Bula do painel AEQ Arquivo - Telelab

Сomentários

Transcrição

Bula do painel AEQ Arquivo - Telelab
Bula para Execução da Avaliação Externa da Qualidade de Testes Rápidos – AEQ-TR
O Departa mento de DST, AIDS e Hepati tes Vi rais do Ministéri o da
Saúde (DDAHV/MS) oferece, em pa rceria com a Uni versidade
Federal de Santa Ca ta rina, um progra ma de Avaliação Externa da
Qualidade de Tes tes Rápidos, a AEQ-TR. Essa é uma ferra menta
pa ra o controle de qualidade do desempenho dos profissionais
que realizam Tes tes Rápidos (TR). Todo profissional que executa
TR deve pa rti cipa r, três vezes por ano, do programa AEQ-TR. A
cada rodada , os profissionais recebem um painel, compos to por
quatro amostras biológicas secas para serem tes tadas como uma
amostra da sua roti na. A a valia ção é confidencial , indi vi dual e
tem como fi nalidade mel hora r, de forma contínua , a qualidade
dos resultados dos TR.
Procedimento para a hidratação do painel AEQ-TR HIV e Sífilis:
Verifi que se todos os tubos possuem um sedi mento (botão)
azulado no fundo. Caso o sedi mento tenha se desprendido, ba ta
cuidadosamente o tubo fechado na bancada pa ra que retorne ao
fundo. Anote essa informação no Formulário de Resultados.
Cada amostra hidra tada do painel AEQ-TR deve ser tes tada como
se fosse uma amos tra de sangue total. Pa ra fa zer os TR siga as
ins truções do fabri cante do tes te. Observe o volume indi cado de
amostra , de ta mpão de corrida , o tempo de leitura e os cri térios
pa ra i nterpretação do resultado.
Em uma superfície lisa e plana coloque os tubos (a mos tras e
tampão) na posi ção verti cal . Identi fique cada tampa com o
número correspondente do tubo.
Pa ra os TR de Sífilis siga o es tabelecido na PORTARIA Nº 3.242
GM/MS, de 30/12/2011 e pa ra execução dos TR de HIV siga o
MANUAL TÉCNICO PARA DIAGNÓSTICO DA INFECÇÃO PELO HIV
a prova do pela PORTARIA Nº 29 SVS/MS, de 17/12/2013.
Público Alvo: Todos os profissionais que realizam TR nas
i ns tituições que i ntegram os programas do Mi nistério da Saúde.
Princípio do AEQ-TR HIV e Sífilis: profissionais executores de TR
receberã o a cada rodada um painel compos to por qua tro
amostras biológi cas secas em tubo. Essas a mos tras deverão ser
hidra tadas com a solução ta mpão que compõe o painel . Após a
hidra ta ção, cada amostra deverá ser tes tada com os TR
disponíveis na ins ti tui ção, como se fosse amos tra de sangue total
de pa ciente.
Material fornecido no Painel AEQ-TR:
O pa inel AEQ-TR HIV e Sífilis é composto por:
- Qua tro tubos contendo amos tras biológi cas secas numerados
de 1 a 4 com reati vi dade desconhecida pa ra os pa rtici pantes e
um tubo de solução tampão para hidratação das a mostras;
- Uma pipeta Pa steur;
- Bula pa ra execução dos tes tes, formulá rio de resul tados e ca rta
de a presentação.
-Material necessário NÃO fornecido:
- Ki t de Testes Rápidos disponibilizados pelo DDAHV/MS;
- Equi pamentos de Proteção Indivi dual (EPIs);
- Cronômetro ou relógio.
Estabilidade das amostras do painel AEQ-TR HIV e Sífilis: ao
receber o painel , o profissional deve executa r os tes tes o quanto
antes . Se isso não for possível , o painel deve ser mantido em
tempera tura entre 2 e 30°C, por, no má ximo, 15 dias. Em locais
que a tempera tura exceda 30°C, deve-se a rmazena r o painel
AEQ-TR HIV e Sífilis sob refri geração (2 a 8°C). Após a hidra ta ção
a s a mostras são estáveis por 24 horas a temperatura de 2 a 30°C .
Abra os tubos e com o auxílio da
pipeta , fornecida no painel ,
adi cione 7 gotas (200µL) de tampão
em ca da um dos tubos de amostra.
Ta mpe cada um dos tubos e agi te sua vemente a extremi dade
inferior com o dedo. Dei xe as a mos tras em repouso na posi ção
verti cal à tempera tura ambiente por no míni mo 2h e no má ximo
24h. O sedimento azulado se dissol verá e da rá origem a uma
s ol ução azul clara.
Agi te sua vemente com o dedo a
extremidade inferior de cada tubo
e verifique se ocorreu a dissolução
total do sedi mento. Anote esses
da dos no Formulário de Resultados.
Todos os profissionais que executam os TR na ins titui ção devem
realiza r os TR de HIV e Sífilis com as 4 a mos tras hidra tadas como
s e fossem a mostras de sangue total de pacientes de sua rotina.
Cada painel AEQ-TR HIV e Sífilis possui volume sufi ciente pa ra 2
participantes realiza rem os TR. Desta forma , cada profissional
deve testa r as 4 amostras pa ra HIV e Sífilis. ATENÇÃO: apenas um
dos dois participantes deve hidratar as amostras.
Anote todos os dados soli ci tados no Formulá rio de Resul tados e,
posteri ormente, di gi te os dados e os resul tados no si te
http://qualitr.paginas.ufs c.br/ na seção “Inseri r Resul tados ”.
Cada profissional deverá digi ta r o seu resul tado no si te, de forma
indi vidual e sigilosa . Não esqueça de clica r no botão “ENVIAR”
a pós conferir os dados digitados no s ite.
Biossegurança:
Tra te todas as amos tras como potencialmente infectantes .
Des ca rte todo o ma terial utilizado em recipiente para des ca rte de
ma teriais com ris co biológi co. Adote as normas uni versais de
biossegurança , o que inclui o uso de equipa mentos de proteção
i ndivi dual, como luvas, jalecos e óculos.
Contato:
Em caso de dúvi das, entre em contato por telefone (48 37214562),
por
e-mail
([email protected] .com
ou
[email protected]) ou na opção “Fale Conos co” no si te
http://qualitr.paginas.ufsc.br/ .
Referências:
BENZAKEN , AS; BAZZO, ML ; GALBAN , E; PINTO, I; NOGUEIRA, CL ; GOLFETTO, L ;
BENZAKEN , N S; SOLLIS, K; M ABEY, D; P EELING , R. P6.008 Ext ernal Qu ality Assuranc e
with Dried Tub e Speci mens (DTS) For Point of Care Syphilis and H IV Tests:
Experi enc e in an Indigenous Populat ions Screening Programme in th e B razili an
Amazon. Sexually Transmitted Infections, v. 89, p. A372-A372, 2013.
PAREKH BS, ANYAN WU J , PATEL H, DOWNER M, KALOU M, GICHIMU C, KEIPKER ICH
BS, CL EMEN T N , OM ONDI M , M AYER O , OU C Y, NK ENGASONG JN. Dri ed tub e
specimens: a simpl e and cost- effecti ve method for preparat ion of HIV profici ency
testing p anels and qual ity cont rol mat eri als for use in resource-li mit ed settings. J
Virol Methods, v. 163, p. 295-300, 2010.