Apresentação do PowerPoint

Сomentários

Transcrição

Apresentação do PowerPoint
1
Nut. Ms. Ana Carolina C. Andretti
Nut. Ms. Ana Carolina C. Andretti
Nutricionista Clínica
Mestrado em Ciências Médicas pela UFRGS
Doutoranda em Ciências Médicas pela FFCSPA
Coach Internacional pela Sociedade Latino americana de Coaching
Coordenadora Pós-graduação em Nutrição Clínica e Esportiva IPGS
Consultora Nutrialliance -união entre nutricionistas (
Consultora nutricional IPGS cursos
Co-autora do Livro de Nutrição Estética (AD;CE) Ed. Atheneu
Co-autora do Livro Nutrição da Mulher (NO) Ed. Metha;
Co-autora do Livro Rotinas em Infertilidade e Contracepção (NR) Ed. Artmed;
Docente Sociedade Brasileira de Medicina Estética
Docente do curso de Pós-graduação em Biomedicina Estética Instituto Savoir
Docente do curso de Pós-graduação em Nutrição Clínica e Estética– IPGS
Docente do curso de Pós-graduação em Nutrição avançada e Nutrigenômica– IPGS
Docente do curso de Pós-graduação em Nutrição em Psicologia– IPGS
Docente do curso de Pós-graduação em Nutrição Clínica NECPAR
Docente do curso de Pós-graduação UNIVATES – Dietoterapia nos Ciclos da Vida
Docente do curso de Pós-graduação Instituição Educacional São Judas Tadeu
Docente IPGS de Cursos de Aperfeiçoamento em Emagrecimento e metabolismo; Capacitação para Prescrição de
Suplementos Nutricionais no Esporte, Docente IPGS de Cursos de Aperfeiçoamento em Suplementos Fitoterápicos.
Docente IPGS de Cursos de Aperfeiçoamento em Capacitação para Prescrição de Suplementos Nutricionais no Esporte
Docente IPGS de Cursos Aperfeiçoamento em Nutrição aplicada à Estética
Supervisora dos estágios de Pós-graduação em Nutrição e Estética – IPGS
Docente do IEP (Nutrição com Ênfase em Doenças Crônicas e Aterosclerose; Nutrição com Ênfase em Oncologia).
Docente de cursos de aperfeiçoamento UNISINOS
Docente em cursos de aperfeiçoamento: Nutrição e Esporte Solaris
Docente em cursos de aperfeiçoamento: Nutrigenômica Fita Métrica Cursos
Docente em cursos de aperfeiçoamento: Nutrição e Esporte; Curso de Funcionais, Fitoterápicos, Suplementação e Técnica
Dietética; Personal Diet Clínico e Domiciliar NTR-2006-2009.
Nutricionista do Centro da Mulher do Hospital Mãe de Deus – 2002 à 2004
Nutricionista Assistencial do Hospital Moinhos de Vento – 2004 à 2007
Nutricionista Núcleo Mama Moinhos – 2005 à 2007
Nutricionista do Centro de Oncologia HMV – 2006 à 2007
2
Nutricionista Espaço Saúde e Bem Estar- Shopping Iguatemi –HMV – 2006 à 2007
Nutricionista Clínica Nutrólogo Paulo Henkin
Assessora Técnico-científica da Sociedade Brasileira de Nutrição Clínica – 2003 à 2004
Nutricionista CAF- RBS TV e Nutricionista do Blog de peso Rádio Atlântida FM
3
NUTRIÇÃO
E
ESTÉTICA
BEM ESTAR FÍSICO
BEM ESTAR PSICOLÓGICO e EMOCIONAL
SAÚDE
3
ÁREAS
DE
ATUAÇÃO
1
consultório
estéticas
salões
personal
diet
escritório
Estética
academia
spas
hospital
hotéis
clínicas
4
4
1. OTIMIZAR
A DIGESTÃO
2. TEMPO DE
DIGESTÃO
3. MASTIGAÇÃO
5
6
7
8
ENVELHECIMENTO
9
CAPACIDADE CARDIORESPIRATÓRIA
10
VO2MÁX OU POTÊNCIA AERÓBIA MÁXIMA
É a capacidade máxima do indivíduo
captar, transportar e metabolizar o
oxigênio para a biossíntese de ATP
nos músculos esqueléticos.
11
12
.
13
14
Energética Celular x Envelhecimento
15
FATORES LIGADOS AO ENVELHECIMENTO
Alterações nos
Sistema Endócrino
de uma maneira
Geral, com alteração
Na Produção de:
 Angiotensina
 GH
 IGF-1
 Hormônios tireoideanos
 Insulina durante
a vida
PIRER, M.D.; SELMAN,C.; MICELWEE. J.J et. Al. Separating cause from effect: how does insulin IGF signalling control lifespan in
worms, filies and mice? J. Intern Med: 283-(2): 179-91. 2008.
BROWN-BORG, H.M. Hormonal regulation of longgevity and mammals. Ageing Res Rev; 6(1): 28-45, 2007.
SMITH, R.G.; BETANCOURT, L.; SUN. Y. Molecular endocrinology and physiology of the aging central nervous16
system. Endocr Rev;
26: 203-250; 2005.
17
CONSEQUENCIAS
18
PROCESSO DE ENVELHECIMENTO
19
ALTERAÇÃO COMPOSIÇÃO CORPORAL NO ENVELHECIMENTO
20
ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS ENVELHECIMENTO
21
ANTIOXIDANTES/ PROCESSO DE ENVELHECIMENTO
22
ANTIOXIDANTES/ PROCESSO DE ENVELHECIMENTO
23
ANTIOXIDANTES/ PROCESSO DE ENVELHECIMENTO
24
ANTIOXIDANTES/ PROCESSO DE ENVELHECIMENTO
25
ANTIOXIDANTES/ PROCESSO DE ENVELHECIMENTO
26
PRODUÇÃO DE ENERGIA: MAIOR FONTE DE
RADICAIS LIVRES
A mitocôndria possui o próprio DNA que determina as instruções genéticas para a
quebra de glicose e gordura para geração de energia
27
Quando RL danificam o DNA mitocondrial, a produção energética é menos
eficiente
↑ nº RL e ↑ dano mitocondrial (miopatia mitocondrial)
Miopatia mitocondrial: condição que afeta severamente a produção de
energia, resultado do defeito no DNA mitocondrial responsável pela
geração de energia.
Coração, músculo esquelético e células cerebrais tem as mais altas
concentrações de mitocôndrias, sendo os mais afetados.
Sintomas: cansaço físico e mental, exaustão celular, desempenho de função
negativa
Feed your genes right, Jack Challem;
Nutrientes para as
mitocôndrias
• Complexo B
• CoQ10
• Antioxidantes
• Ácidos graxos
essenciais (para a
saúde da membrana)
28
NUTRIENTES QUE PROTEGEM O DNA
Carnitina
Fontes: carne (principalmente vermelha) e também dos produtos lácteos.
Alimentação equilibrada fornece diariamente cerca de 50mg de L-carnitina.
Quantidade recomendada é de cerca de 250 a 500mg
Coenzima Q10
Tem o maior papel na produção de energia na mitocôndria
* Níveis baixos qdo há o uso de statinas
Feed your genes right, Jack Challem; Molecular Nutrition and genomics, Mark Lucock; Molecular Nutrition, Janos Zempleni;
Nutrients and epigenetics, Sang-Woo Choi
29
Necessário para o transporte de gordura para a
mitocôndrias para que possa ocorrer geração de
energia a partir de gordura.
CARNITINA
Em boa saúde porém cansado

500-1000 mg/dia
30
Sente fadiga regularmente

2000mg/dia com ↑ PTN e ↓CH no jantar
Sente fadiga crônica

3000mg/dia + 100mg de CoQ10 + 100mg ácido alfa lipóico
Feed your genes right, Jack Challem;
31
COENZIMA Q10
Abaixo dos 40 anos em boa saúde

30-50 mg/dia
32
acima dos 40 anos em boa saúde

50-100 mg/dia
Se possui fatores de risco

100mg
Se possui cardiomiopatia, problemas cardíacos, câncer ou atleta

300-400 mg/dia
Feed your genes right, Jack Challem;
NUTRIENTES QUE PROTEGEM O DNA
Vitamina A
33
Influencia o crescimento celular e a diferenciação em células
especializadas
Vitamina Complexo B
Desempenham diversos papéis na síntese, reparo e regulação do
DNA
Feed your genes right, Jack Challem; Molecular Nutrition and genomics, Mark Lucock; Molecular Nutrition, Janos Zempleni;
Nutrients and epigenetics, Sang-Woo Choi
COMPLEXO B
Manutenção de saúde


34

10mg B1
10mg B2
10mg B3
Sente ansiedade, estressado ou deprimido
50-100mg B1
 50-100mg B2
 50-100mg B3
Sente fadiga crônica





100mg B1
100mg B2
100mg B3
+ 10mg de NADH
Feed your genes right, Jack Challem;
NUTRIENTES QUE PROTEGEM O DNA
Vitamina C
35
Permite que células tronco (cél. Estaminais) transformem-se em
em células cardíacas especializadas, o que exige energia
disponível
Vitamina D
Desempenhas diversas funções com semelhanças hormonais
afetando a densidade óssea, imunidade e risco de câncer
Feed your genes right, Jack Challem; Molecular Nutrition and genomics, Mark Lucock; Molecular Nutrition, Janos Zempleni;
Nutrients and epigenetics, Sang-Woo Choi
VITAMINA C
Reduzir dano de DNA
500mg/dia
36

Cuidado

Doses muito altas: 2-5g/dia podem dar diarréia
Feed your genes right, Jack Challem;
NUTRIENTES QUE PROTEGEM O DNA
Vitamina E
37
Protege o DNA de dano de RL e também ajuda a regular alguns
genes
ÁCIDO ALFA LIPÓICO
Papel chave na produção de energia e é um antioxidante,
protegendo contra o dano de DNA
Feed your genes right, Jack Challem; Molecular Nutrition and genomics, Mark Lucock; Molecular Nutrition, Janos Zempleni;
Nutrients and epigenetics, Sang-Woo Choi
VITAMINA E
Reduzir dano de DNA
200-400UI/dia
38

Risco de DCV, câncer, Alzheimer

200-400UI/dia
Feed your genes right, Jack Challem;
ÁCIDO ALFA LIPÓICO
Em boa saúde

50-100 mg/dia
39
Possui DM

200 mg/dia
Pré diabético, resistência à insulina

200mg, 1 ou 2x/dia
Feed your genes right, Jack Challem;
NUTRIENTES QUE PROTEGEM O DNA
Carotenóides
40
Antioxidantes de afetam a atividade de vários genes e também
suprimi genes envolvidos na inflamação da pele
Flavonóides
Quercetina se liga ao DNA e pode proteger contra malignização
são encontrados em frutas, flores e vegetais em geral, assim como em alimentos
processados como chá e vinho
Feed your genes right, Jack Challem; Molecular Nutrition and genomics, Mark Lucock; Molecular Nutrition, Janos Zempleni;
Nutrients and epigenetics, Sang-Woo Choi
CAROTENÓIDES
Prevenção de danos de DNA


41

6mg (10,000UI) betacaroteno
5mg licopeno
5mg luteína
Prevenção câncer de próstata e câncer em geral


30mg licopeno
20mg luteína
Feed your genes right, Jack Challem;
FLAVONÓIDES
Prevenção quando em risco de doenças
inflamatórias, cardíacas e câncer
42

50-200mg de pycnogenol ou extrato de semente de uva
Feed your genes right, Jack Challem;
NUTRIENTES QUE PROTEGEM O DNA
N-acetilcisteína
antioxidante organosulfurado obtido do
óleo de gergelim e do alho e cebola
43
Regula vários genes e também pode proteger contra o dano de
RL
Cromo
Essencial para que o corpo utilize corretamente a insulina, e
influencia genes envolvidos na produção celular de gordura e
músculo
Feed your genes right, Jack Challem; Molecular Nutrition and genomics, Mark Lucock; Molecular Nutrition, Janos Zempleni;
Nutrients and epigenetics, Sang-Woo Choi
44
Consumo elevado de CH
O consumo ↑ de CH →↑ de insulina que promove:






Inflamação
Gordura abdominal
Aumenta a fome
Aumenta o risco de DVC
Aumenta risco de câncer
Acelera envelhecimento
Aumenta PCR
Feed your genes right, Jack Challem; Molecular Nutrition and genomics, Mark Lucock; Molecular Nutrition, Janos Zempleni;
Nutrients and epigenetics, Sang-Woo Choi
45

Quando a glicose circulante e as proteínas se
encontram,
é estrago na certa.
Veja comparação:
46
47
A ação dos AGEs faz a pele despencar
48
N Sadick - Regional Approach to Aesthetic Rejuvenation, 2008
Estudos in vitro demonstram a ação antienvelhecimento da Carnosina;
(Courbebaisse et al., 1998; Carletto et al., 2000)
• Estudos em animais usando uma suplementação de dieta com carnosina,
indicaram um aumento do tempo de vida em 20%, além disso, os animais
apresentaram características mais jovens.
SUPLEMENTAÇÃO
Posologia: 500 a 1000mg dia.
• Previne a glicação e apresenta atividade transglicante;
• Antiglicoxidante;
• Varre os radicais livres, ânions superóxido e hidroxila;
• Suprime o oxigênio singleto;
• Quela metais;
49
• Atua como agente tamponante no citosol.
50
51
52
NUTRIGENÔMICA/ MODULAÇÃO HORMONAL/PREVENÇÃO
INSULINA- moduladores nutricionais

Ácidos Graxos saturados

Consumo de AGS ↑ secreção de insulina

Menor ligação da insulina aos receptores após
refeição hipercalórica e rica em AGS
COLLIER,1988; BECK-NIELSEN 1998
53
NUTRIGENÔMICA/ MODULAÇÃO HORMONAL/PREVENÇÃO
INSULINA- moduladores nutricionais

Ácidos Graxos poliisaturados

Efeito protetor da resistência à insulina

ω-6 intensificam RI comparados aos ω-3
JUCKER,1999; GHAFOORUNISSA,2005
54
NUTRIGENÔMICA/ MODULAÇÃO HORMONAL/PREVENÇÃO
INSULINA- moduladores nutricionais




Ácidos Graxos ω-3
Em estudos animais a suplementação com ω-3 foi capaz
de reverter os efeitos prejudiciais dos AGS e sacarose
Efeitos protetores do ω-3 na RI
Suplementação de ω-3 pode melhorar a sensibilidade à
insulina em paciente DM2 e intolerantes à glicose
55
GHAFOORUNISSA,2005
56
A comissão européia recomenda 2g/dia de ômega 3 do tipo
alfa-linolênico e mais 200mg de ácidos graxos ômega 3 de
cadeia muito longa (EPA e DHA).
As recomendações internacionais se baseiam em uma
proporção de ácidos graxos ômega 6/ômega 3 desde 5:1 até 10:1
O Instituto de Medicina dos Estados Unidos estabeleceu uma
Al (Adequade Intake), de:
1,6g de ácidos graxos ômega 3 para homens/dia
1,1g ômega 3 para mulheres/dia
17g de ômega 6 para homens/dia
12 g de ômega 6 para mulheres/dia
57
(Institute of Medicine, 2002).
RECOMENDAÇÃO DE ÁC. GRAXOS
58
NUTRIGENÔMICA/ MODULAÇÃO HORMONAL/PREVENÇÃO
INSULINA- moduladores nutricionais



Ácidos Graxos monoinsaturados
Pacientes com DM2- o consumo de 60g de
amêndoas durante 12semanas, diminuiu:
ColT, LDLc, razão LDL/HDL, razão apoB/apoA,
NEFA(AGL), insulina jejum, glicose jejum e
HOMA_IR
59
LIU, 2010
NUTRIGENÔMICA/ MODULAÇÃO HORMONAL/PREVENÇÃO
INSULINA- moduladores nutricionais



Ácidos Graxos trans
Em pacientes DM2 ocorre maior resposta pósprandial de insulina, após refeição rica em AG trans,
quando comparado com MUFA
O aumento de 2% no consumo de trans, aumenta 40%
o risco de desenvolver DM2
60
SARKKINEN,1996; SALMERÓN, 2001
NUTRIGENÔMICA/ MODULAÇÃO HORMONAL/PREVENÇÃO
INSULINA- moduladores nutricionais



VIAMINA D
A deficiência de vit. D pode influenciar a secreção e
sensibilidade à insulina pelos seus efeitos nos níveis
intracelulares de cálcio
A deficiência de Vit.D pode levar à níveis altos de PTH, ↑
de Ca intracelular, oque prejudica a sinalização de
insulina
61
PITTAS,2007
ZEMEL, M. B. et al. Regulation of adiposity by dietary calcium. FASEB J 2000;14:1132-8.
SHI, H. et al. Role of intracellular calcium in human adipoyte differentiation. Physiol
Genomics 2000;3:75-82
62
DEFICIÊNCIA DE VIT.D
PODE FACILITAR ↓ MM
63
64
Distribuição de Gordura
corporal associada ao
status de vitamina D
65
66
67
68
69
ENVELHECIMENTO
CUTÂNEO
70
ÓLEO DE SEMENTE DE ABÓBORA (PUMKIN SEED OIL)
 Rico em ácidos linoléico, oléico, palmítico e esteárico
 Fonte de vitamina E
 Importante ação antioxidante e antiinflamatória
 Tem a capacidade de reter água, deixando a pele macia e hidratada.
 É ideal para peles secas, ásperas e danificadas, ajuda a prevenir o
surgimento de linhas finas de expressão e a atenuar as já existentes.
71
STEVENSON, D.G.; ELLER, F.J.; WANG, L. Oil and tocopherol content and composition of pumpkin seed oil in 12 cultivars.
J
Agric Food Chem; 55(10):4005-13, 2007.
CAILI, F.; HUAN, S.; QUANHONG, L. A review on pharmacological activities and utilization technologies of pumpkin. Plant
Foods Hum Nutr; 61(2):73-80, 2006.
ÓLEO DE FRAMBOESA (RASPBERRY OIL)
 Rico em ômega-3, -6 e -9
 Baixa razão 6/ 3
 Importante ação antiinflamatória
 Fonte de vitamina E e gama-tocopherol (ação
antioxidante com função de reparar e
condicionar a pele).
72
PARRY, J.; SU, L.; LUTHER, M.; et al. Fatty acid composition and antioxidant properties of cold-pressed marionberry,
boysenberry, red raspberry, and blueberry seed oils. J Agric Food Chem; 53(3):566-73, 2005.
ENVELHECIMENTO CUTANEO
COLÁGENO HIDROLISADO
•Doses
de 2 a 5g ao dia
•Associar à Vitamina C,
arginina, silício orgânico.
•Consumir longe das refeições
proteínas.
•Misturar com água ou suco.
73
ENVELHECIMENTO CUTÂNEO SILÍCIO ORGÂNICO
Anti-fotoenvelhecimento & Firmador
Ácido ortosilício quando estabilizado na molécula de colina
apresenta biodisponibilidade aumentada, previne o
fotoenvelhecimento e firma a pele.
Arch Dermatol Res. 2005. Oct; 297(4); 147-53. E pub 2005 Oct 26.
Pilar de sustentação do tecido conjuntivo
• A deficiência nutricional de silício diminui a síntese de colágeno e a
formação das glicosaminoglicanas nos ossos e na cartilagem como
consequência ocorre a perda da sustentação da pele.
DOSE – 50 A 150 MG O DIA.
74
75
TAURINA
Hidratante
Taurina é eficaz na promoção da hidratação em
queratinócitos da
epiderme humana e combate a desidratação.
The Society for Investigative Dermatology, 2003. March(121) 354-361.
Antioxidante & Anti-aging
Taurina combate o estresse oxidativo e previne
envelhecimento. Biochemistry Journal, 1987. 251-255.
Posologia – 100 a 1000 mg ao dia
76
• A vitamina C e vitamina E não tem capacidade de absorver
os UV, mas atuam frente aos cromóforos cutâneos (melanina e
colágeno) que geram radicais livres estabilizando estes radicais
e impedindo os danos nos tecidos.
• A exposição ao sol acelera a redução de colágeno e produção
de RL – VIT. C.
DOSES: VITAMINA E = 10 50 mg
•
VITAMINA C = 100 A 1000 Mg
77
77
ACNE
78
ACNE x IG
79
ACNE ♦ SUPLEMENTOS
Magnésio (elementar) -120 mg
Ácido ascórbico -200 mg
Alfa-tocoferol- 50 UI
Selênio (elementar) –50 mcg
Zinco (elementar) 10mg
Cobre -1 mg
Vitamina B6 - 10 mg
Indicar (x) doses
1 dose 2 vezes ao dia Longe de refeições com Fe
(MAGNÉSIO e ZINCO x ferro)
80
ACNE ♦ SUPLEMENTOS
Zinco quelado - 20 mg
Selênio quelado - 50 mcg
Vitamina E - 50 mg
Mande (x) cápsulas.
Tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia.
Consumir longe das refeições (ZINCO X FERRO)
Piridoxina - 20mg
Zinco - 30 mg
Mande (x) cápsulas
Posologia : 1 caps 2 x ao dia
Ação : ajuda na acne pré –menstrual
81
ACNE ♦ SUPLEMENTOS
Cápsulas de zinco + vitamina C
Zinco quelado _ __________________________________ 20mg
Vitamina C _______________________________________200
mg
Mande (x) cápsulas.
Tomar 1 cápsula ao dia longe das refeições com ferro.
Cápsulas de Omega 3+ betacaroteno
Omega 3 – 1 a 3g
Betacaroteno – 6 a 15 mg
Consumir longe das refeições com fibras
82
SÍNDROME DA DESARMONIA CORPORAL
Características:


Presença de FEG (fibroedemagelóide)
Nome científico “celulite”

Adiposidade localizada

Aumento da gordura corporal total

Flacidez muscular

Presença ou não de pele estriada
83
83
84
85
FIBRO EDEMA GELÓIDE- FEG
86
87
88
89
90
90
91
91
Auxiliares no emagrecimento
92
92
CELULITE
93
FIBRO EDEMA GELÓIDEFEG
94
94
FIBRO EDEMA GELÓIDE- FEG
95
FIBRO EDEMA GELÓIDE- FEG
96
FIBRO EDEMA GELÓIDE- FEG
97
FLACIDEZ


Muscular – Atividade Física
Dérmica – Prevenção
perda da elasticidade do tônus, da hidratação e das
propriedades biológicas da pele.
Verificar: Proteínas,
VitaminaC
98
98
FOTODANO
Exposição solar aumenta atividade
das
metaloproteinases aumentando
assim a
degradação de colágeno
99
99
100
101
102
Prevenção do fotodano
103
103
Prevenção do fotodano
104
104
Escolha por
dietas
milagrosas...
105
DIETAS POPULARES

Dieta da Clínica Mayo

A cura de Waerland

Dieta Dissociada de Hay

Dieta do Exército Israelita

Dieta de Atkins

Antidieta

Dieta de Hollywood

Dieta da proteína Líquida

Monodieta

Dieta dos Astronautas


Dieta do Montignac
Dieta de Haas

Dieta toma a metade

Dieta Vegetariana

Dieta das Frutas

Dieta Macrobiótica

Dieta da Sopa e da Lua

Dieta do grupo sangüíneo

Dieta da USP

Vigilantes do peso
106
?
OBJETIVO ECONÔMICO ???
107
OU DE QUALIDADE NUTRICIONAL??
DIETA DO
MEDITERRÂNEO
108
DIETA DO MEDITERRÂNEO

Dieta estudada sobre a saúde de pessoas que vivem no mediterrâneo;

Característica:

Grande consumo de frutas, verduras, pães, batatas, feijões, nozes,e vários
tipos de sementes.

Azeite de oliva: fonte AGM

Quantidade Moderada: Leite, peixes e frango.

Quantidade Reduzida: carne vermelha

Ovos: 0 a 4 x/semana;

Vinho: quantidade pequena a moderada.
Aumento da capacidade antioxidante
Redução do dano oxidativo do DNA
Melhora da função endotelial
109
DIETA DO DR.
ATKINS
110
111
DIETA DO DR. ATKINS

CHO como vilão  Aumenta a insulina
Dieta Atkins
Não restringe calorias
Proíbe CHO
Alimentação fica restrita
Favorece a perda
de peso
112
HIPOCALÓRICA
DIETA DE SOUTH
BEACH
113
DIETA DE SOUTH BEACH

Criada pelo cardiologista Arthur Agatston;

A dieta é parecida com a do Dr. Atkins no que se
refere à pequena ingestão de carboidratos.

Eles são proibidos na fase inicial, que dura poucas
semanas.

O consumo de alimentos à base de cereais e frutas
retorna gradualmente, em menor quantidade do que
antes, e com substituição da farinha de trigo
refinada pelos grãos integrais.
114
DIETA DE SOUTH BEACH

Apesar de ser uma dieta desbalanceada,
É menos prejudicial do que a do Dr. Atkins,

Diferencia gorduras e carboidratos bons e ruins (a
introdução de cereais integrais, frutas, verduras, azeite,
carnes magras e laticínios desnatados são medidas
excelentes para a saúde).

Mas não existem estudos que comprovem a eficácia dessa
dieta a longo prazo.
115
DIETA ORNISH
116
DIETA ORNISH

Dr. Ornish relata 4 vantagens desta dieta:

Grande quantidade de fibras: frutas, vegetais, grãos e
favas  reduz produção de insulina  perda de peso 
< colesterol.

Ingerindo menos gorduras  menos calorias (sem
comer menos);

< consumo de alimentos animais  proteção contra
doenças cardiovasculares;

Consumo de substâncias protetoras.
117
DIETA ORNISH

Resultado dos estudos a curto prazo:
> TG;
 < HDL colesterol;
 Sem redução significativa nos resultados;

Principal crítica:
aderência a uma dieta
com 10% de gordura!!!!!
118
DIETA DE BEVERLY
HILLS
119
DIETA DE BEVERLY HILS

Criada pela americana Judy Mazel;

Esta dieta baseia-se no consumo de apenas um tipo de fruta por dia,
no período de 15 dias.

Desequilibrada e sem nenhuma base de conhecimentos científicos,
essa dieta pode levar a carências de todos os tipos de nutrientes,
causando vários problemas de saúde.

A quase completa ausência de proteínas faz com que a pessoa perca
não somente tecido gorduroso, mas também tecido muscular.

É o gasto energético do tecido muscular um dos principais
responsáveis pelo gasto de energia do nosso corpo, facilitando a
queima de gordura.
120
DIETA DO TIPO
SANGÜÍNEO
121
QUAIS SÃO AS EVIDÊNCIAS?
122
DIETA DO TIPO SANGÜÍNEO

A dieta do tipo sangüíneo foi criado pelo naturopata Peter D´Adamo.

Segundo D´Adamo as lecitinas, proteínas presentes nos alimentos, seriam
as responsáveis pela variação na necessidade individual diferenciada de
acordo com o tipo sangüíneo.

Sendo assim determinou-se:

Indivíduos do grupo sangüíneo tipo O devem ter um consumo aumentado
de carnes vermelhas, além de evitar aveia, trigo e grãos;

Grupo sangüíneo tipo A deveria seguir a linha vegetariana;

Tipo B pode realizar dieta variada- vale ressaltar que este grupo é o
único que pode ter um bom consumo de leites e derivados;

Grupo AB seria uma junção dos benefícios e intolerância dos grupos A e
B.
123
124
DIETA DUKAN
125
126
127
DIETA DOS VIGILANTES DO
PESO
128
DIETA DOS VIGILANTES DO PESO

Segue o sistema de pontos;

Cada alimento tem um valor;

Não é permitido ultrapassar a soma estipulada;

É a melhor dieta para a mudança definitiva dos hábitos
alimentares.

Como não restringe nenhum tipo de alimento, a pessoa
aprende a comer e emagrece de forma gradual, com
maiores chances de manter o peso estável.
129
130
131
132
HERBALIFE
133











1: Appelhans K, Smith C, Bejar E, Henig YS. Revisiting acute liver injury associated with herbalife products.
World J Hepatol. 2011 Oct 27;3(10):275-7. doi: 10.4254/wjh.v3.i10.275. PubMed PMID: 22059112; PubMed
Central PMCID: PMC3208182.
2: Manso G, López-Rivas L, Salgueiro ME, Duque JM, Jimeno FJ, Andrade RJ, Lucena MI. Continuous
reporting of new cases in Spain supports the relationship between Herbalife® products and liver injury.
Pharmacoepidemiol Drug Saf. 2011 Oct;20(10):1080-7. doi: 10.1002/pds.2180. Epub 2011 Jul 12. PubMed PMID:
21751292.
3: Bejar E, Smith CR, Appelhans K, Henig YS. Correcting a misrepresentation of hypervitaminosis A attributed
to Herbalife product consumption. Exp Mol Pathol. 2011 Jun;90(3):320-1; author reply 322. doi:
10.1016/j.yexmp.2011.02.001. Epub 2011 Feb 20. PubMed PMID: 21315714.
4: Jóhannsson M, Ormarsdóttir S, Olafsson S. [Hepatotoxicity associated with the use of Herbalife].
Laeknabladid. 2010 Mar;96(3):167-72. Icelandic. PubMed PMID: 20197595.
5: Chao S, Anders M, Turbay M, Olaiz E, Mc Cormack L, Mastai R. [Toxic hepatitis by consumption Herbalife
products a case report]. Acta Gastroenterol Latinoam. 2008 Dec;38(4):274-7. Spanish. PubMed PMID:
19157382.
6: Stickel F, Droz S, Patsenker E, Bögli-Stuber K, Aebi B, Leib SL. Severe hepatotoxicity following ingestion of
Herbalife nutritional supplements contaminated with Bacillus subtilis. J Hepatol. 2009 Jan;50(1):111-7. doi:
10.1016/j.jhep.2008.08.017. Epub 2008 Oct 18. PubMed PMID: 19010564.
7: Manso G, López-Rivas L, Duque JM, Salgueiro E. Spanish reports of hepatotoxicity associated with Herbalife
products. J Hepatol. 2008 Aug;49(2):289-90; author reply 290-1. doi: 10.1016/j.jhep.2008.05.007. Epub 2008 May
23. PubMed PMID: 18571274.
8: Ignarro L, Heber D, Henig YS, Bejar E. Herbalife nutritional products and liver injury revisited. J Hepatol.
2008 Aug;49(2):291-3; author reply 293-4. doi: 10.1016/j.jhep.2008.05.005. Epub 2008 May 23. PubMed PMID:
18550201.
9: Schoepfer AM, Engel A, Fattinger K, Marbet UA, Criblez D, Reichen J, Zimmermann A, Oneta CM. Herbal
does not mean innocuous: ten cases of severe hepatotoxicity associated with dietary supplements from Herbalife
products. J Hepatol. 2007 Oct;47(4):521-6. Epub 2007 Jul 24. PubMed PMID: 17692989.
10: Stickel F. Slimming at all costs: Herbalife-induced liver injury. J Hepatol. 2007 Oct;47(4):444-6. Epub 2007
134
Jul 27. PubMed PMID: 17692988.
11: Elinav E, Pinsker G, Safadi R, Pappo O, Bromberg M, Anis E, Keinan-Boker L, Broide E, Ackerman Z,
Kaluski DN, Lev B, Shouval D. Association between consumption of Herbalife nutritional supplements and
acute hepatotoxicity. J Hepatol. 2007 Oct;47(4):514-20. Epub 2007 Jul 26. PubMed PMID: 17692424.
A DIETA DE 3 DIAS DO DR. PERRICONE: UM FACELIFT
 Lista

de compras
- Salmão fresco
- Peito de peru
- Frango em pedaços
- Atum enlatado (opção
para o almoço)
- Ovos
- Aspargos, brócolis e
espinafre
- Alface americana ou
qualquer outra folha
da cor verde escuro
- Berries: amora,
framboesa, morango ou
mirtilo
- Melão cantalup
- Maçã
- Pêra
- Kiwi
- Limão
- Aveia (não
instantânea)
- Iogurte
- Avelãs, nozes ou
amêndoas
- Azeite de Oliva
- Água mineral
135
136
137
OBJETIVOS DA DIETA EM ZONA DE
EQUILÍBRIO HORMONAL:
• Reduzir o excesso de gordura corporal.
• Eliminar a sensação de fome.
• Eliminar a sensação de fadiga.
• Eliminar a compulsão por açúcares e doces.
• Manter o pico de energia e performance durante todo o dia.
• Elevar a capacidade de reposta ao esforço físico.
• Aumentar a capacidade de trabalho e a produtividade.
• Otimizar a Modulação Hormonal Masculina e Feminina.
138
• Alcançar o máximo de saúde e bem estar, e, principalmente, desacelerar de
forma consistente o processo de envelhecimento humano
DIETAS PERIGOSAS
139
Há na internet dietas
“desintoxicantes”
mais agressivas de
efeito trágico!
140
141
BRITÂNICA GANHA INDENIZAÇÃO
MILIONÁRIA POR DANO CEREBRAL
CAUSADO POR DIETA 'DETOX'
141
http://www.incl.rj.saude.gov.br/incl/noticias/oglobo24.asp
Uma britânica recebeu mais de 800 mil libras
esterlinas (cerca de R$ 2,5 milhões) em um acordo
de indenização por ter sofrido dano cerebral
permanente após passar por uma dieta de
desintoxicação.
Ela começou a vomitar violentamente após
começar a chamada Amazing Hydration Diet (“A
Maravilhosa Dieta da Hidratação”), e depois
sofreu um ataque epiléptico que danificou sua
memória, discurso e concentração.
Relata que sua nutricionista solicitou que tomasse
bastante água (5 litros/dia) e alimentos sem sal
(início da dieta em outubro de 2001).
142
Quando informou à nutricionista que havia
começado a vomitar, obteve a seguinte resposta:
isso era uma parte normal do processo de
desintoxicação.
Menos de uma semana depois do início da dieta:
levada ao hospital após sofrer um ataque
epiléptico  médicos afirmaram que havia
baixos níveis de sal em seu organismo.
“Déficit cognitivo”: forçada a deixar seu
emprego.
A companhia de seguros da nutricionista
concordou em pagar a “indenização” (acordo
feito fora dos tribunais), mas os advogados
negaram qualquer responsabilidade.
143
DIETAS DE DESINTOXICAÇÃO
TEORIA: toxinas dos alimentos “não saudáveis”
são acumuladas no corpo = problemas de saúde.
Limpar o organismo através de
dietas restritivas
muita água OU
certos tipos de suplementos
Andrew Wadge (Food Standards Agency) disse:
dietas de desintoxicação são “tolices”, o corpo
tem o seu próprio mecanismo de eliminar
toxinas (através do fígado).
144
145
EXEMPLO
Dieta para perder 1 kg em 24 horas
(dieta à base de sucos e infusões)
09:00
Uma xícara de água quente com suco de um
limão (adoçante opcional)
10:00
Suco de maçã com casca e laranja
12:00
Uma xícara de chá verde
13:00
Um copo de suco de cenoura ou laranja / Um
copo de água gelada
145
146
15.00
Uma xícara de chá
17:00
Um copo de suco de morango/ Um copo de água
gelada
19:00
Uma xícara de chá verde
21:00
Um copo de suco de laranja/ Um copo de água
gelada
22:00
Uma xícara de água quente com suco de um
limão.
146
147
AINDA É RESSALTADO COMO
IMPORTANTE:
Os horários são uma orientação, você pode
adaptá-los ao seu ritmo de vida.
 A dieta começa quando você acorda e termina
meia hora antes de você ir dormir.
 Você pode repeti-la uma vez por mês, sempre
consultando seu médico.

147
148
TRATAMENTO / PREVENÇÃO
INTRADERMOTERAPIA
gordura localizada e celulite
↓
quebra de gordura, redução de medidas
e melhora no quadro celulítico
-Condroitin-Sulfato
-Ácido Hialurônico
-Trissilinol
-Vitamina C
-Selênio
-Lisados (colágeno, elastina, placenta)
-DMAE
-Ácido Alfa-lipóico
149
PREENCHIMENTO FACIAL
INDICAÇÕES
Linhas Horizontais
Periorbital
Glabela
Nasolabial
Comissuras
Linhas labiais
Acne e depressões
Lábios
150
PEELINGS
 OBJETIVOS
 LOCAIS
Textura
Fotoenvelhecimento
Manchas
Turgor
Face
Pescoço
Mãos
Corporal
turgor =estado de hidratação da pele
151
LASER EM ESTÉTICA
Depilação
o Rejuvenescimento
o Manchas
o Vasos
o Acne ativa
Terapia fotodinâmica
o
o
terapia fotodinâmica indicada para
tratamento de câncer de pele
152
CELULITE
TRATAMENTO - INTRADERMOTERAPIA
As pacientes mais afetadas tem distribuição de
gordura tipo ginóide, com acúmulo proporcional de
gordura maior nas áreas com celulite
Em todos os casos vale a pena utilizar
medicações e tratamentos lipolíticos ou
que mobilizem gorduras.
Sempre há uma alteração da substância
fundamental
Devemos utilizar princípios ativos ou métodos
terapêuticos que melhorem a qualidade desta
substância fundamental
Há áreas de isquemia,
principalmente nos
locais com maior
alteração de estrutura
Pensar na
possibilidade de usar
vasodilatadores e
substâncias
hemorreológicas
153
CELULITE
TRATAMENTO - ENDERMOLOGIA
Associa a drenagem linfática à
vácuo e massagem por ultra-som
“Provoca uma massagem vigorosa na pele, cuja
finalidade seria redistribuir a gordura de forma
mais uniforme no tecido subcutâneo, além de
estimular a derme a produzir fibras elásticas e
colágenas, tornando a pele mais firme e elástica
com o tempo
Método seguro através de
massagem profunda associada
ao vácuo atuando na pele e
hipoderme
Processo de pinçamento e rolamento
sobre a pele e TCSC (tecido celular
subcutâneo ) através de discreta sucção
A sucção deve ser a menor possível para
formar a prega.
Só há desvantagens em utilizar pressões
exageradas
154
CELULITE
TRATAMENTO - ELETROLIPÓLISE
Método que consiste em veicular,
através de agulhas, uma corrente
elétrica,
diretamente dentro no tecido
gorduroso ou no tecido com celulite,
com a intenção de
produzir lipólise e melhorar a
circulação local
155
CELULITE
TRATAMENTO - SUBCISÃO
Técnica cirúrgica, que promove uma
separação de planos entre a pele , o
tecido celular subcutâneo e o sistema
músculo aponeurótico superficial
(SMAS), quando estes estão aderidos
patologicamente.
156
GORDURA LOCALIZADA
TRATAMENTO - LIPOLÍTICOS
AGENTES LIPOLÍTICOS
AMINOFILINA
 TEOFILINA
 ALCAXANTINA
 CAFEÍNA
 PENTOXIFILINA
 TIRATRICOL
 IOIMBINA
 L-CARNITINA
 TRISSILINOL
 TERBUTALINA
 DESOXICOLATO

• 10 APLICAÇÕES
• INTERVALO SEMANAL
• INFILTRAÇÃO COM
AGULHA 30G1/2 13mm
157
ESTRIAS
TRATAMENTOS
 Cremes
com ácidos e hidratantes
 Intradermoterapia
 Peeling
 Peeling
químico
mecânico
 Carboxiterapia
 Laser
158
MESOTERAPIA



Mesoterapia ou intradermoterapia é a aplicação local de
lipolíticos, medicamentos que liberam a gordura do tecido que deve ser
eliminada pela drenagem ou prática de exercícios físicos, além da
reeducação alimentar para que o tratamento seja eficiente.
As sessões são realizadas de 1 a 2 vezes por semana e logo é notada uma
redução nas medidas e na gordura localizada.
Outra boa utilização da mesoterapia é no tratamento da Celulite. Através
da utilização de fármacos que agem sobre o edema e a gordura,
propiciam grande melhora do aspecto "casca de laranja".
159
CARBOXITERAPIA





Utilizada para o tratamento da flacidez cutânea, celulite
e estrias através do aumento da perfusão sanguínea e
do metabolismo local.
É um tratamento rápido, confortável e efetivo.
Utiliza o CO2 aplicado subcutâneo através de uma pequena
agulha fina . O gás destrói mecanicamente a célula de
gordura e possui um grande efeito vasodilatador nos
capilares locais.
Quando aplicado em camada mais superficial estimula a
síntese de elastina e de colágeno contribuindo para a
retração da pele combatendo a flacidez.
Entre 10 e 15 sessões são necessárias dependendo do grau e
extensão do problema. As sessões devem ser realizadas de 1 a
2 vezes por semana.
160
ULTRASSOM
WAVEHZ
O ultrassom é um aparelho que emite uma irradiação mecânica de
freqüência acima de 20 KHZ.
O ultrassom produz 3 tipos de efeito térmico, químico e mecânico.
O efeito térmico provoca aumento da vascularização do tecido e
melhora da oxigenação local.
O efeito químico provoca produção de colágeno e de fibras elásticas
melhorando a firmeza da pele.
O efeito mecânico provoca o aumento da penetração de ativos
cosméticos melhorando a performance dos produtos.
O aparelho apresenta 20 programas desenvolvidos e atualizáveis para
futuros up-grades, com 06 programas voltados para pós-operatório,
gordura localizada, celulite, fibroses, aderências e hidrolipoclasia
ultra-sônica
161
HIDROLIPOCLASIA



Método muito eficaz para tratamento de gordura localizada.
É associada a injeção de soro fisiológico na região a ser tratada e em seguida
utiliza-se o ultra-som estético, a fim de ajudar na mobilização da gordura
de dentro das células.
Esta gordura é então ser eliminada do organismo através do sistema de
drenagem linfática.
162
RADIOFREQUÊNCIA
A radiofreqüência aquece todos os tecidos que contêm moléculas de
água.
O objetivo do procedimento é alcançar a temperatura de 40oC na superfície da
pele enquanto a temperatura na profundidade desejada alcança de 50ºC a
60oC. O aquecimento promove regeneração do colágeno, quebra de tecido
adiposo e fibroso, aumento da circulação e drenagem de fluídos.
Indicações:
Skin Tightening + rejuvenescimento
Redução de celulite
Redução de gordura
Melhora na aparência das cicatrizes
Tratamento pós-lipoaspiração
Tratamento de lipoma
Acne
Estrias
ACCENT XL
Aparelho de Radiofreqüência para tratamento de
flacidez, celulite e gordura localizada,
reorganizando as fibras de colágeno, firmando a
pele, diminuindo a flacidez.
163
RADIOFREQUÊNCIA

Podem ser tratadas:

Face: pálpebras flácidas, flacidez facial e cicatrizes de acne e acne pustulosa
ativa.




Pescoço: Rugas, flacidez do pescoço e “papada”.
Colo: rugas e flacidez do colo
Abdome e região lombar: redução e melhora de gordura e celulite, estrias e
flacidez.
Glúteos e coxas: redução e melhora da gordura, celulite, flacidez e estrias.
Vantagens:
O tratamento é indolor, rápido, e não necessita de anestésicos.
Pode ser feito no verão
Não deixa sinais na pele.
Normalmente a pele fica quente e avermelhada pelo calor por cerca de 15 a 20
minutos .
As sessões podem ser quinzenais a mensais e levam em torno de 20 minutos.
164
ACCENT
165
ULTRACONTOUR


Lipoescultura sem cortes – ULTRACONTOUR
Sistema de Lipólise Não-Invasiva e Drenagem
Linfática por Ultrassom para Contorno
Corporal e Tratamento de Gordura Localizada
A primeira fase do tratamento visa romper os
adipócitos mecanicamente na profundidade da
região focal. A segunda fase destina-se à
eliminação por drenagem linfática dos resíduos
de gordura.
166
POWERSHAPE

A união da Radiofreqüência com o Laser
mais a Vacuoterapia proporciona a solução
para a celulite, flacidez e quebra das células de
gordura.
167
VELASHAPE



Combina radiofreqüência, infravermelho, sucção e pressão
mecânica.
O aquecimento provocado pelo infravermelho e a radiofreqüência
aumenta o metabolismo das células gordurosas, diminuindo o
tamanho delas. Além disso, estimula a produção de colágeno,
melhorando a textura da pele.
Já a sucção e o rolamento mecânico ativam a circulação e ajudam na
eliminação de toxinas. São necessárias 12 sessões, realizadas duas
vezes por semana. Em cada uma podem ser tratadas até três regiões
do corpo, sendo que se gasta de 20 a 30 minutos por área. Cada sessão
custa cerca de R$ 400 reais.
168
PÓS-OPERATÓRIO
CIRURGIA ESTÉTICA
para complementar as 2 g/kg de peso corporal
169
PÓS-OPERATÓRIO CIRURGIA ESTÉTICA
170
PÓS-OPERATÓRIO CIR. ESTÉTICA
171
PÓS-OPERATÓRIO CIRURGIA ESTÉTICA
Excesso causa sangramento
172
173
IMPORTÂNCIA NUTRICIONAL EM
CIRURGIA PLÁSTICA
Depois da plástica deve-se ter uma alimentação
equilibrada:





Água;
Fibras
Pré-bióticos
Pró-bióticos
Alimentos antioxidantes
173
DIETA EM ESTÉTICA
174
DIETA EM ESTÉTICA
175
VITAMINA C
•A lisil e prolil hidroxilase são enzimas férricas. A vitamina C
como co-fator previne a oxidação do ferro e protege as enzimas
contra a auto inativação.
•Regula a síntese de colágeno tipo I e III, pelos fibroblastos
dérmicos (Cuzzi et .al.Vitamin C. Continuing Medical Education,An.Bras
Dermatologia, 2003).
•Embora a capacidade proliferativa e a síntese sejam idade
dependentes, o ácido ascórbico é capaz de estimular a proliferação
celular e síntese independente da idade (Phillips et. al. Effects of
ascorbic acid on proliferation and collagen syntesis in relation to
the donor age of human dermal fibroblasts. J. Invest Dermatol, 103 (2): 228-32,
2004).
176
MANGANÊS
•Co-fator para síntese de colágeno e mucopolissacarídeos,
importante para a matriz celular;
•Crescimento, manutenção e formação tecido conectivo e
cartilagem;
•Co-fator da superóxido dismutase (SOD)mitocondrial;
•Lembrar que Cálcio, cobalto e ferro competem com
manganês.
•Dosagem: 2-4mg/dia manganês qualato /glicina.
Lee, J.W.et.al. Functional specialization withen the fur family of metalloregulators.
Biometals.20 (3-4), 485-99, 177
2007.
VITAMINA A
•Integridade tecido epitelial;
• Estimulam queratinócitos, os quais são responsáveis pela formação da
epiderme.
•Modula expressão diversos genes:
• Formação de colágeno, ligação cruzada entre fibras de colágeno
principalmente quando associados com Zn, Fe, Cu, Mn;
(Baynes e Dominickzak, 2007)
•Gene da queratina, colágeno e colagenase (manutenção citoesqueleto);
•Gene do fator de crescimento da epiderme;
YUYAMA., LKO, et al. vitamina A e carotenóides, 2009.
178
Auxiliares no emagrecimento
179
ÔMEGA 3 E EMAGRECIMENTO
Nutrientes atuam na expressão ou
supressão de genes:
“Ácidos Graxos Poliinsaturados (PUFA)
induzem genes no fígado e sistema músculo
esquelético que codificam proteínas da
oxidação lipídica e suprimem genes no fígado e
tecido adiposo que codificam proteínas da
biosíntese de ácidos graxos.”
Archer, MC; Clarkson, TW. Genetic aspects of nutrition na toxicology: report of a
180
workshop.
Journal of the American College of Nutrition, 2001.
NUTRICOSMÉTICOS
“COSMÉTICOS PARA COMER OU BEBER”
 Uma
nova categoria de alimentos promete melhorar
a aparência da pele "de dentro para fora".
 Trata-se
dos nutricosméticos, cujas “receitas” levam
vitaminas e substâncias como a coenzima Q10, que
combate rugas.
Revista VEJA, Janeiro 2007
NUTRICOSMÉTICOS
"pílula da beleza"
Febre na Europa, a "pílula da beleza"
marca a entrada das multinacionais no
ramo de remédios cosméticos
Revista Época, março de 2007
181
IMEDEEN CLASSIC
 Suplemento
para a pele em
comprimidos.
 Saudavelmente
absorvido e
metabolizado pelo
organismo.
 Formulado
com um
Complexo Bio Marinho em
combinação com a vitamina
C e zinco.
www.imedeen.com
182
IMEDEEN TIME PERFECTION*




O Imedeen Time Perfection, que
protege e restaura o DNA das
células, é o primeiro cosmético
capaz de atuar por via sistêmica
nas camadas dérmicas profundas.
Otimiza o equilíbrio de hidratação.
Elimina olheiras e bolsas dos
olhos.
Reduz significativamente sinais do
envelhecimento.
€ 50
* Ainda não disponível no Brasil, aguardando aprovação
183ANVISA
IMEDEEN PRIME RENEWAL*
 Para
mulheres acima dos
50 anos, especialmente
formulado para a pela
após a menopausa.
 Nos
EUA: $100,00
* Ainda não disponível no Brasil, aguardando aprovação
184ANVISA
INNEOV FERMETÉ




Primeiro suplemento nutritional para o
cuidado da pele foi lançado no Congresso
Europeu de Dermatologia (EADV), em
março 2003.
Criação da Nestlé, multinacional de
alimentos processados, e pela L'Oreal,
gigante dos cosméticos.
Complemento alimentar, via oral, que
permite, mediante distribuição de
ingredientes ativos através do fluxo
sanguíneo, melhorar a firmeza e a densidade
cutânea do rosto e corpo.
Para mulheres a partir dos 40 anos com
perda de densidade cutânea, principalmente
para aquelas na menopausa ou
perimenopausa.
185
INNEOV FERMETÉ



Associação de exclusiva de
lacto-licopeno + isoflavonas de
soja + vitamina C.
Compostos que favorecem a
renovação celular e a síntese
de colágeno.
Indicação:
2 a 3 drágeas ao dia, por no
mínimo, 3 meses. Ingerir com
pouco líquido durante uma
refeição.
186
INNEOV MASSA CAPILAR



187

Primeiro complemento nutricional,
estimulante para reforçar a massa
capilar
Contem uma combinação de taurina,
zinco e catequinas que atuam no bulbo
capilar, favorecendo o crescimento de
um cabelo espesso, denso e luminoso.
Indicado para pessoas com perda
eventual ou permanente de cabelos
Promete beleza do cabelo




CHOCOLATE DA BELEZA

ÁGUA ANTIACNE
Fabricante: Ecco Bella

Fabricante: Borba Skin
Ingredientes: cacau orgânico e
antioxidantes derivados de tomates,
cenouras, algas e da fruta mirtilo
O que promete: pele macia e mais protegida
contra o sol


Onde é vendido: Estados Unidos

Ingredientes: complexo de vitaminas
e antioxidantes, alguns retirados do
mamão papaia
O que promete: remover toxinas que
causam a acne e clarear a pele. Há
também água para atenuar rugas
Onde é vendido: Estados Unidos
188
Revista VEJA, Janeiro 2007
BEAUTYIN
189
BIBLIOGRAFIA
190
www.ipgs.com.br
191