instituição, criada por Decreto-lei em 31 de dezembro de 19...

Leia mais