curriculum vitae - Centro de Estudos Comparatistas

Сomentários

Transcrição

curriculum vitae - Centro de Estudos Comparatistas
!
!
!
!
CURRICULUM VITAE !
!
Manuela Ribeiro Sanches
!
!
!
!
Novembro 2013
!
Curriculum vitae!
CURRICULUM VITAE
0. DADOS PESSOAIS
Nome completo
MARIA MANUELA MARTINS RIBEIRO SANCHES
Naturalidade:
Lisboa
Endereço profissional
Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
Alameda da Universidade
P-1699 LISBOA CODEX
Telefone:
+351 21 792 00 00
Fax:
+351 21 790 00 63
e-mail:
[email protected]
URL:
http://www.fl.ul.pt/centros_invst/comparat/dislocating.htm
!
I - DESEMPENHO
CIENTÍFICO
1. FORMAÇÃO ACADÉMICA - GRAUS ACADÉMICOS, DIPLOMAS E OUTROS TÍTULOS
1968/74 Licenciatura em Filologia Germânica Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. ClassiAicação: 14 (catorze valores). Em 1974, apresentou tese de licenciatura. Dado que esta fora abolida para obtenção do grau, a mesma mereceu a seguinte classiAicação qualitativa: “Trabalho de envergadura cientíAica pelo confronto rigoroso da análise dos escritos de tipo jornalístico de Heine com o método escolhido. Apresentou-­‐se com muito interesse e coerência, tendo-­‐lhe até sido reconhecido o mérito de uma publicação.”
1982
Provas de aptidão pedagógica e cientíAica. Tema da lição: “A ética protestante e o espírito do capitalismo de Max Weber.” Tema do trabalho de síntese: Dialéctica e poder. A família na Filoso6ia do Direito de G. W. Fr. Hegel. Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Aprovada com Muito Bom.
2
Manuela Ribeiro Sanches
1993
Doutoramento em Estudos Alemães (Cultura Alemã). Tema: “Sonhos de um mundo melhor.” Georg Forster: a descoberta da alteridade e a invenção da alternativa. Aprovada com distinção e louvor por unanimidade. Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
2006
Agregação (3º Grupo-­‐ Estudos Germanísticos). Aprovada por unanimidade. Universidade de Lisboa.
2. ACTIVIDADE DE INVESTIGAÇÃO
2.1. Publicações científicas
2.1.1. Artigos inseridos em publicações cientiAicas periódicas
2011
“African Screens (Re)Viewed from Lisbon.” Nka. Journal of Contemporary African Art. 27. Fall 2010: 54-­‐61.
2010
“Archeologies of the Postcolony. Ângela Ferreira’s and Manthia Diawara’s Maisons Tropicales.” P: PORTUGUESE CULTURAL STUDIES. 3. Spring: 82-­‐111.
2008
“Performance, performatividade e identidade.” Marte. 3: De que falamos quando falamos de Performance. FBAUL: 88-­‐97.
2007
“Tavajoca Evropska Identiteta: Narod, Etnija in Kultura v postkolonialni Portugalski.” In: Teorija in Praksa. 43. 3-­‐4: 586-­‐598.
2005
“Edward W. Said (1935-­‐2003), Contraponto e Dissonância.” In: Etnográ6ica. Revista do Centro de Estudos de Antropologia Social. IX. 2: 391-­‐399.
2000
Entrevista a James Clifford, “The Art of Tacking. An Interview-­‐Dialogue.” In: Etnográ6ica. Revista do Centro de Estudos de Antropologia Social. IV. 2: 371-­‐388.
2000
“Cães canibais, homens simiescos, harmonia da criação. Representações da alteridade na Antropologia da Alemanha no século XVIII.” In: Philosophica. 15: 17-­‐32. 1999
“Nas margens. Os Estudos Culturais e o assalto às fronteiras académicas e disciplinares.” In: Etnográ6ica. Revista do Centro de Estudos de Antropologia Social III.1: 193-­‐210. 1996
“Die Wissenschaft vom Menschen im Deutschland des 18. Jahrhunderts. Über die Grenzen von blinder Empirie und leerer Systematik.” In: Runa. Revista de Estudos Germanísticos. 25: 437-­‐445. 1994
“Hölderlin e a ‘estrada do exílio’. Acerca das interpretações de Lukács e de Benjamin.” In: Runa: Revista Portuguesa de Estudos Germanísticos. 22. 2: 161-­‐185. 1993
“O princípio da História. Konrad Engelbert Oelsner na capital da Revolução.”
In: Runa. Revista Portuguesa de Estudos Germanísticos. 20. 2: 67-­‐80. 3
Curriculum vitae!
1990
“Franz Hessel ou a provocação da insolência.” In: Runa. Revista Portuguesa de Estudos Germanísticos. 13-­‐14: 405-­‐415. 1989
“Georg Forster circum-­‐navegador e jacobino. Do direito ao prazer à virtude republicana.” In: Runa. Revista Portuguesa de Estudos Germanísticos 11-­‐12: 83-­‐96.
2.1.2. Artigos inseridos obras colectivas 2013
“Misturar alhos com bugalhos: ensaísmo, representação e cultura.” In: Leituras pós-­‐coloniais de Gilberto Freyre. org. de Cláudia Castelo e Marcos Cardão. São Paulo: Edusp (no prelo). “Lisboa, capital do império. Trânsitos, AAiliações, Trans/Nacionalismos.” In: Cidades Coloniais. org. de Elsa Peralta e Nuno Domingos. Lisboa: ed. 70 (no prelo).
2013
“TráAico de Teorias. Subalternidade, estado nação e heterogeneidades.” In: Nação e Narrativa Pós-­‐Colonial I. Angola e Moçambique – Ensaios. org. Ana Mafalda Leite. Lisboa: Colibri.
2012
“Teorias itinerantes antes do pós-­‐colonial. Lugares, tempos, aAiliações.” In: Itinerâncias. Percursos e Representações da Pós-­‐Colonialidade. org. Elena Brugioni et al. Famalicão: Húmus, pp. 19-­‐37.
2012
“De/Territorialised Portugueseness: ReAlections on the Nation from a Postcolonial Perspective.” In: Contexts, Literary Criticism and Reception of Lusophone African Literatures. ed. João Cosme. Bristol: Department of Hispanic, Portuguese and Latin American Studies, pp. 59-­‐82. 2011
“Verdades arredondadas. Cultura, harmonia, separação em Aventura e rotina de Gilberto Freyre.” In: Várias Viagens. Estudos oferecidos a Alfred Opitz. org. Fernando Clara, Mário Matos, Manuela Ribeiro Sanches. Lisboa: Húmus, pp. 303-­‐329
2009
“Literaturas Pós-­‐Coloniais. Marginalização e/ou Subalternidade?.” Censura e interdito. org. Ana Gabriela Macedo and Maria Eduarda Keating. Braga: Centro de Estudos Humanísticos, Universidade do Minho, pp. 347-­‐356.
2009
“Vulnerability, Spaces and the Building of Frontiers.” In: Can there Be Life without the Other? ed. António Pinto Ribeiro. Manchester: Carcanet Press, pp. 96-­‐116. 2009
“Vulnerabilidade, Espaços e a Construção de Fronteiras.” In: Podemos viver sem o Outro? org. António Pinto Ribeiro. Lisboa: Tinta da China, pp. 155-­‐176. 2007
“Reading the Postcolonial: History, Anthropology, Literature and Art in a 'Lusophone' Context.” In: Postcolonial Theory and Lusophone Literatures. ed. Paulo de Medeiros. Utrecht: Portuguese Studies Center -­‐ Opleiding Portugese Taal en Cultuur Faculteit Geesteswetenschappen -­‐ Universiteit Utrecht, pp. 129-­‐143.
4
Manuela Ribeiro Sanches
2006
“Tempos e Cores da Humanidade. Os Arquipélagos de Cabo Verde e dos Açores em Viagem à Volta do Mundo de Georg Forster.” In: Portugal-­‐
Alemanha: Memórias e Imaginários. Da Idade Média à Actualidade. org. Maria Manuela Gouveia Delille. Coimbra: Minerva, pp. 233-­‐256. 2006
“Where is the Postcolonial: Inbetween-­‐ness, ‘Lusophonia’, and Identity in Trans/national Contexts.” In New Hybridities. Societies and Cultures in Transition. ed. Alfonso de Toro & Frank Heidemann. Leipzig: Olms, pp. 115-­‐145. 2005
“Von der Südsee nach Ozeanien oder Forster am Anfang des 21. Jahrhunderts lesen.” In: Georg Forster Studien X. Hrsg. von Horst Dippel, Helmut Scheuer, pp. 157-­‐185.
2005
“Por mares antes navegados. Histórias de viagens em V. S. Naipaul, José
Eduardo Agualusa e Thomas Meinecke.” In: Literatura e Migração. org. Teresa Seruya e Gerd Hammer. Lisboa: Colibri, pp. 93-­‐117. 2003
“Dunkelheit und AuAklärung; Rasse und Kultur. Erfahrung und Macht in Forsters Auseinandersetzungen mit Kant und Meiners. In: Georg Forster-­‐
Studien VIII. hrsg. von Horst Dippel, Helmut Scheuer, pp. 53-­‐82.
2001
“A génese do Romantismo e a herança das Luzes: Os ensaios de Friedrich Schlegel sobre Lessing e Forster (1797)” In: A Génese do Idealismo Alemão. org. Manuel José do Carmo Ferreira. Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 339-­‐350. 2001
“Da certeza de si à reAlexividade etnográAica. Os relatos de La Pérouse e Chamisso sobre a Califórnia.” In: Narrativas da Modernidade: a Construção do Outro. org. Helena Carvalhão Buescu e João Ferreira Duarte. Lisboa: Colibri, pp. 77-­‐101. 2001
“McDonaldisierung der Germanistik. ‚Deutsche Kultur’ im Spannungsfeld zwischen Globalem und Lokalem.” In: Erfahrung und Form. Zur kulturwissenschaftlichen Perspektivierung eines transdisziplinären Problemkomplexes. hrsg. von Alfred Opitz. Trier: Wissenschaftlicher Verlag, pp. 45-­‐57.
2001
“Wozu Cultural Studies? Lektüreversuch aus einer ‘widerspenstigen’
Perspektive.” In: Die Werkzeugkiste der Cultural Studies. Perspektiven, Anschlüsse und Interventionen. hrsg. von Udo Göttlich, Lothar Mikos, Rainer Winter. Bielefeld: Transcript, pp. 85-­‐103. 2000
“Compondo contra o libreto. Subversão e diferença em O rapto do serralho de W. A. Mozart.” In: AAVV. A Palavra e o Canto. Miscelânea em Homenagem a Rita Iriarte. Lisboa: Colibri, pp. 71-­‐84.
2000
“Forsters ‚immer fehlschlagende Hoffnung’. Zum Verhältnis von ‚Über die Beziehung der Staatskunst auf das Glück der Menschheit? und ‚Parisische Umrisse’” In: Wahrnehmung -­‐ Konstruktion-­‐ Text. Bilder des Wirklichen im Werk Georg Forsters. hersg. von Jörn Garber, Niemeyer: Tübingen, pp. 143-­‐161.
5
Curriculum vitae!
1994
“Diese zarten, fast unsichtbaren Fäden der Arachne’. Das wahrnehmende Subjekt und die Konstituierung von Wahrheit bei Forster.” In: Georg Forster in interdisziplinärer Perspektive. Hrsg. von Claus Volker Klenke im Auftrag der Georg Forster Gesellschaft e.V. in Zusammenarbeit mit Jörn Garber und Dieter Heintze. Berlin: Akademie Verlag, pp. 133-­‐146. 1993
“Negros, eslavos, mongóis. Em torno da questão do racismo na Alemanha do século XVIII.” In: Os Estudos Germanísticos nos oitenta anos da Faculdade de Letras de Lisboa. org. de Rita Iriarte, Teresa Cadete, Teresa Furtado. Lisboa 1993, pp. 59-­‐75.
1989
“Georg Forster e a urgência da acção.” 1ª parte. Vértice. 17: 77-­‐84. 1989
“Georg Forster e a urgência da acção.” 2ª parte. Vértice. 18: 61-­‐71. 2.1.3. Livros
2011
Org. e introdução, Malhas que os impérios tecem. Textos anti-­‐coloniais, contextos pós-­‐coloniais. Lisboa: Edições 70.
2011
Org. com Leonor Pires Martins, Fernando Clara e João Ferreira Duarte. Europe in Black and White. Immigration, Race, and Identity in the ‘Old Continent'. Bristol and Chicago: Intellect Books.
2011
Org. com Fernando Clara e Mário Matos. Várias Viagens. Estudos oferecidos a Alfred Opitz. Lisboa: Húmus.
2006
Org. e introdução, “Portugal não é um país pequeno.” Contar o império na pós-­‐colonialidade, Lisboa: Cotovia.
2005
Org. e introdução, Deslocalizar a “Europa.” Antropologia, arte, literatura e história na pós-­‐colonialidade. Lisboa: Cotovia.
2004
Org. com Carlos Branco Mendes e João Ferreira Duarte. Connecting Peoples. Identidades Disciplinares e Transculturais/ Transcultural and Disciplinary Identities. Lisboa: Colibri/Centro de Estudos Comparatistas. 2002
Org. em colaboração com Adriana Veríssimo Serrão. A invenção do “Homem.”
Raça, Cultura e História na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa. 2002
Org. com Helena Buescu. Literatura e viagens pós-­‐coloniais. Lisboa: Colibri/
Centro de Estudos Comparatistas.
1992
“Sonhos de um mundo melhor.” A descoberta da alteridade e a invenção da alternativa. Lisboa: FL. (Dissertação de Doutoramento).
1974
O relato jornalístico em Heinrich Heine. Lisboa. FL. (Dissertação de Licenciatura).
2.1.4. Capítulos de livros
6
Manuela Ribeiro Sanches
2012
“A bem da Europa e das suas nações.” In: Pires, Leonor Martins, Um império de papel. Imagens do colonialismo português na imprensa periódica ilustrada (1875-­‐1940). Lisboa: Edições 70, pp. 195-­‐207. 2011
“Europe in Black and White.” In: Sanches, Manuela Ribeiro, Leonor Pires Martins, Fernando Clara & João Ferreira Duarte. Europe in Black and White. Immigration, Race, and Identity in the ‘Old Continent'. Bristol and Chicago: Intellect Books, pp. 7-­‐14.
2011
“Viagens das teorias antes do pós-­‐colonial.” In: Malhas que os impérios tecem. Textos anti-­‐coloniais, contextos pós-­‐coloniais. Lisboa; Edições 70, pp. 9-­‐57.
2006
“Introdução.” In: “Portugal não é um país pequeno. Contar o ‘império’ na pós-­‐
colonialidade. Lisboa: Cotovia, pp. 7-­‐21.
2005
“Introdução.” In: Deslocalizar a “Europa.” Antropologia, arte, literatura e história na pós-­‐colonialidade. Lisboa: Cotovia, pp. 1-­‐21.
2004
“Introduction: Across the ‘West’ and the ‘Rest’ Divide.” In: Connecting Peoples. Identidades Disciplinares e Transculturais/ Transcultural and Disciplinary Identities. Lisboa: Edições Colibri/Centro de Estudos Comparatistas, pp.11-­‐16.
2003
“Interviewer Manuela Ribeiro Sanches.” In: James Clifford. On the Edges of Anthropology. Chicago: Prickly Paradigm Press / University of Chicago Press, pp. 43-­‐78. (Tradução para o Italiano: Ai margini dell'antropologia. Interviste. Trad. Chiara Marina. Roma: Melterni 2004). 2002
“O ‘Homem’ reinventado.” In: A invenção do “Homem. Raça, Cultura e História na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 27-­‐41. 1998
“Conceitos de cultura: Kultur e Zivilisation.” In: Sociedade e Cultura Alemãs. Universidade Aberta: Lisboa, pp. 47-­‐75. 1998
“Au6klärung e modernidade.” In: Sociedade e Cultura Alemãs. Universidade Aberta: Lisboa, pp. 133-­‐165. 1998
“A formação do espaço público.” In: Sociedade e Cultura Alemãs. Universidade Aberta: Lisboa, pp. 167-­‐198. 1998
“A Alemanha guilhermina.” In: Sociedade e Cultura Alemãs. Universidade Aberta: Lisboa, pp. 247-­‐280. 1998
“Os Anos vinte.” In: Sociedade e Cultura Alemãs. Universidade Aberta: Lisboa, pp. 299-­‐323. 1998
“Da apoteose da superioridade germânica à rendição incondicional.” In: Sociedade e Cultura Alemãs. Lisboa: Universidade Aberta, pp. 325-­‐353. 1998
Com Alfred Opitz e Fernando Clara. “A Alemanha na Europa.” In: Sociedade e Cultura Alemãs. Lisboa: Universidade Aberta, pp. 385-­‐406.
7
Curriculum vitae!
2.1.5. Outras publicações cientíAicas
2.1.5.1. Artigos publicados em actas de colóquios
2004
"Não evoluo, viajo. Para uma des-­‐loca(liza)ção teórica. A Space on the Side of the Road de Kathleen Stewart e Baía dos Tigres de Pedro Rosa Mendes,”
Estudos Literários / Estudos Culturais, Actas do IV Congresso Internacional da Associação Portuguesa de Literatura Comparada. Associação Portuguesa de Literatura Comparada / Universidade de Évora. CD-­‐ROM, vol. I.
1998
“Heinrich Heines Geständnisse und Memoiren oder die gescheiterte Assimilation.” In: Heinrich Heine 1797-­‐1856. Differenz und Identität. Tagungsakten des internationalen Kolloquiums zum Heine-­‐Gedenkjahr. hrsg. von Alfred Opitz. Trier: Wissenschaftlicher Verlag, pp. 125-­‐133. 1997
“Observar, descrever, restaurar. Acerca das descrições de Georg e de Johann Reinhold Forster das Ilhas da Madeira e de Taiti.” In: Literatura de viagem. Narrativa -­‐ História -­‐ Mito. org. de Ana Margarida Falcão. Maria Teresa Nascimento e Maria Luísa Leal. Lisboa: Cosmos, pp. 249-­‐267. 1996
“Georg Forster em Paris. Entre a educação política do indivíduo e a história natural da Revolução.” In: Educação estética e utopia política. Colóquio comemorativo dos 200 anos da publicação de Para a paz perpétua de I. Kant e de Sobre a educação estética do ser humano de Fr. Schiller (1795-­‐1995). org. de Leonel Ribeiro dos Santos. Lisboa: Colibri, pp. 85-­‐94. 1994
“Contra o proselitismo ou ‘todos somos prosélitos’. Georg Forster acerca da tolerância.” In: Religião, História e Razão da Au6klärung ao Romantismo. Colóquio comemorativo dos 200 anos da publicação de A Religião nos limites da simples Razão de Immanuel Kant. Lisboa: Colibri, pp. 201-­‐215.
2.1.5.2.Traduções e revisão cientíAica de traduções
2012
Mbembé, Achille. “A universalidade de Frantz Fanon.” In: http://
www.artafrica.info/html/artigotrimestre/artigo.php?id=36.
2011
Revisão cientíAica de Glissant, Edouard. Poética da Relação. Trad. Manuela Ramos. Lisboa: Sextante Editora. 2011
Du Bois, W. E. “Do nosso labor espiritual.” In: Malhas que os impérios tecem. Textos anticoloniais. Contextos pós-­‐coloniais. Lisboa: Edições 70, pp. 47-­‐57.
2011
Senghor, Léopold Sédar. “O contributo do homem negro.” In: Malhas que os impérios tecem. Textos anticoloniais. Contextos pós-­‐coloniais. Lisboa: Edições 70, pp. 59-­‐72.
2011
Césaire, Aimé. “Cultura e colonização.” In: Malhas que os impérios tecem. Textos anticoloniais. Contextos pós-­‐coloniais. Lisboa: Edições 70, pp. 253-­‐272.
2010
Chakrabarty, Dipesh. “História subalterna como pensamento político.” In: A política dos muitos. org. de Bruno Peixe Dias e José Neves, Lisboa: Tinta da China, pp. 281-­‐307.
2009
Fall, N’Goné. “Criando um espaço de liberdade: mulheres artistas de África.”
http://www.artafrica.info/html/artigotrimestre/artigo.php?id=16.
8
Manuela Ribeiro Sanches
2005
Said, Edward W. “Reconsiderando a Teoria Itinerante.” In: Deslocalizar a “Europa.” Antropologia, arte, literatura e história na pós-­‐colonialidade. Lisboa: Cotovia, pp. 35-­‐42.
2005
Bhabha, Homi K. “A questão outra.” In: Deslocalizar a “Europa.” Antropologia, arte, literatura e história na pós-­‐colonialidade. Lisboa: Cotovia, pp. 143-­‐166.
2005
Chakrabarty, Dipesh. “Histórias de minorias, passados subalternos.” In: Deslocalizar a “Europa.” Antropologia, arte, literatura e história na pós-­‐
colonialidade. Lisboa: Cotovia, pp. 209-­‐230.
2005
Foster, Hal. “O artista como etnógrafo” In: Deslocalizar a “Europa.”
Antropologia, arte, literatura e história na pós-­‐colonialidade. Lisboa: Cotovia, pp. 259-­‐296.
2002
Forster, Georg. “Excertos de Viagem à volta do mundo.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa. pp. 57-­‐92.
2002
Kant, Immanuel. “Das diversas raças humanas.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 103-­‐115.
2002
Kant, Immanuel. DeAinição do conceito de raça humana.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 116-­‐137.
2002
Soemmerring, Samuel Thomas. “Excertos de Acerca da diferença corporal entre o negro e o europeu.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 154-­‐165.
2002
Meiners, Christoph. “Excertos de Acerca da natureza dos africanos pretos e da libertação ou limitação dos negros dela dependentes.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 154-­‐165.
2002
Iselin, Isaac. “Excertos de Acerca da História da Humanidade. In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 187-­‐223.
2002
Meiners, Christoph. “Excertos de Compêndio de uma História da Humanidade.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 224-­‐252.
2002
Forster, Georg. “Recensão da obra antropológica de Meiners.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 253-­‐262.
2002
Herder, Johann Gottfried. “Excertos de Ideias para uma Filoso6ia da História da Humanidade. In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 219-­‐314.
9
Curriculum vitae!
2002
Kant, Immanuel. “Começo conjectural da História do Homem.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 315-­‐328.
2002
Forster, Georg. “Algo mais acerca das raças humanas.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 329-­‐353.
2002
Kant, Immanuel. “Acerca do uso de princípios teleológicos na AilosoAia.” In: A invenção do ‘Homem’. Raça, cultura e história na Alemanha do século XVIII. Lisboa: Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa, pp. 353-­‐377.
2.1.5.3. Recensões
2013
“Fuga do Estado-­‐nação?” Recensão de Sandro Mezzadra. Direito de Fuga e de Judith Butler & Gayatri Spivak Quem canta o estado-­‐nação? In: Imprópria. nr. 3. 1º semestre.
2004
Bastos, Cristiana, Miguel Vale de Almeida, Bela Feldman-­‐Bianco. Trânsitos coloniais: diálogos críticos luso-­‐brasileiros. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais. 2002. In: Etnográ6ica. Revista do Centro de Estudos de Antropologia Social. VIII. 2: 383-­‐388.
2003
Almeida, Miguel Vale de. Um mar da cor da terra. Raça, cultura e política de identidade. Lisboa: Celta 2000. In: Etnográ6ica. Revista do Centro de Estudos de Antropologia Social. VII. 1: 233-­‐236. 2001
Honolka, Harro, Irene Götz. Deutsche Identität und das Zusammenleben mit Fremden. Fallanalysen. Opladen: Westdeutscher Verlag 1999. http://
hsozkult.geschichte.hu-­‐berlin.de/rezensionen/id=1072.
2001
Gilroy, Paul, Lawrence Grossberg, Angela McRobbie, ed. Without Guarantees. In Honour of Stuart Hall. London and New York: Verso 2000. In: Etnográ6ica. Revista do Centro de Estudos de Antropologia Social. V. 1: 187-­‐191. 2000
Hall, Stuart. ed. Questions of Cultural Identity. In: Etnográ6ica. Revista do Centro de Estudos de Antropologia Social. IV. 1: 199-­‐200. 2000
Bausinger, Hermann. Typisch deutsch. Wie deutsch sind die Deutschen? M ü n c h e n 2 0 0 0 .” I n : H -­‐ S o z -­‐ u -­‐ K u l t . 0 9 . 0 8 . 2 0 0 0 , < h t t p : / /
hsozkult.geschichte.hu-­‐berlin.de/rezensionen/id=518.
1989
“(In)compatibilidades. Algumas notas sobre a Alemanha e a Revolução Francesa por ocasião do seu bicentenário.” In: Runa. Revista Portuguesa de Estudos Germanísticos. 11-­‐12: 221-­‐231.
2.2. Organização de congressos, conferências e seminários
2013
Co-­‐organização com África.cont, José António Fernandes Dias e Françoise Vergès: Dislocating Europe. Travels and Theories in Times of Decolonisation. Re-­‐Engaging with Cabral, Césaire, Du Bois. FLUL. Outubro.
10
Manuela Ribeiro Sanches
2013
Co-­‐organização, com Instituto de Ciências Sociais e África.cont -­‐ CML, de: Workshop com Ann Laura Stoler (The New School for Social Research), Theorizing the Portuguese Colonial Experience. Images, History, Power. Companhia das Culturas, Castro Marim. Junho. Palestra de Ann Laura Stoler (The New School for Social Research) “Escombros imperiais: sobre ruínas e arruinação,” FLUL. Junho.
2012
Co-­‐organização com África.cont -­‐ CML da Série de Conferências Re-­‐ver os Impérios e os seus Objectos de Fantasia: 1ª sessão -­‐ “Re-­‐ver os Impérios e os seus objectos de Fantasia.” FLUL. Junho; 2ª sessão -­‐ “Restos e Rastos.” (em paralelo com as exposições Once upon a Time -­‐ e An Ocean between Us, de Mónica de Miranda -­‐ Galerias Carpe Diem e Plataforma Revólver) Novembro; 3ª sessão -­‐ “Arquivos imperiais, Signos, Vestígios, Ruínas.” Goethe-­‐
Institut-­‐Lisboa. Dezembro.
2008
Seminário de Iain Chambers (Università degli Studi di Napoli, L'Orientale) no âmbito do seminário “Rotas Europeias e o Atlântico Negro: Migração, Identidade e a Europa Pós-­‐Colonial” do Programa em Estudos Comparatistas. Junho.
2008
Seminário com Iain Chambers (Università degli Studi di Napoli, L'Orientale) no âmbito do seminário em Narrativas de Viagem da Licenciatura em Artes e Culturas Comparadas, FLUL. Junho.
2008
ACT 19 -­‐ Europa a Preto e Branco/ Europe in Black and White. Colóquio Internacional, FLUL. Maio.
2004
Conferência de Akhil Gupta (Stanford University), FLUL. Novembro.
2003
Com João Ferreira Duarte -­‐ ACT 10 -­‐ Identidades disciplinares e diásporas. FLUL. Dezembro.
2001
Com Helena Buescu -­‐ ACT 6 -­‐ Literatura de Viagens e Estudos Pós-­‐Coloniais. FLUL. Dezembro.
1996
Com Teresa Dias Furtado, Helena Silva e Gerd Hammer. Colóquio Rilke 70 anos depois. FLUL 1996
1992
Com Teresa Dias Furtado e Ruth Huber. Colóquio Interdisciplinar Friedrich Hölderlin. FLUL.
2.3. Participação em congressos, conferências e seminários de natureza
científica
2.3.1 Como oradora convidada
2013
“Modernidade e cinema africano.” Palestra no âmbito da III Escola de Verão -­‐ CEHUM -­‐ Modernidades Comparadas: Literaturas, Artes, Culturas, Universidade do Minho. 8-­‐10 Julho.
11
Curriculum vitae!
2013
“The Uses of the Archive: some Thoughts on Colonial Images and Post-­‐
colonial Melancholia.” Workshop com Ann Laura Stoler (The New School for Social Research), Theorizing the Portuguese Colonial Experience. Images, History, Power, Companhia das Culturas, Castro Marim. 16-­‐17 Junho.
2013
“Onde, quando é o pós-­‐colonial? Tempos, lugares, itinerários.” Ciclo de Seminários de Literatura, CEHUM. 31 Maio.
2013
“Decolonizing Post-­‐National Europe: Some Thoughts on Nationalism and Cosmopolitanism.” International Symposium: Rethinking Cosmopolitanism Africa in Europe | Europe in Africa. Org. Goethe-­‐Institut, Portugal e Maumaus Visual Arts School. Berlin, Akademie der Künste. 2-­‐3 Fevereiro. 2013
“‘Alterar a verdade’ – Meios de reprodução técnica e invenção de culturas trans-­‐nacionais.” Amílcar Cabral um projecto interrompido. Seminário por ocasião dos quarenta anos do seu assassinato. Org. Fundação Mário Soares e Instituto de História Contemporânea, FCSH -­‐ UNL. 21 Janeiro.
2012
“Difference, Citizenship and the Power of Representation.” Guimarães, Guimarães Capital da Cultura. 11 Novembro. 2012
“Difference, Citizenship and the Power of Representation.” 1st Tbilisi Triennial -­‐ Offside Effect. 4 Novembro.
2012
“Lisbon, ‘Capital of Empire’. Arrivals, Transits, Departures, (Trans)nationalisms.” Workshop. Atlantic Triangles: Lusophone Colonial and Postcolonial Crossings. Netherlands Institute for Advanced Study in the Humanities and Social Sciences. 10-­‐11 Maio.
2012
“Traces of African presences in post-­‐colonial Europe.” Symposium: Coloniality, Curating, and Contemporary Art. Centro Andaluz de Arte Contemporáneo e Universidad Internacional de Andalucía em colaboração com Royal College of Art. 22-­‐23 Maio. 2012
“Do Carnaval das Culturas à Quaresma da História.” Departamento de Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro. 28 Fevereiro.
2012
“Nação, cultura e violência: (trans)nacionalismos na obra de Frantz Fanon e Amílcar Cabral.” Colóquio internacional História, Memória e Violência no Século XX. Instituto de História Contemporânea, FCSH -­‐ UNL. 24-­‐25 Fevereiro. 2011
“O olhar devolvido: Cinema (anti)colonial, leituras póscoloniais?” Colóquio internacional Áfricas de uns e de outros. Olhares cruzados e imagens identitárias, Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, FLUP. 12 e 13 de Dezembro.
2011
“Amílcar Cabral’s (In)Complete Project Of Modernity. Identity, Citizenship, and Decolonization in Postcolonial Europe.” International Conference Modernities in the Making. Org. Goethe-­‐Institut, Escola de Artes Visuais Maumaus, Institute of African American Affairs, New York University, Dakar, Senegal. 5-­‐6 Dezembro.
12
Manuela Ribeiro Sanches
2011
“Viagens da Teoria antes do Pós-­‐Colonial.” I Colóquio Internacional Áfricas, literatura e contemporaneidade, Universidade de São Paulo. 7 Novembro. 2011
“TráAico de Teorias. Subalternidade, estado-­‐nação e heterogeneidades.”
Colóquio Nação e Narrativa Pós-­‐colonial Angolana Moçambicana, ISEG. 1-­‐2 Julho.
2011
“Misturar alhos com bugalhos: ensaísmo, representação e cultura.” Colóquio Identidades, Hibridismos e Tropicalismos -­‐ Leituras pós coloniais de Gilberto Freyre. Orh. Instituto de Investigação CientíAica Tropical (IICT), Universidade Lusófona e Fundação Gilberto Freyre. Universidade Lusófona. 31.03.-­‐ 01.04.11. 2011
Workshop African Art and the Challenges of New Publics and Commons, Goethe-­‐Institut, Lisboa. 11-­‐12 Março.
2010
“Teorias itinerantes antes do pós-­‐colonial. Lugares, tempos, aAiliações.” 29ª
Bienal de São Paulo. 25 Outubro.
2010
Seminário Como se faz um povo integrado na Exposição Povo-­‐People, Museu da Electricidade. Participação na sessão “História e povo.” 8 Setembro.
2010
“Teorias itinerantes antes do pós-­‐colonial. Lugares, tempos, aAiliações.”
LUPOR III (Lusophone Postcolonial Research Network) Teorias Itinerantes -­‐
Travelling Theories -­‐ CEHUM. Julho 2010.
2010
“Deslocalizações Pós-­‐Coloniais.” Deslocações Criativas. Colóquio Internacional e Interdisciplinar, FLUP. Junho 2010. 2010
“Raça e racismo ou hibridez e mestiçagem?” -­‐ Colóquio O que é o racismo, a6inal? Perspectivas transdisciplinares.” Instituto de Ciências Sociais. 8 Março. 2010
“Escape/ Escapism.” Seminário Escape. Org. Programa de Estudo Independente Maumaus Escola Artes Visuais, Malmö Art Academy e Universidade de Braunschweig, Goethe-­‐Institut, Portugal. 17 Fevereiro. 2009
Comentário Ainal. Encontro Africa.cont -­‐ Aims and Programmation Models Fundação Calouste Gulbenkian. 4-­‐5. Dezembro.
2009
“'Immigrants', 'Ethnic Minorities’, 'Culturally Different'. Translating Race across the Black (and White) Atlantic.” Série: Breaking down the White and Black Binary. Theorizing Black Studies beyond Ethnic and Narional Borders. Northwestern University, Department of African American Studies. 20 Maio. 2009
“Territory, Identity and the Redrawing of Boundaries in Postcolonial Lisbon.” Centro di Studi Postcoloniali, Università degli Studi di Napoli, L'Orientale. 15 Março.
2008
“Containers of History. Ângela Ferreira's and Manthia Diawara's Maison Tropicales,” Iwalewa-­‐Haus, Universität Bayreuth. 6 Novembro. 2008
“Vulnerabilidade, espaços e construção de fronteiras.” Colóquio Podemos Viver sem o Outro?, Fundação Calouste Gulbenkian. 27-­‐28 Novembro. 13
Curriculum vitae!
2008
“Migração e novas sonoridades lisboetas no Portugal pós-­‐colonial.” Colóquio Internacional Francofonía, Hispanofonía, Lusofonía: Migración, Mestizaje y Creación' Facultad de Ciencias Políticas y Sociales de la UNAM. 12-­‐13 Março. 2008
“´What’s Going on´. Race, History and tPe politics of Representation". 2nd ABIL (Association of British and Irish Lusitanists) Conference. University of Bristol. 11-­‐12 Janeiro.
2007
2007. “Será Yinka Shonibare europeu? A(s) cultura(s) da Europa,” Ciclo: Portugal. 20 Anos de integração na Europa. Mudanças e Perspectivas, Reitoria da Universidade de Lisboa. 16 Maio. 2007
“A cultura nacional e a globalização excluem-­‐se mutuamente?” Ciclo: Lugares comuns e não-­‐comuns da Cultura Portuguesa, FHSC, Universidade do Algarve. 14 Maio. 2007
“Literaturas pós-­‐coloniais: marginalização e/ ou subalternidade?.” Colóquio de Outono: Censura e Interdito, CEHUM. 22-­‐24 Novembro .
2007
“Artafrica -­‐ Putting ´Lusophone´ African Artists on an (Inter)Active Map. Risks and Possibilities of a Mediating Role.” Em colaboração com José
António Fernandes Dias. Workshop Shifting Centres -­‐ künstlerische Positionen und rezente Dynamiken im zeitgenössischen Tanz, Performance und Musik aus Afrika, Iwalewa Haus, Universität Bayreuth. 12-­‐14 Abril 2007. 2007
“The Postcolonial and the Postcultural.” Maumaus Escola de Artes Visuais. Lisboa. 3 Janeiro.
2006
“Global/Local Identities across the Black Atlantic. Postcolonial Portugal and the Challenges of (Black) Cultural Studies.” Universidade de Ljubljana. 22 Março.
2006
“Post-­‐culturalism. Production of Difference and Cultural Studies”
Universidade de Ljubljana. 20 Março. 2006
“Art and Black Identities in Postcolonial Portugal. On the Website Artafrica.”
Simpósio Territorium und kulturelle Identität – Schwarze Diaspora in den Amerikas und in Europa, Goethe-­‐Forum, München. 11 Março. 2005
“Unsettling European Identity: Nation, Ethnicity and Culture in Postcolonial Portugal.” Encontro Internacional The Landscapes of Cultural Studies,”
Klagenfurt, Áustria. 13-­‐15 Outubro. 2005
“Reading the Postcolonial: History, Anthropology, Literature and Art in a ‘Lusophone’ Context.” Colóquio Lusophone Literatures and Postcolonialism, Universidade de Utrecht. 1 Julho. 2004
“Where is the Postcolonial? In-­‐Betweennes, Lusophonia and Identity in Trans/National Contexts.” Colloquium Series. Org Center for Cultural Studies, University of California, Santa Cruz, Oakes College, UCSC. 21 Janeiro. 14
Manuela Ribeiro Sanches
2003
“Where is the Postcolonial? In-­‐Betweennes, Lusophonia and Identity in Trans/National Contexts.” Universidade de Indiana, Bloomington. Org. Department of Comparative Literature, Cultural Studies Program e WEST European Studies. 17 Outubro. 2003
“Von der Südsee zu den PaziAischen Inseln. Was bedeutet Forster lesen am Anfang des 21. Jahrhunderts?.” Georg Forster Tagung: Europäer in der Südsee im 18. Jahrhundert: Die ´Entdecker´ aus der Perspektive der ´Entdeckten’ . 27-­‐28 Junho. 2003
“Tempos e Cores da Humanidade. Os Arquipélagos de Cabo Verde e dos Açores em Viagem à Volta do Mundo de Georg Forster.” Ciclo de Conferências do Centro Inter-­‐universitário de Estudos Germanísticos sobre o tema Portugal-­‐Alemanha: Memórias e Imaginários. Da Idade Média à Actualidade, Universidade de Coimbra. Dezembro de 2002.
2001
“Dunkelheit und AuAklärung; Rasse und Kultur. Erfahrung und Macht in Forsters Auseinandersetzungen mit Kant und Meiners.” Georg-­‐Forster-­‐
Tagung 2001: Herrschaft und Gewalt bei Georg Forster. 22-­‐23 Junho.
2000
“Globalization and Portuguese Cultural Identity.” 22nd Conference of European Fulbright Executive Directors, Lisboa. 6 Junho. 2000
“Da certeza de si à reAlexividade etnográAica. Os relatos de La Pérouse e Chamisso sobre a Califórnia.” ACT 3, Narrativas da modernidade. 31 Maio.
2000
“McDonaldisierung der Germanistik. ‚Deutsche Kultur’ im Spannungsfeld zwischen Globalem und Lokalem.” Reunião Anual da Associação Portuguesa de Estudos Germanísticos. 18-­‐19 Maio. 2001
“Color of the Skin, Shape of the Body: Race ‘Difference’ and the Nature of ‘Man’ in 18th Century Germany.” Colloquium Series. Org Center for Cultural Studies, University of California, Santa Cruz, Oakes College, UCSC. 12 Janeiro.
1998
“Cães canibais, homens simiescos, harmonia da criação. Representações da alteridade no discurso antropológico na Alemanha do século XVIII.”
Colóquio O Novo Mundo da Razão: O efeito dos Descobrimentos na Constituição da Racionalidade Moderna. Org. Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa. 10-­‐11 Dezembro.
1995
“Pêro Vaz de Caminhas ‚Brasilien’ und Georg Forsters ‚Südsee’. Kulturbegegnung als Assymetrie?.” Interdisziplinäres Zentrum für die Erforschung der Europäischen AuAklärung. Outubro 1995.
1995
“Physische Anthropologie und Kolonialismus: Hierarchisierung und Beherrschung der Differenz: Sömmerring, Blumenbach, Meiners.” Workshop The Non-­‐European Other in the Discourse of the Enlightenment. Org. European Science Foundation e Max-­‐Planck Institut für Geschichte (Göttingen), enquanto parte do projecto Concepts and Symbols of the Eighteenth Century in Europe.
15
Curriculum vitae!
1995
“Observar, descrever, restaurar. A propósito das descrições de Georg e de Johann Reinhold Forster das Ilhas da Madeira e de Taiti.” Colóquio Literatura de viagens. Narrativa – História – Mito. Universidade da Madeira. 11 a 14 de Junho.
1994
“Forsters ‚immer fehlschlagende Hoffnung’. Zum Verhältnis von ‚Über die Beziehung der Staatskunst auf das Glück der Menschheit’ und ‚Parisische Umrisse’.” Internationales Kolloquium: Wahrnehmung -­‐ Konstruktion -­‐Text. Bilder des Wirklichen im Werk Georg Forsters.” Interdisziplinäres Zentrum für die Erforschung der europäischen AuAklärung, Martin-­‐Luther-­‐
Universität Halle-­‐Wittenberg. Setembro.
1994
“Der ‚Polterer Meiners’ und ‚sein ungeheuer Sack voll Cruditäten’. Forsters Streit mit Meiners um Rassismus und Sklaventum.” Interdisziplinäres Zentrum für die Erforschung der Europäischen AuAklärung. Por ocasião da exposição Zwischen den Welten – zwischen den Zeiten. Georg Forster 1754-­‐1794. Julho.
“Diese zarten, fast unsichtbaren Fäden der Arachne’. Das wahrnehmende Subjekt und die Konstituierung von Wahrheit bei Forster.” Internationales Georg-­‐Forster Symposion. Kassel 1-­‐4 Abril.
2.3.2. Outras participações
2.3.2.1 Colóquios, seminários e workshops
2013
“Workshop 3.0 -­‐ Doing Things with Images.” Org. Bayreuth Academy of Advanced African Studies em torno do sub-­‐projecto “Revolution 3.0: Iconographies of Social Utopia in Africa and its Diasporas.” Goethe-­‐Institut, Lisboa. 25-­‐26 Junho.
2011
Workshop “Contact Zone New Iwalewa.” Iwalewa-­‐Haus, Universität Bayreuth. 28-­‐29 Outubro.
2009
Apresentação com Leonor Pires Martins de “Start spreading the news. Visual Representations of Africa in the Portuguese Press” e Discussant do Painel “Representation and Self-­‐Representation in the Lusophone African Space.” ECAS 2009 -­‐ 3rd European Conference on African Studies, Leipzig. 7-­‐9 Julho.
2005
“(Des)encontros civilizacionais: repetição e produção da diferença em contextos (pós)coloniais.” 6º Encontro de Lusitanistas Alemães, Leipzig, 15-­‐18 Setembro. 2001
“Nietzsche e os alemães. Ensaio em memória de Heinrich Heine.” Colóquio Nietzsche para o Século XXI. FLUL. Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. 10-­‐11 Maio.
2001
“ ‘Não evoluo, viajo’. Para uma des-­‐loca(liza)ção teórica. A Space on the Side of the Road de Kathleen Stewart e Baía dos Tigres de Pedro Rosa Mendes.” IV Congresso da Associação Portuguesa de Literatura Comparada, Évora. 9-­‐12 Maio 2001.
16
Manuela Ribeiro Sanches
1997
“A génese do romantismo e a herança das Luzes: Os ensaios de Friedrich Schlegel sobre Lessing e Forster (1797).” Simpósio A Génese do Idealismo Alemão, FLUL. 13 e 14 de Novembro.
1996
“Die Wissenschaft vom Menschen im Deutschland des 18. Jahrhunderts. Zwischen blinder Empirie und leerer Systematik.” 1º Congresso Internacional da Associação Portuguesa de Estudos Germanísticos, Universidade de Coimbra. Janeiro.
1995
“Georg Forster em Paris. Entre a educação política do indivíduo e a história natural da Revolução.” Colóquio Educação estética e utopia política. FLUL. 14 e 15 de Dezembro.
1994
“Heinrich Heines Geständnisse und Memoiren oder die gescheiterte Assimilation.” Colóquio Heinrich Heine: Identität und Differenz: Europäische Perspektiven im 19. Jahrhundert, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 4 e 5 de Dezembro de 1997.
1993
“Hölderlin e a ‘estrada do exílio’. Acerca das interpretações de Lukács e de Benjamin.” Colóquio Interdisciplinar Hölderlin , FLUL.
2.3.2.2.Mesas-­‐redondas -­‐ Participação e moderação
2003
“African Film and Migration. Representations of ‘Africa’ between Continents.” Mesa-­‐redonda “The State of the Art – African Contemporary Cinema in Focus.” ECAS 2013. 5th European Conference on African Studies: African Dynamics in a Multipolar World (27-­‐29 Julho). 28 Julho.
2012
Moderação, com José António Fernandes Dias de “Conversa/A Conversation. Restos e Rastos/Remains and Traces” com Keith Piper e Gabriela Salgado. Carpe Diem, Arte e Pesquisa. 16 Novembro.
2011
“A Relação para além da tolerância.” Mesa redonda no âmbito do programa O Barulhamento do Mundo. Institut Français Portugal. 25 de Outubro.
2011
“African Cinema Between Fiction and Documentary: Content and Style.”
Mesa redonda 3 Outubro no âmbito do 6th Annual RealLife Documentary Festival, Accra, Gana. National Film and Television Institute. 2-­‐4 Outubro.
2010
Mesa redonda (14 Novembro) e entrevista a Manthia Diawara (15 Novembro) na âmbito da retrospectiva Razzismo. Immigrazione e il Poetre dell'Immagine. Il cinema africano e della diaspora a Napoli. Università degli Studi di Napoli, l'Orientale. 14-­‐16 Outubro.
2009
2009 -­‐ Mesa-­‐redonda “African Cinema Postcolonialism and Representation Strategies” -­‐ African Screens -­‐ African Film Festival, Lisboa, 29 Março. 2005
Participação na mesa-­‐redonda por ocasião do Ciclo O Mundo Pós-­‐Colonial -­‐ Literatura e Artes Visuais. Org. Instituto Português de Relações Internacionais, Livraria Almedina. 9 Novembro. 17
Curriculum vitae!
2.4. Avaliador de publicações científicas
Etnográ6ica. Revista do Centro de Estudos de Antropologia Social;
Luzo-­‐Brazilian Review;
Journal of African Cinemas;
Caderno de Estudos Africanos;
estrema: Revista Interdisciplinar de Humanidades;
Peter Lang Verlag.
2.5. Actividades de difusão e de divulgação da ciência
2008
“Outros lugares, outros tempos. Viagens pela pós-­‐colonialidade com Ruy Duarte de Carvalho.” Jornal do Ciclo Ruy Duarte de Carvalho, Centro Cultural de Belém. http://www.ccb.pt/sites/ccb/pt-­‐PT/CCB/Documents/
JornalRDC.pdf.
2009
“Redrawing the Lines. Postcolonial Lisbon and Other Modern European Fortresses.” Paul Goodwin, Mónica de Miranda, Under Construction. Pub. by the authors with the support from Direcção-­‐Geral das Artes, 28-­‐29 ????.
3. QUALIDADE DE PROJETOS E CONTRATOS DE INVESTIGAÇÃO
3.1.Direcção de unidades ou centros de investigação
2013
Eleita directora do Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa em Abril, iniciando funções a 1 de Setembro de 2013.
3. 2. Coordenação ou direcção de projetos de investigação
3.2.1. Coordenação de grupos de investigação
2007-­‐13 Coord. do Grupo DISTRAE -­‐ Dislocating/ Translating Europe. (Centro de Estudos Comparatistas).
3.2.2. Direcção de projectos de investigação
3.2.2.1.Concluídos
2007/11 DISLOCATING EUROPE: Post-­‐Colonial Perspectives in Anthropology, Art, Literature and History -­‐ PTDC/ELT/71333/2006. Avaliação: “Os objectivos cientíAicos previstos foram plenamente atingidos. Os resultados evidenciam grande qualidade cientíAica, nomeadamente ao nível das publicações em revistas internacionais com referee. O projecto contribuiu para a formação de jovens investigadores e para a projecção internacional da equipa envolvida.”
18
Manuela Ribeiro Sanches
2003/06 DISLOCATING EUROPE: Post-­‐Colonial Perspectives in Anthropology, Art, Literature and History Financiamento programático da FCT, atribuído com base no parecer da avaliação externa em 2003: “The project on “Dislocating Europe” is truly on the cutting edge. It builds on existing strengths within the center and amalgamates some of the lines already funded. This is precisely the way a center should grow.” 1998/02 A Antropologia na Alemanha do século XVIII. Centro de FilosoAia da Universidade de Lisboa.
4. ORIENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÉMICOS
4.1. Concluídos
4.1.1. Doutoramento
Sunday Adetunji Bamisile, Questões de género e da escrita no feminino na literatura africana contemporânea e da diáspora africana. 2013. FLUL. Literatura Comparada. Aprovado com distinção por unanimidade.
4.1.2. Mestrado
Sara Cristina Ferreira Rodrigues, A representação da Irishness no cinema nacional irlandês. Cultura e Sociedade na Europa, 2010. FLUL. Aprovada com 17 (dezassete) valores.
Tânia da Fonte, Geo-­‐archaeological Research: Drawing a Triangle.” Master in Public Art and New Artistic Strategies, Bauhaus-­‐Universität Weimar, 2009. Aprovada.
Sunday Bamisile, O engajamento sócio-­‐político da(s) literatura(s) africana(s): José
Luandino Vieira e Chinua Achebe. 2006. FLUL. Literatura Comparada. Aprovada com Muito Bom por unanimidade.
Carla Cristina Barrote Colaço Entre Mundos, Con6igurações da identidade nos romances de V.S. Naipaul A House for Mr Biswas e The Mimic Men. 2005. FLUL. Literatura Comparada. Aprovada com Muito Bom.
Maria Leonor Pires Martins, Cadernos de memórias coloniais. Identidades de classe de raça e de género em Maria Archer. 2002. FLUL. Literatura Comparada. Aprovada com Muito Bom.
Carlos Branco Mendes, Manipanços e Batuques. Recepção da cultura material africana e da música afro-­‐americana em Portugal nas décadas de 1920 e de 1930. 2002. FLUL. Literatura Comparada. Aprovada com Muito Bom.
Isabel Amélia Hermanns Xavier, A representação de Portugal na Imprensa Alemã, por ocasião da Expo 98, 2001. Universidade Aberta. Mestrado em Relações Interculturais. Aprovada com Muito Bom.
Marina Pankow Correia dos Santos, Outras Vozes. Representações da alteridade na obra de Sten Nadolny 2001. Aprovada com Bom com distinção.
19
Curriculum vitae!
Maria Alexandra dos Santos Robalo, Escrever o Outro. Uma leitura da Viagem à volta do mundo de A. von Chamisso à luz das tendências da etnologia contemporânea. 1998. Aprovada com Muito Bom. Maria Aura Vieira Cravo da Costa Martins, Confronto/Encontro de culturas — A questão da identidade cultural à luz dos contos da escritora de língua alemã Alev Tekinay. 1998. Aprovada com Muito Bom.
Cristina Alexandra Canelas Firmino, «Wunderbare Reisen zu Wasser und Lande, Feldzüge und lustige Abenteuer des Freiherrn von Münchhausen»: O Carnaval e a transgressão da racionalidade. 1998. Aprovada com Bom com Distinção.
Martina Dorothee Merklin, Interkulturelles Lernen im Deutschunterricht an portugiesischen Sekundarschulen. Lehrwerkanalyse sowie eine Umfrage bei SekundarschullehrerINNEN. 1997. Aprovada com Muito Bom .
4.2. Em curso
4.2.1. Pós-­‐doutoramento
Ana Balona de Sá Oliveira, His/estória em Processo: Recon6igurações da(s) narrativa(s) do(s) império(s) colonial(ais) na arte contemporânea de espaços lusófonos (e outros). FLUL/ FCSH. Orientadora; (Bolseira FCT).
4.2.2. Doutoramento Maria Caterina Lugliè, Fotogra6ia e Literatura em Moçambique: 1950-­‐1975. FLUL. Orientadora; (Bolseira FCT).
Irineu da Rocha Cruz, Dissociative State: Lefebvre, Lacan and the Postcolonial Lusophone Creole”. University College London. Co-­‐orientadora.
4.2.3. Mestrado
Maria Marija Domarkaite, Programas de Apoio da União Europeia ao Cinema Africano, Mestrado em Cultura e Sociedade na Europa.
5. TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTOS
2007-­‐
Website www.artafrica.info (Org. cientíAica).
6. PRÉMIOS, BOLSAS E DISTINÇÕES
2010/11 Bolsa de curta duração Fundação Calouste Gulbenkian;
2003/04 Bolsa Fulbright / Instituto Camões;
2002
School of Criticism and Theory, Cornell University;
2002
Bolsa curta duração Fundação Calouste Gulbenkian;
2000
DAAD –Deutscher Akademischer Austauschdienst;
20
Manuela Ribeiro Sanches
1999/00 Fulbright Commission / Instituto Camões;
1993
Bolsa de curta duração Fundação Calouste Gulbenkian;
1991
DAAD -­‐ Deutscher Akademischer Austauschdienst;
1989
DAAD -­‐ Deutscher Akademischer Austauschdienst.
7. ESTADIAS EM CENTROS DE INVESTIGAÇÃO E UNIVERSIDADES INTERNACIONAIS!
DE PRESTÍGIO
2010/11 Institute of African American Affairs, New York University.
2003/04 Center for Cultural Studies, University of California Santa Cruz.
2003
Department of Comparative Literature, University of Indiana, Bloomington.
2002
School of Criticism and Theory, Cornell University.
2000
Institut für europäische Ethnologie, Humboldt-­‐Universität zu Berlin.
1999/00 Center for Cultural Studies, University of California Santa Cruz.
1995
Interdisziplinäres Zentrum für die Erforschung der europäischen AuAklärung, Halle -­‐ Saale, Martin-­‐Luther Universität Halle-­‐Wittenberg.
II — DESEMPENHO PEDAGÓGICO
1. FUNÇÕES DOCENTES
1.1. Cursos de Licenciatura
Cultura Alemã I (anual);
Cultura Alemã II (anual);
Cultura Alemã I e II (semestral);
Identidade e Minorias (semestral);
Introdução ao Estudo da Cultura (semestral);
Comunicação Intercultural (semestral);
Cinema e Literatura (semestral);
Narrativas de Viagem (semestral);
Estudos Culturais (semestral);
Migrações Africanas (semestral) -­‐ em colaboração com o IGOT;
Cinema Africano (semestral).
21
Curriculum vitae!
1.2.Cursos de Mestrado e Pós-graduação
“ ‘Civilizados’ e ‘selvagens’. A dupla face da antropologia das Luzes.” Estudos Alemães. 1996-­‐1997. FLUL.
“Teoria pós-­‐colonial e perspectivas etnográAicas.” Literatura Comparada. 2001/2.
“Teoria pós-­‐colonial e perspectivas etnográAicas: ‘Raça’ e cultura no discurso antropológico.” Estudos Alemães e Literatura Comparada. 2002/03.
“Viagem e violência. Narrativas da pós-­‐colonialidade.” Estudos Alemães e Estudos Comparatistas. 2004/05.
“Discurso (pós)colonial e representações da alteridade.” Estudos Comparatistas. 2005/06.
“Rotas europeias e o Atlântico Negro. Migração, Identidade e a Europa pós-­‐colonial.”
Estudos Comparatistas. 2007/08.
Cultura Visual e Transculturalidade. Cultura e Sociedade na Europa 2007/08; 2008/2009; 2009/2010.
A Europa na Era da Globalização. Cultura e Sociedade na Europa e Políticas Europeias. 2009/2010.
1.2.1. Módulos em pós-graduações por convite noutras instituições
Leccionação de “Postcolonial Theory and Ethnographic Representations” (Advanced and Graduate Seminar). Universidade de Indiana, Bloomington: Department of Comparative Literature. Setembro/Outubro 2003.
Leccionação do módulo “Rotas europeias e o Atlântico Negro. Migração, Identidade e a Europa pós-­‐colonial” na pós-­‐graduação Culturas e Discursos Emergentes: da crítica às manifestações artísticas, FCSH em parceria com o Programa “O Estado do Mundo.”
Fundação Calouste Gulbenkian. Fevereiro 2007.
Leccionação do módulo “European Routes and the Black Atlantic” Programa de Estudo Independente, Maumaus Escola de Artes Visuais. Janeiro. 2008.
Leccionação do módulo “Power, the Visual and Questions of Representation.” Programa de Estudo Independente, Maumaus Escola de Artes Visuais. Janeiro 2009.
Leccionação do módulo “Identity and (Im)purity in Post-­‐colonial Europe” no seminário de pós-­‐graduação Spanning the Ocean(s) organizado pelo Programa de Estudo Independente, Maumaus Escola de Artes Visuais/Residência Artística FAAP na 29ª
Bienal de São Paulo Outubro 2010.
Leccionação do módulo “Violence, Power and Citizenship. (Post)Colonial Perspectives” no Programa de Estudo Independente, Maumaus Escola de Artes Visuais na Trienal de Tbilisi, Geórgia, e em iniciativa aAim, por ocasião de Guimarães Capital da Cultura. Outubro 2012.
22
Manuela Ribeiro Sanches
2. PUBLICAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁCTICOS
1998
Sociedade e Cultura Alemãs -­‐ Manual. Lisboa: Universidade Aberta (com Alfred Opitz e Fernando Clara).
3. PARTICIPAÇÃO EM JÚRIS
3.1.Doutoramento
Gutachter -­‐ Nadine Siegert, Re-­‐Mapping Luanda. Nostalgie und Utopie in der ästhetischen Praxis, 2013.
Orientadora -­‐ Sunday Adetunji Bamisile, Questões de género e da escrita no feminino na literatura africana contemporânea e da diáspora africana. Literatura Comparada. FLUL. 2013.
Vogal -­‐ Ana Margarida Godinho da Fonseca, Percursos da Identidade. Representações da Nação na Literatura Pós-­‐Colonial de Língua Portuguesa, Literatura Comparada, FLUL. 2007.
Arguente -­‐ Maria Gabriela de Castro Vilhena Fragoso, A percepção da natureza e a procura da totalidade em Alexander von Humboldt. Dissertação complementar. Literatura Alemã. FCSH -­‐ UNL, 1999.
Vogal -­‐ Luísa Suzete Afonso Soares, Imagens de desejo e de renúncia: perspectivas do feminino na obra de Jacob Michael Reinhold Lenz. Literatura Alemã, FLUL. 1998.
3.2. Mestrado
Arguente, Maria Inês do Vale Rocha, Thinking outside the Label ‘Aboriginal.’ Mestrado em Estudos Curatoriais, FBAUL, 2013.
Arguente -­‐ SoAia Soromenho, Dançar as Vicissitudes de uma nação. Tradição e contemporaneidade na Companhia Nacional de Canto de Dança de Moçambique: Transacções criativas e debates identitários em Gold de Rui Lopes Graça. Mestrado em Performance Artística/ Dança. Faculdade de Motricidade Humana, 2013.
Arguente -­‐ Carlos Manuel Luzia Alcobia, O dilema do curador -­‐ entre consenso e con_lito, o agonismo e sua importância dentro da prática curatorial. Mestrado em Estudos Curatoriais, FBAUL, 2012.
Orientadora -­‐ Sara Cristina Ferreira Rodrigues, A representação da Irishness no cinema nacional irlandês. Cultura e Sociedade na Europa, 2010. Cultura e Sociedade na Europa. FLUL. 2010.
Arguente -­‐ Sandra Isabel Ribeiro de Sousa Lourenço, Identidades e micro-­‐políticas. Hong Kong como um estudo de caso na prática artística e curatorial. Mestrado em Estudos Curatoriais, FBUL, 2007.
23
Curriculum vitae!
Arguente -­‐ Inês de Almeida e Costa Dias, Dias.Por.Aqui. Projecto de uma exposição. Mestrado em Estudos Curatoriais, FBAUL, 2006.
Orientadora -­‐ Tânia da Fonte, Geo-­‐archaeological Research: Drawing a Triangle. Master in Public Art and New Artistic Strategies, Bauhaus-­‐Universität Weimar, 2009.
Orientadora -­‐ Sunday Adetundji Bamisile, O engajamento sócio-­‐político da(s) literatura(s) africana(s): José Luandino Vieira e Chinua Achebe. FLUL. Literatura Comparada, 2006.
Arguente -­‐ Karolina Zablocka: Die Rezeption von Polen in deutschen Zeitschriften und preussischen statistischen Beschreibungen der 2. Hälfte des 18. Jahrhunderts, Estudos Alemães. FCSH-­‐UNL, Lisboa, 2005.
Arguente -­‐ Fernando Barbosa Rodrigues, Política da Língua no Cabo Verde Pós-­‐Colonial. Um desa_io à construção da ‘lusofonia’, Lisboa 2002. Antropologia, ISCTE), 2002.
Orientadora -­‐ Carlos Branco Mendes, Manipanços e Batuques. Recepção da cultura material africana e da música afro-­‐americana em Portugal nas décadas de 1920 e de 1930. Lisboa FLUL. 2002.
Orientadora -­‐ Maria Leonor Martins, Cadernos de memórias coloniais. Identidades de classe de raça e de género em Maria Archer. Lisboa. FLUL. 2002.
Orientadora -­‐ Marina Pankow Correia dos Santos, Representações da alteridade na obra de Sten Nadolny. Lisboa. FLUL. 2001.
Orientadora -­‐ Isabel Amélia Hermanns Xavier, A representação de Portugal na Imprensa Alemã, por ocasião da Expo 98, Lisboa, Universidade Aberta, 2001.
Orientadora -­‐ Cristina Alexandra Canelas Firmino, Wunderbare Reisen zu Wasser und Lande, Feldzüge und lustige Abenteuer des Freiherrn von Münchhausen: O Carnaval e a transgressão da racionalidade. Lisboa. FLUL. 1998.
Orientadora -­‐ Maria Alexandra dos Santos Robalo, Escrever o Outro. Uma leitura da Viagem à volta do mundo de A. von Chamisso à luz das tendências da etnologia contemporânea. 1998. Oientadora -­‐ Maria Aura Vieira Cravo da Costa Martins, Confronto/Encontro de culturas — A questão da identidade cultural à luz dos contos da escritora de língua alemã Alev Tekinay. 1998.
Orientadora -­‐ Martina Dorothee Merklin, Interkulturelles Lernen im Deutschunterricht an portugiesischen Sekundarschulen. Lehrwerkanalyse sowie eine Umfrage bei SekundarschullehrerINNEN. 1997.
III. ATIVIDADES RELEVANTES PARA A MISSÃO DA UNIVERSIDADE
1. EXERCÍCIO DE CARGOS E FUNÇÕES ACADÉMICAS
2006-­‐
Professora Auxiliar com Agregação da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
24
Manuela Ribeiro Sanches
1998/06 Professora Auxiliar de nomeação deAinitiva da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
1993/98 Professora Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
1985/93 Assistente da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
1981/85 Assistente estagiária da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
1.1.Desempenho de cargos unipessoais de gestão
2007/10 Coordenação do Mestrado em Cultura e Sociedade na Europa.
2005/06 Presidente da Comissão Pedagógica do Departamento de Estudos Germanísticos da Faculdade de Letras de Lisboa.
1998/99 Direcção do Instituto de Cultura Alemã.
1996/97 Secretariado da Comissão CientíAica do Departamento de Estudos Germanísticos.
1995/96 Presidente do Conselho Pedagógico da FLUL.
1.2.Participação em órgãos colegiais
2012-­‐
Membro do Grupo Interuniversitário para Criação de Cursos de Mestrado e Doutoramento em Estudos Africanos.
2007-­‐
Membro de Comissão CientíAica da Licenciatura em Estudos Africanos e Grupo da respectiva reestruturação.
2007/10 Coordenadora do Programa ERASMUS da Licenciatura em Estudos Europeus.
2000/10 Membro de Comissão CientíAica da Licenciatura em Estudos Europeus e do Grupo da respectiva reestruturação.
2004/05 Representante do Departamento de Estudos Germanísticos na Comissão de Estudos Pós-­‐Graduados da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
1998/99 Comissão de Reestruturação das Licenciaturas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
1998
Grupo de avaliação do Departamento de Estudos Germanísticos.
1996/97 Secretariado da Comissão CientíAica do Departamento de Estudos Germanísticos.
1996
Membro do Conselho Directivo.
1995/96 Presidente do Conselho Pedagógico da FLUL.
1996
Grupo de avaliação do Departamento de Estudos Germanísticos.
25
Curriculum vitae!
1994/95 Comissão de Reestruturação das Licenciaturas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
1993/96 Presidente da Comissão Pedagógica do Departamento de Estudos Germanísticos.
1982/84 Representante dos Assistentes na Comissão Pedagógica do Departamento de Estudos Germanísticos.
2. ACTIVIDADES DE EXTENSÃO CULTURAL
2012
Moderação, com José António Fernandes Dias de “Conversa / A Conversation com/with Keith Piper e/and Gabriela Salgado. No contexto da série Restos e Rastos/Remains and Traces.” África.cont-­‐CML, CEC. Carpe Diem, Arte e Pesquisa. 16 Novembro.
2012
Conversa sobre “Globalização, Migrações e Estado-­‐nação.” Em torno dos livros Direito de fuga, de Sandro Mezzadra (Edições Unipop, 2012), e Quem canta o Estado-­‐nação, de Judith Butler e Gayatri Spivak (Edições Unipop, 2012). 17 Novembro.
2012
Comentário a “Gayatri Spivak: a subalternidade sexuada,” por Adriana Bebiano e “Lila Abu-­‐Lughod e o movimento feminista,” por Shahd Wadi, Curso de Pensamento Crítico Contemporâneo, ISCTE. 26 Abril.
2011/12 Co-­‐organização com África.cont-­‐CML do Programa “O Barulhamento do Mundo. Outubro 2011 a Janeiro de 2012.
2011
“Travel and Escape – Some Notes,” palestra proferida por ocasião da inauguração da versão em Português do Ailme de Harun Farocki, Das Silber und das Kreuz. Galeria Lumiar Cité. 20 Outubro. 2011
Organização, concepção cientíAica e produção da 3ª edição Ciclo de Cinema Migração, Racismo e o Poder da Imagem e mesas redondas em paralelo. ArtAfrica, CEC , com Africa.cont-­‐ CML, SOS Racismo e Università degli Studi di Napoli, L'Orientale. 12-­‐14 Março (Iniciativa inserida no Programa O Barulhamento do Mundo). Clube Ferroviário, Lisboa. 13-­‐15 Outubro.
2010
Co-­‐organização da 2ª edição do ciclo de cinema Razzismo. Immigrazione e il Potere dell'immagine. Il cinema africano e della diaspora a Napoli. ArtAfrica, CEC, Africa.cont -­‐ CML e Università degli Studi di Napoli, l'Orientale. 14-­‐16 Outubro.
2008
“Edward Said.” Curso Pensamento Crítico Contemporâneo. Fábrica do Braço de Prata. 13 Dezembro.
2008
“De Edward Said aos Estudos Pós-­‐Coloniais.” Curso Pensamento Crítico Contemporâneo, Lisbon. 5 Abril.
2008
Organização, concepção cientíAica e produção da 1ª edição Ciclo de Cinema Migração Racismo e o Poder da Imagem e exposição em paralelo. ArtAfrica, CEC com Africa.cont-­‐ CML, Maumaus Escola de Artes Visuais e Università
degli Studi di Napoli, L'Orientale. Fábrica do Braço de Prata. 12-­‐14 Março.
26

Documentos relacionados