7391-Revista V.7-n.1.indd - Prof. Dr. Amilcar Freitas

Сomentários

Transcrição

7391-Revista V.7-n.1.indd - Prof. Dr. Amilcar Freitas
Revisão da Literatura Caderno Científico
Overdentures sobreimplante à barra:
aspectos biomecânicos
Bar-clip implant-retained overdentures: biomechanical aspects
Amilcar Chagas Freitas Júnior*
Humberto Gennari Filho**
Marcelo Coelho Goiato***
Ana Kelly Garcia Gallo*
Daniela Micheline dos Santos*
RESUMO
As overdentures sobreimplantes apresentam comprovado índice de sucesso por estudos clínicos longitudinais.
Porém, há controvérsias na literatura sobre o mecanismo de transmissão e distribuição das tensões decorrentes
da função mastigatória sobre overdentures através dos sistemas de retenção e implantes aos tecidos ósseos e
de suporte. Assim, ainda nos dias de hoje, os mecanismos responsáveis pelas falhas biomecânicas dos implantes não estão completamente definidos pela literatura e a influência dos diversos fatores biomecânicos não é
conclusiva. O objetivo deste estudo foi realizar uma revisão da literatura sobre os aspectos biomecânicos que
podem induzir a falhas das overdentures sobreimplante, enfatizando os trabalhos que avaliaram os sistemas de
retenção do tipo barra-clipe. Baseado nos estudos até então realizados, pode-se relacionar o uso de implantes
esplintados por meio de barras metálicas (sistema rígido) a uma maior concentração de tensão nos implantes e
componentes protéticos e, simultaneamente, alívio das tensões nos tecidos de suporte adjacentes aos implantes quando comparado a implantes não-esplintados (sistemas esféricos e magnetos). Porém, as características
clínicas de cada paciente devem ser consideradas no planejamento para que ocorra um correto comportamento
biomecânico das overdentures sobreimplante, refletindo-se na longevidade do tratamento.
Unitermos - Overdentures; Implantes dentários; Biomecânica; Retenção em prótese dentária.
ABSTRACT
Implant-supported overdentures show high success according to longitudinal clinical studies. However, there are
controversies in the scientific literature regarding stress transmission and distribution on the supporting tissues
given by retention mechanisms and implants during masticatory function. Nowadays, the mechanisms responsible
for biomechanical failures on implants are not well-defined and their influence is inconclusive. The aim of this
study was to make a literature review about the biomechanical aspects related to failures in implant-supported
overdentures, emphasizing the studies with bar-connecting devices. Based on the reviewed studies, the use of
implants connected by metallic bars (rigid system) can be related to a higher stress concentration on the implants
and prosthetic components and with a lower stress in the supporting tissues near to the implants compared to
non-splinted implants (spherical and magnetic systems). However, the clinical characteristics of each patient must
be considered in the treatment planning for adequate biomechanical behavior of implant-supported overdentures,
allowing excellent treatment longevity.
Key Words - Overdentures; Dental implants; Biomechanics; Dental prosthesis retention.
* Mestres em Prótese Dentária pela Faculdade de Odontologia de Araçatuba - Unesp.
** Professor titular do Departamento de Materiais Odontológicos e Prótese da Faculdade de Odontologia de Araçatuba - Unesp.
*** Professor adjunto do Departamento de Materiais Odontológicos e Prótese da Faculdade de Odontologia de Araçatuba - Unesp.
REVISTA IMPLANTNEWS 2009;6(6):631-8
631
Freitas Jr. AC • Gennari Filho H • Goiato MC • Gallo AKG • dos Santos DM
Introdução e Proposição
suas vantagens e desvantagens, podendo ser classificados em:
sistemas esféricos, sistemas barra-clipe, sistemas magnéticos e
Uma queixa frequente dos pacientes desdentados é a
coroas telescópicas7.
ausência de retenção e estabilidade das próteses totais (PT). Isto
Porém, há controvérsias na literatura sobre o mecanismo
está relacionado ao processo fisiológico progressivo de reab-
de transmissão e distribuição das tensões decorrentes da função
sorção do rebordo alveolar decorrente da perda dos elementos
mastigatória sobre overdentures, através dos sistemas de retenção
dentais. A ausência de retenção somada à falta de estabilidade
e implantes aos tecidos ósseos e de suporte4. Assim, ainda nos
das PT provoca redução da força mastigatória e dificuldade na
dias de hoje, os mecanismos responsáveis pelas falhas biome-
articulação das palavras, interferindo na autoestima e qualidade
cânicas dos implantes não estão completamente definidos pela
literatura e a influência dos diversos fatores biomecânicos não
1
de vida destes pacientes .
Com o advento da Implantodontia, uma das alternativas
é conclusiva3. Em vista do exposto, o objetivo deste trabalho foi
para melhorar a condição destes pacientes, foram as overdentures
realizar uma revisão da literatura sobre os aspectos biomecânicos
sobreimplante (próteses dentárias implantorretidas e mucossupor-
que podem induzir a falhas das overdentures sobreimplante,
tadas), que têm sido utilizadas desde o início da década de 1980.
enfatizando os trabalhos que avaliaram os sistemas de retenção
Dentro desse contexto, a PT convencional deve ser apresentada
do tipo barra-clipe.
como uma modalidade terapêutica temporária para proporcionar função estética e oral durante o tratamento com implantes,
Revisão da Literatura e Discussão
principalmente no arco inferior, por apresentar limitada área de
suporte (restrita ao rebordo residual) que, aliada à presença das
O tratamento com overdenture sobreimplante com retenção
inserções musculares e da língua, atuam desestabilizando a PT
a barra foi consagrado na literatura por diversos autores8,9 nas
convencional inferior quando em função.
últimas três décadas. As barras são usadas para suportar e reter
Para a retenção de uma overdenture inferior, a presença de
as overdentures e são geometricamente caracterizadas por uma
dois a quatro implantes é o ideal . Outra opção de tratamento
secção transversal circular, ovoide ou de paredes paralelas conec-
seria a colocação de quatro a seis implantes na região anterior
tada a múltiplos pilares sobreimplante. Podem ser fabricadas com
da mandíbula, usados para a retenção e suporte de próteses
diferentes tipos de ligas metálicas e apresentar diferentes designs.
totais fixas do tipo protocolo. Quando comparadas às próteses
São conectadas à prótese por meio de clipes plásticos ou de ligas
do tipo protocolo, as overdentures necessitam de menor número
de ouro que se adaptam à superfície superior da barra.
1
de implantes, tornando o procedimento cirúrgico menos invasivo
Para as overdentures maxilares, recomenda-se o uso de
e oneroso. Além disso, as overdentures requerem procedimentos
quatro ou mais implantes com ou sem extensão distal (cantiléver)
mais simples, tanto cirúrgicos, devido a menor especificidade no
no sistema de retenção a barra. Na mandíbula, dois a quatro
posicionamento dos implantes, quanto protéticos, pelo uso de
implantes na região interforaminal são necessários, não sendo
sistemas de retenção pré-fabricados, com menos componentes,
recomendada a extensão distal da barra metálica além da posi-
proporcionando menor custo laboratorial, tornando-as mais
ção de primeiro pré-molar para melhorar a estabilidade contra
forças laterais8.
2-4
acessíveis a um maior número de pacientes .
Apesar do alto índice de sucesso das overdentures, falhas
A localização e o número de implantes para suportar uma
como reabsorção óssea marginal na região do implante podem
overdenture é fator preponderante para o design da superestru-
ocorrer e são consideradas frustrantes tanto para o paciente
tura8, pois influencia na retenção destes aparelhos protéticos.
quanto para o profissional3. Os insucessos podem ser decorrentes
Contudo, a retenção não deve ser o único fator a ser considera-
da falta de higienização pelo paciente ou de fatores biomecâ-
do. É importante não haver carga excessiva sobre os implantes.
nicos relacionados com as características do implante (forma-
Assim, trabalhos3,10 relacionados à biomecânica das overdentures
to, comprimento, diâmetro e tratamento de superfície), bem
implantossuportadas têm estudado a sobrecarga nos implantes,
como características clínicas do paciente, tais como qualidade
pois quando submetidos a cargas funcionais transmitem as ten-
e quantidade de tecidos ósseos, força mastigatória, condições
sões geradas diretamente ao osso alveolar.
sistêmicas e a resiliência da fibromucosa de suporte . Assim, a
A localização dos implantes também pode interferir no
escolha correta do sistema de retenção também tem um papel
conforto das overdentures retidas por barra-clipe. Quando dois
importante para o sucesso do tratamento, já que este consiste
implantes são posicionados de tal maneira que a barra linear in-
5
6
no ponto mais frágil do sistema de união prótese/implante .
vada o assoalho bucal, a língua fica com mobilidade limitada pela
Diversos são os tipos de sistemas de retenção, cada qual com
barra e pela camada de resina acrílica da overdenture necessária
3
632
REVISTA IMPLANTNEWS 2009;6(6):631-8
Revisão da Literatura Caderno Científico
para acomodar o clipe de retenção. Isto induz a problemas na
res implantorretidas e mucossuportadas aos tecidos de suporte,
mastigação, deglutição e fonação (Figuras 1 e 2). Além disso, o
especialmente aquelas que utilizam o sistema barra-clipe para
posicionamento dos dentes artificiais anteriores, localizados acima
retenção. Assim, uma pesquisa foi realizada na base de dados
do rebordo alveolar, resultará em rotação da overdenture durante
PubMed usando os termos overdenture, bar, implant e biome-
8
função. Para alguns autores , ao usar o sistema barra-clipe, uma
chanics, sendo encontrado um total de 55 artigos. Destes, 29
solução para este problema é utilizar uma barra angulada com
artigos (13 estudos in vivo e 16 estudos in vitro) que apresenta-
uma porção linear acima do rebordo alveolar para a adaptação
vam relevância para o tema abordado no presente estudo foram
do clipe. Porém, estudos com elementos finitos mostraram que
selecionados em função do periódico em que foram publicados
barras anguladas proporcionaram distribuição de tensões des-
e do ano de publicação (últimos 15 anos), sendo somadas às
favoráveis no osso ao redor dos implantes em comparação ao
referências de livros sobre o assunto.
uso de barras retas ou implantes isolados. Assim, sugere-se que
a colocação de sistemas de encaixes ou mesmo de implantes
adicionais pode ser necessária para prevenir altas concentrações
de tensão8.
Estudos in vitro
O comprimento da barra, o nível de dureza e as propriedades
dos materiais são fatores fundamentais para o comportamento
Outro fator a ser observado é a diferença de resiliência entre
mecânico das barras12. As falhas mais comuns de ocorrerem com
o implante (20 µm a 30 µm) e a fibromucosa (em torno de 500
as barras podem ser a perda do parafuso de retenção do pilar
6
µm) . Sabe-se que a concentração de tensão no implante é maior
anterior ao fulcro, fratura na porção distal da junção pilar/canti-
com o aumento na resiliência (flacidez) da fibromucosa. Por isso,
léver e deformação plástica do segmento do cantiléver.
11
alguns autores acreditam que a utilização de sistema de reten-
Outro fator que pode interferir nas fraturas das barras é
ção do tipo barra-clipe diminuiria esse estresse por possibilitar
a qualidade e a resistência dos pontos de solda9. A associação
um movimento rotacional, e às vezes vertical, da overdenture
de fatores relacionados ao método de soldagem, resistência do
em conjunto com a fibromucosa, em torno do longo eixo da
ponto de solda, tipo de abrasivo usado nas superfícies, níveis
barra. Esse movimento da overdenture durante a mastigação
de porosidade, compatibilidade entre os metais do cilindro e da
faz-se necessário para proteger o pilar e permitir a resiliência
barra, presença de espaços vazios no interior da liga e design
2
da fibromucosa. Por outro lado, outros autores afirmam que as
inadequado da barra podem oferecer uma explicação para a
overdentures com o sistema barra-clipe, por permitirem apenas
verdadeira etiologia das fraturas das overdentures sobreimplan-
rotação em torno da barra, proporcionam maior transferência de
te retidas a barra. Já a temperatura usada para a fundição de
tensão aos implantes e ao sistema barra-clipe em comparação às
barras (entre 850ºC e 950ºC) não é um fator preponderante
overdentures sobre dois implantes isolados (com suporte princi-
para as falhas de soldagem, mas sim a negligência de qualquer
palmente mucoso), conectadas por meio de sistemas esféricos
um dos fatores descritos anteriormente. Os locais potenciais de
ou magnetos (sistemas resilientes), que permitem a rotação e
falha incluem o ponto de solda na raiz do cantiléver e a secção
translação da overdenture.
do cilindro sobre o implante ao qual o cantiléver está ligado
Em função da complexidade do assunto, diversos estudos
formando um ângulo de 90º graus (Figura 3). Isso porque esta
têm sido realizados in vitro e in vivo para avaliar o mecanismo de
região é tensionada pelo torque aplicado ao parafuso de retenção
absorção e distribuição das tensões transmitidas pelas overdentu-
e por forças de flexão9.
Figuras 1 e 2
Barra linear posicionada sobre dois implantes, proporcionando a invasão do espaço da língua pela base de resina da prótese, acarretando desconforto ao paciente.
REVISTA IMPLANTNEWS 2009;6(6):631-8
633
Freitas Jr. AC • Gennari Filho H • Goiato MC • Gallo AKG • dos Santos DM
pe e esférico (O’ring) isolados em overdentures maxilares sem
palato sobre quatro implantes e afirmaram que uma oclusão
balanceada é requerida para ambos os sistemas de retenção
para a estabilidade da overdenture quando submetida a cargas
clinicamente aceitáveis.
Ao remover o palato das overdentures, como no estudo
anterior, objetiva-se melhorar a manutenção da sensibilidade e
função oral, mesmo ciente de que isto proporciona uma maior
tensão nos implantes. Assim, o uso de materiais para absorver
as tensões nos sistemas de conexão entre as overdentures e os
implantes pode ser considerado eficaz, mas também pode alterar o deslocamento das overdentures, aumentando o estresse e
acentuando a reabsorção do rebordo residual. Alguns autores15
afirmaram que a remoção do palato em overdenture produziu
maior influência na concentração de tensões do que o tipo de
Figura 3*
Locais potenciais de falha nos sistemas de retenção a barra.
sistema de retenção. Além disso, os autores demonstraram
com o MEF tridimensional que as tensões geradas na interface
osso-implante podem ser reduzidas diminuindo o módulo de
Por meio do método dos elementos finitos (MEF) bidimensional, alguns autores3 observaram que o uso de implantes esplin-
elasticidade do material capaz de absorver as tensões ou, então,
aumentando a sua espessura.
tados associados ao uso do sistema barra-clipe (sistema rígido)
Estudando com a técnica de fotoelasticidade as caracterís-
proporcionou maior concentração de tensão no implante (região
ticas de transferência de carga de diferentes designs de sistemas
apical) e componentes protéticos e, simultaneamente, menor
de retenção em overdentures mandibulares com e sem contato
tensão sobre os tecidos de suporte adjacentes aos implantes
com o rebordo residual, foi observado que a extensão da base
quando comparado a implantes não-esplintados com sistema de
em contato com o rebordo residual posterior é importante para
retenção do tipo O’ring (sistema esférico, resiliente) em overden-
uma melhor distribuição das tensões16. Embora as forças trans-
tures mandibulares submetidas a cargas funcionais posteriores.
mitidas aos implantes sejam mais uniformes quando sistemas
Isso porque sistemas esféricos permitem maior amplitude de
de retenção esféricos isolados são usados em relação às barras
movimento à prótese (movimentos ântero-posterior, lateral e
unindo os implantes, os autores afirmam que a seleção do sistema
intrusivo). Estes movimentos, particularmente os movimentos de
deve levar em consideração condições clínicas específicas, como
intrusão, são provavelmente a principal causa da compressão dos
morfologia e anatomia da mandíbula, requisitos de retenção e
tecidos de suporte. A maior concentração de tensão ocorreu no
disponibilidade do paciente para manutenção e controles.
osso cortical, em torno do pescoço dos implantes.
Estudos17 utilizando o teste de fadiga após simulação de
Estudos com o uso da técnica de strain-gauges13 e de foto14
inserção e remoção de cinco anos dos sistemas barra-clipe e
elasticidade também observaram maior tensão nos implantes
O’ring, observaram não haver diminuição nos valores retenção
conectados a overdentures com o sistema barra-clipe. Outros
ou fratura dos componentes em ambos os sistemas, observando
autores
10
encontraram resultados similares, observando maior
concentração de tensão nos tecidos de suporte em overdenture
com implantes não-esplintados.
ainda que o sistema barra-clipe apresentou os maiores valores
de retenção.
Baseado em testes laboratoriais de retenção, os diversos sis-
Por meio da fotoelasticidade, observou-se que uma barra
temas de retenção para overdentures foram agrupados segundo
associada a encaixes esféricos posteriores demonstraram menor
suas características de retenção em alta (sistema ERA cinza), média
transferência de tensão aos implantes orientados verticalmente
(sistema Locator LR branco, sistema bola Spheroflex, sistema
ou inclinados em overdentures mandibulares sobre três implan-
barra Hader e clipe metálico, sistema ERA branco), baixa (sistema
tes, em comparação a implantes não esplintados, apresentando
Locator LR rosa) e muito baixa (magneto Shiner, magneto Maxi,
7
4
estresse moderado no lado do carregamento . Outros autores ,
com a mesma metodologia, compararam os sistemas barra-cli-
magneto Magnedisc)10.
Por meio de modelos estereolitográficos fabricados de acordo com a situação real de um paciente e com o auxílio da técnica
*Esquema ilustrativo retirado do trabalho de Waddell et al (2006).
634
REVISTA IMPLANTNEWS 2009;6(6):631-8
de strain-gauges, cinco sistemas de retenção (coroas telescópicas
Revisão da Literatura Caderno Científico
rígidas e resilientes, barra tipo Dolder, sistemas esféricos isolados
Em estudo24 com 44 pacientes tratados com overdentures
e magnetos) para overdentures mandibulares sobre dois implan-
maxilares implantorretidas a barra de paredes paralelas, com e
18
observaram que as coroas
sem cantiléver, ocorreu um número equivalente de fratura das
telescópicas rígidas promoveram a maior transmissão de força aos
barras em ambos os grupos durante um período de observação
tes foram analisados e os autores
implantes, sugerindo restrições a sua indicação. A barra também
de cinco anos. Assim, questiona-se se as extensões distais para
apresentou alta transmissão de força aos implantes, podendo
overdentures a barra são necessárias e se as mesmas irão neces-
ter sido exacerbada pela condição individual do paciente. Já os
sariamente fraturar9.
sistemas com coroas telescópicas resilientes e os sistemas esféricos
Por outro lado, um estudo25 com strain-gauge na trans-
e magnetos isolados apresentaram baixa transmissão de força
missão de forças axiais induzidas pelos sistemas de retenção aos
aos implantes, em parte resultante das forças horizontais cau-
implantes suportes de overdentures não observou diferenças
sadas pela overdenture. O carregamento da área de suporte da
significantes entre a barra Dolder com ou sem extensão bilateral
overdenture foi diferente para todos os sistemas e foi relacionada
(C&M) e sistema esférico (Nobel Biocare).
à rigidez de cada um deles, alcançando valores maiores com as
coroas telescópicas não-rígidas, sendo seguidas pelos sistemas
esféricos, magnetos, barras e coroas telescópicas rígidas.
Estudos in vivo
Em uma revisão da literatura baseada em estudos clínicos,
foi relatada um taxa de falha de 3,97% para overdentures sobreimplante (de um total de 302 overdentures), relacionadas
com fratura da barra9.
Em relação ao número de implantes, estudos clínicos não
observaram diferenças nas condições clínica e radiográfica de
pacientes tratados com dois ou quatro implantes para a retenção
de overdentures mandibulares19. Portanto, dois ou três implantes
podem e devem ser usados para a retenção e estabilidade de
overdentures, pois proporcionam um benefício econômico ao
paciente15. Por outro lado, a colocação de mais de dois implantes
na região interforaminal pode criar uma relação angular favorável
entre os implantes ao invés de uma relação linear. Por exemplo,
em uma overdenture retida por três implantes, o implante posicionado anteriormente promove retenção indireta por prevenir a
intrusão do segmento anterior da prótese contra os tecidos20.
Em situações de overdentures sobre quatro implantes com
três barras tipo Dolder, foram observadas fraturas da barra em
Em relação ao número de implantes,
estudos clínicos não observaram
diferenças nas condições clínica e
radiográfica de pacientes tratados
com dois ou quatro implantes
para a retenção de overdentures
mandibulares19. Portanto, dois ou três
implantes podem e devem ser usados
para a retenção e estabilidade de
overdentures, pois proporcionam um
benefício econômico ao paciente15. Por
outro lado, a colocação de mais de dois
implantes na região interforaminal
pode criar uma relação angular
favorável entre os implantes ao invés
de uma relação linear.
25% dos casos na presença de cantiléver distal; enquanto esse
número diminuiu para 5% na ausência de cantiléver e com a
mesma configuração da prótese21. As fraturas ocorreram sempre
No mesmo ano, autores26 relacionaram a fratura de barras
na região posterior, onde se dá a maior incidência de forças oclu-
metálicas de próteses totais fixas sobreimplante a uma reunião
sais. Outros autores22, observaram duas fraturas na região entre
de fatores, incluindo espessura insuficiente de metal, ponto de
os implantes e oito fraturas no cantiléver distal num total de 33
solda insatisfatório, comprimento excessivo do cantiléver, resis-
pacientes usuários de overdentures maxilares retidas a barra tipo
tência inadequada das ligas metálicas, hábitos parafuncionais do
Dolder por um período de até dois anos de uso.
paciente e design incorreto da infraestrutura metálica. Segundo
Por outro lado, estudos23 mostram que a adição da extensão
distal da barra para aumentar a estabilidade de overdentures
os autores, estas informações podem ser interpretadas, com
cautela, também para as overdentures sobreimplante.
sobre dois implantes posicionados anteriormente à região de
Em um trabalho2 que avaliou clínica e radiograficamente
primeiro pré-molar influenciou na magnitude e direção das forças
dez pacientes, o grupo tratado com overdentures com suporte
muito menos que o esperado.
mucoso principal (dois implantes não-esplintados com magnetos)
REVISTA IMPLANTNEWS 2009;6(6):631-8
635
Freitas Jr. AC • Gennari Filho H • Goiato MC • Gallo AKG • dos Santos DM
apresentou menor reabsorção óssea distal aos implantes do que
Ao serem avaliados o grau de satisfação e capacidade de
overdentures retidas por dois implantes conectados por meio de
higienização de pacientes usuários de overdentures retidas pela
barra. Por outro lado, os valores para o índice de placa foram
associação dos sistemas barra-clipe/ERA ou por cada um dos siste-
significantemente maiores no grupo tratado com overdentures
mas usados isoladamente, observou-se que tanto as overdentures
retidas por magnetos. Segundo os autores, esses resultados po-
retidas por barra-clipe como por ERA proporcionaram índices
dem ser atribuídos à influência da ação do campo magnético,
similares de satisfação ao paciente e acúmulo de placa, cálculo
proporcionado por este sistema de retenção. Após 18 meses de
e inflamação gengival30. Assim, os autores afirmam que ambos
acompanhamento, o grupo tratado com overdentures retidas
os sistemas são igualmente satisfatórios e fáceis de higienizar.
por barra apresentaram um aumento significante na inflamação
Por outro lado, outros fatores como biomecânica, preferência
gengival quando comparado com o grupo com overdentures
do paciente e experiência prévia podem ser críticos durante a
retidas por magnetos, provavelmente devido a dificuldade dos
seleção do sistema de retenção de overdentures suportadas por
pacientes na manutenção do alto nível de higiene bucal.
implantes.
Ao avaliarem a função mastigatória de 18 pacientes usu-
Conclusão
ários de overdentures com três diferentes sistemas de retenção
(magnetos, esféricos e barra-clipe) por meio da medição da
atividade eletromiográfica dos músculos mandibulares e da mo-
Tem sido observada uma grande variedade de estudos in
27
vimentação mandibular durante a mastigação, alguns autores
vivo e in vitro envolvendo as overdentures sobreimplante nas
não observaram diferenças significantes na atividade muscular
últimas três décadas. As overdentures sobreimplante apresentam
e movimentação mandibular entre os três sistemas, apesar de
comprovado índice de sucesso por um grande número de estudos
observarem diferenças significantes na performance mastigatória
clínicos longitudinais. Porém, estes estudos limitam-se a relatar
após o tratamento com implantes.
os índices de sucessos e fracassos, sem realizar uma discussão
Em estudo28 que avaliou os sistemas barra-clipe, esférico e
mais profunda a respeito dos motivos que justificam os valores
magnetos em overdentures mandibulares sobre dois implantes,
encontrados. Baseados nisso, vários estudos in vitro envolvendo
foi observado que, após três meses de função e manutenção pós-
a análise de elementos finitos, as técnicas de fotoelasticidade e
inserção, nenhuma diferença na força de retenção no momento
strain-gauges e, ainda, testes mecânicos de resistência e retenção
da instalação e após três meses de carregamento foi observada
foram realizados e, de forma geral, relacionaram o uso de im-
para os três sistemas avaliados, sendo de 8,1 N para magnetos,
plantes esplintados por meio de barras metálicas (sistema rígido)
29,7 N para esféricos e 31,3 N para barra-clipe. Além disso,
a uma maior concentração de tensão no implante e componentes
maiores complicações durante a manutenção foi observada para
protéticos e, simultaneamente, alívio das tensões nos tecidos de
os magnetos. Já nos sistemas esféricos, as complicações foram
suporte adjacentes aos implantes quando comparado a implantes
raras, enquanto o sistema barra-clipe não apresentou nenhuma
não-esplintados (sistemas esféricos e magnetos). Porém, as carac-
complicação durante o período avaliado. Estes dados tornam-se
terísticas clínicas (higienização, qualidade e quantidade de tecido
importantes porque, segundo os autores, um sistema que apre-
ósseo, resiliência da fibromucosa, força mastigatória e condições
senta maior retenção contra forças verticais e horizontais pode ser
sistêmicas) de cada paciente devem ser consideradas. Portanto,
associado a parâmetros mais favoráveis durante função oral.
um cuidadoso planejamento é fundamental para o correto
Ao compararem os resultados clínicos (taxa de fluxo do
fluido sulcular, valores do Periotest) e radiográficos (perda óssea
comportamento biomecânico das overdentures sobreimplante
e, consequentemente, a longevidade do tratamento.
peri-implantar) em overdentures sobreimplantes conectados a
barra ou por meio de coroas telescópicas em mandíbulas com dois
ou mais implantes localizados na região interforaminal, alguns
autores29 não observaram diferenças significantes na estabilidade
das overdentures com os dois sistemas de retenção. Não houve
predominância no número de perda dos implantes devido ao uso
de um dos sistemas de conexão (barra ou coroas telescópicas).
636
REVISTA IMPLANTNEWS 2009;6(6):631-8
Recebido em: abr/2009
Aprovado em: jun/2009
Endereço para correspondência:
Amílcar Chagas Freitas Júnior
Rua Waldir Felizola de Moraes, 1560 – Bloco 3 – Apto. 32
16015-295 - Araçatuba - SP
Tel.: (18) 9101-2849
[email protected]
Revisão da Literatura Caderno Científico
Referências bibliográficas
1. Bonachela WC, Rossetti PHO. Overdentures: das raízes, aos implantes osseointegrados.
Planejamento, tendências e inovações. São Paulo: Ed Santos; 2002.
2. Assad A, El-Dayem MAA, Badawy MM. Comparison between mainly mucosa-supported and combined
mucosa-implant-supported mandibular overdentures. Implant Dent 2004;13(4):386-94.
3. Assunção WG, Tabata LF, Barão VAR, Rocha EP. Comparison of stress distribution between complete
denture and implant-retained overdenture-2D FEA. J Oral Rehabil 2008;35(10):766-74.
4. Fanuscu MI, Caputo AA. Influence of attachment systems on load transfer of an implant-assisted
maxillary overdenture. J Prosthodont 2004;13(4):214-20.
5. Tada S, Stegaroiu R, Kitamura E, Miyakawa A, Kusakari H. Influence of implant design and bone
quality on stress/strain distribution in bone around implants: a 3-dimensional finite element
analysis. Int J Oral Maxillofac Implants 2003;18(3):357-68.
6. Ichikawa T, Horiuchi M, Wigianto R, Matsumoto N. In vitro study of mandibular implant-retained
overdentures: the influence of stud attachments on load transfer to the implant and soft tissue.
Int J Prosthodont 1996;9(4):394-9.
7. Celik G, Uludag B. Photoelastic stress analysis of various retention mechanisms on 3-implantretained mandibular overdentures. J Prosthet Dent 2007;97(4):229-35.
8. Meijer HJ, Starmans FJM, Steen WH, Bosman F. Location of implants in the interforaminal region
of the mandible and the consequences for the design of the superstructure. J Oral Rehabil
1994;21(1):47-56.
9. Waddell JN, Payne AG, Swain MV. Physical and metallurgical considerations of failures of soldered
bars in bar attachment systems for implant overdentures: a review of the literature. J Prosthet
Dent 2006;96(4):283-8.
10. Chun HJ, Park DN, Han CH, Heo SJ, Heo MS, Koak JY. Stress distributions in maxillary bone
surrounding overdenture implants with different overdenture attachments. J Oral Rehabil
2005;32(3):193-205.
11. Payne AG, Solomons YF. The prosthodontic maintenance requirements of mandibular mucosa- and
implant-supported overdentures: a review of the literature. Int J Prosthodont 2000;13(3):238-43.
12. Bidez MW, Chen Y, McLoughlin SW, English CE. Finite element analysis of four-abutment hader
bar designs. Implant Dent 1993;2(3):171-6.
13. Tokuhisa M, Matsushita Y, Koyano K. In vitro study of mandibular implant overdenture retained
with ball, magnet or bar attachments: comparison of load transfer and denture stability. Int J
Prosthodont 2003;16(2):128-34.
14. Kenney R, Richards MW. Photoelastics stress patterns produced by implant-retained overdentures.
J Prosthet Dent 1998;80(5):559-64.
15. Ochiai KT, Willliams BH, Hojo S, Nishimura R, Caputo AA. Photoelastic analysis of the effect
of palatal support on various implant-supported overdentures designs. J Prosthet Dent
2004;91(5):421-7.
16. Sadowsky SJ, Caputo AA. Effect of anchorage systems and extension base contact on load
transfer with mandibular implant-retained overdentures. J Prosthet Dent 2000;84(3):327-34.
17. Botega DM, Mesquita MF, Henriques GEP, Vaz LP. Retention force and fatigue strength of
overdenture attachments systems. J Oral Rehabil 2004;31(9):884-9.
18. Heckmann SM, Winter W, Meyer M, Weber HP, Wichmann MG. Overdenture attachment selection
and the loading of implant and denture-bearing area. Part 2: a methodical study using five types
of attachments. Clin Oral Implants Res 2001;12(6):640-7.
19. Visser A, Raghoebar GM, Meijer HJ, Batenburg RH, Vissink A. Mandibular overdentures
supported by two or for endosseous implants. A 5-year prospective study. Clin Oral Implants
Res 2005;16(1):19-25.
20. Sadig WM. Special technique for attachment incorporation with an implant overdenture. J
Prosthet Dent 2003;89(1):93-6.
21. Den Dunnen AC, Slagter AP, de Baat C, Kalk W. Adjustments and complication of mandibular
overdentures retained by four implants. A comparison between superstructures with and without
cantilever extensions. Int J Prosthodont 1998;11(4):307-11.
22. Kiener P, Oetterli M, Mericske E, Mericske-Stern R. Effectiveness of maxillary overdentures
supported by implants: maintenance and prosthetic complications. Int J Prosthodont
2001;14(2):133-40.
23. Mericske-Stern R. Force distribution on implants supporting overdentures: the effect of distal
bar extensions. A 3-D in vivo study. Clin Oral Implants Res 1997;8(2):142-51.
24. Dudic A, Mericske-Stern R. Retention mechanisms and prosthetic complications of
implant-supported mandibular overdentures: long-term results. Clin Implant Dent Relat Res
2002;4(4):212-9.
25. Duyck J, Van Oosterwyck H, Vander Sloten J, De Cooman M, Puers R, Naert I. In vivo forces on
oral implants supporting a mandibular overdenture: the imfluence of attachment system. Clin
Oral Invest 1999;3(4):201-7.
26. Goodacre CJ, Kan JY, Rungcharassaeng K. Clinical complications of osseointegrated implants.
J Prosthet Dent 1999;81(5):537-52.
27. Bilt A, van Kampen FMC, Cune MS. Masticatory function with mandibular implant-supported
overdentures fitted with different attachment types. Eur J Oral Sci 2006;114(3):191-6.
28. Kampen F, Cune M, van der Bilt A, Bosman F. Retention and postinsertion maintenance of
bar-clip, ball and magnet attachments in mandibular implant overdenture treatment: an in vivo
comparison after 3 months of function. Clin Oral Implants Res 2003;14(6):720-6.
29. Eitner S, Schlegel A, Emeka N, Holst S, Will J, Hamel J. Comparing bar and double-crown
attachments in implant-retained prosthetic reconstruction: a follow-up investigation. Clin Oral
Implants Res 2008;19(5):530-7.
30. Ambard AJ, Fanchiang JC, Mueninghoff L, Dasanayake AP. Cleansability of and patient’s
satisfaction with implant-retained overdentures. J Am Dent Assoc 2002;133(9):1237-42.
REVISTA IMPLANTNEWS 2009;6(6):631-8
637

Documentos relacionados