Folha Militar Outubro.indd

Сomentários

Transcrição

Folha Militar Outubro.indd
nossa força é a notícia
Ministro Nelson Jobim explica Estratégia Nacional de Defesa
ADESG comemora o Dia do Aviador
e da Força Aérea Brasileira
Foto: ADESG
● Marinha, Exército e Aeronáutica vão receber investimentos na ordem de 27 bilhões de dólares ao longo dos próximos 10 anos. O projeto de reaparelhamento das Forças Armadas, previsto na Estratégia
Nacional de Defesa, também promete abrir um novo mercado para
as indústrias nacionais. Com o intuito de promover uma aproximação
entre os setores, o Departamento da Indústria de Defesa (Comdefesa) realizou, no dia 6 de outubro, no Centro Cultural FIESP Ruth
Cardoso, em São Paulo, um seminário com a presença do Ministro
da Defesa, Nelson Jobim, e uma rodada de negócios para que os
industriais conheçam as demandas das Forças Armadas. Página 4
www.folhamilitar.com.br
Presidente da República do Chile
visita a Corveta “Barroso”
Foto: CCSM
Estratégia Nacional de Defesa prevê
reaparelhamento das Forças Armadas
Foto: CCSM
Rio de Janeiro, Outubro de 2010 - Ano I - Edição 2
Embaixador do Brasil no Chile, Mario Vilalva, Presidente da República do Chile, Sebastian
Piñera; e Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto
● No dia 20 de setembro, a Corveta “Barroso” participou da Revista Naval ocorrida na cidade de Valparaíso, em comemoração ao
Bicentenário da República do Chile. O evento contou com a participação de 21 meios da Armada chilena, dentre Fragatas, Submarinos,
Navios-Patrulha e Navios-Anfíbios, além de navios das Marinhas da
Argentina, Brasil, Canadá, Estados Unidos da América e Inglaterra.
As 26 embarcações compuseram uma formatura em coluna e prestaram honras ao Presidente da República do Chile, Sebastian Piñera,
que encontrava-se embarcado no Navio-Veleiro “Esmeralda”. Paralelamente à Revista Naval, houve um desfile aéreo, composto por diversas aeronaves de asa fixa e rotativa das Forças Armadas chilenas.
Após a atividade, foi oferecido, na Corveta “Barroso”, um Vinho de
Honra pelo Comandante da Marinha do Brasil, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, em homenagem ao Bicentenário da
Independência do país e ao povo chileno. O evento contou com a
presença do Presidente da República do Chile, do Comandante-emChefe da Armada do Chile e de diversas autoridades locais e de outras
marinhas. O Presidente Piñera foi presenteado pelo Comandante da
Marinha com uma placa alusiva ao evento. (CCSM/ FM)
Curso de Política e Estratégia
Aeroespaciais visita países da OTAN
● No tradicional almoço mensal da ADESG, o Comandante da
Aeronáutica Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito, recebeu do presidente da instituição, Brigadeiro Hélio Gonçalves, o troféu Guerreiro
Adesguiano que representa o amor ao Brasil daqueles que possuem
uma permanente preocupação na preservação dos valores nacionais.
Página 9 e 11
● O Curso de Política e Estratégia Aeroespaciais (CPEA/2010) da
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica realizou, entre
os dias 08 e 19 de outubro, viagem de estudos a países membros da
Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). A viagem à
Europa do Século 21, que vive os novos desafios estabelecidos pelo
Tratado de Lisboa, proporcionou aos Oficiais-Alunos do curso a possibilidade de conhecer a conjuntura de emprego do Poder Aeroespacial em organismos de Segurança Regional das Forças Armadas dos
Estados-Membros da União Européia.
Páginas 10
Editorial
O desafio continua...
Nesta segunda edição da Folha Militar procuramos superar
a primeira.
Na capa colocamos a matéria com o Ministro Jobim falando sobre a Estratégia Nacional de Defesa e o reaparelhamento
das Forças Armadas, que vão receber 27 bilhões de dólares durante os próximos 10 anos. Ressaltamos a visita do presidente da
República do Chile Sebastian Pineira, à Corveta Barroso, durante
Revista Naval na cidade de Val Paraíso. Também focalizamos a
visita do Curso de Política e Estratégia Aeroespaciais aos países
membros da OTAN. Não poderíamos deixar de veicular a homenagem da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra,
a Força Aérea Brasileira e ao “Dia do Aviador”, como também
o desfile militar em Brasília com a presença do presidente Lula.
Em nossas páginas centrais escrevemos sobre o Colégio Militar de
Porto Alegre, que está incluído entre as 100 melhores instituições
do país e a Biblioteca do Exército, que guarda raridades da história brasileira.
Na página quatro mostramos as visitas do ministro da
Defesa da China e do comandante das Academias de Guerra da
Turquia ao Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro. Na página cinco mostramos a participação da Marinha na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e o Almirante-de-esquadra Júlio
Soares de Moura Neto assinando um acordo operacional durante
o 8º Simpósio de Poder Naval das Marinhas do Mediterrâneo e
do Mar Negro.
Não poderíamos deixar de mencionar os 68 anos de criação
da Força Naval do Nordeste. Finalmente na página doze as notícias sobre os Jogos Mundiais Militares.
No Panorama Militar tínhamos que registrar a palestra da
colega Ana Paula Padrão, que enfatizou a necessidade de uma
aproximação permanente entre jornalistas e militares.
www.folhamilitar.com.br
editor
Luiz Carlos Pereira Coelho
design gráfico
Mariana Cabral
Folha Militar é um veículo de comunicação
da Editora Itta Ltda.
Editado na rua da Lapa, nº 120 - salas 902 e 903 - Centro,
Rio de Janeiro Cep.: 20021-180 - Tel.: (21) 2222-9470
Impresso na Folha Dirigida rua Riachuelo, nº 114 - Centro,
Rio de Janeiro Cep.: 20230-014 - Tel.: (21) 3233-6340
Outubro/2010
Panorama Militar
Defesa homenageia FAB e aviadores
O Ministério da Defesa também comemorou o Dia do Aviador
e da Força Aérea Brasileira em solenidade realizada no dia 21 outubro em seu edifício-sede. A cerimônia foi presidida pelo Secretário de
Política, Estratégia e Assuntos Internacionais do Ministério, Tenente
Brigadeiro-do-Ar Marco Aurélio Mendes.
Durante a cerimônia, foram agraciados com a “Medalha Militar” nove militares pelo reconhecimento e bons serviços prestados.
Foi feita também a leitura da ordem do dia, dirigida pelo Comandante
da Aeronáutica, Juniti Saito, que destacou os serviços prestados pelos
militares brasileiros que defendem o Brasil e apoiam alguns países vizinhos como o Haiti e o Chile. Estiveram presentes à solenidade mais
de 70 pessoas, entre autoridades civis e militares. (ASCOM/ MD/ FM)
João Schettino recebe medalha
O arsenal de guerra do Rio de Janeiro, comandado pelo Coronel Engenheiro Hélio Aires Pegado, homenageou com autórga da
medalha Conde de Boabadela, o seu ex-servidor João Schettino com
101 anos de idade e mais de 40 anos de serviço na passagem do dia
Jornalista Ana Paula Padrão trata de relacionamento
com a imprensa em cursos para oficiais
“Como uma boa relação
com o jornalista pode consolidar a boa imagem da instituição
na sociedade”. Esse foi o tema
da palestra da jornalista Ana
Paula Padrão, da Rede Record,
no dia 17 de setembro, para 205
oficiais da FAB dos cursos de
Comando e Estado-Maior e de
Política e Estratégia Aeroespaciais. A palestra foi ministrada
na Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica, no
Rio de Janeiro.
A jornalista enfatizou a
necessidade de uma aproximação permanente entre os profissionais
da notícia e os militares. “É uma relação de permanente construção”,
disse. Ela explicou aos oficiais como ocorre a rotina de produção para
um telejornal e como as fontes oficiais podem colaborar para a difusão de informações. Ela apresentou técnicas a respeito do trabalho
de assessoria de imprensa. Além disso, destacou que já fez algumas
coberturas de eventos com militares da FAB, como uma reportagem
com a Esquadrilha da Fumaça. “Meu sonho sempre foi vestir o azul”,
revelou.
A palestra dela fez parte da programação de aulas de comunicação social voltadas para os dois cursos. No mesmo dia, também, o
Chefe do Centro de Comunicação da Aeronáutica, Coronel Marcelo
Kanitz Damasceno apresentou aos alunos como a organização da FAB
está inserida no novo cenário de mídias alternativas, em que aumentou
exponencialmente a velocidade da informação.
Foto: CECOMSAER
2
(CECOMSAER/ FM)
Coelho
3
FOLHA MILITAR
Estratégia Nacional de Defesa
prevê reaparelhamento
das Forças Armadas
Retomada dos Investimentos em defesa
beneficiarão a indústria brasileira
Foto: CCSM
Empresários e representantes da Marinha na rodada de negócios
No seminário, realizado
no Centro Cultural da Federação
das Indústrias do Estado de São
Paulo, o Ministro da Defesa ressaltou, entre outros temas, a posição estratégica de cooperação do
Brasil na América do Sul, detalhando que a Estratégia Nacional
de Defesa está apresentada em
três vertentes: reorganização das
Forças Armadas, reestruturação da
indústria de defesa e composição
do efetivo das Forças Armadas.
Estiveram presentes, no
evento, os Comandantes das três
Forças, Almirante-de-Esquadra
Julio Soares de Moura Neto
(Marinha),
General-de-Exército Enzo Martins Peri (Exército) e Tenente-Brigadeiro-doAr Juniti Saito (Aeronáutica).
Outubro/2010
Nelson Jobim adiantou algumas ações que estão sendo
planejadas. “Entre essas medidas
podemos citar a criação de um
quadro de especialistas em defesa
e o fomento de pesquisa de materiais e equipamentos com a utilização de tecnologia nacional”.
O
Ministro
ressaltou,
também, a importância de valorizar a atividade da indústria
nacional e previu uma mudança na lei, na qual os critérios
de contratação sejam voltados
para o aproveitamento dos produtos produzidos no Brasil.
Os integrantes do seminário prestigiaram a exposição
das Forças Armadas e participaram da rodada de negócios.
(CCSM/ FM)
● O diagnóstico da base industrial da defesa abrange, entre outros, dados econômicos sobre as principais empresas que compõem os segmentos de armas
e munições leves, pesadas, explosivos, sistemas eletrônicos, de comando e controle, plataformas militares
aeroespaciais, navais, terrestres e de propulsão nuclear.
O levantamento trará ainda informações sobre produção, exportações, importações, empregos ligados ao complexo industrial, participação dos fornecedores locais e sul-americanos. A capacidade tecnológica desse complexo industrial e
os investimentos em inovações tecnológicas também serão
apontados no diagnóstico, juntamente com informações sobre
o ambiente industrial, a partir de levantamento realizado por
especialistas dos segmentos aeroespacial, naval e terrestre.
A indústria brasileira será
beneficiada com a retomada dos
investimentos em defesa patrocinados pelo governo brasileiro, previu o Ministro da Defesa,
Nelson Jobim. A avaliação foi feita durante a abertura da 2ª Oficina de Trabalho intitulado “Diagnóstico da Base Industrial da
Defesa”, realizado no Centro de
Convenções Brasil XXI, em Brasília. Também estavam presentes
no evento o ministro da Ciência
e Tecnologia Sergio Machado Rezende, e o Presidente da Agência
Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Reginaldo Arcuri.
“A Estratégia Nacional de Defesa elegeu três setores fundamentais - o cibernético o espacial e nuclear -, setores que são
transversais para temas como
agricultura, medicina e ciência
e tecnologia”, disse Jobim.
garantirá o futuro da indústria
de defesa é o incentivo à ciência
e tecnologia, para que as pesquisas sirvam de base para fomentar uma indústria de defesa
dual-militar e civil que atenda ao
mercado interno e à exportação.
A oficina iniciou o mapeamento da indústria de defesa
do País, trabalho a ser feito pela
ABDI, com o apoio do Núcleo
de Estudos Estratégicos da Universidade Federal Fluminense.
Com o mapeamento, a ser realizado nos próximos 18 meses, o
governo e o setor privado terão
pela primeira vez uma visão real
e sistêmica da competitividade da Base Industrial de Defesa
do Brasil, segundo informou o
Secretário da Secretaria de Ensino, Logística, Mobilização, Ciência e Tecnologia, do Ministério da
Defesa, Almirante-de-Esquadra
Gilberto Max Roffé Hirschfeld.
Os participantes da oficina discutiram a situação atual
da indústria de defesa do país,
em seus aspectos geopolíticos,
regulatórios, econômicos e de
inovação para estimular o desenvolvimento e a competitividade
das empresas deste complexo –
conforme previsto na Estratégia
Nacional de Defesa e na Política
de Desenvolvimento Produtivo
do Governo Federal. “Não podemos esquecer que a Estratégia
Nacional de Defesa é inseparável
da estratégia nacional de desenvolvimento”, disse o Almirante Max.
Segundo Maria Luisa
Campos Machado Leal, Diretora da ABDI, o levantamento será
feito com informações adquiridas
por meio de consulta às empresas
que compõem o complexo industrial de defesa do País, especialistas no assunto, além da base
de dados de instituições como o
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e o Instituto de
Pesquisa Econômica Aplicada.
Segundo o Ministro da
Defesa, os benefícios dos investimentos na área em questão - especialmente no monitoramento
marítimo, aéreo e terrestre - fortalecem o sistema industrial integralmente. Esses investimentos,
afirmou o Ministro da Defesa,
geram “capacidade da indústria
nacional atender a isso”. Jobim
disse que um aspecto positivo do
investimento feito pelo Estado,
em comparação ao setor privado,
é que os recursos provenientes
de fontes estatais são canalizados
para pesquisas de longo prazo e
que não necessitam apresentar
garantias de aplicabilidade industrial. Ao contrário, o financiamento do setor privado dificilmente é
canalizado para pesquisas que
não apresentem certeza de aplicabilidade em um futuro próximo.
Mesmo defendendo a necessidade de investimento do
governo, Jobim afirmou não
ser possível pensar que a indústria de defesa vá sobreviver com
compras estatais. Para ele, o que (MD/ ASCOM/ José Romildo/ FM)
4
FOLHA MILITAR
Ministro da Defesa Nelson Jobim preside
a primeira reunião de coordenação
dos chefes de Estados Maiores
Outubro/2010
Ministro da Defesa da República da
China visita COMDABRA
Foto: COMDABRA
Foto: Elio Sales
Nelson Jobim, presidiu na
manhã do dia 25 de outubro a
primeira reunião de coordenação do Comitê dos Chefes dos
Estados Maiores. Participaram
do encontro o Chefe do EstadoMaior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), General-deExército José Carlos De Nardi,
e os Chefes dos Estados Maiores
da Marinha, Exército e Aeronáutica, respectivamente Almirantede-Esquadra Marcus Vinícius
Oliveira dos Santos, General-deExército Marius Luiz Carvalho
Teixeira Neto e Tenente-Brigadeiro-do-Ar Cleonilson Nicário
Silva.
Durante a reunião, o ministro enfatizou a importância
da união e alinhamento das Forças para cumprir e fazer cumprir
as determinações fixadas pela
Estratégia Nacional de Defesa,
determinação essa que também
está entre as diretrizes da portaria
n° 1.429, assinada por Jobim, no
início de setembro, que instituiu o
cargo do chefe do EMCFA.
O Chefe do EMCFA também irá conduzir as atividades
do Estado-Maior de Defesa, da
Secretaria de Ensino, Logística,
Mobilização, Ciência e Tecnologia e da Secretaria de Política,
Estratégia e Assuntos Internacionais. (MD/ ASCOM/ FM)
O cargo foi criado pela Lei Complementar nº 136, de 25.8.2010,
que lançou as bases para a estruturação da Nova Defesa. O
órgão fará a coordenação das
ações militares e deverá atuar
em acordo com os Comandos da
Marinha, do Exército e da Aeronáutica. Nesta função, o General
De Nardi será o responsável pelo
emprego das Forças Armadas,
enquanto aos Comandantes das
três Forças, a quem estará equiparado hierarquicamente, caberá o adestramento das mesmas.
HASP, conquista 5ª recertificação em Qualidade Hospitalar
O Hospital de Aeronáutica de São Paulo recebeu, no dia 21 de outubro,
o Selo de Conformidade do Programa Compromisso com a Qualidade
Hospitalar por ter atendido às exigências previstas. O processo de recertificação começou em agosto de 2010 com a elaboração de um Relatório
de Gestão relativo ao triênio 2008-2010 que foi avaliado por auditores
do Programa. Em 21 de setembro de 2010, o HASP recebeu a visita de
uma equipe composta pelos seguintes profissionais: Alexandra Valéria
Maria Brentani, Marcus Vinicius Veloso e Rosana Cristina Garcia, designados pelo Programa CQH, para auditar as atividades desenvolvidas
pelo HASP durante o triênio. A auditoria ocorreu entre as 8:00 e 19:00
h envolvendo análise de documentos, reunião com a alta administração
e visita às instalações. Em 2001 o HASP tornou-se o primeiro hospital
militar brasileiro certificado por um programa de qualidade hospitalar.
O Comando de Defesa
Aeroespacial Brasileiro recebeu
nodia 8 de setembro a visita do
Ministro da Defesa da República
Popular da China, General-deExército LIANG GUANGLIE e
comitiva composta por Oficiais
Generais da Força Terrestre, da
Marinha e da Força Aérea do
Exército de Libertação Popular,
além de oficiais e da equipe de
comunicação social daquele país.
Os visitantes assistiram a
uma apresentação sobre o Sistema
de Defesa Aeroespacial Brasileiro e do COMDABRA, ministrada pelo Comandante da unidade,
Major-Brigadeiro-do-Ar Gerson
Nogueira Machado de Oliveira.
A comitiva conheceu ainda
a sala de Operações Correntes do
Centro de Operações de Defesa
Aeroespacial (CODA).
(COMDABRA/ FM)
Comandante das Academias de Guerra
da Turquia visita Comando de Defesa
Aeroespacial Brasileiro
O Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA) recebeu, no dia 25 de outubro, a visita do Comandante das
Academias
de Guerra da
Turquia, General Bilgin
Balanli e de
sua comitiva
composta por
9 integrantes.
O General foi
recebido pelo
comandante
do COMDABRA, MajorBrigadeirodo-Ar, Gerson Nogueira Machado
de Oliveira.
O Major-Brigadeiro-do-Ar
Machado proferiu uma palestra,
no auditório, sobre as atividades
do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA): a
organização, os meios de detecção aéreas e de telecomunicações
Foto: COMDABRA u t i l i z a dos pelo
COMDAB R A .
Por fim, a
comitiva
visitou o
Centro de
Operações
de Defesa Aeroespacial
(CODA),
e se dirigiu ao salão nobre, onde a presença dos convidados foi registrada
no livro histórico.
(COMDABRA/ FM)
5
FOLHA MILITAR
Marinha do Brasil participa da Semana
Nacional de Ciência e Tecnologia
Foto: CCSM
Outubro/2010
Comandante da Marinha assina na Itália
Acordo voltado para segurança marítima
Foto: CCSM
Representantes das três Forças assistindo à premiação
“Destaque do ano na iniciação científica”
A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da
Marinha participa da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia,
na Esplanada dos Ministérios em
Brasília. O evento aconteceu no
período de 18 a 24 de outubro e
seu tema principal é a “Ciência
para o Desenvolvimento Sustentável”. Esta feira de ciência prevê o debate sobre as estratégias e
maneiras de se utilizar os recursos naturais brasileiros e sua rica
biodiversidade de forma sustentável e conjugada com a melhoria
das condições socioeconômicas
da população.
Na tarde do dia 19 de outubro, o Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha,
Vice-Almirante Ilques Barbosa
Junior, compareceu à cerimônia
de premiação “Destaque do Ano
na Iniciação Científica” e ressaltou que eventos como estes são
uma forma de agregar o conhecimento no campo da ciência junto
à população. O Ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende,
aproveitou o momento para falar
das conquistas no campo da educação e citou o Almirante Álvaro
Alberto, que foi um dos pioneiros
na criação do Conselho Nacional
de Desenvolvimento Científico e
Tecnológico (CNPq). O Ministro
fez, também, uma comparação da
evolução acadêmica ao longo de
20 anos. “Há 20 anos nós formávamos 5 mil mestres e doutores.
No ano passado, nós formamos
cerca de 50 mil. Nós multiplicamos o número de pós-graduados”, lembrou.
O Professor Roberto Germano Costa, Amigo da Marinha,
falou que a parceria com as Forças Armadas, especialmente com
a Marinha, é muito importante
para agregar conhecimento. “O
mar sempre foi um grande desconhecido e nada melhor do que a
Marinha para travar uma parceria
em prol da construção do conhecimento em conjunto” – afirmou.
Para o professor, a idéia da
Semana Nacional de Ciência e
Tecnologia foi uma grande iniciativa para mostrar à sociedade que
a tecnologia não está apenas nas
grandes descobertas, mas no cotidiano das pessoas.
A Marinha do Brasil participa do evento com estandes
do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, do Instituto de Estudos do Mar Almirante
Paulo Moreira e da Secretaria da
Comissão Interministerial para os
Recursos do Mar. Nos estandes,
foram elaboradas exposições sobre a Amazônia Azul, Programa
Antártico Brasileiro e o Programa do Submarino com Propulsão
Nuclear.
(CCSM/ FM)
O Comandante da Marinha
do Brasil, Almirante-de-Esquadra
Julio Soares de Moura Neto, assinou um Acordo Operacional
voltado para o aprimoramento
da segurança marítima, sob uma
perspectiva global, durante o
8º Simpósio Regional de Poder
Naval das Marinhas do Mediterrâneo e do Mar Negro, realizado
entre os dias 20 e 22 de outubro,
em Veneza-Itália.
Por meio desse acordo de
importância estratégica, a Marinha foi admitida como membro
de uma Rede Transregional de
Troca de Informações Marítimas, a Trans-Regional Maritime
Network (T-RMN). A rede é
consolidada pela interligação do
Sistema de Informações sobre o
Tráfego Marítimo (SISTRAM)
– sistema brasileiro; do Open
and Analysed Shipping Information System (OASIS), sistema de
Cingapura; e do Virtual-Regional
Maritime Traffic Center, elaborado pela Marinha Militar Italiana.
O simpósio contou com a
participação de delegações de 43
países, além de 18 organizações
internacionais, civis e militares,
relacionadas à segurança marítima.
O processo de admissão do
Brasil foi precedido pela aprovação, unânime, dos 23 países que
compõem o sistema V-RMTC. A
assinatura desse acordo, e a consequente admissão da Marinha do
Brasil nesse fórum internacional,
confirmam o êxito dos esforços
empreendidos, desde o final de
2007. Durante o período, inúmeros testes e exercícios foram
realizados, visando ao interfaceamento entre o SISTRAM e o VRMTC.
(CCSM/ FM)
Diretoria de Obras Civis da Marinha adquire
equipamento de posicionamento por satélite
A Marinha do Brasil investe continuamente na construção, manutenção
e modernização das suas Organizações Militares de terra. Para atender
a esse propósito e às demandas da Força na área, mantendo-se atualizada frente aos novos paradigmas tecnológicos, a Diretoria de Obras
Civis da Marinha adquiriu um sistema de posicionamento de alta precisão - GNSS (Global Navigation Satellite System), para a sua seção de
topografia. Esse equipamento, possibilita a obtenção de coordenadas
em tempo real, inclusive sob mau tempo. Os levantamentos topográficos para elaboração de projetos de engenharia serão realizados de forma rápida e precisa, contribuindo para a manutenção dos bons serviços
prestados pela DOCM.
6
FOLHA MILITAR
68 Anos de criação da
Força Naval do Nordeste
Foto: CCSM
Autoridades presentes
A Esquadra e o Clube
Naval comemoraram, no dia 05
de outubro, na Base Naval do Rio
de Janeiro, os 68 anos da Força
Naval do Nordeste (FNNE), criada para aumentar a capacidade
de combate da Marinha do Brasil
durante a 2ª Guerra Mundial.
Em fevereiro de 1942, navios mercantes brasileiros começaram a ser torpedeados e, em
agosto do mesmo ano, um único
submarino alemão afundou seis
navios com a nossa bandeira, resultando na morte de 607 pessoas. Após este fato, o Presidente
Getúlio Vargas declarou “Estado
de Guerra” contra as nações do
Eixo.
A criação da Força Naval
do Nordeste fez parte do rápido
e intenso processo de reorganização das forças navais brasileiras para adequar-se à situação de
conflito. Sua árdua e intensa vida
operativa contribuiu para a livre
circulação nas linhas de comunicação do Atlântico Sul.
A cerimônia foi presidida pelo Comandanteem-Chefe da Esquadra,
Vice-Almirante Eduardo
Monteiro Lopes e contou
com a presença de autoridades militares da ativa
e da reserva. Entre elas,
o Almirante-de-Esquadra
Alfredo Karam, ex-Ministro da Marinha e oficial
mais antigo presente, dentre os componentes da For-
Alocução do Contra-Almirante
Moacyr Mirabeau de Carvalho Soares
Marinha do Brasil realiza treinamento
no campo de instrução de Formosa
Foto: CCSM
Demonstração de exercício de tiro
ça Naval do Nordeste.
Presentes, ainda, o Almirante-de-Esquadra Mauro Cesar
Rodrigues Pereira, ex-Ministro
da Marinha; o Almirante-deEsquadra Roberto de Guimarães
Carvalho, ex-Comandante da
Força; e o Presidente do Clube
Naval, Vice-Almirante Ricardo
Antônio da Veiga Cabral.
Durante o evento, o Contra-Almirante (Médico) Moacyr
Mirabeau de Carvalho Soares
relembrou e detalhou as ricas
experiências vivenciadas pelas
tripulações brasileiras durante
o conflito. Após a oração, proferida pelo Capelão Naval do
ComemCh, foi realizada aposição
floral junto ao busto do Almirante Soares Dutra, primeiro e único
Comandante da Força Naval do
Nordeste, e conduzidos toques de
silêncio, alvorada e vitória, em
homenagem aos integrantes da
FNNE falecidos.
(CCSM/ FM)
Outubro/2010
Foto: CCSM
Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil realizaram, no período de 05 a 13 de outubro, no
Campo de Instrução de Formosa,
um treinamento militar para adestramento das tropas. O exercício,
denominado “Operação Formosa
2010”, tem por finalidade contribuir para a manutenção da condição de pronto-emprego dos meios
dos Fuzileiros Navais, sendo o
maior treinamento já realizado
pela Marinha do Brasil no Planalto Central.
A Operação “Formosa
2010” envolveu cerca de 2 mil
militares, Aeronaves, Carros de
Combate, Veículos Blindados de
Transporte de Tropas, Veículos
Anfíbios sobre Lagartas, Mísseis Superfície-Ar, Veículos Aéreos Não-Tripulados (VANT) e
Artilharia, entre outros meios de
combate, que foram empregados
de forma integrada em manobras
militares ofensivas e defensivas.
O exercício simulou uma
Operação Anfíbia, considerada
por muitos como sendo a de execução mais complexa entre todas
as operações militares. Priorizando assegurar o máximo realismo
durante o exercício, todo o armamento foi empregado com a utilização de munição real.
(CCSM/ FM)
2° Distrito Naval realiza exercício Retrex
O Comando do 2°Distrito Naval realizou, no período de 18 a 22 de outubro, o exercício RETREX LE-II, na bacia petrolífera de Sergipe, com
o propósito de adestrar os meios navais, aeronavais e de fuzileiros navais, distritais e adjudicados, na realização de ações de resgate de reféns e de retomada de instalações de interesse da Marinha do Brasil.
Para a realização do exercício foi escolhida a plataforma PCM-4, que
fica localizada no campo de Camorim, a cerca de 4 milhas náuticas da
costa, em frente à cidade de Aracaju, e foi disponibilizada pela Petrobras. Navio-Patrulha da MB executa isolamento marítimo na área da
plataforma
Uma Força-Tarefa, composta por militares do Comando do 2° Distrito Naval, um destacamento do Grupamento de Fuzileiros Navais de
Salvador e quatro navios (Corveta “Caboclo”, Navio-Patrulha “Guaratuba” e Navios-Varredores “Albardão” e “Araçatuba”), foi deslocada de
Salvador para a área do exercício.
Adicionalmente, foram mobilizados pelo Comando-em-Chefe da Esquadra um helicóptero Super Puma e um destacamento de Mergulhadores de Combate (GERR-MEC). Militares do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal, empregados como Figurativo Inimigo (FIGIN), e
lanchas da Capitania dos Portos de Sergipe complementaram o exercício.
O contingente envolvido na execução da RETREX totalizou 310 militares.
7
FOLHA MILITAR
Outubro/2010
CMPA Colégio dos Presidentes
ticipação em olimpíadas educacionais como astronomia, física,
matemática, biologia e em projetos sócio-assistenciais de apoio a
pessoas carentes.
Entre as dez melhores – A
excelência dos colégios Militares – como os exames anuais vêm
demonstrando – tanto de Porto Alegre quanto os espalhados
pelo País, é a prova do trabalho
do Exército na área de educação.
De acordo com o diagnóstico divulgado pelo Inep, vinculado no
Ministério de Educação (MEC), o
Rio Grande do Sul tem duas escolas entre as 100 melhores do país
entre elas a CMPA. A análise, feita no último ano, também mostra
um ranking com as dez escolas
gaúchas de melhor desempenho e
inclui o Colégio Militar de Porto
Alegre, que obteve 667,06 pontos
na média geral, garantindo a nona
posição na lista.
O colégio que é mantido
com verbas do Exército, tem sua
estrutura administrativa composta, prioritariamente, por militares,
possui 120 professores e cerca de
1.000 alunos. O ingresso se dá na
5ª série do Ensino Fundamental
e na 1ª série do Ensino Médio,
mediante concurso aberto a toda
a população. Os militares transferidos para a sua área de abrangência têm direito a conseguir matrícula direta para seus dependentes.
(Redação / FM)
Colégio Militar de Porto Alegre
Foto: Arquivo CMPA
à auto-realização e à qualificação
para o trabalho, educados conforme os valores e tradições militares.
O investimento em tecnologia e um convênio com a UFRGS, a USP e a fundação Vitae,
levaram o instituto a adquirir um
grau de excelência incomum na
educação brasileira. Um exemplo é o fato da mesma ser a única
instituição a dispor de um observatório astronômico, dotado de
um telescópio robótico de última
geração.
Intitulado
“observatório
Capitão Parobé", o espaço foi
construído em 2002 com a ajuda
de parcerias entre os convênios
em questão, sendo um projeto multidisciplinar nacional que
tem na Astronomia o estímulo do
aprendizado de Ciências, Geografia, História e Artes.
Também com o intuito de
valorizar a escola e preservar sua
história, tradições e conquistas,
foi inaugurado, em 2003, o museu
Casarão da Várzea, uma sala histórica, que passou a se constituir
como um legítimo acervo e referência para a pesquisa do ensino
militar no Rio Grande do Sul.
Além dos conteúdos usuais, o CMPA oferece atividades
extraclasse como esporte, xadrez,
astronomia, coral e banda de música, teatro e clube de disciplinas.
Além disso, é incentivada a par-
Foto: Arquivo CMPA
O Colégio Militar de Porto
Alegre (CMPA) tem um dos melhores desempenhos na educação
brasileira.
Um ensino moderno e atual ajuda a instituição a colocar-se
entre as 100 melhores do país. A
escola também é lembrada por
ter formado sete dos presidentes
brasileiros.
Dados sobre a educação
brasileira trazem à luz um fato
digno de aplausos: os avanços em
sala de aula por meio das escolas
militares, ao longo da história, foram mais rápidos do que o esperado – e de grande valia, até hoje
mantidos com base em diretrizes
que comprovam e mantém a excelência acadêmica.Um exemplo
disso é o ensino oferecido por
meio do Colégio Militar de Porto
Alegre (CMPA), o “colégio casarão da várzea”, como também
é conhecido, uma instituição de
grande importância para a história da capital gaúcha e berço de
heróis militares.
Lembrada por abrigar personalidades influentes da História do Brasil, a instituição militar ficou conhecida também
por ser o “colégio dos presidentes”, de onde saíram formados
Getúlio Vargas, Eurico Gaspar
Dutra, Castelo Branco, Costa e
Silva, Emílio Garrastazu Médici,
Ernesto Geisel e João Baptista de
Oliveira Figueiredo, ilustres Presidentes da República.
Além do colégio militar,
que funciona desde 1962, várias instituições funcionaram no
“casarão da Várzea”, são elas : a
escola militar do Rio Grande do
Sul (1889-1898), a escola preparatória e de Táctica(1898 e 190305) e a escola de Guerra (190611), sendo todas de ensino oficial.
É também o segundo colégio
militar do país, precedido apenas
pelo colégio Militar do Rio de
Janeiro (1889), tendo sido criado
oficialmente em 1912 por meio
do Decreto nº 9.397.
A instituição, que atende
aos Ensinos fundamental (6º ao
9° ano) e médio, tem uma proposta pedagógica que prioriza princípios e práticas de um ensino moderno e atual. A meta em questão
é levar seus alunos à descoberta
de suas próprias potencialidades,
Comemoração do aniversário do CMPA
8
FOLHA MILITAR
Outubro/2010
Biblioteca do Exército guarda raridades da história brasileira
Foto: Paulo Fernando Maia
Cel. Souza Oliveira, Cel. Enir e Cap. Wagner: empenho na manutenção da BIBLIEx
Além de “Historiae Brasilianae”, de 1592, há outras raridades na Bibliex, como a “Nova
Lusitana História da Guerra
Brasilica”, de Francisco de Brito
Freyre, publicada em 1675, e a
“Brasiliense Zee em Lant – Reize”, de Johan Nieuhofs, publicada em 1682. A obra de Freyre
traz relatos dos embates entre
luso-brasileiros e holandeses. Já
a de Nieuhofs aborda a situação
política e econômica do período
compreendido entre os anos 1644
e 1649.
A fundação
A Biblioteca do Exército
foi fundada pelo então ministro da guerra, Franklin Américo
de Menezes Dória, o Barão de
Foto: Paulo Fernando Maia
Fundada em 17 de dezembro de 1881, a Biblioteca do Exército (Bibliex) é uma das poucas
instituições brasileiras que ainda
guardam obras raras da História
do país. Livros dos séculos XVI
e XVII fazem parte de um acervo
de 70 mil exemplares dispostos
na Ala Marcílio Dias do Palácio
Duque de Caxias, no centro do
Rio de Janeiro, onde está localizado o Comando Militar do Leste
(CML).
Com o objetivo de promover difusão cultural, a Bibliex
oferece aos visitantes, militares
ou civis, edições até em Latim,
como a “Historiae Brasilianae”,
de Theodoro de Bry, que traz informações do período compreendido entre as grandes navegações
e o início da colonização portuguesa. Desde 1937, a Biblioteca
do Exército é também editora e
publica, em média, dez livros por
ano.
“A Bibliex é uma instituição importantíssima no cenário
cultural brasileiro, porque é também editora especializada em
ciências militares e geopolítica,
um nicho para o desenvolvimento profissional-militar e para o
desenvolvimento do Brasil no
contexto internacional”, afirma o
capitão Wagner Alcides de Souza,
que, há 13 anos, é Chefe da Seção
de bibliotecas e reserva técnica da
Instituição.
Estante com livros raros, no Salão Nobre
Loreto, em dezembro de 1881.
Por esse motivo, é chamada
também de “Casa do Barão de
Loreto”. No entanto, a instalação
só ocorreu em janeiro de 1882,
com a presença do Imperador
Dom Pedro II.
O objetivo, segundo o regulamento, era “contribuir para o
provimento, a edição e a difusão
de meios bibliográficos necessários ao desenvolvimento e ao
aperfeiçoamento da cultura profissional-militar e geral”, o que
tornou-se a missão da Entidade.
Hoje a Bibliex, cuja seção de publicações é chefiada pelo Coronel
Enir dos Santos Araújo, é dirigida pelo Coronel Josevaldo Souza
Oliveira.
ras. O primeiro assinante da Biblioteca Militar foi o Marechal
Eurico Gaspar Dutra.
Atualmente, a Bibliex edita
e comercializa as coleções “General Benício”, “Taunay” e “Marechal Trompowsky”. Esta última
é de livros didáticos para alunos
dos Colégios Militares. Além delas, edita e comercializa os periódicos “A Defesa Nacional”,
de assuntos militares; a “Revista
do Exército Brasileiro”, informe
mais antigo da Força Terrestre;
e a “Revista Militar de Ciência e
Tecnologia”, de assuntos de natureza técnico-científica.
Outra novidade foi a instituição de prêmios culturais anuais. Na época, eram promovidos
os prêmios “Caxias”, “Taunay” e
A desativação
“Thomaz Coelho”. Hoje a BiblioSegundo o ex-diretor, Co- teca do Exército promove os prêronel Umberto Peregrino, no li- mios culturais “Tasso Fragoso”,
vro “História da Biblioteca do “Pandiá Calógeras” e “Franklin
Exército”, a instituição funciona- Dória”.
va das 9h às 14h e das 18h às 21h,
na face direita do quartel-general As bibliotecas
A Bibliex é composta das
do Exército, atual CML, e posbibliotecas
Franklin Dória, Lobo
suía acervo de três mil exemplares, fruto de doações e aquisições, Viana, General Benício e Corodistribuídos em 28 estantes. Já no nel Macedo. Todas funcionam de
segundo ano de existência, passa- segunda a quinta-feira, das 9h às
ram pela Bibliex 2.906 visitantes, 17h, e sexta-feira, das 8h às 12h,
com exceção da Biblioteca Cosendo 1.669 civis.
No dia seis de maio de ronel Macedo, que funciona às
1925, o ministro da guerra, Gene- segundas-feiras, das 13h às 17h,
ral Setembrino de Carvalho, de- e de terça a sexta-feira, das 9h às
terminou que a Bibliex fosse fe- 17h.
chada, pela terceira vez, “até ser (Colaboração Paulo Fernando
convenientemente instalada em Maia/ FM)
edifício próprio, adequado a esse
Biblioteca Franklin Dória
fim”. Por 12 anos, a Biblioteca do
Centro Tel.: (21) 2519-5726
Exército esteve fora de funcionamento. Todo o acervo foi disperso
Biblioteca General Lobo Viana
em diversos locais.
São Cristóvão
A reabertura
Em 1937, o Coronel
Valentim Benício da Silva resolveu restaurar a Bibliex com uma
nova denominação: Biblioteca
Militar. Além disso, a instituição
passou a fazer também edições de
livros, oferecidas em coleções e
de periódicos. As coleções eram
adquiridas por meio de assinatu-
Tel.: (21) 2589-9802
Biblioteca General Valentin
Benício – Vila Militar
Tel: (21) 2457-4747
Biblioteca Coronel Macedo
Maracanã
Tel.: (21) 2569-3391
Outras informações podem
ser obtidas pelo site:
www.bibliex.com.br
9
FOLHA MILITAR
Outubro/2010
Desfile militar, sobrevôo de aeronaves e entrega de medalhas
celebram o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira.
Foto: SD Sérgio Kremer
Durante a solenidade, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou em revista a tropa,
composta pela Banda da Base Aérea de Brasília e por Cadetes da Academia da Força Aérea Brasileira.
No dia 22 de outubro, em
Brasília, um desfile militar e sobrevôo de aeronaves marcaram a
comemoração do Dia do Aviador
e da Força Aérea Brasileira.
Também houve sobrevoo de aeronaves F-2000, do 1º
Grupo de Defesa Aérea, E-99 e
R-99, do 2º Esquadrão do 6º Grupo de Aviação, e C-95 do 6º Esquadrão de Transporte Aéreo.
Cerca de 200 personalidades civis e militares foram agraciadas com a Ordem do Mérito
Aeronáutico, na Base Aérea de
Brasília. A Comenda é concedida a militares que tenham se
distinguido no exercício de sua
missão e a cidadãos brasileiros e
estrangeiros que tenham se destacado por prestar serviço à Na-
ção Brasileira dentro de sua área
de atuação. Corporações também
foram condecoradas por serviços
ou ações que recomendem reconhecimento nacional.
de, o Tenente-Brigadeiro
Saito foi condecorado com
a Medalha Militar de Platina com Passador de Platina
pelos 50 anos de serviços
prestados à Aeronáutica.
Outra agraciada foi a ViceGovernadora do Distrito Federal,
Ivelise Longhi. Ela lembrou o trabalho realizado pela Força Aérea
e ressaltou a atuação dos militares
que vestem o azul. “É uma honra muito grande e acho que todos
nós brasileiros devemos prestigiar as nossas instituições, principalmente as militares. A Força
Aérea tem demonstrado todo esse
cuidado para com a nossa Pátria”,
afirma ela, explicando que a atuação da FAB é impecável não só
no Distrito Federal mas em todo
o país.
Saito; e por Oficiais-Generais da
Força Aérea. Entre os agraciados
deste ano, estava o Major-Brigadeiro-do-Ar José Rebelo Meira
de Vasconcelos, veterano com- (CECOMSAER/ FM)
Foto: SD Sérgio Kremer
batente da Força Aérea
Brasileira na Segunda
A dedicação dos militares da AeGuerra Mundial. “O 23 ronáutica também foi destacada
de outubro é um gran- pelo Tenente-Brigadeiro Saito na
de dia para a Aeronáu- Ordem do Dia do Aviador e da
tica porque se come- Força Aérea Brasileira. “Graças
mora o grande feito de ao empenho de cada um dos integrantes de nossa organização,
Santos Dumont. Desde somos hoje uma Força Aérea reso tempo de escola co- peitada e atuante, perfeitamente
memoramos esse dia inserida no contexto nacional e
A Comenda foi entregue em todas as unidades e é uma data internacional”. Além de personapelo Presidente da República, Luiz que já está encaixada em nossa lidades civis e militares, corporações também foram condecoraInácio Lula da Silva, pelo Mi- cabeça e que não conseguimos das por sua atuação. Entre elas,
nistro da Defesa, Nelson Jobim; esquecer”, destaca ele.
estava o Centro de Comunicação
Social da Aeronáutica
pelo Comandante da Aeronáutica,
Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti
Durante a solenidaFoto: SD Sérgio Kremer
Cadetes da Academia da Força Aérea Brasileira.
Foto: SD Sérgio Kremer
Ten. Brig. do Ar Juniti Saito entrega Comenda ao Major Brig. José Rebelo Meira de Vasconcelos
10
FOLHA MILITAR
Outubro/2010
Curso de Política e Estratégia Aeroespaciais visita países da OTAN
A viagem à Europa do
Século 21, que vive os novos
desafios estabelecidos pelo
Tratado de Lisboa, proporcionou aos Oficiais-Alunos
do curso a possibilidade de
conhecer a conjuntura de
emprego do Poder Aeroespacial em organismos de
Segurança Regional das Forças Armadas dos EstadosMembros da União Européia.
Os integrantes do curso foram divididos em três
grupos distintos e nessa ocasião, tiveram a oportunidade de conhecer plenamente
a origem, o funcionamento e as
perspectivas da Política Européia
de Segurança e Defesa (PESD)
de Portugal e Espanha (Grupo
1), Bélgica e França (Grupo 2) e
Suécia e Alemanha (Grupo 3).
O Comandante da Força
Aérea Portuguesa e seu AltoComando recepcionaram o grupo chefiado pelo Comandante da
ECEMAR. A comitiva participou de palestras sobre as Forças
Armadas de Portugal, o Instituto
de Estudos Superiores Militares
(IESM) e a Força Aérea Portuguesa (FAP). Após as explanações, a comitiva visitou a empresa OGMA Indústria Aeronáutica
de Portugal, o que proporcionou
a oportunidade de conhecer uma
grande empresa européia de aeronáutica.
Espanha
Na Espanha, o Embaixador
do Brasil, Paulo César de Oliveira
Campos, apresentou os aspectos
conjunturais da Espanha e da relação com o Brasil. Além da palestra, os integrantes da comitiva
conheceram, ainda, a Empresa
Airbus Military e algumas de
suas aeronaves como o A400M
e o C-295, sendo esta última adquirida recentemente pela Força
Aérea Brasileira.
Paralelamente, o grupo
Bélgica/França, chefiado pelo
Comandante da Escola Prepara-
Foto: ECEMAR
madas Alemãs. Durante essa
visita, os Conselheiros Ney
Cananin e Leonardo Cleaver
de Athayde enfatizaram os
aspectos políticos e econômicos da relação do Brasil com
a Alemanha.
O Coronel Aviador
Maximo Ballatore Holland,
oficial-aluno do CPEA/2010,
disse que a viagem foi coroada de êxito na medida em que
proporcionou, no mais alto
nível, interações com a elite
de pensadores político-estratégicos do Velho Mundo no
que se refere às capacidades
de defesa e de segurança de
tória de Cadetes do Ar (EPCAR), Sueca (FLSC), tendo sido propor- organismos de segurança regioassistiu às palestras sobre Ope- cionado aos participantes deste nais.
rações em curso na OTAN e nas grupo, a oportunidade de assistir (ECEMAR/ FM)
Forças Armadas Belgas. O Em- demonstração aérea do caça JAS
Foto: ECEMAR
baixador Ricardo Neiva Tavares 39 Gripen.
discorreu temas sobre os valores
fundamentais da União Européia Alemanha
e a relação com o Brasil.
Na Alemanha, a
Já na França, a mesma co- comitiva teve a oportumitiva visitou as instalações dos nidade de visitar o Cenlaboratórios de propulsão hiper- tro de Transformação da
sônica, eletromagnética e radar, Bundeswehr e de particiótica e laser do Ofício Nacional par de palestras sobre: O
de Estudos e Pesquisas Aeroespa- Ministério da Defesa Aleciais (ONERA). No encerramen- mão e A Força Aérea Aleto dessa visita, o Contra Almiran- mã e a OTAN. A grande
te De Oliveira, do Estado Maior importância dos assuntos
do Ar (EMAA) da Força Aérea abordados pelos palestranFrancesa, destacou em sua confe- tes foi a Política de Derência a organização do Ministé- fesa e Segurança Alemã
rio da Defesa das Forças Armadas e a Estratégia Militar de
Comitiva na Alemanha
Francesas e a Política de Defesa Emprego das Forças ArFoto: ECEMAR
na França e, em outra explanação,
o Coronel Marc Henry, discursou
sobre o papel e o posicionamento
da França na OTAN.
O grupo Suécia-Alemanha
chefiado pelo Comandante do
Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR),
pôde participar de conferências
cujos temas relevantes abordados foram: Ministério da Defesa
Sueco e Força Aérea Sueca. Após
as atividades, os militares puderam visitar à SAAB, empresa
criadora de Sistemas de Defesa
Aeroespacial e o Centro de SimuComitiva na Espanha
lação de Combate da Força Aérea
11
FOLHA MILITAR
Outubro/2010
Luíz Carlos Pereira Coelho
O Brigadeiro Hélio Gonçalves ingressou na Aeronáutica no
ano de 1966, tornando-se aspirante pela Academia da Força Aérea,
em 1969. No ano de 1975, completou o curso de pós-graduação
em Engenharia Civil na Universidade do Estado do Rio de Janeiro
e em 1982 e 1988, cursou Organização e Métodos, pela Fundação Getúlio Vargas e Comércio
Exterior e Contratos, pela City
and East London College. Ele
participou do grupo de trabalho
que acionou o Centro de Computação da Aeronáutica, utilizandose do conhecimento adquirido nos
diversos cursos que participou na
área de Tecnologia da Informação, nos anos de 1970 e 1992. Foi
diplomado pela Escola Superior
de Guerra no curso de Altos Estudos de Política e Estratégia, em
1997. Hélio Gonçalves exerceu
diversos cargos importantes na
carreira militar, como de Prefeito
da Aeronáutica do Galeão e o de
chefe de diversos departamentos
da Comissão Aeronáutica Brasileira, em Londres. No ano de
2001, Hélio Gonçalves foi promovido ao posto de Brigadeiro e
em 2005 foi para a reserva.
● Folha Militar: Quando o senhor entrou para ADESG?
HÉLIO GONÇALVES: Cursei a ESG, em 1997. Sou da turma Cruzeiro do Sul e no termino
do curso ouvi falar da Associação dos Diplomados da Escola
Superior de Guerra. Me associei
mas não freqüentava as reuniões. Certo dia fui convidado para
participar da chapa do General
Licinio que era candidato a Presidente. Ele me convidou para ser
um dos seus Vice-Presidente. Fomos eleitos por dois anos, e assim
fiquei como 2º Vice-Presidente.
Posteriormente teve a eleição do
prof. Pedro Ernesto e fui convidado novamente para me candidatar, só que desta vez como 1º
Foto: Coelho
Entrevista com o Presidente da ADESG Brigadeiro Hélio Gonçalves
sistema. Nós temos que estabelecer normas, regras para que o sistema funcione. Então nós elaboramos um planejamento, que na
realidade é um plano estratégico
que implementamos no sistema
ADESG. Temos três Vice-Presidências. Na 1ª Vice-Presidência ,
o Almirante Edésio Araripe, na 2ª
Vice-Presidência o General Umberto Andrade e na 3ª Vice-Presidência o delegado federal Pedro
Berwanger, cada um com uma
função específica.
lizando o seu método de planejamento de ação política. Estamos
aplicando esse método aqui na
instituição e fizemos um planejamento trianual, que vou deixar
para meu sucessor. Vamos entregar esse planejamento ao Ministro da Defesa Nelson Jobim.
● FM: A ADESG tem uma sede
própria?
HG: Isso é o nosso grande soBrigadeiro Hélio Gonçalves em seu
gabinete na ADESG/ AN
nho. Ter uma sede própria. Não
Vice-Presidente. Assim fiquei
entendemos uma instituição com
mais dois anos na administração
59 anos de existência sem a sua
da ADESG. Ao termino do mansede. Hoje estamos ocupando
dato, do prof. Pedro Ernesto, fui ● FM: Qual o objetivo da uma área com 600m² emprestada
convidado para ser candidato a ADESG?
pelo Comando Militar do Leste.
Presidente, tendo em vista que a HG: A ADESG procura divulgar Entretanto já iniciamos uma campresidência caberia a um repre- e disseminar em todo o território panha entre os associados para
sentante da aeronáutica. Me can- nacional, os cursos ministrados comprarmos a nossa sede própria.
didatei e fui eleito em chapa única na Escola Superior de Guerra.
por aclamação. Nossa administração vai completar um ano agora
● FM: Qual sua opinião sobre
no dia 7 de dezembro, exatamente ● FM: Existem outras ativida- a criação do jornal Folha Milides para os associados?
no aniversario da ADESG.
tar?
HG: Nós temos um almoço menHG: Antes quero agradecer sua
sal em que homenageamos uma
presença em nossa instituição,
personalidade da nossa socieda● FM: O que é a ADESG?
por esta oportunidade de divulgar
HG: É uma sociedade civil e de civil ou uma autoridade das o trabalho da ADESG. Os veícusem fins lucrativos que atua sem forças armadas. Também publi- los de comunicação social nem
vinculações com partidos políti- camos o jornal ADESGUIANO sempre abrem espaço para nós.
cos ou organizações de qualquer mensalmente. Essas duas ativida- Achei bem interessante a crianatureza. Fundada em 7 de de- des ocupam muito o nosso tempo ção do jornal Folha Militar. Vai
zembro de 1951, foi considerada e nossa diretoria é constituída por cobrir uma lacuna na divulgação
de utilidade pública, por Decre- voluntários, portanto precisamos dos trabalhos desenvolvidos por
to, em 21 de outubro de 1954. A contar com a disponibilidade de militares da marinha, exército
ADESG existe para divulgar a tempo de cada um. Isso de certa e aeronáutica. Como você sabe
doutrina da ESG e para atender forma vai resultar sempre na opi- nosso veículo de comunicação é
os diplomados da ESG ( Escola nião e decisão do presidente. As- o jornal ADESGUIANO, que tem
Superior de Guerra ) e de seus sim, acabamos tendo uma sobre o objetivo de divulgar as notícias
Cursos de Estudos de Política e carga em nossa atividade.
da ADESG, ESG e das Forças
Estratégia (CEPEs). A ADESG
Armadas. Então se o jornal Folha
é uma instituição sui generis,
Militar tem o mesmo propósito
porque ela integra um sistema ● FM: O que o senhor preten- será bem-vindo no meio militar e
com cerca de 100 organizações. de realizar na segunda etapa do na sociedade civil.
Temos 30 delegacias em todo o seu mandato?
Brasil e mais setenta representa- HG: Nós fizemos um planejações. A sede da nossa instituição mento no início de nossa gestão,
nós denominamos ADESG AN, aproveitando a minha experiênque é o órgão central do nosso cia dos 4 anos que participei da
sistema, que coordena e capita- Diretoria Executiva como Viceneia todas as demais delegacias Presidente. Entretanto senti a
e representação. Temos uma ati- necessidade de montar um plano
vidade muito grande e importante estratégico para a ADESG e fui
e tem uma relevância para todo o buscar as ferramentas necessárias
na Escola Superior de Guerra, uti-
12
FOLHA MILITAR
ARION. Assim será chamada a mascote do RIO 2011. Em
votação que mobilizou, durante
22 dias, 81.537 pessoas em todo
o Brasil, e até do exterior, o nome
escolhido venceu com 41.069 votos, o que significa uma diferença
de 15.730 votos em relação ao segundo colocado, Turi, que obteve
25.339 votos. Em terceiro lugar
ficou Super-Pax, com 15.129 votos. Arion, de origem Grega, significa: O que tem Energia.
As três opções que estavam
em votação foram selecionadas a
partir de uma pesquisa que pretendeu apresentar um nome que
expressa-se os valores e pontos
fortes das Forças Armadas: Probidade, Abnegação, Patriotismo,
Veracidade, Imparcialidade e a
Imagem Soldado – Herói.
Os 5º Jogos Mundiais do
Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM) – RIO 2011
tem como tema central a promoção da paz por meio do esporte.
Assim, usando o símbolo mágico
da pomba branca, o desenhista
Mauricio de Sousa, usou como
inspiração um menino que se
transforma em um Super Atleta
Militar Futurista para ilustrar essa
ideia.
Segundo o autor, a
pomba acompanha o
menino em todos os
seus momentos
e dá vida aos
seus desenhos de soldadinhos
da
infância, criando
a Tropa da
Paz.
Para o Coordenador
Geral dos Jogos Mundiais
Militares, General Jamil
Megid Junior o público
teve uma participação especial na escolha do nome
da mascote “foi importante a participação do público na seleção do nome
que simboliza o espírito
esportivo, a energia brasileira e a determinação
do atleta para vencer”.
O menino e sua Tropa da
Paz – representando as Formas
Armadas e Forças Auxiliares – estarão juntos para encantar a todos
e transformar os Jogos RIO2011
em um experiência cheia de aventuras e magia.
Dentro do projeto de criação do ARION, Mauricio de
Sousa irá brindar a população
com um desenho em 3D, animação gráfica de 30segundos, revista em quadrinhos assim como diversos produtos licenciados com
a exposição da mascote
como:
jogo da memória,
quebra-cabeça,
imãs de geladeira, bottons, papelaria entre
muitos outros.
(FAB/ FM)
Jovens dos programas Segundo Tempo
e Forças no Esporte na Copa FIFA/CISM
Centenas de jovens participaram, entre os dias 26 e 29 de outubro, da 4ª edição da Copa FIFA/CISM, na Universidade da Força
Aérea (UNIFA). A competição foi um acontecimento marcante para
os adolescentes integrantes dos Programas Segundo Tempo e Forças
no Esporte no Rio de Janeiro. A Copa FIFA/CISM é um torneio de
futebol que tem por objetivo o congraçamento e a troca de experiências entre as crianças e os adolescentes assistidos pelos Programas
Segundo Tempo, do Ministério dos Esportes, e Forças no Esporte, do
Ministério da Defesa.
Sagraram-se campeãs a equipe masculina do CIAMPA e a feminina da Comissão de Desportos da Aeronáutica. Também foram premiados os artilheiros da competição e os atletas destaques no “FairPlay”. Uma atenção especial foi dada à categoria “Fair-Play”, tendo
em vista o incentivo ao congraçamento e ao comportamento ético
desportivo, buscando estimular o aprimoramento da conduta social e
desportiva dos adolescentes, além do seu desenvolvimento físico.
Pela segunda vez consecutiva, o evento foi promovido pela
Comissão de Desportos da Aeronáutica, que recebeu as equipes masculinas e femininas do
Centro Instrução Almirante Milcíades Portela
Alves, do Centro de Educação Física Almirante
Adalberto Nunes, Grupamento de Fuzileiros Navais do Rio de
Janeiro,
organizações
da Marinha do Brasil e
da Escola de Comunicações, do Exército Brasileiro. (CDA/ FM)
Foto: CDA
ARION é o nome da mascote
dos Jogos Mundiais Militares
Outubro/2010
Atletas da FAB conquistam medalhas
em karatê no Uruguai e na Argentina
Dois oficiais aviadores do
5º Esquadrão do 8º Grupo de
Aviação (5º/8º GAv), o 1º Tenente Diego Almeida Teixeira
de Souza e o 1º Tenente Rodolfo
Norio Toma, participaram de um
desafio de karatê, nos meses
de setembro e
outubro, contra o Uruguai,
na cidade de
Santana do Livramento (RS),
e do Campe- Foto: FAB
onato Sulamericano de Karatê,
em Buenos Aires, na Argentina.
Os oficiais treinam os cadetes da
equipe de karatê da Academia da
Força Aérea (AFA).
No desafio na cidade de
Santana do Livramento, o 1º Te-
nente Teixeira conquistou três
medalhas de ouro, na competição
de kumite (luta) na categoria de
70 a 75 kg faixa preta, na competição de kumite na categoria
absoluto e na competição de kata,
faixa preta.
O 1º Tenente
Norio conquistou
uma medalha de
ouro, na competição de kumite, na
categoria acima de
90 kg, faixa branca até verde. No
Campeonato Sulamericano, o 1º
Tenente Teixeira conquistou duas
medalhas de ouro, nas competições de kumite na categoria de
70 a 75 kg faixa preta e de kumite
por equipe.
(FAB/ FM)

Documentos relacionados

XI Convenção da ADESG

XI Convenção da ADESG Na capa, destacamos a visita do Vice-Presidente da República Michel Temer ao Centro Experimental de Aramar, a homenagem da FAB ao Comandante Geral do Corpo de Fuzileiros Navais, Alt de Esquadra (FN...

Leia mais

Folha Militar Maio 2012.indd

Folha Militar Maio 2012.indd ela ainda trocou algumas palavras com os jornalistas que cobrem o diaa-dia da Presidência da República e seguiu para o gabinete de trabalho. Participaram da cerimônia o Chefe do Estado Maior Conjun...

Leia mais

Clique aqui para fazer o

Clique aqui para fazer o modelo C/D que deverão ser utilizados pela FAB, a partir de 2016, até a chegada dos primeiros caças NG, em 2018. Em mais uma etapa do acordo, equipes do Comando da Aeronáutica se reuniram em Brasíl...

Leia mais