CJ Ramone confirma show no Brasil

Сomentários

Transcrição

CJ Ramone confirma show no Brasil
CULTURA/LITERATURA
DIÁRIO DO GRANDE ABC
Quinta-feira, 13 de junho de 2013
Jairo Costa resgata
Após pesquisa em
campo, autor de
Santo André lança
hoje livro que
mergulha em lendas
contosdaFlorestaAmazônica
3
TRECHO
Vinícius Castelli
[email protected]
L
endas como as da cobra grande, mãe
d’água, Iara, Matinta
Perera, histórias do
Brasil, da Floresta Amazônica, de gente que jura de pé
junto que são verdadeiras.
São essas e outras que ilustram as páginas da obra Amazônia Fantástica (Bamboo
Editorial, 216 págs, R$ 39
em média) do escritor Jairo
Costa. O lançamento é hoje,
em Santo André, no 74 Clube, a partir das 19h. A entrada é gratuita.
Nascido em Belém, o autor
radicado em Santo André teve a ideia de buscar essa cultura quando constatou que o
brasileiro pouco ou quase nada sabe a respeito da Amazônia. “E nem quer saber. Os
alemães, os chineses, os japoneses sabem mais sobre aquela região e são mais fascinados por ela que qualquer brasileiro. A Amazônia, com essa onda de hidrelétricas e desmatamentos, corre sério risco de se tornar mais um mito, uma lenda a contar para
as novas gerações”, afirma.
Quando Costa começou a
pesquisar sobre ‘cidades perdidas’, como a de Eldorado,
que supostamente fica no lado brasileiro da Amazônia,
ele resolveu arrumar a mochila, pegar a família e tomar rumo de Belém em 2011. “Fiquei lá um mês. Fui com minha mulher Izabel e meus filhos Jean e Isa. A viagem se
chamou Expedição Floresta
Amazônica 2011. A ideia foi
a de apresentar para os meus
|
EM CAMPO. O autor em frente ao prédio do museu Emilio Goeldi, em Belém, mais antigo centro de pesquisas sobre a Floresta Amazônica
Fotos: Divulgação
filhos a Amazônia, aproveitando para fazer pesquisa para o livro. Foi a melhor viagem deles. Falam sobre isso
todos os dias. Querem voltar”, conta.
Para elaborar a obra, Costa
leu mais de 120 títulos, revistas e teses. Mas foi em campo
que enriqueceu a bagagem,
quando teve contato com índios e pescadores. “Os mais
velhos podem contar dezenas de histórias por horas a
fio. Eles acreditam, respeitam e temem as lendas.
Quando ouvem falar da Matinta Perera, que é uma velha
que voa e assombra, as pessoas se arrepiam.”
Ele conta ainda que teve
INTERNACIONAL
Divulgação
contato com fotos de supostos
Ovnis. “Sou um dos poucos civis que tiveram acesso aos filmes que a FAB (Força Aérea
Brasileira) fez sobre os objetos voadores não identificados e posso dizer que aquilo
assusta bastante”, conta.
Animado com o seu livro,
ele se adianta e diz que o próximo sai em julho. “Estou nos
retoques finais de um livro sobre lendas da Serra do Mar,
do Litoral e Paranapiacaba.
O livro se chama Fog. Estou
procurando patrocínio para
ele neste exato momento.”
Amazônia Fantástica – Literatura.
Hoje, às 19h. No 74 Clube – Rua Itobí, 325, Santo André. Grátis.
CJ Ramone confirma show no Brasil
Ex-integrante
da banda
norte-americana
Ramones toca em
São Paulo em julho
NOVO DISCO. O músico aproveita a visita para mostrar Reconquista
“João tinha 11 anos e morava em
uma pequena comunidade no interior do Estado do Pará chamada Castanhal Grande, onde as pessoas trabalhavam na coleta da castanha-dopará.
Certa tarde, após uma forte chuva,
seu pai o mandou na frente dos demais trabalhadores para coletar castanha. João pegou o saco de juta para
guardar os ouriços e foi caminhando
pela trilha, mata adentro, rumo ao castanhal. Ele já tinha feito aquele caminho dezenas de vezes junto com seu
pai, mas era a primeira vez que fazia o
trajeto sozinho.
As pessoas da comunidade deslocavam-se por aquela mesma trilha para recolher os ouriços de castanha e
reuniam-se para parti-los perto do tronco velho de uma grande castanheira.
Bem próximo deste lugar existia um
igarapé que tinha de ser atravessado.
Ao entrar na água, João ouviu um barulho. Parecia que alguém estava jogando um ouriço no chão para quebrá-lo.
O aparente movimento de pessoas ali
naquela mata sinistra encorajou João,
que pensou ser algum amigo ou vizinho da comunidade. Ele acelerou o
passo e, ao se aproximar do velho tronco de castanheira, deu de cara com
um imenso monstro peludo, tentando
quebrar ouriços de castanha-do-pará,
lançando-os ao chão.
O animal, quando viu João, soltou
um petrificante grito de espanto, que
ecoou pela floresta, o que fez com
que o sangue do garoto congelasse e
o pânico tomasse conta dele, impedindo que gritasse para pedir socorro ou
que fugisse.
O pai de João, que vinha com outros trabalhadores na mesma trilha,
um pouco atrás, ao ouvir o urro do animal, disparou rumo ao castanhal e começou a perseguir a criatura, que acabou escapando.
Depois desse encontro assustador,
João ficou traumatizado e não conseguiu mais dormir, apresentando sérios
distúrbios emocionais que acabaram
motivando a mudança de sua família
para Belém, a capital do Estado.”
O contrabaixista e ex-Ramones CJ Ramone tem compromisso marcado com o
público brasileiro. O músico se apresenta no País do
dia 26 até dia 7. Em São
Paulo ele faz única apresentação dia 5, no Hangar 110,
a partir das 19h. As entradas custam de R$ 70 a R$
90 e podem ser compradas
no site www.ticketbrasil.
com.br. Na região os ingressos podem ser adquiridos
na Metal CDs (Tel.:
4994-7565).
O último dos músicos a fazer parte do Ramones aproveita o retorno ao País para
matar a saudade dos velhos
tempos com faixas de sua antiga banda. Clássicos como
Judy Is A Punk, Blitzkrieg
Bop, Rockaway Beach e I
Wanna Be Your Boyfriend
não devem ficar de fora do
repertório. CJ ainda aproveita para divulgar seu novo disco, Reconquista.
VC
CJ Ramone – Música. Dia 5, a partir
das 19h. No Hangar 110. – Rua .
Rodolfo Miranda, 110, São Paulo. Tel: 3229.7442. Ingr.: R$ 70
a R$ 90.

Documentos relacionados