6 - Anatel

Сomentários

Transcrição

6 - Anatel
São Paulo, 16 de Janeiro de 2000.
Sr. José Leite Pereira Filho
Conselheiro
ANATEL
SAS Quadra 6 – Bloco H – 3o. andar
70313-900 Brasília - DF
Prezado Sr. Leite,
Gostaríamos de expressar a satisfação de ter a oportunidade mostrar o nosso ponto de vista durante a consulta
pública sobre a alocação de espectro para os serviços móveis PCS.
Endossamos os planos de alocação da ANATEL para o PCS no sentido de aumentar a competição e criar um
mercado mais robusto para as tecnologias sem fio. Alocando o espectro adicional criará a oportunidade de expandir os
serviços sem fio, introduzir novos serviços e aumentar a competição o que provocará queda nos preços dos serviços. Para
apoiar a decisão de qual banda de espectro alocar, submetemos a sua atenção as seguintes considerações:
1.
A alocação do espectro dentro da banda 1850 – 1910/1930 – 1990 MHz maximiza a competição e está em linha com
as recomendações e princípios estabelecidos pelo CITEL.
2.
A maior parte dos consumidores brasileiros valoriza primeiramente o roaming nacional, depois o roaming regional e
por último o roaming global.
3.
Alocando o espectro de forma neutra tecnologicamente permitirá que o próprio mercado determine a tecnologia de
acesso mais adequada.
4.
O conceito de família de sistemas da UIT proverá um modelo para assegurar a interoperabilidade entre as redes de
diferentes planos de espectro e padrões.
5.
Os operadores querem estar assegurados de que terão a melhor oportunidade de competir no mercado com a
flexibilidade de escolha de tecnologias compatíveis com os sistemas existentes.
6.
Os operadores vão querer estabelecer acordos de roaming com os provedores de serviço analógico e digital com
protocolo IS-41 para prestar um serviço mais competitivo e robusto, bem como estabelecer a oportunidade de futuras
alianças comerciais domésticas e regionais.
7.
Alocando espectro compatível com a indústria de terminais e infraestrutura existente localmente, permitirá uma
implantação mais rápida, com maior economia de escala, produtos mais acessíveis economicamente e favoráveis a
oportunidades de exportação.
8.
Os operadores vão querer estar seguros de que a alocação do espectro suportará mais cedo, uma grande variedade de
serviços inovadores e competitivos ( i.e. dados em alta taxa, telemática, posicionamento global, vídeo, etc.).
9.
Os operadores vão querer estar seguros de que a alocação do espectro suportará maior seleção de dispositivos sem fio
disponíveis comercialmente (terminais, pagers, PDAs, etc.).
10. Os operadores vão preferir ter uma migração dos serviços 2G para os serviços de 3G, econômica, compatível com a
planta existente e com economia substancial de infraestrutura para o Brasil.
Baseado nas considerações acima, esta é a recomendação dos signatários para que a ANATEL considere a alocação do
espectro na banda do PCS em 1870 – 1910 e 1950 – 1990 MHz. Esta recomendação é feita considerando as necessidades
em direção às alocações do IMT-2000. É nosso ponto de vista que os serviços IMT-2000 serão implantados e oferecidos
nas bandas de celular e PCS, bem como nas bandas estendidas que serão designadas.
Estamos procurando trabalhar junto com a ANATEL neste momento fundamental para o desenvolvimento das
comunicações sem fio para o progresso para o Brasil.
Sinceramente,
Brian O’Shaughnessy, P.Eng.
Vice President, Technology Development
Bell Mobility
2920 Matheson Blvd E.
Mississauga, Ontario
Canada
L4W 5J4
cc: Renato Navarro Guerreiro
Antonio Carlos Valente
Luis Francisco Tenorio Perrone
Luis Tito Cerasoli

Documentos relacionados