Eu vou testemunhar e frutificar

Сomentários

Transcrição

Eu vou testemunhar e frutificar
Eu vou testemunhar e frutificar
O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio.
Provérbios 11.30
Frutificar e ganhar almas são duas atitudes esperadas naquele que conhece a Cristo. No Novo
Testamento, somos lembrados, inclusive, de que isto é o resultado lógico e natural de nossa
experiência com Ele.
Conhecer a Cristo, e por meio dEle experimentar a salvação, deve produzir o desejo
espontâneo de levar a outros esta mensagem de esperança e transformação de vida.
Exatamente como aconteceu à mulher samaritana (João 4), que correu à cidade para
compartilhar sua experiência de encontrar o Messias.
Por outro lado, nossa relação com Ele leva-nos a produzir frutos. No capítulo 15 do Evangelho
Segundo João, o próprio Jesus explica a relação existente entre nossa conexão com Ele e a
frutificação. Não apenas afirma: “sem mim nada podeis fazer” (João 15.4-5), lembrando nossa
dependência dEle, como apresenta os efeitos de nossa ligação com Ele, ao afirmar: “Se vós
estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e
vos será feito.” (João 15.7)
É de se esperar, portanto que, como discípulos, estejamos ligados ao Senhor. É de se esperar
que a partir desta ligação, nossa vida seja frutífera. É de se esperar que esses frutos se
verifiquem sobretudo em nosso testemunho – no modo com apresentamos aos outros o Cristo
que conhecemos e o evangelho que abraçamos.
É este o desafio que se nos apresenta em mais uma campanha de Missões Estaduais: o povo
batista de Pernambuco é desafiado a produzir frutos. Desejamos que, pelo testemunho, pelo
envolvimento e pelo compromisso de nosso povo, os pernambucanos conheçam este
evangelho e experimentem, em suas vidas, os resultados desta mensagem, que é o “poder de
Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Romanos 1.16).
Ney Ladeia
Pastor Titular