Memórias do - North Atlantic

Сomentários

Transcrição

Memórias do - North Atlantic
Jornal do Brasil | Sábado, 23 de outubro de 2010
Fotos de divulgação
CINEMA
Memórias
do Atântico
O português Bernardo
Nascimento estreia na direção
com o curta que reúne
lembranças da infância
entre Lisboa e Madeira
AVENTURA–
Fancisco Tavares
interpreta
controlador de voo.
No detalhe, o
cineasta estreante
Carlos Helí de Almeida
LONDRES
O português Bernardo Nascimento passou grande parte da infância vivendo entre Lisboa e Madeira, ilha fincada no meio do oceano Atlântico. Parte dessa memória
insular contamina a história de
North Atlantic, curta-metragem sobre o perigoso voo cego de um
velho piloto escocês sobre o Atlântico Norte, que Nascimento apresenta segunda-feira no programa
London Calling do 54º Festival de
Londres. O filme marca a estreia do
realizador na direção, depois de
sete anos absorvendo macetes da
profissão como assistente de cineastas tão distintos quanto o centenário Manoel de Oliveira (O quinto império - Ontem como hoje), como
o britânico Matthew Vaughn, do
recente Kick-ass - Quebrando tudo.
– É difícil identificar o que
aprendi com um e com outro –
declara o realizador de 35 anos,
que, desde 2005, fez de Londres a
sua base de operação. – Poderia
dizer que, como o Manoel (de Oliveira), aprendi a pensar as ideias de
tempo e movimento dentro do objeto cinematográfico e com o
Vaughn, que é um privilégio fazer
filmes com bastante dinheiro.
Bernardo diz que sua entrada no
mundo do cinema foi “acidental”.
Estudou música e história contemporânea em Lisboa e Paris, mas,
antes de se formar, cruzou seu caminho um produtor de cinema:
– Na época em que fazia curso de
história, queria fazer um documentário ao estilo reportagem de fundo,
próximo do
jornalismo.
Um produtor
acabou me
oferecendo
trabalho em
longa-metragem, e então
decidi experimentar.
O filme
era O fascínio, do diretor português José Fonseca e Costa, inspirado em romance do escritor gaúcho Tabajara Ruas, no
qual funcionou como terceiro assistente de direção. Não parou
mais: foi promovido a primeiro assistente já no terceiro trabalho, O
crime do padre Amaro (2005), de
Carlos Coelho da Silva, baseado no
clássico de Eça de Queirós. Ano
passado, achou que estava na hora
de encarar o seu próprio projeto.
North Atlantic foi alimentado tanto por dados da memória afetiva do
diretor como pessoas que conheceu,
histórias que leu e sensações que
viveu. Também por referências
mais concretas, como um plano específico de desenho animado do
mestre japonês Hayao Miazaki (Porco rosso), no qual um pequeno avião
voa sobre
um mar
de
nuvens, e
até uma
versão da
canção
Insensatez,
de
Tom Jobim.
O
curta tem
pelo menos duas cenas em animação em 3D
com traços de realismo mágico.
– Gostei tanto da escala e do
valor emocional daquele plano de
Porco rosso que ela me fez buscar
elementos narrativos que estão na
gênese do curta – recorda o diretor.
– Gosto muito de música, mas não
tenho destreza para tocar instrumentos musicais. A música do Tom
é uma das poucas que eu consigo
tocar. Esse meu gosto musical alia-
do à minha falta de destreza e
talento para a arte entrou na construção do personagem principal de
North Atlantic. Enquanto tocava
Insensatez , refleti pela primeira vez
sobre a relação entre dois músicos,
cuja mútua colaboração é cultural
e intelectual, mas também física.
O curta descreve o drama de
James (Clive Russell), piloto escocês de 62 anos, protagonista de
um perigoso voo noturno sobre o
Atlântico, com um rádio defeituoso
e instrumentos de navegação inoperantes. Para piorar a situação, o
combustível está acabando. Até
que entra na equação um jovem
controlador de voo português
(Francisco Tavares), que trabalha
na ilha dos Açores. North Atlantic
só foi feito no Reino Unido por
limitações financeiras.
– Nosso orçamento que, basicamente, veio de um subsídio para a elaboração do roteiro, não
nos permitiu viajar até os Açores, onde a história se passa –
explica o diretor, que já ensaia a
estreia em longa-metragem. – Estou escrevendo dois roteiros, um
para ser rodado na Inglaterra e
outro em Lisboa.
O repórter viajou a convite da organização
do festival.
HORÓSCOPO
29
POR MAX KLIM www.maxklim.com.br
Dia de forte significado astrológico com o Sol iniciando às 9h35 sua passagem anual
por Escorpião, o signo da determinação. Neste mês solar teremos o domínio de
quadro de fixação, de radicalismo emocional, da astúcia e do ciúme.
ÁRIES 21 de mar. a 20 de abr.
LIBRA 23 de set. a 22 de out.
Destaque : neste mês o Sol
rege sua 8ª casa zodiacal
agindo sobre o apoio que se dá
e se recebe e também dos
legados. Hoje: você terá dia
favorável com a
materialização de quadro de
versatilidade e conquistas.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 2ª casa zodiacal agindo
sobre bens pessoais,
habilidade e a forma de
ganhar dinheiro. Hoje:
benéfica avaliação de seus
atos com destaque para
sonhos e aspirações.
TOURO 21 de abr.a 20 de mar.
ESCORPIÃO 23 de out. a 21 de nov.
Destaque: neste mês, o Sol
rege sua 7ª casa zodiacal
agindo sobre parcerias,
casamento, acordos e os
contratos. Hoje: os fatos irão
lhe dar razão em pendências e
fazê-lo centro de atenções e
cuidados.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 1ª casa zodiacal agindo
sobre o senso individual de
identidade, as tendências
naturais e a forma de se
expressar. Hoje: em dia de
mudança de ânimo, reveja
decisões.
GÊMEOS 21 de mai. a 20 de jun.
SAGITÁRIO 22 de nov. a 21 de dez.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 6ª casa zodiacal agindo
sobre trabalho, emprego,
deveres e saúde. Hoje: em dia
favorável procure uma
motivação otimista em tudo o
que vier a empreender na
rotina.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 12ª casa zodiacal agindo
sobre as forças e fraquezas
desconhecidas, a solidão e as
atividades de bastidores.
Hoje: dia de mudança com
apoio de amigo. Fortes
emoções.
CÃNCER 21 de jun. a 21 de jul.
CAPRICÓRNIO 22 de dez. a 20 de jan.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 5ª casa zodiacal agindo
sobre seu talento, romances e
filhos. Hoje: você verá
mudadas posições ao seu
respeito. Seja prudente e
ouça conselhos. Reconquista
de afeto.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 11ª casa zodiacal agindo
sobre as amizades e
associações, desejos de vida e
interesses humanitários.
Hoje: fixe objetivos com mais
rigor e firmeza. Pense para
a g i r.
LEÃO 22 de jul. a 22 de ago.
AQUÁRIO 21 de jan. a 19 de fev.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 4ª casa zodiacal agindo
sobre a família, as raízes, o lar
e a hereditariedade. Hoje: os
fatos mudarão os rumos de
seus planos em dia de muita
harmonia. Lembranças e
nostalgia.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 10ª casa zodiacal agindo
sobre profissão, conceito e
reputação, além do estatus
social. Hoje: bom quadro com
nova opção de ganho. Hoje
mudam suas intenções e
planos.
VIRGEM 23 de ago. a 22 de set.
PEIXES 20 de fev. a 20 de mar.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 3ª casa zodiacal agindo
sobre o meio ambiente
próximo, a comunicação e
forma de expressão. Hoje: o
dia mostra face mais
cooperativa. Procure se
apoiar nos íntimos.
Destaque: neste mês o Sol rege
sua 9ª casa zodiacal agindo
sobre a educação, sonhos e
visões e as longas viagens.
Hoje: a realização de seus
objetivos será a tônica de seu
comportamento. Novas
opções.
>> Receba o horóscopo do JB no seu celular. Envie JB seguido das três primeiras letras do seu signo para 50015
(Vivo, Claro, Oi e Ctbc). Ex: Para assinar TOUro, envie JBTOU. R$ 0,10 por msg.

Documentos relacionados

DN Madeira 1 27-02-2011 opt

DN Madeira 1 27-02-2011 opt tu, depois a equipa que te ajudou a fazê-lo, e ´’last but not least’, o público que o vê pela primeira vez. Quando tens a sorte de reunir estes três ‘sucessos’, sentes-te pronto para encarar os fes...

Leia mais