Maio 2015 - Sindicato dos Bancários de Mogi das Cruzes e Região

Сomentários

Transcrição

Maio 2015 - Sindicato dos Bancários de Mogi das Cruzes e Região
Informativo do Sindicato dos Bancários e Financiários de
Mogi das Cruzes, Suzano, Poá, Biritiba Mirim e Salesópolis
Maio / 2015
Edição 288
Mogi das Cruzes
POR QUE DIZER NÃO
À TERCEIRIZAÇÃO
O salário dos terceirizados é 24% menor do
que o dos empregados
formais. No setor bancário, a diferença é ainda
maior: eles ganham em
média um terço do salário dos contratados, não
têm PLR, auxílio-creche e
jornada de seis horas
LUTA CONTRA PL 4330
precisa ser intensificada
Emenda que libera terceirização aprovada pela Câmara significa
fim de direitos como PLR, jornada maior e salário até 70% menor
Terceirizados trabalham,
em média, três horas a
mais por semana. Isso
pode reduzir o número
de vagas de trabalho
Terceirizados são os
empregados que mais
sofrem acidentes. Companhias de menor porte
são menos cobradas
Terceirizados que trabalham em um mesmo
local têm patrões diferentes e são representados
por sindicatos distintos,
o que afeta a capacidade de pressionarem por
benefícios, negociar ou
fazer ações como greves
O uso de empresas
terceirizadas é um meio
para fugir das responsabilidades trabalhistas.
Isso favorece o trabalho
escravo
Como empresas menores
pagam menos impostos,
isso diminuiria a arrecadação do Estado e ao
mesmo tempo sobrecarregaria o SUS e o INSS,
já que terceirizados são
vítimas de acidentes
de trabalho e doenças
ocupacionais com maior
frequência
Diretores do Sindicato e o vereador Clodoaldo Moraes foram a Brasilia no dia da votação
m um golpe contra os o PL da terceirização.
Luta antiga
trabalhores a Câmara dos
De autoria do ex-deputado
Outra afronta foi que os traDeputados aprovou por 230
federal
e empresário Sandro
votos a favor e 203 contrários a balhadores foram impedidos de Mabel (PMDB-GO), o PL
emenda aglutinativa ao Projeto ocupar as galerias do plenário 4330 tramita no Legislativo
de Lei 4330/2004 que abre as durante a votação. Diretores desde 2004. Um dos pontos
portas para que as empresas do Sindicato dos Bancários de polêmicos do texto e que foi
possam terceirizar todas as suas Mogi e o vereador Clodoaldo aprovado pela Câmara é a liatividades. A nova legislação Moraes (PT) foram a Brasilia
beração de terceirizados para
que segue agora para o Senado no dia 8 de abril, quando foi
executar atividades-fim. Atualé um ataque contra os direitos votado o texto-base do PL.
mente, só é permitido delegar
trabalhistas. Para os bancários, Caso seja aprovado em todas as
a outras empresas o que não é
significará o fim da PLR, do instâncias, o projeto representará
auxílio-creche e da jornada de um retrocesso para a sociedade. atividade-fim, como serviços de
limpeza, segurança, manutenção
seis horas, além de um salário
O movimento sindical está de máquinas e alimentação.
que chega a ser 70% menor.
engajado nesta luta e intensifiNo setor financeiro, a luta
Votaram contra os trabalhacará a mobilização para barrar contra a terceirização teve início
dores parlamentares do PMDB,
PSDB, PSD, PRB, PR, DEM, a medida. Os bancários estão nos anos 1990, quando as instiPPS, PV, PHS, PSB, Pros, PDT e unidos e organizados para seguir tuições começaram a terceirizar
Solidariedade, da Força Sindical. até o fim desta batalha contra serviços tipicamente bancários.
Somente PT, PCdoB e Psol, o PL 4330, que embora desco- Desde então, o sindicato vem
além da bancada do governo nhecido da maioria tem mais combatendo esta prática e confederal, cerraram forças contra de dez anos.
seguiu muitas vitórias.
E
Alerta Bancários
Página 2
FALA PRESIDENTE!
Maio / 2015
MULHER
NÃO À TERCEIRIZAÇÃO!
A
união e o
engajamento
dos bancários na
luta contra a aprovação do Projeto
de Lei 4330/2004,
que abre as portas
para que as empresas
possam terceirizar
todas as suas atividades, é a maior resposta que podemos
dar à ofensiva do Congresso Nacional
em aprovar uma medida tão nociva para
os trabalhadores e para toda a sociedade.
Felizmente, não estamos sozinhos nesta
luta. A presidenta Dilma Rousseff (PT)
já sinalizou seu apoio ao movimento da
classe trabalhadora, bem como os deputados da bancada do governo federal e
outros partidos de esquerda.
Encontro destaca prioridades
Mesmo assim, a compreensão e disposição da nossa presidenta em vetar o PL
4330 não são suficientes para impedir
que o País passe por esse retrocesso que
é o que representa a terceirização.
Sindicato marcou presença na atividade promovida pela
CUT e que reuniu mais de 600 dirigentes de todo o País
Quando se vive uma democracia, a
força da pressão popular é fundamental
para conquistar avanços sociais. Este é o
momento de nos unirmos e lutar para
impedir que o projeto seja aprovado no
Senado e afastar de vez o fantasma da
terceirização, que assusta a classe trabalhadora há mais de dez anos. Precisamos
de todos vocês nesta luta!
FRANCISCO CANDIDO É PRESIDENTE DO SINDICATO DOS
BANCÁRIOS DE MOGI DAS CRUZES, SUZANO, POÁ, BIRITIBA
MIRIM E SALESÓPOLIS
na luta por igualdade
A
dirigente do Sindicato dos Bancários
de Mogi, Josueli Keler de Almeida,
que responde pela Secretaria de Saúde
e Condições de Trabalho, foi uma das
delegadas que participou do 8º Encontro
Nacional de Mulheres da CUT, representando a entidade mogiana. A atividade foi
realizada entre os dias 27 e 29 de março,
em Brasília, e reuniu mais de 600 sindicalistas de todos os estados brasileiros e de
diversas categorias. O Encontro debateu
temas como paridade, reforma política e
democratização dos meios de comunicação,
além de lutas históricas da pauta feminista.
PRINCIPAIS RESOLUÇÕES
»»Sensibilização sobre a paridade
»»Cursos de formação para mulheres
»»Paridade nas delegações da CUT
»»Mapeamento da quantidade de
mulheres na CUT
»»Política de enfretamento contra o
assédio moral e sexual no movimento sindical e no trabalho
»»Estruturar curso de formação na
CUT sobre a luta feminista
»»Implementação do Plano Nacional
de Saúde Integral da Mulher
WET’N WILD
Excursão: Momentos de diversão e lazer foram
garantidos durante
a excursão que
levou bancários da
base do Sindicato
de Mogi ao parque
aquático Wet’n
Wild. Organizado
pela entidade, o
passeio foi realizado no dia 28 de
março
Maio / 2015
Alerta Bancários
Página 3
AVANÇO
BANCÁRIOS CONQUISTAM
reembolso maior no combustível
Após forte pressão, devolução para quem usa veículo
próprio para visitar clientes foi reajustada em 10,77%
O
Bradesco reajustou em
10,77% o valor do reembolso para quem utiliza
veículo próprio para visitar
clientes. Antes, a instituição
pagava R$ 0,65 por quilômetro rodado
e, a partir do dia 24 de março, passou a
pagar R$ 0,72. A pressão dos trabalhadores
e do movimento sindical foi fundamental
no processo.
Reivindicação antiga dos funcionários
da instituição, o valor não subia há bastante tempo e é baseado em pesquisa de
mercado que leva em consideração o desgaste do veículo. A conquista foi um passo
importante para a correção de distorções,
principalmente com a alta no preço dos
combustíveis.
Demissões e alta rotatividade
pautam reunião com Santander
O Comitê de Relações Trabalhistas (CRT), integrado por
representantes dos funcionários
e da direção do Santander,
retomou as discussões sobre condições
de trabalho nas agências e departamentos
e isenção da cobrança de tarifas para os
funcionários, entre outras questões. Um dos
pontos fortes da discussão foram as críticas
feitas por dirigentes sindicais à redução dos
postos de trabalho e a alta rotatividade no
Santander, que tem atingido principalmente
funcionários com mais tempo de casa e ou
próximos à estabilidade pré-aposentadoria.
Os sindicalistas expuseram números do
balanço do Santander, no qual verifica-se
que na comparação de 2013 com 2014 o
número de funcionários passou de 49.621
para 45.309, redução de 8,7%, e o fechamento de agências que caíram de 2.313
para 2.252, diminuição de 6,4%. No mesmo
período houve crescimento no número
de contas correntes, de 29 milhões para
31 milhões. Já as despesas com pessoal
tiveram aumento de 1,2%, em que pese
a categoria ter conquistado o reajuste de
8,5% na Campanha Nacional 2014.
BB promove mudanças HSBC quebra promessa
para dificultar diálogo e volta a demitir
O Banco do Brasil extinguiu
a vice-presidência de Gestão de
Pessoas, que era responsável pelas
negociações com os representantes
dos trabalhadores e, no seu lugar, criou
uma nova vice-presidência, a de Serviços,
Infraestrutura e Operações. A mudança
coloca uma barreira no diálogo com o
funcionalismo e representa um desrespeito
com os trabalhadores.
Diferente do que foi
prometido pelo HSBC
no final do ano passado,
de que iria rever as demissões injustas e
continuaria “investindo” no País, o banco
voltou a demitir funcionários. Nem mesmo
portadores de LER/Dort são poupados,
sendo desligados sem nenhuma justificativa
plausível. Caso isso também esteja ocorrendo em sua agência, denuncie!
vai continuar
100% pública
Depois de tanta luta dos trabalhadores,
o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e
a presidenta da Caixa, Miriam Belchior,
anunciaram no início de abril que a
Caixa Econômica Federal continuará
sendo um banco 100% público. Desde
o final de 2014, diante de informações
veiculadas pela imprensa de que o
banco federal poderia ser privatizado,
bancários e Sindicato mobilizaram-se
pela manutenção do banco 100% público. O movimento sindical fez várias
manifestações nas agências de sua base.
Apesar da conquista, continua a luta
para o fortalecimento do banco, com
mais contratações e melhores condições
de trabalho.
Banco demite
funcionários próximos
à estabilidade
pré-aposentadoria
A demissão de bancários
próximos à estabilidade
pré-aposentadoria tem sido
recorrente no Itaú. O banco
tem feito desligamentos alegando performance, produtividade, perfil, eixo etc.
Um agravante para a situação é que por
conta da idade esses bancários encontram grande dificuldade para completar
a contribuição à Previdência.
A Convenção Coletiva de Trabalho
(CCT) da categoria garante a estabilidade
no período de pré-aposentadoria. Ela
se aplica por 12 meses imediatamente
anteriores à complementação do tempo
para aposentadoria proporcional ou
integral aos que tiverem no mínimo
cinco anos de vínculo empregatício com
o banco. Para os que possuem mínimo
de 28 anos de vínculo a estabilidade se
inicia 24 meses antes. Para as bancárias,
os 24 meses se aplicam com o mínimo
de 23 anos de vínculo ininterrupto com
o mesmo banco.
Página 4
Alerta Bancários
Maio / 2015
FORMAÇÃO SINDICAL
RETROCESSO
Dirigentes sindicais
passam por CAPACITAÇÃO
Encontro reuniu os 37 diretores do Sindicato de Mogi em dois dias de curso
Promovida pela Fetec/CUT, atividade teve o objetivo de
instruir os presentes sobre o papel do dirigente sindical
E
m busca de uma atualização de métodos e conhecimentos, os 37 diretores
do Sindicato dos Bancários de Mogi e
Região participaram, entre os dias 24 e 25
de março, do curso de Formação Sindical
ministrado pela Fetec/CUT (Federação dos
Trabalhadores em Empresas de Crédito).
Realizada em Mogi, a atividade teve por
objetivo capacitar os presentes visando a
aprimoração do trabalho dos dirigentes
sindicais. Temas como a história do movimento sindical, fundação da CUT e
os Golpes Civil e Militar de 1964 foram
abordados no encontro.
PL 4330 impõe
risco à saúde
do trabalhador
A cada 15 segundos, um trabalhador
no mundo morre vítima das condições
inadequadas no ambiente de trabalho.
Anualmente, são 2 milhões de mortos por
conta de doenças ocupacionais e 321 mil,
em decorrência dos acidentes laborais. Essa
realidade, que já é preocupante, tende a ficar
ainda pior se for aprovado o PL 4330, que
legaliza a terceirização no País.
No setor financeiro, a pressão pelo
cumprimento de metas, o ritmo intenso,
os desrespeitos constantes da jornada e
desvios de funções fazem parte do dia a
dia dos bancários, contribuindo com o
agravo à saúde.
Apesar de a CCT (Convenção Coletiva
do Trabalho) incluir regras que coibem
práticas abusivas dos bancos, com a lei da
terceirização os trabalhadores ficarão mais
vulneráveis a esses desmandos. Por tudo
isso o movimento sindical está mobilizado
contra o PL 4330.
VEM AÍ
DIREITOS
5o CAMPEONATO DE
FUTEBOL SOCIETY
Monte
sua
equipe
e venha
participar
Mobilização: A diretoria do Sindicato, representada pelo diretor Clayton Teixeira
Pereira, marcou presença na plenária organizada pela CUT com outros movimentos
populares “Por Mais Democracia, Mais Direitos e Combate à Corrupção”. Realizado no
dia 31 de março na quadra dos Bancários, em São Paulo, o encontrou discutiu a luta
pelo fortalecimento da democracia, a defesa da Petrobras e dos direitos da classe
trabalhadora, o combate ao retrocesso - político, econômico, social e trabalhista -, e a
implementação do projeto de desenvolvimento econômico com justiça e inclusão.
Aguarde mais informações
Alerta Bancários é o informativo do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Financiários de Mogi das
Cruzes e Região. Sede: Rua Engenheiro Eugênio Motta, 102 – Jardim Santista – Mogi das Cruzes. Contato: (11) 4724-9117
E-mail: [email protected] Site: www.bancariosmogi.com.br Presidente: Francisco Carlos Candido
Secretária de Imprensa: Regina Cardoso de Siqueira Jornalista responsável: Gisleine Zarbietti (MTB:39.294)
Com informações da Fetec, CONTRAF e Sindicato dos Bancários de São Paulo.
Acompanhe
nosso trabalho
bancarios.demogi
Mogi das Cruzes