328-1 - X Congresso Nordestino de Produção Animal

Сomentários

Transcrição

328-1 - X Congresso Nordestino de Produção Animal
Interação genótipos ambientes para pesos aos 365 e 550 dias de idade em bovinos Guzerá criados no Nordeste
do Brasil¹
Jarbas Corrêa Santos2, Laaina de Andrade Souza3*, Carlos Henrique Mendes Malhado4, Raimundo Martins
Filho5, Diego Pagung Ambrosini6, Danielle Maria Machado Ribeiro Azevêdo7, Paulo Luiz Souza Carneiro8
1
Parte do trabalho de Mestrado do primeiro autor, financiada pela CAPES.
Doutorando em Zootecnia, bolsista CAPES – PPZ/UESB, Itapetinga, BA. [email protected]
Pós-doutoranda em Ciência Animal, bolsista CAPES-PNPD/PPGCA-UFRB, Cruz das Almas, BA.
4
Professor Titular DCB/UESB, Jequié, BA.
5
Professor Visitante Nacional Sênior CAPES/UFCA,Cariri, CE.
6
Doutor em Zootecnia, UESB, Itapetinga, BA.
7
Pesquisadora da Embrapa Meio-Norte, Teresina, PI.
8
Professor Titular DCB/UESB, Jequié, BA.
*Autor apresentador.
2
3
Resumo: Avaliou-se a interação genótipos ambientes (IGA) para os pesos aos 365 (P365) e 550 dias de idade
(P550) em bovinos da raça Guzerá no Nordeste brasileiro, através de normas de reação. O modelo hierárquico de
normas de reação homocedástico um passo foi o de melhor ajuste aos dados para ambos os pesos. Verificou-se IGA,
efeito escala, para o P365 e IGA complexa para o P550. Reprodutores selecionados nos ambientes de média e alta
produtividade não são recomendados para ambientes de baixo manejo.
Palavras-chave: inferência bayesiana, normas de reação, sensibilidade ambiental, zebuínos
Genotype environment interaction for weights at 365 and 550 days in Guzerá cattle created in Brazil's
Northeast
Abstract: We evaluated the genotypes environments interaction (GEI) for weights at 365 (W365) and 550 days
(W550) in Guzerá cattle in northeastern Brazil, through reaction norms. The hierarchical model reaction norms
homoscedastic step one was the best fit of the data for both weights. It was found GEI scale effect for W365 and
complex GEI for the W550. Breeder selected in the media and high productivity environments are not
recommended for low management environments.
Keywords: Bayesian inference, reaction norms, environmental sensitivity, zebu
Introdução
O Brasil apresenta proporções continentais e sua região Nordeste é a que apresenta o maior crescimento
anual do rebanho bovino, com quase 3%. Em virtude da diversidade climática nesta região e da adversidade do
semiárido as raças zebuínas são as mais utilizadas para a pecuária nordestina. A interação genótipos ambientes
(IGA) não tem sido levada em consideração na maioria dos programas de avaliação genética de bovinos, sendo
que a grande maioria das avaliações genéticas utiliza modelos mistos, que consideram variâncias genéticas
aditivas e residuais homogêneas para todos os rebanhos. Entretanto, tem sido verificada a presença de
heterogeneidade de variâncias e interação genótipos ambientes quando os dados são oriundos de diferentes
sistemas de criação e regiões. Assim, objetivou-se estudar a IGA para bovinos da raça Guzerá, na região
Nordeste, via normas de reação, para os pesos ao ano (P365) e ao sobreano (P550).
Material e Métodos
Os registros de pesos dos animais da raça Guzerá foram cedidos pela Associação Brasileira dos Criadores
de Zebu (ABCZ), nascidos entre os anos de 1975 e 2011, na região Nordeste do Brasil. Foram utilizados pesos
padronizados aos 365 (P365) e 550 dias de idade (P550). Foi realizada a edição dos dados e avaliada a conexão
dos grupos de contemporâneos (GC), o que permitiu a preparação do arquivo de pedigree e de dados, incluindo
apenas GC conectados. Os GC agruparam os animais que tiveram um ambiente de produção equivalente,
incluindo rebanho, ano, época de nascimento, regime alimentar e sexo. O programa INTERGEN foi utilizado
com um modelo animal padrão (MA), para obter as estimativas dos efeitos médios de ambiente com base nos
grupos de contemporâneos e servir de base de comparação para análise dos modelos hierárquicos de normas de
reação (MHNR). Os MHNR, homocedástico (MHNRHO) e heterocedástico (MHNRHE), foram ajustados
também pelo INTERGEN para um e dois passos (MHNRHO1P, MHNRHO2P, MHNRHE1P e MHNRHE2P), com
parâmetros definidos em estágios ou níveis ambientais estruturados, que continham todas as situações de
desempenho animal. Nos modelos de normas de reação, o valor genético do animal é obtido em função do nível
ambiental médio correspondente à solução do GC ao qual o registro pertence. Para cada nível ambiental há um
valor genético de cada animal. O Critério de Informação da Deviance (DIC), Deviance baseada nos Fatores de
Bayes (FB) e Deviance baseada na Ordenada Preditiva Condicional (CPO) permitiram avaliar o ajuste dos
modelos aos dados.
Resultados e Discussão
As médias do P365 e P550 foram de 216,73 ± 65,65 Kg e 287,97 ± 98,33 Kg, respectivamente. Para o
P365 observou-se convergência (p>0,05) para o MA, MHNRHO2P e MHNRHO1P. O P550 apresentou
convergência (p>0,01) para o MA, MHNRHO2P e MHNRHO1P. Os modelos com a inclusão de heterogeneidade
de variâncias residuais (MHNRHE1P e MHNRHE2P) apresentaram problemas de convergência. Segundo El Faro
e Albuquerque (2003), o número elevado de parâmetros dos modelos com inclusão da heterogeneidade residual
de variâncias pode dificultar a convergência na estimação dos componentes de variância. Araujo et al. (2009)
afirmam que a homogeneidade de variâncias genética e ambiental pode ser considerada quando se avaliam
reprodutores e matrizes com filhos distribuídos em muitos rebanhos, o que minimiza os efeitos da
heterogeneidade de variâncias. O modelo de melhor ajuste ao conjunto de dados para P365 e P550 foi o
MHNRHO1P. As herdabilidades variaram de 0,21 a 0,71 para o P365 no MHNRHO1P, de acordo com o nível
ambiental de baixo a alto manejo, respectivamente (Figura 1A). Isto mostra maiores possibilidades de ganhos
genéticos por seleção nos ambientes de melhor manejo. Este fato é corroborado no trabalho de Araujo et al.
(2009), em que afirmam que reprodutores com proles em rebanhos mais variáveis estariam sendo melhores
classificados na avaliação genética quando se considera a homogeneidade de variâncias. A tendência de aumento
da herdabilidade no MHNRHO1P também foi observado por Ambrosini et al. (2012), com valores variando de
0,05 a 0,66 ao longo do gradiente ambiental.
Figura 1. Herdabilidades da característica P365 (A) e P550 (B) no MA e MHNRHO1P.
O MA apresentou estimativa de h² de 0,29 para P550. Já no MHNRHO1P observou-se variação ao longo
do gradiente ambiental de 0,06 a 0,93 (Fig. 1B). Ambrosini et al. (2014) também verificaram grande variação da
herdabilidade ao longo do grande ambiental para o P550, com valores próximos a 0,05 para os ambientes de
baixo nível de manejo a valores próximos de 0,8 nos ambientes melhores. As correlações de Spearman entre as
classificações dos reprodutores pelo MA e MHNRHO1P (baixo, médio e alto) para o P365 e P550 variaram de
0,26 a 0,99 e de -0,99 a 0,99, respectivamente. Observou-se que animais selecionados no ambiente de baixo
manejo, para ambos os pesos, não são recomendados para uso em ambientes de médio e alto manejo, em razão
das correlações baixas e negativas altas. A Figura 2 mostra IGA efeito escala para P365 e complexa para o P550.
Isto evidencia que as avaliações genéticas atuais, que são realizadas via MA e não consideram a IGA, podem
levar à utilização equivocada de reprodutores no ambiente de baixo manejo. Já animais selecionados com base
nas informações de produção da progênie no ambiente de médio manejo, pelo modelo de norma de reação,
podem ser utilizados nos ambientes de alto manejo. Para o P365 observou-se IGA efeito escala com
pouquíssimas alterações de classificação. Já para o P550 observou-se inversões de classificação dos animais,
indicando IGA complexa. A IGA complexa é grave, pois a seleção de animais superiores para ambientes de
médio e alto níveis de produção, como no caso do P550, poderão levar a riscos no progresso genético da raça
Guzerá caso estes animais sejam utilizados em ambientes com baixo nível de produção. A indicação de
reprodutores com genótipos robustos muitas vezes é utilizada como uma alternativa, entretanto, quando isto
ocorre os ganhos genéticos em ambientes favoráveis ficam comprometidos, simplesmente pelo fato dos
genótipos robustos não serem muito sensíveis às mudanças ambientais. Mattar et al. (2011), Ambrosini et al.
(2012) e Ambrosini et al. (2014) encontraram IGA complexa para bovinos de corte das raças Canchim, Nelore
Mocho e Nelore Mocho utilizando normas de reação, respectivamente.
Figura 2. Norma de reação ao longo do gradiente ambiental para o P365 (A) e P550 (B) obtido para os 10 reprodutores com
maior número de filhos.
As inclinações das normas de reação para o P365 variaram de -0,46 a 0,39 graus, sendo que 96,05% dos
animais (7271) estavam entre -0,20 e 0,20 e são considerados genótipos robustos. O restante dos animais (299)
são considerados genótipos plásticos, com inclinações abaixo de -0,20 e acima de 0,20. Para o P550 observou-se
inclinações maiores, que variaram de -0,85 a 0,99, com 3622 animais (75,29%) considerados robustos e 1189
animais com genótipos plásticos. Para o P365, três dos 10 reprodutores com maior número de filhos são
considerados genótipos plásticos e sete são robustos, com uma média de 114,6 filhos por reprodutor. Já para o
P550, dos 10 reprodutores com maior número de filhos, 50% são considerados plásticos e os outros robustos,
com uma média de 84,1 filhos por reprodutor. As correlações dos valores genéticos ao longo do gradiente
ambiental para o P365, apresentaram valores baixos entre o nível de produção baixo e o alto. Entre o nível baixo
e médio foi verificada correlação média e entre o médio e o alto correlação de média para alta. Para o P550 as
correlações genéticas entre os níveis de baixo e médio manejo foram baixas, assim como entre o de baixo e alto.
Correlação alta foi somente verificada entre os valores genéticos nos ambientes de médio e alto manejo.
Conclusões
Existe interação genótipos ambientes para bovinos da raça Guzerá no Nordeste do Brasil para os P365 e
P550. Para o P365 foi verificado IGA efeito escala e para o P550 observou-se reordenações de reprodutores,
caracterizando interação complexa.
O modelo hierárquico de normas de reação homocedástico um passo foi o de melhor ajuste aos dados.
Animais selecionados para reprodutores nos ambientes de média e alta produtividade não são recomendados para
ambientes de baixo manejo.
Agradecimentos
Agradecemos à ABCZ, CAPES, FAPESB, CNPq e UESB pelo financiamento e apoio.
Referências
AMBROSINI, D. P.; CARNEIRO, P. L. S.; BRACCINI NETO, J. MARTINS FILHO, R.; AMARAL, R. S.;
CARDOSO, F. F.; MALHADO, C. H. M. M. Reaction norms models in the adjusted weight at 550 days of age
for Polled Nellore cattle in Northeast Brazil. Revista Brasileira de Zootecnia, Brasília, v.43, n.7, p.351-357,
2014.
AMBROSINI, D. P.; CARNEIRO, P. L. S.; BRACCINI NETO, J.; MALHADO, C. H. M. M.; MARTINS
FILHO, R.; CARDOSO, F. F. Interação genótipo × ambiente para peso ao ano em bovinos Nelore Mocho no
Nordeste do Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.47, n.10, p.1489-1495, 2012.
ARAUJO, C. V.; RESENDE, G. S. A.; ARAUJO, S. I.; RENNÓ, F. P.; TOMAZINI, A. P. I.; MARQUES, J. R.
F. Interação genótipo x ambiente para produção de leite na raça Pardo Suíço, utilizando-se inferência Bayesiana.
Acta Scientiarum. Animal Sciences, Maringá, v.31, n. 2, p. 205-211, 2009.
EL FARO, L.; ALBUQUERQUE, L. G. Utilização de Modelos de Regressão Aleatória para Produção de Leite
no Dia do Controle, com Diferentes Estruturas de Variâncias Residuais. Revista Brasileira de Zootecnia,
Brasília, v.32, n.5, p.1104-1113, 2003.
MATTAR, M.; SILVA, L. O. C.; ALENCAR, M. M.; CARDOSO, F. F. Genotype × environment interaction for
long-yearling weight in Canchim cattle quantified by reaction norm analysis. Journal of Animal Science, p.
2349-2355, 2011.

Documentos relacionados