Prêmio Empreendedor

Сomentários

Transcrição

Prêmio Empreendedor
1
Próximos de mais um final
do ano, nós temos a oportunidade de celebrar a vida, comemorar conquistas e comprovar
que o desenvolvimento almejado em décadas para a região já
iniciou. Os municípios da Serra
Catarinense trilham o caminho
do progresso. Os sinais são claros e não deixam dúvidas até
para os mais céticos.
Economias
essencia lmente
rurais se diversificam com investimentos de
empresas, principalmente dos ramos alimentícios,
têxtil e metalmecânico. Exemplos não faltam, Correia Pinto, Otacílio Costa, São José do
Cerrito e Bom Retiro investem
na produção de roupas, atividade até pouco tempo impensada
para a região, mas que já responde por significativa geração
de emprego e renda.
Outros municípios investem
na agroindústria, agregando
valor à matéria-prima, contribuindo para ampliar a renda do
homem do campo, que satisfeito não pensará em aventurarse nas cidades, aumentando os
problemas sociais.
É fato que temos uma longa
caminhada pela frente, mas
passo a passo, com firmeza e
determinação, estamos mais
perto a cada dia. Fruto do trabalho e da persistência de empresários, que há anos, ousam
e se superam para manter-se
no mercado. Fruto também da
ação de migrantes, pessoas que
acreditam no potencial da região e na seriedade do seu povo
e investem, gerando emprego e
renda.
É neste cenário positivo que
realizamos a XIV edição do
Prêmio Empreendedor José
Paschoal Baggio, reconhecendo a ousadia e a visão daqueles
que realmente são os responsáveis pelo desenvolvimento econômico, mas percebendo que
novos investidores estão chegando para aproveitar as oportunidades que a Serra oferece.
Fazendo alianças, convergindo interesses, aproveitando
o cenário favorável seguiremos
rumo ao crescimento e ao desenvolvimento sustentável, e
consequentemente ao sucesso.
Boa leitura.
Isabel Baggio
Serra vive período
A
Serra Catarinense passa
por um período de oportunidades, o que pode fazer a
região voltar a ter uma economia
forte e de destaque no estado. Mas
para isso, precisa vencer alguns desafios. Se por um lado tem possibilidade de crescer e se desenvolver,
de outro, precisa planejar a médio
e longo prazo.
“As possibilidades para a região
são grandes”, acredita o secretário
de Desenvolvimento Econômico de
Lages, Carlos Eduardo de Liz. Ele
comenta que, passado o Ciclo da
Madeira, quando Lages era referência na economia do Sul do Brasil, houve uma estagnação, e que
agora há uma chance de retomar o
crescimento. Dentro de Santa Catarina, a região com maior potencial
de desenvolvimento é a Serra. “Nós
somos o eixo da BR-116 dentro de
Santa Catarina, e a região é passível de desenvolvimento e cresci-
mento”, explica.
Há em Lages algumas situações
de sucesso, no que se refere ao planejamento estratégico, como o Plano de Desenvolvimento Tecnológico
Regional (PDTER) e o Lages do
Amanhã. Essas inciativas resultaram em empresas em Lages, como
a Usina de Biomassa e a incubadora
tecnológica, Centro Tecnológico do
Senai, Órion Parque e implantação
do Banco da Família. Em janeiro de
2013, se instala na incubadora tecnológica uma empresa de software
que está entre as maiores do Brasil.
O secretário de desenvolvimento
lembra que na década passada o
Senai tinha 50 alunos e em 2012
são mais de 1.700 estudantes.
Mudança de cultura
É importante que as pessoas se
sintam parte do processo para que
Lages possa se desenvolver. “Isso
é pesquisa, não é achismo”, diz o
secretário. Ele comenta ainda que
as lideranças têm dificuldades de
compartilhar o sucesso, ou seja
“fazer parte de um grande projeto
com muitas pessoas”.
É preciso que os serranos sejam
otimistas em relação à região. E essa mudança de postura está acontecendo em Lages, uma mudança
que vai levar ao desenvolvimento
econômico. “A mudança é a contagostas, como acontece em toda sociedade democrática”, explica Liz.
Desenvolvimento da Região
Em Lages, o setor de alimentos
é destaque. Tanto que a Ambev é a
maior arrecadadora de ICMS, em
2010 a movimentação econômica
foi de R$ 797.412.359,20.
No que se refere aos municípios da Serra, o secretário vê com
otimismo o desenvolvimento da
região de São Joaquim, agregando
Urubici, Urupema e Painel, onde o
CORREIO L AGEANO
05
Alimentos e Bebidas
O Jornal da Serra Catarinense
DIRETORA GERAL Isabel Baggio
DIRETORA EXECUTIVA Eliete Santana
EDITOR CHEFE
Mauro Martinelli Maciel
TEXTOS E FOTOS
Suzane Faita, Suzani Rovaris, Arquivo CL, Divulgação
REVISÃO
Gislaine Couto
DIAGRAMAÇÃO
Araucária Indústria e Editora Ltda / Romeu Pavan
IMPRESSÃO
Araucária Indústria e Editora Ltda.
Central (49) 3221-3300
[email protected]
Assinaturas (49) 3251-8200
[email protected]
Comercial (49) 3221-3322
[email protected]
Classificados (49) 3221-3333
[email protected]
Redação (49) 3221-3344
[email protected]
www.clmais.com.br (49) 3221-3300
Coronel Córdova, 84 - Centro - 88502-000 - Lages - SC
Índice
A
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Editorial
06 Marfrig Seara
Copercampos
07 Pomesul Frutas
Aviário Moraes
10 Cooperplan
Sanjo Cooperativa Agrícola
11 Vossko do Brasil
Agro Comercial Hiragami
14 Ambev
Fruticultura Malke
15 Pamplona
Frutícola Ipê
17
Logística
18 Transportadora Zappellini
Expresso Adorno
2
A
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
de oportunidades
agronegócio com foco no turismo
está se fortalecendo, com a produção de uva e vinhos da Serra
Catarinense. Os demais municípios, segundo ele, devem buscar a
diversificação. No caso de Otacílio
Costa, por exemplo, conseguiram
com a implantação de empresas na
área de facção têxtil, criar vagas
para mulheres.
Desafios
Santa Catarina sofre com a
'litorização', assim como outros
estados do Brasil. É um fenômeno
mundial. Porém aqui, temos vantagem de ter um Oeste forte no
agrobusiness.
Atualmente, Sul e Serra são
as regiões do estado com menor
índice de desenvolvimento socioeconômico, mas a Serra sai na
frente quando o assunto é futuro
promissor.
Se em relação ao Sul estamos à
19
Madeira
19 Madepar
22 P&P Móveis e Confecções
Klabin S/A
23 Florestal Gateados
Nereu Rodrigues
26 Kimberly-Clark
J J Thomazi
27
Energia e Mineração
27 Tractebel Energia
30 Kemira Water Solutions Brasil
Bioenergy Indústria e Comércio de
Energia Alternativa
31 Mineração e Pesquisa Brasileira
Celesc Distribuição
3
frente, perdemos no que diz respeito as outras regiões. A baixa
densidade eleitoral resulta em pequena representatividade política.
Outro fator que interfere no crescimento, apontado pelo secretário,
é a baixa cooperação institucional.
Nas outras regiões o desenvolvimento está acima de interesses
políticos partidários e pessoais. “O
resultado do desenvolvimento dá
retorno, independente de quem esteja à frente do poder”, explica.
podem instituí-lo ou alterá-lo. O
principal fato gerador é a circulação de mercadoria, até mesmo
as que iniciam no exterior. Ele é
necessário para que o Governo
possa realizar as obras de interesse
social e manter os sistemas de educação, saúde, segurança pública,
entre outros.
O ICMS incide sobre diversos
tipos de serviços, como telecomunicação, transporte intermunicipal
e interestadual, importação e prestação de serviços, e etc.
O que é ICMS
O Imposto sobre Operações
relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de
Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação é um
imposto federal, e cada estado possui uma tabela de valores.
O imposto está presente na
Constituição Federal de 1988.
Somente os governos dos estados
35 Avanex Indústria e Comércio
Britaplan
38
Metal-mecânico
38 GTS do Brasil
39 Minusa
Mill Serras
42
Supermercados
42 Angeloni
43 Bistek
Martendal
46 Alvorada
Supermercados Myatã
O que é valor adicionado
Valor adicionado é definido a
partir da diferença das entradas e
saídas. Se, por exemplo, uma indústria compra matéria-prima por
R$ 100 e no processo de produção
agrega valor e o produto final passa a valer R$ 1 mil, o valor adicionado é R$ 900.Ou seja, é a riqueza
gerada por empresas e indústrias e
47
Veículos e Autopeças
47 Le Monde
48 Superauto
50 Disauto
Translages
51
Comércio e Serviços
51 Obradec
53 Havan
54 Claro
Zago Ferragens
55 Pittol
Engemix
56 Jzago
Oi S/A
58 Posto Palmeiras
Berlanda
59
que retorna aos municípios.
Quem paga ICMS
São os chamados contribuintes
do ICMS, ou seja, qualquer pessoa,
física ou jurídica, que realize com
frequência ou em quantidade que
caracterize atividade comercial,
operação (venda, transporte, etc)
de circulação de mercadorias ou
prestação de serviços de transporte intermunicipal ou interestadual
e de comunicações, e por isso está
sujeito a pagar o ICMS. A obrigação de pagar o ICMS ocorre no
momento da saída ou circulação de
mercadorias ou na transferência
de propriedade. Como por exemplo, produtor agrícola, criador, o
extrator, o industrial e o comerciante; a cooperativa, o prestador
de serviços de transporte intermunicipal e interestadual e de
comunicação.
Destaques
59 Vinícola Abreu Garcia
62 Flex Contact Center
Dynâmica Sistemas e Equipamentos
63 ATF Embreagens
IOB Artepinus
4 - Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012
4
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
5
Setor alimentício é um
dos pilares que sustenta
a economia catarinense
Alimentos
e Bebidas
S
anta Catarina possui
uma indústria alimentícia bastante forte, sendo o maior produtor
de carne suína do país e o
segundo de frangos. O Estado também se destaca na
pesca, ocupando nacionalmente liderança na produção de pescados. Na pauta
de exportações catarinense, o frango é o primeiro
produto; e o suíno, o quarto. A indústria é a segunda
maior empregadora dentre
os segmentos no Estado.
Da região serrana, Lages e São Joaquim são os
municípios com maior con-
5
centração da atividade. Em
toda a Serra Catarinense
são aproximadamente 160
empresas, onde trabalham
mais de três mil pessoas.
Apesar do último ano
não ter sido significativo,
principalmente para investimentos financeiros
ou de mão de obra (apenas
contratações de reposição),
de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na
Indústria Alimentícia de
Lages (Sitial), a região é
propícia para o crescimento do setor, pois há boa
infraestrutura e sobra mão
de obra.
Recentemente o Governo do Estado visitou
países asiáticos para
abrir novos caminhos
comerciais, entre eles a
exportação da carne suína. Atualmente, o Japão
é o maior importador de
carne suína do mundo,
mas só importa de países
livres de febre aftosa sem
vacinação e Santa Cata-
rina é reconhecida com
esse status de excelência
sanitária, conferida pela
Organização Mundial de
Saúde Animal,desde maio
de 2007.
Em uma pesquisa da
revista Exame de junho de
2012, entre as 10 maiores
empresas da região Sul
do Brasil, a Brasil Foods
ocupa o quatro lugar, com
venda líquida de R$ 12,8
bilhões. Já a pesquisa da
revista It, publicada em
fevereiro de 2012, reuniu
as 100 maiores empresas
da indústria de alimentos e bebidas. A empresa
que o ocupou a primeira
posição foi a Ambev. Na
mesma lista estão a Sadia,
em 3º lugar e a Nestlé, na
10ª posição.
Alimentos e Bebidas
6
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
A
unidade do Grupo Marfrig
de Lages é responsável pela
produção de pizzas e lasanhas, e conta com 500 colaboradores, aproximadamente 350 deles
atuam diretamente na linha de
produção. Para aprimoramento da
equipe de profissionais, a empresa
proporciona a capacitação de novos
colaboradores, por exemplo, com
o Programa de Integração, que desenvolve acompanhamento como:
orientações para desenvolvimento
das atividades, e também aspectos
comportamentais visando o desenvolvimento e qualificação. Outro
diferencial é a parceria com importantes instituições como o Senai/
SC e o Sesi para desenvolvimento
de novos talentos.
O Grupo Marfrig é uma das
maiores empresas globais de alimentos à base de carnes de aves,
bovina, suína, ovina e de peixes,
além de massas, margarina, vegetais e doces. Sua plataforma
operacional diversificada e flexível
é composta por unidades produtivas, comerciais e de distribuição
instaladas em 17 países e em 5
continentes. Considerada uma
das companhias brasileiras de alimentos mais internacionalizadas e
diversificadas, seus produtos estão
presentes hoje em 160 países.
Em 2010, foi eleita a “Melhor
Empresa do Agronegócio” e “Melhor Empresa de Carnes” pela Revista Exame Maiores e Melhores, a
“Melhor Empresa em Sustentabilidade Financeira” pela Revista Isto
É Dinheiro e a “Melhor Indústria
de Carnes” pela Revista Globo Rural. Em 2011 foi eleita novamente a
“Melhor Empresa de Carnes” pela
Revista Exame Maiores e Melhores
e recebeu o “Troféu Transparência” da Associação Nacional dos
Executivos de Finanças e Administração (Anefac), pela qualidade,
transparência e padronização das
suas demonstrações financeiras.
Endereço: BR-116,
km 255, Área
Industrial,
Lages.
Telefone: (49)
3251-2000.
Site:
www.marfrig.com.br
Marfrig produz a marca Seara em Lages
Produto: Possui armazéns,
lojas agropecuárias, granjas
de suínos, indústria de
rações, de fertilizantes,
supermercado, unidade de
beneficiamento de sementes
e posto de combustíveis.
E
m 2011, a Copercampos teve
faturamento de R$ 561 milhões. Destaque na produção
de grãos. “A Copercampos é uma
família com diferentes pessoas
unidas pelo propósito de desenvolver a empresa e promover a
sustentabilidade nos municípios
da região”, define o diretor presidente, Luiz Carlos Chiocca.
A Copercampos busca atrair
profissionais qualificados ou dispostos a se qualificar para obter
bons desempenhos no trabalho.
Avaliações de desempenho são
realizadas periodicamente em
todos os setores com o objetivo de
manter o processo em permanente
evolução. Em 2011, destinou R$
126 mil para treinamentos dos
funcionários. Há um setor que
trabalha para identificar as necessidades de treinamentos. A cada
ano, são realizados mais de 120
cursos específicos de qualificação
aos funcionários.
Já sobre a educação e qualificação dos funcionários possui
programas de incentivo através de
Bolsas de Estudos, que financiam
até 70% do valor total da mensalidade em cursos universitários e
técnicos. “Investir nas pessoas é
nossa preocupação e, por isso, dis-
Mercado: Santa Catarina e
Rio Grande do Sul.
Tempo: 42 anos.
Investimento: O objetivo
da empresa é investir mais
de R$ 150 mil em cursos de
qualificação para o próximo
ano. Neste ano de 2012,
até agora, R$ 132 mil foram
investidos.
Copercampos se mantém em destaque na produção de grãos
ponibilizamos todas as ferramentas para que estes funcionários
possam se qualificar e desenvolver
seu trabalho com segurança e qualidade”, comenta.
“Nestes dois últimos anos estivemos ampliando nossa área de
atuação e para atender os associados precisamos qualificar sempre
nossos funcionários, por isso,
temos um Programa de Qualidade
sendo executado na cooperativa
e, assim, podemos identificar em
que áreas há maior necessidade
de aperfeiçoamento para que possamos evoluir no agronegócio. O
futuro da Copercampos e do agronegócio está na tecnologia e nas
pessoas e, por isso, valorizamos
o ser humano e disponibilizamos
todas as ferramentas para que
estes possam desempenhar suas
funções com excelência”, comenta
Chiocca.
Futuro: A Copercampos está
em constante evolução e o
principal objetivo é atender
as necessidades dos
agricultores. Com isso, os
profissionais que atuam na
cooperativa devem estar
sempre em aperfeiçoamento,
para que atendam com
qualidade os clientes e
associados.
Colaboradores: 803.
Endereço: BR-282, km 338,
23, Bairro Boa Vista, Campos
Novos, SC.
Telefone: (49) 3541-6000.
Site: www.copercampos.
com.br
6
Alimentos e Bebidas
raes
o
M
A
empresa iniciou suas atividades em novembro de 2002,
especificamente na produção,
embalamento e comercialização de
maçãs. Nos anos seguintes foram
agregadas outras frutas para comercialização, além da importação de
frutas para distribuição no mercado
interno.
No ano de 2011 a empresa produziu 6 mil toneladas de fruta própria
e adquiriu de terceiros outras 3,5
mil toneladas, processando durante
o ano 9,5 mil toneladas de maçãs.
7
treinamento na área de produção.
Atualmente a empresa tem 200
colaboradores. Esse número oscila
conforme o ciclo de produção, podendo chegar a 240 funcionários
em determinadas épocas do ano.
A empresa mantém convênios
com diversas instituições de ensinos como CAV, Centro Universitário
Facvest , Uniplac e algumas escolas
agrícolas, contribuindo para a formação de mão de obra qualificada
na região, abrindo inúmeras oportunidades para estágios em diversas áreas.
Em maio de 2011, decidiu-se
pela erradicação dos pomares,
sendo que, a partir de 2012, o
foco principal da empresa está
direcionado ao aluguel das câmaras frigoríficas, bins de madeira e
máquina de classificação.
A capacidade de armazenagem
das câmaras totaliza 13,5 mil
toneladas e a máquina de classificação processa até 16 toneladas
de maçã por hora com separação
da fruta por peso e cor. Tem uma
estrutura que permite armazenar
maçãs da variedade Gala, de fevereiro a novembro, e da variedade
Fuji, de abril a janeiro do ano
seguinte.
Com a experiência adquirida
Produto: Pintos de um dia.
Mercado: Santa Catarina.
Tecnologia de ponta e
funcionários treinados
refletem no sucesso do
Aviário Moraes
Tempo: 37 anos.
Investimento: Construção de uma
estrutura própria e tecnológica.
Futuro: Aumento de 50% da
capacidade produtiva em 2013.
Colaboradores: Aproximadamente
200.
Endereço: BR-116, km 206, Vila
Nova, Ponte Alta, SC.
Telefone: (49) 3248-0148.
nos anos anteriores estamos aptos a oferecer uma excelente estrutura de armazenagem e classificação para as empresas do setor.
A empresa conta com nove
colaboradores diretos. Os colaboradores recebem treinamento
interno, além de treinamentos
anuais realizados em parceria
com o Senai.
Também possui um projeto que
incentiva os adultos a terminarem seus estudos e auxilia entidades beneficentes do município.
Para os próximos anos, a Pomesul não possui previsão de
investimentos, pois em 2010,
completou os investimentos projetados.
Produto: Frutas para
comercialização.
Mercado: Todo o Brasil.
Tempo: 10 anos.
Investimento: Estrutura
para armazenagem de
frutas.
Futuro: Não possui previsão
de investimentos.
Colaboradores: 9
colaboradores diretos.
Endereço: BR-282, km 128,
Bom Retiro, SC.
Telefone: (49) 3277-0447.
Site: www.pomesul.com.br
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
7
O
Aviário Moraes nasceu de
um sonho empreendedor
de Carlos Luiz Moraes em
20 de outubro de 1975. A empresa
desenvolveu uma estrutura bastante descentralizada. Iniciou em
Ponte Alta com uma granja de seis
galpões e 10 anos depois já eram
três granjas com trinta galpões.
Expandiu para os municípios vizinhos e, hoje, além das granjas,
possui também uma fábrica de ração, em Ponte Alta, com capacidade
de produção de 24 toneladas por
hora, constituída de trituradores,
misturadores, balança digital e silos
para ração pronta com 160 toneladas e capacidade de armazenagem
de seis mil toneladas de milho. Em
2007 o Aviário fechou contrato com
a Sadia S/A que posteriormente se
tornou Brasil Foods (BRF), uma das
maiores empresas de alimentos do
mundo.
A empresa está ciente que esses
resultados são frutos da confiança
depositada em cada um de seus
colaboradores. Por esse motivo as
pessoas contratadas seguem normas básicas de biosseguridade,
higiene e limpeza juntamente com o
8
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 9
9
Alimentos e Bebidas
10
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
A
Cooperplan, Cooperativa
Agropecuária do Planalto
Serrano, fundada em 1993,
no município de Lages, iniciou suas atividades em 1995, época em
que contava com uma estrutura
de três silos, com capacidade de
armazenagem para seis mil toneladas de grãos (milho, soja, trigo,
feijão...) contando nesse período
com 22 associados.
Direciona sua ação no cooperativismo, recebendo e comercializando safras, oferecendo acesso à
informação, tecnologia, inovação
e serviços de extensão rural,
trabalhando em conjunto na aplicação de práticas agrícolas mais
sustentáveis e produtivas.
Atualmente a Cooperplan conta
com uma estrutura de nove silos
com capacidade de armazenagem
para aproximadamente 42 mil
toneladas, dois secadores, 250
associados e 35 funcionários. Tem
uma equipe técnica com estrutura
profissional para dar suporte aos
produtores, buscando produzir
mais e mellhor. Ao longo do ano,
C
ertificada no início deste
ano pela Análise de Perigos
e Pontos Críticos de Controle (APPCC), que atesta a segurança alimentar em todo processo
produtivo, a Sanjo – Cooperativa
Agrícola de São Joaquim, respeita
um conjunto de normas técnicas
voltadas à produção de alimentos
de alta qualidade, sendo eles: maçã, vinhos finos, espumantes, suco de maçã, aguardente de maçã,
sidra e outras frutas.
A Sanjo foi fundada em 1993
Crescendo junto com o produtor rural
Produto: Grãos.
Mercado: Serra Catarinense e Sul do
Estado.
a cooperativa se interessa em oferecer, ainda, visitação em outras
empresas e unidades de sementes, e participação em palestras.
Segundo o diretor comercial da
Cooperplan, Luiz Carlos Uncini,
a valorização do funcionário é o
principal meio de fazer com que
ele permaneça como colaborador.
Com objetivo de ampliar sua
capacidade operacional para
2013, a Cooperplan está cons-
truindo mais três silos e um secador, elevando sua capacidade
para 53 mil toneladas de cereais,
com investimento de R$ 4 milhões.
Com a força do trabalho e a
integração dos produtores/associados numa perspectiva de
desenvolvimento suficiente e sustentável a Cooperplan visa o bem
estar de todos e o desenvolvimento da região.
por um grupo de 34 fruticultores, em sua maioria imigrantes e
descendentes de japoneses. Desde
sua fundação até 2012, teve uma
evolução no faturamento de 210%,
sendo 160% nos últimos 10 anos
e 50% apenas nos últimos dois
anos. Dizer que a Sanjo tem produtos de origem significa que do
momento em que a fruta é colhida
até a hora de enviar o produto final ao mercado, tudo é feito pela
Sanjo. Isso garante a qualidade de
tudo o que a Sanjo produz.
Atualmente, possui 77 cooperados e 27 parceiros que produzem
mais de 42 mil toneladas de maçã,
das variedades Fuji e Gala, por
safra. Sua capacidade de frigorificação própria é de mais de 31
mil toneladas de frutas, numa es-
trutura de mais de 38 mil metros
quadrados de área construída.
Seu nome é reconhecido no
mercado brasileiro, onde vende
seus produtos desde o Rio Grande
do Sul até Manaus.
Conta com 350 funcionários,
que a partir da contratação são
especialmente treinados na empresa para o melhor desempenho
nos processos de armazenagem,
classificação e industrialização
dos frutos recebidos na cooperativa, visando preservar a qualidade,
a segurança alimentar, a higiene
pessoal e do ambiente.
Só nos últimos três anos foram
investidos mais de R$ 25 milhões
para ampliar e melhorar as condições de armazenagem, produção e
comercialização.
Investimento: Para 2013 serão
investidos R$ 4 milhões para aumentar
a capacidade de armazenagem, de 51
mil toneladas para 62 mil.
Futuro: Adquirir uma secadora de
grãos e mais três silos.
Colaborados: 243 associados e 35
funcionários.
Endereço: Rua Heliodoro Muniz, 375,
Área Industrial, Lages, SC.
Telefone: (49) 3226-0515.
Site: www.cooperplan.com.br
Mercado: Comercializa para todo o
Brasil.
Produto: maçã, vinhos finos,
espumantes, suco de maçã,
aguardente de maçã, sidra e outras
frutas.
Tempo: 19 anos.
Investimento: R$ 65 milhões, sendo
R$ 25 milhões, somente nos últimos
três anos, para melhores condições
de armazenagem, produção e
comercialização.
Futuro: Novos investimentos em
tecnologia.
Colaboradores: 350.
Endereço: Av. Irineu Bornhausen, 677,
Martorano, São Joaquim, SC.
Telefone: (49) 3233-0012.
Site: www.sanjo.com.br
Sanjo: qualidade em tudo o
que a cooperativa produz
10
Alimentos e Bebidas
Produto: Frango Cozido, assado,
congelado e empanado.
Mercado: União Europeia e mercado
interno.
Tempo: 9 anos.
Investimento: Aumentar a produção
no mercado interno e a valorização e
motivação dos colaboradores.
Futuro: Diminuir a rotatividade na linha
de produção.
Colaboradores: 430.
Endereço: Rua Acy Aviano Varela Xavier,
sn, Área industrial, Lages, SC.
Telefone: (49) 3221-2300.
Site: www.vosskodobrasil.com.br
Vossko quer aumentar a produção
11
11
empresa também gera cerca de
40 empregos indiretos.
Desde a contratação os colaboradores passam por treinamento e capacitação. Desde
procedimentos de segurança,
higiene e limpeza, além de
normas da Boa Prática de Fabricação. A Vossko mantém
um certificado internacional de
alimentos.
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
O
objetivo da Vossko do
Brasil é diminuir a rotatividade na linha de
produção dos atuais 50% no
ano para 3,5%, média da empresa na Alemanha.
Para isso criou uma política
de valorização dos colaboradores, com um plano de cargos e
salários e outro de participação
nos resultados, a cada seis meses. O início foi julho de 2012 e
o primeiro pagamento será em
janeiro de 2013.
O diretor Joachim Gerecht
destaca que essa rotatividade
é comum nos frigoríficos. Mas
admite que a questão cultural
da cidade também contribui.
Pois, muitos funcionários não
querem se capacitar, embora a
empresa ofereça bolsa de estudos integral para graduação e
curso técnico. Além de ter parceria com o Sesi para ensino
fundamental e médio. Mas o
diretor está otimista, segundo
ele, em seis meses será possível
ver reflexo das ações que implantaram.
A Vossko do Brasil trabalha
com duas equipes de funcionários, na linha de produção,
das 5h às 14h30min e das
14h30min às 23h45min. E na
madrugada, no intervalo do
fim de um turno e início do outro acontece a higienização.
Atualmente tem 430 colaboradores, sendo que a maioria,
240, na linha de produção. A
A
empresa Agro Comercial
Hiragami iniciou suas
atividades em São Joaquim, em 1974, com loja de peças e máquinas agrícolas e, em
1981, passou a operar também
com classificação, embalagem
e comercialização de frutas.
Possui capacidade de armazenamento de 13,5 mil toneladas
de frutas.
Na safra de 2011/2012 atingiu a quantia de 11,5 mil toneladas de maçã. Atualmente,
seus principais produtos comercializados são maçã, pera,
kiwi e ameixa, além de vinhos
finos de altitude, peças e acessórios para tratores, máquinas
e implementos agrícolas. A
Agro Comercial Hiragami vende para todo o país.
Conta com 350 funcionários
fixos e mais de 200 temporários, contratados, em média,
por seis meses. Sob supervisão de profissionais que já
atuam na empresa e através
de parcerias com instituições
educacionais, os colaboradores
são treinados para diversas
funções. A empresa se preocupa com a qualidade de vida e
por isso oferece plano de saúde
e seu principal incentivo é a
remuneração salarial conforme
função e desempenho de cada
funcionário.
Para melhorar a qualidade
de seus produtos, os investimentos da Agro Comercial
Hiragami estão direcionados
para a renovação dos pomares,
maquinários e qualificação
de mão de obra. Para 2013, a
empresa espera adquirir uma
nova selecionadora de frutas e
cobertura dos pomares contra
o granizo.
Produto: Maçã, ameixa, kiwi, pera,
vinhos finos de altitude, peças
e acessórios para máquinas e
implementos agrícolas.
Mercado: Todo o Brasil.
Tempo: 38 anos.
Investimento: Renovação de
pomares, maquinários e qualificação
de mão de obra.
Futuro: Aquisição de nova
selecionadora de frutas e cobertura
dos pomares contra o granizo.
Colaboradores: 350 diretos e mais de
200 temporários.
Endereço: Av. Irineu Bornhausen,
1255, São Joaquim.
Telefone: (49) 3233-0322.
Site: www.hiragami.com.br
12 - Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012
12
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 13
13
Alimentos e Bebidas
14
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
S
er a “Melhor Empresa de Bebidas do Mundo em um Mundo
Melhor”. Esta é a missão da
Ambev, empresa de capital aberto,
sediada em São Paulo e com uma
de suas filiais em Lages, com operações em 16 países das Américas.
Dona de um portfólio de sucesso como Antarctica, Brahma,
Bohemia, Budweiser, Skol, Original, Stella Artois; os refrigerantes
Guaraná Antarctica, Soda, Pepsi e
Sukita; o isotônico Gatorade e o chá
Lipton, além das inovações H2OH!,
Fusion e Antarctica Citrus, a Ambev é líder no ranking das cervejarias na América Latina. No ano de
2011, o volume de vendas da companhia ultrapassou 165 milhões de
hectolitros de bebidas e a receita
líquida foi de R$ 27,1 bilhões.
Em 2012, serão investidos R$
30,6 milhões na Universidade Ambev (UA), principal fonte de treinamento e profissionalização dos
funcionários da companhia, que
em todo o Brasil chega a 32 mil. Os
investimentos são 14,6% superiores
ao ano passado e serão para apri-
Ambev investirá mais de R$ 30 milhões
em qualificações profissionais
morar e aumentar o número de
capacitações destinadas a todos
os setores da empresa. Só em
2011, por exemplo, a iniciativa
proporcionou ao time Ambev 79
programas, 1.143 cursos e mais
de 36 mil horas de treinamento.
Ao todo, foram atendidas mais de
42 mil pessoas em módulos presenciais e on-line.
Para a Ambev, sua gente,
como é chamado o quadro de
funcionários, é o mais importante ativo da companhia. Proveniente da Universidade Brahma,
a UA completa 17 anos em 2012
e integra todos os programas de
aprendizagem da companhia.
Além disso, oferece bolsas de
graduação e pós-graduação e
treinamentos na função de vendas, supply, marketing, operações, logística, administrativo,
financeiro etc.
Produto: Bebidas.
Mercado: 16 países das Américas
Investimento: Em 2012 foram investidos
R$ 2,5 bilhões em todo o Brasil.
Futuro: Continuar investindo
para o crescimento da empresa
e consequentemente de seus
colaboradores.
Colaboradores: 32 mil em todo o Brasil.
Endereço: Av. Victor Alves Brito, 2940,
Bairro Penha, Lages, SC. Telefone: (49) 2101-7800.
Site: www.ambev.com.br
FRUTICULTURA
A
Fruticultura Malke conta
com aproximadamente 600 funcionários fixos
além de fazer contratação temporária para a safra da maçã.
Em 2011 foram mais de 500
trabalhadores contratados, em
parceria com o Sindicato dos
Trabalhadores Rurais de Lages,
o Sine e o Presídio Regional de
Lages. Todas as contratações
são registradas na carteira de
trabalho e os direitos dos trabalhadores assegurados, atendendo à legislação. É a maior
empregadora privada da região.
Para manter a qualidade
da produção a empresa foca em
qualificação da mão de obra. A
capacitação dos funcionários é
permanente com cursos ministrados por entidades credenciadas, e para algumas atividades
os treinamentos são ministrados pelos técnicos da casa. A
Fruticultura Malke mantém
parceria com entidades locais
para a capacitação e o treinamento de seus colaboradores
com Senar, Senai, Senac, entre
outras.
Foi fundada em 17 de janeiro
de 1979, como alternativa econômica para a região. O em-
A fruticultura
tem atividades
fixas e sazonais
Produto: Maçãs
Mercado: Brasil, América e
Europa.
preendimento iniciou experimentalmente com um pomar
de 39 hectares na costa do Rio
Amola Faca, nos 10 primeiros
anos toda a produção era vendida no pomar. Os investimentos
em verticalização vieram mais
tarde, e hoje a Malke constitui
uma empresa sólida, com valores e visão de futuro.
Tempo: Desde 1979.
Investimento: A empresa mantém
o foco na consolidação do plano
quinquenal de investimento em
infraestrutura e diversificação.
Futuro: Como planejamento
do negócio e visão de futuro
a empresa tem investido em
tecnologia e diversificação da
atividade econômica, como
medidas para contornar a falta
de mão de obra qualificada. Colaboradores: 600.
Endereço: Rua Malke Litwin
Iochpe, 01, Bairro Ferrovia, Lages,
SC.
Telefone: (49) 3251-5200.
Site: www.malke.com.br
14
15
Alimentos e Bebidas
15
processamento médio mensal de 122 mil suínos e 2,6 mil
bovinos. Prevê um faturamento para 2012 de R$ 697 milhões sendo R$ 17 milhões na
unidade de Lages.
“Dentro do Planejamento da
Pamplona de 2011 para 2012
estamos crescendo 13%. A
visão para 2013 é repetir este
crescimento. Queremos exportar para outros países, como
Japão, Coreia do Sul e China.
Temos como meta para o mercado nacional fazer com que
o produto Pamplona seja cada
vez mais conhecido”, ressalta
a presidente, Irani Pamplona
Peters.
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
O
Frigorífico Riosulense
S/A foi fundado em
maio de 1948, por Lauro
Pamplona e sua esposa, Ana
Pamplona, na cidade de Agronômica (SC). Sua principal atividade era abate de bovinos.
O empenho em crescer e a
necessidade de fornecer produtos sempre com qualidade
e atendimento diferenciado,
fizeram o casal empreendedor
acreditar que seria possível
também a comercialização
de carne suína. Diversificando ainda mais o mix, foram
surgindo novas linhas de produtos, tais como: defumados,
salgados, embutidos, linguiças,
temperados e derivados.
Em 1969, transferiu-se para
Rio do Sul com nova denominação: Frigorífico Riosulense
S/A. Com as novas exigências
e a atualização do ramo, fez-se
necessário o ingresso no Serviço de Inspeção Federal. Este
procedimento resultou na de
novos mercados e no desenvolvimento de novos produtos,
firmando a marca Pamplona. A
filial de Lages foi fundada em
1982 e oferece à Serra Catarinense a qualidade dos produtos Pamplona.
Foi buscando uma melhor
participação no mercado, que
no ano de 1995 a companhia
realizou as primeiras comercializações com o mercado
externo. Atualmente, atua em
44 países. É o terceiro maior
exportador de carne suína.
A empresa processa 12 mil
toneladas por mês, sendo um
A Agropel produz e
tem capacidade para
armazenar 36 mil
toneladas de frutas
Produtos: Carnes suínas, bovinas,
defumados, salgados, embutidos,
linguiças, temperados e fatiados.
Mercado: Brasil, Américas, Ásia,
Europa e África.
Tempo: 64 anos.
Investimento: Aquisição de
máquina e equipamentos voltados à
produção de embutidos e fatiados.
Futuro: Ampliar a atuação no
mercado externo e consolidar a
marca no mercado nacional.
Endereço: Rua Humberto de
Campos, 449, Sagrado Coração
Jesus, Lages, SC.
Telefone: (49) 3223-3599.
Site: www.pamplona.com.br
O
grupo Agropel teve sua
origem no ano de 1977,
com a criação da empresa Frutícola Ipê Ltda pelos
irmãos José, Carlos e João
Perazzoli, com atividade na
cultura de frutas e alho.
A empresa está sediada na
cidade de Fraiburgo (SC). Possui ainda filiais em Curitiba
(PR), São Paulo (SP) e Contagem (MG).
Tem como atividades a
produção, classificação, embalagem e frigoconservação de
frutas próprias ou de terceiros.
Além de abastecer o mercado
interno, mantém ainda atividades de importação e exportação.
A área de pomares de maçãs
soma aproximadamente 850
hectares, dos quais 90% são da
variedade Royal Gala e clones
(Imperial Gala, Galaxy e Maxi
Gala) e 10% da variedade Fuji.
Os pomares estão localizados
em Fraiburgo, Videira, São
Joaquim, Campo Belo do Sul e
Bom Retiro.
Atualmente possui 79 câmaras frigoríficas com tecnologia
de atmosfera controlada e capacidade para armazenar 36
mil toneladas, possibilitando
oferecer frutas de qualidade a
qualquer época do ano.
Na cidade de Fraiburgo e
demais localidades conta com
um grande contingente de trabalhadores, cerca de mil, que
trabalham tanto na área rural,
quanto industrial. Na época de
colheita alcança o número de 3
mil colaboradores.
A empresa sempre proporciona oportunidades de crescimento aos seus colaboradores,
valorizando o desempenho e
dando oportunidades dentro
da sua necessidade de preenchimento de vagas.
Para o próximo ano pretende adquirir cobertura de pomares com telas antigranizo.
Produto: Frutas, especialmente
maçã.
Mercado: Regiões do Brasil e países
da Europa, Ásia e Américas.
Tempo: 35 anos.
Investimento: Infraestrutura
composta por barracões industriais,
câmaras frigoríficas, coberturas e
escritórios.
Futuro: Aquisição de uma cobertura
de pomares com telas antigranizo.
Colaboradores: Mil funcionários
e cerca de dois colaboradores
sazonais.
Endereço: Col. Cotia IV, São
Joaquim, SC.
Telefone: (49) 3233-1005.
Site: www.agropel.com.br
16 - Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012
16
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
17
Serra Catarinense é
uma região estratégica
Logística
L
ages está na região
estratégica, pois daqui pode-se chegar a
três capitais: Florianópolis
pela BR-282, e Curitiba/
PR e Porto Alegre/RS pela
BR-116. Essas duas últimas
praticamente com a mesma
distância.
O presidente da Federação das Empresas de
Transporte de Cargas e
Logística no Estado de
Santa Catarina, Pedro José
de Oliveira Lopes, destaca
a importância da região,
no tripé de transporte
rodoviário, ferroviário e
aéreo com a inauguração
do Aeroporto Regional em
Correia Pinto. “Vejo no
17
futuro áreas como essa, especialmente a Serra, como
polo estratégico”, acredita.
Pela BR-282 tem ligação
com o Oeste Catarinense e
pela 116 com Paraná e Rio
Grande do Sul. De Lages,
pela BR-282 se chega aos
portos de Itajaí e São Francisco do Sul.
A logística de carga está
centrada em rodovia, ferrovia e porto. A exportação
é pelos portos. Ter acesso
ao transporte marítimo,
em uma curta distância, é
um potencial que a região
possui. “O transporte rodoviário é fundamental,
é preciso aproveitar esse
potencial, com a frota de
caminhões”, diz Lopes.
No caso dos transportes
ferroviário e aéreo, o ideal
é num raio de 200 quilômetros. O transporte aéreo
está crescendo, é um mercado que exige agilidade.
Segundo o presidente, pelas
condições das estradas, o
caminhão não consegue ser
tão rápido, então quando
a carga requer urgência, a
alternativa é o avião.
Sobre o mercado internacional, Lopes observa que
a China está do “outro lado
da rua”, tanto que Lages
receberá uma montadora
de caminhões. Mas não deve fechar os olhos para os
países da América do Sul.
O Brasil é o foco do crescimento, o PIB está positivo
e a economia está estabilizada. “Devemos olhar para
o Chile, Peru e Colômbia,
para a Argentina que é nossa parceira, embora esteja
passando por uma crise”,
afirma.
Com a possível do corredor bioceânico mais oportunidades serão criadas.
A BR-282 é de extrema
importância para o desenvolvimento. O secretário de
Desenvolvimento Econômico do município, Carlos
Eduardo de Liz, acredita
que será preciso, a médio
prazo, a construção da
pista dupla na BR e a longo
prazo a duplicação da via.
“Tem de ser uma bandeira
da região”.
Logística
18
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Futuro: Continuar crescendo
e transportar com qualidade,
agilidade e segurança.
Produto: Transporte de
cargas.
Mercado: Está presente em
todos os estados brasileiros.
Tempo: Foi fundada em 1981.
A
Transportadora de Cargas Zappellini iniciou suas atividades em
meados da década de 70, com apenas cinco funcionários. Desde
então, foram muitos anos de um longo e árduo trabalho para
conquistar e realizar seus objetivos. Está presente hoje em todos os
estados brasileiros e é reconhecida como uma das principais empresas
do Brasil nos quesitos qualidade e agilidade.
A empresa mantém seus investimentos voltados para a tecnologia e formação de pessoal. Investe
em treinamentos constantes com
os objetivos de melhorar as condições de trabalho, aperfeiçoar e gerar oportunidades de crescimento
pessoal, social e profissional, para
os 500 colaboradores.
Com o crescimento do Brasil,
a demanda de transporte está
Q
uando se fala em gestão
de materiais e em monitoramento de carga,
pensa-se logo em segurança
operacional. É exatamente isso o
que a Expresso Adorno oferece
aos seus clientes. Com uma de
suas filiais em Correia Pinto, a
Expresso Adorno trabalha com
prestação de serviços na área de
transporte desde 1986. Sua matriz está localizada em São José
aumentando, o que faz com que a
empresa evolua e, consequentemente, gere mais oportunidades
de emprego e renda para a região.
A Zappellini investe frequentemente em novas tecnologias, possui uma frota nova de caminhões
Mercedes Benz, proporcionando
mais conforto e segurança para os
colaboradores.
Todos os processos são realiza-
dos Pinhais (PR) e possui uma
vasta experiência no território
nacional e países do Mercosul,
agregando a seus clientes agilidade e pontualidade no cumprimento das entregas.
O sucesso da Adorno é o resultado de uma administração
séria e competente, voltada para
o cliente e somada ao cuidado
de manter em seu quadro funcional pessoas preparadas para
a função que exercem, e que por
bem exercê-las, têm todo o reconhecimento da empresa. Conta
com 356 colaboradores com
formação específica que prestam
Investimento: Investe
constantemente em
treinamentos, tecnologia e
formação pessoal.
dos com consciência ambiental. A
empresa desenvolve o Programa
Vida Verde, que relaciona todas as
atividades e orienta os colaboradores a viverem com responsabilidade ambiental, tanto no trabalho
quanto em suas casas.
A Zappellini é certificada pelo
sistema de avaliação de saúde,
segurança, meio ambiente e
qualidade (Sassmaq), método de
serviço em ambiente de trabalho
saudável, infraestrutura, contato direto com a alta direção e
benefícios, incentivos esses que
mantêm seus funcionários fiéis a
Adorno.
A empresa possui uma das
mais novas frotas operando no
Brasil. Com atuais 594 veículos
totalizados, o objetivo da Adorno
é baixar a idade média total para
apenas 2,5 anos, minimizando
muito a propensão a ocorrências
mecânicas. Em processo de renovação, mais de 85% da frota
tem idade média abaixo de 3,5
anos.
Endereço: BR -116, 4200,
Área Industrial, Lages, SC
Telefone: (49) 3251-0399.
Site: www.zappellini.com.br
avaliação criado e exigido pela
Associação Brasileira de Indústrias Químicas (Abiquim), para
empresas de logística.
Participa do Programa na Mão
Certa, que orienta seus colaboradores contra a exploração sexual
infantil e também do programa
Paternidade Responsável, do qual
já recebeu premiações por ações
realizadas.
Produto: Prestação de serviços na área de
transporte.
Mercado: Atuando em São Paulo, Rio Grande
do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais, Goiás,
Paraná e Rio de Janeiro e países do Mercosul.
Tempo: 18 anos.
Investimento: Renovação da frota, conclusão
do novo prédio da matriz, filiais em construção
e novas contratações.
Futuro: Conclusão das obras em andamento.
Colaboradores: 356 no quadro funcional.
Endereço: BR-116, km 222, Águas Sulfurosas,
Correia Pinto, SC.
Telefone: (49) 3243-6049.
Site: www.expressoadorno.com.br
Expresso Adorno, solução
em todas as direções
18
A
economia industrial de
Santa Catarina é caracterizada pela concentração
em diversos polos. Na Serra
Catarinense os maiores são dos
setores madeireiro e papeleiro,
com participações de 15,5% e
6,6%, respectivamente, sobre
iguais setores nacionais.
O último estudo da Federação da Indústria do Estado de
Santa Catarina (Fiesc) indica
que Santa Catarina é o terceiro
maior produtor de lenha com
uma área de mais de seis mil
metros cúbicos e o terceiro na
produção de toras com uma
área acima de 18 mil metros
cúbicos. São quase três mil empresas que empregam cerca de
38,5 mil trabalhadores. Só na
Serra Catarinense são 150 madeireiras.
O Estado é também o maior
exportador de papel/cartão
kraftliner do Brasil. Dados da
Fiesc revelam que o setor possui participação de 4,55% na
indústria de transformação catarinense. Para o Sindicato das
Indústrias de Celulose e Papel
de Santa Catarina (Sinpesc), a
principal matéria-prima para
a produção de celulose não
branqueada, que é utilizada na
produção de papel kraft, é o
pinus, abundante na Serra Catarinense, onde o clima é muito
propício para o desenvolvimento dessas árvores.
Hoje, a Klabin de Otacílio
Costa é a maior fabricante de
kraftliner da América do Sul. A
área de floresta plantada de pinus da unidade abrange 66 mil
hectares de mata nativa preservada. Seus principais produtos
são papéis para embalagem e
sementes; e toras de pinus e
eucalipto.
De acordo o Sinpesc, o setor
da Serra Catarinense engloba
20 empresas, com destaque
para a Klabin, Kimberly-Clark
e Polpa de Madeiras; e gera três
mil empregos diretos.
19
C
ertificada para atender
os critérios de sustentabilidade, economicamente viável, socialmente justa e ecologicamente correta, a
Madepar Indústria e Comércio de Madeiras Ltda trabalha
no ramo florestal há 35 anos.
A empresa foi a primeira da
Serra Catarinense no setor
madeireiro a obter o Certificado de Manejo para Florestas
do FSC, em 2003, a qual é auditada periodicamente.
Seu principal produto é
a madeira. Exporta portas
de pinus e eucalipto para 15
países e, atualmente, está investindo no mercado interno.
Dispõe de uma variedade de
modelos e medidas como alternativa em sua linha de produção e aposta em tecnologias
avançadas e desenvolvimento
de novos produtos. Tem capacidade para produzir 50 mil
portas por mês, mas trabalha
com 50% da sua capacidade.
A matéria-prima é, essencialmente, de reflorestamento
próprio.
Conta com uma equipe
de engenheiros e técnicos e
mais de 500 colaboradores
devidamente capacitados
para buscar um melhor desempenho e eliminação de
desperdício. Após a contratação, independentemente do
cargo que irá exercer, todos
os funcionários participam da
integração para conhecer toda
a empresa e sua equipe de trabalho. Através da integração
inicia-se o processo continuado de treinamento e desenvolvimento. Em parceria
com instituições, a Madepar
proporciona aos seus colaboradores cursos para operação
de máquinas, tanto na área
florestal, parque fabril e também cursos específicos para
as áreas administrativas da
empresa.
Preocupada com o desenvolvimento social de seus funcionários, a empresa oferece
oportunidade para aprendizado e aperfeiçoamento em
cursos de informática e conclusão do ensino fundamental
e médio.
Todas as atividades florestais preconizam os Princípios
e Critérios do Forest Stewardship Council (Conselho de
Manejo Florestal), sendo planejadas e executadas de forma ambientalmente adequadas e garantindo qualidade e
segurança ao trabalhador.
Setores madeireiro
e papeleiro são os maiores
da Serra Catarinense
Produto: Especialista na fabricação de portas de pinus e eucalipto.
Mercado: Brasil e exportação para 15 países.
Tempo: 35 anos.
Investimento: Aperfeiçoamento na utilização do maquinário pra otimizar a
produção, reduzir custos, visando o crescimento da empresa.
Futuro: Conquistar novos mercados, diversificando e ampliando a linha de
produtos, com busca contínua em alianças estratégicas solidificadas para
fortalecer e manter o alto padrão de qualidade.
Endereço: Rua Heliodoro Muniz, 1480, Área Industrial, Lages, SC.
Telefone: (49) 3226-0699.
Site: www.madepar.com.br
19
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Madeira,
Papel,
Celulose e
Florestal
20
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 21
21
Madeira, Papel, Celulose e Florestal
22
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
&
P
Móveis e Confecções Ltda.
A
P&P Móveis e Confecções Ltda conta com
200 funcionários.
Segundo um dos diretores,
Airton Seminotti Júnior, as
lideranças de produção estão
passando por aprimoramento
de suas habilidades técnicas
e gerenciais através de cursos
de capacitação. Esses cursos
são ministrados por professores do Senai de São Bento
do Sul com o apoio do Sebrae
de Lages. “É importante fazer
parcerias neste sentido, porque
hoje a P&P é umas das poucas
fábricas de móveis de madeira
maciça em série da região”, explica Airton Junior.
A dificuldade da P&P é encontrar profissionais já habilitados para exercer funções que
requerem maior conhecimento
técnico, por isso busca desenvolver os profissionais dentro
da própria empresa. Mas a
qualificação não depende apenas da oportunidade oferecida,
especialmente do interesse e
dedicação do colaborador.
Para os próximos anos a intenção é passar a desenvolver
cursos de aprimoramento a
todos os níveis hierárquicos,
fornecendo treinamento a
100% dos funcionários, pois a
qualificação além de preparar
o profissional e o deixar mais
apto a exercer suas funções,
também tem um resultado positivo no clima organizacional.
“O profissional que vê a empresa investir nele através de cursos e aprimoramentos se sente
valorizado”, acredita.
Fundada em 1995 pela empreendedora Rosania Maria
Pauletti Seminotti, a P&P, no
início, foi criada como uma
empresa de confecções, e com
o tempo, se especializou na fabricação de móveis. A empresa
utiliza toras de reflorestamentos da região. Toda a madeira
é aproveitada, os resíduos são
vendidos para uma empresa
que produz energia renovável.
Produto: Produz móveis residenciais
fabricados com madeira de
reflorestamento
Mercado: Exporta para a Europa e
Estados Unidos
Tempo: Atua em Lages, há 17 anos
Klabin, a maior do Brasil
Investimento: Investimentos em
equipamentos e tecnologia, e
principalmente no colaborador, por meio
da qualificação, são a chave para o
aumento de produtividade, resultando
em rentabilidade para a empresa e
aumento de renda para o trabalhador.
Futuro: A empresa aposta na
recuperação do mercado moveleiro
na Europa e Estados Unidos, por isto
busca maior produtividade para atender
a demanda crescente.
Colaboradores: 200, sendo 50
mulheres.
Endereço: Av. Doutor João Pedro
Arruda 2.500, Lages, SC.
Telefone: (49) 3222-9540
P&P é preocupada com a
formação da mão de obra
E
mpresa brasileira com
113 anos, a Klabin é a
maior produtora e exportadora de papéis do Brasil.
É líder na produção de papéis e
cartões para embalagens, embalagens de papelão ondulado
e sacos industriais, além de
reciclar papéis e comercializar
madeira em toras.
Conta atualmente com 16
unidades industriais, localizadas em oito estados brasileiros,
e uma na Argentina. Ao todo,
a empresa tem capacidade
para produzir anualmente 1,9
milhão de toneladas de papel,
parte convertida em embalagens de papel para o mercado
interno e parte comercializada
em mais de 70 países nos cinco
continentes.
Historicamente comprometida com o desenvolvimento
sustentável, a Klabin reserva
mais de 40% de suas terras para matas nativas preservadas,
que somavam 212 mil hectares
no final de 2011, o que equivale
a mais de 212 mil campos de
futebol.
Em um sistema integrado
de produção florestal, mantinha 243 mil hectares de áreas
próprias plantadas com pinus
e eucalipto – responsáveis pela
oferta da maior parte da madeira necessária à fabricação
de seus produtos. Contabilizase que, em 2011, a Klabin plantou 57 árvores por minuto.
A empresa foi a primeira
do setor no Hemisfério Sul a
obter a certificação FSC® (Forest Stewardship Council®)
para suas áreas florestais no
Paraná, em 1998. Em 2005, as
florestas localizadas em Santa
Catarina também receberam a
certificação. Atualmente, quase
a totalidade das florestas Klabin e os processos produtivos
de todos os seus produtos são
certificados FSC.
Produto: Papéis e cartões para
embalagens de papelão ondulado e
sacos industriais, também produz e
vende madeira em tora.
Mercado: Interno e exporta para mais
de 60 países.
Tempo: 1969 - início da produção de
celulose e papel em Correia Pinto.
Investimento: Investe de
forma permanente em novos
equipamentos, tecnologia
e qualificação de pessoal.
Futuro: Manter-se líder no mercado.
Colaboradores: Nas unidades de
Correia Pinto, Otacílio Costa e Lages,
mantêm 2.210 funcionários e 1.384
terceirizados.
Endereço: BR-116, km 218, Correia
Pinto, SC.
Telefone: (49) 3243-7000
Site: www.klabin.com.br
22
A
Madeireira Rodrigues está
instalada em Correia Pinto
há oito anos. Possuindo
capacidade para produzir seis
mil metros cúbicos de compensados por mês a empresa exporta
100% da sua produção. Um dos
fatores responsáveis pela alta
qualidade de seus produtos está
em sua mão de obra, conta com
120 funcionários qualificados para a produção de compensado.
Quando iniciou suas atividades no município, em 2004, a
empresa teve dificuldades em encontrar mão de obra qualificada,
pois na região não havia trabalho
semelhante. Diante disso, foi
elaborado um curso profissionalizante em parceria com uma
entidade local para proporcionar
às pessoas interessadas uma primeira visão do processo produtivo e treinamentos práticos. “Hoje
temos um índice de rotatividade
baixo comparado a quando iniciamos as atividades, com um
treinamento melhor, benefícios
Tempo: Tem mais de 20
anos.
Investimentos: R$ 5
milhões em maquinários
para aumentar e melhorar a
produção. Inauguração do
escritório novo.
oferecidos aos funcionários e
uma identificação com a empresa, o nosso colaborador permanece por mais tempo”, explica o
diretor Sérgio Rodrigues.
Os benefícios e os treinamentos oferecidos aos funcionários
são uma parceria com o Sesi e o
Senai. Assim, todos os funcionários são qualificados. Juntamente com o Sesi, a empresa fornece
Educação Continuada aos seus
funcionários.
Um eficiente plano de carreira,
com avaliação mensal de habilidade e capacidade faz com que o
funcionário possa crescer na empresa, levando em conta também
o tempo de casa. Para diminuir
as faltas dos colaboradores são
sorteados brindes para quem não
tem nenhuma falta no mês. “É
preciso mudar a cultura das pessoas para que, com o passar do
tempo, não tenhamos mais essa
prática”, acredita o diretor.
Futuro: Contratar mais
funcionários. Melhorar a
qualidade e colocar o nome
da empresa à frente das
outras. E atender da melhor
forma o mercado exterior,
que é mais exigente.
Colaboradores: 120,
gera ainda 210 empregos
indiretos.
Endereço: BR-116, km 222,
Área Industrial III, Correia
Pinto.
Telefone: (49) 3243-1206.
Site: www.nereurodrigues.
com.br
1
899, este foi o ano de início das
atividades da Fazenda dos Gateados, em Campo Belo do Sul.
Com mais de um século, não é à toa
que a empresa denominada Florestal Gateados Ltda, além de vender
seu principal produto, a madeira,
apoia e realiza diversas pesquisas
através de convênios com sete universidades, uma fundação e três
empresas de pesquisa, espalhados
por todo o Brasil.
A empresa centraliza suas atividades na produção e comercialização de toras de pinus, eucalipto
e araucária, com Certificado de
Manejo para Florestas do FSC. Toda a produção é direcionada para
60 clientes da Serra Catarinense,
Curitibanos, Caçador, Alto e Médio
Vale do Itajaí, em Santa Catarina, e
vários municípios do Paraná.
Conta com 160 funcionários
diretos e 90 indiretos. A empresa
oferece aos seus colaboradores,
gratuitamente, a oportunidade de
estudar e concluir o ensino fundamental e médio no Projeto Educação do Trabalhador. Além disso,
aos que têm interesse em formação
específica, contribui com uma
ajuda de custo para curso técnico e
pós-graduação que estejam dentro
da área de interesse da empresa e
curso superior, independentemente
23
Florestal Gateados: Mais de um século vendendo sustentabilidade
da área e da instituição, conforme
previsto no Código de Ética e Conduta.
Além de um salário acima da
média do mercado, a empresa
oferece programa de saúde e segurança no trabalho, capacitação,
transporte gratuito, alimentação
balanceada e bonificação pela assiduidade de seus colaboradores.
Produto: Toras de pinus, eucalipto e
araucária.
Colaboradores: 160 funcionários
diretos e 90 indiretos.
Mercado: Santa Catarina e Paraná.
Endereço: Rodovia SC 458, km 159,
Campo Belo do Sul, SC
Tempo: Mais de um século.
Investimento: A empresa investe
constantemente em pesquisas através
de convênios com sete universidades,
uma fundação e três empresas de
pesquisa.
Telefone: (49) 3249-3000
Site: www.gateados.com.br
Madeira, Papel, Celulose e Florestal
Mercado: 100% para
exportação. Exporta
para países da Europa e
América, como Alemanha,
Reino Unido, Bélgica, Itália,
Holanda, Estados Unidos e
Porto Rico.
23
Produto: Compensados
feitos com pinus.
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Madeireira Rodrigues,
uma empresa de
exportação
24 - Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012
24
25
Madeira, Papel, Celulose e Florestal
26
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
A
unidade brasileira da
Kimberly-Clark, que
é a 3ª maior operação
da companhia no mundo, no
último ano cresceu 12% e está
dentro do ranking das 200
maiores empresas do Brasil. O
desenvolvimento econômico
aliado à sustentabilidade levou
a Kimberly-Clark a conquistar
resultados expressivos para o
negócio. A ampliação do uso
da ferramenta DfE (Design For
Environment) – que estuda o
impacto ambiental dos produtos a partir da avaliação do seu
ciclo de vida - apoiou a empresa nas suas metas inseridas na
Visão 2015 de Sustentabilidade.
Por meio da marca Neve,
líder de mercado de folha
dupla e tripla, lançando um
olhar profundo para mitigar
os impactos ao meio ambiente
em toda sua cadeia produtiva,
em 2012, adota as embalagens
verdes. A marca encabeça as
iniciativas sustentáveis da
Kimberly-Clark para produtos.
A compactação de 55% do
portfólio de Neve traz, além
de benefícios para o meio ambiente, ganhos para a empresa,
fornecedores, consumidores e
clientes. O formato compactado de Neve representa mais de
50% do mix de vendas da companhia. Quando comparados
o 4º trimestre de 2011 ao 1º
trimestre de 2012, é constatado um crescimento de 59% em
vendas da linha compactada
versus o trimestre anterior.
Em 2012, a marca passou a
utilizar plástico verde em su-
Kimberly-Clark está
entre as 200 maiores
empresas do País
as embalagens da linha Neve
Compacto. O produto utiliza
Polietileno Verde em sua embalagem, que é produzida pela
Braskem. Essa tecnologia tem
como fonte de matéria-prima
o etanol de cana de açúcar,
reconhecidamente a melhor
fonte de energia renovável do
mundo.
Produto: Apresenta uma linha completa
de produtos de higiene pessoal e
doméstica, acessórios para banheiro
e cozinha e, ainda instrumentos para
controle de infecção no sítio cirúrgico.
Mercado: Atua em 142 países e tem
operações em 37.
Tempo: Presente no Brasil há 16 anos.
Investimentos: A companhia deve
inaugurar no início de 2013 uma fábrica
e um centro de distribuição no Nordeste.
Com investimentos iniciais de R$ 100
milhões, as instalações serão construídas
numa área de 200 mil metros quadrados,
no município de Camacari, próximo
ao Polo Petroquímico de Salvador,
mais precisamente a 42 km da capital.
Juntas, as unidades deverão gerar 430
empregos diretos e 1,2 mil indiretos, além
de 550 contratados durante o pico da
obra.
JJ Thomazi,
inovação e
sustentabilidade
Futuro: Liderar o mundo no que é
essencial para uma vida melhor.
Colaboradores: Em Correia Pinto, 251
colaboradores. No Brasil, cerca de 5.000
funcionários.
Endereço: BR-116, km 218, Correia
Pinto, SC.
Telefone: (49) 3243-6000.
Site: www.kimberly-clark.com.br
J
J Thomazi e Cia Ltda, empresa sucessora da Irmãos
Thomazi Ltda, fundada
em 1995, nasceu da vocação,
anseio e desafio da diretoria
composta pelos irmãos Edelmar, Alceu, Denise e Cláudio
Thomazi, em prosseguir os
negócios iniciado pelo pai, Sr
Jacyr Jose Thomazi.
Comprometidos com o projeto, inovando com sustentabilidade e arrojo, a empresa venceu desafios e se consolidou
rapidamente no mercado. Seus
principais produtos são fences,
boards, pallets e madeiras serradas, para mercado nacional e
internacional.
O cenário econômico brasileiro estável e com sinais que a
demanda por madeira no Brasil e no Mundo deve aumentar,
são fatores que motivam ainda
mais a empresa a continuar
investindo em tecnologia e
modernidade nas linhas de
produção.
Um dos exemplos da busca
pela modernidade global foi a
conquista em 2012 da “ Certificação FSC (Forest Stewardship Council), em uma de suas linhas de produção. Selo que
garante ao consumidor que o
produto foi fabricado com matéria- prima de floresta certificada e/ou origem controlada de
forma ecologicamente correta,
segundo normas do FSC.
Cientes que aumento da produtividade está estritamente
ligado ao grau de satisfação
dos trabalhadores, e essencial
também, investir nos componentes estruturais do ambiente
e condições de trabalho é prática habitual da empresa.
Nessa trajetória a empresa
continua trabalhando firme
nos seus propósitos de crescimento organizacional, com
responsabilidade social e compromisso com os princípios
que sempre nortearam sua
história.
Produto: Derivados de madeira
Mercado: Nacional e
Internacional
Tempo: Desde 1995
Investimentos: Incrementar os
volumes para exportação.
Futuro: A empresa espera se
consolidar no mercado interno,
como forte supridor de matériaprima, para indústria de móveis,
construção civil e embalagens.
Endereço: Av. Marechal Castelo
Branco, 813, Lages, SC.
Telefone: (49) 3223-2186.
Site: www.jjthomazi.com.br
26
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
27
Com a construção de novas
usinas, a Serra Catarinense
contribui cada vez mais gerando
energia para todo o Brasil
Energia e
Mineração
O
setor de Energia e Mineração cresceu nos últimos
dois anos na região. Em
2010, receberam o Prêmio Empreendedor, três empresas, hoje
são premiadas sete. Mais que o
dobro. E o motivo desse aumento
se deve pelo potencial da região.
O volume dos rios e a geografia
atraem empreendimentos do
segmento.
Um dos recursos naturais
mais abundantes na Serra Catarinense é a água, uma das
grandes fontes para produção de
energia elétrica. Tanto é, que há
vários projetos e algumas construções de Pequenas Centrais
Hidrelétricas (PCH). Em Lages
serão 15.
Outra potencial fonte de recursos naturais na Serra é os
ventos. O Parque Eólico em Bom
Jardim já é uma realidade, agora
a região aguarda outros empreendimentos em São Joaquim e
Urupema. Nesses municípios há
interesse de diversas empresas
em instalar torres para energia
eólica.
A previsão é implantar seis
parques eólicos. Três em Urupema, na localidade de Rincão
e três na fazenda Bom Sucesso,
em Urubici. Cada parque vai
gerar 90 megawatts e os estudos
e sondagens estão sendo realizados há cinco anos. A previsão é
erguer 90 torres de 100 metros
de altura cada, sendo 45 em cada
parque eólico. As pás das torres
terão 37 metros de comprimento.
O investimento total deve oscilar
em R$ 600 milhões. Pelo que foi
apurado nos estudos, o vento nos
pontos onde se pretende implantar o parque tem constância de
7,5 metros por segundo.
Tractebel: aumento de
quase 5% no quadro de
colaboradores
P
rofissionalismo, cooperação, espírito de equipe,
criação de valor, respeito
ao meio ambiente e ética fazem
parte do dia-a-dia da Tractebel
Energia. E para seguir esses valores, conta com a colaboração
dos quase 1.100 profissionais que
atuam na empresa. Em relação a
2010, o número de colaboradores
aumentou em 4,9%.
A unidade de Lages tem um
total de 20 empregados, maioria
na função de técnico de operação
de usina. Ainda há empregados
terceirizados, que somam 30.
Preocupada em capacitar a
mão de obra, a empresa investe
em treinamento. Em 2011 foram
mais de R$ 3,3 milhões em treinamento, com uma média de 80
a 445 horas de treinamento por
empregado. Os empregos indiretos, no ano passado, chegaram a
3.451.
Em Lages a parceria é com
o Senai, através de curso profissionalizante de Operador de
Usina, ministrado em Tubarão/
SC. A empresa também oferece
oportunidades de estagiários
ingressarem no mercado de trabalho capacitando-os nas áreas
administrativas, manutenção,
utilidades e operacional.
27
A Tractebel mantém em operação 22 usinas em 12 estados
das cinco regiões do Brasil. O lucro líquido no ano passado foi de
R$ 1,4 bilhão, aumentando em
19,5% em relação a 2010. E pelo
14º ano consecutivo se manteve
como a maior geradora privada
do país. Em dezembro de 2011,
com a entrada em operação da
quarta unidade geradora da Usina Hidrelétrica do Estreito, já
alcançava 6.690 MW, dos quais
82% provenientes de fontes renováveis, como água, vento e
biomassa. A empresa responde
por 7% do consumo brasileiro de
energia elétrica.
Em Lages colabora com o desenvolvimento social e ambiental
junto com as comunidades situadas em torno de sua empresa.
Com tratamento adequado dos
resíduos de madeira, a empresa comercializa créditos de
carbono.
No que se refere aos benefícios
aos funcionários, destaque para
o Previg, Sociedade de Previdência Complementar.
Produto: Energia elétrica.
Mercado: Brasil
Tempo: Desde 16 de dezembro de 2003 em
Lages. No Brasil atua desde 1998.
Futuro: Ser, de modo sustentável, a melhor
empresa do Brasil. Expandir sua atuação
no mercado livre de energia. Continuar
investindo no Brasil.
Colaboradores: 1.084
Endereço: Rua Vivandério Santos do Vale,
sn, Lages, SC.
Telefone: (49) 3221-4500.
Site: http://tractebel.investor-relations.com.br
28
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 29
29
Energia e Mineração
30
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
A
Kemira é uma empresa
global de química de
água, com um volume
de negócios superior a dois
bilhões de euros, servindo
clientes nas indústrias de alto
consumo de água. Com matriz
em Helsinki, na Finlândia, a
Kemira oferece gestão de qualidade e quantidade de água,
através da fabricação de produtos químicos para tratamento
de água e produção de papel.
A meta da Kemira é ser uma
empresa líder em química da
água.
Está presente em mais de
40 países. No Brasil, deu seus
primeiros passos em 1996, em
São Paulo. Em 2001 iniciou a
operação de uma nova planta
na cidade de Telêmaco Borba,
interior do Paraná. Os anos
de 2007 e 2008 marcaram o
início de grandes decisões para
a expansão de seu mercado
no país. Foram adquiridos negócios e fábricas da indústria
química Dalquim nas cidades
de Lages e Três Barras em
Santa Catarina e Arapoti no
Paraná e também a aquisição
da empresa Nheel Química, em
Rio Claro, estado de São Paulo, aumentando a presença da
Kemira no Brasil e passando
a ser a maior produtora de coagulantes da América Latina.
Em 2011, somente em Lages,
investiu cerca de R$ 3 milhões
nas questões ambientais e de
segurança. Para os próximos
anos, a Kemira vislumbra expansão de suas plantas no Brasil, inclusive na região. Conta
com mais de 3 mil funcionários em toda a rede e cerca de
50 colaboradores indiretos, só
em Lages. Apesar da mão de
obra ter sido contratada junto à
aquisição da Dalquim, a Kemira preocupa-se em promover
constantemente treinamentos
de segurança dentro da própria
empresa ou ainda em parceria
com outras unidades.
Como valores, sustenta-se
em quatro principais pilares:
cuidado com as pessoas e o
meio ambiente, foco no sucesso
do cliente, no desenvolvimento
e na inovação e trabalho em
equipe. Como a prioridade número um da companhia é a segurança, a Kemira se aproxima
de dois mil dias sem acidentes
de trabalho.
Produto: Químicos para tratamento
de água e fabricação de papel.
Mercado: Mais de 40 países
Tempo: 92 anos
Investimento: Cerca de R$ 3
milhões na fábrica de Lages.
Futuro: Expansão de suas plantas
no Brasil, inclusive, em Lages.
Colaboradores: Mais 3 mil
funcionários em toda a rede e cerca
de 50 indiretos em Lages.
Endereço: BR-282, Km 203, Distrito
de Índios, Lages, SC.
Telefone: (49) 3251-1200
Site: www.kemira.com
Kemira Water, companhia líder em produção de
produtos químicos para tratamento de água
H
á quatro anos, a
empresa Bioenergy –
Indústria e Comércio
de Energia Alternativa- está
operando em Correio Pinto.
Tendo sua matriz em Curitiba, decidiu montar uma
filial na Serra Catarinense
por questões de logística e da
sua matéria-prima (resíduos
de madeira), que é transformada em energia. A empresa
adquire cerca de três mil
toneladas de matéria-prima
por mês, e fornece combustível para seus clientes em
Santa Catarina, Paraná e São
Paulo.
Para o fornecimento de
energia, a empresa instala
suas caldeiras nas empresas
dos clientes em forma de
comodato, e fornece toda a
assistência técnica, manutenção e o combustível, que
é processado na própria unidade. O principal cliente da
empresa fica no município
de Correia Pinto, com capacidade de produção de 8 mil
toneladas de vapor por mês.
Atualmente, a Bioenergy
emprega dez funcionários
na filial de Correia Pinto, a
maioria na área de produção.
Para manter a qualidade do
serviço prestado e a capacitação de seus colaboradores,
a empresa oferece orientação
permanente em segurança
do trabalho, cursos técnicos
profissionalizantes e diversos treinamentos internos.
Os investimentos em infraestrutura têm aumentado a
cada ano, sempre com foco
no cliente e na preservação
do meio ambiente. Em 2012
a Bioenergy obteve Certifi-
cação de Gestão Ambiental
(ISO 14001), assumindo
assim o compromisso de melhoria contínua, integração
dos processos aliados à tecnologia e garantia da sustentabilidade ambiental.
As empresas que são atendidas pela Bioenergy, além
de diminuírem seus custos
de produção com energia
elétrica, colaboram com a
preservação do meio ambiente, tendo em vista que
o combustível utilizado nas
caldeiras é menos nocivo à
natureza que o óleo.
Produto: Produz energia renovável através
de resíduos de madeira.
Mercado: Santa Catarina, Paraná e São
Paulo.
Tempo: Há 10 anos no Paraná e desde
2008 na Serra Catarinense.
Futuro: Pretendemos expandir nossos
negócios, gerando novas oportunidades
de empregos e contribuindo para o
crescimento do município de Correia Pinto
e da região.
Investimentos: Manteremos ritmo
acentuado de expansão para 2013.
Continuaremos acreditando em SC, estado
onde alcançamos o maior crescimento nos
últimos anos.
Colaboradores: 10, em Correia Pinto.
Endereço: BR-116, km 223, Área Industrial
III, Correia Pinto, SC.
Telefone: (49) 3243-1206.
Site: http://www.bioenergy.com.br/
30
Mineração e Pesquisa Brasileira, presente na sua vida
A
s Centrais Elétricas
de Santa Catarina
S.A (Celesc) são uma
empresa genuinamente catarinense, responsável pela
distribuição de energia
elétrica. A estatal está entre as melhores do setor no
Brasil. É a segunda maior
arrecadadora de ICMS
do estado e a sexta maior
prestadora de serviço público do país.
Para prestar um serviço
de qualidade mantém na
regional de Lages 225 funcionários que atendem 24
municípios na região. Segundo o chefe da Agência
Regional de Lages, Etamar
Eger, os colaboradores são
treinados permanentemente. A Celesc possui em sua
Estrutura Formal da Administração Central uma
Divisão de Capacitação e
Treinamento de Pessoas DVCP, que promove com
frequência treinamentos,
em sua grande maioria, por
meio de instrutores próprios, mas também através
de contratação de pales-
31
trantes e cursos externos.
Conta inclusive com um
sistema de videoconferências em convênio com instituição especializada para
treinamentos à distância. A
empresa dispõe, ainda, de
parceria com outras instituições, como Sesi, Dtcom
e Fucas. Possui 11 projetos
sociais.
A Celesc Distribuição
foi criada em outubro de
2006, quando houve a
separação em setores de
geração e de distribuição.
Em Lages, está desde 1965.
Atende uma extensão territorial que representa 21%
do território catarinense.
A divisão do trabalho na
Celesc Distribuição S.A Agência Regional Lages
está estruturada em: Administração Regional com
6 funcionários; Divisão
Administrativa Financeira com 15 empregados;
Divisão Comercial com 91
colaboradores e Divisão
Técnica com a maior parte
dos funcionários: 113 empregados.
Produto: Nefelina, Sienito e Fonolito, utilizados
pelas indústrias cerâmica, vidreira e siderúrgica.
Mercado: Comercializa para seis Estados do
Brasil.
Tempo: 17 anos
Investimento: R$ 600 mil para a melhoria do
processo produtivo nos últimos dois anos.
Futuro: Continuar inovando para o crescimento
do processo produtivo.
Colaboradores: 21 diretos e 50 indiretos.
Endereço: Estrada Geral Correia Pinto.
Telefone: (49) 3275-2039
Site: www.riodeserto.com.br
Celesc, energia de qualidade em 24 municípios da região
Produto: Energia elétrica
Mercado: Em todos os municípios de Santa
Catarina, e em Rio Negrinho no Paraná. Em
Santa Catarina são mais de 2,5 milhões de
clientes.
Tempo: 57 anos
Investimentos na Regional de Lages: A
estimativa de investimento em Média e Baixa
Tensão, entre 2012 e 2015, é de cerca de
R$ 10,4 milhões, sendo que em 2012 foram
investidos R$ 2.885.668,39. Já o Plano de
investimento na Regional Lages em Alta Tensão,
para 2011/2015, é de R$ 37,6 milhões.
Futuro: Continuar entre as melhores
do setor no Brasil e levar energia com
qualidade e de maneira sustentável.
Colaboradores: 225 em Lages.
Endereço: Av. João Goulart, 500, Jardim
Celina, Lages, SC.
Telefone: (49) 3221-5000.
Site: http://novoportal.celesc.com.br/
Energia e Mineração
31
Deserto realizam parcerias para incentivar seus colaboradores a estudar.
Para uma atualização profissional
constante, mensalmente, há uma série
de treinamentos realizados na própria
empresa ou promovidos externamente,
que contam com profissionais das diversas áreas.
Nos últimos dois anos foram investidos cerca de R$ 600 mil para a
melhoria do processo produtivo. Para
2013, ainda não há previsão de investimentos.
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
A
Mineração e Pesquisa Brasileira
está no município de Correia
Pinto, na localidade de Divino,
há 17 anos. Integra o Grupo Rio Deserto que hoje tem 94 anos de história na
extração, beneficiamento e comercialização de insumos minerais. É reconhecida pelo respeito às normas técnicas,
pelo tratamento correto que dispensa
ao meio ambiente, pela importância
que dá aos seus clientes, colaboradores
e pelo retorno social nas comunidades
em que atua. Tem como principal missão contribuir com o desenvolvimento
nacional.
Na unidade, em Correia Pinto, são
fabricados os produtos Nefelina, Sienito e Fonolito, utilizados pelas indústrias cerâmica, vidreira e siderúrgica
nos estados de Santa Catarina, Rio
Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco.
Conta com 21 colaboradores diretos
e 50 indiretos. Uma equipe comprometida com a produção e formada por
mão de obra técnica. A promoção pessoal e profissional é uma das ações do
Grupo Rio Deserto em prol dos colaboradores. Bolsas de estudo para ensino
técnico, graduação e pós-graduação
são oferecidas. Além disso, para aqueles que não concluíram o ensino fundamental e médio, as Empresas Rio
32
33
34 - Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012
34
Energia e Mineração
35
habilidade perante as novas
tecnologias. O profissional se
sente mais motivado e com
maior autoestima.
O Grupo Avanex é composto por três empresas associadas. Atualmente vende para
os estados de Santa Catarina,
Paraná, Rio Grande do Sul
e São Paulo. Atua de forma
responsável nos negócios e
com participação em eventos
comunitarios, além da busca
constante pelo preparo e desenvolvimento de seus colaboradores.
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
A
Avanex Indústria e Comércio Ltda iniciou suas atividades em Santa
Catarina, em março de 1985,
no município de Palmeira.
A instalação da empresa
na Serra Catarinense, que
buscava um posicionamento
geográfico adequado, não foi
escolhida ao acaso. Uma pesquisa de campo possibilitou
verificar os maiores clientes
consumidores de produtos
para o tratamento de águas.
Foi fundada, em São Paulo,
na década de 60 com a fabricação de sulfato de aluminío
por uma família de origem
portuguesa. O nome Avanex
surgiu das iniciais dos empreendedores Antônio Candido da Silva, Vandir Candido
da Silva e Nelson Candido da
Silva. O ‘X’ foi acrescentado
para a entrada de algum sócio no futuro.
Tem investido intensamente na modernização das suas
linhas de produção, destinadas ao tratamento de água,
possuindo também soluções
para os setores industriais.
Atualmente a empresa
Avanex conta com 55 funcionários especialmente
preparados para suas funções. O desafio constante da
empresa é treinar, capacitar
e envolver para criar os bons
diferenciais competitivos. A
capacitação de seus funcionários protege a empresa da
perda de qualidade, da baixa
produtividade e da falta de
Britaplan é referência na fabricação de
agregados para construção civil
Produto: Produtos para tratamento de
águas
Mercado: Comercializa para os
estados de Santa Catarina, Paraná, Rio
Grande do Sul e São Paulo
Tempo: 27 anos
Investimento: Modernização das
linhas de produção
Futuro: Não há previsão para novos
investimentos
Colaboradores: 55
Endereço: Av. Henckemaier, 65,
Centro, Palmeira, SC.
Telefone: (49) 3238-0003
Site: www.avanex.com.br
A
tendendo em toda a
Serra Catarinense,
a Britaplan Britagem Planalto Ltda é uma
empresa fornecedora de
pedra brita para construção
civil, industrial, rodoviária,
ferroviária e concreteiras.
Foi fundada em 1982 e
localiza-se na Área Industrial de Lages, BR-116, Km
253. Antes do empreendedor Cidiney Luiz Borba Bet
fundar a empresa Britaplan,
a exploração já era uma
atividade exercida pelo seu
pai Agostinho Bet. Hoje é
uma das mais conceituadas
fornecedoras de pedra brita
1, pedra brita 2, pedrisco,
pó de brita, brita graduada, macadame seco, pedra
pulmão e pedra detonada,
materiais estes de primeira
qualidade, dentro das normas técnicas da ABNT.
Todo o material comer-
cializado é retirado de uma
jazida localizada no mesmo
endereço da empresa. Mensalmente são produzidos
cerca de 12 a 15 mil metros
cúbicos. A Britaplan conta
com 16 funcionários, todos
capacitados internamente.
Os cargos variam desde
operadores de máquinas de
britagem, de perfuração de
rocha e auxiliares. Segundo
o empreendedor Cidiney
Luiz, a rotatividade nas contratações é muito baixa, por
ser uma atividade peculiar e
especifica.
Para garantir agilidade
na entrega dos materiais,
em janeiro e fevereiro deste
ano foram adquiridos uma
carregadeira, um caminhão,
uma balança rodoviária e
uma escavadeira hidráulica.
Para o ano que vem, a Britaplan pretende incorporar na
frota mais um caminhão.
Produto: Pedra brita 1, pedra brita 2, pedrisco, pó de brita, brita
graduada, macadame seco, pedra pulmão e pedra detonada.
Mercado: Serra Catarinense.
Tempo: 30 anos.
Investimento: Em 2012 foram adquiridos uma carregadeira, um
caminhão, uma balança e uma escavadeira hidráulica.
Futuro: Para 2013 a empresa pretende comprar mais um caminhão.
Colaboradores: 16 diretos.
Endereço: BR-116, Km 253, Lages, SC.
Avanex, cuidando da água e das pessoas
35
Telefone: (49) 3226-0030.
36 - Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012
36
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 37
37
38
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Metal-mecânico
D
estaque no setor agrícola
no Brasil emprega 150 colaboradores diretos e gera
cerca de 900 empregos indiretos.
A GTS procura oferecer desafios
e oportunidades para manter a
equipe motivada e comprometida
com os resultados da empresa.
Como a empresa é muito jovem, a geração “Y” é predominante entre os colaboradores. “Temos
um desafio ainda maior, além da
concorrência do mercado, a vontade incontrolável destes jovens
de crescer e construir rapidamen-
te a sua carreira profissional”,
explica a gerente de Recursos
Humanos, Sirlene Bisol. Diante
desse contexto a empresa procura
ser transparente desde o início
com seus colaboradores, esclarecendo sobre as normas, exigências e a expectativa em torno da
atividade a ser desempenhada por
ele. Fazendo com que este jovem
sinta-se comprometido com a sua
carreira, mas acima de tudo com
o resultado a ser atingido pelo trabalho da equipe. Isso, segundo a
gerente, mantém as pessoas cientes e conscientes sobre o desafio
que o espera na empresa e que o
seu papel é indispensável para o
sucesso da organização.
O processo de recrutamento e
seleção da empresa ocorre através
de banco de dados com currículos
cadastrados pelo site da empresa
e também das parcerias com Uni-
S
anta Catarina apresentou, nestes últimos anos,
um crescimento expressivo em relação a sua
consolidação econômica que se baseia na integração competitiva, se sustenta no espírito empreendedor e valoriza o capital humano.
É neste contexto que o setor metal-mecânico conta
com uma estrutura produtiva diversificada e concentrada em determinados espaços do território.
O ramo considera as atividades de metalurgia,
fabricação de produtos de metal, fabricação de máquinas e equipamentos, de veículos automotores,
reboques e carrocerias e de outros equipamentos de
transporte.
Só na Serra Catarinense são mais de 700 empresas
e cerca de 3,5 mil pessoas empregadas. Em todo o
Estado são 97,3 mil trabalhadores em seus 5.045 estabelecimentos. Os números refletem no sucesso catarinense que é o maior exportador de motocompressores herméticos do Brasil, com uma participação de
77% no volume total. Também é líder nas exportações
de refrigeradores.
O setor ainda se concentra no Norte de Santa Catarina, mas o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas,
Mecânicas e de Material Elétrico de Lages (Simmmel)
acredita que este cenário será alterado nos próximos
anos com a instalação de empresas de grande porte.
Um exemplo são as intenções da Novaer Craft em
instalar um centro de fabricação e montagem de aeronaves em Lages, outro, é a fabricante de caminhões
Sinotruk que também pretende instalar uma de suas
unidades na cidade.
“Nossa região ainda tem muito espaço para crescer, pois temos qualidade na mão de obra. Precisamos
fomentar o crescimento tecnológico para capacitarmos as empresas. Oportunidades existem e elas se
abrem cada vez mais na Serra Catarinense”, afirma o
presidente Celso Marcolin.
versidades, Institutos Federais,
Escolas Técnicas do Estado de
Santa Catarina e Rio Grande do
Sul.
Cerca de 90% dos colaboradores possuem o ensino médio
completo, alguns destes possuem curso técnico, graduação,
pós-graduação e também MBA.
Mas a busca pela capacitação e
qualificação destes profissionais
é contínua, por isso a GTS tem como parceiros o Senai, Sesi, Senac,
Sindicont, Acil, CDL e demais
instituições em Lages e de outras
cidades e estados também.
O foco da GTS é a tecnologia e a
qualidade, para manter e conquistar mercado. Tanto em território
nacional, como fora do país. Exporta para Argentina e Paraguai,
além de manter relações com Estados Unidos, Angola, Costa Rica
e Colômbia.
Produto: Indústria de máquinas e
implementos agrícolas.
Mercado: interno e externo.
Tempo: 12 anos. Fundada por agricultores
na cidade de Campo Belo do Sul, chegou a
Lages em 2005.
Investimento: Em torno de R$ 20 milhões
para os próximos cinco anos.
Futuro: Ampliar a unidade atual e construir
mais duas novas plantas fabris.
Colaboradores: 160
Endereço: BR-282, km 3, Bairro São Paulo,
Lages, SC
Telefone: (49) 3251-7100
Site: http://www.gtsdobrasil.ind.br/
GTS gera mais de mil empregos diretos e indiretos
38
Metal-mecânico
39
ais de treinamento. Há também
um bom relacionamento com
escolas técnicas, já que os alunos costumam fazer treinamento na empresa e alguns acabam
sendo contratados.
A empresa hoje está entre as
melhores do setor na América
do Sul , e possui 22 filiais no
Brasil, com cerca de 500 colaboradores.
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
D
os 350 colaboradores
da empresa Minusa em
Lages, 300 são operários
da fábrica. O grande diferencial
é um eficiente plano de cargos e
salários, que faz com que o funcionário tenha oportunidade de
crescimento.
Todos podem galgar função
superior, que também proporciona melhor remuneração.
Quem começa no chão de fábrica, por exemplo, pode chegar a
chefe de setor. “Isso motiva os
colaboradores, eles se envolvem
mais com a empresa”, acredita o
diretor comercial Celso Kracik.
Outro fator relevante se refere
à de vaga, que primeiro é oferecida a quem já faz parte do
quadro da Minusa. O edital é
colocado na fábrica com todas
as informações para que os interessados possam se candidatar.
“Primeiro damos oportunidade
para quem está na empresa para depois se não preenchermos
vaga, abrir para os profissionais
de fora da empresa”, explica o
diretor.
A valorização dos colaboradores é uma das armas da empresa para garantir o interesse
do funcionário e a baixa rotatividade.
Preocupada em oferecer capacitação aos seus funcionários,
proporciona a todos horas anu-
Produto: Peças de tratores de
esteiras , equipamentos florestais e
agrícolas.
Mill Serras, incentivo à formação técnica
Mercado: Todo o Brasil.
Tempo: 45 anos.
Futuro: Pretende continuar
investindo em novas tecnologias
e aposta no crescimento do setor
no Brasil e um maior incentivo do
governo às empresas brasileira.
Colaboradores: 350 em Lages.
Endereço: BR-116, Km 246, Área
Industrial, Lages, SC.
Telefone: (49) 3226-1000.
Site: minusa.com.br
M
ais de 80% dos 106
colaboradores da Mill
Indústria de Serras
Ltda estão na linha de produção. Um bom ambiente de trabalho e incentivo aos estudos
são fundamentais para manter
os profissionais engajados. A
rotatividade na empresa é pequena, devido, segundo a diretoria, pelo ambiente de trabalho e o bom relacionamento
entre os colaboradores.
Os novos contratados são
escolhidos através do banco
de dados de uma empresa da
área de recursos humanos.
O treinamento acontece na
empresa. Os funcionários que
não têm cursos técnicos são
encaminhados para o Senai
com bolsa de 50% e outros que
já são técnicos recebem bolsa
também do mesmo valor.
A Mill Serras fabrica máquinas para madeireiras. E
ainda lâminas de serras na
linha madeireira, açougues
e marcenaria. Com os equipamentos vendidos pela Mill
Serras, há uma economia de
20% na matéria-prima, na
produção de madeira. Para
melhorar os produtos a empresa investe em modernização da fábrica de serras e
lâminas.
As máquinas e serras são
comercializadas em toda a
América Latina e na África do
Sul. Possui mais de três mil
clientes.
Fundada pelo empresário
Armando de Zorzi, em 1996,
está entre as maiores do setor
no Brasil. No início ocupava
uma área de 200 metros quadrados e tinha apenas quatro
funcionários, hoje são mais de
100 colaboradores que trabalham numa área de mais de 7
mil metros quadrados.
Produto: Máquinas para madeireiras, serras e lâminas.
Mercado: Atua em toda a América Latina e na África do Sul.
Tempo: 16 anos
Investimento: A empresa tem um planejamento de investir R$ 13 milhões
nos próximos 5 anos.
Futuro: Pretende crescer ainda mais, melhorar o parque fabril, reformar a
área existente, construir uma fábrica nova para a unidade de serras, ampliar
a área do parque fabril de caldeiras e secadores.
Endereço: Rua José Gayoso Neves, 200, Bairro Ferrovia, Lages, SC.
Telefone: (49) 3221-6200.
Minusa, foco nos colaboradores
39
Site: www.mill.com.br
40
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 41
41
42
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Supermercados
Setor deve
crescer 5%
em 2012
E
m Santa Catarina a expectativa de crescimento para
o setor de supermercado é
de 5% em 2012, em relação a 2011.
O dado é da Associação Catarinense de Santa Catarina (Acats).
No acumulado dos oito primeiros
meses do ano foi registrado um
crescimento de 6,33%. É o litoral
que impulsiona o incremento nos
números.
“A região cresce muito e impulsiona todo o resto do estado”,
explica o vice-presidente da entidade na região, Jackson Martendal. Desde 1950, quando iniciou o
setor supermercadista no Brasil,
só há desenvolvimento. E, isso se
deve ao fato de que alimentação é
uma necessidade básica. Mesmo
com alta nos alimentos as pessoas
não deixam de comprar.
Depois da metade do ano, por
exemplo, foi repassada aos consumidores a alta dos preços da carne, de frango e suíno. E a carne,
está entre os itens mais vendidos,
junto de hortifrutis e padaria.
Martendal explica que antes o
segmento só precisava oferecer
os produtos com um preço bom,
hoje a exigência é maior. “É preciso qualificar os funcionários para
melhor atender o cliente e ter produtos de qualidade”, comenta.
O setor de supermercados
é um dos grandes geradores
de emprego, com mais de 500
empresas integrantes da Acats,
2.100 estabelecimentos, são 60
mil colaboradores em todo o
estado. Além dos empregos diretos, há muitos indiretos. Hoje
o problema da mão de obra, enfrentado pelos administradores
do setor em todo o Brasil, é que
o supermercado virou apenas
o primeiro emprego. Segundo
Martendal, ninguém quer seguir
carreira em mercado. No que se
refere à qualificação dos funcionários hoje já há MBA na área, e
cursos para as funções menores,
que são oferecidos periodicamente pela Acats. O diretor acredita que para mudar o problema
da alta rotatividade é necessário
oferecer melhores salários e condições de trabalho.
A
rede de supermercados
que nasceu em Criciúma,
e que em 2013 fará 55
anos, mantém 9.175 colaboradores, que trabalham nas áreas
operacionais de supermercados,
farmácias e postos, setores administrativos e corporativos.
Para treinar um número tão
expressivo de colaboradores,
dispõe de diversas formas de
treinamento. O ‘Tomada de Posto’ é um programa constituído
por manuais com roteiros de
atividades e procedimentos do
setor e por treinamento prático com o acompanhamento da
chefia e com a condução de um
colega que é o padrinho do novo
funcionário.
O ‘Escola de Perecíveis’, para
funcionários e específico para
lideranças, tem o objetivo de
manter o padrão na produção e
no atendimento nos setores de
perecíveis.
A empresa tem ainda o Trainee, que envolve alguns meses
de estágio e formações comportamentais, que preparam o
recém-formado a atuar em cargo estratégico em determinada
área.
O ‘Escola de Vendas é ministrado por fornecedores que tra-
Angeloni se instalou em Lages em 1986
zem as novidades de mercado
para os vendedores das lojas.
O ‘Desenvolvimento de
Lideranças’ é focado nos colaboradores recém-contratados
ou promovidos para cargos de
chefia.
O Angeloni é destaque na
responsabilidade social da
mão de obra. Através do programa de contratação de profissionais da terceira idade e
de pessoas com necessidades
especiais e do menor aprendiz.
Produto: Gêneros alimentícios, produtos de limpeza e
higiene, eletroeletrônicos, eletrodomésticos e vestuário.
Colaboradores: 9.175 em
toda a rede
Mercado: A rede está em várias cidades de Santa
Catarina e do Paraná.
Endereço: Rua Frei
Rogério, 577, Centro,
Lages, SC
Tempo: 54 anos.
Futuro: O Angeloni é hoje a maior empresa varejista
em Santa Catarina, a 3ª da Região Sul e a 8ª no país.
É uma das 150 melhores empresas para se trabalhar
no Brasil eleita pela Revista Você S/A Exame.O plano
de expansão do Angeloni contempla uma nova loja
em Londrina (PR) em novembro deste ano, outra na
mesma cidade no segundo semestre de 2013, uma nova
unidade em Maringá (PR). Outros projetos em fase de
conclusão são mais duas lojas em Santa Catarina, uma
no Kobrasol (São José) e Itapema (Porto Belo).
Telefone: (48) 3461-7500
Site: www.angeloni.com.br
42
43
Supermercados
43
sete dias e até sete meses para
os cargos de liderança. O Bistek
tem parceria com pelo menos
uma faculdade em cada região
que atua.
Plano de carreira, vale transporte, almoço, planos de saúde,
espaço café, sala de descanso,
biblioteca e festas de aniversário, são alguns dos exemplos
que valorizam e incentivam a
fidelidade do colaborador com a
empresa.
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
M
esmo sendo adolescente em Lages, ele é um
dos maiores. A rede de
supermercados Bistek iniciou
suas atividades na cidade, em
6 de fevereiro de 1996. Foi a segunda loja fora da região natal,
que é Cocal do Sul, na região
Sul de Santa Catarina. Tudo
começou com a aquisição de um
antigo supermercado, o espaço
passou por reformas e recebeu
novas tecnologias. Foi pioneiro
em várias ações, como o primeiro a ter caixas informatizados e com sistema de pesagem
de produto nos caixas. Também
foi o primeiro em Lages a ter
panfleto semanal e a entregá-lo
na casa do cliente.
Desde então, seu desenvolvimento não parou. No Estado
a rede conta com 13 lojas, um
depósito, uma central de frios e
um frigorífico próprio. “Somos
o terceiro maior faturamento
em varejo de Santa Catarina”,
destaca o gerente de uma das
unidades, Robson Fonseca.
Trabalha com cerca de 20 mil
itens distribuídos nas seções
de açougue, frios, hortifrutigranjeiros, padaria, mercearia,
eletro, bazar e têxtil, higiene
pessoal e limpeza, além de produtos da própria marca, a Naco.
A empresa conta com 200
colaboradores em Lages e 2,8
mil em todo o Estado. Toda a
mão de obra é formada dentro
da própria empresa por instrutores e líderes de cada loja.
Para funções operacionais, os
funcionários passam por um
treinamento que dura em média
Produto: Higiene pessoal e limpeza, frios,
hortifrutigranjeiros, padaria, mercearia,
eletro, bazar e têxtil, além de produtos da
própria marca, a Naco.
Mercado: A rede está distribuída em oito
regiões do Estado. Joinville, Blumenau,
Brusque, Grande Florianópolis, Criciúma,
Cocal do Sul, Nova Veneza e Lages.
Importa diretamente e exclusivamente
linha de azeite de oliva, vinhos e produtos
de bazar.
Tempo: 16 anos.
Investimento: Aumento do quadro de
funcionários, reforma da loja e construção
de uma nova loja em São Joaquim.
Opção é o que não falta na rede Martendal
Futuro: Investimentos nas lojas em toda
a rede e nos processos para melhorar a
relação com o cliente.
Colaboradores: 200 em Lages e 2,8 mil
em Santa Catarina.
Endereço: Avenida Luiz de Camões, 795,
Bairro Coral, Lages, SC.
Telefone: (49) 3223-1132
Site: www.bisteksupermercados.com.br/
E
m 1977, Jackson Martendal iniciava seu próprio negócio, uma pequena mercearia na Avenida
Marechal Floriano. Filho de
comerciantes, o empresário
tinha a intenção de ampliar
seu comércio e, anos depois,
adquiriu um terreno na rua
São Joaquim. Em uma área
de venda de 2,6 mil metros
quadrados, os mais de 220
funcionários trabalham para
oferecer agilidade, facilidade
e conforto ao cliente na hora
da compra. Capacitados após
a contratação, sob supervisão
de uma equipe profissional da
própria empresa, os funcionários depositam sua confiança
na rede Martendal, pois são
valorizados com remuneração
salarial e apoiados com planos de carreira.
Para o empresário, variedade é o “carro chefe” da marca
que conta com 15 a 20 mil
produtos oferecidos, entre
alimentícios, limpeza, higiene pessoal, bazar, açougue e
padaria. Segundo ele, o cliente quer entrar na loja e ter
opções para escolher. A rede
oferece desde produtos artesanais, nacionais, importados
e até exclusivos da marca,
como chocolate, vinho e azeite
de oliva.
A loja, totalmente revita-
lizada e ampliada, oferece
ampla área para congelados,
principal produto procurado
pelo consumidor. Toda essa
preocupação resulta na fidelidade que seus clientes depositam à rede Martendal. “Possuímos clientes fiéis há mais
de 30 anos”, afirma o empresário, Jackson Martendal.
Produto: Gêneros alimentícios,
produtos de higiene e limpeza, utensílios
domésticos.
Mercado: Lages
Tempo: 35 anos.
Investimento: Modernização e ampliação
da loja com ampla área de congelados.
Futuro: Expansão dos negócios e
planejamento para a sucessão de seu
filho, que já administra o supermercado
em parceria com o empreendedor.
Colaboradores: Mais de 220.
Endereço: R. São Joaquim, 1079, Bairro
Copacabana, Lages, SC.
Telefone: (49) 3289-1134.
Site: www.supermartendal.com.br/
44 - Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012
44
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 45
45
Supermercados
46
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
M
aurílio Marin & Cia
Ltda (Supermercados
Alvorada) iniciou suas atividades em 1968. Como
na família Marin, o comércio
foi passado por gerações, a
primeira loja adquirida pelo
empreendedor Maurílio foi em
1973, localizada na rua Marechal Deodoro.
Por um processo de incorporação, passou a integrar a
Organização Mercantil Achyles
Marin S/A e também (além do
supermercado) explorar o comércio de produtos agrícolas e
veterinários.
Em 1995, através de um
processo de cisão, retornou
à razão social Maurílio Marin & Cia Ltda e focou em suas
atividades de origem em novos
endereços, nas avenidas Castelo Branco e Presidente Vargas,
onde permanecem até hoje. A
rede trabalha com gêneros alimentícios, produtos de higiene
pessoal e limpeza, hortifruti-
granjeiros, padaria, açougue,
entre outros, vendidos para
clientes de Lages e Serra Catarinense. Recentemente, a
matriz, no bairro Universitário, foi reformada e ampliada.
Foram investidos também em
atualização de equipamentos,
manutenção e troca de sistema.
No final do ano, a rede trocará sua filial de endereço, para uma área de 1,8 mil metros
quadrados com amplo estacionamento.
Mais de 140 pessoas são
contratadas pela empresa.
Homens e mulheres de diversas idades, entre 16 e 73 anos.
Além dos procedimentos básicos de contratação e preparação para os cargos, ao longo do
tempo, os colaboradores recebem treinamentos para setores
específicos e assessoramento
sobre regras e deveres do funcionário, bem como assuntos
gerais (finanças, problemas
pessoais, entre outros).
Recentemente a loja da
Av. Duque de Caxias foi
totalmente reformada
C
Produto: Gêneros alimentícios,
principalmente.
Mercado: Lages e Serra
Catarinense.
Investimento: Atualização de
equipamentos, manutenção e
troca de sistema.
Futuro: A rede trocará sua filial de
endereço e contará com amplo
estacionamento.
Colaboradores: 142.
Endereço: Av. Marechal Castelo
Branco, 21, Bairro Universitário,
Lages, SC.
Telefone: (49) 3251-6333.
Site: www.superalvorada.com.br
omercializar produtos e
prestar serviços de ótima
qualidade. Esta é a filosofia
de trabalho da rede de supermercados Myatã, que há 68 anos atua
em Santa Catarina e desde 1976
em Lages.
Para garantir essa excelência,
a marca investe na qualificação
de mais de 500 colaboradores
com treinamentos sobre o manuseio dos produtos, exposição nas
prateleiras, limpeza, validação e
manipulação de alimentos. A rede
preocupa-se em oferecer cursos,
palestras e reuniões com a equipe
completa para manter o espírito
colaborativo de todos, além é claro, de cumprir com todas as obrigações trabalhistas e oportunizar
ainda a conclusão dos ensinos
fundamental, médio e superior,
subsidiando parte dos custos.
Tantos incentivos assim resultam no sucesso da rede Myatã.
“Não importa a função, se o funcionário investir na carreira terá
condições de crescer. Para se ter
uma noção, dos nove gerentes, oito
começaram sua vida profissional
na empresa, os quinze encarregados de loja todos têm como primeiro emprego o Myatã”, destaca
o diretor comercial, Pedro Dirceu
Ceron.
Atualmente, a empresa conta
com nove supermercados no Estado, sendo seis em Lages, dois em
Curitibanos e um em Porto Belo.
Há a intenção de expansão da rede
e a empresa está realizando estudos, porém nada está definido.
Neste ano, em agosto, a loja,
localizada na Avenida Duque de
Caxias, foi reinaugurada. A empresa investiu em modernização
e ampliação da área de vendas e
estoque.
Para 2013, há projetos de ampliação e reforma da loja na rua
São Joaquim. E se surgir oportunidade, abrir outra filial.
Produto: Gêneros alimentícios,
bebidas, higiene pessoal e limpeza,
utensílios domésticos e bazar.
Mercado: Serra Catarinense e litoral
de Santa Catarina.
Tempo: 68 anos.
Investimento: Reforma e
ampliação da loja na Rua São
Joaquim em 2013.
Futuro: Buscar inovação e manterse competitiva no mercado. A rede
pretende investir na modernização
das lojas e expansão para outras
cidades.
Colaboradores: 510.
Endereço: Av. Papa João XXIII,
1111, Bairro Ipiranga, Lages, SC.
Telefone: (49) 3221-2400.
Site: www.supermyata.com.br
46
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
47
Lages é um dos principais
distribuidores de autopeças
para o Sul do Brasil
Veículos e
Autopeças
E
sse foi um ano de vendas significativas para os veículos
novos no estado. O mês de
outubro teve um aumento de 31,10%
em comparação com setembro e
no que se refere a outubro de 2011,
o acréscimo de 11,32%. Na Serra
Catarinense o aumento foi 31,72%
em comparação com o mês anterior,
um salto de 845 unidades vendidas,
para 1.113 no mês de outubro. Em
comparação com o mês de outubro
do ano anterior registrou o maior
crescimento das regiões, com um
aumento de 18,03%. A frota em Lages é de quase 90 mil veículos.
Os incentivos do Governo Federal que baixam os preços e a facilidade de financiamento fazem com
que os carros novos sejam os preferidos da população. Se o setor de
veículos está aquecido, o de autopeças vive um momento de reformulação. Por outro lado, os revendedores de usados tiveram prejuízos
por conta da medida do governo da
redução de IPI. O mercado está se
estabilizando, mas ainda existem
dificuldades em financiamentos de
seminovos.
A proporção no aumento do número de veículos novos não representa a quantidade de reparações e
de peças vendidas. Segundo o primeiro secretário da Associação dos
Reparadores de Veículos do Planalto
(Assorveplan), Cláudio Roberto Esteves de Carvalho, há 12 anos, Lages
tinha 45% da frota atual (cerca de
40 mil veículos) e o movimento nas
oficinas era grande. A idade média
dos automóveis que circulam na
cidade na atualidade não é o mesmo
dos que rodavam há 10 anos. Carros
mais novos requerem menos manutenção e poucos reparos. Outro fator
que diminui o movimento no setor,
é que as estradas estão melhores do
que há 20 anos quando o setor vivia
seus melhores dias.
As empresas de peças estão se
fundindo. Recentemente uma rede
de Lages comprou uma empresa
tradicional do setor. “Não surgiram
novas empresas de autopeças, as
que existem estão se juntando a
redes ou sendo compradas”, expli-
ca. Segundo o representante da Assorveplan, o estado e a região estão
seguindo os modelos americano e
europeu.
“Outro motivo é que o brasileiro
não tem cultura de manutenção preventiva. Temos uma pequena mudança com as mulheres que estão
entrando no mercado agora. Elas
têm mais atenção em relação a isso”,
comenta. O faturamento das oficinas caiu, especialmente pela tecnologia avançada, que faz com que os
carros tenham menos manutenção.
Na Europa já tem veículos com capô
lacrado. Mas Carvalho afirma que
oficinas e lojas de autopeças sempre
vão existir, assim como o jornal papel em relação à internet.
J’ADOR E C I T R OËN
O
grupo fundado em julho de
2001 pela família Füchter
reúne no Estado as concessionárias Le Monde Citroën
e Sekai Mitsubishi que formam
um dos cinco maiores grupos do
segmento automotivo de Santa
Catarina. A Le Monde possui uma
área de cobertura em quase todo o
Estado, menos o Oeste, enquanto
que a Sekai Mitsubishi, atende na
grande Florianópolis.
Hoje, a Le Monde é uma das
principais concessionárias Citroën
do país, e tem aproximadamente
5% do mercado de carros de Santa
Catarina. Uma marca expressiva,
uma vez que nacionalmente a Citroën detém 2,5% deste mercado.
A empresa possui lojas em
Florianópolis, Blumenau, Joinville, Criciúma, Itajaí, Balneário
Camboriú, Lages, Jaraguá do Sul
e Tubarão. Além disso, possui um
grande Centro de Distribuição e
de Carroceria, em Palhoça.
As concessionárias Le Monde
são completas, disponibilizando
veículos novos e usados, grande
estoque de peças de reposição e
amplas oficinas para prestação
de serviços de assistência técnica
autorizada. Comercializam toda
a gama de produtos Citroën e
47
Produto: Veículos
novos e usados.
Mercado: Toda
Santa Catarina.
Tempo: 11 anos.
Futuro: Aumentar o
número de lojas.
Colaboradores:
390 funcionários no
grupo. Desses, 20
em Lages.
Endereço: Av.
Duque de Caxias,
1229, Bairro Frei
Rogério, Lages, SC.
Telefone: (49) 39076300.
Site: www.lemonde.
com.br
Marca francesa é uma das principais do Brasil
oferecem facilidades como financiamento direto ao consumidor,
seguros para automóveis, além de
uma completa linha de acessórios
originais Citroën.
O sucesso da empresa é reflexo
do comprometimento e profissionalismo de seus funcionários.
Os treinamentos são uma prática muito ativa dentro do grupo.
De acordo com a Assessoria de
Imprensa da Le Monde, o treina-
mento é considerado um grande
incentivo para o funcionário
permanecer na empresa, além da
promoção de funcionários que se
destacam no desempenho de suas
funções.
Veículos e Autopeças
48
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Produto: Veículos novos,
seminovos e assistência técnica.
N
os últimos três anos, a
Rede SuperAuto obteve a
redução da rotatividade
de colaboradores. O treinamento e a capacitação desenvolvidos
pela rede garantiram uma equipe
integrada e focada nas vendas
de veículos novos e seminovos,
cujos colaboradores são treinados para oferecer excelência no
atendimento.
Tais treinamentos e capacitações são realizados semanalmente
para cerca de 470 funcionários
das 12 lojas da rede, sendo uma
revenda de seminovos, cinco com
a bandeira Ford e seis com a bandeira Chevrolet. Na filial de Lages/
SC atuam 53 colaboradores, entre
eles,14 vendedores de veículos.
A gestão da empresa adota uma
política que prioriza a promoção
dos contratados, através da qual
muitos vendedores e funcionários
do pós-vendas já foram promovidos a gerentes e cargos de chefia.
“A prioridade é por funcionários
da rede, caso contrário abrimos
vagas para contratação”, explica Franco Carlos Silva, diretor
comercial regional de Santa
Catarina.
Para tanto, a rede mantém um
banco de dados com currículos
Mercado: Atua no Rio Grande
do Sul, Santa Catarina e Distrito
Federal.
Tempo: 26 anos de rede
SuperAuto e 9 anos em Lages.
Investimento: Construir,
em 2013, duas novas
concessionárias em Lages,
sendo uma no terreno em frente à
loja atual, na Av. Dom Pedro II.
Futuro: A cada ano, construir
duas novas concessionárias em
Santa Catarina.
Colaboradores:
Aproximadamente 470 em toda a
rede e 53 em Lages.
Endereço: Avenida Dom Pedro II,
764, Bairro São Cristóvão, Lages,
SC.
Telefone: (49) 2102-2000.
Site: www.redesuperauto.com.br
SuperAuto quer construir duas novas concessionárias a cada ano
e cada região possui uma pessoa
responsável no Departamento de
Recursos Humanos. A primeira
concessionária da rede em Lages
foi inaugurada em dezembro de
2003, embora já mantivesse uma
loja de seminovos na Grande Flo-
rianópolis, desde 1986.
Parceira da Argentina na montagem de alguns carros da linha
Ford, a rede SuperAuto fornece
toda a assistência necessária ao
cliente, desde o primeiro contato até o atendimento no pós-
vendas.“Nosso foco está em satisfazer nossos clientes e fidelizá-los
com a marca SuperAuto Ford,
oferecendo produtos e serviços de
qualidade e mantendo a transparência em todas as negociações acima de tudo”, define Franco.
48
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 49
49
Veículos e Autopeças
50
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
C
om equipe especializada,
a Disauto Autopeças tem
seu quadro de funcionários
constituído em sua maioria por
vendedores. Dos 137 funcionários,
70 são vendedores, das quatro
lojas, nas cidades de Lages, Joaçaba, Itajaí e Tubarão. São profissionais que atendem nas lojas, por
telefone, ou onde está o cliente,
com a venda externa.
Segundo o diretor, e também
fundador da empresa, João Gomes, a rotatividade é baixa, e
há colaboradores que estão na
empresa desde sua fundação, há
25 anos. “Os funcionários podem
se especializar em autopeças e
os que são dedicados conseguem
uma remuneração muito boa”,
explica.
Com o crescimento da empresa, novos funcionários são contratados, e todos antes de terem
contato com os clientes passam
um tempo no estoque para conhecerem o produto, ou seja, as peças
que vão vender. A Disauto aproveita o banco de dados da Câmara
de Dirigentes Lojistas (CDL) para
fazer a seleção. Para os colabora-
Disauto é
excelência em
autopeças
dores da empresa são oferecidos
em média oito treinamentos por
ano, com fornecedores que apresentam novidades do setor, além
da participação nas palestras
organizadas pela CDL. “Nosso foco é o cliente, por isso buscamos
sempre melhorar o atendimento”,
garante o diretor.
A Disauto faz parte da Associação dos Reparadores de Veículos do Planalto (Asorveplan)
e a Associação dos Reparadores
Automotivos do Meio Oeste Catarinense, em Joaçaba.
Produtos: Autopeças.
Mercado: Lojas de autopeças,
oficinas mecânicas e
transportadoras de Santa
Catarina, Rio Grande do Sul e
Paraná.
Tempo: 25 anos.
Investimento: Adquiriu em
outubro uma nova empresa,
também do segmento de
autopeças, com filial no Mato
Grosso e Paraná. Futuramente
será agregada à Disauto.
Inauguração da nova loja da filial
em Itajaí, na BR-101, km 119.
Futuro: Construção, em
Lages, no próximo ano, de uma
central de distribuição com
aproximadamente 10 mil metros
quadrados.
Colaboradores: 137.
Endereço: Av. Luis de Camões,
987, Coral, Lages, SC.
Telefone: (49) 3251-1933.
Site: www.disauto.com.br
A
Translages é umas das
mais antigas empresas da
cidade. Desde 1968 é representante da Chevrolet em Lages e
região. Com uma história consolidada pelos produtos e serviços de
qualidade oferecidos aos clientes,
a Translages direciona seus esforços ao treinamento e qualificação
de pessoal.
Somente no ano de 2012, a
concessionária foi anfitriã de dois
cursos da própria montadora,
recebendo técnicos de toda Santa
Catarina para atualização profissional. Além disso, constantemente, colaboradores são enviados para treinamento em outras cidades.
“Enviamos nossos consultores e
técnicos para São Paulo, Curitiba
e Porto Alegre para cursos diretamente da fábrica ou de parceiros”,
diz o diretor da Translages, Michel Joest Khater.
A empresa também mantém
convênio com o Programa Menor
Aprendiz do Senac, oferecendo
oportunidades a jovens com idade
entre 15 e 18 anos, os que se sobressaem são contratados. Atualmente, três colaboradores entraram na empresa pelo programa.
Mão de obra especializada, o
constante aprimoramento dos
Equipe qualificada é garantia de satisfação do cliente
serviços e atendimento refletemse nos números. Desde 2009 a
Translages é líder de vendas na cidade de Lages e esse número tende a aumentar devido aos grandes
lançamentos da Chevrolet no ano
de 2012. Foram sete novidades até
o momento, Sonic hatch e sedã, a
minivan Spin, Cobalt com motor
1.8, a nova S10, Cruze Sport6 e o
recente Onix. Até o final do ano
também estará chegando a Chevrolet TrailBlazer.
Produto: Venda de veículos
novos, seminovos, peças,
acessórios, oficina mecânica,
funilaria e pintura.
Mercado: Toda a região da
Amures.
Tempo: 44 anos em Lages.
Investimentos: Constantes em
infraestrutura, equipamentos,
treinamentos e qualificação da
mão de obra.
Futuro: Cada vez mais aprimorar
a qualidade de atendimento e dos
serviços prestados, aproveitando
as inovações dos lançamentos da
Chevrolet.
Colaboradores: 83.
Endereço: Av. Presidente Vargas,
1116, São Cristóvão, Lages, SC.
Telefone: (49) 2101-8000.
Site: www.translages.com.br
50
A
o longo do dia, vivenciamos e usamos vários
tipos de serviço, sejam
eles produtivos (seguro, serviços bancários, jurídicos,
corretagem e comunicação), de
distribuição de bens (comércio,
transporte e armazenagem), sociais (educação, saúde e lazer) e
pessoais (restaurantes, salão de
beleza, hotelaria), entre outros.
O setor de serviços, que corresponde à venda de produtos
e aos serviços comerciais é um
dos principais responsáveis pela economia lageana.
A diminuição do número
de desempregados reflete no
aumento da massa salarial, na
renda das famílias e, por consequência, na última ponta da
cadeia, estimula o consumo.
O comércio catarinense conta com 132 mil estabelecimentos das mais diversas naturezas
e emprega 260 mil pessoas. A
receita bruta anual é de mais
de R$ 40 bilhões. Em 2011, a
taxa de crescimento do volume
de vendas do comércio varejista
ampliado foi de 7,8%.
Último estudo da Federação
das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) indica que na Serra
Catarinense o número de trabalhadores no comércio passa
de 13 mil e no setor de serviço,
são mais de 23 mil
trabalhadores.
Uma fatia dessa economia
é gerada na maior cidade da
região. Atualmente, mais de
três mil comerciários movem
esta engrenagem que tem perspectiva de dobrar o número de
estabelecimentos de empregos,
puxados pela implantação de
dois shoppings centers de grande porte e um shopping a céu
aberto.
Lages é uma das cidades
mais promissoras de Santa Catarina. Só no ramo de comércio
de confecções e calçadistas são
1.515 colaboradores trabalhando pelo desenvolvimento da
cidade.
Mais de R$ 70 milhões. Este
é o valor que o comércio varejista de Lages contribuiu no
último ano para impulsionar a
economia local só na geração
de valor adicionado. O comércio atacadista de produtos alimentícios deu sua parcela com
outros R$ 50 milhões.
Outro município da região
que move para frente a economia do Estado é Anita Garibaldi. Responsável por mais de R$
2,5 milhões do valor adicionado
de Anita Garibaldi, o comércio
varejista cresce e já emprega
dois mil trabalhadores. Somado
ao comércio de combustíveis,
representantes comerciais e
agentes do comércio, as negociações no varejo respondem
por mais de 25% de toda riqueza do município. Em toda a sua
extensão existem mais de 260
estabelecimentos cadastrados
como pessoa jurídica.
No perímetro urbano são
mais de 1,1 mil pessoas ocupadas e a movimentação do
comércio ocorre principalmente pelas demandas de consumidores de municípios como
Esmeralda (RS), Abdon Batista,
Cerro Negro, Celso Ramos e
Pinhal da Serra (RS).
51
R
A
Obradec é uma empresa genuinamente familiar, com
o empresário Valmir Ramos na direção, sua esposa
Maria Clara, seus filhos Ricardo e Rossana na administração e com seus 68 colaboradores diretos e aproximadamente 800 indiretos formam a família “Obradequiana”.
Estamos ampliando nossa empresa em mais 4.600m²,
perfazendo um total de 12.000m² de área para armazenar
mais mercadorias, tornando a logística ainda mais ágil. A
entrega da obra está prevista para março com perspectivas
de uma grande inauguração em meados de 2013.
A capacitação de novos funcionários acontece através de
entrevistas, palestras e treinamento prático nas obras. A
empresa possui em suas instalações, local apropriado para
dar todo o suporte na integração, evolução, aptidão e conhecimentos necessários ao futuro colaborador.
O grande sucesso no mercado dos pisos ForthArt®
(PVC em réguas e em placas) trouxe a necessidade de ampliarmos a coleção, que possui agora, a linha Premium e
Home 2mm com 9 cores, Office 3mm com 9 cores e Stilo
3mm com 6 cores. A coleção é a mais completa no mercado
com 33 padrões. Conseguimos unir qualidade e beleza em
um só produto e ainda com preços extremamente competitivos.
No próximo ano, lançaremos o piso ForthArt® clicado,
sem o uso de cola, com apenas um click para encaixe. Distribuído em 4 linhas: Smart, Seletto e Premiere 4mm e Impacto 5mm, cada uma com 5 cores. Facilidade e praticidade
fazem do piso clicado a última palavra em revestimentos.
A Obradec é o maior centro de distribuição de revestimentos para piso do sul do Brasil!
Comércio é o principal propulsor do
desenvolvimento econômico
Obradec: uma grande família
Produto: Revestimento.
Mercado: Rio Grande do Sul,
Santa Catarina e Paraná, ainda
São Paulo, Rio de Janeiro, Minas
Gerais, Goiás e Distrito Federal.
Tempo: Desde 1975.
Investimento: Ampliação da
empresa em mais 4.600m²,
perfazendo um total de 12.000m²
de área para armazenar mais
mercadorias, tornando a logística
ainda mais ágil.
51
Futuro: No próximo ano,
lançamento do piso ForthArt®
clicado, sem o uso de cola, com
apenas um click para encaixe.
Colaboradores: 68.
Endereço: Rua Mateus
Junqueira, 130, Santa Helena,
Lages, SC.
Telefone: (49) 3251-4800.
Site: www.obradec.com
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Comércio e
Serviços
R
52
53
Comércio e Serviços
que trabalham de maneira
comprometida para oferecer
soluções diferenciadas e o
melhor preço ao cliente.
A empresa também
tem preocupação social. A
Campanha Troco Solidário
Havan foi instituída em
2010 e é um sucesso graças
à participação dos clientes.
Neste ano, até o momento,
já foram arrecadados mais
de R$ 400 mil em todas
as filiais da rede no Paraná, Santa Catarina, Mato
Grosso e São Paulo. A meta
é chegar a R$ 500 mil até
o final do ano e o total arrecadado, em cada cidade
onde a rede possui lojas,
será entregue às entidades
cadastradas.
Em Lages, a ação da Havan arrecadou no primeiro
semestre R$ 20 mil, que
foram doados ao Hospital
Infantil Seara do Bem. Para
a segunda metade do ano,
a entidade escolhida para
participar da ação é a Casa
de Apoio a Pessoas com
Câncer Maria Tereza.
Produto: Mix de mais de 100 mil itens
de produtos nacionais e importados, nos
setores de moda (feminina, masculina, infantil,
fitness, praia e íntima), artigos de cama/mesa/
banho, eletrodomésticos/eletroeletrônicos,
tapetes/cortinas, decoração, brinquedos,
bazar, camping, entre outros.
Mercado: A rede, formada por 50 lojas nos
Estados de Santa Catarina (onde também está
a matriz, em Brusque), Paraná, Mato Grosso
e São Paulo, emprega hoje, cerca de sete mil
pessoas.
Tempo: 26 anos.
Investimento: Para o próximo ano, a Havan
está realizando um balanço social das
atividades oferecidas até então, e a previsão
é um investimento em torno de 20% maior em
relação a 2012.
Futuro: A Havan tinha previsão de chegar
ao final deste ano com 50 megalojas
em operação em diversas regiões do país.
Esta meta foi alcançada com as inaugurações
de Várzea Grande (MT), Itapema (SC) e
Limeira (SP). Para Luciano Hang, diretorpresidente da Havan, “o planejamento da
rede foi renovado e a partir de 2013 vamos
trabalhar para chegar em 2015 com 100 lojas
em todo o Brasil”.
Endereço: Rua Correia Pinto, 166, Centro,
Lages, SC.
Telefone: (49) 3221-0600. Site: www.havan.com.br
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
O
município de Lages
tem a presença da
rede Havan desde
2008, quando foi inaugurada a loja da rua Correia Pinto, bem no centro da cidade.
Atualmente, 140 colaboradores trabalham na filial da
Serra Catarinense. A Havan
é considerada a rede de lojas de departamentos mais
completa do Brasil e suas
megalojas têm tamanhos
que chegam a 30 mil metros
quadrados.
Com 26 anos de história
e em constante crescimento no mercado nacional, a
loja mantém um padrão de
qualidade quando o assunto
é atendimento. Os funcionários recebem, na própria
filial, treinamento especializado através de cursos
ministrados pelos fornecedores. Estas especializações
acontecem constantemente,
e contam com a parceria
de empresas terceirizadas,
quando necessário. Essa
trajetória de sucesso é escrita pelos colaboradores,
53
Havan tem
50 lojas
no Brasil
Comércio e Serviços
54
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Claro conta
com mais de
63 milhões
de clientes
A
Claro atua nacionalmente
e atende mais de 63 milhões de clientes, segundo
dados da Agência Nacional de
Telecomunicações (Anatel). A
operadora está presente em mais
de 3,6 mil municípios com as
tecnologias GSM e 3G Max.
Líder na oferta de conteúdos
e serviços inovadores, a Claro
possui acordos de roaming (conectividade em áreas fora da localidade geográfica) em mais de
160 países para serviços de voz e
em mais de 140 para tráfego de
dados, nos cinco continentes. É
controlada pela América Móvil,
um dos cinco maiores grupos de
telefonia móvel do mundo.
Inovação faz parte do DNA
da Claro, que trabalha constantemente para oferecer sempre
as melhores soluções para seus
clientes, em serviços ou produtos. Até o final deste ano, a
empresa terá investido R$ 3,5
bilhões e, até 2014, serão R$
6,3 bilhões investidos no país.
Um dos focos é possibilitar aos
usuários a transmissão de dados
em alta velocidade. Por conta
disso, a empresa investe constantemente em infraestrutura e
capacitou toda a sua rede para
3G Max. A operadora também se
prepara para adotar em breve a
nova tecnologia 4G.
A Claro oferece diversos serviços para clientes que desejam
transmitir dados com alta velocidade por intermédio de sua
rede móvel, por celular, pelo
computador, notebook ou palm,
com planos adequados ao perfil
de consumo.
A operadora também investe
sempre na melhoria de seus canais de atendimento. Exemplo
disso é o atendimento em libras
para surdos e por videochamada. A Claro também incentiva a
reciclagem de aparelhos eletrônicos e promove treinamento
constante de seus empregados,
parceiros e pontos de atendimento.
Produto: Telefone móvel, fixo,
internet e TV.
Mercado: Todo o Brasil.
Tempo: 9 anos.
Investimento: R$ 3,5 bilhões
em infraestrutura e capacitação
de toda a rede para 3G Max.
Futuro: Até 2014 investir R$ 6,3
bilhões.
Telefone: 1052.
Site: www.claro.com.br
H
á 54 anos atuando em
Lages e região, a empresa
Zago Ferragens e Materiais de Construção está sempre
inovando e otimizando seus processos operacionais, através da
ampliação e modernização de sua
estrutura, visando acompanhar
as exigências do mercado e dos
seus clientes.
Tendo um mix de produtos
que supera 22 mil itens, procura
sempre acompanhar novos lançamentos para satisfação total de
sua clientela, razão maior de todo
empenho de sua diretoria e de
seus colaboradores.
Fundada em 1958, caracterizase como uma empresa familiar,
que tem como postura e tradição:
o trabalho, a ética, a transparência, a seriedade, a honestidade e
a responsabilidade.
Contando com a colaboração
de 110 profissionais e com uma
carta de mais de 26 mil clientes
cadastrados as lojas Zago (matriz
e filial), oferecem uma ampla
área de vendas com toda linha no
ramo de ferragens, ferramentas,
tintas, materiais de construção,
metais, louças, cerâmicas, pisos,
elétrica e hidráulica e utilidades
domésticas. Sua maior preocu-
Zago, tradição em ferragens e materiais de construção
pação é “o bom atendimento ao
cliente”, ressalta seu diretor José
Carlos Zago. Para tanto são feitos
constantemente cursos de treinamento e aperfeiçoamento para
seus colaboradores.
Para manter a liderança do
mercado neste segmento a empresa tem como objetivo o lançamento de mais uma loja, moderna e ampla, buscando estar
à frente das tendências, sempre
com visão global e ação local.
Produtos: Ferragens,
ferramentas, tintas, materiais
de construção, metais, louças,
cerâmicas, pisos, elétrica e
hidráulica e utilidades domésticas.
Mercado: Atende toda a região da
Amures.
Futuro: Manter a liderança de
mercado.
Endereço: Praça Vidal Ramos
Sênior, 86, Centro, Lages, SC. Telefone: (49) 2101-2600.
Site: www.zagoferragens.com.br
Tempo: 54 anos.
Investimentos: Lançamento de
mais uma loja, moderna e ampla.
54
Comércio e Serviços
Votorantim, líder
na fabricação de
concreto no Brasil
Produto: Calçados.
Mercado: Região Sul.
Tempo: 54 anos.
Investimento: Reforma e
ampliação da loja em Lages.
Futuro: Conquistar novos
mercados dentro e fora de
Santa Catarina.
Colaboradores: Mais de 750
colaboradores.
Endereço: Rua Correia Pinto,
104, Lages, SC.
Telefone: (49) 3224-3837.
Site: www.pittol.com.br
Pittol Calçados há mais de 50 anos
satisfazendo e surpreendendo clientes
55
55
Os mais de 750 colaboradores trabalham diariamente para
manter a qualidade e o bom
atendimento, treinados de forma profissional na própria empresa. A Pittol busca capacitar
seus colaboradores constantemente para que, empregador e
empregado, cresçam juntos. “A
empresa valoriza muito os bons
profissionais. Sempre que abre
uma nova vaga para um cargo
superior é feita uma seleção interna”, afirma a gerente da loja
em Lages, Iracema Gaio.
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
C
onsolidando-se como
uma das redes de lojas de
calçados mais importantes do Sul do País. Com 23 lojas, de Florianópolis a Chapecó,
e também no Rio Grande do Sul
e Paraná, a Pittol, sediada em
Concórdia, consegue oferecer
uma ampla variedade de produtos.
O segredo de sucesso segue
a receita das grandes redes que
atuam no segmento popular.
Crediário eficiente, variedade
de produtos e atendimento de
qualidade.
A Pittol quer conquistar
novos mercados, dentro e fora
de Santa Catarina. A rede está
fazendo uma pesquisa de mercado para avaliar as potencialidades, mas sem tirar o foco da
fórmula que está fazendo sucesso: satisfazer e surpreender o
cliente com muita dedicação.
A história da rede de lojas começa em 1958, em Concórdia.
O casal Serafim e Hermelinda
Pittol decidiu investir no comércio de calçados. Nos anos
60 a Pittol já era a principal loja
de calçados de Concórdia. O espírito empreendedor do pai Serafim está no sangue dos filhos
que assumiram o negócio.
Em cada loja da rede, são
vendidos mais de cem mil pares
de calçados por ano. A rede toda vende cerca de dois milhões
de pares anualmente.
V
otorantim Cimentos é
atualmente uma das
dez maiores empresas
globais do setor, com forte
presença nacional e nas Américas. Em Lages está localizada uma filial da Engemix, que
é o Negócio Concreto da Votorantim Cimentos, sendo reconhecida como um dos maiores
nomes do segmento no Brasil
e há quatro décadas está presente nos principais canteiros
de obras do país. Ao todo,
possui cerca de 60 unidades
de produção de cimento, agregados e argamassas, considerando ainda 70 centros de
distribuição e 100 centrais de
concreto.
A empresa é líder na fabricação de concreto dosado em
central e opera mais de 90
centrais fixas espalhadas por
11 estados brasileiros, que oferecem as melhores soluções,
produtos e serviços. A capacidade de produção de concreto da Engemix é de quatro
milhões de metros cúbicos
por ano, o equivalente a cinco
estádios do Maracanã.
Um dos principais pilares
de sucesso de uma organização viva, forte e sustentável
como a Votorantim Cimentos
é o incentivo ao desenvolvimento humano. Com uma
moderna política de gestão de
pessoas, de âmbito internacional, a empresa proporciona
aos funcionários acesso a um
mundo que valoriza o desempenho, respeita as diferenças
e celebra as conquistas. Quem
integra o time de profissionais
da empresa trabalha em um
ambiente próspero, inclusivo e
saudável, permeado por uma
conduta ética e transparente. Participa de programas
de formação e qualificação
profissional robustos, com a
possibilidade de desenvolvimento de carreira no Brasil e
no exterior.
Produto: A Engemix comercializa mais
de 40 produtos, com destaque para as
marcas Votoran, Itaú, Poty, Tocantins,
Aratu, Votomassa, Matrix e Engemix.
Mercado: Na América do Norte opera
integralmente seis fábricas e 150
unidades de concreto e agregados
nos Estados Unidos e Canadá. Na
América do Sul, mantém relevantes
participações acionárias em unidades
na Bolívia, Chile, Argentina, Uruguai e
Peru.
Tempo: desde 1936.
Investimento: No Brasil, a empresa
consolida o maior investimento de
sua história: são R$ 5 bilhões em 22
novas fábricas, no período de 2007 a
2013. Ao final desta etapa, a empresa
terá 35 fábricas de cimento no País,
com destacada atuação em todas as
regiões.
Futuro: Até 2014, estão programadas
a inauguração e ampliação das
unidades de cimento em Cuiabá (MT),
Rio Branco (PR), Edealina (GO) e
Primavera (PA).
Colaboradores: A Votorantim
Cimentos tem 12 mil colaboradores.
Endereço: Rua Marlene Norcio de
Oliveira, 200, Parte B, São Paulo,
Lages, SC.
Telefone: (49) 3224-4499.
Site: www.engemix.com.br, www.
votorantim.com.br
Comércio e Serviços
56
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
LAR
INDÚSTRIA
CONSTRUÇÃO
C
om sete anos de atuação no mercado e 50
colaboradores diretos, a J Zago Center é hoje
uma das principais revendas de material de construção da Serra Catarinense.
Localizada na Avenida
Duque de Caxias, 1174, em
uma área de 12 mil metros
quadrados, com amplo
estacionamento próprio, a
J Zago Center disponibiliza aos seus clientes além
de toda linha de material
de construção, máquinas,
ferragens, ferramentas e
produtos para o lar, revendendo as principais marcas
do mercado.
Com uma administração moderna e dinâmica,
seguindo o exemplo de
dedicação e trabalho deixado pelo Sr Jaci Zago, seus
filhos, os empresários Janine e Luciano Zago estão
hoje à frente do negócio e
orgulham-se da empresa
genuinamente lageana que
contribui para o desenvolvimento da região.
Buscando sempre a excelência no atendimento
ao cliente, a empresa tem
J Zago Center, uma receita de sucesso
na variedade de produtos,
na forma facilitada de pagamento e na experiência
dos seus colaboradores os
principais pontos do seu sucesso. Aliado a isso a J Zago
procura manter-se atualizada, disponibilizando os
principais lançamentos e
seguindo as tendências de
mercado dos grandes centros.
“A grande variedade e
qualidade dos produtos
possibilitam ao cliente encontrar tudo o que precisa
em um só lugar, do início da
obra ao acabamento, com
conforto e economia“, reitera Janine.
Nos próximos meses a
J Zago Center estará ampliando a loja em mais 700
metros quadrados e implantando uma nova e moderna forma de atendimento, priorizando a agilidade e
o conforto do cliente.
Produto: Material de
construção, máquinas,
ferragens, ferramentas e
produtos para o lar.
Mercado: Lages e região.
Tempo: 7 anos.
Investimento: Ampliação
da loja.
Futuro: Implantar nova
forma de atendimento.
Colaboradores: 50
colaboradores.
Endereço: Av. Duque
de Caxias, 1174, Bairro
Sagrado Coração de Jesus,
Lages, SC.
Telefone: (49) 3221-6800.
Site: www.jzagocenter.
com.br
Oi, a marca
mais
lembrada
em diversas
partes do país
A
pós a privatização do
setor de telecomunicações no Brasil,
em 1998, surgiu a Telemar
(telefonia fixa), a primeira
empresa do atual grupo
Oi. Desde então, a empresa
deu um grande salto e com
a aquisição da Brasil Telecom, em 2009, a Oi passou
a atuar em todo o território
nacional.
Possui em seu time cerca
de 170 mil colaboradores,
entre trabalhadores diretos e terceirizados. A Oi
trabalha com gestão de
carreira, cujas principais
ferramentas são o processo
de recrutamento interno livre e uma estratégia de desenvolvimento profissional
que, além de orientar o autoconhecimento e desenvolvimento, mostra o caminho
para um bom planejamento
de carreira. Os programas
de desenvolvimento são
voltados para públicos diversos e abrangem todos os
colaboradores.
As ações pontuais referentes às competências
técnicas e ações de educação continuada somaram 280.567 horas de
treinamento, em 2011. No
desenvolvimento das competências técnicas, a Oi teve como destaque as ações
de educação à distância,
que somaram mais 60 mil
horas de treinamento, além
dos treinamentos voltados
para atualização das equi-
pes operacionais nos upgrades tecnológicos.
A Oi é uma das empresas que mais investem no
Brasil e, em 2012, será a
empresa de telecom que
mais alocará investimentos no país, cerca de R$
6 milhões. A Oi também
tem a música, a cultura e o
esporte como seus pilares
e investe em uma ampla
plataforma de eventos em
todo o país.
Produto: Telefonia fixa,
móvel, internet e TV por
assinatura.
Mercado: Todo o território
nacional.
Tempo: 14 anos.
Investimento: Até o final
do ano, pretende investir
cerca de R$ 146 milhões
no estado de Santa
Catarina. O valor será
aplicado na modernização
de toda a rede de telefonia
móvel 2G, 3G e banda
larga.
Futuro: Os investimentos
totais previstos pela
companhia somam R$
24 bilhões nos próximos
quatro anos. A maior parte
desses recursos está
sendo destinada a projetos
de expansão e qualidade
da infraestrutura de banda
larga.
Colaboradores: Mais de
170 mil.
Telefone: 1331.
Site: www.oi.com.br
56
57
Comércio e Serviços
58
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
O
Posto Palmeiras tem muita
história para contar na BR116. Como Lubrisen Combustíveis e Lubrificantes LTDA são
17 anos, vendendo combustíveis e
prestando serviços, sempre com a
bandeira Shell.
Localizado na saída de Lages
para Vacaria recebe clientes dos
mais distantes pontos do Brasil e
atende com muito carinho os bairros adjacentes, bem como a área
industrial. “Temos mais que clientes, temos amigos de longa data”,
relata o proprietário.
A equipe de colaboradores também faz a diferença. Os gerentes
Marcelo Baú, Marcelo Lima e
Paulo Fronza, que atuam há muitos anos no posto e fazem a linha
de frente, são excelentes no trato
com os clientes e muito eficientes
nas questões do dia-a-dia. Sem
contar a secretária Sólis, que há
17 anos faz parte da equipe e entende de cartas-frete como ninguém. “Temos percebido que boa
estrutura, qualidade nos produtos
e preço competitivo são requisitos
muito importantes no comércio,
mas é a equipe de colaboradores,
são as pessoas que nela atuam
que dão vida à empresa”, afirma o
Posto Pameiras, combustíveis de qualidade
proprietário.
O posto também conta com
quatro rampas de lubrificação,
diesel filtrado, controle de qualidade rigoroso do combustível pelo
programa DNA da Shell, comercializa diesel S50, que melhora a
performance do veículo, é ecologicamente correto e serve para motores a diesel fabricados a partir
de 2012, conta ainda com o cartão
Shell Santander que concede descontos reais em todos os produtos
do posto, do combustível à loja de
conveniência.
Clientes fiéis são valorizados na
troca da pontuação por brindes,
na compra do óleo Rímula ganham camiseta personalizada ou
toalha de banho exclusiva e muito
mais.
O seu projeto de expansão já
está delineado e em muito vai contribuir para tornar nossa cidade
ainda mais conhecida.
O maior compromisso e a grande responsabilidade do Posto Palmeiras é garantir combustível de
qualidade aos clientes.
“O Posto Palmeiras abastece
muito mais que combustível, abastece você de energia positiva, refresca seu motor e será sempre seu
apoio na estrada.” Este é o lema!
Mercado: Lages e região.
Produto: Lubrificantes, combustíveis e
loja de conveniência.
Tempo: 16 anos.
Investimento: Um plano de expansão
que contemple a modernização das
instalações.
Futuro: Realizar todos os projetos no
menor tempo possível.
Colaboradores: 25, a maioria na área
de pista.
Endereço: BR-116, km 248, Área
Industrial, Palmeira, SC.
Telefone: (49) 3226-0049.
E
m 21 anos de atuação, a Berlanda ostenta 191 lojas entre
Santa Catarina e Rio Grande
do Sul. Num dos segmentos mais
competitivos do varejo - eletrodomésticos, eletroeletrônicos, móveis e afins - a rede mostra como
é possível, com ideias inovadoras
e ações direcionadas, driblar as
adversidades e tornar-se uma das
principais redes do sul do país, referência entre os consumidores.
A expansão pelo interior, apostando no potencial reprimido de
consumo das pequenas cidades,
foi a estratégia adotada pela Berlanda para impulsionar seu crescimento. Os melhores resultados
da Berlanda estão nas camadas
mais populares. Financiando
consumidores das classes C e D, a
rede ganha um cliente fiel, que decide quanto vai poder pagar mensalmente e, por isso, pouco incorre
na inadimplência.
O diretor-presidente Nilso Berlanda trouxe de berço o espírito
empreendedor e seguiu o exemplo
da família, que tinha tradição na
indústria de móveis. O pai, Adelar Berlanda, era marceneiro e
trabalhava na fábrica de móveis do
irmão Alcides Berlanda. A determinação em abrir negócio próprio
em Curitibanos contou com o
apoio e incentivo do irmão Wanderley, que tinha inaugurado em
Chapecó, um ano antes, uma lo-
A empresa possui 191 lojas, mas mantém sua matriz em Curitibanos
ja que levava o nome da família.
Em 2010, a Berlanda iniciou as
atividades no ramo industrial, ao
inaugurar uma fábrica de estofados dentro da Penitenciária Regional de Curitibanos, empregando e
dando oportunidade de reintegração social para 80 apenados. O sucesso da iniciativa levou a empresa
a instalar a fábrica de móveis e
estofados Curitibanos, em julho de
2012, com investimentos de R$ 8
milhões e a criação de 100 postos
de trabalho.
Produto: Móveis, eletrodomésticos,
pneus e ferramentas pesadas.
Mercado: Santa Catarina e Rio
Grande do Sul.
Tempo: Desde 1991.
Investimentos: Em 2011, passou
a atuar no setor industrial com
a inauguração da fábrica de
móveis Curitibanos, embora não
tenha sido a primeira incursão
da companhia no setor fabril. Em
2010, Berlanda idealizou a fábrica
de estofados Catarina, instalada na
Penitenciária Regional de Curitibanos.
Futuro: Maior rede varejista
catarinense em número de lojas,
a Berlanda projeta inaugurar até
15 unidades em 2013. Até 2015, a
pretensão é estar presente em cada
um dos 295 municípios de SC.
Colaboradores: 1.800 diretos e 500
indiretos.
Endereço: Avenida Salomão Carneiro
Almeida, 276 Centro, Curitibanos, SC.
Telefone: (49) 3241-1333.
Site: www.berlanda.com.br
58
está presente em São Paulo e
atende clientes nacionais e
internacionais.
Os vinhos serranos estão
em condições ideais para sua
produção, devido à altitude
que se encontram os vinhedos.
A Vinícola Abreu Garcia, de
Campo Belo do Sul, se destaca
pela produção de uvas merlot,
malbec, pinot noir, cabernet
sauvignon, sauvignon blanc,
chardonnay e vermentino.
De Otacílio Costa, a Dynâmica Sistemas e Equipamentos
atua nos segmentos: siderúrgico, químico, petroquímico,
petróleo e gás, naval, papel e
celulose, alimentício, moveleiro e de mineração.
De olho em um mercado
pouco explorado em Lages,
mas com matéria-prima
disponível, a IOB Artepinus
começou em 2001, a fabricar
prendedores de roupas, depois
disso passou para produção de
jogos educativos, como quebra-cabeças e dominós.
Destaques
S
ob condições excelentes, diversas variedades
repousam em vinhedos
de cores vibrantes e infinitas
possibilidades para o paladar.
No terreno da família Abreu
Garcia, situado a 950 metros
de altitude e rodeado de belas
paisagens, são cultivadas as
uvas merlot, malbec, pinot
noir, cabernet sauvignon, sauvignon blanc, chardonnay e
vermentino.
Tudo iniciou na Fazenda
Campo Belo, no município
de Campo Belo do Sul, em
2006. Com o sucesso da implantação do vinhedo, nasce
a Vinícola Abreu Garcia, em
2010, com processo de vinificação de vinhos tranquilos
brancos, tintos e espumantes,
realizado na própria empresa.
Desde então, quatro safras já
renderam saborosos vinhos
e espumantes. A última, por
exemplo, rendeu 40 mil litros
de vinho.
Hoje, a vinícola possui um
vasto mercado em Santa Catarina, com clientes na Serra,
Chapecó, Florianópolis, Blumenau e Joinville. A próxima
etapa é ampliar ainda mais
seus negócios para São Paulo
(SP), Campinas (SP) e Brasília (DF). Não é à toa que a
empresa investiu R$ 300 mil
neste ano.
Os detalhes do processo de
produção são primordiais para o sucesso e por isso todos
os 15 colaboradores zelam pelo cuidado com a fruta, sejam
eles enólogos ou funcionários
temporários contratados para
a colheita, mão de obra da
própria localidade.
Uma parceria com a Universidade Federal de Santa
Catarina (UFSC) permite
ainda a realização de pesquisas na vinícola, que também
oferece oportunidade para
que alunos do último ano do
curso de Agronomia do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV) da Universidade
do Estado de Santa Catarina
(Udesc) estagiem na empresa.
Estas empresas contribuem
fortemente para a economia de
Lages e da Serra Catarinense
Produto: Vinhos finos de altitude.
Mercado: Santa Catarina.
Tempo: 2 anos.
Investimento: R$ 300 mil neste ano.
Futuro: Não há previsão para novos investimentos.
Colaboradores: 15 fixos e 10 temporários nas épocas de colheita.
Endereço: Campo Belo do Sul.
Telefone: (49) 3566.7700.
Site: www.abreugarcia.com.br
59
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
E
m sua XIV edição, o
Prêmio Empreendedor
José Paschoal Baggio vai
destacar as empresas: Vinícola
Abreu Garcia, Flex Contact
Center, Dynâmica Sistemas e
Equipamentos, ATF Embreagens e IOB Artepinus. Essas
empresas não estão entre as
maiores arrecadadoras de
ICMS, mas não deixam dúvida
sobre a importância para a
região, seja pela inovação e/
ou qualidade de serviços prestados. As escolhidas integram
setores de metal-mecânico,
serviços, alimentos e madeireiro, papel, celulose e florestal.
A ATF Embreagens, fundada em 2009, é uma indústria
de embreagens e componentes
para fabricantes de embreagens. Os principais clientes são
distribuidoras de autopeças,
concessionárias e transportadoras. Fornece peças para
fabricantes em todo o país, em
especial para os estados de São
Paulo, Espírito Santo, Minas
Gerais, Mato Grosso e Distrito
Federal.
A Flex Contact Center, que
tem matriz em Florianópolis,
iniciou suas atividades em
julho de 2009. Além de Lages
59
Destaques
60
61
Destaques
62
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
Dynâmica, a
empresa que
não poupa
investimentos
A
Flex Contact Center,
com matriz em Florianópolis, iniciou suas
atividades em julho de 2009
e foi construída dentro dos
mais modernos conceitos de
tecnologia, processos e gestão
de pessoas, com a experiência
comprovada de seus gestores
e a confiança do mercado.
Além de Florianópolis,
cidade que possui duas unidades da Flex, a empresa
também está presente nas
cidades de São Paulo e Lages.
Atualmente emprega mais de
4 mil profissionais e atende
clientes de porte nacional e
internacional com serviços
diferenciados e de alto valor
agregado.
E para manter o bom atendimento os colaboradores são
treinados permanentemente.
Depois de uma capacitação
inicial de 40 horas, mensalmente os profissionais recebem pelo menos mais 4 horas
de treinamento e reciclagem
de conhecimentos. Não é
necessária experiência anterior e por este motivo o investimento em capacitação é
muito grande e permanente.
A empresa mantém algumas
parcerias educacionais para
pontos específicos, no entanto, 90% da capacitação é feita
por profissionais especializados da própria Flex.
Para o presidente da empresa, Topázio Silveira Neto,
que também é presidente do
Conselho Deliberativo da
Associação Brasileira de Telesserviços, a ABT, o setor de
Contact Center no Brasil está
cada vez mais profissionalizado e exigente, o que abre
espaço para empresas, como
a Flex, que apresentam sua
proposta de valor ao mercado
baseada em profissionalismo,
tecnologia de última geração,
capacidade de gestão operacional e de pessoas e, sobretudo, visão de longo prazo
para desenvolvimento da
atividade. Prova desta visão
é o fato de apesar de muito
nova, a Flex Contact Center já
ser certificada com o selo de
Ética do Programa Brasileiro
de Autorregulamentação da
Atividade, o Probare.
Produto: Prestação de serviços
nas áreas de tecnologia,
atendimento a clientes,
televendas e cobrança.
Mercado: Clientes de porte
nacional e internacional.
Tempo: Três anos
Investimentos: Estão sendo
finalizados os investimentos
iniciais em Lages. Foram
investidos mais de R$ 5 milhões
na unidade. Para o próximo ano
estão previstos investimentos da
ordem de mais R$ 10 milhões. O
local para implantação de nova
unidade ainda não foi definido.
Futuro: Atualmente a empresa
emprega 900 profissionais
em Lages. Para 2013, serão 5
mil profissionais em todas as
unidades da Flex.
Colaboradores: 4 mil em toda
a rede.
Endereço: Av. Duque de Caxias,
618, Lages, SC.
Telefone: (48) 3037-9007.
Site: www.flexcontact.com.br
Flex, mais de 4 mil colaboradores em toda a rede
A
Dynâmica Sistemas e
Equipamentos é uma
empresa que atua nos
segmentos de Petróleo e Gás,
Químico e Petroquímico,
Energia, Papel e Celulose, Siderúrgico, Alimentício e MDP.
Presta serviços nas áreas de
manutenção, comissionamento,
calibração de equipamentos,
execução de projetos, planejamentos e controles, fabricação
e montagem eletromecânica e
treinamentos nas disciplinas de
Elétrica, Instrumentação, Automação e Mecânica.
Foi fundada em 2001, em
Otacílio Costa, pelo empreendedor Reni Macedo. Em 2009,
com a chegada do diretor comercial, Hilton Pereira, a carta
de clientes aumentou e atualmente a empresa atua com uma
extensa equipe formada por
profissionais, em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná,
São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso
do Sul, Mato Grosso, Espírito
Santo, Pará e Pernambuco.
Como toda empresa de sucesso, a Dynâmica não poupa
investimentos para atender
toda a demanda. “Posso afirmar
que já foi investido muito para
mantermos nossa qualidade em
atendimento”, fala o diretor comercial Hilton Pereira.
Como os trabalhos são cíclicos, o número de colaboradores
que prestam serviços varia de
480 a 750, conforme o períodos
de obras. Hoje, em seu quadro
fixo, a empresa conta com 220.
A Dynâmica tem recrutado
estudantes e técnicos da área e
oferecido, além dos treinamentos básicos, cursos externos
conforme a necessidade para
qualificar profissionais no mercado. “O treinamento tem que
ser transformado em trabalho
e este tem que refletir no comprometimento, segurança e
qualidade, após isto, é natural
o crescimento do colaborador
com promoções técnicas e financeiras”, conclui Hilton.
Para o futuro, e em função
de o mercado interno estar em
expansão, as expectativas da
Dynâmica são um crescimento
de 25% para 2013, já que nos
últimos três anos, triplicou o faturamento e os investimentos.
Produto: Prestadora de
serviços.
Mercado: Grande parte do
país.
Tempo: 11 anos.
Investimento: Aumento na
qualidade dos atendimentos.
Futuro: Expansão do mercado
interno e crescimento de 25%.
Colaboradores: 220
funcionário fixos.
Endereço: Rua Joseph Willian
Schaller, 70, Bairro Poço Rico,
Otacílio Costa, SC.
Telefone: (49) 3275-2573.
Site: www.dynamica.ind.br
62
Destaques
63
Prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio 2012 -
A
Tridapalli Indústria
de Autopeças Ltda
iniciou suas atividades
em agosto de 2009, na fabricação de embreagens novas
e componentes para fabricantes de embreagens.
Seus principais clientes
são: Distribuidoras de Autopeças, Concessionárias, Empresas de Ônibus e Frotistas,
atendendo em todo o País.
Os sócios têm experiência
na área há mais de 20 anos,
o que facilitou o crescimento
desta Indústria. “Fabricamos embreagens novas e
componentes para embreagens para todo mercado de
reposição e recuperadores
do ramo”, explica o diretor
industrial da empresa, Lino
Tridapalli Júnior.
Para ser mais competitiva
e conquistar novos clientes,
a Tridapalli com sua marca
já conhecida (ATF Embreagens), inaugura sua fundição
própria, onde desenvolverá
novos produtos como, a mais
nova linha de Volantes de
Embreagens e Mancais para
Embreagens.
“Mesmo com a oscilação
do mercado, conseguimos
preços competitivos e mantemos uma crescente constante em nossa indústria”,
ressalta o diretor, que enfatiza que a qualidade é outro
fator importante: “Não nos
permitimos errar, pois temos uma equipe de 50 colaboradores diretos e indiretos
em constante desenvolvimento profissional e sempre
investindo em máquinas e
equipamentos modernos, o
que permite à industria uma
posição confortável no mercado”.
Produto: Embreagens
novas e componentes
para embreagens.
Mercado: Todo o Brasil.
Tempo: Há três anos no
mercado.
Investimento: A Tridapalli
investiu recentemente em
uma fundição moderna
com forno a indução e
centros de usinagem e
torneamento verticais.
Futuro: Pretende
continuar investindo
em novas tecnologias e
aposta no crescimento do
setor no Brasil e um maior
incentivo do governo para
as empresas brasileiras.
Endereço: BR-282, 4000,
km 220, Bairro São Paulo,
Lages, SC.
Telefone: (49) 3221-9300
Site: www.atfembreagens.
com.br
A
ntes de a empresa Iob
Artepinus se efetivar no
mercado como fabricante
de brinquedos, seu principal
produto era prendedores de
roupa. Desde 2001, quando o engenheiro Frederico Iob assumiu
o comando, a fábrica começou a
incluir os brinquedos na linha de
produção por intermédio de seu
filho Denis Iob, fisioterapeuta,
que atendia em Otacílio Costa.
Através do interesse que tinha
sobre os brinquedos que haviam
na clínica onde trabalhava, Denis criou um projeto para inserir
na fábrica do pai a produção de
peças infantis de madeira.
Atualmente, a linha é composta por 130 itens, desde jogos de
memória, dominó, alfabeto, quebra-cabeças, até componentes
para outras indústrias. Produz
ainda algumas peças em plástico
e uma pequena quantidade de
prendedores de roupa.
Sua produção mensal é de 50
a 60 mil unidades, vendidas para todas as regiões do Brasil. Já
recebeu proposta para exportar,
porém, prefere se efetivar no
mercado nacional.
63
A linha de produção inclui 130 ítens, a maioria
brinquedos para várias faixas etárias
Produto: Brinquedos de madeira
para faixa etária de três a seis anos.
Possui 38 funcionários diretos, mas sua maior produção
sai dos presídios em São Joaquim, Campos Novos e, recentemente, da Penitenciária de
São Cristóvão do Sul, onde 100
homens que cumprem pena,
têm a oportunidade de trabalhar. Inicialmente, os funcionários são treinados na própria
empresa. Neste final de 2012,
a empresa recebe consultoria
do Sebrae. O programa está
dividido em módulos, onde os
funcionários estão sendo especialmente capacitados para
o planejamento, estruturação
e comercialização do produto
final.
Não só os colaboradores, mas
inclusive a fábrica passa por
uma profissionalização nos processos produtivos, até mesmo
para reconhecimento da marca,
renovou a certificação do Inmetro para todos os produtos.
Mercado: Brasil.
Investimento: Profissionalização dos
processos produtivos na fábrica.
Futuro: Após a profissionalização,
em 2014, reformular a linha de seus
produtos.
Colaboradores: 38 diretos e 100
indiretos.
Endereço: Rua Tiago Debetio, 390,
Cidade Alta, Lages, SC.
Telefone: (49) 3224-3498.
Site: www.iobartepinus.com.br
64

Documentos relacionados