1459-vivencias-27-06-2014

Сomentários

Transcrição

1459-vivencias-27-06-2014
Nº 1459
27/ 06/ 2014
6148. Evangelho de 6ª feira - Solenidade do Sagrado Coração de Jesus e N. Sra. do Perpétuo Socorro
(27-06-2014) - Dt 7, 6-11; Sl 102; 1Jo 4, 7-16; Mt 11, 25-30 - Jesus disse: - Pai, Senhor do céu e da terra,
eu vos bendigo, porque ocultastes estas coisas aos sábios e eruditos e as revelastes aos simples. - Sim,
Pai, esta foi a vossa vontade. Tudo me foi entregue por Vós. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e
ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelar. Venham a mim vocês
todos, cansados e oprimidos, e eu os aliviarei. Tomem sobre seus ombros o meu jugo e façam-se meus
discípulos, porque eu sou manso e humilde de coração, e assim encontrarão repouso para suas almas:
pois meu jugo é de fato suave e meu peso é leve.
Recadinho: - Você busca, com humildade, conhecer as coisas de Deus? - Procura ver Deus presente em tudo?
Dê um exemplo. - Nas incertezas da vida, onde busca consolo e conforto? - Sua vida é um diálogo de amor para
com Deus, de coração para coração? - Conhece pessoas que têm um fardo pesado mas vivem como se fosse
leve?
6149. Abrir conventos vazios de Roma para hospedar refugiados?! - Notícia publicada em 20 de junho
de 2014 revelam que “dez meses depois do Papa pedir para os conventos de Roma hospedarem
refugiados, e após uma carta do Vicariato, o apelo do Papa não teve o êxito esperado: somente duas
estruturas aderiram, colocando à disposição, no total, 7 leitos. Mas se a resposta é escassa, complexo e
delicado também é o contexto que surge em torno do assunto, tornando praticamente impossível
tornar tal pedido uma realidade! As religiosas de São José de Chambery ofereceram 2 lugares na casa de
sua sede provincial, e abrigaram dois jovens refugiados políticos africanos; e as irmãs da Caridade de
Santa Joana Antida Thouret, que possuem uma casa no centro de Roma, estão hospedando 5 mulheres
refugiadas. Sem dúvida que isso não é nadsa, se comparado ao patrimônio dos institutos religiosos da
Diocese do Papa: 160 na capital e 40 na província, contabilizando um total de 15 mil leitos.
No dia 10 de setembro de 2013, visitando o Centro Astalli, em que os jesuítas acolhem refugiados há
mais de 30 anos, o Papa fez um pedido claro: “A Igreja não deve transformar os conventos vazios em
hotéis para ganhar dinheiro; não são nossos, são para a carne de Cristo, que são os refugiados. O
Senhor chama a viver com generosidade e coragem o acolhimento nos conventos vazios”.
Um dossiê da Caritas aponta que em Roma vivem pelo menos 3500 refugiados em “colônias”, como a
de La Romanina, onde cerca de 2 mil etíopes, somalis e sudaneses ocuparam um prédio e vivem
ilegalmente em 7 andares, sem nenhuma forma de assistência. Diversos núcleos familiares têm crianças
pequenas, vivendo em condições insalubres. Outro grande aglomerado, o maior de Roma, existe desde
2000. Ali convivem eritreus e etíopes, latino-americanos, marroquinos, europeus do Leste e um grupo
de bengaleses. Muitos estão de passagem, muitos são menores desacompanhados.
O problema, porém, é de grande complexidade, envolvendo aspectos jurídicos e sociais, esbarrando em
situações de difícil solução e que não podem se ater a simplesmente atender a um pedido do Papa, por
mais bem intencionado que seja!
6150. Bispos dos Estados Unidos financiam 112 projetos na América Latina e Caribe - No dia 18 de
junho de 2014, a Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos anunciou a destinação de US $
1,7 milhões de dólares para apoiar 112 projetos na América Latina e no Caribe. "Graças à generosidade
dos católicos de todo o país, podemos continuar com o nosso apoio", anunciou o Bispo Auxiliar de
Seattle, Dom Eusébio Elizondo, presidente da subcomissão da Conferência dos Bispos. Os países que
se beneficiarão dos fundos são: Colômbia, Haiti, Peru, República Dominicana, México, Brasil e
Nicarágua. Na Colômbia, a Igreja apoiará as organizações de jovens que trabalham "para construir a
paz frente à violência local causada pela guerrilha". No Peru vão apoiar seminaristas que vêm de
famílias muito pobres e de grupos étnicos indígenas. No Brasil, missionários receberão formação e
apoio para o trabalho com comunidades indígenas da Amazônia. Outros projetos incidirão sobre a
formação dos catequistas leigos e das necessidades pastorais criadas pela migração. Alguns projetos
lidam com educação e formação das comunidades de religiosas e pastoral das famílias. Além disso,
graças à generosidade e sensibilidade dos católicos norte-americanos, os bispos aprovaram seis projetos
para a "reconstrução da Igreja no Haiti", com uma contribuição de quase US $ 3 milhões de dólares.