NEWSLETTER - Piscinas Biológicas

Сomentários

Transcrição

NEWSLETTER - Piscinas Biológicas
NEWSLETTER
8/2010
O
aquecimento da água das
piscinas biológicas parece ser, à
primeira vista, um tema para
debater no Inverno. Mas na verdade,
não é: nos dias de calor, as piscinas
biológicas no Algarve atingem
temperaturas que chegam aos 29-30 ºC.
Contudo, aquilo que agrada aos
banhistas, é um motivo de stress para a
vida na água. Nestes dias de calor
extremo, o zooplâncton, constituído
por animais de tamanho microscópico, é
forçado a refugiar-se no fundo e na
sombra das folhas flutuantes das plantas
das nossas piscinas.
Na perspectiva dos banhistas, o período
durante o qual as piscinas biológicas
apresentam águas com estas
temperaturas é relativamente curto,
pelo que alguns gostariam de poder
manter a água morna durante mais
tempo. Isto seria possível, mas
implicaria a instalação de uma estrutura
capaz de garantir estas condições
durante todo o ano ao ecossistema da
piscina biológica, que teria também de
ser modificado, nomeadamente através
da utilização de plâncton tropical,
adaptado à água permanentemente
aquecida. Mas a instalação de uma
grande estufa pode ser muito
dispendiosa. Assim, a grande maioria das
pessoas aprecia as temperaturas amenas
do Verão, mas aceita que o calor não
dure todo o ano.
Entrevista com o proprietário de
viveiro de plantas aquáticas
Eric Balans é de nacionalidade francesa,
casado com a portuguesa Alexandra Gil, vivendo há 20 anos no Algarve. Há dez anos
que trabalha como produtor de plantas
aquáticas e fornecedor exclusivo para os
projectos da Bio Piscinas, Lda. Das suas mãos
vêm todas as plantas para as nossas piscinas biológicas, lagos ornamentais biológicos
e estações de tratamento com plantas
(ETAP), espalhados por todo o país.
Newsletter: Começou a trabalhar com as
piscinas biológicas há dez anos. Qual foi a
razão?
Eric Balans: A Bio Piscinas, Lda. estava a procura de alguém que pudesse produzir localmente plantas aquáticas para os seus
projectos. O meu terreno já tinha boas
condições para este fim, muita água disponível e zonas húmidas com algumas variedades de plantas que permitiram começar a
propagação.
É um trabalho especializado? É necessário
um conhecimento específico para este trabalho?
Eric Balans: Anteriormente trabalhava em
agricultura biológica, o meio da água é bastante diferente. Fui aprendendo através de
literatura especializada, por experiência no
viveiro e com a preciosa ajuda dos colegas
da Bio Piscinas, Lda.
Porque razão é necessário um viveiro exclusivo para plantas de piscinas biológicas?
Blogue para
proprietários de
piscinas biológicas.
Se já for
proprietário de uma
piscina biológica,
pode aproveitar o
direito de acesso a
este blogue,
inscrevendo-se
através do envio de
um email para a Bio
Piscinas, Lda.
Receberá uma
resposta com todas
as instruções
acerca da forma
como poderá
participar.
A foto:
Não são cabeças de
dinossauros nem
monstros
marinhos... são
simplesmente
rochas calcárias
que os projectistas
da Bio Piscinas, Lda.
a proveitam, à
semelhança de
verdadeiras
esculturas
aquáticas.
NEWSLETTER
O livro sobre
piscinas biológicas
está disponível para
folhear e para a
compra on-line na
loja do nosso site:
www.biopiscinas.pt
Dia da
Piscina biológica
No mês de Setembro
vai decorrer o
próximo "Dia da
piscina biológica",
no Alentejo. Quem
quiser participar,
deverá enviar um
email para
[email protected]
solicitando
informações acerca
do local e indicando
o número de
pessoas que
desejam assistir ao
evento.
Claudia e Udo
Schwarzer da Bio
Piscinas, Lda. vão
mostrar uma piscina
biológica ao vivo e
em pleno uso.
Aproveitaremos esta
ocasião ímpar, para
informar os
interessados sobre
o funcionamento e
as particularidades
das piscinas
biológicas.
Piscinas biológicas ®
é uma marca
registada da Bio
Piscinas, Lda.
Eric Balans: Utilizamos plantas muito específicas que não se encontram noutros viveiros.
Quantas espécies têm em stock no vosso
viveiro?
Eric Balans: Neste momento, possuímos
cerca de 150 espécies.
Quantas espécies utilizam normalmente
num projecto de uma piscina biológica?
Eric Balans: Utilizamos um número que varia entre 40 a 60.
Que desafio representa este trabalho para
si?
Eric Balans: Cada novo projecto é um novo
desafio, partilhado por todas as pessoas
envolvidas, incluído o proprietário, na criação de um lugar que irá embelezar a paisagem, promover a biodiversidade e que
proporcionará muitas horas de prazer ao
longo dos anos.
Executa também as plantações, e efectuaas mergulhando. Qual é a razão ou a vantagem de proceder assim?
Eric Balans: Desta maneira, as plantas passam um mínimo de tempo fora do seu meio
natural. Logo a seguir à colheita nos tanques do viveiro, elas são lavadas e acondicionadas para o transporte. Na chegada ao
sítio da obra, voltam a ser plantadas no
lugar onde se irão desenvolver, no fundo
ou nas margens da piscina. A vantagem é
que desta forma, posso plantar no fundo e
nas margens de uma só vez.
As plantas não sofrem durante a viagem
até ao sítio da obra, especialmente se esta
for longe do viveiro?
Eric Balans: Não, pelo facto de serem transportadas em recipientes com água.
Não é raro as águas em Portugal serem
muito pobres em nutrientes. Podem as
plantas, por essa razão, sofrer de falta de
nutrição? Conhece algum "remédio", para
tratar desta situação, caso ela ocorra numa
piscina biológica?
Eric Balans: Quando aparece este tipo de
situação, pode-se juntar à água um fertilizante especial, que além de favorecer o
crescimento das plantas, reduz o aparecimento das algas. Este produto não prejudica a saúde dos
banhistas, nem a dos organismos presentes na água.
Entretanto já tem muita experiência neste trabalho?
Eric Balans: Em 10 anos,
creio ter aprendido algo…
Quer fazer alguma sugestão aos proprietários de uma
piscina biológica, relativamente às
plantas e à sua manutenção?
Eric Balans: Em geral, é necessária pouca
manutenção, bastando retirar-se as partes
mortas das plantas das margens, para que
não apodreçam na água, e as folhas amarelas dos nenúfares mais acessíveis. No fim
do Inverno, deve ser efectuada uma poda
mais "radical", evitando danificar os rebentos novos.
Já tinha conhecimento desta alternativa
"BIO" quando entrou em contacto com as
piscinas biológicas?
Eric Balans: Conhecia duas bio-piscinas na
região, nas quais já tomava banho, e tinha
muita vontade de um dia também ter uma.
Qual é, na sua opinião, a maior diferença
quando se trabalha no campo das instalações biológicas, ou seja, mais sustentáveis,
em comparação com as convencionais?
Eric Balans: A mais importante é o facto de
não se prejudicar o meio ambiente (toda a
produção das plantas do viveiro é feita sem
utilização de adubos químicos, tal como na
agricultura biológica) e de participar na
criação de um meio vivo e natural.
Possui também uma piscina biológica, não
é assim?
Eric Balans: Faz agora sete anos; está em
frente da casa, por isso, mesmo durante
os meses mais frios sem banhos, podemos
usufruir da sua beleza e da observação
deste espaço artificial que parece tão natural, com as visitas de libélulas, rãs, aves,
e outros bichinhos.
Trata também dos equipamentos solares
nas piscinas biológicas?
Eric Balans : Sim, os skimmers e os sistemas
de circulação da água funcionam com energia solar.
Qual é, no seu entender, a vantagem no uso
de equipamentos solares?
Eric Balans: Estes equipamentos trabalham
quando é necessário, ou seja, à luz do dia,
sendo assim muito menos agressivos para
os organismos vivos presentes na água
(zooplâncton, etc.), anulam o risco de
electrocussão para os utentes e utilizam
uma energia não poluidora.
Obrigada!

Documentos relacionados

GIABN Newsletter 2_2012.pmd

GIABN Newsletter 2_2012.pmd empresa SHB dos sócios Pedro Couto e Adelino Antunes, em pleno coração do Alentejo nasce com cerca de 320 m2 de espelho de água. O projeto ambicioso da autoria da Biopiscinas, Lda inclui uma ponte ...

Leia mais